INTEGRAÇÃO TERRITORIAL DAS POLÍCIAS MILITAR E CIVIL: Uma proposta de criação de Áreas Integradas de Segurança Pública na cidade do Natal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTEGRAÇÃO TERRITORIAL DAS POLÍCIAS MILITAR E CIVIL: Uma proposta de criação de Áreas Integradas de Segurança Pública na cidade do Natal"

Transcrição

1 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES VII CURSO SUPERIOR DE POLÍCIA INTEGRAÇÃO TERRITORIAL DAS POLÍCIAS MILITAR E CIVIL: Uma proposta de criação de Áreas Integradas de Segurança Pública na cidade do Natal Natal 2007

2 ANDRÉ LUIZ VIEIRA DE AZEVEDO CÉSAR RODRIGUES CASTRO INTEGRAÇÃO TERRITORIAL DAS POLÍCIAS MILITAR E CIVIL: Uma proposta de criação de Áreas Integradas de Segurança Pública na cidade do Natal Monografia apresentada ao Centro de Estudos Superiores da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, como requisito final à aprovação no VII Curso Superior de Polícia. Orientadora: Profª. Dra. Maria do Livramento M. Clementino. Natal 2007

3 ANDRÉ LUIZ VIEIRA DE AZEVEDO CÉSAR RODRIGUES CASTRO INTEGRAÇÃO TERRITORIAL DAS POLÍCIAS MILITAR E CIVIL: Uma proposta de criação de Áreas Integradas de Segurança Pública na cidade do Natal Monografia apresentada ao Centro de Estudos Superiores da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, como requisito final à aprovação no VII Curso Superior de Polícia. Aprovada em: / / BANCA EXAMINADORA Profª. Dra. Maria do Livramento Miranda Clementino Orientadora Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN Profª. Ms. Lucien Neves de Oliveira Centro de Estudos Superiores da Polícia Militar - CES Bel. Christian Cirino de Medeiros Diretor de Planejamento e Finanças da DEGEPOL

4 Dedicamos este trabalho a todos que, entendendo a importância da Segurança Pública, contribuem direta ou indiretamente para a construção de uma cultura de disseminação da paz.

5 AGRADECIMENTOS A Deus, pai onipotente, pela sua grandiosa bondade: deu-me forças para vencer este desafio; A minha mãe Marta, que soube, com amor e dedicação, direcionar seus três filhos para o caminho do bem; A minha esposa Lívia, pelo amor e pela forma carinhosa, paciente e prestimoniosa com que tem me tratado, não só durante esta jornada acadêmica, mas em todos os dias de nossa convivência, sobretudo nas horas difíceis; e ao nosso futuro filho, alegria, razão e incentivo maior de nossas vidas; À Governadora Wilma de Faria, que, além de me honrar com a oportunidade de desempenhar as funções de Ajudante-de-Ordens, e de possibilitar minha participação no Curso Superior de Polícia requisito indispensável à carreira do oficialato tem permitido que eu aprenda as mais admiráveis lições de justiça; Às Professoras Orientadoras Livramento e Lucien, por procurarem me guiar, com paciência e dedicação, na busca do conhecimento; Ao Cel. PM Marcondes Rodrigues Pinheiro, Comandante-Geral da Polícia Militar, e ao Bel. Ben-Hur Cirino de Medeiros, Delegado-Geral de Polícia Civil, pelo apoio e atenção que dispensaram à realização do CSP/2007; Ao corpo docente do Centro de Estudos Superiores da Policia Militar, pela forma com que se empenhou para o sucesso do curso, em especial ao Diretor do CES, Cel. PM Francildo de Souza Nunes, e seus auxiliares, Maj. PM Francisco Flávio Melo dos Santos e 1º Ten. PM Rosalina de Souza Câmara, profissionais incansáveis na busca do cumprimento das metas de trabalho; Aos colegas Oficiais Alunos, pela feliz e edificadora convivência. André Luiz Vieira de Azevedo

6 AGRADECIMENTOS A Deus, em primeiro lugar, por ter me dado força e perseverança para ultrapassar os obstáculos da caminhada ao longo do curso; A minha querida esposa, que soube me incentivar nas horas mais difíceis, sendo ela a força motriz da minha vida; A meus filhos, que contribuíram para esta grande vitória; Aos amigos que conquistei ao longo do curso; Às orientadoras Lucien e Maria do Livramento, que souberam orientar com disciplina visando ao objetivo final desta monografia. César Rodrigues Castro

7 RESUMO Este trabalho apresenta uma proposta de criação de Áreas Integradas de Segurança Pública na cidade do Natal. Observa aspectos relativos a histórico, características, competências e formas de atuação das polícias estaduais do Rio Grande do Norte. Analisa problemas referentes à dicotomia do setor de segurança pública, da maneira dissociada de atuação territorial das instituições policiais e de aspectos do policiamento comunitário. Apresenta intervenções necessárias para uma melhor integração entre os órgãos estaduais de segurança. Palavras-chave: Segurança Pública. Polícia Militar. Polícia Civil. Integração.

8 7 ABSTRACT This work presents a proposal to create na Integrate Area of Public Safety on the city of Natal. Observes relatives aspects of historic, characteristics, competencies and forms of actuation of the Rio Grande do Norte State Polices. Analyses problems according to a dichotomy of the Public Safety sector, in a dissociated form of the territorial actuation of the Polices Institutions and the aspects of the communitarian policing. Presents necessary interventions for a better integration among the State Safety Organizations. Key words: Public Safety. Militar Police. Civil Police. Integration.

9 8 S U M Á R I O 1 INTRODUÇÃO 16 2 ATUAÇÃO DAS POLÍCIAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE NATAL POLÍCIA MILITAR Breve histórico Estrutura organizacional Circunscrições dos Batalhões da Polícia Militar na Capital Distribuição de efetivo militar e viaturas das unidades do CPC Ocorrências policiais atendidas pelo CPC POLÍCIA CIVIL Breve histórico Estrutura organizacional Efetivo policial Circunscrições das Delegacias Distritais da Capital Dados estatísticos de registro de ocorrências policiais nas Delegacias Distritais da Capital A CIDADE DO NATAL Breve histórico Dados básicos do Município de Natal 59 3 A DICOTOMIA DO SETOR DE SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA CIVIL X POLÍCIA MILITAR O SISTEMA ÚNICO DE SEGURANÇA PÚBLICA 75

10 9 3.3 A ATUAÇÃO TERRITORIAL DISSOCIADA E OUTROS PROBLEMAS O POLICIAMENTO COMUNITÁRIO EM NATAL 84 4 PROPOSTAS INTERVENÇÕES NA POLÍCIA CIVIL INTERVENÇÕES NA POLÍCIA MILITAR OUTRAS PROPOSTAS DE INTEGRAÇÃO PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE AISPs NA CIDADE DO NATAL PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE ACISPs NA CIDADE DO NATAL CONSIDERAÇÕES FINAIS 105 REFERÊNCIAS 107 ANEXOS 111

11 10 LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS AISP - Área Integrada de Segurança Pública ACISP - Área de Coordenação Integrada de Segurança Publica APC - Agente de Polícia Civil APM - Academia de Polícia Militar Bel. - Bacharel BOPE - Batalhão de Operações Especiais BPGd - Batalhão de Polícia de Guarda BPM - Batalhão de Polícia Militar BPRE - Batalhão de Policia Rodoviária Estadual Btl - Batalhão Cel - Coronel CFAPM - Centro de Formação e Aperfeiçoamento da Polícia Militar Ch. - Chefe CHOQUE - Companhia de Polícia de Choque Cia - Companhia CES - Centro de Estudos Superiores CIPAM - Cia Independente de Proteção Ambiental CIPM - Cia Independente de Polícia Militar COINE - Coordenadoria de Informática e Estatística CIODS - Centro Integrado de Operações de Defesa Social CIOSP - Centro Integrado de Operações de Segurança Pública COLDEPOL - Colegiado de Delegados da Polícia Civil CONSEG - Conselho Comunitário de Segurança CONSEPOL - Conselho Superior da Polícia Civil COPOM - Central de Operações da Polícia Militar CPC - Comando do Policiamento da Capital CPFem - Companhia de Polícia Feminina CPGd - Companhia de Polícia de Guarda CPI - Comando de Policiamento do Interior CPM - Companhia de Polícia Militar CPRE - Comando de Policiamento Rodoviário Estadual CPRP - Companhia de Polícia de Rádio Patrulha CPTUR - Companhia de Proteção ao Turismo CSM - Centro de Suprimento e Manutenção CTM - Companhia Tático-Móvel DAL - Diretoria de Apoio Logístico DAME - Delegacia de Armas, Munições e Explosivos DCA - Delegacia da Criança e do Adolescente DE - Diretoria de Ensino ou Delegacia Especializada DEA - Delegacia Especializada em Adolescente DEAM - Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher DEAM-ZN - DEAM da Zona Norte DEATUR - Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista DEPREMA - Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente DEAV - Delegacia Especializada em Acidente de Veículos

12 DEC - Delegacia Especializada em Costumes DECAP - Delegacia Especializada em Capturas DECIDA - Delegacia Especializada em Atendimento ao Cidadão DECON - Delegacia Especializada em Atendimento ao Consumidor DEDEPP - Delegacia Especializada na Defesa do Patrimônio Público DEDF - Delegacia Especializada em Defraudações e Falsificações DEFUR - Delegacia Especializada em Furtos e Roubos DEHOM - Delegacia Especializada em Homicídios DEPROV - Delegacia Especializada em Veículos e Cargas DENARC - Delegacia Especializada em Narcóticos DF - Diretoria de Finanças DP - Delegacia Distrital, Distrito Policial ou Diretoria de Pessoal DPC - Delegado de Polícia Civil DPRE - Distrito de Policiamento Rodoviário Estadual DPZS 1E - 1ª Equipe da Delegacia de Plantão Zona Sul DPZN 2E - 2ª Equipe da Delegacia de Plantão Zona Norte DS - Diretoria de Saúde EMG - Estado-Maior Geral EPC - Escrivão de Polícia Civil EPMon - Esquadrão de Polícia Montada FS - Formação Sanitária HCCPG - Hospital Central Cel Pedro Germano HRPM - Hospital Regional da Polícia Militar IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IGPM - Inspetoria-Geral das Polícias Militares JPMS - Junta Policial Militar de Saúde Maj - Major ONG - Organização Não-Governamental p. - Página ou páginas PAE - Pelotão de Atividades Especiais PM - Polícia Militar PC - Polícia Civil PCS - Pelotão de Comando e Serviços PMN - Prefeitura Municipal de Natal PMRN - Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte PMMG - Polícia Militar do Estado de Minas Gerais PMPE - Polícia Militar do Estado de Pernambuco PMRJ - Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro QCG - Quartel do Comando Geral RN - Rio Grande do Norte ROCAM - Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas Sç - Seção Sç Ap Adm - Seção de Apoio Administrativo SEMURB - Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo SENASP - Secretaria Nacional de Segurança Pública SESED - Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social SUSP - Sistema Único de Segurança Pública Ten - Tenente Ten Cel - Tenente-Coronel 11

13 12 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Fotografia do Quartel do Comando Geral/PMRN 23 Figura 2 Organograma da PMRN 25 Figura 3 Organograma do CPC 27 Figura 4 Área I circunscrição do 1º BPM Natal/RN 29 Figura 5 Área II circunscrição do 5º BPM Natal/RN 30 Figura 6 Área III circunscrição do 4º BPM Natal/RN 30 Figura 7 Distribuição do número de Chamadas atendidas pelo CIOSP, no 1º semestre de 2007, por bairro Natal/RN 38 Figura 8 Taxa de ocorrências por habitantes registradas pelo CIOSP, no 1º semestre de 2007, por bairro Natal/RN 40 Figura 9 Distribuição do número de homicídios registrados pelo CIOSP, no 1º semestre de 2007, por bairro Natal/RN 41 Figura 10 Organograma geral da Polícia Civil 45 Figura 11 Distribuição das Delegacias Distritais em Natal 49 Figura 12 Mapa português da Fortaleza dos Reis Magos 52 Figura 13 Fotografia do Forte dos Reis Magos 53 Figura 14 Fotografia da Praça André de Albuquerque Figura 15 Localização geográfica de Natal RN 55 Figura 16 Fotografia da Rampa/Natal 2ª Guerra Mundial 56 Figura 17 Fotografia da praia de Ponta Negra 56 Figura 18 Bairro de Petrópolis Natal 57 Figura 19 Ponte de Todos Newton Navarro 58 Figura 20 Distribuição dos bairros de Natal por região administrativa 60 Figura 21 População residente por área geográfica Natal/RN 64 Figura 22 Densidade demográfica por área geográfica Natal/RN 65 Figura 23 Ligações de esgotos por área geográfica 66 Figura 24 Rendimento mensal médio por área geográfica 69 Figura 25 Localização das áreas subnormais por área geográfica Natal/RN 72 Figura 26 Centro Integrado de Operações de Defesa Social 74 Figura 27 Mapa das circunscrições dos Batalhões PM por bairro 79

14 13 Figura 28 Base Comunitária do Conjunto Gramoré 86 Figura 29 Proposta de organograma para a DPGRAN 94 Figura 30 Circunscrições das Delegacias Distritais em Natal/RN 95 Figura 31 Proposta de implantação de Delegacias Seccionais em Natal/RN 96 Figura 32 Proposta de organograma para os Batalhões com responsabilidade territorial em Natal/RN 97 Figura 33 Proposta de organograma para a CPC 98 Figura 34 Proposta de circunscrições para os Batalhões PM com responsabilidade territorial em Nata/RN 99 Figura 35 Proposta de circunscrições para as Companhias PM com responsabilidade territorial em Natal/RN 100 Figura 36 Proposta de Criação de AISPs na cidade do Natal 103 Figura 37 Proposta de Criação de ACISPs na cidade do Natal 104

15 14 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1 Ocorrências policiais da Capital por área (jan a 14/nov/2006) 34 Gráfico 2 Ocorrências registradas na Capital por dia da semana, nas áreas I, II e III (jan a 14/nov/2006) 35 Gráfico 3 Ocorrências registradas na capital mês a mês (jan a 14/nov/2006) 35 Gráfico 4 Ocorrências policiais com mais de registros - por tipo (jan a 14/nov/2006) - Área I 36 Gráfico 5 Ocorrências policiais com mais de registros - por tipo (jan a 14 nov/2006) - Área II 37 Gráfico 6 Ocorrências policiais com mais de registros - por tipo (jan a 14 nov/2006) - Área III 37 Gráfico 7 Distribuição do número de chamadas atendidas pelo CIOSP, 1º semestre de 2007, por dia da semana e horário Natal/RN 39 Gráfico 8 Distribuição do número de chamadas atendidas pelo CIOSP, no 1º semestre de 2007, por tipologia Natal/RN 39 Gráfico 9 Distribuição da população de Natal por região administrativa 62

16 15 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Distribuição das viaturas das unidades do CPC dez/ Tabela 2 Efetivo das unidades subordinadas ao CPC dez/ Tabela 3 Distribuição do efetivo do 4º BPM dez/ Tabela 4 Distribuição do efetivo do 9º BPM 33 Tabela 5 Distribuição do efetivo das Delegacias Distritais 47 Tabela 6 Distribuição do efetivo das Delegacias Especializadas 47 Tabela 7 Distribuição do efetivo da Delegacia de Plantão Zona Sul 48 Tabela 8 Distribuição do efetivo da Delegacia de Plantão Zona Norte 48 Tabela 9 Delegacias e circunscrições Natal/RN 50 Tabela 10 Ocorrências policiais registradas nas DPs da Capital mês a mês (jan a dez/2006) 51 Tabela 11 Regiões administrativas e bairros de Natal/RN 59 Tabela 12 População por gênero e por bairro de Natal/RN 61 Tabela 13 Áreas, domicílios ocupados, população residente e densidade demográfica Natal/RN 63 Tabela 14 Percentual de drenagem e pavimentação dos bairros Natal/RN 67 Tabela 15 Rendimento mensal de residentes por bairro Natal/RN 68 Tabela 16 Rendimento médio mensal, por bairro e por região administrativa Natal/RN 70 Tabela 17 População residente alfabetizada, com 5 anos ou mais de idade Natal/RN 71

17 16 1 INTRODUÇÃO Las ciudades han sido señaladas como el centro de interés de la seguridad comunitaria. Si una ciudad se siente segura y es segura, las personas residirán en ella, la vida económica florecerá y la ciudad será atractiva. Décimo Congreso de las Naciones Unidas sobre Prevención del Delito y Tratamiento del Delincuente. Viena, 10 a 17 de abril de 2000.

