A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO"

Transcrição

1 A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO Neusa Kreuz 1 RESUMO: É indiscutível a grande importância da linguagem oral no processo interacional humano. Trata-se da primeira modalidade lingüística a ser adquirida pelo indivíduo e condição essencial da existência de um idioma. Sendo assim, pretende-se demonstrar a importância do domínio da comunicação oral para o profissional Secretário Executivo. Palavras Chaves: Secretário Executivo, comunicação oral, linguagem. 1 INTRODUÇÃO Tendo em vista que a necessidade de eficiência na comunicação acompanha o processo de desenvolvimento da empresa, o presente trabalho tem como objetivo demonstrar o quanto é importante que o Secretário Executivo tenha o domínio da comunicação oral. Num primeiro momento será apresentado um relato sobre comunicação humana e a linguagem como sendo um processo fundamental para os homens. Após, estará presente a comunicação oral e os níveis da linguagem, bem como os tipos de comunicação oral. Em seguida, será demonstrado o perfil do Secretário Executivo com suas funções, e a importância do domínio da comunicação oral para esse profissional. 2 A COMUNICAÇÃO HUMANA E A LINGUAGEM Através da comunicação estabelece-se a interação entre os homens, tornando possível que formulem opiniões e transmitam suas idéias, sentimentos, estabelecendo contato uns com os outros. Esse contato se processa com sons, imagens, gestos, cores, formas, e palavras, formando mensagens que tornam o elemento essencial para a compreensão entre os seres humanos, aperfeiçoando assim, suas capacidades de compreender a realidade do mundo em que vivem. A comunicação é fundamental para os homens e é através dela que ocorre a transmissão de uma mensagem, com a participação de alguns elementos como as pessoas ou o grupo que emite a mensagem, um receptor (destinatário) correspondendo ao indivíduo ou ao grupo que recebe a mensagem, e, ainda, como via de circulação de mensagens temos o canal de comunicação que 1 Secretária Executiva, Docente do Curso de Secretariado Executivo Bilíngüe da Unioeste Campus de Toledo.

2 35 VANOYE (1987: 16) define como os meios técnicos que o destinador tem acesso a fim de assegurar o encaminhamento de suas mensagens, como a voz e o ouvido. Para que ocorra a comunicação entre os homens é necessário que a mensagem seja decodificada pelo destinatário, tornando possível, desta forma, a compreensão do código de linguagem e tomar esse comum aos participantes. Para que o processo de comunicação se complete é necessário que ocorra a troca de mensagens e a compreensão do conteúdo. PENTEADO (1969: 06) diz que toda mensagem deve ser significativa, deve dizer alguma coisa em comum entre o transmissor e o receptor. Com a utilização desse código em comum, isto é, sistema de signos e regras que combinam, transmite-se uma mensagem denominada de linguagem. VANOYE (1987: 197) considera a linguagem como o modo privilegiado de comunicação da sociedade, sendo o fundamento das relações sociais. A linguagem está na origem das sociedades e os indivíduos que fazem parte de determinados grupos sociais farão uso dela. Como se pode verificar, a linguagem serve para a comunicação humana e através dela busca-se a transmissão de idéias e o entendimento entre as pessoas. 3 COMUNICAÇÃO ORAL Sabe-se que através da língua se expressa e comunica-se o pensamento humano, ou seja, as pessoas fazem uso da língua para expressar o que sentem e o que pensam, e a maneira mais expressiva e mais usual de fazê-lo é através da oralidade, exprimindo assim suas intenções de comunicação e suas idéias acerca de determinado assunto. Mesmo com o aparecimento da escrita, a fala ainda mantém seu prestígio como forma dominante de comunicação e expressão e sabe-se que através dela alcançam-se as formas de organização social, sendo também o vínculo de compreensão entre os seres humanos. Na linguagem oral é possível facilitar a comunicação, pois ocorre o contato direto entre o emissor e o receptor e a mensagem a ser transmitida recebe influência do ambiente. Além da palavra, para comunicar-se bem é preciso formar uma estrutura que dê mais poder à comunicação, o tom de voz e a fisionomia, bem como, a postura corporal dos interlocutores, o uso dos gestos e a expressão facial colaboram muito para uma boa comunicação oral, e eles fazem parte da inteligência interpessoal dos indivíduos, basta utilizá-los de forma coerente. No meio social em que se vive, a cultura e o ambiente influenciam na linguagem das pessoas. VANOYE (1987: 31) afirma que no interior da língua falada existe uma língua comum, com expressões e construções mais usuais. Dessa forma, ele aponta tipos de linguagens distintas que são usadas na comunicação oral, apontadas a seguir.

