Prof. Msc.. João Neto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Msc.. João Neto"

Transcrição

1 Cinética Química Prof. Msc.. João Neto

2 CINÉTICA QUÍMICA é a parte da Química que estuda a velocidade ou rapidez das reações. Prof. Msc. João Neto

3 Produtos (Formados) A + B AB Reagentes (Consumidos) Prof. Msc. João Neto 3

4 A + B AB Colocamos A e B em contato. Eles reagem para produzir AB. A velocidade com que esta reação ocorre é notada pelo tempo com que A e B desaparecem,, ou o tempo com que AB aparece. Uma reação será rápida quando os produtos se formarem depressa e será lenta se esse processo demorar para acontecer. Deve-se notar que A e B devem ser consumidos no mesmo tempo em que AB se forma, portanto podemos expressar a velocidade da reação em termos do consumo dos reagentes ou do aparecimento dos produtos. Prof. Msc. João Neto 4

5 A velocidade média m da reação é a relação entre a quantidade consumida ou produzida e o intervalo de tempo gasto para que isso ocorra. m n v m ; v m t t [ ] v m ; v m t t Prof. Msc. João Neto 5

6 A + B X Tempo (min) 0 [A] mol/l 1 [B] mol/l [X] mol/l ,6 0,4 0,3 0,3 0,3 1, 0,8 0,6 0,6 0,6 0,4 0,6 0,7 0,7 0,7 Prof. Msc. João Neto 6

7 A + B X Tempo (min) [A] mol/l [B] mol/l [X] mol/l ,6 1, 0,4 m m m [ A] t m 0,08 mol. L 0 5 0,6 1,0 5 0 m 0 5 [ A] t 1. min 1 final final [ A] t inicial inicial mol 0,08 L min Prof. Msc. João Neto 7

8 A + B X Tempo (min) [A] mol/l [B] mol/l [X] mol/l ,6 1, 0,4 m m m [ B] t,0 5 1, 0 m 0,16 mol. L 0 5 m min [ B] t mol 0,16 L min 1 final final [ B] t inicial inicial Prof. Msc. João Neto 8

9 A + B X Tempo (min) [A] mol/l [B] mol/l [X] mol/l ,6 1, 0,4 m m m [ X] t 0, m 0,08 mol. L 0 5 m min [ X] t 1 final final [ X] t inicial mol 0,08 L min inicial Prof. Msc. João Neto 9

10 A + B X 0 a 5 minutos A m -0,08 mol.l -1.min -1 Sinal negativo indica que a substância está sendo consumida. O correto é trabalhar com a velocidade em módulo no reagente. B m -0,16 mol.l -1.min -1 X m 0,08 mol.l -1.min -1 Prof. Msc. João Neto 10

11 Qual a velocidade da reação A + B X? Prof. Msc. João Neto 11

12 Prof. Msc. João Neto Prof. Msc. João Neto 1 1 t ] [ t 3 ] [ t 1 ] [ v 3 m Reação NH H N A + B A + B X N + 3H + 3H NH NH 3 t 1 ] [ t ] [ t 1 ] [ v Reação m X B A

13 Gráfico de elocidade: Os reagentes são consumidos durante a reação e a sua quantidade diminui com a variação do tempo, enquanto os produtos são formados e suas quantidades aumentam tempo. com o Prof. Msc. João Neto 13

14 A + B X 1,6 1, 0,8 1 1, 0,6 0,8 0,6 0,7 0,7 0,7 0,6 0,6 0,6 [A] [B] [C] 0,4 0,4 0,4 0,3 0,3 0, Prof. Msc. João Neto 14

15 elocidade instantânea Prof. Msc. João Neto 15

16 Trace uma tangente à curva pelo ponto P. Prof. Msc. João Neto 16

17 Escolha sobre a tangente dois pontos A e B. No triângulo retângulo ABC, a tangente trigonométrica do ângulo α é dada por: Prof. Msc. João Neto 17

18 Prof. Msc. João Neto 18

19 Exercícios cios Prof. Msc. João Neto 19

20 Exercícios cios 1-Em apenas 5 milésimos de segundo, o gás nitrogênio é capaz de encher um airbag de 70 litros. Esse gás é produzido pela decomposição de um sal extremamente venenoso se ingerido chamado azoteto de sódio: NaN 3 Na +3N (Dados: volume molar do N, nas condições internas do air-bag: 5 L/mol; massa molar do NaN 3 : 65 g/mol) Prof. Msc. João Neto 0

21 NaN 3 Na +3N a)calcule a velocidade média dessa reação, em litros de N, por segundo. 70 L de N s v s v 800 L de N Prof. Msc. João Neto 1

22 NaN 3 Na +3N b)calcule a velocidade média dessa reação, em mol de Na por minuto. Na N mol x5l x l x74,66 mol 74,66 mol de Na s y s (1 min) y4479,6 mol de Na/min Prof. Msc. João Neto

23 NaN 3 Na +3N c)calcule a velocidade média dessa reação, em gramas de NaN 3 por hora. NaN N mol de NaN mol de N x65g x5l z l z 4853,33 g de NaN ,33 g de NaN s w s (1h) w g de NaN 3 /h Prof. Msc. João Neto 3

24 -(UFPE) Uma boca de fogão a gás queima 5 L de butano (C 4 H 10 ) por hora. Qual a velocidade da produção de gás carbônico nessa reação em L/hora, nas mesmas condições de temperatura e pressão? C 4 H / O 4CO + 5H O 1 mol mol 1 L L 5 L x x 0 L Lei de Gay- Lussac Prof. Msc. João Neto 4

25 3-(unesp) A decomposição de N O 5 em fase gasosa para formar NO e O está ocorrendo com o consumo de 3 mol de N O 5 por minuto. A velocidade de produção de NO na reação é: a)3 mol/minuto b)4 mol/minuto c)6 mol/minuto d)9 mol/minuto e)1 mol/minuto N O 5 4NO + 1O mol mol 3 mol x x6 mol X6 mol/min Prof. Msc. João Neto 5

26 4-(Fuvest-SP) O seguinte gráfico refere-se ao estudo cinético de uma reação química: a) lenta. b) explosiva. c) reversível. d) endotérmica. e) de oxidorredução. Como ocorre aumento muito grande da velocidade no mesmo instante, isso mostra que a reação tem velocidade muito alta. Alternativa b Prof. Msc. João Neto 6

27 5-(Fuvest-SP) O gráfico mostrado a seguir foi construído com dados obtidos no estudo da decomposição de iodeto de hidrogênio, à temperatura constante. Em qual dos quatros trechos assinalados na curva, a reação ocorre com maior velocidade média? Prof. Msc. João Neto 7

28 Observando os intervalos de tempo e quantidade de Hl consumido no gráfico seguinte: percebemos que a quantidade de Hl é praticamente constante e t I < t II < t III < t I v v I Quantidade tempo v > v Q t > v II III > v I Prof. Msc. João Neto 8

