Análise conjuntural do comércio mundial de diagnóstico agrícola com ênfase no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise conjuntural do comércio mundial de diagnóstico agrícola com ênfase no Brasil"

Transcrição

1 Análise conjuntural do comércio mundial de diagnóstico agrícola com ênfase no Brasil Francisco Assis Filho Fitopatologista/Virologista Agdia, Inc., USA WORKSHOP SOBRE TRÂNSITO INTERNACIONAL DE MATERIAL PROPAGATIVO Realização da ABCSEM e Laboratório Agronômica Campinas (SP), 4 de agosto de 2011

2 AGRADECIMENTOS Mariana Ceratti Coordenadora Executiva ABCSEM Patrícia de Souza Teló Diretora Técnica LaboratÓrio Agronômica

3 OBJETIVOS Apresentar informações e discutir ações e sugestões que possam facilitar a importação de insumos destinados a indústria do diagnóstico agrícola no Brasil

4 AGENDA DIAGNÓSTICO AGRÍCOLA ASPECTO TÉCNICO ASPECTO COMERCIAL A EXPERIÊNCIA DA AGDIA EM MAIS DE 120 PAíSES O PROCESSO DE IMPORTAÇÃO NO BRASIL SETOR PRIVADO - UM CASO REAL SETOR PÚBLICO

5 ESCOPO DIAGNÓSTICO AGRÍCOLA Detecção de patógenos de plantas eucriominhocas.blogspot.com

6 DIAGNÓSTICO AGRÍCOLA METÓDOS SOROLÓGICOS METÓDOS MOLECULARES

7 DIAGNÓSTICO AGRÍCOLA METÓDOS SOROLÓGICOS Baixo custo Automatização Facilidade de realização iz.sp.gov.br ELISA mais utilizado Imunocromatografia Imunofluorescência Metódos moleculares

8 DIAGNÓSTICO AGRÍCOLA Metódos sorológicos METÓDOS MOLECULARES PCR Convencional PCR em tempo real Hibridização de ácido nucleico Amplificação isotérmica

9 PROCESSO COMERCIAL Nomeclatura Comum do Mercosul - NCM Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de Mercadorias HS Desenvolvido e mantido pela Organização Mundial das Alfândegas OMA Inspeção e aplicação de tarifas fiscais Adotada por mais de 200 países

10 PROCESSO COMERCIAL Experiência da Agdia Servimos a mais de 120 países (Cuba, Irã e Síria) Departamento de Testes USDA permits

11 EXPERIÊNCIA DA AGDIA USA ISENÇÃO DE IMPOSTOS E TAXAS INSPEÇÃO SUMÁRIA PELO USDA, EXCETO: Peronosclerospora philippinesis (= P. sacchari) Phoma glycinicola (= Pyrenochaeta glycines) Ralstonia solanacearum, race 3, biovar 2 Rathayibacter toxicus Scelrophthora rayssiae var. zeae Synchytrium endobioticum Xanthomonas oryzae Xylella fastidiosa (citrus variegated chlorosis strain)

12 EXPERIÊNCIA DA AGDIA CANADÁ ISENÇÃO DE IMPOSTOS E TAXAS INSPEÇÃO SUMÁRIA PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA DE ACORDO COM LISTA DE PATÓGENOS APROVADOS

13 EXPERIÊNCIA DA AGDIA MÉXICO INSPEÇÃO SUMÁRIA PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA DE ACORDO COM: Lista de patógenos aprovados Lista de importadores autorizados

14 EXPERIÊNCIA DA AGDIA FRANÇA IMPOSTOS INCLUÍDOS NAS DESPESAS DE ENVIO LIVRE REDISTRIBUIÇÃO NA UNIÃO EUROPEIA FORA DA UE ALGUNS REQUERIMENTOS PODEM SER EXIGIDOS: Menos de 6 mil euros: origem da importação na nota fiscal A partir de 6 mil euros: certificado de origem

15 EXPERIÊNCIA DA AGDIA RÚSSIA DECLARAÇÃO DE QUE OS REAGENTES NÃO CONTEM ÁLCOOL AUSTRÁLIA E NOVA ZELÂNDIA IMPORTADOR DEVE POSSUIR O PERMIT PARA IMPORTAR PERMIT É RENOVADO A CADA DOIS ANOS PERMIT CONTEM LISTA DE PATÓGENOS PERMITIDOS

16 EXPERIÊNCIA DA AGDIA JAPÃO RESTRIÇÃO A PRODUTOS QUE INCLUAM TECIDO VEGETAL OU QUALQUER ORGANISMO VIVO ÍNDIA 34% DE IMPOSTO

17 EXPERIÊNCIA DA AGDIA ÁFRICA CONGO, MALAWI, COSTA DO MARFIM, NIGÉRIA ACEITAM ENCOMENDAS VIA DHL EM OUTRAS TRANSPORTADORAS O PROCESSO PODE LEVAR SEMANAS E O PAGAMENTO DE 60% DE IMPOSTO

18 EXPERIÊNCIA DA AGDIA LÍBIA TODOS OS DOCUMENTOS DEVEM SER TRADUZIDOS POR UM TRADUTOR RECONHECIDO PELO GOVERNO LÍBIO

19 EXPERIÊNCIA DA AGDIA COLÔMBIA INSPEÇÃO SUMÁRIA PARA ENCOMENDAS DE ATÉ 2 MIL DÓLARES, PESO MÁXIMO DE 50 QUILOS E NÃO MAIS QUE 6 UNIDADES DE CADA ITEM ACIMA DE 2 MIL DÓLARES, PAGAMENTO DE 26% DE TAXAS E IMPOSTOS E CONTRATAÇÃO DE UM DESPACHANTE ALFANDEGÁRIO AO CUSTO MÍNIMO DE 300 DÓLARES A LIBERAÇÃO É FEITA EM UMA SEMANA

20 EXPERIÊNCIA DA AGDIA CHILE CERTIFICADO DE ORIGEM EMITIDO PELO EXPORTADOR PERU INSPEÇÃO SUMÁRIA BASEADA NA NOTA FISCAL EMITIDA PELO EXPORTADOR

21 EXPERIÊNCIA DA AGDIA COSTA RICA EXIGE-SE APENAS A APRESENTAÇÃO DA NOTA FISCAL E INFORMAÇÃO DA NATUREZA DA IMPORTAÇÃO ARGENTINA ISENÇÃO DE IMPOSTOS PARA ATÉ MIL DÓLARES ACIMA DE MIL DÓLARES SIMILAR AO BRASIL

22 BRASIL IMPORTAÇÕES PELO SETOR PRIVADO Caras e complicadas IMPORTAÇÕES PELO SETOR PÚBLICO Complicadas

23 BRASIL IMPORTAÇÕES PELO SETOR PRIVADO REGISTRO DO IMPORTADOR NO SISCOMEX LICENÇA DE IMPORTAÇÃO JUNTO À ANVISA CONTRATAÇÃO DE UM AGENTE ADUANEIRO INSPEÇÃO POR PARTE DA ANVISA (ANUÊNCIA) INSPEÇÃO POR PARTE DO MAPA

24 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO Registro do importador no SISCOMEX (IMPOSTOS) Licença de importação junto à ANVISA Contratação de um agente aduaneiro Inspeção por parte da ANVISA (anuência) Inspeção por parte do MAPA

25 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO Registro do importador no SISCOMEX LICENÇA DE IMPORTACÃO JUNTO À ANVISA NCM (HS ) (Reagentes para diagnóstico ou de laboratório contendo antígenos ou antisoros) Não diferencia diagnóstico vegetal da área animal ou humana ANVISA Contratação de um agente aduaneiro Inspeção por parte da ANVISA (anuência) Inspeção por parte do MAPA

26 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO Registro do importador no SISCOMEX Licença de importacão junto à ANVISA CONTRATAÇÃO DE UM AGENTE ADUANEIRO Aqui está o obstáculo! Planilha Custo dos reagentes na Agdia: $ Custo final desembaraçados: $ 2, Total de $ de impostos (52%) Inspeção por parte da ANVISA (anuência) Inspeção por parte do MAPA

27 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO Registro do importador no SISCOMEX Licença de importacão junto à ANVISA Contratação de um agente aduaneiro INSPEÇÃO POR PARTE DA ANVISA (ANUÊNCIA) envia ao MAPA ANVISA (BUROCRACIA) POR QUE NÃO SIMPLIFICAR? indefere o pedido Inspeção por parte do MAPA

28 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO Registro do importador no SISCOMEX Licença de importacão junto à ANVISA Contratação de um agente aduaneiro Inspeção por parte da ANVISA INSPEÇÃO POR PARTE DO MAPA NENHUM RELATO DE PROBLEMA NESTA ETAPA!

29 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO IMPORTA FÁCIL Pessoas físicas e pessoas jurídicas Utilização própria e/ou comercialização Valor Aduaneiro até 3 mil doláres Máximo de 30 kg e 1,50 m

30 IMPORTAÇÕES SETOR PRIVADO IMPORTA FÁCIL Imposto: alíquota única de 60% Despacho aduaneiro: R$ 150,00 NÃO PERMITE IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS QUE EXIGEM INSPEÇÃO FITOSANITÁRIA

31 IMPORTAÇÕES SETOR PÚBLICO IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Limitado quanto a clientela Pessoas físicas e pessoas jurídicas Valor aduaneiro até 10 mil dólares Imposto: ICMS Despacho aduaneiro: R$ 150,00 Liberação demorada

32 POR QUE FACILITAR A IMPORTAÇÃO? NÃO HÁ PRODUÇÃO DOMÉSTICA Fiscalização: proteção Pesquisa: desenvolvimento tecnológico Agronegócios: agregar valor a produção

33 POR QUE FACILITAR A IMPORTAÇÃO? NÃO HÁ PRODUÇÃO DOMÉSTICA

34 RESUMO O PROCESSO DE IMPORTAÇÃO PREJUDICA FISCALIZAÇÃO PESQUISA AGRONEGÓCIOS O PROCESSO CARO COMPLICADO O PRGRAMA IMPORTA FÁCIL TEM SUAS LIMITAÇÕES UM BOM COMEÇO

35 PERGUNTAS COMENTÁRIOS SUGESTÕES

36 CONTATO Francisco Assis Filho, Ph.D. Fitopatologista - Virologista Fone: Site:

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo CURSO: Administração DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas,

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

O Brasil adoptou, em 1 de Janeiro de 1995, a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM),

O Brasil adoptou, em 1 de Janeiro de 1995, a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), Tratamento tributário i e administrativo na importação 68 O Brasil adoptou, em 1 de Janeiro de 1995, a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), baseada no Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA Curso: 22211 - ADMINISTRAÇÃO com Linha de formação em Comércio Exterior Disciplina: 02675 - OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR - IMPORTAÇÃO

Leia mais

O Processo de Importação e Suas Etapas

O Processo de Importação e Suas Etapas O Processo de Importação e Suas Etapas CURSO: Administração / DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004.

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A PRODUTOS ALIMENTARES GOURMET BRASIL ABRIL de 2015 Matriz Cultural do Mercado O Brasil é grande consumidor de produtos gourmet, porém existe logicamente um processo seletivo destes

Leia mais

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 41 IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO O imposto de importação é de competência da União, é também conhecido como tarifa aduaneira. Sua função é predominantemente

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação São Paulo, 19 de agosto de 2013 Controle Administrativo Definição e Aspectos Gerais Controle Administrativo

Leia mais

1ª Consulta sobre Temas de Comércio Exterior Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Junho 2012

1ª Consulta sobre Temas de Comércio Exterior Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Junho 2012 Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Junho 2012 Questionário enviado aos associados em 21/03/2012 Consolidação dos resultados e apresentação à Comissão de Comércio Exterior em 24/05/2012 Apresentação

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1 Sistema Integrado de Comércio Exterior (SISCOMEX - Módulo Importação) INTEGRAÇÃO DOS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS

Leia mais

SEÇÃO IV BEBIDAS EM GERAL, VINHOS E DERIVADOS DA UVA E DO VINHO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a) Para a importação de bebida, fermentado acético, vinho e

SEÇÃO IV BEBIDAS EM GERAL, VINHOS E DERIVADOS DA UVA E DO VINHO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a) Para a importação de bebida, fermentado acético, vinho e SEÇÃO IV BEBIDAS EM GERAL, VINHOS E DERIVADOS DA UVA E DO VINHO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a) Para a importação de bebida, fermentado acético, vinho e derivados da uva e do vinho, o estabelecimento deve possuir

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

PROGRAMA PORTAL ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR

PROGRAMA PORTAL ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR PROGRAMA PORTAL ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR Programa Portal Único de Comércio Exterior Integração dos sistemas de controle dos órgãos governamentais que atuam no comércio exterior Visa otimizar e simplificar

Leia mais

PROGRAMA PORTAL ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR. Coordenação

PROGRAMA PORTAL ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR. Coordenação PROGRAMA PORTAL ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR Coordenação 1 Instituído pelo Decreto nº 660, de 25 de setembro de 1992: O SISCOMEX é o instrumento administrativo que integra as atividades de registro, acompanhamento

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Regime de Tributação Simplificada Importações por Remessas Postais RFB/SUARI/COANA/COFIA/DIDES Buenos Aires, 08 de novembro de 2011 Tópicos: 1. Panorama Atual do

Leia mais

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos Seminário AMCHAM 29 de Agosto de 2013 1 1. Os acordos de comércio 2 Crise não freou celebração de acordos de comércio Soma de Acordos Preferenciais

Leia mais

TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR

TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR Expositor: AFRFB JUVÊNCIO SOUSA FERREIRA (ALF/FOR/SADAD) SEMINÁRIO: A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE ADUANEIRO NA PROTEÇÃO DA SOCIEDADE E NO PROCESSO DE

Leia mais

EXIGÊNCIAS GERAIS E DOCUMENTAÇÃO BÁSICA NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DE CZI

EXIGÊNCIAS GERAIS E DOCUMENTAÇÃO BÁSICA NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DE CZI EXIGÊNCIAS GERAIS E DOCUMENTAÇÃO BÁSICA NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DE CZI Atenção!!! Para a emissão do CZI é necessária a apresentação dos documentos sempre em vias originais, acompanhados de uma fotocópia

Leia mais

1.1. Consulta à lista de mercadorias sujeitas à vigilância sanitária. 1.2.3. Como saber o código de assunto. 1.2.4. Como saber a lista de documentos

1.1. Consulta à lista de mercadorias sujeitas à vigilância sanitária. 1.2.3. Como saber o código de assunto. 1.2.4. Como saber a lista de documentos Atualizado: 15 / 0 7 / 2013 FAQ AI 1. Importação informações Gerais 1.1. Consulta à lista de mercadorias sujeitas à vigilância sanitária 1.2. AFE para prestação de serviço em PAF 1.2.1. Quem precisa 1.2.2.

Leia mais

5.564 cidades atendidas. 54 mil pontos de atendimento

5.564 cidades atendidas. 54 mil pontos de atendimento BOM DIA! Quem somos? 5.564 cidades atendidas 54 mil pontos de atendimento Distribuição diária: 50 mil carteiros que atendem 44 milhões de domicílios Maior rede logística intermodal do país: 2,6 milhões

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no

Leia mais

A Implantação do Operador Econômico Autorizado no Brasil: Papel dos Anuentes

A Implantação do Operador Econômico Autorizado no Brasil: Papel dos Anuentes CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria-Executiva A Implantação do Operador Econômico Autorizado no Brasil: Papel dos Anuentes 25 de setembro de 2009 Instituto Aliança Procomex - SP LYTHA SPÍNDOLA Secretária-Executiva

Leia mais

Importação Passo a Passo

Importação Passo a Passo 1º Passo Defina o que quer importar Importação Passo a Passo O mercado internacional, principalmente a China, apresenta uma ampla oportunidade de produtos para se importar. Antes de iniciar sua operação

Leia mais

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Agosto de 2013 Efeitos da taxa de câmbio: Trilema: inflação, taxa de juros, taxa de câmbio Redução do superávit comercial e déficit estrutural em

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. O que é Importação via Correio? PERGUNTAS E RESPOSTAS A importação via Correios é o serviço que lhe permite comprar/adquirir produtos de qualquer parte do mundo por meio da Internet, de catálogos ou

Leia mais

Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa Secretaria da... e Respostas. O que é uma Remessa Expressa? Como ocorre a tributação nas Remessas

Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa Secretaria da... e Respostas. O que é uma Remessa Expressa? Como ocorre a tributação nas Remessas 1 de 7 13/07/2015 12:00 Menu Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa por Subsecretaria de Aduana e Relações Internacionais publicado 22/05/2015 16h36, última modificação 18/06/2015 15h00 Remessas

Leia mais

DESPACHOS ADUANEIROS. Suprindo a necessidade cada vez mais exigente e dinâmica do Comercio Exterior.

DESPACHOS ADUANEIROS. Suprindo a necessidade cada vez mais exigente e dinâmica do Comercio Exterior. DESPACHOS ADUANEIROS Suprindo a necessidade cada vez mais exigente e dinâmica do Comercio Exterior. EMPRESA Nosso objetivo é personalizar o atendimento para cada empresa, dando-as exclusividade com células

Leia mais

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA 1. Canadá 2. Comunidade da Austrália 3. Estado da Líbia 4. Estados Unidos da América 5. Federação Russa 6. Japão 7. Reino da Arábia Saudita 8. Reino

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO orienta na implantação e desenvolvimento do seu negócio de forma estratégica e inovadora O QUE SÃO PALESTRAS

Leia mais

AVII 8º ANO Globalização Qual é a mais próxima da realidade? Como será o futuro? Escola do futuro de 1910 Cidade-prédio de 1895 A era das redes aumentou ou diminuiu o tamanho do mundo?

Leia mais

Controle de Carga e Facilitação do Fluxo Logístico no Comércio Internacional. Siscomex Carga. PROCOMEX Brasília março de 2007

Controle de Carga e Facilitação do Fluxo Logístico no Comércio Internacional. Siscomex Carga. PROCOMEX Brasília março de 2007 Controle de Carga e Facilitação do Fluxo Logístico no Comércio Internacional Siscomex Carga PROCOMEX Brasília março de 2007 Cenário Contemporâneo Crescimento do comércio internacional; Preocupação com

Leia mais

O potencial da carne bovina brasileira nos circuitos não aftósicos

O potencial da carne bovina brasileira nos circuitos não aftósicos O potencial da carne bovina brasileira nos circuitos não aftósicos Professor: Raphael Rocha Formado em Administração, especialista em Marketing, pela UFRJ, com MBA em Gestão de Negócios, Comércio e Operações

Leia mais

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário.

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Tratamento Tributário Conceituação Comercial Recebimento da mercadoria pelo comprador ou seu representante, no exterior, de acordo

Leia mais

Manual de Exportação e Formação de Preço

Manual de Exportação e Formação de Preço Manual de e Formação de Preço. Sumário FASE 1ª 1 - Planejamento de 2 - Planejamento Estratégico 3 - Canais de Distribuição FASE 2ª 4 - Procedimentos Operacionais de FASE 3ª 5 - Formação de Preço O sumário

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES

CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES Exportação de carne e produtos cárneos para países terceiros - Ponto de situação e estratégias futuras para eliminação das barreiras identificadas A

Leia mais

DOCUMENTOS UTILIZADOS NA EXPORTAÇÃO

DOCUMENTOS UTILIZADOS NA EXPORTAÇÃO 1 DOCUMENTOS UTILIZADOS NA EXPORTAÇÃO Introdução D. Maria de Lourdes tem uma indústria de brindes que se tornou bastante conhecida no Brasil, principalmente pela criatividade com que desenvolve seus produtos.

Leia mais

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES MSc.RICARDO LOZANO PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS US$ bilhões Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Exportações Brasileiras 256 243 198

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Brasil Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Brasil Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Brasil Condições Legais de Acesso ao Mercado Março 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 6 3. Quadro Legal 7 2 1. Regime Geral

Leia mais

Aduana Brasileira. Seminário Internacional sobre Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos Recife, 22 a 24 de fevereiro de 2011

Aduana Brasileira. Seminário Internacional sobre Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos Recife, 22 a 24 de fevereiro de 2011 Aduana Brasileira Seminário Internacional sobre Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos Recife, 22 a 24 de fevereiro de 2011 Exportação de Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos - REEE EUA exportam

Leia mais

Missão Área Internacional

Missão Área Internacional Missão dos Correios Facilitar as relações pessoais e empresariais mediante a oferta de serviços de correios com ética, competitividade, lucratividade e responsabilidade social. Missão Área Internacional

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA 1. O Que é? O Importa Fácil Ciência é destinado a pesquisadores/entidades de pesquisa cientifica ou tecnológica, devidamente credenciadas no

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

EXPORTAÇÃO SIMPLIFICADA

EXPORTAÇÃO SIMPLIFICADA EXPORTAÇÃO SIMPLIFICADA REALIZEI UMA EXCELENTE VENDA! E AGORA? COMO FAÇO PARA ENTREGAR? CORREIOS Estrutura Física: 5.570 mil municípios atendidos, 37 mil pontos de atendimento, 11.890 mil Agências, 10

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Facilitações para o Comércio Exterior

Facilitações para o Comércio Exterior EXPORTAÇÕES POR ENVIOS POSTAIS Facilitações para o Comércio Exterior São Paulo 18 de novembro de 2009 José Barroso Tostes Neto Coordenação Geral de Administração Aduaneira FACILITAÇÕES PARA O COMÉRCIO

Leia mais

OBJETIVO DEFINIÇÕES. Para os efeitos deste Manual, define-se como: I MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

OBJETIVO DEFINIÇÕES. Para os efeitos deste Manual, define-se como: I MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; OBJETIVO O sistema SIGVIG instituído pelo MAPA destina-se a atender a necessidade de gerenciamento e controle do recebimento, envio e fiscalização das mercadorias importadas e exportadas através dos portos,

Leia mais

SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS - ALADI

SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS - ALADI SERVIÇOS PERFIS DOS NEGÓCIOS BILATERAIS ALADI 2014 Secretaria de Comércio e Serviços Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Vendas do Brasil (US$ mil) 2.172.864 Aquisições pelo Brasil

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Despachante Aduaneiro - Seu parceiro nas atividades de Comércio Exterior.

Despachante Aduaneiro - Seu parceiro nas atividades de Comércio Exterior. SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS DE SÃO PAULO Despachante Aduaneiro - Seu parceiro nas atividades de Comércio Exterior. SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS DE SÃO PAULO MISSÃO EMPRESARIAL DO PORTO

Leia mais

CONTEXTO & PERSPECTIVA Boletim de Análise Conjuntural do Mercado de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil Março 2011

CONTEXTO & PERSPECTIVA Boletim de Análise Conjuntural do Mercado de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil Março 2011 CONTEXTO & PERSPECTIVA Boletim de Análise Conjuntural do Mercado de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil Março 2011 2010: BALANÇO DO COMÉRCIO EXTERIOR DA FLORICULTURA BRASILEIRA Antonio Hélio Junqueira

Leia mais

a) Requerimento para fiscalização de produtos agropecuários (FORMULÁRIO V);

a) Requerimento para fiscalização de produtos agropecuários (FORMULÁRIO V); MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 49, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Importação de Produtos para Saúde

Importação de Produtos para Saúde Importação de Produtos para Saúde Gerência de Inspeção de Produtos e Autorização de Empresas em Portos, Aeroportos Fronteiras e Recintos Alfandegados GIPAF Mônica Cristina A. F. Duarte Organograma - ANVISA

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

EXPORTAÇÃO ANIMAIS VIVOS E MATERIAL GENÉTICO DE EQUINOS

EXPORTAÇÃO ANIMAIS VIVOS E MATERIAL GENÉTICO DE EQUINOS EXPORTAÇÃO ANIMAIS VIVOS E MATERIAL GENÉTICO DE EQUINOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS 1) Abertura de quarentena (quando for o caso e respeitando as exigências impostas pelo país importador) - FFA da UF de egresso

Leia mais

Que documentos deverão acompanhar a mercadoria para o Brasil? A escolha da modalidade de envio do seu pedido é fundamental

Que documentos deverão acompanhar a mercadoria para o Brasil? A escolha da modalidade de envio do seu pedido é fundamental Índice 1 - Entendendo a importação Compras no comércio eletrônico também são importações Quem pode fazer uma importação? O que pode ser importado? Quantas importações eu posso fazer? Que documentos deverão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO 1. Introdução: Toda mercadoria procedente do exterior, importada a título definitivo ou não, sujeita ou não ao pagamento do imposto

Leia mais

Coeficiente de Importação Indústria Geral

Coeficiente de Importação Indústria Geral Coeficiente de Importação Indústria Geral O Brasil precisa de um choque de competitividade Ranking IC-FIESP 2010 Energia Banda Larga Logística Educação Economia Economia Economia Economia Doméstica Doméstica

Leia mais

A Importância da Parceria Transpacífico para a agropecuária brasileira

A Importância da Parceria Transpacífico para a agropecuária brasileira Edição 1 - Outubro de 2015 ESPECIAL A Importância da Parceria Transpacífico para a agropecuária brasileira A conclusão das negociações da Parceria Transpacífico (TPP), anunciada formalmente na segunda-feira,

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Brasília, 6 de novembro de 2013

Brasília, 6 de novembro de 2013 Brasília, 6 de novembro de 2013 Gerência de Controle Sanitário no Comércio Exterior GCCOE Gerência Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados - GGPAF Alteração na forma de protocolizar

Leia mais

Disciplina: Comércio Internacional

Disciplina: Comércio Internacional COORDENADORIA DE TRANSPORTES Sumário 2 Disciplina: Comércio Internacional CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE COMÉRCIO INTERNACIONAL Exportação e Importação Conceitos Cambiais, Aduaneiros e Comerciais Formas de

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados 1ª Consulta aos associados para identificar as dificuldades enfrentadas para exportar e sobre temas de comércio exterior Resultados Consolidados Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Maio de 2012 Total

Leia mais

Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior

Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior Diretoria de Comércio Exterior GECEX Campinas Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior CÂMBIO E POLÍTICA CAMBIAL Câmbio: compra e venda de moedas ou papéis conversíveis. Divisas - São as disponibilidades

Leia mais

Exportação Temporária

Exportação Temporária Exportação Temporária Conceito: O regime de exportação temporária é o que permite a saída, do País, com suspensão do pagamento do imposto de exportação, de mercadoria nacional ou nacionalizada, condicionada

Leia mais

BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios

BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios Correios Quem somos? Empresa de administração pública. Missão: Fornecer soluções acessíveis e confiáveis para conectar pessoas,

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

PAINEL III. Mobilidade Internacional: uma área estratégica das empresas

PAINEL III. Mobilidade Internacional: uma área estratégica das empresas PAINEL III Mobilidade Internacional: uma área estratégica das empresas MAIO 2011 Atuação A atuação da Área de Negócio Internacional abrange as operações da indústria de petróleo e energia como exploração

Leia mais

Projeto de análise de Importação

Projeto de análise de Importação Projeto de análise de Importação Empresa: Import Brasil S/A Objetivo: Estudo sobre a viabilidade da importação analisando pontos como logística, s, impostos, barreiras de entrada, estatística de importação

Leia mais

Distance to frontier

Distance to frontier Boletim Informativo do Doing Business 2013: América Latina e Caribe Das 50 economias que desde 2005 mais tiveram melhorias regulamentares para facilitar a prática de fazer negócios para empresas locais,

Leia mais

30º AgroEx Seminário do Agronegócio para Exportação Manaus - AM, 25 de novembro de 2009

30º AgroEx Seminário do Agronegócio para Exportação Manaus - AM, 25 de novembro de 2009 30º AgroEx Seminário do Agronegócio para Exportação Manaus - AM, 25 de novembro de 2009 PRINCIPAIS EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS E FITOSSANITÁRIAS DO MERCADO INTERNACIONAL Jesulindo N. de Souza Junior - FFA Jesulindo.junior@agricultura.gov.br

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS 1 LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ!

AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ! AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ! ZM TRADE A ZM pensou nisso para você, e agora pode lhe oferecer os serviços da ZM TRADE. Qualidade, preço

Leia mais

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS Os produtos vegetais, seus subprodutos

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Brasil Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Brasil Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Brasil Condições Legais de Acesso ao Mercado Outubro 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 6 3. Quadro Legal 7 2 1. Regime Geral

Leia mais

http://www.fazenda.gov.br/confaz/ escolha opção resolução Senado Federal 13/2012

http://www.fazenda.gov.br/confaz/ escolha opção resolução Senado Federal 13/2012 Prezado cliente, As constantes mudanças na legislação fiscal têm afetado muito as empresas, os sistemas e as empresas de contabilidade, que precisam estar preparadas para atender as obrigatoriedades legais.

Leia mais

Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil

Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil 18_Animal Business-Brasil O Brasil e as biotecnologias reprodutivas

Leia mais

VI FIAM FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA 26 A 29/10/2011 A AMAZÔNIA E SUAS FRONTEIRAS NO CONTEXTO DA INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR

VI FIAM FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA 26 A 29/10/2011 A AMAZÔNIA E SUAS FRONTEIRAS NO CONTEXTO DA INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR VI FIAM FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA 26 A 29/10/2011 A AMAZÔNIA E SUAS FRONTEIRAS NO CONTEXTO DA INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR VIGILÂNCIA AGROPECUÁRIA INTERNACIONAL VIGIAGRO SECRETARIA

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

A CAMEX e a Facilitação de Comércio

A CAMEX e a Facilitação de Comércio CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria-Executiva A CAMEX e a Facilitação de Comércio Ministério das Comunicações 18 de novembro 2009, São Paulo SP. MARIA FÁTIMA B. ARRAES DE OLIVEIRA Assessora Especial

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 1, DE 22 JANEIRO DE 2008 Dispõe sobre a Vigilância Sanitária na

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 1, DE 22 JANEIRO DE 2008 Dispõe sobre a Vigilância Sanitária na AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 1, DE 22 JANEIRO DE 2008 Dispõe sobre a Vigilância Sanitária na Importação e Exportação de material de qualquer natureza,

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

2º Encontro de Contabilidade e Auditoria para Companhias Abertas e Sociedades de Grande Porte

2º Encontro de Contabilidade e Auditoria para Companhias Abertas e Sociedades de Grande Porte www.pwc.com º Encontro de Contabilidade e Auditoria para Companhias Abertas e Sociedades de Grande Porte Evoluções do SPED do ponto de vista de Custo de Conformidade Fiscal Agenda Pontos chave da Pesquisa

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O ÍNDICE 1. Como proceder para realizar uma importação? 2. Para importar um produto, sempre há necessidade de licenciamento? 3. Como verificar se determinada importação requer ou não licenciamento? 4. Existe

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 DOU de 24.9.2012 Dispõe sobre o despacho aduaneiro de bens procedentes do exterior destinados à utilização na Copa das Confederações Fifa 2013

Leia mais

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula PROGRAMA Preparando-se para exportar 6 hs Procedimentos básicos na exportação 6 hs Procedimentos básicos na importação 6 hs Câmbio

Leia mais

Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais

Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais Sandra Polónia Rios 20 de maio de 2014 Roteiro 1. Antecedentes 2. O Pacote de Bali: agricultura, questões de desenvolvimento e facilitação de comércio

Leia mais

Guia para Liberação de Mercadoria Estrangeira sem comprovação do Recolhimento do ICMS GLME.

Guia para Liberação de Mercadoria Estrangeira sem comprovação do Recolhimento do ICMS GLME. Guia para Liberação de Mercadoria Estrangeira sem comprovação do Recolhimento do ICMS GLME. Manual para geração da GLME: A) 1ª Tela Preenchimento: IMPORTADOR CNPJ / CPF 01234567000123 CPF do Representante

Leia mais

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO 1º Passo - Habilitação Legal A inscrição no Registro de Exportadores e Importadores (REI) da Secretaria de Comércio Exterior constitui condição preliminar

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Controle Administrativo - Definição Controle exercido por órgãos da Administração Federal

Leia mais

GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO E CONTROLE DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS

GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO E CONTROLE DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS GERÊNCIA GERAL DE INSPEÇÃO E CONTROLE DE INSUMOS, MEDICAMENTOS E PRODUTOS Marcelo Vogler Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária Farmacêutico Industrial GGIMP Competências Principais - Conceder

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) L 93/72 9.4.2015 DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/569 DA COMISSÃO de 7 de abril de 2015 que altera os anexos da Decisão de Execução 2011/630/UE no que diz respeito à equivalência entre efetivos bovinos oficialmente

Leia mais