Gênesis S. Araújo Pré-Cálculo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gênesis S. Araújo Pré-Cálculo"

Transcrição

1 Gênesis Soares Jaboatão, de de Estudante: PAR ORDENADO: Um par ordenado de números reais é o conjunto formado por dois números reais em determinada ordem. Os parênteses, em substituição às chaves, indicam que a ordem deve ser considerada. Dessa forma o símbolo (x, y) representa um par ordenado, em que o primeiro elemento é um número real x, chama- do abscissa, e o segundo, é um número real y denominado ordenada. Para x y, temos (x, y) (y, x). Representação de um par ordenado no plano cartesiano: Podemos representar um par ordenado através de um ponto em um plano. Esse ponto é chamado de imagem do par ordenado. Coordenadas Cartesianas: Os números do par ordenados são chamados coordenadas cartesianas. Exemplo: No par ordenado (1; 2) a abscissa é igual a 1 e a ordenada é 2; e no par ordenado (2; 1) a abscissa é 2 e a ordenada é 1. Esses dois pares ordenados são diferentes. Dois pares ordenados (x, y) e (r, s) são iguais somente se x = r e y = s. Exemplo: Denominamos de abscissa o 1º número do par ordenado, e ordenada, o 2º número desse par. Assim: Determine a e b para que se verifique a igualdade (a 1; b + 2) = (3; 4). Resolução: PLANO CARTESIANO: Geralmente representamos um par ordenado em um plano cartesiano. Esse plano é formado por duas retas, x e y, perpendiculares entre si.

2 A reta horizontal é o eixo das abscissas (eixo x). A reta vertical é o eixo das ordenadas (eixo y). O ponto comum dessas duas retas é denominado origem, que corresponde ao par ordenado (0, 0). C) (-2, -3) FUNÇÕES: Introdução: Localização de um ponto: Para localizar um ponto num plano cartesiano, utilizamos a sequencia prática: O 1º número do par ordenado deve ser localizado no eixo das abscissas. O 2º número do par ordenado deve ser localizado no eixo das ordenadas. No encontro das perpendiculares aos eixos x e y, por esses pontos, determinamos o ponto procurado. Localize os seguintes pontos no plano cartesiano abaixo: A) (4,3) B) (-1, +2) A ideia de função é de fundamental importância e de caráter unificador, praticamente, toda matemática constrói-se em torno do conceito de função. Os fenômenos da natureza não ocorrem de forma isolada, e sim em função da ocorrência de outros fenômenos. Encontramos a presença das funções nos mais variados assuntos, observe alguns exemplos: O preço a ser pago numa conta de luz depende da quantidade de energia consumida. Para cada quantidade de energia temos um único preço. O preço é função do consumo. Na tabela de preços de uma loja, a cada produto corresponde um único preço. O preço é função do produto. O número de bactérias de certa cultura se reproduz em função do tempo decorrido.

3 Podemos afirmar que o conceito básico de função é o seguinte: toda vez que temos dois conjuntos e algum tipo de associação entre eles, que faça corresponder a todo elemento do primeiro conjunto um único elemento do segundo, ocorre uma função. Observe, por exemplo, o diagrama das relações abaixo: A relação acima é uma função, pois todo elemento do conjunto A, está associado a somente um elemento do conjunto B. Definição: A relação acima não é uma função, pois existe o elemento 1 no conjunto A, que não está associado a nenhum elemento do conjunto B. Dados dois conjuntos, A e B, não vazios, denomina-se função de A em B, a uma relação f de A em B, em que cada elemento x A tem em correspondência um único elemento y B, com (x; y) pertencente à relação f. Funções são geralmente indicadas por letras minúsculas como f, g, h etc. Notação: Quando temos uma função de A em B, podemos representa-la da seguinte forma: A relação acima também não é uma função, pois existe o elemento 4 no conjunto A, que está associado a mais de um elemento do conjunto B. Agora preste atenção no próximo exemplo: f : A B (lê-se: função f de A em B) xy (lê-se: a cada valor de x A associase um só valor y B). As letras x e y são muito utilizadas para representar as variáveis de uma função, mas é claro que podemos utilizar outras letras. Seja f uma função de A em B. Se x é um elemento de A, então o único y de B associado a x denomina-se imagem de x pela função f e indica-se pela notação f(x), (lê-se f de x ). O símbolo f(x), tem o mesmo significado do y e pode simplificar a linguagem.

4 y = f(x) Resolução: O conjunto A denomina-se domínio de f, e indica-se pela notação D(f). O conjunto B denomina-se contradomínio de f, e indica-se pela notação CD(f). O conjunto formado por todos os elementos de B que são imagem de algum elemento de A chama-se conjunto imagem de f, e indica-se pela notação Im(f). Observação: O conjunto imagem de f é um subconjunto do contradomínio de f, isto é, Im(f) CD(f). Considere a função f{0; 1; 2; 3} {1;2;3;4;5;6;7;8}, definida pela sentença matemática f(x) = 2x+1. Determine: a) O domínio de f; b) O contradomínio de f; c) O conjunto imagem de f. Exemplo: Considere a função ilustrada pelo diagrama de flechas a seguir: Função real: Uma função é chamada de função real, quando o domínio e o contradomínio são subconjuntos, não vazios, do conjunto dos números reais. Determine: a) O domínio de f; b) O contradomínio de f; c) O conjunto imagem de f. PROPRIEDADES DE UMA FUNÇÃO: Função sobrejetora: Uma função f : A B é sobrejetora ou uma sobrejeção se, e somente se, o seu conjunto imagem for igual ao seu contradomínio, isto é, Im = B.

5 f é sobrejetora (não sobra elemento em B) Função bijetora: Dizemos que uma função f : A B é bijetora quando ela é injetora e sobrejetora ao mesmo tempo. Função injetora: Dizemos que uma função f : A B é injetora ou uma injeção se, e somente se, elementos distintos do domínio tiverem imagens distintas. f é bijetora(todos os elementos de B são flechados uma só vez)

6 Observação: Uma função f: A B pode não ser sobrejetora nem injetora. Exemplo: Dada a função f: R R, definida por f(x) = x² + 2x +1, determine: RAÍZES DE UMA FUNÇÃO: Dada uma função y=f(x), os valores, os valores de x para os quais f(x)=0 são chamados raízes de uma função. No gráfico cartesiano da função, as raízes são abscissas dos pontos onde o gráfico corta o eixo horizontal. FUNÇÃO CONSTANTE: Uma aplicação f de R em R recebe o nome de função constante quando a cada elemento xr associa sempre o mesmo elemento cr. Isto é: No gráfico acima temos: f(x 1 )=0, f(x 2 )=0 e f(x 3 )=0. Portanto x 1, x 2 e x 3 são raízes da função. f : R R x c O gráfico da função constante é uma reta paralela ao eixo dos x passando pelo ponto (0, c). A imagem é o conjunto Im =c. VALOR NUMÉRICO DE UMA FUNÇÃO: Para encontrar a imagem de um determinado valor do domínio, basta substituir x por esse valor na lei da função. FUNÇÃO PAR E FUNÇÃO ÍMPAR: Função Par: Seja f uma de A B para a qual se xa, então - xa. Dizemos que f é uma função par se: f(-x) =f(x), para todo xa.