29 6-(Unicamp-SP) Numa reação que ocorre em solução (reação I), há o desprendimento de oxigênio, e a sua velocidade pode ser medida pelo volume de O (g) (desprendido). Uma outra reação (reação II) ocorre nas mesmas condições, porém consumindo O (g), e esse consumo mede a velocidade dessa reação. O gráfico representa os resultados referentes às duas reações: Considerando as duas horas iniciais, qual das reações tem velocidade maior? Justifique a resposta. Prof. Msc. João Neto 9

30 Prof. Msc. João Neto Prof. Msc. João Neto II I II II I I I I m m m m m m inicial final inicial final m m hora arbitrárias unidades hora arbitrárias unidades t t t ] [ ] [

31 7-(UFPI) O dióxido de nitrogênio NO é um gás tóxico, pois sua inalação provoca irritação nas vias respiratórias. Analise os resultados expressos no gráfico a seguir e a reação de sua obtenção a partir do pentóxido de nitrogênio N O 5 na temperatura de 308 K. e, em seguida, marque a alternativa correta. N O 5 4NO + O Prof. Msc. João Neto 31

32 N O 5 4NO + O a)nos momentos iniciais, a velocidade de formação do NO é maior que a do O ; b)a velocidade de formação do NO é duas vezes a velocidade de formação do O ; c)a velocidade de decomposição do N O 5 é a metade da velocidade de formação do O ; d)no tempo de 4x10 3 s, a velocidade de decomposição do N O 5 é maior que a de formação do NO ; e)no tempo de zero a x10 3 s, a velocidade de formação do O é maior que a formação do NO Prof. Msc. João Neto 3

33 N O 5 4NO + O Nos primeiros 4x10 3 s, por exemplo, há maior produção de NO ou seja:,x10-3 mol de NO /L, enquanto apenas 0,5x10-3 mol de O /L foi formado. Alternativa a a)nos momentos iniciais, a velocidade de formação do NO é maior que a do O ; b)a velocidade de formação do NO é duas vezes a velocidade de formação do O ; c)a velocidade de decomposição do N O 5 é a metade da velocidade de formação do O ; d)no tempo de 4x10 3 s, a velocidade de decomposição do N O 5 é maior que a de formação do NO ; e)no tempo de zero a x10 3 s, a velocidade de formação do O é maior que a formação do NO Prof. Msc. João Neto 33

34 8-(UFSC, adaptada) A água oxigenada (H O ) decompõe-se, produzindo água e gás oxigênio, de acordo com a equação: H O H O + O. Os gráficos a seguir foram construídos com base em dados obtidos num determinado experimento em que a concentração inicial de H O era de 0,8 mol.l -1. Assinale a(s) afirmação(ões) correta(s). Prof. Msc. João Neto 34

35 Julgue cada proposição, justificando-a: a)no intervalo II, a velocidade média da reação é menor que no intervalo III, mas é maior que no intervalo I. Prof. Msc. João Neto 35

36 a)no intervalo II, a velocidade média da reação é menor que no intervalo III, mas é maior que no intervalo I. Prof. Msc. João Neto 36

37 b)a velocidade da reação atinge seu valor máximo ao final da reação. Prof. Msc. João Neto 37

38 b)a velocidade da reação atinge seu valor máximo ao final da reação. Prof. Msc. João Neto 38

39 b)a velocidade da reação atinge seu valor máximo ao final da reação. Incorreta. A prática mostra que a velocidade de uma reação diminui com o passar do tempo. Prof. Msc. João Neto 39

40 c)a velocidade da reação diminui com a diminuição da concentração de água oxigenada. Prof. Msc. João Neto 40

41 c)a velocidade da reação diminui com a diminuição da concentração de água oxigenada. Prof. Msc. João Neto 41

42 d)quando tiver sido consumido 0,5 mol/l da concentração inicial de H O, o tempo da reação será de 0 minutos, e a quantidade de oxigênio formada será de 0,5 mol. Prof. Msc. João Neto 4

43 d)quando tiver sido consumido 0,5 mol/l da concentração inicial de H O, o tempo da reação será de 0 minutos, e a quantidade de oxigênio formada será de 0,5 mol. Correta Observe o gráfico! Prof. Msc. João Neto 43

44 e)no intervalo de 0-30 minutos, a velocidade média da decomposição da água oxigenada, vm HO é 3,0x10 - mol.l -1.min -1. Prof. Msc. João Neto 44

45 e)no intervalo de 0-30 minutos, a velocidade média da decomposição da água oxigenada é 3,0x10 - mol.l -1.min -1. Incorreta veja o cálculo! c m0 30 m0 30 m0 30 [ HO t 0, 0, ] 0,0 mol. L 1 m0 30 m0 30.min 1 [ H Prof. Msc. João Neto 45 O ] t final final mol 0,0 L min [ H t O inicial ] inicial

46 f)o oxigênio tem velocidade média de formação que vale,0x10 - mol.l -1.min -1 no intervalo 0-30 minutos. Prof. Msc. João Neto 46

47 f)o oxigênio tem velocidade média de formação que vale,0x10 - mol.l -1.min -1 no intervalo 0-30 minutos. Incorreta veja o cálculo! c m0 30 m0 30 m0 30 [ O t ] 0,3 0, ,01mol. L m m0 30.min 1 [ O Prof. Msc. João Neto 47 ] t final final [ O t mol 0,01 L min ] inicial inicial

48 g) A velocidade média da reação, após 10 min, é: m L 1 mho mho mo 1 1 m 1,5 10 mol..min Prof. Msc. João Neto 48

49 mho mho m O 0,5 0, ,3 0, ,15 0, ,03 mol. L 0,03 mol. L 1 0,015 mol. L 1.min 1.min 1.min 1 1 Prof. Msc. João Neto 49

50 Prof. Msc. João Neto Prof. Msc. João Neto min. 10 1,5 1 0,015 0,03 0,03 1.min. 0, ,0 0,15.min. 0, ,0 0,3.min. 0, ,8 0,5 L mol L mol L mol L mol R R R m O O m H O m H m m mo O mh O mh m

51 9-(UFPB) Na reação de decomposição do clorato de potássio, a seguir, verifica-se a formação de,4 litros de O em 40 segundos, medidos nas CNTP KClO 3 KCl + 3O Calcule a velocidade média de produção de O, expressa em: a)litro.segundo -1 (L/s) Prof. Msc. João Neto 51

52 9-(UFPB) Na reação de decomposição do clorato de potássio, a seguir, verifica-se a formação de,4 litros de O em 40 segundos, medidos nas CNTP KClO 3 KCl + 3O Calcule a velocidade média de produção de O, expressa em: a)litro.segundo -1 (L/s),4L O s x s x0,056 L 0,056 L.s -1 Prof. Msc. João Neto 5

53 9-(UFPB) Na reação de decomposição do clorato de potássio, a seguir, verifica-se a formação de,4 litros de O em 40 segundos, medidos nas CNTP KClO 3 KCl + 3O Calcule a velocidade média de produção de O, expressa em: b)grama.segundo -1 (g/s) Prof. Msc. João Neto 53

54 9-(UFPB) Na reação de decomposição do clorato de potássio, a seguir, verifica-se a formação de,4 litros de O em 40 segundos, medidos nas CNTP KClO 3 KCl + 3O Calcule a velocidade média de produção de O, expressa em: b)grama.segundo -1 (g/s) 1mol O 3g 3g O ,4 L x ,056 L x0,08 g 0,08 g.s -1 Prof. Msc. João Neto 54

55 10-(UERJ) A água oxigenada é empregada, freqüentemente, como agente microbicida de ação oxidante local. A liberação do oxigênio, que ocorre durante a sua decomposição, é acelerada por uma enzima presente no sangue. Na limpeza de um ferimento, esse microbicida liberou, ao se decompor, 1,6 g de oxigênio por segundo. Nessas condições, a velocidade de decomposição da água oxigenada, em mol/min, é igual a: a) 6,0 c) 3,4 b) 5,4 d) 1.7 Prof. Msc. João Neto 55

56 H O H O + O mol mol mol g x ,6g x0,1 mol de H O y6 mol 0,1 mol H O s 6 mol/min ou 6 mol.min -1 Letra A y s (1min) Prof. Msc. João Neto 56

57 11-(UFPR) No gráfico a seguir, estão representadas as concentrações, ao longo do tempo, de quatro substâncias A, B, C e D que participam de uma reação hipotética. Prof. Msc. João Neto 57

58 A partir dessas informações, julgue ( ou F) as afirmações a seguir: ( ) As substâncias A e B são reagentes da reação. ( )A velocidade de produção de C é menor que a velocidade de produção de A. ( )Transcorridos 50 s do início da reação, a concentração de C é maior que a concentração de B. Prof. Msc. João Neto 58

59 ( ) Nenhum produto se encontra presente no início da reação. ( ) A mistura das substâncias A e D resulta na produção de B. ( ) As substâncias A, B e D estão presentes no início da reação. Prof. Msc. João Neto 59

60 A partir dessas informações, julgue ( ou F) as afirmações a seguir: (F) As substâncias A e B são reagentes da reação. B e D tem suas concentrações diminuídas das com o tempo. São essas substâncias, portanto, os reagentes Prof. Msc. João Neto 60

61 ()A velocidade de produção de C é menor que a velocidade de produção de A. Enquanto ha produção de quase x10-3 molar de A, apenas 1x10-3 molar de C formado nos 50 segundos decorridos. Prof. Msc. João Neto 61

62 ()Transcorridos 50 s do início da reação, a concentração de C é maior que a concentração de B. Prof. Msc. João Neto 6

63 (F) Nenhum produto se encontra presente no início da reação. Prof. Msc. João Neto 63

64 (F) A mistura das substâncias A e D resulta na produção de B. A mistura das substâncias B e D resultam na produção de C e A. Prof. Msc. João Neto 64

65 () As substâncias A, B e D estão presentes no início da reação. Prof. Msc. João Neto 65

66 1-(UEPE) O gráfico a seguir representa variação de concentração das espécies A, B e C com o tempo. Qual das alternativas a seguir contém a equação química que melhor descreve a reação representada pelo gráfico? Prof. Msc. João Neto 66

67 Pelo gráfico, percebe-se que B e C são reagentes suas concentrações diminuem com o tempo, enquanto A é produto (sua concentração aumenta com o tempo). Portanto: bb + cc aa 0,5mol B + 1,0mol C 0,5mol A Prof. Msc. João Neto 67 1B + C 1A

Com base nessas informações e nos conhecimentos sobre cinética química, pode-se afirmar:

Com base nessas informações e nos conhecimentos sobre cinética química, pode-se afirmar: LISTA DE EXERCÍCIOS CINÉTICA QUÍMICA 1) O NO 2 proveniente dos escapamentos dos veículos automotores é também responsável pela destruição da camada de ozônio. As reações que podem ocorrer no ar poluído

Leia mais

MARATONA PISM III 2016 PROFESSOR: ALEXANDRE FIDELIS BLACK LICENCIADO E BACHAREL EM QUÍMICA -UFJF

MARATONA PISM III 2016 PROFESSOR: ALEXANDRE FIDELIS BLACK LICENCIADO E BACHAREL EM QUÍMICA -UFJF MARATONA PISM III 2016 PROFESSOR: ALEXANDRE FIDELIS BLACK LICENCIADO E BACHAREL EM QUÍMICA -UFJF Parte da química que estuda a rapidez das reações Este estudo é importante para o nosso dia-a-dia, pois

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Equilíbrio Químico EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (PUC-RS) Dada a expressão da constante de equilíbrio em termos de concentração de produtos e reagentes a equação química que pode ser representada por essa

Leia mais

Δt = 8. Cinética Química

Δt = 8. Cinética Química Cinética Química Velocidade das Reações A velocidade média de consumo de um reagente ou de formação de um produto é calculada em função da variação da quantidade de reagentes e produtos pela variação do

Leia mais

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO 1- Um aluno de química, ao investigar as propriedades de gases, colocou uma garrafa plástica (PET), contendo ar e devidamente fechada, em um freezer e observou

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA. Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso: PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1

PROVA DE QUÍMICA. Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso:  PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1 PROVA DE QUÍMICA Adaptada da Tabela Periódica da IUPAC/versão 2007 Acesso: http://wwwiupacorg/reports/periodic_table/ 18 PROVA DE QUÍMICA - Caderno 1 QUESTÃO 25 1 Na extração do ouro, os garimpeiros costumam

Leia mais

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 14 CINÉTICA QUÍMICA: LEI DA VELOCIDADE

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 14 CINÉTICA QUÍMICA: LEI DA VELOCIDADE QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 14 CINÉTICA QUÍMICA: LEI DA VELOCIDADE V V [ A ] [ B ] Como pode cair no enem Considerem-se a reação A + B C e as informações contidas no quadro abaixo: Experimentos [A] (mol/l)

Leia mais

FUP - Faculdade UnB Planaltina Disciplina: Energia e Dinâmica das Transformações Químicas Professor: Alex Fabiano C. Campos

FUP - Faculdade UnB Planaltina Disciplina: Energia e Dinâmica das Transformações Químicas Professor: Alex Fabiano C. Campos FUP - Faculdade UnB Planaltina Disciplina: Energia e Dinâmica das Transformações Químicas Professor: Alex Fabiano C. Campos 1. Conceitue colisão efetiva, colisão não-efetiva, energia de ativação e complexo

Leia mais

1. (Fuvest modificado) Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química:

1. (Fuvest modificado) Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química: Química Avaliação Mensal 3 os anos Décio e Vivian mar/12 Nome: Nº: Turma: GABARITO PROVA MENSAL 1º BIMESTRE 1. (Fuvest 2012 - modificado) Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação

Leia mais

CINÉTICA QUÍMICA. Obs.: a variação da quantidade deverá ser sempre um valor positivo, então ela deverá ser em módulo. 1.

CINÉTICA QUÍMICA. Obs.: a variação da quantidade deverá ser sempre um valor positivo, então ela deverá ser em módulo. 1. CINÉTICA QUÍMICA 1. Introdução O Conhecimento e o estudo da velocidade das reações, além de ser muito importante em termos industriais, também está relacionado ao nosso dia-adia, verificamos que há algumas

Leia mais

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS Os cálculos estequiométricos correspondem aos cálculos de massa, de quantidade de matéria e em alguns casos, de volumes das substâncias envolvidas

Leia mais

Equilíbrio Químico. É uma reação reversível na qual a velocidade da reação direta é igual à velocidade da reação inversa.

Equilíbrio Químico. É uma reação reversível na qual a velocidade da reação direta é igual à velocidade da reação inversa. Equilíbrio Químico É uma reação reversível na qual a velocidade da reação direta é igual à velocidade da reação inversa. CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES Uma reação química diz-se completa quando leva ao esgotamento

Leia mais

2 NH 3 (g) + CO 2 (g)

2 NH 3 (g) + CO 2 (g) PROCESSO SELETIVO 2007 1 O DIA GABARITO 4 7 QUÍMICA QUESTÕES DE 16 A 30 16. O equilíbrio de ionização da água pura é dado pela equação abaixo, cuja constante do produto iônico é 2,5x10-14, a 37 o C. H

Leia mais

Exercícios de Equilíbrio Químico

Exercícios de Equilíbrio Químico Exercícios de Equilíbrio Químico 1. Para a produção de energia, os mamíferos oxidam compostos de carbono nos tecidos, produzindo dióxido de carbono gasoso, CO (g), como principal subproduto. O principal

Leia mais

Concentração dos reagentes Quanto maior a concentração dos reagentes, maior a velocidade da reação.

Concentração dos reagentes Quanto maior a concentração dos reagentes, maior a velocidade da reação. Setor 3306 Aula 20 Lei da velocidade das reações Complemento. As reações químicas podem ocorrer nas mais diferentes velocidades. Existem reações tão lentas que levam milhares de anos para ocorrer, como

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE

ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE F.Q. A 2º ANO EQUILÍBRIO QUÍMICO 1. Para ocorrer uma situação de equilíbrio num sistema são necessárias, pelo menos, duas das condições seguintes: A Todos os reagentes se

Leia mais

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA.

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. QUESTÕES LISTA DE EXERCÍCIOS Cinética Química. 1) A tabela abaixo mostra a variação da massa de peróxido de hidrogênio que ocorre na reação de decomposição

Leia mais

Cinética Química. Cinética Química: Velocidade média, instantânea e inicial. Lei cinética. Fatores que influenciam a velocidade.

Cinética Química. Cinética Química: Velocidade média, instantânea e inicial. Lei cinética. Fatores que influenciam a velocidade. Cinética Química IV Cinética Química: Velocidade média, instantânea e inicial. Lei cinética. Fatores que influenciam a velocidade. Mecanismos reacionais. Catálise. Cinética Química Cinética Química é a

Leia mais

ocorridas na concentração dos participantes das reações em função do tempo:

ocorridas na concentração dos participantes das reações em função do tempo: CINÉTICA QUÍMICA Fala Gás Nobre! Preparado para reagir? Então vamos para mais um resumo de química! Você já parou pra pensar, que a velocidade com que as reações químicas acontecem, podem estar relacionadas

Leia mais

Cinética Química. Prof. Alex Fabiano C. Campos

Cinética Química. Prof. Alex Fabiano C. Campos Cinética Química Prof. Alex Fabiano C. Campos Rapidez Média das Reações A cinética é o estudo da rapidez com a qual as reações químicas ocorrem. A rapidez de uma reação pode ser determinada pela variação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E.E. ARACY EUDOCIAK

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO E.E. ARACY EUDOCIAK Conteúdo 14 Cinética Química CINÉTICA QUÍMICA É à parte da química que estuda a maior ou menor rapidez com que uma reação química ocorre e os fatores que a influenciam. Este estudo é importante para o

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 Fixação 1) (UNESP) O volume de uma massa fixa de gás ideal, a pressão constante, é diretamente proporcional à: a) concentração do gás.

Leia mais

RESUMO. Quanto maior for a frequência de colisões eficazes, maior será a velocidade da reação.

RESUMO. Quanto maior for a frequência de colisões eficazes, maior será a velocidade da reação. Química Frente IV Físico-química Prof. Vitor Terra Lista 07 Cinética Química Velocidade de uma Reação RESUMO Velocidade média de uma reação v m,x = ΔQ X Δt = Q X,f Q X,i Δt Q X é a quantidade da substância

Leia mais

1 Calcule a velocidade média de desaparecimento de A (bolinhas vermelhas) durante o intervalo de tempo de 20 a 40 s. Reação: A B

1 Calcule a velocidade média de desaparecimento de A (bolinhas vermelhas) durante o intervalo de tempo de 20 a 40 s. Reação: A B Físico-Química Prof. José Ginaldo Silva Jr. Lista de Exercícios de Cinética Química 1 Calcule a velocidade média de desaparecimento de A (bolinhas vermelhas) durante o intervalo de tempo de 20 a 40 s.

Leia mais

Colégio João Paulo I. Questões complementares de Cinética Química. Prof. Cristiano Rupp

Colégio João Paulo I. Questões complementares de Cinética Química. Prof. Cristiano Rupp Colégio João Paulo I Questões complementares de Cinética Química Prof. Cristiano Rupp 1- A quimotripsina é uma enzima que catalisa a clivagem heterolítica das ligações peptídicas, processo que faz parte

Leia mais

Química. Professor Duda 27/03/2013. Aluno (a): e) Nos três experimentos após o término da reação, foi obtida a mesma quantidade de amônia.

Química. Professor Duda 27/03/2013. Aluno (a): e) Nos três experimentos após o término da reação, foi obtida a mesma quantidade de amônia. Química Professor Duda 06 Aluno (a): 27/03/2013 01 - (UEG GO) Durante a manifestação das reações químicas, ocorrem variações de energia. A quantidade de energia envolvida está associada às características

Leia mais

Cinética Química. c) A opção (C) está correta. B 3+ e B 4+ não aparecem na reação global, portanto, são intermediários da reação.

Cinética Química. c) A opção (C) está correta. B 3+ e B 4+ não aparecem na reação global, portanto, são intermediários da reação. Capítulo 6 Cinética Química 1. (ITA) Considere o seguinte mecanismo de reação genérica: A 4+ + B 2+ A 3+ + B 3+ (etapa lenta) A 4+ + B 3+ A 3+ + B 4+ (etapa rápida) C + + B 4+ C 3+ + B 2+ (etapa rápida)

Leia mais

COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR

COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR ASSESSORIA TÉCNICA Processo Avaliativo Recuperação - 3º Bimestre/2015 Disciplina: QUÍMICA 3ª série EM A/B Nome do aluno Nº Turma A Recuperação deve ser entregue no dia 08/09/2015.

Leia mais

Profº Thiago (Tchê) Indique a alternativa que melhor representa as reações catalisada e não catalisada.

Profº Thiago (Tchê) Indique a alternativa que melhor representa as reações catalisada e não catalisada. QUÍMICA Profº Thiago (Tchê) EXERCÍCIOS CINÉTICA QUÍMICA 01. (UNESP-08) Os catalisadores desempenham importante papel em vários processos químicos. Uma reação genérica entre os reagentes A e B pode ocorrer

Leia mais

Aluno(a): COMENTADA. Série: 2 a Ensino Médio Turma: A / B / C / D / E Data: 17/08/2016

Aluno(a): COMENTADA. Série: 2 a Ensino Médio Turma: A / B / C / D / E Data: 17/08/2016 QUÍMICA AVALIAÇÃO CLAUDI / SARA III UNIDADE Aluno(a): COMENTADA Série: 2 a Ensino Médio Turma: A / B / C / D / E Data: 17/08/2016 1. A prova é composta de 07 questões abertas e 03 questões objetivas. 2.

Leia mais

Aula 14 Cinética Química

Aula 14 Cinética Química Aula 14 Cinética Química Cinética química é a parte da físico-química que estuda a velocidade (rapidez) de uma reação química, bem como quais fatores que a influenciam. No nosso dia-a-dia em vários momentos

Leia mais

Copyright McGraw-Interamericana de España. Autorização necessária para reprodução ou utilização. Cinética Química

Copyright McGraw-Interamericana de España. Autorização necessária para reprodução ou utilização. Cinética Química Capítulo 3 Cinética Química Velocidade de Uma Reacção Lei de Velocidades Relação Entre a Concentração de Reagente e o Tempo Energia de Activação e Dependência das Constantes de Velocidade com a Temperatura

Leia mais

Cinética Química. Velocidade média em função das substâncias

Cinética Química. Velocidade média em função das substâncias Cinética Química A Cinética Química estuda a velocidade das reações e os fatores que a influenciam, estuda ainda a possibilidade de controlar essa velocidade, tornando as reações mais rápidas ou mais lentas,

Leia mais

Alfa Química Série 16 Cinética química

Alfa Química Série 16 Cinética química 01 Pelo gráfico, o volume de O 2 liberado na reação 2 H 2 O 2 2 H 2 O + O 2 aumenta com o decorrer do tempo; portanto, a quantidade de H 2 O 2 decomposta por minuto diminui com o decorrer do tempo. Resposta:

Leia mais

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v QUÍMICA 1ª QUESTÃO Umas das reações possíveis para obtenção do anidrido sulfúrico é a oxidação do anidrido sulfuroso por um agente oxidante forte em meio aquoso ácido, como segue a reação. Anidrido sulfuroso

Leia mais

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação:

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação: 3ª Série / Vestibular 01. I _ 2SO 2(g) + O 2(g) 2SO 3(g) II _ SO 3(g) + H 2O(l) H 2SO 4(ag) As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar

Leia mais

Deve-se esperar uma redução na velocidade de rotação do hidrômetro em dias frios.

Deve-se esperar uma redução na velocidade de rotação do hidrômetro em dias frios. 01. Considere que dez litros de cada um dos seguintes gases estão nas mesmas condições de pressão e temperatura: PH 3, C 2 H 6 O, H 2, NH 3, Ne, Cl 2 e SO 2. A alternativa que apresenta corretamente os

Leia mais

PAG Química Cinética 1.

PAG Química Cinética 1. 1. 2. 3. errata: a reação é em mais de uma etapa, os gráficos devem apresentar pelo menos duas!! 4. 5. Explique se cada uma das alternativas abaixo é correta ou não, para reações químicas que ocorrem

Leia mais

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues Equilíbrio Químico Todas as reações tendem alcançar o equilíbrio químico Quando as velocidades das reações directa e inversa forem

Leia mais

CIAS LIO TÂNC CIAN. Prof. Msc João Neto 2

CIAS LIO TÂNC CIAN. Prof. Msc João Neto 2 Prof. Msc João Neto 2 DIFERENC CIAN DO SUBS TÂNC CIAS DE MISTURA AS COM AUXÍL LIO DAS CURVAS DE AQ QUEC CIME ENTO Prof. Msc João Neto 3 1 L 0,4 mol 0,1L x x 0, 04mol 0,0404 mol 100mL solução / L 900mL

Leia mais

CINÉTICA QUÍMICA INTRODUÇÃO

CINÉTICA QUÍMICA INTRODUÇÃO CINÉTICA QUÍMICA INTRODUÇÃO EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (EFEI-MG) Para a reação 4 NH 3(g) + 3 O 2(g) 2 N 2(g) + 6 H 2O(g), foi observado que num determinado instante, produzia-se nitrogênio a uma velocidade

Leia mais

Atividade complementar. Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos

Atividade complementar. Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos Atividade complementar Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos Esta atividade tem como objetivo complementar e aprofundar os estudos sobre as transformações químicas,

Leia mais

CINÉTICA QUÍMICA TUTOR: LUIZ EDUARDO NOCHI DISCIPLINA: QUÍMICA (FÍSICO QUÍMICA) CURSO ALCANCE (TURMA A E B ) DATA: 17/09/2016

CINÉTICA QUÍMICA TUTOR: LUIZ EDUARDO NOCHI DISCIPLINA: QUÍMICA (FÍSICO QUÍMICA) CURSO ALCANCE (TURMA A E B ) DATA: 17/09/2016 CINÉTICA QUÍMICA TUTOR: LUIZ EDUARDO NOCHI DISCIPLINA: QUÍMICA (FÍSICO QUÍMICA) CURSO ALCANCE (TURMA A E B ) DATA: 17/09/2016 O QUE É CINÉTICA QUÍMICA? É a área da química que estuda a velocidade das reações

Leia mais

Cinética Química. Profa. Graça Porto

Cinética Química. Profa. Graça Porto Cinética Química. Ao realizar a reação de formação da água a partir dos gases hidrogênio (H 2 ) e oxigênio (O 2 ) verificou-se que a velocidade de consumo de oxigênio foi de 4 mol/min. Determine a velocidade

Leia mais

NOME: ANO: 2º ENSINO: MÉDIO TURMA: DATA: / / PROF(ª).: Luciano Raposo Freitas EXERCÍCIOS TERMOQUÍMICA QUÍMICA II (2º BIM)

NOME: ANO: 2º ENSINO: MÉDIO TURMA: DATA: / / PROF(ª).: Luciano Raposo Freitas EXERCÍCIOS TERMOQUÍMICA QUÍMICA II (2º BIM) NOME: ANO: 2º ENSINO: MÉDIO TURMA: DATA: / / PROF(ª).: Luciano Raposo Freitas EXERCÍCIOS TERMOQUÍMICA QUÍMICA II (2º BIM) 1. Nos motores de explosão existentes hoje em dia utiliza-se uma mistura de gasolina

Leia mais

Físico-Química Experimental Exp. 10. Cinética Química

Físico-Química Experimental Exp. 10. Cinética Química Cinética Química 1. Introdução Cinética química é o estudo da progressão das reações químicas, o que determina suas velocidades e como controlá-las. Ao estudar a termodinâmica de uma reação, leva-se em

Leia mais

Exercícios sobre Equilíbrio químico

Exercícios sobre Equilíbrio químico Exercícios sobre Equilíbrio químico 01 - (Ueg GO) Baseado na charge e em seus conhecimentos sobre Química, responda ao que se pede. a) Caso o cientista tivesse misturado quantidades adequadas de ácido

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA EQUAÇÃO DA VELOCIDADE DA REAÇÃO. Influência da Concentração dos Reagentes na Velocidade da Reação. Sabemos que:

DETERMINAÇÃO DA EQUAÇÃO DA VELOCIDADE DA REAÇÃO. Influência da Concentração dos Reagentes na Velocidade da Reação. Sabemos que: Química 3 ano Décio fev/08 2 DETERMINAÇÃO DA EQUAÇÃO DA VELOCIDADE DA REAÇÃO Influência da Concentração dos Reagentes na Velocidade da Reação Sabemos que: Quanto maior o número de choques entre as partículas

Leia mais

NOX EXERCÍCIOS QUÍMICA PROF- LEONARDO. 01)Quais são os números de oxidação do iodo nas substâncias l 2, Nal, NalO 4 e Al I 3?

NOX EXERCÍCIOS QUÍMICA PROF- LEONARDO. 01)Quais são os números de oxidação do iodo nas substâncias l 2, Nal, NalO 4 e Al I 3? NOX EXERCÍCIOS QUÍMICA PROF- LEONARDO 01)Quais são os números de oxidação do iodo nas substâncias l 2, Nal, NalO 4 e Al I 3? 02. O número de oxidação do manganês no permanganato de potássio (KMnO4) é:

Leia mais

Escola Estadual Antunes de Andrade CINÉTICA QUÍMICA

Escola Estadual Antunes de Andrade CINÉTICA QUÍMICA Escola Estadual Antunes de Andrade CINÉTICA QUÍMICA Sidrolândia, MS, 2013 Escola Estadual Sidrônio Antunes de Andrade Estudantes: Thaís Silva e Giovani N : 45 e 15 1 - CINÉTICA QUÍMICA Existe um ramo na

Leia mais

Vm A = [A] t. Vm B = [B] t. Vm C = [C] t. Vm = Vm A = Vm B = Vm C a b c. 1

Vm A = [A] t. Vm B = [B] t. Vm C = [C] t. Vm = Vm A = Vm B = Vm C a b c.  1 I. INTRODUÇÃO É à parte da química que estuda a maior ou menor rapidez com que uma reação química ocorre e os fatores que a influenciam. Este estudo é importante para o nosso dia-a-dia, pois explica alguns

Leia mais

Texto para as questões 31 e 32.

Texto para as questões 31 e 32. QUÍMICA Texto para as questões 31 e 32. Um sinal de que o bico do queimador do fogão está entupido é o aparecimento de chama amarela, quando o fogo é aceso. Nessa situação, ocorre a formação de carbono

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO P/ Avaliação 01/06

EXERCÍCIOS DE REVISÃO P/ Avaliação 01/06 Tema do Ano: Eu e o outro construindo um mundo mais solidário Projeto Interdisciplinar da 2 a Série do Ensino Médio: Segunda metade do século XX e início do século XXI: movimentos, conflitos e desenvolvimento.

Leia mais

QUESTÕES OBJETIVAS. a) b) +110 c) -55 d) -110 e) -676

QUESTÕES OBJETIVAS. a) b) +110 c) -55 d) -110 e) -676 QUESTÕES OBJETIVAS Questão 9: O óxido de cálcio, conhecido como cal virgem, é comumente utilizado na construção civil. Sobre essa substância é INCORRETO afirmar que: a) pode ser obtida pelo aquecimento

Leia mais

Fotossíntese das plantas, o sol fornece energia

Fotossíntese das plantas, o sol fornece energia Unidade 6 - Conteúdo 13 - Termoquímica As transformações físicas e as reações químicas quase sempre estão envolvidas em perda ou ganho de calor. O calor é uma das formas de energia mais comum que se conhece.

Leia mais

QUESTÃO 34 Podemos considerar que Dalton foi o primeiro cientista a formalizar, do ponto de vista quantitativo, a existência dos átomos Com base na ev

QUESTÃO 34 Podemos considerar que Dalton foi o primeiro cientista a formalizar, do ponto de vista quantitativo, a existência dos átomos Com base na ev QUÍMICA QUESTÃO 31 Polímeros são macromoléculas orgânicas construídas a partir de muitas unidades pequenas que se repetem, chamadas monômeros Assinale a alternativa que apresenta somente polímeros naturais

Leia mais

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO EQUILÍBRIO QUÍMICO CONSTANTE DE EQUILÍBRIO A maneira de descrever a posição de equilíbrio de uma reação química é dar as concentrações de equilíbrio dos reagentes e produtos. A expressão da constante de

Leia mais

CINÉTICA QUÍMICA. Profa. Loraine Jacobs DAQBI.

CINÉTICA QUÍMICA. Profa. Loraine Jacobs DAQBI. CINÉTICA QUÍMICA Profa. Loraine Jacobs DAQBI lorainejacobs@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/lorainejacobs Estudo da velocidade das reações químicas. REAGENTES PRODUTOS Cinética Tempo necessário

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 03/07/10

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 03/07/10 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 0/07/10 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 a,5 4 a,5 Total 10,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol -1 K -1 = 8,14

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO MOLECULAR

EQUILÍBRIO QUÍMICO MOLECULAR EQUILÍBRIO QUÍMICO MOLECULAR Profº Enéas Torricelli 1 Equilíbrio químico é uma reação reversível na qual a velocidade da reação direta é igual à da reação inversa e, conseqüentemente, as concentrações

Leia mais

CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO. Prof.: Andrey kleber Migliorini

CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO. Prof.: Andrey kleber Migliorini CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO Prof.: Andrey kleber Migliorini Introdução Estequiometria: Stoikheîon = elemento metron = medida É o estudo das relações quantitativas (átomos, moléculas, massa, volume) entre as

Leia mais

2005 by Pearson Education. Capítulo 03

2005 by Pearson Education. Capítulo 03 QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas David P. White Equações químicas Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. Equações

Leia mais

QUÍMICA. A Ciência Central 9ª Edição. Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas. Prof. Kleber Bergamaski.

QUÍMICA. A Ciência Central 9ª Edição. Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas. Prof. Kleber Bergamaski. QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas Prof. Kleber Bergamaski Equações químicas 1789, lei da conservação da massa A massa total de uma

Leia mais

Química. Atividade 1 Recuperação 1 os anos Décio ago/09. Nome: Nº: Turma:

Química. Atividade 1 Recuperação 1 os anos Décio ago/09. Nome: Nº: Turma: Química Atividade 1 Recuperação 1 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Objetivo O objetivo dessa ficha é revisar alguns dos conceitos importantes para a prova de recuperação do 1º semestre. As dúvidas

Leia mais

Cinética Química. Cinética Química...? É o estudo da velocidade das reações químicas e dos fatores que as influenciam.

Cinética Química. Cinética Química...? É o estudo da velocidade das reações químicas e dos fatores que as influenciam. Cinética Química...? Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciência e Tecnologia groalimentar Profª Roberlucia Candeia Disciplina: Química geral É o estudo da velocidade das reações químicas

Leia mais

ATIVIDADES SOBRE LEIS DE VELOCIDADE CINÉTICA

ATIVIDADES SOBRE LEIS DE VELOCIDADE CINÉTICA ATIVIDADES SOBRE LEIS DE VELOCIDADE CINÉTICA Camilo Andrea Angelucci META Compreender os conceitos relacionados as leis de velocidade e seus modelos matematicos. compreender as aplicações conjuntas dessas

Leia mais

(aq) + H 3 O + (aq) K 1 = 1,0 x (aq) + H 3 O + (aq) K 2 = 1,0 x 10-11

(aq) + H 3 O + (aq) K 1 = 1,0 x (aq) + H 3 O + (aq) K 2 = 1,0 x 10-11 Questão 1 O ácido carbônico é formado quando se borbulha o dióxido de carbono em água. Ele está presente em águas gaseificadas e refrigerantes. Em solução aquosa, ele pode sofrer duas dissociações conforme

Leia mais

QUÍMICA. a) linha horizontal. b) órbita. c) família. d) série. e) camada de valência.

QUÍMICA. a) linha horizontal. b) órbita. c) família. d) série. e) camada de valência. 13 QUÍMICA A posição dos elementos na Tabela Periódica permite prever as fórmulas das substâncias que contêm esses elementos e os tipos de ligação apropriados a essas substâncias. Na Tabela Periódica atual,

Leia mais

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3 QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3 Fixação 1) (PUC) No preparo de solução alvejante de tinturaria, 521,5g de hipoclorito de sódio são dissolvidos em água suficiente para 10,0 litros

Leia mais

Equilíbrio Químico Folha 2.1 Prof.: João Roberto Mazzei

Equilíbrio Químico Folha 2.1 Prof.: João Roberto Mazzei 01. A cisteína é um aminoácido que contém enxofre e é encontrada na feijoada, devido às proteínas da carne e derivados. A reação de conversão da cisteína em cistina ocorre de acordo com a seguinte equação

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional)

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional) Page 1 of 5 Olimpíada Brasileira de Química - 2001 Fase III (Etapa 1 nacional) Questão 1 (48 th Chemistry Olympiad - Final National Competition - 2001 - Estonia) Exame aplicado em 01.09.2001 Os compostos

Leia mais

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa.

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa. ALUNO(a): Nº: SÉRIE: ª TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /06 Obs.: Esta lista deve ser entregue apenas ao professor no dia da aula de Recuperação Valor: 5,0. Uma solução contendo 4 g de cloreto de sódio

Leia mais

Cinética Química. Mestrado integrado em Engenharia Biológica. Disciplina Química II, 2º semestre 2009/10. Professsora Ana Margarida Martins

Cinética Química. Mestrado integrado em Engenharia Biológica. Disciplina Química II, 2º semestre 2009/10. Professsora Ana Margarida Martins Cinética Química Mestrado integrado em Engenharia Biológica Disciplina Química II, 2º semestre 2009/10 Professsora Ana Margarida Martins Usamos atermodinâmica para saber se uma reacção é favorecida no

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03//05 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol - K - = 8,34 J

Leia mais

TERMOQUÍMICA- 3C13. As transformações físicas também são acompanhadas de calor, como ocorre na mudanda de estados físicos da matéria.

TERMOQUÍMICA- 3C13. As transformações físicas também são acompanhadas de calor, como ocorre na mudanda de estados físicos da matéria. TERMOQUÍMICA- 3C13 As transformações físicas e as reações químicas quase sempre estão envolvidas em perda ou ganho de calor. O calor é uma das formas de energia mais comum que se conhece. A Termoquimica

Leia mais

Atividade extra. Exercício 1 Adaptado de UFRRJ Quantidade de matéria (em mols) de HBr. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química

Atividade extra. Exercício 1 Adaptado de UFRRJ Quantidade de matéria (em mols) de HBr. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Química Atividade extra Exercício 1 Adaptado de UFRRJ 2006 Dada a tabela a seguir, em relação à reação 2 HBr H2 + Br2 : Tempo (min) Quantidade de matéria (em mols) de HBr 0 0,200 5 0,175 10 0,070 15 0,040 20 0,024

Leia mais

ENERGIA = ENTALPIA (H)

ENERGIA = ENTALPIA (H) Cinética Química ENERGIA = ENTALPIA (H) Reações Endotérmicas: absorvem calor do meio ambiente, onde a entalpia dos produtos é maior que a dos reagentes. Quando ocorre absorção de energia, a quantidade

Leia mais

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C.

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. H (g) + 1/2 O (g) ë H O(Ø) (ÐH) H (g) + 1/2 O (g) ë H O(s) (ÐH) A diferença entre os efeitos térmicos, (ÐH) - (ÐH), é igual a) a

Leia mais

QUÍMICA SÉRIE CASA AULA 1

QUÍMICA SÉRIE CASA AULA 1 QUÍMICA Prof. Daniel Pires SÉRIE CASA AULA. A decomposição do Cu(NO 3 ) 2(s) pode ser representada por: CuO (s) + 2NO 2(g) + 2 O 2(g) sabendo-se que em 2 min nota-se a perda de 8,75g de Cu(NO 3 ) 2. Pede-se:

Leia mais

Meu Deus, ajude me a passar na prova de Química. Amém. a) 0,9. b) 1,3. c) 2,8. d) 5,7. e) 15.

Meu Deus, ajude me a passar na prova de Química. Amém. a) 0,9. b) 1,3. c) 2,8. d) 5,7. e) 15. Meu Deus, ajude me a passar na prova de Química. Amém LISTA DE EXERCÍCIOS DE QUÍMICA - 2 ANO 01. A concentração de íons fluoreto em uma água de uso doméstico é de 5,0 10 5 mol/litro. Se uma pessoa tomar

Leia mais

P R O V A D E Q U Í M I C A I I

P R O V A D E Q U Í M I C A I I 20 P R V A D E Q U Í M I C A I I QUESTÃ 46 Na fabricação de pães, a glicose contida na massa se transforma em álcool etílico e gás carbônico com a ajuda da enzima zimase, de acordo com a seguinte reação,

Leia mais

Tabela de Constantes Constante de Avogadro N A = 6, mol 1 Volume molar a PTN V m (PTN) = 22,4 dm 3. Formulário

Tabela de Constantes Constante de Avogadro N A = 6, mol 1 Volume molar a PTN V m (PTN) = 22,4 dm 3. Formulário Ficha de Avaliação Sumativa Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos DISCIPLINA: Física e Química Módulo: Q3 2015/2016 10 ºAno de escolaridade Data: 15 de janeiro

Leia mais

TERMOQUÍMICA EXERCÍCIOS PARA TREINO

TERMOQUÍMICA EXERCÍCIOS PARA TREINO TERMOQUÍMICA EXERCÍCIOS PARA TREINO 1 - Considere a seguinte reação termoquímica: 2NO(g) + O 2 (g) 2NO 2 (g) H = -13,5 kcal / mol de NO e assinale a alternativa falsa. a) A reação é exotérmica. b) São

Leia mais

Termoquímica. Prof. Msc João Neto

Termoquímica. Prof. Msc João Neto Termoquímica Prof. Msc João Neto H 2 O 2 NH 4 ClO 4 Prof. Msc João Neto 2 TERMOQUÍMICA: é o ramo da Química que tem por objetivo o estudo da energia associada a uma reação química. Um dos maiores problemas

Leia mais

Caros (as) alunos (as), atenção! Datas para as entregas das atividades na coordenação:

Caros (as) alunos (as), atenção! Datas para as entregas das atividades na coordenação: 2ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO 2º BIMESTRE 2009 - NOTURNO Caros (as) alunos (as), atenção! Os exercícios abaixo dizem respeito aos conteúdos oferecidos ao longo dos primeiro e segundo bimestres, são exercícios

Leia mais

Química Fascículo 03 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 03 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 03 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Estequiometria...1 Exercícios...2 Gabarito...4 Estequiometria Balanço de massas e de quantidades

Leia mais

A) Se a massa molar do composto C é 76 g.mol 1, determine as fórmulas químicas para os compostos A, B, C, D e E.

A) Se a massa molar do composto C é 76 g.mol 1, determine as fórmulas químicas para os compostos A, B, C, D e E. VTB 2008 2ª ETAPA Solução Comentada da Prova de Química 01. Na análise de 5 (cinco) diferentes compostos (A, B, C, D e E) formados apenas por nitrogênio e oxigênio, observou-se que as relações de massas

Leia mais

Atividade de Autoavaliação Recuperação 2 os anos Rodrigo ago/09

Atividade de Autoavaliação Recuperação 2 os anos Rodrigo ago/09 Química Atividade de Autoavaliação Recuperação 2 os anos Rodrigo ago/09 Re Resolução 1. O carbeto de cálcio CaC 2 (s) (massa molar = 64 g mol 1 ), também conhecido como carbureto, pode ser obtido aquecendo-se

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Química

Olimpíada Brasileira de Química Olimpíada Brasileira de Química - 1996 Exame aplicado em 24.08.96 Problema 1 Em um cadinho foi colocada uma mistura de carbonato de sódio decahidratado e carbonato ácido de sódio. Após aquece-la na mufla

Leia mais

Capítulo by Pearson Education

Capítulo by Pearson Education QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Equilíbrio químico David P. White Conceito de equilíbrio Considere o N 2 O 4 congelado e incolor. À temperatura ambiente, ele se decompõe em NO 2 marrom: N 2 O 4 (g)

Leia mais

Revisão Específicas. Química Monitores: Luciana Lima e Rafael França 02-08/11/2015. Material de Apoio para Monitoria

Revisão Específicas. Química Monitores: Luciana Lima e Rafael França 02-08/11/2015. Material de Apoio para Monitoria Revisão Específicas 1. As conchas marinhas não se dissolvem apreciavelmente na água do mar, por serem compostas, na sua maioria, de carbonato de cálcio, um sal insolúvel cujo produto de solubilidade é

Leia mais

Faculdade de Educação, Ciências e Letras dos Inhamuns FECLIN Coordenação de Química Disciplina Química Geral II Professor: NOTA DE AULA

Faculdade de Educação, Ciências e Letras dos Inhamuns FECLIN Coordenação de Química Disciplina Química Geral II Professor: NOTA DE AULA Faculdade de Educação, Ciências e Letras dos Inhamuns FECLIN Coordenação de Química Disciplina Química Geral II Professor: NOTA DE AULA CINETICA QUÍMICA Velocidade média de uma reação Ex.1. Um balão contendo

Leia mais

(g) (92 g/mol). O sistema é aquecido até 27 C, ocorrendo a reação a seguir: 1 N 2. (g) F 2 NO 2. (g) é igual a 20%, calcule a pressão parcial de N 2

(g) (92 g/mol). O sistema é aquecido até 27 C, ocorrendo a reação a seguir: 1 N 2. (g) F 2 NO 2. (g) é igual a 20%, calcule a pressão parcial de N 2 Resolução das atividades complementares 3 Química Q34 Grau de equilíbrio a p. 10 1 (Faap-SP) Em um recipiente indeformável de 10 L são colocados 46 g de N (9 g/mol). O sistema é aquecido até 7, ocorrendo

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES QUÍMICAS

CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES QUÍMICAS CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES QUÍMICAS Devido à quantidade e variedade de reações químicas, é necessário fazer sua classificação sobre diferentes aspectos. As reações químicas podem ser classificadas segundo

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016 INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professora: Lúcia Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

Resolução UNIFESP 2015

Resolução UNIFESP 2015 Resolução UNIFESP 2015 1-Utilizando o aparato indicado na figura, certo volume de solução aquosa de sulfato de cobre(ii) hidratado foi colocado dentro do béquer. Quando o plugue foi conectado à tomada

Leia mais

Lista de exercícios 2 QB70D

Lista de exercícios 2 QB70D Lista de exercícios 2 QB70D 1) Suponha que você jogue uma bola de tênis para o alto. (a) A energia cinética da bola aumenta ou diminui à medida que ela ganha altitude? (b) O que acontece com a energia

Leia mais

Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade

Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade 1. (UERJ) O gráfico a seguir, que mostra a variação da solubilidade do dicromato de potássio na água em função da temperatura, foi apresentado

Leia mais

Equilíbrio Químico. Controlo da Produção Industrial de Amoníaco

Equilíbrio Químico. Controlo da Produção Industrial de Amoníaco Equilíbrio Químico Controlo da Produção Industrial de Amoníaco Reações completas Combustão do carvão C (s) + O 2 (g) CO 2 (g) Reações completas Reação do Ácido clorídrico com o Magnésio 2 HCl (aq) + Mg

Leia mais

12 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30

12 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30 12 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO 2005-2007 QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30 21. A hemoglobina das células vermelhas do sangue contém o complexo de ferro com uma porfirina. Sabendo que um indivíduo

Leia mais