Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação"

Transcrição

1 Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Fortaleza

2 SUMÁRIO I CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES E DO CURSO CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES Dados da Mantenedora Dados da Mantida Identidade Estratégica da IES Missão Princípios Institucionais Visão de Futuro Breve Histórico da Faculdade de Tecnologia do Nordeste CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO Dados Gerais Breve Histórico do Curso II ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DO CURSO CONCEPÇÃO DO CURSO Justificativa Social do Curso Objetivos do Curso Geral Específicos Perfil do Egresso do Curso Competências e Habilidades Profissionais ORGANIZAÇÃO E ESTRUTURA CURRICULAR Estrutura Curricular Objetivos do Curso - Conteúdos Curriculares O Perfil do Egresso e os Conteúdos Curriculares Distribuição das Disciplinas na Estrutura Curricular Ementário e Bibliografia Propostas Pedagógicas A Proposta Pedagógica e o Currículo do Curso Metodologia de Ensino... 88

3 2.6.3 Processo de Ensino-Aprendizagem ATIVIDADES ARTICULADAS DE ENSINO Prática como Componente Curricular e Práticas Pedagógicas Prática Profissional Interdisciplinaridade Trabalho Discente Efetivo Atividades de Extensão Integração com a Pós-Graduação AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM PRESSUPOSTOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL III ORGANIZAÇÃO DO CORPO SOCIAL DO CURSO CORPO DISCENTE Forma de Acesso ao Curso Apoio aos Discentes Acompanhamento dos Egressos Registros Acadêmicos ADMINISTRAÇÃO DO CURSO Coordenação do Curso Formação Acadêmica e Experiência Profissional Atuação da Coordenação do Curso Colegiado do Curso Núcleo Docente Estruturante CORPO DOCENTE Relação Nominal dos Docentes Regime de Trabalho Plano de Remuneração

4 3.4 Políticas de Qualificação ESTRUTURAÇÃO DO CORPO TÉCNICO-ADMINISTRATIVO Políticas de Qualificação Plano de Remuneração Regime de Trabalho APOIO DO DOCENTE IV INFRA-ESTRUTURA DA FATENE ESPAÇO FÍSICO GERAL Segurança Patrimonial Condições de acessibilidade para pessoas com deficiência ESPAÇOS FÍSICOS UTILIZADOS NO DESENVOLVIMENTO DO CURSO Sala de Professores e Sala de Reuniões Gabinetes de Trabalho para Docentes Salas de Aula BIBLIOTECA Apresentação Horário de Funcionamento Acervo Específico para o Curso Bibliografia Básica Bibliografia Complementar Bibliografia Suplementar Periódicos LABORATÓRIOS PARA O CURSO Laboratórios de Informática para o Curso V REFERÊNCIAS

5 5 I CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES E DO CURSO 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES 1.1 Dados da Mantenedora Mantenedora: Sociedade Universitária de Desenvolvimento Profissionalizante S/S LTDA SUDEP FATENE CNPJ / End.: Rua Matos Vasconcelos, 1626 n.: 851 Bairro: Damas Cidade: Fortaleza CEP: Fone: (85) Fax: (85) Site: UF: CE 1.2 Dados da Mantida Mantida: Faculdade de Tecnologia do Nordeste FATENE CNPJ / End.: Rua Matos Vasconcelos n. : 1626 Bairro: Damas Cidade: Fortaleza CEP: UF: CE Fone: (85) Fax: (85) Site: 1.3 Identidade Estratégica da IES Missão

6 6 A Faculdade de Tecnologia do Nordeste define como missão institucional Democratizar a educação superior, promovendo a formação integral, humanista e profissional nos vários campos do conhecimento, possibilitando a construção de uma sociedade solidária e democrática Princípios Institucionais A Faculdade de Tecnologia do Nordeste está fundamentada na concepção de uma instituição comprometida com a educação, baseada nos seguintes princípios: a) Interação da faculdade com a comunidade externa A FATENE manterá estreita harmonia e cooperação com a comunidade externa. Haverá uma tendência natural de ampliação de parcerias e cooperação, de um lado por parte da instituição para fortalecer e viabilizar suas ações e por outro, por parte dos diversos setores da comunidade que buscarão utilizar os serviços oferecidos pela instituição na consecução de seus objetivos sociais. Desta forma ocorrerá à congregação de esforços com o mesmo objetivo que é o desenvolvimento comunitário e social. b) Construção do Conhecimento a Serviço da Justiça e da Solidariedade A exigência da construção de um conhecimento a serviço da justiça e da solidariedade impõe-se, de maneira mais aguda, a uma instituição educativa voltada para a área de negócios. No mundo atual, a lógica da área de negócios está voltada para a eficácia e consecução de resultados econômicos, colocando, em segundo plano, os valores fundamentais da vida humana. Por isso, o horizonte posto pela identidade inaciana traz consigo um grande desafio: formar profissionais que tenham sensibilidades para os graves problemas sociais presentes em nossa realidade e que atuem de forma responsável no campo profissional. c) Excelência de ensino

7 7 A FATENE procurara articular, de forma competente e crítica, as exigências próprias do conhecimento científico com as exigências do mundo da profissão e com as exigências éticas. A fim de promover tal articulação, é necessário: 1) oferecer uma formação que possibilite uma compreensão global da realidade; e, 2) rejeitar a pretensa neutralidade da ciência e a mentalidade utilitarista, que afirma o imediatismo e a busca desenfreada do lucro. Desse modo, para a FATENE, a excelência no ensino estará sempre presente na missão de formar profissionais competentes do ponto de vista técnico e humano Visão de Futuro Ser reconhecida como referência por seus serviços de qualidade educacional e relevância social, utilizando práticas flexíveis, criativas e inovadoras, contribuindo para a construção de uma comunidade transformadora, construtiva e atuante. 1.4 Breve Histórico da Faculdade de Tecnologia do Nordeste A Sociedade Universitária de Desenvolvimento Profissionalizante S/S Ltda., instituição mantenedora da Faculdade de Tecnologia do Nordeste Fatene, foi registrada 3º. R.P.J de fortaleza no dia 27 de agosto de 2001, tendo como registro no , página 2/8. A natureza jurídica é uma sociedade simples com fins lucrativos, contrato atualizado conforme novo código civil, com sede á rua Matos Vasconcelos 1626 Damas, CNPJ / , data de abertura na Receita Federal de 28/08/2001, e foro na comarca de Fortaleza. A Mantenedora (Sociedade Universitária de Desenvolvimento Profissionalizante S/S Ltda SUDEP FATENE) se constitui numa pessoa jurídica de direito privado, composta de educadores, sócios deste ente, cujo ideal é trabalhar em prol da Educação.

8 8 Os primeiros cursos da instituição foram de graduação tecnológica. O primeiro vestibular ocorreu no final de 2002 e os cursos tiveram suas atividades letivas iniciadas em São eles: Análise de sistemas WEB; Informática na educação; Gestão em finanças; Gestão de sistemas produtivos. A SUDEP surgiu da iniciativa de um grupo de professores universitários na composição de uma Instituição de Ensino Superior diferenciada, que fosse integralmente comprometida com o processo educacional. As pessoas que participaram da sua fundação são professores com larga experiência em educação e na área de informática, notadamente, no ensino superior. Entre os mantenedores temos professores que exerceram funções importantes na área, entre elas: Diretoria do Centro de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual do Ceará(UECE); Diretoria Geral da Faculdade Gama Filho no Ceará em 2001; Presidência do SEITAC em 2002(sindicato das empresas de informática do Ceará); Presidência da ASSESPRO-Ce em 1994; Conselheiros do CEPE (Conselho de ensino, pesquisa e extensão) da UECE; Conselheiro do CET/FAT; Consultor da incubadora de empresas da UECE; Conselheiros do TITAN (Instituto tecnológico do estado do Ceará); Conselheiros do INSOFT (Instituto do Software do Ceará); Membro do SOFTEX Brazil (órgão de exportação de software do Governo do Brasil) em A proposta principal é resgatar práticas educacionais que possam contribuir para a formação do profissional, ao mesmo tempo em que visamos preparar o cidadão dotado de valores morais, éticos e comprometido com sua realidade.

9 9 A ideia da constituição desta sociedade surgiu exatamente da conscientização do grupo em assumir a gerência do processo educacional, justamente no momento em que há no Brasil uma tendência em se manter essa administração nas mãos de educadores, e não de empresários. Por isso, entendemos que a Educação, direito básico de uma nação, não pode ser comercializada, nem transformada em negócio rentável e de alta lucratividade. Portanto, como se pode observar, A FATENE traz uma renovação na administração acadêmica do ensino superior são educadores gerindo a educação. Agora, a educação FATENE é, também em Caucaia, referência na formação de profissionais competentes e éticos, e conscientes com a perspectiva de constante evolução sempre buscando aprender para superar os desafios. Atualmente os cursos ofertados são: Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas - ADS Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores - RC Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação - GTI Curso Superior de Tecnologia em Marketing - GM Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira - GF Bacharelado em Administração ADM A FATENE solicitou autorização para os cursos: Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Segurança Privada - GSP Curso de Bacharelado em Serviço Social SS. O Ministério da Educação, conforme legislação dispensou a visita in locus, pois a IES obteve IGC satisfatório no ENADE realizado em 2009, aplicado aos alunos dos Cursos Superiores de Tecnologia em Marketing e Gestão Financeira.

10 10 2 CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO 2.1 Dados Gerais Nome do Curso: Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Nome da Mantida Faculdade de Tecnologia do Nordeste Modalidade: Tecnológico Endereço de Oferta: Rua Matos Vasconcelos, 1626, Damas, Fortaleza CE SITUAÇÃO LEGAL DO CURSO Autorização: Documento Portaria Ministerial N. Documento Portaria 394 Data Documento 28/08/2008 Data da Publicação 29/08/2008 Turno de Nº Integral Matutino Vespertino Noturno Funcionamento: Turmas Totais Vagas anuais: Alunos por turma: Regime de matrícula: Semestral 2.2 Breve Histórico do Curso O Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação da FATENE, autorizado pela PORTARIA Nº 394, DE 28 DE AGOSTO DE 2008, é definido por

11 11 dois documentos: a PORTARIA Nº 10, DE 28 DE JULHO DE 2006, que aprova em extrato o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia e a Resolução CNE/CP nº 3, de 18/12/2002, publicada no DOU em 23/12/2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. No processo dinâmico de transformação globalizada e após a implantação do curso, pensar uma proposta curricular, implica definir ou redefinir os objetivos desse curso, bem como o perfil desejado dos egressos, futuros profissionais inseridos no mercado de trabalho. Nos seus anos de existência o Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação da FATENE, necessitou de algumas modificações em sua estrutura inicial, o que demandou atualizações no Projeto Pedagógico do Curso, embora o perfil do egresso de sua proposta original tenha sido mantido mediante a atuação de seu Núcleo Docente Estruturante e Colegiado, em reuniões regulares, que foram apontadas sugestões em direção ao aperfeiçoamento de seu Projeto Pedagógico. Todas as modificações realizadas tiveram o propósito de manter o curso adaptado às necessidades do mercado da gestão da tecnologia da informação e aos valores éticos e sócio-ambientais. Após modificações de carga horária, matriz e conteúdos curriculares para atender às necessidades do mercado; atualmente o curso está constituído de 25 disciplinas e carga horária de horas, conforme estabelece a PORTARIA Nº 10, DE 28 DE JULHO DE 2006, que aprova em extrato o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia, na qual está determinada a carga horária de horas (relógio) para o Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação. Atualmente, visando atender a Resolução nº 3, de julho de 2007, que dispõe sobre procedimentos a serem adotados quanto ao conceito de hora-aula, a FATENE adota o Trabalho Discente Efetivo (TDE), como complemento para cumprimento a norma em vigor. Aplicadas as modificações necessárias no ano de 2012, o curso mantém o foco nas formações de Gestores da Tecnologia da Informação, estando estruturado em forma de semestres, sendo cinco disciplinas por semestres (cinco semestres no total). Após o cursar das 10 disciplinas iniciais o aluno recebe uma primeira certificação (Certificação Parcial de Assistente de Tecnologia da Informação). Uma segunda certificação é dada ao aluno que já concluiu as vinte disciplinas iniciais (Certificação Parcial em Coordenador de Equipes de Tecnologia da Informação. Ao término das 25 disciplinas o aluno cola grau e recebe seu diploma de tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação.

12 12 II ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DO CURSO 1 CONCEPÇÃO DO CURSO O curso superior de tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação da FATENE nasceu de uma perspectiva inovadora de disponibilizar para o mercado de profissionais de tecnologia com visão e atuação de gestores, o que se faz necessário dado o número de vagas não preenchidas para a função de gestores na área e o grande número de profissionais com visão apenas operacional da aplicação tecnologia da informação. É sabido que espírito empreendedor está ganhando espaço nos cursos de Computação. Além de procurar oferecer aos seus alunos condições de gerir seu próprio negócio com competência gerencial, ética e responsabilidade sócio-ambiental, as Instituições de Ensino estão mais abertas às necessidades de um mercado em ebulição. A Internet, antes mera ferramenta de pesquisa acadêmica, virou mídia e pede profissionais com qualificações específicas, multidisciplinares e capazes de lidar as inovações tecnológicas. O surgimento acelerado de novas tecnologias exige um esforço extra dos professores e, muitas vezes, dos currículos. Referenciando as suas duas áreas de atuação como sendo a de gestão e de tecnologia da informação, a formação superior em Gestão da Tecnologia da Informação deverá ter por finalidade preparar este futuro profissional para exercer funções executivas de gestão e decisões sobre a implementação e uso de recursos de Tecnologias da Informação. Desde sua fundação a FATENE tem como missão de democratizar a educação superior, promovendo a formação integral, humanista e profissional nos vários campos do conhecimento, possibilitando a construção de uma sociedade solidária e democrática, e foi baseado nesta missão que a FATENE se estruturou com o trabalho de profissionais intérpretes e multimídia voltada à deficiência auditiva, para atender alunos surdos no Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação. Neste sentido, a primeira turma de curso foi composta de vinte e hum alunos deficientes auditivos. Atualmente a Faculdade de Tecnologia do Nordeste (FATENE) oferece o Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação com corpo docente altamente qualificado, multimídia compatível com um ensino de qualidade, bibliografia atualizada, instalações adequadas ao ensino e inclusão social, e concepção pedagógica que

13 13 respeita a totalidade do ser humano e da educação, vem ao encontro às exigências da Lei 9.394/96, e à sociedade, que deseja cidadãos éticos, responsáveis e profissionais competentes. Da mesma forma, atende à grande demanda existente no mercado de trabalho por profissionais desta área, garantindo empregabilidade a seus alunos ao concluírem o curso. 1.1 Justificativa Social do Curso Há alguns anos, a Tecnologia (na época, a Informática) era vista como uma forma eficiente de processar dados e possibilitar a automação de funções repetitivas, como as executadas pelos departamentos administrativos e contábeis das organizações, evoluindo posteriormente para a automação industrial, que contribuiu para o aumento da eficiência e produtividade das indústrias. Mais recentemente, a aliança entre Informática e as Telecomunicações tornou realidade o conceito de globalização, expandindo as fronteiras das empresas para o mundo todo por meio de um simples toque no mouse. O passo seguinte é a convergência tecnológica, reunindo num único dispositivo funções de telefone, computador, Internet, agenda eletrônica, games, televisão, música, entre outras facilidades. Se para uma pessoa comum já é difícil assimilar tantas mudanças, para um gestor da área de Tecnologia da Informação (TI) de uma empresa todas essas mudanças representam um enorme e constante desafio. A complexidade dos atuais parques de máquinas, redes e sistemas instalados é muito grande e está em constante evolução. Além disso, cresce a necessidade de entendimento não apenas de bits e bytes, mas também da estratégia de negócios da companhia, de forma a responder rapidamente às necessidades dos clientes e do mercado e estabelecer com fornecedores e demais parceiros uma troca de informações eficientes e em tempo real. De outro lado, os usuários internos da Tecnologia (os funcionários dos diversos departamentos da empresa) passaram a ter voz ativa para a escolha de ferramentas e soluções, obrigando o gestor de TI a considerar o fator humano entre suas atribuições e responsabilidades, Nesse novo contexto, o profissional de TI precisou e precisa reinventar-se, tornando-se mais ético, flexível e aberto, e menos teórico e fechado, como era imprescindível num passado nem tão distante. No início deste novo milênio, a ciência da computação é uma área extremamente vibrante e dinâmica (ACM/IEEE 2001). Desde seu início na metade do século passado, a computação vem sendo a tecnologia predominante nos tempos atual. A Tecnologia da Informação e os computadores estão integralmente presentes na cultura

14 14 moderna e são os principais motores do crescimento econômico do mundo. Além disso, o campo científico da Tecnologia da Informação continua a evoluir num passo surpreendente e novas tecnologias são introduzidas continuamente, enquanto aquelas já existentes tornam-se obsoletas no período de poucos anos. Apesar do enorme crescimento observado na oferta de boas propostas de formação profissional da área de Gestão de TI, pode-se afirmar que a demanda por profissionais que reúnam as competências para atuar na gestão e decisões sobre a implementação e uso de recursos de TI ainda é maior do que a capacidade instalada no sistema educacional em formar tais profissionais. Na medida em que as soluções tecnológicas automatizam processos organizacionais e podem vir a ser fonte de vantagens competitivas através da análise de cenários, implantação de tecnologias estratégicas, apoio ao processo decisório e definição e implantação de novos produtos e serviços, cresce a preocupação com a coleta, armazenamento, transmissão e, acima de tudo, o uso da informação e da tecnologia. A heterogeneidade e a diversidade são elementos positivos, pois permitem atender a uma demanda muito variada. Mas há fatores preocupantes. O principal deles é que a oferta de vagas ainda é pequena: embora, de acordo com as estimativas mais recentes, já atinja, cerca de cinco milhões de trabalhadores, está longe de atingir a população de jovens que precisa se preparar para o mercado de trabalho e a de adultos que a ele precisa se readaptar. Associada a esse fato está a limitação de vagas nos estabelecimentos públicos, especialmente na rede das 152 escolas federais de nível técnico e tecnológico, que aliam a formação geral de nível médio à formação profissional. Dentre as metas e objetivos do Plano Nacional de Educação (PNE) está a de Mobilizar, articular e ampliar a capacidade instalada na rede de instituições de educação profissional, de modo a triplicar, a cada cinco anos, a oferta de educação profissional permanente para a população em idade produtiva e que precisa se readaptar às novas exigências e perspectivas do mercado de trabalho. Segundo dados do SEBRAE (2008), existe um contraste na alta taxa da constituição de microempresas no Brasil e a alta taxa de mortalidade dessas empresas. Das microempresas que iniciam suas atividades, basicamente 70% delas não completam o segundo ano de atividade. Por ser esse o segmento que mais gera emprego e renda para a economia do país, muitos estudos têm sido realizados por todos os Estados e regiões. As estatísticas confirmam a contradição, e, por essa razão, é uma questão de interesse global, com a qual muitos empresários andam se preocupando com freqüência, a fim de encontrar saídas para o elevado índice de mortalidade em questão.

15 15 Dentre as principais causas de fechamento de micro e pequenas empresas, segundo dados fornecidos pelo SEBRAE (2008), o primeiro deles é a falta de planejamento, o que é muito comum e acontece com freqüência pela falta de hábito dos empresários de planejar e estabelecer metas para serem atingidas, além da falta de profissionais qualificados na área de gestão de tecnologia da informação. O segundo fator explicativo é que muitos microempresários não reconhecem sua incapacidade de gerir empresas e, por sua vez, não contratam sequer um profissional da área que possa auxiliá-lo nessa atividade de gestão. Com a abertura de um grande número de micro e pequenas empresas com diversas necessidades gerenciais, principalmente na área de tecnologia da informação, a renovação do curso de gestão de tecnologia da informação busca atender a demanda deste importante setor produtivo. Existe uma grande necessidade de formar profissionais que atendam aos empreendimentos que estão prestes a se instalar no Ceará. Como exemplos podem citar: A Siderúrgica, Refinaria da PETROBRAS, Mina de Itataia, Transnordestina, Metrô de Fortaleza e Transposição do Rio São Francisco. Segundo informações coletadas em relatórios estatísticos da SEDUC/CE, temos os seguintes números representativos do ensino médio e técnico no Estado do Ceará: ENSINO MÉDIO REGULAR- N de alunos matriculados em Fortaleza: ; N de alunos matriculados no Ceará: ; N de estabelecimentos em Fortaleza: 245; N de estabelecimentos no Estado: 804. ENSINO PROFISSIONAL - N de alunos matriculados em Fortaleza: 7.470; N de alunos matriculados no Ceará: ; N de estabelecimentos em Fortaleza: 18; N de estabelecimentos no Estado: 41 Fonte: SEDUC/Censo Escolar O Estado do Ceará deve ser capaz de formar mão-de-obra capacitada para atender a estas novas demandas do mercado local. Para atender a demanda futura destes e de outros empreendimentos, faz-se necessária a formação profissional de jovens e adultos em áreas como Gestão de tecnologia da informação que é o curso que estamos propondo neste projeto. Uma problemática importante dentro da gestão nas empresas tem sido o comportamento ético e responsável dos gestores no ambiente organizacional, assim como voltando-se às questões sociais e ambientais. Muito se tem lido sobre os problemas de ordem ambiental e a busca por soluções que podem ser localizadas nos diversos níveis das organizações. A procura por profissionais éticos em todas as áreas de atuação profissional tem sido intensificada. Preparar gestores com foco nas causas sociais e do planeta é um desafio pouco explorado no meio acadêmico de TI. Assim, um Curso Superior de Tecnologia de Gestão da Tecnologia da Informação deve preparar profissionais que possam atuar neste contexto, com capacidade

