180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa Fornecedores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores"

Transcrição

1 180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa Fornecedores

2 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A /01 Grande número de fornecedores 09/02 Objetividade e transparência 09/03 beneficio mutuo A atividade da Telefónica gera riqueza para mais de fornecedores em todo o mundo A Telefónica administra suas compras através do Sistema Avançado de Compras Os novos sistemas de comércio eletrônico facilitam e agilizam a relação com os fornecedores FORNECEDORES ADJUDICADOS CATÁLOGO DE FORNECEDORES fornecedores inscritos em 31 de dezembro VOLUME DE NEGÓCIO NA PLATAFORMA ADQUIRA milhões de euros 09/04 Desenvolvimento sustentável A Telefónica estende seus compromissos com o Global Compact em sua cadeia de fornecedores VOLUME DE COMPRAS DE FORNECEDORES LOCAIS 92% A confiança de nossos fornecedores e sócios é o resultado da transparência, da igualdade de oportunidades e da busca do benefício mútuo em todas as operações que desenvolvemos de maneira conjunta

3 182 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 DISTRIBUIÇÃO DO VOLUME DE COMPRAS POR PAÍSES (09-1) (Dados em porcentagem) Argentina 3 Brasil 20 Argentina 4,8 Brasil 32,1 Demais países 12 Demais países 9,1 Peru Chile 4 Peru 4, Chile 4,1 Espanha 56 Espanha 45,8 NÚMERO DE FORNECEDORES ADJUDICADOS (09-2) (Dados em unidades) Argentina Brasil Chile Espanha Peru Demais Países

4 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 183 DISTRIBUIÇÃO DO VOLUME DE COMPRAS PRO LINHAS DE PRODUTOS (09-3) (Dados em porcentagem) Linha de produto Descrição Infra-estrutura de redes Sistema de comutação, transmissão, dados e energia Serviços e obras Manutenção e expansão da planta externa, obras e serviços em geral Produtos do mercado Sistemas de informação Materiais, equipamento terminal, instrumentos e ferramentas Hardware, software, desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação Publicidade e Marketing Ações de publicidade e marketing GRANDE NÚMERO DE FORNECEDORES Durante o ano de 2004, o volume de compra do Grupo Telefónica cresceu para mais de 12 bilhões de euros. Este volume de compra foi declarado a mais de fornecedores. Os dez principais fornecedores por importância declarada foram os seguintes (organizados de forma alfabética): Alcatel, Brightstar, Ericsson, IBM, LG, Lucent, Motorola, Nokia, Siemens, Vitelcom. 02 PRINCÍPIOS DE OBJETIVIDADE, TRANSPARÊNCIA E IGUALDADE DE OPORTUNIDADES Consciente da importância de que as compras e a relação com os fornecedores têm nos resultados do negócio, a Telefónica gerencia as compras em todas suas empresas por meio de um modelo de gestão comum: o Sistema Avançado de Compras (SAC). Seu objetivo é otimizar as compras em sua tripla dimensão de preço, qualidade e serviço, para reduzir custos, melhorar a competitividade e gerar valor. Em dezembro de 2004, eram gerenciadas por este modelo as compras de 118 empresas do Grupo, repartidas entre os 19 principais países nos quais a Telefónica opera. O processo, de acordo com este modelo, é articulado em torno das Mesas de Compras, foros onde se reúnem as diferentes áreas implicadas na compra para analisar a mesma, estabelecer preços, objetivos e finalmente decidir, por unanimidade, sobre a declaração. Atualmente existem sete Mesas de Compras localizadas em Madri, São Paulo, Rio de Janeiro, Lima, Buenos Aires, Santiago do Chile e México D.F., o que permite realizar uma gestão global ou local das compras de acordo com o resultado mais adequado. Em 2005, está previsto implantar duas novas Mesas de Compras: uma na Venezuela e outra na Colômbia. O Modelo de Compras da Telefónica possui uma série de características que facilitam a objetividade e a transparência das mesmas: A possibilidade de inscrição global no Catálogo de Fornecedores da Telefónica está disponível para todas aquelas empresas que tenham interesses em trabalhar com a Empresa. Este Catálogo é comum para todo o Grupo e a inscrição nele pode ser realizada pelo Portal do Provedor. O número de fornecedores inscritos como possíveis ofertantes no Catálogo de Fornecedores da Telefónica no fim de 2004 era de Nas Mesas de Compras participam todas as áreas implicadas na compra,e as decisões são tomadas por unanimidade entre todas elas,o que contribui com objetividade e transparência, tanto para a análise como para a tomada de decisões. A Telefónica dispõe de um Manual de Estilo que descreve os Princípios Gerais e as pautas de conduta que devem reger as atuações de todas as pessoas que intervêm em um processo de compra. Entre estes princípios cabe destacar a igualdade de oportunidades para todos os fornecedores ofertantes. Desta forma, as aplicações de comércio eletrônico que estão sendo utilizadas e desenvolvidas no Grupo Telefónica permitem, além da automação e otimização dos processos, uma maior transparência na gestão de ofertas com os fornecedores. Especificamente no Brasil, em cumprimento da resolução 155 da ANATEL, a TeleSP tem a obrigação de anunciar publicamente todos seus processos de compra de serviços de comunicações e aquisição de equipamentos com valor superior a um milhão de reais. Por este motivo, é anunciado quando são aplicadas estas condições na página web para a abertura de concurso público, incentivando a igualdade de oportunidades. EMPRESAS INSCRITAS NO CATÁLOGO DE FORNECEDORES (09-4) (Dados em unidades)

5 184 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 MERCADO ELETRÔNICO DO ADQUIRA (09-5) Volume de compras (mill e) Nº de processos negociados País País 2004 Argentina 33,89 343,73 Argentina Brasil 78,27 405,94 Brasil Chile 7,72 186,01 Chile 647 Espanha , , 15 Espanha México 264,05 México 371 Peru 6,13 274,20 Peru Total , ,10 Total BENEFÍCIO MÚTUO A Telefónica desenvolveu uma série de ferramentas para ampliar as melhorias para toda sua cadeia de fornecimento e colaborar com seus fornecedores. a) O comércio eletrônico A Telefónica está utilizando a tecnologia mais avançada em sua relação com fornecedores, com o objeto de automatizar e otimizar todo o processo de compra, e estabelecer novos e melhores canais de comunicação com seus fornecedores. Neste sentido, a Telefónica, por meio da Adquira España, está implantando e desenvolvendo uma plataforma global de comércio eletrônico para a gestão de todo o processo de compras e fornecimento. A Adquira España é uma empresa líder em soluções e serviços de negociação e fornecimento que está ligada a quatro grandes empresas espanholas: BBVA, Iberia, Repsol-YPF e Telefónica (por meio da Telefónica de España e TPI).Esta plataforma de comércio eletrônico permite realizar de forma automatizada: a gestão de ofertas e negociação das mesmas, assim como a realização de leilões (e-sourcing). a elaboração, aprovação e assinatura eletrônica de compromissos com fornecedores (contratos e cartas de declaração). a gestão de pedidos e ordens de serviço por parte das áreas usuárias sobre catálogos previamente negociados por Compras (e-procurement), envio da nota de entrega ou pedido de compra para o fornecedora, assim como a aceitação do bem ou serviço por parte da área correspondente. o processo de faturamento por parte dos fornecedores a partir dos pedidos emitidos de forma eletrônica e já aceitos. a avaliação de fornecedores: qualidade, cumprimento de compromissos, prazos de entrega, atendimento prestado etc. Para os fornecedores, estas iniciativas de comércio eletrônico supõem numerosas vantagens, entre as quais se destacam: a redução dos custos associados ao processo como conseqüência da automação do mesmo. uma maior agilidade no intercâmbio de informação. a possibilidade de integração da plataforma com seus sistemas informáticos. uma maior transparência na negociação e, em geral, em todo o processo de compra, assim como a igualdade de oportunidades para todos os fornecedores, ao garantir que a informação para a preparação de suas ofertas se coloca à disposição de todos os fornecedores, simultaneamente, e é a mesma para todos os ofertantes. um aumento das possibilidades de venda dos fornecedores por meio do acesso a um mercado virtual no qual, além de todas as empresas da Telefónica, se encontram empresas tais como BBVA, Iberia ou Repsol-YPF e outras empresas clientes da Adquira. Atualmente, a gestão eletrônica de ofertas para determinados produtos e serviços já é uma realidade na Espanha, Brasil, Argentina, Peru, Chile e México. O volume de compras negociado no ano de 2004 por meio do mercado eletrônico da Adquira foi de milhões de euros, correspondente a processos de compra, existindo no fim do ano um total de fornecedores incorporados ao mesmo. Em 2004, foi implantada na Telefónica uma nova modalidade de negociação de compras por meio de leilões eletrônicos, que proporcionam uma maior transparência e objetividade no processo de compra, plena igualdade de oportunidades para todos os fornecedores, além de contribuir com maior agilidade e de simplificar a gestão da compra.

6 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 185 FORNECEDORES INCORPORADOS AO MERCADO ELETRÔNICO (09-6) (Dados em unidades) País Argentina Brasil Chile Espanha Peru México Total Quanto ao resto das iniciativas de comércio eletrônico, durante 2004, continuou-se com a implantação do e-procurement (modelo corporativo de abastecimento eletrônico) nas empresas espanholas do Grupo Telefónica, e foi iniciado nas empresas do Brasil e do Peru. Desta forma, começou a implantação do faturamento eletrônico, estando operacional na Telefónica S.A. Por último, durante 2004, foi desenvolvido também um projeto corporativo de formalização eletrônica de contratos. b) Portal do Fornecedor O Portal do fornecedor, acessível no endereço de internet: é o principal canal de informação entre a Telefónica e seus fornecedores. Estes podem acessar a informação global que explica sobre como ser fornecedor do Grupo Telefónica, sobre o processo de compra seguido pela Telefónica, e sobre os principais projetos que a Telefónica possui e que são relacionados com o comércio eletrônico. Desta forma, por meio do Portal do Fornecedor pode-se gerenciar a solicitação de inscrição no Catálogo de Fornecedores, assim como acessar a plataforma de comércio eletrônico da Adquira. Permite também o acesso a outros portais específicos das empresas da Telefónica como o e- Agora da Telefónica de España. 04 DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS SOCIEDADES a) Fomento de padrões éticos na cadeia de abastecimento Nas Condições Gerais para o Fornecimento de Bens para a Telefónica S.A., a Telefónica exige o cumprimento da legislação vigente em questões de condições trabalhistas, segurança e higiene no trabalho ou impacto para o meio ambiente de seus fornecedores. Os critérios são de aplicação geral, sem diminuir a possibilidade de que em alguns países ou empresas possam adquirir outros adicionais. Desta forma, no caso de determinados produtos e serviços, são inclusos nos contratos outros aspectos adicionais, mais diretamente relacionados com o produto ou serviço objeto de compra. Adicionalmente, o Grupo Telefónica deseja contribuir com a promoção de práticas responsáveis em toda sua cadeia de fornecimento, por meio da colaboração com outras empresas e outras iniciativas que ultrapassem os requisitos legais. Colaboração com outras empresas Este compromisso se torna público por meio de sua adesão ao Pacto Mundial das Nações Unidas (UM Global Compact) ou às iniciativas desenvolvidas pelo ETNO (European Telecommunication Network Operators) ou GeSI (Global e-sustainability Initiative). Neste sentido, a Telefónica participou na Conferência Européia sobre Telecomunicações e Sustentabilidade organizada pelo ETNO em que se subscreveu, junto a outras 17 empresas européias, para a Carta de Sustentabilidade, que inclui como um de seus princípios a extensão dos critérios de sustentabilidade para a cadeia de fornecimento. Desta forma, a Telefónica participa no Grupo de Trabalho sobre Cadeia de Abastecimento de GeSI, cujo objetivo será transmitir ao longo da cadeia de fornecimento das empresas participantes, as práticas impulsoras de sustentabilidade. Como primeiro passo, em 2005 irá realizar um diagnóstico sobre o interesse e o grau de aceitação entre fornecedores com a inclusão de critérios de sustentabilidade nas relações comerciais. Iniciativas que excedem os requisitos da legislação A Telefónica desenvolve diversas iniciativas para promover práticas responsáveis em sua cadeia de abastecimento. Em matéria de meio ambiente, algumas das iniciativas se encontram descritas no capítulo 08 deste relatório. Incluem atividades de formação aos funcionários das empresas colaboradoras,a valorização positiva de certificados de gestão ambiental na fase de declaração de contratos ou atividades de avaliação e controle de fornecedores com incidência

7 186 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 CUMPRIMENTO DOS PRAZOS DE PAGAMENTO FATURAS DE TERCEIROS (09-07) (Dados em porcentagem) pagamentos em prazo definido pagamentos fora do prazo definido Nº de faturas 96,9 Valor 88,19 Dados correspondentes às faturas pagas pela Telefónica de España e Telefónica Móviles de España CASO PRÁTICO COMPRE TRABALHO ARGENTINO (09-8) Em 28/11/01, o Governo Argentino sancionou a Lei , por meio da qual foi estabelecido o Regime de Compras do Estado Nacional, Concessionários e Licenciatários de Serviços Públicos, denominado Compre Trabalho Argentino. Este regime outorga preferências às empresas ou produtos nacionais diante de empresas ou produtos estrangeiros. A Telefónica da Argentina S.A., em seu caráter de prestadora de serviços públicos teve que realizar uma série de modificações em seus processos para cumprir com o Regime do Compre Trabalho Argentino: Adequação de suas contratações às normas estabelecidas na lei e seu decreto regulamentar. Dar preferência em suas contratações às ofertas nacionais de bens, obras e serviços, dentro das pautas fixadas pela Lei. Cumprimento do regime de publicidade de suas contratações e demais normas contidas na legislação. Cumprimento do procedimento de informação à autoridade de aplicação referentes a observação da Lei em suas contratações. CAPACITAÇÃO DE FORNECEDORES PEMES NA ARGENTINA (09-9) Em 2004, a Telefónica da Argentina capacitou na Universidade Católica Argentina 12 fornecedores PEMES (Pequenas e médias empresas) que fornecem atendimento às diferentes empresas do Grupo. A dinâmica consiste em identificar fatores-chave e variáveis de controle para o crescimento de seus negócios, desenvolver conhecimentos sobre a gestão empresarial e incorporar ferramentas para a sobrevivência e crescimento. Finalmente, fazer um diagnóstico estratégico de cada uma das empresas e elaborar um plano para enfrentar os desafios da competitividade e do desenvolvimento de novos negócios a médio e longo prazo. Inclui um coaching para a elaboração do plano de negócios, que implica um crescimento da Peme e permite que a Telefónica conte com fornecedores mais qualificados do ponto de vista acadêmico. Dado o sucesso do programa, deseja-se continuar com o modelo durante o ano 2005, ampliando o benefício a um número maior de fornecedores.

8 Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 187 IMPULSO DA TELEFÓNICA AOS FORNECEDORES LOCAIS (09-10) % Volume de compra local % fornecedores adjudicados locais País País Argentina Argentina Brasil Brasil Chile Chile Espanha Espanha México 94 México 90 Peru Peru Demais Países Demais Países Total Total para o meio ambiente (como as realizadas pela Telefónica Móviles España ou TPI). No Brasil, as contratações de serviços do Grupo Telefónica são submetidas à aprovação das áreas jurídicas e de relações trabalhistas, antes da aprovação por Mesa de Compras. Os representantes destas áreas realizam visitas para verificar se a empresa está em conformidade com a legislação vigente, visitas que se repetem depois da contratação com o objetivo de verificar o cumprimento das condições de segurança e saúde no trabalho. Na Espanha, a Telefónica Móviles España tem o objetivo de que todos os empreiteiros contem com a formação necessária em riscos trabalhistas. Fruto deste objetivo foi elaborado o Módulo de Coordenação de Contratos de Prevenção de Riscos Trabalhistas, com o apoio do Comitê Intercentros de Segurança e Saúde, que estabelece um sistema de crédito e controle dos trabalhadores de tais empresas e do cumprimento de um mínimo em prevenção de riscos trabalhistas. Além disso, inclui informação genérica com relação aos riscos que a empresa empreiteira pode encontrar nas instalações da Telefónica Móviles España. Por sua vez, a Telefónica de España celebrou seu encontro anual com as empresas colaboradoras de operações, nas quais mais de pessoas desenvolvem seu trabalho. Nele, foi destacada a importância de melhorar no cumprimento da Lei de Riscos Trabalhistas e na Formação, para a qual se dedicaram mais de horas ao longo de Como iniciativa destacada em matéria de integração, a Telefónica estabelecerá a exigência de cumprimento da Lei de Integração de Pessoas com Deficiência para todos os fornecedores que prestem serviço no Distrito C. Para aquelas empresas que não cumprirem com o requisito, é oferecido o Serviço de Integração Trabalhista da ATAM. b) Incentivos para fornecedores locais A Telefónica é uma empresa comprometida com o progresso econômico e social dos países nos quais está presente. Este compromisso se concretiza na alta porcentagem de atribuições para fornecedores localizados no próprio país, cuja média foi de 92% em IMPULSO DA TELEFÓNICA AOS FORNECEDORES LOCAIS (09-11) % Volume de compra local 90 % fornecedores adjudicados locais

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A.

Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa Telefónica, S.A. 08 Fornecedores: igualdade de oportunidades e benefício mútuo 122 Telefónica, S.A. Informe Anual de Responsabilidade Corporativa 2003 01 Grande

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 INDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. implementação...2 4. Referência...2 5. Conceitos...2 6. Políticas...3

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Nível de seguimento das recomendações de bom governo

Nível de seguimento das recomendações de bom governo Nível de seguimento das recomendações de bom governo 54 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003 Nível de seguimento das recomendações de bom governo 07.01 TELEFONICA, S.A. A seguir

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA 23 de julho de 2015 ÍNDICE Pág. Introdução... 3 Objetivos... 3 Princípios gerais de atuação... 4 Princípios específicos de atuação... 7 Mecanismos de desenvolvimento,

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

associados do Mukhero

associados do Mukhero Oportunidades e Desafios do Comércio Externo em Moçambique Principais serviços do IPEME que contribuem formalização dos associados do Mukhero Por: Adriano Claire Zimba, Director Geral 27 de Maio de 2014

Leia mais

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar:

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar: Introdução É grande a parcela da população das nações mais desenvolvidas do mundo que está se organizando em sociedades e associações civis que defendem interesses comuns. Essas pessoas já perceberam que

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Telepresença Embratel

Telepresença Embratel I D C V E N D O R S P O T L I G H T Telepresença Embratel Outubro, 2014 Por João Paulo Bruder, Coordenador de Telecomunicações, IDC Brasil Patrocinado pela Embratel A busca por eficiência operacional é

Leia mais

A Telefónica é assim. Uma empresa na vanguarda. Relatório Anual 2002

A Telefónica é assim. Uma empresa na vanguarda. Relatório Anual 2002 A Telefónica é assim A Telefónica é a operadora de referência nos mercados de língua espanhola e portuguesa com quase 90 milhões de clientes. Além disso, é a sétima companhia mundial do setor em termos

Leia mais

ativos intangíveis 1 A Telefónica quer basear a sua liderança na vivência dos seus valores... Relatório Anual 2002 Com a sociedade

ativos intangíveis 1 A Telefónica quer basear a sua liderança na vivência dos seus valores... Relatório Anual 2002 Com a sociedade ativos intangíveis 1 A Telefónica quer basear a sua liderança na vivência dos seus valores... Com os nossos acionistas e investidores Transparência Rentabilidade Com os nossos clientes Qualidade Cumprimento

Leia mais

TELEFÓNICA MÓVILES, S.A.

TELEFÓNICA MÓVILES, S.A. COMUNICAÇÃO DE FATO RELEVANTE TELEFÓNICA MÓVILES, S.A. Madri, 28 de outubro de 2004 Em cumprimento ao disposto no artigo 82 da Lei 24/1988, de 28 de julho, do Mercado de Valores espanhol e disposições

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

LINHA DE APRENDIZADO. Departamento de Compras. Modelo de Negócio. Central de Compras. Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar

LINHA DE APRENDIZADO. Departamento de Compras. Modelo de Negócio. Central de Compras. Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar AGOSTO/2015 LINHA DE APRENDIZADO Departamento de Compras Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar Central de Compras Modelo de Negócio Fundada há 120 anos. Atendimento de média e alta

Leia mais

Chamada de Projetos Laboratório Ibero-Americano de Inovação Cidadã

Chamada de Projetos Laboratório Ibero-Americano de Inovação Cidadã Chamada de Projetos Laboratório Ibero-Americano de Inovação Cidadã Chamada aberta para projetos de inovação cidadã A iniciativa Inovação Cidadã da Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB) e o Ministério

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA COMPAÑÍA ESPAÑOLA DE PETRÓLEOS, S.A.U. (CEPSA) E DO SEU GRUPO DE EMPRESAS

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA COMPAÑÍA ESPAÑOLA DE PETRÓLEOS, S.A.U. (CEPSA) E DO SEU GRUPO DE EMPRESAS CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA COMPAÑÍA ESPAÑOLA DE PETRÓLEOS, S.A.U. (CEPSA) E DO SEU GRUPO DE EMPRESAS ÍNDICE CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA COMPAÑÍA ESPAÑOLA DE PETRÓLEOS, S.A.U. (CEPSA) E DO SEU GRUPO

Leia mais

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins meramente informativos. É proibida a reprodução total ou

Leia mais

Governo Eletrônico. Universidade Federal de Santa Catarina Mestrado de Engenharia de Produção e Sistemas. Leandro Carioni

Governo Eletrônico. Universidade Federal de Santa Catarina Mestrado de Engenharia de Produção e Sistemas. Leandro Carioni Universidade Federal de Santa Catarina Mestrado de Engenharia de Produção e Sistemas Governo Eletrônico Capítulos 1, 2 e 3 do Livro Verde Leandro Carioni Cenário Futuro E-business E-Group E-Commerce E-Government

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico

Sistemas web e comércio eletrônico. Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Sistemas web e comércio eletrônico Aula 02 Arquiteturas de comércio eletrônico Tópicos abordados Arquitetura do e-commerce Aspectos importantes do e-commerce Modelos de negócios Identificação do modelo

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

MANUAL DE RELACIONAMENTO DO FORNECEDOR Diretoria de Compras Construindo Resultados

MANUAL DE RELACIONAMENTO DO FORNECEDOR Diretoria de Compras Construindo Resultados MANUAL DE RELACIONAMENTO DO FORNECEDOR Diretoria de Compras Construindo Resultados As informações contidas neste documento são proprietárias e para uso confidencial dos destinatários explicitados. Propriedade

Leia mais

Quem somos? Por que a sua empresa merece o Sistema de Gestão ERP da Otimizy?

Quem somos? Por que a sua empresa merece o Sistema de Gestão ERP da Otimizy? Por que a sua empresa merece Quem somos? A Otimizy Sistemas Inteligentes é a desenvolvedora do software ErpSoft, um Sistema de Gestão Empresarial voltado a resultados, que automatiza processos operacionais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA. Contrato por Produto - Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA. Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA Contrato por Produto - Nacional BRA/09/004 Fortalecimento das Capacidades da CAIXA para seu processo de

Leia mais

GUIA DO PROGRAMA IBM SOLUTION ACCELERATOR

GUIA DO PROGRAMA IBM SOLUTION ACCELERATOR IBM GUIA DO PROGRAMA IBM SOLUTION ACCELERATOR Guia para Parceiros Comerciais: Provedores de Solução, Revendas T2 Maio de 2013 LA413-P15 Programa IBM Solution Accelerator LA413-P15 Anúncio do Revendedor

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS

ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS LÍDER DE MERCADO EM SOLUÇÕES PARA COMUNICAÇÕES A Motorola exerce a liderança em soluções digitais de próxima geração

Leia mais

Avaliação da Iniciativa Ibero-Americana CIBIT

Avaliação da Iniciativa Ibero-Americana CIBIT Avaliação da Iniciativa Ibero-Americana CIBIT Antonio Hidalgo Professor da Escola Técnica Superior de Engenharia Industrial. Universidade Politécnica. 1/8 RESUMO EXECUTIVO XVII CÚPULA IBERO-AMERICANA A

Leia mais

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros.

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros. Índice 1. Objetivo... 1 2. Escopo e Partes Afetadas... 1 3. Definições... 1 4. Princípios... 1 5. Objetivos, metas e programas... 2 6. Papéis e Responsabilidades... 5 7. Regulamentação Aplicável... 6 1.

Leia mais

38 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Inovação

38 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Inovação 38 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 03 Inovação Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 39 03/01 modelo de inovação tecnológica A inovação

Leia mais

MANUAL CLIENTE SERVIÇO DE GERÊNCIA VOZ

MANUAL CLIENTE SERVIÇO DE GERÊNCIA VOZ MANUAL CLIENTE SERVIÇO DE GERÊNCIA VOZ TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho

Leia mais

EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference

EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference Consulting, IT & Outsourcing Professional Services everis BPO. Nossa razão de ser: Direcionamos

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Cartão BNDES. Volta Redonda RJ. 06 de abril de 2011

Cartão BNDES. Volta Redonda RJ. 06 de abril de 2011 Cartão BNDES Volta Redonda RJ 06 de abril de 2011 Cartão BNDES Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das MPMEs. Como Funciona? Ambiente

Leia mais

Proposta Comercial EDUNIX SISTEMA DE GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO

Proposta Comercial EDUNIX SISTEMA DE GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO Proposta Comercial EDUNIX SISTEMA DE GESTÃO PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO Sumário Empresa... 3 Missão... 3 Visão... 3 Valores... 3 Solução... 4 Principais características... 4 Lista de funcionalidades...

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Introdução 5 INTRODUÇÃO A seguir, são descritos os comportamentos e princípios gerais de atuação esperados dos Colaboradores da Endesa

Leia mais

Leve sua comunidade B2B mais longe

Leve sua comunidade B2B mais longe Leve sua comunidade B2B mais longe NOSSO SUCESSO COMEÇA COM VOCÊ A IMPORTÂNCIA DO INTERCÂMBIO ELETRÔNICO DE DADOS O EDI, ou Electronic Data Interchange, permite o intercâmbio de transações comerciais

Leia mais

Outsourcing em Telecom. BI Telecom. Gestão em Telecomunicações. Tarifação e Administração de Ligações. SGTC Corporativo. Auditoria em Telecom

Outsourcing em Telecom. BI Telecom. Gestão em Telecomunicações. Tarifação e Administração de Ligações. SGTC Corporativo. Auditoria em Telecom Sobre a TeleGestão A TeleGestão, especialista em gestão de telecomunicações, dedica-se há mais de 20 anos ao desafio de adequar recursos de telefonia ao perfil corporativo de diversos setores. As soluções

Leia mais

clientes milhões relatórios mil linhas detalhados +de +de +de +de recuperados em negociações gerenciadas por mês por mês

clientes milhões relatórios mil linhas detalhados +de +de +de +de recuperados em negociações gerenciadas por mês por mês A TeleGestão, especialista em gestão de telecomunicações, dedica-se há mais de 20 anos ao desafio de adequar recursos de telefonia ao perfil corporativo de diversos setores. As soluções da TeleGestão,

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013 Política de Responsabilidade Corporativa Março 2013 Ao serviço do cliente Dedicamos os nossos esforços a conhecer e satisfazer as necessidades dos nossos clientes. Queremos ter a capacidade de dar uma

Leia mais

Comprometidos com o Futuro da Educação

Comprometidos com o Futuro da Educação Comprometidos com o Futuro da Educação Comprometidos com o Futuro da Educação Educação Assim se Constroem as Grandes Nações A educação é vital para criar uma cultura baseada na excelência. A demanda por

Leia mais

MANUAL CLIENTE TODA A

MANUAL CLIENTE TODA A MANUAL CLIENTE TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho dos serviços de telecomunicações

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL

Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL O objetivo deste documento é informar aos fornecedores dos pontos e valores fundamentais de nosso processo de compras. A GS1 Brasil mantém a ética, a transparência

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Banco Cooperativo Sicredi S.A. Versão: Julho/2015 Página 1 de 1 1 INTRODUÇÃO O Sicredi é um sistema de crédito cooperativo que valoriza a

Leia mais

Política de Gestão de Pessoas

Política de Gestão de Pessoas julho 2010 5 1. Política No Sistema Eletrobras, as pessoas são agentes e beneficiárias do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade empresarial.

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 Sobre a atuação dos Juízes e Poderes Judiciários Iberoamericanos relativamente à informação, à participação pública e ao acesso à justiça em matéria de meio ambiente

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos

Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos I D C C A S E S T U D Y Embratel como provedora de infraestrutura para Grandes Eventos Janeiro, 2015 João Paulo Bruder, Coordenador de Telecomunicações, IDC Brasil Patrocinado pela Embratel A eficiência

Leia mais

Manual de adesão à Ata de Registro de Preço

Manual de adesão à Ata de Registro de Preço Manual de adesão à Ata de Registro de Preço Solução de NIPS Sourcefire 1 de novembro de 2013 1 CARTA DE APRESENTAÇÃO Aos Órgãos ou Entidades da Administração Pública Referente: Registro de Preços Prezado(a)

Leia mais

A FUNDACIÓN MAPFRE desenvolve atividades de interesse geral para a obtenção dos seguintes objetivos:

A FUNDACIÓN MAPFRE desenvolve atividades de interesse geral para a obtenção dos seguintes objetivos: 1 APRESENTAÇÃO A FUNDACIÓN MAPFRE desenvolve atividades de interesse geral para a obtenção dos seguintes objetivos: Segurança das pessoas e de seus patrimônios, com especial atenção à segurança viária,

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007

Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007 Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007 Agenda I. Panorama do Setor II. Convergência e Consolidações 2 O mercado de telecomunicações no mundo alcançou 1,3bi de linhas

Leia mais

COMMUNICATION ON PROGRESS

COMMUNICATION ON PROGRESS COMMUNICATION ON PROGRESS (COP) 2014 1. Declaração de Compromisso Esta é a primeira comunicação de Progresso (COP) que fazemos abrangendo o período de Dezembro de 2013 a Dezembro de 2014. Quero reforçar

Leia mais

Compras Públicas para um Estado Inteligente

Compras Públicas para um Estado Inteligente Compras Públicas para um Estado Inteligente Princípios de um Estado Inteligente Agimos de modo a assegurar um legado para as gerações futuras, através da racionalidade da gestão e proteção dos recursos

Leia mais

Contexto das PME s em Moçambique

Contexto das PME s em Moçambique MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Conferência sobre Fontes Alternativas de Financiamento às Contexto das em Moçambique Por Claire Zimba, Director Geral Indy Village, 09:30Hrs, 21 de Maio de 2015, Cidade

Leia mais

Seminário. O Desenvolvimento Sustentável das Telecomunicações. Artur Calado

Seminário. O Desenvolvimento Sustentável das Telecomunicações. Artur Calado Seminário Ferramentas de Gestão nas Tecnologias de Informação Aveiro, 19 de Março de 2009 O Desenvolvimento Sustentável das Telecomunicações Artur Calado Introdução A região de Aveiro possui condições

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO José Maria Villac Pinheiro (1) Engenheiro pela Universidade de São Paulo USP Escola de Engenharia de São Carlos EESC. Especialização

Leia mais

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização 1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização Faro, 7 de Maio de 2009 Índice Posicionamento AICEP AICEP - Produtos e Serviços Apoios à Internacionalização Posicionamento AICEP Posicionamento

Leia mais

Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC. São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013

Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC. São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013 Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013 Agenda 1. Informações Institucionais 2. Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Grupo Consolidado. Relatório Anual 2002

Grupo Consolidado. Relatório Anual 2002 2002 A Telefónica antecipou-se às tendências do setor em 2002 concentrando-se em decisões estratégicas que melhoraram seu balanço e sedimentaram as bases para um crescimento sustentado da geração de Caixa

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação Título da apresentação DEFINIÇÃO: É um sistema de resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos que visa incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora empresarial e estrutural

Leia mais

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes?

Apresentação. - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? Apresentação - Palestrante Quem é? - Sebrae O que é? - Atendimento à Indústria? - Carteira de Alimentos? Sorvetes? 2 Importância dos Pequenos Negócios 52% dos empregos formais 40% da massa salarial 62%

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDUARDO ROCHA BRUNO CATTANY FERNANDO BAPTISTA Descrição da(s) atividade(s): Indicar qual software integrado de gestão e/ou ferramenta

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY)

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

Código de Conduta Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin

Código de Conduta Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin Código de Conduta Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin 1 Código de Conduta do Fornecedor Brasil Kirin Introdução O objetivo deste Código de Conduta é orientar os nossos fornecedores

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015 A promoção da investigação através de programas que contribuam de maneria eficaz para a criação

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

www.inescrm.com.br 1

www.inescrm.com.br 1 www.inescrm.com.br 1 A receita para o sucesso nos tempos de hoje Estimado leitor, Este espaço está especialmente desenhado para que conheçam nossa filosofia, nossa maneira de ver e sentir os negócios.

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens.

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens. Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios www.siemens.com/compliance "A cultura de uma empresa e seus valores fazem a diferença.

Leia mais

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta Em início de nova fase, alarga a oferta Com o objectivo de ajudar as empresas a controlar e reduzir custos relacionados com transacções de bens e serviços, o adicionou à sua oferta um conjunto de aplicações

Leia mais

Soluções para a prospecção de clientes, gestão dos riscos de crédito e apoio à internacionalização das empresas

Soluções para a prospecção de clientes, gestão dos riscos de crédito e apoio à internacionalização das empresas Soluções para a prospecção de clientes, gestão dos riscos de crédito e apoio à internacionalização das empresas RAFAEL GARCIA DIRETOR COMERCIAL CESCEBRASIL QUEM SOMOS A CESCEBRASIL é uma empresa especializada

Leia mais

IDÉIA DE PROJETO PROGRAMA IBEROEKA

IDÉIA DE PROJETO PROGRAMA IBEROEKA IDÉIA DE PROJETO PROGRAMA IBEROEKA Projetos em colaboração com empresas dos seguintes países: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, Honduras,

Leia mais

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de aperfeiçoamento do setor Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de

Leia mais

Credenciamento para Emissão de NF-e

Credenciamento para Emissão de NF-e S SEFAZ-Se Secretaria de Estado da Fazenda de Sergipe Credenciamento para Emissão de NF-e Manual Versão 1.2 Aracaju (Se), 17/12/2007 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...3 2. PROCESSSO DE CREDENCIAMENTO PARA EMISSÃO

Leia mais

CASOS DE SUCESSO. Dezembro 2010

CASOS DE SUCESSO. Dezembro 2010 CASOS DE SUCESSO Dezembro 2010 Agenda O que é um Caso de Sucesso? A importância dos Casos de Sucesso Benefícios Critérios de Avaliação Etapas do Processo Resultados Definição 1 2 Breve história que apresenta

Leia mais

Estágio atual do mercado de pisos e revestimentos uma avaliação das necessidades e oportunidades. Eng Wagner Gasparetto Presidente 11/nov/09

Estágio atual do mercado de pisos e revestimentos uma avaliação das necessidades e oportunidades. Eng Wagner Gasparetto Presidente 11/nov/09 Estágio atual do mercado de pisos e revestimentos uma avaliação das necessidades e oportunidades Eng Wagner Gasparetto Presidente 11/nov/09 Avaliação das necessidades e oportunidades? Construção Civil

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

Considerações sobre a aplicação das Leis 10.973 e 8.958 nas Unidades de Pesquisa

Considerações sobre a aplicação das Leis 10.973 e 8.958 nas Unidades de Pesquisa Considerações sobre a aplicação das Leis 10.973 e 8.958 nas Unidades de Pesquisa 1 Introdução Este documento tem como objetivo apresentar um conjunto de reflexões sobre a implementação das disposições

Leia mais

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM:

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: Decidiu apoiar as PME através deste programa, que permite: Modernizar a sua infraestrutura de comunicações Fazer crescer o seu negócio Incorporar competências essenciais

Leia mais

CONSIST GRP. O canal certo para simplificar e organizar a atividade governamental.

CONSIST GRP. O canal certo para simplificar e organizar a atividade governamental. CONSIST GRP. O canal certo para simplificar e organizar a atividade governamental. Organização Simplificação Informação CONSIST GRP Bem-vindo à Era da Excelência em Gestão Governamental. Acesso em tempo

Leia mais

COMPETE 2020 PORTUGAL 2020

COMPETE 2020 PORTUGAL 2020 COMPETE 2020 PORTUGAL 2020 2 INOVAÇÃO PRODUTIVA Trata-se de uma linha de apoio ao investimento nas empresas, aplicável a PME e Não PME. Quais os principais objetivos desta linha: Apoiar a produção de novos

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais