DECISÃO TÉCNICA DT 203/2003 R-00

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DECISÃO TÉCNICA DT 203/2003 R-00"

Transcrição

1 CO ELCE Com panhia Energética do Ceará DECISÃO TÉCNICA DT 23/23 R- DOCUMENTOS PARA PROJETOS DE SUBESTAÇÃO DE 72,5-15 kv

2 DOCUMENTO NORMATIVO

3 DT-23 I Í N D I C E 1 OBJETIVO CONSIDERAÇÕES GERAIS PROCEDIMENTOS ELABORAÇÃO DE DESENHOS Vetorização Model Space x Paper Space Arquivos de Desenho Detalhes dos Arquivos s Layers...4 Tabela 1: Layers que devem ser utilizados nos Diagramas Unifilares de Proteção e Medição... 5 Tabela 2: Layers que devem ser utilizados nas Plantas Baixas... 5 Tabela 3: Layers utilizados nas Plantas de estruturas, arranjos elétricos, blindagem e aterramento Layer Manager Procedimentos de Reformas DOCUMENTOS Arquivos de Documentos Capa Contracapa Memorial Descritivo Memorial Descritivo do Projeto Eletromecânico Memorial Descritivo do Projeto Elétrico Memória de Cálculo da Malha de Terra Manual de ligação Lista de Condutores Quadro Orçamentário Relação de Material Lista de Desenhos APRESENTAÇÃO DO PROJETO Projeto Eletromecânico/Civil Projeto Elétrico...17 ANEXO I CODIFICAÇÃO PARA INDICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS...18 Tabela I.1: s para Equipamentos / Instrumentos...18 Tabela I.2: s para Condutores...19 Tabela I.3: s para Postes / Premoldados...19 Tabela I.4: s para Ferragens...2 Tabela I.5: s para Isoladores / Acessórios...21 Tabela I.6: s para Iluminação / Acessórios...21 Tabela I.7: s para Eletrodutos / Acesssórios...22 Tabela I.8: s para Conectores...23 Tabela I.9: s para Preformados...24 Tabela I.1: s para Aterramento...24 Tabela I.11: s para Componentes...24 ANEXO II CODIFICAÇÃO PARA NUMERAÇÃO DAS PLANTAS DOS PROJETOS GERAIS...25 Tabela II.1: s do Projeto Eletromecânico e Civil...25 Tabela II.2: s do Projeto Elétrico...26 ANEXO III NUMERAÇÃO DOS DETALHES DE INSTALAÇÃO E MONTAGEM PARA PLANTAS E CORTES...27 Tabela III.1: Equipamentos e Numeração dos desenhos de detalhe de Instalação correspondente...27 Tabela III.2: Iluminação e Tomadas, numeração dos desenhos de detalhe de Instalação correspondente...27

4 DT-23 II Tabela III.3: Cadeias de Isoladores, numeração dos desenhos de detalhe de Instalação correspondente...28 Tabela III.4: Isoladores de Pedestal, numeração desenhos de detalhe de Instalação correspondente...28 Tabela III.5: Aterramento numeração desenhos de detalhe de Instalação correspondente...28

5 DT-23 III APRESENTAÇÃO Esta decisão técnica apresenta os critérios para elaboração de desenhos e documentos para projetos de subestação de 72,5-15 kv da. Este documento entrará em vigor após a sua aprovação e deverá ser obrigatoriamente utilizado pelos projetistas da e das empresas terceirizadas. Elaborador: Keyla Sampaio Câmara - DNORM Colaboradores: Francisco Edvardo Dantas Guerra -DPROJ Roberto Freire Castro Alves -DPROJ Silvia Helena Pereira da Costa -DPROJ Apoio: Sandra Lúcia Alenquer da Silva - DNORM

6 DT-23 1/28 1 OBJETIVO Estabelecer critérios de padronização necessários à elaboração de desenhos e documentos de projetos para as subestação de 72,5-15 kv, bem como a sua apresentação e organização. 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS Esta DT se aplica aos projetos das subestações novas ou reforma de 72,5-15 kv da, projetadas por esta ou por projetistas de empresas terceirizadas. 3 PROCEDIMENTOS Na elaboração dos desenhos e documentos para os projetos das subestações novas ou existentes, devem ser adotados os seguintes procedimentos : 3.1 Elaboração de Desenhos Os desenhos devem ser elaborados em AutoCAD Release 2 ou superior. Nestes desenhos devem ser apresentadas as informações necessárias para a construção da subestação. O projetista deve apresentar detalhamento, informações e identificações dos materiais e componentes utilizados, para não gerar dúvidas ou omissão de informação. O sistema de unidades adotado deve ser o Sistema Internacional (SI) com precisão de 3 (três) casas decimais. As exceções podem ocorrer no caso de padrões comerciais (diâmetros de eletrodutos, por exemplo). As informações apresentadas na planta baixa devem ser indicadas através de uma seta e de um número seqüencial correspondendo a um item da legenda relativa a cada planta. Nos desenhos de blindagem, aterramento, estruturas e arranjos, os materiais devem também ser indicados através de uma seta. Esta indicação dos equipamentos e materiais e dos detalhes de instalação devem ser conforme códigos indicativos contidos nos Anexos I e III. Todos os desenhos do projeto executivo e os detalhes de instalações devem ser elaborados na escala 1:1 no model space. A escala utilizada para a plotagem dos desenhos do projeto executivo deve ser adequada e configurada no paper space nas escalas escolhidas entre 1:5, 1:75, 1:1, 1:25; 1:5 e sempre que possível, uniformizá-las para plotagem de desenhos do mesmo grupo e espécie. Nunca deixar de indicar a escala em que foi feita a plotagem do desenho, esta indicação é possível na cercadura. A escala utilizada para a plotagem dos desenhos dos detalhes de instalação deve ser configurada em paper space e adequada à sua representação, ou, no caso se conveniente, sem escala. Nas representações de cortes, deverá ser mostrado apenas o que se vê no primeiro plano, não devendo sobrecarregar o desenho com linhas tracejadas ou informações desnecessárias fora do plano. Os cortes devem ser identificados por letras repetidas (Corte AA, por exemplo). Para a contagem de materiais por corte, segue-se a filosofia de que o material é contato do limite de um corte até outro. Deve se executar cortes e vistas até que todo o material seja contado e visualizado. Nos cortes, seções e detalhes, apresentados em folhas distintas, deve constar de forma clara a referência da planta de origem e nesta a indicação dos desenhos dos cortes. Nos desenhos devem estar apresentadas todas as informações necessárias, permitindo o perfeito entendimento das instalações e fornecimento de elementos necessários para a elaboração das listas de materiais, permitindo a correta aplicação do projeto e a execução dos serviços de construção, instalação, montagem, comissionamento e testes.

7 DT-23 2/ Vetorização Todos os desenhos fornecidos as empresas terceirizadas, pelo Arquivo Técnico da, desenhados em papel vegetal, devem ser redesenhados em AutoCAD, seguindo a orientação desta Decisão Técnica. A vetorização digital não deve ser aceita. No caso de uma reforma simples de uma subestação, em que os desenhos originais precisem ser digitalizados, faz-se necessário a digitalização completa do projeto desta Model Space x Paper Space No AutoCAD existem dois ambientes distintos de trabalho o Model Space e o Paper Space. O Model Space é destinado a modelagem de desenhos em 2D (bidimensionais) e em 3D (tridimensionais). O Paper Space destina-se basicamente a impressão em papel dos modelos gerados em Model Space, podendo haver várias janelas (viewports) para a exibição de algum detalhe de projeto. Todos os desenhos de projeto devem ser feito em Model Space e os elementos destinados apenas à plotagem (cercaduras, carimbos, legendas) devem ser gerados em Paper Space Arquivos de Desenho Os arquivos de desenhos devem ser organizados dentro de uma pasta com o nome da subestação e dentro desta uma sub-pasta chamada Desenhos. Dentro da sub-pasta, vêm os arquivos cujos nomes são definidos pela sigla da subestação, pelo código da planta, pelo número da folha e pelo número total de folhas. Exceto os arquivos referente as plantas baixas que são compostos por várias plantas, sendo necessário portanto a substituição do código da planta pelo código GB. Os desenhos com iniciais AT e com iniciais DET seguidas pelo número de código da SE, devem ser renomeados segundo a orientação acima, bem como qualquer referência a estes. A relação dos códigos das plantas utilizados para a composição dos nomes dos arquivos de desenhos estão apresentados no Anexo II. Para numerar uma nova folha do arquivo existente, dos arranjos de 72,5kV da SE Aldeota II, cujo número do desenho anterior era DET-1.42, composto por um total de cinco folhas, deve ser feito da seguinte forma: ADT-42-2_5.dwg ADT SIGLA DA SUBESTAÇÃO 42 CÓDIGO DO DESENHO VER ANEXO II A numeração da planta baixa da mesma SE, deve ser em layers sobrepostos da seguinte forma: ADT-GB.dwg O projeto eletromecânico e civil deve ser composto pelos desenhos relacionados a seguir, organizados e numerados com a codificação básica do Anexo II. Diagrama unifilar simplificado DESENHO XXX.5 Planta baixa Situação Levantamento planialtimétrico Planta de locação (Pátios e acessos) Planta de locação (Bases, caixas e canaletas) Planta de locação (Postes) Terraplenagem

8 DECISÃO TÉCNICA DT-23 3/28 Drenagem Drenagem de Óleo Instalação hidro-sanitária Malha de Terra Planta de Eletrodutos Iluminação e tomadas Arranjo Físico Geral Plantas de Corte e Detalhes de Terraplenagem Plantas de Corte e Detalhes de Drenagem Estrutura barramento 72,5kV Estrutura barramento 15kV Blindagem e aterramento barramento 72,5kV Blindagem e aterramento barramento 15kV Arranjo elétrico barramento 72,5kV Arranjo elétrico barramento 15Kv Detalhes dos Arquivos O método de organização dos arquivos e desenhos de subestações a ser utilizado pelo órgão de projeto de subestação da e empresas terceirizadas é o seguinte: Pastas Principais a) Pasta Desenhos Nome do órgão de Projeto Nome do Desenho Nome da Subestação a) Pasta de Desenhos b) Pasta de Documentos c) Pasta de Fotos Sigla da subestação + "-" + do tipo desenho + "-" + Folha Atual +"."+ Total de Folhas Sigla da subestação A listagem dos códigos dos tipos de desenhos estão no anexo II. b) Pasta Documentos Nome do Documento Sigla do documento + "-"+ Sigla da subestação + "-" + Ano do POT MDM-BMS.21 A listagem de códigos e tipos de documentos estão no anexo II. Quando tivermos mais de uma obra por ano na subestação, acrescentamos uma seqüência com um traço após o ano. c) Pasta de Fotos Nome da Foto Sigla da subestação + "-" + Ano do POT + "." + Seqüência

9 DT-23 4/28 BMS-21.1 Todas as fotos devem ser datadas s As cercaduras que devem ser adotadas pelo projetista são preferencialmente nos formatos A1 para todas as plantas baixas (Eletromecânico e Civil), A3 para os demais desenhos e A4 para detalhes de montagem e documentos. A escolha do formato depende do nível de detalhe necessário em cada planta. As cercaduras citadas acima, são padronizadas pela, para serem adotadas na elaboração dos projetos. Estas cercaduras podem ser utilizadas na forma de templates (gabaritos) para desenhos novos ou em forma de blocos, para desenhos existentes e novos. Em qualquer um dos casos, existem blocos aninhados com atributos para o preenchimento do nome da SE, nome, número, revisão, escala, folhas das plantas e outras informações. Existe um espaço reservado ao lado do logotipo da para a inserção do logotipo da empresa terceirizada, responsável pelo projeto. O bloco Nome_SE é utilizado para preencher o nome da SE e deve ser inserido no layer e no ponto,. As demais informações devem ser as default (escala e rotação). Na linha de comando aparecerá a pergunta sobre o nome a ser dado a SE. Devemos utilizar também o bloco chamado Carimbo que será usado para o preenchimento das demais informações referente a planta. Este deve ser inserido no ponto,, porém o layer corrente deve ser o indicado para cada uma das plantas (ver item Layers). No preenchimento do campo do desenho, pertencente ao bloco Carimbo, deve ser colocado o mesmo número do desenho original. O bloco Notas deve ser usado para o preenchimento das notas da cercadura. Deve ser inserido na interseção existente abaixo e a direita do referido número da nota e deve ser mantido o layer como corrente. Segue também, junto com a cercadura, o estilo de texto batizado de, que utiliza a fonte TechnicLite a qual deve ser adotada como estilo padrão para todos os textos presentes no desenho. Caso seja usada a cercadura proveniente do template, não será necessário a criação da viewport no ambiente Paper Space, pois ela já estará disponível. No caso do uso da cercadura como um bloco, este deverá ser inserido dentro do Paper Space, no ponto, e em seguida, a criação da(s) viewport(s) necessária(s). Deverá ser utilizada a cercadura contida no template Layers A definição dos layers utilizados e suas cores é de fundamental importância para a composição das plantas do projeto, bem como facilitar a visualização e impressão dos trabalhos. Os desenhos que compõem o projeto da subestação devem ser com a cor ByLayer, seguindo as orientações presentes nas tabelas 1, 2. Estão apresentadas na tabela 1 as definições para os layers do Diagrama Unifilar Simplificado e Diagrama Unifilar de Proteção e Medição.

10 DT-23 5/28 Tabela 1: Layers que devem ser utilizados nos Diagramas Unifilares de Proteção e Medição Layer Cor/Linha Branco/Linha contínua padrão da, preenchimento do nome da SE e das notas de revisão Operação-S Azul/Linha contínua Esquema geral do unifilar, legenda referente à operação, características do equipamento, códigos operacionais fornecidos pelo DEOPE Proteção-S Vermelho/Linhas contínuas (alimentação) e tracejadas (interligação) Interligação dos instrumentos de proteção, medição e controle com TP s e TC s, sinais de desligamento, alarmes e intertravamento, chaves de comando e comutadoras Os nomes dos layers, as cores e o conteúdo para a composição da planta baixa estão apresentados na tabela 2. Tabela 2: Layers que devem ser utilizados nas Plantas Baixas Layer Cor Arranjo-Físico-S Amarelo Entradas e saídas de linhas, vista superior simplificada dos barramentos e preenchimento do carimbo e legendas do arranjo físico (cor branca) Bases-S Verde Todas as bases, exceto as bases dos transformadores de potência Bases-trafos-canaletas-S Verde Bases dos transformadores de potência, canaletas para cabos, dutos envelopados e caixas de passagem das extremidades de canaletas e envelopados Caixas-passagem-S Verde Todas as caixas de passagem exceto as caixas das extremidades de canaletas e envelopados Branco padrão da, preenchimento do nome da SE e das notas de revisão Cotas-bases-cxs-can-S Cotas-drenagem-caixas-S Cotas-drenagem-calhas-S Cotas-drenagem-óleo-S Cotas-instalação-hidro-sanitária-S Cotas-pátios-S Cotas-postes-S Cotas-terraplenagem-S Cotas-terreno-S Vermelho Cotas de todas as bases, caixas e canaletas em relação aos eixos e preenchimento do carimbo Vermelho Cotas de todas as caixas de drenagem em relação aos eixos Vermelho Cotas de todas as calhas de drenagem em relação aos eixos Vermelho Cotas relativas à drenagem do óleo Vermelho Cotas relativas à instalação hidro-sanitária Vermelho Cota do contorno dos pátios, acessos, edificações, cota dos eixos em relação ao pátio, raios de curvatura e preenchimento do carimbo Vermelho Cotas de todos os postes em relação aos eixos e preenchimento do carimbo Vermelho Curvas de nível, área de corte, área de aterro, nível de terraplenagem, internos ao pátio, dimensões, contorno externo do pátio e preenchimento do carimbo Vermelho Dimensões do terreno, cota dos eixos em relação ao terreno, ângulos, preenchimento do carimbo Drenagem-caixas-S Ciano Todas as caixas de drenagem, exceto as de óleo

11 DT-23 6/28 Layer Cor Drenagem-calhas-S Ciano Todas as calhas de drenagem Drenagem-óleo-S Azul Todas as caixas e tubos da drenagem de óleo Drenagem-tubos-S Ciano Todos os tubos de drenagem, exceto os do óleo Eixos-S Magenta Eixos da subestação Eletrodutos-S Iluminação-S Vermelho Eletrodutos, legenda e preenchimento do carimbo Vermelho Iluminação, legenda e preenchimento do carimbo Instalação-hidro-sanitária-S Verde Instalações hidro-sanitárias e preenchimento do carimbo, legendas e cotas Legenda-drenagem-S Branco Legenda de todos os elementos da drenagem Legenda-locação-S Branco Legenda de todos os postes, bases, caixas, etc. Malha de Terra-S Magenta Aterramento das cercas e portões, cabos e hastes de terra da malha, espaçamentos e preenchimento do carimbo Pátios-acessos-S Branco Contorno dos pátios, acessos internos, edificações, portão, meio-fio, contorno da casa de comando Postes-S Ciano Todos os postes presentes na planta baixa Terraplenagem-contenção-S Verde Muros de arrimo, taludes, etc Terreno-contorno-S Amarelo Contorno do terreno Terreno-curvas-S Amarelo Curvas de nível Terreno-fechamento-S Amarelo Fechamento do terreno (muro, cerca e portão) Terreno-Grade-níveis-S Amarelo Grade do plano cotado, cotas, ângulos internos e preenchimento do carimbo Terreno-Localização-S Amarelo Confinantes, arruamento, etc Na Tabela 3 estão apresentados os layers para a composição das plantas de estruturas, arranjos elétricos, blindagem e aterramento. Tabela 3: Layers utilizados nas Plantas de estruturas, arranjos elétricos, blindagem e aterramento Layer Cor Estrutura-S Arranjo-S Blindagem-S Cotas-S Legendas Amarelo Verde Magenta Vermelho Branco Branco Todos os elementos estruturais presentes nas plantas de estrutura, arranjo e blindagem Todos os equipamentos, isoladores, cabos de força, conectores e preenchimento do carimbo das plantas de arranjo elétrico Todos os cabos de aterramento, conectores, soldas e hastes, bem como preenchimento do carimbo das plantas de blindagem e aterramento Todas as cotas necessárias para a determinação das estruturas e preenchimento do carimbo das plantas de estrutura. padrão da, com preenchimento do carimbo com o nome da obra e preenchimento de notas Legenda de todos os itens presentes nos desenhos das plantas de estrutura, arranjo e blindagem

12 DT-23 7/28 O nome dos layers devem seguir a seguinte estrutura: Nome do Layer- S, onde S representa o status do layer, podendo ter as seguintes condições: N Novo (Todos os elementos a serem implantados em subestações novas e reformas) E Existente (Todos os elementos instalados na subestação) D Demolições e Retiradas (Todos os elementos a serem demolidos e/ou retirados na reforma) F Futuro (Todos os elementos definidos para configuração final da SE e não contemplados no projeto em execução) As legendas existentes nos desenhos devem ser todas na cor branca e as cotas na cor vermelha Nas alíneas a seguir estão enumerados os layers que devem ser utilizados nos Diagramas Unifilares e plantas diversas: a) Diagramas Unifilares Os diagramas unifilares devem ser compostos dos seguintes layers: Diagrama Unifilar Simplificado Operação-S Diagrama Unifilar de Proteção e Medição Operação-S Proteção-S b) Plantas Baixas A plantas baixas devem ser compostas dos layers abaixo: Situação Cotas terreno-s Eixos-S Pátios-acessos-S Terreno-contorno-S Terreno-Localização-S Levantamento planialtimétrico Cotas-terreno-S Eixos-S Terreno-contorno-S Terreno-curvas-S Terreno-Grade-níveis-S Terreno-Localização-S Planta de locação (Pátios e acessos) Bases-cxs-iluminação-S

13 DECISÃO TÉCNICA DT-23 8/28 Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Cotas-pátios-S Eixos-S Legenda-locação-S Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S Planta de locação (Bases, caixas e canaletas) Bases-cxs-iluminação-S Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Cotas-bases-cxs-can-S Eixos-S Legenda-locação-S Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S Planta de locação (Postes) Bases-cxs-iluminação-S Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Cotas-postes-S Eixos-S Legenda-locação-S Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S Terraplenagem Cotas-terraplenagem-S Eixos-S Pátios-acessos-S Terraplenagem-contenção-S Terreno-contorno-S Terreno-curvas-S

14 DT-23 9/28 Drenagem Bases-trafos-canaletas-S Cotas-drenagem-caixas-S Cotas-drenagem-calhasS Drenagem-caixas-S Drenagem-calhas-S Drenagem-tubos-S Eixos-S Pátios-acessos-S Drenagem de Óleo Bases-trafos-canaletas-S Cotas-drenagem-óleo-S Drenagem-óleo-S Eixos-S Pátios-acessos-S Instalação hidro-sanitária Cotas-instalação-hidro-sanitária-S Eixos-S Instalação-hidro-sanitária-S Pátios-acessos-S Terreno-contorno-S Malha de Terra Bases-cxs-iluminação-S Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Eixo-S Malha de Terra-S Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S Planta de Eletrodutos Bases-cxs-iluminação-S Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Eletrodutos-S

15 DECISÃO TÉCNICA DT-23 1/28 Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S Iluminação e tomadas Bases-cxs-iluminação-S Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Iluminação-S Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S Arranjo Físico Geral Arranjo-Físico-S Bases-cxs-iluminação-S Bases-trafos-canaletas-S Caixas-passagem-S Pátios-acessos-S Postes-S Terreno-fechamento-S c) Plantas de Blindagem e Aterramento As plantas de blindagem e aterramento devem ser apresentadas em plantas distintas para os setores de 72,5kV e de 15kV e ser compostas dos layers abaixo: Blindagem-S Estrutura-S Legenda-S As plantas devem apresentar o número de folhas necessárias para a perfeita visualização dos detalhes dos cortes e vistas. Recomenda-se para o setor de 72,5kV a existência de uma planta em formato A3 para cada corte, e no caso do setor de 15kV, uma planta em formato A3 para cada dois cortes e/ou vistas. d) Plantas de Estrutura A plantas de estrutura devem ser divididas em plantas do setor de 72,5kV e de 15kV e compostas dos layers abaixo: Cotas-S Estrutura-S Legenda-S As plantas devem apresentar o número de folhas necessárias para a perfeita visualização dos detalhes dos cortes e vistas. Recomenda-se para o setor de 72,5kV a existência de uma planta em

16 DT-23 11/28 formato A3 para cada corte, e no caso do setor de 15kV, uma planta em formato A3 para cada dois cortes e/ou vistas. e) Plantas de Arranjo A plantas de arranjo devem ser apresentadas em plantas distintas para o setor de 72,5kV e de 15kV e compostas dos layers abaixo: Arranjo-S Estrutura-S Legenda-S As plantas devem apresentar o número de folhas necessárias para a perfeita visualização dos detalhes dos cortes e vistas. Recomenda-se para o setor de 72,5kV a existência de uma planta em formato A3 para cada corte, e no caso do setor de 15kV, uma planta em formato A3 para cada dois cortes e/ou vistas Layer Manager O layer manager deve ser utilizado nos projetos de subestações novas, reformas e automação, é uma aplicação existente no pacote bônus do AutoCAD R14 ou no pacote Express do AutoCAD 2 e possibilita a composição das plantas de maneira rápida e eficiente Procedimentos de Reformas Nas projetos para reformas deve ser usado, além do sistema de layers descrito anteriormente, eixos auxiliares próximos às áreas a serem reformadas e que passem por elementos (postes, bases) já existentes. Estes novos eixos devem ter referências com os eixos originais. É permitida a utilização de cores e/ou espessuras de pena diferentes das padronizadas para para evidenciar algum detalhe ou etapa de reforma. Este procedimento somente poderá ser utilizado nos layers com status N e D. Os layers com status N (Novo) devem ter sua espessura de pena aumentada, durante a plotagem. Para elementos de reforma com status D (Demolições e Retiradas), estes devem ser indicados dentro de uma área hachurada. Os códigos de todos os materiais, sejam eles novos ou antigos, constam no Anexo I desta DT. Vale ressaltar que nos projetos de reforma os códigos devem ser substituídos e atualizados e a numeração dos desenhos deve ser conforme Anexo II. Após a execução da obra deve ser fornecido o projeto com as devidas correções e com a indicação de COMO CONSTRUÍDO. Os elementos pertencentes aos layers de demolição, assim como o próprio layer, devem ser apagados, enquanto que os elementos com status Novo, devem passar para o status existente. 3.2 Documentos Arquivos de Documentos Os arquivos de documentos, organizados conforme item alínea c, devem ficar dentro de uma pasta subestação e esta dentro de uma sub-pasta denominada Documentos. Dentro desta última devem ficar os arquivos cujos nomes são definidos pelas iniciais descritas abaixo. Caso esses documentos sejam relativos aos desenhos, como por exemplo relação de material por planta, as iniciais devem ser seguidas da sigla da SE, do número da planta, do número da folha e do número total de folhas.

17 DT-23 12/28 No caso de ser um documento relativo ao projeto como um todo, após as iniciais deve ser colocada a sigla da SE e um número seqüencial que indique a quantidade de documentos do mesmo tipo já elaborados. A seguir está apresentada a composição da nomenclatura das iniciais dos nomes dos arquivos; Especificação Técnica...ET-SIGLA DA SE-Nº-ANO Lista de Condutores...LC-SIGLA DA SE-Nº-ANO Lista de Desenhos Elétricos... LDE -SIGLA DA SE-Nº-ANO Lista de Desenhos Eletromecânicos/Civis...LDM -SIGLA DA SE-Nº-ANO Manual de Ligação... ML -SIGLA DA SE-Nº-ANO Memorial de Cálculo...MC -SIGLA DA SE-Nº-ANO Memorial Descritivo...MD -SIGLA DA SE-Nº-ANO Quadro Orçamentário... QDO -SIGLA DA SE-Nº-ANO Relação de Material...RM -SIGLA DA SE-Nº-ANO Na elaboração de um Memorial Descritivo para uma determinada SE como exemplo a SE Canindé, e o último encontrado tenha sido o de número 3, o nome do arquivo do atual memorial deve ser, por exemplo: Capa MC-CND-4/21.doc A capa do projeto das subestação deve ter no mínimo os seguintes elementos: Tipo de projeto Nome da SE Plano de obra a qual se refere Número de obras do referido plano Número do projeto Contracapa Na contracapa do documento deve haver uma lista descriminando todos os documentos contidos no projeto, em ordem de apresentação Memorial Descritivo Devem ser elaborados dois tipos de Memorial Descritivo, um para o projeto eletromecânico e outro para do projeto elétrico, contendo os itens gerais abaixo e as demais particularidades de cada tipo de memorial: a) Objetivo Devem ser indicadas as características gerais do projeto como item do POT, tipo de reforma, e o próprio objetivo, etc. b) Localização da Subestação Deve ser informada a localização da SE, através de pontos de referência, circunvizinhanças, município. c) Condições de serviço Devem ser informadas as condições ambientais (altitude, temperatura, umidade do ar) onde estão submetidos os equipamentos da SE.

18 DT-23 13/ Memorial Descritivo do Projeto Eletromecânico No memorial descritivo pertinente ao projeto eletromecânico deve conter todas as informações relativas a esta modalidade de projeto e ser elaborado conforme orientação a seguir: Critérios de projeto Relata as características da subestação, contemplando os seguintes sub-itens: Suprimento - Indica de onde vem o suprimento de energia da SE Circuito de entrada 72,5kV Detalha características da EL Circuito de saída 72,5kV Detalha características da SL Circuitos alimentadores 15kV Detalha características dos alimentadores 15kV Estruturas suporte de barramentos Detalha características das estruturas de barramento Barramentos Detalha características dos barramentos de 72,5 e 15kV Bay de transformação Detalha características do transformador Regulação de tensão Detalha características sobre a regulação de tensão Serviços auxiliares Detalha características do sistema de serviços auxiliares Sistema de Proteção Detalha as características do sistema de proteção da SE em cada um dos itens abaixo: Entrada de linha 72,5kV Saída de linha 72,5kV Transformador de potência 72,5-15kV Bay de regulação de tensão Transformador de serviços auxiliares Circuitos de saída de alimentadores 15kV Sistema de Medição - Detalha as características do sistema de medição da SE em cada um dos itens abaixo: Entrada de linha 72,5kV Saída de linha 72,5kV Transformador de potência 72,5-15kV Barramento 72,5kV Barramento 15kV Serviços auxiliares Circuitos de saída de alimentadores 15kV Sistema de sinalização - Detalha as características do sistema de sinalização da SE. Aterramento Detalha características do sistema de aterramento da SE Nível básico de isolamento Discrimina, segundo a ABNT, a classe de isolamento e seu respectivo nível de isolamento Blindagem - Detalha as características da blindagem da SE. Iluminação e tomadas - Detalha as características do sistema de iluminação e tomadas. dos Equipamentos Descreve as principais características dos principais equipamentos da subestação, separando-os segundo a classificação abaixo. Equipamento externos do setor de 72,5kV

19 DECISÃO TÉCNICA DT-23 14/28 Equipamento externos do setor de 15kV Equipamento internos do setor de 72,5kV Documentos de referência Relaciona os documentos de referência necessários para qualquer esclarecimento que se faça necessário, bem como o documento que contém a lista de desenho que compõe o projeto: Especificação técnica Desenhos Memorial Descritivo do Projeto Elétrico No memorial descritivo pertinente ao projeto elétrico deve conter todas as informações relativas a este e ser elaborado como orientação: Critérios de projeto Deve informar as características da subestação, contemplando os seguintes sub-itens: Sistema de Proteção Deverá ser detalhada as características do sistema de proteção da SE em cada item abaixo: Entrada de linha 72,5kV Saída de linha 72,5kV Transformador de potência 72,5-15kV Bay de regulação de tensão Transformador de serviços auxiliares Circuitos de saída de alimentadores 15kV Sistema de Medição Deverá ser detalhada as características do sistema de medição da SE de cada item abaixo: Entrada de linha 72,5kV Saída de linha 72,5kV Transformador de potência 72,5-15kV Barramento 72,5kV Barramento 15kV Serviços auxiliares Circuitos de saída de alimentadores 15kV Sistema de sinalização Deve ser apresentadas as características do sistema de sinalização da SE. Aterramento Deverá conter as características do sistema de aterramento da SE dos Equipamentos Descreve as principais características dos principais equipamentos da subestação, separando-os segundo a classificação abaixo. Equipamento externos do setor de 72,5kV Equipamento externos do setor de 15kV Equipamento internos do setor de 72,5kV Documentos de referência Devem ser relacionados os documentos de referência necessários para elaboração do memorial, bem como o documento que contém a lista de desenhos referente ao projeto. Especificação técnica Desenhos

20 DT-23 15/ Memória de Cálculo da Malha de Terra Na memória de cálculo da malha de terra devem constar as seguintes informações: da configuração final da SE Nível de curto-circuito e duração Resistividade ou resistência do solo Tipo de cabo utilizado Tipo de haste de aterramento utilizada Espaçamento entre hastes Layout da malha Métodos e cálculos utilizados para a obtenção da configuração da malha Manual de ligação O manual de ligação deve apresentar, de preferência em forma de tabelas, todas as ligações que devem ser feitas entre os equipamentos da subestação. Deve ser indicada a ligação entre os bornes dos equipamento, o tipo de cabo, metragem e codificação. Deve conter também a descrição do que representa esta ligação Lista de Condutores A lista de condutores deve ser apresentada em forma de tabelas e conter o código do condutor, metragem e tipo. Ao final da tabela, todos os cabos, pertencentes a um mesmo tipo, devem ser totalizados Quadro Orçamentário Quadro informativo que deve conter todas as etapas de execução da obra, organizado da seguinte forma: Obras Civis Casa de Comando Serviços Preliminares Demolições e Retiradas Movimento de Terra Concreto Alvenaria Elementos Vazados Coberta Instalações e aparelhos Revestimento Pavimentação Esquadria Caixas Canaletas Pintura Mobiliário Complemento de Obra

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-004 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ASPECTOS GERAIS... 1 3. EXCEÇÕES... 1 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-005 INSTALAÇÕES BÁSICAS PARA CONSTRUÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO RURAL SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ASPECTOS GERAIS... 2 3. EXCEÇÕES... 2 4. TENSÕES DE FORNECIMENTO...

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 450 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 800 450 450 11 metros = 1700 12 metros = 1800 11 ou 12 metros 100 11 metros = 1300 12

Leia mais

ASSUNTO: CO.APR.T.013.2004 CONSTRUÇÃO CIVIL E MONTAGEM ELETROMECÂNICA, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SISTEMAS, DA SE IVAIPORÃ 7ª AMPLIAÇÃO.

ASSUNTO: CO.APR.T.013.2004 CONSTRUÇÃO CIVIL E MONTAGEM ELETROMECÂNICA, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SISTEMAS, DA SE IVAIPORÃ 7ª AMPLIAÇÃO. ASSUNTO: CONSTRUÇÃO CIVIL E MONTAGEM ELETROMECÂNICA, COM FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SISTEMAS, DA SE IVAIPORÃ 7ª AMPLIAÇÃO. ESCLARECIMENTOS N 04 1) Transcrevemos abaixo, perguntas de empresas participantes

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.03.04 REDE COMPACTA - TRANSFORMADOR. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estrutura CE2H TR (2º Nível) Poste de Concreto de Seção Circular 7. Estrutura CE2H

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV

ÍNDICE NTD-15 MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL TRIFÁSICA E MONOFÁSICA 13,8 E 34,5 KV ÍNDICE APRESENTAÇÃO....2 1-OBJETIVO...3 2-AMPLITUDE... 3 3-RESPONSABILIDADE QUANTO AO CUMPRIMENTO...3 4-INSTRUÇÕES GERAIS...3 5-CONDUTORES...4 6-PROCEDIMENTOS...5 6.1- Afastamentos padronizados...5 6.2-Engastamento

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA

MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA MEMORIAL DESCRITIVO DE SUBESTAÇÃO ABAIXADORA DE ENERGIA ELÉTRICA CLIENTE: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS- DR/PE CNPJ 34.028.316/0021-57 LOCAL: AVENIDA GUARARAPES Nº250-SANTO ANTÕNIO RECIFE-PE.

Leia mais

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ANEXO II ATIVIDADES DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A descrição das atividades tem como propósito facilitar o relacionamento entre a CONTRATANTE e a CONTRATADA, na medida em que visa

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Conferência do Projeto

Conferência do Projeto 214-DPDORC4 22/4/214 1 de 5 12/2/214 1:3.7 CARACTERIZAÇÃO Data Projeto Nº Pedido Finalidade 16/7/213 Título Implantação de SE Descrição da Obra: Tipo da Obra: IMPLANTAÇÃO EXPANSÃO DA REDE ELÉTRICA (ALTA

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA INDICE 1- OBJETIVO...

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

isto é Magnet! 50 anos priorizando a qualidade,

isto é Magnet! 50 anos priorizando a qualidade, Catálogo 2012 50 anos priorizando a qualidade, isto é Magnet! Em 2012, a Magnet completa 50 anos de atividades, história que começou com a sua fundação, em 1962, na cidade de São Paulo, com uma produção,

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG.. Instalações Elétricas Gerais 02.1. Geral 02.2. Normas 02.3. Escopo de Fornecimento 02.4. Características Elétricas para Iluminação de Uso Geral 02.4.1. Geral 02.4.2. Tensões de Alimentação

Leia mais

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE

PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE PROJETO DE SUBESTAÇÃO ABRIGADA DE 750kVA DESTINADA AO PRÉDIO DA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DE PERNAMBUCO, SITUADO NO MUNICÍPIO DE RECIFE NO ESTADO DE PERNAMBUCO. MEMORIAL DESCRITIVO 1. FINALIDADE:

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

Área de Transmissão Divisão de Manutenção de Transmissão Departamento de Manutenção de Santa Maria

Área de Transmissão Divisão de Manutenção de Transmissão Departamento de Manutenção de Santa Maria PROJETO BÁSICO 1. OBJETO: Prestação de Serviços por empresa de engenharia especializada para elaboração de projetos e execução de serviços, com fornecimento parcial de materiais, para substituição de 04

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DIP/SMOV ANEXO X - MODELO DE ORÇAMENTO PARQUE FARROUPILHA - SUBESTAÇÃO SE 2 ADMINISTRAÇÃO MATERIAL CÂMARA TRANSFORMADORA Unid. Quant. V. unit.r$ V. TotalR$ Placa de

Leia mais

pç 3,00 4,93 6,23 18,69 12.1.10 25002 Cabo de aluminio 2 AWG CAA kg 8,00 13,65 17,24 137,92 12.1.11

pç 3,00 4,93 6,23 18,69 12.1.10 25002 Cabo de aluminio 2 AWG CAA kg 8,00 13,65 17,24 137,92 12.1.11 12.1 Ramal de Ligação - Entrada de Energia com - (R$) 12.1.1 Cabo elétrico de cobre, isol.pvc, p/ 12/20KV, # 35mm² m 60,00 33,00 41,67 2.500,20 12.1.2 Conector de latão, tipo parafuso fendido p/ cabos

Leia mais

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS

Instalação de Sistema Encapsulado de Medição a Transformador a Seco - SEMTS 1- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Convencional Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 13 2- Ramal de Ligação Aéreo em Rede Compacta Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. CAIXA DE MEDIÇÃO EM 34, kv 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

Subestações de 138; 69 e 34,5kV Critério de Projeto

Subestações de 138; 69 e 34,5kV Critério de Projeto ETA 019 Rev. 0 Janeiro / 2010 Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Subestações de 138; 69 e 34,5kV Critério de Projeto Diretoria Técnica Gerência de Planejamento

Leia mais

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV

MONTAGEM DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA RURAL-13,8kV e 34,5kV MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA NTD-14 NTD 14 MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA CONTROLE DE VERSÕES NTD-14 - MONTAGEM DE S DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Nº.: DATA VERSÃO 1 13/07/4 0 2 03/9 1 NTD 14 MONTAGEM

Leia mais

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT.

ADENDO 02. Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. DIRETORIA TÉCNICA DEPARTAMENTO COMERCIAL DIVISÃO DE MEDIÇÃO ADENDO 02 Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Florianópolis, agosto de 2005.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA CO 1 ALICATE, universal, de 8 polegadas, em aco, cabo com isolacao para 1000 volts e em conformidade com norma ABNT NBR vigente no que diz respeito

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

Planilha de Preços Unitários MÁXIMOS

Planilha de Preços Unitários MÁXIMOS Planilha de Preços Unitários MÁXIMOS E0000-ET-E04-514-003 Original Item LOCAL DOS SERVIÇOS VALORES 1 IMPLANTAÇÃO DO SPDA DE MACAÍBA R$ 203.175,56 2 IMPLANTAÇÃO DO SPDA DE VELHINHO R$ 180.463,77 3 IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico

Padrão de Entrada COELBA. Padrão de Entrada Monofásico Padrão de Entrada COELBA Informações do site www.coelba.com.br Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis

Leia mais

CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO.

CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO. CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO. Ao Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac - Administração

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia

PD-4.009. Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV. Padrão Técnico da Distribuição. Diretoria de Planejamento e Engenharia. Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV Padrão Técnico da Distribuição Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia PD-4.009 Redes de Distribuição Aérea Compacta 15kV ELABORADO

Leia mais

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D E C O N S T R U Ç Ã O D E

Leia mais

Eletrobrás. Chesf. DIVISÃO DE ENGENHARIA DE TRANSMISSÃO ELETROBRÁS S/A Dezembro, 2005.

Eletrobrás. Chesf. DIVISÃO DE ENGENHARIA DE TRANSMISSÃO ELETROBRÁS S/A Dezembro, 2005. Eletrobrás ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA ANEEL / ELETROBRÁS GRUPO DE DIRETRIZES PARA ORÇAMENTOS DE SUBESTAÇÕES Chesf Eletrosul DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS DE SUBESTAÇÕES DIVISÃO DE ENGENHARIA

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08 MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO: O presente memorial tem por objetivo possibilitar uma visão global do projeto elétrico e da implantação da rede de distribuição em Baixa Tensão e iluminação pública do

Leia mais

daem Departamento de Água e Esgoto de Marília RUA SÃO LUIZ, 359 FONE / FAX ( 014 ) 3402-8500 MARÍLIA - SP ANEXO 8 LISTA DE MATERIAIS

daem Departamento de Água e Esgoto de Marília RUA SÃO LUIZ, 359 FONE / FAX ( 014 ) 3402-8500 MARÍLIA - SP ANEXO 8 LISTA DE MATERIAIS daem Departamento de Água e Esgoto de Marília RUA SÃO LUIZ, 359 FONE / FAX ( 014 ) 34028500 MARÍLIA SP ANEXO 8 LISTA DE MATERIAIS daem Departamento de Água e Esgoto de Marília RUA SÃO LUIZ, 359 FONE /

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Contratação de empresa c/ Tradição no Ramo (trabalha de forma especializada) p/ Locação e Execução (Instalação, Montagem, Manutenção, Operacionalização e Desmontagem)

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO OBRA: SUBESTAÇÃO 500KVA PROPRIETÁRIO: TRT TRIBUNAL REGIONALDO TRABALHO 12ºREGIÃO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. EMERSON CESAR PADOIN PADOIN ENGENHARIA E PROJETOS LTDA MEMORIAL

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CLIENTE: OBRA: LOCAL: BNDES RETROFIT DESUL AV. JUSCELINO KUBITSCHEK,

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Relés de Sobrecarga Térmico RW Informações Gerais - Local para identificação - Tecla Reset + Multifunção

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

Linha para Piso Elevado

Linha para Piso Elevado Linha para Piso Elevado Linha para Piso Elevado Linha para Piso Elevado Calha para piso elevado... 53 Derivações... Caixa para piso elevado... 54 Metálico... 54 Nylon... 56 Latão... 58 54 Sistemas para

Leia mais

ANEXO I PLANILHA DE ORÇAMENTO OBRA: AMPLIAÇÃO E REFORMA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE JUAZEIRO DO NORTE - CE

ANEXO I PLANILHA DE ORÇAMENTO OBRA: AMPLIAÇÃO E REFORMA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE JUAZEIRO DO NORTE - CE ANEXO I PLANILHA DE ORÇAMENTO OBRA: AMPLIAÇÃO E REFORMA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE JUAZEIRO DO NORTE - CE ITEM ESPECIFICAÇÃO DO SERVIÇO UNID QUANT P. UNIT TOTAL 1.0 OBRAS CIVIS 123.197,588 1.1 IMPLANTAÇÃO

Leia mais

DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II DESENHO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS II Informações sobre este material didático: Edição: 1ª Edição Data da versão: 30/12/2006 Autor(es): Bruno Campos Pedroza, DSc Professor

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma.

1. EVENTOS VINCULADOS AO EMPREENDIMENTO. EVENTO Aceite da Ordem de Serviço/Consolidação do Cronograma. GERAL O objetivo deste documento é definir critérios para ressarcimento de eventos de pagamentos e Eventos Críticos e permitir a emissão, por parte do Contratado, do Relatório de Cumprimento de Eventos.

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2

NORMA TÉCNICA CELG. Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição. NTC-18 Revisão 2 NORMA TÉCNICA CELG Estruturas para Redes Aéreas Isoladas em Tensão Secundária de Distribuição NTC-18 Revisão 2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

N O: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

N O: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Power Engenharia CLIENTE: ÁREA: N O: MD-003-CREA-2014 Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 1 de 14 POWER ENGENHARIA ELÉTRICA E TELECOM.

Leia mais

Produto Unid Cód ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1 PÇ PE- 01 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1.1/4 PÇ PE- 02 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1.1/2 PÇ PE- 03 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA

Produto Unid Cód ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1 PÇ PE- 01 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1.1/4 PÇ PE- 02 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1.1/2 PÇ PE- 03 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA Produto Unid Cód ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1 PÇ PE- 01 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1.1/4 PÇ PE- 02 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 1.1/2 PÇ PE- 03 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 2 PÇ PE- 04 ABRAÇADEIRA ECONÔMICA 2.1/2 PÇ PE- 05 ABRAÇADEIRA

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 7 Simbologia de Projetos Elétricos Porto Alegre - 2012 Tópicos Projeto de instalações elétricas prediais Simbologia para instalações

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA DSEE 11/12/2014 DATA SUMÁRIO

Leia mais

Canoas, 20 de julho de 2010.

Canoas, 20 de julho de 2010. PROJETO DE SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA ABRIGADA DE 112,5 KVA COM RAMAL DE ENTRADA SUBTERRÂNEO E MEDIÇÃO INDIRETA EM FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA. LOTEAMENTO CAPRI RUA DR.

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica CEMAR NORMA DE PROCEDIMENTOS Função: Área: Processo: Código: Técnica Técnica Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica NP-12.306.02 Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

PADRÃO DE SUBESTAÇÃO. SUBESTAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA E SEMI-ABRIGADA 72,5-15 kv DEPARTAMENTO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

PADRÃO DE SUBESTAÇÃO. SUBESTAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA E SEMI-ABRIGADA 72,5-15 kv DEPARTAMENTO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT e MT PADRÃO DE SUBESTAÇÃO SUBESTAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA E SEMI-ABRIGADA 72,5-15 kv DEPARTAMENTO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DOCUMENTO NORMATIVO

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES MEMORIAL DESCRITIVO DE IMPLANTAÇÃO Unidade de Educação Infantil Próinfância Tipo C 1. OBJETIVO: A presente especificação tem por objetivo estabelecer os critérios para a implantação da Unidade de Educação

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO Código: 0 RES nº 085/2012, Página 1 RES nº 085/2012, ÍNDICE CAPÍTULOS Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. CONCEITOS 5 4. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 6 4.1 Notas Gerais 6 4.2 Condutores e Edificações 7 4.3

Leia mais

O SPDA Estrutural é uma solução tecnológica aperfeiçoada pela Termotécnica Para-raios, com o intuito de oferecer além de segurança, ganho estético

O SPDA Estrutural é uma solução tecnológica aperfeiçoada pela Termotécnica Para-raios, com o intuito de oferecer além de segurança, ganho estético O SPDA Estrutural é uma solução tecnológica aperfeiçoada pela Termotécnica Para-raios, com o intuito de oferecer além de segurança, ganho estético para as fachadas das edificações e redução de custos,

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO INSPEÇÃO DE SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA E INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO INSTRUÇÃO DE CÓDIGO TÍTULO VERSÃO IT.DT.PDN.03.14.011 INFORMAÇÕES SOBRE AS DIMENSÕES DOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3

Leia mais

Linha Embutida a tid u b m a E h Lin

Linha Embutida a tid u b m a E h Lin Dutos de Piso... 27 Modelos... 27 Caixas de passagem... 31 Caixas de tomada... 35 Derivações... 39 Tomadas de piso - Latão/Cromado/Nylon... 42 Espelho para pisos... 43 Caixa de alumínio... 44 Distribuição

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO IX Referente ao Edital de Pregão Presencial nº. 002/2015 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 1. DO OBJETO 1.1. O presente pregão tem como objeto a AQUISIÇÃO DE ELETROFERRAGENS, de acordo com as

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

1. Considerações Gerais

1. Considerações Gerais Governo do Estado do Ceará Secretaria da Educação Coordenadoria Administrativa Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DA REFORMA ELÉTRICA Unidade de Trabalho: 20ª COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Descrição e dimensões dos itens elétricos

Descrição e dimensões dos itens elétricos Descrição e dimensões dos itens elétricos Item 2 2.1 Condutivímetro (Kit 01 Química - Compostos Iônicos) Lâmpada miniatura rosca. Voltagem 6 volts. Corrente 150 ma à 250 ma Diâmetro 9,5 mm e altura 22

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

ANEXO VII PREÇOS ORIENTATIVOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010

ANEXO VII PREÇOS ORIENTATIVOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010 EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010 Valor estimado para licitação. 1. A quantidade estimada para a contratação dos serviços objeto deste projeto, pelo período de 12 (doze) meses, é de US: 1392 ( um mil

Leia mais

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Subestações Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Parte de um sistema de potência, concentrada em um dado local, compreendendo primordialmente as extremidades de linhas de transmissão

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 9. Sistema de Aterramento 02 9.1. Geral 02 9.2. Normas 02 9.3. Escopo de Fornecimento 02 T-9.1. Tabela 02 9.4. Características Elétricas 03 9.4.1. Gerais 03 9.4.2. Concepção Geral

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT BOMBINHAS PROJETO

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT BOMBINHAS PROJETO Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de BOMBINHAS Secretaria de Educação CEIT CENTRO EDUCAÇÃO INTEGRAL TECNOLÓGICA BOMBINHAS MEMORIAL DESCRITIVO SUBESTAÇÃO DE ENERGIA PROJETO CENTRO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO N.º 60/15 RETIFICADO EM 07/01/2016

EDITAL DE PREGÃO N.º 60/15 RETIFICADO EM 07/01/2016 SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO - SAAE CNPJ: 21.260.443/00-91 - Inscrição Estadual: isento Rua Nonô Ventura, 394, CEP 35680-5, Bairro Lourdes - Itaúna/MG EDITAL DE PREGÃO N.º 60/15 RETIFICADO EM 07//26

Leia mais

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO Exigências Mínimas 1 Objetivo Estabelecer as condições mínimas para construção de postes de concreto armado ou concreto protendido, destinados à utilização em entradas de serviço de unidades consumidoras,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA BRASÍLIA - DF

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA BRASÍLIA - DF INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BRASÍLIA - DF 1 - MEMORIAL DESCRITIVO 2 MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

CARTA CONVITE FUnC 02/2014

CARTA CONVITE FUnC 02/2014 CARTA CONVITE FUnC 02/2014 A FUnC encaminha a presente Carta Convite, para se houver interesse, participar do processo de fornecimento do seguinte serviço: ABERTURA DE PROPOSTAS PARA APRESENTAÇÃO DE PREÇOS

Leia mais

MOD. 225-10.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda

MOD. 225-10.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda MOD. 225 -.000-03/2009 - Gráfica Garilli - Agência PUC Propaganda Rua Xavier de Toledo, 640 Vila Paulicéia São Bernardo do Campo, SP CEP: 09692-030 Geral: Tel.: (11) 4176-7877 Fax: (11) 4176-7879 E-Mail:

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Sumário Tecnoloia dos Capacitores...4 Linha de Produtos...5 UCW - Unidade Capacitiva Monofásica...6

Leia mais