16 16 de entendimento da importância de utilização de Tecnologia da Informação com comportamento ético e responsável e valorização das causas sócio-ambientais como suporte aos negócios da empresa e também como diferencial competitivo. 1.2 Objetivos do Curso Geral Proporcionar uma formação profissional fundamentada nos princípios éticos, técnico-científicos, específicos e universais na área de Gestão da Tecnologia da Informação, conscientizando-os de suas atitudes críticas e responsabilidade social, capacitando e habilitando o egresso do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação a exercer as seguintes funções no mercado de trabalho: Específicos Intervir no processo de formação do Profissional do Gestor de Tecnologia da Informação dotando aluno de conhecimentos específicos, visando melhoria das atividades gerenciais na área de TI; Fornecer ao aluno ferramentas ao alcance de soluções de problemas com uso de tecnologias Discutir as novas tecnologias da informação presentes no mercado; Fornecer ao aluno ferramentas para a compreensão, domínio e avaliação das tecnologias adequadas à organização; Fomentar visão inovadora e gestão empreendedora na área de TI; Orientar aluno a comportamentos éticos e de responsabilidade sócio-ambiental. Fomentar a valorização as questões éticas ligadas a profissão de gestor de tecnologia da informação; Orientar aluno na relação teoria/prática, promovendo a inserção do graduando no cenário tecnológico do mercado, através dos instrumentos, métodos e técnicas das diferentes formas e modalidades empregadas na Tecnologia da Informação;

17 Perfil do Egresso do Curso O Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação possibilitará aos profissionais exercerem funções executivas de gestão e decisões acerca da implementação e uso de recursos de Tecnologias da Informação, habilitando-os a: Perfil1. Planejar e gerir o desenvolvimento e implantação de sistemas de Informação nas organizações; Perfil2. Incorporar novas tecnologias na solução de problemas nas organizações, propiciando novos tipos de atividades; Perfil3. Conhecer novas tecnologias de informação e de gestão; Perfil4. Compreender e avaliar as possibilidades das novas Tecnologias de Informação nas organizações; Perfil5. Gerir a aquisição / terceirização de serviços de TI e uso dos recursos de Tecnologia da Informação; Perfil6. Apresentar alternativas de uso estratégico da Tecnologia da Informação; Perfil7. Avaliar as perspectivas de evolução da tecnologia, do seu uso e das mudanças qualitativas nos negócios; Perfil8. Especificar, estruturar, planejar e gerenciar os Sistemas e Tecnologias de Informação; Perfil9. Conduzir projetos e liderar equipes relacionadas à TI, com o uso de métodos e processos avançados; e Perfil10. Agir, valorizando as questões éticas da profissão do gestor de TI, evidenciando comportamento ético e de responsabilidade socioambiental. O Perfil do egresso está em plena harmonia e compatibilidade com o Perfil constante no Catálogo de Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia da Informação, segundo o qual: o tecnólogo em Gestão da tecnologia da informação atua em um segmento da área de informática que abrange a administração dos recursos de infraestrutura física e lógica dos ambientes informatizados. o profissional egresso deste curso define parâmetros de

18 18 utilização de sistemas, gerencia os recursos humanos envolvidos, implanta e documenta rotinas, controla os níveis de serviço de sistemas operacionais e banco de dados, gerenciando os sistemas implantados. O perfil do egresso foi estabelecido com base nas necessidades de mercado e, a partir do perfil foi criada a estrutura curricular do curso de Gestão da Tecnologia da Informação para atender de forma excelente ao perfil, ao Referencial Curricular da Educação Profissional e ao Catálogo dos Cursos Superiores de Tecnologia. Para melhor esclarecer a proposta, descreve-se abaixo como o perfil do egresso é atingido através das disciplinas constantes na estrutura curricular do curso de GTI e de sua interdisciplinaridade. PERFIL DISCIPLINA Fundamentos da Administração, Lógica de Programação, Inglês Instrumental, Banco de Dados 1, Modelagem de Sistemas, Programação Orientada a Objetos, Desenvolvimento de Sistemas Perfil1 para Internet, Engenharia de Software, Política de Segurança e Ética, Gerência da Projetos, Empreendedorismo, Tópicos Avançados em Informática IC, Fundamentos da Administração, Redes de Computadores, Banco de Dados 1, Desenvolvimento de Sistemas para Internet, Marketing de Vendas e Relacionamento, Sistemas Operacionais, Engenharia de Software, Modelagem de Sistemas, Comércio Eletrônico e Marketing Perfil2 Digital, Política de Segurança e Ética, Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL, Empreendedorismo, Gestão da Qualidade do Software, Tópicos Avançados em Informática Inglês Instrumental, Redes de Computadores, Banco de Dados 1, Desenvolvimento de Sistemas para Internet, Investimento e Retorno em Tecnologia da Informação, Política de Segurança e Ética, Perfil3 Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência da Projetos, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL, Gestão da Qualidade do Software, Tópicos Avançados em Informática Perfil4 IC, Inglês Instrumental, Redes de Computadores, Banco de Dados 1,

19 19 Perfil5 Perfil6. Perfil7. Perfil8. Perfil9. Modelagem de Sistemas, Programação Orientada a Objetos, Desenvolvimento de Sistemas para Internet, Marketing de Vendas e Relacionamento, Sistemas Operacionais, Engenharia de Software, Investimento e Retorno em Tecnologia da Informação, Comércio Eletrônico e Marketing Digital, Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Tópicos Avançados em Informática Fundamentos da Administração, Redes de Computadores, Gestão de Pessoas, Direito Público e Privado, Matemática Financeira, Desenvolvimento de Sistemas para Internet, Sistemas Operacionais, Engenharia de Software, Investimento e Retorno em Tecnologia da Informação, Política de Segurança e Ética, Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência de Projetos, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL, Tópicos Avançados em Informática Investimento e Retorno em Tecnologia da Informação, Comércio Eletrônico e Marketing Digital, Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência de Projetos, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL, Empreendedorismo, Tópicos Avançados em Informática Introdução a Computação, Redes de Computadores, Banco de Dados 1, Desenvolvimento de Sistemas para Internet, Sistemas Operacionais, ES, Comércio Eletrônico e Marketing Digital, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL, Empreendedorismo, Gestão da Qualidade do Software, Tópicos Avançados em Informática Fundamentos da Administração, Redes de Computadores, Banco de Dados 1, Modelagem de Sistemas, Programação Orientada a Objetos, Desenvolvimento de Sistemas para Internet, Sistemas Operacionais, Engenharia de Software, Política de Segurança e Ética, Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência da Projetos, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL Fundamentos da Administração, Gestão de Pessoas, Direito Público e Privado, Política de Segurança e Ética, Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência de Projetos, Gerência de Serviços e

20 20 Perfil10. Governança de TI COBIT/ITIL, Empreendedorismo, Tópicos Avançados em Informática IC, Fundamentos da Administração, Gestão de Pessoas, Direito Público e Privado, MVR, Comércio Eletrônico e Marketing Digital, Política de Segurança e Ética, Estratégia Empresarial e Tecnologia da Informação, Gerência de Projetos, Empreendedorismo, Tópicos Avançados em Informática, Gerência de Serviços e Governança de TI COBIT/ITIL, Ética e Responsabilidade Sócio-ambiental, Libras Competências e Habilidades Profissionais Em dois anos e meio de curso o profissional de Gestão da Tecnologia da Informação deverá desenvolver competências em sua área de atuação. Competência profissional é um conceito que pode ser compreendido como a capacidade pessoal de mobilizar, articular e colocar em ação conhecimentos, habilidades, atitudes e valores necessários ao desempenho eficiente e eficaz em atividades requeridas pela natureza do trabalho e pelo desenvolvimento tecnológico (Resolução CNE/CP n.º 03/02, art. 7º). A Ciência integrada ao contexto do curso permite ao estudante perceber a tecnologia, sua influência no mundo produtivo e o seu papel enquanto ser agente de transformação. A Ciência não como conhecimento estático, mas integrado ao contexto do curso, vivenciando sua utilização na estruturação de soluções enquanto domínio de fundamentos tecnológicos e competências efetivas para o desenvolvimento profissional e a capacidade de perpassar os diversos ciclos tecnológicos que farão parte da vida profissional futura do estudante. A Tecnologia caracteriza a identidade ao curso e, junto à educação, permite ao estudante construir o mundo real criando, inventando e projetando nossos bens, fugindo aos riscos de facilmente comprar soluções padronizadas. Exige, conseqüentemente, estudo e pesquisas, pois recorre cientificamente aos métodos para melhor exercer as práticas. A Gestão, enquanto alavancadora de uma nova mentalidade profissional de busca de espaços profissionais e ação empreendedora para a realização pessoal, proporciona ao estudante uma postura profissional ética que se revele

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO NOME DO CURSO: Curso de Administração TÍTULO: Bacharel em Administração TURNO: Diurno e Noturno CARGA HORÁRIA: 3.300 horas aula NÚMERO DE VAGAS: 200 Anuais COORDENADOR:

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA. joseana@computacao.ufcg.edu.br

Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA. joseana@computacao.ufcg.edu.br Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: AGRONOMIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO (A CARGA HORÁRIA APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS)

MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO (A CARGA HORÁRIA APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA POR PERÍODO LETIVO (A APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) PRIMEIRO SEMESTRE / 1 O ANO Leitura e Interpretação de Textos 2-40 Matemática

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL EM LINUX Campus Lages Junho/204 Parte (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2. Endereço/CNPJ/Telefone

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia GESTÃO E PRÁTICAS EMPREENDEDORAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Ceilândia, Fevereiro de 2014. CURSO DE FORMAÇÃO

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

CURSO: REDES DE COMPUTADORES

CURSO: REDES DE COMPUTADORES CURSO: REDES DE COMPUTADORES Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base Legal da Mantenedora A Ata de Assembléia Geral para

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS FACULDADE DE TECNOLOGIA DO NORDESTE PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS FORTALEZA CE 2015 SUMÁRIO 2 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO... 6 1.1 DADOS

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de, Bacharelado, de oferta regular

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL DE PROGRAMADOR WEB Campus Lages Junho/2014 Parte 1 (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE 1. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2.

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE)

Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Núcleo Docente Estruturante (NDE) Proposta do novo Projeto Pedagógico do Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Núcleo Docente Estruturante (NDE) 20/05/2015 Agenda 1 2 3 4 5 6 Introdução e Motivação Resultados da

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado plea Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: AMPE - ADM DE MICRO E PEQ EMPRESAS Código: ADM 253 Pré-requisito: ------ Período Letivo: 2013.2

Leia mais

Projeto Pedagógico de Curso

Projeto Pedagógico de Curso 2012 UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO Projeto Pedagógico de Curso UNIVERSIDADE CUIABÁ DE FACULDADE DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE ENGENHARIA E

Leia mais

FARMÁCIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

FARMÁCIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC FARMÁCIA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: FARMÁCIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Habilitação: Bacharel em Sistemas de Informação Cálculo I - 90 6 Lógica - Programação I - 90 6 1º. Fundamentos de Sistemas de Informação - Metodologia da Pesquisa - 30 2 Comunicação Empresarial - 30 2

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Formar profissionais de nível superior, com atuação na área de Tecnologia em Gestão Financeira, a partir da articulação das teorias que fundamentam

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução nº47/ 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Pedagogia, Licenciatura, com

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito

Padrões de Qualidade para os Cursos de Graduação em Direito MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE DIREITO APRESENTAÇÃO: Padrões de Qualidade para os Cursos

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA Documento elaborado no encontro realizado de 10 a 12 de agosto de 2004. Curitiba, PR Perfil do Profissional Ao final de cada

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 64/2011 Altera a Resolução nº. 57/2007 do CONSEPE, que aprova o Projeto Político-Pedagógico

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS OBJETIVO GERAL DO CURSO:

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS OBJETIVO GERAL DO CURSO: EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM REDES DE COMPUTADORES. RECONHECIDO conforme PORTARIA n 64, de 04 de Fevereiro de 2011.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM REDES DE COMPUTADORES. RECONHECIDO conforme PORTARIA n 64, de 04 de Fevereiro de 2011. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM REDES DE COMPUTADORES RECONHECIDO conforme PORTARIA n 64, de 04 de Fevereiro de 2011. Título: Tecnólogo em Redes de Computadores Turno: Noturno Carga horária total: 2.000

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Fundamentos de Linguagens de Programação para Multimídia

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Fundamentos de Linguagens de Programação para Multimídia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO NORMAS PARA CRIAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E DE GRADUAÇÃO NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO Dispõe sobre Normas para criação de cursos Técnicos de Nível

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

CATÁLOGO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CATÁLOGO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Nome da Mantida: Centro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 90/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Relações Públicas, Bacharelado,

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior -

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO

AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICA DO ENSINO SUPERIOR - DEPES COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO Código: CTB - 251 Pré-requisito: -------- Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Construção coletiva a partir das experiências, coordenada pelo Colegiado do Curso de Graduação (art. 34 do Regimento Geral

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida CETEC EDUCACIONAL S.A Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP Mantida PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 1 SUMÁRIO

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos Tecnologicos conforme RESOLUÇÃO CNE/CP 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2002, A educação profissional de nível tecnológico, integrada às diferentes

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Instrumentos de avaliação para credenciamento

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO EDUFOR SERVIÇOS EDUCACIONAIS LTDA FACULDADE EDUCACIONAL FORTALEZA EDUFOR CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DO CENTRO DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO CEI 2013 1. APRESENTAÇÃO Ciente da necessidade

Leia mais