CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA Faculdade de Tecnologia de São Sebastião Cursos Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA Faculdade de Tecnologia de São Sebastião Cursos Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial"

Transcrição

1 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA Faculdade de Tecnologia de São Sebastião Cursos Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial LUCIANA OLIVEIRA COSTA QUALIDADE DE ATENDIMENTO COM O CONHECIMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS São Sebastião 2014

2 LUCIANA OLIVEIRA COSTA QUALIDADE DE ATENDIMENTO COM O CONHECIMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Faculdade de Tecnologia de São Sebastião, como exigência parcial para obtenção do título de Tecnólogo em Gestão Empresarial. Orientadora: Profª. Ma. Alciene Ribeiro Feitoza da Silva. São Sebastião 2014

3 LUCIANA OLIVEIRA COSTA QUALIDADE DE ATENDIMENTO COM O CONHECIMENTO DE LINGUAS ESTRANGEIRAS Apresentação de Trabalho de Graduação à Faculdade de Tecnologia de São Sebastião, como condição parcial para a conclusão do curso de Tecnologia em Gestão Empresarial. São Sebastião, 11 de junho de BANCA EXAMINADORA NOME DO ORIENTADOR (com titulação) NOME DO ARGUIDOR (com titulação) NOME DO ARGUIDOR (com titulação) MÉDIA FINAL:

4 Dedico este trabalho a todos que dele possam usufruir.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço a todos que direta ou indiretamente contribuíram para que este trabalho fosse realizado, a aqueles que realizam as mais simples e quase invisíveis tarefas até aquele que tem sua participação enraizada no conteúdo deste trabalho, todos foram importantes e sem os mesmo nada seria possível.

6 É durante as fases de maior adversidade que surgem as grandes oportunidades de se fazer o bem a si mesmo e aos outros. Dalai-Lama

7 RESUMO O presente trabalho se propõe a analisar o uso de línguas estrangeiras como ferramenta de atendimento com qualidade no Centro de Informações turísticas da Secretaria de Turismo de São Sebastião, devido ao seu potencial turístico internacional, a sua posição geográfica e a sua estrutura portuária. O trabalho utilizará de pesquisa de campo e análise de materias de divulgação fornecidos pela própria Secretaria de Turismo e pesquisa bibliográfica para referência teórica. Com o intuito de responder aos objetivos que são, conhecer os idiomas mais requisitados para o atendimento, bem como quais as deficiências e/ou eficiências do atendimento e materiais de divulgação, também sugerir ferramentas de gerenciamento para o auxílio do fomento e estruturação da qualidade de atendimento e uso de línguas estrangeiras, para que os funcionários possam atuar de forma mais profissionalizada, a fim de ajudar a cidade a construir a cultura do atendimento de excelência podendo a ser referência no aspecto futuramente. Palavras-chave: Língua estrangeira. Atendimento de qualidade. Gestão. Recursos Humanos.

8 ABSTRACT This study aims to analyze the use of foreign languages as a quality care center in the Tourist Office of Tourism San Sebastian tool, due to its international tourism potential of its geographical position and its port structure. The work uses field research and collecting materials for dissemination and literature for theoretical reference. In order to meet the goals that are to know the most requested languages for service and which deficiencies and / or efficiency of care and publicity materials also suggest management tools to aid the fostering and structuring quality of care and use of foreign languages, so that employees may act in a more professional manner. In order to help the city build a culture of service excellence can be a reference point in future. Keywords: Foreign language. Quality care. Management. Human Resources..

9 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS PNT PIB SECTUR SEBRAE Plano Nacional de Turismo Produto Interno Bruto Secretaria de Turismo e Cultura de São Sebastião Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO REFERENCIAL TEÓRICO A FACE DA LÍNGUA INGLESA CIDADE TURÍSTICA E/OU PORTUÁRIA A VISÃO DAS POLITÍCAS PÚBLICAS SETOR PÚBLICO E PRIVADO Gestão do recurso humano QUALIDADE E SUAS DEFINIÇÕES FACE AO CLIENTE Qualidade no mercado, produto e serviço METODOLOGIA RESULTADOS E DISCUSSÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICE A - Título... 29

11 9 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como finalidade demonstrar a importância do atendimento de qualidade utilizando a língua estrangeira como ferramenta, o mesmo utilizará a pesquisa com questionário e análise de materiais como folhetos, guias e site na Secretaria de Turismo de São Sebastião. Haja vista a localização e potencial turístico próprio da cidade bem como sua estrutura portuária. 1.1 JUSTIFICATIVA DO TEMA Este trabalho visa proporcionar à cidade de São Sebastião um foco no atendimento turístico de excelência que beneficiará a cidade como um todo, assim como, os turistas e poderá ser modelo para outras cidades tanto para o setor empresarial como para os setores públicos ligados direta ou indiretamente às relações internacionais e turismo. 1.2 PROBLEMA A cidade de São Sebastião utiliza de ferramentas para atração turística, e havendo um turismo internacional essas ferramentas poderiam ser melhor aproveitadas em benefício da cidade. Pode ser observado que no seu ponto de informações turísticas nem todos os colaboradores estão capacitados no conhecimento sobre línguas estrangeiras (inglês e espanhol) o suficiente para dialogar e ajudar corretamente de maneira que esse atendimento possa levar o turista a repetir o destino (São Sebastião) ou mesmo indicar para outras pessoas Hipótese

12 10 São Sebastião é uma cidade do litoral norte de São Paulo, é potencialmente de forte apelo turístico por sua própria condição geográfica e está na rota obrigatória dos visitantes de Ilhabela, que já possui um know-how relacionado ao turismo internacional, assim, uma capacitação na área de língua estrangeira dos funcionários da Secretaria de Turismo pode ampliar a gama dos turistas frequentadores. Com o direcionamento adequado da gestão de qualidade, através do bom atendimento ao turista internacional. 1.3 OBJETIVOS Objetivo geral Este trabalho tem como objetivo geral verificar por meio de pesquisa de campo e investigação no local de atuação do trabalho, a aplicabilidade das línguas estrangeiras, e sua importância para a colocação de uma cidade turística na rota do seu público alvo Objetivos específicos Os objetivos específicos deste são: Identificar a deficiência e/ou eficiência no atendimento e nos materiais de divulgação, assim como o treinamento dos funcionários envolvidos diretamente com o cliente; Sugerir ferramentas de gerenciamento para o auxílio do fomento e estruturação da qualidade no atendimento e uso de línguas estrangeiras, para que os funcionários possam atuar de forma mais profissionalizada e que todos envolvidos desfrutem dos benefícios. Identificar as línguas estrangeiras mais utilizadas entre os visitantes.

13 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Serão utilizados métodos como a pesquisa bibliográfica, através de livros, internet para embasar o conteúdo do mesmo, também terá o uso da pesquisa de campo que permitirá o estudo de caso na Secretaria de Turismo e Cultura de São Sebastião, e então com a aplicação de questionário, colher dados, tratando-os e posteriormente obtendo informações para as conclusões e sugestão referentes ao objetivo do trabalho. 1.5 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO Este trabalho se inicia com a formulação da hipótese, seu objetivo e metodologia, esta última se utilizará de pesquisa através de questionário respondido por funcionários responsáveis pelo atendimento no centro de informação turística no centro de São Sebastião, juntamente com a análise de materiais de divulgação como folhetos, guias e site de uso da Secretaria de turismo e cultura de São Sebastião (SECTUR). Concomitantemente será executada a pesquisa para o referencial teórico que dará suporte e estruturará o trabalho. Após a análise dos dados encontrados com o questionário e os materiais, e confrontando com o referencial teórico será possível discutir os resultados a fim de uma ou mais conclusões.

14 12 2 REFERENCIAL TEÓRICO No quesito capacitação para o atendimento de qualidade ao turista Tokington, Perdigão (2003) tratam o tema resaltando a importância a necessidade do conhecimento específico de línguas estrangeiras nos profissionais de turismo e hotelaria. Os autores dedicaram-se em diagnosticar as necessidades do conhecimento específico dessas línguas para uso laboral sentida pelos profissionais das áreas de turismo e hotelaria, assim como quais delas seriam mais utilizada, quais mais deveriam ser aprendidas e as com maior dificuldade de absorção e então trabalha-las com a devida atenção. Ainda segundo Torkington, Perdigão (2003) após a realização de questionário pode-se observar que o uso da língua inglesa estava presente em mais de 80% de sua vida profissional, a língua Francesa em 75% mesmo que isso representando até 20% do tempo e o Alemão em uma menor quantidade A FACE DA LÍNGUA INGLESA Segundo Lacoste; Rajagopalan (2005) a língua tem seu poder não somente sobre seu território de origem, sua abrangência se alonga as mais diversas regiões. Um grande exemplo: no período colonial a dominância dos colonizadores perante colonizados apresentou-se entre outras coisas pela presença, influência e dominação do idioma recém-chegado. A língua inglesa possui um histórico diferenciado, enquanto outras nações buscavam a exploração de suas novas terras, os ingleses preparavam suas colônias e se preocupavam em ensinar a sua religião e idioma aos nativos. Segundo Lacoste; Rajagopalan (2005), no período pós-segunda guerra a propagação política e cultural dos Estados Unidos, através de diversos pontos podese citar o fornecimento de aparelhos mecânicos para a Europa, os mesmo possuíam manuais escritos em inglês, forçando assim o entendimento da língua pelo usuário, outro ponto foi a abertura de fábricas de empresas norte americanas. Na aviação a presença do inglês é vista pela necessidade dos pilotos, controladores e outros profissionais que estejam envolvidos e que tenham que realizar diálogos com pessoas ao redor do mundo.

15 13 O inglês americano globalizado, como dito por Lacoste; Rajagopalan (2005) é indiretamente ocasionado por elementos como: cinema, seus musicais que são amplamente divulgados em rádios e TVs. E em especial a música, sobretudo o gênero Rock que atravessa a barreira do compreendimento da língua pelo ouvinte, que por sua vez pode ter qualquer língua nativa, segundo o autor [o inglês americano] contribui para manter na moda tudo que é americano. E tudo isso tem consequências geopolíticas e participa das rivalidades de poderes e de influências em nível mundial. (LACOSTE; RAJAGOPALAN, 2005, p.11). Acordando com esse pensamento Crystal (2009) diz que a língua inglesa mundial se precipitou com o poder político e militar do império britânico, que após alguns séculos se tornou a língua das ciências, da tecnologia, de revolução industrial. No século XIX reforçou sua presença através do poder econômico britânico e norte americano. Nas próprias palavras do autor a língua inglesa esteve sempre no lugar certo na hora certa. De acordo com Lacoste; Rajagopalan (2005, p. 133) quando se trata de questão de eficiência e relação de forças, no que diz respeito à globalização: o desenvolvimento de business cotidiano em nível internacional (como se diz hoje), joint-ventures e as parcerias, o inglês transformou-se no esperanto dos negócios e se supõe que toda pessoa o fale ou ao menos se vire numa situação de urgência. Como descrevem, os mesmos autores, a língua inglesa é lei, no exemplo em uma reunião onde não haja qualquer norte americano ou britânico, e consista de pessoas de diversos lugares de línguas diferentes, o inglês será a língua usada para a troca de informações, mesmo que essas pessoas saibam línguas como o Francês que outro dia fora uma língua franca. Seguindo essa mesma lógica os autores como conselho pontuam a importância do aprendizado da língua inglesa, ligando ao fato de não haver um horizonte próximo para uma mudança dessa realidade, segundo Lacoste; Rajagopalan(2005). Como acrescenta Antonio (2005) o uso de língua estrangeira em especial o inglês é importante, seu aprendizado aprofundado proporciona uma melhor comunicação fazendo com que essa interação seja mais segura e efetiva tornando, no âmbito dos negócios um fator fundamental. O autor ainda resalta que com o advento digital existem mais formas de se aprender novas línguas, com cursos online ou em mídias como CDs, mp3 entre outros.

16 CIDADE TURÍSTICA E/OU CIDADE PORTUÁRIA? Cunha (2003) demonstra uma análise desse conflito entre uma cidade que tem potencial portuário e turístico no caso de São Sebastião. Já que a cidade tem naturalmente um porto, onde há o porto de cargas ao sul do centro histórico e ao norte o píer da Petrobras que leva a diminuição da visualização do horizonte de mar. A cidade se desenvolveu pelo porto e seu traçado estrutural confirma isso, a construção de ambos, porto de carga e terminal marítimo são opostos à característica histórica de São Sebastião, dando a mesma desvantagem como a perda da visão do horizonte no centro da cidade, o constante transporte de cargas, a disposição de dutos pelo seu território e também os tanques de reservatório do TEBAR Terminal Almirante Barroso, que ocupam e sufocam o centro da cidade. Ainda como Cunha (2003) esclarece, existe o potencial turístico do canal, mesmo sem grandes investimentos, o crescimento de atividades ligadas ao mar como marinas, garagens terrestres para embarcações geram empregos diretos e indiretos, e a economia não se satisfaz somente desse turismo há a complementação com meios de hospedagem e outros comércios como passeios que podem ser no mar ou de caráter histórico em terra. E para que se entenda a realidade de São Sebastião na sua questão cidadeporto ou cidade portuária, Vieira (2004) pondera enquanto cidades-portos se desenvolvem exclusivamente pelo porto e sem o mesmo a cidade provavelmente não existiria ou não seria de importância, como o autor cita Roterdã, Hamburgo e no Brasil, Santos e Paranaguá. As cidades portuárias por sua vez têm um conceito mais amplo no qual a cidade é transformada em uma ligação entre a economia, porto e os mercados. As prefeituras e Estados estão diretamente ligados ao desenvolvimento das infraestruturas portuárias, sendo necessária a boa ponderação dos pontos, cidade e porto, levando ambos a se beneficiarem com essa convivência. 2.3 A VISÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS O Plano Nacional de Turismo (PNT) para os anos de 2013 a 2016 tem como pauta a Copa do mundo 2014 e a Olimpíadas de 2016, em conjunto com o objetivo de transformar o Brasil na 3ª economia turística mundial, estimando um crescimento

17 15 anual de 8% do turismo, trazendo ao Turismo a tarefa de um crescimento sustentável. Para que isso aconteça, porém, faz-se necessário aproveitar os grandes eventos. Primeiro, seu legado de infraestrutura aeroportuária e de mobilidade urbana, dois fatores-chaves para alavancar a competitividade do Brasil enquanto destino turístico internacional e doméstico. Depois, urge usar a Copa e a Olimpíada para dar um salto na capacitação dos brasileiros para receber os turistas. (BRASIL, p.3) A participação econômica do turismo representa 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e de 2003 a 2009 cresceu 32,4% mais que a própria economia brasileira, o turismo ainda atua na geração de empregos diretos que até 2022 pode chegar a 3,63 milhões de empregos em atividades ligadas à hotelaria, agencias de viagens, transportes de passageiros entre outros. O PNT tem como desafio transformar essa situação, promovendo a ampliação do turismo no Brasil. O fluxo turístico internacional cresceu 4% em 2012, totalizando 1,035 bilhões de viajantes pelo mundo, dos países que obtiveram crescimento de receitas com o turismo estão o Japão com 37%, Índia e África do Sul com 22% e em contra partida estão Rússia e China que aumentaram seus gastos no exterior. Já a realidade desse fluxo de turismo internacional no Brasil não tem números expressivos nos últimos anos, e alguns fatores mundiais contribuíram para uma queda, assim como em 2009 por conta da crise de 2008 e um aumento em 2010 como sinal de recuperação. Em 2011 o crescimento foi de 5,3%, sendo que 70% dos turistas estrangeiros ingressaram por via aérea, 27% por via terrestre e 3% por via marítima e 1% por via fluvial. Em relação as chegadas de turistas internacionais ao Brasil por continente verifica-se que o maior mercado emissor é o sul-americano com geração de quase metade de todo o volume de turistas estrangeiros (48,38%). Europa com 29,83% e a América do Norte com 13,43% são os dois outros emissores com participação expressiva no mercado brasileiro. (BRASIL, p.17) O índice Competitividade do Turismo Nacional apresentado pelo PNT que é medido anualmente que tem como propósito medir o progresso dos destinos turísticos assim como a sua capacidade de elaborar atividades no setor de formas sustentáveis. Os indicadores para esse índice são dispostos em treze dimensões: infraestrutura geral; serviços e equipamentos turísticos; acesso; atrativos turísticos; marketing e promoção do destino; políticas públicas; cooperação regional; monitoramento; economia local; capacidade empresarial; aspectos sociais; aspectos ambientais; e aspectos culturais. As dimensões são subdivididas em sessenta e

18 16 duas variáveis, para que o resultado final seja apresentado mais fielmente, e com o mesmo pode-se averiguar os pontos onde deve ser trabalhado para aumentar o nível de competitividade. 2.4 SETOR PÚBLICO E PRIVADO O nascimento da administração pública segundo Gurruchaga (2013) foi marcado pela solução das necessidades do mercado, através dos serviços. A mesma tem um conceito impreciso e que normalmente é usado com diversos significados, essa nomenclatura corresponde al conjunto de los órganos operativos del gobierno, comprende a los distintos entes y dependencias que integran los poderes ejecutivos nacional, provinciales y las administraciones municipales. 1 (GURRUCHAGA, 2013, p. 25). Segundo Saucedo (2013) o visitante não está na cidade, para exclusivamente permanecer no hotel durante sua estadia, e com o mundo cada vez mais globalizado e com a riqueza de acesso a informação aumenta a demanda por serviços especializados como: no exemplo do serviço de aluguel de bicicletas em Buenos Aires, se o mesmo serviço for prestado no Egito para percorrer as pirâmides, a bicicleta de nada vale, logo, os camelos serão a melhor opção, essa é uma interpretação de nicho de mercado, ou seja, saber em que se tem potencial e aprender a usa-lo, assim tendo sucesso se suprir a demanda adequadamente em relação ao lugar, outros fatores a serem considerados são as peculiaridades das pessoas, os costumes e características próprias da região. Como sintetiza Veiga (2009) os postos de informações turísticas lidam com um produto sensível: as informações, que são passadas de maneiras diferentes a depender das necessidades do cliente e isso é importante para que se perceba a qualidade do serviço, os postos ainda devem ser uma confiável fonte de conexão entre o visitante o a cidade. 1 Tradução: Corresponde ao conjunto de órgãos operacionais do governo, abrange aos diferentes entes e dependências que integram os poderes executivos nacionais, estaduais e as administrações municipais. (tradução nossa)

