1 Shirleyanne Brasileiro Araújo de Lima

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 Shirleyanne Brasileiro Araújo de Lima"

Transcrição

1 MENSURAÇÃO DOS CUSTOS DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO CDI - CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL DE TRAUMA DE CAMPINA GRANDE - PB Autores: 1 Shirleyanne Brasileiro Araújo de Lima 2 Ivanildo Lima Brasileiro Atualmente, os custos das entidades hospitalares têm crescido consideravelmente e a atenção que já era voltada para sua análise tornou-se ainda mais necessária. Muito se discute quanto às possibilidades de contenção dos custos, principalmente quando se atenta à existência limitada de recursos. No Brasil, os gastos com equipamentos representam em torno de 75% dos custos hospitalares, o que demonstra que o crescimento dos custos tem forte participação tecnológica. 1. FLUXOGRAMA Fluxo do Processo de Trabalho que são desenvolvidas no CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM CDI para a realização do exame de Tomografia Computadorizada. SETOR DE APOIO SETOR TECNICO TOMOGRAFIA Recepção de Paciente Triagem de Paciente e Aplicação de Contraste Radiologista Entrega de Laudos Realizar Exames Ultrassonografia Raio X Endoscopia Digitação de Laudo 1 Shirleyanne Brasileiro Araújo de Lima Formada em Ciências Contábeis na UNIPE, especializando em Economia da Saúde pela FSP/USP, atuando Núcleo de Economia da Saúde da SES/PB como coordenadora geral. 2 Ivanildo Lima Brasileiro Farmacêutico Bioquímico; farmacêutico Industrial e de alimentos (UFPB) Auditor da Qualidade e de Laboratório de Águas (CETESB / OPAS / ANVISA / MS) Assessor do Gabinete do secretário da Saúde /PB Especialista em Biossegurança de Lab. De Saúde Pública (FIOCRUZ/MS) Especialista em Bromatologia e Química (IAL-SP/MS).

2 Figura 1 Mapa do processo de trabalho do CDI (exame de tomografia). DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO Na figura 1 foi nomeado o setor administrativo como setor de apoio onde executa as atividades de Recepção de Pacientes e Entrega de Laudos. O setor operacional recebe o nome de setor técnico que possui as seguintes atividades Triagem de Pacientes e Aplicação de Contraste, Realizar Exame e Digitação de Laudo. No tocante à divisão do Centro de Diagnóstico por Imagem CDI a execução do exame de tomografia computadorizada, de acordo com os critérios da instituição hospitalar utilizada como fonte de pesquisa para a realização deste estudo, tendo como objetivo de mostrar através de cada atividade a descrição do setor onde são desenvolvidos os processos de trabalho relativos à execução do exame. Foram definidos os ambientes onde são desenvolvidos os processos de trabalho segundo a ótica do sistema de custeio ABC. Nas descrições das análises do estudo se encontram os POP (Procedimento Operacional Padrão) que integram as atividades rastreadas e os materiais utilizados na realização de cada uma delas. OBJETIVO O objetivo geral deste estudo é analisar como as variáveis que influenciam a prestação do serviço de tomografia no Centro de Diagnóstico por Imagem em uma unidade hospitalar pública do Estado da Paraíba impactam a formação de seu custo. METODOLOGIA Os procedimentos científicos realizados ou a metodologia adotada são métodos ou técnicas adequadas à resolução da questão problemas, os quais podem se dá através de observação, descrição, demonstração, análise e interpretação de fenômenos. Assim, esta pesquisa é de natureza exploratória, na tentativa de responder a questão-problema, será utilizado o método de estudo de caso, por se considerar que este é o mais adequado para realidade ou estudo, já que o estudo de caso é uma investigação empírica que investiga um fenômeno dentro do contexto da vida real, especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definido (YIN, 2005, p.32).

3 Quantidade Exame Ativ. Recep. de Pac. R$ 460,22 Ativ. Triag. Pac. e Aplic. Cont. R$ ,58 Ativ. Real. Exame R$ ,36 Depreciação R$ ,49 Ativ. Dig. do Laudo R$ 502,16 Ativ. Ent. do Laudo R$ 99,08 Total p/ tipo de Exame R$ ANÁLISE DOS DADOS Os dados de custos coletados foram identificados segundo sua relação com o serviço de tomografia, relação esta visualizada através de entrevistas e observações com os funcionários do setor. Dependendo da ligação com outros serviços, houve a necessidade de critérios de rateio. A análise dos dados foi realizada tornando-se como base a literatura de custos que enfatiza a utilização da informação de custos como ferramenta gerencial. Considerando que a pesquisa em questão apura o custo de um serviço, que é uma atividade dentro de um fluxograma amplo e um hospital, se optou por utilizar o custeio baseado em atividades. O custo de uma atividade é a soma de todos os recursos organizados consumidos pela atividade, incluído produto de outra atividade (MARTINS,D.,2002, p. 37). Assim, para determinar o custo de uma atividade, é necessário se conhecer as atividades que fornecem recursos para que haja funcionamento desta. CUSTO DO EXAME TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA No quadro abaixo, será direcionado o percentual de consumo de cada atividade para atender os diferentes tipos de exames de tomografia computadorizada de acordo com a quantidade de exames realizados no período pesquisado. Exame de Tomografia Computadorizada % T.C. do Abdome Total ,27 84, , , ,22 91,74 18, ,41 T.C. do Abdome Superior 02 0,25 1,15 413,53 153,02 43,91 1,26 0,25 613,12 T.C. Aparelho Urinário 04 0,50 2,30 827,05 306,04 87,83 2,51 0, ,24 T.C. de Bacia 09 1,13 5, ,14 691,65 198,49 5,67 1, ,27 T.C. Coluna Cervical 23 2,87 13, , ,68 504,13 14,41 2, ,55 T.C. Coluna Tóroco-lombar 01 0,13 5, ,14 691,65 198,49 5,67 1, ,27

4 T.C. Coluna Lombar 10 1,25 5,75 2,067,63 765,10 219,57 6,28 1,24 997,94 T. C. Cotovelo 03 0,37 1,70 612,02 226,47 64,99 1,86 0,37 907,41 T.C. Angio-Crânio 01 0,13 5, ,14 691,65 198,49 5,67 1, ,27 T.C. Torácica 06 0,75 3, ,58 459,06 131,74 3,77 0, ,34 T.C. Crânio ,46 301, , , ,37 328,71 64, ,96 T.C. Face 24 3,00 13, , ,25 526,96 15,06 2, ,37 T.C. Órbita 02 0,25 1,15 413,53 153,02 43,91 1,26 0,25 613,12 T.C. Ombro 01 0,13 5, ,14 691,65 198,49 5,67 1, ,27 T.C. Torax 43 5,38 24, , ,00 945,02 27,02 5, ,22 T.C. Joelho 01 0,13 5, ,14 691,65 198,49 5,67 1, ,27 TOTAL , , , ,49 502,16 99, ,89 Fonte: Dados da pesquisa. Calculo do Custo Unitário do Exame de Tomografia Computadorizada Custo total das atividades R$ ,89 dividido por (799), quantidade de exames realizados no período. Os custos unitários de cada exame de Tomografia Computadorizada é R$ 306,94. CONCLUSÃO Este estudo analisou as variáveis que influenciam a prestação do serviço de tomografia no hospital público do SUS, que impactou na formação do custo. Foram solicitados os dados dos setores que executam atividades que permitem o funcionamento do serviço de tomografia, de modo que identificados os custos gerados, sejam eles diretos ou indiretos. Também identificados como variáveis que influenciam a formação do custo os materiais médicos e medicamentos, material de consumo, depreciação do equipamento, capacidade ociosa equipamento, mão-de-obra, técnicos de radiologia, manutenção odo equipamento, médicos, enfermeiros, auxiliares administrativos. Essa categorização é importante por permitir ao gestor identificar os custos capazes de influenciar a tomada de decisão, como objetivo de contar com as disponibilidades de informações úteis de diversas alternativas de decisão para a gestão.

5 REFERÊNCIAS CHING.H. Y. Manual de Custos de Instituições de Saúde: Sistemas Tradicionais de Custos e Sistema de Custeio Baseado em Atividades (ABC). São Paulo: Atlas, Instrução Normativa SRF Nº 162, de 31 de dezembro de MARTINS, D. dos S. Custeio Hospitalar por Atividades: Activity Based Costing. São Paulo: Atlas, RIBEIRO FILHO, J. F. Controladoria Hospitalar. São Paulo. Atlas, YIN, R.K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos Trad. Daniel Grassi. 3 ed. Porto Alegre. Bookman, 2005.

Utilização do método de custeio ABC como ferramenta de mensuração dos custos de tomografia computadorizada do hospital universitário de Dourados

Utilização do método de custeio ABC como ferramenta de mensuração dos custos de tomografia computadorizada do hospital universitário de Dourados Utilização do método de custeio ABC como ferramenta de mensuração dos custos de tomografia computadorizada do hospital universitário de Dourados RESUMO Este estudo tem por objetivo utilizar o Método de

Leia mais

SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE Gestão de Custos em Centro Diagnóstico

SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE Gestão de Custos em Centro Diagnóstico SOLUÇÕES PARA GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE SAÚDE Gestão de Custos em Centro Diagnóstico Doutor pela UNIFESP / EPM Pós Graduado em Administração Hospitalar pela FGV Diretor da XHL Consultoria (Planis) Como

Leia mais

GESTÃO E CUSTOS BASEADO EM ATIVIDADES. UM ESTUDO DE CASO HOSPITALAR

GESTÃO E CUSTOS BASEADO EM ATIVIDADES. UM ESTUDO DE CASO HOSPITALAR ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& GESTÃO E CUSTOS BASEADO EM ATIVIDADES. UM ESTUDO

Leia mais

APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTEIO ABC EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISE CLÍNICA

APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTEIO ABC EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISE CLÍNICA ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& APLICAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTEIO ABC EM UM LABORATÓRIO

Leia mais

Análise e Aplicação de Controle de Custos na Gestão por Processo: Estudo de caso em uma indústria de implementos agrícolas.