18 17 A Segurança Pública é um bem democrático, legitimamente desejado por todos os setores sociais, um direito fundamental da cidadania, obrigação constitucional do Estado e responsabilidade de cada um de nós, como definido no relatório de atividades da implantação do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP) da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) - Ministério da Justiça ( ). A dualidade histórica do setor de Segurança Pública no Brasil criou um distanciamento entre a Polícia Militar (PM) e a Polícia Civil (PC). Afora as polícias sob responsabilidade da União Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Ferroviária Federal existem duas polícias estaduais: a Militar, com atribuição de execução do policiamento preventivo-ostensivo-fardado; e a Civil, com finalidade investigativo-repressivo-judiciária. Ou seja, cada Instituição cumpre uma parte do ciclo do trabalho policial. Na assertiva de Mariano (2002), conflitos de competência e duplicidade de gerenciamento, de operação de equipamentos e de ações de policiamento fazem parte do cotidiano das Polícias nos estados. Um dos maiores problemas estruturais das polícias estaduais é a dificuldade de trabalharem integradamente. Em Natal, as polícias estaduais possuem atuações geográficas diferentes, no tocante às circunscrições das unidades policiais. Quer dizer, os quinze Distritos Policiais (DP) existentes não possuem a mesma responsabilidade territorial assumida pelos quatro Batalhões de Polícia Militar (BPM) que atuam na Capital. Essa atuação territorial dissociada também ocorre no interior do Estado. O principal objetivo deste trabalho é propor a criação de Áreas Integradas de Segurança Pública (AISPs) na cidade do Natal, de modo a possibilitar a compatibilização das circunscrições das Delegacias Distritais da Polícia Civil com as circunscrições das Companhias de Polícia Militar, com vistas à otimização de resultados das políticas públicas de Segurança no Estado do Rio Grande do Norte. A pesquisa também pretende atingir os seguintes objetivos da política de segurança pública: (1) integrar as polícias, entre si, com as comunidades e com as agências públicas e privadas prestadoras de serviços essenciais à população; (2)

19 18 melhorar a qualidade dos serviços de segurança pública, à luz de diagnósticos tecnicamente orientados sobre a criminalidade e a violência, adequando as forças policiais aos seus ambientes diversificados de atuação e às demandas específicas de cada localidade; (3) orientar a racionalização dos recursos de segurança pública, incorporando os serviços públicos essenciais ao planejamento estratégico das organizações policiais; (4) possibilitar a participação da comunidade na gestão da segurança pública, através de Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGs), com caráter consultivo, a serem implantados em cada AISP; e (5) tornar mais ágeis os serviços de segurança pública, pela transferência de autonomia decisória e operacional para as unidades locais e para os agentes de ponta. É de bom alvitre ressaltar que este trabalho poderá servir de referência para a integração geográfica das circunscrições policiais de todo o território potiguar, sendo apropriado observar a recomendação contida em Prevenção Comunitária do Crime e da Violência em Áreas da América Latina: Um Guia para Municípios (2003, p. 19), elaborado pelo Banco Mundial: É importante combater o crime por toda uma área metropolitana. Isto quer dizer que a coordenação fica melhor situada no âmbito metropolitano. Onde uma área metropolitana engloba mais de um município, os municípios ainda assim podem ter programas e oferecer infra-estrutura e recursos para a estratégia mais ampla de prevenção do crime e da violência. A experiência profissional dos autores, construída ao longo de 20 (vinte anos) de serviço policial atualmente o Tenente-Coronel André Azevedo desempenha a função de Ajudante-de-Ordens da Governadora e o Delegado de Polícia Civil César Rodrigues é o Titular do 10º Distrito Policial de Natal foi um importante determinante para a construção da proposta do presente trabalho, desenvolvido durante o VII Curso Superior de Polícia, realizado no turno vespertino, com aulas diárias e provas semanais, contanto com 21 (vinte e uma) disciplinas, no período de março a outubro de 2007, sem prejuízo das funções policiais de ambos. Por esta razão, deixou-se de elaborar uma proposta de integração para a Região Metropolitana da Capital, vez que o tempo disponível não seria suficiente para a conclusão da atividade.

20 19 A pesquisa foi desenvolvida com foco principal na atuação das unidades operacionais das polícias Militar e Civil, que possuem responsabilidade territorial (circunscrição) na cidade de Natal. Para atingir os fins pretendidos, desenvolveu-se a pesquisa aplicada, sob o ponto de vista de sua natureza, vez que os conhecimentos dela resultantes servirão à solução de um problema específico: a criação de AISPs em Natal. Do ponto de vista da forma de abordagem, a pesquisa quantitativa foi utilizada para a observação dos dados referentes à população, ao espaçamento geográfico, a indicadores sócio-econômicos e de incidência criminal, dentre outros. E a qualitativa foi guiada pela interatividade com os Delegados titulares das DPs e Comandantes de BPM e de Cia. PM, na busca de informações que propiciaram o alcance dos objetivos propostos. O caráter quantitativo, de um lado, é observado na medida em que foram analisados dados estatísticos referentes a incidência criminal, indicadores sócioeconômicos e populacionais. De outro, o enfoque qualitativo da pesquisa fica evidenciado pela realização das entrevistas com policiais civis e militares. A pesquisa exploratória foi utilizada para explicitar o problema e torná-lo familiar. Para tanto, realizou-se levantamento bibliográfico e observaram-se exemplos de outros estados que implantaram a integração territorial. Ainda sob o aspecto de seus objetivos, pode-se afirmar sua natureza descritiva, pois a pesquisa buscou caracterizar as peculiaridades geográficas, população, indicadores sociais e econômicos, assim como a incidência criminal de cada AISP. Adotou-se como ponto de partida a análise da realidade organizacional das polícias, bem como da configuração espacial do município de Natal, para a propositura de novas áreas com circunscrições policiais conjuntas, considerando os indicadores sociais, econômicos e de incidência criminal, assim como os oriundos dos setores censitários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - unidades elementares com as quais trabalha o censo, compreendidas como referências

21 20 atômicas para os dados demográficos indispensáveis à contextualização dos números absolutos de crimes e resultados de ações policiais, que se tornam relativizados, ou seja, comparáveis entre si e passíveis de análise. O trabalho foi dividido em quatro partes. Inicialmente, trata-se de demonstrar a atuação das polícias estaduais no município de Natal, discorrendo-se brevemente sobre o histórico de cada instituição policial, suas estruturas organizacionais, atribuições constitucionais, legislação vigente, dados relativos a efetivos e viaturas, estatísticas e circunscrições policiais. Focaliza-se, ainda, de maneira simplificada, a origem, situação atual e perspectivas do município do Natal, através de informações gerais e dados básicos, além de pesquisas recentes referentes à segurança pública em Natal. Na seqüência, observam-se a dicotomia do setor de Segurança Pública, consubstanciada no distanciamento histórico das instituições policiais brasileiras, bem como alguns aspectos do Sistema Único de Segurança Pública implantado pelo Governo Federal, as peculiaridades do policiamento comunitário em Natal e a necessidade de descentralização do Batalhão de Polícia Militar, como célula básica de produção de Segurança na Capital. Por fim, apresenta-se a proposta de criação das Áreas Integradas de Segurança Pública (AISPs) em Natal.

