Projeto Meio Ambiente TCA 8º A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Meio Ambiente TCA 8º A"

Transcrição

1 Projeto Meio Ambiente TCA 8º A Prof.ª. : Inês, Rosicler e Silvia. EMEF Des. Francisco Meirelles. 2015

2 Reciclagem de metal 1- Como fazer a reciclagem? Tem que fazer a limpeza do metal. A reciclagem do metal evita a retirada de minérios do solo além de reduzir em muito o volume de água e energia necessários na sua produção. 2 Quais materiais podem ser reciclados? METAL latas de bebidas que pode reciclar e alimentos, tampas de recipientes de vidro, latas de biscoitos bandejas e panelas, ferragens,grampos, fios elétricos,chapas, embalagens de marmitex,alumínio,cobre,aço e latas de produto de limpeza.

3 Reciclagem de metal 3 O que não pode ser reciclado? Não pode ser reciclado: latas de aerossol, latas de tinta, pilhas, latas de inseticida e latas de pesticida. 4-Locais para descarte. Ecoponto Tereza Cristina Rua Tereza Cristina, (esquina av. Estado) Horário: das 8h00 às 17h00 (de segunda a sexta-feira) Telefone: Nomes : Edcarlos, Elosman, Lucas vieira

4 Papel, papelão, bituca de cigarro Todos os lixos para serem reciclados precisam estar limpos e secos. 1 O papel pode se reciclado. Com ele pode ser feito artesanato. Atualmente existem várias pessoas trabalhando essa técnica em uma ofi- cina ou na própria residência, produ- zindo papéis personalizados e objetos decorativos.

5 Conheça o ciclo do papel

6 Papéis que não podem ser reciclados 2 Papéis que não podem ser reciclados: Papel engordurado; carbono, celofane, papel plastificado e papel parafinado. 3 Tempo de composição: Papel de 03 A 06 meses. Filtro de cigarro 5 anos. 4 Onde descartar o papel: Eco ponto Tereza Cristina Rua Tereza Cristina 8000 esquina com av.dos estados Daniel Meneses, Leandro dos Santos, Lucas Alves, railton souza Railton de Solza da Silva. 8ª A

7 Vidros : O vidro é a única matéria prima 100% reciclável. Vidro Vidros que podem ser reciclados: copos, frascos de remédios, jarras, garrafas e vidro colorido. Vidros que não podem ser reciclados : vidros de automóvel, de janela, espelho, turbo de tv e vidro temperado Tempo de decomposição : Indeterminado.

8 Como reciclar : Todo material para ser reciclado tem que estar limpo e seco. Onde levar o vidro para reciclagem : EcoPonto : Tereza Cristina: Rua Tereza Cristina,8000. Tel: Bianka Silva Kauane Silva Vitoria Batista Emanuelle Santana Maria Taina 8º ano A

9 Reciclagem sobre plástico O plástico e um material proveniente de resinas geralmente sintéticas e derivadas do petróleo. Com a reciclagem de plásticos poupa-se a extração de combustíveis fósseis que são esgotáveis. Ambientalmente o uso do plástico é considerado problemático pela sua alta durabilidade e grande volume na composição total do lixo. Quando depositados em lixões, apresentam risco pela queima indevida e sem controle, que pode resultar em emanações tóxicas na atmosfera. Quando colocado em aterros sanitários, Esse material dificulta a decomposição dos elementos biologicamente degradáveis.

10 1)Como separar o lixo? Todos os lixos devem estar limpos e secos para serem reciclados. 2) Quais materiais podem ser reciclados? Garrafinha plásticas,cadeiras plásticas,embalagens de alimentos,embalagens de detergente e shampoo. 3) Quais materiais que não podem ser reciclados? Sacolas, fitas adesivas, embalagens de alimentos engordurados. 4) Qual o tempo de decomposição? Mais de 100 anos. Ecoponto Tereza Cristina Rua Tereza Cristina, (esquina av. Estado) Horário: das 8h00 às 17h00 (de segunda a sexta-feira) Telefone: Nomes: Ester, Rafaela, Sabrina, Vitoria, Thiely 8 A

11 Lixo Orgânico e Biodegradável O lixo que produzimos diariamente, seja o lixo urbano, industrial, etc., pode ser sólido, gasoso ou líquido e ainda orgânico, biodegradável ou inorgânico. Boa parte de nosso lixo doméstico é orgânico, ou seja, tem origem vegetal ou animal, pois são compostos de restos dos alimentos, de folhas, etc. O lixo orgânico diferentemente dos outros tipos de resíduos tem uma maior capacidade de se decompor, o que não significa que não seja reciclável. A natureza gasta uma energia vital para o equilíbrio do planeta nos longos processos de decomposição, assim os processos de tratamento do lixo como a reciclagem, os aterros sanitários, a incineração e a compostagem são ainda as melhores formas que o homem tem de lidar com o lixo que produz igualmente poluente. Mesmo o lixo orgânico quando depositado de forma inadequada pode ser altamente poluente do ar, do solo e da água, além de propiciar o desenvolvimento de bactérias e outros organismos transmissores de doenças. O lixo orgânico e o lixo biodegradável tem a capacidade de se decompor mais facilmente enquanto o lixo inorgânico quando jogado na natureza pode levar milênios até se decompor, reforçando assim a importância da coleta seletiva do lixo reciclável.

