ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP."

Transcrição

1 1 1 ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos da Procuradoria-Geral de Justiça para a concessão, a suspensão, a interrupção e a alteração da escala de férias dos membros do Ministério Público do Estado do Maranhão. A PROCURADORA-GERAL DE JUSTIÇA e a CORREGEDORA-GERAL DO DO, no uso de suas atribuições legais, e com fundamento no disposto nos arts. 8º, VI, e 16, X, da Lei Complementar Estadual nº 13/91; CONSIDERANDO minuta proposta pela Comissão designada pela Portaria nº 3688/2007-GPGJ, nos autos do Processo nº 7909AD/2007; CONSIDERANDO a necessidade de disciplinar a concessão, a suspensão, a interrupção e a alteração da escala de férias dos membros do Ministério Público, a fim de evitar que acúmulos desregrados de férias possam vir a prejudicar o bom andamento da Administração e a boa prestação de serviços aos jurisdicionados, RESOLVEM: DISPOSIÇÃO GERAL Art. 1. A concessão, a suspensão, a interrupção e a alteração da escala de férias dos membros do Ministério Público do Estado do Maranhão devem obedecer às regras e aos procedimentos estabelecidos neste ATO REGULAMENTAR.

2 2 2 DO DIREITO E DA CONCESSÃO Art. 2º. O membro do Ministério Público gozará anualmente 60 (sessenta) dias de férias, contínuos ou divididos em 2 (dois) períodos iguais. 1. O direito às férias só será adquirido após de corrido o primeiro ano de exercício. 2. Após a aquisição do primeiro período de féria s, considerar-se-á o dia 1º de janeiro como termo inicial para os outros períodos. 3º. Os pedidos de férias inferiores a 30 (trinta) dias, serão apreciados pelo Procurador-Geral, ouvida a Corregedoria-Geral. 4º. É vedada a acumulação de férias por mais de dois exercícios. Art. 3º. As férias correspondentes a cada exercício devem ter início até o primeiro dia útil do mês de novembro, salvo na hipótese apontada no 1º do artigo 2º. Art. 4º. As portarias de férias obedecerão à escala de férias elaborada pela Corregedoria-Geral e aprovada pelo Procurador-Geral, conciliando-se a pretensão do membro do Ministério Público, em manifestação enviada até o dia 15 de outubro, com a necessidade do serviço, prevalecendo esta em caso de conflito. 1º. O membro do Ministério Público, ao usar da faculdade de solicitar a inclusão de seu nome na escala de férias elaborada pela Corregedoria-Geral, deverá indicar dia e mês em que pretende iniciar a sua fruição. 2º. O membro do Ministério Público que não fizer uso da faculdade de solicitar a inclusão de seu nome na escala de férias, terá suas férias fixadas pelo Procurador-Geral de Justiça, após manifestação da Corregedoria-Geral, exclusivamente com base no interesse do serviço. 3. Publicada a escala de férias, contendo o mês e o dia do início da fruição, e encaminhada a todos os Promotores e Procuradores de Justiça, poderá o

3 3 3 membro do Ministério Público, até 30 (trinta) dias antes do início das férias, requerer sua alteração. 4. O Procurador-Geral de Justiça poderá, por nec essidade do serviço, sempre em caráter excepcional, em decisão motivada, depois de ouvir a Corregedoria- Geral, alterar a escala, suspender ou interromper as férias. 5. As férias interrompidas deverão ser gozadas a té o primeiro dia útil do mês de novembro do ano seguinte, quando não for possível sua fruição no mesmo exercício. Art. 5º. Havendo convocação de Júri, na forma e nos prazos do art. 427 do Código de Processo Penal e do art. 51 da Lei Complementar Estadual nº 14/91, as férias do Promotor de Justiça ficam automaticamente adiadas para depois da última sessão, quando já ultimados os prazos para razões e contra-razões de eventual recurso. 1º. Para propiciar a tomada de providências administrativas de adiamento do gozo de férias, deve o Promotor de Justiça fazer comunicação imediata à Corregedoria-Geral sobre a convocação de Júri, pelos meios cabíveis. 2º. Na hipótese do caput, poderá ser concedida autorização excepcional e motivada de gozo de férias pelo Procurador-Geral de Justiça, ouvida a Corregedoria-Geral. Art 6º. As férias, cujo período aquisitivo ocorrer durante o período de afastamento para freqüentar cursos de aperfeiçoamento e estudo, serão inclusas na escala de férias e concedidas por ato do Procurador-Geral de Justiça nos meses de janeiro e fevereiro, independentemente de solicitação, como se no exercício de suas funções o afastado estivesse, cabendo à Corregedoria-Geral as providências pertinentes. Art. 7º. O membro do Ministério Público, 5 (cinco) dias antes de entrar em gozo de férias, e ao reassumir as funções, oficiará à Corregedoria-Geral. 1. Da comunicação das férias deverá constar:

4 4 4 I o endereço onde poderá ser encontrado, com indicação de telefone e correio eletrônico, caso existentes; II a pauta de audiências, a relação de autos com vista e expressa referência aos prazos abertos para ajuizamento de ações e de manejo de recursos, bem como para emissão de pareceres e oferecimento de razões e contra-razões; III declaração ou comprovação documental de que encaminhou ao seu substituto a pauta de audiências, a relação de autos com vista e informação sobre os prazos abertos para ajuizamento de ações, para manejo de recursos e para emissão de pareceres e oferecimento de razões e contra-razões; 2. A comunicação de reassunção das funções será instruída, no que couber, com informações sobre as atividades judiciais e extrajudiciais da Promotoria ou Procuradoria de Justiça que integrar. 3. O membro do Ministério Público designado para responder por Promotoria de Justiça ou convocado para substituição em Procuradoria de Justiça, ao assumir as funções, oficiará à Corregedoria-Geral informando a situação em que encontrou a unidade, sem prejuízo de que, até o dia 5 (cinco) do mês seguinte, envie à Corregedoria-Geral o mapa estatístico, que será instruído, quando ultimada a substituição, com relatório circunstanciado sobre a situação em que tiver deixado a Promotoria ou Procuradoria de Justiça. 4º. Diante de notícia encaminhada pelo Corregedor-Geral sobre os membros que não atenderem ao comando deste artigo, bem como dos que não tiverem remetido, no prazo legal, os formulários mensais devidos à Corregedoria-Geral, o Procurador-Geral poderá suspender o início de fruição de férias destes membros. Art. 8º. O membro do Ministério Público que, na data da publicação deste ATO REGULAMENTAR, tiver férias não fruídas referentes a exercícios anteriores, deverá gozá-las antes de requerer as férias do exercício. 1. A cada ano, o membro do Ministério Público qu e se enquadrar na situação prevista no caput, deverá gozar, no mínimo, 90 (noventa) dias de férias.

5 Caso o membro do Ministério Público, por ocas ião da solicitação referida no art. 111, caput, da Lei Complementar nº 13/91, não manifeste interesse de atender ao comando do caput, deverá a Corregedoria-Geral, quando da elaboração da escala, observar o disposto no 1 de ste artigo. Art. 9º. Os casos omissos serão disciplinados pelo Procurador-Geral de Justiça, ouvida a Corregedoria-Geral. Art. 10. Este ATO REGULAMENTAR CONJUNTO entra em vigor na data de sua publicação oficial. São Luís, 23 de outubro de PUBLIQUE-SE. REGISTRE-SE. COMUNIQUE-SE. MARIA DE FÁTIMA RODRIGUES TRAVASSOS CORDEIRO Procuradora-Geral de Justiça REGINA LÚCIA DE ALMEIDA ROCHA Corregedora-Geral

Art.2º. A substituição automática obedecerá a seguinte ordem:

Art.2º. A substituição automática obedecerá a seguinte ordem: DEFENSORIA PÚBLICA PORTARIA GDPG - N 083/2012 A DEFENSORA PÚBLICA GERAL DO ESTADO DO PIAUÍ, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo Art. 13, XIII, da Lei Complementar nº 59 de 30 de novembro

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II PORTARIA N 582 DE 4 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre a autorização para participação de servidores em eventos de natureza científica, acadêmica e/ ou de capacitação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução n.º 2579 Dispõe sobre concessão de férias aos funcionários do Crea-SP e revoga a Instrução n.º 2554/2012. O Presidente em exercício do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 13 DE OUTUBRO DE 2005

CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 13 DE OUTUBRO DE 2005 CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 13 DE OUTUBRO DE 2005 O CONSELHO SUPERIOR DA ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO, no uso das competências que lhe conferem os arts. 7º, inciso II, 24 e 25 da Lei Complementar

Leia mais

ATO Nº 09/2014-CGMP.

ATO Nº 09/2014-CGMP. ATO Nº 09/2014-CGMP. Regulamenta a emissão e remessa dos relatórios mensais das atividades funcionais, de substituição, de auxílio, de assunção e de término de exercício, de projetos e programas institucionais

Leia mais

DECRETO n de 8 de agosto de REGULAMENTA OS ARTS. 110 E 111 DA LEI N. 94, DE 14 DE MARÇO DE 1979 QUE TRATAM DA LICENÇA ESPECIAL.

DECRETO n de 8 de agosto de REGULAMENTA OS ARTS. 110 E 111 DA LEI N. 94, DE 14 DE MARÇO DE 1979 QUE TRATAM DA LICENÇA ESPECIAL. DECRETO n. 6.019 - de 8 de agosto de 1986 - REGULAMENTA OS ARTS. 110 E 111 DA LEI N. 94, DE 14 DE MARÇO DE 1979 QUE TRATAM DA LICENÇA ESPECIAL. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das suas atribuições

Leia mais

DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016)

DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016) DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2015. (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016) "DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE AO SERVIDOR PÚBLICO DETENTOR DE CARGO EFETIVO

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 Publicada no DOE de 05/11/2008 CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CENTRO DE ATENDIMENTO SÓCIO-EDUCATIVO AO ADOLESCENTE FUNDAÇÃO

Leia mais

Presidência. Secretaria do Tribunal RESOLUÇÃO N. 40 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012.

Presidência. Secretaria do Tribunal RESOLUÇÃO N. 40 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. pág. 1 Presidência Secretaria do Tribunal RESOLUÇÃO N. 40 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre a concessão, parcelamento, adiantamento, indenização e pagamento de férias aos servidores do. O PRESIDENTE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 079/014 DE 1.º DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre a AVERBAÇÃO AUTOMÁTICA de tempo de contribuição vinculado ao Regime Geral de Previdência Social RGPS por servidor público do Município de Amambai

Leia mais

RESOLUÇÃO 020/2016 CEPE/UNESPAR

RESOLUÇÃO 020/2016 CEPE/UNESPAR Aprova o Regulamento do Regime de Trabalho de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva TIDE aos docentes da Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR. Considerando a necessidade de regulamentação do regime

Leia mais

CAPÍTULO I DO DIREITO E DOS REQUISITOS PARA A CONCESSÃO

CAPÍTULO I DO DIREITO E DOS REQUISITOS PARA A CONCESSÃO DECRETO nº 373, de 14 de agosto de 2014. Dispõe sobre a regulamentação de afastamento para gozo de férias-prêmio e de conversão das férias-prêmio em espécie para servidor detentor de cargo de provimento

Leia mais

PORTARIA PFE/UFLA Nº 1, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013.

PORTARIA PFE/UFLA Nº 1, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. PORTARIA PFE/UFLA Nº 1, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. Dispõe sobre o funcionamento da consultoria jurídica e assessoramento jurídico no âmbito da Procuradoria Federal na Universidade Federal de Lavras - PFE/UFLA.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA RESOLUÇÃO COSUP Nº 02/2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA RESOLUÇÃO COSUP Nº 02/2014 RESOLUÇÃO COSUP Nº 02/2014 Estabelece o apoio à apresentação de trabalhos de docentes da UNILA em eventos científicos. O Presidente da Comissão Superior de Pesquisa (COSUP) da Universidade Federal da Integração

Leia mais

ATO PGJ N.º 160/2013 PLANTÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE. DO AMAZONAS, por substituição legal, no desempenho de suas atribuições

ATO PGJ N.º 160/2013 PLANTÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE. DO AMAZONAS, por substituição legal, no desempenho de suas atribuições ATO PGJ N.º 160/2013 ESTABELECE O NOVO REGULAMENTO DO PLANTÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, por substituição legal, no desempenho de suas atribuições legais

Leia mais

CARTILHA SOLICITAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO E PERÍCIA ATO PGJ Nº 025/2014

CARTILHA SOLICITAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO E PERÍCIA ATO PGJ Nº 025/2014 Gabinete do Secretário-Geral CARTILHA SOLICITAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO E PERÍCIA ATO PGJ Nº 025/2014 A Procuradoria-Geral de Justiça, visando estruturar e subsidiar as atividades desenvolvidas pelos Membros

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Considerando a necessidade de submeter os docentes recém-admitidos a um processo que avalie sua real aptidão para as tarefas do magistério;

Leia mais

SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 962/16 - PGJ, 27 DE ABRIL DE 2016 (Protocolado nº /16)

SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 962/16 - PGJ, 27 DE ABRIL DE 2016 (Protocolado nº /16) SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 962/16 - PGJ, 27 DE ABRIL DE 2016 (Protocolado nº 52.586/16) Reorganiza as Subprocuradorias-Gerais de Justiça, extingue a Subprocuradoria-Geral

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 499, DE 30 DE ABRIL DE 2015

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 499, DE 30 DE ABRIL DE 2015 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 499, DE 30 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre os afastamentos dos médicos participantes do Projeto Mais Médicos para o Brasil, institui o Comitê Gestor Bipartite OPAS/MS e respectiva

Leia mais

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.491, DE 19 DE AGOSTO DE 2014 Dispõe sobre os débitos a

Leia mais

RESOLUÇÃO RES-PGJ Nº 003/04. (DOPE Ministério Público )

RESOLUÇÃO RES-PGJ Nº 003/04. (DOPE Ministério Público ) RESOLUÇÃO RES-PGJ Nº 003/04. (DOPE Ministério Público 30.01.2004) EMENTA: Regulamenta os requisitos para atribuição da Gratificação de Produtividade; os requisitos para atribuição da Gratificação pela

Leia mais

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre a concessão de diárias de viagem e reembolso ao servidor público municipal e dá outras providenciais. O Diretor-Executivo do Instituto de Previdência

Leia mais

EDITAL DO 7º CONCURSO DE REMOÇÃO DE SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS

EDITAL DO 7º CONCURSO DE REMOÇÃO DE SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS EDITAL DO 7º CONCURSO DE REMOÇÃO DE SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O Procurador-Geral de Justiça do Estado de Goiás, nos termos do artigo 15, VII da Lei Complementar Estadual n. 25,

Leia mais

TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta

TIPO DE DOCUMENTO INSTRUÇÃO NORMATIVA LOCALIZADOR. Controlar a concessão de férias dos servidores e empregados públicos da Administração Direta 2/6 MACRO 4.1.3 Em nenhuma hipótese, sob qualquer pretexto, o servidor poderá deixar de gozar férias anuais, obrigatórias, no exercício a que corresponderem, exceto se o prazo previsto no item 4.1.2 for

Leia mais

INSTRUÇÃO UCRH Nº 01, de 22 de janeiro de 2009

INSTRUÇÃO UCRH Nº 01, de 22 de janeiro de 2009 INSTRUÇÃO UCRH Nº 01 de 22 de janeiro de 2009 Dispõe sobre os procedimentos relativos à concessão do salário-família e auxílioreclusão previstos respectivamente nos artigos 163-A e 163-B da Lei Complementar

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE SALVADOR PORTARIA ALF/SDR Nº 14, de 5 de maio de 2014. Disciplina o atendimento da Seção

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Av. Dr. Arnaldo, 455 ATAC Serviço de Pesquisa Fone/Fax: (11) / (11)

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Av. Dr. Arnaldo, 455 ATAC Serviço de Pesquisa Fone/Fax: (11) / (11) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INCENTIVO À PRODUTIVIDADE ACADÊMICA PIPA DA FMUSP Art. 1º. O Programa de Incentivo à Produtividade Acadêmica (PIPA), sob gerenciamento e responsabilidade da Comissão de Pesquisa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CONSELHO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CONSELHO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 44/CS, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2013. Estabelece normas e procedimentos para reversão voluntária de

Leia mais

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 Aprova o Regulamento das Câmaras Técnicas do CRF-RJ e dá outras providências. O ESTADO DO RIO DE JANEIRO / CRF-RJ, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com

Leia mais

PROVIMENTO Nº 12/2015

PROVIMENTO Nº 12/2015 PROVIMENTO Nº 12/2015 Dispõe sobre o protesto de Certidões de Dívidas Judiciais e dá outras providências. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO CENTRO Centro de Recursos Humanos

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO CENTRO Centro de Recursos Humanos São Paulo, 13 de dezembro de 2016. Comunicado: Interessado: Unidades Escolares Assunto: Licença Sem Vencimentos - Artigo 202 GDAE. Senhores Diretores, Comunicamos que a partir das 10:00 horas do dia 15/12/2016,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre regulamentação de normas e procedimentos para realização de eventos acadêmicos e administrativos, cerimonial e protocolo

Leia mais

Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA E O DESEMBARGADOR

Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA E O DESEMBARGADOR PROVIMENTO CONJUNTO Nº CGJ/CCI-011/2013 Dispõe sobre o Serviço de Protocolo Postal no âmbito do Poder Judiciário do Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL

Leia mais

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014.

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014. Lei Complementar Municipal Nº. 1.463, de 28 de maio de 2014. Da nova redação a artigos que menciona e dá outras providências. O Povo do Município de Águas Formosas, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

Art. 3º A Fundação Estadual de Meio Ambiente-Pantanal, expedirá as seguintes Licenças Ambientais:

Art. 3º A Fundação Estadual de Meio Ambiente-Pantanal, expedirá as seguintes Licenças Ambientais: Publicada no Diário Oficial nº 5.546, de 10 de julho de 2001. LEI Nº 2.257, DE 9 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre as diretrizes do licenciamento ambiental estadual, estabelece os prazos para a emissão de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento visa orientar os alunos referente aos objetivos, critérios, procedimentos e mecanismos de

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados.

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de 2012. Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício da competência

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA GERAL SEG

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA GERAL SEG 1. Processo n.: PNO 13/00178415 2. Assunto: Processo Normativo - Projeto de Resolução - Altera a Resolução n. TC-16/94 3. Interessado(a): Salomão Ribas Junior 4. Unidade Gestora: Tribunal de Contas do

Leia mais

Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor

Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor OBJECTO O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas para a eleição do diretor da Escola Secundária Quinta das Palmeiras,

Leia mais

Número da Norma Revisão - Data Emissão Folha 04/IN04/CSIC/IFNMG 00 09/07/ /07/2013 1/5 USO DO CORREIO ELETRÔNICO INSTITUCIONAL

Número da Norma Revisão - Data Emissão Folha 04/IN04/CSIC/IFNMG 00 09/07/ /07/2013 1/5 USO DO CORREIO ELETRÔNICO INSTITUCIONAL 04/IN04/CSIC/IFNMG 00 09/07/2013 09/07/2013 1/5 ORIGEM Esta é uma norma complementar à Política de Segurança de Informação e Comunicações (POSIC) e foi elaborada pelo Comitê de Segurança da Informação

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR. RESOLVE editar o Regulamento de promoções relativo às Carreiras da Advocacia- Geral da União, nos termos seguintes: CAPÍTULO I

CONSELHO SUPERIOR. RESOLVE editar o Regulamento de promoções relativo às Carreiras da Advocacia- Geral da União, nos termos seguintes: CAPÍTULO I CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N o 11, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008 Dispõe sobre o Regulamento de promoções relativas às Carreiras da Advocacia-Geral da União. O CONSELHO SUPERIOR DA ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO,

Leia mais

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2015/CAPES)

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2015/CAPES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre escritório de representação, no País, de ressegurador admitido, e dá outras providências. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 666, DE 10 DE AGOSTO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 666, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 Módulo VII - Administração e Finanças Res. 666/00 RESOLUÇÃO Nº 666, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 Disciplina o pagamento de diárias no âmbito da Autarquia, e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

Leia mais

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 99 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008(*) Dispõe sobre controle de importações e exportações de substâncias

Leia mais

PORTARIA JUCESP N 15, DE 24 DE MAIO DE 2012

PORTARIA JUCESP N 15, DE 24 DE MAIO DE 2012 PORTARIA JUCESP N 15, DE 24 DE MAIO DE 2012 Dispõe sobre apontamentos especiais nos prontuários de sociedades empresárias, dos empresários individuais, das empresas individuais de responsabilidade limitada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO DECISÃO Nº 88/96 D E C I D E TÍTULO I DO CONSELHO TÍTULO II DO FUNCIONAMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO UNIVERSITÁRIO DECISÃO Nº 88/96 D E C I D E TÍTULO I DO CONSELHO TÍTULO II DO FUNCIONAMENTO DECISÃO Nº 88/96 O, em sessão de 18.10.96, D E C I D E aprovar o seu Regimento Interno, como segue: TÍTULO I DO CONSELHO Art.1º- O Conselho Universitário - CONSUN - é o órgão máximo de função normativa,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 634/2010

RESOLUÇÃO Nº 634/2010 Publicação: 19/05/2010 DJE: 18/05/2010 RESOLUÇÃO Nº 634/2010 Regulamenta a concessão do Adicional de Desempenho, ADE, aos servidores efetivos dos Quadros de Pessoal da Secretaria do Tribunal de Justiça

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Manual de Normas e Procedimentos Capítulo PROCEDIMENTOS SETOR 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Manual de Normas e Procedimentos Capítulo PROCEDIMENTOS SETOR 2 Índice 1.1- Coordenadores técnicos, almoxarifes,

Leia mais

Provimento Nº 172/2016

Provimento Nº 172/2016 Provimento Nº 172/2016 Altera o art. 5º do Provimento n. 91/2000, o inciso "g" do art. 2º e o 3º do art. 3º do Provimento n. 94/2000, o parágrafo único do art. 2º, o caput do art. 3º e o 5º do art. 4º

Leia mais

O presente informativo dispõe sobre a norma interna a ser observada na concessão de diárias e passagens.

O presente informativo dispõe sobre a norma interna a ser observada na concessão de diárias e passagens. PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENADORIA DE CONTABILIDADE E FINANÇAS INFORMATIVO CCF 01/2010 1ª EDIÇÃO 08 DE JANEIRO DE 2010 ASSUNTO O presente informativo dispõe sobre a norma interna a ser observada

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA 2 LEI Nº 356, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA O Prefeito Municipal de UTINGA-BAHIA,

Leia mais

Haver completado 5 anos de efetivo exercício até a publicação da Medida Provisória no 1.522/96, de 15/10/96.

Haver completado 5 anos de efetivo exercício até a publicação da Medida Provisória no 1.522/96, de 15/10/96. Licença Prêmio por Assuidade Licença concedida pelo prazo de até 3 meses, com a remuneração do cargo efetivo, a título de prêmio por assiduidade, após cada período de 5 anos ininterruptos de exercício,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PORTARIA NORMATIVA Nº 17, DE 12 DE AGOSTO DE 2016 Dispõe sobre a ocupação de vagas remanescentes do processo seletivo do Fundo de Financiamento Estudantil Fies referente ao segundo

Leia mais

SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA. Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015

SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA. Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015 SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015 Regimento Eleitoral A Diretoria-Executiva resolve expedir o presente

Leia mais

PORTARIA N. 23, DE 05 DE JANEIRO DE O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA N. 23, DE 05 DE JANEIRO DE O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RORAIMA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA N. 23, DE 05 DE JANEIRO DE 2012. O PRESIDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Regulamenta a expedição de crachás de identificação e o uso nasdependências do Poder Judiciário

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVO. Facilitar o cumprimento das obrigações fiscais pelo contribuinte do ICMS.

INTRODUÇÃO OBJETIVO. Facilitar o cumprimento das obrigações fiscais pelo contribuinte do ICMS. REGIME ESPECIAL INTRODUÇÃO OBJETIVO Facilitar o cumprimento das obrigações fiscais pelo contribuinte do ICMS. Ex.: emissão de notas fiscais, recolhimento ICMS ST, ICMS Importação; É importante salientar

Leia mais

Resolução SESCOOP/RS N. 08, de 08 de Fevereiro de Os membros do Conselho Administrativo do SESCOOP/RS,

Resolução SESCOOP/RS N. 08, de 08 de Fevereiro de Os membros do Conselho Administrativo do SESCOOP/RS, Resolução SESCOOP/RS N. 08, de 08 de Fevereiro de 2007. Aprova o Regulamento para concessão de Bolsas de Estudo. Os membros do Conselho Administrativo do SESCOOP/RS, CONSIDERANDO a necessidade de promover

Leia mais

- Alterado o art. 3º, 1º e 2º e acrescentado o 3º pelo Ato nº 16/2009 de 08/06/09, art. 1º.

- Alterado o art. 3º, 1º e 2º e acrescentado o 3º pelo Ato nº 16/2009 de 08/06/09, art. 1º. ATO PGJ N 015/2006 - Alterado o art. 3º, 1º e 2º e acrescentado o 3º pelo Ato nº 16/2009 de 08/06/09, art. 1º. - Alterado o art. 3º, caput e 2º pelo Ato-PGJ n. 48/2011, art. 1º. Regulamenta o controle

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 029/2016, DE 31 DE AGOSTO DE 2016 CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 029/2016, DE 31 DE AGOSTO DE 2016 CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 029/2016, DE 31 DE AGOSTO DE 2016 CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG A Câmara de Pós-graduação (CPG) da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG, conforme

Leia mais

Resolução nº 002/2015

Resolução nº 002/2015 Resolução nº 002/2015 Dispõe sobre o processo de composição das bancas de qualificação e defesa final da dissertação de Mestrado e dá outras providências. Considerando a necessidade de aprimorar o Programa

Leia mais

RESOLUÇÃO 22/ (vinte) horas semanais de trabalho; 40 (quarenta) horas semanais de trabalho;

RESOLUÇÃO 22/ (vinte) horas semanais de trabalho; 40 (quarenta) horas semanais de trabalho; Regulamenta o Regime de Trabalho na UESB, 20(vinte) 40 (quarenta) horas e de Tempo Integral com Dedicação Exclusiva. O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso de suas atribuições,

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO FERNANDO NAMORA DE CONDEIXA-A-NOVA

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO FERNANDO NAMORA DE CONDEIXA-A-NOVA CÓDIGO DA ESCOLA 404457 CONTRIBUINTE Nº: 600074129 RUA LONGJUMEAU 3150-122 CONDEIXA-A-NOVA Telf.: 239940200 Fax: 239941090 Email: info@eps-condeixa-a-nova.rcts.pt REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR

Leia mais

NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318

NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: CESSÃO DE EMPREGADOS COD: NOR 318 APROVAÇÃO: Resolução Nº 14/2010, de 08/10/2010 NORMA DE CESSÃO DE EMPREGADOS - NOR 318 1/6 SUMÁRIO 1. FINALIDADE... 02 2.

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122.

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122. A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122.738/16-MP) Disciplina o procedimento preparatório eleitoral no âmbito do Ministério

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013. Salvador, Bahia Quarta-feira 4 de Setembro de 2013 Ano XCVII N o 21.227 RES. RESOLUÇÃO CONSU N.º 07/2013 O Conselho Universitário - CONSU da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, no uso de

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

Resolução nº 581, de 29 de agosto de 2013

Resolução nº 581, de 29 de agosto de 2013 Resolução nº 581, de 29 de agosto de 2013 Ementa: Institui o título de especialista profissional farmacêutico, sem caráter acadêmico, dispondo sobre os procedimentos e critérios necessários para a sua

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO Este regulamento destina-se a normatizar as atividades relacionadas com o Projeto de Monografia e a Monografia de Conclusão do Curso de Graduação em

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL MP/CGU Nº 298, DE 6 DE SETEMBRO DE 2007 OS MINISTROS DE ESTADO DO PLANEJAMENTO,

Leia mais

Fixa as diretrizes gerais para a instituição do teletrabalho (home office) nos órgãos de execução da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo.

Fixa as diretrizes gerais para a instituição do teletrabalho (home office) nos órgãos de execução da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo. Resolução PGE-, de Fixa as diretrizes gerais para a instituição do teletrabalho (home office) nos órgãos de execução da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo. O Procurador Geral do Estado de São Paulo,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal Refispoa 2015 e revoga a Lei nº 11.428, de 30 de abril de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber

Leia mais

COLÉGIO DE PROCURADORES DE CONTAS

COLÉGIO DE PROCURADORES DE CONTAS Resolução nº18/2016 MPC/PA Colégio Dispõe sobre os Órgãos Auxiliares do Ministério Público de Contas do Estado. O Colégio de Procuradores de Contas, órgão de administração superior do Ministério Público

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA N 6419, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007.

RESOLUÇÃO CONJUNTA N 6419, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007. RESOLUÇÃO CONJUNTA N 6419, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007. Dispõe sobre a comprovação da condição de Pequena Empresa nas aquisições públicas do Estado de Minas Gerais, o compartilhamento de informações entre

Leia mais

Manual do Estágio Supervisionado

Manual do Estágio Supervisionado IBB Ano 2015 1. APRESENTAÇÃO: A partir do 1º Semestre Letivo de 2016, os alunos em fase de conclusão do Curso de (Currículo 2013) deverão realizar o Estágio Curricular Supervisionado. O presente manual

Leia mais

RESOLUÇÃO N 14/2016/CONSUNI, DE 22 DE JULHO DE 2016.

RESOLUÇÃO N 14/2016/CONSUNI, DE 22 DE JULHO DE 2016. RESOLUÇÃO N 14/2016/CONSUNI, DE 22 DE JULHO DE 2016. Estabelece as normas gerais para a elaboração dos Trabalhos de Conclusão de Curso para graduação na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia

Leia mais

EDITAL nº 002/2016-PPGCJ

EDITAL nº 002/2016-PPGCJ Programa Nacional do Pós-Doutorado CAPES (Portaria Capes nº 86/2013) EDITAL nº 002/2016-PPGCJ Seleção de Projetos de Pesquisa de Pós-doutorado O Coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências Jurídicas

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 378 (9 DE OUTUBRO DE 2009)

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 378 (9 DE OUTUBRO DE 2009) TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 378 (9 DE OUTUBRO DE 2009) Dispõe sobre a utilização do acesso à internet e uso do correio eletrônico no âmbito deste Tribunal. O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

Leia mais

DECRETO /2016 REGULAMENTAÇÃO DA EVOLUÇÃO FUNCIONAL

DECRETO /2016 REGULAMENTAÇÃO DA EVOLUÇÃO FUNCIONAL DECRETO 56.795/2016 REGULAMENTAÇÃO DA EVOLUÇÃO FUNCIONAL Regulamenta o desenvolvimento dos integrantes do Quadro dos Profissionais Técnicos da Guarda Civil Metropolitana QTG na carreira, por meio da promoção

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA PORTARIA Nº 23, DE 28 DE AGOSTO DE 2014. Fixa e regulamenta as normas de conduta dos empregados e as regras para o funcionamento do COFECON. O PRESIDENTE DO CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso de suas

Leia mais

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ SARAMAGO-MAFRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2015-2019 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº03/2014. I para a anuidade do ano de inscrição, 50% (cinquenta por cento) = R$ 300,00(Trezentos Reais) ;

RESOLUÇÃO Nº03/2014. I para a anuidade do ano de inscrição, 50% (cinquenta por cento) = R$ 300,00(Trezentos Reais) ; RESOLUÇÃO Nº03/2014 Fixa o valor das contribuições obrigatórias para o ano de 2015 e dá outras providências. O CONSELHO SECCIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL EM ALAGOAS, no uso das atribuições legais,

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 5.168 ALAGOAS RELATORA REQTE.(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS :PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DE ALAGOAS INTDO.(A/S) :ASSEMBLEIA

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria-Geral

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria-Geral MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria-Geral LUÍS ANTÔNIO CAMARGO DE MELO Procurador-Geral do Trabalho ELIANE ARAQUE DOS SANTOS Vice-Procuradora-Geral do Trabalho JÚNIA SOARES NADER Coordenadora da

Leia mais

PORTARIA GABDPGF DPGU Nº 69, DE 25 DE JANEIRO DE CAPÍTULO II DO DIREITO E DA CONCESSÃO

PORTARIA GABDPGF DPGU Nº 69, DE 25 DE JANEIRO DE CAPÍTULO II DO DIREITO E DA CONCESSÃO PORTARIA GABDPGF DPGU Nº 69, DE 25 DE JANEIRO DE 2016. Dispõe sobre as férias dos servidores da Defensoria Pública da União. O DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL em exercício, usando das atribuições que lhe

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO

DISPENSA DE LICITAÇÃO DISPENSA DE LICITAÇÃO Processo: Secretaria: Empresa: CNPJ: Objeto: LISTA DE VERIFICAÇÕES Justificativa - deverá ser elaborada pela Secretaria Requisitante, a qual identificará a necessidade administrativa

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016

INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016 INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016 Dispõe sobre os procedimentos para a Certificação de Conclusão do Ensino Médio e da Declaração Parcial de Proficiência com base nos resultados do Exame

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 013/2016 TCE, de 21 de junho de 2016.

RESOLUÇÃO Nº 013/2016 TCE, de 21 de junho de 2016. RESOLUÇÃO Nº 013/2016 TCE, de 21 de junho de 2016. Dispõe sobre a concessão do auxílio complementar à assistência a saúde aos Conselheiros, Auditores, Procuradores e Servidores do Tribunal de Contas do

Leia mais

RESOLUÇÃO CFESS Nº 764, de 22 de junho de 2016.

RESOLUÇÃO CFESS Nº 764, de 22 de junho de 2016. RESOLUÇÃO CFESS Nº 764, de 22 de junho de 2016. Ementa: Altera dispositivos da Resolução CFESS 582, de 01 de julho de 2010. A Presidente Em Exercício do Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), no uso

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA NUTRIÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA 2014

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA NUTRIÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA 2014 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA NUTRIÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA 2014 NORMAS PARA CONCESSÃO DE BOLSAS - CAPES/CNPq Todos os pedidos de concessão de bolsas

Leia mais

E D I T A L Nº 001/2013 Concurso Público para Ingresso na Carreira do Ministério Público

E D I T A L Nº 001/2013 Concurso Público para Ingresso na Carreira do Ministério Público 1 E D I T A L Nº 001/2013 Concurso Público para Ingresso na Carreira do Ministério Público A PROCURADORA-GERAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO, na forma das Constituições Federal e Estadual, da Lei nº 8.625/93,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM MESTRADO ACADÊMICO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM MESTRADO ACADÊMICO EM ENFERMAGEM INSTRUÇÃO NORMATIVA n o. 005/2012 do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, de 23 de fevereiro de 2012. Cria normas para Sustentação de Dissertação no MAENF/UFMA O Colegiado do Curso de

Leia mais

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: /

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: / PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de 2009 : 23000.091441/2009-33 O Reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ARMANDO DE LUCENA MALVEIRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2017-2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras

Leia mais

Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF

Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2015. Estabelece procedimentos destinados a disciplinar a classificação das despesas, os

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO REITORIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO REITORIA RESOLUÇÃO UNESP N º 59, de 10 de julho de 2014. Regulamenta os Cursos de Extensão Universitária ministrados na UNESP. A Vice-Reitora no exercício da Reitoria da Universidade Estadual Paulista "Júlio de

Leia mais