19 Gestão do recurso humano De acordo com Saucedo (2013) uma das razões pela qual o cliente/ visitante se fidelizará ou simplesmente optará pelo fornecedor do serviço está relacionada com a qualidade do mesmo, que neste caso está diretamente ligada à pessoa que o presta, condicionando uma maior preparação do colaborador. Essa exigência de preparo o autor pontua aspectos como: formação universitária, conhecimento de tecnologias relacionadas à área, proatividade em busca de novos conhecimentos, também o domínio de outros idiomas. Com produtos e serviços cada vez mais semelhantes, sincronizar os colaboradores aos clientes é importante, já que a qualidade é basicamente uma impressão de superioridade nos serviços e produtos e a mesma é fundamental para a percepção pessoal de um serviço ou produto adequado ao consumo o elemento humano e sua qualidade representam o grande diferencial contemporâneo. Assim, prover treinamento adequado, por exemplo, pode significar o êxito do empreendimento (MARSHALL, 2010, p 33). Sendo assim, entende-se que o fator humano é decisivo para que a qualidade do produto ou serviço seja positiva diante da visão do consumidor. Harmonizando, Veiga (2009), corrobora que os trabalhadores dos postos de informações turísticas são essenciais para um bom atendimento ao visitante, apontando para a motivação do mesmo, que pode influenciar significativamente na qualidade desse atendimento. Entre outros pontos colocados pelo autor, para que se avalie um bom atendimento como, flexibilidade, ou seja, adaptar a informação às necessidades do visitante, à competência, como habilidade e conhecimento sobre o serviço prestado, rapidez no atendimento, à atmosfera de atendimento, transformando agradável a experiência do cliente. 2.5 QUALIDADE E SUAS DEFINIÇÕES FACE AO CLIENTE Paladini (2012) aborda que a qualidade não pode ser vista através de um único fator, ela é representada por um conjunto de elementos que estão em

20 18 constante mudança. A qualidade pode estar representada no abstrato já que o consumidor não caracteriza claramente os seus desejos, variando de pessoa para pessoa, e ainda em alguns produtos a percepção de qualidade não é mutável, pode também estar na perfeição ou a falta de defeitos no produto ou serviço, ou pode ser o quesito mínimo para o funcionamento e ou a diversidade do produto/serviço, logo, qualquer que seja a definição proposta para qualidade, espera-se que ela não contrarie a noção intuitiva que se tem sobre ela, isto é, o que já se sabe a respeito do assunto (PALADINI, 2012, p. 11). Segundo Marshall (2010) a qualidade já faz parte dos discursos das empresas, não importando o ramo de atuação, sendo público ou privado, ela está relacionada aos desejos do consumidor. Independentemente da empresa, veem-se programas de melhoria de processos em grande parte dos setores econômicos, assim, não importa fazer o melhor produto com os melhores processos, se o que se faz não vai ao encontro do consumidor, razão de ser de todos os processos organizacionais (MARSHALL, 2010, p 32) Qualidade no mercado, produto e serviço. A gestão de qualidade deve procurar visualizar amplamente o mercado, logo, não pode estreitar sua visão em uma especificidade do produto nem deixar a mercê outro item, assim pode-se afirmar que a cultura da qualidade (transformar a qualidade em um valor) é uma ação prioritária da Gestão da Qualidade (PALADINI, 2012, p.26). Como afirma o autor, o conceito de qualidade sendo dinâmico, existem diversas abordagens, que de uma maneira ou de outra convergem para que o produto ou serviço se adapte à demanda. Paladini (2012) apresenta o modelo ampliado da adequação do uso, que trata de encontrar variáveis que levam o consumidor a preferir determinado produto ou serviço, mas, essa simpatia está em constante oscilação seja por parte de um consumidor em especial, pelo mercado, ou mesmo de produto para produto e baseando-se nesse conceito, é necessário que o fornecedor do produto ou serviço esteja inovando constantemente. Como acorda o autor, a qualidade pode estar relacionada à adequação ao uso, ou seja, ao fim que se destina o produto e ou serviço, que em outras palavras se identifica pelo modo como o cliente irá escolher o produto/serviço que será a

21 19 pergunta que esse consumidor fará e levará em conta na hora de sua decisão e como dito anteriormente a inovação leva a outros fatores como, a aceitação do produto/serviço, confiança no processo, o valor associado ao produto/serviço, a confiança na imagem ou na marca e a adequação ao usuário; este último é o retrato mais característico da qualidade é importante que o que é ofertado seja o desejo do consumidor e que o satisfaça, garantindo que exista uma fidelização.