3 NÍVEIS DA LINGUAGEM ORAL VANOYE (1987: 31) aponta inicialmente a existência da linguagem oratória que são os discursos e sermões, e é utilizada dependendo da situação. Após, faz referência à linguagem cuidada, que é utilizada pelas pessoas ao realizar um curso, e em comunicações orais, sendo empregado um vocabulário mais preciso e elaborado. Em terceiro plano está a linguagem comum que é realizada através da conversação, ou pelo rádio e televisão. Em último plano temos ainda a linguagem familiar na qual se conserva a conversação informal, não elaborada, e podendo recorrer à expressões pitorescas, à gíria, sem formalidade. O importante é saber variar e adaptar a linguagem própria a do interlocutor, e ter consciência desses níveis de linguagem de acordo com o momento e com o contexto no qual está envolvido, com o propósito de determinar o bom funcionamento da comunicação oral. 3.2 TIPOS DE COMUNICAÇÃO ORAL Ainda de acordo com VANOYE (1987:33), podem ocorrer dois tipos de comunicação oral, inicialmente se fará alusão à comunicação oral com intercâmbio. Nessa situação, os interlocutores conversam e os papéis de receptor e emissor se invertem, podendo, dessa forma, um assumir a posição do outro, efetivamente. O diálogo, a entrevista e a reunião são exemplos claros de comunicação oral com intercâmbio, pois no desenrolar dos acontecimentos os participantes além de receber também podem transmitir mensagens. Por outro lado, existe a comunicação oral sem intercâmbio, através dela a mensagem é transmitida aos ouvintes que estariam ausentes e distantes, podendo estar recebendo a mensagem pelo rádio e televisão. Ou ainda, presentes e próximos, sendo platéia de um teatro, de uma aula expositiva, uma conferência, ou um discurso, no entanto, com uma diferença básica em relação à comunicação oral com intercâmbio, não ocorre a troca de papéis, ou seja, o emissor somente transmite e o receptor recebe. Até o momento apresentou-se um histórico da comunicação, dando ênfase à Linguagem oral. No entanto, é necessário enfatizar a importância do emissor e do receptor, visto que são os sujeitos da comunicação. Sendo o objetivo deste texto destacar a importância da comunicação oral nas atividades profissionais, enfocar-se-á, como emissor, o profissional Secretário Executivo.

4 37 4 PERFIL DO SECRETÁRIO EXECUTIVO 2 O curso de Secretariado Executivo é oferecido pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, reconhecido pela Lei 7377 de 30/09/87. O mesmo conta atualmente com a duração mínima de 4 anos e funciona no período noturno. Com o desenvolvimento urbano e industrial surgiu a necessidade de um profissional competente, apto a atuar em um mercado de trabalho competitivo e em constantes transformações. O sucesso profissional do Bacharel em Secretariado Executivo está na formação acadêmica e científica, desenvolvendo uma percepção da realidade com o intuito de obter condições de empregabilidade no mercado, juntamente com a competência de estar apto a mudanças estruturais, afim de que possa manter o equilíbrio e garantir o crescimento da profissão no meio profissional e acadêmico. Tendo em vista que as relações entre o conhecimento teórico e as exigências da prática diária da profissão estejam sendo consideradas, o Secretário Executivo exercerá seu papel dentro das organizações, estando preparado para gerenciar setores e pessoas, utilizar novas tecnologias e trabalhar com competência e descrição. Segundo o novo perfil, elaborado pelo curso de Secretariado Executivo em 1999, a profissão englobará multiplicidade e diversidade de tarefas, exigindo do profissional criatividade, iniciativa e sensibilidade. Em seu papel atual de extensão do executivo, lhe são atribuídas as funções de atuar como assessor executivo, sendo a pessoa que executa e participa dos processos de decisão; Gestor, exercendo as funções gerenciais com a capacidade de planejar, organizar, implantar programas de desenvolvimento; como Empreendedor, sendo inovador e implantando alternativas inovadoras, possuindo capacidade crítica, reflexiva e criativa; Consultor, entender a empresa, seus objetivos e políticas, saber trabalhar com a cultura da organização, levantar estratégias e buscar vantagens competitivas para desta forma promover transformações. Considerando que o Secretário Executivo deverá ser preparado para que tenha a capacidade de desempenhar com alto padrão de competência, as tarefas cabíveis à profissão, contribuindo assim, para a melhoria da qualidade e buscando uma maior produtividade nas organizações, o mesmo deverá ser competente e hábil para: administrar o tempo; dar ênfase no relacionamento com clientes, tanto internos como externos; valorizar os princípios de um bom sistema de comunicação; 2 Texto extraído do Plano Político Pedagógico do curso de Secretariado Executivo Bilíngüe da Universidade Estadual do Oeste do Paraná Campus de Toledo.

5 38 ser hábil nas relações pessoais, se relacionar bem com as pessoas e respeitar suas diferenças pessoais; gerenciar a transmissão e difusão da informação; ter capacidade de organização, e poder atuar em todas as áreas ligadas à profissão, tanto na organização, no planejamento, na administração, no assessoramento e nos vários níveis das empresas públicas ou privadas em que possa atuar. Com a intenção de contribuir para uma boa formação deste profissional, o currículo elaborado pelo Departamento do curso de Secretariado Executivo apresenta disciplinas ligadas às Ciências Sociais, Jurídicas, Ciências Exatas, Línguas Estrangeiras e Disciplinas Instrumentais, bem como as disciplinas de formação específica como Técnicas Secretariais, Gestão Secretarial, Língua Portuguesa, Desenvolvimento Econômico, Relações Públicas, Marketing, Administração, Estágio e principalmente à comunicação que é considerado como um dos alvos a ser atingido pelo Secretário Executivo. Partindo desse pressuposto, abordar-se-á a importância do domínio da comunicação oral para o Secretário Executivo. 5 A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO Administrar é realizar coisas através de pessoas, é transformar idéias em ações. O Secretário Executivo é a ponte entre o diretor da empresa e os demais, sejam funcionários ou clientes e, diariamente faz uso de termos técnicos. No entanto, faz-se necessário que ele tenha um grande conhecimento, e saiba decodificar esses termos para que as pessoas envolvidas o compreendam. Visto que um bom comunicador precisa estar apto a adequar a linguagem utilizada conforme o nível de linguagem do receptor para que, desta forma, possa ocorrer a troca de mensagens e efetivar-se a comunicação. Sabe-se que o Secretário Executivo lida com pessoas e trabalha diretamente com o atendimento pessoal, sendo assim, sua comunicação precisa ser clara e facilmente compreendida pelo ouvinte. No que se refere à linguagem oral, fatores como a utilização de termos inadequados ou dificuldades de expressão, podem dificultar a compreensão de uma mensagem durante o processo de comunicação, por isso, é fundamental que o secretário executivo selecione as palavras e faça uso de um vocabulário comum para tornar mais acessível o que deseja transmitir, caso contrário, a qualidade da fala pode ser distorcida a ponto de não ser compreendida claramente.

6 39 A vida humana está ligada ao processo de comunicação, grande parte de nossas atitudes são tomadas devido a estímulos que recebemos e com a pretensão de produzi-los com a capacidade de influenciar alguém. Até o que se pensa de determinada pessoa é o resultado do que ela nos transmite e na sociedade atual a capacidade individual de comunicação oral é decisiva e importante, pois é com ela que a empresa pretende facilitar a venda do seu produto, ou serviço. Um bom Secretário Executivo deverá ser hábil na comunicação oral e fazer uso de gestos e ações, transmitindo dessa forma atitudes e estimulando o ouvinte com a intenção de influenciá-lo. Para FARIA et al. (1982: 11) atravésa da boa comunicação oral aumenta-se a coordenação administrativa e social, ou seja, torna-se possível o entendimento e a superação de dificuldades, ocasionando assim, a certeza de boas relações. O aperfeiçoamento do Secretário Executivo nas organizações modernas cada vez mais inclui a comunicação oral como um elemento novo e de real importância. Em função do contínuo crescimento da capacidade empresarial e da competitividade de mercado, a comunicação oral tornase um instrumento de apoio do Secretário Executivo, facilitando o crescimento das empresas nas quais esse profissional atua. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Esse trabalho teve como tema o domínio da comunicação oral, com o objetivo de apontar a sua importância para o Secretário Executivo. Constatou-se portanto, que é fundamental que o profissional tenha a habilidade de desenvolver um discurso próprio, através do qual poderá expressar suas idéias de forma compreensível e argumentativa. Considerando que essa habilidade é exigida a todo momento do Secretário Executivo, o domínio da comunicação oral é, antes de tudo, um instrumento de trabalho, e permite que ele faça uso das funções da comunicação nas organizações de forma coerente.thayer (1972:36) classifica as funções em: função de informação: tem como objetivo levar ao conhecimento do receptor o que ele necessita compreender e conhecer para poder exercer de forma eficiente sua função na organização. função instrutiva e de mando: utilizada pelo superior para com o seu subordinado, para que ele possa atender as ordens. função de influência e persuasão: a comunicação atinge o receptor e faz com que o mesmo mude seus padrões para os requeridos pela organização. Faz-se uso de argumentos e justificativas para convencer.

7 40 função de integração: tornar possível que os grupos formais ou informais da organização se integrem socialmente com o intuito de fazer com que os mesmos mantenham relações. Estas quatro funções são muito importantes para as organizações, uma vez que é por meio delas que a comunicação procura atingir sua meta final, que é aumentar a eficiência e a produtividade, e corrigir distorções e variabilidades das ações humanas, fazendo com que mudem para os padrões e necessidades requeridas pela organização. REFERÊNCIAS FARIA, A. Nogueira; SUASSUNA, Ney Robinson. A comunicação na administração. Rio de Janeiro, LTC: Sesat, PENTEADO, J. R. Whitaker. A técnica da comunicação humana. São Paulo: Pioneira, THAYER, Lee. Princípios da comunicação administrativa. São Paulo: Editora Atlas, VANOYE, Francis. Usos da linguagem: problemas e técnicas na produção oral e escrita. São Paulo, Martins Fontes Ltda, 1987.

O lugar da oralidade na escola

O lugar da oralidade na escola O lugar da oralidade na escola Disciplina: Língua Portuguesa Fund. I Selecionador: Denise Guilherme Viotto Categoria: Professor O lugar da oralidade na escola Atividades com a linguagem oral parecem estar

Leia mais

MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO

MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO RINALDIi, Andréia Cristina Alves; ROSA, Antonio Valin; TIVO,,Emerson dos Santos; OLIVEIRA JÚNIOR, José Mendes de; REIS, Marcela Alves dos; SANTOS JÚNIOR,Sergio Silva dos; FREITAS,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO A importância da comunicação na negociação Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto TUTOR: EDUARDO VIEIRA 13/05/2013 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Comunicar significa transmitir ideias, sentimentos ou experiências de uma pessoa para outra, tornar comum, participar, fazer saber, transmitir. ANDRADE (2008, p. 45) O resultado

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

Profa. Ma. Andrea Morás. Unidade I

Profa. Ma. Andrea Morás. Unidade I Profa. Ma. Andrea Morás Unidade I COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Comunicação empresarial Definição: Compreende um conjunto complexo de atividades, ações, estratégias, produtos e processos desenvolvidos para reforçar

Leia mais

Apresentação de Trabalhos em Congressos (Oral e Pôster) Prof. Dr. Emerson Martins Arruda

Apresentação de Trabalhos em Congressos (Oral e Pôster) Prof. Dr. Emerson Martins Arruda Apresentação de Trabalhos em Congressos (Oral e Pôster) Prof. Dr. Emerson Martins Arruda Aspectos principais Comunicação Apresentação Protocolos e modelos Sugestões Bases A comunicação não significa apenas

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Sistema de Informações Professores: Izolema Maria Atolini izolema@hotmail.com Período/ Fase: 5ª. Semestre:

Leia mais

COMUNICAÇÃO ORAL E LEITURA NA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DAS CRIANÇAS

COMUNICAÇÃO ORAL E LEITURA NA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DAS CRIANÇAS COMUNICAÇÃO ORAL E LEITURA NA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DAS CRIANÇAS Cássio Moreira Rodrigues 1 Divina Rejany G. BorilleGeneziNascimento Sousa Fernandes LidianeDzadotz da Silva ShayannePereira Santos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Técnico ETEC RODRIGUES DE ABREU - EXTENSÃO AGUDOS Código: 135.01 D Município: AGUDOS Eixo Tecnológico: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Componente Curricular:

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS S DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGUE DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais. Linguagem verbal e não verbal. Linguagem

Leia mais

RELAÇÕES HUMANAS E ÉTICA PROFISSIONAL

RELAÇÕES HUMANAS E ÉTICA PROFISSIONAL "Somente seres humanos excepcionais e irrepreensíveis suscitam ideias generosas e ações elevadas." Albert Einstein ÍNDICE 1. AS RELAÇÕES HUMANAS 1.1Conceito 1.2 Importâncias das Relações Humanas para T.T.I.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Aula 05 Prof. Esp. Gladimir Ceroni Catarino gccatarino@senacrs.edu.br gladimir@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE

Leia mais

O SECRETARIADO EXECUTIVO E A FUNÇÃO DE GESTÃO 1

O SECRETARIADO EXECUTIVO E A FUNÇÃO DE GESTÃO 1 O SECRETARIADO EXECUTIVO E A FUNÇÃO DE GESTÃO 1 Adriane Lasta Alexandra da Silva 2 1 Considerações Iniciais A área secretarial está conhecendo um novo profissional, o secretário gestor, que é capaz de

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES RESUMO

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES RESUMO A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Flávia Aline Seger 1 Francieli Teresinha Eckhardt 2 Nedisson Luis Gessi 3 RESUMO Este artigo constitui-se em uma pesquisa bibliográfica que busca informações

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Helena C. Buescu, Luís C. Maia, Maria Graciete Silva, Maria Regina Rocha 10.º Ano: Oralidade Compreensão do Oral Objetivo Compreender

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO)

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO) ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO) Cursos Científico Humanísticos - Formação Específica (disciplina bienal) Objectivos gerais: adquirir e desenvolver

Leia mais

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 BOGUSZEWSKI, Luiza. 2 SCHETTERT, Gabriela Antunes. 3 MENEZES, Sérgio. 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR. 2013 RESUMO Com a disseminação da cultura norte-americana

Leia mais

ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO

ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NA NEGOCIAÇÃO RIO BRANCO- ACRE 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 1- A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO...4 2- COMUNICAÇÃO E NEGOCIAÇÃO...6 2.1 Os quatros conceitos

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico. 7.00.00.00-0 - CIÊNCIAS HUMANAS 7.08.00.00-6 Educação A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA: A LINGUAGEM ORAL DOMINADA E SUA CORRELAÇÃO COM A APRENDIZAGEM DA ESCRITA GIOVANNA GAGGINI RODON Curso de Pedagogia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec:Paulino Botelho/ Professor E.E. Arlindo Bittencourt (extensão) Código: 092-2 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação

Leia mais

Liderança de equipes. Estudo. 6 ecoenergia Julho/2013. A indústria do petróleo e seus derivados no

Liderança de equipes. Estudo. 6 ecoenergia Julho/2013. A indústria do petróleo e seus derivados no Estudo Liderança de equipes Damáris Vieira Novo Psicóloga organizacional, mestre em administração, professora da FGVe consultora em gestão de pessoas dvn.coach@hotmail.com A indústria do petróleo e seus

Leia mais

A APLICAÇÃO DE EXERCÍCIOS DE DINÂMICA DE GRUPO PODE SER EFICAZ NO ENSINO UNIVERSITÁRIO?

A APLICAÇÃO DE EXERCÍCIOS DE DINÂMICA DE GRUPO PODE SER EFICAZ NO ENSINO UNIVERSITÁRIO? ANHANGUERA EDUCACIONAL FACULDADE COMUNITÁRIA DE INDAIATUBA DEISE PADRECA FABIO FOGLIARINI BROLESI MACLAN MENDES DE OLIVEIRA MÔNICA CRISTINA SILVA A APLICAÇÃO DE EXERCÍCIOS DE DINÂMICA DE GRUPO PODE SER

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO Anexo II da Resolução nº, de de de 2008. EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO 1. DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Comunicação e linguagem; estrutura do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 93/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Jornalismo, Bacharelado,

Leia mais

Externato João Alberto Faria INGLÊS-ALEMÃO

Externato João Alberto Faria INGLÊS-ALEMÃO Externato João Alberto Faria CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO GRUPO DE INGLÊS-ALEMÃO ENSINO SECUNDÁRIO Ano Letivo 2015/2016 Externato João Alberto Faria Ano Letivo 2015/2016 1.PRESSUPOSTOS 1.1- A avaliação não

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA ARCOS

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA ARCOS SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL/GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA ARCOS 1 PERFIL DO CURSO A comunicação integrada é, cada vez mais, um instrumento necessário para a sobrevivência

Leia mais

SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGÜE, PORTUGUÊS, FRANCÊS E INGLÊS. COORDENADORA Ana Carolina Gonçalves Reis carolinareis@ufv.br

SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGÜE, PORTUGUÊS, FRANCÊS E INGLÊS. COORDENADORA Ana Carolina Gonçalves Reis carolinareis@ufv.br SECRETARIADO EXECUTIVO TRILÍNGÜE, PORTUGUÊS, FRANCÊS E INGLÊS COORDENADORA Ana Carolina Gonçalves Reis carolinareis@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 375 Bacharelado ATUAÇÃO O curso de Secretariado

Leia mais

POR UM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEXTUALIZADO

POR UM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEXTUALIZADO 1 POR UM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEXTUALIZADO SOUSA, Grazielle de Jesus Leal de 1 RESUMO O ensino de língua portuguesa ainda é visto por muitas pessoas como um ensino mecânico, cheio de regras e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de

Leia mais

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC Coordenação de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa Ciclo de Aprendizagem I e II MARCOS

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência

Informação-Prova de Equivalência à Frequência Informação-Prova de Equivalência à Frequência ENSINO SECUNDÁRIO PROVA ESCRITA E ORAL Prova de Equivalência à Frequência de Espanhol, 11º ano (Iniciação) Prova 375 (ter como referência quadro III do Desp.Norm.5/2013)

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

Sumário. Introdução... 7

Sumário. Introdução... 7 3 Sumário Introdução... 7 1. Somos especialistas em linguagem corporal... 9 Como os homens se comunicam, 10Comunicação linguística, 10Comunicação não linguística, 10O ato de comunicação, 11Importante:

Leia mais

Proposta para o 1º Plano de Comunicação do CCNH

Proposta para o 1º Plano de Comunicação do CCNH Proposta para o 1º Plano de Comunicação do CCNH 1. Resumo: Este plano pretende nortear as ações de comunicação do CCNH com o estabelecimento de uma política e programas de comunicação e com a criação de

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio ETEC PROF MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ/SP Área de conhecimento: LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: LÍNGUA ESTRANGEIRA

Leia mais

Planificação anual Ano letivo: 2015/2016

Planificação anual Ano letivo: 2015/2016 Planificação anual Período: 1.º Ano Número total de aulas previstas: 75-78 Competências Compreensão oral: seleção da mensagens emitidas em situação de presença, sobre temas familiares para os alunos e

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Comunicação Integrada em Vendas

Comunicação Integrada em Vendas Comunicação Integrada em Vendas Hélio Azevedo helio.azevedo@salestalent.com.br Agenda Percepção Objetivos de uma apresentação O orador Os tipos de público Os tipos de discurso O medo de falar Preparando

Leia mais

Critérios de Avaliação. 3º Ano. Agrupamento de Escolas Pedro Jacques de Magalhães 1º Ciclo

Critérios de Avaliação. 3º Ano. Agrupamento de Escolas Pedro Jacques de Magalhães 1º Ciclo Critérios de Avaliação 3º Ano 1º Ciclo Disciplina: PORTUGUÊS Domínio Parâmetros de Avaliação Instrumentos de avaliação Ponderação Oralidade Assimilar e expressar as ideias essenciais e as intenções de

Leia mais

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA A À FREQUÊNCIA INGLÊS Cont. Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

PEDAGOGIA SURDA. Por SHIRLEY VILHALVA - Surda / Professora Técnica do CAS/SED/MS E-mail: svilhalva@brturbo.com.br

PEDAGOGIA SURDA. Por SHIRLEY VILHALVA - Surda / Professora Técnica do CAS/SED/MS E-mail: svilhalva@brturbo.com.br PEDAGOGIA SURDA Por SHIRLEY VILHALVA - Surda / Professora Técnica do CAS/SED/MS E-mail: svilhalva@brturbo.com.br Alfabetizar alunos com Culturas diferentes é um choque tanto para o professor ouvinte como

Leia mais

As dimensões da linguagem na Geografia: primeiras abordagens

As dimensões da linguagem na Geografia: primeiras abordagens Débora da Silva Pereira Universidade Federal de Goiás Debbora.sp@hotmail.com As dimensões da linguagem na Geografia: primeiras abordagens INTRODUÇÃO O objetivo central deste texto é veicular algumas abordagens

Leia mais

Competência individual essencial

Competência individual essencial Competência individual essencial Introdução Objetivo Reflexão e aprofundamento sobre o processo básico da comunicação, a fim de que haja maior exatidão na compreensão do significado daquilo que se quer

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec. Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã/SP Área de conhecimento: Ciências Humanas e suas tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

Etec Monsenhor Antonio Magliano

Etec Monsenhor Antonio Magliano Etec Monsenhor Antonio Magliano Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC Grupo de Supervisão Educacional GSE / Gestão Pedagógica GEPED Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

A ARTE DA COMUNICAÇÃO. Maria Thereza Bond

A ARTE DA COMUNICAÇÃO. Maria Thereza Bond A ARTE DA COMUNICAÇÃO Maria Thereza Bond 1 Psicologia Gestão de Pessoas Aulas, palestras, livros, coordenação, capacitações, consultorias... 2 Sobre o que vamos falar hoje? Em que vamos pensar? 3 O que

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

Curso Técnicas de Apresentação: Falar para Liderar

Curso Técnicas de Apresentação: Falar para Liderar Curso Técnicas de Apresentação: Falar para Liderar Dentro do objetivo geral de conhecer e discutir os fundamentos, conceitos e as definições para o efetivo aumento da produtividade pessoal, apresentamos

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação

Tecnologias da Informação e Comunicação SUBDOMÍNIO CC8.1. CONHECIMENTO E UTILIZAÇÃO ADEQU ADA E SEGURA DE DIFERENTES TIPOS DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO, DE ACORDO COM AS SITUAÇÕES DE COMUNICAÇÃO E AS REGRAS DE CONDUTA E DE FUNCIONAMENTO DE

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX 1 FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Relatório Final

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

Unidade IV. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas

Unidade IV. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas Unidade IV Comunicação Empresarial Profª. Cleide de Freitas Resumo aula anterior Variações Línguísticas Níveis da fala Modelos de redação Veículos de redação administrativa Vantagens e desvantagens da

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. ETEC Rodrigues de Abreu Extensão EE Ernesto Monte. Habilitação Profissional: Técnico em Transações Imobiliárias

Plano de Trabalho Docente 2010. ETEC Rodrigues de Abreu Extensão EE Ernesto Monte. Habilitação Profissional: Técnico em Transações Imobiliárias Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEC Rodrigues de Abreu Extensão EE Ernesto Monte Código: 135 Município: Bauru/SP Área Profissional: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em

Leia mais

RESOLUÇÃO. Habilitação em Língua Espanhola extinta pela Res. CONSEPE 51/2003, de 29 de outubro de 2003.

RESOLUÇÃO. Habilitação em Língua Espanhola extinta pela Res. CONSEPE 51/2003, de 29 de outubro de 2003. RESOLUÇÃO CONSEPE 53/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE LETRAS, DO CÂMPUS DE ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município:Garça Eixo Tecnológico: Mecatrônica Habilitação Profissional: Técnico em Mecatrônica Qualificação: Técnico

Leia mais

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO INTRODUÇÃO Francisca das Virgens Fonseca (UEFS) franciscafonseca@hotmail.com Nelmira Santos Moreira (orientador-uefs) Sabe-se que o uso

Leia mais

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC PAULINO BOTELHO / E.E. ESTERINA PLACCO (EXTENSÃO)

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC PAULINO BOTELHO / E.E. ESTERINA PLACCO (EXTENSÃO) Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO / E.E. ESTERINA PLACCO (EXTENSÃO) Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR CELEM CENTRO DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA ESPANHOL APRESENTAÇÃO Segundo as Diretrizes Curricular o ensino da Língua Estrangeira na Educação Básica esta pautado

Leia mais

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias Competências.Adquirir conhecimentos sobre a cultura e civilização Anglo- Americana numa perspectiva intercultural. - Aprofundar o conhecimento da realidade Portuguesa através do confronto com aspectos

Leia mais

ANO 2014. As provas do DELE são compostas por seis níveis. Cada um deles é obtido após a aprovação do mesmo.

ANO 2014. As provas do DELE são compostas por seis níveis. Cada um deles é obtido após a aprovação do mesmo. REGULAMENTO PARA A INSCRIÇÃO EM PROVA DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESPANHOLA PARA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL 1. ABERTURA ANO 2014 A Universidade

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO e testes CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CICLO LÍNGUA PORTUGUESA Leitura Assimilação/compreensão/interpretação Comunicação oral Compreensão e aplicação do vocabulário Domínio da técnica de escrita Caligrafia Escrita

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Inglês Instrumental Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Módulo:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

Curso Intensivo. Marketing Pessoal

Curso Intensivo. Marketing Pessoal Curso Intensivo Marketing Pessoal O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando proporcionar

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL CARLOS HENRIQUE FELIPE POÇAS RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. Premissas básicas:

EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. Premissas básicas: EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil, enquanto segmento de ensino que propicia um maior contato formal da criança com o mundo que a cerca, deve favorecer a socialização da criança, permitir a interação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVO GERAL SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: DIREITO MISSÃO DO CURSO Desenvolver um ensino que propicie sólida formação ao aluno, constante aprimoramento docente e atualização curricular periódica.

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

Relações Internacionais

Relações Internacionais Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais O curso de Relações Internacionais está enquadrado no campo da ciência Humana e social, onde estuda-se em profundidade as políticas Internacionais

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

Ano Letivo de 2011/2012

Ano Letivo de 2011/2012 Ano Letivo de 2011/2012 MATRZ DO EXAME DE EQUVALÊNCA À FREQUÊNCA Disciplina de: inglês Ciclo: 2º Duração da Prova: Escrita 90 minutos Época de junho/julho e época de setembro Competências/Objetivos Aprendizagens

Leia mais

O PERFIL E ATUAÇÃO DO TRADUTOR/INTÉRPRETE DE LIBRAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE MARIANA/MG

O PERFIL E ATUAÇÃO DO TRADUTOR/INTÉRPRETE DE LIBRAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE MARIANA/MG O PERFIL E ATUAÇÃO DO TRADUTOR/INTÉRPRETE DE LIBRAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE MARIANA/MG Maria Luiza de Freitas Santos UNINTER Resumo: O presente trabalho apresentará o panorama do ato interpretativo do

Leia mais

ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA SOCIOLINGUÍSTICA

ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA SOCIOLINGUÍSTICA ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA Cristiane Toffanello Mestranda UniRitter/Laureate International Universities Cristoffi@hotmail.com SOCIOLINGUÍSTICA

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ANO LETIVO 2014/15 Critérios de avaliação específicos da disciplina de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO EXTENSÃO E. E. INDIA VANUÍRE Código: 9136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA: elementos, barreiras e técnicas

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA: elementos, barreiras e técnicas COMUNICAÇÃO ASSERTIVA: elementos, barreiras e técnicas Objetivos Neste tópico você poderá: Identificar os elementos da comunicação e as barreiras à comunicação Reconhecer os efeitos da comunicação nos

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

Atendimento Eficaz ao Cliente

Atendimento Eficaz ao Cliente Atendimento Eficaz ao Cliente Aquele que conhece os outros é inteligente, Aquele que conhece a si mesmo é sábio. (Lao-Tsé, filósofo chinês, séc. IV a. C.) Conhece-te a ti mesmo. (Sócrates, filósofo grego,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM SECRETARIADO

Plano de Trabalho Docente 2010. Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM SECRETARIADO Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEC DE SUZANO Código: Município: SUZANO Área Profissional: Secretariado Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM SECRETARIADO Qualificação:

Leia mais

Gestão de Talentos. Aula 2. Organização da Aula. Contextualização. Instrumentalização

Gestão de Talentos. Aula 2. Organização da Aula. Contextualização. Instrumentalização Gestão de Talentos Aula 2 Prof. Me. Maria Tereza F. Ribeiro 1. Contextualização Apresentação dos tópicos a serem abordados atualidades 2. Instrumentalização Conceitos principais 3. Aplicação Exemplos e

Leia mais

Concurso: Aula 8 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR

Concurso: Aula 8 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Concurso: SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Aula 8 LEONARDO FERREIRA Comunicação Introdução (1) Toda organização funciona a partir dos processos de comunicação. A dinâmica organizacional somente é possível

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ALEMÃO, FRANCÊS, INGLÊS LE I 1º, 2º e 3º CICLOS Direcção Regional da Educação e Formação 2011 Metas de Aprendizagem para as Línguas Estrangeiras Alemão,

Leia mais

Elementos para Coordenação de Atividades em Grupo 1

Elementos para Coordenação de Atividades em Grupo 1 Este texto foi adotado para fim exclusivo de apoio didático ao Curso de Gestão Estratégica Pública - Turma 2005 - uma parceria entre a Escola de Extensão da Unicamp e a Escola de Governo e Desenvolvimento

Leia mais

CEPPG Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós Graduação 1

CEPPG Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós Graduação 1 1 Nome do curso: Área: O Curso: ARGUMENTAÇÃO E ANÁLISE DO DISCURSO Direito Destinados aos profissionais da área do Direito o curso fornece subsídios necessários à prática do cotidiano forense no que se

Leia mais

A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE

A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE A POSSIBILIDADE DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE Ana Paula Moura da Silva (UNEAL / SENAI-AL) Israel Silva de Macêdo (SENAI-AL, UNIAFRA, FRM) Resumo Esta pesquisa apresenta uma reflexão sobre

Leia mais