O BRASIL NO CONTEXTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS: A REALIZAÇÃO DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O BRASIL NO CONTEXTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS: A REALIZAÇÃO DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015"

Transcrição

1 GRUPO TEMÁTICO EM DIREITO E DESENVOLVIMENTO O BRASIL NO CONTEXTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS: A REALIZAÇÃO DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015 Felipe Peixoto de Brito Aluno de graduação em Direito da UFRN, Natal RN Marcus Mendonça Gonçalves de Jesus Aluno de graduação em Direito da UFRN, Natal RN O presente trabalho tem como objetivo discorrer sobre as características da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que ocorrerão no Brasil em 2015, bem como as potencialidades que tal espetáculo em prol do desenvolvimento do país, nos âmbitos social, econômico e ambiental. Nesse contexto, o direito tem o papel de servir de instrumento para que sejam aplicadas as disposições constitucionais e legais para a defesa das minorias no Estado Democrático de Direito, mais precisamente das minorias indígenas existentes no país, que ainda sofrem com problemas relativos ao acesso a serviços básicos e a exclusão social, por exemplo. O referido evento contará com uma infraestrutura baseada em características próprias das etnias nativas tanto para hospedar, como permitir as competições esportivas, fato que corrobora com a valorização e o respeito às tradições e a história dos povos autóctones nacionais. Há muitos interesses envolvidos na realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, inclusive, interesses de entidades privadas, como empresas de turismo, hotéis e emissoras de televisão, mas este trabalho objetiva ressaltar que o interesse coletivo é o que deve ter primazia, tanto na busca por abrir possibilidades às etnias indígenas de fazer suas reivindicações e buscar soluções para seus problemas, bem como na proteção do patrimônio imaterial desses povos e a criação de políticas públicas que visem a efetiva oferta de serviços de saúde e educação para as populações da região Norte do país, o desenvolvimento sustentável e a inclusão social por meio do esporte. Este trabalho está relacionado às atividades da base de pesquisa em Direito e Desenvolvimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e conta com o financiamento e apoio dessa agência fomentadora da pesquisa. Palavras-chave: Jogos Mundiais Indígenas. Direito. Desenvolvimento. Megaevento esportivo.

2 1 INTRODUÇÃO O Brasil tem sido sede de megaeventos esportivos, como os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro de 2007, a Copa do Mundo de Futebol da FIFA em 2014 e será sede dos Jogos Olímpicos de verão no Rio de Janeiro em Nesse rol de espetáculos, o país será sede também da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em 2015, um megaevento esportivo dotado de características próprias e com grande potencial de valorização da cultura das etnias indígenas existentes no Brasil e no mundo, bem como para a atração de investimentos em prol do desenvolvimento econômico, humano e proteção ambiental nas áreas habitadas pelos nativos. Nesse contexto, um dos aspectos mais importantes desses jogos é a possibilidade que eles têm de oferecer visibilidade aos problemas enfrentados pelas minorias autóctones no Brasil e no mundo, como a marginalização, a falta de acesso a serviços sociais básicos e as disputas pela posse de suas terras originais com latifundiários e garimpeiros, por exemplo. O evento contará com a participação de delegações indígenas de diversos países e para tanto contará com uma infraestrutura e competições de modalidades esportivas que refletem os hábitos e comportamentos das etnias nacionais, fato que serve também como divulgação e valorização dos aspectos culturais desses povos, solidificando a identidade histórica deles. O Ministério do Esporte assume a liderança e a organização desse evento, por isso, como um órgão público, espera-se que ele proporcione e aplique os investimentos financeiros e humanos em prol da construção de um legado que seja aproveitado pelas futuras gerações. Para tanto, o direito deve ser um elo entre a ocorrência desse espetáculo e o desenvolvimento, prevendo a aplicação das disposições constitucionais e infraconstitucionais em defesa dos povos indígenas. Dessa forma, este artigo discorrerá sobre os aspectos estruturais e a importância desse megaevento esportivo, sua idealização e os interesses envolvidos em sua ocorrência e os possíveis impactos que ele trará para o Brasil e como ele poderá servir de exemplo para as edições posteriores. 2 OS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS COMO MEGAEVENTO ESPORTIVO: HISTÓRIA E CARACTERÍSTICAS O Brasil já realizava competições indígenas, 12 ao total, sendo a última delas na capital mato-grossense, Cuiabá em 2013, em que nessa edição participaram também etnias estrangeiras. Nessa ocasião, autoridades de 17 países, incluindo o Brasil, e índios de 48 etnias

3 nacionais reuniram-se com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e com o coordenador-geral de políticas esportivas indígenas, Rivelino Macuxi, para debater a criação dos Jogos Mundiais Indígenas. Entretanto, as pretensões de se realizarem os Jogos Indígenas são mais antigas, desde 1980 busca-se realizar uma competição esportiva com os nativos, fato que só se concretizou em 1996 com a realização dos primeiros jogos indígenas em Goiânia (DESTINO, p. internet). Os municípios de Belém, Marabá e Palmas se candidataram para sediar o evento, tendo sido este o vencedor, confirmado em 2014 pelo Ministério do Esporte e o Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena (ITC) e com isso, tal localidade da região Norte realizará a competição entre os dias 18 e 27 de setembro de 2015 (LEITE, 2015, p. internet). Do próprio estado de Tocantins participarão sete etnias, além de outros povos nativos do Brasil e também dos seguintes países: Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Filipinas, Finlândia, Guatemala, Guiana Francesa, Japão, México, Nicarágua, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Paraguai, Peru, Rússia, Uruguai e Venezuela (I JOGOS, 2015, p. internet). Dentre as modalidades a serem praticadas nesses jogos representam atividades físicas comumente realizadas pelos povos indígenas em seus ambientes de vida, assim, haverá competições de tiro com arco e flecha, arremesso de lança, cabo de força, corrida de velocidade rústica (100 metros), canoagem rústica tradicional, corrida de tora, lutas corporais, Xikunahati (tipo de futebol em que a bola é movida com a cabeça), futebol de campo, atletismo e natação (travessia em rios) (I JOGOS, 2015, p. internet). Os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas representam um megaevento esportivo, devido à amplitude e visibilidade que eles terão, recebendo delegações estrangeiras e altos investimentos, ainda que os números sejam inferiores aqueles investidos para a realização do Pan-americano, Copa do Mundo de Futebol Fifa e os Jogos Olímpicos, por exemplo. Sendo que diferentemente desses eventos maiores, os Jogos Indígenas primam não pela construção de grandes instalações e obras para as competições e sim, a visibilidade social dos povos participantes. A atuação de entes públicos será significativa na organização e nos investimentos para que os Jogos em Palmas aconteçam, o que inclui o Ministério do Esporte e o município de Palmas. O Ministério do Esporte investirá aproximadamente 8 milhões de reais em despesas como o transporte das delegações, inclusive as estrangeiras, alimentação e hospedagem. Já o município de Palmas planeja investir cerca de 60 milhões a 70 milhões de reais para a construção da infraestrutura necessária (LEITE, 2015, p. internet).