7 Isto significa que valores simétricos do domínio possuem a mesma imagem. I) a função f: R R, definida por f(x) = x², é par, pois para valores simétricos de x temos f(x) = x² = (-x)² = f(-x) Observe o gráfico cartesiano desta função: Função Ímpar: Seja f uma de A B para a qual se xa, então - xa. Dizemos que f é uma função ímpar se, e somente se, f(-x) = - f(x), para todo xa. Isto significa que valores simétricos do domínio possuem também imagens simétricas. Perceba que, no gráfico, existe uma simetria em relação ao eixo vertical, isto é, para cada ponto do gráfico existe outro ponto posicionado nesse mesmo gráfico, de tal modo que ambos estão à mesma distância do eixo vertical e na mesma perpendicular a este eixo. I) a função f: R R, definida por f(x) = x³, é ímpar, pois para valores simétricos de x temos f(-x) = (-x)³ = -x³ = -f(x). Observe o gráfico cartesiano desta função: II) a função f(x) = x é uma função par, pois f(-x) = x = x =f(x) para todo xr. Observe que o gráfico cartesiano desta função é simétrico em relação ao eixo Oy: Note que, no gráfico existe uma simetria em relação à origem O, ou seja, para cada ponto do gráfico existe outro ponto no mesmo gráfico posicionado de tal modo que

8 ambos estão à mesma distância de O e alinhados com ele. II) A função f(x) = x é uma função ímpar, pois f(-x) =(-x) = - x = -f(x), para todo xr. Observe que o gráfico cartesiano desta função é simétrico em relação à origem do sistema cartesiano. COMPORTAMENTO DE FUNÇÕES: Sejam f : A B uma função numérica e I um conjunto tal que I A. Dizemos que a função f é: 1. Crescente em I se, e somente se, para dois valores quaisquer x 1 e x 2 pertencentes a I, onde x 1 x 2, tivermos f(x 1 ) f(x 2 ). Em símbolos, temos: x 1, x 2 I, x 1 x 2 f(x 1 ) f(x 2 ) Observações: 2. Decrescente em I se, e somente se, para dois valores quaisquer x 1 e x2 pertencentes a I, onde x 1 x 2, tivermos f(x 1 ) f(x 2 ). Em símbolos, temos: x 1, x 2 I, x 1 x 2 f(x 1 ) f(x 2 ) 3. Constante em I se, e somente se, para dois valores quaisquer x 1 e x 2 pertencentes a I, onde x 1 x 2, tivermos f(x 1 ) = f(x 2 ). Em símbolos, temos:

9 x 1, x 2 I, x 1 x 2 f(x 1 ) = f(x 2 ) Observe que a composta de g e f só está definida se CD(f) = D(g). Observações: I) Consideremos os conjuntos A = {-2, -1, 0, 1, 2} e B={-2, 1, 4, 7, 10} e C = {3, 0, 15, 48, 99}, e as funções f : A B definida por f(x) = 3x - 4 e g: B C definida por g(y) = y²-1. FUNÇÃO COMPOSTA: Dados três conjuntos A, B e C e as funções f:a B e g:b C, chama-se função composta de g e f à função h, se A em C, definida por h(x) = g[f(x)], para todo x A. A função h pode ser indicada por g o f (lemos: g composta com f ), portanto, podemos escrever (g o f) (x) = g[f(x)], para todo x A. Podemos visualizar essa função composta pelo esquema abaixo: Como nos mostra o diagrama acima, para todo x A temos um único y B tal que y = 3x 4, e para todo y B existe um único z C tal que z = y²-1, então concluímos que existe uma função h de A em C, definida por h(x) = z. Logo: h(x) =(3x - 4)² - 1 = (3x)²- 2.3x.4 + 4² -1 h(x) = 9x² - 24 x = 9x²- 24x A função h(x) é chamada função composta de g em f. Podemos indicá-la por g[f(x)] ou g o f.

10 II) Sejam as funções reais f e g definidas respectivamente por f(x) = x+1 e g(x) = 2x² - 3. Determine: a) f[g(x)] e g[f(x)] Consideremos os conjuntos A = {0, 2, 4, 6, 8} e B = {1, 3, 5, 7, 9} e a função f:a B definida por y = x + 1. A função f está representada no diagrama abaixo: Temos que: f[g(x)] = f(2x²-3) = 2x² = 2x²- 2 g[f(x)] = g(x+1) = 2(x+1)² - 3 = 2(x²+2x+1)-3 g[f(x)] = 2x² + 4x - 1 b) os valores de x para que se tenha f[g(x)] = g[f(x)]. f[g(x)] = g[f(x)] 2x² - 2 = 2x² + 4x 1-2 = 4x = 4x - 1 = 4x Observe que f é uma função bijetora, pois a cada elemento x de A, está associado um único elemento y de B, de modo que y = x + 1. Como f é bijetora, a cada elemento y de B está associado um único elemento x de A, de modo que x = y 1; portanto temos outra função g:b A, de modo que x = y 1 ou g(y)=y 1. Essa função está representada no diagrama abaixo: 1 x = 4 Observações: Pelo que acabamos de observar, a função f leva x até y enquanto a função g leva y até x. A função g:b A recebe o nome de função inversa de f e é indicada por f -1. Função Inversível: Dizemos que uma função f de A em B é inversível se, e somente se, a relação inversa de f, indica-se por f -1, é uma função de B em A. FUNÇÃO INVERSA: Se a função f de A em B é inversível, então a função f -1 de B em A é denominada de função inversa de f.

11 Propriedades: Observe o seguinte diagrama: Exemplo: Concluímos que: O domínio da função f -1 é a imagem da função f, isto é, D(f -1 ) = Im(f). A imagem da função f -1 é o domínio da função f, isto é, Im(f -1 ) = D(f). Propriedade geométrica da função inversa: Seja f uma função real de variável real e bijetora. Se (a, b) f, então (b, a) f -1. Representando esses pontos num sistema cartesiano, temos: A função inversa da função f -1 é a própria função f, isto é, (f -1 ) -1 = f. Determinação da função inversa: Quando queremos, a partir da sentença y = f(x), obter a sentença de f -1 (x), podemos seguir os passos abaixo: 1.º) Isolamos x na sentença y = f(x) 2.º) Pelo fato de ser usual a letra x como símbolo da variável independente, trocamos x por y e y por x. Se repetirmos o mesmo raciocínio para todos os pares ordenados de f, concluímos que: os gráficos da função f e de sua inversa f -1 são simétricos em relação à bissetriz dos quadrantes ímpares.

