GLOBALIZAÇÃO A PARTIR DA AMÉRICA LATINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GLOBALIZAÇÃO A PARTIR DA AMÉRICA LATINA"

Transcrição

1 dos, a articulação da sua cadeia de valor são alguns dos determinantes que explicam o seu exitoso desempenho. Por outro lado, é um exemplo do papel da empresa no desenvolvimento econômico inclusivo da América Latina. Seu compromisso com a industrialização, com a inovação tecnológica, com a qualificação dos recursos humanos e com a sustentabilidade sócio-ambiental lhe permitiu ter respostas efetivas em contextos caracterizados, em muitos momentos, pela volatilidade e pela incerteza. Parte de seu sucesso se explica por sempre ter levado em consideração todas as partes comprometidas com a sua atividade, para superar coletivamente as dificuldades e desenvolver a sua estratégia empresarial, entendendo que seu sucesso empresarial é possível envolvendo todos os agentes: seus colaboradores, sua cadeia de valor, seus clientes e consumidores. TERCEIRA EDIÇÂO GLOBALIZAÇÃO A PARTIR DA AMÉRICA LATINA O CASO ARCOR Bernardo Kosacoff - Jorge Forteza - María Inés Barbero Fernando Porta - E. Alejandro Stengel O CASO ARCOR da empresa ARCOR. Desde o início de suas atividades em 1951, seu caminho crescente de construção de capacidades competitivas caracterizou-se por uma estratégia empresarial que avança firmemente sobre as fortalezas que foi desenvolvendo previamente e uma adaptação inteligente às mudanças no contexto econômico. Nesta longa história, passou de ser um produtor de balas para se transformar na principal empresa de alimentos diversificados da Argentina, desde a sua localização original na cidade de Arroyito a ter um lugar no mundo. A sua evolução rumo a uma empresa de classe mundial é uma evidência dos enormes desafios e oportunidades da construção de uma base de negócios em um país de desenvolvimento intermediário. O contexto macroeconômico, as instituições, as características e as condições de competência dos diferentes merca- GLOBALIZAÇÃO A PARTIR DA AMÉRICA LATINA Este livro analisa a evolução do desenvolvimento Prólogos de: Arnoldo C. Hax Juan J. Llach

2 Globalização a partir da América Latina O caso Arcor

3

4 Globalização a partir da América Latina O caso Arcor Bernardo Kosacoff Jorge Forteza María Inés Barbero Fernando Porta BUENOS AIRES BOGOTA CARACAS GUATEMALA MADRID MEXICO NEW YORK PANAMA SAN JUAN SANTIAGO AUCKLAND HAMBURGO LONDON MILAN MONTREAL NEW DELHI PARIS SAN FRANCISCO SIDNEY SINGAPORE ST. LUIS TOKYO TORONTO

5 VP Latinoamérica: Javier Neyra Bravo Custom Publishing Editor: Alejandra Pérez Franco Globalização a partir da América Latina - O caso Arcor Terceira edição Está proibida qualquer forma de reprodução, transmissão ou arquivos emsistemas recuperáveis do presente exemplar, seja para uso privado oupúblico, por meios mecânicos, eletrônicos, eletrostáticos, magnéticos ouqualquer outro, total ou parcialmente, com ou sem fi nalidade de lucro. Custom Publishing Copyright 2014 em relação com a terceira edição em português, por MCGRAW-HILL Interamericana EDITORES, S.A. de C.V. Prolongación Paseo de la Reforma 1015, Torre A, piso 17, Delegación Alvaro Obregón, C.P , México, D.F. Miembro de la Cámara Nacional de la Industria Editorial Mexicana Reg.No. 736 ISBN: Traduzido da terceira edição da Globalizar desde Latinoamérica. El caso ARCOR by Bernardo Kosacoff, Jorge Forteza, María Inés Barbero, E. Alejandro Stengel, Fernando Porta. Copyright 2014 by McGraw-Hill Interamericana Editores, S. A. de C.V. Direitos reservados - Direito autoral ISBN:

6 Bernardo Kosacoff Argentino. Formado em Economia (UBA). Professor Titular da Universidade de Buenos Aires (desde 1984), da Universidade Nacional de Quilmes (desde 1993) e do MBA da Universidade Torcuato Di Tella, UTDT (desde 2009). Membro do Conselho de Direção da Universidade Torcuato Di Tella (desde 2011). Membro do Conselho Assessor de Un Techo para mi País (desde 2010). Premio Konex Platino à figura de maior destaque por sua trajetória na década 1997/2006 na disciplina Desenvolvimento Econômico. Prêmio à trajetória de destaque docente da Faculdade de Ciências Econômicas da UBA (2010). Declarado Personalidade Destacada da Ciência pela Assembleia Legislativa da Cidade Autônoma de Buenos Aires (2011). Diretor do CEPAL-Nações Unidas na Argentina (de 2002 a 2010 ). Jorge Forteza No âmbito da Consultoria, criou a Strategy Competitiveness Governance, uma equipe Internacional de Profissionais especializada no assessoramento de Acionistas de Empresas Latino-americanas e seu acompanhamento em Processos de Desenvolvimento Estratégico, Internacionalização, a Evolução de sua Governança e o Desenvolvimento Profissional de suas Famílias. Anteriormente, atuou durante 22 anos como Sócio Sênior na Booz Allen Hamilton Inc., com responsabilidades na Europa e na América Latina. Além disso, ocupou vários cargos de Direção na Empresa e em sua Diretoria. Faz parte do Conselho Assessor da New Zealand Trade and Enterprise Professor de Estratégia e Competitividade na Universidade de San Andrés, Buenos Aires, e Professor Visitante na Fundação Dom Cabral, do Brasil. É membro, nos Estados Unidos, da Diretoria da ONG Global Finance Clearing House, dos Conselhos Assessores da Sloan School of Management, e da Rede de Estudos de Competitividade da Universidade de Harvard. Na Argentina faz parte dos Conselhos do Centro de Implementação de Políticas Públicas, da Fundação Planet Finance, e da Fundação do Liceu Francês Jean Mermoz. É Master of Science em Administração pela Sloan School of Management do MIT, Formado em Economia Política pela Universidade de Buenos Aires e bacharel pela Norwegian Management Academy. Fernando Porta Professor Titular das Universidades Nacionais de Quilmes e de Buenos Aires, Pesquisador do Centro REDES e Professor de pós-graduação em diversas Universidades da Argentina e do exterior. Especialista em Economia Internacional e Economia Industrial, é Consultor da CEPAL, do BID, do PNUD e da UNCTAD e membro do Comitê Editorial das Revistas Desarrollo Económico e Iberoamericana de Ciencia, Tecnología y Sociedad. Publicou livros e artigos sobre Padrão de Especialização e Desenvolvimento, Competitividade Internacional, Integração Econômica, MERCOSUL, Reestruturação Industrial e Estratégias de Empresas Transnacionais.

7 Maria Inés Barbero María Inés Barbero é historiadora, formada pela Universidade de Buenos Aires. Dirige o Centro de Estudos de História e Desenvolvimento de Empresas (CEHDE) na Universidade de San Andrés, onde é também professora de História de Empresas e História Econômica. É professora Titular Efetiva de História Econômica na Universidade de Buenos Aires. É autora e editora de numerosos livros e artigos sobre História de Empresas argentina e latino-americana, publicados na Argentina e no exterior. Foi professora visitante em diversas universidades estrangeiras, na França, na Itália, na Espanha, no México e no Uruguai. Em 2009 foi Alfred Chandler Visiting Scholar na Harvard Business School. Seus temas de pesquisa atuais são Empresas Familiares, Grupos Econômicos e Empresas Multinacionais argentinas. Entre suas publicações mais recentes encontram-se: Business groups in Argentina during the export-led growth period ( ), in Gabriel Tortella and Gloria Quiroga (eds.) Entrepreneurship and Growth: A Comparative Historical Perspective, Palgrave MacMillan, 2012, pp.69-90; Business Groups Leaders in the Origins of Argentine Capitalism: Antonio Devoto and Ernesto Tornquist, em Perlinge, Anders and Sjögren, Hans (eds.), Biographies of the Financial World, Stockholm, Gidlunds Förlag/Stockholm School of Economics, 2012 (em colaboração com Jorge Gilbert); Los grupos económicos en la Argentina en una perspectiva de largo plazo. Siglos XIX y XX, em Geoffrey Jones y Andrea Lluch (eds.), El impacto histórico de la globalización en Argentina y Chile: empresas y empresarios, Buenos Aires, Temas, 2011, e Construyendo activos intangibles. La experiencia de una empresa fabricante de calzado en la Argentina en la primera mitad del siglo XX, em Revista de Historia de la Economía y de la Empresa, V, 2011.

8 Í N D I C E Nota da terceira edição IX Prefácio XI Luis Alejandro Pagani Prólogo XIII Arnoldo C. Hax Prólogo XV Juan J. Llach Introdução: Porque estudar o caso ARCOR? ARCOR: Cinqüenta anos de construção de capacidades competitivas Jorge Forteza; Bernardo Kosacoff; E. Alejandro Stengel; colaboração defernando Porta e María Inés Barbero Arcor hoje. O ponto de partida para a construção de uma empresa global Construindo uma história empresarial. O enfoque metodológico As Quatro ARCOR e seu desenvolvimento através de cinqüenta anos. A história como prólogo do futuro A trajetória da empresa: cronologia e resultados Quais são as mensagens fundamentais do caso ARCOR? Anexo. Uma visão quantitativa do desenvolvimento da empresa Desde o momento da sua fundação até a construção da empresa localdominante: os anos 1951 a María Inés Barbero; colaboração de Anabel Marin As origens A evolução da ARCOR entre 1951 e

9 viii O caso Arcor Primeira etapa. As décadas de 1950 e Segunda etapa. A década de Terceira etapa. A década de Balanço de quatro décadas Construção de uma empresa regional em um momento detransformação institucional: a experiência dos anos noventa Bernardo Kosacoff; Fernando Porta; E. Alejandro Stengel O desempenho na década de Incorporação e geração de capacidades tecnológicas O desenvolvimento de capacidades em marketing e o processo de comercializaçãoe distribuição Os recursos humanos A evolução financeira A inserção externa. Exportações e internacionalização de produção A ação com a comunidade Rumo à quinta ARCOR : uma empresa global de um país emergente. Desafios e temas de pesquisa a serem desenvolvidos Jorge Forteza Rumo à quinta ARCOR : uma empresa global de um país emergente. Desafios e temas de pesquisa a serem desenvolvidos Consolidando sua posição competitiva ( ) Das balas aos alimentos, de Arroyito para o mundo Atualização Bernardo Kosacoff Introdução Adaptação bem-sucedida em um novo cenário comercial na argentina Mudanças nas regras do jogo: a macroeconomia argentina O desenvolvimento de novas capacidades competitivas Um lugar no mundo Comentários finais Referências

10 NOTA DA TERCEIRA EDIÇÃO Esta é a terceira edição do livro Globalização a Partir da América Latina - O caso Arcor, na qual foi desenvolvido um quinto capítulo onde são descritos os acontecimentos mais importantes da companhia no contexto macroeconômico, desde 2001 até Salientamos que as informações e análises dos capítulos anteriores não foram modificadas.

11

12 PREFÁCIO DA PRIMEIRA EDIÇÃO Coincidindo com um dos momentos mais transcendentes da nossa vida empresa-rial, nosso 50º aniversário, reunimos nestas páginas a rica história e a evolução daarcor. Cheio de satisfação pelo que representa este reconhecimento, o que eu gostariade fazer aqui é, simplesmente, agradecer. Agradecer a todas as pessoas que trabalharam e que trabalham na ARCOR e àssuas famílias, porque nossa maravilhosa equipe humana tem sido a verdadeiraprotagonista da construção desta empresa e a responsável pelo seu sucesso atual. Agradecer aos consumidores que ao longo dos anos nos têm premiado com suapreferência, impulsionando assim nossa vontade de melhorar e nosso crescimentono país, na região e no mundo. Agradecer a todas aquelas empresas e pessoas dos setores público e privado quetêm trabalhado e colaborado conosco, pois sua confiança nos tem permitido de-monstrar que na Argentina e na América Latina é possível crescer. E, sobretudo, agradecer àquele grupo de pioneiros de 51, cuja incansável vo-cação para o crescimento, e a fé na potencialidade de nosso povo nos permitiuultrapassar fronteiras em todo o mundo, aproveitando as oportunidades abertaspela globalização. Porque, na verdade, as grandes conquistas alcançadas pelaarcor na última década continuam o caminho traçado por eles e por este visio-nário que foi Fulvio Salvador Pagani, meu pai, condutor da empresa até finais dadécada de 90. Desde sempre, nosso objetivo tem sido contribuir, na medida de nossas possibi-lidades, para o progresso do país e da região, para assim cumprir com nossamissão de ajudar a melhorar a qualidade de vida de nossas cidades. Este livro é o resultado do caminho que percorremos até aqui e a medida do quefaremos no futuro. Luis Alejandro Pagani Presidente do Grupo ARCOR

13

14 P R Ó L O G O Globalização a partir da América Latina o caso ARCOR representa uma contribuição necessária e valiosa para a literatura de Administração tanto para o públicoleitor quanto para os círculos acadêmicos. Acredito que esta contribuição sejaimportante porque nos apresenta um dos casos mais interessantes de evoluçãobem-sucedida de uma empresa na América Latina. Nos Estados Unidos, onde viviao longo dos últimos trinta anos, as empresas se fazem respeitáveis quandoultrapassam a barreira do um bilhão de dólares em vendas. Este objetivo, querepresenta a aspiração das empresas que querem ter projeção mundial, é particularmente difícil de se atingir, e foi alcançado pela ARCOR em Para conseguí-lo é necessário dispor de fortes capacidades gerenciais, desenvolver uma visãoambiciosa, e uma direção estratégica firme. Alcançar estes resultados para umaempresa nacional na Argentina, cujo entorno se tem caracterizado pela persistência de uma severa turbulência nas áreas econômica, política e social, é um feitoextraordinário. Para qualquer empresa da América Latina isto é motivo de celebração e reflexão profunda, que é o significado deste livro. O caráter único deste caso fica ainda mais evidente quando estudamos as origens da ARCOR. Devemos expressar o mais profundo respeito à família Pagani eaos demais fundadores que, com sua determinação extraordinária, souberam acalentar um grande sonho e foram capazes de convertê-lo em uma realidade espetacular. E eles elegeram um lugar à primeira vista tão precário quanto Arroyitocomo ponto de partida. Transformaram o que eram condições de partida difíceis para o desenvolvimento de uma empresa de nível mundial, nos fundamentos e nos princípios de seuêxito. As condições fundamentais de Arroyito foram a presença da família Pagani eseu círculo de amigos que transformaram esta cidade em um motor vibrante dedesenvolvimento da ARCOR. Este livro cobre de maneira admirável a evolução da ARCOR desde suas modestas origens até a situação atual na qual pode definir-se legitimamente comouma empresa global. As quatro ARCOR descritas no livro constituem um modelo de grande relevância para a América Latina. Na descrição desta evoluçãoforam utilizados importantes métodos de análise acadêmicos, o que contribui para a qualidade da apresentação e torna atraente sua utilização em cursos universitários.

15 xiv Prólogo A ARCOR é um exemplo, não somente por seu êxito financeiro, como tambémpelo fato de que este se baseia em suas competências industriais e tecnológicas algo pouco freqüente na paisagem empresarial da América Latina. Ao mesmo tempo, a ARCOR tem demonstrado um compromisso com a responsabilidade social que também é pouco freqüente em nosso hemisfério. Grandeparte deste compromisso surge como expressão dos valores de Don Amos opatriarca da família, Fulvio Salvador o fundador da ARCOR, e seu filho LuisAlejandro, seu atual presidente. A família Pagani não somente nos oferece lições valiosas sobre como desenvolver uma empresa bem-sucedida, como também representa um exemplo para outrosempresários que se precipitaram em vender suas firmas a empresas multinacionais, debilitando assim o patrimônio nacional e criando riscos pela falta de alinhamento entre os interesses privados e os da nação. Os autores merecem ser felicitadospor levar adiante este projeto tão estimulante com um profissionalismo impecável. Arnoldo C. Hax Professor na Escola de Administração Sloan Instituto de Tecnologia de Massachusets

16 PRÓLOGO DA DA PRIMERA EDIÇÃO QUE FLORESÇAM 100 ARCOR, OU PELO MENOS 30 A Argentina conta com apenas 3 empresas industriais de grande porte e internacionalizadas, e uma delas é a ARCOR. Se ao invés de três fossem trinta, para nãodizer cem, não existiriam as angustiantes dúvidas externas e internas sobre a competitividade e a capacidade de crescimento da economia argentina. O próprio risco país seria menor e nossas preocupações seriam outras. Tal é a enorme força depropulsão que exercem as empresas sólidas sobre a macroeconomia. Lamentavelmente, a realidade é outra e surgem então duas perguntas-chave. A primeira é como foi possível que existissem a ARCOR e suas duas coligadas. A segunda, parecida mas não idêntica, é por que não surgiram trinta oucem ARCOR. O livro que está em suas mãos oferece valiosas respostas a estas perguntas. Noentanto, o mistério continua nos acompanhando depois de sua leitura. Não é umafalha de seus autores, senão da matéria de que tratam. Desde que Keynes cunhoua expressão animal spirits para referir-se às mais recônditas motivações dos empresários, e desde que Schumpeter se referiu à sua destruição criadora, a teoriado crescimento econômico não tem conseguido explicar com clareza seus fatosdeterminantes. E se é difícil identificar os fatores do crescimento ao nível macro,mais difícil ainda é explicar a história das empresas e, de forma geral, o crescimento ao nível micro. Explicar a ARCOR, pois, pertence ao campo da economia atômica e subatômica, e a sua interação com a sociedade e a cultura, porém pouco desenvolvidas.toda a bibliografia institucional e de comportamento utilizada no livro, imprescindível para explicar a história da empresa, data em sua maioria dos últimosquinze anos. Quando se descobrirem as raízes micro do crescimento macro estaremos na presença de uma revolução einsteiniana em economia, ainda pendente,e que com certeza proporcionará um prêmio Nobel aos seus autores. Na América Latina, por outro lado, estamos contaminados pela macroeconomia. Certamente porque nossa macroeconomia padece de enfermidades quase crônicas. Mas também porque nossas energias têm ali se concentrado em excesso,como que esperando que o milagre macro esconda ou conserte os

17 xvi Prólogo desacertos e as desatenções microeconômicas. Daí a importância deste livro, que mostra que oêxito é possível e como é possível. Para entender a ARCOR, como o fazem seus autores, tem que se recorrer aomesmo tempo ao texto e ao contexto. No período analisado, nosso contexto foi odo realismo mágico latino-americano. Conforme expus em Outro século, outraargentina, este realismo mágico consiste em acreditar que o Estado pode por sisó gerar riqueza, tirando-a de algum lugar fora da sociedade civil. Um dos resul-tados da prática social desta crença foi a formação de uma sociedade que buscalucros. Primeiro o lucro proveniente da terra, depois as prebendas do estado e aprópria inflação. E de uma sociedade com pouca visão do futuro, ou seja, pessoascom visão de curto prazo, por mais que não o sejam muitos de seus membros. Em resumo, um contexto quase exatamente oposto ao necessário para que sur-gissem e se desenvolvessem empresas como a ARCOR. Para isso foi preciso umaespécie de contracultura, e é disto que trata este estudo. Uma história de filhos deimigrantes notavelmente criativos e trabalhadores, tendo a notável figura de Ful-vio S. Pagani como emblema. Somente filhos de imigrantes dotados de umacultura totalmente oposta à que busca lucros (ainda que soubessem aproveitá-los), uma cultura gerida a partir de uma terra pobre ou superpovoada, uma culturacentrada no planejamento e na gratificação diferenciada que leva a trabalhar, poupar,se educar e investir, puderam conquistar tanto. Mas estas são apenas leves hipóteses. O leitor encontrará no livro respostasmais precisas. No entanto, as perguntas de porque a ARCOR, e porque tão poucasarcor, continuarão nos impelindo a estudos mais profundos em busca de novaschaves que nos permitirão acionar as alavancas do crescimento. O caso ARCOR, sem sombra de dúvidas, se destaca, e além da comemoraçãodo cinqüentenário, a publicação do livro é muito oportuna para que se conheçasua história e quem sabe, se a supere. Para mim foi uma grande honra contribuircom estas poucas linhas, evocando a figura dos pioneiros que criaram a ARCORe de todos os empresários e trabalhadores que contribuíram para sua realização. Aeles, e aos autores do livro, meus mais calorosos cumprimentos. Juan J. Llach Diretor do Departamento de Economia IAE Universidade Austral

18 I N T R O D U Ç Ã O Porque estudaro caso ARCOR? A Argentina é um país de desenvolvimento mediano que consiste em especialinteresse para os estudiosos da economia do desenvolvimento. A bibliografia sobre o caso argentino é abundante e, em geral, trata de responder ao consultante oporquê de um país, que na primeira metade do século XX era considerado comum enorme potencial de desenvolvimento, teve um desempenho tão pouco favorável na maior parte dos últimos cinqüenta anos. Neste ponto de uma economia euma sociedade que têm atravessado meio século de turbulências e de perdas deposições relativas, é importante estudar o comportamento de sua classe empresarial e do setor privado como um dos temas-chave para explicar tal desempenho. No final do século XX a Argentina saiu de uma década de importantes transformações institucionais que foram acompanhadas de alguns anos de crescimento ede renovadas esperanças, as mesmas que atualmente voltam a ser fortemente questionadas. Neste período o país experimentou, num momento de um amplo processo de abertura e desregulamentação econômicas, um fenômeno de ingresso maciçode empresas multinacionais juntamente com uma transferência inédita dos títulosde propriedade das empresas locais. Uma parte importante do empresariado argentino optou por vender suas empresas e redirecionar seus ativos. Poucos grupos empresariais decidiram continuar deforma independente e avançar no processo de desenvolvimento de empresas comambições globais. O caso ARCOR é um dos mais significativos para esta análise. Precisamente num momento em que os casos de empresas multinacionais construídas a partir de países emergentes atraem a atenção de pesquisadores a nívelinternacional, a trajetória da ARCOR desperta um especial interesse de caráteracadêmico. Mas o caso ARCOR apresenta também particular relevância para osformuladores de políticas públicas, para

19 2 O caso Arcor os estudantes e praticantes de estratégias empresariais e para o público leitor interessado, de forma mais genérica, na histó-ria recente. Este livro pretende oferecer algumas respostas à seguinte pergunta inicial: qualfoi o processo pelo qual um grupo de descendentes de imigrantes italianos iniciaram um modesto empreendimento industrial no ano de 1951, atravessaram cinqüenta anos de turbulências políticas e econômicas e chegaram a construir umaempresa que hoje vende mais de 1 bilhão e 100 milhões de dólares, empregaaproximadamente 13 mil pessoas das quais aproximadamente 30% provêm deoutros países e exporta mais de 200 milhões de dólares para mais de cem países?pode-se adiantar que existe um conjunto de conclusões e aprendizagens que por sisó justificam o interesse no caso ARCOR. Ao tratar de responder à pergunta comofi zeram? surge uma série de assuntos especialmente ilustrativos: No começo, como sempre, estão os empreendedores, um grupo altamentemotivado e com experiências e qualificações complementares, liderança carismática, conhecimento dos mercados do Interior do país e da indústria, ecom capacidades técnicas e de engenharia. Nos sucessivos períodos de construção da empresa e ao longo das sucessivasvicissitudes políticas e econômicas que viveu a Argentina está a determinaçãode continuar crescendo, de investir e de ser independentes. Mesmo nos momentos mais desfavoráveis os acionistas continuaram inovando, comprandomáquinas e investindo, num comportamento quase sem paralelos no meioempresarial. Em sua evolução estratégica, a ARCOR privilegiou a busca de posicionamentos que evitassem a confrontação direta com empresas de maior porte ou maiorpoder de fogo. Inicialmente frente a grandes empresas nacionais e logo frentea multinacionais, a ARCOR seguiu uma política de concorrência indireta einteligente. Ao longo de sua trajetória a ARCOR tem sido sempre uma empresa com fortevocação industrial e tecnológica. Desde seu começo, num cenário de umaeconomia fechada, e através das sucessivas tentativas de abertura do país, osacionistas não deixaram de incorporar equipamentos e tecnologia de ponta e,por seu lado, criaram capacidades para adaptá-los às condições locais e, inclusive, melhorá-los. Em seu desenvolvimento a ARCOR seguiu uma série de etapas que constituem o que será chamado neste livro as quatro ARCOR. Foi dominando omercado do Interior do país, em seguida lançou-se ao ataque do mercado dagrande Buenos Aires e posteriormente começou a exportar e a expandir-separa a América do Sul. Sua estratégia de expansão é também um aspecto deinteresse no estudo do caso.

20 Globalização a partir da América Latina 3 Ao mesmo tempo a ARCOR pode realizar uma transição bem-sucedida a par-tir de um modelo e uma cultura pouco formais e com forte liderança pessoalpara um modelo de gerenciamento mais complexo, que tem conseguido atraire desenvolver talentos argentinos (e, de forma crescente, internacionais). A ARCOR, como muitas outras empresas, soube tirar partido das políticas eferramentas de apoio à indústria que o Estado argentino ofereceu em diferentes momentos dos últimos cinqüenta anos. É tão interessante analisar a contribuição destas políticas para o desenvolvimento da ARCOR, como explicarporque uma empresa que ocupava o posto número 106 do ranking geral deempresas em 1973 (formando parte de um grupo extenso de firmas que gozavam das mesmas vantagens), termina o século na posição 26 deste ranking,como uma das poucas empresas de capital nacional ainda independentes ecom viabilidade estratégica. A história da ARCOR, como de qualquer empresa, inclui várias histórias entrelaçadas e interdependentes. É, em primeiro lugar, a história das pessoas e dosgrupos de pessoas que tornaram e tornam possível seu funcionamento: os fundadores, os proprietários, os responsáveis pela gestão, os trabalhadores. É tambéma história de um âmbito de interação social, das relações que vão se estabelecendoentre seus integrantes ao longo do tempo e da construção de uma identidade e deuma cultura, assim como dos conhecimentos e habilidades específicas sobre osquais se fundamenta sua capacidade competitiva (Nelson e Winter, 1982). É a história de uma estrutura de gestão (Williamson, 1989), na qual se decideme se depreendem diferentes estratégias de crescimento e de adaptação às condições do contexto: aumento da escala de produção, integração vertical, diversificação produtiva, construção de uma rede de distribuição, busca de novos mercados,internacionalização. Estratégias que implicam sempre numa determinada aplicaçãode recursos materiais e humanos e que podem finalmente revelar-se bem-sucedidas ou não. É, ao mesmo tempo, a história de uma instituição burocrática emtermos weberianos cuja estrutura e organização funcional devem adequar-se àsestratégias, dimensões e complexidades administrativas da firma (Penrose, 1959;Chandler, 1962, 1987, 1996). É uma história que se mede e se avalia por seus resultados e pelos elementos efatores que os condicionaram. À medida em que toda empresa tem como objetivoprincipal a obtenção de benefícios motivação à qual podem-se acrescentar outras sua história deve necessariamente prestar conta de suas fontes e formas de reservas e financiamento e, em particular, de sua evolução e desempenho, questionando as razões de seus êxitos e fracassos, interpretando-as a partir de suas fortalezase fraquezas endógenas, assim como dos fatores que lhe são externos, ainda que deforma alguma alheios.

21 4 O caso Arcor É que, justamente, a história de uma firma individual ou de um conglomeradoempresarial não pode ser entendida de forma isolada do entorno local, nacional,regional, internacional - em que atua. Tal cenário oferece recursos e oportunidades, mas também gera dificuldades e limitações para o desempenho e a expansãodas empresas. Daí a importância de se considerar, entre outros fatores condicionantes, o contexto macroeconômico, as políticas públicas, as instituições e regraseconômicas, as características e condições de concorrência dos diferentes mercados, a malha produtiva e empresarial e inclusive a forma de atuar de outras firmasconcorrentes. Portanto, neste relato da história da ARCOR o eixo expositivo se concentra nadinâmica de expansão da firma, no reconhecimento de diversas e sucessivas fasescaracterizadas por uma estratégia predominante e na análise das circunstâncias,internas e externas, que sustentaram sua evolução. Reconstruir sua trajetória implica determinar as chaves de seu crescimento ao longo de cinco décadas, a partirde uma perspectiva que considera não somente sua conduta microeconômica, suasações e decisões, como também as oportunidades e os obstáculos que ofereceu oinstável contexto econômico argentino nos últimos cinqüenta anos. A história de uma empresa pode revelar mais que o conhecimento das trajetórias e razões de sua evolução. Tal como tem sido encarada, esta história daarcor quer levar à discussão de problemas mais gerais da história e à análiseeconômica. Por um lado propõe observar a partir de uma perspectiva microeconômica, desde as transformações no processo produtivo e a organização da firma, a históriamoderna da industrialização na Argentina, em um largo período que cobre o apo-geu e queda do modelo de substituição de importações, a crise do Estado desen-volvimentista e o desenlace hiperinflacionário e a implantação de regras deeconomia aberta e desregulada. A história de empresas e um olhar a partir dedentro da firma revelam aspectos geralmente despercebidos numa visão mais fo-cada da realidade, e nisto reside a originalidade de sua contribuição. A análise dasrelações interpessoais, dos procedimentos tecnológicos, os modelos de gestão ouas estratégias de longo prazo permite explicar com maior profundidade o futuro eas características da economia local. Outro campo particularmente relevante é o da articulação entre os contextosmacroeconômicos e a empresa, especialmente em condições externas de grandeinstabilidade, como o foram as da Argentina em todo o período considerado (Kosacoff, 1998 e 2000). Um pressuposto central do enfoque adotado é que as respos-tas das firmas não estão preestabelecidas, não são automáticas e muito menoshomogêneas. Qualquer leitura que não resgate esta heterogeneidade oferece umavisão simplificada e distorcida da realidade.

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

Grupo Arcor Dossiê informativo

Grupo Arcor Dossiê informativo Grupo Arcor Dossiê informativo A Arcor foi fundada no dia 5 de julho de 1951, em Arroyito (Córdoba, Argentina) por um grupo de jovens empreendedores que assumiu o compromisso de oferecer aos seus consumidores

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Horton International Brasil Al. dos Maracatins, 992-A 11º andar, conj. 111 e 112 04089-001 São Paulo SP Tel: (+55 11) 5533-0322 www.horton.com.

Horton International Brasil Al. dos Maracatins, 992-A 11º andar, conj. 111 e 112 04089-001 São Paulo SP Tel: (+55 11) 5533-0322 www.horton.com. HORTON INTERNATIONAL EXECUTIVE SEARCH MANAGEMENT CONSULTANTS Horton International Brasil Al. dos Maracatins, 992-A 11º andar, conj. 111 e 112 04089-001 São Paulo SP Tel: (+55 11) 5533-0322 www.horton.com.br

Leia mais

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA 2012.1 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS É uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de ser um centro voltado

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO DEFINIÇÃO

GLOBALIZAÇÃO DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO O termo globalização surgiu no início dos anos 80, nas grandes escolas de administração de empresas dos Estados Unidos (Harvard, Columbia, Stanford, etc.), como referência às oportunidades de

Leia mais

Digitalização pode impulsionar competitividade brasileira, segundo estudo feito pela Siemens e pela Fundação Dom Cabral

Digitalização pode impulsionar competitividade brasileira, segundo estudo feito pela Siemens e pela Fundação Dom Cabral Imprensa São Paulo, 16 de junho de 2015 Digitalização pode impulsionar competitividade brasileira, segundo estudo feito pela Siemens e pela Fundação Dom Cabral O estudo foi baseado em uma pesquisa realizada

Leia mais

cargas tributárias para empresas no mundou

cargas tributárias para empresas no mundou Cliente: UHY Moreira Data: 04/10/2011 Veículo: Site Sped Contábil - Porto Alegre Seção/ Pág. : Impostos e Tributos HUhttp://spedcontabilspedfiscal.com.br/impostos-tributacao-arrecadacao/carga-tributaria-brasil-temuma-das-maiores-cargas-tributarias-para-empresas-no-mundo/U

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Fernando Veloso IBRE/FGV Book Launch of Surmounting the Middle Income Trap: The Main Issues for Brazil (IBRE/FGV e ILAS/CASS) Beijing, 6 de Maio

Leia mais

MBA Executivo Internacional

MBA Executivo Internacional MBA Executivo Internacional Informações* Dias e horários das aulas: Quinzenalmente. Sextas e sábados. Das 08h30 às 17h30. Carga horária: 612 Horas *As informações podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS REDES DE PEQUENAS EMPRESAS As micro, pequenas e médias empresas, em decorrência da globalização e suas imposições,vêm buscando alcançar vantagem competitiva para sua sobrevivência no mercado. CONTEXTO

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012

PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012 PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012 INTRODUÇÃO O aumento da internacionalização lança o desafio cada vez maior para as empresas atraírem e reterem líderes capazes de viver em ambientes complexos e compreender

Leia mais

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Liderança Feminina Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Sobre o Hay Group Hay Group é uma consultoria global em gestão que trabalha com líderes para transformar estratégias

Leia mais

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional Lisboa, 25 de Janeiro de 2013 A crescente influência dos Estados nas economias emergentes. A

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013

Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 Colégio São Paulo Geografia Prof. Eder Rubens - 2013 CAP. 02 A Dinâmica dos espaços da Globalização. (9º ano) *Estudaremos a difusão do modo capitalista de produção, ou seja, do modo de produzir bens e

Leia mais

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo A grande janela de oportunidades (O Brasil decola) A grande janela de oportunidades Linha do tempo das conquistas

Leia mais

Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino Americano de Assuntos Financeiros Latin American Shadow Financial Regulatory Committee

Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino Americano de Assuntos Financeiros Latin American Shadow Financial Regulatory Committee Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino Americano de Assuntos Financeiros Latin American Shadow Financial Regulatory Committee Declaração N 8 14 de abril de 2003 Santiago de Chile,

Leia mais

O Setor em Grandes Números. Situação Atual e Perspectivas do Mercado Interno e Externo

O Setor em Grandes Números. Situação Atual e Perspectivas do Mercado Interno e Externo O Setor em Grandes Números Situação Atual e Perspectivas do Mercado Interno e Externo I - CADEIA PRODUTIVA NÚMERO ESTIMADO DE EMPRESAS EM 2012 Lapidação / Obras de pedras 350 INDÚSTRIA Joalheria ouro e

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil Análise Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 30 de outubro de 2003 A Redução do Fluxo de Investimento

Leia mais

Fashion Marketing & Communication

Fashion Marketing & Communication Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Sociedade e Tecnologia

Sociedade e Tecnologia Unidade de Aprendizagem 15 Empresas em Rede Ao final desta aula você será capaz de inovações influenciam na competitividade das organizações, assim como compreender o papel da Inteligência Competitiva

Leia mais

Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA

Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA NA AMÉRICA LATINA Norberto Medeiros dxcb-cme,brasil Agosto / 2002 Para discutir os recursos energéticos e a integração

Leia mais

UNIDADE 2 Empreendedorismo

UNIDADE 2 Empreendedorismo UNIDADE 2 Empreendedorismo O mundo tem sofrido inúmeras transformações em períodos de tempo cada vez mais curtos. Alguns conceitos relativos à administração predominaram em determinados momentos do século

Leia mais

Ao longo da década de 90, Pfizer ampliou sua presença na Ásia oriental com a construção de uma planta farmacêutica em Dalian (China), reintroduziu-se

Ao longo da década de 90, Pfizer ampliou sua presença na Ásia oriental com a construção de uma planta farmacêutica em Dalian (China), reintroduziu-se PFIZER INC. A Pfizer é uma empresa de origem norte-americana que pesquisa, desenvolve, produz e comercializa produtos nas áreas de saúde humana e animal e de consumo. Possui 100 unidades industriais espalhadas

Leia mais

Quase 6 Bilhões de Euros em campo!

Quase 6 Bilhões de Euros em campo! PLURI Sportmetric Valor de mercado das Seleções que disputarão a Copa 2014 PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria Fernando

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS PLANEJAMENTO PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA 1º SEMESTRE DE 2016 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944 com o objetivo de preparar profissionais bem

Leia mais

Menores, mas com potencial de gigantes

Menores, mas com potencial de gigantes Menores, mas com potencial de gigantes 12 KPMG Business Magazine Empresas do mercado empreendedor ganham força com a expansão do consumo nos países emergentes O ano de 2008 foi um marco na história econômica

Leia mais

Fundação Dom Cabral EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS)

Fundação Dom Cabral EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS) Fundação Dom Cabral Ritual de Passagem: A Educação de Lideranças para a Sustentabilidade INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO ALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO DE LIDERANÇAS PARA A SUSTENTABILIDADE (ELS) Prof. Raimundo Soares

Leia mais

Exercícios sobre BRICS

Exercícios sobre BRICS Exercícios sobre BRICS 1. (ENEM) O G-20 é o grupo que reúne os países do G-7, os mais industrializados do mundo (EUA, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá), a União Europeia e os principais

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA 1/21 ANÁLISE DA ENVOLVENTE EXTERNA À EMPRESA... 3 1. Análise do Meio Envolvente... 3 2. Análise da Evolução do Mercado... 7 3. Análise da Realidade Concorrencial...

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão I

Sistema Integrado de Gestão I Sistema Binário Faculdades Integradas Campos Salles Sistema Integrado de Gestão I Aulas 3 e 4 Administração da Empresa Digital Parte I Carlos Antonio José Oliviero São Paulo - 2012 Objetivos Qual é o papel

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

Grupo 3 - Cadeias em que oportunidades e ameaças são localizadas e ou se anulam

Grupo 3 - Cadeias em que oportunidades e ameaças são localizadas e ou se anulam Grupo 3 - Cadeias em que oportunidades e ameaças são localizadas e ou se anulam 3.1 Cosméticos Diagnóstico Os países desenvolvidos dominam o mercado mundial do setor de cosméticos, perfumaria e artigos

Leia mais

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal MBA Recursos Humanos Inscrições Abertas Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal Carga horária: 600 Horas Duração: 24 meses *As informações podem sofrer

Leia mais

Geografia: ROCHA Globalização A globalização é a mundialização da economia capitalista que forma o aumento do processo de interdependência entre governos, empresas e movimentos sociais. Globalização Origens

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS

UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS DESAFIOS DO CAPITALISMO GLOBAL E DA DEMOCRACIA Luiz Carlos Bresser-Pereira A Reforma Gerencial ou Reforma à Gestão Pública de 95 atingiu basicamente os objetivos a que se propunha

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM DISCIPLINA: Gestão de Pessoas EMENTA: O sistema clássico de estruturação da gestão de recursos humanos e suas limitações: recrutamento e seleção, treinamento

Leia mais

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Redução da jornada de trabalho - Mitos e verdades Apresentação Jornada menor não cria emprego Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição 231/95 que reduz a jornada de trabalho de

Leia mais

CGBA Certificate in Global Business Administration

CGBA Certificate in Global Business Administration CGBA Certificate in Global Business Administration Desafios Internacionais, Líderes Globais O CERTIFICATE IN GLOBAL BUSINESS ADMINISTRATION O Certificate in Global Business Administration (CGBA), criado

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital.

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital. MOTOROLA A empresa alcançou um faturamento global da ordem de US$ $37.6 bilhões em 2000. É líder mundial em sistemas e serviços eletrônicos avançados. Atuando de maneira globalizada em 45 países, mais

Leia mais

Columbia. University PARCERIAS INTERNACIONAIS

Columbia. University PARCERIAS INTERNACIONAIS Columbia University PARCERIAS INTERNACIONAIS Sumário B.I. International Universidade O Programa Certificação Temas abordados Corpo docente Coordenação do Programa Organização Programação Prevista Serviços

Leia mais

GESTÃO PÚBLICA RELACIONAL. Antecedentes e contexto

GESTÃO PÚBLICA RELACIONAL. Antecedentes e contexto GESTÃO PÚBLICA RELACIONAL. Antecedentes e contexto O presente curso de capacitação está inserido no sistema intermunicipal de capacitação em planejamento e gestão local participativa a partir da experiência

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL % DE RESPOSTAS POR REGIÃO INTRODUÇÃO Américas 19% Ásia 31% A pesquisa global de opinião sobre o mercado

Leia mais

* (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em

* (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em * (Resumo executivo do relatório Where does it hurts? Elaborado pela ActionAid sobre o impacto da crise financeira sobre os países em desenvolvimento) A atual crise financeira é constantemente descrita

Leia mais

MBA Executivo em Gestão de Pessoas

MBA Executivo em Gestão de Pessoas ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Gestão de Pessoas www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX: (11) 3711-1000 MBA

Leia mais

INVENÇÃO E INOVAÇÃO INTRODUÇÃO. Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento. Definição de Produto

INVENÇÃO E INOVAÇÃO INTRODUÇÃO. Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento. Definição de Produto INTRODUÇÃO Cenário político e econômico da Globalização Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento Viçosa Novembro de 2012 Ceres Mattos Della Lucia ceresnut@yahoo.com.br

Leia mais

Gestão de Pequenas Empresas no Brasil - Alguns Dados Importantes.

Gestão de Pequenas Empresas no Brasil - Alguns Dados Importantes. Gestão de Pequenas Empresas no Brasil - Alguns Dados Importantes. Por Palmira Santinni No Brasil, nos últimos anos, está ocorrendo um significativo aumento na criação de novas empresas e de optantes pelo

Leia mais

Desafios e oportunidades para os serviços financeiros

Desafios e oportunidades para os serviços financeiros Força de trabalho em 2020 Patrocinado e traduzido pela Desafios e oportunidades para os serviços financeiros O setor de serviços financeiros está enfrentando um déficit de capital humano. Em um mercado

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

Características. Carga horária Carga horária de 30 horas presenciais.

Características. Carga horária Carga horária de 30 horas presenciais. 1 Características Sobre o curso O curso Business Dynamics aborda uma nova metodologia de gestão em ambientes de complexidade dinâmica. Os executivos serão instigados a pensar sistemicamente e dinamicamente

Leia mais

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I 1 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Administração é a maneira de governar organizações ou parte delas. É o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Paulo Ferreira Diretor Geral do ISE Business School EXECUTIVE MBA

Paulo Ferreira Diretor Geral do ISE Business School EXECUTIVE MBA Boas-vindas Vivemos em uma época única e extraordinária. É uma época que nos apresenta desafios importantes e precisamos de gestores capazes de assumir os novos desafios com profissionalismo, inspirando

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento Sobeet São Paulo, 26 de junho de 2013 EMBARGO 26 Junho 2013 12:00 horas Horário de Brasília 1 Recuperação

Leia mais

2.3 Transformados Plásticos. Diagnóstico

2.3 Transformados Plásticos. Diagnóstico 2.3 Transformados Plásticos Diagnóstico A indústria de plásticos vem movendo-se ao redor do mundo buscando oportunidades nos mercados emergentes de alto crescimento. O setor é dominado por um grande número

Leia mais

Pontes ao Sul: Argentina Brasil Laços com o Rio Grande do Sul. Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre Novembro 2015

Pontes ao Sul: Argentina Brasil Laços com o Rio Grande do Sul. Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre Novembro 2015 Pontes ao Sul: Argentina Brasil Laços com o Rio Grande do Sul Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre Novembro 2015 Vantagens e oportunidades da Argentina Alguns dados estruturais Com mais

Leia mais

General Atlantic na América Latina

General Atlantic na América Latina General Atlantic na América Latina Greenwich Nova York Palo Alto São Paulo Londres Düsseldorf Mubain Hong Kong Beijing A Diferença da General Atlantic Como é uma investidora global, a General Atlantic

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

1ª SESSÃO. A evolução da teoria sobre a criação de valor através de boas práticas de Governança Corporativa

1ª SESSÃO. A evolução da teoria sobre a criação de valor através de boas práticas de Governança Corporativa 1ª SESSÃO A evolução da teoria sobre a criação de valor através de boas práticas de Governança Corporativa PROF. JOSÉ PASCHOAL ROSSETTI PROFESSOR E PESQUISADOR DA FUNDAÇÃO DOM CABRAL AUTOR DE GOVERNANÇA

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais

A emergência de um novo mundo no século XXI?

A emergência de um novo mundo no século XXI? A emergência de um novo mundo no século XXI? José Eustáquio Diniz Alves 1 A economia mundial deve crescer cerca de 4 vezes nos próximos 40 anos. Isto quer dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) terá o

Leia mais

O ADMINISTRADOR EMPREENDEDOR

O ADMINISTRADOR EMPREENDEDOR O ADMINISTRADOR EMPREENDEDOR Luis Antônio Tichs 1. RESUMO Neste trabalho aborda-se a importância do empreendedorismo e as características do empreendedor. Evidenciam-se ações estimuladoras do espírito

Leia mais

ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS

ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS LÍDER DE MERCADO EM SOLUÇÕES PARA COMUNICAÇÕES A Motorola exerce a liderança em soluções digitais de próxima geração

Leia mais

EFICIÊNCIA DA GESTÃO DA INOVAÇÃO

EFICIÊNCIA DA GESTÃO DA INOVAÇÃO 1 DESMISTIFICANDO A INOVAÇÃO Transformar a inovação em competência gerenciável é o paradigma contemporâneo para empresas, governo e organizações sociais. Nesse contexto, o Congresso Internacional de Inovação

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

Fevereiro Março Abril Maio Junho. Local: Alemanha Local: Estados Unidos Local: Rússia Local: São Paulo Local: Polônia e Alemanha

Fevereiro Março Abril Maio Junho. Local: Alemanha Local: Estados Unidos Local: Rússia Local: São Paulo Local: Polônia e Alemanha Fevereiro Março Abril Maio Junho AçÕes 2015 Feira Fruit Logistica* SXSW* Fórum de Eficiência Energética APAS 2015 Europa Alemanha Rússia São Paulo Polônia e Alemanha Dias: 4 a 6 FI Dias: 13 a 17 ME Dias:

Leia mais

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA O papel das Micro e Pequenas Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Especialista em modelos de Gestão Empresarial Presidente do CENAM: Centro Nacional de Modernização

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

CURSO DE GESTÃO EM RECURSOS HUMANOS SISTEMAS ORGANIZACIONAIS

CURSO DE GESTÃO EM RECURSOS HUMANOS SISTEMAS ORGANIZACIONAIS SISTEMAS ORGANIZACIONAIS APRESENTAÇÃO O conhecimento não deve ser colocado de forma muito restrita, de modo que o Aluno não acredite que o assunto está encerrado e que a pesquisa não deve ser feita. Apostilas

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

SERIE DE AGRONEGÓCIOS Cadernos para a exportação

SERIE DE AGRONEGÓCIOS Cadernos para a exportação SERIE DE AGRONEGÓCIOS Cadernos para a exportação CONHECENDO MINHA EMPRESA Guia para identificar os principais requisitos exigidos para a entrada de produtos agrícolas frescos e processados Programa Interamericano

Leia mais

Mercado em Foco: Chile

Mercado em Foco: Chile Mercado em Foco: Chile EXPOMIN, 2014 Breve estudo com informações sobre as perspectivas de negócios da economia do Chile. Apresentamos também uma análise do comércio exterior de máquinas e equipamentos

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios e Projetos Rio de Janeiro Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação

Leia mais

NAGI PG. Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás. Polo: Petrobras

NAGI PG. Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás. Polo: Petrobras NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás Polo: Petrobras Programa do Módulo I Módulo I: Planejamento Estratégico

Leia mais