Direito Administrativo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Direito Administrativo"

Transcrição

1 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Professora Bruna Refosco

2

3 Direito Administrativo Ato Normativo n 664 de 08 de outubro de 2010 PGJ/CGMP/CSMP REGULAMENTAÇÃO DAS FUNÇÕES DE OFICIAIS DE PROMOTORIA NOS INQUÉRITOS CIVIS E PROCEDIMENTOS PREPARATÓRIOS DE INQUÉRITOS CIVIS Prof. Bruna Refosco DISPOSIÇÕES GERAIS PARA QUE SERVE O ATO NORMATIVO Nº 664/2010??? ATUALIZAR ATO NORMATIVO ANTERIORMENTE EDITADO UNIFICAR NORMAS INTERNAS DE QUEM E PORQUE??? UNIFORMIZAR PROCEDIMENTOS INTERNOS DOS SERVIDORES DO MPSP PARA QUE TODOS OBEDEÇAM A MESM ROTINA RELATIVA A PROCEDIMENTOS E FORMAS DE TRABALHO. 3

4 ESCRITURAÇÃO DE LIVROS/DOCUMENTOS/PAPÉIS PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS: PRESIDIDOS POR ÓRGÃO DO MPSP SÃO SECRETARIADOS POR OFICIAL DE PROMOTORIA/SERVIDOR LOTADO NO ÓRGÃO. QUALQUER ESCRITURAÇÃO É FEITA EM TINTA PRETA/AZUL, NÃO SENDO PERMITIDO O USO DE BORRACHA OU CORRETIVO. EX.: DESPACHOS, NUMERAÇÕES, ASSINATURAS, ETC. CUIDADOS: - RASURAS/ERROS/OMISSÕES/EMENDAS/BORRÕES DEVEM SER EVITADOS; - ANOTAÇÕES DE SEM EFEITOS DEVEM SER AUTENTICADAS; - EVITAR/INUTILIZAR ESPAÇOS EM BRANCO; - O OFICIAL DE PROMOTORIA DEVE CONSERVÁ-LOS (TANTO OS EM ANDAMENTO COMO OS FINDOS). ESCRITURAÇÃO DE LIVROS/DOCUMENTOS/PAPÉIS REQUISITOS NOTIFICAÇÕES/COMUNICAÇÕES/ OFÍCIOS/AUTOS - Número do Procedimento; - Promotoria a qual pertencem; - Encaminhamento ao destinatário via postal/ facsímile/ correio eletrônico/qualquer outro meio hábil; - Informação acerca do envio de documento/ofício/auto/notificação/etc; - Juntada dos comprovantes de entrega destes documentos aos autos. 4

5 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco PROCEDIMENTOS EM GERAL - DISPOSIÇÕES Numeração das folhas pelo Oficial de Promotoria; Cada volume deverá ter 200 fls. (salvo situações em que o Promotor determine o contrário); Na abertura/encerramento de volumes, deverá ser lavrado auto de abertura e auto de encerramento PROCEDIMENTOS EM GERAL - DISPOSIÇÕES EXEMPLO: A B E R T U R A Aos de de 20, eu (nome do servidor), Oficial de Promotoria, promovo a abertura do º volume dos autos do (inquérito civil, procedimento preparatório de inquérito civil ou procedimento administrativo) nº, a partir de fls.. ( ). Rubrica do funcionário. E N C E R R A M E N T O Aos de de 20, eu (nome do servidor), Oficial de Promotoria, promovo o encerramento deste º volume dos autos do (inquérito civil, procedimento preparatório de inquérito civil ou procedimento administrativo) nº, a fls.. ( ). Rubrica do funcionário. 5

6 PROCEDIMENTOS EM GERAL - DISPOSIÇÕES PROBLEMA: E SE UMA SEQUÊNCIA DE DOCUMENTOS ULTRAPASSAR AS 200 FLS. DE UM VOLUME??? Neste caso específico o volume pode ser encerrado com mais ou menos de 200 fls. PROCEDIMENTOS EM GERAL - DISPOSIÇÕES PROIBIDO LANÇAR PALAVRAS/EXPRESSÕES ENTRE AS LINHAS/MARGENS (SUBLINHAS TAMBÉM). Se o Oficial de Promotoria verificar isso, deve comunicar ao Promotor. Certidões/Requisições/Ofícios/Cartas Precatórias/ Termos de conclusão seguem o modelo previsto neste ato e devem conter: Identificação do Oficial de Promotoria que os lavrou. (nome/cargo/função/matrícula e rubrica). NÃO ESQUEÇA - QUALQUER COISA QUE FOR JUNTADA DEVE SER ACOMPANHADA DE TERMO DE JUNTADA!!!!!!! 6

7 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco PROCEDIMENTOS EM GERAL - DISPOSIÇÕES EXEMPLO TERMO DE JUNTADA: J U N T A D A Aos de de 20, eu (nome do servidor), Oficial de Promotoria, junto aos autos deste procedimento os seguintes documentos:. ( ). Rubrica do funcionário.. EXEMPLO TERMO DE CONCLUSÃO: C O N C L U S Ã O Aos de de 20, eu (nome do servidor), Oficial de Promotoria, faço estes autos conclusos ao Exmo. Sr. Doutor (nome por extenso), Promotor de Justiça ( ). Rubrica do funcionário. PROCEDIMENTOS EM GERAL - DISPOSIÇÕES Caso não haja prazo fixado, requisições e notificações serão encaminhadas em até 5 dias; Em se tratando de notificação para comparecer em audiência, o AR deve ser juntado aos autos no prazo de 10 dias antes da data designada. NOTIFICAÇÃO CONTÉM: DIA/HORA/LOCAL/NATUREZA DO PROCEDIMENTO/ FATO INVESTIGADO E ADVERTÊNCIA DA POSSIBILIDADE DE CONDUÇÃO COERCITIVA. 7

8 AUTUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS O Oficial de Promotoria é responsável pela guarda/escrituração/manutenção e registros; No prazo de 72 horas o Oficial de Promotoria deve abrir conclusão de qualquer auto protocolizado para análise do Promotor (salvo casos urgentes); Prazo de 5 dias para executar determinações do Promotor (salvo casos urgentes); AUTUAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS Atos e diligências devem ser realizados por determinação expressa do presidente da diligência (salvo atos de mero expediente); Procedimentos não devem ficar parados por mais de 30 dias (caso fiquem, o Oficial de Promotoria deve tornar os autos conclusos ao Promotor); Procedimentos não devem ficar paralisados além dos prazos fixados, salvo determinação em contrário; 8

9 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco ENTRADA E SAÍDA DE AUTOS Remessas de Procedimentos devem ser registradas no livro de cargas; Termo de data é a forma como é certificado o recebimento de autos remetidos à conclusão; O QUE O OFICIAL DE PROMOTORIA REGISTRA?? - Retirada de autos por advogados; - Remessa de procedimentos (representações/autos/ inquéritos para promotores de Justiça RECEPÇÃO/ REGISTRO DE DOCUMENTOS E PROVIDÊNCIAS Qualquer documento recebido no MP, relativo à lesão/ameaça de lesão a interesses difusos/coletivos/ individuais homogêneos e individuais indisponíveis são imediatamente registrados nos livros de protocolo geral; O registro é feito em ordem cronológica, pelo Oficial de Promotoria, sob pena de responsabilidade (prazo de 48 horas); É feito o envio ao Promotor de Justiça; O procedimento depois de recebido é despachado/ registrado/ autuado e cumprem-se as determinações do Promotor. 9

10 QUADRO DEMONSTRATIVO DOCUMENTOS RECEBIDOS NO MPSP REGISTRO EM SISTEMA ELETRÔNICO PELO OFICIAL DE PROMOTORIA REGISTRO PROTOCOLO GERAL ( 48H) DESPACHO * 1 PROMOTOR ELE ANALISA. * 2 PROMOTORES - VAI AO PROMOTOR SECRETÁRIO QUE EM 72 HRS DISRIBUI E DEPOIS VAI PARA O PROMOTOR RESPONSÁVEL. DISTRIBUIÇÃO AUTUAÇÃO E CUMPRIMENTO DAS ORDENS DO PROMOTOR DE JUSTIÇA OBRIGAÇÕES DO OFICIAL DE PROMOTORIA- APÓS INSTAURAÇÃO DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO OBRIGAÇÕES REGISTRO EM 72 HRS (SIST. ELETRÔNICO) INTERPOSIÇÃO DE RECURSO COMPLEMENTAÇÃO DE REPRENTAÇÃO 10

11 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco OBRIGAÇÕES DO OFICIAL DE PROMOTORIA- APÓS INSTAURAÇÃO DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO COMPLEMENTAÇÃO DE REPRESENTAÇÃO NOTIFICA REPRESENTANTE PARA INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES EM 10 DIAS CERTIFICA DECURSO DE PRAZO EM CASO DE NÃO COMPLEMENTAÇÃO PELO AUTOR. APÓS, CONCLUSÃO AO PROMOTOR. OBRIGAÇÕES DO OFICIAL DE PROMOTORIA- APÓS INSTAURAÇÃO DO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO INTERPOSIÇÃO DE RECURSO ANOTAÇÕES NO LIVRO DE REGISTRO DE RECURSOS JUNTADA AOS AUTOS PETIÇÕES/RAZÕES RECURSAIS. APÓS CONCLUSO AO PROMOTOR PARA REEXAME. EM CASO DE MANUTENÇÃO DA DECISÃO RECORRIDA: REMESSA AO CSMP NO PRAZO DE 3 DIAS 11

12 DEMAIS OBRIGAÇÕES - EM CASO DE INDEFERIMENTO DE REPRESENTAÇÃO, NOTIFICA O REPRESENTANTE E PODE INTERPOR RECURSO NO PRAZO DE 10 DIAS AO CSMP/SP; - DECORRIDO PRAZO RECURSAL, CERTIFICA-SE O MESMO E REMETE OS AUTOS AO PROMOTOR DE JUSTIÇA, SENDO ENCAMINHADO AO CSMP NO PRAZO DE 3 DIAS OU AO ARQUIVO. INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO CIVIL OFICIAL DE PROMOTORIA INSTAURA O INQUÉRITO AUTUAÇÃO ATUALIZA OS REGISTROS DIGITALIZA A PORTARIA NOTIFICAÇÃO DO INTERESSADO JUNTADA NOS AUTOS DA CÓPIA DA PUBLICAÇÃO DA INSTAURAÇÃO CIENTIFICAÇÃO REPRESENTANTE ADOTA PROVIDÊNCIAS PARA QUANTO AOS DOCUMENTOS SIGILOSOS PARA QUE SEJAM ENVELOPADOS/LACRADOS/RUBRICADOS- 12

13 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco IMPORTANTE - INSTAURAÇÃO INQUÉRITO CIVIL **INVESTIGADO PODE INTERPOR RECURSO SERÁ CONCLUSO AO PRESIDENTE DA INVESTIGAÇÃO!!! ** SE DO RECURSO NÃO HOUVER RETRATAÇÃO DO PRESIDENTE, REMETE AO CSMP/SP NO PRAZO DE 3 DIAS. ** DECORRIDO O PRAZO DO RECURSO E ESTE NÃO INTERPOSTO, HAVERÁ CERTIFICAÇÃO E OS AUTOS SERÃO CONCLUSOS! PRAZO RECURSAL: CONTA-SE A PARTIR DA DATA DA CIÊNCIA DA DECISÃO (NOTIFICAÇÃO PESSOAL) CONTA-SE A PARTIR DA JUNTADA AOS AUTOS DO AR (NOTIFICAÇÃO POR CORREIO); CONTA-SE A PARTIR DA JUNTADA AOS AUTOS DA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO OFICIAL DA INSTAURAÇÃO DO INQUÉRITO CIVIL. IMPEDIMENTO E SUSPEIÇÃO OPOSIÇÃO EXCEÇÃO IMPEDIMENTO/ SUSPEIÇÃO AUTUAÇÃO EM APARTADO REGISTRO EM SISTEMA ELETRÔNICO DELIBERAÇÃO/ PROSSEGUIMENTO CONCLUSÃO AO PROMOTOR (PRAZO 48HRS) APENSAMENTO AO AUTO PRINCIPAL 13

