Manual Setorial Gerência de Tecnologias de Gestão (GT) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual Setorial Gerência de Tecnologias de Gestão (GT) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV"

Transcrição

1 Manual Setorial Gerência de (GT) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV

2 Este Manual setorial faz parte do Programa de da Qualidade da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV. Sua reprodução ou distribuição para os fins aos quais se destina é da responsabilidade da Coordenação da Incubadora. Revisão nº fone: (31) Site: s: 2

3 SUMÁRIO Introdução... 4 Organograma... 4 Descrição da função... 4 Competências exigidas para a função: Processos Relacionados ao setor: Processos Chaves Processos de Apoio Processo de Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos Documentos Associados: Processo de Consultoria e Assessoria Empresarial Fluxograma Procedimento Operacional Padrão Documentos Associados Processo de Planejamento de Cursos da Incubadora Fluxograma: Procedimento Operacional Padrão Documentos Associados Processos de Apoio Processos de Elaboração de Projetos da Incubadora Processo de Realização de Cursos ANEXO I: Documentos SGQ

4 Introdução Organograma A orienta e supervisiona o trabalho dos Assessores de e dos Estagiários e Bolsistas e é subordinada pela Coordenação, de acordo com o organograma abaixo. Descrição da função: A é responsável pela Implantação e manutenção dos Sistema de da Qualidade, que inclui a Certificação ISO 9001:2000, programas de 5S(organização, ordem e limpeza de espaço de trabalho, reformulação do manual do programa 5S) e a de processos (mapeamento, fluxogramas, procedimentos operacionais, manual da qualidade e manuais setoriais). Além disso, essa Gerência presta consultorias às empresas incubadas e pré-incubadas, elaborando EVTECIAS e planos de Negócios e analisando demandas anuais em aspectos de assessoria e capacitação empresarial. Competências exigidas para a função: 4

5 1. Processos Relacionados ao setor: 1.1. Processos Chaves Processo de Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos Processo de Consultoria e Assessoria Empresarial Processo de Planejamento de Cursos da Incubadora 1.2. Processos de Apoio Processos de Elaboração de Projetos da Incubadora Processo de Realização de Cursos 5

6 PROCESSO CHAVE PROCESSO DE ASSESSORIA EM PROJETOS PARA A CAPTAÇÃO DE RECURSOS Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV 6

7 2. Processo de Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos a. Objetivo: Assessorar os empreendedores que participam dos Programas de Préincubação ou Incubação na elaboração de projetos para a captação de recursos de editais de fomento. b. Condições para a execução: existir editais de fomento em andamento e empresas interessadas em enviar projetos. c. Periodicidade: Não possui periodicidade definida, sendo executado sempre que houver interesse das empresas em enviar projeto para algum edital de fomento. d. Dependência: este processo não depende de nenhum outro. e. Entradas do processo: Abertura de editais de fomento para empresas de base tecnológica. f. Relacionamento: Este processo se relaciona com os Processos de Pré-Incubação e Incubação, uma vez que os empreendedores que recebem as assessorias participam dos Programas de Pré-incubação ou Incubação oferecidos pela IEBT. g. Resultado do Processo: A divulgação do resultado do edital de fomento, que pode ser favorável à concessão dos recursos ao empreendedor ou não. h. Saídas do processo: Relatório de Acompanhamento dos Editais (TG.R.A.E.) i. Documentos associados: Fluxograma - Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos (TG.F.A.P.) Procedimento - Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos (TG.P.A.P.) 7

8 2.1. Documentos Associados: Relatório de Acompanhamento dos Editais (TG.R.A.E.) PROCESSO: Assessoria em Projetos para Captação de Recursos (TG.P.A.P.) Órgão de Fomento: Edital: Data de abertura Data de encerramento: Empresa(s) participante (s): Aprovação: Sim Não Data: Recursos captados: Órgão de Fomento: Edital: Data de abertura Data de encerramento: Empresa(s) participante (s): Aprovação: Sim Não Data: Recursos captados: Órgão de Fomento: Edital: Data de abertura Data de encerramento: Empresa(s) participante (s): Aprovação: Sim Não Data: Recursos captados: 8

9 PROCESSO CHAVE PROCESSO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA EMPRESARIAL Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV 9

10 3. Processo de Consultoria e Assessoria Empresarial a. Objetivo: Oferecer consultoria/assessoria gerencial ou técnica aos empreendedores da Pré-incubação e às empresas incubadas. As consultorias podem ser oferecidas pelos próprios colaboradores da Incubadora, quando pertencerem à sua área de atuação, ou externa, onde serão buscados os recursos necessários para a contratação e realização das mesmas. b. Condições para a execução: existência de demanda por parte das empresas incubadas ou pré-incubadas. c. Periodicidade: Não possui periodicidade definida, sendo executado sempre que houver necessidade dos empreendedores ou empresas. d. Dependência: este processo não depende de nenhum outro. e. Entradas do processo: Solicitação de consultoria ou assessoria realizada pelos empreendedores dos programas de Pré-incubação ou Incubação. f. Relacionamento: Este processo se relaciona com os Processos de Pré-Incubação e Incubação, uma vez que as empresas que recebem consultoria são participantes de um dos dois programas: Incubação ou Pré-Incubação. g. Resultado do Processo: Realização da consultoria/assessoria e avaliação da eficácia dos serviços oferecidos pela Incubadora. h. Saídas do processo: Avaliação de Consultoria (TG.A.CO.) Relatório de Conclusão de Consultoria (TG.R.C.A.) Consultoria e Relatório de Conclusão de Consultoria (TG.R.C.C.). i. Documentos associados: Fluxograma - Consultoria e Assessoria (TG.F.C.A.) Procedimento - Consultoria e Assessoria (TG.P.C.A.) 10

11 3.1. Fluxograma 11

12 3.2. Procedimento Operacional Padrão CÓDIGO T G. P. C. A. TÍTULO REVISÃO RESPONSÁVEL Revisão 0 Tecnologia de PERIODICIDADE Consultoria e Assessoria Empresarial OBJETIVO Prestar consultorias e assessorias às empresas incubadas ABRANGÊNCIA Empresas Incubadas. MATERIAIS NECESSÁRIOS Fluxograma - Consultoria e Assessoria Empresarial (TG.F.C.A.); Avaliação de Consultoria (TG.A.CO.); Relatório de Conclusão de Consultoria (TG.R.C.A.) ÍTEM ATIVIDADES METODOLOGIA RESPONSÁVEL 1 2 Receber pedidos de consultoria das empresas; Buscar recursos e orçamentos dos serviços; 3 Consultoria viável? 4 Consultoria viável? 5 Contratar consultoria; Elaborar cronograma de consultoria; Acompanhar a realização do serviço; Encaminhar Avaliação de Consultoria para as empresas; Avaliação de Consultoria (TG.A.C.); Relatório de Conclusão de Consultoria (TG.R.C.C.); 11 TG.R.C.C ok? 12 Encaminhar cópia TG.R.C.C. à empresa; Receber pessoalmente ou via os pedidos de consultoria empresarial das empresas (pré-incubadas ou incubadas). Deve-se buscar consultores da UFV ou externos que sejam aptos a prestar a consultoria solicitada pela empresa. Deve-se realizar o orçamentos dos serviços e apresentá-los à Coordenação da Incubadora. Se sim, seguir para o item 4. Se não, voltar ao item 2. Se sim, seguir para o item 5. Se não, voltar ao item 2. Entrar em contato com o prestador do serviço e negociar os valores e prazo para pagamento e realização da consultoria. Elaborar o cronograma de atividades a serem executadas durante a realização da consultoria. Verificar, a partir do cronograma elaborado, se os prazos estabelecidos estão sendo cumpridos e avaliar a conformidade (ou não) do serviço em relação ao solicitado pela empresa. Solucionar possíveis problemas entre empresa e consultor durante o período de prestação do serviço. Após o fim da consultoria, encaminhar na forma impressa a Avaliação de Consultoria (TG.A.C.) ao responsável pela empresa. Informar no corpo do a data limite para preenchimento da TG.A.C.. Preencher a TG.A.C. e enviar por à Tecnologias de, até a data limite. Elaborar o TG.R.C.C a partir das informações do serviço prestado e do TG.A.C e encaminhar à Coordenação. Se sim, seguir para o item 12. Se não, voltar ao item 10. Encaminhar uma cópia impressa do TG.R.C.C ao responsável pela empresa. 13 Arquivar TG.R.C.C Arquivar TG.R.C.C na pasta Assessoria Empresarial. Coordenação Empresas Gerência Administrativa Consultor Empresas Coordenação 12

13 3.3. Documentos Associados Avaliação de Consultorias (TG. A.CO.) Processo: Consultoria e Assessoria Empresarial (TG.P.C.A.) Data: Empresa: Consultoria: Consultor: Duração: 1. A consultoria foi adequada e condizente com os objetivos da empresa? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 2. A consultoria apoiou o desenvolvimento e consolidação da empresa? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 3. A duração do desenvolvimento da consultoria foi adequada? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 4. O consultor trabalhou em busca de resultados? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 5. O consultor transmitiu novos conhecimentos para a empresa? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 6. O consultor permaneceu motivado e disposto a desenvolver suas atividades? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 7. A empresa disponibilizou tempo suficiente para o bom desenvolvimento da consultoria? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 8. A empresa transmitiu as informações necessárias para o desenvolvimento da consultoria? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 9. Na sua visão, a Incubadora ofereceu orientação adequada para que o consultor desenvolvesse o trabalho? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 10. Os resultados entregues foram de acordo com as expectativas da empresa? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 11. O material entregue será útil para a consolidação da empresa? Sim Não Justificativa e/ou Sugestões: 12. Há interesse de consultoria em outras áreas? Sim Não Qual (is): 13

14 Relatório de Conclusão de Consultoria (TG. R.C.A.) Processo: Consultoria e Assessoria Empresarial (TG.P.C.A.) Empresa: Consultoria: Consultor: Duração: Data: 1)Diagnóstico da empresa antes da consultoria: 2)Atividades desenvolvidas durante a consultoria: 3)Diagnóstico da empresa após a consultoria (benefícios apresentados) : 4)Avaliação da consultoria, em relação a: -Atendimento dos requisitos da empresa - Cumprimento dos prazos determinados -Qualidade do trabalho final 14

15 PROCESSO CHAVE PROCESSO DE PLANEJAMENTO DE CURSOS DA INCUBADORA Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV 15

16 4. Processo de Planejamento de Cursos da Incubadora a. Objetivo: Planejar e promover cursos de capacitação direcionados aos empreendedores, estudantes e pesquisadores da UFV, colaboradores da Incubadora e demais interessados da comunidade viçosense e da região. b. Condições para a execução: executado no início do ano, no planejamento das atividades da Incubadora. c. Periodicidade: Anual d. Dependência: este processo não depende de nenhum outro. e. Entradas do processo: Lista de cursos oferecidos pela Incubadora em anos anteriores e demanda levantada informalmente junto aos empreendedores. f. Relacionamento: O Processo de Planejamento de Cursos da Incubadora se relaciona com os Processos de Incubação e Pré-Incubação, uma vez que os cursos oferecidos visam capacitar os empreendedores que atuam em projetos ou empresas na Incubadora. Além disso, é entrada para o Processo de Realização de Cursos. g. Resultado do Processo: O cronograma do Programa de Capacitação Empresarial h. Saídas do processo: Proposta de Cursos (TG.P.D.C.) i. Documentos associados: Fluxograma - Planejamento de Cursos da Incubadora (TG.F.P.C.) Procedimento - Planejamento de Cursos da Incubadora (TG.F.P.C.) 16

