estudos organizacionais: Abordagem Integrativa e Modelos Emergentes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "estudos organizacionais: Abordagem Integrativa e Modelos Emergentes"

Transcrição

1 Universidade regional do noroeste do estado do rio grande do sul unijuí vice-reitoria de graduação vrg coordenadoria de educação a distância CEaD Coleção Educação a Distância Série Livro-Texto Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia estudos organizacionais: Abordagem Integrativa e Modelos Emergentes Ijuí, Rio Grande do Sul, Brasil 2012

2 2012, Editora Unijuí Rua do Comércio, Ijuí - RS - Brasil Fone: (0 55) Fax: (0 55) Editor: Gilmar Antonio Bedin Editor-adjunto: Joel Corso Capa: Elias Ricardo Schüssler Revisão: Véra Fischer Designer Educacional: Jociane Dal Molin Berbaum Responsabilidade Editorial, Gráfica e Administrativa: Editora Unijuí da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí; Ijuí, RS, Brasil) Catalogação na Publicação: Biblioteca Universitária Mario Osorio Marques Unijuí E82 Estudos organizacionais : abordagem integrativa e modelos emergentes / Ariosto Sparemberger... [et al.]. - Ijuí : Ed. Unijuí, p. (Coleção educação a distância. Série livro-texto). ISBN Administração. 2. Estudos organizacionais. 3. Cultura organizacional. 4. Administração participativa. 5. Responsabilidade social. I. Sparemberger, Ariosto. II. Título. III. Título: Abordagem integrativa e modelos emergentes. IV. Série. CDU :

3 Sumário CONHECENDO OS PROFESSORES...5 INTRODUÇÃO...13 UNIDADE 1 CONTEXTO DO PARADIGMA INTEGRADOR NOS ESTUDOS ORGANIZACIONAIS...15 Seção 1.1 Estabelecendo conexões...15 Seção 1.2 Contexto Mundial Contemporâneo e Suas Principais Mudanças O fim da ordem econômica e política: 1945/ Globalização: uma nova ordem mundial em construção A globalização do século A economia global entrou em crise aguda em setembro de Seção 1.3 As Organizações Enquanto Sistemas Sociais Dinâmicos e Complexos...28 UNIDADE 2 PARADIGMA SISTÊMICO...33 Seção 2.1 Teoria Geral dos Sistemas: suas intenções e principais contribuições...33 Seção 2.2 Teoria Sistêmica na Teoria das Organizações...46 Seção 2.3 As Organizações como Sistemas Abertos e Sociais: modelos de análise...58 Seção 2.4 Limitações e Avanços na Teoria Sistêmica Aplicada na Forma de Pensar e Fazer a Gestão...65 UNIDADE 3 ORIENTAÇÃO CONTINGENCIAL: UMA ABORDAGEM CONTEXTUAL...69 Seção 3.1. Conceito e Origem da Teoria Contingencial...69 Seção 3.2 Principais Pesquisas do Paradigma Contingencial Pesquisa de Joan Woodward Pesquisa de Burns e Stalker Pesquisa de Lawrence e Lorsch Pesquisa de Chandler Pesquisa de Aston...81 Seção 3.3 Estruturas e Sistemas Organizacionais Estrutura funcional...82

4 3.3.2 Estrutura divisional Estrutura matricial Estrutura horizontal...88 Seção 3.4 Limitações e Críticas à Teoria das Contingências...89 UNIDADE 4 A ORIENTAÇÃO INTERPRETATIVA: A CULTURA ORGANIZACIONAL...93 Seção 4.1 Cultura Organizacional: origem e abordagem conceitual...93 Seção 4.2 Funções da Cultura...97 Seção 4.3 Criação e Manutenção da Cultura...98 Seção 4.4 Gestão da Cultura Organizacional...99 Seção 4.5 Questões Emergentes na Cultura Organizacional UNIDADE 5 PARADIGMA DA ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA E DA RESPONSABILIDADE SOCIAL Seção 5.1 Paradigma da Administração Participativa Seção 5.2 Paradigma da Responsabilidade Social UNIDADE 6 TEMAS EMERGENTES Seção 6.1. Holismo: modelo holográfico Seção 6.2. Teorias Ambientais: gestão do meio ambiente Revisando o conceito, o objetivo e o fundamento da gestão ambiental Finalidades e princípios básicos da gestão ambiental Posicionamento da empresa Sistemas e benefícios da gestão ambiental Seção 6.3. Revendo os Paradigmas para a Análise das Organizações Teoria da Complexidade Teoria da Crítica Teoria do Caos Adhocracia ReAdministração Organizações de Aprendizagem Organizações Virtuais REFERÊNCIAS...161

5 Conhecendo os Professores EaD estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes ARIOSTO SPAREMBERGER É natural de Ijuí (RS). No ano 2000 obteve o título de mestre em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina. Em 2010 obteve o título de doutor pela Universidad Nacional de Misiones (Unam) Argentina. Ingressou no Ensino Superior na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões (URI) São Luiz Gonzaga em 1998, atuando como professor e coordenador do curso de Administração. Desempenhou as mesmas funções na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) campus de Carazinho por dois anos. Na Unijuí é professor e pesquisador do Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação Dacec. Atua como professor em programas de ensino de Graduação e cursos de Pós-Graduação, em projetos de pesquisa na área da Gestão Organizacional e coordena o programa de extensão em Gestão de Varejo Progev. Tem publicações em livros, periódicos, participação em eventos nacionais e internacionais. DINARTE BELATO Sou bacharel e licenciado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ijuí e mestre em História do Brasil pela Universidade Estadual de Campinas e especialista em Filosofia Contemporânea pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Leciono na Unijuí desde agosto de Antes disso, por dois anos, em Porto Alegre, dei aulas de Língua Portuguesa, Latim, Espanhol, Francês, História, Geografia, para jovens e adultos, em cursos supletivos. O que lecionei como professor universitário ao longo destes 44 anos: 5

6 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia História da Filosofia; Filosofia da Educação, Estética, Ética e Lógica. Esta foi minha fase de filósofo; lecionei História da Educação, no curso de Pedagogia, por longos anos; a fase mais longa de minha profissão foi a de historiador: leciono História da América Latina, Historia Moderna e, sobretudo, História Contemporânea. Foi por isso que me tornei um analista contumaz da conjuntura mundial. Afinal, sou testemunho ativo dos últimos 46 anos de história do mundo; leciono também Ciência Política aos alunos do curso de Direito e História Econômica aos alunos do curso de Economia. Fiz mais duas coisas que considero significativas: Em primeiro lugar, as pesquisas que tenho feito e faço sobre a sociedade agrária dos trabalhadores rurais: colonos, índios, caboclos, com ou sem terra. Atualmente faço pesquisas sobre a história da velhice, a história da morte e história dos alimentos. Acho que esses temas têm tudo a ver uns com os outros. Em segundo lugar, dediquei um ano e meio de pesquisa para escrever quatro livros destinados ao estudo de alunos de história no sistema de Educação a Distância: Civilizações Clássicas I (que trata da História das civilizações antigas da Ásia: Mesopotâmia, Índia, China e a civilização africana do Egito); Civilizações Clássicas II (que trata das civilizações do Mediterrâneo: Grécia e Roma Antigas e as civilizações americanas que se desenvolveram até a chegada dos europeus, em 1492); História Medieval (neste livro trato das civilizações da Europa medieval e da civilização islâmica). Concluí em julho de 2011 um quarto livro: História Contemporânea (1870/2011). Em terceiro lugar, dediquei um tempo enorme à educação de jovens e adultos, a grupos ligados a movimentos e organizações sociais e a professoras das redes públicas estadual e municipal, e com muita gente interessada e preocupada com o destino de nossa terra, da vida, da natureza, do meio ambiente. Tenho 68 anos, nasci em 14 de janeiro de 1943, em Maximiliano de Almeida (RS); sou casado com a professora Neyta, temos dois filhos: Juliano e Luísa e os netos Júlia, Tiago e Leonardo. 6

7 estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes MAIRA FÁTIMA PIZOLOTTO Sou mestre em Administração de Organizações e de Recursos Humanos pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGA/UFRGS), graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí) e em Administração pela Universidade Regional do Alto-Uruguai e das Missões (URI). Minha trajetória profissional iniciou-se em uma cooperativa (Cotrijuí Unidade de Santo Augusto), em que exerci, entre outras funções, a responsabilidade pelo Departamento de Pessoal. Após a conclusão do Mestrado realizei processo seletivo para o quadro de professores do Departamento de Estudos da Administração (DEAd) na Unijuí, ao qual tenho a satisfação de pertencer há 11 anos. Para além das atividades docentes no curso de Administração e Programas de Pós-Graduação exerço também a Coordenação da Área Temática Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho e atividades de pesquisa. Também atuo em atividades de docência em Programas de Pós- Graduação de outras instituições de Ensino Superior (IES) de nossa região. MARIVANE DA SILVA Sou mestre em Desenvolvimento pela Unijuí (2007), especialista em Gerenciamento de Micro e Pequenas Empresas (modalidade a distância) pela Universidade Federal de Lavras Ufla/MG (1998) e graduada em Administração de Empresas pela Unijuí (1997). Tenho atuado como profissional técnica na própria Universidade. Por dez anos atuei no Departamento de Estudos da Administração DEAd (atual Dacec Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação); e em 2005, passei a atuar na Reitoria da Unijuí, na Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (um ano), e desde então, atuo na Secretaria dos Conselhos. 7

8 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia Sou docente colaboradora hora-aula da Unijuí desde 2002, tendo minha inserção na docência iniciado no curso de Administração, no campus Panambi. Posteriormente, atuei nos demais campi Três Passos, Ijuí e Santa Rosa, no curso de Administração Presencial e EaD, bem como nos tecnólogos. Minha atuação acadêmica ocorre na área das Teorias da Administração, Estágios, Pesquisa em Administração, Gestão Pública, e mais recentemente, em Gestão de Pessoas. Como profissional da Administração sou filiada ao Conselho Regional de Administração CRA/RS desde 2000, com participação em atividades e representação da Unijuí nesta autarquia. Tenho conciliado minhas atividades acadêmicas e administrativas, o que me permitiu ter uma interação maior com os diversos públicos da Universidade e aos poucos trilhar uma caminhada como professora universitária. Ensinar é uma arte que requer interação entre os atores sociais, permitindo-lhes espaço para serem protagonistas dessa história. Ser docente é ser um eterno pesquisador e aprendiz da ciência e da vida. NEYTA OLIVEIRA BELATO Nascida em São Lourenço do Sul (RS) em 25 de abril de Fiz o curso primário e o ginasial em escolas da minha cidade natal e o curso secundário, modalidade normal, no Colégio São José, em Pelotas. Sou socióloga, formada pela UFRGS no ano de 1967 e mestre em Administração Pública com ênfase na área de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas, do Rio de Janeiro, com dissertação defendida em Como professora atuei no ensino primário, secundário e universitário, sempre buscando qualificar-me como profissional da educação. 8

9 estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes A carreira no ensino superior iniciou-se em 1968 na então, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ijuí, como professora de Sociologia do curso Básico, na categoria de assistente do professor Mario Osorio Marques. Ao voltar do curso de Mestrado e de especialização em Planejamento Urbano passei a atuar no curso de Administração, como atividade prioritária, em que sempre assumi atividades de docência e de extensão universitária. Fui responsável por conduzir o ensino e as aprendizagens de diversas disciplinas, destacando-se Administração de Recursos Humanos/Gestão de Pessoas e da área das Teorias Organizacionais, o qual considero uma das linhas estruturantes do curso. No fazer da extensão universitária contribuí na coordenação e na execução de atividades junto ao Departamento de Administração no Programa de Administração Municipal, espaço no qual concebi, acompanhei e avaliei diversos programas e projetos, todos voltados para as questões de desenvolvimento municipal e regional, destacando-se a metodologia do planejamento participativo como instrumento de ação pedagógica para qualificar as ações de intervenção na realidade. Ao aprofundar as reflexões sobre a participação das pessoas em seus espaços de atuação junto aos municípios, acontece a estruturação do Seminário Permanente de Educação Popular (Spep), que foi integrado às atividades do Departamento de Pedagogia. Foi um programa demandado pelos movimentos sociais no espaço universitário que criou uma estrutura específica para sua atuação com representação dos sujeitos envolvidos e comprometidos com as temáticas em desenvolvimento para cada período de programação. Esta experiência me desafiou a aprofundar estudos para acompanhar as práticas sociais dos sujeitos envolvidos nas áreas de participação, sistematização de experiências, planejamento, teorias pedagógicas, análise de conjuntura, avaliação de práticas, entre outros temas. Nessa atuação foram produzindo-se novos conhecimentos de conteúdos e de metodologias que busquei transferi-los, adaptando-os para situações da sala de aula. Na perspectiva da educação formal trabalhei desafiando os alunos a avançarem sempre mais em seus níveis de conhecimento. 9

10 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia Na área de gestão universitária, tive experiência na chefia do Departamento de Estudos da Administração, Coordenação do Curso, Vice-Reitora da Faculdade de Administração, Contábeis e Econômicas de Ijuí Facacei, coordenação executiva de diversos projetos voltados para o ensino e para a extensão universitária que contribuíram para colocar em prática uma visão sistêmica dos objetos em questão, isto tanto na reflexão teórica quanto na prática operacional, visão que me levou a melhor compreender a complexidade dos fatos e a me fazer cada vez mais comprometida com minha atuação profissional. Foi sempre um trabalho construído por meio das relações estabelecidas com os sujeitos alunos, colegas de trabalho, sujeitos sociais diversos, ONGs e instituições que foram envolvidos nos mais diferentes processos estabelecidos. Hoje estou na categoria de professora sênior e julgo-me feliz com minha trajetória profissional e pessoal, da qual participam e também contribuem para que eu seja mais, Dinarte Belato, meu esposo, e meus filhos, Juliano e Luísa, juntamente com suas famílias. PEDRO CARLOS RASIA Sou natural de Ijuí, município que integra o Conselho Regional de Desenvolvimento do Noroeste Colonial (Corede-Norc) do Rio Grande do Sul/Brasil. O início da minha caminhada profissional deu-se em virtude da oportunidade de participar da científica, como auxiliar de pesquisa no Instituto de Pesquisa e Planejamento (IPP) da Fidene. Esse envolvimento com a pesquisa, pesquisadores e estudos sobre a realidade regional despertou e revelou a importância da investigação científica para o conhecimento e para subsidiar o planejamento e o processo de desenvolvimento. Na década de 80 atuei como assistente de planejamento e projetos no Setor de Planejamento, Projetos e Informações (SePPI) da Fidene/Unijuí. Minha formação acadêmica iniciou-se com os cursos de Tecnólogo em Cooperativismo (1979) e Bacharelado em Administração (1984), ambos na Fidene. Realizei também o curso de Graduação em 10

11 estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes Licenciatura para professor de matérias técnicas de Segundo Grau pela Unijuí, em 1986, o que me possibilitou a iniciação no magistério pelo Ensino Técnico em colégios e Escolas de Ensino Médio (CNEC e SECRS-EE 25 de Julho). Os estudos de Pós-Graduação ocorreram em com o Mestrado em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina (PPGA/UFSC), em seguida com o curso de Especialização em Ciências da Computação realizado na PUC/POA/ RS, concluído em Sou membro do Conselho Regional de Administração (CRA/RS) desde A partir de 1999 passei a ser Responsável Técnico da Fidene/Unijuí e desde 2010 também da Associação Instituto de Políticas Públicas (AIPD) junto ao CRA/RS. Desde o início da década de 90 tenho participado de grupos de pesquisa, planejamento e avaliação institucional. Integrei a Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Unijuí (1991 a 2009). No período de 2002 a 2006 fui avaliador ad hoc do Inep/MEC sobre as condições de funcionamento para fins de reconhecimento de cursos de Administração (Empresas e Pública). A partir de 2010 passei a fazer parte como membro titular do Comitê de Ética em Pesquisa da Unijuí. Desde 1987 estou alocado e atuando no atual Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação (Dacec) da Unijuí, que mantém programas de ensino como o curso de Administração (presencial e EaD) e o Programa de Formação Superior de Tecnologia em Gestão e Negócios, além de Programas de Pesquisa e Extensão nos quais tenho envolvimento e interesse com as práticas, instrumentos e sistemas de gestão em micro, pequenos e médios empreendimentos (mpmes), no Programa Transdisciplinar Incubadora de Economia Solidária e Desenvolvimento e Tecnologia Social da Unijuí (Itecsol/Unijuí) e da Incubadora de Empresas de Inovação Tecnológica (Criatec). Na segunda metade da década passada estive envolvido nos Programas Capacitação Empresarial e Redes de Cooperação conveniados entre Fidene-Sedai/RS, bem como participando em projetos de pesquisa, extensão e consultoria, o que tem proporcionado subsídios e inserção ativa na realidade regional, possibilitando diagnosticar, regis- 11

12 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia trar, sistematizar e socializar estas práticas na produção científica: Planos e Projetos: Elaboração, execução, gestão, registro e avaliação dos impactos (mais de duas dúzias); elaboração, publicação e apresentação em eventos de nove artigos, cinco cadernos, nove capítulos de livros e organização de três livros e de um Plano Estratégico Regional. 12

13 Introdução EaD estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes Estudos Organizacionais: abordagem integrativa e modelos emergentes é uma disciplina cujo foco central de discussão está na tecnologia e no ambiente das organizações, vistas como um sistema aberto, adaptativo e flexível. Trata-se do terceiro e último Caderno com enfoque específico Estudos Organizacionais a ser discutido no rol de disciplinas que compõem o currículo de formação profissional do(a) Administrador(a). No primeiro Caderno tratou-se da abordagem estrutural, cuja centralidade estava na racionalidade funcional (tarefas e estruturas) nas concepções clássicas da Administração e de gestão. No segundo Caderno tratou-se da abordagem humanista, cuja discussão focou no paradigma humanista, comportamental e demais abordagens decorrentes do modelo de gestão, e, ainda, do modelo de desenvolvimento organizacional. Neste terceiro Caderno trataremos da abordagem integrativa, cuja discussão está focada no paradigma sistêmico e contingencial, até chegar numa orientação interpretativa (cultura organizacional) e no paradigma da Administração Participativa e da Responsabilidade Social, concluindo com uma sucinta exposição dos temas emergentes de gestão que representam os novos paradigmas de análise das organizações. O paradigma integrador nos Estudos Organizacionais contempla inicialmente, a visão do foco interno no projeto organizacional, agregando a preocupação externa voltada para a incerteza ambiental. O contexto após a Segunda Guerra Mundial de intenso processo de desenvolvimento econômico, político e social intensificou as transformações nos padrões gerenciais, havendo também um processo de despolitização dos processos de tomada de decisão por meio dos quais se estabeleceu uma adaptação funcional adequada entre a organização e o seu ambiente. Vamos continuar nossa viagem na própria história da Administração e, com base nos autores clássicos e contemporâneos, conhecer as contribuições da abordagem mais contemporânea da Gestão, que exibem a integração entre as organizações, os indivíduos, o ambiente e a tecnologia. Portanto, o presente livro está dividido em seis unidades: A Unidade 1 apresenta o contexto do paradigma integrador nos estudos organizacionais, focando essencialmente a leitura do contexto mundial contemporâneo e sua inter-relação com as organizações vistas como sistemas sociais dinâmicos e complexos. 13

14 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia A Unidade 2 trata do paradigma sistêmico, que articula o modelo sistêmico de organização com as dimensões social e tecnológica para lidar com os problemas organizacionais. A Unidade 3 começa discorrendo sobre o conceito e a origem da Teoria Contingencial, que começou a ser produzida nos anos 60, avançando na trajetória da Administração para lidar com a complexidade crescente dos sistemas produtivos e das organizações, em decorrência das transformações tecnológicas dos anos 70. A lógica dos modelos organizacionais exigiu cada vez mais a diferenciação e a especialização, conforme os requisitos dos ambientes em que estavam inseridos. Na sequência, foi apresentada uma série de pesquisas, cujo objetivo era aplicar os conceitos das principais teorias administrativas em situações gerenciais concretas e demonstrar a importância do ajustamento das estruturas organizacionais às ameaças e oportunidades existentes nos seus ambientes, com características mais flexíveis e orgânicas. Já a Unidade 4 apresenta a orientação interpretativa a cultura organizacional, desde sua origem até as questões mais emergentes que envolvem a temática em questão. A Unidade 5 trata de abordar o paradigma da Administração Participativa e da Responsabilidade Social cujo foco está em contextualizar essa discussão no campo administrativo como modelos e estratégias utilizadas para envolver os trabalhadores das diversas esferas organizacionais e de se aproximar da perspectiva dos clientes, evoluindo da preocupação econômica para a questão social. Por fim, na Unidade 6, vamos conhecer os principais temas emergentes que marcam a sociedade contemporânea, com suas concepções e limitações, para entender as práticas gerenciais, bem como elucidar reflexões no sentido de que há muito mais a ser explorado no campo de estudo da gestão organizacional. Este é apenas um ensaio expositivo de temas que carecem de um aprofundamento de estudos uma continuidade na descoberta do que podem contribuir para a gestão das organizações. Concluímos este livro-texto com a apresentação das referenciais bibliográficos, que contribuíram para a elaboração deste arcabouço teórico, e que representa um caminho para você conhecer mais uma parte da história da Administração, bem como o rol de indicações para que possa aprofundar seus estudos e reflexões nos Estudos Organizacionais. Esperamos que os textos que compõem as unidades deste livro despertem em você o desejo de aprender e de construir o conhecimento do mundo da Gestão. Aprender sem pensar é tempo perdido (Confúcio). 14

15 Unidade 1 estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes CONTEXTO DO PARADIGMA INTEGRADOR NOS ESTUDOS ORGANIZACIONAIS Neyta Oliveira Belato Dinarte Belato OBJETIVOS DESTA UNIDADE Relacionar os conteúdos da abordagem em foco com os paradigmas contemporâneos da administração. Contextualizar a abordagem integrativa e os modelos emergentes nos estudos organizacionais. AS SEÇÕES DESTA UNIDADE Seção 1.1 Estabelecendo conexões Seção 1.2 Contexto mundial contemporâneo, e suas principais mudanças Seção 1.3 As organizações enquanto sistemas sociais dinâmicos e complexos Seção 1.1 Estabelecendo Conexões Considerando nossas aprendizagens ocorridas no desenvolvimento dos componentes Estudos Organizacionais na abordagem estrutural e na abordagem humanista, vamos procurar criar as condições para avançarmos nas reflexões, desta vez no enfoque dos Estudos Organizacionais: abordagem integrativa e modelos emergentes. Seguiremos com o fio condutor no olhar dos paradigmas por se tratar de uma forma mais crítica de analisar o conhecimento produzido na área das Teorias Organizacionais. 15

16 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia Estamos entendendo paradigma como uma forma de ver, analisar e agir em uma determinada realidade que, por sua vez, deixa transparecer conhecimentos, valores e crenças aprendidas ao longo de uma história, de uma vida (revejam suas descrições da Unidade 2 da série Livro-Texto Estudos Organizacionais: abordagem estrutural). Um novo paradigma surge quando determinado modelo não dá mais conta de analisar, intervir e modificar um determinado fenômeno da realidade, o que não é diferente para a área da Administração e das organizações. Destaca-se que as mudanças ocorrem por influência de uma multiplicidade de fatores como: o avanço da ciência, novas teorias, novos contextos, novas descobertas tecnológicas, novas experiências organizativas, novas formas de considerar os seres humanos, suas culturas e demais dimensões colocadas pelo mundo globalizado. Como vocês já vêm estudando, vivemos em um mundo com mudanças constantes que exigem sempre mais conhecimentos e a formação de um pensamento complexo para diagnosticar problemas, enfrentar necessidades, superar desafios que nos são postos, no cotidiano da vida e dos negócios, quer seja na perspectiva teórica da produção do conhecimento ou nas práticas de gestão. Enfrentar situações de mudanças não é coisa fácil e desafia igualmente os pesquisadores, os estudantes e práticos a desenvolverem estudos sistemáticos, com registros adequados conforme a realidade do que estiver sendo sistematizado, se quisermos fazer aprendizagens individual e organizacional. Vamos agora abordar como vêm se construindo a abordagem integrativa e os modelos emergentes, de forma a auxiliar na compreensão evolutiva dos Estudos Organizacionais. Vocês devem estar se perguntando: Por que esta disciplina Estudos Organizacionais tem uma abordagem integradora? Vamos adiantando algumas possibilidades de entendimento para que possam construir outras interpretações ao longo de nossas reflexões. A visão integradora incorpora influências conceituais e fundamentos trazidos pelos pioneiros do pensamento sistêmico, na medida em que já empregavam a ideia de sistema para definir as organizações no momento em que buscavam entender seu dinamismo. Destacamos nessa construção procedimentos como: a) buscar analisar as contribuições teóricas existentes na dimensão do processo histórico, destacando concepções ainda válidas na contemporaneidade e que estivessem abertas a múltiplas explicações e à reconceitualização; 16

17 estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes b) resgatar práticas administrativas ou de gerência que estivessem abertas a várias conversações na busca de qualificar os enfoques, os processos e as intencionalidades organizacionais; c) detectar a necessidade de olhar e tratar a organização como um todo integrado e complexo, com destaque para as relações entre suas partes, tanto interna quanto externamente. Esta é a condição para melhor compreendê-las no contexto em geral. A abordagem integrativa traz percepções conceituais e interpretativas de outros campos do conhecimento, que se baseiam na multidisciplinaridade para melhor explicitar os fenômenos sociais, como é o caso da Antropologia, da Sociologia, da Psicologia e da política como contribuições da área das Ciências Sociais. Incorporam, no entanto, também, conhecimentos da economia, da cibernética e da pesquisa operacional para destacar algumas abordagens que igualmente contribuem para integrar novas visões sobre os fatos administrativos e sobre as organizações. A abordagem integrativa procura dialogar com vários sujeitos e observar vários tipos de experiências na busca de construção de novas ideias, de novas práticas organizacionais, na perspectiva da construção de consensos que auxiliem no avanço da interpretação do fato administrativo como um fato global e nas formas de gestá-lo de maneira mais integrada possível. Na medida em que se avança nos estudos organizacionais, novos paradigmas vão se destacando, e é a partir deles que vão surgindo os novos modelos de análise organizacional, e por vezes, até contraditórios entre si. Nesse embate vão surgindo novas temáticas na busca de atender dimensões não explicitadas ou parcialmente consideradas ao longo do desenvolvimento das organizações e das teorias que têm buscado interpretá-las. É interessante usar como simbologia da produção do conhecimento, a ideia de como os estudos organizacionais poderiam ser observados numa lógica de movimento de uma espiral, que vai se desenvolvendo de forma contínua e sendo enriquecido pelas aprendizagens ocorridas no processo de se desafiar a crescer e a se desenvolver, cujo movimento incorpora as experiências passadas, contextualiza-se no presente e projetam-se para o futuro. Nessa perspectiva, as metanarrativas de Reed (1998 apud Clegg, Hardy; Nord, 1998) apresentadas no livro-texto Estudos Organizacionais: abordagem estrutural (2009), são de grande relevância, pois mostram uma preocupação com as temáticas centrais, tanto do ponto de vista teórico como da gestão, ocorrida em determinada época e contexto, mas que ainda tem atualidade, como é o caso da busca sempre maior pela racionalidade administrativa, mesmo que dentro de diversas lógicas; é uma realidade presente em todas as organizações e em todos os enfoques teóricos, como se observa na Figura 1. 17

18 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia METANARRATIVA ANALÍTICA Michael Reed MÉTAFORAS Morgan ÊNFASE NA LÓGICA ORGANIZATIVA De Estado guarda noturno ao Estado Industrial RACIONALIDADE MECANICISTA Racionalidade operacional/funcional ORGÂNICA Racionalidade comunicativa /substantiva De capitalismo gerencial a capitalismo neoliberal CUSTO/BENEFÍCIO Racionalidad econômica De coletivismo liberal a corporativismo negociado Racionalidade legal/institucional a pós-ind./pós-mod. Democracia repressiva e democracia representativa CONHECIMENTO JUSTIÇA CÉREBRO/CULTURA FLUXO DE TRANSFORMAÇÃO Integração diversos tipos de lógicas dependendo da situação Racionalidade dos direitos/substantiva Capitalismo em expansão globalizada CRIATIVIDADE Racionalidade crítica/intuição Figura 1 Possibilidades para análise organizacional Fonte: Elaborado pela professora Neyta Belato (2011). A Figura 1 mostra algumas relações entre os paradigmas em destaque, em que se observa que a problemática principal da metanarrativa de Reed (1998) é o consenso para se chegar a uma integração, a qual está muita ligada com as preocupações de Morgan (1996), que trabalha a organização como um sistema vivo, com foco na metáfora orgânica. Voltando-se à metanarrativa da integração, destaca-se que ela dá ênfase às lógicas da racionalidade substantiva e da racionalidade comunicativa, sem deixar completamente de lado outras possibilidades. Se a metanarrativa da integração inicia sua explicitação com os estudos das Relações Humanas e do Comportamentalismo, tem seu aprofundamento e ampliação argumentativa no campo da reflexão teórica e das práticas de gestão com a aplicação do Paradigma Sistêmico na teoria das organizações. A narrativa da integração evidencia a busca de entendimentos sobre processos e atividades que estão mutuamente relacionados para a realização dos objetivos organizacionais, tanto internamente, entre suas partes, os subsistemas, quanto externamente, entre o meio específico e o meio geral com quem a organização mantém relações. 18

19 estudos organizacionais: abordagem Integrativa e modelos emergentes Essa compreensão é reforçada por Morgan (1996) ao analisar a organização por meio da metáfora orgânica, que a entende como uma entidade viva que mantém constante interação com o meio ambiente objetivando satisfazer suas necessidades básicas. Isto para dar continuidade a sua existência e do meio social em que está inserida, na medida em que estão sempre enfrentando novas necessidades e como consequência, novos desafios. Essa busca da integração se dá no contexto do desenvolvimento do capitalismo liberal que é orientado pela proposta de um Estado de bem-estar social. Essas noções, no entanto, vocês desenvolveram ao longo das disciplinas de Estudos Organizacionais, que antecederam a este e, estamos apenas mostrando as relações para avançarmos na comparação do paradigma contemporâneo da Administração. Nogueira (2007) tem na teoria sistêmica um marco conceitual que muda as formas de ver a organização e de fazer a gestão, como estudaremos na próxima unidade. Os paradigmas contemporâneos estão orientados para desvendar e entender a articulação entre os contextos externos e internos das organizações. Nogueira (2007, p. 108) explicita que a ideia é o ajuste da empresa no contexto geral, o que pressupõe maior equilíbrio, em seu contexto interno, entre as dimensões técnicas e sociais defendidas nos paradigmas formadores. É para entender melhor essas relações que vamos destacar alguns pontos para caracterizar o contexto mundial na contemporaneidade, com ênfase para as últimas décadas do século 20 e início do século 21, tendo por base as contribuições de Dinarte Belato. 1 Seção 1.2 Contexto Mundial Contemporâneo e Suas Principais Mudanças Para entender as organizações na sua globalidade sempre se fez necessário a contextualização do espaço e do tempo onde estão inseridas. Hoje esta abordagem faz-se necessária, considerando a complexidade e o dinamismo dos fatos econômicos e sociais que têm impactado diretamente e de forma contundente os mais variados tipos de organizações e nos mais diversos continentes. Com esta preocupação, passaremos a discorrer sobre os fatos ocorridos nas últimas décadas, que têm implicações diretas e indiretas na vida das organizações e da sociedade como um todo. 1 Dinarte Belato é especialista em análise de conjuntura. 19

20 Ariosto Sparemberger Dinarte Belato Maira Fátima Pizolotto Marivane da Silva Neyta Oliveira Belato Pedro Carlos Rasia O fim da ordem econômica e política: 1945/1980 Na década de 80 acentua-se e generaliza-se uma crise econômica e política de extensão mundial. Essa crise representa o esgotamento e término de um longo ciclo de crescimento econômico iniciado em 1945, imediatamente após o término da Segunda Guerra Mundial e cujos parâmetros econômicos, políticos e institucionais foram estabelecidos na Conferência de Bretton Woods, no Estado de New-Hampshire, Estados Unidos da América. Participaram da Conferência 730 delegados de 44 países, todos eles aliados na guerra contra a Alemanha, Japão e Itália, os chamados países do Eixo. Os objetivos fundamentais da Conferência foram os seguintes: impedir uma nova guerra mundial; evitar crises econômicas e recessões como a de 1929; definir uma nova ordem econômica, seus fundamentos e instituições. A nova ordem mundial foi afiançada pelos EUA que, ao término da Segunda Guerra, se constituía na maior potência econômica, política e militar do mundo. Os acordos celebrados incidiram sobre os seguintes pontos fundamentais que, em seu conjunto, definiram as regras, criaram as instituições e procedimentos para regular a política econômica internacional, bem como a de cada país em particular participante da conferência: criação do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), também conhecido como Banco Mundial, cujo objetivo imediato era prover e disponibilizar os recursos para a reconstrução dos países mais atingidos pela guerra e, posteriormente, canalizar os recursos mundiais para a promoção do desenvolvimento, em particular dos países pobres e subdesenvolvidos; criação do Fundo Monetário Internacional (FMI), cujo objetivo principal consistia no socorro financeiro e assistência técnica a países que enfrentassem dificuldades financeiras e que, por essa razão, poderiam tornar-se focos de instabilidade econômica e social; liberalização do comércio internacional mediante uma ampla destarifação (em média da ordem de 70%), da diminuição das práticas protecionistas e, sobretudo, impedir as guerras comerciais, seja por prática de dumping ou outros meios não econômicos; estímulo à intervenção do Estado na economia, em particular no que se refere a investimentos de infraestrutura, promoção do desenvolvimento, distribuição de renda e promoção de políticas sociais distributivas, tais como: promoção da universalização da educação básica, políticas de saúde e assistência médica; políticas de habitação. Essas modalidades de intervenção do Estado receberam o nome de políticas keynesianas ou políticas de bem-estar social. 20

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 69/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914 ESTUDO DE CASO MÓDULO XI Sistema Monetário Internacional Padrão Ouro 1870 1914 Durante muito tempo o ouro desempenhou o papel de moeda internacional, principalmente por sua aceitabilidade e confiança.

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes.

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. A ECONOMIA GLOBAL Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. O século XX marcou o momento em que hábitos culturais, passaram a ser ditados pelas grandes

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública 1 A construção histórica do Curso de Pedagogia 2 Contexto atual do Curso de Pedagogia 3 O trabalho do Pedagogo prática

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Início em 28 de setembro de 2015 Aulas as segundas e quartas, das 19h às 22h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CEPE/UNICENTRO, DE 3 DE JANEIRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Estratégica e da Inovação, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO. O

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG Curso de Graduação Administração Modalidade a Distância Dados do Curso Contato Ver QSL e Ementas Universidade Federal do Rio Grande / FURG 1) DADOS DO CURSO: COORDENAÇÃO: Profª MSc. Suzana Malta ENDEREÇO:

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

A Sustentabilidade nos Sistemas Associativistas de Produção

A Sustentabilidade nos Sistemas Associativistas de Produção IV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL IV SIMBRAS I CONGRESSO INTERNACIONAL DE AGROPECUÁRIA SUSTENTÁVEL A Sustentabilidade nos Sistemas Associativistas de Produção Prof. José Horta Valadares,

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

resgate de um processo pedagógico autônomo, de qualidade e que também podem somar-se às problematizações e às reflexões que se realizam nos

resgate de um processo pedagógico autônomo, de qualidade e que também podem somar-se às problematizações e às reflexões que se realizam nos RESUMO PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL, PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL E PPC PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO, ENTRE O DITO E O FEITO ESTUDOS DE CASO MÚLTIPLOS / IES/ RS BRASIL 2007/2008. Autora

Leia mais

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional

III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional III.4.4. Inclusão e Desenvolvimento Regional UESC Missão: Formar profissionais, construir conhecimento e criar cultura fomentadora da cidadania, do desenvolvimento humano, social, econômico, artístico

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE O I Seminário Internacional de Educação Superior na Comunidade de Países de Língua

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014 A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 006 E 014 Resumo Eduardo Marcomini UNINTER 1 Ligia Lobo de Assis UNINTER Grupo de Trabalho Políticas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO AO SERVIÇO SOCIAL EMENTA: A ação profissional do Serviço Social na atualidade, o espaço sócioocupacional e o reconhecimento dos elementos

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO PSICÓLOGO BRASILEIRO. Dra. Iraní Tomiatto de Oliveira

COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO PSICÓLOGO BRASILEIRO. Dra. Iraní Tomiatto de Oliveira COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO PSICÓLOGO BRASILEIRO Dra. Iraní Tomiatto de Oliveira Sumário Psicologia no Brasil: percurso histórico Psicologia no Brasil nos últimos vinte anos Referências legais e organização

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 350-GR/UNICENTRO, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013. Aprova, ad referendum do CEPE, o Curso de Especialização em MBA em Gestão Estratégica de Organizações, modalidade regular, a ser ministrado no

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº2 Reconhecido pelo Decreto Federal n 82.413, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 1064, de 13.04.11 DOE

Leia mais

Ensino de Enfermagem. Aprendizagem (AVA) Claudia Prado claupra@usp.br. Maria Madalena Januário Leite. Heloisa Helena Ciqueto Peres

Ensino de Enfermagem. Aprendizagem (AVA) Claudia Prado claupra@usp.br. Maria Madalena Januário Leite. Heloisa Helena Ciqueto Peres Escola de Enfermagem Ensino de Enfermagem em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Heloisa Helena Ciqueto Peres Maria Madalena Januário Leite Claudia Prado hhcperes@usp.br marimada@usp.br claupra@usp.br

Leia mais

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO INTEGRADA: PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TURMA V E EIXOS TEMÁTICOS PARA A MONOGRAFIA FINAL Professor Ms. Carlos Henrique

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: RELAÇÕES INTERNACIONAIS Missão A principal missão do Curso de Relações Internacionais é formar, a partir de pesquisa e desenvolvimento pedagógico próprios, mediante

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº Reconhecido pelo Decreto Federal n 8.1, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 106, de 1.0.11 DOE nº 85

Leia mais

PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES.

PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES. PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA PERSPECTIVA DOS DISCENTES. Introdução As mudanças e desafios no contexto social influenciam a educação superior, e como consequência, os

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde

Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Biblioteca Virtual em Saúde (BVS): Instrumento para a gestão da informação em Saúde Objetivo: Apresentar o Modelo da BVS: conceitos, evolução, governabilidade, estágios e indicadores. Conteúdo desta aula

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 42-CEPE/UNICENTRO, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012. Aprova o Curso de Especialização MBA em Gestão Estratégica de Organizações, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor do trabalho: 2.0 Nota: Data: /dezembro/2014 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 8º Trabalho de Recuperação Final de Geografia ORIENTAÇÕES: Leia atentamente

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1.1. TÍTULO: Viagens de Estudos e Visitas Técnicas Internacionais

Leia mais

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância:

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância: LIDERANÇA EMPRESARIAL EVIDÊNCIAS DO COACHING COMO ESTRATÉGIA DE SUCESSO Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM

GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS NÚCLEO COMUM DISCIPLINA: Gestão de Pessoas EMENTA: O sistema clássico de estruturação da gestão de recursos humanos e suas limitações: recrutamento e seleção, treinamento

Leia mais

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes

RECONHECENDO a geometria variável dos sistemas de pesquisa e desenvolvimento dos países membros do BRICS; ARTIGO 1: Autoridades Competentes MEMORANDO DE ENTENDIMENTO SOBRE A COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ENTRE OS GOVERNOS DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, FEDERAÇÃO DA RÚSSIA, REPÚBLICA DA ÍNDIA, REPÚBLICA POPULAR DA CHINA E

Leia mais

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Nilce Fátima Scheffer - URI-Campus de Erechim/RS - snilce@uri.com.br

Leia mais

Relações Internacionais

Relações Internacionais Curso de Graduação Bacharelado em Relações Internacionais O curso de Relações Internacionais está enquadrado no campo da ciência Humana e social, onde estuda-se em profundidade as políticas Internacionais

Leia mais

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16

DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 DURAÇÃO DO CURSO O Curso de Ciências Contábeis, bacharelado poderá ser integralizado em um período de no mínimo 8 (oito) semestres e no máximo 16 (dezesseis) semestres. PERFIL DO EGRESSO O perfil desejado

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

Reflexões Sobre a Cooperação Internacional

Reflexões Sobre a Cooperação Internacional Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Ministério da Educação Anexos I e II 2º andar Caixa Postal 365 70359-970 Brasília, DF Brasil PLANO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO (PNPG) 2005-2010

Leia mais

Desenvolvimento e Desigualdades: cenários e perspectivas para a saúde no mundo

Desenvolvimento e Desigualdades: cenários e perspectivas para a saúde no mundo Ciclo de Debates sobre Bioética, Diplomacia e Saúde Pública Desenvolvimento e Desigualdades: cenários e perspectivas para a saúde no mundo Samira Santana de Almeida 1 RELATÓRIO 1. Apresentação O presente

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO nº 026 / 94 Aprova o Regulamento Específico do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis em Nível de Mestrado, com área de Concentração em Contabilidade Financeira, Contabilidade Gerencial

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 O Acordo Internacional do Café (AIC) de 2007 é um instrumento chave para a cooperação internacional em matéria de café, e participar dele

Leia mais

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN Autor: Anne Charlyenne Saraiva Campos; Co-autor: Emerson Carpegiane de Souza Martins

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 39-CEPE/UNICENTRO, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013. Aprova o Curso de Especialização em MBA em Cooperativismo e Desenvolvimento de Agronegócios, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Eixo temático 1: Fundamentos e práticas educacionais Telma Sara Q. Matos 1 Vilma L. Nista-Piccolo 2 Agências Financiadoras: Capes / Fapemig

Leia mais

Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária

Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária Apresentação Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária A Vice-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pósgraduação da Universidad Arturo Prat del Estado de Chile, ciente da importância dos estudos

Leia mais

Educação bilíngüe intercultural entre povos indígenas brasileiros

Educação bilíngüe intercultural entre povos indígenas brasileiros Educação bilíngüe intercultural entre povos indígenas brasileiros Maria do Socorro Pimentel da Silva 1 Leandro Mendes Rocha 2 No Brasil, assim como em outros países das Américas, as minorias étnicas viveram

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Definição da Extensão e Finalidades

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Definição da Extensão e Finalidades CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Definição da Extensão e Finalidades A Resolução UNESP 102, de 29/11/2000, define Extensão Universitária, nos seguintes termos: Art.8º Entende-se

Leia mais

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012

Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 Planejamento Estratégico para Escritórios de Advocacia ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 1º SEMESTRE DE 2012 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADES ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU FUMDES CAMPUS CHAPECÓ

PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADES ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU FUMDES CAMPUS CHAPECÓ GRUPO SANTA RITA INSCRIÇÕES ABERTAS! PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU R e MEC CURSOS AUTORIZADOS s o lu ç ã o C N E /C n ES 1, º. 7 /2 6 / 8 RECURSOS HUMANOS FUMDES Grupo Santa Rita 1º Lugar em

Leia mais

Declaração de Santa Cruz de la Sierra

Declaração de Santa Cruz de la Sierra Reunião de Cúpula das Américas sobre o Desenvolvimiento Sustentável Santa Cruz de la Sierra, Bolivia, 7 ao 8 de Dezembro de 1996 Declaração de Santa Cruz de la Sierra O seguinte documento é o texto completo

Leia mais