Análise e Aplicação de Controle de Custos na Gestão por Processo: Estudo de caso em uma indústria de implementos agrícolas. Análise e Aplicação de Controle de Custos na Gestão por Processo: Estudo de caso em uma indústria de implementos agrícolas. Cátia Raquel Felden Bartz (FAHOR) catia@fahor.com.br Jonas Mazardo (FAHOR) jonas_mazardo@yahoo.com.br>,

Leia mais

ANÁLISE DO MÉTODO DE CUSTEIO ABC E FORMAÇÃO DE PREÇOS POR MARK-UP: UM ESTUDO DE CASO NUMA EMPRESA DE VAREJO DE MADEIRAS

ANÁLISE DO MÉTODO DE CUSTEIO ABC E FORMAÇÃO DE PREÇOS POR MARK-UP: UM ESTUDO DE CASO NUMA EMPRESA DE VAREJO DE MADEIRAS ANÁLISE DO MÉTODO DE CUSTEIO ABC E FORMAÇÃO DE PREÇOS POR MARK-UP: UM ESTUDO DE CASO NUMA EMPRESA DE VAREJO DE MADEIRAS Margarete Fatima Mezzomo Monteiro (FMGR) magamezzomo@hotmail.com Natalia Tomaz da

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão

Procedimento Operacional Padrão Luiz Antônio Pertili Rodrigues de Resende Procedimento Operacional Padrão POP/Unidade de Oncologia/001/2015 Atendimento Radioterapia Versão 1.0 Ser Serviço de Radioterapia Procedimento Operacional Padrão

Leia mais

O ESFORÇO PARA MELHORAR A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

O ESFORÇO PARA MELHORAR A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO 1 O ESFORÇO PARA MELHORAR A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS NAS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO Maria Fátima da Conceição - FEHOSP. 2 INTRODUÇÃO Os hospitais são organizações complexas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CUSTOS E ANÁLISE DE PREÇOS NO CENTRO DE DIAGNÓSTICOS POR IMAGEM DE UM HOSPITAL

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CUSTOS E ANÁLISE DE PREÇOS NO CENTRO DE DIAGNÓSTICOS POR IMAGEM DE UM HOSPITAL 4 UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS, CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E DA COMUNICAÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FABIANE ANDRÉIA GROSS DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011.

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011. Portaria 024/2011 Estabelece protocolos operacionais para a atividade de Regulação e Auditoria no âmbito do IPSEMG. A Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais, no

Leia mais

Custeio Baseado em Atividades para Organizações Hospitalares - uma aplicação no serviço de densitometria óssea do Hospital de São João Batista

Custeio Baseado em Atividades para Organizações Hospitalares - uma aplicação no serviço de densitometria óssea do Hospital de São João Batista Custeio Baseado em Atividades para Organizações Hospitalares - uma aplicação no serviço de densitometria óssea do Hospital de São João Batista Katia Abbas Vera Luci De Almeida Cátia França Santos Marilize

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS Introdução O objetivo deste trabalho é apresentar um modelo de central de laudos

Leia mais

PREÇOS E TOMADA DE DECISÕES.

PREÇOS E TOMADA DE DECISÕES. O PRINCIPAL OBJETIVO DESTE TRABALHO É REALIZAR UM ESTUDO DA VISÃO DOS CUSTOS NO COMÉRCIO, INDUSTRIA, SERVIÇOS, FORMAÇÃO DE PREÇOS E TOMADA DE DECISÕES. IVO NASCIMENTO JOILMA SILVA JULIANA DEL BIANCO JULIANO

Leia mais

TÍTULO: ABORDAGEM CONCEITUAL DO SISTEMA DE CUSTEIO NA TOMADA DE DECISÃO

TÍTULO: ABORDAGEM CONCEITUAL DO SISTEMA DE CUSTEIO NA TOMADA DE DECISÃO TÍTULO: ABORDAGEM CONCEITUAL DO SISTEMA DE CUSTEIO NA TOMADA DE DECISÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS DE SANTA FÉ DO SUL

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA 1º Quadrimestre de 2013

AUDIÊNCIA PÚBLICA 1º Quadrimestre de 2013 AUDIÊNCIA PÚBLICA 1º Quadrimestre de 2013 O SUS PRESTA CONTAS... Saúde em Marilândia-ES Relatório Quadrimestral Lei complementar 141, de 13 de janeiro de 2012. Art. 36. O gestor do SUS em cada ente da

Leia mais

Equipamentos de Imagem e Equipes Médicas Integradas: O binômio para o pleno retorno do investimento em novas tecnologias

Equipamentos de Imagem e Equipes Médicas Integradas: O binômio para o pleno retorno do investimento em novas tecnologias Equipamentos de Imagem e Equipes Médicas Integradas: O binômio para o pleno retorno do investimento em novas tecnologias José Marcelo Amatuzzi de Oliveira Gestor do Setor de Imagem - Fleury Objetivos Investimento

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA CÓDIGO Descrição do exame Valor 10000090 PACOTE ABDÔMEN SUPERIOR R$ 943,59 10000137 PACOTE ABDÔMEN SUPERIOR COM CONTRASTE R$ 1.688,24

Leia mais

Manual do Prestador SEPACO. Saúde. ANS - n 40.722-4

Manual do Prestador SEPACO. Saúde. ANS - n 40.722-4 Manual do Prestador Saúde o ANS - n 40.722-4 SEPACO Prezado prestador, Este manual tem como objetivo formalizar a implantação das rotinas administrativas do Sepaco Saúde, informando as características

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI. Camaçari, 06 de Abril de 2015. Solicitação de orçamento Processo nº 1390/2014

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI. Camaçari, 06 de Abril de 2015. Solicitação de orçamento Processo nº 1390/2014 Camaçari, 06 de Abril de 2015 Solicitação de orçamento Processo nº 1390/2014 Solicitamos desta empresa orçamento para a prestação serviços de exames de radiodiagnósticos (Raio X) no Município de Camaçari-BA,

Leia mais

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica -

Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Estado da Arte e Segurança dos Serviços de Radiodiagnóstico no Brasil - Visão da Física Médica - Fís. Adriano Oliveira dos Santos Goulart Especialista em Administração Hospitalar e Negócios em Saúde Especialista

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II

PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II PLANO DE TRABALHO: DISCIPLINA TECNOLOGIA EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA II 1 O SEMESTRE DE 2015 PROFESSORES: Andréa de Lima Bastos Giovanni Antônio Paiva de Oliveira 1. EMENTA: Procedimentos, Protocolos,

Leia mais

A participação do radiologista no controle da qualidade da mamografia

A participação do radiologista no controle da qualidade da mamografia VII Encontro Nacional para o Controle do Câncer de Colo do Útero e de Mama QUALIDADE DA MAMOGRAFIA A participação do radiologista no controle da qualidade da mamografia Objetivo - Roteiro Descrever as

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES CARDIOLOGIA 20010010 ELETROCARDIOGRAMA - ECG R$ 165,00 20010028 TESTE ERGOMÉTRICO R$ 330,00 20010141 ECODOPPLERCARDIOGRAMA R$ 385,00 20010052 HOLTER 24 HORAS R$ 385,00 20020058 MAPA 24 HORAS R$ 385,00

Leia mais

A utilização do custeio ABC em pequenas empresas

A utilização do custeio ABC em pequenas empresas A utilização do custeio ABC em pequenas empresas Nelio Fernando dos Reis (Anhanguera Educacional) nelio.reis@unianhanguera.edu.br Cristiane Betanho (Anhanguera Educacional) crisbetanho@uol.com.br Resumo:

Leia mais

A Contabilidade Estratégica na Gestão da Qualidade Ambiental

A Contabilidade Estratégica na Gestão da Qualidade Ambiental A Contabilidade Estratégica na Gestão da Qualidade Ambiental Valério Vitor Bonelli Antonio Robles Junior Resumo: A adequação às exigências ambientais dos mercados, governos e sociedade, apesar de demandar

Leia mais

CUSTEIO POR ABSORÇÃO X CUSTEIO ABC

CUSTEIO POR ABSORÇÃO X CUSTEIO ABC Resumo CUSTEIO POR ABSORÇÃO X CUSTEIO ABC Ana Paula Ferreira Azevedo Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e da Computação Dom Bosco Associação Educacional Dom Bosco E-mail: apfazevedo@ig.com.br

Leia mais

Site: www.med-rad.med.br

Site: www.med-rad.med.br AMB TUSS PROCEDIMENTO TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DESC PART 34010017 41001109 TOMOG. COMP. ABDOMEN SUPERIOR C/C 550,00 805,00 34010201 41001095 TOMOG. COMP. ABDOMEN TOTAL C/C 750,00 1.030,00 34010025 41001141

Leia mais

CUSTEIO ABC: O GERENCIAMENTO DOS CUSTOS DAS ATIVIDADES AMBIENTAIS 1

CUSTEIO ABC: O GERENCIAMENTO DOS CUSTOS DAS ATIVIDADES AMBIENTAIS 1 CUSTEIO ABC: O GERENCIAMENTO DOS CUSTOS DAS ATIVIDADES AMBIENTAIS 1 FRANCESCHI, Franciéli Rosa de 2 ; LORENZETT, Daniel Benitti 2 ; NEUHAUS, Mauricio 3 ; COSTA, Vanessa de Matos da 2 ; ROSSATO, Marivane

Leia mais

Utilização do time-driven activity-based costing como métrica do custo de processamento de pedidos de vendas

Utilização do time-driven activity-based costing como métrica do custo de processamento de pedidos de vendas Utilização do time-driven activity-based costing como métrica do custo de processamento de pedidos de vendas Resumo O desenvolvimento tecnológico ocasionou uma transformação no perfil dos custos das empresas,

Leia mais

POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS

POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS Nomenclatura para os posicionamentos Ao posicionarmos o paciente com o propósito de efetuar radiografias, deve-se dar nome a este

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTADO DA ARTE EM DIAGNÓSTICO

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES TÉCNICOS EM RADIOLOGIA: história e questões atuais

A QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES TÉCNICOS EM RADIOLOGIA: história e questões atuais A QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES TÉCNICOS EM RADIOLOGIA: história e questões atuais Pesquisadores Alexandre Moreno André Feitosa Cristina Morel Isis Coutinho José Luís Ferreira Filho Sergio Oliveira APRESENTAÇÃO

Leia mais

Jornal Oficial do Município - Sousa, Edição Especial 28 de Outubro de 2014.

Jornal Oficial do Município - Sousa, Edição Especial 28 de Outubro de 2014. Jornal Oficial do Município - Sousa, Jornal Oficial do Município - Sousa, LICITAÇÕES AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 00072/2014 Torna público que fará realizar através da Pregoeira Oficial e Equipe

Leia mais

Manual do Processo de Faturamento

Manual do Processo de Faturamento Manual do Processo de Faturamento Apresentação MV Sumário Processo de Faturamento 6 Leia-me primeiro... 6 Faturamento de... Convênios e Particular 8 Faturamento de Convênios... 8 Protocolar Documentação...

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 38 - Data 16 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Imposto sobre a Renda de Pessoa Jurídica - IRPJ Lucro presumido.

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 64-CEPE/UNICENTRO, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Contábil, Auditoria e Perícia, modalidade regular, da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

A APLICAÇÃO DO MÉTODO DOS CENTROS DE CUSTOS NA ÁREA INDUSTRIAL DE UMA EMPRESA JORNALÍSTICA

A APLICAÇÃO DO MÉTODO DOS CENTROS DE CUSTOS NA ÁREA INDUSTRIAL DE UMA EMPRESA JORNALÍSTICA A APLICAÇÃO DO MÉTODO DOS CENTROS DE CUSTOS NA ÁREA INDUSTRIAL DE UMA EMPRESA JORNALÍSTICA AUTORES: Ana Carolina Lima Pimentel ana.carolinapimentel@hotmail.com Edna Maria Monteiro de Sousa ednamonteiro@hotmail.com

Leia mais

Resolução CFM Nº 2107 DE 25/09/2014 Publicado no DO em 17 dez 2014

Resolução CFM Nº 2107 DE 25/09/2014 Publicado no DO em 17 dez 2014 Resolução CFM Nº 2107 DE 25/09/2014 Publicado no DO em 17 dez 2014 Define e normatiza a Telerradiologia e revoga a Resolução CFM nº 1890/09, publicada no D.O.U. de 19 janeiro de 2009, Seção 1, p. 94-5p

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CREDENCIAMENTO Nº 02/2009

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CREDENCIAMENTO Nº 02/2009 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CREDENCIAMENTO Nº 02/2009 O MUNICÍPIO DE CORONEL VIVIDA,, através da PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL VIVIDA, com sede na Praça Três Poderes, s/n, centro, Coronel Vivida,

Leia mais

Obs- Pacientes do sexo feminino em idade fértil e com suspeita de gravidez ou atraso menstrual devem informar ao técnico de exame.

Obs- Pacientes do sexo feminino em idade fértil e com suspeita de gravidez ou atraso menstrual devem informar ao técnico de exame. PREPAROS PARA RESSONÂNCIA RESSONÂNCIA CRÂNIO - Trazer exames anteriores (tomografiae ressonância de crânio, rx de crânio, eletroencefalograma). RESSONÂNCIA SELA TÚRCICA - Trazer exames anteriores (tomografia

Leia mais

XI-021 GESTÃO ESTRATÉGICA DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

XI-021 GESTÃO ESTRATÉGICA DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA XI-021 GESTÃO ESTRATÉGICA DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA Maria da Paz Dantas (1) Engenheira Civil, Universidade de Brasília. Analista Operacional da Superintendência de Operação

Leia mais

TÉCNICA EM RADIOLOGIA

TÉCNICA EM RADIOLOGIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO Hospital Universitário TÉCNICA EM RADIOLOGIA Parte I: Múltipla Escolha Hospital Universitário

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento 1 Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina II Informação de Custo para

Leia mais

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA.

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA. Nome do setor/especialidade: Horário de funcionamento: Meios de agendamento oferecidos ao usuário para utilização/acesso aos serviços: Requisitos necessários para a obtenção dos serviços: Serviços oferecidos:

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE DE SANTA CECILIA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 4/2015. Página: 1/7

ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE DE SANTA CECILIA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 4/2015. Página: 1/7 Página: 1/7 1 ANGIOTOMOGRAFIA ABD SUPERIOR UNID CLINICA MEDICA E IMAGEM S/S LTDA - IMED - EPP (8926) 0 520,0000 1 2 ANGIOTOMOGRAFIA PELVE UNID CLINICA MEDICA E IMAGEM S/S LTDA - IMED - EPP (8926) 0 520,0000

Leia mais

TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG

TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG Debate: o reajuste da Tabela SUS aplicável aos hospitais filantrópicos 31 de março de 2015 TABELA SUS: uma avaliação do CRMMG Cons. Fábio Augusto Guerra CRMMG A Portaria nº 321/GM, de 8 de fevereiro de

Leia mais

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna

Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna Os Custos de Armazenagem na Logística Moderna Maurício Pimenta Lima Introdução Uma das principais características da logística moderna é sua crescente complexidade operacional. Aumento da variedade de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 4 5 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 7 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Leia mais

Utilização da Margem de Contribuição: Um enfoque gerencial

Utilização da Margem de Contribuição: Um enfoque gerencial Utilização da Margem de Contribuição: Um enfoque gerencial Manoel Salésio Mattos (UNesc) salesio@unescnet.br Joselito Mariotto (UNESC) joselito@unescnet.br Wilson Antunes Amorim (UNESC) wilson@unescnet.br

Leia mais

Anexo D Divisão de Análises Clínicas HU/UFSC. Versão 01. Atribuições dos Cargos

Anexo D Divisão de Análises Clínicas HU/UFSC. Versão 01. Atribuições dos Cargos DOC MQB -02 MQB.pdf 1/5 Cargo: Assistente de Laboratório 1. Planejar o trabalho de apoio do laboratório: Interpretar ordens de serviços programadas, programar o suprimento de materiais, as etapas de trabalho,

Leia mais

Conselho Regional de Administração de São Paulo

Conselho Regional de Administração de São Paulo Conselho Regional de Administração de São Paulo Grupo de Excelência Administração em Saúde Gestão em Serviços de Saúde: um foco na área de Medicina Diagnóstica Silvio José Moura e Silva 28/04/2008 Agenda

Leia mais

Quanto custa comprar? Um estudo de caso na UFMG

Quanto custa comprar? Um estudo de caso na UFMG Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Quanto custa comprar? Um estudo de caso na UFMG Lilian Tadim Marques (UFMG) - liliantmarques@yahoo.com Jaqueline Vilela Araujo Paim (UFMG) - jvaraujo@infraero.gov.br Marcia

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.107/2014

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.107/2014 RESOLUÇÃO CFM Nº 2.107/2014 (Publicado no D.O.U. de 17 dez 2014, Seção I, p. 157-158) Define e normatiza a Telerradiologia e revoga a Resolução CFM nº 1890/09, publicada no D.O.U. de 19 janeiro de 2009,

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO O Município de Quatro Irmãos/RS, comunica aos interessados que está procedendo ao CHAMAMENTO PÚBLICO, a partir de 26 de agosto de 2011 até dia 12 de setembro de 2011, no horário

Leia mais

UFPI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL/ 2015-2018

UFPI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL/ 2015-2018 Hospital de ensino, com funcionamento 24 horas, inaugurado em 09 de setembro de 2003. - Atende ao ensino de graduação em Medicina Veterinária - Pós-graduação - Execução das atividades dos Programas de

Leia mais

ANÁLISE PARA IMPLANTAÇÃO DO MÉTODO DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE ABC EM UMA CORRETORA DE SEGUROS

ANÁLISE PARA IMPLANTAÇÃO DO MÉTODO DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE ABC EM UMA CORRETORA DE SEGUROS ANÁLISE PARA IMPLANTAÇÃO DO MÉTODO DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE ABC EM UMA CORRETORA DE SEGUROS Sabrina Batista TORRES Universidade Católica de Brasília UCB (Brazil) Alexandre dos Santos SILVA Universidade

Leia mais

MÉTODOS DE CUSTEIO COMO REFERENCIAL PARA A COMPOSIÇÃO DE UM MODELO DE LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO

MÉTODOS DE CUSTEIO COMO REFERENCIAL PARA A COMPOSIÇÃO DE UM MODELO DE LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO MÉTODOS DE CUSTEIO COMO REFERENCIAL PARA A COMPOSIÇÃO DE UM MODELO DE LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO ALVES, Vanessa T. 1 ; BARCHET, Isabela 2 ; EVANGELISTA, Mário Luiz 3 ; MULINARI, Marieli 4 ; SHIMITH, Cristiano

Leia mais

ABC e UEP um ensaio em empresa de software

ABC e UEP um ensaio em empresa de software ABC e UEP um ensaio em empresa de software Resumo As empresas prestadoras de serviços têm a mesma necessidade de definir os seus custos, tanto quanto qualquer empresa de outro segmento de atividade. Mas,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento. Banco de Preços em Saúde BPS

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento. Banco de Preços em Saúde BPS MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento Banco de Preços em Saúde BPS Brasília, 15 de julho de 2009 Banco de Preços em Saúde O QUE É Sistema informatizado

Leia mais

P ortal da Classe Contábil w w w.classecontabil.com.br. Artigo

P ortal da Classe Contábil w w w.classecontabil.com.br. Artigo P ortal da Classe Contábil w w w.classecontabil.com.br Artigo 31/10 A utilização da contabilidade de custos na formação do preço de venda INTRODUÇÃ O Atualmente a Contabilidade de Custos é vista sob dois

Leia mais

2 Módulo - Técnicas Radiológicas 200h. 3 Módulo - Técnicas Radiológicas 200 h

2 Módulo - Técnicas Radiológicas 200h. 3 Módulo - Técnicas Radiológicas 200 h I - INTRODUÇÃO Este manual destina-se a todos os alunos do Curso Técnico em Radiologia do Instituto Polígono de Ensino, cujo objetivo é sistematizar de forma metodológica o processo ensino aprendizagem

Leia mais

Visão crítica dos Enfermeiros sobre suas passagens de plantão no Centro de Diagnóstico por Imagem

Visão crítica dos Enfermeiros sobre suas passagens de plantão no Centro de Diagnóstico por Imagem Hospital Israelita Albert Einstein Departamento de Imagem São Paulo Brasil Hospital Israelita Albert Einstein Imaging Department Sao Paulo Brazil Visão crítica dos Enfermeiros sobre suas passagens de plantão

Leia mais

ANEXO ÚNICO Fica a Credenciada Camil - Centro de Assistência Médica Itabapoana - Ltda a prestar os seguintes serviços de saúde aos municípios consorciados ao CIM POLO SUL: 001 - Colonoscopia (coloscopia)

Leia mais

Fixação de padrões na atividade hospitalar

Fixação de padrões na atividade hospitalar Fixação de padrões na atividade hospitalar Valdinei Machado Guimaraes (Universidade Regional de Blumenau FURB SC- Brasil) valdinei.guimaraes@uol.com.br Magnus Amaral Costa (Universidade Regional de Blumenau

Leia mais

Medicina Diagnóstica e Preventiva MDP

Medicina Diagnóstica e Preventiva MDP Medicina Diagnóstica e Preventiva MDP Serviços disponíveis nas unidades Ibirapuera, Jardins, Alphaville, Perdizes/Higienópolis e Morumbi. Confira alguns exames e as unidades onde podem ser feitos: Exames/

Leia mais

GESTÃO DO CUSTOS EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS: APLICANDO O MÉTODO DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES (ABC)

GESTÃO DO CUSTOS EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS: APLICANDO O MÉTODO DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES (ABC) GESTÃO DO CUSTOS EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS: APLICANDO O MÉTODO DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES (ABC) Alex Eckert (UCS ) alex.eckert@bol.com.br Roberto Biasio (UCS ) rbiasio@commcenter-rs.com.br

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE

DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE DROGARIAS REGULARIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTO DE INTERESSE À SAÚDE Lei 8080/90 Art. 6º, 1º: Entende-se por vigilância sanitária um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde

Leia mais

SISTEMA DE CUSTEIO ABC ACTIVITY BASED COSTING. Jaime José Veloso

SISTEMA DE CUSTEIO ABC ACTIVITY BASED COSTING. Jaime José Veloso SISTEMA DE CUSTEIO ABC ACTIVITY BASED COSTING Métodos de Custeio Os métodos de custeio são as maneiras de alocação dos custos aos produtos e serviços. São três os métodos mais utilizados: Custeio por absorção

Leia mais

Odesenvolvimento da pesquisa Assistência Médico-Sanitária - AMS,

Odesenvolvimento da pesquisa Assistência Médico-Sanitária - AMS, Análise de alguns indicadores da pesquisa Odesenvolvimento da pesquisa Assistência Médico-Sanitária - AMS, com seu caráter censitário junto aos estabelecimentos de saúde, tem sido um elemento valioso para

Leia mais

- Poderá tomar todos os outros medicamentos que usa, com pouco água ½ copo.

- Poderá tomar todos os outros medicamentos que usa, com pouco água ½ copo. PREPAROS PARA TOMOGRAFIA TOMOGRAFIA CRÂNIO - Jejum - 2 horas. - Trazer exames anteriores (tomografia, ressonância e rx de crânio, eletroencefalograma) - Clientes diabéticos e em uso de CLORIDRATO DE METFORMINA

Leia mais

Protocolos coluna. Profº. Claudio Souza

Protocolos coluna. Profº. Claudio Souza Protocolos coluna Profº. Claudio Souza Coluna vertebral A coluna vertebral é composta por 33 vértebras, e eventualmente por 32 ou 34, estas são classificadas como ossos irregulares. A coluna vertebral

Leia mais

Investigação dos Métodos de Custeio Utilizados Pelos Hospitais do Município de Natal/RN

Investigação dos Métodos de Custeio Utilizados Pelos Hospitais do Município de Natal/RN Investigação dos Métodos de Custeio Utilizados Pelos Hospitais do Município de Natal/RN Resumo YURI GOMES PAIVA AZEVEDO Universidade Federal do Rio Grande do Norte JOÃO VICTOR JOAQUIM DOS SANTOS Universidade

Leia mais

Gilberto Vicente de Souza Hong Yuh Ching. Resumo:

Gilberto Vicente de Souza Hong Yuh Ching. Resumo: UTILIZAÇÃO DO SISTEMA CUSTEIO E GESTÃO BASEADOS EM ATIVIDADE ( ABC/M ) EM UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS BENEFÍCIOS Gilberto Vicente de Souza Hong Yuh Ching Resumo:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇAO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇAO EM ADMINISTRAÇAO CURSO DE ESPECIALIZAÇAO EM GESTAO EM SAÚDE Cristina Varisco COMPARAÇÃO ENTRE OS CUSTOS DO SERVIÇO

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP Nº X.XX.XXX.XX

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP Nº X.XX.XXX.XX Versão:.0 PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP Nº X.XX.XXX.XX MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ NUCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO Versão Nº.0 Data da Revisão 05/06/05 Data de

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE CALÇADO Estado de Pernambuco TERMO DE REFERÊNCIA PREÇO(S) UNITÁRIO(S) E GLOBAL

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE CALÇADO Estado de Pernambuco TERMO DE REFERÊNCIA PREÇO(S) UNITÁRIO(S) E GLOBAL Orçamento estimado valor máximo admitido para os itens dos lotes 01 ao 25 - Tipo do julgamento (Menor preço por item*). LOTE 01 Item* ANGIOLAGIA Quantidade* Valor Unitário Valor Total 1 CONSULTA ANGIOLOGIA

Leia mais

Nutrição e dietética:

Nutrição e dietética: O sistema permite o cadastro de vários almoxarifados, e controla os estoques separadamente de cada um, bem como o cadastro de grupos de estocagem, visando o agrupamento dos insumos estocáveis, classificados

Leia mais

Concorrência Conjunta nº 03/2007. Perguntas e Respostas

Concorrência Conjunta nº 03/2007. Perguntas e Respostas Brasília, 02/08/2007 Concorrência Conjunta nº 03/2007 Perguntas e Respostas A Comissão Permanente de Licitação (CPL) registra a seguir perguntas de empresas interessadas em participar do certame em referência

Leia mais

PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA GRUPO 35 SUBGRUPO

PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA GRUPO 35 SUBGRUPO PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA GRUPO 35 SUBGRUPO NOBEMBRO 2007 1 A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC) CARACTERIZA-SE POR SER EXAME DE ALTA COMPLEXIDADE E CUSTO ELEVADO, PORTANTO

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS GESTORES MUNICIPAIS

PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS GESTORES MUNICIPAIS PESQUISA DE SATISFAÇÃO DOS GESTORES MUNICIPAIS Como você avalia a marcação da a Consulta com biópsia positiva em dias úteis? SATISFAÇÃO + = 7 = 9,3% Como você avalia a marcação de consultas de retorno?

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Curso (s) : Ciências Contábeis Nome do projeto: LEVANTAMENTO E APLICAÇÃO DO OS MÉTODOS

Leia mais

Prefeitura Municipal de Barro GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.620.396/0001-19

Prefeitura Municipal de Barro GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.620.396/0001-19 ANEXO V PROPOSTA PADRONIZADA A Prefeitura Municipal de Barro, Estado do Ceará. Pela presente declaramos inteira submissão aos preceitos legais em vigor, especialmente os da Lei nº 8.666/93 e Lei nº 10.520/2002,

Leia mais

CMI Centro de Memória e Informação CMI. Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto

CMI Centro de Memória e Informação CMI. Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto CMI Centro de Memória e Informação CMI Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto Título do Projeto Coordenador do Projeto: Endereços para contato: Setor: Data: Gestão de suprimento em instituições

Leia mais

CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário

CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Sumário NORMAS OPERACIONAIS Atendimento ao Cliente Marcação de Exames Alteração no Programa de Atendimento Gestão de Demanda Admitida Ficha de Convênio Atendimento Prioritário

Leia mais

Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA E AMPLIAÇÃO CENTRO DE DIAGNÓSTICO E IMAGEM

Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA E AMPLIAÇÃO CENTRO DE DIAGNÓSTICO E IMAGEM Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA E AMPLIAÇÃO CENTRO DE DIAGNÓSTICO E IMAGEM I INTRODUÇÃO Todo o Complexo da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de

Leia mais

V. CONSIDERAÇÕES FINAIS

V. CONSIDERAÇÕES FINAIS AGENDA I. PERSPECTIVAS DA GESTÃO Trabalhando DA SAÚDE em Redes Cooperativas: Compartilhamento II. ABORDAGENS para DE CUSTEIO SUStentabilidade Case I Apresentação do III. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PARA UMA AUTO MECÂNICA

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PARA UMA AUTO MECÂNICA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PARA UMA AUTO MECÂNICA Cristiane Gandolfi Piveta 1 Fernanda Mosseline Josende Coan 2 RESUMO Este artigo tem por objetivo apresentar os resultados da implantação de sistema

Leia mais

Análise de Custos 2014

Análise de Custos 2014 Análise de Custos 2014 Marcelo Stefaniak Aveline Análise de Custos 2014 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA Apresentação da Disciplina EMENTA Esta disciplina trata da definição de custos, da análise de custos e

Leia mais

Portaria MEC/Inep nº 230 de 13 de julho de 2010

Portaria MEC/Inep nº 230 de 13 de julho de 2010 Portaria MEC/Inep nº 230 de 13 de julho de 2010 Diário Oficial da União nº 133, de 14 de julho de 2010 (quarta-feira) Seção 1 Pág. 839/840 Educação INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 DO 9-E, de 12/1/01 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria SAS/MS nº 224, de

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL MARCO POLO SCHEFFLER A IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTEIO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO: O CASO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico:

Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico: Nota referente às unidades de dose registradas no prontuário eletrônico radiológico: Frente aos potenciais riscos envolvidos na exposição à radiação ionizante e com a reocupação de manter um controle transparente

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS AMBIENTAIS EM SERVIÇOS HOSPITALARES RESUMO

GESTÃO DE CUSTOS AMBIENTAIS EM SERVIÇOS HOSPITALARES RESUMO GESTÃO DE CUSTOS AMBIENTAIS EM SERVIÇOS HOSPITALARES RESUMO O presente trabalho, embasado no crescimento da demanda nos serviços hospitalares e na escassez de recursos por que passam os hospitais públicos

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS: ESTUDO APLICADO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. ALBERTO ANTUNES/UFAL

GESTÃO DE CUSTOS: ESTUDO APLICADO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. ALBERTO ANTUNES/UFAL GESTÃO DE CUSTOS: ESTUDO APLICADO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. ALBERTO ANTUNES/UFAL Danielle FURTADO TENÓRIO FEAC Universidade Federal de Alagoas (Brasil) Rosiane

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 14 13 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 296 - Data 14 de outubro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF DESPESA MÉDICA. DEDUÇÃO.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDUARDO MATOS DE SOUZA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDUARDO MATOS DE SOUZA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDUARDO MATOS DE SOUZA PROPOSTA DE SISTEMA DE CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES EM EMPRESA PRESTADORA DE SERVIÇOS

Leia mais