dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná"

Transcrição

1 dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná

2 plano decenal dos direitos da criança e do adolescente do estado do paraná

3 Capa e Ilustração: Melany Sue Toda Dados internacionais de catalogação na publicação Bibliotecária responsável: Maria Rosa Davin CRB - 9/1179 P713 PLANO decenal dos direitos da criança e do adolescente do estado do Paraná: / Comitê Interinstitucional para Elaboração, Implementação e Acompanhamento do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente. (Org.); Secretaria da Família e Desenvolvimento Social (Equipe técnica). Curitiba: SECS, p.; 30 cm. ISBN Crianças - direito - Paraná. 2. Adolescentes direito - Paraná I. Comitê Interinstitucional para Elaboração, Implementação e Acompanhamento do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente. (Org.). II. Paraná. Secretaria da Família e Desenvolvimento Social. III. Título. CDD

4 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ Carlos Alberto Richa SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Fernanda Bernardi Vieira Richa SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Michele Caputo Neto SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA Cid Marcus Vasques SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Flávio José Arns SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA Paulino Viapiana SECRETARIA DE ESTADO DO ESPORTE E TURISMO Evandro Rogério Roman SECRETARIA DE ESTADO DO TRABALHO, EMPREGO E ECONOMIA SOLIDÁRIA Luiz Claudio Romanelli SECRETARIA DE ESTADO DA COMUNICAÇÃO SOCIAL Marcelo Simas do Amaral Cattani SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS Maria Tereza Uille Gomes SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR João Carlos Gomes CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Márcia Tavares dos Santos ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - SEÇÃO DO PARANÁ Juliano José Breda TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ Guilherme Luiz Gomes MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ Gilberto Giacoia

5

6 Comitê Interinstitucional de Elaboração, Implementação e Acompanhamento do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social Márcia Tavares dos Santos - Titular Secretaria de Estado da Saúde Tatiana Gomara Neves - Titular Luciana Maria de Freitas Hatschbach - Suplente Secretaria de Estado da Segurança Pública Luiz Augusto Dias de Souza - Titular Patrícia Andréa de Oliveira Santos - Suplente Secretaria de Estado da Educação Maurício Rosa - Titular Ângela Dorcas - Suplente Secretaria de Estado da Cultura Renata Mele - Titular Luciano Kampf - Suplente Secretaria de Estado do Turismo Alessandra Giselle Rosa de Paula - Titular Deise Maria Fernandes Bezerra - Suplente Secretaria de Estado do Esporte Jacqueline Alberge Ribas - Titular Paul Julius Stanganelli - Suplente Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária Marli Aparecida Batista Vaz Mussulini - Titular Ângela de Fátima Grande Carstens - Suplente Secretaria de Estado da Comunicação Social Fabrício Ferreira - Titular Marcela Wahrhaftig de Souza - Suplente Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos Leonildo de Souza Grota - Titular Regina de Cassia Bergamaschi Bley - Suplente Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior José Maia - Titular Ana Cláudia Miguel Ferigotti - Suplente

7 Secretaria Especial para Assuntos da Copa do Mundo 2014 Claudemiro Rodrigues Toral - Titular Eurico da Silva Machado - Suplente Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente Jimena Djauara Grignani - Titular Débora Cristina dos Reis Costa - Suplente Ordem dos Advogados do Brasil - Seção do Paraná Ana Christina Brito Lopes - Titular Tribunal de Justiça do Estado do Paraná Fábio Ribeiro Brandão - Titular Aline Pedrosa Fioravante - Suplente Ministério Público do Estado do Paraná Luciana Linero - Titular Fernanda Maria Campanha Motta Ribas - Suplente Adolescentes Flávia Gadea - Titular Igor Fabiano de Castro do Nascimento - Suplente

8 Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente Composição no ato de aprovação do plano decenal - 25/07/2013 Márcia Tavares dos Santos - Presidente Janaína Fátima de Souza - Vice-Presidente Representantes Governamentais Casa Civil Jocélia Soares Fernandes - Titular Danimar Cristina Pereira da Silva - Suplente Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ana Claudia Miguel Ferigotti - Titular Sandra Regina Costa - Suplente Secretaria de Estado da Cultura Luciano Kampf - Titular Renata Mele - Suplente Secretaria de Estado da Educação Mauricio Rosa - Titular Lia Burigo - Suplente Secretaria de Estado do Esporte Jacqueline Alberge Ribas - Titular Marcia Simoni Claro - Suplente Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária Marli Aparecida Batista Vaz Mussulini - Titular Ângela de Fátima Grande Cartens - Suplente Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social Leandro Nunes Meller - Titular Marcela Divair Martins Evangelista - Suplente Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos Regina de Cássia Bergamaschi Bley - Titular Danielle Rocio de Souza Arns Steiner - Suplente Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral Osny Martinelli Pereira - Titular José Carlos Alberto Espinoza Aliaga - Suplente

9 Secretaria de Estado do Turismo Alessandra Giselle Rosa de Paula - Titular Deise Maria Fernandes Bezerra - Suplente Secretaria de Estado da Saúde Tatiana Gomara Neves - Titular Shunaida Namile Sonobe - Suplente Secretaria de Estado da Segurança Pública Márcia Tavares dos Santos - Titular Elvis Felipe Teixeira - Suplente Representantes Não Governamentais Associação Brasileira de Educação e Cultura Jimena Djauara Nunes da Costa Grignani - Titular Debora Cristina dos Reis Costa - Suplente Associação Caminho da Vida Lar Dona Vera Janaina Fátima de Souza - Titular Monica Saturnino Tindó - Suplente Associação Cultural e Educacional Infantil Menino Jesus Marinês Borges da Rocha Fassina - Titular Fátima Rodrigues Pereira - Suplente Associação Beneficente Encontro com Deus Patrick James Reason - Titular Ana Regina Corodel - Suplente Associação Fraternidade Aliança Mônica Aparecida Marques - Titular Miliane Melissa Matos Vergasta - Suplente Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro Ana Paula Ribeirete Baena - Titular Ety Cristina Forte Carneiro - Suplente Associação dos Magistrados e Promotores de Justiça da Infância, Juventude e Família do Paraná Édina Maria Silva de Paula - Titular Fábio Ribeiro Brandão - Suplente Centro Social e Comunitário Dorcas da Comunidade Luterana Ires Damian Scuzziatto - Titular Rejane Marlene Linck Neumann - Suplente

10 Escola Profissional e Social do Menor de Londrina Alexandra Alves José - Titular Carlos Alberto Wessler - Suplente Guarda Mirim de Foz do Iguaçu Hélio Candido do Carmo - Titular Renann Ferreira - Suplente Fundação Weiss Scarpa Matilde Dias Martins Pupo - Titular Cláudia de Melo Brito Baedeski - Suplente Instituto São José Neide Teixeira Schorba - Titular Nadir Aparecida da Silva Fantin - Suplente Ordem dos Advogados do Brasil - OAB - Seção do Paraná Ana Christina Brito Lopes Maria Christina dos Santos Ministério Público do Estado do Paraná Murillo José Digiácomo Márcio Teixeira dos Santos Adolescentes Observadores Lucas Vinícius Oliveira de Souza - Titular Janaína Aparecida Scheneider Consoli - 1ª Suplente Alexandro Ricardo Neia Filho - 2º Suplente Secretária Executiva Maria Letícia Zavala Dellê

11

12 Créditos SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Equipe Técnica de Apoio à Elaboração do Plano Decenal Márcia Tavares dos Santos Louise Ronconi de Nazareno Carimi Schweitzer Dalmolin Carla Andreia Alves da Silva Sérgio Aparecido Ignácio Ticyana Paula Begnini Colaboradores Fórum Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente - Articulação Estadual Geliane Quemelo - Articuladora estadual Assembleia Legislativa do Estado do Paraná Valdir Rossoni - presidente Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente e do Idoso Rose Litro - presidente Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social - IPARDES Editoração Maria Laura Zocolotti Estelita Sandra de Matias Claudia F. B. Ortiz Ana Rita Barzick Nogueira e Léia Rachel Castellar Maria Rosa Davin Geoprocessamento Lucrecia Zaninelli Rocha e Caren Carolina Deda

13

14 Siglas ACS - Agente Comunitário de Saúde AEJ - Assessoria Especial de Juventude do Governo do Paraná AFAI - Atenção às Famílias dos Adolescentes Internados por Medida Socioeducativa ALEP - Assembleia Legislativa do Estado do Paraná APED - Ação Pedagógica Descentralizada APS - Atenção Primária à Saúde ASAJ - Atenção à Saúde do Adolescente e do Jovem BC - Biblioteca Cidadã BCG - Bacillus Calmette-Guérin (vacina contra a tuberculose) BOU/PR - Boletim de Ocorrência Unificado do Paraná BPC - Benefício de Prestação Continuada BPP - Biblioteca Pública do Paraná BPTran - Batalhão de Polícia de Trânsito CadÚnico - Cadastro Único para Programas Sociais CAPE/SESP - Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico da Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Caps ad - Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Outras Drogas Caps adi - Centro de Atenção Psicossocial Infantil - Álcool e Outras Drogas Caps i - Centro de Atenção Psicossocial - Infantil CAPS - Centro de Atenção Psicossocial CC - Código Civil CCTG - Centro Cultural Teatro Guaíra CEAS - Conselho Estadual de Assistência Social CEDCA/PR - Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Paraná CEE - Conselho Estadual de Educação CEEBJA - Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos

15 CEF - Caixa Econômica Federal CEIVCCA - Comissão Estadual Interinstitucional de Enfrentamento à Violência contra a Criança e o Adolescente CENSE/PR - Centro de Socioeducação do Paraná CER - Centros Especializados em Reabilitação CES - Conselho Estadual de Saúde CF - Constituição Federal do Brasil CIB - Comissão Intergestores Bipartite CID - Classificação Internacional de Doenças CIJ/PR - Coordenadoria da Infância e da Juventude do Paraná CLT - Consolidação das Leis do Trabalho CM - Código de Menores CMDCA - Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente CMS/SEDS - Coordenação de Medidas Socioeducativas da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social do Paraná CNAP - Cadastro Nacional de Aprendizagem Profissional CNAS - Conselho Nacional de Assistência Social CNCA - Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Acolhidos CNE - Conselho Nacional de Educação CNJ - Conselho Nacional de Justiça CONANDA - Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente CONSEM - Coordenação do Sistema Estadual de Museus CONSIJ - Conselho de Supervisão da Infância e Juventude COSEMS - Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Paraná CRAS - Centro de Referência da Assistência Social CREAS - Centro de Referência Especializado de Assistência Social CRIEs - Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais

16 CSAP - Condições Sensíveis à Atenção Primária CT - Conselho Tutelar CTA - Centro de Triagem e Aconselhamento CVs - Coeficientes de Variação DA - Delegacia do Adolescente DARE/EUA - Drug Abuse Resistance Education dos Estados Unidos da América DATASUS - Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde DENARC - Divisão Estadual de Narcóticos DETRAN - Departamento Estadual de Trânsito DHEG - Doença Hipertensiva Específica de Gestação ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente EJA - Educação de Jovens e Adultos ESF - Estratégia Saúde da Família ESPP - Escola de Saúde Pública do Paraná FAT - Fundo de Amparo ao Trabalhador FEBEM - Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor FETI - Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil FIA/PR - Fundo Estadual para a Infância e a Adolescência do Estado do Paraná FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fórum DCA/PR - Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Paraná FUNABEM - Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor FUNAI - Fundação Nacional do Índio FUNASA - Fundação Nacional de Saúde FUNDEB - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação FUNDEF - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério

17 GPS - Global Positioning System GTI - Gestão da Tecnologia de Informação IAM - Instituto de Assistência ao Menor IASP - Instituto Assistencial de Saúde do Paraná IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ICSAP - Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária IEES - Instituições Estaduais de Ensino Superior IES - Instituições de Ensino Superior IHAC - Iniciativa Hospital Amigo da Criança IML - Instituto Médico Legal INCA - Instituto Nacional do Câncer INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira IP - Inquérito Policial IPARDES - Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social IPCE - Instituto Paranaense de Ciências do Esporte IPDM - Índice Ipardes de Desempenho Municipal IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IQP - Incentivo Financeiro de Qualidade ao Parto IVFPR - Índice de Vulnerabilidade das Famílias Paranaenses LA - Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lista TIP - Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil MDS - Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ME - Ministério do Esporte MEC - Ministério da Educação MinC - Ministério da Cultura

18 MON - Museu Oscar Niemeyer MP - Ministério Público MS - Ministério da Saúde MTE - Ministério do Trabalho e Emprego NBCAL - Normas Brasileiras de Comercialização de Alimentos para Lactentes NEDDIJ - Núcleo de Estudos e Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude NUCRIA - Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes NV - Nascidos Vivos OAB - Ordem dos Advogados do Brasil OIT - Organização Internacional do Trabalho OMS - Organização Mundial de Saúde ONU - Organização das Nações Unidas PAA - Programa de Aquisição de Alimentos PAEFI - Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos PAIF - Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família PBF - Programa Bolsa Família PEC - Patrulha Escolar Comunitária PELLL - Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura PETI - Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PFP - Programa Família Paranaense PIA - Plano Individual de Atendimento PISA - Programme International Student Assessment PJ - Poder Judiciário PLANFOR - Plano Nacional de Qualificação do Trabalhador PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAS - Plano Nacional de Assistência Social

19 PNE - Plano Nacional de Educação PNI - Programa Nacional de Imunizações PNQ - Plano Nacional de Qualificação PNSVA - Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento POE - Plano Operativo Estadual de Atenção Integral à Saúde dos Adolescentes em Conflito com a Lei, em Regime de Internação e Internação Provisória PPA - Plano Plurianual PPCAAM - Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte PROEDUSE - Programa de Educação nas Unidades Socioeducativas PROERD - Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência PROFICE - Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura PROJOVEM - Programa Nacional de Inclusão de Jovens PRONATEC - Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PROUNI - Programa Universidade para Todos PSC - Medida Socioeducativa de Prestação de Serviço à Comunidade PSE - Programa Saúde na Escola PSF - Programa Saúde da Família RAIS - Relação Anual de Informações Sociais RC - Rede Cegonha Rede SAC - Rede de Serviços de Ação Continuada REUNI - Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais RIPSA - Rede Interagencial de Informações para a Saúde RMM - Razão de Mortalidade Materna RN - Recém-nascido RS - Regionais de Saúde

20 SAE - Serviço de Atendimento Especializado SAEB - Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica SAGI - Secretaria Nacional de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome SAM - Serviço de Assistência ao Menor SAREH - Serviço de Atendimento à Rede de Escolarização Hospitalar SB - Saúde Bucal SCFV - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos SDH - Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República SECOPA - Secretaria Especial para Assuntos da Copa do Mundo 2014 SECS - Secretaria de Estado da Comunicação Social SEDS - Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social SEEC - Secretaria de Estado da Cultura SEED - Secretaria de Estado da Educação SEEG - Secretaria de Estado de Governo SEES - Secretaria de Estado do Esporte SEJU - Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos SERC - Secretaria de Estado de Relações com a Comunidade SESA - Secretaria de Estado da Saúde SESP - Secretaria de Estado da Segurança Pública SETI - Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior SETS - Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária SETU - Secretaria de Estado do Turismo SGD - Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente SIA/SUS - Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS SICRIDE - Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas SIDRA - Sistema IBGE de Recuperação Automática

21 SIH/SUS - Sistema de Informações Hospitalares do SUS SIM - Sistema de Informações sobre Mortalidade SINAN - Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINASC - Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos SINASE - Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo SIPIA - Sistema de Informações para Infância e Adolescência SISAN - Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional SISVAN - Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SNAS - Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome SNELIS - Secretaria Nacional do Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social SNPDCA - Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República SUAS - Sistema Único de Assistência Social SUS - Sistema Único de Saúde TABNET - Tabulações na Intranet/Internet TJ - Tribunal de Justiça TMI - Taxa de Mortalidade Infantil TSE - Tribunal Superior Eleitoral UAPSF - Unidades de Atenção Primária à Saúde da Família UBS - Unidade Básica de Saúde UCIN - Unidade de Cuidados Intermediários UEL - Universidade Estadual de Londrina UEM - Universidade Estadual de Maringá UENP - Universidade Estadual do Norte do Paraná UEPG - Universidade Estadual de Ponta Grossa UFPR - Universidade Federal do Paraná

22 UNDIME - União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação UNICEF - Fundo das Nações Unidas para a Infância UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro-Oeste UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná UPS - Unidades Paraná Seguro USP - Universidade de São Paulo UTPCA/SEDS - Unidade Técnica da Política da Criança e do Adolescente da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social do Paraná

23

24 PALAVRA DO GOVERNADOR Todas as crianças e os adolescentes têm direito à vida. E é isto o que penso sobre os direitos, todos os direitos que sintetizam a vida de todas as crianças e os adolescentes, não importa seu local de nascimento, sua origem, de que famílias venham, sejam ricas ou pobres, negras ou brancas. O conceito básico para qualquer Plano, seja anual ou decenal, dos Direitos da Criança e do Adolescente é que esses brasileirinhos devem ter garantidos os seus direitos ao nascimento, à saúde, à escola, à segurança, à convivência familiar e comunitária, à cultura, ao esporte, ao lazer, à alegria, à dignidade e à liberdade, entre outros preceitos que lhes assegurem a efetiva possibilidade do exercício da cidadania. Ou, em outras palavras, que lhes possibilitem serem cidadãos brasileiros saudáveis e felizes. Um Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente será tanto melhor quanto, além de elencar teorias e de sugerir caminhos, responsabilidade que foi assumida tecnicamente por nosso governo e por entidades parceiras, conjugar igualmente práticas de políticas públicas voltadas para a efetiva garantia desses direitos e para a mudança, inclusive pelos próprios brasileirinhos, de aspectos ainda negativos de nossa realidade. O direito à vida em toda a sua plenitude é o que nos guia. Beto Richa Governador do Paraná

25

26 Palavra da Secretária Mais que cumprir uma importante etapa no processo de garantia dos direitos da criança e do adolescente em nosso Estado, a apresentação do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Paraná demonstra o comprometimento e a prioridade que a questão tem dentro da agenda deste Governo. Apresentamos aqui o trabalho de uma equipe técnica empenhada e que tomou para si o desafio de reproduzir um panorama da situação atual da infância e da adolescência do Paraná, fazendo uma responsável reflexão para então apontar o caminho nos próximos 10 anos. Este planejamento de longo prazo exigiu um trabalho imparcial para identificar os entraves que até agora impediram a integral efetivação dos direitos das crianças, dos adolescentes e de suas famílias em nosso Estado. Este trabalho interdisciplinar reuniu dentro do mesmo nobre propósito 12 Secretarias de Estado, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil, Tribunal de Justiça, Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, além da sociedade civil organizada e do adolescente. Posso dizer que agora estamos munidos das ferramentas necessárias para enfrentar nossas limitações com políticas públicas efetivas, programas e investimentos de forte impacto que terminarão por gerar a garantia dos direitos e resultados sustentáveis. Sei que com a apresentação do Plano estamos cumprindo uma etapa importante de todo processo. Mas acredito que o desafio maior vem agora: teremos que transformar essas palavras em ações! O Estado do Paraná assumiu esse compromisso com a efetivação dos direitos da criança e do adolescente e conta com a colaboração dos 399 municípios paranaenses que, temos certeza, assumirão também sua parcela de responsabilidade desse processo. Também contamos com o apoio de entidades, profissionais e pessoas que fazem de nossos meninos e meninas uma prioridade do presente para que o futuro seja apenas uma feliz consequência das mudanças positivas que estamos gerando agora. Fernanda Richa Secretária DE Estado da Família e Desenvolvimento Social

27

28 PALAVRA DO CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente aprovou, na data de hoje, o Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná, que se destaca como o primeiro Plano Decenal Estadual do Brasil. Mais uma vez o Estado do Paraná atua com pioneirismo para a implementação dos direitos das nossas crianças e adolescentes. Sabe-se que apesar da legislação brasileira ser uma das mais avançadas e completas na proteção das crianças e dos adolescentes, ela, por si só, não tem o poder de modificar a realidade. Considerando esse fato, o Plano Decenal estabelece um planejamento de longo prazo para o Estado e para a sociedade, que unem esforços em prol de um objetivo comum, adequarem, de forma sistêmica, a realidade social das crianças e dos adolescentes paranaenses ao pretendido pelo esforço legislativo, enfatizando a efetivação dos seus direitos fundamentais. Assim, o Plano Decenal é fruto de um trabalho conjunto de diversas Secretarias de Estado, da sociedade civil organizada, do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Tribunal de Justiça, do Ministério Público, da Ordem dos Advogados do Brasil e de um adolescente representante, que participou ativamente na formulação de política pública direcionada à criança e ao adolescente, tendo sido estabelecidas ações intersetoriais articuladas com fixação de metas e indicadores de resultados que, monitorados, acompanharão a execução e garantirão o atingir dos objetivos. Esse Plano Decenal reflete o engajamento do Estado do Paraná que atua cumprindo o princípio constitucional da prioridade absoluta e estatutário da proteção integral e contribui para que todas as crianças e adolescentes desfrutem de uma vida digna, garantindo-lhes, e a todos nós, o desenvolvimento social. Ao aprovar este Plano, o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente cumpriu mais um de seus deveres, o de oferecer à nossa sociedade uma política pública intersetorial, sensibilizando os gestores de cada órgão/instituição do sistema estadual de garantia de direitos sobre suas responsabilidades e, ainda, estimulando a formulação de políticas públicas municipais, tão necessárias para que se alcance o fim desejado: a efetivação dos direitos de cada criança e adolescente de nosso Estado. Temos certeza de que o esforço, a dedicação e o comprometimento de todos os que se envolveram na elaboração e dos que atuarão na implementação do Plano Decenal serão os fatores decisivos para o futuro que desejamos para as nossas crianças e adolescentes, filhos de todos nós. Curitiba, 25 de julho de 2013 Márcia Tavares dos Santos Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente Janaína Fátima de Souza Vice-Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

29

30 Apresentação O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA) aprovou, em 2011, o Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, cujo objetivo é a implementação de políticas públicas que concretizem os direitos humanos das crianças e dos adolescentes. Neste momento houve a recomendação de elaboração de planos decenais estaduais e municipais. Preocupado com a efetivação dos direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes do Estado do Paraná, o Governador, em maio de 2012, por meio do Decreto nº 4.484, criou o Comitê Interinstitucional de Elaboração, Implementação e Acompanhamento do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná, composto por 12 Secretarias de Estado, quais sejam: Família e Desenvolvimento Social (SEDS), Saúde (SESA), Segurança Pública (SESP), Educação (SEED), Cultura (SEEC), Turismo (SETU), Esporte (SEES), Trabalho, Emprego e Economia Solidária (SETS), Comunicação Social (SECS), Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SEJU), Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), Assuntos da Copa do Mundo 2014 (SECOPA), além do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Tribunal de Justiça (TJ) e do Ministério Público (MP), contando também com a participação do adolescente, com o intuito de fomentar o protagonismo juvenil, propiciando o exercício da cidadania e da participação social na política pública direcionada à criança e ao adolescente para os próximos dez anos. Esse Comitê é presidido pela SEDS, que designou uma equipe de técnicos para apoiar os trabalhos do referido Comitê. Aqui houve a decisão política de legitimar na pauta pública a efetivação dos direitos das crianças e dos adolescentes, reconhecendo uma demanda social e tomando a decisão sobre a necessidade de ações governamentais e não governamentais para o alcance do resultado. O Comitê iniciou suas reuniões em 10 de julho de 2012 e estabeleceu uma agenda de trabalho, refletindo e definindo sobre o rumo a seguir, o modelo e a metodologia que seriam utilizados no Plano Decenal. Optou-se por dividir os Eixos Norteadores de acordo com os direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes, a fim de fortalecer a titularidade desses direitos e de reforçar que crianças e adolescentes são sujeitos de direitos. Em seguida, iniciaram-se a pesquisa das legislações internacionais e nacionais e a busca de dados nas Secretarias de Estado para a elaboração, respectivamente, do Marco Legal e do Marco Situacional, sempre priorizando a qualidade das informações e o comprometimento com o resultado e a implementação dos direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes. A busca dos dados específicos referentes às crianças e adolescentes nas Secretarias de Estado e a disponibilização dessas informações foram complexas, pois muitos desses dados encontravam-se esparsos, sem sistematização ou organização e com metodologias diversas de captação e análise, o que culminou na necessidade de ampliar o prazo para busca e análise desses dados, já que eram essenciais para traçar a realidade das crianças e dos adolescentes no Estado do Paraná, bem como para subsidiar a construção do Plano de Ação. Em muitos casos, não houve a inexistência de dados nos órgãos envolvidos, mas sim ausência de com-

31 pilação sistemática dessas informações. Com base no Marco Situacional e nas propostas das Conferências, nacional e estadual, o Comitê criou um planejamento de ações para garantir os direitos fundamentais, consolidando o Plano de Ação, e estabeleceram-se indicações para o monitoramento desse Plano. Cabe ressaltar que apesar de os Eixos Norteadores serem baseados nos direitos fundamentais, a fim de solidificar a proteção integral com políticas públicas de afirmação e garantia desses direitos, visando a conferir autonomia e vida digna a todas as crianças e adolescentes, todos os eixos utilizados pelo CONANDA para a Política Nacional estão contemplados no desenvolvimento dos capítulos e transversalmente nas ações estabelecidas. Ademais, para facilitar o entendimento é realizada a correspondência das ações dispostas nos eixos com base nos direitos fundamentais com os eixos estabelecidos no Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes. Além da participação de conselheiro da sociedade civil representando o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente no referido Comitê, este documento também foi apresentado para a sociedade civil organizada, através do Fórum Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fórum DCA/PR), a fim de discutir e elaborar ações de controle social, reconhecendo que a sociedade civil desempenha papel essencial no controle social e monitoramento das políticas públicas. No processo de construção do Plano de Ação foram consultados outros entes, tais como a Assembleia Legislativa e as comissões interinstitucionais que, direta ou indiretamente, possuem atribuições na garantia dos direitos de crianças e adolescentes. Como última etapa, o Comitê entregou e apresentou o Plano Decenal para o CEDCA, a fim de que este órgão colegiado analisasse, discutisse, aprovasse e o encaminhasse para publicação. É oportuno ressaltar que o Estado do Paraná é o primeiro a aprovar o Plano Decenal. Por fim, o Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado do Paraná estabelece a Política Estadual dos Direitos das Crianças e Adolescentes para os próximos dez anos, a contar da sua publicação, sendo que todos os órgãos/instituições do Comitê assumiram o compromisso de tornar realidade a efetivação de cada um dos direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes, e de implementar as ações governamentais, com ações articuladas e a execução do planejamento contido no Plano de Ação. Este trabalho em conjunto, integrado e comprometido, contendo ações estratégicas e monitoramento do resultado, visa a melhorar a qualidade de vida de nossas crianças e adolescentes, objetivando que cada criança, cada adolescente, cada família do nosso Estado tenha seus direitos garantidos e sua vida modificada, pois a efetividade dos direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes garantirá a cidadania a todas as pessoas, sem qualquer diferenciação. O Comitê.

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012.

TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012. TERMO DE COMPROMISSO FIRMADO PERANTE O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ PELOS CANDIDATOS A PREFEITOS MUNICIPAIS DE BELÉM, NAS ELEIÇÕES 2012. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ, daqui por diante

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

O PETI e o Trabalho em Rede. Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social

O PETI e o Trabalho em Rede. Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social O PETI e o Trabalho em Rede Maria de Fátima Nassif Equipe Proteção Social Especial Coordenadoria de Ação Social Secretaria de Desenvolvimento Social Articulação da rede de serviços socioassistenciais Proteção

Leia mais

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 Estabelece parâmetros para orientar a constituição, no âmbito dos Estados, Municípios e Distrito Federal, de Comissões Intersetoriais de Convivência

Leia mais

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da política e do Plano Decenal

Leia mais

A GESTÃO DO CREAS E AS MUDANÇAS COM A TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO

A GESTÃO DO CREAS E AS MUDANÇAS COM A TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO A GESTÃO DO CREAS E AS MUDANÇAS COM A TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO A Assistência Social como política de proteção social configura uma nova situação para o Brasil: garantir proteção a todos, que

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS

A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS A Política Nacional de Assistência Social na Perspectiva do Sistema Único - SUAS Deliberação da IV Conferência Nacional; Garantia de acesso aos direitos socioassistenciais; Modelo democrático e descentralizado

Leia mais

Plano Municipal de Educação

Plano Municipal de Educação Plano Municipal de Educação Denise Carreira I Encontro Educação para uma Outra São Paulo 30 de novembro de 2007 O Plano Municipal de Educação e as reivindicações dos movimentos e organizações da cidade

Leia mais

Nota Técnica. Conceitos da Vigilância Socioassistencial Nº 01. Curitiba, PR. Junho de 2014. Coordenação da Gestão do SUAS

Nota Técnica. Conceitos da Vigilância Socioassistencial Nº 01. Curitiba, PR. Junho de 2014. Coordenação da Gestão do SUAS Nota Técnica Conceitos da Vigilância Socioassistencial Nº 01 Curitiba, PR. Junho de 2014 Coordenação da Gestão do SUAS Conceitos da Vigilância Socioassistencial Finalidade: Considerando a importância da

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA Comitê Intersetorial Direito à Convivência Familiar e Comunitária Porto Alegre, 9 de outubro de 2012 DIRETRIZES Fundamentação Plano Nacional Efetivação

Leia mais

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação

Cartilha para Conselhos. Municipais de Educação Cartilha para Conselhos Municipais de Educação Sistemas de ensino são o conjunto de campos de competências e atribuições voltadas para o desenvolvimento da educação escolar que se materializam em instituições,

Leia mais

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa)

Projeto de Decreto. (Criar uma denominação/nome própria para o programa) Projeto de Decreto Dispõe sobre as atribuições e competência do Programa de Execução de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, atendendo à Resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente,

Leia mais

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social

I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social I Oficina com os Estados: Fortalecer a Gestão para Concretizar a Proteção Social OFICINAS DO XIV ENCONTRO NACIONAL DO CONGEMAS ENFRENTAMENTO AO TRABALHO INFANTIL NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Nivia Maria

Leia mais

Disciplina: modernidade e Envelhecimento Curso de Serviço Social 3º e 5º Semestre Políticas públicas para idosos 1 Marco Legal Nacional Constituição Federal (1988) Art. 202 Inciso I Ao idoso é assegurado

Leia mais

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 A Diretoria Executiva do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013

PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 PORTARIA NORMATIVA Nº 3, DE 25 DE MARÇO DE 2013 Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal, que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professora: Juliana Petrocelli Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária

Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária Manaus/AM 29 de Abril de 2014 Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança

Leia mais

MÓDULO II Introdução ao Estatuto da Criança e do Adolescente AULA 04

MÓDULO II Introdução ao Estatuto da Criança e do Adolescente AULA 04 MÓDULO II Introdução ao Estatuto da Criança e do Adolescente AULA 04 Por Leonardo Rodrigues Rezende 1 1. Apresentação O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa 24 anos este ano, mas sua história

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2009

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2009 Estabelece instruções sobre Benefício de Prestação Continuada-BPC referentes a dispositivos

Leia mais

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004)

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004) 1 Segurança Alimentar e Nutricional Segurança alimentar é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a

Leia mais

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso

Como se Tornar um Município Amigo do Idoso. Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso Como se Tornar um Município Amigo do Idoso Critérios para a Obtenção do Selo de Município Amigo do Idoso 2 3 GERALDO ALCKMIN Governador do Estado de São Paulo ROGERIO HAMAM Secretário de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*)

RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*) RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*) Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente Dispõe sobre os Procedimentos e critérios para a aprovação de projetos a serem financiados com recursos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 6. GERÊNCIA DE

Leia mais

Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS

Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS Professores: Leonardo Martins Prudente e Adailton Amaral Barbosa Leite Brasília, Agosto de 2013 Política Nacional

Leia mais

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte PPCAAM Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria de Direitos Humanos Presidência

Leia mais

CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CARTA DE CONSTITUIÇÃO DE ESTRATÉGIAS EM DEFESA DA PROTEÇÃO INTEGRAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE O CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, na pessoa de seu Excelentíssimo Senhor Presidente, Ministro

Leia mais

Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes e o PPA 2012-2015

Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes e o PPA 2012-2015 Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes e o PPA 2012-2015 Bogotá, junho de 2013 Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes e o Plano Mais Brasil PPA 2012-2015 Dimensão Estratégica do Desenvolvimento

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE

SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE SECRETARIA MUNICIPAL ADJUNTA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL-SUAS TRABALHANDO EM REDE CONCEITO DE REDE Para as Ciências Sociais: conjunto de relações sociais entre um conjunto

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.047-D, DE 2005. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.047-D, DE 2005. O CONGRESSO NACIONAL decreta: COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.047-D, DE 2005 Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - SISAN com vistas em assegurar o direito

Leia mais

O DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES O DIREITO À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Josefa Adelaide Clementino Leite 1 Maria de Fátima Melo do Nascimento 2 Waleska Ramalho Ribeiro 3 RESUMO O direito à proteção social

Leia mais

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012 Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer SALVADOR/BA ABRIL de 2012 MARCOS HISTÓRICOS 1998: Adesão do Brasil aos princípios diretivos

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

IX Conferência Nacional de Assistência Social. Orientações para a realização das Conferências Municipais de Assistência Social

IX Conferência Nacional de Assistência Social. Orientações para a realização das Conferências Municipais de Assistência Social IX Conferência Nacional de Assistência Social Orientações para a realização das Conferências Municipais de Assistência Social Programação da conferência poderá incluir: 1. Momento de Abertura, que contará

Leia mais

Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS

Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS Coordenação-Geral de Regulação da Gestão do SUAS do Departamento de Gestão do SUAS SUAS E SISAN MARCO LEGAL - Art. 6º da CF/88 : São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia,

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

Avanços e Perspectivas dos Direitos da Criança com Ênfase na Área da Saúde

Avanços e Perspectivas dos Direitos da Criança com Ênfase na Área da Saúde Avanços e Perspectivas dos Direitos da Criança com Ênfase na Área da Saúde Falar dos direitos da criança implica necessariamente um resgate do maior avanço em âmbito jurídico e político-ideológico relacionado

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA DO SUAS

PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA DO SUAS PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA DO SUAS CRAS Centro de Referência de Assistência Social PÚBLICO-ALVO: A PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA B DO SUAS Famílias, seus membros e indivíduos em situação de vulnerabilidade social

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 Plano de Ação Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Juruti 2012-2014 APRESENTAÇÃO Nosso O Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do município de Juruti apresenta, no

Leia mais

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil 1 Carta-Compromisso pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil Para consagrar o Estado Democrático de Direito, implantado pela Constituição

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.346, DE 15 DE SETEMBRO DE 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional SISAN com vistas em assegurar

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Redesenho do PETI e Ações Estratégicas

Redesenho do PETI e Ações Estratégicas ENCONTRO INTERSETORIAL DAS AÇÕES ESTRATÉGICAS DO PETI Região Centro-Oeste Redesenho do PETI e Ações Estratégicas MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA

POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA POLÍTICA DE INVESTIMENTO SOCIAL NA ÁREA DA INFÂNCIA NOVOS PARÂMETROS DO CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (CONANDA) Carlos Nicodemos DOUTRINA DA INDIFERENÇA Até 1899: Ausência

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR

PROGRAMA NACIONAL DE ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES PAIR Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

O sistema de garantia dos direitos humanos das crianças e dos adolescentes: responsabilidades compartilhadas.

O sistema de garantia dos direitos humanos das crianças e dos adolescentes: responsabilidades compartilhadas. Página1 Curso de extensão universitária: O sistema de garantia dos direitos humanos das crianças e dos adolescentes: responsabilidades compartilhadas. Apresentação: Em 2015, comemorando 25 anos do ECA,

Leia mais

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS

FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS FÓRUM REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DO ALTO VALE DO ITAJAÍ RIO DO SUL SC 2015 CARTA DE PRINCÍPIOS 1. Natureza e Finalidade O Fórum Regional de Educação Infantil do Alto Vale do Itajaí - FREIAVI é um espaço

Leia mais

DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL.

DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL. PRINCÍPIOS PIOS DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL. Contextualização A elaboração da Política Nacional e do Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Assistência Social da benesse ao Direito A experiência de Campinas

Assistência Social da benesse ao Direito A experiência de Campinas Assistência Social da benesse ao Direito A experiência de Campinas Arnaldo Rezende Setembro/2010. Um pouco da origem... 1543 Implantação da 1ª. Santa Casa de Misericórdia. 1549 - Chegada dos Jesuítas no

Leia mais

Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus.

Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus. Relatório do 1º Seminário Regional da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente em Situação de Rua - Região Norte Manaus. 1. Resumo Descritivo Data: 31 de outubro de 2013. Local: Assembleia Legislativa

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL MEDIDAS CONCRETAS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DOMÉSTICO/FAMILIAR A presente Matriz insere-se no

Leia mais

VIII CONFERENCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE UBERABA

VIII CONFERENCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE UBERABA VIII CONFERENCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE UBERABA 27 DE MARÇO DE 2015 CENTRO ADMINISTRATIVO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UBERABA TEMA: POLÍTICA E O PLANO DECENAL DE DIREITOS

Leia mais

PAIF. Programa de Atenção Integral à Família - PAIF CRAS

PAIF. Programa de Atenção Integral à Família - PAIF CRAS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Assistência Social Programa de Atenção Integral à Família - PAIF CRAS PAIF IMPORTANTE INTERRELAÇÃO ENTRE PAIF E CRAS CRAS O

Leia mais

Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social

Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social Ms. Waleska Ramalho Ribeiro - UFPB A concepção republicana do SUAS requer

Leia mais

PORTARIA Nº 321, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008

PORTARIA Nº 321, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008 PORTARIA Nº 321, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008 Regulamenta a gestão das condicionalidades do Programa Bolsa Família, revoga a Portaria/MDS nº 551, de 9 de novembro de 2005, e dá outras providências. O MINISTRO

Leia mais

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul

Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Núcleo Regional de Rio Branco do Sul Municípios participantes Adrianópolis Bocaiúva do Sul Cerro Azul Doutor Ulysses Rio Branco do Sul Tunas do Paraná Itaperuçu Campo Magro Colombo Almirante Tamandaré

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 285, DE 2006 Autoriza o Poder Executivo a criar o Programa Cantando as Diferenças, destinado a promover a inclusão social de grupos discriminados e dá outras providências. O

Leia mais

como Política Pública de Estado

como Política Pública de Estado como Política Pública de Estado Brasil 27 estados 5.565 municipios 190 milhoes ha 60 milhoes de 0 a 18 anos. Constituicao Federal de 1988 Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara de Vereadores e demais Edis.

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara de Vereadores e demais Edis. MENSAGEM Nº. 02/2013 Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara de Vereadores e demais Edis. Com nossos cordiais cumprimentos encaminhamos a V. Exa. e digníssimos Pares dessa R. Casa Legislativa, o Projeto

Leia mais

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação institucional na proteção dos direitos sociais B rasília-d F Nova Lei de Certificação e Acompanhamento Finalístico das Entidades ü A Constituição Federal

Leia mais

PLANO OPERATIVO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO E DA FLORESTA

PLANO OPERATIVO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO E DA FLORESTA PLANO OPERATIVO DA POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO DO CAMPO E DA FLORESTA Departamento de Apoio à Gestão Participativa /DAGEP Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa /SGEP Ministério

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais. Professor: Luiz Clóvis Guido Ribeiro Período: Novembro de 2013

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais. Professor: Luiz Clóvis Guido Ribeiro Período: Novembro de 2013 O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professor: Luiz Clóvis Guido Ribeiro Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS Secretaria Nacional de Promoção

Leia mais

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

TEXTO 3 O REORDENAMENTO DO SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS - SCFV: AS MUDANÇAS NA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA

TEXTO 3 O REORDENAMENTO DO SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS - SCFV: AS MUDANÇAS NA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA TEXTO 3 O REORDENAMENTO DO SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS - SCFV: AS MUDANÇAS NA GESTÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA Neste terceiro momento do nosso estudo iremos aprofundar as mudanças

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Dimensão formativa do programa voltada à educação para a cidadania

Leia mais

SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE RESOLUÇÃO Nº 4, DE 24 DE MAIO DE 2011

SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE RESOLUÇÃO Nº 4, DE 24 DE MAIO DE 2011 SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE RESOLUÇÃO Nº 4, DE 24 DE MAIO DE 2011 Institui parâmetros nacionais para o registro das informações relativas aos serviços ofertados

Leia mais

Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS

Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS O Cadastro Único e a Gestão do SUAS: Essa ferramenta auxilia no processo de planejamento das ações socioassistenciais?

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

CRUZ VERMELHA BRASILEIRA FILIAL NO MARANHÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO: CRIAÇÃO E FUNCIONAMENTO

CRUZ VERMELHA BRASILEIRA FILIAL NO MARANHÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO: CRIAÇÃO E FUNCIONAMENTO CRUZ VERMELHA BRASILEIRA FILIAL NO MARANHÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO: CRIAÇÃO E FUNCIONAMENTO CRUZ VERMELHA BRASILEIRA FILIAL NO MARANHÃO Presidente Carmen Maria Teixeira Moreira Serra Secretário

Leia mais

Carta Unir para Cuidar Apresentação

Carta Unir para Cuidar Apresentação Carta Unir para Cuidar Apresentação Durante o 17º Encontro Nacional de Apoio à Adoção (ENAPA), na capital federal, de 07 a 09 de junho de 2012, as entidades participantes assumem, com esta carta de compromisso,

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua Deveria ter sido aprovado um PNE para o período 2011-2020, mas não o foi. O último PNE ( Lei nº 10.172, de 2001) criou metas para a educação

Leia mais

Responsabilidades e desafios do setor público quanto ao direito à educação

Responsabilidades e desafios do setor público quanto ao direito à educação Responsabilidades e desafios do setor público quanto ao direito à educação Cleuza Rodrigues Repulho Dirigente Municipal de Educação de São Bernardo do Campo/ SP Presidenta da Undime A Undime como organização

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REDAÇÃO DO PROJETO DE LEI Aprova o Plano Municipal de Educação - PME e dá outras providências. O Prefeito do Município de vereadores decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Faço

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ 01.219.807/0001-82

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ 01.219.807/0001-82 Lei nº 1.591/2010 Altera a Lei Municipal 1.313/205, Cria a Coordenadoria Especial de Políticas para Mulheres, Cria a Coordenadoria Especial de Promoção da Igualdade Racial, e dá outras providências. O

Leia mais

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza FOME ZERO O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza Seminário Internacional sobre Seguro de Emergência e Seguro Agrícola Porto Alegre, RS -- Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 Alguns

Leia mais

NOTA TÉCNICA 003/2012_ DA OBRIGAÇÃO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL NO ATENDIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE DE ADOLESCENTES

NOTA TÉCNICA 003/2012_ DA OBRIGAÇÃO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL NO ATENDIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE DE ADOLESCENTES Prezada, NOTA TÉCNICA 003/2012_ DA OBRIGAÇÃO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL NO ATENDIMENTO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO À COMUNIDADE DE ADOLESCENTES Florianópolis, 18 de abril de 2012. Interessados: Secretarias

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 Disciplina a Política Municipal de Enfrentamento à Violência Sexual e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação TEMA: CREAS: SERVIÇOS OFERTADOS, INTERSETORIALIDADE,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS Sistema Nacional de Indicadores em Direitos Humanos: O que é, como está sendo desenvolvido e para que serve 1 Sistemas de Indicadores no Brasil A elaboração de indicadores sob uma perspectiva de direitos

Leia mais

CNAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Especial dos Direitos Humanos (2007-2015) 2015)

CNAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Especial dos Direitos Humanos (2007-2015) 2015) Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária (2007-2015) 2015) MARCO LEGAL A CRIANÇA E O ADOLESCENTE COMO SUJEITOS DE DIREITOS

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR COORDENADOR DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE

EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR COORDENADOR DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE EXCELENTÍSSIMO DESEMBARGADOR COORDENADOR DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE ATENDIMENTO A CRIANÇAS E ADOLESCENTES USUÁRIOS DE DROGAS ENCAMINHAMENTOS DECORRENTES DE SEMINÁRIO ORGANIZADO PELA COORDENADORIA DA INFÂNCIA

Leia mais