14 INSTRUÇÃO E PRORROGAÇÃO DE PROCEDIMENTO CUMPRIMENTO DE DILIGÊNCIAS - Feita pelo oficial de Promotoria. Em caso de descumprimento de diligência, certifica a mesma e conclui para deliberação do Promotor. - Em caso de reiteração de diligência não atendida, faz constar nos autos o ocorrido, com eventuais advertências. - Em caso de atendimento de diligência, conclui os autos para o Promotor. - Em caso de diligência em outra comarca, expede-se carta precatória. CARTA PRECATÓRIA Deverá ser expedida no prazo de 5 dias, salvo casos urgentes; Deverá ser confeccionada em duas vias, indicando Promotor de Justiça Deprecado e a diligência a ser realizada; Deve ser cumprida no prazo de 30 dias contados por recebimento, salvo se houver prazo menor fixado; Pode ser feita telegrama, fac-símile, correio eletrônico ou outro meio, desde que devidamente certificado. 14

15 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco AUDIÊNCIAS E INSTRUÇÕES OFICIAL DE PROMOTORIA LAVRA A ATA DE AUDIÊNCIA OU FICHA DE RESUMO SECRETARIA A AUDIÊNCIA 10 DIAS ANTES DA AUDIÊNCIA VERIFICA SE TODAS AS PROVIDÊNCIAS FORAM CUMPRIDAS PARA INTIMAR OS DEPOENTES QUALIFICAÇÃO DAS PESSOAS OUVIDAS SUBSCREVE O TERMO DE AUDIÊNCIA COM OS DEMAIS PRESENTES ARQUIVAMENTO DE PROCEDIMENTOS OFICIAL DE PROMOTORIA CERTIFICA DATA DO RECIMENTO DOS AUTOS PARA ARQUIVAMENTO CONSERTO DOS AUTOS ENVIO AO CSMP/SP PRAZO DE 3 DIAS CONCLUSÃO AO PROMOTOR CERTIFICA O RECEBIMENTO DOS AUTOS NA SECRETARIA HOMOLOGA CSMP/SP PODE HOMOLOGAR OU NÃO. CONCLUSÃO AO PROMOTOR DEVOLUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DE DILIGÊNCIAS NÃO HOMOLOGA 15

16 DESIGNAÇÃO DA AUDIÊNCIA ENCAMINHA A ATA PARA O PROCURADOR- GERAL (5 DIAS) REALIZAÇÃO DE AUDIÊNCIAS PÚBLICAS - PROCEDIMENTO PZ.5 DIAS EXPEDE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PROVIDENCIA AS COMUNICAÇÕES LAVRA ATA (PRAZO 5 DIAS) PRAZO 10 DIAS PARA JUNTAR AOS AUTOS REALIZA A AUDIÊNCIA PUB. EDITAL/ CERTIFICA QUE É TEMPESTIVO. FIXA CÓPIA ANTECEDÊNCIA 10 DIAS. PROCURADOR- GERAL CONHECE ATA PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO NO PRAZO FIXADO PELO PROCURADOR. PS.: CERTIFICA TUDO!!!! SIGILO DAS INVESTIGAÇÕES É OBRIGAÇÃO DO OFICIAL DE PROMOTORIA CERTIFICAR-SE ACERCA DO SIGILO, O GRAU DO SIGILO E SEU ALCANCE ANTES DE PRESTAR INFORMAÇÕES; NOS CASOS EM QUE RECAIR SIGILO, PODEM CONSULTAR: INVESTIGADO (PESSOALMENTE) OU PROCURADOR (COM PODERES ESPECÍFICOS); O OFICIAL DE PROMOTORIA TEM RESPONSABILIDADE SOBRE OS PROCEDIMENTOS SIGILOSOS, ZELANDO POR SUA GUARDA E CONSERVAÇÃO; A DECRETAÇÃO DE SIGILO FICA ANOTADA NA AUTUAÇÃO, ASSIM COMO NOS PROCEDIMENTOS ELETRÔNICOS. 16

17 Direito Administrativo Ato (N) nº 664/ PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Profª Bruna Refosco AJUIZAMENTO AÇÃO CIVIL PÚBLICA- PROVIDÊNCIAS RECEBIMENTO DOS AUTOS COM PETIÇÃO INCIAL ANEXA CÓPIA DA PETIÇÃO NA CAPA DO 1º VOLUME ENCAMINHA PARA DISTRIBUIÇÃO (EM 48 HORAS SALVO PRAZO DIVERSO COMUNICAÇÃO DO AJUIZAMENTO DA AÇÃO AO CENTRO DE APOIO OPERACIONAL REGISTRO NO SISTEMA ELETRÔNICO E DIGITALIZAÇÃO DA INICIAL ATUALIZAÇÃO DOS REGISTROS NO LIVRO PROVIDENCIA EXTRAÇÃO DAS CÓPIAS NECESSÁRIAS PARA CONTROLE/ ACOMPANHAMENTO CERTIDÕES E EXTRAÇÕES DE CÓPIAS DEPENDEM DE PRÉVIO REQUERIMENTO DO INTERESSADO E AUTORIZAÇÃO POR ESCRITO DO PRESIDENTE DA INVESTIGAÇÃO; O OFICIAL DE PROMOTORIA PROVIDENCIA; O OFICIAL DE PROMOTORIA CERTIFICAQUANDO EXPEDIR CÓPIAS E CERTIDÕES; O PRAZO PARA EXPEDIÇÃO DE CERTIDÕES É DE NO MÁXIMO 15 DIAS, COM BASE NOS REGISTROS EXISTENTES NAS PROMOTORIAS (ELETRÔNICOS OU LIVROS). 17

18 OUTRAS DISPOSIÇÕES *EM CASO DE DIFICULDADE DO OFICIAL DE PROMOTORIA NO CUMPRIMENTO DE DILIGÊNCIAS, ELE DEVE MENCIONAR ISSO E CONCLUIR OS AUTOS AO PROMOTOR, PARA QUE SOLICITE O APOIO NECESSÁRIO AO CUMPRIMENTO DA DILIGÊNCIA; * O OFICIAL DE PROMOTORIA TEM O DEVER DE REALIZAR RELATÓRIOS DO ACERVO E DOS FEITOS EM ANDAMENTO NAS PROMOTORIAS, ENTREGANDO OS MESMOS AO PROMOTOR DE JUSTIÇA QUE ASSUMIR A PROMOTORIA A QUALQUER TÍTULO (PERMANENTE, SUBSTITUTO, ETC). 18

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122.

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122. A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122.738/16-MP) Disciplina o procedimento preparatório eleitoral no âmbito do Ministério

Leia mais

REQUISIÇÃO DE DOCUMENTOS

REQUISIÇÃO DE DOCUMENTOS Data versão inicial: Data versão vigente: 1/6 Unidade de Aplicação: Promotorias de do MP-PR. Objetivo do Processo: Responsável(is) envolvido(s): Secretarias, assessorias e promotores de justiça. Cumprimento

Leia mais

Subprocuradoria-Geral de Justiça de Relações Externas

Subprocuradoria-Geral de Justiça de Relações Externas Subprocuradoria-Geral de Justiça de Relações Externas Relatório de Atividades Biênio / Sumário SECRETARIA... 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA... 14 SECRETARIA Recebimento, análise e encaminhamento de documentos

Leia mais

O NOVO MODELO DE EXECUÇÃO FISCAL

O NOVO MODELO DE EXECUÇÃO FISCAL O NOVO MODELO DE EXECUÇÃO FISCAL EXECUÇÃO FISCAL Legislação aplicável: Lei 6.830/80 e aplicação subsidiária do CPC. OBJETIVOS DA LEI 6.830/80: Regular a execução judicial para a cobrança da dívida ativa

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

COMUNICAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS

COMUNICAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS COMUNICAÇÃO DOS ATOS PROCESSUAIS (I) Previsão jurídica: CPC, arts. 200 a 240. Para fins do presente estudo, adota-se o gênero comunicação dos atos processuais da qual temos como espécies as cartas (de

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados.

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de 2012. Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício da competência

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO N. 1 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2010. Regulamenta o processo judicial eletrônico no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, no uso das atribuições que

Leia mais

CARTILHA SOLICITAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO E PERÍCIA ATO PGJ Nº 025/2014

CARTILHA SOLICITAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO E PERÍCIA ATO PGJ Nº 025/2014 Gabinete do Secretário-Geral CARTILHA SOLICITAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO E PERÍCIA ATO PGJ Nº 025/2014 A Procuradoria-Geral de Justiça, visando estruturar e subsidiar as atividades desenvolvidas pelos Membros

Leia mais

PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA AUTUAÇÃO E INSTRUÇÃO DE PROCESSOS

PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA AUTUAÇÃO E INSTRUÇÃO DE PROCESSOS SERVIÇO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ARQUIVO CENTRAL PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA AUTUAÇÃO E INSTRUÇÃO DE PROCESSOS FORMALIZAÇÃO: A formalização de processo será executada diretamente pelo Protocolo

Leia mais

FLUXOGRAMAS DE ROTINAS DOS PROCESSOS

FLUXOGRAMAS DE ROTINAS DOS PROCESSOS FLUXOGRAMAS DE ROTINAS DOS PROCESSOS 1 Gestão 2009 2011 Desembargador José Silvério Gomes Presidente Desembargador Paulo da Cunha Vice Presidente Desesembargador Manoel Ornellas de Almeida Corregedor Geral

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Citação e Intimação Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal CITAÇÃO E INTIMAÇÃO TÍTULO X Das Citações e Intimações CAPÍTULO I DAS CITAÇÕES

Leia mais

DOS ÓRGÃOS AUXILIARES DO PODER JUDICIÁRIO TRABALHISTA:

DOS ÓRGÃOS AUXILIARES DO PODER JUDICIÁRIO TRABALHISTA: DOS ÓRGÃOS AUXILIARES DO PODER JUDICIÁRIO TRABALHISTA: São também denominados de órgãos auxiliares do juiz e servem para dar sustentação a todos os órgãos judiciais. Amauri Mascaro Nascimento conclui:

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 23, DE 17 SETEMBRO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 23, DE 17 SETEMBRO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 23, DE 17 SETEMBRO DE 2007. Regulamenta os artigos 6º, inciso VII, e 7º, inciso I, da Lei Complementar nº 75/93 e os artigos 25, inciso IV, e 26, inciso

Leia mais

1) Com relação aos Atos do Escrivão ou do Chefe de Secretaria é INCORRETO afirmar que :

1) Com relação aos Atos do Escrivão ou do Chefe de Secretaria é INCORRETO afirmar que : 1 1) Com relação aos Atos do Escrivão ou do Chefe de Secretaria é INCORRETO afirmar que : a) Os atos e termos do processo serão datilografados ou escritos com tinta escura indelével, assinado-os as pessoas

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

Protocolo Judicial de 1º Grau

Protocolo Judicial de 1º Grau PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO 45 Protocolo Judicial de 1º Grau Elaborado por: Ronaldo Gomes Pereira

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO STJ N. 4 DE 1º DE FEVEREIRO DE 2013. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno de autos no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL

Leia mais

PROVIMENTO Nº 63/02-CGJ

PROVIMENTO Nº 63/02-CGJ PROVIMENTO Nº 63/02-CGJ Dispõe sobre os atos que podem praticados pelos Diretores de Secretaria e Escrivães Cíveis e Criminais de Varas das Comarcas da Capital e do interior do Estado, ou servidores autorizados,

Leia mais

PORTARIA N 004/2010 CONSIDERANDO

PORTARIA N 004/2010 CONSIDERANDO PORTARIA N 004/2010 Regulamenta o requerimento de alvará para viagem de criança e adolescente ao exterior, no âmbito da Comarca de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, O Excelentíssimo Senhor Marcos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, no uso da atribuição

Leia mais

Protocolo Integrado e Processo Eletrônico Nacional: Novos Paradigmas para a Administração Pública Federal. Brasília, 10 de março e 2015

Protocolo Integrado e Processo Eletrônico Nacional: Novos Paradigmas para a Administração Pública Federal. Brasília, 10 de março e 2015 Protocolo Integrado e Processo Eletrônico Nacional: Novos Paradigmas para a Administração Pública Federal Brasília, 10 de março e 2015 Portaria Interministerial MJ/MP aprova os procedimentos gerais para

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 Publicada no DOE de 05/11/2008 CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CENTRO DE ATENDIMENTO SÓCIO-EDUCATIVO AO ADOLESCENTE FUNDAÇÃO

Leia mais

Comunicações Processuais Prof. Gladson Miranda

Comunicações Processuais Prof. Gladson Miranda Comunicações Processuais Prof. Gladson Miranda CITAÇÃO, INTIMAÇÃO E NOTIFICAÇÃO (Arts. 351 ao 372) CITAÇÃO Conceito Finalidade da Citação art. 396 do CPP FORMAS DE CITAÇÃO 1) Citação real realizada por

Leia mais

ww.concursovirtual.com.b

ww.concursovirtual.com.b MP RJ PROFESSORA RAQUEL TINOCO EDITAL: ORGANIZAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO O Ministério Público na Constituição Federal de 1988: princípios, garantias, vedações, estrutura e funções institucionais; Conselho

Leia mais

INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO

INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO TERMO CIRCUNSTANCIADO TERMO CIRCUNSTANCIADO -Substitui o inquérito policial, é utilizado para crimes de menor potencial ofensivo (pena máxima

Leia mais

Requerimento de Movimentação Interna

Requerimento de Movimentação Interna SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO - SEA Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico Requerimento de Movimentação Interna Apresentação Este manual tem como objetivo auxiliar os usuários do Sistema de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA REGIONAL PORTARIA Nº T2-PTC-2011/00404 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011.

PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA REGIONAL PORTARIA Nº T2-PTC-2011/00404 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL - 2ª REGIÃO CORREGEDORIA REGIONAL PORTARIA Nº T2-PTC-2011/00404 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011. O Doutor ANDRÉ FONTES, Corregedor-Regional da Justiça

Leia mais

RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009

RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009 RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009 EMENTA: Institui procedimentos que deverão ser adotados no processamento das denúncias éticas que forem objeto de DESAFORAMENTO, conforme previsão do artigo

Leia mais

Seção 7 As Cartas Precatórias, Rogatórias e de Ordem

Seção 7 As Cartas Precatórias, Rogatórias e de Ordem Seção 7 As Cartas Precatórias, Rogatórias e de Ordem 2.7.1 - No Estado de Mato Grosso, as cartas precatórias serão recebidas pelo Juiz Diretor do Foro da comarca destinatária, sendo protocoladas, com anotação

Leia mais

Da Solicitação. Do Prazo

Da Solicitação. Do Prazo ORIENTAÇÕES CONJUNTAS DO COLÉGIO NOTARIAL DO BRASIL SEÇÃO SÃO PAULO E DA ASSOCIAÇÃO DOS REGISTRADORES DE PESSOAS NATURAIS SOBRE O PROVIMENTO DA EGRÉGIA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

ATO PGJ N.º 0112/2012. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, por substituição legal, no uso de suas atribuições legais, e

ATO PGJ N.º 0112/2012. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, por substituição legal, no uso de suas atribuições legais, e ATO PGJ N.º 0112/2012 DISPÕE SOBRE A AUTUAÇÃO, ORGANIZAÇÃO, MANUSEIO, TRAMITAÇÃO E PRAZOS DE PROCESSOS ADMINISTRATIVOS DE GESTÃO, NO ÂMBITO DA PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS. O PROCURADOR-GERAL

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 09/11/2016

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 09/11/2016 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ Atualizado em 09/11/2016 RESOLUÇÃO STJ/GP N. 1 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2016. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno dos autos no âmbito

Leia mais

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO CRITÉRIO PARA CURSOS SÃO PAULO 2005 SUMÁRIO 1. EDITAIS 2. INSCRIÇÃO INFORMATIZADA 3. PERÍODO PARA INSCRIÇÕES 4. VALOR PARA INSCRIÇÕES 5. LOCAL E DATA DAS PROVAS 6. CONFECÇÃO DE PROVAS 7. NOTA DE CORTE

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para processar e impulsionar decisões nas Varas Cíveis integrantes do Modelo de Gestão.

Estabelecer critérios e procedimentos para processar e impulsionar decisões nas Varas Cíveis integrantes do Modelo de Gestão. : MAN-VCIV-005 Versão: 00 Data de Aprovação: 18/01/2011 Elaborado por: Magistrados e servidores da 8ª e 14ª Varas Cíveis Aprovado por: Presidente do TJPB 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM MATO GROSSO DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM MATO GROSSO DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM MATO GROSSO DO SUL PORTARIA DE INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO Nº 156/2011/PR-MS, DE 15 DE JULHO DE 2011 Classificação Temática: 3ª CCR Ordem

Leia mais

MANUAL DO AGRAVO DE INSTRUMENTO

MANUAL DO AGRAVO DE INSTRUMENTO MANUAL DO AGRAVO DE INSTRUMENTO (2ª Edição Revisada e Atualizada) Roberto Ignácio dos Santos Seção Judiciária do Rio de Janeiro Hylton Pereira Assessor da Coordenação-Geral do Conselho da Justiça Federal

Leia mais

AUXÍLIO-FUNERAL 1 OBJETIVO

AUXÍLIO-FUNERAL 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe do Departamento de Administração de Pessoal (DEAPS) Analisado criticamente por: Diretora do Departamento de Administração de Pessoal (DEAPS) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-

Leia mais

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS

TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS TABELA IV DOS TABELIONATOS DE PROTESTO DE TÍTULOS 1 Pelo acolhimento do aceite ou devolução, recebimento do pagamento, desistência ou sustação judicial definitiva do protesto de titulo, documento de dívida

Leia mais

Notícia de fato nº MPPR

Notícia de fato nº MPPR Notícia de fato nº MPPR-0051.12.000423-2 Interessada: 3º Promotoria de Justiça de Fazenda Rio Grande PR. Natureza: Solicitação de sugestões de diligências nos autos originais de Notícia de Fato nº MPPR-0051.12.000423-3,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PESQUEIRA CCI - Controladoria de Controle Interno

PREFEITURA MUNICIPAL DE PESQUEIRA CCI - Controladoria de Controle Interno SISTEMA DE CONTROLE INTERNO - SCI INSTRUÇÕES NORMATIVAS SCC Nº 001/2010-1 Aprovação em: 09/03/2010 Versão: 001 Ato de Aprovação: IN SCC n. 001/2010 Unidade Responsável: Sistema de Controle de Comunicação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016

INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016 INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016 Dispõe sobre os procedimentos para a Certificação de Conclusão do Ensino Médio e da Declaração Parcial de Proficiência com base nos resultados do Exame

Leia mais

PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016.

PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016. PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016. Dispõe sobre a obrigatoriedade de recadastramento anual de aposentados e pensionistas que integram a folha de pagamento de pessoal do Instituto de Previdência Social

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2002 SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2002 Baixa instruções para análise do requerimento de autorização de saque do FGTS de contas vinculadas, em nome de empregadores,

Leia mais

Projeto de Redesenho dos Processos

Projeto de Redesenho dos Processos PROCESSO INATIVAÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL M A P A D O P R O C E S S O D E V E R I A S E R E S P E C I F I C A Ç Õ E S ; C R I T É R I O S E I N O V A Ç Õ E S. Pág.1 MAPA DO PROCESSO DEVERIA SER Pág.2 ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

REGRAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE JURÍDICO

REGRAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE JURÍDICO REGRAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE JURÍDICO 1. Dos serviços 1.1 Distribuição de ações ou realização de protocolos; 1.2 Realização de audiências; 1.3 Relatórios processuais; 1.4 Despacho

Leia mais

Licença Especial para Ocupar Cargo de Direção ou Representação em Organização Sindical. Conceito. Caracterização/Particularidades

Licença Especial para Ocupar Cargo de Direção ou Representação em Organização Sindical. Conceito. Caracterização/Particularidades Licença Especial para Ocupar Cargo de Direção ou Representação em Organização Sindical Conceito É a licença concedida ao servidor efetivo quando eleito para algum cargo de direção junto às entidades sindicais

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Considerando que compete ao conselho de representantes das unidades orgânicas de ensino

Leia mais

Manual de Andamento de Remessa ao Tribunal de Justiça

Manual de Andamento de Remessa ao Tribunal de Justiça Manual do Usuário Manual de Andamento de Remessa ao Tribunal de Justiça DCP Processo Eletrônico Template Versão 1.1 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Remessa de Processo ao Tribunal de Justiça... 5 3. Consulta

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº JFRJ-PGD-2014/00008 de 12 de dezembro de 2014

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº JFRJ-PGD-2014/00008 de 12 de dezembro de 2014 PORTARIA Nº JFRJ-PGD-2014/00008 de 12 de dezembro de 2014 O JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FORO E CORREGEDOR PERMANENTE DOS SERVIÇOS AUXILIARES DA - SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

a revolução no MP Mas não lhe davam instrumentos para se daí o inquérito civil

a revolução no MP Mas não lhe davam instrumentos para se daí o inquérito civil INQUÉRITO CIVIL E PEÇAS DE INFORMAÇÃO origens e conceito valor e objeto as 3 fases controle de legalidade 1 Inquérito civil a revolução no MP As diversas leis davam atribuições ao Ministério Público Ações

Leia mais

assembléia geral ordinária

assembléia geral ordinária assembléia geral ordinária 2. DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA ESPECIFICAÇÃO Requerimento (Capa de Processo) com assinatura do administrador, acionista, procurador, com poderes específicos, ou terceiro interessado

Leia mais

REQUERIMENTO nº 253, de 1997

REQUERIMENTO nº 253, de 1997 Autoria: Senador Pedro Simon Ementa: REQUER NOS TERMOS REGIMENTAIS, SEJA SOLICITADA AO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, REALIZAÇÃO DE INSPEÇÃO E AUDITORIA, DE NATUREZA CONTABIL, FINANCEIRA, ORÇAMENTARIA, OPERACIONAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS

Leia mais

O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA

O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA CONSELHO TUTELAR 1. CONCEITO (art. 131, ECA): órgão permanente e autônomo, não

Leia mais

Composição JUSTIÇA DO TRABALHO TST ÚLTIMA INSTÂNCIA TRT 2ª. INSTÂNCIA VARA 1ª. INSTÂNCIA

Composição JUSTIÇA DO TRABALHO TST ÚLTIMA INSTÂNCIA TRT 2ª. INSTÂNCIA VARA 1ª. INSTÂNCIA Composição JUSTIÇA DO TRABALHO TST ÚLTIMA INSTÂNCIA TRT 2ª. INSTÂNCIA VARA 1ª. INSTÂNCIA TST Vinte e sete ministros TRT Vinte e oito desembargadores Varas do Trabalho Um juiz titular em cada vara Art.

Leia mais

PROVIMENTO CCI nº 03 /2010 SEC

PROVIMENTO CCI nº 03 /2010 SEC PROVIMENTO CCI nº 03 /2010 SEC Disciplina e uniformiza as rotinas visando ao aperfeiçoamento do procedimento de interceptação de comunicações telefônicas e de sistemas de informática e telemática nos órgãos

Leia mais

FLUXO INTERNO DE REVALIDAÇÃO / RECONHECIMENTO DE DIPLOMAS ESTRANGEIROS (TRÂMITE ADMINISTRATIVO DE ABERTURA DO PROCESSO)

FLUXO INTERNO DE REVALIDAÇÃO / RECONHECIMENTO DE DIPLOMAS ESTRANGEIROS (TRÂMITE ADMINISTRATIVO DE ABERTURA DO PROCESSO) (TRÂMITE ADMINISTRATIVO DE ABERTURA DO PROCESSO) 1. Recepção da documentação; 2. Conferência e autenticação dos documentos; 3. Elaboração de CI para abertura de processo; 4. Envio de e-mail aos diretores

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 38, DE 23 DE OUTUBRO DE 2002

RESOLUÇÃO Nº 38, DE 23 DE OUTUBRO DE 2002 INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA Conselho Diretor RESOLUÇÃO Nº 38, DE 23 DE OUTUBRO DE 2002 O CONSELHO DIRETOR DO INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA - INCRA, autarquia

Leia mais

Retificação da notificação de entrada na fase nacional PCT por ter sido efetuada com incorreção.

Retificação da notificação de entrada na fase nacional PCT por ter sido efetuada com incorreção. Diretoria de Patentes - DIRPA Tabela de Códigos de Despachos de Pedidos, Patentes (incluindo as de MI/DI expedidas na vigência da Lei 5772/71) e Certificados de Adição de Invenção RPI 2342 de 24/11/2015

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.363 INSTRUÇÃO Nº 1160-71.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Arnaldo Versiani Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 079/014 DE 1.º DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre a AVERBAÇÃO AUTOMÁTICA de tempo de contribuição vinculado ao Regime Geral de Previdência Social RGPS por servidor público do Município de Amambai

Leia mais

Ministério Público do Estado da Paraíba. Colégio de Procuradores de Justiça

Ministério Público do Estado da Paraíba. Colégio de Procuradores de Justiça Ministério Público do Estado da Paraíba Colégio de Procuradores de Justiça Resolução CPJ nº.04/2013 Regulamenta a tramitação da notícia de fato, do inquérito civil, do procedimento preparatório e do procedimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.396 INSTRUÇÃO Nº 958-26.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes eleitorais.

Leia mais

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL - INPI, no exercício de suas atribuições,

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL - INPI, no exercício de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 21/08/2013 Instrução Normativa Nº 25/2013 Assunto: Estabelece

Leia mais

PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013.

PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicado no DOM Nº 2655 de 27/11/2013 PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Disciplina o procedimento de indeferimento de opção e de exclusão de ofício ao Regime Especial Unificado

Leia mais

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL 2.1. INSTRUÇÃO NORMATIVA 2. ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA DE 7 DE MARÇO DE 2010 O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Instrução Normativa REITORIA nº 01, de 07 de janeiro de

Leia mais

Código: MAP-DIPES-006 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013

Código: MAP-DIPES-006 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Código: MAP-DIPES-006 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Cadastro e Remuneração Aprovado por: Diretoria de Gestão de Pessoas 1 OBJETIVO Este Manual define critérios e procedimentos

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA DE COLINAS DO TOCANTINS Comissão Permanente de Licitação

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA DE COLINAS DO TOCANTINS Comissão Permanente de Licitação EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO DE FORNECEDORES O Município de Colinas do Tocantins, Estado do Tocantins, com fundamento nos artigos 34 a 37 da Lei nº 8.666/93 e demais alterações, torna público

Leia mais

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO Nº 20, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2004

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO Nº 20, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2004 RESOLUÇÃO Nº 20, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2004 Fixa o valor a ser recolhido para o pagamento do porte de remessa e retorno de autos. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições

Leia mais

FLUXO GERAL DAS AUTUAÇÕES

FLUXO GERAL DAS AUTUAÇÕES Agente Fiscal: - Efetua fiscalização; - Preenche Relatório de Fiscalização. FLUXO GERAL DAS AUTUAÇÕES Certificação do Trânsito em Julgado CTJ(Conforme Resolução do CONFEA nº 1.008, de 13/12/2004) 1ª FASE

Leia mais

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 00096/2016

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 00096/2016 Dispõe sobre critérios para elaboração da relação dos chefes de governo, gestores municipais, e demais responsáveis pela administração de dinheiros, bens e valores públicos, a ser encaminhada pelo TCM

Leia mais

CONSIDERANDO que, para assegurar maior eficácia às decisões do Tribunal, faz-se necessária a correta identificação dos responsáveis;

CONSIDERANDO que, para assegurar maior eficácia às decisões do Tribunal, faz-se necessária a correta identificação dos responsáveis; DELIBERAÇÃO Nº 195 23 de janeiro de 1996 Dispõe sobre o controle de prazos para o cumprimento de diligências e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso da competência

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO CONTROLADORIA GERAL MUNICIPAL ATO DE APROVAÇÃO

GABINETE DO PREFEITO CONTROLADORIA GERAL MUNICIPAL ATO DE APROVAÇÃO GABINETE DO PREFEITO CONTROLADORIA GERAL MUNICIPAL ATO DE APROVAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA CGM Nº 003/2011 VERSÃO 02 UNIDADE RESPONSÁVEL Controladoria Municipal de Guamaré I FINALIDADE Dispor acerca do requerimento

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONAD

REGULAMENTO ELEITORAL INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONAD REGULAMENTO ELEITORAL INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONAD O Grupo de Trabalho designado pela Portaria Interna n o. 35 de 14 de julho de 2015 para a Criação do Regulamento Eleitoral Interno do Conselho

Leia mais

POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA

POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Procedimentos Operacionais Padronizados: POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Revisão Adrianne Paixão Silvia Liane Versão 2.0 Procedimentos Operacionais Padronizados: POP Nº XII VISTORIA PRÉVIA Elaboração/Revisão:

Leia mais

Portaria CAT - 94, de

Portaria CAT - 94, de Portaria CAT - 94, de 20-05-2009 (DOE 21-05-2009) Disciplina os procedimentos para o cancelamento dos débitos fiscais do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores - IPVA previsto no artigo 52

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento visa orientar os alunos referente aos objetivos, critérios, procedimentos e mecanismos de

Leia mais

Para conhecimento dos Clubes, Árbitros filiados e demais interessados se. informa que a Direção da A.F. Leiria aprovou em sua reunião do dia

Para conhecimento dos Clubes, Árbitros filiados e demais interessados se. informa que a Direção da A.F. Leiria aprovou em sua reunião do dia ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LEIRIA COMUNICADO OFICIAL N.º 155 Data: 09.12.2015 Para conhecimento dos Clubes, Árbitros filiados e demais interessados se informa que a Direção da A.F. Leiria aprovou em sua

Leia mais

RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL.

RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Dias Toffoli. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe sobre a apuração de crimes

Leia mais

PROVIDÊNCIAS PARA REGISTRO PROFISSIONAL

PROVIDÊNCIAS PARA REGISTRO PROFISSIONAL PROVIDÊNCIAS PARA REGISTRO PROFISSIONAL TÉCNICO EM SECRETARIADO ou SECRETÁRIA(O) EXECUTIVA (o) Documentos Originais 1) Requerimento ao Superintendente Reg. do Trabalho e Emprego em SC (Modelo abaixo).

Leia mais

GESTÃO DE. Protocolo

GESTÃO DE. Protocolo GESTÃO DE Protocolo GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Sérgio Cabral SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL Regis Fichtner SUBSECRETARIA DE GESTÃO DA CASA CIVIL Marco Antonio Horta Pereira ELABORAÇÃO Fábio

Leia mais

Folha PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/ICP/N 12475/2014

Folha PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/ICP/N 12475/2014 Origem: PRT 5ª Região Membro Oficiante: PEDRO LINO DE CARVALHO JÚNIOR Interessados: 1) SIGILOSO; 2) LIDER TELECOM COMÉRCIO E SERVIÇOS EM TELECOMUNICAÇÕES S/A Assunto: Igualdade de oportunidades e discriminação

Leia mais

TOMADA DE CONTAS ESPECIAL. SINDICÂNCIA e PROCESSO DISCIPLINAR MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO

TOMADA DE CONTAS ESPECIAL. SINDICÂNCIA e PROCESSO DISCIPLINAR MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL SINDICÂNCIA e PROCESSO DISCIPLINAR MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL Instrução Normativa N.TC-13/2012 Definição e Objetivo A tomada de contas

Leia mais

ANDAMENTO SIGNIFICADO O QUE DEVO FAZER? O processo está na fase inicial, ganhou um número e foi distribuído a um Juiz. Está no início.

ANDAMENTO SIGNIFICADO O QUE DEVO FAZER? O processo está na fase inicial, ganhou um número e foi distribuído a um Juiz. Está no início. ANDAMENTO SIGNIFICADO O QUE DEVO FAZER? Distribuição /Atribuição Ordinária Instantânea Recebimento do Setor de Distribuição Autos Com (conclusão) Juiz Para Ato Ordinatório (Registro Terminal) Expedido/Extraído/Lavrado

Leia mais

Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas Administrador Judicial O administrador judicial será profissional idôneo, preferencialmente advogado, economista, administrador de empresas

Leia mais

Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA E O DESEMBARGADOR

Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA E O DESEMBARGADOR PROVIMENTO CONJUNTO Nº CGJ/CCI-011/2013 Dispõe sobre o Serviço de Protocolo Postal no âmbito do Poder Judiciário do Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL

Leia mais

fls. 2

fls. 2 fls. 1 fls. 2 fls. 3 fls. 4 fls. 5 fls. 6 fls. 7 fls. 8 fls. 9 fls. 10 fls. 11 fls. 12 fls. 13 fls. 14 fls. 15 fls. 16 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE OURINHOS FORO DE OURINHOS VARA

Leia mais

AVISO nº 35, de Atividade Legislativa. Externo - Presidente do Tribunal de Contas da União. Ementa:

AVISO nº 35, de Atividade Legislativa. Externo - Presidente do Tribunal de Contas da União. Ementa: Autoria: Externo - Presidente do Tribunal de Contas da União Ementa: Encaminha ao Senado Federal cópia do Acórdão nº 1.173/2008, proferido nos autos do processo TC 004.844/2007, sobre diligência efetuada

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR (AAC) para os cursos de Letras da UNESPAR / APUCARANA

REGULAMENTO DE ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR (AAC) para os cursos de Letras da UNESPAR / APUCARANA REGULAMENTO DE ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR (AAC) para os cursos de Letras da UNESPAR / APUCARANA Do Objetivo das Atividades Acadêmicas Complementares Art. 1º O objetivo das Atividades Acadêmicas Complementares

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA REQUISIÇÃO DE DIPLOMAS DE MESTRADO

ORIENTAÇÃO PARA REQUISIÇÃO DE DIPLOMAS DE MESTRADO ORIENTAÇÃO PARA REQUISIÇÃO DE DIPLOMAS DE MESTRADO Aos discentes que concluíram com êxito um dos cursos de pós-graduação em nível de Mestrado na UNILAB, informamos que já é possível solicitar seu diploma

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS MINUTA DE TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 1

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS MINUTA DE TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 1 Procedimento Preparatório nº. 08190.025738/13-07 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 717/2014 O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), por sua Primeira Promotoria de Justiça de Defesa

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 408, DE 6 DE JUNHO DE 2016

RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 408, DE 6 DE JUNHO DE 2016 RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 408, DE 6 DE JUNHO DE 2016 Estabelece os procedimentos para que o interessado obtenha vistas e cópias de documentos e de processos administrativos, certidões para a defesa de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Guaíba Estado do Rio Grande do Sul Departamento de Tributação Fiscalização e Arrecadação

Prefeitura Municipal de Guaíba Estado do Rio Grande do Sul Departamento de Tributação Fiscalização e Arrecadação INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF/DTFA Nº004/13 GUAÍBA 02 DE MAIO DE 2013. Ementa: Estabelece procedimentos para determinação do valor dedutível na apuração do ISSQN devido pelas obras de construção civil e dá outras

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA UNILAB EDITAL Nº 82/2016 SELEÇÃO PARA PROFESSOR VISITANTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA UNILAB EDITAL Nº 82/2016 SELEÇÃO PARA PROFESSOR VISITANTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA UNILAB EDITAL Nº 82/2016 SELEÇÃO PARA PROFESSOR VISITANTE O Reitor pro tempore da Universidade da Integração

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho CURSOS IT. 41 07 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o cadastramento e recadastramento de Instituições de Ensino e Cursos, de nível Médio, Tecnológico, Superior e de Pós-graduação e realização

Leia mais

PORTARIA TC Nº 407, DE 11 DE AGOSTO DE 2015.

PORTARIA TC Nº 407, DE 11 DE AGOSTO DE 2015. PORTARIA TC Nº 407, DE 11 DE AGOSTO DE 2015. Disciplina a sistemática de apuração de extravio ou dano de pequeno valor a bem público e aprova o Termo Circunstanciado Administrativo na forma do Anexo Único

Leia mais

PORTARIA CGMP N º 101, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

PORTARIA CGMP N º 101, DE 15 DE JUNHO DE 2009. PORTARIA CGMP N º 101, DE 15 DE JUNHO DE 2009. Dispõe sobre normas gerais que regulam as atividades de correições e inspeções da Corregedoria-Geral do Ministério Público. O CORREGEDOR-GERAL DO MINISTÉRIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 475, DE 14 DE ABRIL DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E O MINISTRO DE

Leia mais