4 No arcabouço de obras para os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em Palmas, têmse as obras de mobilidade, a construção de uma vila olímpica composta por 22 ocas para hospedar as tribos brasileiras (LEITE, 2015, p. internet), além de oca digital, praça de alimentação com comidas típicas, refeitório, museu do índio e feira de artesanato, além de instalações esportivas, como a Grande Arena, reforma do Estádio Nilton Santos, Raia Olímpica e Centro de Iniciação ao Esporte (DESTINO, p. internet). Do ponto de vista jurídico, a Constituição Federal dedica parte de seu texto à proteção e o reconhecimento dos direitos civis e políticos dos índios, como pode ser verificado nos artigos 231 e 232. Dentre as disposições constitucionais em prol dos nativos brasileiros há o reconhecimento de seus costumes e o dever da União de proteger os bens desses grupos étnicos. O texto constitucional é reforçado pela Lei Federal nº 6.001/1973, o Estatuto do Índio, a qual enuncia em seu art. 2º, caput, a obrigação da União, dos Estados, dos Municípios, e dos órgãos das respectivas administrações indiretas, nos limites de sua competência, proteger as comunidades indígenas e a preservar os direitos delas, o que inclui o dever de executar, sempre que possível mediante a colaboração dos índios, os programas e projetos tendentes a beneficiar as comunidades indígenas, como consta no inciso VII do referido artigo. Dessa forma, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas atendem diretamente aos objetivos constitucionais e infraconstitucionais de valorização e proteção dos bens culturais dos autóctones brasileiros, principalmente no que se refere ao patrimônio imaterial, manifestado por meio das práticas esportivas. Vale salientar que é obrigação do Estado fomentar as práticas desportivas formais e não formais, segundo o art. 217, caput, da Constituição Federal e não se pode olvidar que aos índios se estendem todos os direitos consagrados no texto constitucional. 3 OS DIREITOS HUMANOS NOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS A partir do advento das grandes navegações que ocorreram, preponderantemente, entre os séculos XV e XVII, as poderosas nações imperialistas europeias iniciaram o processo de descoberta e colonização das novas terras além mar. Uma dessas novas terras consubstanciouse no continente americano, no qual está localizada, na parte sul, a atual República Federativa do Brasil. Esse foi um período muito difícil para os povos nativos, para as comunidades indígenas, ocorrendo desde trocas de serviços desfavoráveis para os indígenas (como o escambo, no qual os colonizadores ofereciam instrumentos comuns das suas nações, como

5 facas e espelhos, em troca de mão-de-obra dos denominados índios), e posteriormente a escravização dos povos nativos. Além de todos os males que a escravização dos índios (apesar de menor que a dos povos africanos) trouxe para essas comunidades, ainda houve um processo de dizimação dos índios, tanto por doenças trazidas pelos exploradores europeus, quanto pelo puro e cruel assassinato dos índios, por motivos que variavam desde a violência gratuita até mesmo por motivos de tomada de terras e riquezas em poder dos nativos. Com isso o número de índios que se encontravam na região onde hoje está o Brasil, foi brutalmente reduzido, e hoje as poucas comunidades indígenas que ainda restam consubstanciam-se em verdadeiras fontes de riquezas antropológicas e culturais. Mais recentemente, puxando o gancho da Segunda Grande Guerra Mundial ocorrida no século XX, após todas as atrocidades cometidas entre as nações, temos a criação de toda uma estrutura globalizada para garantir os chamados direitos humanos, que buscam garantir um mínimo de dignidade para cada ser humano habitante do nosso planeta, independentemente de nacionalidade, credo, língua, gênero, orientação sexual e etnia, por exemplo. Resta claro que todas as pessoas beneficiaram-se com o processo de reconhecimento dos direitos humanos. E isso tem a ver com os povos indígenas na medida em que materializam-se em comunidades étnicas que foram historicamente reduzidas e marginalizadas, mas que hoje gozam de todas as garantias trazidas pelos direitos humanos e que são extremamente necessárias para a preservação desses povos, que devem receber uma atenção especial do Estado pois que sua cultura, história e existência no mundo moderno são verdadeiros patrimônios imateriais para o país e para o mundo. Em âmbito nacional, os índios têm papel tão importante para a nossa cultura e formação como nação que possuem um capítulo próprio na nossa Carta Maior de 1988: o Capítulo VIII (Dos Índios), inscrito no Título VIII (Da Ordem Social), com dois artigos específicos, como citado anteriormente, os artigos 231 e 232. Importantes garantias traz o caput do art. 231, CF/88, ao reconhecer aos índios suas tradições, línguas, crenças, costumes e organização social, além dos direitos originários sobre as terras tradicionalmente ocupadas por suas comunidades. E se esses direitos não forem respeitados, o que pode ser feito para proteger esses povos? Faz-se mister notar que apesar da nossa Constituição ter garantido expressamente em seu inciso XXXV do artigo 5º o princípio do acesso à justiça, ao dispor que as normas infraconstitucionais não excluirão da análise do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito, o Poder Constituinte fez questão de frisar no art. 232 que os povos indígenas são legítimos para

6 ingressar no Judiciário a fim de defender os seus direitos e interesses, com intervenção do Parquet em todos os atos processuais. Daí, percebe-se a fundamental importância das comunidades indígenas para o País, não basta uma garantia geral de defesa dos seus direitos em juízo, também há dispositivo constitucional específico nesse sentido, como demonstrado alhures. Destaca-se também, em sede do que dispõe o Estatuto do Índio (Lei nº 6.001/1973), Título I (Dos Princípios e Definições), art. 2º, inciso X, que é da competência da União, dos Estados e dos Municípios, comtemplados os órgãos das administrações indiretas desses entes federativos, a garantia da promoção dos direitos civis e políticos dos povos indígenas. Ou seja, durante a realização dos Jogos Mundiais no Brasil, tanto a União, como o Estado e o município poderão colaborar para a efetiva realização dos jogos e esportes compreendidos no megaevento, assegurados sempre os direitos dos indígenas. Mesmo com a Constituição possuindo dispositivos protetivos para as comunidades indígenas, na prática, nem sempre esses direitos e garantias são efetivamente cumpridos. O diálogo social deve continuar para que os índios façam valer os seus direitos, em especial, com a necessidade de um maior desenvolvimento da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) que intermedia a interação contínua entre comunidades indígenas e Estado, pois com a FUNAI enfraquecida, dificilmente os índios terão como desenvolver-se plenamente, e não existirá uma verdadeira sociedade brasileira multiétnica (SANTOS, 2005, p. 82). Apesar das críticas ao efetivo exercício dos direitos constitucionais consagrados em favor das comunidades indígenas, cumpre frisar que a Constituição Federal de 1988 trouxe uma significativa mudança ao proclamar em seu art. 22, XVI que a União pode legislar sobre populações indígenas. Ora, a Constituição anterior, a de 1967 previa a competência exclusiva da União para legislar sobre os povos indígenas, todavia, também previa em seu art. 8º, XVII, alínea o (EC1/69) que também era de competência da União legislar sobre a incorporação dos povos indígenas à comunhão da nação. Na Carta Magna vigente não existe mais os termos de incorporação, agregação ou seus sinônimos, e essa é a grande inovação. Sob a redação de incorporação, vigente na Constituição de 1967, enormes injustiças sociais foram cometidas contra os povos indígenas, praticadas tanto por entes privados, quanto por entes públicos, que muitas vezes, por exemplo, se omitiam a proporcionar um tratamento adequado e diferenciado aos povos indígenas sob o argumento da incorporação deles à comunhão do Estado (BARBOSA; BARBOSA; BARBOSA, 2011, p. 188). Sobre os direitos humanos especificamente nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas é preciso destacar a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas,

7 aprovada pela Assembleia Geral da ONU em sua 107ª Sessão Plenária, em 13 de setembro de Essa Declaração de abrangência internacional foi proclamada em consonância com uma necessidade histórica de se proteger o patrimônio imaterial para a humanidade que representa a manutenção e desenvolvimento culturas indígenas. Nesse sentido, o artigo 31 dessa declaração internacional assegura expressamente, em seu primeiro parágrafo, aos indígenas, a proteção e desenvolvimento do seu patrimônio cultural, conhecimentos, expressões, manifestações, recursos humanos e energéticos, artes, e, inclusive, os seus esportes e jogos tradicionais. Enquanto que o segundo parágrafo desse dispositivo garante medidas a fim de reconhecer e proteger o efetivo exercício desses direitos. Interessante notar que o fomento e desenvolvimento dos esportes e jogos tradicionais da cultura indígena são expressamente assegurados pela Declaração, fornecendo assim uma legitimidade plena direta em âmbito internacional para a realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, como uma verdadeira concretização dos direitos dos indígenas. 4 IMPACTOS ECONÔMICOS, POLÍTICOS E SOCIAIS DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015 Ainda que os Jogos Mundiais Indígenas estejam para acontecer, algumas repercussões podem ser deduzidas mediante a análise dos investimentos e planejamento para a ocorrência de tal evento. Comparando com um megaevento esportivo como a Copa do Mundo Fifa de 2014, que foi criticada por servir acima de qualquer coisa aos interesses de sua entidade organizadora e de grandes empresas, bem como por representar uma mercantilização do esporte, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas trazem como primeiro impacto a inevitável visibilidade dos grupos étnicos participantes, sejam do Brasil ou dos outros países, o que ampliará pelo mundo o conhecimento a respeito da cultura e da identidade histórica desses povos. É possível que nesse contexto, antigas reivindicações de cunho social e político dos povos nativos sejam revistas e atendidas, tanto em nível nacional, como internacional, o que poderia incluir, por exemplo, o compromisso de os Estados Nacionais realizarem cooperações entre si com o intuito de reforçar a proteção aos seus respectivos autóctones. Além dos indígenas, há na região Norte do Brasil outros grupos humanos que padecem com a ausência de serviços básicos, como as chamadas populações ribeirinhas, que retiram seu sustento e meios de sobrevivência da pesca ou do extrativismo vegetal, o qual envolve a coleta de itens como o açaí, cupuaçu, copaíba e o látex, por exemplo.

8 Da mesma forma, como qualquer megaevento esportivo, há um potencial para atrair turistas e com isso, fomentar as atividades hoteleira, comercial e de oferta de variados bens e serviços, podendo gerar empregos diretos e indiretos. Mas, para tanto, há a necessidade de que o Ministério do Esporte também desenvolva uma política de marketing que mostre as atrações naturais e culturais a serem oferecidas no local sede. No próprio âmbito esportivo, é válido ressaltar o papel do esporte como agente de inclusão social, tirando jovens da marginalidade e dando novas perspectivas de vida para muitos indivíduos. Por isso, a infraestrutura esportiva desenvolvida para as competições desse evento deve ser usada no pós-evento para a realização de atividades esportivas e de lazer para os habitantes da área, reunindo várias modalidades, como aquelas praticadas pelos indígenas por ocasião do evento, como outras mais comuns em nível nacional. Na área ambiental, é sabido o quanto a Floresta Amazônica vem sendo devastada para a retirada ilegal de madeira ou para a ampliação da agricultura latifundiária, bem como o extrativismo mineral tem ocasionado a poluição das águas doces e contribuído junto às outras duas atividades para a degradação de espécies animais e vegetais. Isso implica a necessidade de que se ampliem as ações de preservação dos ecossistemas da região amazônica, fazendo valer a disposição do art. 225 da Constituição Federal de 1988, que garante a todos o direito a um meio ambiente equilibrado e a obrigação do Poder Público e da coletividade em preserválo. Em relação à cultura e ao patrimônio imaterial, os efeitos do referido evento não devem se ater ao seu curto período de ocorrência e a alguns grupos, mas antes de tudo, deve contribuir com a difusão de benefícios socioambientais e culturais para os que vivem na região Norte, o que inclui o uso das instalações esportivas, do museu indígena que está sendo construído e também da ocorrência periódica de feiras e mostras baseadas nas manifestações artísticas e na história dos que ali vivem, uma vez que também cabe ao Estado garantir o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional e proteger as manifestações das culturas populares, indígenas e afrodescendentes, como se verifica no art. 215 da Constituição Federal de Portanto, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas para servir como um instrumento de efetivação de direitos sociais deve conter em seu planejamento os investimentos maciços em mobilidade, seja por meio de rodovias ou hidrovias (já que o transporte aquaviário é muito comum nessa região), bem como a criação de políticas de fomento ao ecoturismo, de valorização das atividades econômicas das pessoas de baixa renda da região Norte e para o aumento na fiscalização e proteção de todo bioma amazônico, e ainda mais, a promoção da

9 sustentabilidade ambiental, agregando as necessidades econômicas das populações tradicionais com o uso racional dos amplos recursos naturais daquela região e a busca para a promoção da qualidade de vida dos indivíduos envolvidos, alcançando as gerações futuras. 5 LEGADO E REPERCUSSÕES EM POTENCIAL DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS NO BRASIL Um dos maiores legados que permanecerão para o Brasil, decorrente da realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em território brasileiro, é a possibilidade de maior desenvolvimento e preservação da cultura indígena como patrimônio cultural imaterial direto do Brasil, dos países que têm povos indígenas participantes no megaevento esportivo e do mundo, de forma geral. Sobre a cultura indígena como patrimônio imaterial, é preciso frisar os artigos 215 e 216 da Constituição Federal de Da interpretação desses artigos, percebe-se que a conservação da memória dos povos indígenas tem um certo caráter programático, todavia, é a manutenção e desenvolvimento da cultura indígena que tem a maior possibilidade de proporcionar a esses povos uma vida futura mais digna, com seus direitos respeitados (LAGRASTA NETO, 2011, p. 182). Destaca-se também que o 1º do artigo 215 da CF/88 garante expressamente que o Estado deverá proteger as manifestações indígenas. Um exemplo de manifestação indígena refere-se justamente à realização de seus esportes e competições, que visualiza-se, entre outras práticas, na realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Esse megaevento esportivo dos povos indígenas de todo o mundo representa, ainda, a materialização de parte do artigo 31 da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, que prevê, entre outras garantias, o fomento pelos Estados dos esportes e jogos tradicionais das comunidades indígenas. Essas comunidades, como repercussão em potencial da realização dos jogos, terão a oportunidade de se integrar em nível internacional umas com as outras. Esse tipo de integração pode ser significativamente benéfico para as diferentes culturas indígenas existentes pelo mundo, pois na medida em que as comunidades são diferentes, elas têm a possibilidade de fazer intercâmbios de práticas de implementação dos direitos e costumes indígenas em seus respectivos países de origem, ampliando a proteção aos seus direitos, e divulgando o patrimônio cultural dessas etnias em nível global, não se

10 restringindo mais ao âmbito local, consubstanciando-se assim no legado imaterial do megaevento esportivo. 6 CONCLUSÃO Vislumbra-se que foi muito positiva e estratégica a escolha do Brasil como país-sede da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, devido a três principais fatores. Um dos fatores é que nosso país tem sediado, recentemente, diversos megaeventos esportivos como os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro de 2007, a Copa do Mundo de Futebol da FIFA em 2014, além de ser a sede dos Jogos Olímpicos de verão no Rio de Janeiro em Logo, experiência e visibilidade internacional na realização de megaeventos esportivos não faltam. O segundo fator é a densa proteção jurídica promovida pelo Brasil aos direitos dos indígenas, uma proteção que têm envergadura constitucional, infraconstitucional e até em âmbito internacional. Em âmbito constitucional há um capítulo especificamente dedicado aos direitos das comunidades indígenas: Capítulo VIII (Dos Índios), inscrito no Título VIII (Da Ordem Social), que abrange os artigos 231 e 231, os quais trazem, respectivamente, garantias de propriedade, manifestação, cultura, organização, crenças, línguas e tradições dos índios, além do direito de fazer valer essas garantias em juízo, havendo uma aplicabilidade específica expressa do princípio do acesso à justiça para essas comunidades. Na seara infraconstitucional destaca-se o Estatuto do Índio (Lei Federal /1973) que traz disposições sobre os princípios a serem aplicados aos indígenas como a prestação dos meios ao seu desenvolvimento, a livre escolha das formas de vida e subsistência, a posse permanente das terras que habitam, entre outros princípios. Essa legislação federal também aborda os direitos civis e políticos, a assistência ou tutela, o registro civil, as condições de trabalho, disposições sobre as terras dos índios, os seus bens e rendas, a educação, a cultura e a saúde, além de normas penais específicas. Em âmbito internacional ressalta-se a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, aprovada pela Assembleia Geral da ONU em 13 de setembro de Essa declaração é especialmente importante para a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, visto que o dispositivo 31 assegura o desenvolvimento dos jogos indígenas. Essa garantia é intensamente significativa para a concretização desse megaevento esportivo. O terceiro fator principal é a história do Brasil que está intimamente relacionada com as tradições e cultura dos povos que aqui viviam, antes da chegada dos exploradores

11 europeus, e até hoje vivem, apesar de reduzidos numericamente. Houve épocas muito críticas para os índios em território brasileiro, houve muito desrespeito às suas tradições e aos seus direitos legítimos. Nada melhor do que coroar toda uma nova estrutura de proteção jurídica (constitucional, infraconstitucional e internacional) aos índios do que com a celebração da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, em terras brasileiras. Por fim, esse megaevento esportivo trará, como todos os outros ocorridos recentemente em território brasileiro, oportunidades de melhoria da infraestrutura nacional, do desenvolvimento do turismo e da visibilidade internacional do Brasil. Todavia, o grande diferencial dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em relação aos outros megaeventos, é que fomenta a preservação da cultura autóctone como patrimônio cultural imaterial da humanidade, preservando a memória, as tradições, os conhecimentos e a existência em si das diversificadas comunidades indígenas. REFERÊNCIAS I JOGOS Mundiais dos Povos Indígenas: Brasil Disponível em: <http://www.jogosmundiaisindigenas.com/>. Acesso em: 26 fev BARBOSA, Carla Gonçalves Antunha; BARBOSA, João Mítia Antunha; BARBOSA, Marco Antonio. Direito a diferença na sociedade da informação: Os Direitos Indígenas na Constituição Brasileira. In: PIOVESAN, Flávia; GARCIA, Maria (Org.). Grupos vulneráveis. São Paulo: Revista dos Tribunais, Cap. 8. p (Coleção doutrinas essenciais; v. 4). DESTINO Palmas. Jogos Mundiais Indígenas. Disponível em: <http://destinopalmas.com.br/jogos-mundiais-indigenas/>. Acesso em: 25 fev LAGRASTA NETO, Caetano. Breves anotações à Constituição sobre o direito indígena. In: PIOVESAN, Flávia; GARCIA, Maria (Org.). Grupos vulneráveis. São Paulo: Revista dos Tribunais, Cap. 7. p (Coleção doutrinas essenciais; v. 4). LEITE, Almir. Antes do Rio-2016, os povos indígenas terão sua olimpíada. Estadão, São Paulo, 21 fev Disponível em: <http://esportes.estadao.com.br/noticias/geral,antes-dorio-2016-os-povos-indigenas-terao-sua-olimpiada, >. Acesso em: 26 fev SANTOS, Sílvio Coelho dos. Direitos Humanos e o direito dos povos indígenas no Brasil. Ilha Revista de Antropologia, [S.l.], v. 7, n. 1,2, p , jan ISSN Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/1561/1357>. Acesso em: 02 Mar

Os Jogos dos Povos Indígenas.

Os Jogos dos Povos Indígenas. Os Jogos dos Povos Indígenas. 1ª - Goiânia/GO: 1996 Os Jogos dos Povos Indígenas é um evento de competição esportiva criado em 1996 através de uma iniciativa indígena brasileira, do Comitê Intertribal

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988...

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988... CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VIII DOS ÍNDIOS Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,

Leia mais

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (30 vagas) Monitores para acompanhamento de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (30 vagas) Monitores para acompanhamento de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Anexo II Termo de Referência CONSULTOR (30 vagas) Monitores para acompanhamento de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Projeto: a consultoria será realizada no âmbito do projeto BRA/15/003 Organização

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Aula 12 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 Brincadeira Ação de brincar, de entreter, de distrair. Utilizam uma variedade de movimentos corporais e capacidades físicas Caráter

Leia mais

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (5 vagas) Instrutores para formação de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (5 vagas) Instrutores para formação de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Anexo II Termo de Referência CONSULTOR (5 vagas) Instrutores para formação de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Projeto: a consultoria será realizada no âmbito do projeto BRA/15/003 Organização

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO SUB-GRUPO DE TRABALHO DE TRATADOS INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO SUB-GRUPO DE TRABALHO DE TRATADOS INTERNACIONAIS FORMULÁRIO DESCRITIVO DA NORMA INTERNACIONAL Norma Internacional: Convenção para a Salvaguarda do patrimônio Cultural Imaterial Assunto: Proteção do Patrimônio Cultural Imaterial Decreto: 5208 Entrada

Leia mais

EDITAL ONU MULHERES 2011

EDITAL ONU MULHERES 2011 EDITAL ONU MULHERES 2011 O Escritório Sub-Regional da ONU Mulheres para Brasil e países do Cone Sul (Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai) convida organizações da sociedade civil a apresentarem projetos

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003 PORTARIA DPE/SPEAI/MD 983/2003 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003 Aprova a Diretriz para o relacionamento das Forças Armadas com as comunidades

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org De 27 de janeiro a 1º fevereiro de 2009 Belém Pará Brasil Pan-Amazônia O que é o Fórum Social Mundial?

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

FICHA TÉCNICA PROGRAMA DE DEFESA DA MATA ATLÂNTICA ALINHAMENTO ESTRATÉGICO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA INICIATIVA ESTRATÉGICA

FICHA TÉCNICA PROGRAMA DE DEFESA DA MATA ATLÂNTICA ALINHAMENTO ESTRATÉGICO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA INICIATIVA ESTRATÉGICA FICHA TÉCNICA PROGRAMA DE DEFESA DA MATA ATLÂNTICA ALINHAMENTO ESTRATÉGICO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA INICIATIVA ESTRATÉGICA Promover a Defesa do Meio Ambiente Aperfeiçoar e estruturar a atuação do

Leia mais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais Momento do Tipo de Temático Macrodesafio Fortalecer a cidadania Eixo Desenvolvimento Social e Erradicação da Miséria Valor de Referência para Individualização de Projetos em Iniciativas Esferas Fiscal

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.575, DE 2013 (Do Sr. Giovani Cherini)

PROJETO DE LEI N.º 5.575, DE 2013 (Do Sr. Giovani Cherini) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.575, DE 2013 (Do Sr. Giovani Cherini) Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Produtor Cultural, Esportivo e de Ações Sociais. DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades e organizações de assistência social, bem como dos serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NO DIREITO POSITIVO Cíntia Cecília Pellegrini

A INFLUÊNCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NO DIREITO POSITIVO Cíntia Cecília Pellegrini A INFLUÊNCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NO DIREITO POSITIVO Cíntia Cecília Pellegrini RESUMO: Após a Segunda Guerra Mundial, a sociedade internacional passou a ter como principal objetivo a criação de acordos

Leia mais

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Brasília,12 de Dezembro de 2012. O Comitê Brasileiro de Defensoras/es

Leia mais

Declaração de Santa Cruz de la Sierra

Declaração de Santa Cruz de la Sierra Reunião de Cúpula das Américas sobre o Desenvolvimiento Sustentável Santa Cruz de la Sierra, Bolivia, 7 ao 8 de Dezembro de 1996 Declaração de Santa Cruz de la Sierra O seguinte documento é o texto completo

Leia mais

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL 2002 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL A Conferência Geral, Reafirmando seu compromisso com a plena realização dos direitos

Leia mais

O Sistema Internacional de Proteção dos Direitos Humanos nas Questões Indígenas: influência no sistema jurídico brasileiro 1

O Sistema Internacional de Proteção dos Direitos Humanos nas Questões Indígenas: influência no sistema jurídico brasileiro 1 - SEPesq O Sistema Internacional de Proteção dos Direitos Humanos nas Questões Indígenas: influência no sistema jurídico brasileiro 1 Gilberto Schafer 2 1. Introdução O presente projeto de pesquisa tem

Leia mais

MENSAGEM N o 557, DE 2006

MENSAGEM N o 557, DE 2006 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 557, DE 2006 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo de Cooperação no Domínio do Turismo entre a República Federativa

Leia mais

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL Bruna Maria de Oliveira (¹) ; Elcione Trojan de Aguiar (2) ;Beleni Salete Grando (3) 1.Acadêmica

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

Declaração de Salvador

Declaração de Salvador Declaração de Salvador Os Chefes de Estado da República Federativa do Brasil, da República de Cabo Verde, da República da Guiné, da República Oriental do Uruguai, o Vice-Presidente da República da Colômbia,

Leia mais

AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR

AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR Gisele Kava 1 Natália Raquel Niedermayer 2 RESUMO: O trabalho

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS CAPTAÇÃO DE RECURSOS POR MEIO DE INCENTIVOS FISCAIS FEDERAIS Comissão de Direito do Terceiro Setor Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br INCENTIVOS FISCAIS Contexto MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

UNESCO Brasilia Office Representação no Brasil Declaração sobre as Responsabilidades das Gerações Presentes em Relação às Gerações Futuras

UNESCO Brasilia Office Representação no Brasil Declaração sobre as Responsabilidades das Gerações Presentes em Relação às Gerações Futuras UNESCO Brasilia Office Representação no Brasil Declaração sobre as Responsabilidades das Gerações Presentes em Relação às Gerações Futuras adotada em 12 de novembro de 1997 pela Conferência Geral da UNESCO

Leia mais

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL Julho/2013 Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Os brasileiros efetivamente são apaixonados por futebol e quando foi divulgado que

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 Reunidos na cidade de Quebec de 18 a 22 de setembro de 1997, na Conferência Parlamentar das Américas, nós, parlamentares das Américas, Considerando que o

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

Documento Final do Seminário

Documento Final do Seminário Documento Final do Seminário Gestão de Acervos Culturais em Centros de Formação, de Documentação, de Cultura e Museus Indígenas no Brasil Entre os dias 17 e 20 de setembro de 2013, um grupo de 30 pessoas,

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO CONSULTORIA E ASSESSORAMENTO LEGISLATIVO ESTUDO TÉCNICO 1 Nº 2/2015/CAL/MD/CMRJ Assunto: Competência legislativa municipal para dispor sobre comercialização e consumo

Leia mais

O Estudo da Proteção do Meio Ambiente Cultural Segundo a Constituição Federal

O Estudo da Proteção do Meio Ambiente Cultural Segundo a Constituição Federal O Estudo da Proteção do Meio Ambiente Cultural Segundo a Constituição Federal Graziela Feltrin Vettorazzo Formada pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo em 2012, advogada atuando na área do

Leia mais

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP ESPORTE O partido Solidariedade está atento à necessidade do esporte na vida da população. Entendemos que ele é uma importante ferramenta para retirar crianças das ruas e assim, reduzir a violência e o

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Legislação Federal LEI N 7.804, de 18 de julho de 1989 Altera a Lei n 6.938 de 31 de agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação

Leia mais

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL

INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL INCENTIVOS FISCAIS, UMA VISÃO GERAL Danilo Brandani Tiisel danilo@socialprofit.com.br MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade Atividade planejada e complexa: envolve marketing, comunicação,

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau XII CONGRESSO BRASILEIRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE MEIO AMBIENTE PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau FUNDAMENTOS

Leia mais

Projeto OTCA-BID: Marco Estratégico para elaborar uma agenda regional de proteção de povos indígenas em isolamento voluntário e contato inicial

Projeto OTCA-BID: Marco Estratégico para elaborar uma agenda regional de proteção de povos indígenas em isolamento voluntário e contato inicial Projeto OTCA-BID: Marco Estratégico para elaborar uma agenda regional de proteção de povos indígenas em isolamento voluntário e contato inicial Subsídios à participação brasileira no evento e considerações

Leia mais

PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE:

PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE: PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE: Copa do mundo, o mundo em sua escola BRASIL 1 TITULO DO PROJETO: Copa do mundo, o mundo em sua escola PAÍSES PARTICIPANTES:

Leia mais

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES FINAIS ADOTADAS PARA O RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO. Introdução

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES FINAIS ADOTADAS PARA O RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO. Introdução MUS-12/1.EM/3 Rio de Janeiro, 13 Jul 2012 Original: Inglês ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA REUNIÃO DE ESPECIALISTAS NA PROTEÇÃO E PROMOÇÃO DE MUSEUS E COLEÇÕES Rio

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 11ª Reunião da Câmara Técnica de Unidades de Conservação e 36ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 27 e 28 de agosto

Leia mais

A ESET premiará três organizações com licenças de soluções ESET pelo período de 1 ano para todos os equipamentos.

A ESET premiará três organizações com licenças de soluções ESET pelo período de 1 ano para todos os equipamentos. Protegendo Laços. Construindo uma comunidade segura é um Programa de doação de licenças desenvolvido pela ESET América Latina, que tem o objetivo de premiar a iniciativa das organizações sem fins lucrativos

Leia mais

Guia para Boas Práticas

Guia para Boas Práticas Responsabilidade Social Guia para Boas Práticas O destino certo para seu imposto Leis de Incentivo Fiscal As Leis de Incentivo Fiscal são fruto da renúncia fiscal das autoridades públicas federais, estaduais

Leia mais

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL

ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. N o 02/01 ACORDO-QUADRO SOBRE MEIO AMBIENTE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N o 38/95 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

Acordo sobre o Aquífero Guarani

Acordo sobre o Aquífero Guarani Acordo sobre o Aquífero Guarani A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai e a República Oriental do Uruguai, Animados pelo espírito de cooperação e de integração

Leia mais

UNIVERSIDADE ABERTA AOS MOVIMENTOS SOCIAIS

UNIVERSIDADE ABERTA AOS MOVIMENTOS SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA UNIVERSIDADE

Leia mais

DECLARAÇÃO DE QUÉBEC

DECLARAÇÃO DE QUÉBEC DECLARAÇÃO DE QUÉBEC Sobre a preservação do "Spiritu loci" Assumido em Québec, Canadá, em 4 de outubro de 2008 INTRODUÇÃO Reunião na histórica cidade de Québec (Canadá) de 29 de setembro a 4 de outubro,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.755, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica,

Leia mais

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006

Lei do ICMS São Paulo Lei 12.268 de 2006 Governo do Estado Institui o Programa de Ação Cultural - PAC, e dá providências correlatas. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu promulgo a seguinte

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

DOCUMENTO DE PROVIDÊNCIAS AUDIÊNCIA PÚBLICA: COPA DO MUNDO DE 2014 EM CURITIBA E A UTILIZAÇÃO DO POTENCIAL CONSTRUTIVO

DOCUMENTO DE PROVIDÊNCIAS AUDIÊNCIA PÚBLICA: COPA DO MUNDO DE 2014 EM CURITIBA E A UTILIZAÇÃO DO POTENCIAL CONSTRUTIVO DOCUMENTO DE PROVIDÊNCIAS AUDIÊNCIA PÚBLICA: COPA DO MUNDO DE 2014 EM CURITIBA E A UTILIZAÇÃO DO POTENCIAL CONSTRUTIVO AS ENTIDADES E MOVIMENTOS DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA PRESENTES NA AUDIÊNCIA PÚBLICA

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável: idéias sobre a perspectiva da integração 1

Desenvolvimento Sustentável: idéias sobre a perspectiva da integração 1 Desenvolvimento Sustentável: idéias sobre a perspectiva da integração 1 Juliano Varela de Oliveira 2 O Desenvolvimento Sustentável é uma proposta alternativa ao modelo de desenvolvimento com viés puramente

Leia mais

Logo! O nosso site está disponível em Português. Enquanto isso, baixe as regras do concurso em Português clicando aqui. LEMBRE-SE: As candidaturas

Logo! O nosso site está disponível em Português. Enquanto isso, baixe as regras do concurso em Português clicando aqui. LEMBRE-SE: As candidaturas Logo! O nosso site está disponível em Português. Enquanto isso, baixe as regras do concurso em Português clicando aqui. LEMBRE-SE: As candidaturas devem ser em espanhol. PRÊMIO INOVADORES DA AMÉRICA BASES

Leia mais

Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C.

Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C. Puerta Joven. Juventud, Cultura y Desarrollo A.C. Declaração de Princípios Quem Somos Somos uma organização não-governamental dedicada à promoção da liderança juvenil e da participação da cultura da juventude

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012 PROJETO DE LEI Nº 128/2012 Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, com a finalidade de incluir no Calendário Oficial de Eventos da Cidade de São Paulo o Dia Municipal de Combate a Homofobia, a

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Prof. Claudimar Fontinele Em dois momentos a ONU reuniu nações para debater

Leia mais

DIREITO CIVIL NO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO

DIREITO CIVIL NO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO DIREITO CIVIL NO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO GOMES, Alessandro. alefot@bol.com.br Resumo: O trabalho aqui apresentado, como uma exigência para a conclusão do módulo Direito Civil no Empreendimento Turístico,

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Fixa normas para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum relativas

Leia mais

SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR

SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR Consiste na forma como as diferentes Pessoas Jurídicas atuam no desenvolvimento de atividades econômicas e sociais no âmbito da sociedade. De acordo com o

Leia mais

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA A A Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. 2 A A Habilidades: Reconhecer os jogos com heranças indígenas. 3 A A O esporte indígena na cultura não indígena: A cultura brasileira

Leia mais

Capacitação Gerencial PST

Capacitação Gerencial PST Capacitação Gerencial PST Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social SNELIS Ministério do Esporte Direito Social É dever do estado fomentar práticas desportivas formais e não formais:

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Produtor Cultural, Esportivo e de Ações Sociais. O Congresso Nacional Decreta:

PROJETO DE LEI Nº. Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Produtor Cultural, Esportivo e de Ações Sociais. O Congresso Nacional Decreta: PROJETO DE LEI Nº Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Produtor Cultural, Esportivo e de Ações Sociais. O Congresso Nacional Decreta: Art. 1º O Exercício da profissão de Produtor Cultural, Esportivo

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

Arquivos públicos municipais. Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania

Arquivos públicos municipais. Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania Arquivos públicos municipais Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania APRESENTAÇÃO Este documento tem como objetivo principal informar e sensibilizar as autoridades públicas

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

22/6/2014 - das 14h às 18h. Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

22/6/2014 - das 14h às 18h. Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. UNITINS CONCURSO PÚBLICO N 001/2014 NÍVEL SUPERIOR COMISSÃO DE CONCURSO E SELEÇÃO REDAÇÃO 22/6/2014 - das 14h às 18h Número de identidade Órgão expedidor Número da inscrição LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES

Leia mais

XI REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA. (Manaus, 22 de novembro de 2011)

XI REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA. (Manaus, 22 de novembro de 2011) XI REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA (Manaus, 22 de novembro de 2011) COMPROMISSO DE MANAUS Os Ministros das Relações Exteriores

Leia mais

PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99)

PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99) PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99) Atualiza a discriminação da despesa por funções de que tratam o inciso I do 1 o do art. 2 o e 2 o do art. 8 o,

Leia mais

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental GOVERNO DO ESTADO DE SÃO APULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PEDAGÓGICAS O que se espera

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

MANIFESTO PÚBLICO CONTRA A PEC 215/2000

MANIFESTO PÚBLICO CONTRA A PEC 215/2000 MANIFESTO PÚBLICO CONTRA A PEC 215/2000 Brasília (DF), junho de 2015. No dia 19 de maio de 2015, na Câmara dos Deputados, organizações e movimentos sociais, indígenas, indigenistas e ambientalistas, junto

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 69ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de novembro de 2015, no uso das atribuições que

Leia mais

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política

ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política ARTIGO: O direito à saúde e a judicialização da política Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Os entes políticos, por vezes, encontram-se no pólo passivo de demandas judiciais referentes à entrega

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS CARREIRAS E DO PLANO ESPECIAL DE CARGOS DO DNPM

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS CARREIRAS E DO PLANO ESPECIAL DE CARGOS DO DNPM PROJETO DE LEI Aumenta a remuneração de servidores efetivos e empregados permanentes da administração pública federal, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DAS CARREIRAS E

Leia mais

Proposta de T emplate GT Cultura, Turismo e Imagem do Reunião do GEOlimpíadas Brasil

Proposta de T emplate GT Cultura, Turismo e Imagem do Reunião do GEOlimpíadas Brasil GT Cultura, Proposta Turismo de Template e Imagem do Reunião do Brasil GEOlimpíadas Objetivo/Missão Integrantes MinC, MTur, ME, Embratur, MRE, APEX, APO Objetivo Geral Coordenar, planejar e executar ações,

Leia mais

DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010.

DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. DECRETO Nº 32965 DE 20 DE OUTUBRO DE 2010. Institui o Regimento Interno do Clube do Servidor Municipal da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Clube do Servidor e dá outras providências. O PREFEITO DA

Leia mais

O Dever de Consulta Prévia do Estado Brasileiro aos Povos Indígenas.

O Dever de Consulta Prévia do Estado Brasileiro aos Povos Indígenas. O Dever de Consulta Prévia do Estado Brasileiro aos Povos Indígenas. O que é o dever de Consulta Prévia? O dever de consulta prévia é a obrigação do Estado (tanto do Poder Executivo, como do Poder Legislativo)

Leia mais

Reunião Plenária Final da

Reunião Plenária Final da Reunião Plenária Final da Conferência Regional das Américas sobre Avanços e Desafios no Plano de Ação contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e as Intolerância Correlatas Resumo da Presidenta

Leia mais

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014 O que o Brasil já ganhou com a Copa 2 O que o Brasil já ganhou com a Copa Investimentos A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI)

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações

Leia mais

2º Debate sobre Mineração

2º Debate sobre Mineração 2º Debate sobre Mineração AUDIÊNCIAS PÚBLICAS NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE PROJETOS DE MINERAÇÃO E ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO Raimundo Moraes Ministério Público do Pará Belém, 30 de setembro

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre:

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Direito Ambiental Internacional e Interno: Aspectos de sua Evolução Publicado na Gazeta Mercantil em 12 de dezembro de 2002 Paulo de Bessa Antunes Advogado Dannemann Siemsen Meio

Leia mais

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica Francisco Aparecido Cordão Conselheiro da Câmara de Educação Básica do CNE facordao@uol.com.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

TERMO PÚBLICO, ABERTO À ADESÃO, DE COMPROMISSO PELO EMPREGO E TRABALHO DECENTE NA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 E NOS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016.

TERMO PÚBLICO, ABERTO À ADESÃO, DE COMPROMISSO PELO EMPREGO E TRABALHO DECENTE NA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 E NOS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016. TERMO PÚBLICO, ABERTO À ADESÃO, DE COMPROMISSO PELO EMPREGO E TRABALHO DECENTE NA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 E NOS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016. O Ministério do Trabalho e Emprego, o Tribunal Regional do Trabalho,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.747, DE 5 DE JUNHO DE 2012 Institui a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas PNGATI,

Leia mais

EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE

EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE MINISTÉRIO DO ESPORTE EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE APOLINÁRIO REBELO DANIELLE FERMIANO DOS SANTOS GRUNEICH Representantes do Ministério do Esporte no CONJUVE Marco no Governo Lula:

Leia mais

Índios do Brasil. Episódio 7: Nossas Terras. Modalidade Educação de Jovens e adultos Fundamental e Médio.

Índios do Brasil. Episódio 7: Nossas Terras. Modalidade Educação de Jovens e adultos Fundamental e Médio. Índios do Brasil Episódio 7: Nossas Terras Resumo A série "Índios no Brasil", com duração média de 20 minutos, traça um perfil da população indígena brasileira e mostra a relação dessa população com a

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais