O BRASIL NO CONTEXTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS: A REALIZAÇÃO DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O BRASIL NO CONTEXTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS: A REALIZAÇÃO DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015"

Transcrição

1 GRUPO TEMÁTICO EM DIREITO E DESENVOLVIMENTO O BRASIL NO CONTEXTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS: A REALIZAÇÃO DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015 Felipe Peixoto de Brito Aluno de graduação em Direito da UFRN, Natal RN Marcus Mendonça Gonçalves de Jesus Aluno de graduação em Direito da UFRN, Natal RN O presente trabalho tem como objetivo discorrer sobre as características da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que ocorrerão no Brasil em 2015, bem como as potencialidades que tal espetáculo em prol do desenvolvimento do país, nos âmbitos social, econômico e ambiental. Nesse contexto, o direito tem o papel de servir de instrumento para que sejam aplicadas as disposições constitucionais e legais para a defesa das minorias no Estado Democrático de Direito, mais precisamente das minorias indígenas existentes no país, que ainda sofrem com problemas relativos ao acesso a serviços básicos e a exclusão social, por exemplo. O referido evento contará com uma infraestrutura baseada em características próprias das etnias nativas tanto para hospedar, como permitir as competições esportivas, fato que corrobora com a valorização e o respeito às tradições e a história dos povos autóctones nacionais. Há muitos interesses envolvidos na realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, inclusive, interesses de entidades privadas, como empresas de turismo, hotéis e emissoras de televisão, mas este trabalho objetiva ressaltar que o interesse coletivo é o que deve ter primazia, tanto na busca por abrir possibilidades às etnias indígenas de fazer suas reivindicações e buscar soluções para seus problemas, bem como na proteção do patrimônio imaterial desses povos e a criação de políticas públicas que visem a efetiva oferta de serviços de saúde e educação para as populações da região Norte do país, o desenvolvimento sustentável e a inclusão social por meio do esporte. Este trabalho está relacionado às atividades da base de pesquisa em Direito e Desenvolvimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e conta com o financiamento e apoio dessa agência fomentadora da pesquisa. Palavras-chave: Jogos Mundiais Indígenas. Direito. Desenvolvimento. Megaevento esportivo.

2 1 INTRODUÇÃO O Brasil tem sido sede de megaeventos esportivos, como os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro de 2007, a Copa do Mundo de Futebol da FIFA em 2014 e será sede dos Jogos Olímpicos de verão no Rio de Janeiro em Nesse rol de espetáculos, o país será sede também da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em 2015, um megaevento esportivo dotado de características próprias e com grande potencial de valorização da cultura das etnias indígenas existentes no Brasil e no mundo, bem como para a atração de investimentos em prol do desenvolvimento econômico, humano e proteção ambiental nas áreas habitadas pelos nativos. Nesse contexto, um dos aspectos mais importantes desses jogos é a possibilidade que eles têm de oferecer visibilidade aos problemas enfrentados pelas minorias autóctones no Brasil e no mundo, como a marginalização, a falta de acesso a serviços sociais básicos e as disputas pela posse de suas terras originais com latifundiários e garimpeiros, por exemplo. O evento contará com a participação de delegações indígenas de diversos países e para tanto contará com uma infraestrutura e competições de modalidades esportivas que refletem os hábitos e comportamentos das etnias nacionais, fato que serve também como divulgação e valorização dos aspectos culturais desses povos, solidificando a identidade histórica deles. O Ministério do Esporte assume a liderança e a organização desse evento, por isso, como um órgão público, espera-se que ele proporcione e aplique os investimentos financeiros e humanos em prol da construção de um legado que seja aproveitado pelas futuras gerações. Para tanto, o direito deve ser um elo entre a ocorrência desse espetáculo e o desenvolvimento, prevendo a aplicação das disposições constitucionais e infraconstitucionais em defesa dos povos indígenas. Dessa forma, este artigo discorrerá sobre os aspectos estruturais e a importância desse megaevento esportivo, sua idealização e os interesses envolvidos em sua ocorrência e os possíveis impactos que ele trará para o Brasil e como ele poderá servir de exemplo para as edições posteriores. 2 OS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS COMO MEGAEVENTO ESPORTIVO: HISTÓRIA E CARACTERÍSTICAS O Brasil já realizava competições indígenas, 12 ao total, sendo a última delas na capital mato-grossense, Cuiabá em 2013, em que nessa edição participaram também etnias estrangeiras. Nessa ocasião, autoridades de 17 países, incluindo o Brasil, e índios de 48 etnias

3 nacionais reuniram-se com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e com o coordenador-geral de políticas esportivas indígenas, Rivelino Macuxi, para debater a criação dos Jogos Mundiais Indígenas. Entretanto, as pretensões de se realizarem os Jogos Indígenas são mais antigas, desde 1980 busca-se realizar uma competição esportiva com os nativos, fato que só se concretizou em 1996 com a realização dos primeiros jogos indígenas em Goiânia (DESTINO, p. internet). Os municípios de Belém, Marabá e Palmas se candidataram para sediar o evento, tendo sido este o vencedor, confirmado em 2014 pelo Ministério do Esporte e o Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena (ITC) e com isso, tal localidade da região Norte realizará a competição entre os dias 18 e 27 de setembro de 2015 (LEITE, 2015, p. internet). Do próprio estado de Tocantins participarão sete etnias, além de outros povos nativos do Brasil e também dos seguintes países: Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Filipinas, Finlândia, Guatemala, Guiana Francesa, Japão, México, Nicarágua, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Paraguai, Peru, Rússia, Uruguai e Venezuela (I JOGOS, 2015, p. internet). Dentre as modalidades a serem praticadas nesses jogos representam atividades físicas comumente realizadas pelos povos indígenas em seus ambientes de vida, assim, haverá competições de tiro com arco e flecha, arremesso de lança, cabo de força, corrida de velocidade rústica (100 metros), canoagem rústica tradicional, corrida de tora, lutas corporais, Xikunahati (tipo de futebol em que a bola é movida com a cabeça), futebol de campo, atletismo e natação (travessia em rios) (I JOGOS, 2015, p. internet). Os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas representam um megaevento esportivo, devido à amplitude e visibilidade que eles terão, recebendo delegações estrangeiras e altos investimentos, ainda que os números sejam inferiores aqueles investidos para a realização do Pan-americano, Copa do Mundo de Futebol Fifa e os Jogos Olímpicos, por exemplo. Sendo que diferentemente desses eventos maiores, os Jogos Indígenas primam não pela construção de grandes instalações e obras para as competições e sim, a visibilidade social dos povos participantes. A atuação de entes públicos será significativa na organização e nos investimentos para que os Jogos em Palmas aconteçam, o que inclui o Ministério do Esporte e o município de Palmas. O Ministério do Esporte investirá aproximadamente 8 milhões de reais em despesas como o transporte das delegações, inclusive as estrangeiras, alimentação e hospedagem. Já o município de Palmas planeja investir cerca de 60 milhões a 70 milhões de reais para a construção da infraestrutura necessária (LEITE, 2015, p. internet).

4 No arcabouço de obras para os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em Palmas, têmse as obras de mobilidade, a construção de uma vila olímpica composta por 22 ocas para hospedar as tribos brasileiras (LEITE, 2015, p. internet), além de oca digital, praça de alimentação com comidas típicas, refeitório, museu do índio e feira de artesanato, além de instalações esportivas, como a Grande Arena, reforma do Estádio Nilton Santos, Raia Olímpica e Centro de Iniciação ao Esporte (DESTINO, p. internet). Do ponto de vista jurídico, a Constituição Federal dedica parte de seu texto à proteção e o reconhecimento dos direitos civis e políticos dos índios, como pode ser verificado nos artigos 231 e 232. Dentre as disposições constitucionais em prol dos nativos brasileiros há o reconhecimento de seus costumes e o dever da União de proteger os bens desses grupos étnicos. O texto constitucional é reforçado pela Lei Federal nº 6.001/1973, o Estatuto do Índio, a qual enuncia em seu art. 2º, caput, a obrigação da União, dos Estados, dos Municípios, e dos órgãos das respectivas administrações indiretas, nos limites de sua competência, proteger as comunidades indígenas e a preservar os direitos delas, o que inclui o dever de executar, sempre que possível mediante a colaboração dos índios, os programas e projetos tendentes a beneficiar as comunidades indígenas, como consta no inciso VII do referido artigo. Dessa forma, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas atendem diretamente aos objetivos constitucionais e infraconstitucionais de valorização e proteção dos bens culturais dos autóctones brasileiros, principalmente no que se refere ao patrimônio imaterial, manifestado por meio das práticas esportivas. Vale salientar que é obrigação do Estado fomentar as práticas desportivas formais e não formais, segundo o art. 217, caput, da Constituição Federal e não se pode olvidar que aos índios se estendem todos os direitos consagrados no texto constitucional. 3 OS DIREITOS HUMANOS NOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS A partir do advento das grandes navegações que ocorreram, preponderantemente, entre os séculos XV e XVII, as poderosas nações imperialistas europeias iniciaram o processo de descoberta e colonização das novas terras além mar. Uma dessas novas terras consubstanciouse no continente americano, no qual está localizada, na parte sul, a atual República Federativa do Brasil. Esse foi um período muito difícil para os povos nativos, para as comunidades indígenas, ocorrendo desde trocas de serviços desfavoráveis para os indígenas (como o escambo, no qual os colonizadores ofereciam instrumentos comuns das suas nações, como

5 facas e espelhos, em troca de mão-de-obra dos denominados índios), e posteriormente a escravização dos povos nativos. Além de todos os males que a escravização dos índios (apesar de menor que a dos povos africanos) trouxe para essas comunidades, ainda houve um processo de dizimação dos índios, tanto por doenças trazidas pelos exploradores europeus, quanto pelo puro e cruel assassinato dos índios, por motivos que variavam desde a violência gratuita até mesmo por motivos de tomada de terras e riquezas em poder dos nativos. Com isso o número de índios que se encontravam na região onde hoje está o Brasil, foi brutalmente reduzido, e hoje as poucas comunidades indígenas que ainda restam consubstanciam-se em verdadeiras fontes de riquezas antropológicas e culturais. Mais recentemente, puxando o gancho da Segunda Grande Guerra Mundial ocorrida no século XX, após todas as atrocidades cometidas entre as nações, temos a criação de toda uma estrutura globalizada para garantir os chamados direitos humanos, que buscam garantir um mínimo de dignidade para cada ser humano habitante do nosso planeta, independentemente de nacionalidade, credo, língua, gênero, orientação sexual e etnia, por exemplo. Resta claro que todas as pessoas beneficiaram-se com o processo de reconhecimento dos direitos humanos. E isso tem a ver com os povos indígenas na medida em que materializam-se em comunidades étnicas que foram historicamente reduzidas e marginalizadas, mas que hoje gozam de todas as garantias trazidas pelos direitos humanos e que são extremamente necessárias para a preservação desses povos, que devem receber uma atenção especial do Estado pois que sua cultura, história e existência no mundo moderno são verdadeiros patrimônios imateriais para o país e para o mundo. Em âmbito nacional, os índios têm papel tão importante para a nossa cultura e formação como nação que possuem um capítulo próprio na nossa Carta Maior de 1988: o Capítulo VIII (Dos Índios), inscrito no Título VIII (Da Ordem Social), com dois artigos específicos, como citado anteriormente, os artigos 231 e 232. Importantes garantias traz o caput do art. 231, CF/88, ao reconhecer aos índios suas tradições, línguas, crenças, costumes e organização social, além dos direitos originários sobre as terras tradicionalmente ocupadas por suas comunidades. E se esses direitos não forem respeitados, o que pode ser feito para proteger esses povos? Faz-se mister notar que apesar da nossa Constituição ter garantido expressamente em seu inciso XXXV do artigo 5º o princípio do acesso à justiça, ao dispor que as normas infraconstitucionais não excluirão da análise do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito, o Poder Constituinte fez questão de frisar no art. 232 que os povos indígenas são legítimos para

6 ingressar no Judiciário a fim de defender os seus direitos e interesses, com intervenção do Parquet em todos os atos processuais. Daí, percebe-se a fundamental importância das comunidades indígenas para o País, não basta uma garantia geral de defesa dos seus direitos em juízo, também há dispositivo constitucional específico nesse sentido, como demonstrado alhures. Destaca-se também, em sede do que dispõe o Estatuto do Índio (Lei nº 6.001/1973), Título I (Dos Princípios e Definições), art. 2º, inciso X, que é da competência da União, dos Estados e dos Municípios, comtemplados os órgãos das administrações indiretas desses entes federativos, a garantia da promoção dos direitos civis e políticos dos povos indígenas. Ou seja, durante a realização dos Jogos Mundiais no Brasil, tanto a União, como o Estado e o município poderão colaborar para a efetiva realização dos jogos e esportes compreendidos no megaevento, assegurados sempre os direitos dos indígenas. Mesmo com a Constituição possuindo dispositivos protetivos para as comunidades indígenas, na prática, nem sempre esses direitos e garantias são efetivamente cumpridos. O diálogo social deve continuar para que os índios façam valer os seus direitos, em especial, com a necessidade de um maior desenvolvimento da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) que intermedia a interação contínua entre comunidades indígenas e Estado, pois com a FUNAI enfraquecida, dificilmente os índios terão como desenvolver-se plenamente, e não existirá uma verdadeira sociedade brasileira multiétnica (SANTOS, 2005, p. 82). Apesar das críticas ao efetivo exercício dos direitos constitucionais consagrados em favor das comunidades indígenas, cumpre frisar que a Constituição Federal de 1988 trouxe uma significativa mudança ao proclamar em seu art. 22, XVI que a União pode legislar sobre populações indígenas. Ora, a Constituição anterior, a de 1967 previa a competência exclusiva da União para legislar sobre os povos indígenas, todavia, também previa em seu art. 8º, XVII, alínea o (EC1/69) que também era de competência da União legislar sobre a incorporação dos povos indígenas à comunhão da nação. Na Carta Magna vigente não existe mais os termos de incorporação, agregação ou seus sinônimos, e essa é a grande inovação. Sob a redação de incorporação, vigente na Constituição de 1967, enormes injustiças sociais foram cometidas contra os povos indígenas, praticadas tanto por entes privados, quanto por entes públicos, que muitas vezes, por exemplo, se omitiam a proporcionar um tratamento adequado e diferenciado aos povos indígenas sob o argumento da incorporação deles à comunhão do Estado (BARBOSA; BARBOSA; BARBOSA, 2011, p. 188). Sobre os direitos humanos especificamente nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas é preciso destacar a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas,

7 aprovada pela Assembleia Geral da ONU em sua 107ª Sessão Plenária, em 13 de setembro de Essa Declaração de abrangência internacional foi proclamada em consonância com uma necessidade histórica de se proteger o patrimônio imaterial para a humanidade que representa a manutenção e desenvolvimento culturas indígenas. Nesse sentido, o artigo 31 dessa declaração internacional assegura expressamente, em seu primeiro parágrafo, aos indígenas, a proteção e desenvolvimento do seu patrimônio cultural, conhecimentos, expressões, manifestações, recursos humanos e energéticos, artes, e, inclusive, os seus esportes e jogos tradicionais. Enquanto que o segundo parágrafo desse dispositivo garante medidas a fim de reconhecer e proteger o efetivo exercício desses direitos. Interessante notar que o fomento e desenvolvimento dos esportes e jogos tradicionais da cultura indígena são expressamente assegurados pela Declaração, fornecendo assim uma legitimidade plena direta em âmbito internacional para a realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, como uma verdadeira concretização dos direitos dos indígenas. 4 IMPACTOS ECONÔMICOS, POLÍTICOS E SOCIAIS DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS DE 2015 Ainda que os Jogos Mundiais Indígenas estejam para acontecer, algumas repercussões podem ser deduzidas mediante a análise dos investimentos e planejamento para a ocorrência de tal evento. Comparando com um megaevento esportivo como a Copa do Mundo Fifa de 2014, que foi criticada por servir acima de qualquer coisa aos interesses de sua entidade organizadora e de grandes empresas, bem como por representar uma mercantilização do esporte, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas trazem como primeiro impacto a inevitável visibilidade dos grupos étnicos participantes, sejam do Brasil ou dos outros países, o que ampliará pelo mundo o conhecimento a respeito da cultura e da identidade histórica desses povos. É possível que nesse contexto, antigas reivindicações de cunho social e político dos povos nativos sejam revistas e atendidas, tanto em nível nacional, como internacional, o que poderia incluir, por exemplo, o compromisso de os Estados Nacionais realizarem cooperações entre si com o intuito de reforçar a proteção aos seus respectivos autóctones. Além dos indígenas, há na região Norte do Brasil outros grupos humanos que padecem com a ausência de serviços básicos, como as chamadas populações ribeirinhas, que retiram seu sustento e meios de sobrevivência da pesca ou do extrativismo vegetal, o qual envolve a coleta de itens como o açaí, cupuaçu, copaíba e o látex, por exemplo.

8 Da mesma forma, como qualquer megaevento esportivo, há um potencial para atrair turistas e com isso, fomentar as atividades hoteleira, comercial e de oferta de variados bens e serviços, podendo gerar empregos diretos e indiretos. Mas, para tanto, há a necessidade de que o Ministério do Esporte também desenvolva uma política de marketing que mostre as atrações naturais e culturais a serem oferecidas no local sede. No próprio âmbito esportivo, é válido ressaltar o papel do esporte como agente de inclusão social, tirando jovens da marginalidade e dando novas perspectivas de vida para muitos indivíduos. Por isso, a infraestrutura esportiva desenvolvida para as competições desse evento deve ser usada no pós-evento para a realização de atividades esportivas e de lazer para os habitantes da área, reunindo várias modalidades, como aquelas praticadas pelos indígenas por ocasião do evento, como outras mais comuns em nível nacional. Na área ambiental, é sabido o quanto a Floresta Amazônica vem sendo devastada para a retirada ilegal de madeira ou para a ampliação da agricultura latifundiária, bem como o extrativismo mineral tem ocasionado a poluição das águas doces e contribuído junto às outras duas atividades para a degradação de espécies animais e vegetais. Isso implica a necessidade de que se ampliem as ações de preservação dos ecossistemas da região amazônica, fazendo valer a disposição do art. 225 da Constituição Federal de 1988, que garante a todos o direito a um meio ambiente equilibrado e a obrigação do Poder Público e da coletividade em preserválo. Em relação à cultura e ao patrimônio imaterial, os efeitos do referido evento não devem se ater ao seu curto período de ocorrência e a alguns grupos, mas antes de tudo, deve contribuir com a difusão de benefícios socioambientais e culturais para os que vivem na região Norte, o que inclui o uso das instalações esportivas, do museu indígena que está sendo construído e também da ocorrência periódica de feiras e mostras baseadas nas manifestações artísticas e na história dos que ali vivem, uma vez que também cabe ao Estado garantir o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional e proteger as manifestações das culturas populares, indígenas e afrodescendentes, como se verifica no art. 215 da Constituição Federal de Portanto, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas para servir como um instrumento de efetivação de direitos sociais deve conter em seu planejamento os investimentos maciços em mobilidade, seja por meio de rodovias ou hidrovias (já que o transporte aquaviário é muito comum nessa região), bem como a criação de políticas de fomento ao ecoturismo, de valorização das atividades econômicas das pessoas de baixa renda da região Norte e para o aumento na fiscalização e proteção de todo bioma amazônico, e ainda mais, a promoção da

9 sustentabilidade ambiental, agregando as necessidades econômicas das populações tradicionais com o uso racional dos amplos recursos naturais daquela região e a busca para a promoção da qualidade de vida dos indivíduos envolvidos, alcançando as gerações futuras. 5 LEGADO E REPERCUSSÕES EM POTENCIAL DOS JOGOS MUNDIAIS DOS POVOS INDÍGENAS NO BRASIL Um dos maiores legados que permanecerão para o Brasil, decorrente da realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em território brasileiro, é a possibilidade de maior desenvolvimento e preservação da cultura indígena como patrimônio cultural imaterial direto do Brasil, dos países que têm povos indígenas participantes no megaevento esportivo e do mundo, de forma geral. Sobre a cultura indígena como patrimônio imaterial, é preciso frisar os artigos 215 e 216 da Constituição Federal de Da interpretação desses artigos, percebe-se que a conservação da memória dos povos indígenas tem um certo caráter programático, todavia, é a manutenção e desenvolvimento da cultura indígena que tem a maior possibilidade de proporcionar a esses povos uma vida futura mais digna, com seus direitos respeitados (LAGRASTA NETO, 2011, p. 182). Destaca-se também que o 1º do artigo 215 da CF/88 garante expressamente que o Estado deverá proteger as manifestações indígenas. Um exemplo de manifestação indígena refere-se justamente à realização de seus esportes e competições, que visualiza-se, entre outras práticas, na realização dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. Esse megaevento esportivo dos povos indígenas de todo o mundo representa, ainda, a materialização de parte do artigo 31 da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, que prevê, entre outras garantias, o fomento pelos Estados dos esportes e jogos tradicionais das comunidades indígenas. Essas comunidades, como repercussão em potencial da realização dos jogos, terão a oportunidade de se integrar em nível internacional umas com as outras. Esse tipo de integração pode ser significativamente benéfico para as diferentes culturas indígenas existentes pelo mundo, pois na medida em que as comunidades são diferentes, elas têm a possibilidade de fazer intercâmbios de práticas de implementação dos direitos e costumes indígenas em seus respectivos países de origem, ampliando a proteção aos seus direitos, e divulgando o patrimônio cultural dessas etnias em nível global, não se

10 restringindo mais ao âmbito local, consubstanciando-se assim no legado imaterial do megaevento esportivo. 6 CONCLUSÃO Vislumbra-se que foi muito positiva e estratégica a escolha do Brasil como país-sede da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, devido a três principais fatores. Um dos fatores é que nosso país tem sediado, recentemente, diversos megaeventos esportivos como os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro de 2007, a Copa do Mundo de Futebol da FIFA em 2014, além de ser a sede dos Jogos Olímpicos de verão no Rio de Janeiro em Logo, experiência e visibilidade internacional na realização de megaeventos esportivos não faltam. O segundo fator é a densa proteção jurídica promovida pelo Brasil aos direitos dos indígenas, uma proteção que têm envergadura constitucional, infraconstitucional e até em âmbito internacional. Em âmbito constitucional há um capítulo especificamente dedicado aos direitos das comunidades indígenas: Capítulo VIII (Dos Índios), inscrito no Título VIII (Da Ordem Social), que abrange os artigos 231 e 231, os quais trazem, respectivamente, garantias de propriedade, manifestação, cultura, organização, crenças, línguas e tradições dos índios, além do direito de fazer valer essas garantias em juízo, havendo uma aplicabilidade específica expressa do princípio do acesso à justiça para essas comunidades. Na seara infraconstitucional destaca-se o Estatuto do Índio (Lei Federal /1973) que traz disposições sobre os princípios a serem aplicados aos indígenas como a prestação dos meios ao seu desenvolvimento, a livre escolha das formas de vida e subsistência, a posse permanente das terras que habitam, entre outros princípios. Essa legislação federal também aborda os direitos civis e políticos, a assistência ou tutela, o registro civil, as condições de trabalho, disposições sobre as terras dos índios, os seus bens e rendas, a educação, a cultura e a saúde, além de normas penais específicas. Em âmbito internacional ressalta-se a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, aprovada pela Assembleia Geral da ONU em 13 de setembro de Essa declaração é especialmente importante para a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, visto que o dispositivo 31 assegura o desenvolvimento dos jogos indígenas. Essa garantia é intensamente significativa para a concretização desse megaevento esportivo. O terceiro fator principal é a história do Brasil que está intimamente relacionada com as tradições e cultura dos povos que aqui viviam, antes da chegada dos exploradores

11 europeus, e até hoje vivem, apesar de reduzidos numericamente. Houve épocas muito críticas para os índios em território brasileiro, houve muito desrespeito às suas tradições e aos seus direitos legítimos. Nada melhor do que coroar toda uma nova estrutura de proteção jurídica (constitucional, infraconstitucional e internacional) aos índios do que com a celebração da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, em terras brasileiras. Por fim, esse megaevento esportivo trará, como todos os outros ocorridos recentemente em território brasileiro, oportunidades de melhoria da infraestrutura nacional, do desenvolvimento do turismo e da visibilidade internacional do Brasil. Todavia, o grande diferencial dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em relação aos outros megaeventos, é que fomenta a preservação da cultura autóctone como patrimônio cultural imaterial da humanidade, preservando a memória, as tradições, os conhecimentos e a existência em si das diversificadas comunidades indígenas. REFERÊNCIAS I JOGOS Mundiais dos Povos Indígenas: Brasil Disponível em: <http://www.jogosmundiaisindigenas.com/>. Acesso em: 26 fev BARBOSA, Carla Gonçalves Antunha; BARBOSA, João Mítia Antunha; BARBOSA, Marco Antonio. Direito a diferença na sociedade da informação: Os Direitos Indígenas na Constituição Brasileira. In: PIOVESAN, Flávia; GARCIA, Maria (Org.). Grupos vulneráveis. São Paulo: Revista dos Tribunais, Cap. 8. p (Coleção doutrinas essenciais; v. 4). DESTINO Palmas. Jogos Mundiais Indígenas. Disponível em: <http://destinopalmas.com.br/jogos-mundiais-indigenas/>. Acesso em: 25 fev LAGRASTA NETO, Caetano. Breves anotações à Constituição sobre o direito indígena. In: PIOVESAN, Flávia; GARCIA, Maria (Org.). Grupos vulneráveis. São Paulo: Revista dos Tribunais, Cap. 7. p (Coleção doutrinas essenciais; v. 4). LEITE, Almir. Antes do Rio-2016, os povos indígenas terão sua olimpíada. Estadão, São Paulo, 21 fev Disponível em: <http://esportes.estadao.com.br/noticias/geral,antes-dorio-2016-os-povos-indigenas-terao-sua-olimpiada, >. Acesso em: 26 fev SANTOS, Sílvio Coelho dos. Direitos Humanos e o direito dos povos indígenas no Brasil. Ilha Revista de Antropologia, [S.l.], v. 7, n. 1,2, p , jan ISSN Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/1561/1357>. Acesso em: 02 Mar

Os Jogos dos Povos Indígenas.

Os Jogos dos Povos Indígenas. Os Jogos dos Povos Indígenas. 1ª - Goiânia/GO: 1996 Os Jogos dos Povos Indígenas é um evento de competição esportiva criado em 1996 através de uma iniciativa indígena brasileira, do Comitê Intertribal

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988...

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988... CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VIII DOS ÍNDIOS Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NO DIREITO POSITIVO Cíntia Cecília Pellegrini

A INFLUÊNCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NO DIREITO POSITIVO Cíntia Cecília Pellegrini A INFLUÊNCIA DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NO DIREITO POSITIVO Cíntia Cecília Pellegrini RESUMO: Após a Segunda Guerra Mundial, a sociedade internacional passou a ter como principal objetivo a criação de acordos

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Aula 12 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 Brincadeira Ação de brincar, de entreter, de distrair. Utilizam uma variedade de movimentos corporais e capacidades físicas Caráter

Leia mais

FICHA TÉCNICA PROGRAMA DE DEFESA DA MATA ATLÂNTICA ALINHAMENTO ESTRATÉGICO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA INICIATIVA ESTRATÉGICA

FICHA TÉCNICA PROGRAMA DE DEFESA DA MATA ATLÂNTICA ALINHAMENTO ESTRATÉGICO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA INICIATIVA ESTRATÉGICA FICHA TÉCNICA PROGRAMA DE DEFESA DA MATA ATLÂNTICA ALINHAMENTO ESTRATÉGICO OBJETIVO ESTRATÉGICO ESTRATÉGIA INICIATIVA ESTRATÉGICA Promover a Defesa do Meio Ambiente Aperfeiçoar e estruturar a atuação do

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.575, DE 2013 (Do Sr. Giovani Cherini)

PROJETO DE LEI N.º 5.575, DE 2013 (Do Sr. Giovani Cherini) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.575, DE 2013 (Do Sr. Giovani Cherini) Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Produtor Cultural, Esportivo e de Ações Sociais. DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE:

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.747, DE 5 DE JUNHO DE 2012 Institui a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas PNGATI,

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Direito Ambiental Internacional e Interno: Aspectos de sua Evolução Publicado na Gazeta Mercantil em 12 de dezembro de 2002 Paulo de Bessa Antunes Advogado Dannemann Siemsen Meio

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Fixa normas para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum relativas

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

INTEGRAÇÃO DAS DIFERENTES POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS À PROTEÇÃO DA ÁGUA E SAÚDE: UM OLHAR A PARTIR DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS

INTEGRAÇÃO DAS DIFERENTES POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS À PROTEÇÃO DA ÁGUA E SAÚDE: UM OLHAR A PARTIR DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS INTEGRAÇÃO DAS DIFERENTES POLÍTICAS PÚBLICAS RELACIONADAS À PROTEÇÃO DA ÁGUA E SAÚDE: UM OLHAR A PARTIR DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E O PAPEL DOS MUNICÍPIOS Cleci Teresinha Noara Assistente Social Fundação Agência

Leia mais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais

Ação Orçamentária - Padronizada Setorial 14U2 - Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais Momento do Tipo de Temático Macrodesafio Fortalecer a cidadania Eixo Desenvolvimento Social e Erradicação da Miséria Valor de Referência para Individualização de Projetos em Iniciativas Esferas Fiscal

Leia mais

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 DECLARAÇÃO DE PUNTA DEL ESTE (10 de outubro de 2012) Os Ministros da Defesa e

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org De 27 de janeiro a 1º fevereiro de 2009 Belém Pará Brasil Pan-Amazônia O que é o Fórum Social Mundial?

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Direitos Fundamentais i

Direitos Fundamentais i Direitos Fundamentais i Os direitos do homem são direitos válidos para todos os povos e em todos os tempos. Esses direitos advêm da própria natureza humana, daí seu caráter inviolável, intemporal e universal

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Reunião Plenária Final da

Reunião Plenária Final da Reunião Plenária Final da Conferência Regional das Américas sobre Avanços e Desafios no Plano de Ação contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e as Intolerância Correlatas Resumo da Presidenta

Leia mais

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL 2002 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL A Conferência Geral, Reafirmando seu compromisso com a plena realização dos direitos

Leia mais

O que são as diretrizes para Discussão Temática?

O que são as diretrizes para Discussão Temática? O que são as diretrizes para Discussão Temática? As diretrizes para Discussão Temática apresentam conteúdos exclusivos desenvolvidos por meio de pesquisas para a Fundação 1º de Maio. As informações aqui

Leia mais

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (30 vagas) Monitores para acompanhamento de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (30 vagas) Monitores para acompanhamento de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Anexo II Termo de Referência CONSULTOR (30 vagas) Monitores para acompanhamento de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Projeto: a consultoria será realizada no âmbito do projeto BRA/15/003 Organização

Leia mais

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA A A Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. 2 A A Habilidades: Reconhecer os jogos com heranças indígenas. 3 A A O esporte indígena na cultura não indígena: A cultura brasileira

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003

MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003 PORTARIA DPE/SPEAI/MD 983/2003 MINISTÉRIO DA DEFESA GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 983/DPE/SPEAI/MD, DE 17 DE OUTUBRO DE 2003 Aprova a Diretriz para o relacionamento das Forças Armadas com as comunidades

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (5 vagas) Instrutores para formação de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas

Anexo II Termo de Referência. CONSULTOR (5 vagas) Instrutores para formação de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Anexo II Termo de Referência CONSULTOR (5 vagas) Instrutores para formação de voluntários dos I Jogos Mundiais Indígenas Projeto: a consultoria será realizada no âmbito do projeto BRA/15/003 Organização

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 Sobre a atuação dos Juízes e Poderes Judiciários Iberoamericanos relativamente à informação, à participação pública e ao acesso à justiça em matéria de meio ambiente

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS CARREIRAS E DO PLANO ESPECIAL DE CARGOS DO DNPM

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS CARREIRAS E DO PLANO ESPECIAL DE CARGOS DO DNPM PROJETO DE LEI Aumenta a remuneração de servidores efetivos e empregados permanentes da administração pública federal, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DAS CARREIRAS E

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Arquivos públicos municipais. Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania

Arquivos públicos municipais. Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania Arquivos públicos municipais Mais transparência pública, mais informação, mais memória e mais cidadania APRESENTAÇÃO Este documento tem como objetivo principal informar e sensibilizar as autoridades públicas

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO SUB-GRUPO DE TRABALHO DE TRATADOS INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO SUB-GRUPO DE TRABALHO DE TRATADOS INTERNACIONAIS FORMULÁRIO DESCRITIVO DA NORMA INTERNACIONAL Norma Internacional: Convenção para a Salvaguarda do patrimônio Cultural Imaterial Assunto: Proteção do Patrimônio Cultural Imaterial Decreto: 5208 Entrada

Leia mais

PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE:

PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE: PROJETO IBERO-AMERICANO PARA A EDUCAÇÃO EM VALORES E CIDADANIA POR MEIO DO ESPORTE: Copa do mundo, o mundo em sua escola BRASIL 1 TITULO DO PROJETO: Copa do mundo, o mundo em sua escola PAÍSES PARTICIPANTES:

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

Multiculturalismo em Face dos Direitos Humanos das Mulheres

Multiculturalismo em Face dos Direitos Humanos das Mulheres Multiculturalismo em Face dos Direitos Humanos das Mulheres Vanessa Carla Bezerra de Farias Discente do curso de Direito UFRN Prof. Orientador Thiago Oliveira Moreira Docente do curso de Direito UFRN Introdução:

Leia mais

Documento Final do Seminário

Documento Final do Seminário Documento Final do Seminário Gestão de Acervos Culturais em Centros de Formação, de Documentação, de Cultura e Museus Indígenas no Brasil Entre os dias 17 e 20 de setembro de 2013, um grupo de 30 pessoas,

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012 PROJETO DE LEI Nº 128/2012 Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, com a finalidade de incluir no Calendário Oficial de Eventos da Cidade de São Paulo o Dia Municipal de Combate a Homofobia, a

Leia mais

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP ESPORTE O partido Solidariedade está atento à necessidade do esporte na vida da população. Entendemos que ele é uma importante ferramenta para retirar crianças das ruas e assim, reduzir a violência e o

Leia mais

Estatutos da RIICOTEC

Estatutos da RIICOTEC ESTATUTO DA REDE INTERGOVERNAMENTAL IBEROAMERICANA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS INTEGRAIS PARA AS PESSOAS IDOSAS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (RIICOTEC) 1 (Com as modificações

Leia mais

MENSAGEM N o 557, DE 2006

MENSAGEM N o 557, DE 2006 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 557, DE 2006 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo de Cooperação no Domínio do Turismo entre a República Federativa

Leia mais

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas DECLARAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE OS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS Perguntas e Respostas I - Introdução O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, comemora a adoção da Declaração dos Direitos dos

Leia mais

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus

Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus Política Nacional de Museus Bases para a Política Nacional de Museus APRESENTAÇÃO Ao se propor a sistematização de uma política pública voltada para os museus brasileiros, a preocupação inicial do Ministério

Leia mais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais Direitos Humanos Fundamentais 1 PRIMEIRAS NOÇÕES SOBRE OS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS 1. Introdução Para uma introdução ao estudo do Direito ou mesmo às primeiras noções de uma Teoria Geral do Estado

Leia mais

Viabilidade Jurídica do Projeto de Carbono da Comunidade Suruí. Questões analisadas

Viabilidade Jurídica do Projeto de Carbono da Comunidade Suruí. Questões analisadas Viabilidade Jurídica do Projeto de Carbono da Comunidade Suruí Rodrigo Sales Viviane Otsubo Kwon FUNAI Brasília DF 19 de fevereiro de 2009 Questões analisadas Elegibilidade dos participantes; Titularidade

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL

INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL INTRODUÇÃO AO DIREITO AMBIENTAL 1. NOMENCLATURA DA DISCIPLINA JURÍDICA Direito ambiental, direito do meio ambiente, direito do desenvolvimento sustentável, direito verde, direito ecológico, direito de

Leia mais

Carta da Responsabilidades Humanas Novos desafios: novas dimensões da responsabilidade

Carta da Responsabilidades Humanas Novos desafios: novas dimensões da responsabilidade Version 13 11 2007 Carta da Responsabilidades Humanas Novos desafios: novas dimensões da responsabilidade A inegável evolução das relações internacionais pode ser atribuída principalmente ao reconhecimento

Leia mais

AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR

AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS: A COMUNIDADE INDÍGENA TEKOHA YHOVY LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA- PR Gisele Kava 1 Natália Raquel Niedermayer 2 RESUMO: O trabalho

Leia mais

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008.

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre as ações de comunicação do Poder Executivo Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

Projeto OTCA-BID: Marco Estratégico para elaborar uma agenda regional de proteção de povos indígenas em isolamento voluntário e contato inicial

Projeto OTCA-BID: Marco Estratégico para elaborar uma agenda regional de proteção de povos indígenas em isolamento voluntário e contato inicial Projeto OTCA-BID: Marco Estratégico para elaborar uma agenda regional de proteção de povos indígenas em isolamento voluntário e contato inicial Subsídios à participação brasileira no evento e considerações

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI

PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI Aos 26 dias do mês de julho de 2011, as autoridades de Cultura da República Federativa do Brasil e da República Oriental do

Leia mais

População à deriva: entre o descaso urbano e a vertigem revitalizadora da zona portuária do Rio de Janeiro

População à deriva: entre o descaso urbano e a vertigem revitalizadora da zona portuária do Rio de Janeiro População à deriva: entre o descaso urbano e a vertigem revitalizadora da zona portuária do Rio de Janeiro Caroline dos Santos Santana caroline_santana@ymail.com Escola de Serviço Social 10 período Orientadora:

Leia mais

II A realização dos direitos fundamentais nas cidades

II A realização dos direitos fundamentais nas cidades DIREITO À CIDADE UM EXEMPLO FRANCÊS Por Adriana Vacare Tezine, Promotora de Justiça (MP/SP) e Mestranda em Direito Urbanístico na PUC/SP I Introdução A determinação do governo francês de proibir veículos

Leia mais

23/06/2008 Nº 183. Educação e saúde juntos na prevenção às DST/Aids

23/06/2008 Nº 183. Educação e saúde juntos na prevenção às DST/Aids 23/06/2008 Nº 183 Clima escolar influencia desempenho de estudantes da América Latina Pesquisa realizada pelo Laboratório Latino-Americano de Avaliação da Qualidade da Educação (LLECE), com apoio do Escritório

Leia mais

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL Bruna Maria de Oliveira (¹) ; Elcione Trojan de Aguiar (2) ;Beleni Salete Grando (3) 1.Acadêmica

Leia mais

O Sistema Internacional de Proteção dos Direitos Humanos nas Questões Indígenas: influência no sistema jurídico brasileiro 1

O Sistema Internacional de Proteção dos Direitos Humanos nas Questões Indígenas: influência no sistema jurídico brasileiro 1 - SEPesq O Sistema Internacional de Proteção dos Direitos Humanos nas Questões Indígenas: influência no sistema jurídico brasileiro 1 Gilberto Schafer 2 1. Introdução O presente projeto de pesquisa tem

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

www.desmatamentozero.org.br Greenpeace/Daniel Beltra

www.desmatamentozero.org.br Greenpeace/Daniel Beltra Greenpeace/Daniel Beltra www.desmatamentozero.org.br Chega de desmatamento no Brasil As florestas são fundamentais para assegurar o equilíbrio do clima, a conservação da biodiversidade e o sustento de

Leia mais

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Brasília,12 de Dezembro de 2012. O Comitê Brasileiro de Defensoras/es

Leia mais

EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE

EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE MINISTÉRIO DO ESPORTE EIXOS DA POLÍTICA PÚBLICA DO ESPORTE PARA JUVENTUDE APOLINÁRIO REBELO DANIELLE FERMIANO DOS SANTOS GRUNEICH Representantes do Ministério do Esporte no CONJUVE Marco no Governo Lula:

Leia mais

Ministério da Justiça. Intervenção do Ministro da Justiça

Ministério da Justiça. Intervenção do Ministro da Justiça Intervenção do Ministro da Justiça Sessão comemorativa do 30º Aniversário da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos do Homem Supremo Tribunal de Justiça 10 de Novembro de 2008 Celebrar o

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO CONSULTORIA E ASSESSORAMENTO LEGISLATIVO ESTUDO TÉCNICO 1 Nº 2/2015/CAL/MD/CMRJ Assunto: Competência legislativa municipal para dispor sobre comercialização e consumo

Leia mais

VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA

VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA VAMOS CUIDAR DO BRASIL COM AS ESCOLAS FORMANDO COM-VIDA CONSTRUINDO AGENDA 21AMBIENTAL NA ESCOLA COM-VIDA Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola Criado a partir das deliberações da I Conferência

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato *

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato * A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL Fábio Konder Comparato * Dispõe a Constituição em vigor, segundo o modelo por nós copiado dos Estados Unidos, competir

Leia mais

DIREITO CIVIL NO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO

DIREITO CIVIL NO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO DIREITO CIVIL NO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO GOMES, Alessandro. alefot@bol.com.br Resumo: O trabalho aqui apresentado, como uma exigência para a conclusão do módulo Direito Civil no Empreendimento Turístico,

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. 2 o. SEMESTRE/2009

MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. 2 o. SEMESTRE/2009 INTENSIVO REGULAR DE SÁBADO Disciplina: Direito Administrativo Profª.: Daniela Mello Datas: 03.10.2009 Aula n 01 MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

UNIVERSIDADE ABERTA AOS MOVIMENTOS SOCIAIS

UNIVERSIDADE ABERTA AOS MOVIMENTOS SOCIAIS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA UNIVERSIDADE

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 A Diretoria Executiva do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

DIREITOS HUMANOS E OUVIDORIAS Prof. Carlos Guimarães Professor da Universidade Estadual da Paraíba Doutorando e Mestre em Ética e Filosofia Política Ex-Ouvidor Público da Assembléia Legislativa -PB O que

Leia mais

ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013

ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013 ANAIS DA 65ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC RECIFE, PE JULHO/2013 Atividade: Mesa-Redonda (MR-02) Título: OS POVOS INDÍGENAS E AS DEMANDAS POLÍTICAS NO BRASIL ATUAL Instituição Proponente: ABA Coordenador: Vânia

Leia mais

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P0 Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P1 O Brasil recebe os grandes eventos esportivos em um contexto favorável COPA OLIMPÍADAS Brasil

Leia mais

MANIFESTO PÚBLICO CONTRA A PEC 215/2000

MANIFESTO PÚBLICO CONTRA A PEC 215/2000 MANIFESTO PÚBLICO CONTRA A PEC 215/2000 Brasília (DF), junho de 2015. No dia 19 de maio de 2015, na Câmara dos Deputados, organizações e movimentos sociais, indígenas, indigenistas e ambientalistas, junto

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO I DO PODER LEGISLATIVO Seção II Das Atribuições do Congresso Nacional Art. 49. É da competência exclusiva

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

RECOMENDAÇÃO 001/2008

RECOMENDAÇÃO 001/2008 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DA BAHIA OFÍCIO DO MEIO AMBIENTE E PATRIMÔNIO CULTURAL RECOMENDAÇÃO 001/2008 OBJETO: assegurar que recursos financeiros do Banco Nacional

Leia mais

PORTARIA n. 177/ PRES, de 16 de fevereiro de 2006

PORTARIA n. 177/ PRES, de 16 de fevereiro de 2006 PORTARIA n. 177/ PRES, de 16 de fevereiro de 2006 O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO FUNAI, no uso das atribuições que lhes são conferidas pelo Estatuto, aprovado pelo Decreto n. 4.645, de 25 de

Leia mais

Chamada de Projetos Laboratório Ibero-Americano de Inovação Cidadã

Chamada de Projetos Laboratório Ibero-Americano de Inovação Cidadã Chamada de Projetos Laboratório Ibero-Americano de Inovação Cidadã Chamada aberta para projetos de inovação cidadã A iniciativa Inovação Cidadã da Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB) e o Ministério

Leia mais

Portaria n. 88, de 22/07/2015

Portaria n. 88, de 22/07/2015 Portaria n. 88, de 22/07/2015 O Ministério Público Federal, pelos Procuradores da República signatários, no cumprimento de suas atribuições constitucionais conferidas pelo art. 129 da Constituição Federal

Leia mais

DIVERSIDADE BIOLÓGICA QUESTÕES CONTROVERTIDAS NA PROTEÇÃO DO CONHECIMENTO TRADICIONAL

DIVERSIDADE BIOLÓGICA QUESTÕES CONTROVERTIDAS NA PROTEÇÃO DO CONHECIMENTO TRADICIONAL DIVERSIDADE BIOLÓGICA QUESTÕES CONTROVERTIDAS NA PROTEÇÃO DO CONHECIMENTO TRADICIONAL ELA WIECKO V. DE CASTILHO A 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, preocupada com a vulnerabilidade do conhecimento

Leia mais

Região Norte P1 4 Bimestre. Geografia 7 ano manhã e tarde

Região Norte P1 4 Bimestre. Geografia 7 ano manhã e tarde Região Norte P1 4 Bimestre Geografia 7 ano manhã e tarde A Região Norte é a maior região brasileira em área. Apresenta população relativamente pequena, é a região com a menor densidade demográfica. Um

Leia mais

PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99)

PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99) PORTARIA N o 42, DE 14 DE ABRIL DE 1999 (ATUALIZADA) (*) (Publicada no D.O.U. de 15.04.99) Atualiza a discriminação da despesa por funções de que tratam o inciso I do 1 o do art. 2 o e 2 o do art. 8 o,

Leia mais

EDITAL ONU MULHERES 2011

EDITAL ONU MULHERES 2011 EDITAL ONU MULHERES 2011 O Escritório Sub-Regional da ONU Mulheres para Brasil e países do Cone Sul (Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai) convida organizações da sociedade civil a apresentarem projetos

Leia mais

45ª Semana de Serviço Social. OS MEGA EVENTOS E MOVIMENTOS SOCIAIS: discutindo o direito à cidade. 14 a 16 de maio de 2014

45ª Semana de Serviço Social. OS MEGA EVENTOS E MOVIMENTOS SOCIAIS: discutindo o direito à cidade. 14 a 16 de maio de 2014 45ª Semana de Serviço Social OS MEGA EVENTOS E MOVIMENTOS SOCIAIS: discutindo o direito à cidade 14 a 16 de maio de 2014 Na Copa, comemorar o quê?. É com este mote criativo e provocativo que o Conjunto

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

www. Lifeworld.com.br

www. Lifeworld.com.br 1 Artigos da Constituição Mundial A Constituição Mundial é composta de 61º Artigos, sendo do 1º ao 30º Artigo dos Direitos Humanos de 1948, e do 31º ao 61º Artigos estabelecidos em 2015. Dos 30 Artigos

Leia mais

PRÉMIO PARA UMA OBRA CONJUNTA DE UM TEXTO DRAMÁTICO E DE UMA COMPOSIÇÃO MUSICAL

PRÉMIO PARA UMA OBRA CONJUNTA DE UM TEXTO DRAMÁTICO E DE UMA COMPOSIÇÃO MUSICAL O Fundo de Ajudas para as Artes Cénicas Ibero-Americanas IBERCENA e o Programa de Fomento das Músicas Ibero-Americanas IBERMÚSICAS, convocam o concurso para a atribuição de: PRÉMIO PARA UMA OBRA CONJUNTA

Leia mais

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas A Assembléia Geral, Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas Tomando nota da recomendação que figura na resolução 1/2 do Conselho dos Direitos Humanos, de 29 de junho de 2006,

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS INDÍGENAS. PORTARIA N o 177/PRES, de 16 de fevereiro 2006.

DIREITOS AUTORAIS INDÍGENAS. PORTARIA N o 177/PRES, de 16 de fevereiro 2006. PORTARIA N o 177/PRES, de 16 de fevereiro 2006. O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO - FUNAI, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Estatuto, aprovado pelo Decreto n o 4.645, de 25 de

Leia mais

MEMORIAL FERREIRA DE CASTRO

MEMORIAL FERREIRA DE CASTRO MEMORIAL FERREIRA DE CASTRO Francinete Perdigão É de minha autoria a proposta de criação do Memorial Ferreira de Castro, localizado na região amazônica, no intuito de homenagear a figura do notável escritor

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

Brasília (DF), junho de 2015.

Brasília (DF), junho de 2015. Brasília (DF), junho de 2015. No dia 19 de maio de 2015, na Câmara dos Deputados, organizações e movimentos sociais, indígenas, indigenistas e ambientalistas, junto com as Frentes Parlamentares de Apoio

Leia mais

Pesquisa sobre mecanismos de eleição de conselhos nacionais. LEGISLAÇÃO Criado pela Lei nº 378/ 1937 atualmente regido pela Resolução Nº 407/ 2008

Pesquisa sobre mecanismos de eleição de conselhos nacionais. LEGISLAÇÃO Criado pela Lei nº 378/ 1937 atualmente regido pela Resolução Nº 407/ 2008 Pesquisa sobre mecanismos de eleição de conselhos nacionais Conselho Nacional de Saúde (CNS) LEGISLAÇÃO Criado pela Lei nº 378/ 1937 atualmente regido pela Resolução Nº 407/ 2008 COMPOSIÇÃO 50% Usuário

Leia mais

EDUCAÇÃO INDÍGENA INTRODUÇÃO

EDUCAÇÃO INDÍGENA INTRODUÇÃO EDUCAÇÃO INDÍGENA Gonçalves,Emily 1 Mello,Fernanda 2 RESUMO: Falar da educação dos índios nos dias atuais requer uma breve análise histórica deste povo. Precisamos reconhecer que nesses 508 anos, os povos

Leia mais

UNESCO Brasilia Office Representação no Brasil Declaração sobre as Responsabilidades das Gerações Presentes em Relação às Gerações Futuras

UNESCO Brasilia Office Representação no Brasil Declaração sobre as Responsabilidades das Gerações Presentes em Relação às Gerações Futuras UNESCO Brasilia Office Representação no Brasil Declaração sobre as Responsabilidades das Gerações Presentes em Relação às Gerações Futuras adotada em 12 de novembro de 1997 pela Conferência Geral da UNESCO

Leia mais

Debates jurídico-trabalhistas mundiais Uma visão dos principais itens debatidos na Conferência Mundial de Advocacia em Tóquio

Debates jurídico-trabalhistas mundiais Uma visão dos principais itens debatidos na Conferência Mundial de Advocacia em Tóquio Debates jurídico-trabalhistas mundiais Uma visão dos principais itens debatidos na Conferência Mundial de Advocacia em Tóquio Dr. WOLNEI TADEU FERREIRA novembro 2014 O que é a IBA e o que ela significa

Leia mais