22 20 3 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS O trabalho será realizado com o auxílio de pesquisa bibliográfica, que de acordo com Marconi; Lakatos (2010, p.57) pode ser definida como: toda a bibliografia já tornada pública em relação ao tema de estudo, desde publicações avulsas, boletins, jornais, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses, material cartográfico etc.,[sic] até meios de comunicação orais: radio gravações em fitas magnéticas e audiovisuais: filmes e televisão. Será também utilizada a pesquisa documental, com os arquivos do local de pesquisa, ou seja, a secretaria de turismo de São Sebastião, que auxiliem na aplicação das teorias a prática. Definido por Marconi; Lakatos (2010) a Pesquisa documental é uma forma de coleta de dados através de documentos escritos ou não, chamados de fontes primárias: sendo as fontes primárias escritas os documentos compilados pelo autor, como, documentos de arquivos públicos, contratos, estatísticas, cartas, documentos de arquivo privado, e os compilados após o acontecimento, como, diários, autobiografias, relato de visitas a instituições, relatos de viagens entre outros. O trabalho utilizará a Pesquisa de Campo, ou seja, o objeto/fonte é abordado em seu meio ambiente próprio. A coleta dos dados é feita nas condições naturais em que os fenômenos ocorrem, sendo assim diretamente observados (SEVERINO, 2008, p.123). Será utilizado questionário que conforme Marconi; Lakatos (2010, p. 86) é uma forma de coleta de dados através de uma série de questão que são respondidas sem a presença do entrevistador, o entrevistado recebe uma indicação da natureza da pesquisa e de sua importância, para desse modo obter a identificação dos níveis de conhecimento de Línguas estrangeiras (inglês e espanhol) pelos funcionais que lidam diretamente com a função. Os tipos de pesquisas anteriores serão concretizados através do método de abordagem dedutivo segundo esse método, partindo-se de teorias e leis gerais pode-se chegar à determinação ou previsão de fenômenos particulares. (ANDRADE, 2010, p.119) Os procedimentos específicos, ou seja, as técnicas de pesquisa utilizadas no trabalho, segundo Andrade (2010) a documentação indireta com pesquisa

23 21 documental e bibliográfica aqui já citadas. A documentação direta com a observação em campo. Ao utilizar a pesquisa de campo, a ferramenta aplicada é a entrevista padronizada ou estruturada, de acordo com Marconi citado por Andrade (2010, p.132): Consiste em fazer uma série de perguntas a um informante, segundo um roteiro preestabelecido. Esse roteiro pode ser um formulário que será aplicado da mesma forma a todos os informantes, para que se obtenham respostas às mesmas perguntas. O teor e a ordem das perguntas não devem ser alterados, a fim de que se possam comparar as diferenças entre as respostas dos vários informantes, o que não seria possível se as perguntas fossem modificadas ou sua ordem alterada.

24 22 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO Nessa etapa do trabalho serão apresentados os resultados obtidos através dos questionários aplicados aos funcionários que atendem os visitantes da cidade de São Sebastião em sua região central e também dados fornecidos do próprio centro de informações turísticas relacionados com as hipóteses anteriormente apresentadas. O universo analisado é de apenas 4 atendentes, que se intercalam em escala para o atendimento no centro de informações turísticas na Rua da Praia e outro situado na Rodoviária da cidade. Revelando um contingente reduzido atendendo a demanda atual. Na questão 1 que será analisada juntamente com as questões 2 e 3, que questiona se o funcionário fala outro idioma além da Língua Portuguesa, a as respostam mostram que 75% falam outro idioma constando um falante de nível intermediário de alemão e nível básico de inglês, outro fluente em inglês e espanhol e um com nível de espanhol intermediário e inglês básico, e nos 25% está o funcionário que não possui conhecimentos em outra língua, este último uma vez sozinho, para efetuar o atendimento pode não realiza-lo de forma satisfatória. Na pergunta 4 que questiona o interesse do funcionário em aprender outro idioma os números de interesse pelo novo conhecimento são unânimes e nos apontamentos da motivação desse interesse está o intuito de facilitar a comunicação, e melhorar a orientação dos turistas. Na questão 5 qual é a maior dificuldade de aprender um novo idioma, 3 dos questionados apresentaram como maior dificuldade o fator tempo o que coincide com o resultado do trabalho de Oliveira (2012) realizado na iniciativa privada, em que 30% dos entrevistados apontaram como dificuldade de aprender um novo idioma, também o fator tempo e juntamente com o fator financeiro em sua pesquisa apontou 20%. Ainda na questão 5 houve ainda apontamento de dificuldade de aprender por falta de interesse por determinados idiomas, e outro, pelos professores não se dedicarem a ensinar. Na questão 6 quais as línguas mais requisitadas pelos visitantes estrangeiros todos os apontamentos recaíram primeiramente sobre a língua Inglesa

25 23 e três deles apontaram também espanhol, como fora visto no item 2.1 deste trabalho o inglês se apresenta fortemente enraizado na cultura mundial, e na SECTUR pode ser visto com mais clareza após a análise dos dados estatísticos mensais que são contabilizados, que tratam da frequência de visitantes que vão até o centro de informações turísticas. Esses dados mostram que a maior incidência de visitantes são do continente europeu chegando ao valor de 41% no ano de 2010, mais comumente provenientes da Alemanha, que apresentam frequência variando em torno de 10% a 20%, ainda em 2010 a porcentagem de visitantes provenientes da América do Sul empatou com o continente europeu, dando destaque para a Argentina que tem frequência de visitas de variam mensalmente em torno de 15% a 30%, mas, há ainda outros países que são apontados também nos dados, com menor expressão como China, Filipinas, Suíça, França, Inglaterra, Estados Unidos, Holanda, Espanha entre outros. Na questão 7 Qual o tipo de visitante, requerendo um atendimento em língua estrangeira é mais frequente no centro de informação turística os quatro questionados apresentaram que o visitante que está a passeio é o que busca a informação, mesmo havendo uma atividade portuária no centro de São Sebastião Na questão 8 Os materiais de suporte como folhetos, guias, site entre outros são suficientes para uma boa comunicação com o visitante estrangeiro nessa questão houve uma discordância entre o respondentes, em que metade afirma que os materiais são suficientes e o restante que não são, o que pode ser observado nos materiais que alguns estão escrito em português e inglês enquanto alguns somente em português e o site oficial de São Sebastião voltado ao turismo apresenta interface em Português e Inglês. Já na questão 9 Realizar a comunicação com o visitante em sua língua de origem, é um atendimento de qualidade um dos entrevistados não vê esse atendimento como sendo de qualidade pelo motivo de que o visitante deva saber o mínimo do idioma do local e três dos questionados responderam positivamente a questão, o porque foi apresentado como sendo a resposta clara e direta dada ao visitante o que leva ao item deste trabalho em que Paladini (2012) expõe a qualidade não está em um único fator, ela deve ter diversas abordagens afim de se adequar identificando pelo modo como o cliente irá escolher o produto ou serviço, sendo necessário que o ofertado pela empresa seja o que o cliente deseja, que corresponda suas expectativas que o satisfaça e assim o fidelize.

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa 6 Metodologia Apresento neste capítulo a metodologia utilizada nesta pesquisa, o contexto em que ocorreu a coleta de dados, os participantes, os instrumentos usados e os procedimentos metodológicos para

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO - ABC INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA - IICA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E

Leia mais

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Roteiro para projeto de pesquisa Gildenir Carolino Santos, 2005. 1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Antes de passar para a construção ou montagem de um projeto de pesquisa, é importante saber que esse

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo

Leia mais

PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL - PRV

PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL - PRV 1 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL - PRV 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO DE PESSOAS 1.1 Histórico da Prática Eficaz A Nova Escola tem aplicado a Meritocracia como um recurso na Gestão de

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS

INCUBADORA DE EMPRESAS INCUBADORA DE EMPRESAS INCUBADORA DE EMPRESAS BARÃO DE MAUÁ - IEBM TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE GESTÃO DE NEGÓCIOS. Contatos Domingos Sávio de Carvalho (Gerente Operacional do Projeto)

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida.

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida. A Dehlicom Soluções em Comunicação é a agência de comunicação integrada que busca divulgar a importância da comunicação empresarial perante as empresas e todos os seus públicos, com atendimento personalizado

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939 TURISMO DE AVENTURA: ANÁLISES E QUESTIONAMENTOS SOBRE O PROCESSO DE CRIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG

O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG Caroline Passatore¹, Dayvid de Oliveira¹, Gustavo Nunes Bolina¹, Gabriela Ribeiro¹, Júlio César Benfenatti Ferreira² 1

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho

Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho PROJETO DE PESQUISA INTRODUÇÃO (O QUE É O TEMA?) Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Desenvolver genericamente o tema Anunciar a idéia básica Delimitar o foco da pesquisa

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO

FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA TURISMO PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 4 JANEIRO DE 2006 FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO GUARALDO, Tamara de S. Brandão ACEG Faculdade de Ciências Humanas docente

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES CAMBRIDGE ENGLISH E UNOi

PERGUNTAS FREQUENTES CAMBRIDGE ENGLISH E UNOi PERGUNTAS FREQUENTES CAMBRIDGE ENGLISH E UNOi ANTES DO EXAME O que é a parceria entre UNOi e Cambridge English? Por que eu devo prestar os exames Cambridge English? Quais são os exames? O que é o Placement

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O PROJETO DE PESQUISA Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Escolher um tema de pesquisa Por onde começar? Ler para aprender Estrutura do Projeto de Pesquisa A Definição

Leia mais

REVEL NA ESCOLA: LINGUÍSTICA APLICADA A CONTEXTOS EMPRESARIAIS

REVEL NA ESCOLA: LINGUÍSTICA APLICADA A CONTEXTOS EMPRESARIAIS MÜLLER, Alexandra Feldekircher. ReVEL na Escola: Linguística Aplicada a Contextos Empresariais. ReVEL. v. 11, n. 21, 2013. [www.revel.inf.br]. REVEL NA ESCOLA: LINGUÍSTICA APLICADA A CONTEXTOS EMPRESARIAIS

Leia mais

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM (TÍTULO DO PROJETO) Acadêmico: Orientador:

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM (TÍTULO DO PROJETO) Acadêmico: Orientador: INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM (TÍTULO DO PROJETO) Acadêmico: Orientador: São Luis 2015 (TÍTULO DO PROJETO) (NOME DO ALUNO) Projeto de Pesquisa do Programa

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Autora: MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autora: MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA PERSPECTIVAS PARA OS CURSOS TÉCNICOS DO EIXO HOSPITALIDADE E LAZER: um estudo de caso aplicável ao Curso Técnico de Nível Médio em Eventos da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco.

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011

Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011 Investimentos no Brasil: Hotéis & Resorts -2011 INVESTIMENTOS NO BRASIL: HOTÉIS & RESORTS - 2011 Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Ministrantes: Anita Maria da Rocha Fernandes César Albenes Zeferino Maria Cristina Kumm Pontes Rafael Luiz Cancian Itajaí,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro O estudo Destaques Os 10 principais emissores 10 Chegadas internacionais Viagens domésticas Cidades sedes Viagens dos brasileiros ao exterior

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

Desenvolvimento econômico e social no Brasil e a qualificação profissional num mundo globalizado

Desenvolvimento econômico e social no Brasil e a qualificação profissional num mundo globalizado Desenvolvimento econômico e social no Brasil e a qualificação profissional num mundo globalizado Edson Tomaz de Aquino 1 Resumo: Este artigo apresenta uma reflexão sobre os desafios do Brasil em competir

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 2013 Jaciara-MT 2013 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO FORMATO Os trabalhos acadêmicos devem ser em conformidade com os apontamentos a seguir. Papel branco, Formato A4 (21

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

Boletim Benchmarking Internacional. Extensão Tecnológica

Boletim Benchmarking Internacional. Extensão Tecnológica Boletim Benchmarking Internacional Extensão Tecnológica Dezembro de 2012 Apresentação Visando contribuir para os objetivos estratégicos do SEBRAE, são apresentadas neste boletim informações relacionadas

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

componente de avaliação de desempenho para sistemas de informação em recursos humanos do SUS

componente de avaliação de desempenho para sistemas de informação em recursos humanos do SUS Informação como suporte à gestão: desenvolvimento de componente de avaliação de desempenho para sistemas de Esta atividade buscou desenvolver instrumentos e ferramentas gerenciais para subsidiar a qualificação

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Apresentação A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 Fase 2 apresenta a visão do empresário do transporte

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino Escolher o Sponte Educacional é escolher inteligente Sistema web para gerenciamento de instituições

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Centro Universitário de Belo Horizonte Uni-BH Curso de Relações Internacionais Laboratório Pedagógico de Relações Internacionais I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Por que temos um Estudo de Competitividade?

Por que temos um Estudo de Competitividade? Por que temos um Estudo de Competitividade? Criação de índices nos ajuda a conhecer as dificuldades do destino turístico. O estudo proporciona informações para a elaboração de planos de ação mais objetivos.

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM RESTAURANTES E A QUALIFICAÇAO PROFISSIONAL

A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM RESTAURANTES E A QUALIFICAÇAO PROFISSIONAL A PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM RESTAURANTES E A QUALIFICAÇAO PROFISSIONAL Junior Heberle 1 Esp Luziane Albuquerque 2 RESUMO Este artigo busca enfocar a questão da qualidade no atendimento nos restaurantes

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Cruzeiro SP 2008 FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Projeto de trabalho de formatura como requisito

Leia mais

Programas de Aulas de Língua Inglesa para Adolescentes de Baixa Renda e a Possível Influência na Qualidade de Vida

Programas de Aulas de Língua Inglesa para Adolescentes de Baixa Renda e a Possível Influência na Qualidade de Vida 3 Programas de Aulas de Língua Inglesa para Adolescentes de Baixa Renda e a Possível Influência na Qualidade de Vida Ana Paula Cavallaro Pedagoga Especialista em Gestão da Qualidade de Vida - UNICAMP INTRODUÇÃO

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil Ponto de vista 40 Metodologia para um índice de confiança E expectativas das seguradoras no Brasil Francisco Galiza Em 2012, no Brasil, algumas previsões econômicas não fizeram muito sucesso. Por exemplo,

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

A compra de TI e as redes sociais

A compra de TI e as redes sociais Solicitada por A compra de TI e as redes sociais Como as redes sociais transformaram o processo de compras B2B e as melhores práticas para adaptar as suas estratégias de marketing à nova realidade BRASIL

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999)

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) BIREME/OPAS/OMS BVS Saúde Pública Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) 1. Introdução Este documento descreve o projeto para o desenvolvimento

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

Planejamento de Marketing

Planejamento de Marketing PARTE II - Marketing Estratégico - Nessa fase é estudado o mercado, o ambiente em que o plano de marketing irá atuar. - É preciso descrever a segmentação de mercado, selecionar o mercado alvo adequado

Leia mais

Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Cavalcanti

Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Cavalcanti Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Técnicas de Pesquisa Técnica: Conjunto de preceitos ou processos de que se serve uma ciência. Toda ciência utiliza inúmeras técnicas na obtenção

Leia mais