Aspectos epidemiológicos das amputações ocorridas no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011: uma análise quantitativa e sócio demográfica.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aspectos epidemiológicos das amputações ocorridas no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011: uma análise quantitativa e sócio demográfica."

Transcrição

1 FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPIRITO SANTO DIRETORIA DE ENSINO SUPERIOR GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA ROSINEIA MORAIS DOS SANTOS WILAS CAPELINE Aspectos epidemiológicos das amputações ocorridas no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011: uma análise quantitativa e sócio demográfica. VITÓRIA 2011

2 ROSINEIA MORAIS DOS SANTOS WILAS CAPELINE Aspectos epidemiológicos das amputações ocorridas no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011: uma análise quantitativa e sócio demográfica. Trabalho de conclusão de Curso apresentado ao curso de Fisioterapia, como requisito à obtenção do grau de Bacharel em Fisioterapia. Faculdade Católica Salesiana do Espirito Santo. Apresentado pelos acadêmicos Rosinéia Morais dos Santos e Wilas Capeline, sob Orientação da Prof: Celine C. R. Pedrozo. VITÓRIA 2011

3 ROSINEIA MORAIS DOS SANTOS WILAS CAPELINE Aspectos epidemiológicos das amputações ocorridas no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011: uma análise quantitativa e sócio demográfica. Trabalho de Conclusão de Curso para obtenção do título de Bacharel em Fisioterapia, apresentado à Faculdade Católica Salesiana do Espirito Santo. BANCA EXAMINADORA Professora Orientadora Celine C. R. Pedrozo Faculdade Católica Salesiana do Espirito Santo. Professora Avaliadora Carolina C. Perez Faculdade Católica Salesiana do Espirito Santo. Professor Avaliador Emerson Vescovi Rosa Faculdade Católica Salesiana do Espirito Santo. Vitória, de de 2011.

4 AGRADECIMENTOS A DEUS pela oportunidade de ampliar nossos conhecimentos. Por nos proporcionar o dom da vida. Aos nossos pais e irmãos pelo apoio, compreensão em cada instante no qual precisamos. Aos nossos professores, pelos conhecimentos compartilhados, pelo companheirismo demostrado, pelo entendimento de conflitos e resolução de problemas. Aos colegas de classe, que durante 4 anos estivemos juntos, compartilhando a cultura de cada um, respeitando as diferenças, apoiando nos momentos difíceis. E para aqueles que fizemos a nossa segunda família, um eterno abraço. A Secretaria Estadual de Saúde do ES (SESA), pelo fornecimento dos Dados aos quais foram de suma importância para realização desse estudo. Aos funcionários da Faculdade, que nos propiciaram e cuidaram do nosso espaço e interesse de forma mútua e harmoniosa. O Nosso muito obrigado!

5 Mais que fisioterapêutas, somos humanos preenchidos por um espírito reconhecedor de que somos mais importantes ao próximo do que possamos imaginar Wilas Capeline

6 RESUMO Amputação significa retirada total ou parcial de um membro, considerado não mais funcional, ou que acarreta risco ao paciente. Dentre as etiologias mais evidenciadas, podemos destacar as Doenças Vasculares, seguida de Amputações Traumáticas, Neoplasias, Doenças Infecciosas e Anomalias Congênitas. O estudo teve como objetivo realizar um estudo epidemiológico das amputações no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre). Deste modo, foi obtido um total de 2186 casos de amputações. Destes 68,8% do sexo masculino, e 31,2% do sexo feminino. Além disso, o nível de predomínio por sexo foi de Amputação/Desarticulação de dedos para o sexo masculino, e Amputação/Desarticulação de Membros inferiores para o sexo feminino. Dentre as etiologias evidenciadas encontramos 22,3% Doença Vascular, 18% amputações traumáticas, Neoplasias 3,11%, Doenças infecciosas 3%, e Anomalias Congênitas com 0,5%. Quanto ao nível das amputações evidenciamos o domínio de Amputação/Desarticulação de MMII com 958 casos, representando 43,8% das amputações, seguida de Amputação/Desarticulação de dedos com 882 casos, representando 40,3% dos casos. A faixa etária mais acometida pelas amputações compreende de 65 ou mais anos, cuja principal causa é Embolia e trombose venosas arteriais. Quanto aos municípios de origem dos pacientes evidenciamos Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra e Cachoeiro de Itapemirim como as cinco cidades com maior índice de amputações. Por outro lado, os municípios que mais internam pacientes amputados são: Vitória, Serra, Cachoeiro de Itapemirim, Vila Velha e São Mateus. Deste modo, identificamos um total de 180 óbitos, com uma taxa de mortalidade hospitalar de 8,2%, com uma média de 8,9 dias de internação por caso de amputação. Sendo assim, percebemos que as amputações incidem no sexo masculino, a causa principal é Doença Vascular, a faixa etária de predomínio é idosos, e o nível de predomínio é Amputação/Desarticulação de Membros inferiores. Palavras Chaves: amputação; epidemiologia; perfil.

7 ABSTRACT Amputation means partial or total withdrawal of a member, considered no longer functional, or risking the patient. Among the more evident causes, we can highlight the vascular disease, followed by traumatic amputations, cancer, infectious diseases and congenital anomalies. The study aimed to conduct an epidemiological study of amputations in the State of the Espírito Santo in the period 2008 to 2011 (first half). Thus, we obtained a total of 2186 cases of amputations. Of these 68.8% were male, and 31.2% female. Moreover, the level of prevalence by gender was Amp / Desart fingers for males, and Amp / Desart lower limb for females. Among the etiologies evidenced Vascular Disease found 22.3%, 18% traumatic amputations, Neoplasms, 3.11%, 3% Infectious Diseases and Congenital Anomalies with 0.5%. Regarding the level of amputation evidenced mastery of Amp / Desart lower limb with 958 cases, representing 43.8% of amputations, then Amp / Desart fingers with 882 cases, representing 40.3% of cases. The age group most affected by amputations comprising of 65 or more years, whose main cause is arterial embolism and venous thrombosis. The municipalities of origin of the patients showed Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra and Cachoeiro de Itapemirim as the five cities with the highest rate of amputations. On the other hand, the inner cities that amputees are: Vitória, Serra, Cachoeiro de Itapemirim, Old Town and São Mateus. Thus, we identified a total of 180 deaths, with a hospital mortality rate of 8.2%, with an average of 8.9 hospital days per case of amputation. Thus, we see that the focus amputations in males, is the leading cause of vascular disease, the age group is predominantly elderly, and the level of dominance is Amp / Desart lower limb. Keywords: amputation; epidemiology; profile.

8 LISTA DE GRÁFICOS, QUADROS E TABELAS GRÁFICO 01- Distribuição da amostra quanto ao ano de incidência no Estado do Espírito Santo no período de 2008 a 2011(primeiro semestre)...31 GRÁFICO 02- Distribuição da amostra quanto ao sexo de prevalência no Espírito Santo no período de 2008 a 2011(primeiro semestre)...32 GRÁFICO 03-Distribuição da amostra quanto ao nível de amputação predominante por sexo no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...33 GRÁFICO 04- Distribuição da amostra quanto ao número de amputações segundo o diagnóstico (CID10) distribuído pela faixa etária no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...34 GRÁFICO 05- Distribuição da amostra quanto às etiologias/causas de amputações no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...35 GRÁFICO 06- Distribuição da amostra quanto ao nível de amputação e as cinco maiores incidências por níveis, no Espírito Santo no período de 2008 a 2011(primeiro semestre)...36 GRÁFICO 07- Distribuição da amostra quanto ao número de amputações segundo o munícipio de residência no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...39 GRÁFICO 08- Distribuição da amostra quanto ao número de amputações segundo o munícipio de internação no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...39 QUADRO 01- Distribuição das doenças por grupo etiológico de maior incidência no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...37

9 QUADRO 02- Distribuição da amostra quanto ao perfil do serviço de saúde, frequência, óbitos, mortalidade hospitalar (%), diária e média de dias de permanência no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...40 TABELA 01- Distribuição da amostra quanto à análise financeira dos gastos com amputações no Espírito Santo no período de 2008 a 2011 (primeiro semestre)...42

10 SUMÁRIO 1.0 INTRODUÇÃO JUSTIFICATIVA OBJETIVO OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA AMPUTAÇÃO ETIOLOGIA DAS AMPUTAÇÕES Amputações secundárias a Necrose causadas por Doenças Vasculares Periféricas Amputação secundária a Má formação congênita Amputação secundária a Traumas e lesões por esmagamentos Amputação secundária a Tumores Amputação secundária a Infecção NÍVEIS DE AMPUTAÇÃO Desarticulação Interfalangianas Desarticulação Metatarsofalangianas Amputação do Tipo Transmetatarsiana Amputação do Tipo Chopart Amputação do Tipo Syme Amputação do Tipo Perigoff Amputação do Tipo Lisfranc Amputação Transtibial Desarticulação do Joelho Amputação Transfemoral Desarticulação de Quadril NÍVEIS DE AMPUTAÇÃO DE MEMBROS SUPEIRORES Amputação Parciais da Mão Amputação de Dedos Amputação Transmetacarpiana Desarticulação Carpometacarpal Desarticulação do Punho Amputação Transradial Desarticulação do Cotovelo Amputação Transumeral Desarticulação de Ombro Desarticulação Escapular MATERIAIS E MÉTODOS ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DISCUSSÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS...47 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...48

PRINCIPAL ETIOLOGIA DE AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL EM PACIENTES ATENDIDOS NO CENTRO DE REABILITAÇÃO FAG

PRINCIPAL ETIOLOGIA DE AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL EM PACIENTES ATENDIDOS NO CENTRO DE REABILITAÇÃO FAG PRINCIPAL ETIOLOGIA DE AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL EM PACIENTES ATENDIDOS NO CENTRO DE REABILITAÇÃO FAG INTRODUÇÃO MUHLEN,CAMILA SCAPINI.¹ TAGLIETTI, MARCELO.² Faculdade Assis Gurgacz-FAG, Cascavel-PR, Brasil

Leia mais

Introdução às Amputações. Prof.ª Dr.ª Juliana Mendes Yule Prótese e Órtese

Introdução às Amputações. Prof.ª Dr.ª Juliana Mendes Yule Prótese e Órtese Introdução às Amputações Prof.ª Dr.ª Juliana Mendes Yule Prótese e Órtese Amputação É a remoção de uma extremidade do corpo através de cirurgia ou acidente. Na medicina, é usada para controlar a dor ou

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DAS CAUSAS DE AMPUTAÇÕES DE MEMBROS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA

IDENTIFICAÇÃO DAS CAUSAS DE AMPUTAÇÕES DE MEMBROS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA Saúde, Vol. 30 (1-2): 84-89, 2004 ARTIGO ORIGINAL IDENTIFICAÇÃO DAS CAUSAS DE AMPUTAÇÕES DE MEMBROS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA Limbs amputation causes identification in the University Hospital

Leia mais

Epidemiologia. Tipos de Estudos Epidemiológicos. Curso de Verão 2012 Inquéritos de Saúde

Epidemiologia. Tipos de Estudos Epidemiológicos. Curso de Verão 2012 Inquéritos de Saúde Epidemiologia Tipos de Estudos Epidemiológicos Curso de Verão 2012 Inquéritos de Saúde TIPOS DE ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS Observacionais Experimental x Observacional Relatos de Casos Série de casos Transversal

Leia mais

Dra. Sandra Fagundes Moreira da Silva Coordenadora Estadual de DST, Aids e Hepatites Virais- SESA/ES

Dra. Sandra Fagundes Moreira da Silva Coordenadora Estadual de DST, Aids e Hepatites Virais- SESA/ES BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS/HV - Nº 30 Dados até Dezembro de 2014 - ANÁLISE DOS DADOS DO HIV/AIDS, SÍFILIS E DE HEPATITES VIRAIS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Dra. Sandra Fagundes Moreira da Silva Coordenadora

Leia mais

Medidas de freqüência

Medidas de freqüência Medidas de freqüência IESC/UFRJ Mestrado em Saúde Coletiva Especialização em Saúde Coletiva Modalidade Residência Professores: Pauline Lorena Kale e Antonio José Leal Costa 2009 Ocorrência de doença Medidas

Leia mais

AMPUTAÇÕES DE MEMBROS INFERIORES Prof: Alan de Souza Araujo

AMPUTAÇÕES DE MEMBROS INFERIORES Prof: Alan de Souza Araujo AMPUTAÇÕES DE MEMBROS INFERIORES Prof: Alan de Souza Araujo Introdução Segundo Carvalho (2003), amputação é uma palavra derivada do latim tendo o significado de ambi = ao redor de/em torno de e putatio

Leia mais

População da Grande Vitória/ES por gênero e idade de acordo com o Censo de 2010

População da Grande Vitória/ES por gênero e idade de acordo com o Censo de 2010 Página64 Revista Sinais n.13, Junho, 2013 População da Grande Vitória/ES por gênero e idade de acordo com o Censo de 2010 Gabriel Meneguelli Soella 1 Resumo: Este trabalho consiste na realização de aplicação

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA CURSO DE FONOAUDIOLOGIA BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA CURSO DE FONOAUDIOLOGIA BACHARELADO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA CURSO DE FONOAUDIOLOGIA BACHARELADO ROVANILDA OLIVEIRA BRAGA ESTUDO DE MORBIDADE REFERIDA POR POLICIAIS MILITARES DA 23ª COMPANHIA

Leia mais

Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016

Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016 Boletim semanal de Vigilância da Influenza/RS Semana epidemiológica 37/2016 A vigilância da Influenza é realizada por meio de notificação e investigação de casos de internações hospitalares por Síndrome

Leia mais

Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (2011)

Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (2011) Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (0) Sobre o estudo Objetivo: sistematizar conhecimento sobre vitimização por causas violentas na cidade de São Paulo identificando

Leia mais

EFEITO DA ESTIMULAÇÃO VESTIBULAR NO PERFIL SENSORIAL DE CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO ALEATORIZADO

EFEITO DA ESTIMULAÇÃO VESTIBULAR NO PERFIL SENSORIAL DE CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO ALEATORIZADO 1 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA-UnB FACULDADE DE CEILÂNDIA-FCE CURSO DE FISIOTERAPIA YASMIN SANTANA MAGALHÃES EFEITO DA ESTIMULAÇÃO VESTIBULAR NO PERFIL SENSORIAL DE CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL: ENSAIO

Leia mais

CUIDADOS COM A SAÚDE

CUIDADOS COM A SAÚDE CUIDADOS COM A SAÚDE Andressa Malagutti Assis Realizar exames periodicamente, fazer exercícios e cuidar da alimentação são medidas básicas para cuidar da saúde. Além de prevenir e ajudar na cura de doenças

Leia mais

(LIANZA, 2007). O Serviço de Reabilitação Física da Unicentro Projeto Órtese e Prótese teve início em 11 de junho de 2003, na Clinica Escola de

(LIANZA, 2007). O Serviço de Reabilitação Física da Unicentro Projeto Órtese e Prótese teve início em 11 de junho de 2003, na Clinica Escola de SERVIÇO DE REABILITAÇÃO FÍSICA DA UNICENTRO PROJETO ÓRTESE E PRÓTESE Jennifer Souza Fagundes (UNICENTRO) jennisofa@gmail.com Álada de Paula (UNICENTRO) aladadpaula@hotmail.com Júlia Garzim Faria (UNICENTRO)

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLOGICO: INCIDENCIA E COMP LICAÇÕES DA AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL DE CAUSA VASCULAR

ESTUDO EPIDEMIOLOGICO: INCIDENCIA E COMP LICAÇÕES DA AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL DE CAUSA VASCULAR ESTUDO EPIDEMIOLOGICO: INCIDENCIA E COMP LICAÇÕES DA AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL DE CAUSA VASCULAR GABRIELA MIOTTO BERNARDI, JOSÉ MOHAMUD VILAGRA Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, Paraná, Brasil gabriela_bernardi@yahoo.com.br

Leia mais

João Paulo dos Reis Neto

João Paulo dos Reis Neto ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E INTERNAÇÕES POTENCIALMENTE EVITÁVEIS João Paulo dos Reis Neto Diretor-Técnico UNIDAS Condições sensíveis à atenção primária (CSAP) Compreendem grupos de problemas de saúde cujas

Leia mais

Estudo da pré-disposição para doar sangue segundo uma perspetiva de Marketing social na Ilha da Madeira

Estudo da pré-disposição para doar sangue segundo uma perspetiva de Marketing social na Ilha da Madeira Maria Francisca G. Nóbrega Freitas Estudo da pré-disposição para doar sangue segundo uma perspetiva de Marketing social na Ilha da Madeira Orientadora: Denise Capela dos Santos Departamento de Ciências

Leia mais

Indicadores de saúde Morbidade e mortalidade

Indicadores de saúde Morbidade e mortalidade Indicadores de saúde Morbidade e mortalidade Milene ZS Vosgerau Indicadores epidemiológicos A construção de indicadores de saúde é necessária para: analisar a situação atual de saúde; fazer comparações;

Leia mais

IMPACTO DE UM PROJETO DE EXTENSÃO NA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES PORTADORES DE PÉ DIABÉTICO

IMPACTO DE UM PROJETO DE EXTENSÃO NA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES PORTADORES DE PÉ DIABÉTICO 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema?

Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema? Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema? Sessão Clínica Hospital Fernando Fonseca Amadora - 2012 Rui Carvalho Coordenador GEPED Consulta Multidisciplinar de Pé Diabético Serviço de Endocrinologia,

Leia mais

QUANTOS ADOECEM E MORREM?

QUANTOS ADOECEM E MORREM? QUANTOS ADOECEM E MORREM? Medidas de frequência de doenças Razão, proporções, índice. Indicadores epidemiológicos de morbidade: Conceitos e exemplos de incidência e prevalência. O Enfoque epidemiológico

Leia mais

CUSTOS INDIRETOS NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS POR PRESSÃO EM HOSPITAIS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DO MARANHÃO

CUSTOS INDIRETOS NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS POR PRESSÃO EM HOSPITAIS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DO MARANHÃO CUSTOS INDIRETOS NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS POR PRESSÃO EM HOSPITAIS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DO MARANHÃO Patrícia Lima Queiroz, Florene Vale dos Anjos, Queldilene Pereira Protázio, Caroline Ferreira Farias,

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM. Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM. Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva DAET- Departamento de Atenção Especializada e Temática Secretaria de Atenção à Saúde - SAS

Leia mais

Tábuas de Vida de Múltiplo Decremento: ganhos potenciais em expectativa de vida no RS, em 2005, relativos aos óbitos por Causas

Tábuas de Vida de Múltiplo Decremento: ganhos potenciais em expectativa de vida no RS, em 2005, relativos aos óbitos por Causas Tábuas de Vida de Múltiplo Decremento: ganhos potenciais em expectativa de vida no RS, em 2005, relativos aos óbitos por Causas Externas Marilene Dias Bandeira Setembro 2008 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO ALGUMAS

Leia mais

Diferenciais de mortalidade entre homens e mulheres: Sul de Minas Gerais, 2002 e 2012

Diferenciais de mortalidade entre homens e mulheres: Sul de Minas Gerais, 2002 e 2012 DOI: 10.1590/1414-46X01500010005 Artigo Original Diferenciais de mortalidade entre homens e mulheres: Sul de Minas Gerais, 00 e 01 Mortality differences between men and women: South of Minas Gerais, in

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total População por Gênero

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total População por Gênero SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Barcarena DEMOGRAFIA População Total 99.859 População por Gênero Masculino 50.346 Participação % 50,42 Feminino 49.513

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: São Félix do Xingu DEMOGRAFIA População Total 91.340 População por Gênero Masculino 48.691 Participação % 53,31 Feminino

Leia mais

VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS DA PRESSÃO DO LÍQUIDO CEFALORRAQUEANO NA CISTERNA MAGNA

VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS DA PRESSÃO DO LÍQUIDO CEFALORRAQUEANO NA CISTERNA MAGNA VARIAÇÕES FISIOLÓGICAS DA PRESSÃO DO LÍQUIDO CEFALORRAQUEANO NA CISTERNA MAGNA A. SPINA-FRANÇA * A pressão normal do líquido cefalorraqueano (LCR) ao nível do fundo de saco lombar varia entre 7 e 18 cm

Leia mais

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas C.1 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas O indicador estima o risco de morte por neoplasias malignas e dimensiona a sua magnitude como problema de saúde pública. Corresponde ao número

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, para incluir a pesquisa de biomarcadores entre as ações destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama

Leia mais

diferenciação adotados foram as variáveis: gênero, faixa etária, caráter do atendimento e óbitos.

diferenciação adotados foram as variáveis: gênero, faixa etária, caráter do atendimento e óbitos. Introdução AVE- Acidente Vascular Encefálico, também conhecido como AVC e derrame cerebral, é classicamente caracterizado pelo entupimento ou rompimento de algum vaso sanguíneo no cérebro. A American Heart

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 COMPONENTE CURRICULAR: Fisioterapia Preventiva CÓDIGO: Fisio 212 PRÉ-REQUISITO: ------- PERÍODO LETIVO:

Leia mais

Fraturas e Luxações Prof Fabio Azevedo Definição Fratura é a ruptura total ou parcial da estrutura óssea 1 Fraturas Raramente representam causa de morte, quando isoladas. Porém quando combinadas a outras

Leia mais

Perfil epidemiológico dos pacientes amputados de membros inferiores atendidos no Lar Escola São Francisco entre 2006 e 2012 ARTIGO ORIGINAL

Perfil epidemiológico dos pacientes amputados de membros inferiores atendidos no Lar Escola São Francisco entre 2006 e 2012 ARTIGO ORIGINAL ARTIGO ORIGINAL Perfil epidemiológico dos pacientes amputados de membros inferiores atendidos no Lar Escola São Francisco Epidemiological profile of lower limb amputees patients assisted at the Lar Escola

Leia mais

PERFIL DE MORBIDADE HOSPITALAR DO SUS POR DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM MARINGÁ-PARANÁ ( )

PERFIL DE MORBIDADE HOSPITALAR DO SUS POR DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM MARINGÁ-PARANÁ ( ) PERFIL DE MORBIDADE HOSPITALAR DO SUS POR DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM MARINGÁ-PARANÁ (2008-2012) Pedro Henrique Teixeira Soto 1 ; Gabriela Martini Raitz 2 ; Ludmila Lopes Bolsoni 3 ; Cássia

Leia mais

AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL: PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES NA PRÉ PROTETIZAÇÃO

AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL: PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES NA PRÉ PROTETIZAÇÃO AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL: PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES NA PRÉ PROTETIZAÇÃO INTRODUÇÃO ANDRÉIA GOMES HOGAHA JOSÉ MOHAMUD VILAGRA Faculdade Assis Gurgacz- FAG, Cascavel, PR - BRASIL, deianeusa@hotmail.com A amputação

Leia mais

PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELA FISIOTERAPIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL DA PROVIDÊNCIA DE APUCARANA

PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELA FISIOTERAPIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL DA PROVIDÊNCIA DE APUCARANA PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELA FISIOTERAPIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL DA PROVIDÊNCIA DE APUCARANA VIALE, C. S. S.; SANTOS, K. K. V.; HAYASHI, D. Resumo: O objetivo deste trabalho

Leia mais

Davi Provenzi Machado¹ Adriana Cristina Hillesheim² Lucimare Ferraz³

Davi Provenzi Machado¹ Adriana Cristina Hillesheim² Lucimare Ferraz³ O PERFIL DAS INTERNAÇÕES E DA MORTALIDADE POR INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO NO MUNICÍPIO DE XANXERÊ Profile of Hospitalization and Mortality Rates in Acute Myocardial Infarction in the Municipality Xanxerê

Leia mais

O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina

O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina Dr. Raul E. Istúriz: Olá. Eu sou o Dr. Raul Istúriz, do Centro Médico de Caracas, na Venezuela. Bem-vindos a esta discussão sobre o problema da doença

Leia mais

Os Sistemas de Saúde frente ao Desafio do Envelhecimento

Os Sistemas de Saúde frente ao Desafio do Envelhecimento Os Sistemas de Saúde frente ao Desafio do Envelhecimento André Cezar Medici Apresentação realizada no 5º. Aniversário do Instituto de Estudos da Saúde Suplementar (IESS) São Paulo, 17 de outubro de 2011

Leia mais

MAUS TRATOS NA POPULAÇÃO IDOSA INSTITUCIONALIZADA

MAUS TRATOS NA POPULAÇÃO IDOSA INSTITUCIONALIZADA Universidade de Lisboa Faculdade de Medicina de Lisboa MAUS TRATOS NA POPULAÇÃO IDOSA INSTITUCIONALIZADA Catarina Isabel Fonseca Paulos Mestrado em Medicina Legal e Ciências Forenses 2005 Esta dissertação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem; Feridas; Úlcera Venosa; Pé diabético.

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem; Feridas; Úlcera Venosa; Pé diabético. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

IMPACTOS DA CRISE NA ALIMENTAÇÃO

IMPACTOS DA CRISE NA ALIMENTAÇÃO IMPACTOS DA CRISE NA ALIMENTAÇÃO Raquel Rocha Gomes Em conjuntura de crise econômica mundial a Futura foi as ruas verificar hábitos de consumo alimentares do capixaba e o quanto esses hábitos foram ou

Leia mais

RA Vila Isabel. Indicadores Rio Como Vamos

RA Vila Isabel. Indicadores Rio Como Vamos 3 RA Vila Isabel Indicadores Rio Como Vamos 1 CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO A Região Administrativa (RA) de Vila Isabel faz parte da Área de Planejamento 2. Abaixo podemos observar os gráficos referentes

Leia mais

ANÁLISE DA EFICACIA DO USO DA CINESIOTERAPIA NO TRATAMENTO PÓS OPERATÓRIO DE LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR ESTUDO DE CASO

ANÁLISE DA EFICACIA DO USO DA CINESIOTERAPIA NO TRATAMENTO PÓS OPERATÓRIO DE LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR ESTUDO DE CASO 1 ANÁLISE DA EFICACIA DO USO DA CINESIOTERAPIA NO TRATAMENTO PÓS OPERATÓRIO DE LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR ESTUDO DE CASO MARTINS, L.C.: ANDOLFATO, K.R. Resumo: A lesão do ligamento cruzado anterior

Leia mais

E UIOEJI IOLÍ 1 DE 76: IIE T SIU II

E UIOEJI IOLÍ 1 DE 76: IIE T SIU II A TIG RIGD~AI ~( T~ ~lédlc~ PORTI CTiES~1 998: II: 265-269 E UIOEJI IOLÍ 1 DE 76: IIE T SIU II ANTONELLO FERRARO Serviço de Cirurgia Plástica e Unidade de Queimados. Hospital da Prelada. Porto Foi feito

Leia mais

Michel Lacerda Baitelli. Posicionamento Competitivo dentro dos Grupos Estratégicos da Indústria de Higiene Pessoal e Cosméticos

Michel Lacerda Baitelli. Posicionamento Competitivo dentro dos Grupos Estratégicos da Indústria de Higiene Pessoal e Cosméticos Michel Lacerda Baitelli Posicionamento Competitivo dentro dos Grupos Estratégicos da Indústria de Higiene Pessoal e Cosméticos Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para

Leia mais

A taxa ou coeficiente de mortalidade representa a intensidade com que os óbitos por uma determinada doença ocorrem em dada população.

A taxa ou coeficiente de mortalidade representa a intensidade com que os óbitos por uma determinada doença ocorrem em dada população. Mortalidade Mortalidade é uma propriedade natural das comunidades dos seres vivos. Refere-se ao conjunto dos indivíduos que morrem em um dado intervalo de tempo e em certo espaço. A taxa ou coeficiente

Leia mais

Orientações gerais: PROVA DE CONHECIMENTO EM METODOLOGIA CIENTÍFICA E INTERPRETAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO NÍVEL MESTRADO

Orientações gerais: PROVA DE CONHECIMENTO EM METODOLOGIA CIENTÍFICA E INTERPRETAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO NÍVEL MESTRADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIENCIAS DA SAÚDE - Processo seletivo 2015 PROVA DE CONHECIMENTO EM METODOLOGIA CIENTÍFICA E INTERPRETAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

Leia mais

1. POPULAÇÃO RESIDENTE

1. POPULAÇÃO RESIDENTE 1. POPULAÇÃO RESIDENTE No fim do ano de 2007 a estimativa da população residente de Macau era de 538 0, tendo-se verificado um aumento de 24 700 pessoas em comparação com o número estimado no fim do ano

Leia mais

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 2016

Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 2016 Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 12 de 216 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

Quero agradecer à minha família e amigos, por todo o apoio, incentivo e compreensão ao longo desta etapa, marcada por muitos sacrifícios e angústias.

Quero agradecer à minha família e amigos, por todo o apoio, incentivo e compreensão ao longo desta etapa, marcada por muitos sacrifícios e angústias. Agradecimentos Quero agradecer à minha família e amigos, por todo o apoio, incentivo e compreensão ao longo desta etapa, marcada por muitos sacrifícios e angústias. Um agradecimento muito especial à minha

Leia mais

Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e os Registros de Câncer. Deborah Carvalho Malta CGDANT/DASIS/SVS/MS

Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e os Registros de Câncer. Deborah Carvalho Malta CGDANT/DASIS/SVS/MS Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e os Registros de Câncer Deborah Carvalho Malta CGDANT/DASIS/SVS/MS RCBP e Vigilância de DCNT Ferramenta para vigilância e monitoramento das neoplasias

Leia mais

ANALISE DO PERFIL CLÍNICO DOS PACIENTES INTERNADOS NO HOSPITAL SÃO LUCAS QUE REALIZARAM FISIOTERAPIA.