12 Observações:

Função Inversa. 1.Função sobrejetora 2.Função injetora 3.Função bijetora 4.Função inversa

Função Inversa. 1.Função sobrejetora 2.Função injetora 3.Função bijetora 4.Função inversa UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Função Inversa Prof.: Rogério

Leia mais

FUNÇÕES. Prof.ª Adriana Massucci

FUNÇÕES. Prof.ª Adriana Massucci FUNÇÕES Prof.ª Adriana Massucci Introdução: Muitas grandezas com as quais lidamos no nosso cotidiano dependem uma da outra, isto é, a variação de uma delas tem como consequência a variação da outra. Exemplo:

Leia mais

Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 03 Licenciatura em Matemática Osasco -2010

Notas de Aula Disciplina Matemática Tópico 03 Licenciatura em Matemática Osasco -2010 1. Funções : Definição Considere dois sub-conjuntos A e B do conjunto dos números reais. Uma função f: A B é uma regra que define uma relação entre os elementos de A e B, de tal forma que a cada elemento

Leia mais

Centro de Ciências e Tecnlogia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Cálculo Aula 1 Professor: Carlos Sérgio. Revisão de Funções

Centro de Ciências e Tecnlogia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Cálculo Aula 1 Professor: Carlos Sérgio. Revisão de Funções Centro de Ciências e Tecnlogia Agroalimentar - Campus Pombal Disciplina: Cálculo - 01. Aula 1 Professor: Carlos Sérgio Revisão de Funções Sistema cartesiano ortogonal O Sistema de Coordenadas Cartesianas,

Leia mais

CÁLCULO I. Aula n o 02: Funções. Determinar o domínio, imagem e o gráco de uma função; Reconhecer funções pares, ímpares, crescentes e decrescentes;

CÁLCULO I. Aula n o 02: Funções. Determinar o domínio, imagem e o gráco de uma função; Reconhecer funções pares, ímpares, crescentes e decrescentes; CÁLCULO I Prof. Edilson Neri Júnior Prof. André Almeida Aula n o 02: Funções Objetivos da Aula Denir e reconhecer funções; Determinar o domínio, imagem e o gráco de uma função; Reconhecer funções pares,

Leia mais

CÁLCULO I Aula 01: Funções.

CÁLCULO I Aula 01: Funções. Inversa CÁLCULO I Aula 01: Funções. Prof. Edilson Neri Júnior Prof. André Almeida Universidade Federal do Pará Inversa 1 Funções e seus 2 Inversa 3 Funções Funções e seus Inversa Consideremos A e B dois

Leia mais

UNIDADE III INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE FUNÇÃO PARTE 2 de 2

UNIDADE III INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE FUNÇÃO PARTE 2 de 2 UNIDADE III INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE FUNÇÃO PARTE de 3.0. IMAGEM DE UM ELEMENTO ATRAVÉS DO DIAGRAMA DE FLECHAS 3.. IMAGEM DE UM ELEMENTO ATRAVÉS DE Y = F(X) 3.. IMAGEM DE UM ELEMENTO ATRAVÉS DO GRÁFICO

Leia mais

Em Matemática existem situações em que há necessidade de distinguir dois pares pela ordem dos elementos. Por exemplo, no sistema de equações

Em Matemática existem situações em que há necessidade de distinguir dois pares pela ordem dos elementos. Por exemplo, no sistema de equações UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Relações Prof.: Rogério Dias

Leia mais

FUNÇÕES Disciplina: Lógica Aplicada Prof. Rafael Dias Ribeiro. Autoria: Prof. Denise Candal

FUNÇÕES Disciplina: Lógica Aplicada Prof. Rafael Dias Ribeiro. Autoria: Prof. Denise Candal FUNÇÕES Disciplina: Lógica Aplicada Prof. Rafael Dias Ribeiro Autoria: Prof. Denise Candal Plano Cartesiano Fixando em um plano dois eixos reais Ox e Oy, perpendiculares entre si no ponto O, podemos determinar

Leia mais

ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI

ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI UNITAU APOSTILA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS FUNÇÕES NOME: N O : blog.portalpositivo.com.br/capitcar 1 FUNÇÃO IDÉIA INTUITIVA DE FUNÇÃO O conceito de função é um

Leia mais

Matemática I Capítulo 06 Propriedades das Funções

Matemática I Capítulo 06 Propriedades das Funções Nome: Nº Curso: Mineração Integrado Disciplina: Matemática I 1 Ano Prof. Leonardo Data: / /016 Matemática I Capítulo 06 Propriedades das Funções 6.1 Paridade das Funções 6.1.1 - Função par Dada uma função

Leia mais

eixo das ordenadas y eixo das abscissas Origem 1º quadrante 2º quadrante O (0, 0) x 4º quadrante 3º quadrante

eixo das ordenadas y eixo das abscissas Origem 1º quadrante 2º quadrante O (0, 0) x 4º quadrante 3º quadrante PLANO CARTESIANO eixo das ordenadas y 2º quadrante 1º quadrante eixo das abscissas O (0, 0) x Origem 3º quadrante 4º quadrante y ordenado do ponto P 4 P P(3, 4) O 3 x abscissa do ponto P No caso, 3 e 4

Leia mais

FUNÇÕES. Carlos Eurico Galvão Rosa UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR CAMPUS AVANÇADO DE JANDAIA DO SUL LICENCIATURAS UFPR JCE001 GALVÃO ROSA,C.E.

FUNÇÕES. Carlos Eurico Galvão Rosa UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR CAMPUS AVANÇADO DE JANDAIA DO SUL LICENCIATURAS UFPR JCE001 GALVÃO ROSA,C.E. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR CAMPUS AVANÇADO DE JANDAIA DO SUL LICENCIATURAS Injetiva FUNÇÕES Sobrejetiva Bijetiva Carlos Eurico Galvão Rosa UFPR 1 / 33 de Injetiva Sobrejetiva Bijetiva : Dados

Leia mais

Unidade 2 Conceito de Funções

Unidade 2 Conceito de Funções Unidade 2 Conceito de Funções Conceito Sistema Cartesiano Ortogonal Estudo do domínio, contradomínio e imagem de função Representações de funções por meio de tabelas, gráficos e fórmulas Conceito de Função

Leia mais

REVISÃO - DESIGUALDADE, MÓDULO E FUNÇÕES

REVISÃO - DESIGUALDADE, MÓDULO E FUNÇÕES REVISÃO - DESIGUALDADE, MÓDULO E FUNÇÕES Marina Vargas R. P. Gonçalves a a Departamento de Matemática, Universidade Federal do Paraná, marina.vargas@gmail.com, http:// www.estruturas.ufpr.br 1 REVISÃO

Leia mais

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1.

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1. CONCEITO DE FUNÇÃO... 2 IMAGEM DE UMA FUNÇÃO... 8 IMAGEM A PARTIR DE UM GRÁFICO... 12 DOMÍNIO DE UMA FUNÇÃO... 15 DETERMIAÇÃO DO DOMÍNIO... 15 DOMÍNIO A PARTIR DE UM GRÁFICO... 17 GRÁFICO DE UMA FUNÇÃO...

Leia mais

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1. MATEMÁTICA I 1 RELAÇÕES e FUNÇÕES

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1. MATEMÁTICA I 1 RELAÇÕES e FUNÇÕES PAR ORDENADO... 2 PRODUTO CARTESIANO... 3 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA... 4 RELAÇÃO... 8 DOMÍNIO E IMAGEM... 12 CONTRA-DOMÍNIO... 13 RELAÇÃO INVERSA... 17 PROPRIEDADES DA RELAÇÃO INVERSA... 18 FUNÇÕES... 22 IMAGEM

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 CAPES. FUNÇÕES Parte A

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 CAPES. FUNÇÕES Parte A Universidade Federal do Rio Grande FURG Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 5 CAPES FUNÇÕES Parte A Prof. Antônio Maurício Medeiros Alves Profª Denise Maria Varella Martinez UNIDADE

Leia mais

Matemática Básica Relações / Funções

Matemática Básica Relações / Funções Matemática Básica Relações / Funções 04 1. Relações (a) Produto cartesiano Dados dois conjuntos A e B, não vazios, denomina-se produto cartesiano de A por B ao conjunto A B cujos elementos são todos os

Leia mais

MATEMÁTICA Prof.: Alexsandro de Sousa

MATEMÁTICA Prof.: Alexsandro de Sousa E. E. DONA ANTÔNIA VALADARES MATEMÁTICA Prof.: Alexsandro de Sousa Introdução ao conceito de funções FERNANDO FAVORETTO/CID A ideia de função no cotidiano Relação entre duas grandezas Quantidade de pães

Leia mais

Função. Definição formal: Considere dois conjuntos: o conjunto X com elementos x e o conjunto Y com elementos y. Isto é:

Função. Definição formal: Considere dois conjuntos: o conjunto X com elementos x e o conjunto Y com elementos y. Isto é: Função Toda vez que temos dois conjuntos e algum tipo de associação entre eles, que faça corresponder a todo elemento do primeiro conjunto um único elemento do segundo, ocorre uma função. Definição formal:

Leia mais

Chamamos de funções numéricas aquelas cujas variáveis envolvidas são números reais. Isso é funções denidas sobre R ou uma parte de R e a valor em R.

Chamamos de funções numéricas aquelas cujas variáveis envolvidas são números reais. Isso é funções denidas sobre R ou uma parte de R e a valor em R. Capítulo 2 Funções e grácos 2.1 Funções númericas Chamamos de funções numéricas aquelas cujas variáveis envolvidas são números reais. Isso é funções denidas sobre R ou uma parte de R e a valor em R. Denição

Leia mais

O ESTUDO DAS FUNÇÕES INTRODUÇÃO

O ESTUDO DAS FUNÇÕES INTRODUÇÃO O ESTUDO DAS FUNÇÕES INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO As funções explicitam relações matemáticas especiais entre duas grandezas. As grandezas envolvidas nessas relações são conhecidas como variável dependente

Leia mais

FUNÇÃO. Exemplo: Dado os conjuntos A = { -2, -1, 0, 1, 2} e B = {0, 1, 2, 3, 4, 5} São funções de A em B as relações a) R 1 = {(x,y) AXB/ y = x + 2}

FUNÇÃO. Exemplo: Dado os conjuntos A = { -2, -1, 0, 1, 2} e B = {0, 1, 2, 3, 4, 5} São funções de A em B as relações a) R 1 = {(x,y) AXB/ y = x + 2} Sistemas de Informação e Tecnologia em Proc. de Dados Matemática Ms. Carlos Roberto da Silva/ Ms. Lourival Pereira Martins FUNÇÃO Definição: Dados dois conjuntos e define-se como função de em a toda relação

Leia mais

ALUNO(A): Prof.: André Luiz Acesse: 02/05/2012

ALUNO(A): Prof.: André Luiz Acesse:  02/05/2012 1. FUNÇÃO 1.1. DEFINIÇÃO Uma função é um conjunto de pares ordenados de números (x,y) no qual duas duplas ordenadas distintas não podem ter o mesmo primeiro número, ou seja, garante que y seja único para

Leia mais

1º) Esboce o gráfico das funções, calcule e marque os interceptos: a) f(x) = x b) f(x) = - 3x + 2

1º) Esboce o gráfico das funções, calcule e marque os interceptos: a) f(x) = x b) f(x) = - 3x + 2 1º) Esboce o gráfico das funções, calcule e marque os interceptos: a) f() = b) f() = - 3 + 2 (0,0) (0,2) no eio (,0) no eio c) f() = + 3 d) f() = 2-3 (0,3) no (0,-3) no (-3,0) no (1,5;0) no 2º) Determine

Leia mais

Só Matemática O seu portal matemático http://www.somatematica.com.br FUNÇÕES

Só Matemática O seu portal matemático http://www.somatematica.com.br FUNÇÕES FUNÇÕES O conceito de função é um dos mais importantes em toda a matemática. O conceito básico de função é o seguinte: toda vez que temos dois conjuntos e algum tipo de associação entre eles, que faça

Leia mais

ÁLGEBRA. Aula 4 _ Classificação das Funções Professor Luciano Nóbrega. Maria Auxiliadora

ÁLGEBRA. Aula 4 _ Classificação das Funções Professor Luciano Nóbrega. Maria Auxiliadora 1 ÁLGEBRA Aula 4 _ Classificação das Funções Professor Luciano Nóbrega Maria Auxiliadora 2 FUNÇÃO INJETORA É quando quaisquer dois elementos diferentes do conjunto A têm imagens diferentes no conjunto

Leia mais

4. AS FUNÇÕES EXPONENCIAL E LOGARÍTMICA

4. AS FUNÇÕES EXPONENCIAL E LOGARÍTMICA 43 4. AS FUNÇÕES EXPONENCIAL E LOGARÍTMICA 4.1. A FUNÇÃO EXPONENCIAL Vimos no capítulo anterior que dado a R +, a potência a pode ser definida para qualquer número R. Portanto, fiando a R +, podemos definir

Leia mais

AXB = {(x, y) x A e y B}

AXB = {(x, y) x A e y B} CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE PAULISTA LÓGICA E MATEMÁTICA DISCRETA 2010 1 Produto Cartesiano Par ordenado: são dois elementos em uma ordem fixa, (x,y) Produto Cartesiano: Dados dois conjuntos A e B, não

Leia mais

3º Bimestre. Álgebra. Autor: Leonardo Werneck

3º Bimestre. Álgebra. Autor: Leonardo Werneck 3º Bimestre Autor: Leonardo Werneck SUMÁRIO CAPÍTULO 01 RELAÇÕES E FUNÇÕES... 6 1. O Plano Cartesiano... 6 2. Produto Cartesiano... 7 2.1. Gráfico de um Produto Cartesiano... 8 2.2. O produto ℝ ℝ ou ℝ𝟐...

Leia mais

A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há

A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há 1 Produto Cartesiano Par Ordenado A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há casos entretanto em que a ordem é importante. Daí a necessidade de se introduzir

Leia mais

Revisão de Função. Inversa e Composta. Professor Gaspar. f : 1,,3, f(x) x 2x 2 e. g(x) x 2x 4. Para qual valor de x tem f(g(x)) g(f(x))? g(x) 2x.

Revisão de Função. Inversa e Composta. Professor Gaspar. f : 1,,3, f(x) x 2x 2 e. g(x) x 2x 4. Para qual valor de x tem f(g(x)) g(f(x))? g(x) 2x. Revisão de Função. (Espcex (Aman) 05) Considere a função bijetora f :,,, definida por f(x) x x e seja (a,b) o ponto de intersecção de f com sua inversa. O valor numérico da expressão a b é a). b) 4. c)

Leia mais

Aula 04 Funções. Professor Marcel Merlin dos Santos Página 1

Aula 04 Funções. Professor Marcel Merlin dos Santos Página 1 PARIDADE Define-se como paridade o estudo das características do que é igual ou semelhante, ou seja, é uma comparação para provar que uma coisa pode ser igual ou semelhante à outra. Função Par Define-se

Leia mais

EXERCÍCIOS 2006 APOSTILA MATEMÁTICA

EXERCÍCIOS 2006 APOSTILA MATEMÁTICA EXERCÍCIOS 2006 APOSTILA MATEMÁTICA Professor: LUIZ ANTÔNIO 1 >>>>>>>>>> PROGRESSÃO ARITMÉTICA P. A.

Leia mais

FUNÇÕES. Jairo Weber

FUNÇÕES. Jairo Weber FUNÇÕES Jairo Weber De Relações e funções Seja o conjunto A={0, 1,2, 3, 4} e o conjunto B={0, 2, 4, 6, 8, 11}, temos: R = {(x,y) AxB / y = 2x} R={(0,0); (1,2); (2,4); (3,6); (4,8)} N(R)=5 Diagrama 0 1

Leia mais

Matemática tica Discreta Módulo Extra (2)

Matemática tica Discreta Módulo Extra (2) Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Matemática tica Discreta Módulo Extra (2) Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br - www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Conjuntos Numéricos. I) Números Naturais N = { 0, 1, 2, 3,... }

Conjuntos Numéricos. I) Números Naturais N = { 0, 1, 2, 3,... } Conjuntos Numéricos I) Números Naturais N = { 0, 1, 2, 3,... } II) Números Inteiros Z = {..., -2, -1, 0, 1, 2,... } Todo número natural é inteiro, isto é, N é um subconjunto de Z III) Números Racionais

Leia mais

Instituto Federal Fluminense Campus Campos Centro Programa Tecnologia Comunicação Educação (PTCE)

Instituto Federal Fluminense Campus Campos Centro Programa Tecnologia Comunicação Educação (PTCE) Instituto Federal Fluminense Campus Campos Centro Programa Tecnologia Comunicação Educação (PTCE) Apostila Organizada por: Kamila Gomes Ludmilla Rangel Cardoso Silva Carmem Lúcia Vieira Rodrigues Azevedo

Leia mais

MATEMÁTICA - SEMI/NOITE PROF. FELIPE HEY 20/04/ Assinale V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. a) ( ) -8 = 8 b) ( ) 5 = ±5

MATEMÁTICA - SEMI/NOITE PROF. FELIPE HEY 20/04/ Assinale V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. a) ( ) -8 = 8 b) ( ) 5 = ±5 MATEMÁTICA - SEMI/NOITE PROF. FELIPE HEY 20/04/2016 Aula 04 FUNÇÃO MODULAR 01.01. Assinale V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. a) ( ) -8 = 8 b) ( ) 5 = ±5 c) ( ) x² d) ( ) 3 ² 3 e) (

Leia mais

FUNÇÕES. a < 0. a = 0. a > 0. b < 0 b = 0 b > 0

FUNÇÕES. a < 0. a = 0. a > 0. b < 0 b = 0 b > 0 FUNÇÕES As principais definições, teorias e propriedades sobre funções podem ser encontradas em seu livro-teto (Guidorizzi, vol1, Stewart vol1...); Assim, não vamos aqui nos alongar na teoria que pode

Leia mais

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Função do 1 Grau. Rafael Carvalho - Engenharia Civil

CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA Função do 1 Grau. Rafael Carvalho - Engenharia Civil CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA 06. Função do Grau Rafael Carvalho - Engenharia Civil Equações do primeiro grau Equação é toda sentença matemática aberta que exprime uma relação de igualdade.

Leia mais

2. (Ufpe 96) Seja A um conjunto com 3 elementos e B um conjunto com 5 elementos. Quantas funções injetoras de A em B existem?

2. (Ufpe 96) Seja A um conjunto com 3 elementos e B um conjunto com 5 elementos. Quantas funções injetoras de A em B existem? 1. (Unirio 99) Sejam as funções f : IR ë IR x ë y= I x I e g : IR ë IR x ë y = x - 2x - 8 Faça um esboço gráfico da função fog. 2. (Ufpe 96) Seja A um conjunto com 3 elementos e B um conjunto com 5 elementos.

Leia mais

Funções EXERCÍCIOS ( ) ( )

Funções EXERCÍCIOS ( ) ( ) Funções Quando relacionamos grandezas variáveis, onde variando uma interfere no valor de outra, estamos trabalhando com conceito de função. Por eemplo, um taista abastece seu carro no posto de combustível

Leia mais

Roteiro da aula. MA091 Matemática básica. Exemplo 1. Exemplo 1. Aula 30 Função inversa. Francisco A. M. Gomes. Maio de 2016.

Roteiro da aula. MA091 Matemática básica. Exemplo 1. Exemplo 1. Aula 30 Função inversa. Francisco A. M. Gomes. Maio de 2016. Roteiro da aula MA091 Matemática básica Aula 30. 1 Francisco A. M. Gomes UNICAMP - IMECC 2 Maio de 2016 Francisco A. M. Gomes (UNICAMP - IMECC) MA091 Matemática básica Maio de 2016 1 / 26 Francisco A.

Leia mais

Lista de Exercícios 1. Num papel quadriculado, em um mesmo plano cartesiano, localize os pontos:

Lista de Exercícios 1. Num papel quadriculado, em um mesmo plano cartesiano, localize os pontos: Lista de Exercícios 1. Num papel quadriculado, em um mesmo plano cartesiano, localize os pontos: A = ( 0, 4 ); B = ( -4, 5 ); C = ( 3, - 4 ); D = ( 2, 2 ); E = ( 0, 0 ) 2. No plano cartesiano abaixo, dê

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral I

Cálculo Diferencial e Integral I Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo Universidade do Vale do Paraíba Cálculo Diferencial e Integral I Prof. Rodrigo Sávio Pessoa São José dos Campos 0 Sumário Tópico Tópico Tópico Tópico Tópico

Leia mais

12. FUNÇÕES INJETORAS. FUNÇÕES SOBREJETORAS 12.1 FUNÇÕES INJETORAS. Definição

12. FUNÇÕES INJETORAS. FUNÇÕES SOBREJETORAS 12.1 FUNÇÕES INJETORAS. Definição 90 1. FUNÇÕES INJETORAS. FUNÇÕES SOBREJETORAS 1.1 FUNÇÕES INJETORAS Definição Dizemos que uma função f: A B é injetora quando para quaisquer elementos x 1 e x de A, f(x 1 ) = f(x ) implica x 1 = x. Em

Leia mais

Observamos então que as aplicações de plano cartesiano, produto cartesiano, relações e funções estão presentes no nosso cotidiano.

Observamos então que as aplicações de plano cartesiano, produto cartesiano, relações e funções estão presentes no nosso cotidiano. Relações e Funções Ao lermos um jornal ou uma revista, diariamente nos deparamos com gráficos, tabelas e ilustrações. Estes, são instrumentos muito utilizados nos meios de comunicação. Um texto com ilustrações,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - MATEMÁTICA PROJETO FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - MATEMÁTICA PROJETO FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL - MATEMÁTICA PROJETO FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR Assuntos: Produtos Notáveis; Equações; Inequações; Função; Função Afim; Paridade;

Leia mais

Lista de Exercícios 01

Lista de Exercícios 01 OBS: O exercícios marcados com "*" devem ser entregues na aula seguinte Conjunto: representa uma coleção de objetos. Elemento: é um dos componentes de um conjunto. Lista de Exercícios 01 Pertinência: é

Leia mais

CAPÍTULO 09 RELAÇÕES E FUNÇÕES

CAPÍTULO 09 RELAÇÕES E FUNÇÕES CAPÍTULO 09 RELAÇÕES E FUNÇÕES 105 9.1. INTRODUÇÃO 9.2. NOÇÃO DE FUNÇÃO Assunto Pág. 106 9.2.1. PRODUTO CARTESIANO 9.2.2. RELAÇÃO de A em B (R: A B) 9.3. FUNÇÃO de A em B (f: A B) 9.3.1. DOMÍNIO, CONTRADOMÍNIO

Leia mais

Especialização em Matemática - Estruturas Algébricas

Especialização em Matemática - Estruturas Algébricas 1 Universidade Estadual de Santa Cruz Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas Especialização em Matemática - Estruturas Algébricas Prof a.: Elisangela Farias e Sérgio Motta FUNÇÕES Sejam X e Y conjuntos.

Leia mais

As funções do 1º grau estão presentes em

As funções do 1º grau estão presentes em Postado em 01 / 04 / 13 FUNÇÃO DO 1º GRAU Aluno(: 1.1.2 TURMA: 1- FUNÇÃO DO PRIMEIRO GRAU As funções do 1º grau estão presentes em diversas situações do cotidiano. Vejamos um exemplo: Uma loja de eletrodomésticos

Leia mais

Função Definida Por Várias Sentenças

Função Definida Por Várias Sentenças Ministrante Profª. Drª. Patrícia Aparecida Manholi Material elaborado pela Profª. Drª. Patrícia Aparecida Manholi SUMÁRIO Função Definida Por Várias Sentenças Lembrando... Dados dois conjuntos não vazios

Leia mais

TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA

TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA TEORIA 5: EQUAÇÕES E SISTEMAS DO 1º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA Nome: Turma: Data / / Prof: Walnice Brandão Machado Equações de primeiro grau Introdução Equação é toda sentença matemática aberta que exprime

Leia mais

Plano cartesiano, Retas e. Alex Oliveira. Circunferência

Plano cartesiano, Retas e. Alex Oliveira. Circunferência Plano cartesiano, Retas e Alex Oliveira Circunferência Sistema cartesiano ortogonal O sistema cartesiano ortogonal é formado por dois eixos ortogonais(eixo x e eixo y). A intersecção dos eixos x e y é

Leia mais

1.1. Conhecer e aplicar propriedades dos números primos Representar e comparar números positivos e negativos.

1.1. Conhecer e aplicar propriedades dos números primos Representar e comparar números positivos e negativos. Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 3º Ciclo - 7º Ano Planificação Anual 2012-2013 Matemática METAS CURRICULARES

Leia mais

5. (UFJF-MG) Os pontos A(2, 6) e B(3, 7) são

5. (UFJF-MG) Os pontos A(2, 6) e B(3, 7) são p: João Alvaro w: www.matemaniacos.com.br e: joao.baptista@iff.edu.br ( ) 4t 1. Para que valores 5 + 1, 2t 4 pertence ao eixo das ordenadas? A linguagem das funções Sistema de coordenadas Conceito de função

Leia mais

Matemática I Capítulo 11 Função Modular

Matemática I Capítulo 11 Função Modular Nome: Nº Curso: Mecânica Integrado Disciplina: Matemática I 1 Ano Prof. Leonardo Data: / /016 Matemática I Capítulo 11 Função Modular 11.1 - Módulo O módulo, ou valor absoluto, de um número real x representado

Leia mais

Exercícios de Matemática Funções Função Bijetora

Exercícios de Matemática Funções Função Bijetora Exercícios de Matemática Funções Função Bijetora 1. (Ufpe) Sejam A e B conjuntos com m e n elementos respectivamente. Analise as seguintes afirmativas: ( ) Se f:aëb é uma função injetora então m n. ( )

Leia mais

Ponto 1) Representação do Ponto

Ponto 1) Representação do Ponto Ponto 1) Representação do Ponto Universidade Federal de Pelotas Cálculo com Geometria Analítica I Prof a : Msc. Merhy Heli Rodrigues Plano Cartesiano, sistemas de coordenadas: pontos e retas Na geometria

Leia mais

3. FUNÇÃO. NOÇÕES FUNDAMENTAIS

3. FUNÇÃO. NOÇÕES FUNDAMENTAIS 7 3. FUNÇÃO. NOÇÕES FUNDAMENTAIS 3.1. INTRODUÇÃO Observamos, no dia a dia, que muitos objetos ou grandezas estão relacionados. Por eemplo, trabalhando com números reais estamos sempre comparando uns com

Leia mais

Funções Reais a uma Variável Real

Funções Reais a uma Variável Real Funções Reais a uma Variável Real 1 Introdução As funções são utilizadas para descrever o mundo real em termos matemáticos, é o que se chama de modelagem matemática para as diversas situações. Podem, por

Leia mais

Exercícios de Matemática Funções Função Modular

Exercícios de Matemática Funções Função Modular Exercícios de Matemática Funções Função Modular TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufsc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva nos parênteses a soma dos itens corretos. 1. Considere a função f : IRë IR dada por

Leia mais

Representação no Plano Cartesiano INTRODUÇÃO A FUNÇÃO

Representação no Plano Cartesiano INTRODUÇÃO A FUNÇÃO INTRODUÇÃO A FUNÇÃO Def: Dado dois conjuntos que tenham uma relação, chama-se função quando todo elemento do primeiro tiver associado um único elemento do segundo conjunto. Ou seja, f é função de A em

Leia mais

Subtemas: Função Composta, Função Inversa, Qualidades

Subtemas: Função Composta, Função Inversa, Qualidades PLANO DE AULA 1)Escola de Educação Básica Bulcão Viana Município: Praia Grande/SC Disciplina: Matemática Série: 1º ano Nível: Ensino Médio Turma: Única Professora: Mariani Constante de Jesus Tempo previsto:

Leia mais

2. Generalidade Sobre Funções 2.1. O Plano Cartesiano

2. Generalidade Sobre Funções 2.1. O Plano Cartesiano 2. Generalidade Sobre Funções 2.1. O Plano Cartesiano Assim como podemos representar números reais por pontos numa recta de números reais, podemos também representar pares ordenados de números reais por

Leia mais

4 Funções. Introdução. 1) Estudar o conceito de função: definição, nomenclatura e gráficos.

4 Funções. Introdução. 1) Estudar o conceito de função: definição, nomenclatura e gráficos. 4 Funções 4 Funções ) Estudar o conceito de função: definição, nomenclatura e gráficos. ) Estudar as propriedades das funções (função injetora, sobrejetora, bijetora, par e ímpar). ) Estudar a composição

Leia mais

Notas de Aula de Cálculo Diferencial e Integral I

Notas de Aula de Cálculo Diferencial e Integral I Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Teconologia Agroalimentar Notas de Aula de Cálculo Diferencial e Integral I Prof. Ms. Hallyson Gustavo G. de M. Lima Pombal - PB Conteúdo 1 Noções

Leia mais

FUNÇÕES(1) FUNÇÃO POLINOMIAL DO 2º GRAU

FUNÇÕES(1) FUNÇÃO POLINOMIAL DO 2º GRAU FUNÇÕES(1) FUNÇÃO POLINOMIAL DO º GRAU 1. (Uece 015) Se a função real de variável real, definida por f(1) =, f() = 5 e f(3) =, então o valor de f() é a). b) 1. c) 1. d). f(x) = ax + bx + c, é tal que.

Leia mais

CÁLCULO I Prof. Edilson Neri Júnior Prof. André Almeida

CÁLCULO I Prof. Edilson Neri Júnior Prof. André Almeida Objetivos da Aula CÁLCULO I Prof. Edilson Neri Júnior Prof. André Almeida Aula n o 03: Funções Logarítmica, Exponencial e Hiperbólicas Definir as funções logarítmica, exponencial e hiperbólicas; Enunciar

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. DINIS COIMBRA 12º ANO DE ESCOLARIDADE MATEMÁTICA A

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. DINIS COIMBRA 12º ANO DE ESCOLARIDADE MATEMÁTICA A ESCOLA SECUNDÁRIA COM º CICLO D. DINIS COIMBRA º ANO DE ESCOLARIDADE MATEMÁTICA A Tarefa nº do plano de trabalho nº 7. Considere a função f() -. a. Encontre a epressão analítica da função inversa de f.

Leia mais

MATEMÁTICA. Aula 04. Função Uma Ideia Fundamental Professor Luciano Nóbrega

MATEMÁTICA. Aula 04. Função Uma Ideia Fundamental Professor Luciano Nóbrega MATEMÁTICA 1 A Matemática apresenta invenções tão sutis que poderão servir não só para satisfazer os curiosos como, também para auxiliar as artes e poupar trabalho aos homens. (Renê Descartes Filósofo,

Leia mais

Contando o Infinito: os Números Cardinais

Contando o Infinito: os Números Cardinais Contando o Infinito: os Números Cardinais Sérgio Tadao Martins 4 de junho de 2005 No one will expel us from the paradise that Cantor has created for us David Hilbert 1 Introdução Quantos elementos há no

Leia mais

6. FUNÇÃO QUADRÁTICA 6.1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

6. FUNÇÃO QUADRÁTICA 6.1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES 47 6. FUNÇÃO QUADRÁTICA 6.1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Na figura abaixo, seja a reta r e o ponto F de um determinado plano, tal que F não pertence a r. Consideremos as seguintes questões: Podemos obter,

Leia mais

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c Números Reais Víctor Arturo Martínez León (victor.leon@unila.edu.br) 1 Os números racionais Os números racionais são os números da forma a, sendo a e b inteiros e b 0; o conjunto b dos números racionais

Leia mais

Sumário. 1 CAPÍTULO 1 Revisão de álgebra

Sumário. 1 CAPÍTULO 1 Revisão de álgebra Sumário 1 CAPÍTULO 1 Revisão de álgebra 2 Conjuntos numéricos 2 Conjuntos 3 Igualdade de conjuntos 4 Subconjunto de um conjunto 4 Complemento de um conjunto 4 Conjunto vazio 4 Conjunto universo 5 Interseção

Leia mais

ABORDAGEM DAS FUNÇÕES EXPONENCIAL E LOGARÍTMICA NUMA PESPECTIVA CONCEITUAL E GRÁFICA NO ENSINO MÉDIO

ABORDAGEM DAS FUNÇÕES EXPONENCIAL E LOGARÍTMICA NUMA PESPECTIVA CONCEITUAL E GRÁFICA NO ENSINO MÉDIO APÊNDICE 106 107 APÊNDICE A (ATIVIDADES REFORMULADAS) - CADERNO DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS ABORDAGEM DAS FUNÇÕES EXPONENCIAL E LOGARÍTMICA NUMA PESPECTIVA CONCEITUAL E GRÁFICA NO ENSINO MÉDIO Mestrando:

Leia mais

Equações de 2º grau. Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: IR e

Equações de 2º grau. Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: IR e Equações de 2º grau Definições Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: ax 2 + bx + c = 0; a, b, c IR e Exemplo: x 2-5x + 6 = 0 é um equação do 2º grau com a = 1, b = -5 e

Leia mais

1. Arcos de mais de uma volta. Vamos generalizar o conceito de arco, admitindo que este possa dar mais de uma volta completa na circunferência.

1. Arcos de mais de uma volta. Vamos generalizar o conceito de arco, admitindo que este possa dar mais de uma volta completa na circunferência. UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Trigonometria II Prof.: Rogério

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE FUNÇÕES

BANCO DE QUESTÕES TURMA PM-PE FUNÇÕES 01. (ESPCEX-AMAN/016) Considere as funções reais f e g, tais que f(x) x 4 e f(g(x)) x 5, onde g(x) é não negativa para todo x real. Assinale a alternativa cujo conjunto contém todos os possíveis valores

Leia mais

Função Exponencial, Inversa e Logarítmica

Função Exponencial, Inversa e Logarítmica CURSO INTRODUTÓRIO DE MATEMÁTICA PARA ENGENHARIA 2015.2 Função Exponencial, Inversa e Logarítmica Bárbara Simionatto Engenharia Civil Jaime Vinícius - Engenharia de Produção Função Exponencial Dúvida:

Leia mais

Matemática A Intensivo V. 1

Matemática A Intensivo V. 1 Intensivo V Eercícios ) V F F F F V V V ) D a) Verdadeiro Zero é elemento do conjunto {,,, 3, } b) Falso Neste caso temos {a} como subconjunto de {a, b} logo a relação correta seria a} {a, b} c) Falso

Leia mais

a é sempre o coeficiente de x²; b é sempre o coeficiente de x, c é o coeficiente ou termo independente.

a é sempre o coeficiente de x²; b é sempre o coeficiente de x, c é o coeficiente ou termo independente. Definições Denomina-se equação do 2º grau na incógnita x, toda equação da forma: ax 2 + bx + c = 0; a, b, c Exemplo: x 2-5x + 6 = 0 é um equação do 2º grau com a = 1, b = -5 e c = 6. 6x 2 - x - 1 = 0 é

Leia mais

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A B (leia: f de A em B).

Uma função f de domínio A e contradomínio B é usualmente indicada por f : A B (leia: f de A em B). Instituto de Ciências Exatas - Departamento de Matemática Cálculo I Profª Maria Julieta Ventura Carvalho de Araujo Capítulo : Funções.- Definições Sejam A e B dois conjuntos não vazios. Uma função f de

Leia mais

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Gerência de Ensino e Pesquisa Departamento Acadêmico de Matemática CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Notas de aula para o

Leia mais

Unidade 3 Função Afim

Unidade 3 Função Afim Unidade 3 Função Afim Definição Gráfico da Função Afim Tipos Especiais de Função Afim Valor e zero da Função Afim Gráfico definidos por uma ou mais sentenças Definição C ( x) = 10. x + Custo fixo 200 Custo

Leia mais

FUNÇÃO. 4.1 Relação Binária. Definição 4.1

FUNÇÃO. 4.1 Relação Binária. Definição 4.1 FUNÇÃO Apesar da formalização de função ter se efetivado com as reformas curriculares do século IX, seu uso já era freqüente desde a antiguidade, pelos babilônios. O conceito de função está presente em

Leia mais

Curso de linguagem matemática Professor Renato Tião. Relações X Funções Considere a equação x + y = 5.

Curso de linguagem matemática Professor Renato Tião. Relações X Funções Considere a equação x + y = 5. Relações X Funções Considere a equação + =. Embora esta equação tenha duas variáveis, ela possui um número finito de soluções naturais. O conjunto solução desta equação, no universo dos números naturais,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CAJAZEIRAS COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CAJAZEIRAS COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CAJAZEIRAS COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA MATEMÁTICA I Nome: MATEMÁTICA I Curso: TÉCNICO EM INFORMÁTICA

Leia mais

Teoria dos Conjuntos

Teoria dos Conjuntos 1 Teoria dos Conjuntos Conjunto é um conceito primitivo, portanto sem definição. A ideia de conjunto está relacionada a um grupo ou agrupamento em que a ordem ou a repetição não são levadas em consideração.

Leia mais

Letras a b c d e f g h i j l m n o p q r s t u v x z

Letras a b c d e f g h i j l m n o p q r s t u v x z UMA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS FUNÇÕES MATEMÁTICAS. PROF. ILYDIO PEREIRA DE SÁ I) CRIPTOGRAFIA E FUNÇÕES MATEMÁTICAS Um dos problemas encarados como um passatempo até poucos anos atrás, e que se tornou de

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Rio Grande do Sul Campus Rio Grande CAPÍTULO 4 GEOMETRIA ANALÍTICA 4. Geometria Analítica 4.1. Introdução Geometria Analítica é a parte da Matemática,

Leia mais

Capítulo 1. x > y ou x < y ou x = y

Capítulo 1. x > y ou x < y ou x = y Capítulo Funções, Plano Cartesiano e Gráfico de Função Ao iniciar o estudo de qualquer tipo de matemática não podemos provar tudo. Cada vez que introduzimos um novo conceito precisamos defini-lo em termos

Leia mais

Aula 2: Funções. Margarete Oliveira Domingues PGMET/INPE. Aula 2 p.1/57

Aula 2: Funções. Margarete Oliveira Domingues PGMET/INPE. Aula 2 p.1/57 Aula 2 p.1/57 Aula 2: Funções. Margarete Oliveira Domingues PGMET/INPE Definição e representação Aula 2 p.2/57 Aula 2 p.3/57 Função Definição: Uma função de um conjunto em um conjunto, é uma correspondência

Leia mais

Resolvendo inequações: expressões com desigualdades (encontrar os valores que satisfazem a expressão)

Resolvendo inequações: expressões com desigualdades (encontrar os valores que satisfazem a expressão) R é ordenado: Se a, b, c R i) a < b se e somente se b a > 0 (a diferença do maior com o menor será positiva) ii) se a > 0 e b > 0 então a + b > 0 (a soma de dois números positivos é positiva) iii) se a

Leia mais

Perceber que os valores positivos de g(x) acontecem com o oposto dos valores de x em f(x), ou seja, g(x) = f (- x).

Perceber que os valores positivos de g(x) acontecem com o oposto dos valores de x em f(x), ou seja, g(x) = f (- x). MAT 6A AULA 16 16.01 A função pedida é uma translação horizontal da função f(x) = x. Essa translação será de duas unidades para a DIREITA, ou seja, é necessário SUBTRAIR duas unidades da variável. Assim

Leia mais

Matematica Essencial: Trigonometria. Matemática Essencial: Alegria Financeira Fundamental Médio Geometria Trigonometria Superior Cálculos

Matematica Essencial: Trigonometria. Matemática Essencial: Alegria Financeira Fundamental Médio Geometria Trigonometria Superior Cálculos Página 1 de 15 Matemática Essencial: Alegria Financeira Fundamental Médio Geometria Trigonometria Superior Cálculos Trigonometria: Funções trigonométricas circulares Funções circulares Funções reais Funções

Leia mais

Coordenadas e distância na reta e no plano

Coordenadas e distância na reta e no plano Capítulo 1 Coordenadas e distância na reta e no plano 1. Introdução A Geometria Analítica nos permite representar pontos da reta por números reais, pontos do plano por pares ordenados de números reais

Leia mais