Designação da Disciplina: Perspectivas de Ensino: sua evolução e fundamentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Designação da Disciplina: Perspectivas de Ensino: sua evolução e fundamentos"

Transcrição

1 Designação da Disciplina: Perspectivas de Ensino: sua evolução e fundamentos Domínio Específico (X) Domínio Conexo ( ) Natureza: N o de Créditos: 08 N o de Semanas: 15 Prof.(a) Responsável: Doutora Viviane Souza Galvão, Faculdade de Filosofia e Ciências, Unesp, Campus de Marília, SP. Prof. Colaborador: Doutor João Praia, Centro de Investigação da Universidade de Aveiro, Portugal. Ementa: A disciplina tem por objetivo debater e promover uma cuidada reflexão a respeito da evolução das várias perspectivas de ensino, no âmbito da Didática das Ciências, articulando tais perspectivas com referenciais teóricos que as fundamentam e com as respectivas metodologias de ensino que as caracterizam. Valorizam-se aspectos da relação entre campos do conhecimento tão diversos como da Pedagogia, da Psicologia, nomeadamente da Aprendizagem, da História e da Filosofia da Ciência, da Ética,.. Estes, em conjunto, justificam a emergência de quatro diferentes perspectivas de ensino: Ensino Por Transmissão (EPT), Ensino Por Descoberta (EPD), Ensino Por Mudança Conceitual (EMC) e Ensino Por Pesquisa (EPP). É nosso propósito, então, propor uma reflexão ampliada sobre concepções de aprendizagem e sobre as diferentes visões epistemológicas de Ciência subjacentes a cada uma destas perspectivas de ensino, permitindo confrontar as próprias concepções dos professores com os, agora, novos quadros de referência. No trabalho de formação com os professores partimos do pressuposto e da convicção de que esta compreensão contribuirá para o desenvolvimento de uma visão mais sistêmica e social de ciência e para uma visão sócioconstrutivista a nível pessoal durante a construção, pelos alunos, do conhecimento científico. As questões CTSA serão problematizadas neste âmbito. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA DISCIPLINA Unidade 1: - Dos fundamentos positivistas e behavioristas aos fundamentos racionalistas contemporâneos e sócio-construtivistas : sua caracterização. Unidade 2: - Análise crítica das perpectivas de ensino: sua evolução, vantagens e limitações. Unidade 3: - O Ensino Por Pesquisa: perspectiva de ensino voltada para a mudança de novos saberes, atitudes e valores e seus reflexos no âmbito das práticas lectivas. Confronto de ideias. Unidade 4: - Da perspectiva CTS ao Ensino Por Pesquisa: percurso de inovação. Unidade 5: - Atividade prática: construção de um instrumento de avaliação para análise de conteúdo de livros didáticos sobre perspectivas de ensino tendencialmente neles presente.

2 Unidade 6: - Análise crítica de livros didáticos utilizados por professores da rede pública, em discussão cooperativa e partilhada pela turma de pós-graduandos a partir do instrumento de avaliação construído por eles. Unidade 7: -Avaliação da aprendizagem e avaliação do curso. METODOLOGIA. O programa da disciplina será desenvolvido através de aulas teóricas e de atividades de análise crítica de recursos pedagógicos (livros didáticos), utilizados por professores de ciências que atuam em nível fundamental de escolaridade. Construir-se-á um instrumento de avaliação para através de análise de conteúdo procurarmos refletir sobre concepções de aprendizagem subjacentes aos textos destes materiais e a sua adequação a modelos de Ensino Por Pesquisa (EPP). CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. A avaliação do desempenho dos estudantes nesta disciplina será realizada através da análise da sua participação em discussões durante as aulas e dos resultados das análises de conteúdo que realizarão dos materiais didáticos, conforme previsto na metodologia de ensino desta disciplina. Bibliografia Abimbola, I. (1983). The relevance of the new philosophy of science for the science curriculum. School Science & Mathematics, 83(3), Aikenhead, G. S. (1986). Preparing undergraduate science teachers in S/T/S/: a course in the Epistemology and Sociology of Science. In R. James (Ed.). Science, Technology and Society: resources for Science Educators. Columbs, Ohio: Association for the Education of Teachers in Science. Cachapuz, A. F.(1992). Filosofia da Ciência e Ensino da Química: repensar o papel do trabalho experimental. In (Eds), Montero Mesa e Vaz Jeremias, Tórculo. Actas do Congreso Las Didácticas Específicas en la Formación del Profesorado, Tomo II, Vol.1, Santiago de Compostela. Cachapuz, A (1995). O Ensino das Ciências para a excelência da aprendizagem. In: A. D. Carvalho (Org.) - Novas Metodologias em Educação, p Porto, Porto Editora. (Colecção Educação, Vol. 8). Cachapuz, A. (2000). A pocura da excelência na aprendizagem. Estudos em Educação, nº 10, 9-26, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, Brasil. 2

3 Cachapuz, A., Praia, J. & Jorge, M. (2000). Reflexão em torno de perspectivas do ensino das Ciências: contributos para uma nova orientação curricular Ensino Por Pesquisa. Revista de Educação, vol. IX, nº 1, Cachapuz, A., Praia, J., Gil-Perez, D., Carrascosa, J.& Martinez-Terradez, F. (2001). A emergência da Didáctica das Ciências como campo específico de conhecimento. Revista Portuguesa de Educação, 14(1), Cachapuz, A., Praia, J. & Jorge, M. (2002). Ciência, Educação em Ciência e ensino das Ciências. M.E. Lisboa. Carrilho, M. M. (1994). A Filosofia das Ciências.(De Bacon a Feyerabend). p Editorial Presença. Lisboa. Cleminson, A. (1990). Establishing an epistemological base for Science teaching in the light of contemporary notions of the nature of Science and of how children learn Science. Journal of Research in Science Teaching, 27 (5) : Duschl, R. A. (1997). Renovar la Enseñanza de las Ciencias. Importancia de las teorias y su desarrollo. Madrid: Narcea, S.A. de Ediciones. Fernandéz, I., Gil-Pérez, D., Carrascosa, J., Cachapuz, A. & Praia, J., (2002). Visiones deformadas de la ciencia transmitidas por la enseñanza. Enseñanza de las Ciencias, 20 (3), Fourez, G. (1995). La Constrution des Sciences. Bruxelles: De Boeck Univ. Garcia, M., Cerezo, J. & López, J. (1996). Ciencia, Tecnologia e Sociedad. Madrid:Tecnos. Gardner, P. (1994). Representations of the relationship between science and tecnology in the curriculum. Studies in Science Education, 24, Gil-Pérez, D. (1986). La metodologia cientifica y la enseñanza de las Ciencias. Unas relaciones convertidas. Enseñanza de las Ciencias, 4 (2), Gil-Pérez, D. (1993). Contribución de la Historia y de la Filosofia de las Ciencias al desarrollo de un modelo de enseñanza/aprendizaje como investigación. Enseñanza de las Ciencias, 11 (2), Gil-Pérez, D., Fernández, I., Alís, J. C., Cachapuz, A. & Praia, J., Por uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, 7 (2), Gil-Pérez, D., Cachapuz A., Vilches, A., Praia, J., (Orgs.), A Necessária Renovação do Ensino das Ciências. São Paulo. Cortez. (in press). Gil-Pérez, D., Vilches, A., Edwards, M., Praia, J., Valdés, P., Vital, M. L., Tricárico, H. & Rueda, C. (2003). A Educação Científica e a Situação do Mundo: Um Programa de Actividades dirigido a Professores. Ciência & Educação. 9 (1),

4 Gonçalves, R. (1991). Ciência. Pós-Ciência. Meta-Ciência. Tradição, Inovação e Renovação. 165 pp. Discórdia Editores. Lisboa. Hodson, D., (1988 a ). Filosofia de la Ciencia y educación científica. In: R. PORLÁN, J. E. GARCIA & P. CAÑAL (Compilads.). Constructivismo y Enseñanza de las Ciencias. p Diada Editoras. Sevilla. Izquierdo, M. (1996). Relación entre la Historia y la Filosofia de la Ciencia y la Enseñanza de las Ciencias. Alambique. Didactica de las Ciencias Expeimentales (Naturaleza e Historia das Ciencias), 8, Barcelona: Graó Educación de Serveis Pedagògics (Ed.). Johnson, R. & Johnson, D. (1995). Cooperative versus competitive efforts and problem solving. Review of Educational Research, 65, Labarú, C., Arruda, S. & Nardir, R. (1998). Os programas de pesquisa de Lakatos: uma leitura para o entendimento da construção do conhecimento em sala de aula em situações de contradição e controvérsia. Ciência e Educação, 5 (2): Laudan, L. (1984). Science and values. Berkeley, CA: University of California Press. Layton, D. (1994). STS in the school curriculum: A movement overtaken by history? In: STS Education International Perspectives on Reform, p New York, Teachers College Press. (Ed Joan Solomon and Glen Aikenhead); Matthews, M.R. (1994). Science Teaching. The role of History and Philosophy of Science. 287 pp. Routledge. London. Millar, R. (1996). Toward a science curriculum for public understanding. School Science Review, vol. 77, n. 208, Moreira, M. (1999). Teorias de Aprendizagem. S. Paulo: Editora Pedagógica Universitária Morin, E. (1994). Ciência com consciência. Lisboa: Europa América. Morin, E. (1999). Os sete saberes necessários à educação do futuro. S. Paulo: Cortez. Morin, E. & Le Moigne, J.(1999). A inteligência da Complexidade. S. Paulo: Peirópolis. Nogueira, N. (2000). Uma prática para o desenvolvimento das múltiplas inteligências. São Paulo :Érica. Novak, J. & Gowin, B.(1984). Learning how to learn. Cambridge: Cambridge Univ. Press Osborne, B. (1992). Science Education: a concise review of the past thirty years. Perspectives, nº45, Pozo, I. (1996). Teorias Cognitivas del Aprendizaje. Madrid: Morata (4ª ed.) Praia, J. F. & Cachapuz, A. F (1994). Un análisis de las concepciones acerca de la naturaleza del conocimiento científico de los Profesores Portugueses de la Enseñanza Secundária. Enseñanza de las Ciencias, 12 (3) : Praia, J., Edwards, M. Gil-Pérez, D. & Vilches, A. (2001). As Percepções dos professores de ciências portugueses e espanhóis sobre a situação do mundo. Revista de Educação, vol. X, nº2,

5 Praia, J., Cachapuz, A., & Gil-Pérez, D. (2002). Problema, Teoria e Observação em Ciência: para uma reorientação epistemológica da Educação em Ciência. Ciência & Educação, 8 (1), Praia, J., Cachapuz, A. & Gil-Pérez, D. (2002). A Hipótese e a Experiência Científica em Educação em Ciência: contributos para uma reorientação epistemológica. Ciência & Educação, 8 (2), Praia, J., Cachapuz, A., Ciência-Tecnologia.-Sociedade: um compromisso ético. Revista Ibero- Americana de Educación. (in press). Resnick, D. (1998). The Ethics of Science. London: Routledge. Santos, E. (1998). Mudança Conceptual na sala de aula. Um desafio pedagógico epistemologicamente fundamentado. Lisboa, Livros Horizonte. Santos, E. & Praia, J. (1991). Dimensão epistemológica no ensino das Ciências. In: M.T.Oliveira (Org.) - Didáctica da Biologia, p Lisboa, Universidade Aberta. Santos, M.E. (1998). Ciência/tecnologia/sociedade: Respostas Curriculares a Mudanças no ethos da Ciência. Tese de doutoramento, Universidade de Lisboa. Solbes, J. (1999). Los valores en la enseñanza de las ciencias. In, Alambique, Didáctica de las Ciencias Experimentales, nº22, Solomon, J.; Duveen, J.; Scott, L. & Mc Carthy, S. (1992). Teaching about the nature of science through history: action research in the Classroom. Journal of Research in Science Teaching, 29 (4) : UNESCO (1999). Ciência para o século XXI- Um novo compromisso. Lisboa: Comissão Nacional da Unesco. Vygotsky, L.(1978). Mind and Society. Oxford:Blackwell. Wellington, J. (1981). What s supposed to happen sir?: some problems with discovery learning. School Science Review, 63(222), White, R.T. (1999). Condiciones para un Aprendizaje de Calidad en la Ensenãnza de las Ciencias. Reflexiones a partir del projeyeto PEEL. Ensanãnza de las Ciencias, 17(I) 3-15, Monash University, Melbourne. Ziman, J. (1999). A Ciência na sociedade moderna. In, A Ciência tal qual se faz, coord. Fernando Gil, Lisboa: Sá da Costa,

6 UNIDADE: Faculdade de Ciências CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO: Educação para a Ciência ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Ensino de Ciências DISCIPLINA: PERSPECTIVAS DE ENSINO: SUA EVOLUÇÃO E FUNDAMENTOS CARACTERÍSTICA: Domínio específico Natureza: Nível de Mestrado/doutorado CARGA HORÁRIA: 120 horas/aula DURAÇÃO: 15 semanas NÚMERO DE CRÉDITOS: 08 (oito) NÚMERO MÍNIMO DE ALUNOS: 5 (cinco) NÚMERO MÁXIMO DE ALUNOS: 15 (quinze) 6

CURSO DE MESTRADO EM SUPERVISÃO UNIVERSIDADE DOS AÇORES

CURSO DE MESTRADO EM SUPERVISÃO UNIVERSIDADE DOS AÇORES CURSO DE MESTRADO EM SUPERVISÃO UNIVERSIDADE DOS AÇORES Disciplina de Metodologia de Ensino das Ciências 2003/04 1º Semestre Docente Responsável: Nilza Costa (*) (nilza@dte.ua.pt) Colaboradores: Luís Marques

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUTO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS PARA A INOVAÇÃO DAS PRÁTICAS

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUTO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS PARA A INOVAÇÃO DAS PRÁTICAS FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUTO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS PARA A INOVAÇÃO DAS PRÁTICAS REBELO 1,DORINDA;MARQUES 2,EVA;MARQUES 3,LUÍS 1 Escola Secundária de Estarreja Estarreja, Portugal. 2 Escola Secundária

Leia mais

IV ENEBIO e II EREBIO da Regional 4 Goiânia, 18 a 21 de setembro de 2012

IV ENEBIO e II EREBIO da Regional 4 Goiânia, 18 a 21 de setembro de 2012 CONCEPÇÕES DE GRADUANDOS DE CURSOS DE LICENCIATURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS SOBRE CIÊNCIA, MÉTODO CIENTÍFICO E ENSINO DE CIÊNCIAS. Leonardo Henrique Montalvão (Programa FaunaCO Licenciando em Ciências

Leia mais

APRENDENDO A ENSINAR: A SALA DE AULA COMO UM ESPAÇO DE REFLEXÃO

APRENDENDO A ENSINAR: A SALA DE AULA COMO UM ESPAÇO DE REFLEXÃO APRENDENDO A ENSINAR: A SALA DE AULA COMO UM ESPAÇO DE REFLEXÃO PAIXÃO LINHARES 1, MARÍLIA e MACEDO REIS 2, ERNESTO 1 Laboratório de Ciências Físicas, UENF 2 Coordenação de Física, CEFET-Campos Palavras

Leia mais

Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais. Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília

Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais. Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília Projectos de investigação Cognição e Aprendizagem em História e Ciências Sociais Coordenador: Isabel Barca Equipa de investigação Isabel Barca, Ana Catarina Simão, Júlia Castro, Carmo Barbosa, Marília

Leia mais

Designação da Disciplina: Tendências de pesquisas e de práticas em Educação Matemática

Designação da Disciplina: Tendências de pesquisas e de práticas em Educação Matemática Designação da Disciplina: Tendências de pesquisas e de práticas em Educação Matemática Domínio Específico (X) Domínio Conexo ( ) Natureza: Específica da Área de Concentração do Curso (Ensino de Ciências)

Leia mais

OBJETIVOS. PALAVRAS CHAVE: Formação de professores, Ensino de Física, História e Filosofia da Ciência.

OBJETIVOS. PALAVRAS CHAVE: Formação de professores, Ensino de Física, História e Filosofia da Ciência. IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN CONSIDERAÇÕES SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E AS

Leia mais

CONTEÚDOS ATITUDINAIS E PROCEDIMENTAIS NO ENSINO DA METAMORFOSE DE BORBOLETAS

CONTEÚDOS ATITUDINAIS E PROCEDIMENTAIS NO ENSINO DA METAMORFOSE DE BORBOLETAS IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN CONTEÚDOS ATITUDINAIS E PROCEDIMENTAIS NO ENSINO DA METAMORFOSE DE BORBOLETAS

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA PROFISSIONAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA PROFISSIONAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ÉTICA PROFISSIONAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Serviço Social (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular ÉTICA

Leia mais

Prof.(a) Responsável: Profa Dra. Isabel Cristina de Castro Monteiro

Prof.(a) Responsável: Profa Dra. Isabel Cristina de Castro Monteiro Designação da Disciplina: Pluralismo Metodológico e Motivação dos alunos no ensino de Ciências Domínio Específico ( X ) Domínio Conexo ( ) Natureza: Específica da Área de Concentração do Curso (Ensino

Leia mais

Palabras clave: Avaliação; Impacte; Formação Continuada; Conhecimentos x Saberes; Pedagogical Content Knowledge

Palabras clave: Avaliação; Impacte; Formação Continuada; Conhecimentos x Saberes; Pedagogical Content Knowledge AVALIAÇÃO DO IMPACTE DE CURSOS DE MESTRADO NOS PROFESSORES-MESTRES - O DESENVOLV I M E N T O DO PEDAGOGICAL CONTENT KNOWLEDGE DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS CRUZ, ELIANE e COSTA, NILZA Universidade

Leia mais

A discussão de controvérsias sócio-científicas a partir de documentários em vídeo

A discussão de controvérsias sócio-científicas a partir de documentários em vídeo A discussão de controvérsias sócio-científicas a partir de documentários em vídeo Elisabete Linhares 1 e Pedro Reis 2 1 Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém, Santarém, Portugal,

Leia mais

COMPETÊNCIAS DOCENTES E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS

COMPETÊNCIAS DOCENTES E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN COMPETÊNCIAS DOCENTES E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS Viviane Briccia

Leia mais

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO Esta formação de professores visa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FICHA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Estágio 1 CÓDIGO: UNIDADE ACADÊMICA: Instituto de Biologia PERÍODO: 9º OBRIGATÓRIA:

Leia mais

Formação de professores: constrangimentos e potencialidades

Formação de professores: constrangimentos e potencialidades Universidade do Minho Formação de professores: constrangimentos e potencialidades Maria Assunção Flores aflores@ie.uminho.pt Formação inicial: relevância e diversidade Diversidade de modelos, de contextos

Leia mais

Exemplo de Vê Epistemológico. O uso de analogias para gerar mudanças conceituais 1. Leonardo Sartori Porto

Exemplo de Vê Epistemológico. O uso de analogias para gerar mudanças conceituais 1. Leonardo Sartori Porto Exemplo de Vê Epistemológico O uso de analogias para gerar mudanças conceituais 1 Leonardo Sartori Porto Nosso projeto de pesquisa visa investigar se o uso de analogias no ensino de ciências pode facilitar

Leia mais

VALÉRIA GUIMARÃES MOREIRA 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS lelagm@yahoo.com.br RESUMO

VALÉRIA GUIMARÃES MOREIRA 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS lelagm@yahoo.com.br RESUMO CONFLITOS CONCEITUAIS COM IMAGENS RELATIVAS A CONCEITOS COMUNS ENTRE A MATEMÁTICA ELEMENTAR E A AVANÇADA 1 VALÉRIA GUIMARÃES MOREIRA 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS lelagm@yahoo.com.br

Leia mais

Do desenvolvimento curricular ao conhecimento profissional

Do desenvolvimento curricular ao conhecimento profissional Do desenvolvimento curricular ao conhecimento profissional José Duarte jose.duarte@ese.ips.pt Escola Superior de Educação de Setúbal José Duarte iniciou a sua carreira como professor de Matemática do Ensino

Leia mais

TRABALHO PRÁTICO E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NUMA PERSPECTIVA CTS. AS PLANTAS NA MANUTENÇÃO DA VIDA

TRABALHO PRÁTICO E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NUMA PERSPECTIVA CTS. AS PLANTAS NA MANUTENÇÃO DA VIDA TRABALHO PRÁTICO E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NUMA PERSPECTIVA CTS. AS PLANTAS NA MANUTENÇÃO DA VIDA Sónia Balau Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Castelo Branco sonia_balau@mail.ese.ipcb.pt

Leia mais

LABORATÓRIO ABERTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-INOVAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS

LABORATÓRIO ABERTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-INOVAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS LABORATÓRIO ABERTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS: INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-INOVAÇÃO NO ENSINO DAS CIÊNCIAS MARTINS 1, ISABEL P.; COUCEIRO 2, FERNANDA; RODRIGUES 3, ANA; TORRES 4, ANA CRISTINA; PEREIRA 5, SARA;

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DE ENSINO DE INGLÊS

PROGRAMA DE METODOLOGIA DE ENSINO DE INGLÊS PROGRAMA DE METODOLOGIA DE ENSINO DE INGLÊS 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia de Ensino de Inglês - 11ª Classe Formação de

Leia mais

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ALARCÃO, l. (1991). Reflexão crítica sobre o pensamento de Shön e os programas de formação. Cadernos CIDnE, 1, 5-22. Reproduzido em I. Alarcão (org.) (1996), Formação reflexiva

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS Berta Bemhaja, Elizabeth Ashall, Inês Tavares, Sara Barroca, Zara Baltazar Escola Secundária, com 3º ciclo,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE PLANO DE ENSINO Curso: "Formação Continuada de Professores da UFCSPA Carga horária: 30 horas/aula Docentes responsáveis: Márcia Rosa da Costa e

Leia mais

Departamento de Ciências da Educação

Departamento de Ciências da Educação Departamento de Ciências da Educação 2010/2011 1º ciclo em Ciências da Educação Tecnologia e Inovação na Educação 1º ano 2º Semestre 7,5 ECTS Docente: Mestre Fernando Correia fcorreia@uma.pt Coordenador:

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

IMAGENS DE ALUNOS DO 8º ANO DE ESCOLARIDADE SOBRE A CIÊNCIA, OS CIENTISTAS E O TRABALHO CIENTÍFICO

IMAGENS DE ALUNOS DO 8º ANO DE ESCOLARIDADE SOBRE A CIÊNCIA, OS CIENTISTAS E O TRABALHO CIENTÍFICO IMAGENS DE ALUNOS DO 8º ANO DE ESCOLARIDADE SOBRE A CIÊNCIA, OS CIENTISTAS E O TRABALHO CIENTÍFICO Carvalhinho, C. 1 ; Cunha, J. 2 ; Gomes, C. 2 1 Escola Básica e Secundária Dr. Manuel de Arriaga. 2 Departamento

Leia mais

Desde a última década, assistese

Desde a última década, assistese PESQUISA NO ENSINO DE QUÍMICA Imagens de Ciência em manuais de química portugueses Carlos Campos Antonio Cachapuz A seção Pesquisa no ensino de química relata investigações relacionadas a problemas no

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM EDUCAÇÃO: HISTÓRIA, POLÍTICA, SOCIEDADE

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo FACULDADE DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM EDUCAÇÃO: HISTÓRIA, POLÍTICA, SOCIEDADE PROJETO DE PESQUISA A VEICULAÇÃO DE CONHECIMENTOS SOBRE A ESCOLA NOS PROGRAMAS ESPECIAIS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO Responsável: Profa. Dra. Alda Junqueira Marin Este projeto individual faz

Leia mais

UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE OS CONCEITOS DE MÉTODO CIENTÍFICO E DE INVESTIGAÇÃO

UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE OS CONCEITOS DE MÉTODO CIENTÍFICO E DE INVESTIGAÇÃO UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE OS CONCEITOS DE MÉTODO CIENTÍFICO E DE INVESTIGAÇÃO Luís Dourado, ldourado@ iep.uminho.pt Manuel Sequeira msequeira@iep.uminho.pt Instituto de Educação e Psicologia, Universidade

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

O PROCESSO REFLEXIVO E A REFLEXÃO CRÍTICA EM ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

O PROCESSO REFLEXIVO E A REFLEXÃO CRÍTICA EM ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN O PROCESSO REFLEXIVO E A REFLEXÃO CRÍTICA EM ALUNOS DE UM CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

Alguns aspectos teóricos que nortearam a análise dos materiais didáticos

Alguns aspectos teóricos que nortearam a análise dos materiais didáticos CTS NA PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS: O CASO DO PROJETO BRASILEIRO INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO INTERDISCIPLINAR DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E DA MATEMÁTICA CTS EN LA PRODUCCIÓN DE MATERIALES DIDÁCTICOS:

Leia mais

Plano de Ensino. Seriação ideal 3

Plano de Ensino. Seriação ideal 3 Curso 1404 - Licenciatura Plena em Educação Artística Ênfase Identificação Disciplina 0003325 - Psicologia da Educação Unidade Faculdade de Ciências Departamento Departamento de Educação Créditos 4 60

Leia mais

Maria da Conceição Duarte 1. A História da Ciência como uma dimensão indispensável da educação em ciências

Maria da Conceição Duarte 1. A História da Ciência como uma dimensão indispensável da educação em ciências A HISTÓRIA DA CIÊNCIA NA PRÁTICA DE PROFESSO- RES PORTUGUESES: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS The History of Science in Portuguese teachers practice: implications for science teachers

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA SAÚDE E CLÍNICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA SAÚDE E CLÍNICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA SAÚDE E CLÍNICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

CONSTRUTIVISMO: PERSPECTIVA CONTEMPORÂNEA DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO

CONSTRUTIVISMO: PERSPECTIVA CONTEMPORÂNEA DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO CONSTRUTIVISMO: PERSPECTIVA CONTEMPORÂNEA DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO Flávia M. T. Santos - Pós Graduação em Educação - UFSC Maurício Pietrocola - Depto. Física - UFSC A segunda metade do nosso século foi

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS DA VIDA Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS DA VIDA Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS DA VIDA Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

ACERCADELANATURALEZA DEL CONOCIMIENTO CIENTIFICO DE LOS PROFESORES PORTUGIJESES DE LA ENSEÑANZA SECUNDARIA

ACERCADELANATURALEZA DEL CONOCIMIENTO CIENTIFICO DE LOS PROFESORES PORTUGIJESES DE LA ENSEÑANZA SECUNDARIA ACERCADELANATURALEZA DEL CONOCIMIENTO CIENTIFICO DE LOS PROFESORES PORTUGIJESES DE LA ENSEÑANZA SECUNDARIA PRAIA, J.' y CACHAPUZ, F.Z l Facultade de Ciencias da Universidade do Porto, 4000 Porto, Portugal.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA E DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA E DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA E DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOTERAPIAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOTERAPIAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PSICOTERAPIAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Psicologia Clínica 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Programa da Disciplina

Programa da Disciplina INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E tecnologia PARAÍBA Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - Campus Cajazeiras Diretoria de Ensino / Coord. do Curso

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Gestão de Eventos Área Científica: Ciências da Comunicação CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5,0 CURSO: Comunicação e Relações Públicas Ano: 1º 2º 3º 4º Semestre:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS APLICADAS Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS APLICADAS Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS APLICADAS Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Design 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular TECNOLOGIAS APLICADAS

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular ÉTICA Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Marketing e Publicidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

I C B I N S T I T U T O D E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

I C B I N S T I T U T O D E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I C B I N S T I T U T O D E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS U N I V E R S I D AD E FEDERAL DE GOIÁS COORDENADORIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM DE CIENCIAS BIOLÓGICAS 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Departamento

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR

PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR Instituição Certificadora: FALC Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001 Resolução CNE CES 1 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01 ano) Objetivos:

Leia mais

POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DE DISCUSSÕES DE CONTROVÉRSIAS SOCIOCIENTÍFICAS COM RECURSO À PLATAFORMA MOODLE PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO

POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DE DISCUSSÕES DE CONTROVÉRSIAS SOCIOCIENTÍFICAS COM RECURSO À PLATAFORMA MOODLE PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DE DISCUSSÕES DE CONTROVÉRSIAS SOCIOCIENTÍFICAS COM RECURSO À PLATAFORMA MOODLE PARA A PROMOÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO José Fanica Agrupamento de escolas de Romeu Correia joseffanica@hotmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRÁTICA DE ENSINO SUPERVISIONADA I + II/RELATÓRIO Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PRÁTICA DE ENSINO SUPERVISIONADA I + II/RELATÓRIO Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular PRÁTICA DE ENSINO SUPERVISIONADA I + II/RELATÓRIO Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso MESTRADO EM ENSINO DE ARTES VISUAIS

Leia mais

PROENFIS PROPOSTA DE TEMAS PARA O ENSINO DE FÍSICA COM ABORDAGEM CIÊNCIA-TECNOLOGIA-SOCIEDADE (CTS) 1

PROENFIS PROPOSTA DE TEMAS PARA O ENSINO DE FÍSICA COM ABORDAGEM CIÊNCIA-TECNOLOGIA-SOCIEDADE (CTS) 1 XX Simpósio Nacional de Ensino de Física SNEF 2013 São Paulo, SP 1 PROENFIS PROPOSTA DE TEMAS PARA O ENSINO DE FÍSICA COM ABORDAGEM CIÊNCIA-TECNOLOGIA-SOCIEDADE (CTS) 1 Deise Miranda Vianna 1, José Roberto

Leia mais

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Silvia Christina Madrid Finck E-mail: scmfinck@ uol.com.br Resumo: Este artigo refere-se ao projeto de pesquisa

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR ANO LECTIVO: 2013/2014 FICHA DE UNIDADE CURRICULAR MESTRADO/LICENCIATURA 1.Unidade Curricular Nome: PSICOLOGIA DO ENVELHECIMENTO Área Científica: Psicologia Curso: Mestrado em Gerontologia Social Semestre:

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA FORMAÇÃO CONTINUADA POR TEMAS GERADORES NA PERSPECTIVA CTS PARA O PROCESSO DE REFLEXÃO NA PRÁTICA DOCENTE

A CONTRIBUIÇÃO DA FORMAÇÃO CONTINUADA POR TEMAS GERADORES NA PERSPECTIVA CTS PARA O PROCESSO DE REFLEXÃO NA PRÁTICA DOCENTE IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN A CONTRIBUIÇÃO DA FORMAÇÃO CONTINUADA POR TEMAS GERADORES NA PERSPECTIVA CTS PARA

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Ciências Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conteúdos e fundamentos

Leia mais

PARE & COMPARE: INDO AO SUPERMERCADO PARA APRENDER FÍSICA

PARE & COMPARE: INDO AO SUPERMERCADO PARA APRENDER FÍSICA XX Simpósio Nacional de Ensino de Física SNEF 2013 São Paulo, SP 1 PARE & COMPARE: INDO AO SUPERMERCADO PARA APRENDER FÍSICA Sandro Soares Fernandes 1, Deise Miranda Vianna 2 1 Colégio Pedro II/Instituto

Leia mais

INTRODUÇÃO MARCO TEÓRICO

INTRODUÇÃO MARCO TEÓRICO IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN TEXTOS DE HISTÓRIA E FILOSOFIA DA CIÊNCIA: ATIVIDADES DE LEITURA DE TEXTOS COMO

Leia mais

43. Inovar a supervisão em Enfermagem: um projecto de investigação-intervenção

43. Inovar a supervisão em Enfermagem: um projecto de investigação-intervenção 43. Inovar a supervisão em Enfermagem: um projecto de investigação-intervenção Ana Macedo 1*, Rafaela Rosário 1, Flávia Vieira 2, Maria Silva 1, Fátima Braga 1, Cláudia Augusto 1, Cristins Araújo Martins

Leia mais

O TEMPO GEOLÓGICO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOCIÊNCIAS

O TEMPO GEOLÓGICO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOCIÊNCIAS Comunicaciones del XVII Simposio sobre Enseñanza de la Geología O TEMPO GEOLÓGICO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE GEOCIÊNCIAS Geological time on geosciences teacher education Margarida Morgado (1); Dorinda

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

SELEÇÃO E UTILIZAÇÃO DE ATIVIDADES EXPERIMENTAIS EM AULAS DE BIOLOGIA E FÍSICA DO ENSINO MÉDIO

SELEÇÃO E UTILIZAÇÃO DE ATIVIDADES EXPERIMENTAIS EM AULAS DE BIOLOGIA E FÍSICA DO ENSINO MÉDIO SELEÇÃO E UTILIZAÇÃO DE ATIVIDADES EXPERIMENTAIS EM AULAS DE BIOLOGIA E FÍSICA DO ENSINO MÉDIO Larissa Zancan Rodrigues UFSM Fernanda Sauzem Wesendonk UFSM Eduardo Adolfo Terrazzan UFSM Agência de financiamento:

Leia mais

As ideias de natureza através da história e filosofia como subsídio ao ensino e à formação de professores de ciências e biologia

As ideias de natureza através da história e filosofia como subsídio ao ensino e à formação de professores de ciências e biologia As ideias de natureza através da história e filosofia como subsídio ao ensino e à formação de professores de ciências e biologia The ideas of nature trough history and philosophy as resource to the formation

Leia mais

TEORIAS DA PERSONALIDADE

TEORIAS DA PERSONALIDADE 1 Ano Lectivo 2010/11 Psicologia do Desporto e do Exercício PROGRAMA UNIDADE CURRICULAR TEORIAS DA PERSONALIDADE Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior Anabela Vitorino

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão de Recursos Humanos 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Estudo do processo de aquisição/ aprendizagem de uma segunda língua/ língua estrangeira, métodos e técnicas para o ensino, especialmente da habilidade de leitura. Análise de recursos didáticos.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

UM MODELO DE PLANIFICAÇÃO DE PROJECTOS DE CIÊNCIAS PARA O SECUNDÁRIO

UM MODELO DE PLANIFICAÇÃO DE PROJECTOS DE CIÊNCIAS PARA O SECUNDÁRIO UM MODELO DE PLANIFICAÇÃO DE PROJECTOS DE CIÊNCIAS PARA O SECUNDÁRIO Ferreira, A. J. 1, Paixão, M. F. 2 1 Escola Secundária de Cantanhede 2 Escola Superior de Educação, Instituto Politécnico de Castelo

Leia mais

A DIDÁTICA DO PROFESSOR NO ENSINO SUPERIOR: a importância de uma prática reflexiva nos dias atuais.

A DIDÁTICA DO PROFESSOR NO ENSINO SUPERIOR: a importância de uma prática reflexiva nos dias atuais. 1 A DIDÁTICA DO PROFESSOR NO ENSINO SUPERIOR: a importância de uma prática reflexiva nos dias atuais. Introdução Amanda Da Fonseca Cavalcanti &Isabely Fernandes Leão Nunes O ensino superior, incluso numa

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular Empreendedorismo Social e Empregabilidade Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico

Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Centro de Competência de Ciências Sociais Departamento de Ciências da Educação Programa Unidade Curricular: Prática de Ensino Supervisionada Curso do 2º Ciclo Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino

Leia mais

NCE/14/00831 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00831 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/14/00831 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/14/00831 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DE JAGUARÃO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DE JAGUARÃO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS DE JAGUARÃO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Pesquisa em Educação PROFESSOR: Ms. Everton Fêrrêr de Oliveira I IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade

Leia mais

OFICINA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EMPREENDEDORISMO

OFICINA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EMPREENDEDORISMO OFICINA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EMPREENDEDORISMO Modalidade: Oficina de Formação Registo de Acreditação: CCPFC/ACC-79411/14 Duração: 25 horas presenciais + 25 horas não presenciais Destinatários:

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

Centro de Competência de Ciências Sociais. Departamento de Ciências da Educação. 1.º Ciclo em Educação Básica. Programa. Unidade Curricular

Centro de Competência de Ciências Sociais. Departamento de Ciências da Educação. 1.º Ciclo em Educação Básica. Programa. Unidade Curricular Centro de Competência de Ciências Sociais Departamento de Ciências da Educação 1.º Ciclo em Educação Básica Programa Unidade Curricular Teoria e Desenvolvimento Curricular Área Científica Educação Regente

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Curso de Pós-Graduação em Geografia

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Curso de Pós-Graduação em Geografia PROGRAMA DE ENSINO Disciplina Psicologia da Moralidade: Pesquisa, Implicações Educacionais Semestre Ano Letivo Área de Concentração Educação Número de créditos: 8 Números de turmas : Carga Horária:120

Leia mais

Bibliografias referentes à Transdisciplinaridade e Complexidade

Bibliografias referentes à Transdisciplinaridade e Complexidade Bibliografias referentes à Transdisciplinaridade e Complexidade A ATLAN, H. Teórico da auto-organização, in: PESSIS-PASTERNAK, G., Do caos à inteligência artificial: quando os cientistas se interrogam,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica 2. Curso Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA MESTRADO EM ENSINO DE ARTES VISUAIS NO 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E NO ENSINO SECUNDÁRIO 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

Concepções de Professores que Ensinam Matemática para os Anos Iniciais a Respeito do Campo Conceitual Aditivo no Âmbito do Observatório da Educação

Concepções de Professores que Ensinam Matemática para os Anos Iniciais a Respeito do Campo Conceitual Aditivo no Âmbito do Observatório da Educação Concepções de Professores que Ensinam Matemática para os Anos Iniciais a Respeito do Campo Conceitual Aditivo no Âmbito do Observatório da Educação Valdir Amâncio da Silva 1 Angélica da Fontoura Garcia

Leia mais

Quais as competências e habilidades para aprender a

Quais as competências e habilidades para aprender a Educação a Distância e Tecnologias Como aprendem os adultos? Quais as competências e habilidades para aprender a distância? Por que os adultos procuram os cursos a distância? O que precisamos saber sobre

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Contextos de Desenvolvimento Humano Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular Contextos de Desenvolvimento Humano Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular Contextos de Desenvolvimento Humano Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Serviço Social (1º Ciclo) 2. Curso Serviço Social 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Câmpus de Bauru PLANO DE DISCIPLINA

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Câmpus de Bauru PLANO DE DISCIPLINA PLANO DE DISCIPLINA 1. UNIDADE: Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação 2. PROGRAMA: Pós-graduação em Televisão Digital: Informação e Conhecimento 3. NÍVEL: Mestrado Profissional 4. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DO DESPORTO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUND. TEÓRICOS METODOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA Educação

Leia mais

PROJETO COMUNITÁRIO NA FISIOTERAPIA DA PUCPR E PRÁTICA PEDAGÓGICA: NOVAS POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL

PROJETO COMUNITÁRIO NA FISIOTERAPIA DA PUCPR E PRÁTICA PEDAGÓGICA: NOVAS POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL PROJETO COMUNITÁRIO NA FISIOTERAPIA DA PUCPR E PRÁTICA PEDAGÓGICA: NOVAS POSSIBILIDADES NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ana Paula Loureiro Cunha, PUCPR Eliani de Souza Arruda, PUCPR Marilda Aparecida Behrens,

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 3 º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 3 º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 3 º 1 - Ementa (sumário, resumo) Relações

Leia mais

2015-2016. Mestrado em Educação Especial Desenvolvimento Cognitivo e Motor. Tecnologias de Informação e da Comunicação para NEE.

2015-2016. Mestrado em Educação Especial Desenvolvimento Cognitivo e Motor. Tecnologias de Informação e da Comunicação para NEE. Ano Letivo 2015-2016 Designação do Curso Mestrado em Educação Especial Desenvolvimento Cognitivo e Motor Unidade Curricular Tecnologias de Informação e da Comunicação para NEE Área Científica Informática

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO. Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO. Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC 2

Leia mais

Carga horária total: 60 Semestre Letivo 1º/2012 Ementa. Objetivos Procedimentos e Habilidades Atitudes, Normas e Valores

Carga horária total: 60 Semestre Letivo 1º/2012 Ementa. Objetivos Procedimentos e Habilidades Atitudes, Normas e Valores Unidade Universitária Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - 040 Curso Psicologia Disciplina Introdução à Psicologia Social Código da Disciplina 0832306 Professor(es) e DRTs Andréia De Conto Garbin

Leia mais

A FORMAÇÃO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS COM COMUNIDADES ONLINE

A FORMAÇÃO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS COM COMUNIDADES ONLINE IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN A FORMAÇÃO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS COM COMUNIDADES ONLINE Rui Marques Vieira,

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE CIENCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE: O QUE PENSAM OS ALUNOS DA LICENCIATURA INTEGRADA?

RELAÇÃO ENTRE CIENCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE: O QUE PENSAM OS ALUNOS DA LICENCIATURA INTEGRADA? RELAÇÃO ENTRE CIENCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE: O QUE PENSAM OS ALUNOS DA LICENCIATURA INTEGRADA? BARBOSA, L. A.; FERREIRA, D. T.; FREITAS-SILVA, N.M.; ABREU, J. B.; FREITAS, N.M.S. 1 RELAÇÃO ENTRE CIENCIA,

Leia mais

A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO ENSINO PRÉ-ESCOLAR O CONTRIBUTO DA FORMAÇÃO COMPLEMENTAR DE EDUCADORES

A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO ENSINO PRÉ-ESCOLAR O CONTRIBUTO DA FORMAÇÃO COMPLEMENTAR DE EDUCADORES A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO ENSINO PRÉ-ESCOLAR O CONTRIBUTO DA FORMAÇÃO COMPLEMENTAR DE EDUCADORES PEREIRA 1,SARA;TORRES 2,ANA ymartins, 3 ISABEL P. Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa - Universidade

Leia mais

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual

Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Projeto pedagógico para um curso de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos com aplicação de ABP Virtual Silvane Guimarães Silva Gomes, Frederico José Vieira Passos Universidade Federal de Viçosa

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2011/2012. Designação Didática da Informática IV

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2011/2012. Designação Didática da Informática IV FICHA DE UNIDADE CURRICULAR 2011/2012 Designação Didática da Informática IV Docente(s) (Indicar também qual o docente responsável pela U.C.) João Filipe Matos João Manuel Piedade Descrição geral (Horas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFORMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFORMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular INFORMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão das Organizações Desportivas 3. Ciclo de Estudos 1º 4.

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO 1º SEMESTRE DE 2015

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO 1º SEMESTRE DE 2015 1º SEMESTRE DE 2015 Disciplina Projeto: Movimentos Identitários de Professores VII Docente: Profª Drª Vera Maria Nigro de Souza Placco Nível: ME / DO Créditos: 03 Horário: 5ª feira das 9h às 12h Ementa:

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Bilingue : Português / Espanhol ( mãe espanhola )

CURRICULUM VITAE. Bilingue : Português / Espanhol ( mãe espanhola ) CURRICULUM VITAE Marta Maria Torres de Sá Fialho Data de Nascimento: 5 de Março de 1959 Bilingue : Português / Espanhol ( mãe espanhola ) Habilitações 1982 Licenciatura em Línguas e Literaturas Clássicas,

Leia mais