ANALISE DO PERFIL CLÍNICO DOS PACIENTES INTERNADOS NO HOSPITAL SÃO LUCAS QUE REALIZARAM FISIOTERAPIA. ANALISE DO PERFIL CLÍNICO DOS PACIENTES INTERNADOS NO HOSPITAL SÃO LUCAS QUE REALIZARAM FISIOTERAPIA. INTRODUÇÃO CHAIANE DE FACI VANZETO MARCELO TAGLIETTI FAG FACULDADE ASSSIS GURGACZ, CASCAVEL, PARANÁ,

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011 Márcia Regina Buzzar Divisão de Zoonoses CVE SES-SP mbuzzar@saude.sp.gov.br INTRODUÇÃO A Leptospirose é doença infecciosa

Leia mais

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA AUTOR(ES):

Leia mais

Sumário Detalhado. PARTE I Gerenciamento de riscos 21. PARTE II Patologia da lesão esportiva 177. Capítulo 4 Equipamento de proteção 116

Sumário Detalhado. PARTE I Gerenciamento de riscos 21. PARTE II Patologia da lesão esportiva 177. Capítulo 4 Equipamento de proteção 116 Sumário Detalhado PARTE I Gerenciamento de riscos 21 Capítulo 1 Técnicas de condicionamento 22 A relação entre os fisioterapeutas esportivos e os preparadores físicos 23 Princípios do condicionamento 23

Leia mais

RELATÓRIO DE DADOS EPIDEMIOLÓGICOS DAS DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS E FATORES DE RISCO, PORTO ALEGRE, 1996 A 2009

RELATÓRIO DE DADOS EPIDEMIOLÓGICOS DAS DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS E FATORES DE RISCO, PORTO ALEGRE, 1996 A 2009 RELATÓRIO DE DADOS EPIDEMIOLÓGICOS DAS DOENÇAS E AGRAVOS NÃO TRANSMISSÍVEIS E FATORES DE RISCO, PORTO ALEGRE, 1996 A 29 Doenças e Agravos Não Transmissíveis DANT/SMS Porto Alegre Vigilância Epidemiológica

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 FICHA DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO DE FUNCIONARIO TIPO: ( ) Inicial /( ) Reabertura ( ) Doença ( ) Acidente de Trabalho ( ) Percurso Responsável pelas Informações: Registro: ( ) Chefia Imediata

Leia mais

Educação, Experiência e o Hiato Salarial entre o Setor Público e Privado no Brasil

Educação, Experiência e o Hiato Salarial entre o Setor Público e Privado no Brasil Breno Gomide Braga Educação, Experiência e o Hiato Salarial entre o Setor Público e Privado no Brasil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre

Leia mais

ESTADO RICARDO CERCEAU

ESTADO RICARDO CERCEAU SAUDE ESTADO REGIONAL SUPLEMENTAR DO ESPIRITO SANTO DE SAÚDE VITÓRIA LUIS ALFREDO VIDAL DE CARVALHO RICARDO CERCEAU RENATO CERCEAU Brasil, 2013-1ª edição LUIS ALFREDO VIDAL DE CARVALHO RICARDO CERCEAU

Leia mais

(LAING, COUGLEY, KLENERMAN, % 50% ; BIRKE

(LAING, COUGLEY, KLENERMAN, % 50% ; BIRKE 1 - INTRODUÇÃO 2 As alterações de sensibilidade no paciente portador de diabetes mellitus são responsáveis diretas pela considerável morbidade relacionada com as úlceras plantares e suas conseqüências.

Leia mais

Tópicos. Cenário Atual. Estratégias e custo efetividade. Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011

Tópicos. Cenário Atual. Estratégias e custo efetividade. Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011 Tópicos Cenário Atual Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011 Estratégias e custo efetividade Envelhecimento Populacional Mais Idade Mais DCNT Mortalidade DCNT = 63% dos

Leia mais

Curso Teórico Prático para Profissionais de Saúde em Ações de Prevenção do Câncer de Colo Uterino e de Mama

Curso Teórico Prático para Profissionais de Saúde em Ações de Prevenção do Câncer de Colo Uterino e de Mama SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE RH / DESENVOLVIMENTO 1 DENOMINAÇÃO Curso Teórico Prático para Profissionais de Saúde em Ações de Prevenção do Câncer de Colo Uterino

Leia mais

Í N D I C E G E R A L. v i i A B R E V I A T U R A S E S I G L A S. v i i i L I S T A D E T A B E L A S E F I G U R A S ix

Í N D I C E G E R A L. v i i A B R E V I A T U R A S E S I G L A S. v i i i L I S T A D E T A B E L A S E F I G U R A S ix Í N D I C E : Í N D I C E G E R A L. v i i A B R E V I A T U R A S E S I G L A S. v i i i L I S T A D E T A B E L A S E F I G U R A S ix R E S U M O. x A B S T R A C T... xi I - I N T R O D U Ç Ã O - 1

Leia mais

aula 12: estudos de coorte estudos de caso-controle

aula 12: estudos de coorte estudos de caso-controle ACH-1043 Epidemiologia e Microbiologia aula 12: estudos de coorte estudos de caso-controle Helene Mariko Ueno papoula@usp.br Estudo epidemiológico observacional experimental dados agregados dados individuais

Leia mais

Composição Florística e Síndromes de Dispersão no Morro Coração de Mãe, em. Piraputanga, MS, Brasil. Wellington Matsumoto Ramos

Composição Florística e Síndromes de Dispersão no Morro Coração de Mãe, em. Piraputanga, MS, Brasil. Wellington Matsumoto Ramos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA VEGETAL Composição Florística e Síndromes de Dispersão

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Escola das Artes

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Escola das Artes UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Escola das Artes A Técnica de Respiração nos Instrumentos Musicais de Sopro: Estudo de Caso na Escola Profissional Artística do Vale do Ave - Artave Dissertação apresentada

Leia mais

A Influência do Risco-País no Custo de Captação Externo de Empresas com Grau de Investimento Um Estudo de Caso do Brasil

A Influência do Risco-País no Custo de Captação Externo de Empresas com Grau de Investimento Um Estudo de Caso do Brasil Camila Hersbach Nagem de Moraes A Influência do Risco-País no Custo de Captação Externo de Empresas com Grau de Investimento Um Estudo de Caso do Brasil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

Análise da mortalidade por doenças do aparelho circulatório no período de 1999 a 2008, no município de São Mateus/ES

Análise da mortalidade por doenças do aparelho circulatório no período de 1999 a 2008, no município de São Mateus/ES Ana Cláudia Schuab Faria de Paula 1 Susana Bubach 2 Ana Paula Costa Velten 1 Analysis of mortality from circulatory diseases in the period 1999 to 2008, in the city of São Mateus/ES Análise da mortalidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA CURSO DE FONOAUDIOLOGIA BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA CURSO DE FONOAUDIOLOGIA BACHARELADO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA VIDA CURSO DE FONOAUDIOLOGIA BACHARELADO VANDIBERG CESAR FERREIRA SERRÃO ESTUDO DOS PRINCIPAIS AGRAVOS À SAÚDE QUE ACOMETEM OS POLICIAIS

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE A PARTIR DE FONTES SECUNDÁRIAS DE INFORMAÇÕES

DIAGNÓSTICO DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE A PARTIR DE FONTES SECUNDÁRIAS DE INFORMAÇÕES DIAGNÓSTICO DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE A PARTIR DE FONTES SECUNDÁRIAS DE INFORMAÇÕES 2011. 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. POPULAÇÃO... 4 2. PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB), RENDA E MERCADO DE TRABALHO.. 7

Leia mais

AVERIGUAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL NO REPOUSO E APÓS ATIVIDADE FÍSICA EM ACADÊMICOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA

AVERIGUAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL NO REPOUSO E APÓS ATIVIDADE FÍSICA EM ACADÊMICOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA AVERIGUAÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL NO REPOUSO E APÓS ATIVIDADE FÍSICA EM ACADÊMICOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA BLOOD PRESSURE OF FINDING AT HOME AND AFTER PHYSICAL ACTIVITY IN STUDENTS OF PHYSICAL THERAPY COURSE

Leia mais

COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS EM AMPUTADOS DE MEMBROS INFERIORES

COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS EM AMPUTADOS DE MEMBROS INFERIORES COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS EM AMPUTADOS DE MEMBROS INFERIORES Andréa Carla Brandão da Costa Santos* Daniela Lima Hyun Mi Lee** RESUMO O presente estudo objetivou identificar a prevalência das complicações

Leia mais

Curso pré-congresso Reabilitação do Membro Superior da Criança

Curso pré-congresso Reabilitação do Membro Superior da Criança 6 de Março de 2013 Curso pré-congresso Reabilitação do Membro Superior da Criança 8:30 Abertura do Secretariado 9:00 Abertura do curso - Dr. Jorge Coutinho - Coordenador da SEOI MESA 1: Dr. Jorge Seabra,

Leia mais

OCORRÊNCIA DE HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS INTESTINAIS EM IDOSOS

OCORRÊNCIA DE HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS INTESTINAIS EM IDOSOS OCORRÊNCIA DE HELMINTOS E PROTOZOÁRIOS INTESTINAIS EM IDOSOS Fernanda Silva Almeida 1, Raquel Costa e Silva 2, Josimar dos Santos Medeiros 3. Resumo As enteroparasitoses são um dos mais graves problemas

Leia mais

Vigilância de Causas externas

Vigilância de Causas externas Vigilância de Causas externas Acidentes e Quedas Maria Isabel do Nascimento Instituto de Saúde Coletiva _ UFF Metas nacionais para controle DCNT Reduzir TM prematura (< 70 anos) por DCNT em 2% ao ano.

Leia mais

Epidemiológico. Informe. Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 13 de 2016

Epidemiológico. Informe. Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 13 de 2016 Informe Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a 13 de 216 A vigilância da influenza no é composta pela vigilância sentinela de Síndrome Gripal

Leia mais

REBES REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE

REBES REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE 18 REBES REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE GVAA - GRUPO VERDE DE AGROECOLOGIA E ABELHAS - POMBAL - PB Artigo Científico Epidemiologia do traumatismo crânio encefálico (TCE) no nordeste no ano de 2012

Leia mais

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS A região da Serra Gaúcha está localizada no nordeste do estado do Rio Grande do Sul, região sul do Brasil. Área de abrangência

Leia mais

FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS GEORGE PINHEIRO RAMOS

FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS GEORGE PINHEIRO RAMOS FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISAS EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS GEORGE PINHEIRO RAMOS FATORES DETERMINANTES E INFLUENCIADORES DE COMPRA DA MÚSICA GOSPEL VITÓRIA 2013 2 GEORGE PINHEIRO RAMOS

Leia mais

A EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E O APOIO ÀS NECESSIDADES BÁSICAS DA FAMILIA

A EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E O APOIO ÀS NECESSIDADES BÁSICAS DA FAMILIA Pós-Graduação Saúde A EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E O APOIO ÀS NECESSIDADES BÁSICAS DA FAMILIA Gláucio Jorge de Souza glauciojsouza@ig.com.br Ana Lúcia Santana Maria Belém

Leia mais

Vigilância de Causas externas

Vigilância de Causas externas Vigilância de Causas externas Acidentes e Quedas Maria Isabel do Nascimento Instituto de Saúde Coletiva _ UFF Plano de aula 1) Exercícios iniciais DO de causas externas 2)Exercícios finais com prontuário

Leia mais

P â ar metros de avalili ã aç o e en ermagem no trat amen o de B q ra i u titerapi pia

P â ar metros de avalili ã aç o e en ermagem no trat amen o de B q ra i u titerapi pia Enfª Sabrina Rosa de Lima E-mail: sabrina_rosa22@hotmail.com.br rosa22@hotmail Parâmetros de avaliação de enfermagem no tratamento t t de Braquiterapia BRAQUITERAPIA É o tratamento radioterápico onde a

Leia mais

MEDIDAS DE ASSOCIAÇÃO

MEDIDAS DE ASSOCIAÇÃO EPIDEMIOLOGIA UNIDADE IV FINALIDADE: provar a existência de uma associação entre uma exposição e um desfecho. 1 RISCO RELATIVO (RR) Expressa uma comparação matemática entre o risco de adoecer em um grupo

Leia mais

EXIN FISIOTERAPIA

EXIN FISIOTERAPIA EXIN FISIOTERAPIA 2016.2 SÉRIE 4MA e 4MB Assuntos Avaliação do Tônus e Força Muscular. Avaliação da Marcha. Noções de Avaliação em Fisioterapia Neurológica. ADF 3 Avaliação da Coordenação e Equilíbrio.

Leia mais

Detecção Precoce do HIV/Aids nos Programas da

Detecção Precoce do HIV/Aids nos Programas da Detecção Precoce do HIV/Aids nos Programas da Atenção BásicaB Características Atuais do Diagnóstico do HIV/AIDS Predomina o diagnóstico tardio da infecção pelo HIV e Aids (43,6% dos diagnósticos) ( sticos

Leia mais

PREVALENCIA DAS DOENÇAS CRONICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS EM IDOSOS NO ESTADO DA PARAIBA

PREVALENCIA DAS DOENÇAS CRONICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS EM IDOSOS NO ESTADO DA PARAIBA PREVALENCIA DAS DOENÇAS CRONICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS EM IDOSOS NO ESTADO DA PARAIBA Rita de Cássia Sousa Silva (1); Daniele Fidelis de Araújo (1); Ítalo de Lima Farias (2); Socorro Malaquias dos Santos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE ARTES CURSO DE DANÇA-LICENCIATURA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE ARTES CURSO DE DANÇA-LICENCIATURA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE ARTES CURSO DE DANÇA-LICENCIATURA Dançando a Vida : um método de ensino para a terceira idade. Thomas Porto Marinho Pelotas, agosto de 2013.

Leia mais

Análise de sobrevivência aplicada a pacientes HIV positivos

Análise de sobrevivência aplicada a pacientes HIV positivos Análise de sobrevivência aplicada a pacientes HIV positivos Orientadora: Professora PhD Silva Shimakura Universidade Federal do Paraná Novembro de 2014 Sumário Resultados Conclusão Sumário Dados: Amostra

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SOBRE A SITUAÇÃO DA INFLUENZA NO RS 24/06/11

CENTRO ESTADUAL DE VIGILÂNCIA DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SOBRE A SITUAÇÃO DA INFLUENZA NO RS 24/06/11 BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SOBRE A SITUAÇÃO DA INFLUENZA NO RS 24/06/11 Em 2009, o mundo enfrentou pandemia de Influenza por um novo subtipo viral, com grande repercussão na saúde das pessoas e sobrecarga

Leia mais

Artigo. Epidemiologia do acidente vascular cerebral no Brasil. Epidemiology ofstroke in Brazil

Artigo. Epidemiologia do acidente vascular cerebral no Brasil. Epidemiology ofstroke in Brazil Epidemiology ofstroke in Brazil Thyago de Sousa Botelho Célio Diniz Machado Neto Felipe Longo Correia de Araújo Samara Campos de Assis RESUMO: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma síndrome neurológica

Leia mais

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti.

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. Obesidade Infantil Nutrição & Atenção à Saúde Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. A Obesidade Infantil O Problema da Obesidade Infantil É uma doença

Leia mais

INCIDÊNCIA DE PNEUMONIA NOSOCOMIAL EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR, DURANTE O PERÍODO DE JULHO DE 2005 A JULHO DE 2006.

INCIDÊNCIA DE PNEUMONIA NOSOCOMIAL EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR, DURANTE O PERÍODO DE JULHO DE 2005 A JULHO DE 2006. V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 INCIDÊNCIA DE PNEUMONIA NOSOCOMIAL EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR, DURANTE O PERÍODO

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DE QUEIMADURAS NO BRASIL: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DE QUEIMADURAS NO BRASIL: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA 1335 ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DE QUEIMADURAS NO BRASIL: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA EPIDEMIOLOGIC STUDY OF BURN VICTIMS IN BRAZIL: A SYSTEMATIC REVIEW OF THE LITERATURE Adriana Ferreira

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Angiologia Código: Fisio 228 Pré-Requisito: ------- Período Letivo:

Leia mais

Mulher madura: Um estudo sobre a influência da idade cognitiva na atitude em relação a anúncios de moda

Mulher madura: Um estudo sobre a influência da idade cognitiva na atitude em relação a anúncios de moda Geraldo P. de Godoy Junior Mulher madura: Um estudo sobre a influência da idade cognitiva na atitude em relação a anúncios de moda Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

APENAS METADE DOS CAPIXABAS PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS

APENAS METADE DOS CAPIXABAS PRATICAM EXERCÍCIOS FÍSICOS APENAS METADE DOS CAPIABAS PRATICAM EERCÍCIOS FÍSICOS Lucas Almeida Adotar hábitos saudáveis de alimentação e praticar atividades físicas são medidas que devemos seguir. Pensando assim, a Futura foi às

Leia mais

Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro. Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Dezembro/2013

Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro. Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Dezembro/2013 Atenção Domiciliar no Município do Rio de Janeiro Germana Périssé Girlana Marano Hortense Marcier Brasília Dezembro/2013 COMPOSIÇÃO DAS EQUIPES Contratadas pelas Organizações Sociais Cada Base: 1 EMAP/2

Leia mais

Unidade 2. Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora

Unidade 2. Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora Marco Antônio Percope de Andrade Túlio Vinícius de Oliveira Campos Lygia Paccini Lustosa Unidade 2 Tecnologias assistivas: habilidade física e autonomia motora Habilitação/reabilitação com utilização das

Leia mais