17 4.1. Fluxograma: 17

18 18

19 4.2. Procedimento Operacional Padrão CÓDIGO T G P. P. C. TÍTULO REVISÃO RESPONSÁVEL Revisão 0 Tecnologia de PERIODICIDADE Planejamento de Cursos da Incubadora OBJETIVO Planejar e organizar os cursos de capacitação oferecidos pela Incubadora. ABRANGÊNCIA Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV. MATERIAIS NECESSÁRIOS Fluxograma - Planejamento de Cursos da Incubadora (TG.FL.P.C.); Proposta de Cursos (TG.FO.F.C.) ÍTEM ATIVIDADES METODOLOGIA RESPONSÁVEL 1 2 Olhar junto às empresas a demanda para cursos; Proposta de Cursos (TG.FO.P.C.); 3 TG.FO.P.C. ok? Através de s ou conversas informais, identificar juntos às empresa suas demandas com relação a cursos de capacitação empresarial, que podem ser oferecidos pela Incubadora. As informações passadas pelas empresas devem ser analisadas e estruturadas. Elaborar o TG.FO.P.C. com em propostas de temas e /ou facilitadores. Apresentar TG.FO.P.C. à Coordenação para análise. Se sim, seguir para o item 5. Se não, seguir para o item 4. Coordenação 4 Propor melhorias; Sugerir temas e facilitadores para os cursos Coordenação 5 Buscar facilitadores para os cursos; 6 Elaborar orçamentos; 7 Orçamento aprovado? 8 Estruturar datas para os cursos; Solicitar aos facilitadores descrições dos cursos; Proposta de Cursos (TG.FO.P.C.); Apresentar Programação à Coordenação; 12 Programação ok? 13 Propor modificações na Programação dos cursos; Buscar, preferencialmente dentro de Viçosa, facilitadores para os cursos. Realizar uma busca do currículo lates de profissionais ligados a área do curso. Elaborar orçamentos para pagamentos dos facilitadores, bem como o transporte e hospedagem dos mesmos, além de coffebreak para os dias do curso. Se sim, seguir para o item 8. Se não, voltar ao item 6. Definir datas para a realização dos cursos, evitando que as datas coincidam com feriados ou período de férias da UFV, evitando dois cursos na mesma data e, se possível, que o mesmo facilitador não ministre dois cursos seguidos. Solicitar aos facilitadores, via , os objetivos, conteúdo e carga horária dos cursos. Atualizar TG.FO.P.C. com as informações já definidas sobre palestrantes, locais de realização dos cursos e datas. Encaminhar via o TG.FO.P.C. à Coordenação para análise. Se sim, seguir para o item 14. Se não, seguir para o item 13. Por , propor à alterações nas datas, locais ou horário de realização dos Coordenação Coordenação Coordenação 19

20 cursos Passar as informações à Secretaria da Incubadora; Solicitar divulgação dos cursos à Assessoria de Comunicação; Disponibilizar informações dos cursos no site do CENTEV; Divulgar em veículos de comunicação (jornais, boletins, etc); 18 Elaborar cartazes e panfletos; Passar todas as informações dos cursos (quais são, valores, etc) para a Secretaria. Solicitar pessoalmente à Assessoria de Comunicação a divulgação dos cursos em veículos de comunicação local e regional. Entrar como administrador do site, com login e senha, e dentro da opção cadastrar curso, inserir informações. Elaborar e enviar um release aos meios de comunicação regionais e nacionais. Caso haja necessidade pode se pagar pela publicação da notícia no meio de comunicação. De acordo com a necessidade, elaborar cartazes ou panfletos sobre os cursos, que podem ser impressos ou não. Assessoria de Comunicação Assessoria de Comunicação Assessoria de Comunicação 20

21 4.3. Documentos Associados Proposta de Cursos (TG.FO.P.C.) PROCESSO: Planejamento de Cursos da Incubadora (TG.FL.P.C.) Curso: Facilitador: Período: Horário: Local: Público Alvo: Valor da Inscrição: Curso: Facilitador: Período: Horário: Local: Público Alvo: Valor da Inscrição: Curso: Facilitador: Período: Horário: Local: Público Alvo: Valor da Inscrição: Curso: Facilitador: Período: Horário: Local: 21

22 PROCESSOS DE APOIO PROCESSOS DE APOIO 22

23 5. Processos de Apoio 5.1. Processos de Elaboração de Projetos da Incubadora Descrição: Processo de assessoria em projetos para captação de recursos Documentos relacionados: (TG.A.P.C.) Processo de Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos Fluxograma: 23

24 24

25 5.2. Processo de Realização de Cursos Descrição: Após a data de término das inscrições, conferir o número de inscritos e calcular o valor da receita obtida. Avaliar a viabilidade do curso Documentos relacionados: Descrição: Elaborar o SE.RE.S.C., ilustrando com gráficos o desempenho apresentado pelo curso, segundo a avaliação dos participantes Documentos relacionados: Relatório de Satisfação dos Cursos (SE.RE.S.C.); Fluxograma: 25

26 26

27 6. ANEXO I: Documentos SGQ Todos os documentos da Incubadora possuem siglas de identificação segundo o padrão do Sistema de da Qualidade. Para a criação das siglas, observa-se o seguinte procedimento: 1) As duas primeiras letras do nome correspondem à área do documento. Assim: AC = Acompanhamento Empresarial AD = Administrativo Financeiro NN = Novos Negócios TG = Tecnologia de SE = Secretaria 2) A terceira letra corresponde ao tipo de documento. Ex: F para fluxogramas e P para Procedimentos Operacionais Padrão. 3) A duas últimas letras correspondem ao título do documento. Exemplo: A sigla AD.R.C.A., para o Relatório de Conferência do Almoxarifado, é composta por: AD = referente ao R = por ser um relatório C = Conferência A = Almoxarifado Todos os documentos relacionados ao SGQ da Incubadora são apresentados na Tabela abaixo. Documentos Fluxograma - Compras e Solicitação de Serviços Fluxograma - Conferência e Controle do Almoxarifado Fluxograma - Cobrança das Empresas Incubadas Fluxograma - Controle do Patrimônio Fluxograma - Participação em Eventos Fluxograma - Inscrição e Seleção de Projetos para Pré- Incubação Fluxograma - Recepção de Novos Projetos do Programa de Pré-Incubação Fluxograma - Pré-Incubação Fluxograma - Inscrição e Seleção de Empresas para a Incubação Fluxograma - Recepção de Novas Empresas do Programa de Incubação Fluxograma Incubação Fluxograma - Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos Fluxograma - Consultoria e Assessoria Fluxograma - Planejamento de Cursos da Incubadora Fluxograma - Realização de cursos Procedimento - Compras e Solicitação de Serviços Procedimento - Conferência e Controle do Almoxarifado Siglas AD.F.C.S. AD.F.C.C. AD.F.C.E. AD.F.C.P. AD.F.P.E. NN.F.I.P. NN.F.R.N. NN.F.P.I. AC.F.I.S. AC.F.R.N. AC.F.IN. TG.F.A.P. TG.F.C.A. TG.F.P.C. SE.F.R.C. AD.P.C.S. AD.P.C.C. 27

28 Procedimento - Cobrança das Empresas Incubadas Procedimento - Controle do Patrimônio Procedimento - Participação em Eventos Procedimento - Inscrição e Seleção de Projetos para a Pré-Incubação Procedimento - Recepção de Novos Projetos do Programa de Pré-Incubação Procedimento - Pré-Incubação Procedimento - Inscrição e Seleção de Empresas para a Incubação Procedimento - Recepção de Novas Empresas do Programa de Incubação Procedimento - Incubação Procedimento - Assessoria em Projetos para a Captação de Recursos Procedimento - Consultoria e Assessoria Procedimento - Planejamento de Cursos da Incubadora Procedimento - Realização de Cursos Relatório de Prestação de Serviços Relatório Conferência do Almoxarifado Relatório Contábil Financeiro Relatório Final de Despesas das Empresas Relatório de Participação em Eventos Relatório de Projetos Inscritos e Selecionados para a Pré-Incubação Relatório de Pré-Incubação Relatório Pesquisa de Satisfação Empresarial Relatório de Graduação Relatório de Acompanhamento dos Editais Relatório de Conclusão de Consultoria Relatório de Empresas Inscritas e Selecionadas para a Incubação Relatório de Satisfação dos Cursos Formulário para Orçamentos Tabela de Conferência de Estoque Termo de Compromisso Ata da Reunião de Recepção dos Projetos do Programa de Pré-Incubação Ata da Reunião de Recepção das Empresas do Programa de Incubação Pesquisa de Satisfação Empresarial Ofício de Solicitação para Prorrogação da Incubação Parecer sobre Pedido de Prorrogação Avaliação de Consultoria Proposta de Cursos Ficha de Inscrição em Cursos Formulário de Avaliação dos Cursos Lista de chamada Planilha - Controle de Cursos AD.P.C.E. AD.P.C.P. AD.P.P.E. NN.P.I.P. NN.P.R.N. NN.P.P.I. AC.P.I.S. AC.P.R.N. AC.P.IN. TG.P.A.P. TG.P.C.A. TG.F.P.C. SE.P.R.C. AD.R.P.S. AD.R.C.A. AD.R.C.F. AD.R.F.D. AD.R.P.E. NN.R.P.I. AD.R.P.I. AC.R.S.E. AC.R.GR. TG.R.A.E. TG.R.C.A. AC.R.P.I. SE.R.S.C. AD.F.OR. AD.T.C.E. AD.T.CO. NN.A.R.R. AC.A.R.R. AC.P.S.E. AC.O.S.P. AC.P.P.P. TG.A.CO. TG.P.D.C. SE.F.I.C. SE.F.A.C. SE.L.CH. SE.P.C.C. 28

Manual Coordenadoria (CO) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV

Manual Coordenadoria (CO) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV Manual Coordenadoria (CO) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV Este Manual setorial faz parte do Programa de Gestão da Qualidade da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV.

Leia mais

Manual Gerência Administrativa (AD) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV

Manual Gerência Administrativa (AD) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV Manual (AD) Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV Este Manual setorial faz parte do Programa de Gestão da Qualidade da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica CENTEV/UFV. Sua reprodução

Leia mais

Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA. Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA

Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA. Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/UNIFRA Prof.º Lissandro Dorneles Dalla Nora Coordenador Incubadora UNIFRA Roteiro Incubadora Histórico / UNIFRA Programa de Incubação UNIFRA Organograma

Leia mais

SUMÁRIO. Elaborado por: Revisado por: Aprovado por: Coordenação de Qualidade e Meio Ambiente. Gerência Suprimentos e Logística

SUMÁRIO. Elaborado por: Revisado por: Aprovado por: Coordenação de Qualidade e Meio Ambiente. Gerência Suprimentos e Logística Suprimentos e Logística Pág. 1 de 14 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 2 2 ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3 SIGLAS UTILIZADAS... 2 4 GLOSSÁRIO / CONCEITOS... 2 5 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA... 3 6 CONTEÚDO...

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP:

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CREDENCIAMENTO NO SEBRAE-SP: A oportunidade de se tornar um facilitador de aprendizagem e/ou consultor para o sucesso das micro e pequenas empresas APRESENTAÇÃO Esta cartilha

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014

CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 CONSELHO CIENTÍFICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E INOVAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO RESOLUÇÃO Nº 113, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014 Regulamenta a concessão de Auxílio para Apoio a Incubadoras

Leia mais

EMENTA CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

EMENTA CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICO-ALVO: Os Cursos Técnicos são destinados a todos que estão cursando o 2º ano ou já completaram o Ensino Médio e que desejam aprender uma profissão, entrar no mercado de trabalho ou buscar uma melhor

Leia mais

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015

Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC. Processo de Seleção de Empresas. EDITAL nº 2/2015 Programa de Aprendizagem em Consultoria Acadêmica - CONSAC Processo de Seleção de Empresas EDITAL nº 2/2015 Brasília, 20 de Novembro de 2015 Apresentação É com satisfação que a Projetos Consultoria Integrada,

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP 1.INTRODUÇAO...... 3 2.ONDE CONSEGUIR INFORMAÇÔES?... 4 Normas USP... 4 Site EACH...4 Sistema de atendimento da Comissão de

Leia mais

Organograma do Pronatec/CEDAF 2014

Organograma do Pronatec/CEDAF 2014 Organograma do Pronatec/CEDAF 2014 Supervisor Financeiro Coordenação Geral Apoio Administrativo Supervisor de TI Apoio Financeiro Orientador Pedagógico Apoio Administrativo Avaliação dos Cursos Coordenação

Leia mais

EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga

EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga EDITAL 191/2015 Programa de Iniciação Científica Voluntária/IFSP Campus Itapetininga A Direção Geral do campus Itapetininga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), torna

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

Instruções para utilização do sistema PROEXWEB Passos para propor uma nova atividade de extensão ou reofertar uma atividade no sistema PROEXWEB

Instruções para utilização do sistema PROEXWEB Passos para propor uma nova atividade de extensão ou reofertar uma atividade no sistema PROEXWEB Instruções para utilização do sistema PROEXWEB Passos para propor uma nova atividade de extensão ou reofertar uma atividade no sistema PROEXWEB 1- NOVA ATIVIDADE - Entrar no sistema PROEXWEB no endereço

Leia mais

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014

INCUBADORA RINETEC. Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC. Edital 001 2014 INCUBADORA RINETEC Regulamento da Chamada para ingresso de idéias inovadoras na incubadora RINETEC Edital 001 2014 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Este edital estabelece formas, condições e critérios para que a Associação

Leia mais

profissionais graduados.

profissionais graduados. A pós-graduação lato sensu são cursos promovidos pela Faculdade de Jaguariúna com mais de 360 horas (entre 12 e 18 meses geralmente) em conformidade com a Resolução CNE/CES nº 1, de 8 de junho de 2007,

Leia mais

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO

Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO Instruções para preenchimento do formulário de CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO As instruções a seguir orientam a elaboração de propostas de Cursos de Aperfeiçoamento para aprovação e registro no Sistema de Informações

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015 Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE A Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil UNISOL, entidade sem fins econômicos, com sede

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Consultoria Empresarial a distância

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Consultoria Empresarial a distância Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Consultoria Empresarial a distância A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis, informa

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DO M3

MANUAL DO USUÁRIO DO M3 MANUAL DO USUÁRIO DO M3 1 CADASTROS 1.1 Clientes Abre uma tela de busca na qual o usuário poderá localizar o cadastro dos clientes da empresa. Preencha o campo de busca com o nome, ou parte do nome, e

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI em Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI em Blumenau EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI em Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI em Blumenau EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnologia SENAI em Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI em Blumenau EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC

Leia mais

CONCURSO PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O BIRÔ EMPREENDEDOR EDITAL Nº 01/ 2013.2. Secção I Das Disposições Gerais

CONCURSO PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O BIRÔ EMPREENDEDOR EDITAL Nº 01/ 2013.2. Secção I Das Disposições Gerais CONCURSO PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O BIRÔ EMPREENDEDOR EDITAL Nº 01/ 2013.2 Secção I Das Disposições Gerais Dispõe sobre o concurso para seleção de alunos do curso de administração para o Birô Empreendedor.

Leia mais

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações?

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? SESI Empreendedorismo Social Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? REGULAMENTO SESI Empreendedorismo Social A inovação social é o ponto de partida para um novo modelo que atende

Leia mais

EDITAL Nº 15/2013 PRPGPE. Franciscano

EDITAL Nº 15/2013 PRPGPE. Franciscano EDITAL Nº 15/2013 PRPGPE Programa de Incubação de Empresas de Inovação Tecnológica/Centro Universitário Franciscano A Pró-Reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (PRPGPE) do Centro Universitário

Leia mais

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO

PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO PROGRAMA FORTALECER Edital de Projetos REGULAMENTO Sumário 1. O EDITAL... 2 1.1. Natureza e objetivos... 2 1.2. Princípios orientadores... 2 1.3. Foco temático do edital... 2 2. QUEM PODE PARTICIPAR...

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O.

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. 004/15 1. APRESENTAÇÃO A Direção-Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

Leia mais

REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA

REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA REGULAMENTO DA SEMANA DA ENGENHARIA A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando que o projeto dos cursos de engenharia

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS COMO ELABORAR ORIENTAÇÕES IMPORTANTES CARTA DE SERVIÇOS. 1) Carta de Serviços. 2) Finalidades

CARTA DE SERVIÇOS COMO ELABORAR ORIENTAÇÕES IMPORTANTES CARTA DE SERVIÇOS. 1) Carta de Serviços. 2) Finalidades COMO ELABORAR CARTA DE SERVIÇOS ORIENTAÇÕES IMPORTANTES 1) Carta de Serviços É um documento elaborado por uma organização pública que visa informar aos cidadãos quais os serviços prestados por ela, como

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Orientações para cadastro, aprovação e prorrogação de Projetos de Pesquisa Os tópicos abaixo

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância

Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos a distância A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis, informa

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO FISCAL - 1ª EDIÇÃO 2012

REGULAMENTO DO PRÊMIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO FISCAL - 1ª EDIÇÃO 2012 REGULAMENTO DO PRÊMIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO FISCAL - 1ª EDIÇÃO 2012 1.0 DOS OBJETIVOS A 1ª. Edição do Prêmio Nacional de Educação Fiscal será realizada pela FEBRAFITE com o apoio das associações filiadas

Leia mais

EDITAL 02.2014. 1.3 Auxiliares Administrativos: Serviço de recepção, protocolo e encaminhamento interno de processos.

EDITAL 02.2014. 1.3 Auxiliares Administrativos: Serviço de recepção, protocolo e encaminhamento interno de processos. EDITAL 02.2014 Convênio MTE/SENAES n. 78/2012 SICONV 776109/2012 Edital 02.2014 Contratação de profissionais de apoio técnico e administrativo para assessorar a ASSOCENE na Execução de Atividades Orientadas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO RIO GRANDE DO NORTE ATO NORMATIVO Nº 01, DE 28 DE MARÇO DE 2012. Institui o Normativo de Pessoal EMPREGO DE LIVRE PROVIMENTO E DEMISSÃO DE NÍVEL SUPERIOR, EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR E EMPREGOS TEMPORÁRIOS DE NÍVEL

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE. Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE Edital Nº 04/2012 PROGRAMA RS TECNÓPOLE DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE BASE TECNOLÓGICA E DE INDÚSTRIA CRIATIVA Gestor do Projeto Carlos Oberdan Rolim COREDE APRESENTAÇÃO Conselho Regional

Leia mais

EDITAL Nº 01, DE 22 DE JUNHO DE 2015. PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PROVIC

EDITAL Nº 01, DE 22 DE JUNHO DE 2015. PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PROVIC CENTRO EDUCACIONAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA INSTITUTOS SUPERIORES DE ENSINO DO CENSA CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01, DE 22 DE JUNHO DE 2015. PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

PORTARIA Nº 144, de 20 de outubro de 2009.

PORTARIA Nº 144, de 20 de outubro de 2009. PORTARIA Nº 144, de 20 de outubro de 2009. O Presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, fundação pública instituída pelo art. 1º do Decreto nº 524, de 19 de maio de

Leia mais

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DOS CURSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SERVIDORES PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS 1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 005/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 005/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 005/2014 A Cáritas Brasileira Regional Ceará, organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, por intermédio de sua Comissão Permanente de Licitação, faz

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho PUBLICIDADE IT. 40 09 1 / 4 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a execução das atividades de publicidade do Crea GO. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PO. 08 Avaliação da satisfação do cliente 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Título I. Das Finalidades

Título I. Das Finalidades REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA VISCONDE DE SÃO LEOPOLDO Título I Das Finalidades Art. 1º - A biblioteca foi criada em 13 de maio de 1961. A missão é contribuir para a melhoria do ensino, da pesquisa e

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC UNIVERSAL 2015-2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC UNIVERSAL 2015-2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC UNIVERSAL 2015-2016 O Centro de Pesquisa convida professores orientadores com títulos de especialista, mestre ou doutor a apresentarem propostas para

Leia mais

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANEXO I: REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Fixa normas para o funcionamento das Atividades Complementares para o curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis/Mato

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº002/2014 SELEÇÃO DE CONSULTORES JUNIOR PARA A INOVE CONSULTORIA JUNIOR UNIDADE TAGUATINGA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº002/2014 SELEÇÃO DE CONSULTORES JUNIOR PARA A INOVE CONSULTORIA JUNIOR UNIDADE TAGUATINGA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº002/2014 SELEÇÃO DE CONSULTORES JUNIOR PARA A INOVE CONSULTORIA JUNIOR UNIDADE TAGUATINGA A FACULDADE PROJEÇÃO, por intermédio da Escola de Negócios, torna pública a abertura

Leia mais

Manual de Procedimentos Para Recrutamento e Seleção

Manual de Procedimentos Para Recrutamento e Seleção Manual de Procedimentos Para Recrutamento e Seleção Versão: V0_0_10 Data: 13 de setembro de 2013 Procedimentos para recrutamento e seleção de servidores por processo seletivo público. Diretoria Geral de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS DIVISÃO DE ESPORTE E LAZER DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS DIVISÃO DE ESPORTE E LAZER DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS DIVISÃO DE ESPORTE E LAZER DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

BOLSAS DE APOIO À INOVAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPOS OU PRODUTOS INOVADORES FEIRA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFPR - IFTECH EDITAL N

BOLSAS DE APOIO À INOVAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPOS OU PRODUTOS INOVADORES FEIRA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFPR - IFTECH EDITAL N BOLSAS DE APOIO À INOVAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE PROTÓTIPOS OU PRODUTOS INOVADORES FEIRA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFPR - IFTECH EDITAL N.º 024/2014 PROEPI/IFPR A Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação

Leia mais

EDITAL Nº 001/CEI/2013

EDITAL Nº 001/CEI/2013 EDITAL Nº 001/CEI/2013 O Centro de Empreendimentos em Informática do Instituto de Informática da UFRGS CEI-INF/UFRGS torna públicos os procedimentos e as condições para Seleção de propostas para instalação

Leia mais

MBA EM GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

MBA EM GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: JOÃO ROBERTO LORENZETT COORDENAÇÃO DA FACULDADE: PRISCILA FAGUNDES COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: RAFAEL PARACHEN

Leia mais

INC.EM.T.IVA Católica

INC.EM.T.IVA Católica INC.EM.T.IVA Católica Incubadora de Empresas Tocantinenses Inovadoras da Católica do Tocantins Processo de Seleção de Novos Empreendimentos CHAMADA PÚBLICA 001/2015 Palmas, Setembro de 2015. A Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE ACESSIBILIDADE DIGITAL

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE ACESSIBILIDADE DIGITAL REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE ACESSIBILIDADE DIGITAL 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD) para participação

Leia mais

MOSTRA DE PROJETOS 2015. Iniciativas Sociais que contribuem para o desenvolvimento local. REGULAMENTO Anexos I e II

MOSTRA DE PROJETOS 2015. Iniciativas Sociais que contribuem para o desenvolvimento local. REGULAMENTO Anexos I e II MOSTRA DE PROJETOS 2015 Iniciativas Sociais que contribuem para o desenvolvimento local REGULAMENTO Anexos I e II O Sesi Paraná, por meio do programa Sesi Indústria e Sociedade e do Movimento Nós Podemos

Leia mais

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas SESAU Coordenadoria Setorial de Gestão a Informática - CSGI Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Maceió 06/02/2012 Técnico Responsável: Bruno Cavalcante

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS DIRETOR GERAL: RUBENSMIDT RIANI

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS DIRETOR GERAL: RUBENSMIDT RIANI ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS DIRETOR GERAL: RUBENSMIDT RIANI CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 022/2014 Curso de Qualificação para Conselheiros Municipais e Distritais de Saúde e

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL N º 10/PROPPI/2015 Retificado CHAMADA PÚBLICA 2015 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS TÉCNICOS COM FINALIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO Câmpus SÃO MIGUEL DO OESTE

Leia mais

SIATEX NOVO MANUAL SIATEX. www.siatex.ufba.br

SIATEX NOVO MANUAL SIATEX. www.siatex.ufba.br NOVO MANUAL SIATEX www.siatex.ufba.br Outubro 2013 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 CADASTRO... 4 ACOMPANHAMENTO... 7 CANCELAMENTO... 7 RELATÓRIO... 8 Inscrição Externa... 8 Upload da assinatura... 10 CERTIFICAÇÃO...

Leia mais

Seleção de Tutores para Polo Regional Nordeste Setentrional da Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital nas Comunidades Telecentros.

Seleção de Tutores para Polo Regional Nordeste Setentrional da Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital nas Comunidades Telecentros. PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES - TELECENTROS.BR REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO PARA INCLUSÃO DIGITAL POLO REGIONAL NORDESTE SETENTRIONAL EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Seleção de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PREX EDITAL Nº 039/2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PREX EDITAL Nº 039/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PREX EDITAL Nº 039/2013 A Pró-Reitoria de Extensão (PREX), da Universidade Federal do Piauí (UFPI), no uso das atribuições

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUÇÃO COORDENAÇÃO DE PESQUISA CAMPUS SÃO NORBERTO

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUÇÃO COORDENAÇÃO DE PESQUISA CAMPUS SÃO NORBERTO FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUÇÃO COORDENAÇÃO DE PESQUISA CAMPUS SÃO NORBERTO EDITAL UNIVERSAL DE PESQUISA 1º /2010 AS FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO Criado em 2006, o é responsável por gerenciar o investimento social do Grupo HSBC Brasil e tem como missão contribuir para o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUMAR

REGULAMENTO PROGRAMAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUMAR REGULAMENTO PROGRAMAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CESUMAR CAPÍTULO FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º - As normas que seguem visam orientar a comunidade acadêmica quanto aos procedimentos que devem ser observados

Leia mais

1. Instituído pela Genzyme do Brasil, o Edital do PAPAP é regido pelo presente regulamento.

1. Instituído pela Genzyme do Brasil, o Edital do PAPAP é regido pelo presente regulamento. A Genzyme do Brasil ( Genzyme ) torna pública a abertura do Edital 001/2015 para o Programa de Apoio aos Projetos de Associações de Pacientes ( PAPAP ) e define o processo seletivo para o ano de 2016,

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO, 3 2 FUNCIONALIDADE ADMINISTRATIVA, 3 2 S ORGANIZACIONAIS DO CENTRO DE ESTUDOS, 3

Leia mais

SESI Empreendedorismo Social

SESI Empreendedorismo Social SESI Empreendedorismo Social 9ª Edição 2014 Transforme sua ideia de hoje na prática do amanhã REGULAMENTO O SESI/PR torna público o regulamento para participação no Programa SESI Empreendedorismo Social

Leia mais

BOLSA PDSE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR

BOLSA PDSE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR Program a de Pós-Graduação em Enfermagem SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE BOLSA PDSE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL N º 13 /PRPPGI/2015 CHAMADA PÚBLICA 2015 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS COM FINALIDADE DIDÁTICO- PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO EXECUÇÃO: MAIO A NOVEMBRO DE 2015. A Reitora

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA CADASTRO DE AÇÃO DE EXTENSÃO DO LOGIN AO FORMULÁRIO DE CADASTRO... 3

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA CADASTRO DE AÇÃO DE EXTENSÃO DO LOGIN AO FORMULÁRIO DE CADASTRO... 3 TUTORIAL SIEX ORIENTAÇÕES GERAIS PARA CADASTRO DE AÇÃO DE EXTENSÃO DO LOGIN AO FORMULÁRIO DE CADASTRO... 3 1. Como acessar ao formulário de inscrição de proposta... 3 2. Quais os passos de preenchimento

Leia mais

Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão

Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão A Pró-reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Universidade Veiga de Almeida UVA torna público o Edital 2015 e comunica aos interessados que

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO - CGI

ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO - CGI ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO - CGI MISSÃO Executar a gestão das informações e coordenar a política de comunicação da PROEXT. Atribuições Gerais: 1. Atender clientes internos e externos;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2011

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS COORDENAÇÃO DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS EDITAL CGDP/SRH Nº 04/2011 ABERTURA E DISPOSIÇÕES GERAIS DO CURSO DE GESTÃO HOSPITALAR

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NEW BRANDING INNOVATION MBA 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NEW BRANDING INNOVATION MBA 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NEW BRANDING INNOVATION MBA 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

Metodologia para construção dos Escritórios Virtuais dos Fundos Setoriais. Brasília, maio/2002 Prof. Simone Alencar (alencar@prossiga.

Metodologia para construção dos Escritórios Virtuais dos Fundos Setoriais. Brasília, maio/2002 Prof. Simone Alencar (alencar@prossiga. Metodologia para construção dos Escritórios Virtuais dos Fundos Setoriais Brasília, maio/2002 Prof. Simone Alencar (alencar@prossiga.br) Escritórios Virtuais dos Fundos Setoriais Objetivos: servir de instrumental

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

DOCUMENTO OPERACIONAL PROCESSO: DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS E EVENTOS SETOR RESPONSÁVEL: EVENTOS

DOCUMENTO OPERACIONAL PROCESSO: DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS E EVENTOS SETOR RESPONSÁVEL: EVENTOS SETOR RESPONSÁVEL: PÁGINA: 1 de 8 1.0 OBJETIVO: Identificar e analisar as solicitações de clientes na modalidade eventos, selecionar fornecedores que possam atender aos requisitos solicitados, efetuar

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA INCUBATEC UNILASALLE EDITAL PARA SELEÇÃO DE EMPRESAS - FLUXO CONTÍNUO

INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA INCUBATEC UNILASALLE EDITAL PARA SELEÇÃO DE EMPRESAS - FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA DE EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA INCUBATEC UNILASALLE EDITAL PARA SELEÇÃO DE EMPRESAS - FLUXO CONTÍNUO O CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE Unilasalle Canoas, por meio da Agência de Pesquisa e Desenvolvimento,

Leia mais

Universidade Presidente Antônio Carlos Faculdade de Ciências Humanas e Exatas Curso de Administração Campus VI

Universidade Presidente Antônio Carlos Faculdade de Ciências Humanas e Exatas Curso de Administração Campus VI A) Área de Administração Geral ÁREAS E ATIVIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO O estagiário desta área de interesse deverá participar de atividades essenciais de uma empresa, tais como: marketing, produção,

Leia mais

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP

EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES. Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP PAEP Programa de Apoio a Eventos no País EDITAL CAPES N 004/2012/ CAPES Seleção pública de propostas de projetos de eventos voltados ao Programa de Apoio a Eventos no País - PAEP A Fundação Coordenação

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TREINAMENTO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TREINAMENTO 2/08/203 Recursos. INTRODUÇÃO A Política de Treinamento tem por objetivo estabelecer critérios para o tratamento das solicitações de Capacitação, Desenvolvimento, Cursos Intensivos, Seminários, Palestras,

Leia mais

Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia de Software

Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia de Software FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: JOÃO ROBERTO LORENZETT COORDENAÇÃO DA FACULDADE: PRISCILA FAGUNDES COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: JANICE DETERS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - UFC FACULDADE DE MEDICINA - FAMED NÚCLEO DE TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM SAÚDE NUTEDS/FAMED/UFC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - UFC FACULDADE DE MEDICINA - FAMED NÚCLEO DE TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM SAÚDE NUTEDS/FAMED/UFC UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - UFC FACULDADE DE MEDICINA - FAMED NÚCLEO DE TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM SAÚDE NUTEDS/FAMED/UFC CHAMADA PÚBLICA PARA CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES PARA EaD ONLINE

Leia mais

APOIO E FOMENTO ÁS INICIATIVAS DE FINANÇAS SOLIDÁRIAS COM BASE EM BANCOS COMUNITÁRIOS DE DESENVOLVIMENTO

APOIO E FOMENTO ÁS INICIATIVAS DE FINANÇAS SOLIDÁRIAS COM BASE EM BANCOS COMUNITÁRIOS DE DESENVOLVIMENTO INSTITUTO PALMAS DE DESENVOLVIMENTO E SOCIOECONOMIA SOLIDÁRIA Av. Val Paraíso, 698, Conjunto Palmeira Fortaleza-CE CEP 60870-440 bancopalmas@bancopalmas.org.br / 55 85 3459-4848 CNPJ 05705438/0001-99 APOIO

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA DA FACULDADE UNIGRAN CAPITAL

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA DA FACULDADE UNIGRAN CAPITAL NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA DA FACULDADE UNIGRAN CAPITAL Art. 1º Os Projetos de Pesquisa serão elaborados em formulário próprio, definido pela Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação/Faculdade

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PROIC BOLSA 1º/2012

COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PROIC BOLSA 1º/2012 FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE - ICS FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA FASI COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC BOLSA

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e SENAI em Tubarão EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e SENAI em Tubarão EDITAL DE PROCESSO SELETIVO. Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e SENAI em Tubarão EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos A Faculdade de Tecnologia SENAI/SC em Florianópolis em parceria

Leia mais

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014 PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014 Abertura de prazo para solicitação de serviços pelas entidades cadastradas no Projeto Serviços e Cidadania e sediadas em Curitiba e Região Metropolitana O

Leia mais

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015 PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015 Abertura de prazo para solicitação de serviços pelas entidades cadastradas no Projeto Serviços e Cidadania e sediadas em Curitiba e Região Metropolitana O

Leia mais

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar:

Antes de começar, o Solicitante e outros envolvidos dentro do projeto (Orientador, Coordenador ou outro Responsável Técnico) devem verificar: SOLICITAÇÃO DE FOMENTO on-line MANUAL DO USUÁRIO 1 CONTATOS... 2 2 ANTES DE COMEÇAR... 2 3 ENTRAR NO SISTEMA INFAPERJ... 3 3.1 ACESSO AO SISTEMA...3 3.2 LOGIN...4 4 APRESENTAÇÃO GERAL DA INTERFACE... 5

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET/IEG PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET/IEG PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - PET/IEG PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN EDITAL N 001/2015 - PROEN, de 19 de Janeiro de 2015. A Pró-Reitora de Ensino

Leia mais

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Santa Maria, 15 de Outubro de 2012 Pauta: 1) Contexto da Economia Criativa no Brasil de acordo com o Plano da Secretaria da Economia Criativa

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTOS DOS CONSELHOS ESCOLARES PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais