Copa do Mundo da FIFA Estratégia de Sustentabilidade - Conceito

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Copa do Mundo da FIFA 2014. Estratégia de Sustentabilidade - Conceito"

Transcrição

1 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito Versão 2 maio de 2012

2 PREFÁCIO A Copa do Mundo da FIFA é a maior competição esportiva de uma única modalidade do planeta e o impacto dela na sociedade e no meio ambiente é indiscutível. Na realização de um evento internacional como esse, devem ser levados em conta todos os aspectos necessários para garantir que sua abordagem seja equilibrada e os resultados sustentáveis. A FIFA e o Comitê Organizador Local (COL) consideram esses fatores com sériedade e se comprometem em realizar uma competição sustentável no Brasil em Graças ao seu alcance global, a Copa do Mundo da FIFA é capaz de oferecer, mundialmente, uma plataforma exclusiva para atrair atenção e conscientizar o público em relação a certas questões sociais e ambientais. Considerando o interesse e as expectativas despertadas por um evento desse tipo nas diversas entidades envolvidas, gostaríamos de aproveitar ao máximo essas oportunidades e otimizar os resultados positivos da Copa do Mundo. Portanto, é essencial que a FIFA e o COL definam objetivos claros, ambiciosos e, ao mesmo tempo, realistas para seu trabalho. A Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA 2014 irá guiar nossos esforços na realização de um evento sustentável, nos auxiliando a alcançar um dos elementos centrais da missão da FIFA: a construção de um futuro melhor. Jérôme Valcke Secretário-geral da FIFA 2

3 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito É uma honra para nós, brasileiros, sediarmos a Copa do Mundo da FIFA Junto ao entusiasmo, temos uma enorme responsabilidade em organizar a maior competição de futebol do planeta. Nos comprometemos não apenas em realizar um evento do mais alto nível, mas também em fazê-lo de forma sustentável. Assim, a estratégia aqui presente irá nos ajudar a maximizar os efeitos positivos, beneficiando todos os segmentos da sociedade brasileira. Ela também irá minimizar os efeitos negativos, especialmente aqueles que incidem sobre o meio ambiente. Tenho orgulho de fazer parte de uma equipe dedicada, que está comprometida a superar esse desafio. O Comitê Organizador Local da Copa do Mundo da FIFA 2014 está trabalhando, junto com a FIFA e em estreita cooperação com o governo federal e as Sedes, com o objetivo de garantir um evento sustentável. Como resultado de nossas ações conjuntas, a sustentabilidade se tornará parte integrante da organização da Copa do Mundo da FIFA, definindo, assim, um novo paradigma para as edições futuras do Mundial. É a nossa chance de construir um legado duradouro para o povo brasileiro e para o mundo. Vamos aproveitar ao máximo essa grande oportunidade! Ronaldo Nazário Membro do Conselho do COL 3

4 INTRODUÇÃO Este documento fornece um panorama da estratégia de sustentabilidade para a Copa do Mundo da FIFA Ele se baseia: No conceito estratégico inicialmente desenvolvido pelo Conselho Deliberativo de responsabilidade social corporativa (RSC) da Copa do Mundo da FIFA 2014, composto por representantes do COL e do Departamento de RSC da FIFA e; Na direção estratégica adotada durante a Oficina da Equipe de RSC da Copa do Mundo da FIFA 2014, realizado entre 24 e 29 de outubro de 2011 com a participação de funcionários da FIFA e do COL, e apresentada na reunião do Conselho do COL em 19 de janeiro de A Estratégia de Sustentabilidade tem como base sete áreas centrais definidas na ISO 26000, a norma de responsabilidade social da Organização Internacional de Normatização (ISO). Esse conceito descreve como a FIFA e o COL irão abordar os desafios e as oportunidades de sustentabilidade durante a realização da Copa do Mundo da FIFA 2014 e interagir com uma série de entidades envolvidas, visando reduzir os impactos negativos e aumentar os impactos positivos sobre a sociedade e o meio ambiente. 4

5 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE CONCEITO A. Visão A Copa do Mundo da FIFA 2014 : Na qual a importância da sustentabilidade seja reconhecida pelos organizadores e partes interessadas (stakeholders); Para a qual os organizadores e as partes interessadas (stakeholders) tenham tomado medidas adequadas para tornar o evento mais sustentável; Na qual iniciativas sustentáveis associadas ao evento inspirem outras ações no Brasil e no mundo; Cujo resultado sirva como referência de sustentabilidade para futuras edições da Copa do Mundo da FIFA e de outros grandes eventos esportivos. B. Missão Organizar e implementar a Copa do Mundo da FIFA 2014 de maneira sustentável, reduzindo o impacto negativo e aumentando o impacto positivo do evento sobre a sociedade e o meio ambiente. + Impactos positivos Impactos negativos C. Implementação A FIFA e o COL irão implementar ações e projetos que promovam a sustentabilidade, colaborando com as partes interessadas (stakeholders), alavancando oportunidades, reduzindo riscos e criando um legado duradouro da Copa do Mundo da FIFA no Brasil e para futuras edições do Mundial. A FIFA e o COL formaram uma Equipe de RSC 1 unificada para a Copa do Mundo da FIFA 2014, visando a coordenação e implementação dessa estratégia. 1 responsabilidade social corporativa 5

6 D. Princípios Responsabilização Ética e anticorrupção Transparência Respeito pelos stakeholders Estado de direito A FIFA e o COL envidam esforços para promover a integração dos princípios da ISO na gestão e nas operações da Copa do Mundo da FIFA. São eles: 1. Responsabilização (accountability): Somos responsáveis pelos impactos que causamos sobre a sociedade e o meio ambiente. Assumimos a responsabilidade pelo impacto de nossas decisões e atividades sobre a sociedade e o meio ambiente, especialmente pelas consequências negativas mais expressivas, e tomamos medidas para impedir que efeitos negativos não intencionados e imprevistos se repitam. 2. Ética e anticorrupção: Agimos com base nos valores da honestidade, igualdade e integridade. 3. Transparência: Somos transparentes nas decisões e atividades que têm impacto na sociedade e o meio ambiente. Publicamos, de maneira aberta, precisa e completa, as políticas, decisões e atividades pelas quais somos responsáveis, incluindo os impactos conhecidos e prováveis sobre a sociedade e o meio ambiente. 4. Respeito pelos interesses das partes interessadas (stakeholders): Respeitamos, consideramos e respondemos aos interesses das partes interessadas. 5. Estado de direito: Respeitamos o estado de direito e cumprimos os requisitos legais em todas as jurisdições onde a organização atua, mesmo na ausência de medidas adequadas para o cumprimento de leis e regulamentos. 6

7 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito Além disso, procuramos seguir uma abordagem colaborativa e que alavanque oportunidades em longo prazo. Colaboração Abordagem de longo prazo Alavancagem de oportunidades 6. Colaboração: Interagimos ativamente com outras entidades que compartilham esses princípios, visando maximizar o impacto positivo. Através da colaboração com o governo nas esferas federal, estadual e municipal, garantimos o alinhamento das atividades, buscando metas em comum e maior impacto global. 7. Abordagem de longo prazo: Priorizamos o impacto a longo prazo e as iniciativas sustentáveis e capazes de deixar um legado duradouro. Os efeitos positivos dos programas de treinamento e capacitação, realizados na fase preparatória da Copa do Mundo da FIFA, continuarão após o soar do último apito. 8. Alavancagem de oportunidades: Utilizamos a plataforma da Copa do Mundo da FIFA para comunicar e alavancar iniciativas sociais e ambientais. O atrativo da Copa do Mundo irá ajudar a conscientizar e educar um grande público em questões de relevância local e internacional. 7

8 E. Alcance geográfico Alcance geográfico Brasil A Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA possui abrangência nacional, assim como a própria Copa do Mundo da FIFA Contudo, especialmente para as questões ambientais que não forem limitadas por fronteiras nacionais, os desdobramentos e as considerações terão alcance internacional. No Brasil, o foco será no trabalho conjunto com o governo federal e as 12 Sedes da Copa do Mundo da FIFA Busca-se, assim, maximizar os recursos e o impacto da Copa do Mundo da FIFA, investindo nos canais de comunicação e estruturas governamentais já existentes. Manaus Fortaleza Natal Cuiabá Brasília Recife Salvador São Paulo Curitiba Belo Horizonte Rio de Janeiro Porto Alegre 8

9 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito F. Alinhamento com as diretrizes presidenciais Devido ao foco nacional do evento, descrito na seção anterior, as diretrizes presidenciais fornecem linhas gerais e um contexto para a Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA. As 13 diretrizes que caracterizam o programa de políticas do governo brasileiro estão resumidas abaixo Expandir e fortalecer a democracia 2. Aumentar o crescimento econômico 3. Implementar um projeto de desenvolvimento econômico em larga escala e a longo prazo 4. Defender o meio ambiente e garantir o desenvolvimento sustentável 5. Erradicar a pobreza e reduzir a desigualdade 6. Melhorar as condições de trabalho e facilitar o acesso dos jovens ao emprego formal 7. Garantir educação de qualidade e à formação profissional 8. Transformar o Brasil em potência científica e tecnológica 9. Melhorar o acesso a serviços de saúde de qualidade 10. Suprir as necessidades básicas dos cidadãos, como moradia, saneamento e transporte 11. Promover a cultura brasileira e o diálogo com outras culturas 12. Garantir a segurança civil e combater o crime organizado 13. Defender a soberania nacional por meio de uma presença ativa e altiva do Brasil no mundo A Copa do Mundo da FIFA e a Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA irão contribuir para que muitas dessas diretrizes sejam cumpridas. Seguem alguns exemplos que ilustram isso: Diretiva 4: A meta da FIFA e do COL de reduzir o impacto negativo da Copa do Mundo da FIFA sobre o meio ambiente está de acordo com os esforços do governo para preservação do meio ambiente e apromoção da sustentabilidade. Diretiva 5: Por meio do programa Football for Hope, a FIFA irá apoiar projetos no Brasil que combinem futebol e desenvolvimento social, ajudando jovens de comunidades menos favorecidas na luta contra a pobreza e contra a falta de oportunidades. Diretivas 6 e 7: Por meio de programas de capacitação, desenvolvidos especialmente para certos grupos envolvidos na Copa do Mundo, a FIFA e o COL irão dar suporte na busca pelo emprego de longo prazo. Diretiva 6: Segundo estimativas dos Ministérios do Esporte e do Trabalho, a Copa do Mundo da FIFA irá gerar empregos. Desses, avalia-se que serão permanentes, enquanto totatilizam os cargos temporários. Diretiva 10: As 12 Sedes estão investindo uma quantidade significativa de recursos em transporte público. Esses investimentos terão um impacto positivo sobre a qualidade de vida dos cidadãos, deixando assim um legado duradouro. 2 9

10 G. Planejamento estratégico e objetivos Os sete temas centrais na tabela abaixo, definidos pela Organização Internacional de Normatização (ISO), formam a base da estratégia de sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA e do planejamento estratégico adotado pela FIFA e pelo COL. As questões a seguir, também baseadas na ISO , foram definidas e selecionadas por meio de uma análise de relevância, considerando a influência dos organizadores sobre elas e a sua importância para a Copa do Mundo da FIFA e para as partes interessadas. Os objetivos estratégicos para cada tema central formam a espinha dorsal da estratégia de sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA. Além disso, os objetivos fornecerão orientação para as etapas posteriores do processo, que incluem a definição das partes interessadas (stakeholders), das metas para cada tema e das atividades individuais que serão implementadas para alcançar as metas e os objetivos estratégicos. Todas essas informações foram compiladas em um documento interno, separado e abrangente: o Plano de Ação para a Estratégia de Sustentabilidade da Copa do Mundo da FIFA. Por meio do planejamento estratégico, a responsabilidade social e o meio ambiente foram definidos como os dois pilares fundamentais da estratégia de sustentabilidade. O programa ambiental irá priorizar gestão de resíduos, água, energia, transporte, compras sustentáveis e mudanças climáticas. Os seguintes pontos da ISO podem ser classificados como responsabilidade social: práticas leais de operação, questões relativas aos consumidores, práticas de trabalho, direitos humanos e envolvimento e desenvolvimento das comunidades. Em particular esta atividade estará associada ao projeto internacional Football for Hope, que utilizará o potencial do futebol para promover mudanças sociais no país. Temas principais Objetivos estratégicos Questões Princípios Governança organizacional Os esforços de sustentabilidade na Copa do Mundo da FIFA são guiados por princípios de responsabilização (accountability), transparência, do comportamento ético, do respeito pelos interesses das partes interessadas, o respeito pelo estado de direito, das normas internacionais de conduta e dos direitos humanos. Além disso, a FIFA e o COL têm como objetivo deixar um legado positivo no país anfitrião. Integração dos princípios às estruturas de gestão e às políticas da Copa do Mundo da FIFA (responsabilização (accountability), transparência, comportamento ético, respeito pelos interesses das partes interessadas respeito pelo estado de direito, normas internacionais de conduta e direitos humanos) Defesa e integração da noção de sustentabilidade às estruturas de gestão e áreas funcionais da Copa do Mundo da FIFA Legado (social, ambiental e econômico) Princípios fundamentais e direitos trabalhistas 3 Norma de responsabilidade social da ISO. 10

11 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito Temas principais Objetivos estratégicos Questões Meio ambiente A FIFA e o COL irão trabalhar para Promoção a proteção ao meio reduzir os impactos ambientais ambiente no Brasil Meio ambiente negativos da preparação e realização da Copa do Mundo da FIFA, com foco em gestão de resíduos, água, energia, transporte, compras sustentáveis, e mudanças climáticas, utilizando a Evento para a Compensar emissões de carbono Logística (produtos) Transporte (pessoas) Gestão de resíduos Água Consumo sustentável conscientização ambiental. Energia (consumo consciente, eficiência e energias renováveis) Envolvimento e A FIFA e o COL irão promover maior Saúde desenvolvimento bem-estar nas Sedes, através do apoio Inclusão social e antidiscriminação da comunidade a iniciativas que utilizem o futebol Investimentos sociais (programas, como catalizador de desenvolvimento treinamento) nas áreas de educação, saúde, inclusão social, segurança civil e antidiscriminação. Práticas leais de A FIFA e o COL buscam interagir Promoção da sustentabilidade na operação de forma justa com terceiros e esfera de influência da organização indivíduos e promover atitudes Compras sustentáveis socialmente responsáveis entre as Oportunidades para o setor informal partes interessadas (stakeholders), ao demonstrar liderança por meio de campanhas (advocacy) e políticas de compras sustentáveis. Questões relativas A FIFA e o COL visam proteger os Proteção a saúde e a segurança do Social ao consumidor direitos dos consumidores, aplicando princípios de proteção aos mesmos, que incluem saúde e segurança, consumidor Serviços ao consumidor e atendimento a reclamações serviços ao consumidor, educação Educação e conscientização do e proteção de dados, assim como a consumidor promoção de um evento inclusivo para Acessibilidade todos. Proteção de dados do consumidor Práticas de trabalho A FIFA e o COL irão envidar esforços Relações de trabalho para garantir práticas de trabalho Saúde e segurança no local de justas, incluindo salários e benefícios trabalho justos em um ambiente de trabalho Salários e benefícios justos saudável e seguro. Recrutamento e treinamento de funcionários da Copa do Mundo da FIFA Direitos humanos Dentro da esfera de influência da Direitos civis e políticos (população FIFA e do COL, deve-se respeitar os de rua) direitos humanos e o estado de direito, Combate ao trabalho escravo, infantil incluindo conceitos de justiça social e e ao tráfico de pessoas imparcialidade. 11

12 H. Partes interessadas (stakeholders) Principais atores relevanates Outros atores relevantes FIFA, COL, governo federal, Sedes, parceiros comerciais da FIFA, autoridades responsáveis pelos estádios, prestadores de serviços, fornecedores Espectadores, organizações não governamentais (ONGs), comunidades locais, Confederação Brasileira de Futebol (CBF), organizações multilaterais de desenvolvimento O desenvolvimento e a implementação de um programa sócio-ambiental para a Copa do Mundo da FIFA exige o envolvimento ativo e a contribuição de diversos atores relevantes. Seguindo uma abordagem colaborativa, a FIFA e o COL irão envidar esforços para estabelecer uma relação constante e construtiva com todas as partes interessadas (stakeholders) identificados, visando otimizar os recursos e o potencial impacto de nossos esforços em conjunto. O processo de identificação dos atores relevantes incluiu a análise de esferas e níveis de influência, bem como o impacto deles na Copa do Mundo da FIFA e na Estratégia de Sustentabilidade. Entre as principais partes interessadas, estão: 1. As áreas funcionais da FIFA e do COL e de empresas subsidiárias da FIFA 2. O governo federal, as Sedes e as autoridades responsáveis pelos estádios 3. Parceiros Comerciais da FIFA (Parceiros da FIFA, Patrocinadores da Copa do Mundo da FIFA, Apoiadores Nacionais, Licenciados da Copa do Mundo da FIFA). 4. Prestadores de serviços e fornecedores FIFA e o COL Um dos objetivos do plano de ação é integrar iniciativas de sustentabilidade às áreas funcionais mais relevantes da Copa do Mundo da FIFA, definidas conforme seus impactos sobre a sociedade e o meio ambiente. Para atingir esse objetivo, a Equipe de RSC da Copa do Mundo da FIFA trabalhará em estreita colaboração com áreas funcionais, de modo a integrar sustentabilidade à gestão e às operações do Mundial. 12

13 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito Governo federal, Sedes e autoridades responsáveis pelos estádios A Equipe de RSC da Copa do Mundo da FIFA também trabalhará com o governo federal, através da Câmara Temática de Meio Ambiente e Sustentabilidade (CTMAS), criada pelo Ministério do Esporte e responsável pela coordenação dos esforços de sustentabilidade no âmbito nacional e local. A equipe de RSC da Copa do Mundo da FIFA também entrará em contato com as Sedes e com as autoridades responsáveis pelos estádios para ter conhecimento de suas iniciativas sociais e ambientais relacionadas à Copa do Mundo. Parceiros comerciais Os parceiros da FIFA serão integrados em determinados casos, através de apoio em forma de produtos e serviços à Copa do Mundo da FIFA e por meio de alinhamento às iniciativas específicas do programa ambiental e/ou do programa Football for Hope. Também será buscada a colaboração com certos Patrocinadores da Copa do Mundo da FIFA, Apoiadores Nacionais e Licenciados da Copa do Mundo da FIFA, especialmente com aqueles que sejam particularmente ativos na promoção do desenvolvimento social e/ou da proteção ambiental em relação à Copa do Mundo da FIFA Brasil Prestadores de serviço e fornecedores Os prestadores de serviço e fornecedores também são entidades relevantes, devido ao potencial impacto social e ambiental dos seus produtos e serviços. A Equipe de RSC da Copa do Mundo da FIFA trabalhará com diversas áreas funcionais para promover políticas de compras sustentáveis e integrar critérios de sustentabilidade. Outras partes interessadas (stakeholders) Por meio de iniciativas como o programa Football for Hope, a FIFA irá oferecer apoio a programas concretos no Brasil, realizados por ONGs que utilizam o futebol como ferramenta para mudanças sociais. Outras partes interessadas (stakeholders), como os espectadores, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), organizações de desenvolvimento multilateral e as comunidades locais irão desempenhar papéis distintos para contribuir com os objetivos da estratégia de sustentabilidade. I. Relatórios A FIFA e o COL produzirão conjuntamente um relatório de sustentabilidade abrangente, de acordo com as Diretrizes de Relatório de Sustentabilidade e Suplemento Setorial de Organizadores do Evento, desenvolvidas pelo Global Reporting Initiative (GRI). O relatório será publicado após a Copa do Mundo da FIFA 2014 nos quatro idiomas da FIFA: inglês, francês, espanhol e alemão assim como em português. 13

14 CONTATO Conselho Deliberativo de RSC da Copa do Mundo da FIFA 2014 Federico Addiechi Fédération Internationale de Football Association Diretor de Responsabilidade Social Corporativa Madleen Noreisch Fédération Internationale de Football Association Gerente do Programa de Responsabilidade Social Corporativa Joana Havelange 2014 FIFA World Cup Organising Committee Brazil Diretora Executiva de Planejamento Estratégico e Suporte Operacional Fernanda Pizzi 2014 FIFA World Cup Organising Committee Brazil Diretora de Planejamento Estratégico e Suporte Operacional 14

15 Copa do Mundo da FIFA 2014 Estratégia de Sustentabilidade - Conceito 15

16 16

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social Características essenciais de Responsabilidade Social Incorporação por parte da organização de considerações sociais e ambientais nas suas decisões tornando-se

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Agenda de Trabalho Junho 2011 Claudio Langone Code-P1 OPORTUNIDADE PARA O BRASIL 2011 - Jogos Militares Mundiais 2012 - RIO + 20 - Cúpula das

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

Estudo sobre Organizações Não-Governamentais que Utilizam o Futebol como Ferramenta para o Desenvolvimento Social no Brasil

Estudo sobre Organizações Não-Governamentais que Utilizam o Futebol como Ferramenta para o Desenvolvimento Social no Brasil Sustentabilidade Estudo sobre Organizações Não-Governamentais que Utilizam o Futebol como Ferramenta para o Desenvolvimento Social no Brasil Resumo Executivo Agosto 2014 Fédération Internationale de Football

Leia mais

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus Projeto 1 Estádio PROJETO 1 - ESTÁDIO VIVALDO LIMA (VIVALDÃO) OBJETIVO: Atender os requerimentos estabelecidos pela FIFA (Fédération Internationale

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER

DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER Acreditamos que as empresas só podem florescer em sociedades nas quais os direitos humanos sejam protegidos e respeitados. Reconhecemos que as empresas

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Princípios de Empoderamento das Mulheres

Princípios de Empoderamento das Mulheres Princípios de Empoderamento das Mulheres Igualdade Significa Negócios Princípios de Empoderamento das Mulheres 1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de Gênero, no mais alto nível. 2.

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

Responsabilidade do Setor Privado na Prevenção e no Combate à Corrupção. 23º encontro Comitê de especialistas MESICIC/ OEA

Responsabilidade do Setor Privado na Prevenção e no Combate à Corrupção. 23º encontro Comitê de especialistas MESICIC/ OEA Responsabilidade do Setor Privado na Prevenção e no Combate à Corrupção 23º encontro Comitê de especialistas MESICIC/ OEA O Instituto Ethos Fundado em 1998 por um grupo de empresários Conselho Deliberativo

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física, da Atividade Física e do Esporte

Carta Internacional da Educação Física, da Atividade Física e do Esporte Carta Internacional da Educação Física, da Atividade Física e do Esporte Preâmbulo A Conferência Geral da UNESCO, 1. Recordando que, na Carta das Nações Unidas, os povos proclamaram sua fé nos direitos

Leia mais

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES Outubro/2009 1/8 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ABRANGÊNCIA 3. OBJETIVOS 4. CÓDIGO DE CONDUTA EMPRESARIAL 4.1 NORMAS DE CONDUTA

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES Índice 1. INTRODUÇÃO 2. PARTES INTERESSADAS. NORMATIVOS. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA. PRINCÍPIOS 6. DIRETRIZES 6.1 NORMATIZAÇÃO 6.2 GERENCIAMENTO DO RISCO SOCIOAMBIENTAL 6.2.1 RISCO SOCIOAMBIENTAL DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial

Responsabilidade Social Empresarial Responsabilidade Social Empresarial Henry Ford: produto e preço - Gestão de Produto e Processo. Jerome McCarty e Philip Kotler: produto, preço, praça (ponto de venda) e promoção. - Gestão de Marketing.

Leia mais

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude

Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011. 66/121. Políticas e programas voltados à juventude Organização das Nações Unidas A/RES/66/121 Assembleia Geral Distribuição: geral 2 de fevereiro de 2012 65 a sessão Item 27 (b) da pauta Resolução adotada pela Assembleia Geral em 19 de dezembro de 2011

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Versão 1.0 18/08/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceitos... 3 3. Diretrizes... 3 3.1. Diretrizes Gerais... 3 3.2. Diretrizes Específicas...

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)

DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO (ODM) PARA OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) INTRODUÇÃO A Organização das Nações Unidas (ONU) está conduzindo um amplo debate entre governos

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda.

CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda. CÓDIGO DE ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL Laboratório Weinmann Ltda. 1 Objetivo Descrever e comunicar os princípios que norteiam o relacionamento do Laboratório Weinmann Ltda. com as suas partes interessadas

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

AB Volvo, 405 08 Gotemburgo, Suécia. Ref No 953810014, de agosto de 2009. The Volvo Way

AB Volvo, 405 08 Gotemburgo, Suécia. Ref No 953810014, de agosto de 2009. The Volvo Way AB Volvo, 405 08 Gotemburgo, Suécia Ref No 953810014, de agosto de 2009 The Volvo Way Índice Prefácio Nossa missão Os clientes em primeiro lugar Foco no cliente Objetivos claros Qualidade, segurança e

Leia mais

CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável

CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável Julho 2010 O que é ISO 26000? A ISO 26000 é uma norma internacional de Responsabilidade Social, um guia de diretrizes que contribui

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

Copa 2014 Desafios e Oportunidades

Copa 2014 Desafios e Oportunidades Copa 2014 Desafios e Oportunidades A Copa 2014 tem dono... A Copa é da FIFA Exigências atribuladas no caderno de encargos Com a Copa de 2010, o único continente que ainda não sediou o evento foi a Oceania

Leia mais

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins meramente informativos. É proibida a reprodução total ou

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA 23 de julho de 2015 ÍNDICE Pág. Introdução... 3 Objetivos... 3 Princípios gerais de atuação... 4 Princípios específicos de atuação... 7 Mecanismos de desenvolvimento,

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Stakeholders GOVERNOS ORGANISMOS INTERNACIONAIS FORNECEDORES CONCORRENTES INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO ACIONISTAS PROPRIETÁRIOS EMPRESA

Leia mais

Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável

Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável 2 Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável Fevereiro de 2011 1 2 Plataforma por uma Economia Inclusiva, Verde e Responsável 1Apresentação Esta plataforma expressa a visão e os objetivos

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO

BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO BIC AMAZÔNIA S.A. RELATÓRIO DE DESEMPENHO SOCIAL JANEIRO DE 2015 I - APRESENTAÇÃO A unidade BIC Amazônia está localizada na cidade de Manaus, no Estado do Amazonas, onde são produzidos canetas, lápis,

Leia mais

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil Marcelo Weishaupt Proni Unicamp A discussão sobre os megaeventos ainda é feita com base em informações precárias Sem dúvida,

Leia mais

ANEXO MODELO DE GOVERNANÇA

ANEXO MODELO DE GOVERNANÇA ANEXO MODELO DE GOVERNANÇA Este documento tem como objetivo propor modelo de governança para o período de concessão do COMPLEXO DO MINEIRAO, incluindo o período de obras, a fim de assegurar que os esforços

Leia mais

ISO 9001 ISO 14001. Relatório Comunicação de Progresso COP 2014

ISO 9001 ISO 14001. Relatório Comunicação de Progresso COP 2014 Relatório Comunicação de Progresso COP 2014 Detalhes da Comunicação de Progresso Nome da Empresa Signatária Copastur Viagens e Turismo País Brasil Setor Turismo Agenciamento de Viagens Período de Relato

Leia mais

Relatório Pacto Global. Princípio 1: As empresas devem dar apoio e respeitar a proteção aos direitos humanos proclamados internacionalmente;

Relatório Pacto Global. Princípio 1: As empresas devem dar apoio e respeitar a proteção aos direitos humanos proclamados internacionalmente; Relatório Pacto Global Princípios de Direitos Humanos Princípio 1: As empresas devem dar apoio e respeitar a proteção aos direitos humanos proclamados internacionalmente; Um dos valores que sustentam a

Leia mais

PROGRAMA DE ELABORAÇÃO DE BALANÇOS SOCIOAMBIENTAIS INICIATIVA PRIVADA

PROGRAMA DE ELABORAÇÃO DE BALANÇOS SOCIOAMBIENTAIS INICIATIVA PRIVADA PROGRAMA DE ELABORAÇÃO DE BALANÇOS SOCIOAMBIENTAIS INICIATIVA PRIVADA CONHEÇA MELHOR A SAÚDE SOCIOAMBIENTAL DA SUA EMPRESA E OBTENHA MAIOR CREDIBILIDADE E VISIBILIDADE!!! INVISTA O Instituto Socioambiental

Leia mais

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão 54 VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 8. Gestão VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 55 8. Gestão PÚBLICOS DE RELACIONAMENTO A Valid desenvolve seus relacionamentos com os públicos de

Leia mais

ROCK IN RIO LISBOA 2014. Princípios de desenvolvimento sustentável Declaração de propósitos e valores Política de Sustentabilidade do evento

ROCK IN RIO LISBOA 2014. Princípios de desenvolvimento sustentável Declaração de propósitos e valores Política de Sustentabilidade do evento ROCK IN RIO LISBOA 2014 Princípios de desenvolvimento sustentável Declaração de propósitos e valores Política de Sustentabilidade do evento PRINCÍPIOS O Sistema de Gestão da Sustentabilidade é baseado

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Outubro/2011 Temas de Interesse Meio Ambiente Ações Sociais / Projetos Sociais / Programas Sociais Sustentabilidade / Desenvolvimento

Leia mais

PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC

PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC CONDUZINDO E EXPANDINDO NOSSOS NEGÓCIOSDE UMA MANEIRA RESPONSÁVEL E SUSTENTÁVEL HSEC APPROACH INTRODUCAO SOBRE NÓS A Trafigura é líder no mercado global de commodities. Suprimos,

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

Categorias de Ingressos disponiveís para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

Categorias de Ingressos disponiveís para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 1. Quais Categorias de Ingressos são oferecidas pela FIFA? Haverá quatro categorias de preços de Ingressos oferecidas para a Copa do Mundo FIFA 2014: A Categoria 1 é a mais cara, localizada em áreas nobres

Leia mais

TRADUÇÃO NÃO OFICIAL

TRADUÇÃO NÃO OFICIAL UNASUL/CMRE/RESOLUÇÃO/Nº 28/2012 MEDIANTE A QUAL É RESOLVIDO APRESENTAR PARA A APROVAÇÃO DO CONSELHO DE CHEFAS E CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA UNIÃO DAS NAÇÕES SUL-AMERICANAS A AGENDA DE AÇÕES PRIORITÁRIAS

Leia mais

Emissão de Ingressos para a Copa do Mundo da FIFA 2014. P&R Versão 1

Emissão de Ingressos para a Copa do Mundo da FIFA 2014. P&R Versão 1 Emissão de Ingressos para a Copa do Mundo da FIFA 2014 P&R Versão 1 Quem é responsável pela emissão dos ingressos? Quem está encarregado das vendas dos ingressos? Quem são os responsáveis pela tomada de

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Dezembro/2011 Instrumentos da Política SocioAmbiental Linhas de Instituições Financiamento participantes da pesquisa Participação de

Leia mais

Os Princípios do IDFC para Promover um Desenvolvimento Sustentável 1

Os Princípios do IDFC para Promover um Desenvolvimento Sustentável 1 Os Princípios do IDFC para Promover um Desenvolvimento Sustentável 1 I. Histórico O Clube Internacional de Financiamento ao Desenvolvimento (IDFC) é um grupo de 19 instituições de financiamento ao desenvolvimento

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

Documento referencial: uma contribuição para o debate

Documento referencial: uma contribuição para o debate Documento referencial: uma contribuição para o debate desenvolvimento integração sustentável participação fronteiriça cidadã 1. Propósito do documento O presente documento busca estabelecer as bases para

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa São Paulo, 03 de setembro de 2013 VI SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS - SHS 2013 EMISSÕES

Leia mais

Rio+20 Comitê Nacional de Organização Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio de Janeiro, 13-22 de junho de 2012

Rio+20 Comitê Nacional de Organização Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio de Janeiro, 13-22 de junho de 2012 Rio+20 Comitê Nacional de Organização Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio de Janeiro, 13-22 de junho de 2012 Rio+20: como chegamos até aqui Estocolmo 1972 Realizada há quarenta

Leia mais

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros.

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros. Índice 1. Objetivo... 1 2. Escopo e Partes Afetadas... 1 3. Definições... 1 4. Princípios... 1 5. Objetivos, metas e programas... 2 6. Papéis e Responsabilidades... 5 7. Regulamentação Aplicável... 6 1.

Leia mais

A preparação do Brasil para a Conferência Rio+20 Sugestões para contribuições

A preparação do Brasil para a Conferência Rio+20 Sugestões para contribuições A preparação do Brasil para a Conferência Rio+20 Sugestões para contribuições I. Informações preliminares sobre a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável ( Rio+20 ) De 28 de maio

Leia mais

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS.

PRINCIPAIS NORTEADORES ESTRATÉGICOS DA UNIMED VALE DAS ANTAS/RS. UNIMED VALE DAS ANTAS, RS - COOPERATIVA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE LTDA Ramo: Cooperativa Médica de Serviços de Saúde Período de Relato: de 27/02/2014 a 24/02/2015 E-mail: rh@valedasantas.unimed.com.br / gerencia@valedasantas.unimed.com.br

Leia mais

Código de ética e Conduta

Código de ética e Conduta DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS GlobalPET Reciclagem S.A Agosto /2014 Código de ética e Conduta Sumário 1. Introdução 2. Objetivos 3. Código de Conduta 4. Código de Ética 5. Valores éticos 6. Princípios

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

O Grupo Atlas Copco. Código de Conduta Empresarial

O Grupo Atlas Copco. Código de Conduta Empresarial O Grupo Atlas Copco Código de Conduta Empresarial Índice O Grupo Atlas Copco 1 Primeiro na Mente Primeiro na Escolha 2 Valores Fundamentais 3 Relações 4 Sociedade e o ambiente 5 Colaboradores 6 Clientes

Leia mais

www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD

www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD www.imcdgroup.com CÓDIGO DE CONDUTA. IMCD O SUCESSO DA IMCD É BASEADO NO ESTABELECIMENTO DE UM AMBIENTE QUE PROMOVE A RESPONSABILIDADE, CONFIANÇA E O RESPEITO. IMCD Código de Conduta 3 1. Introdução O

Leia mais

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Edição: agosto/2014 1 ÍNDICE Visão, Missão e Valores 6 Fornecedores e prestadores de serviço 14 Objetivos 7 Brindes, presentes e entretenimento 15 Princípios

Leia mais

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social A Sustentabilidade no HSL Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social Sustentabilidade HSL Panorama Geral Desequilíbrio do processo econômico Fonte: New Scientist (18 October 2008, p 40). Legenda:

Leia mais

3º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. Bento Gonçalves RS, Brasil, 25 a 27 de Abril de 2012

3º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. Bento Gonçalves RS, Brasil, 25 a 27 de Abril de 2012 Segurança energética, energia renovável e geração termelétrica: o caso do suprimento às capitais sede da Copa de 2014 Marina Seelig 1, Lauren Anne Botelho 2, Paulo Smith Schneider 3 1 Grupo de Estudos

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS

X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS PAINEL : FERRAMENTA PARA A GESTÃO DA ÉTICA E DOS DIREITOS HUMANOS RONI ANDERSON BARBOSA INSTITUTO OBSERVATORIO SOCIAL INSTITUCIONAL

Leia mais

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos Superintendência Regional de Negócios Rio de Janeiro Centro Plínio Magalhães Fonseca Gerente Regional 07 de Outubro de 2009 Responsabilidade

Leia mais

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa Manual de Governança Corporativa Sumário 1. Definição.... Objetivo... 3. Da Contextualização da PREVIMINAS... 3.1. Arcabouço Legal e Regulatório... 3.. A Identidade da PREVIMINAS... A Filosofia Empresarial

Leia mais

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis 10ª Semana da Responsabilidade Social Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis Enquadramento geral No mundo de hoje todas as sociedades têm ambições

Leia mais

Ministério do Esporte. Cartilha do. Voluntário

Ministério do Esporte. Cartilha do. Voluntário Ministério do Esporte Cartilha do Voluntário O Programa O Brasil Voluntário é um programa de voluntariado coordenado pelo Governo Federal, criado para atender à Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013

Leia mais

Identidade Organizacional. Prezado,

Identidade Organizacional. Prezado, Prezado, Apresentamos a todos os colaboradores, o Código de Conduta da Bolt Transportes, que foi minuciosamente elaborado de acordo com os valores que acreditamos ser essenciais para o um bom relacionamento

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS TRABALHOS NO 1 SEMESTRE DE 2012.

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS TRABALHOS NO 1 SEMESTRE DE 2012. PROJETO: 13 - VOLUNTÁRIOS PARA A COPA DO MUNDO 2014. Objetivo: Acompanhar junto ao COL/FIFA (Comitê Organizador Local da FIFA) a seleção e recrutamento dos voluntários para atuarem na Copa do Mundo 2014.

Leia mais

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NORMA INTERNA TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NÚMERO VERSÃO DATA DA PUBLICAÇÃO SINOPSE Dispõe sobre

Leia mais

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014 Preparativos: sorteio final e venda de ingressos O legado já começou Conclusão Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

Visão & Valores. Código de Sustentabilidade Corporativa

Visão & Valores. Código de Sustentabilidade Corporativa Visão & Valores Código de Sustentabilidade Corporativa 1 Somos dedicados a promover a sustentabilidade e a responsabilidade social Nós reconhecemos a necessidade de harmonizar entre si os objetivos econômicos,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Por que? O cliente quer; O acionista presta atenção; A academia estuda; A opinião pública divulga; E economia exige a diferenciação.

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação e Implementação da Responsabilidade Socioambiental na Indústria Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados

Leia mais