12 O que é Lixo orgânico: Lixo orgânico é todo e qualquer tipo de resíduo produzido a partir de origem vegetal ou animal, ou seja, algo que já fez parte de um ser vivo. Todas as famílias produzem diariamente lixo orgânico, como por exemplo: restos de alimentos de origem orgânica (carnes, aves, peixes, cascas de ovos, arroz e outros), além de ossos, sementes, borra de café e etc.

13 Normalmente, esse tipo de lixo é depositado em sacolas plásticas nas residências e recolhido uma vez ao dia pelo serviço municipal de transporte e reciclagem de resíduos. Este tipo de lixo deve passar por um processo de tratamento, pois, por se tratar de resíduos biológicos, estão sujeitos ao processo de decomposição por bactérias e fungos, causando, além do mau cheiro, a propensa proliferação de animais peçonhentos que podem transmitir doenças para os seres humanos, como baratas, ratos e vermes.

14 Reciclagem do lixo orgânico A reciclagem do lixo orgânico é excelente para a produção de adubo natural, utilizado como fertilizante de plantas, através da técnica de compostagem. A produção de combustível também é outra possibilidade dos resíduos orgânicos. Durante o processo de decomposição orgânica é produzido o gás metano, matéria-prima para a obtenção do biogás, que é considerado um biocombustível por ser uma fonte de energia renovável. Os aterros sanitários são, na maioria das vezes, a melhor alternativa para o depósito dos lixos orgânicos, mas estes também podem ser enviados para usinas de incineração ou "lixões". Porém, são nos aterros sanitários que Álvaro, Andresa, Jackson, Tiago e Wellington

15 Pilhas e Baterias As lâmpadas fluorescentes contêm pequenas quantidades do elemento mercúrio (Hg), substância altamente tóxica. No Brasil são consumidas cerca de 100 milhões de lâmpadas fluorescentes por ano. Desse total, 94% são descartadas em aterros sanitários, sem nenhum tipo de tratamento, contaminando o solo e a água com metal pesado. Para minimizar o impacto ambiental, estudos desenvolveram um sistema que recupera os componentes presentes nas lâmpadas, reaproveitando mais de 98% da matéria-prima utilizada na fabricação. Processo de reciclagem: por meio de um sistema de vácuo associado a altas temperaturas, o equipamento separa o mercúrio, metal tóxico com alto risco de contaminação, de outros elementos, como cobre, pó fosfórico, vidro e alumínio, possibilitando a reciclagem desses materiais pela indústria.

16 Como as lâmpadas fluorescentes contaminam as águas subterrâneas? Lâmpadas fluorescentes são jogadas no lixo e se juntam a milhares de outras nos aterros sanitários. O Mercúrio Que estava dentro da lâmpada é liberado no solo quando ela se quebra, este metal atinge então o lençol freático com a ajuda do chorume, o líquido liberado pela decomposição do lixo orgânico. Esse acontecimento prejudica o meio ambiente por contaminar rios, lavouras, animais, e por fim os homens. A intoxicação grave por mercúrio pode causar problemas respiratórios, neurológicos, gastrintestinais e até matar. Na Alemanha e nos Estados Unidos, já é proibido jogar lâmpadas fluorescentes no lixo comum. Os equipamentos são coletados à parte e reciclados, infelizmente no Brasil há pouquíssimas empresas que realizam a reciclagem dessas lâmpadas, e elas atendem principalmente indústrias.

17 Como separar corretamente pilhas, baterias e lâmpadas. Grandes redes de supermercados e lojas que vendem estes produtos tem obrigação por lei de recolherem estes resíduos. Desta forma, devemos levar estes materiais até postos de coleta mais próximo de nossa residência. Kelvyn nº 20 Anderson nº 5 Guilherme nº 17

18 Óleos e Lâmpadas A lâmpada não é reciclável e nem Reutilizada por Conter um pó chamado mercúrio que da sérios problemas a saúde Humana. As lâmpadas tem que ser depositadas por lei em recipientes apropriados (Mercados, Fábricas, Etc..) O óleo não é Reciclado, mais pode ser Reutilizado fazendo sabões e Biodiesel. O óleo tem quer ser colocado em recipientes separados. Alexiana, Bianca França, Camila, Eduardo e Renata.

31/08/2016. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

31/08/2016. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

INSTRUÇÃO AMBIENTAL. Status: Aprovada COLETA SELETIVA

INSTRUÇÃO AMBIENTAL. Status: Aprovada COLETA SELETIVA 1 de 6 1 OBJETIVOS Definir procedimentos quanto à identificação, segregação, coleta e disponibilização de resíduos do Programa de coleta Seletiva, gerados na Câmara Municipal de Manaus. 2 DEFINIÇÕES E

Leia mais

Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Educação e Saúde. Prof. Vanderlei Folmer / Msc. Maria Eduarda de Lima

Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Educação e Saúde. Prof. Vanderlei Folmer / Msc. Maria Eduarda de Lima Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza Componente Curricular: Educação e Saúde Prof. Vanderlei Folmer / Msc. Maria Eduarda de Lima O que é lixo? Latim Lix : cinza ; Europa : resíduos domésticos

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013

ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 ESCOLA ESTADUAL EDGAR BARBOSA OFICINA: QUÍMICA AMBIENTAL E RECICLAGEM NATAL/RN 2013 LIXO 2º ENCONTRO OBJETIVO: Relatar a composição química do lixo e os prováveis danos causados, além de discutir principais

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Ciências 6 o ano Unidade 4 5 Unidade 4 Nome: Data: 1. Preencha a tabela a seguir com as palavras constante ou variável, de acordo com as propriedades de cada estado da matéria.

Leia mais

COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE

COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE COMO DESCARTAR SEUS RESÍDUOS DE MANEIRA CONSCIENTE O PROBLEMA - O descarte de resíduos é uma das práticas mais impactantes do ponto de vista socioambiental. Além de sobrecarregar os aterros, ele ocasiona

Leia mais

ATERRO SANITÁRIO DE RIO CLARO. Prof. Marcos Colégio Sta. Clara

ATERRO SANITÁRIO DE RIO CLARO. Prof. Marcos Colégio Sta. Clara ATERRO SANITÁRIO DE RIO CLARO Prof. Marcos Colégio Sta. Clara 1. CICLO DE VIDA DOS PRODUTOS - Observe um objeto perto de você. Você já parou para pensar do que ele é feito e quantas etapas foram necessárias

Leia mais

Praticando os 3 R s. Caderno APIS Nº 1 Praticando os 3 R s

Praticando os 3 R s. Caderno APIS Nº 1 Praticando os 3 R s Praticando os 3 R s Caderno APIS Nº 1 Praticando os 3 R s O que são os 3 R s? Reduzir Reutilizar Reciclar Em nosso cotidiano, nós já fazemos isso, as vezes sem perceber: tentamos economizar aqui e ali,

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 O que é Lixo? Lixo

Leia mais

[DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS]

[DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS] ATERROS SANITÁRIOS [DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS] 2013 O QUE SÃO OS RESÍDUOS SÓLIDOS? É O LIXO QUE PRODUZIMOS. NOSSO LIXO DE TODOS OS DIAS. E ESSES RESÍDUOS OU LIXO PODEM SER CLASSIFICADOS COMO:

Leia mais

CONSUMO CONSCIENTE Em prol da vida e do meio ambiente.

CONSUMO CONSCIENTE Em prol da vida e do meio ambiente. CONSUMO: Gera impactos positivos e negativos CONSUMO CONSCIENTE Em prol da vida e do meio ambiente. Desperdício Degradação ambiental Núcleo de Educação Ambiental Conforto Bem estar Qualidade de vida Produção

Leia mais

Coleta Seletiva. O seu lixo tem valor

Coleta Seletiva. O seu lixo tem valor Coleta Seletiva O seu lixo tem valor Cartilha sobre Coleta Seletiva Esta cartilha tem por principal objetivo, informar os processos da coleta seletiva para empresas e seus colaboradores, ajudando-os como

Leia mais

O Nosso Meio Ambiente

O Nosso Meio Ambiente O Nosso Meio Ambiente Educação Ambiental para a Coleta Seletiva de Lixo P R B - VERDE Maio de 2011 Esta Cartilha poderá ser reproduzida e distribuída somente com a finalidade Educativa A Cartilha Para

Leia mais

Tratamento de resíduos

Tratamento de resíduos Tratamento de resíduos Resíduo: Um resíduo é qualquer substância ou objecto de que o ser humano pretende desfazer-se por não lhe reconhecer utilidade. Prioridades a seguir no tratamento de resíduos sólidos:

Leia mais

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) 1

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo)   1 Coleta Seletiva Consciência limpa Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) E-mail: cecgodoy@gmail.com 1 Proposta da palestra Apresentar para a Comunidade Móbile informações importantes sobre Responsabilidade

Leia mais

Como participar? 1. Crie um brinquedo com embalagens cartonadas vazias e outros materiais recicláveis.

Como participar? 1. Crie um brinquedo com embalagens cartonadas vazias e outros materiais recicláveis. O concurso cultural Tirolzinho Transforma Reino Encantado está percorrendo o estado de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, levando brincadeiras e educação ambiental para os alunos das escolas municipais

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Casa comum, nossa responsabilidade. Disciplina: Ciências / ESTUDOS AUTÔNOMOS Série: 4ª - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: 17 / 10 / 2016

Leia mais

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: RESÍDUOS

PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: RESÍDUOS PENSE NO MEIO AMBIENTE SIRTEC TEMA: RESÍDUOS Setembro/2014 Você conhece a Política Ambiental Sirtec? Disponível nos murais e no site da empresa PRINCÍPIOS DA POLÍTICA AMBIENTAL - SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade

Leia mais

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - LIXO

TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - LIXO RÁDIO AULA DE QUÍMICA TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - LIXO Prof. Carlos Alberto 01. Relacione: 1. Depósito a céu aberto (lixão) 2. Aterro controlado 3. Aterro sanitário 4. Compostagem 5. Incineração 6.

Leia mais

Líder: Ana Carolina Freire RA: Organizador: Vanessa Rocha RA:

Líder: Ana Carolina Freire RA: Organizador: Vanessa Rocha RA: Líder: Ana Carolina Freire RA: 010522010 Organizador: Vanessa Rocha RA:007762013 Programador:Carlos Eduardo RA:027409 Construtor: Felipe Avilez RA:121908 Produtor:Carlos Eduardo RA:027409 O nosso objetivo

Leia mais

Separação de Resíduos

Separação de Resíduos Separação de Resíduos Tipos de Resíduos Orgânicos Rejeitos Papéis Recicláveis Plásticos Metais Isopor Plástico Existem 7 tipos de resinas plásticas: - PET: polietileno tereftalato: Frascos de refrigerantes

Leia mais

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL?

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUOS SÓLIDOS COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUO CLASSE I: São aqueles que apresentam periculosidade ou uma das seguintes características, inflamabilidade, corrosividade, reatividade,

Leia mais

Professora Sikandra Silveira

Professora Sikandra Silveira De que materiais são feitos os objetos da imagem? De onde são retirados? MINERAIS E MINÉRIOS Professora Sikandra Silveira MINERAIS E MINÉRIOS Hematita (minério de ferro): Ferro + Oxigênio Galena (minério

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Prédio da Administração

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Prédio da Administração ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Prédio da Administração Informamos que o POLI RECICLA gerencia os resíduos recicláveis e perigosos de acordo com as normas vigentes e dentro de uma política

Leia mais

Pilhas / Baterias e Divertidas. Diversos

Pilhas / Baterias e Divertidas. Diversos Com Pedal Escritório Pilhas / Baterias e Divertidas Porta Copos e Cinzeiros Chão ou Suporte Diversos s Com Pedal» para ambiente interno» Com cantos arredondados» Resistente» Ótimo custo x benefício» Utilizada

Leia mais

Fontes renováveis e não-renováveis de energia. Amanda Vieira dos Santos Giovanni Souza

Fontes renováveis e não-renováveis de energia. Amanda Vieira dos Santos Giovanni Souza Fontes renováveis e não-renováveis de energia Amanda Vieira dos Santos 8941710 Giovanni Souza - 9021003 Fontes renováveis e não-renováveis de energia Usos para a energia: Com o avanço tecnológico passamos

Leia mais

A compostagem é um processo de decomposição de matéria. orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro

A compostagem é um processo de decomposição de matéria. orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro A compostagem é um processo de decomposição de matéria orgânica, na presença de oxigénio, feita através de micro organismos (fungos e bactérias). Esta decomposição é feita num compostor, (recipiente apropriado

Leia mais

? PERGUNTAS & RESPOSTAS SACOLAS PLÁSTICAS.

? PERGUNTAS & RESPOSTAS SACOLAS PLÁSTICAS. ? PERGUNTAS & RESPOSTAS SACOLAS PLÁSTICAS www.abiplast.org.br ? PERGUNTAS & RESPOSTAS SACOLAS PLÁSTICAS 2 ABIPLAST ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DO PLÁSTICO O PLÁSTICO FAZ PARTE DA VIDA CONTEMPORÂNEA,

Leia mais

Matéria orgânica: Restos de comida, da sua preparação e limpeza... Papel e papelão: Jornais, revistas, caixas e embalagens...

Matéria orgânica: Restos de comida, da sua preparação e limpeza... Papel e papelão: Jornais, revistas, caixas e embalagens... Dúvidas freqüentes RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS O que são resíduos sólidos? R.: Os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU's),(NBR.0.004 da ABNT) vulgarmente denominados por lixo urbano, são resultantes da atividade

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS P2-4º BIMESTRE 6º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Identificar os principais poluentes atmosféricos; Identificar

Leia mais

Cultura do lixo. Premissas. Modelo Linear

Cultura do lixo. Premissas. Modelo Linear Premissas Ecossistemas naturais Produção de bens e serviços Sociedade: uso e descarte Modelo Linear O modelo de produção e gestão de resíduos pode ser definido como linear, onde extraímos os recursos naturais

Leia mais

mandamentos mandamentos do produtor de lixo

mandamentos mandamentos do produtor de lixo 10 mandamentos mandamentos do produtor de lixo 1 Reduzo o lixo que produzo Quando vou às compras, levo sacos reutilizáveis. Prefiro produtos concentrados, com pouca embalagem. Entrego os bens que já não

Leia mais

Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição.

Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição. Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição. Ouro Prata Ferro Magnésio Manganês Cobre Exemplos: ouro, prata, cobre, alumínio, ferro,

Leia mais

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL Prof.º: Carlos D Boa - geofísica Introdução Biocombustíveis (Biodiesel, Etanol e Hidrogênio) Biogás Biomassa Energia Eólica Energia das Marés Energia Hidrelétrica Energia Solar

Leia mais

BANCO DE ATIVIDADES Presente Ciências 4 ano - 3 bimestre Avaliação

BANCO DE ATIVIDADES Presente Ciências 4 ano - 3 bimestre Avaliação Unidade 3 - Muitos materiais Leia a letra da canção abaixo. B -I-C-I-C-L-E-T-A Sou sua amiga bicicleta Sou eu que te levo Pelos parques a correr Te ajudo a crescer E em duas rodas deslizar [...] Sou eu

Leia mais

Realização: Guia de Descarte. Residuos. Centro de Ciências Rurais

Realização: Guia de Descarte. Residuos. Centro de Ciências Rurais Realização: Guia de Descarte de Residuos Guia de Descarte de Residuos Os resíduos sólidos recicláveis são depositados nas coletoras localizadas nos corredores e em frente aos prédios e são recolhidos pelos

Leia mais

INFORMATIVO AMBIENTAL

INFORMATIVO AMBIENTAL Nº24 Use menos possível equipamento e veículos que possam poluir o meio ambiente, pois provocam a poluição do ar. Procure sempre fazer caminhada, pois faz bem à saúde e ao bem estar. Assim você estará

Leia mais

PMAS Resíduos perigosos Dia Mundial do Meio Ambiente. nº 06/2016

PMAS Resíduos perigosos Dia Mundial do Meio Ambiente. nº 06/2016 PMAS Resíduos perigosos Dia Mundial do Meio Ambiente nº 06/2016 Você conhece as políticas da empresa? Disponíveis nos murais e no site da empresa Gestão de Resíduos Perigosos De acordo com a ABNT NBR 1004:2004

Leia mais

O que os cidadãos de Rio Branco pensam e estão dispostos a fazer sobre consumo responsável e reciclagem na cidade.

O que os cidadãos de Rio Branco pensam e estão dispostos a fazer sobre consumo responsável e reciclagem na cidade. Consumo Sustentável Programa Água Brasil e Instituto Ibope apresentam: O que os cidadãos de pensam e estão dispostos a fazer sobre consumo responsável e reciclagem na cidade. Introdução O Programa Água

Leia mais

O caminho dos resíduos

O caminho dos resíduos ALGAR Olá! Eu sou o Eco-Herói e vou mostrar-te O caminho dos resíduos Esta página é tua, pinta-me! 1.º Ciclo O caminho dos resíduos O lixo que produzimos e que colocamos no contentor normal segue num camião

Leia mais

Profª Coordenadora: Selma Maria de Araujo. Docência Assistida 2009: Allan Tavares Carvalho, Lívia Wanderley Pimentel e Márcio Camargo de Melo

Profª Coordenadora: Selma Maria de Araujo. Docência Assistida 2009: Allan Tavares Carvalho, Lívia Wanderley Pimentel e Márcio Camargo de Melo UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS NATURAIS UNIDADE ACADÊMCIA DE ENGENHARIA CIVIL CIÊNCIAS DO AMBIENTE Profª Coordenadora: Selma Maria de Araujo Docência Assistida 2009:

Leia mais

RECICLAR: UMA GRANDE IDEIA.

RECICLAR: UMA GRANDE IDEIA. Reciclagem RECICLAR: UMA GRANDE IDEIA. Imagine uma bolinha de neve no topo de uma montanha que começa a rolar morro abaixo. Quando ela chegar lá embaixo, terá virado um imenso bolão, não é? Isso é o que

Leia mais

ALGAR. Olá! Vem connosco conhecer. 2.º Ciclo

ALGAR. Olá! Vem connosco conhecer. 2.º Ciclo ALGAR Olá! Vem connosco conhecer 2.º Ciclo 2 O que são os Resíduos? É tudo aquilo que é proveniente das nossas atividades e que consideramos inútil, por isso deitamos fora. Antigamente existiam Lixeiras

Leia mais

MEIO AMBIENTE E BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

MEIO AMBIENTE E BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CAMPUS DE CAMPO GRANDE CURSINHO PRÓ-ENEM UFMS MEIO AMBIENTE E BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL Edson Pereira de Souza [1] edson.souza1984@gmail.com

Leia mais

COLETA SELETIVA ORIENTAÇÕES PARA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS NO SISTEMA CNC SESC SENAC

COLETA SELETIVA ORIENTAÇÕES PARA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS NO SISTEMA CNC SESC SENAC COLETA G U I A D A SELETIVA ORIENTAÇÕES PARA SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS NO SISTEMA CNC SESC SENAC CNC CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO SENAC SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

Leia mais

Valorização dos Resíduos Plásticos

Valorização dos Resíduos Plásticos Valorização dos Resíduos Plásticos CENÁRIO CENÁRIO Consumimos 50% a mais do que o planeta é capaz de produzir, absorver e regenerar 16% da população mundial consome 78% dos recursos 2/3 da população não

Leia mais

Descarte incorreto de óleo lubrificante gera multa em oficina de Novo Progresso

Descarte incorreto de óleo lubrificante gera multa em oficina de Novo Progresso Descarte incorreto de óleo lubrificante gera multa em oficina de Novo Progresso O descarte incorreto pode gerar danos irreversíveis à saúde e ao meio ambiente. Óleo escorrendo pela rua Além de danos à

Leia mais

sólidos - a incineração, mostrada nas figuras 15 e 16. Muitos proprietários queimam seus lixos

sólidos - a incineração, mostrada nas figuras 15 e 16. Muitos proprietários queimam seus lixos 49 Figura 14 - Deposição de lixo. Na área estudada, é comum outra prática inadequada de tratamento dos resíduos sólidos - a incineração, mostrada nas figuras 15 e 16. Muitos proprietários queimam seus

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Marisa Brasil Engenheira de Alimentos MBA em Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social Especialista em Engenharia Ambiental e Saneamento Básico

Leia mais

Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem

Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem Actividade Prática nº 3 O Guião da Compostagem Página 1 de 7 O que é a compostagem? A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas,

Leia mais

Gestão De D Resídu d os

Gestão De D Resídu d os Gestão De Resíduos COLETA SELETIVA Projeto Gestão de Resíduos EcoMalzoni Como funcionava a coleta de resíduos antes do Projeto de Gestão de Resíduos? - 85% dos sacos retirados eram pretos, com

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010

Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS LEI 12.305 / 08/ 2010 DECRETO 7.404/ 12/ 2010 Cenário brasileiro de resíduos sólidos Aumento da: População nas cidades 50% mundial 85% Brasil (IBGE, 2010).

Leia mais

Petróleo. O petróleo é um líquido oleoso, menos denso que a água, cuja cor varia segundo a origem, oscilando do negro ao âmbar.

Petróleo. O petróleo é um líquido oleoso, menos denso que a água, cuja cor varia segundo a origem, oscilando do negro ao âmbar. Petróleo e Carvão Petróleo O petróleo é um líquido oleoso, menos denso que a água, cuja cor varia segundo a origem, oscilando do negro ao âmbar. É encontrado no subsolo, em profundidades variáveis e é

Leia mais

O que são PérfuroP. rfuro-cortantes? Todo material que possa provocar cortes ou perfurações.

O que são PérfuroP. rfuro-cortantes? Todo material que possa provocar cortes ou perfurações. Limpeza Pérfuro-cortantes O que são PérfuroP rfuro-cortantes? Todo material que possa provocar cortes ou perfurações. Causas dos Acidentes de Trabalho Ato inseguro Condição insegura do ambiente Fator

Leia mais

A diversidade de materiais e a sua utilização

A diversidade de materiais e a sua utilização Classificação dos materiais É enorme a diversidade de materiais que nos rodeia, daí a necessidade de os classificarmos. Existem, no entanto, diferentes classificações para o mesmo conjunto de materiais

Leia mais

Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo

Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo A Lei nº 15.374 de 2011 proíbe a disponibilização de sacolas plásticas descartáveis nos estabelecimentos comerciais do município de São Paulo.

Leia mais

Unidade de Medida A0010

Unidade de Medida A0010 Código de Identificação de Resíduos Tipo de Resíduo Descrição Unidade de Medida A0010 RESIDUO DE RESTAURANTE (RESTOS mġ DE ALIMENTOS) A0020 RESIDUO GERADO FORA PROCESSO mġ INDUSTRIAL (EMBALAGENS, ESCRI)

Leia mais

Resíduos Eletroeletrônicos Consumo (In) Consciente

Resíduos Eletroeletrônicos Consumo (In) Consciente I Jornada Integrada de Meio Ambiente Resíduos Eletroeletrônicos Consumo (In) Consciente Carla Daniele Furtado MSc.Ciências Ambientais Tucuruí, Junho 2015 Equipamentos Eletro Eletrônicos Linha Branca: refrigeradores

Leia mais

Alvará(s) 13/DRA/2009

Alvará(s) 13/DRA/2009 Governo dos Açores Direção Regional do Ambiente Operador de Gestão de Resíduos Varela e Cª, Lda. NIF 512004854 E-Mail ana.malcata@bensaude.pt Sede Edifício Varela, Rua de Lisboa 9500-216 São José Ponta

Leia mais

UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS

UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS UM MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS MUNICIPAIS PROF. DR. SABETAI CALDERONI INDUSTRIALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS SABETAI CALDERONI Presidente do Instituto Brasil Ambiente Consultor da Organização das Nações

Leia mais

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS O QUE É UM ECOPONTO? Ecoponto é uma bateria de contentores individuais destinados a receber separadamente os diversos materiais para reciclagem. Os ecopontos de Oliveira de

Leia mais

RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA. Profa. Margarita María Dueñas Orozco

RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA. Profa. Margarita María Dueñas Orozco RSU CONCEITOS, CLASSIFICAÇÃO E PANORAMA Profa. Margarita María Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com INTRODUÇÃO Semelhança entre processos de geração de RS num organismo vivo e numa sociedade Fonte: Barros,

Leia mais

Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos

Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos 21 a 25 de novembro 2016 Este ano, a Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos tem como tema a Redução de Resíduos de Embalagens. Como já vem sendo habitual, o

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia 15.1 Habilidade: Verificar as principais fontes de energia utilizadas atualmente, analisando sua importância para o desenvolvimento da sociedade Revisão: Espaço

Leia mais

Plástico e Meio Ambiente: Uma visão através da Avaliação do Ciclo de Vida - ACV

Plástico e Meio Ambiente: Uma visão através da Avaliação do Ciclo de Vida - ACV I CICLO DE DEBATES PROMOVIDO PELA COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO AMBIENTAL / SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE - GESP PLÁSTICOS: USOS E DEGRADABILIDADE Plástico e Meio Ambiente: Uma visão através da Avaliação

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL

GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL 1 POLÍTICA AMBIENTAL A Direcção da Organização, ao seu mais alto nível, deve traçar o seu caminho ambiental, explicitando-o num documento escrito, através do qual demonstrará

Leia mais

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que Lixo 1 A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que estudamos em temáticas que rementem ao nosso cotidiano. Dessa

Leia mais

UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina CCT- Centro de Ciências Tecnológicas. Projeto RENEW Renewable Energy Group

UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina CCT- Centro de Ciências Tecnológicas. Projeto RENEW Renewable Energy Group UDESC- Universidade do Estado de Santa Catarina CCT- Centro de Ciências Tecnológicas Projeto RENEW Renewable Energy Group Coordenador: Marcio Rodrigo Loos marcio.loos@ufsc.br Criação: Ana Paula Meneguzzi

Leia mais

O uso de recursos da natureza. Profª. Ms. Fabiana Chinalia FACULDADES COC 10 e 11 de novembro

O uso de recursos da natureza. Profª. Ms. Fabiana Chinalia FACULDADES COC 10 e 11 de novembro O uso de recursos da natureza Profª. Ms. Fabiana Chinalia FACULDADES COC 10 e 11 de novembro IMPACTO E REFLEXOS DO LIXO Na sociedade má qualidade de vida e saúde perdas materiais e humanas ; atrai insetos

Leia mais

Núcleo Proecco Em parceria com as empresas. Centro de Referências para Triagem e Tratamento de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos.

Núcleo Proecco Em parceria com as empresas. Centro de Referências para Triagem e Tratamento de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos. Núcleo Proecco Em parceria com as empresas. Centro de Referências para Triagem e Tratamento de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos. 12/08/2015 1 12/08/2015 2 Profissionais envolvidos no projeto Biologia ;Geografia

Leia mais

Participação Add Value Technologies - Pacto Global Ano

Participação Add Value Technologies - Pacto Global Ano Participação Add Value Technologies - Pacto Global Ano 2010-2011 Apresentamos nosso terceiro Relatório Anual COP 2011. Ratificamos nosso compromisso com o Pacto Global das Nações Unidas, e por conseqüência

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS MUNICIPAIS

RESÍDUOS SÓLIDOS MUNICIPAIS RESÍDUOS SÓLIDOS MUNICIPAIS Educação Ambiental: Resíduos Sólidos Municipais Ano I, número 1 Editor: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT Redação Mônica de Abreu Azevedo André Santos

Leia mais

Exemplar Não Controlado

Exemplar Não Controlado 12 01 05 Aparas de matérias plásticas. Data: 07/12/2012 Pág. n.º 2/7 15 RESÍDUOS DE EMBALAGENS; ABSORVENTES, PANOS DE LIMPEZA, MATERIAIS FILTRANTES E VESTUÁRIO DE PROTEP ROTEÇÃO NÃO ANTERIORMENTE ESPECIFICADOS

Leia mais

Perguntas & Respostas. Reciclagem e coleta seletiva. VEJA.com: Perguntas e respostas

Perguntas & Respostas. Reciclagem e coleta seletiva. VEJA.com: Perguntas e respostas Página 1 de 6 Perguntas & Respostas Setembro de 2008 Reciclagem e coleta seletiva Cada brasileiro produz, em média, 1 quilo de lixo por dia, uma quantidade pequena se comparada com os 3 quilos de cada

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp.

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp. Sistemas de Gestão Ambiental Aula 5 Gestão de Resíduos Prof. Esp. Felipe Luiz Vídeo Contextualização Lixão no Oceano Pacífico. Disponível em:

Leia mais

VISÃO GERAL SOBRE POLÍMEROS BIODEGRADÁVEIS

VISÃO GERAL SOBRE POLÍMEROS BIODEGRADÁVEIS VISÃO GERAL SOBRE POLÍMEROS BIODEGRADÁVEIS Diego Saboya 7ª Semana de Polímeros Instituto de Macromoléculas Professora Eloisa Mano IMA UFRJ 30/10/2013 Introdução Polímeros têm se tornado uma parte essencial

Leia mais

Nesse processo, o consumidor consciente tem um papel fundamental.

Nesse processo, o consumidor consciente tem um papel fundamental. 27/04/2007 AMBIENTE CONSCIENTE Esse projeto expressa muito bem a importância da transformação. E é essa transformação que podemos (e devemos) aplicar em nossa vida, aderindo às novas idéias, dando asas

Leia mais

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA. QUÍMICA AMBIENTAL IFRN NOVA CRUZ CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Prof. Samuel Alves de Oliveira

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA. QUÍMICA AMBIENTAL IFRN NOVA CRUZ CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Prof. Samuel Alves de Oliveira POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA QUÍMICA AMBIENTAL IFRN NOVA CRUZ CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Prof. Samuel Alves de Oliveira INTRODUÇÃO Atmosfera CAMADAS ATMOSFÉRICAS Troposfera 1 Camada mais fina de todas Entre 10 a

Leia mais

Manual do consumidor

Manual do consumidor 1/9 REUTILIZAÇÃO, RECICLAGEM, DESCARTE DOS PRODUTOS E IMPACTO AMBIENTAL: MADEIRA Reutilização: A madeira pode ser reutilizada de diversas formas, assim como para a confecção de objetos úteis ao dia a dia.

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

[PROJETO RETORNA PET]

[PROJETO RETORNA PET] 2009 PROJETO RETORNA PET AUTORES: JOSE MACIO DE ANDRADE MISLAINE SOUZA SANTANA SANDRO PINTO LEITE DE OLIVEIRA [PROJETO RETORNA PET] Projeto sustentável desenvolvido para rede varejista. PROJETO PROPOSTO

Leia mais

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras.

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras. 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para o processo de gerenciamento de resíduos nas áreas da ABCZ, visando a melhoria contínua na performance ambiental, a melhoria na eficiência do gerenciamento de

Leia mais

Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM

Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM Governo dos Açores Direção Regional do Ambiente Operador de Gestão de Resíduos Teramb, Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental, EEM NIF 509620515 E-Mail teramb@gmail.com Instalação Aterro Intermunicipal

Leia mais

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

Lixo nosso de cada dia

Lixo nosso de cada dia PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, UM EXEMPLO Lixo nosso de cada dia Um olhar sobre nosso lixo Na natureza, as plantas e animais mortos apodrecem e se decompõem, sendo destruídos por larvas, bactérias, fungos

Leia mais

Respostas da Apostila 2 - Unidade 12, 13, 14, 15 e 16. Lembrando: matéria da prova Unidades 13, 14, 15 e 16

Respostas da Apostila 2 - Unidade 12, 13, 14, 15 e 16. Lembrando: matéria da prova Unidades 13, 14, 15 e 16 Respostas da Apostila 2 - Unidade 12, 13, 14, 15 e 16 Lembrando: matéria da prova Unidades 13, 14, 15 e 16 Sumário Unidade 12_ Poluição do ar... 2 Unidade 13_ Lixo em números... 3 Atividade (página 266)...

Leia mais

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga Apresenta: Coloqu e o lixo no luga r, na hor a e no d certo. ia ORGÂNICO CAPItao VAREJO em: coleta seletiva Enquanto isso, na sala secreta de reuniões... Olá, Capitão Varejo! Grande Gênio, bom dia! Espero

Leia mais

Preservação da madeira

Preservação da madeira CONTROLE DA POLUIÇÃO NA INDÚSTRIA DE PRESERVAÇÃO DE MADEIRA FABRICIO GOMES GONÇALVES Preservação da madeira Instalações responsáveis pelo armazenamento da madeira e pela sua impregnação de preservativos,

Leia mais

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também podem ajudar no manejo dos resíduos sólidos. O EM 1 tem uma ampla

Leia mais

DEPOSIÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS

DEPOSIÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS 1 de 7 1. Para a execução de uma correta gestão de resíduos deve-se assegurar que após a utilização de um bem se devem seguir, sempre que possível, novas utilizações do mesmo. 2. Não sendo viável a sua

Leia mais

Poluição da Água. a) Petróleo

Poluição da Água. a) Petróleo Poluição da Água a) Petróleo Causa: derramamento na água. Características: não miscível com a água; mancha se espalha por quilômetros. Consequências: - Tóxico para as espécies aquáticas;. - A mancha impede

Leia mais

Afinal, quem são os culpados pela destruição do planeta? Vinte anos após uma das maiores conferências ambientais do mundo, a ECO-92, os resultados

Afinal, quem são os culpados pela destruição do planeta? Vinte anos após uma das maiores conferências ambientais do mundo, a ECO-92, os resultados Afinal, quem são os culpados pela destruição do planeta? Vinte anos após uma das maiores conferências ambientais do mundo, a ECO-92, os resultados não poderiam ser piores para o meio ambiente. A cada dia,

Leia mais

COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES

COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES RESÍDUOS MATÉRIA-PRIMA TRABALHO HUMANO PROCESSO RESÍDUOS PRODUTO FINAL ENERGIA SÓLIDOS LÍQUIDOS

Leia mais

Aula 10: Química dos solos Parte 2

Aula 10: Química dos solos Parte 2 Química Ambiental- 1 semestre 2016 Aula 10: Química dos solos Parte 2 Resíduos perigosos Resíduos sólidos Taimara Polidoro Ferreira Departamento de Química- UFJF Resíduos perigosos O que é uma substância

Leia mais

A humanidade já consome 25% mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra.

A humanidade já consome 25% mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra. Boletim nº 025 / AL 2010/11 Guararapes, 08 de Fevereiro de 2011 Consumo consciente A humanidade já consome 25% mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra. Se os padrões de consumo

Leia mais

1. conhecimento. O processo de secagem é necessário como pré-tratamento de outros processos. Bloco desidratado (teor de água: 80%)

1. conhecimento. O processo de secagem é necessário como pré-tratamento de outros processos. Bloco desidratado (teor de água: 80%) 1. conhecimento O processo de secagem é necessário como pré-tratamento de outros processos Lodos concentrados (teor de água> 95%) Desidratação física Bloco desidratado (teor de água: 80%) Processo de secagem

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE QUEM SOMOS? SUSTENTABILIDADE CICLO DE VIDA DAS EMBALAGENS VANTAGENS DA RECICLAGEM REGRAS DE SEPARAÇÃO/BOAS PRÁTICAS QUEM SOMOS? Quem Somos? O que fazemos? A Sociedade Ponto

Leia mais

ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E AMBIENTAIS DA RECICLAGEM: UM ESTUDO PARA O RIO DE JANEIRO LUIZ CARLOS S. RIBEIRO (DEE/UFS)

ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E AMBIENTAIS DA RECICLAGEM: UM ESTUDO PARA O RIO DE JANEIRO LUIZ CARLOS S. RIBEIRO (DEE/UFS) I Encontro de Gestão de Resíduos: mecanismo para alcance do Desenvolvimento Sustentável e empresarial no Campus da Universidade Estadual do Ceará ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS E AMBIENTAIS DA RECICLAGEM: UM

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA ENERGIA: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E CONSTEXTO ATUAL ENERGIAS NÃO RENOVÁVEIS 1 PETRÓLEO

Leia mais