BUSINESS ANGELS E FINANCIAMENTO EARLY STAGE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BUSINESS ANGELS E FINANCIAMENTO EARLY STAGE"

Transcrição

1 BUSINESS ANGELS E FINANCIAMENTO EARLY STAGE 1

2 MBO/ MBI IPO EURONEXT/ ALTERNEXT START-UP CAPITAL DESENVOLVIMENTO CAPITAL SUBSTITUIÇÃO Corporate Ventures Sociedades de Capital de Risco Fundos de Capital de Risco SEED CAPITAL Business Angels CRIAÇÃO Familly, Friends and Fools Montantes de Investimento 2

3 Formas de financiamento Bancos (Empréstimos; Leasings; Factoring; Letras; Livranças ) Fundos Comunitários (PRIME, IEFP, ) Friends, Family and Fools Business Angels Corporate Ventures Sociedades de Capital de Risco Buy Outs Private Equity Fusões e Aquisições Internacionalizaçã o

4 O que é o Capital de Risco É uma forma de financiamento via Capital Próprio É uma participação no capital e na gestão da empresa É um casamento com divórcio marcado É um financiamento de elevadas alavancagens É a partilha de sucessos e fracassos É um poderoso factor de união de ideias, de esforços, de vontades... 4

5 O que NÃO é o Capital de Risco Não é um sistema de incentivos (subsídios a fundo perdido, crédito bonificado ou qualquer outra forma de apoio financeiro) Não é um empréstimo (embora possa contribuir para mobilizar empréstimos) Não é (não deve ser) a última hipótese da salvação da empresa Não é um casamento imposto (pelas circunstâncias) entre parceiros que se têm que suportar. 5

6 Como elaborar um Plano de Negócios vitorioso? Um Plano de Negócios, mais do que descritivo deve dar a conhecer o seu sonho aos Investidores O investimento está no jockey não no cavalo! O Plano de Negócios deve transmitir que a equipa de gestão está apaixonada, preparada e mantém sempre muita atitude! Sobretudo qualidade... O Plano de Negócios deve transmitir que o mercado alvo é grande, ou está a crescer, e que existe um plano sólido para conquistar e manter uma quota de mercado significativa. Selecção de uma indústria, mercado, clientes alvo. É sobre ele que a decisão é tomada. O Plano de negócios tem de libertar cash, baseado em suposições sólidas e comprovadas. O Capitalista de Risco tem de estar comprometido com o seu sonho. Tem de existir ambição e que a oportunidade de investimento não se baseia apenas em fumos e espelhos mas sim numa verdadeira oportunidade

7 BUSINESS ANGELS Como se processa a intervenção financeira no projecto? EMPRESA ACTIVO CAPITAL PRÓPRIO Imobilizado Clientes Existências Bancos Caixa Empreendedores Business Angels Outros Investidores Resultados PASSIVO Banca Fornecedores Outros Credores 7

8 BUSINESS ANGELS O que são?» Investidores de capital de risco individuais que cobrem as necessidades de financiamento de projectos em fase seed capital e start-up Quem são?» indivíduos com experiência profissional (ex-executivos de empresas), com capacidade financeira e empreendedores ( com sucesso comprovado) 8

9 BUSINESS ANGELS O que procuram os Business Angels nos Empreendedores? Empreendedores entusiasmados Empreendedores credíveis Empatia no Empreendedor Know How do Empreendedor CV do Empreendedor Qualidade do Produto/ Serviço Nicho de mercado Potencial de crescimento do mercado Perspectivas de vendas Retorno financeiro perceptível Fonte: Harvard Business School 9

10 BUSINESS ANGELS Em que tipo de projectos investem?» em todos os sectores de actividade» em projectos com potencial de valorização Com que objectivo investem?» rentabilizar capital» rentabilizar conhecimento específico (ex.: sector, gestão, vendas, contactos comerciais)» alavancar projectos com elevado potencial que possam ser vendidos mais tarde com mais-valias. 10

11 BUSINESS ANGELS Porquê envolver um (ou mais) Business Angel no projecto? PONTO DE SITUAÇÃO Receitas de vendas baixas (ou ausentes) Falta de know how na gestão Falta de contactos comerciais Falta de visão para além dos obstáculos diários SOLUÇÃO Business Angel Entrada de capital Experiência prévia de gestão Acesso a potenciais clientes e fornecedores Visão estratégica 11

12 BUSINESS ANGELS Qual a intervenção de um Business Angel no projecto?» entrada de dinheiro» consultoria estratégica» participação nas reuniões da Administração» monitorização do decorrer da actividade Um Business Angel pode ter uma atitude hands-on (maior intervenção) ou hands-off (menor intervenção) na gestão diária do negócio consoante ficar pré-estabelecido antes do investimento 12

13 BUSINESS ANGELS Como ganha o Business Angel com este investimento? Ano 5 Ano1 Ano 3 CRESCIMENTO DA EMPRESA 13

14 BUSINESS ANGELS E quando o negócio não se consegue afirmar? Ano1 Ano 3 Ano 5 CRESCIMENTO DA EMPRESA 14

15 RECURSOS PARA INVESTIMENTO EM SEED CAPITAL/ EARLY STAGE/ START-UP FCR PRÉ- SEED FCR EARLY STAGES FCR CORPORATE VENTURE FUNDO DE CO- INVESTIMENTO COM BUSINESS ANGELS Inovcapital ES Ventures Beta ES Venture Novabase Inovcapital C. Partners ISQ/ASK Universitas Critical Software Novabase 56 Entidades Veículo 230 BA 11 M 56 M 13 M 42 M 15

16 NOVOS RECURSOS PARA BUSINESS ANGELS COMPETE/ QREN Período de Investimento: /2013 Financiamento Europeu (QREN): 28 Milhões de Euros Grupos de Business Angels Registados: 56 Business Angels Aderentes: 230 Fundos de Business Angels que maximizam a utilização do programa: 12.5 Milhões de Euros Caixa Capital: 1,5 Milhões de euros TOTAL DISPONÍVEL PARA INVESTIMENTO: 42 Milhões de Euros 16

17 COMPETE/ QREN ESTRUTURA PREVISTA DAS NOVAS EMPRESAS A CRIAR VIA COMPETE 17

18 Há Business Angels em Portugal?» Invicta Angels Assoc. de Business Angels do Porto» Assoc. de Investidores de CRisco da Covilhã» Clube de Cascais Assoc. de Investidores de Cascais» Business Angels Club Assoc. Portuguesa de Investidores em Start-Ups» Assoc. de Business Angels do Algarve» Vima Angels (Guimarães)» Clube de Business Angels do Alentejo» Centro Business Angels» OPEN Business Angels» Assoc. Business Angels Santarém ASSOCIAÇÕES EM CONSTITUIÇÃO» Setúbal» Madeira 34

19 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES 2007 Investimento por 3 Business Angels do Business Angels Club + InovCapital 2008 Acordado 2º round com InovCapital + novo Business Angel Invento multi-funções, universal, com aplicação a fogões de campismo» Permite cozinhar em condições de vento forte (testado com ventos de 30km/h)» Economia energética do equipamento na ordem dos 50%. Testes realizados em laboratório (Universidade Lusófona)» Aumenta conforto e segurança do utilizador de um fogão através do resguardo anti-fogo» Muito leve e resistente» Único forno para utilização em montanha 19

20 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES Abril, 2008 Investimento total: A OMNITA desenvolve sistemas autónomos (plataformas robóticas) para fins de monitorização e observação remota. Para além de desenvolver soluções próprias para monitorização, a empresa presta serviços de recolha de dados a três níveis aéreo, terrestre e sub-aquático com características de monitorização tempo real e interactiva. A capacidade sensorial dos sistemas utilizados permite a recolha dos mais diversos dados posteriormente compilados, processados e entregues ao cliente em formato de relatório documentado. Promotores 25% Business Angels 30% InovCapital 45% Não nos queremos focar, exclusivamente, no mercado nacional. Estamos já a negociar uma parceria para Espanha e queremos chegar, rapidamente, a outros pontos do globo. Bianchi Figueiredo, promotor

21 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES INVESTIMENTO TOTAL O Microencapsulamento consiste em envolver pequenas partículas líquidas ou sólidas com uma camada de um materisl sólido, geralmente um polímero. A aplicação de microcápsulas realiza-se em inúmeras áreas como a farmacêutica, cosmética, detergentes, controle de bactérias e insecticidas, onde a libertação gradual do material encapsulado é um factor importante. InovCapital (5 anos) Business Angel (2 anos) (capital social + suprimentos + prestações acessórias) Venda de 100% ao Grupo Devan Chemicals (Bélgica) Mais Valia para os Investidores» 200% 21

22 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES CFD Computação em Fluidos Dinâmicos é a core technology da Fluidinova. CFD é uma moderna ferramenta de grande impacto em CAE Computer Aided Engineering que permite determinar e prever padrões e forças de escoamento de gases e líquidos em qualquer geometria de fluxo. PRODUTOS A Fluidinova desenvolve quatro áreas de negócio: CFDapi - CFD em Ambiência de Edifícios e Processos Industriais ROBpaint - Robot Laboratorial de Teste de Tintas Decorativas RIMcop - Nova tecnologia de Injecção de Plásticos Reactivos NETmix - Tecnologia Inovadora de Misturador Estático de Fluidos 22

23 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES A Key4kids opera na área da edição e publicação de materiais lúdico - pedagógicos, essencialmente livros e jogos, direccionados a crianças a partir dos 4 anos de idade. Esta iniciativa visa preencher uma lacuna no mercado editorial, lançando actividades de carácter lúdico mas sempre em sintonia com a aprendizagem formal obtida na escola. Os materiais a desenvolver têm como objectivo aproximar pais e filhos, em actividades que divertidas e úteis, contribuindo desta forma para um estreitamento dos laços familiares e para uma melhor formação académica das crianças. CAPITAL ANGARIADO (2008) INVESTIDORES InovCapital e Business Angels Colecção Key 4 English O primeiro kit é sobre as cores e é composto por uma história com CD áudio, exercícios relacionados, um jogo e uma actividade de artes. Isabel Flores 23

24 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES Clube de Business Angels de Cascais Serviços de Procurement e leilão web-based para a Indústria Farmacêutica para: Produção em Outsourcing Substância Activa (APl) Dossier de Registo Indicação do fornecedor com o melhor preço, de acordo com as especificidades dos clientes. Paulo Pereira SHAREHOLDERS InovCapital Santipharma, Lda. Promotor Netchange, S.A. MSeven, Lda. Pitagórica, S.A. 24

25 » INVESTIMENTOS REALIZADOS CAPITAL ANGARIADO (2006) INVESTIDORES PME Investimentos e Business Angels Aluguer de automóveis a preços muito acessíveis (1 /dia) com publicidade. A Smart Advertising nasceu em 2005 com o objecto de aliar a publicidade ao movimento, colocando a circular carros Smart for Two com anúncios nas principais cidades do país. Facturação em 2007: 3 milhões 25

26 » INVESTIMENTOS REALIZADOS PROJECTOS RECENTES Clube de Business Angels de Cascais O MyGuide é um portal de lazer, turismo e cultura, disponível na internet. O objectivo deste projecto é dar a conhecer ao mundo o melhor de Portugal: das artes à gastronomia, passando pela música, cinema, moda ou arquitectura. A grande aposta é a qualidade nos conteúdos, design inovador, moderno e apelativo. 26

27 BUSINESS ANGELS Exemplos internacionais de empresas que beneficiaram do apoio de Business Angels 27

28 Fund Raising, S.A

Apresentação Institucional. 24 Novembro, 2011

Apresentação Institucional. 24 Novembro, 2011 1 Apresentação Institucional 24 Novembro, 2011 Breve história dos Business Angels em Portugal 2 2000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Primeira Rede de BA foi criada em 2000 (Business Angel Club ) Em 2006,

Leia mais

Business Angels Obter investimento por Business Angels.

Business Angels Obter investimento por Business Angels. Business Angels Obter investimento por Business Angels. Paulo Andrez Pres. Clube de Business Angels Cascais Membro da Direcção da Federação Nacional de Associações de Business Angels e da EBAN Coordenador

Leia mais

Ecossistemas Empreendedores

Ecossistemas Empreendedores Ecossistemas Empreendedores O caso de Cascais Paulo Andrez Administrador da DNA Cascais Vice-Presidente da EBAN (Ass.Europeia de Business Angels) 1 O papel de uma autarquia no apoio ao empreendedorismo

Leia mais

Soluções de Financiamento

Soluções de Financiamento Soluções de Financiamento andre.marco@iapmei.pt Tortosendo, 4 Dez 2012 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Soluções de Financiamento No quadro do Programa REVITALIZAR deverão ser considerados todas as

Leia mais

Capital de Risco e Business Angels motores do empreendedorismo e do desenvolvimento económico

Capital de Risco e Business Angels motores do empreendedorismo e do desenvolvimento económico Capital de Risco e Business Angels motores do empreendedorismo e do desenvolvimento económico 1. O que o levou a assumir-se como um business angel? Há quanto tempo está nesta área e através de que instituição?

Leia mais

QUEM SOMOS. O clube tem como objectivo apoiar projectos em todas as áreas de actividade, inclusive nas áreas mais tradicionais.

QUEM SOMOS. O clube tem como objectivo apoiar projectos em todas as áreas de actividade, inclusive nas áreas mais tradicionais. QUEM SOMOS O Business Angels Club de Lisboa é constituído por um grupo de pessoas ligadas há mais de 20 anos ao mundo empresarial e ao empreendedorismo com larga experiência no desenvolvimento e triagem

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional 1 Apresentação Institucional Pedro Gomes Nunes Março, 2014 2 MISSÃO DA FNABA A Federação Nacional de Associações de Business Angels tem como missão representar os interesses das várias Associações de Business

Leia mais

financiar um novo negócio

financiar um novo negócio financiar um novo negócio Microfinanciamento para a Inovação AIP andre.marco@iapmei.pt Direção de Participadas e Instrumentos Financeiros 2014 Acesso a Financiamento Partilha pública de risco e ou cofinanciamento

Leia mais

Da Ideia ao egócio algumas interrogações úteis

Da Ideia ao egócio algumas interrogações úteis Da Ideia ao egócio algumas interrogações úteis - Quais as minhas aspirações? - Quais as minhas competências? - Qual a oportunidade de mercado? - Qual o meu modelo de negócio? - Qual a dimensão do empreendimento

Leia mais

Apresentação POR LISBOA

Apresentação POR LISBOA Apresentação POR LISBOA 1 POR LISBOA FINOVA Fundo de Apoio ao Financiamento à Inovação Intervém nas diferentes vertentes de apoio ao financiamento de PME, com vista a reforçar a solidez, competitividade

Leia mais

Soluções de Financiamento FINICIA

Soluções de Financiamento FINICIA Projetos, Financiamento e Empreendedorismo Soluções de Financiamento FINICIA Cascais, 28 de Outubro de 2011 andre.marco@iapmei.pt Direcção de Participadas e Instrumentos Financeiros no IAPMEI. Soluções

Leia mais

Financiamento empresarial

Financiamento empresarial Financiamento empresarial de mercado e outras soluções Lisboa, Março 2012 rita.seabra@iapmei.pt Síntese 1. Seleccionar o financiamento do projecto 2. Opções de financiamento e abordagem a financiadores

Leia mais

WORKSHOP COMO FINANCIAR O MEU NEGÓCIO?

WORKSHOP COMO FINANCIAR O MEU NEGÓCIO? WORKSHOP COMO FINANCIAR O MEU NEGÓCIO? FINANCIAMENTOS DISPONÍVEIS para PME s Mecanismos de Financiamento 1. Sistemas de Incentivos do QREN 2. Linhas PME Investe 3. Microcrédito 4. Valtejo FINICIA 5. PAECPE

Leia mais

Recursos Próprios. Amigos e Familiares

Recursos Próprios. Amigos e Familiares Recursos Próprios Chamado de booststrapping, geralmente é a primeira fonte de capital utilizada pelos empreendedores. São recursos sem custos financeiros. O empreendedor tem total autonomia na tomada de

Leia mais

FINICIA APOIO AO FINANCIAMENTO. Mar./2009. rita.seabra@iapmei.pt ana.rosas@iapmei.pt leitao.gomes@iapmei.pt www.finicia.pt

FINICIA APOIO AO FINANCIAMENTO. Mar./2009. rita.seabra@iapmei.pt ana.rosas@iapmei.pt leitao.gomes@iapmei.pt www.finicia.pt FINICIA APOIO AO FINANCIAMENTO na fase START-UP rita.seabra@iapmei.pt ana.rosas@iapmei.pt leitao.gomes@iapmei.pt www.finicia.pt Mar./2009 FINICIA Apresentação composta por duas partes: 1. Instrumentos

Leia mais

Soluções de Financiamento

Soluções de Financiamento Soluções de Financiamento andre.marco@iapmei.pt Direção de Participadas e Instrumentos Financeiros Abril de 2013 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO 1 2 O Programa REVITALIZAR PER (Processo Especial de

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores?

Tradicionalmente como surgem? Existem ambientes mais propícios para o nascimento de ideias/projectos inovadores? O que é uma start-up? As empresas que criam modelos de negócio altamente escaláveis, a baixos custos e a partir de ideias inovadoras são normalmente consideradas empresas startups. Concebidas para crescerem

Leia mais

Fontes de Financiamento Alternativas Sociedades de Capital de Risco, Business Angels, Crowdfunding

Fontes de Financiamento Alternativas Sociedades de Capital de Risco, Business Angels, Crowdfunding QA#011 /2º trimestre.2015 Mónica Veloso * Área Jurídica da Unidade Empreendedorismo ANJE Fontes de Financiamento Alternativas Sociedades de Capital de Risco, Business Angels, Crowdfunding Como associação

Leia mais

Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar?

Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar? QUESTÕES COLOCADAS PELO JORNALISTA MARC BARROS SOBRE O PROTOCOLO ENTRE A FNABA E O TURISMO DE PORTUGAL Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar? Com propostas para fazer e

Leia mais

Empreendedorismo de Base Tecnológica

Empreendedorismo de Base Tecnológica Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores (LEIC) Alameda 2005-2006 1º Semestre Empreendedorismo de Base Tecnológica Rui Baptista http://in3.dem.ist.utl.pt/pp/rbaptista/0506ebt/

Leia mais

Fóruns da Garantia Mútua, Norgarante - Investir num Mundo de Oportunidades -

Fóruns da Garantia Mútua, Norgarante - Investir num Mundo de Oportunidades - O papel da Instituição Financeira de Desenvolvimento na recapitalização das empresas Fóruns da Garantia Mútua, Norgarante - Investir num Mundo de Oportunidades - Ricardo Luz Administrador Executivo Pousada

Leia mais

Gesventure traz a Portugal Business Angel Europeu do Ano 10º Encontro Gesventure em Cascais, dia 28 de Outubro

Gesventure traz a Portugal Business Angel Europeu do Ano 10º Encontro Gesventure em Cascais, dia 28 de Outubro COMUNICADO DE IMPRENSA 16/10/08 Gesventure traz a Portugal Business Angel Europeu do Ano 10º Encontro Gesventure em Cascais, dia 28 de Outubro A Gesventure está a preparar o X Encontro Gesventure, evento

Leia mais

APOIO E FINANCIAMENTO AO DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS. Criação e desenvolvimento de negócios Soluções de financiamento

APOIO E FINANCIAMENTO AO DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS. Criação e desenvolvimento de negócios Soluções de financiamento APOIO E FINANCIAMENTO AO DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS Criação e desenvolvimento de negócios Soluções de financiamento Lisboa, 21/01/2014 André Março andre.marco@iapmei.pt 1 Acesso a Financiamento Partilha

Leia mais

CAPI CANISM TAL DE O DE C RISCO APIT AL DE RISCO

CAPI CANISM TAL DE O DE C RISCO APIT AL DE RISCO MECANISMO CAPITAL DE CAPITAL DE RISCO DE RISCO António Carvalho A Portugal Ventures InovCapital AICEP Capital Global Turismo Capital Clarificação de objectivos estratégicos e concentração de meios para

Leia mais

DNA CASCAIS. 3 Anos a apoiar Empreendedores. 11 de Março de 2010

DNA CASCAIS. 3 Anos a apoiar Empreendedores. 11 de Março de 2010 DNA CASCAIS 3 Anos a apoiar Empreendedores 11 de Março de 2010 Missão p e n s a r g l o b a l l a g i r l o c a l Ecossistema Empreendedor Parceiros Globais : DNA CASCAIS Ecossistema Empreendedor em Cascais

Leia mais

XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS

XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS Exmo. Senhor Presidente do Grupo Caixa Geral de Depósitos, Engº Fernando Faria de Oliveira Exmo. Senhor Presidente do IAPMEI e da InovCapital, Dr. Luís Filipe

Leia mais

Apoios ao Empreendedorismo Programas Nacionais. Programa Estratégico para o Empreendedorismo e Inovação PROGRAMA +E+I (2011-2015)

Apoios ao Empreendedorismo Programas Nacionais. Programa Estratégico para o Empreendedorismo e Inovação PROGRAMA +E+I (2011-2015) Apoios ao Empreendedorismo Programas Nacionais PEEI Programa Estratégico para o Empreendedorismo e Inovação PROGRAMA +E+I (2011-2015) Programa +E+I Enquadramento Resolução do Conselho de Ministros nº54/16

Leia mais

SISTEMA PORTUGUÊS DE GARANTIA MÚTUAM

SISTEMA PORTUGUÊS DE GARANTIA MÚTUAM SISTEMA PORTUGUÊS DE GARANTIA MÚTUAM José Fernando Figueiredo Presidente do Conselho de Administração Sessão PRIME - Lisboa 4 Fevereiro 2010 POTENCIAR MECANISMOS DO MERCADO... Poupança 2 ... AO LONGO DO

Leia mais

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007 POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP 11 Setembro 2007 Durante o 1º trimestre de 2007, o PIB cresceu 2,0% Crescimento do PIB 2,5% 2,0% 1,5% 1,5% 1,7% 2,0% 1,0% 1,1% 1,0% 0,9% 0,5% 0,5% 0,5% 0,0%

Leia mais

12º VCIT 19/06/2012 DISCURSO DE BOAS VINDAS

12º VCIT 19/06/2012 DISCURSO DE BOAS VINDAS 12º VCIT 19/06/2012 DISCURSO DE BOAS VINDAS Senhor Presidente do IAPMEI, Senhor Presidente do Banco Popular, Senhor Presidente da SPGM, Senhor Presidente da CIP, Senhor Presidente da Comissão Directiva

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

Como trazer um Business Angel para seu parceiro de negócio

Como trazer um Business Angel para seu parceiro de negócio INTRODUÇÃO Como trazer um Business Angel para seu parceiro de negócio Actuando na maioria das vezes na fase inicial de um projecto, a aproximação e a negociação com os B.A assumem por vezes contornos que

Leia mais

UM CONJUNTO INTEGRADO DE SOLUÇÕES PARA APOIAR AS PME

UM CONJUNTO INTEGRADO DE SOLUÇÕES PARA APOIAR AS PME UM CONJUNTO INTEGRADO DE SOLUÇÕES PARA APOIAR AS PME Ana Rosas Ana.rosas@iapmei.pt FINANCIAMENTO Ciclo de Vida das Empresas FINICIA FINCRESCE FINTRANS FINANCIAMENTO FINICIA Projectos de Forte Conteúdo

Leia mais

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI)

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Nº 03 / SAFPRI / 2009 SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) CONSTITUIÇÃO OU REFORÇO DE FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO (FCR) PROJECTOS FASE

Leia mais

O contexto de internacionalização das start-ups. Os desafios dos BA s e suas participadas

O contexto de internacionalização das start-ups. Os desafios dos BA s e suas participadas Os Business Angels O contexto de internacionalização das start-ups Os desafios dos BA s e suas participadas Possíveis apoios governamentais Os BA s têm um papel fundamental no desenvolvimento de ideias

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

Manual da Garantia Mútua

Manual da Garantia Mútua Março de 2007 Manual da Garantia Mútua O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às pequenas, médias e micro empresas (PME), que se traduz fundamentalmente na prestação

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

Actividade de Capital de Risco em Portugal e na Europa Ano de 2007

Actividade de Capital de Risco em Portugal e na Europa Ano de 2007 Associação Portuguesa de Capital de Risco e de Desenvolvimento Maio de 2008 Actividade de Capital de Risco em Portugal e na Europa Principais conclusões Europa Em 2007, o sector do capital de risco registou

Leia mais

IFD. Conferência CIP Relançar o Investimento em Portugal. O Papel da Instituição Financeira de Desenvolvimento

IFD. Conferência CIP Relançar o Investimento em Portugal. O Papel da Instituição Financeira de Desenvolvimento Conferência CIP Relançar o Investimento em Portugal O Papel da Instituição Financeira de Desenvolvimento INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE DESENVOLVIMENTO José Fernando Figueiredo Presidente Executivo Lisboa,

Leia mais

DNA CASCAIS Catalisadora de Empreendedorismo há 7 anos. Marco Fernandes Diretor Executivo

DNA CASCAIS Catalisadora de Empreendedorismo há 7 anos. Marco Fernandes Diretor Executivo DNA CASCAIS Catalisadora de Empreendedorismo há 7 anos Marco Fernandes Diretor Executivo Empreendedorismo e Inovação a nível Municipal O Ecossistema Empreendedor Parceiros Globais : Empreendedorismo Jovem

Leia mais

FUNDO DE CAPITAL DE RISCO GALIZA NORTE DE PORTUGAL

FUNDO DE CAPITAL DE RISCO GALIZA NORTE DE PORTUGAL FUNDO DE CAPITAL DE RISCO GALIZA NORTE DE PORTUGAL 1 FUNDO DE CAPITAL DE RISCO GALIZA NORTE DE PORTUGAL Pág. Objectivos 4 Definição 6 Requisitos necessários 8 Porquê recorrer ao Capital de Risco? 13 Proposta

Leia mais

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI 2ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI Patrocinador Principal Patrocinadores Globais APDSI PME Apoios ao crescimento APDSI

Leia mais

Os instrumentos financeiros no período de programação 2014-2020

Os instrumentos financeiros no período de programação 2014-2020 O Crescimento começa nas cidades Fundo JESSICA Portugal: Balanço e Futuro 4 DE NOVEMBRO 2013 Os instrumentos financeiros no período de programação 2014-2020 Dina Ferreira Instituto Financeiro Desenvolvimento

Leia mais

Definição de Business Angel

Definição de Business Angel BUSINESS ANGELS CLUB ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE INVESTIDORES EM START-UPS CÓDIGO DE CONDUTA Definição de Business Angel Os Business Angels são investidores individuais que investem, directamente ou através

Leia mais

Tendências na Europa. Melhorias de desempenho a curto-prazo, evidenciam recuperação dos níveis de rendibilidade da indústria.

Tendências na Europa. Melhorias de desempenho a curto-prazo, evidenciam recuperação dos níveis de rendibilidade da indústria. Maio 25 Tendências na Europa O investimento europeu em private equity aumenta 5% em 24. De acordo com os dados preliminares divulgados pela EVCA (os finais serão conhecidos em Junho), o investimento total

Leia mais

Global Incentives Solutions*

Global Incentives Solutions* Incentives Solutions Global Incentives Solutions* Informação sobre incentivos ao investimento Número 6, Outubro de 2007 *connectedthinking What s hot Assinatura dos Programas Operacionais (PO) No passado

Leia mais

Oficinas E2 Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra. Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira

Oficinas E2 Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra. Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira Oficinas E2 Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira 18 de Maio de 2011 1 Modelo de análise económico-financeira 2 Modelo de análise económico-financeira

Leia mais

IFD. Debate ao almoço Associação Empresarial de Portugal

IFD. Debate ao almoço Associação Empresarial de Portugal O Papel da Instituição Financeira de Desenvolvimento no apoio ao Financiamento das Empresas Portuguesas Debate ao almoço Associação Empresarial de Portugal INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE DESENVOLVIMENTO José

Leia mais

A Portugal Ventures está á procura de projetos com as seguintes características:

A Portugal Ventures está á procura de projetos com as seguintes características: 1. O que é o Candidatura ao FIAEA? Este programa de apoio ao empreendedorismo, é uma iniciativa liderada pela SDEA e pela Portugal Ventures, que visa fortalecer o ecossistema de empreendedorismo nas áreas

Leia mais

A Concepção da Ideia

A Concepção da Ideia A Concepção da Ideia Inov@emprego - Fórum do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano Tiago Santos Sines, 7 de Novembro de 2008 Sines Tecnopolo O Sines Tecnopolo é uma associação de direito

Leia mais

Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise?

Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise? Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise? O sector empresarial sente a crise como está a sentir a restante sociedade. A elevada taxa de desemprego de 12,3% traduz bem o drama social

Leia mais

Pedro Gomes Nunes. Director Execu,vo. Janeiro 2015. www.risa.pt

Pedro Gomes Nunes. Director Execu,vo. Janeiro 2015. www.risa.pt Pedro Gomes Nunes Director Execu,vo Janeiro 2015 ÁREAS DE NEGÓCIO Estudos e Projectos RISA - Apresentação + 20 anos de experiência + 1.500 candidaturas a Fundos Comunitários aprovadas. + 1,6 mil milhões

Leia mais

Apresentação de 4 anos de actividade. DNA Cascais. Apoiamos Empreendedores

Apresentação de 4 anos de actividade. DNA Cascais. Apoiamos Empreendedores Apresentação de 4 anos de actividade DNA Cascais Apoiamos Empreendedores 7 de Fevereiro 27 de Outubro de 2011 de 2010 ECOSSISTEMA EMPREENDEDOR COMO INDUTOR DO TALENTO E DA SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA E

Leia mais

Mais de 30 anos ao serviço das PME s

Mais de 30 anos ao serviço das PME s Mais de 30 anos ao serviço das PME s Historial 1977 Fundação da RISA pelo seu actual Chairman João Artur Rosa 1977 Área de negócio inicial: consultoria em contabilidade e fiscalidade 1984 Criação de um

Leia mais

1º CONGRESSO DE EMPRESAS D e Casc ai s p a r a o Mu n d o

1º CONGRESSO DE EMPRESAS D e Casc ai s p a r a o Mu n d o 1º CONGRESSO DE EMPRESAS D e Casc ai s p a r a o Mu n d o AUDITÓRIO CASA DAS HISTÓRIAS PAULA REGO - CASCAIS - 15 DE OUTUBRO DE 20 14 Apresentação do Ecossistema Empreendedor em Cascais Apresentação da

Leia mais

PROGRAMA FINICIA IAPMEI IAPMEI IAPMEI IAPMEI POTENCIAR TALENTOS. Objectivos da Área de Negócio Financiamento Empresarial.

PROGRAMA FINICIA IAPMEI IAPMEI IAPMEI IAPMEI POTENCIAR TALENTOS. Objectivos da Área de Negócio Financiamento Empresarial. PROGRAMA FINICIA POTENCIAR TALENTOS O tem por missão promover a inovação e executar políticas de estímulo ao desenvolvimento empresarial, visando o reforço da competitividade e da produtividade das empresas,

Leia mais

O desemprego como oportunidade Fundo Bem Comum

O desemprego como oportunidade Fundo Bem Comum Working Draft Last Modified 30/01/2007 18:09:06 GMT Standard Time O desemprego como oportunidade Fundo Bem Comum Conferência Mercado Laboral: A responsabilidade social das empresas em tempo de crise OJE

Leia mais

DISCURSO DE ABERTURA DO IV CONGRESSO NACIONAL DE BUSINESS ANGELS DE ENCERRAMENTO DA 8ª SEMANA NACIONAL DE BUSINESS ANGELS

DISCURSO DE ABERTURA DO IV CONGRESSO NACIONAL DE BUSINESS ANGELS DE ENCERRAMENTO DA 8ª SEMANA NACIONAL DE BUSINESS ANGELS DISCURSO DE ABERTURA DO IV CONGRESSO NACIONAL DE BUSINESS ANGELS DE ENCERRAMENTO DA 8ª SEMANA NACIONAL DE BUSINESS ANGELS E GUIMARÃES, 21 de Novembro de 2014 Exmo. Senhor Presidente da CIM AVE, Senhor

Leia mais

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte

Leia mais

apresentação corporativa

apresentação corporativa apresentação corporativa 2 Índice 1. Apresentação da BBS a) A empresa b) Evolução c) Valores d) Missão e Visão 2. Áreas de Negócio a) Estrutura de Serviços b) Accounting/Tax/Reporting c) Management & Consulting

Leia mais

DNA CASCAIS Catalisadora de Empreendedorismo há 7 anos. Principais Resultados da Atividade

DNA CASCAIS Catalisadora de Empreendedorismo há 7 anos. Principais Resultados da Atividade DNA CASCAIS Catalisadora de Empreendedorismo há 7 anos Principais Resultados da Atividade Empreendedorismo e Inovação a nível Municipal O Ecossistema Empreendedor Parceiros Globais : Empreendedorismo Jovem

Leia mais

Programa FINICIA Financiamento de Start up inovadoras. Universidade de Évora, 13 de Dezembro de 2007

Programa FINICIA Financiamento de Start up inovadoras. Universidade de Évora, 13 de Dezembro de 2007 Programa FINICIA Financiamento de Start up inovadoras Universidade de Évora, 13 de Dezembro de 2007 O parceiro das PME 2 Missão Visão Produtos e Serviços Facilitar e assistir as PME nas suas estratégias

Leia mais

SISTEMA PORTUGUÊS DE GARANTIA MÚTUA

SISTEMA PORTUGUÊS DE GARANTIA MÚTUA SISTEMA PORTUGUÊS DE GARANTIA MÚTUA Prof Braga de Macedo Agosto de 2011 José Fernando Figueiredo Presidente da SPGM, das SGM e da Associação Europeia do sector AGENDA 1. NECESSIDADES DAS EMPRESAS PORTUGUESAS

Leia mais

Financiamento de Projectos Empresariais e Apoio ao Empreendedorismo. Auditório do Centimfe Marinha Grande

Financiamento de Projectos Empresariais e Apoio ao Empreendedorismo. Auditório do Centimfe Marinha Grande Financiamento de Projectos Empresariais e Apoio ao Empreendedorismo Auditório do Centimfe Marinha Grande 02 de Março de 2005 O que é o negócio do Capital de Risco O Capital de Risco e o Crédito Bancário

Leia mais

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar Serviços Conquistar um lugar à mesa nas reservas on-line Até há bem pouco tempo Portugal não contava com um serviço especializado para reservar mesas em restaurantes através da Internet. Este ano ganhou

Leia mais

CFI - Código Fiscal ao Investimento - DL 162/2014 de 31 Outubro

CFI - Código Fiscal ao Investimento - DL 162/2014 de 31 Outubro CFI - Código Fiscal ao Investimento - DL 162/2014 de 31 Outubro Generalidades Aplicação a investimentos realizados a partir de 1 Janeiro de 2014 (excepto para efeito de apuramento dos limites máximos dos

Leia mais

Empreendedorismo e Inovação O Futuro dos Empresários e PME com Ambição. Luis Costa Direcção de Marketing e Comunicação Banif

Empreendedorismo e Inovação O Futuro dos Empresários e PME com Ambição. Luis Costa Direcção de Marketing e Comunicação Banif Empreendedorismo e Inovação O Futuro dos Empresários e PME com Ambição Agenda 01 02 03 04 05 BANIF ID IMPORTÂNCIA DO EMPREENDEDORISMO: ECOSSISTEMA VITAL PRODUTOS E ABORDAGEM COMERCIAL: SOLUÇÕES BANIF EMPREENDER

Leia mais

IFD FINANCIAMENTO ÀS PME S. Fórum Exportador Cedrac INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE DESENVOLVIMENTO

IFD FINANCIAMENTO ÀS PME S. Fórum Exportador Cedrac INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE DESENVOLVIMENTO Fórum Exportador Cedrac IFD FINANCIAMENTO ÀS PME S INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE DESENVOLVIMENTO Guimarães, 12 de Junho de 2015 Maria João Nunes Administradora Executiva da IFD Missão, Ambição e Enquadramento

Leia mais

Linha Específica. Dotação Específica do Têxtil, Vestuário e Calçado CAE das divisões 13, 14 e 15

Linha Específica. Dotação Específica do Têxtil, Vestuário e Calçado CAE das divisões 13, 14 e 15 IAPMEI/DGAE (www.iapmei.pt / www.dgae.pt) PME Invest (Linha de Crédito com juro bonificado) Linha de Crédito PME Investe III Condições e processo de candidatura A Condições 1. Condições a observar pelas

Leia mais

Apresentação de 4 anos de actividade. DNA Cascais. Apoiamos Empreendedores

Apresentação de 4 anos de actividade. DNA Cascais. Apoiamos Empreendedores Apresentação de 4 anos de actividade DNA Cascais Apoiamos Empreendedores Janeiro 27 de 2011 Outubro de 2010 ECOSSISTEMA EMPREENDEDOR COMO INDUTOR DO TALENTO E DA SUSTENTABILIDADE ECONÓMICA E SOCIAL Parceiros

Leia mais

Tendo em conta a conjuntura actual, como caracteriza o sector do capital de risco?

Tendo em conta a conjuntura actual, como caracteriza o sector do capital de risco? Tendo em conta a conjuntura actual, como caracteriza o sector do capital de risco? Como nos restantes sectores da actividade económica, também o mundo do capital de risco e das start-ups se encontra a

Leia mais

INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS

INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS Porto Business School IFD O que podem esperar as empresas? INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE DESENVOLVIMENTO Ricardo Luz Administrador Executivo da IFD 16 de Junho de 2015

Leia mais

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJECTO Facilitar o acesso ao crédito por parte das PME, nomeadamente através da bonificação de taxas de juro e da minimização

Leia mais

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade 1 QREN. 2007-2013 Conhecimento e inovação Produção transaccionável QREN 2007-2013 Competitividade Financiamento Empresarial Eficiência da Administração Pública Convergência com a UE Perfil de especialização

Leia mais

ECONOMIA E EMPREENDEDORISMO

ECONOMIA E EMPREENDEDORISMO ECONOMIA E Rui Leão Martinho Junho 2013 O O termo empreendedor é derivado da palavra francesa entrepreneur e foi usada pela primeira vez em 1725, pelo economista irlandês Richard Cantillon, reconhecido

Leia mais

Soluções de Financiamento para a Internacionalização

Soluções de Financiamento para a Internacionalização Soluções de Financiamento para a Internacionalização por João Real Pereira Internacionalização para Moçambique Oportunidades e Financiamento 15 de Março de 2012 Braga Sumário 1. O que é a SOFID? Estrutura

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha de Apoio à Tesouraria Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Tenham um volume de facturação anual inferior a 150 milhões de euros Desenvolvam

Leia mais

Fundo Caixa Crescimento. Junho de 2015

Fundo Caixa Crescimento. Junho de 2015 Fundo Caixa Crescimento Junho de 2015 O que é o Capital de Risco Modalidades O Capital de Risco constitui uma forma de financiamento de longo prazo das empresas, realizado por investidores financeiros

Leia mais

Acordo de Parceria para o Investimento

Acordo de Parceria para o Investimento FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Acordo de Parceria para o Investimento Caixa Capital Federação Nacional das Associações de Business Angels 7 de Outubro de 2009 Sociedade

Leia mais

FINICIA. Como funciona?

FINICIA. Como funciona? FINICIA O FINICIA consiste no financiamento bancário em regime bonificado para a criação de novas microempresas e para expansão de atividades de empresas já constituídas na fase inicial do seu ciclo de

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Projectos de Empreendedorismo Qualificado EMPREENDEDORISMO FEMININO EMPREENDEDORISMO JOVEM EMPREENDEDORISMO GERAL EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Projectos aprovados pelo PO Norte BRB

Leia mais

Facilitar. o acesso ao Financiamento. Direcção de Participadas e Instrumentos Financeiros AM-DPIF

Facilitar. o acesso ao Financiamento. Direcção de Participadas e Instrumentos Financeiros AM-DPIF Facilitar o acesso ao Financiamento 1 Direcção de Participadas e Instrumentos Financeiros INOFIN Programa Quadro de Inovação Financeira INOVAÇÃO FINANCEIRA Intervenção indirecta do Estado a favor das PME

Leia mais

Linhas de Crédito PME INVESTE IV

Linhas de Crédito PME INVESTE IV Linhas de Crédito PME INVESTE IV SECTORES EXPORTADORES MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Linhas de Crédito Bonificado com Garantia Mútua UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Gestão Marketing

Leia mais

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são:

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Operadores financeiros que prestam às instituições bancárias as garantias que lhes permitem disponibilizar às PME empréstimos em condições mais favoráveis. Ao partilhar

Leia mais

Projecto Factor PME O FACTOR PME É UM PROJECTO DE FINANCIAMENTO QUE VISA POTENCIAR A COMPETITIVIDADE DAS PME. www.trigenius.pt factorpme@trigenius.

Projecto Factor PME O FACTOR PME É UM PROJECTO DE FINANCIAMENTO QUE VISA POTENCIAR A COMPETITIVIDADE DAS PME. www.trigenius.pt factorpme@trigenius. Projecto Factor PME Junho 2011 O FACTOR PME É UM PROJECTO DE FINANCIAMENTO QUE VISA POTENCIAR A COMPETITIVIDADE DAS PME www.factorpme.aip.pt www.trigenius.pt factorpme@trigenius.pt Âmbito e Objectivos

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE PROJECTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA E DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. Selfenergy

PROGRAMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE PROJECTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA E DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. Selfenergy PROGRAMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE PROJECTOS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA E DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Selfenergy PARCEIRO: SCT Consulting SOLVING CHALLENGES TOGETHER Uma empresa com energia A Vivapower é uma

Leia mais

candidatura regras e regulamento artigo 1 objectivos

candidatura regras e regulamento artigo 1 objectivos candidatura regras e regulamento artigo 1 objectivos A candidatura é um processo de prospecção e avaliação de projectos inovadores e tem como objectivo promover a realização de investimentos através do

Leia mais

DISCURSO DE ABERTURA DA II SEMANA NACIONAL DE BUSINESS ANGELS (SESSÃO DO ESTORIL)

DISCURSO DE ABERTURA DA II SEMANA NACIONAL DE BUSINESS ANGELS (SESSÃO DO ESTORIL) DISCURSO DE ABERTURA DA II SEMANA NACIONAL DE BUSINESS ANGELS (SESSÃO DO ESTORIL) Exmo. Senhor Secretário de Estado Adjunto da Indústria e Inovação, Prof. Doutor António Castro Guerra Exmo. Senhor Vice-Presidente

Leia mais

SE CHALLENGE. Ideias e projectos de empreendedores sociais ATREVE-TE A CONCORRER! És interessado, dedicado e comprometido com a transformação social?

SE CHALLENGE. Ideias e projectos de empreendedores sociais ATREVE-TE A CONCORRER! És interessado, dedicado e comprometido com a transformação social? SE SIM És interessado, dedicado e comprometido com a transformação social? Ideias e projectos de empreendedores sociais És um agente de mudança social? Se sim, este concurso é a oportunidade ideal para

Leia mais

minigeração # SINERGIAE Engineering for life...

minigeração # SINERGIAE Engineering for life... minigeração # SINERGIAE Engineering for life... O grupo SINERGIAE 2 í ndice O Grupo SINERGIAE... 3 O Que é a Minigeração... 4 Público Alvo... 5 Vantagens & Condições... 6 As nossas soluções... 7 Como fazer...

Leia mais

Posicionamento Estratégico e Fundo de Apoio ao Empreendedorismo

Posicionamento Estratégico e Fundo de Apoio ao Empreendedorismo Posicionamento Estratégico e Fundo de Apoio ao Empreendedorismo FUNDAÇÃO AEP Fomentar uma verdadeira cultura de empreendedorismo, da valorização e dignificação do papel social do empresário e da modernização

Leia mais

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas PME Investe VI Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito visa facilitar o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas de todos os sectores de actividade,

Leia mais

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Área de Mercado de Capitais BNDES Desenvolvendo a Governança Corporativa Eduardo Rath Fingerl Diretor 02/06/2006 www.bndes.gov.br 1 de 23 Atuação

Leia mais

Linha de Financiamento a Operações desenvolvidas por Business Angels

Linha de Financiamento a Operações desenvolvidas por Business Angels Linha de Financiamento a Operações desenvolvidas por Business Angels 18 fevereiro 2014 2 AGENDA A PME Investimentos e o FINOVA Enquadramento das Linhas de Financiamento a BA por BA Iniciativas de Promoção

Leia mais

Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM. Fundo de Contragarantia Mútuo

Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM. Fundo de Contragarantia Mútuo Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM Fundo de Contragarantia Mútuo Sessões Turismo de Portugal, Abril 2010 Apresentação Segmentos de Actuação Linhas de Oferta

Leia mais

POLÍTICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

POLÍTICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO POLÍTICAS DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Lisboa, 09 de julho de 2015 Índice 1 - O conceito de Investigação e Inovação 2 - A Inovação Tecnológica e o Sistema Científico 3 - A Inovação Tecnológica e a

Leia mais