22 21 2 ATUAÇÃO DAS POLÍCIAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE NATAL As polícias civis e militares, freqüentemente, operam descoordenadas e, muitas vezes, em regime de franca hostilidade, decorrente de uma indesejável competição por maior porção de poder de polícia a ser usado individualmente como moeda de troca. É o mais grave problema da administração policial, principalmente em nível estadual. É necessário enfrentar este problema e encontrar formas de estreita colaboração e integração, respeitadas as competências de cada instituição. Valla (1999, p. 32).

23 22 O texto constitucional brasileiro, através do art. 144, estabelece que a segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através da polícia federal; polícia rodoviária federal; polícias civis; polícias militares; e corpos de bombeiros militares (EC nº 19/98), delimitando as competências das polícias estaduais conforme parágrafos seguintes: 4º Às polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de carreira, incubem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares. 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil. O Capítulo VIII da Constituição Estadual do Rio Grande do Norte estabelece, em seu art. 90, que a segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através da Polícia Civil e da Polícia Militar. À Polícia Civil, dirigida por Delegado de Polícia de carreira, escolhido e nomeado pelo Governador do Estado dentre os integrantes da última Classe, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as militares. À Polícia Militar cabem o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública. É força auxiliar e reserva do Exército, subordinando-se, juntamente com a Polícia Civil, ao Governador do Estado. 2.1 A POLÍCIA MILITAR Serão observados alguns aspectos referentes ao histórico da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, sua estrutura organizacional e, de forma mais detalhada, a atuação do Comando de Policiamento da Capital, pela análise de seu organograma e de dados estatísticos de ocorrências policiais atendidas pela Polícia Militar na Capital.

24 Breve Histórico A origem das Polícias Militares do Brasil tem seu marco legal inicial no Decreto de 13 de maio de 1809, que cria a Divisão Militar da Guarda Real do Rio de Janeiro, logo após a transferência da família real portuguesa para o Brasil. O Corpo Policial do Rio Grande do Norte foi criado através da Resolução nº 37, de 04 de novembro de 1836, no governo João Ferreira de Aguiar, então Presidente da Província. Somente no ano de 1947 passou a se denominar Polícia Militar do Rio Grande do Norte. O atual Quartel do Comando Geral, situado à Av. Rodrigues Alves, foi inaugurado em 30 de maio de 1953, durante o governo de Sílvio Pedroza, ocasião em que o efetivo policial somava homens. Figura 1: Fotografia do QCG/PMRN Fonte: 5ª Seção/EMG/PMRN

25 24 A Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte é organizada com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade do Governador, nos termos do Decreto- Lei nº 667, de 02 de julho de 1969, com as modificações do Decreto-Lei nº 1.406, de 24 de junho de 1975, do Decreto-Lei nº 2.010, de 12 de janeiro de 1983, e da Constituição Estadual, em seu Art. 90. Destina-se a garantir os poderes constituídos, assegurar o cumprimento da Lei e a manutenção da ordem pública, em todo o território estadual, conforme estabelecem a Lei Complementar nº 090, de 04 de janeiro de 1991 e suas alterações. Competem à Polícia Militar, com exclusividade, ressalvadas as disposições de leis federais: a execução do policiamento ostensivo fardado; a preservação da ordem pública; a atuação de maneira preventiva, como força de dissuasão, em locais de área específica onde se presuma ser possível a perturbação da ordem; a atuação de maneira repressiva, em caso de perturbação da ordem, precedendo o eventual emprego das Forças Armadas. Também são de responsabilidade da PM: o trabalho integrado com as polícias Civil e Federal, no combate ao tráfico de drogas e ao seqüestro; o atendimento a convocação, inclusive mobilização, do Governo Federal, em caso de guerra externa, ou para prevenir ou reprimir grave perturbação da ordem ou ameaça de sua irrupção, subordinando-se à Força Terrestre, para emprego em suas atribuições específicas de Polícia Militar e como participante das defesas interna e territorial; e, ainda, a participação, através dos seus organismos especificados, da defesa do meio ambiente, dentre outras obrigações legais Estrutura organizacional A PM tem sua organização básica definida pela Lei Complementar nº 090, de 04 de janeiro de 1991, com as alterações advindas da Lei Complementar nº 131, de 03 de maio de 1995, e posteriores modificações. A observação do organograma seguinte propicia uma visão geral da estruturação da Corporação.

26 Figura 2: Organograma Geral da Polícia Militar do RN - PMRN 25 COMANDANTE GERAL 1ª Seção Gab. Cmt. Geral 2ª Seção Comissões SUB-COMANDO e Ch/EMG 3ª Seção Ajudância Geral 4ª Seção Cia. de Comando 5ª Seção DAL DE DP CPC CPRE CPI DF DS CSM CES APM CFAPM HCCPG HRPM JPMS FS 1ºBPM 4ºBPM 5ºBPM 9ºBPM ROCAM CPFem EPMON BOPE CIPAM 2º BPM 3ºBPM 6ºBPM 7ºBPM 8ºBPM 10ºBPM 1ªCIPM 2ªCIPM 3ªCIPM CPRP 1ªCPM CPRP 1ªCPM CPRP 1ªCPM 1ªCPM 2ªCPM CPM CPM CPM CPM CPM CPM 2ªCPM CPTUR 2ªCPM CPGd 2ªCPM 3ªCPM 1ªDPRE 2ªDPRE 3ªDPRE 4ªDPRE 5ªDPRE Fonte: 5ª Seção/EMG/PMRN

27 26 A Instituição está estruturada através de órgãos de direção, apoio e execução. No nível de direção, encontram-se o Comandante-Geral e seu staff, e o Sub- Comandante da Polícia Militar com seu Estado-Maior, composto por cinco seções e as diretorias. Os órgãos de apoio subordinam-se às diretorias. Os órgãos de execução encontram-se no nível operacional da Corporação. As Unidades de Polícia Militar da Capital e as do Interior são subordinadas, respectivamente, ao Comando de Policiamento da Capital (CPC) e ao Comando de Policiamento do Interior (CPI), órgãos responsáveis, perante o Comandante Geral, pela preservação da ordem pública na Capital e no Interior do Estado, no que compete à Polícia Militar, de acordo com as diretrizes e ordens emanadas do Comando Geral. Os Comandos de Policiamento da Capital e do Interior são escalões intermediários de Comando, tendo sob sua subordinação, para fins operacionais, as Unidades e Subunidades de Polícia Militar com sede na Capital e no Interior do Estado. O foco central deste trabalho são as unidades operacionais que possuem responsabilidade territorial na Capital (1º, 4º, 5º e 9º BPM) e encontram-se sob o comando do CPC. As unidades especializadas Batalhão de Operações Especiais (BOPE), Esquadrão de Polícia Montada (EPMon), unidade de Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), Companhia de Polícia Feminina (CPFem) e Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM) não serão, a priori, objetos de estudo da pesquisa. O 9º BPM, apesar de possuir características de unidade especializada, será considerado unidade operacional com responsabilidade territorial. Demonstram-se, a seguir, dados relativos ao organograma do Comando de Policiamento da Capital, seu efetivo, viaturas próprias e ocorrências registradas na Capital.

Infográficos Cidades@

Infográficos Cidades@ Page 1 of 18 Instituto eiro de Geografia e Estatística Infográficos Cidades@ - RN Page 2 of 18 Dados Básicos População Área Bioma 803.811 hab. 167,16 km 2 Caatinga e Mata Atlântica Localização da Sede

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Faculdade de Direito TEMA: O DIREITO À SEGURANÇA A COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL

Universidade Federal de Alagoas Faculdade de Direito TEMA: O DIREITO À SEGURANÇA A COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL TEMA: O DIREITO À SEGURANÇA A COMO UM DIREITO FUNDAMENTAL O QUE É DIREITO? O QUE É DIREITO FUNDAMENTAL? O QUE É SEGURANÇA? A? COMO GARANTIR O DIREITO À SEGURANÇA NUM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO? MAPA

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR Maslow e as necessidades humanas: A preocupação com a segurança. Qualificando a palavra segurança : Conceito

Leia mais

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque

Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque Guarda Municipal de Fortaleza Direito Constitucional Segurança Pública Emilly Albuquerque 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. SEGURANÇA PÚBLICA Art. 144 CF Art.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 9 17/10/2013 13:46 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.165, DE 29 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei n o 6.450, de 14 de outubro

Leia mais

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Subordinação: Finalidade: ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR - ADMINISTRAÇÃO DIRETA AO PREFEITO

Leia mais

Segurança e Justiça. Coordenador de Área: prof. Álvaro Alves de Moura Jr. Professor Responsável: Paulo Rogério Scarano

Segurança e Justiça. Coordenador de Área: prof. Álvaro Alves de Moura Jr. Professor Responsável: Paulo Rogério Scarano Segurança e Justiça Coordenador de Área: prof. Álvaro Alves de Moura Jr. Professor Responsável: Paulo Rogério Scarano Estagiários: Fernanda Crivorncica, Milena Castro de Medeiros, Ricardo Antônio Saito

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA Publicada no Diário Oficial nº 1.880 de 10 de setembro de 1998 LEI COMPLEMENTAR Nº 027 DE 09 DE SETEMBRO

Leia mais

Quartel em Mossoró/RN, 18 de junho de 2015 BOLETIM INTERNO Nº 107. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte:

Quartel em Mossoró/RN, 18 de junho de 2015 BOLETIM INTERNO Nº 107. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte: ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR COMANDO DE POLICIAMENTO REGIONAL 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO - AME/RJ

ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO - AME/RJ ot nojo ~ /20U Rio de Janeiro, 27 de setembro de ~OU. Do: Presidente da AMEIRJ. ;\0: ~xmo Sr. Procurador Geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Assunto: Desvio de função. Esta Associação, considerando

Leia mais

SEGURANÇA PÚBLICA ARTIGOS 42 E 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

SEGURANÇA PÚBLICA ARTIGOS 42 E 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL SEGURANÇA PÚBLICA ARTIGOS 42 E 144 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Segurança Pública, no entendimento do professor Orlando Soares (in Comentários à Constituição da República Federativa do Brasil), traduz o estado

Leia mais

Segurança Pública no Brasil Gestão e Tecnologia na redução criminal O exemplo de São Paulo

Segurança Pública no Brasil Gestão e Tecnologia na redução criminal O exemplo de São Paulo Secretaria de Segurança Pública Segurança Pública Polícia Militar de S. Paulo Segurança Pública no Brasil Gestão e Tecnologia na redução criminal O exemplo de São Paulo Coronel PM Ricardo Gambaroni Comandante

Leia mais

=BOLETIM INTERNO N 101/13 - BPTran= PARA CONHECIMENTO DO BPTRAN E DEVIDA EXECUÇÃO, PUBLIQUE-SE O SEGUINTE:

=BOLETIM INTERNO N 101/13 - BPTran= PARA CONHECIMENTO DO BPTRAN E DEVIDA EXECUÇÃO, PUBLIQUE-SE O SEGUINTE: ESTADO DO AMAPÁ POLÍCIA MILITAR BATALHÃO DE POLICIAMENTO DE TRÂNSITO - BPTran QUARTEL EM MACAPÁ-AP 07 DE JUNHO DE 2013 6ª FEIRA =BOLETIM INTERNO N 101/13 - BPTran= PARA CONHECIMENTO DO BPTRAN E DEVIDA

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

DIREITO CONSTITUCIONAL DANIELA MURARO DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS 11.1 DEFINIÇÃO A Constituição de 1988, nos arts. 136 a 141, prescreve as regras relativas ao Estado de Defesa e ao Estado Sítio. São normas que visam à

Leia mais

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 DISPÕE sobre a SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA SSP, definindo suas finalidades, competências e estrutura organizacional, fixando o seu quadro de cargos

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO ESTADO MAIOR GERAL 3ª SEÇÃO

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO ESTADO MAIOR GERAL 3ª SEÇÃO ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLICIA MILITAR DO MARANHÃO ESTADO MAIOR GERAL 3ª SEÇÃO. Jerônimo de Albuquerque, s/n - Calhau São Luís MA CEP: 65.074-220tel. (098) 3268-3059

Leia mais

Quartel em Mossoró/RN, 25 de julho de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 136. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte:

Quartel em Mossoró/RN, 25 de julho de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 136. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte: ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR COMANDO DE POLICIAMENTO REGIONAL - I 2º BATALHÃO DE POLÍCIA

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1º COMANDO DE POLICIAMENTO DE ÁREA 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1º COMANDO DE POLICIAMENTO DE ÁREA 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1º COMANDO DE POLICIAMENTO DE ÁREA 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR OBJETIVO Apresentar o cenário atual da Unidade, para o público presente por ocasião dos Eventos

Leia mais

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 225. Mossoró/RN, em 01 de Dezembro de 2014. (Segunda-feira)

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 225. Mossoró/RN, em 01 de Dezembro de 2014. (Segunda-feira) RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL 12º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR 01 P-1 BOLETIM INTERNO N.º 225 Mossoró/RN, em 01

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DAS ATIVIDADES DA CTI 1

RELATÓRIO FINAL DAS ATIVIDADES DA CTI 1 RELATÓRIO FINAL DAS ATIVIDADES DA CTI 1 1. INTRODUÇÃO A discussão em torno do tema criminalidade e violência é um assunto recorrente e atual em nossa sociedade. Aliado também ao crescente tráfico e uso

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.022, DE 8 AGOSTO DE 2014. Dispõe sobre o Estatuto Geral das Guardas Municipais. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que

Leia mais

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 Estabelece as competências da Secretaria de Segurança Legislativa do Senado Federal e das Subsecretarias e Serviços a ela subordinados. O DIRETOR-GERAL DO SENADO FEDERAL,

Leia mais

AGORA É ASSIM: VOCÊ DECIDE, A PREFEITURA FAZ.

AGORA É ASSIM: VOCÊ DECIDE, A PREFEITURA FAZ. AGORA É ASSIM: VOCÊ DECIDE, A PREFEITURA FAZ. Você já ouviu falar Nesse tal de orçamento? O que entra de recursos Na administração Terá que ser todo gasto Em prol da população ISS, IPTU Fundo de Participação

Leia mais

BOLETIM INTERNO Nº. 078 Nova Cruz/RN, 28 de abril de 2014. (segunda-feira)

BOLETIM INTERNO Nº. 078 Nova Cruz/RN, 28 de abril de 2014. (segunda-feira) Confere ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 001 SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO 8º BPM BOLETIM INTERNO Nº. 078 Nova Cruz/RN, 28 de abril de 2014. (segunda-feira) COMANDANTE DO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Competência da Justiça Militar Paulo Tadeu Rodrigues Rosa* A Justiça Militar é um dos órgãos do Poder Judiciário, com previsão constitucional e Lei de Organização Judiciária que

Leia mais

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 042. Mossoró/RN, em 05 de março de 2015. (Quarta-feira)

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 042. Mossoró/RN, em 05 de março de 2015. (Quarta-feira) RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL 12º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR 01 P-1 BOLETIM INTERNO N.º 042 Mossoró/RN, em 05

Leia mais

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 049. Mossoró/RN, em 16 de março de 2015. (Segunda-feira)

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 049. Mossoró/RN, em 16 de março de 2015. (Segunda-feira) RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL 12º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR 01 P-1 BOLETIM INTERNO N.º 049 Mossoró/RN, em 16

Leia mais

Condomínios mais Seguros

Condomínios mais Seguros Condomínios mais Seguros Palestra ministrada pelo Capitão Yasui Comandante da 2ª Companhia do 49º Batalhão de Polícia Militar. 13/04/2011 Formulado por um grupo de trabalho composto por policiais civis

Leia mais

ATIVIDADE JURÍDICA EXERCIDA POR OFICIAIS DAS POLÍCIAS MILITARES. Edgard Antônio de Souza Júnior

ATIVIDADE JURÍDICA EXERCIDA POR OFICIAIS DAS POLÍCIAS MILITARES. Edgard Antônio de Souza Júnior ATIVIDADE JURÍDICA EXERCIDA POR OFICIAIS DAS POLÍCIAS MILITARES Edgard Antônio de Souza Júnior Oficial da Polícia Militar de Minas Gerais (1º Tenente QOPM) Professor de Direito Penal (Comum e Militar)

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 Dispõe sobre a organização básica do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG - e dá outras providências. O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes,

Leia mais

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÃO DO ANEXO III DO DECRETO N 2.456, DE 24.09.1982. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ, no uso de suas atribuições que lhe confere o art. 135, inciso

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO EMPREGO DAS FORÇAS ARMADAS NA SEGURANÇA INTEGRADA AMPARO LEGAL Art 142/CF 88....destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa

Leia mais

BOLETIM INTERNO Nº. 011 Natal/RN, 14 de Março de 2014. (Sexta-feira)

BOLETIM INTERNO Nº. 011 Natal/RN, 14 de Março de 2014. (Sexta-feira) BI Nº. 011 CIPGd 14 DE MARÇO DE 2014 56 RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO METROPOLITANO COMPANHIA INDEPENDENTE DE

Leia mais

Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ

Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ Metodologia de Reagregação de Códigos para Publicação em DOERJ Em atendimento à determinação do Exmo. Sr. Secretário de Segurança, foi elaborado um modelo de adequação do sistema de agregação dos títulos

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE SEGURANÇA A G E N D A

ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE SEGURANÇA A G E N D A Subsecretaria de Planejamento e Integração Operacional ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE SEGURANÇA A G E N D A UNIDADE DE POLÍCIA PACIFICADORA U.P.P. O SISTEMA DE METAS E ACOMPANHAMENTO DE RESULTADOS

Leia mais

Rede de Defesa e Segurança

Rede de Defesa e Segurança Rede de Defesa e Segurança 1 PROGRAMA ALIANÇA PELA VIDA Objetivo: Estruturar ações integradas de prevenção, acolhimento e tratamento dos usuários e dependentes de álcool e outras drogas e seus familiares,

Leia mais

SEGURANÇA MUNICIPAL EM GUARULHOS DIAGNÓSTICO E PROJETOS

SEGURANÇA MUNICIPAL EM GUARULHOS DIAGNÓSTICO E PROJETOS SEGURANÇA MUNICIPAL EM GUARULHOS DIAGNÓSTICO E PROJETOS INTRODUÇÃO PROPOSTA ELABORAÇÃO DE UM DIAGNÓSTICO REALISTA. MATERIAL ESTATÍSTICAS, MAPEAMENTO DO CRIME MAPEAMENTO DA CONDIÇÃO SOCIAL ENTREVISTAS COM

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2003 Dispõe sobre o Departamento de Polícia Legislativa, a reestruturação dos cargos de Analista Legislativo - atribuição Inspetor de Segurança Legislativa e Técnico Legislativo - atribuição

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 001/2015-DP/4

PROCESSO SELETIVO Nº 001/2015-DP/4 ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO MARANHÃO DIRETORIA DE PESSOAL Av. Jerônimo de Albuquerque, s/n, Calhau, CEP.: 65.074-220, Fone: (98) 3227-4088 PROCESSO SELETIVO

Leia mais

LEI DE ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA PMPA. (L O B) Versão atualizada e com alterações em negrito

LEI DE ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA PMPA. (L O B) Versão atualizada e com alterações em negrito LEI DE ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA PMPA (L O B) Versão atualizada e com alterações em negrito BELÉM-PA / JAN 2014 EQUIPE RESPONSÁVEL: MAJ PM MARINHO CAP PM DE OLIVEIRA SGT PM RAPOSO SD PM TESSA MONTAGEM E ORGANIZAÇÃO:

Leia mais

Análise da cobertura vegetal em Natal:

Análise da cobertura vegetal em Natal: V.3 - N.3 - Agosto de 2015 21 Análise da cobertura vegetal em Natal: Elementos para a Sustentabilidade Urbana W. Júnior Fernando Antonio Carneiro de Medeiros Engenheiro Civil do Parque da Cidade Estudar

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DA DEFESA CIVIL / CBMERJ CONSTITUIÇÃO FEDERAL

LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DA DEFESA CIVIL / CBMERJ CONSTITUIÇÃO FEDERAL LEGISLAÇÃO DE INTERESSE DA DEFESA CIVIL / CBMERJ CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art.5º Todos são iguais perante a lei.. XI a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE VIGILANTE GRADE CURRICULAR

CURSO DE FORMAÇÃO DE VIGILANTE GRADE CURRICULAR www.mariz.eti.br CURSO DE FORMAÇÃO DE VIGILANTE GRADE CURRICULAR Dentre as mudanças trazidas pela Portaria nº 3.233/12, podemos destacar a ampliação da carga horária de alguns cursos oficiais. O Curso

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DO POLICIAMENTO METROPOLITANO ROCAM

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DO POLICIAMENTO METROPOLITANO ROCAM 0 1 RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DO POLICIAMENTO METROPOLITANO ROCAM BOLETIM INTERNO N.º 200 Natal/RN, em 27 de outubro de 2015

Leia mais

AS POLÍCIAS MILITARES E A PRESERVAÇÃO DA ORDEM PÚBLICA

AS POLÍCIAS MILITARES E A PRESERVAÇÃO DA ORDEM PÚBLICA AS POLÍCIAS MILITARES E A PRESERVAÇÃO DA ORDEM PÚBLICA INTRODUÇÃO O constituinte de 1988 inaugurou no Direito Constitucional brasileiro um capítulo sobre a segurança pública, e o fez repartindo competência

Leia mais

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador Coordenador: SEGURANÇA Visão: Que Santa Maria tenha os melhores indicadores de Segurança Pública, entre os municípios do Rio Grande do Sul com mais de 100 mil habitantes, garantindo a prevenção e o controle

Leia mais

sistema de garantia de direitos sgd

sistema de garantia de direitos sgd sistema de garantia de direitos sgd Município de NATAL RN ÓRGÃOS DE CONTROLE DO SGD COMDICA Av. Bernardo Vieira, 2180, Lagoa Seca Telefone: (84) 232-9249 Conselho de Educação Rua Fabrício Pedrosa, 915,

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DONORTE 9ª. PROMOTORIAS DE JUSTICA DA COMARCA DE NATAL COM ATRIBUIÇÕES NA ÁREA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E DO IDOSO Central do Cidadão do Praia Shopping

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 463, DE 03 DE JANEIRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 463, DE 03 DE JANEIRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 463, DE 03 DE JANEIRO DE 2012. Dispõe sobre o subsídio dos Militares do Estado e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

DECRETO Nº 7.643 de 10 de junho de 2005.

DECRETO Nº 7.643 de 10 de junho de 2005. DECRETO Nº 7.643 de 10 de junho de 2005. Dispõe sobre as competências, a estrutura básica e o Quadro de Lotação de Cargos Comissionados da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo - SEMURB, e

Leia mais

C0NTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO TROPA DE ELITE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

C0NTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO TROPA DE ELITE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL C0NTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO TROPA DE ELITE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL 1. CONHECIMENTOS GERAIS 1.1. LÍNGUA PORTUGUESA: 1. Compreensão e intelecção de textos. 2. Tipologia textual. 3. Ortografia

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO IV Nº180 FORTALEZA, 20 DE SETEMBRO DE 2012

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO IV Nº180 FORTALEZA, 20 DE SETEMBRO DE 2012 DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO IV Nº180 FORTALEZA, 20 DE SETEMBRO DE 2012 LEI Nº15.217, de 05 de setembro de 2012. DISPÕE SOBRE A ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA POLÍCIA MILITAR DO CEARÁ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Autora: Arimá Viana Barroso. Natal RN 2 0 0 3. Chefe do Setor de Estatística e Informações

Autora: Arimá Viana Barroso. Natal RN 2 0 0 3. Chefe do Setor de Estatística e Informações Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão Estratégica - SEMPLA Departamento de Estudos e Pesquisas Setor de Estatística e Informações Chefe do Setor de Estatística e Informações

Leia mais

Justiça Militar estadual e Justiça de Transição. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas que garantiam a dominação sobre a colônia.

Justiça Militar estadual e Justiça de Transição. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas que garantiam a dominação sobre a colônia. Justiça Militar estadual e Justiça de Transição Justiça Militar no Império Conselho Supremo Militar e de Justiça Decreto de 1º de abril de 1808. Necessidade de preservar a unidade e obediência das tropas

Leia mais

CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - CONSEG

CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ CONFERÊNCIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - CONSEG CONFERÊNCIA LIVRE DO SISTEMA DE JUSTIÇA MPPR/ OAB/ TJ Princípio A segurança pública deve promover a cidadania e prevenir a criminalidade. Princípio As políticas de segurança pública devem ser transversais.

Leia mais

Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006. (pt. nº. 3.556/06)

Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006. (pt. nº. 3.556/06) Ato Normativo nº. 473-CPJ, de 27 de julho de 2006 (pt. nº. 3.556/06) Constitui, na comarca da Capital, o Grupo de Atuação Especial de Inclusão Social, e dá providências correlatas. O Colégio de Procuradores

Leia mais

Quartel em Mossoró/RN, 25 de março de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 056. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte:

Quartel em Mossoró/RN, 25 de março de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 056. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte: =001= ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR COMANDO DE POLICIAMENTO REGIONAL - I 2º BATALHÃO DE

Leia mais

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo Princípios e diretrizes de Segurança Pública Eixo 1 1. Fortalecimento do pacto federativo; 2. Municipalização da Segurança Pública; 3. Estabelecer

Leia mais

Quartel em Mossoró/RN, 13 de novembro de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 209. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte:

Quartel em Mossoró/RN, 13 de novembro de 2014 BOLETIM INTERNO Nº 209. Para o conhecimento desta Unidade e devida execução, publico o seguinte: ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO DO INTERIOR COMANDO DE POLICIAMENTO REGIONAL 2º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

Leia mais

Apresentada operação de segurança para o Carnaval da Bahia 2016 Com a presença do governador Rui Costa e demais autoridades, foi apresentada, nesta

Apresentada operação de segurança para o Carnaval da Bahia 2016 Com a presença do governador Rui Costa e demais autoridades, foi apresentada, nesta Apresentada operação de segurança para o Carnaval da Bahia 2016 Com a presença do governador Rui Costa e demais autoridades, foi apresentada, nesta quarta-feira (27), no Hotel Fiesta, em Salvador, a operação

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010 RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010 Institui o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública CIOSP no âmbito da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa

Leia mais

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 30101 - Ministério da Justiça

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 30101 - Ministério da Justiça Programa 1127 Sistema Único de Segurança Pública - SUSP Numero de Ações 12 Ações Orçamentárias 2272 Gestão e Administração do Programa Produto: - Unidade de Medida: - Esfera: 10 Função: 06 - Segurança

Leia mais

MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL

MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL CONJACI CONSELHO DISTRITAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE JACI-PARANÁ Distrito de Jaci-Paraná Município de Porto Velho - RO MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL Dezembro de 2012. MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL

Leia mais

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01

Anexo I - Plano de Classificação de Documentos 33.01.01.01 Anexo I - Plano de Classificação de Documentos Secretaria de Estado de Segurança - SESEG Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - PMERJ 33 - Competência: Exercer a polícia ostensiva e a preservação

Leia mais

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual

A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO. Diversos problemas levaram à situação atual A SEGURANÇA É HOJE A PRINCIPAL PREOCUPAÇÃO DO BRASILEIRO Diversos problemas levaram à situação atual O problema sempre foi tratado com uma série de OUs Natureza ou policial ou social Responsabilidade ou

Leia mais

Mortes violentas intencionais na Grande São Luís (2015) Nota Técnica da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH)

Mortes violentas intencionais na Grande São Luís (2015) Nota Técnica da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) Mortes violentas intencionais na Grande São Luís (2015) Nota Técnica da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) São Luís / MA dezembro de 2015 2015: UM ANO DE EXPECTATIVA E FRUSTRAÇÃO NA ÁREA DA

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 7.306, DE 2002 (Apensos os Projetos de Lei nºs 3.402/2004 e 5.555/2005) Dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de sistema

Leia mais

Violência homicida. Diferenças regionais

Violência homicida. Diferenças regionais 1 de 6 31/01/2014 23:35 Aumentar a fonte Diminuir a fonte VIOLÊNCIA CORPO NO CHÃO Morto em outubro de 2012, em Itaquera, Zona Leste paulistana: mais uma entre as mais de 40 mil pessoas assassinadas no

Leia mais

CAPÍTULO XII DO PLANTÃO JUDICIÁRIO SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES COMUNS. Subseção I. Competência

CAPÍTULO XII DO PLANTÃO JUDICIÁRIO SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES COMUNS. Subseção I. Competência CAP. XII - 1 CAPÍTULO XII DO PLANTÃO JUDICIÁRIO SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES COMUNS Subseção I Competência 1. O Plantão Judiciário destina-se exclusivamente: 1 a) ao conhecimento dos pedidos de habeas corpus

Leia mais

-CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO - CRIMES CONTRA OS COSTUMES - LEIS DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS - CRIMES DE ENTORPECENTES - LEI PORTE DE ARMAS

-CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO - CRIMES CONTRA OS COSTUMES - LEIS DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS - CRIMES DE ENTORPECENTES - LEI PORTE DE ARMAS BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTRO NO SISP - RMB E ESTADO DO PARÁ - BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTRO NO SISP VERIFICADAS NA RMB E EM TODO O ESTADO DO PARÁ EM 2011 (JAN-DEZ) -CRIMES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito Of/GP/CM/069/09 Canoas, 22 de abril de 2009. Senhor Presidente: Vimos respeitosamente apresentar para apreciação desta Casa Legislativa o Projeto de Lei 24/09, que Cria o Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

BOLETIM INTERNO Nº. 046 Natal/RN, 22 de Novembro de 2013. (Sexta-feira)

BOLETIM INTERNO Nº. 046 Natal/RN, 22 de Novembro de 2013. (Sexta-feira) BI Nº. 046 CIPGD 22 DE NOVEMBRO DE 2013 247 RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR COMANDO DE POLICIAMENTO METROPOLITANO COMPANHIA INDEPENDENTE

Leia mais

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 136. Mossoró/RN, em 25 de Julho de 2014. (Sexta-feira)

P-1 BOLETIM INTERNO N.º 136. Mossoró/RN, em 25 de Julho de 2014. (Sexta-feira) RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL 12º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR 01 P-1 BOLETIM INTERNO N.º 136 Mossoró/RN, em 25

Leia mais

SELO VERDE _ EM ANDAMENTO. EM ANDAMENTO Em andamento 2ª fase Pendente _ APTO A SELO VERDE INTERDITADO

SELO VERDE _ EM ANDAMENTO. EM ANDAMENTO Em andamento 2ª fase Pendente _ APTO A SELO VERDE INTERDITADO 45ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE Inquérito Civil nº NOME FANTASIA ENDEREÇO SITUAÇÃO 1 Auto Posto Rota do Sol 2 Posto Redinha 3 Posto Tamarineira. 4 Posto Campo Belo Desp. Fabrício G.

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL AJUDÂNCIA GERAL

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL AJUDÂNCIA GERAL 242 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR QUARTEL DO COMANDO GERAL AJUDÂNCIA GERAL Teresina PI, 14 de abril de 2011 (Quinta-Feira) BOLETIM DO COMANDO GERAL Nº. 071/2011 PARA CONHECIMENTO DESTE CORPO DE BOMBEIROS

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR PRISÃO REALIZADA PELA GUARDA MUNICIPAL Denis Schlang Rodrigues Alves - Delegado de Polícia do Estado de Santa Catarina. Pós- Graduado em Direito Penal pela Universidade Paulista. Professor de Direito Penal

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 Dispõe sobre os cargos em comissão do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições

Leia mais

COLETIVA COM A IMPRENSA BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTROS NO SISP(*) VERIFICADAS NO ESTADO DO PARÁ. BASE: NOVEMBRO/2012 PARÁ

COLETIVA COM A IMPRENSA BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTROS NO SISP(*) VERIFICADAS NO ESTADO DO PARÁ. BASE: NOVEMBRO/2012 PARÁ COLETIVA COM A IMPRENSA PARÁ BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTROS NO SISP(*) VERIFICADAS NO ESTADO DO PARÁ. BASE: NOVEMBRO/2012 (*) SISP = SISTEMA INTEGRADO DE SEGURANÇA PÚBLICA Belém, 19/12/2012

Leia mais

CincoPontoCinco. PMMG já tem novo Comandante-Geral. Jornal Eletrônico

CincoPontoCinco. PMMG já tem novo Comandante-Geral. Jornal Eletrônico Jornal Eletrônico CincoPontoCinco CincoPontoCinco Diretoria de Comunicação Organizacional - Edição Especial - 09 de janeiro de 2015 PMMG já tem novo Comandante-Geral Tomaram posse em solenidade na manhã

Leia mais

Jornal Eletrônico. CincoPontoCinco. Diretoria de Comunicação Organizacional - Edição 13-15 de Janeiro de 2015. Voluntários da Alegria

Jornal Eletrônico. CincoPontoCinco. Diretoria de Comunicação Organizacional - Edição 13-15 de Janeiro de 2015. Voluntários da Alegria Jornal Eletrônico CincoPontoCinco CincoPontoCinco Diretoria de Comunicação Organizacional - Edição 13-15 de Janeiro de 2015 Voluntários da Alegria Outro lado da PM Voluntários da Alegria de Ibirité Tudo

Leia mais

Infográficos Cidades@

Infográficos Cidades@ Page 1 of 18 Instituto eiro de Geografia e Estatística Infográficos Cidades@ - RJ Page 2 of 18 Dados Básicos População Área Bioma 6.323.037 hab. 1.200,28 km 2 Mata Atlântica Localização da Sede Page 3

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO PROMOTORIA DE LAGOA GRANDE Curadoria do Meio Ambiente RECOMENDAÇÃO Nº 002/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO PROMOTORIA DE LAGOA GRANDE Curadoria do Meio Ambiente RECOMENDAÇÃO Nº 002/2014 RECOMENDAÇÃO Nº 002/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO, por seu órgão de execução, no uso das suas atribuições legais, com fundamento no artigo 129, inciso II, da Constituição, c/c artigo

Leia mais

Desigualdade Racial e Segurança Pública em São Paulo

Desigualdade Racial e Segurança Pública em São Paulo Desigualdade Racial e Segurança Pública em São Paulo Letalidade policial e prisões em flagrante SUMÁRIO EXECUTIVO AUTORAS PROFª DRª JACQUELINE SINHORETTO GIANE SILVESTRE MARIA CAROLINA SCHLITTLER 02 de

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação 03. Programação 04. Contatos da Organização 05. Confederação Brasileira de Automobilismo 06. Informações Úteis 07.

ÍNDICE. Apresentação 03. Programação 04. Contatos da Organização 05. Confederação Brasileira de Automobilismo 06. Informações Úteis 07. ÁGUAS DE LINDÓIA ÍNDICE Apresentação 03 Programação 04 Contatos da Organização 05 Confederação Brasileira de Automobilismo 06 Informações Úteis 07 Cidade Sede 07 Telefones úteis 09 Hotel Oficial 10 Calendário

Leia mais

PROJETO DE LEI CRIAÇÃO DO QOPMA

PROJETO DE LEI CRIAÇÃO DO QOPMA PROJETO DE LEI CRIAÇÃO DO QOPMA QUADRO DE OFICIAL POLICIAL MILITAR DE ADMINISTRAÇÃO (Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Administração Policial Militar) SÚMULA: A fim de dar continuidade na carreira

Leia mais

Consultor Legislativo da Área XVII Segurança e Defesa Nacional

Consultor Legislativo da Área XVII Segurança e Defesa Nacional OBRIGATORIED ORIEDADE DE CRIAÇÃO DE GUARD ARDAS AS MUNICIPAIS EM TODOS OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS JOÃO RICARDO CARVALHO DE SOUZA Consultor Legislativo da Área XVII Segurança e Defesa Nacional OUTUBRO/2000

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

PARECER. Senhor Presidente da Comissão de Direito Penal do IAB.

PARECER. Senhor Presidente da Comissão de Direito Penal do IAB. PARECER Referências: Indicações nos 055/2007, de autoria do Deputado Celso Russomano e 097/2006, do Deputado Milton Monti, referentes, respectivamente, aos Projetos de Lei n''s. 1.017, de 2007 e 7.284,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. JOÃO RODRIGUES) Regula a segurança nos campi das instituições de ensino superior, no âmbito Federal, Estadual e Municipal. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º As instituições

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente Natal, 2011 1. Quem somos 2. Histórico da Gestão Estratégica 3. Resultados práticos 4. Revisão

Leia mais

* DECRETO Nº 21.459, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais,

* DECRETO Nº 21.459, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais, Governo do Estado do Rio Grande do Norte Gabinete Civil Coordenadoria de Controle dos Atos Governamentais * DECRETO Nº 21.459, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009. Institui o Programa Estadual de Proteção a Vitimas

Leia mais

Relatório da Pessoa Idosa

Relatório da Pessoa Idosa Relatório da Pessoa Idosa 2012 O Relatório da Pessoa Idosa 2012, com base nos dados de 2011, se destina à divulgação dos dados de criminalidade contra a pessoa idosa (idade igual ou superior a 60 anos),

Leia mais

RELATÓRIO OUVIDORIA BIÊNIO 2013/2014

RELATÓRIO OUVIDORIA BIÊNIO 2013/2014 RELATÓRIO OUVIDORIA BIÊNIO 2013/2014 2 Governador do Estado do Rio Grande do Norte ROBINSON FARIA Secretária de Segurança Pública e da Defesa Social KALINA LEITE GONÇALVES Ouvidor Geral da SESED GEORGE

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

SESEG cria RISP: novo modelo de gestão em segurança pública que trabalha com sistema de metas e premiação

SESEG cria RISP: novo modelo de gestão em segurança pública que trabalha com sistema de metas e premiação SESEG cria RISP: novo modelo de gestão em segurança pública que trabalha com sistema de metas e premiação A Secretaria de Estado de Segurança (SESEG), através da subsecretaria de Planejamento e Integração

Leia mais

Morte brasileira: a trajetória de um país

Morte brasileira: a trajetória de um país Retratos da violência Morte brasileira: a trajetória de um país A morte é um grande personagem. De capuz e foice na mão, comove plateias no mundo todo. Mas será esse mesmo o perfil da morte brasileira?

Leia mais

PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL

PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL MACEDO¹, Diego; ANDRADE¹, Daniel; DÓRIA¹, Vinícius; GASPARETO¹, Darci. Orientador Prof. MSc RIBEIRO¹, Gilson. ¹Universidade do Vale do

Leia mais

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Resolução CNMP Nº 20 de 28/05/2007 Dados da Entidade Visitada Nome: CPF ou CNPJ:: Endereço: Município: UF: Telefones c/ddd: Seção I Identificação

Leia mais