Instituto dos Pupilos do Exército

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto dos Pupilos do Exército"

Transcrição

1 Instituto dos Pupilos do Exército REGULAMENTO DE UNIFORMES DO ALUNO (a vigorar a partir de Setembro de 2010)

2 Nota Prévia O Regulamento de Uniformes do aluno do Instituto dos Pupilos do Exército, atende a princípios basilares que não podem ser esquecidos por quem tenha o dever de assegurar a coesão material e moral dos alunos deste Instituto: 1.O Instituto, elemento preponderante de ensino da estrutura militar, deve desenvolver entre os alunos que o servem o espírito de coesão, fortalecendo a própria consciência nacional, missão para a qual o uniforme muito contribui; 2.O Instituto, constitui uma instituição social de grandeza e importância eminentemente nacional, sendo um fiel depositário da consciência de um passado comum e gerador da força anímica indispensável em todos os momentos, pelo que, a sua apresentação em público, o atavio, a distinção e dignidade dos alunos, sem perder de vista a virtude da sobriedade, deverão ser instrumentos de uma acção educativa, cívica e um elo fundamental da disciplina. Observados estes postulados, não é difícil compreender as disposições do presente Regulamento, de forma a torná-las mais claras e elucidativas, contribuindo decisivamente para o reconhecimento generalizado do interesse na correcta utilização do uniforme, no reforço do espírito de corpo e da disciplina referenciados no poema do Prof. Artur Lobo de Campos, quando este dizia que ser Pupilo É ter orgulho de vestir a farda Que a Honra e Brio do Soldado encerra Regulamento de Uniformes do Aluno Pág. 2 de 36 Págs

3 ÍNDICE CAPÍTULO I Disposições Gerais... 4 Artigo 1º... 4 Artigo 2º... 4 Artigo 3º... 4 Artigo 4º... 4 Artigo 5º... 4 Artigo 6º... 4 Artigo 7º... 4 Artigo 8º... 4 Artigo 9º... 5 CAPÍTULO II Plano de Uniformes... 5 SECÇÃO I Generalidades... 5 Artigo 10º... 5 Artigo 11º... 5 SECÇÃO II Tipologia... 5 Artigo 12º... 5 Artigo 13º SECÇÃO III Descrição Artigo 14º CAPÍTULO III Artigos Complementares Artigo 15º Artigo 16º CAPÍTULO IV Distintivos e Medalhas Artigo 17º Artigo 18º Artigo 19º De Postos Artigo 20º De Situações Diversas Artigo 21º Medalhas Artigo 22º Modelo das Fitas e Medalhas CAPÍTULO V Disposições Finais SECÇÃO I ENXOVAL Artigo 23º Artigos de Modelo Exclusivo do IPE Artigo 24º Artigos de Modelo Não Exclusivo do IPE SECÇÃO II Alterações ao Regulamento Artigo 25º Alterações ao Regulamento Artigo 26º Revisão do Regulamento CAPÍTULO VI Figuras e etiquetagem SECÇÃO I Figuras Artigo 27º SECÇÃO II Etiquetagem Artigo 28º Regulamento de Uniformes do Aluno Pág. 3 de 36 Págs

4 CAPÍTULO I Disposições Gerais INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO Artigo 1º O Regulamento de Uniformes do Aluno do Instituto dos Pupilos do Exército (RUAIPE) define os diversos artigos de uniforme, as suas condições de utilização e as normas referentes à sua confecção, em qualidade, dimensões, cores e feitio. Artigo 2º Sob a designação de artigos de uniforme agrupam-se as peças de vestuário e outros artigos que, quando usados, identifiquem os seus utentes como alunos do IPE, podendo igualmente identificar a função e a posição hierárquica que ocupam. Artigo 3º Todos os alunos e respectivos Encarregados de Educação são obrigados à estrita observância das disposições deste regulamento de uniformes, não sendo permitido alterar as dimensões e a forma que sejam fixadas, nem substituir a matéria dos artefactos nele prescritos. Artigo 4º A todos os militares, docentes e alunos, qualquer que seja a sua graduação, compete zelar pelo cumprimento deste regulamento e participar as infracções de que tiver conhecimento. Artigo 5º Compete ao Director do Instituto, estabelecer o uso dos diferentes artigos de uniforme em função, das condições climatéricas, dos serviços ou tarefas a executar, ou dos locais onde são executados. Artigo 6º Todo o aluno deve apresentar-se devida e rigorosamente uniformizado. Deve igualmente cuidar da limpeza e conservação dos artigos de fardamento e, em obediência às regras da sua confecção, não lhes introduzir alterações que modifiquem a configuração e dimensões regulamentadas. Artigo 7º O uso de uniforme é obrigatório nas aulas, em serviço e nos actos de serviço ou de representação no exterior do Instituto, não sendo permitido o uso, ou existência, de traje civil no interior do Instituto a não ser em casos superiormente autorizados e em situações muito especificas. Artigo 8º Não é permitido o uso de artigos de fardamento ou de elementos desses artigos com traje civil. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 4 de 36 Págs

5 Artigo 9º Não é permitido o uso do uniforme ao aluno: 1. Que exerça ou represente actividades privadas, ou que, de qualquer forma, a elas esteja ligado em actos que directa ou indirectamente se relacionem com essas actividades; 2. Envolvido em actividades de carácter político, eleitoral ou partidário; 3. Autorizado a actuar em espectáculos, quando não integrado em representação do Instituto durante essa actuação; 4. Após a data do seu abate ao efectivo do Instituto. CAPÍTULO II Plano de Uniformes SECÇÃO I Generalidades Artigo 10º Aos tipos de uniformes referidos nas tabelas anexas, são atribuídas as referências em conformidade com as Normas de Protocolo das Forças Armadas (NPFA), sendo descritos sumariamente e apresentadas as ocasiões em que devem ser usados. Artigo 11º Sob a designação de artigos de uniforme, constante nas tabelas anexas, agrupam-se em peças de vestuário, calçado e outros artigos que devem ser usados de acordo com a ocasião a que se destinam, bem assim como a identificação da categoria hierárquica dos seus utilizadores. SECÇÃO II Tipologia Artigo 12º Os uniformes constantes neste regulamento agrupam-se em: 1. Uniforme de Cerimónia Tipo A Tipo B 2. Uniforme de Saída 3. Uniforme de Serviço Interno; 4. Uniforme de Ginástica; 5. Outros Artigos Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 5 de 36 Págs

6 TABELA DE FARDAMENTO A QUE SE REFERE O Nº1 DO ARTº12º INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO UNIFORME A UTILIZAR DESCRIÇÃO SUMÁRIA CAPº ARTº REFª PARAGº OCASIÕES EM QUE DEVE SER USADO BARRETINA COMPLETA COM PENACHO 4 DOLMAN DE SAÍDA 26 CALÇA AZUL DE SAÍDA CAMISA BRANCA SEM COLARINHO Jantares e bailes em que assistam Altas Entidades; GRANADEIRAS CINTURÃO DE ANTA BRANCA LUVAS BRANCAS PEUGA PRETA DE ALGODÃO SAPATO PRETO DE CALFE MEDALHAS E CONDECORAÇÕES Funerais de Altas Entidades; 3. Grandes solenidades: a. Récitas de gala com a presença de Altas Entidades; b. Eventos em que o traje seja o grande uniforme do Exército ou a casaca civil; c. Guardas de Honra e formaturas, quando superiormente determinado. UNIFORME CERIMÓNIA TIPO A OBS: Quando integrado em formatura as luvas serão calçadas, quando isolado poder-se-ão transportar na mão. Em desfiles e guardas de honra: suspensórios de anta branca com cartucheiras e bandoleiras de anta branca nas espingardas. Os graduados fazendo uso de espada em vez dos suspensórios usam suspensão de espada e canana de anta branca. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 6 de 36 Págs

7 TABELA DE FARDAMENTO A QUE SE REFERE O Nº1 DO ARTº12º INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO UNIFORME A UTILIZAR DESCRIÇÃO SUMÁRIA CAPº ARTº REFª PARAGº OCASIÕES EM QUE DEVE SER USADO BARRETE DE SAÍDA. 2 DOLMAN DE SAÍDA 26 CALÇA AZUL DE SAÍDA 9 CAMISA BRANCA SEM COLARINHO 14 GRANADEIRAS 32 UNIFORME CERIMÓNIA TIPO B CINTURÃO DE ANTA BRANCA LUVAS BRANCAS PEUGA PRETA DE ALGODÃO SAPATO PRETO DE CALFE MINIATURAS DAS MEDALHAS Em actos oficiais ou particulares, em concorrência com o fraque ou com a jaqueta do Exército, ou quando os civis usem casaco preto e calça de fantasia; 2. Jantares e bailes oficiais não designados no nº1 do Uniforme A; 3. Bailes e jantares de grande cerimónia, ou de pequena cerimónia, em concorrência com o Smoking civil;espectáculos nocturnos de ópera, ballet ou saraus musicais que exijam traje de cerimónia. OBS: Quando integrado em formatura as luvas serão calçadas, quando isolado poder-se-ão transportar na mão. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 7 de 36 Págs

8 TABELA DE FARDAMENTO A QUE SE REFERE O Nº2 DO ARTº12º INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO UNIFORME A UTILIZAR DESCRIÇÃO SUMÁRIA CAPº ARTº REFª PARAGº OCASIÕES EM QUE DEVE SER USADO BARRETE DE SAÍDA. DOLMAN DE SAÍDA 2 26 Nas situações referidas no Regulamento de Uniformes do Exército onde está consignado o uso de Uniforme Nº1 G. CALÇA AZUL DE SAÍDA 9 CAMISA BRANCA SEM COLARINHO 14 LUVAS CASTANHAS 36 PEUGA PRETA DE ALGODÃO 39 SAPATO PRETO DE CALFE 42 MINIATURAS DAS MEDALHAS UNIFORME DE SAÍDA OBS: Quando integrado em formatura as luvas serão calçadas, quando isolado poder-se-ão transportar na mão Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 8 de 36 Págs

9 TABELA DE FARDAMENTO A QUE SE REFERE O Nº3 DO ARTº12º INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO UNIFORME A UTILIZAR DESCRIÇÃO SUMÁRIA CAPº ARTº REFª PARAGº OCASIÕES EM QUE DEVE SER USADO BARRETE DE SERVIÇO INTERNO BLUSÃO DE SERVIÇO INTERNO CALÇA DE SERVIÇO INTERNO CAMISA CINZENTA COM MANGA Serviço interno diário incluindo em Sala de Aula e Internato. 2. Formaturas de Serviço Interno, quando superiormente determinado. CAMISA CINZENTA COM M/MANGA 16 GRAVATA DE FUNDO AZUL 33 BOTAS PRETAS DE MEIO-CANO 6 PEÚGAS DE ENCHIMENTO PARA BOTAS 37 CINTO DE CABEDAL PRETO 24 SAIA DE SERVIÇO INTERNO (ALTERNATIVA FEMININO) 40 UNIFORME DE SERVIÇO INTERNO LAÇO PRETO (ALTERNATIVA FEMININO) SAPATO PRETO DE CALFE (ALTERNATIVA FEMININO) OBS: No período estival utiliza-se a camisa de meia manga em substituição da camisa com manga, retirando-se a gravata. No período invernoso utiliza-se a camisola de gola alta azul em vez da camisa. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 9 de 36 Págs

10 TABELA DE FARDAMENTO A QUE SE REFERE O Nº4 DO ARTº12º INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO UNIFORME A UTILIZAR DESCRIÇÃO SUMÁRIA CAPº ARTº REFª PARAGº OCASIÕES EM QUE DEVE SER USADO FATO DE TREINO 30 CALÇÕES DE GINÁSTICA 12 CAMISOLA DE GINÁSTICA 17 PEUGAS BRANCAS SAPATOS DE TÉNIS OU SAPATILHAS Aulas de Educação Física; 2. Representação de âmbito desportivo do IPE no exterior. UNIFORME DE GINÁSTICA OBS: Em tempo frio, ou em condições atmosféricas adversas pode utilizar-se capa impermeável ou capote nos deslocamentos. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 10 de 36 Págs

11 Artigo 13º Em tempo de frio, ou em condições atmosféricas adversas é permitido o uso de abafos de acordo com a seguinte tabela: ABAFOS Camisola de lã azul de gola alta Capa impermeável Capote / Capa Azul OCASIÕES EM QUE DEVE SER USADO Uniforme de Serviço Interno Todos Todos SECÇÃO III Descrição Artigo 14º Os artigos de uniforme são descritos por ordem alfabética. 1. Bandoleira (Cap. VI Fig. 1) Manufacturada em pele de anta de cor branca com 80 cm de comprimento, 2,8 cm de largura e 0,3 cm de espessura, tendo nas suas extremidades uma dobra de 5 cm com dois furos nos quais se coloca uma cavilha destinada à fixação da bandoleira na arma. 2. Barrete de Saída (Cap. VI Fig. 2) Confeccionado em tecido poliéster e lã de cor azul-índigo com branco, cilíndrico, de 6 cm de altura; dividido em três partes iguais, sendo a parte central avivada de pano preto; terá um francalete com passador de couro preto envernizado, seguro por dois botões de metal amarelo, pequenos e lisos. No centro do tampo um botão de pano preto de 2 cm de diâmetro. Na frente do barrete terá o emblema do Instituto (IPE). 3. Barrete de Serviço Interno (Cap. VI Fig. 3) Confeccionado em tecido de mescla azul na cor da farda, cilíndrico, de 6 cm de altura; dividido em três partes iguais, sendo a parte central avivada de pano preto; terá um francalete com passador de couro preto envernizado, seguro por dois botões de metal amarelo, pequenos e lisos. No centro do tampo um botão de pano preto de 2 cm de diâmetro. Na frente do barrete terá o emblema do Instituto (IPE). 4. Barretina Completa com Penacho (Cap. VI Fig. 4) Do mesmo pano da farda, com a forma e dimensões do modelo existente no Instituto. A pala será de couro preto envernizado. As tiras de couro preto envernizado existentes no corpo da barretina são cosidas, Na frente, 3 cm acima da pala, um emblema representando a Esfera Armilar Portuguesa ladeada de 2 vergonteas de loureiro, tendo os castelos e as quinas sobrepostas à esfera. Este conjunto é colocado por cima do emblema do Instituto (IPE). Francalete com passador, de couro preto envernizado, abotoado a dois botões de metal amarelo, pequenos e lisos. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 11 de 36 Págs

12 O penacho é de pêlo branco de cabra solto e com a dimensão de 15 cm, metido num cone de metal dourado que se fixa na barretina. 5. Blusão Azul de Serviço Interno Blusão azul-escuro, fabricado em poliéster, sendo ligeiramente cintado; aperta à frente por intermédio de fecho de correr. Os forros são de cetim azul com enchimento. Punhos e cós em malha da mesma cor. Na frente existem dois bolsos. O símbolo IPE é bordado sobre o peito, do lado esquerdo. Nos ombros, sobre as costuras e com fixação da costura da manga, são aplicadas as platinas, que abotoam junto à gola com botões azuis de massa pequenos. Interiormente possui uma algibeira do lado esquerdo com 11 cm de abertura, abotoando através de um botão interior central. 6. Botas Pretas de Meio Cano (Cap. VI Fig. 5) Manufacturadas em pele de vaca de flor batida, de cor preta; é cosida com linha de nylon de filamento contínuo sendo montada sobre palmilha de sola; com meio-cano de 15 cm a 20 cm, é ponteada a toda a volta das entressolas de montagem e sola, com colagem em borracha; a sola com tacão em borracha é fixada à entressola por meio de colagem. Fecha por intermédio de atacador tubular entrelaçado em fio de poliamida com alma de algodão, através de oito pares de ilhós metálicos com 0,5 cm de diâmetro. 7. Botões de Baquelite (Cap. VI Fig. 6) Manufacturados em plástico (ureia formaldeido), de cor verde-escuro, com cinco quinas inscritas, existindo dois tamanhos com as seguintes dimensões: a. Grande: Diâmetro 2,5 cm Altura1,0 cm b. Pequeno: Diâmetro1,5 cm Altura0,8 cm As quinas com 0,5 x 0,3 cm são inscritas numa zona rectangular de 1,3 x 0,95 cm. 8. Botões de Metal Dourado (Cap. VI Fig. 7) Manufacturados em metal dourado, lisos e convexos, com forma circular, existindo em dois tamanhos com as seguintes dimensões: Grande: Diâmetro2,0 cm Altura1,5 cm Pequeno: Diâmetro1,5 cm Altura1,5 cm Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 12 de 36 Págs

13 9. Calça Azul de Saída (Cap. VI Fig. 8) Confeccionada em tecido de poliéster e lã de cor azul-índigo com branco e compõe-se de frentes, traseiras, cós e bolsos. As frentes levam uma pinça em cada um dos lados, fechando por meio de braguilha que abotoa com quatro botões. As traseiras têm um bolso metido do lado direito com 12 cm de abertura e que abotoa interiormente. O cós, forrado com um tecido azul-escuro, abotoa por meio de um botão exterior, tendo a largura de 4,5 cm; leva 7 passadeiras estreitas com 6 cm de comprimento e 1,5 cm de largura. As calças são folgadas em toda a perna possuindo riscos de pano preto em cada costura exterior. Nas costuras das ilhargas, as calças levam dois bolsos metidos com 14,5 cm de abertura. As bainhas são direitas. 10. Calça Azul de Serviço Interno Confeccionada em tecido de poliéster e lã de cor azul, compõe-se de frentes, traseiras cós e bolsos. As frentes levam uma pinça de cada um dos lados, fechando por meio de braguilha que abotoa com quatro botões. As traseiras levam um bolso de cada lado, com portinhola em bico que abotoa interiormente, colocados a 4 cm da linha do cós. O cós, forrado do mesmo tecido, abotoa por meio de um botão exterior, tem a largura de 4,5 cm, leva 7 passadeiras estreitas. Nas costuras das ilhargas, as calças levam dois bolsos metidos com 14,5 cm de abertura. As bainhas são direitas. 11. Calção de Banho para piscina (Cap. VI Fig. 9) Confeccionado em Lycra de cor azul. À frente sobre o lado esquerdo tem uma risca branca com a barretina do IPE. 12. Calção de Ginástica (Cap. VI Fig. 10) Confeccionado em algodão de cor azul; é fechado e ajusta-se à cintura por um elástico trabalhando dentro de uma bainha de 3 cm de largura a toda a volta da cintura. Por dentro tem uma cueca branca presa à bainha confeccionada em algodão. Estendem-se um pouco acima do joelho. 13. Canana (talabarte com cartucheira) (Cap. VI Fig. 11) Manufacturada em pele de anta de cor branca, constituída por um talabarte com 4 cm de largura para transporte a tiracolo e uma cartucheira em forma paralelepipédica com 15 cm de comprimento, 7,5 cm de altura e 3 cm de largura, com as extremidades em bico. A cartucheira prende-se ao talabarte por intermédio de duas presilhas laterais, presas por quatro rebites prateados de 0,8 cm de diâmetro e de um fecho inferior constituído por um nó. Na aba frontal da cartucheira é aplicado um emblema prateado com as letras IPE rodeado de uma palma dourada. 14. Camisa Branca sem Colarinho (Cap. VI Fig. 12) Confeccionada em tecido de algodão branco, compondo-se de frentes, costas e mangas. A camisa é lisa e sem colarinho. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 13 de 36 Págs

14 15. Camisa Cinzenta com Manga Confeccionada em algodão e poliéster de cor cinzenta, compõe-se de frentes, costas, mangas, bolsos e colarinho. Tem, na frente, dois bolsos sobrepostos de cantos cortados com macho central e portinholas em bico fechando por botão; tem uma abertura porta canetas no bolso esquerdo. As mangas são compridas. Tem platinas fixas nos ombros que abotoam através de botão. 16. Camisa Cinzenta com Meia Manga Confeccionada em algodão e poliéster de cor cinzenta, compõe-se de frentes, costas, mangas, bolsos e colarinho. Tem, na frente, dois bolsos sobrepostos de cantos cortados com macho central e portinholas em bico fechando por botão; tem uma abertura porta canetas no bolso esquerdo. As mangas são curtas. Tem platinas fixas nos ombros que abotoam através de botão. 17. Camisola de Ginástica (Cap. VI Fig. 13) Confeccionada em malha canelada de acrílico de cor branca, sem mangas, sendo debruada no decote e nas alças. 18. Camisola Interior (Cap. VI Fig. 14) Confeccionada em algodão branco, com meia manga, sendo debruada no decote, nas mangas e bainha. 19. Camisola de Lã Azul de Gola Alta (Cap. VI Fig. 15) Confeccionada em malha com fio de lã de cor azul; compõe-se de frentes, costas e mangas. A gola é alta, usando-se dobrada a meio. 20. Capa Azul Confeccionada em tecido de cor azul, forrada em cetim da mesma cor, com gola redonda que aperta por meio de botão de massa de cor azul. Com comprimento tal que, quando vestida fique acima do solo 20 a 30 cm. 21. Capa Impermeável (Cap. VI Fig. 16) Confeccionada em tecido impermeável azul. Compõe-se de frentes, costas, mangas e capuz. As costas têm uma costura ao meio que termina em uma abertura com 40 cm de altura. Interiormente, é revestida com um forro cinzento de nylon respirável com duas aberturas à retaguarda e duas aberturas à frente, sensivelmente à altura do peito. À frente é fechado com quatro botões pretos espaçados de 15 cm, possuindo dois bolsos simétricos com abertura vertical de 20 cm. O capuz é confeccionado no mesmo tecido, tendo 2 ilhós na parte da frente, sendo ajustado através de um elástico cosido nas suas extremidades. 22. Capote (Cap. VI Fig. 17) De mescla azul na cor da farda, com as duas folhas da frente e as das costas, cada uma, cortadas duma só peça, folgado e de comprimento tal que, quando vestido e tomada a posição de sentido, fique acima do solo 20 a 30 cm. Na frente duas abotoaduras paralelas distanciadas de 12 cm, sete botões grandes de metal padrão, ficando os dois inferiores 6 cm abaixo da linha dos quadris. A folha das costas, a meia roda e a partir da orla inferior, tem uma abertura longitudinal de 30 cm com uma pestana da largura de 4 cm que abotoa em Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 14 de 36 Págs

15 três botões do padrão colocados na parte sobreposta pela mesma pestana e igualmente espaçados uns dos outros. Na costura de ligação das costas com as folhas da frente e na linha da cintura tem embebidas as extremidades de duas presilhas, da mesma mescla, de 5 cm de largura e de comprimento proporcionado às dimensões do capote, que se sobrepõem e ligam por meio de dois botões grandes do padrão e nas correspondentes casas. As mangas, bastante largas para facilitar o uso do capote com a farda vestida, devem no seu comprimento obedecer ao que ficou prescrito para as mangas do dólmen; os canhões da mesma mescla do capote serão angulares como os do dólmen e cada um tem dois botões pequenos do padrão colocados na respectiva costura posterior. A gola, de mescla como a do capote, é de voltar e apertada com um forte colchete de ferro; tem 8 cm de altura, os cantos ligeiramente arredondados e, quando levantada, deve ficar bem unida; nas extremidades tem uma carcela do mesmo pano do capote, abotoada a dois botões pequenos do padrão de feitio e dimensões do modelo existente no Instituto. Platinas de mescla, de feitio das do dólmen. O capote é avivado de pano preto nas folhas dianteiras, gola, canhões, platinas e nas presilhas e pestanas das costas; tem uma algibeira interior do lado esquerdo e dois bolsos cortados a altura conveniente com pestanas; é forrado de pano preto até à abertura longitudinal existente na folha das costas. Os canhões são de forma angular, com o vértice voltado para o ombro, de 7 cm de altura devendo o vértice afastar-se 13 cm da orla inferior da manga. 23. Cartucheiras (Cap. VI Fig. 18) Existem dois tipos de cartucheiras: cartucheiras pequenas e cartucheiras grandes. a. Cartucheiras pequenas: São manufacturadas em pele de anta de cor branca, usadas aos pares e colocadas na parte anterior do cinturão. Têm a forma trapezoidal com 8,5 cm e 4 cm de largura na parte superior e na parte inferior, respectivamente, 9 cm de altura e 4 cm de profundidade. Possui uma lingueta na parte frontal que encaixa numa abertura de 3,5 cm na parte inferior, tendo dois rebites prateados na parte superior e uma abertura de 3,5 cm na parte posterior. Na retaguarda existe um tirante de 20 cm de altura e 3 cm de largura, preso inferiormente por quatro rebites existindo na parte superior uma dobra de 3 cm, presa por dois rebites prateados, destinada a prender ao cinturão. Os rebites têm 0,9 cm de diâmetro. b. Cartucheira grande: É manufacturada na mesma pele, é usada individualmente e colocada na parte posterior do cinturão. Tem a forma paralelepipédica com 12 cm de largura, 9,5 cm de altura e 3,5 cm de profundidade. Possui uma lingueta na parte frontal que encaixam uma abertura de 5,5 cm na parte inferior, tendo Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 15 de 36 Págs

16 dois rebites prateados na parte superior. Na retaguarda existem dois passadores de 7 cm de comprimento e 1 cm de largura, separados por 8,5 cm, destinados à colocação no cinturão. Os rebites têm 0,9 cm de diâmetro 24. Cinto de Cabedal Preto Confeccionado em pele de cor preta, com 4 cm de largura. É ajustado por fivela prateada, com o Brasão do IPE em alto-relevo. No cinto trabalha uma passadeira do mesmo tecido destinada a enfiar a ponta. 25. Cinturão de Anta Branca (Cap. VI Fig. 19) Manufacturado em pele de anta de cor branca com 5 cm de largura, fechando por meio de uma fivela prateada de 5 cm de largura e 6,5 cm de altura. No cinto trabalha uma passadeira do mesmo tecido destinada a enfiar a ponta, a qual tem a forma de bico com a ponta recta. 26. Dólmen de Saída (Cap. VI Fig. 20) Confeccionado em tecido de poliéster e lã de cor azul-índigo com branco, tendo da cinta para baixo, nos quartos traseiros, duas pregas para fora, rematadas com dois botões de metal amarelo lisos. Cintado e suficientemente folgado de modo a permitir a liberdade de movimentos. Abotoa a meio do peito por sete botões de metal amarelo lisos, o primeiro, 2 cm abaixo da gola e o último entre 5 e 10 cm da orla inferior. A gola, do mesmo pano, tem uma altura de 3 a 3,5 cm e abotoa por colchetes. As mangas suficientemente largas e de comprimento tal que estando o braço estendido, toque o seu bordo inferior a meio das costas da mão. Os canhões, do mesmo pano do dólmen, serão de forma angular, com o vértice voltado para o ombro, de 7 cm de altura, devendo o vértice afastar-se 13 cm da orla inferior das mangas, e terão dois botões de metal amarelo lisos nas costuras posteriores. Nos ombros, platinas do mesmo pano do dólmen, com 3 cm de largura na sua junção com as mangas e abotoando cada uma com um botão de metal amarelo liso. As platinas, gola, canhões e todo o dólmen na frente e na orla inferior são avivados de pano preto. A gola terá cosida no interior uma tira branca de plástico. Exteriormente, imita um colarinho de camisa tendo no seu bordo inferior uma costura de fio de ouro. Interiormente possui uma algibeira do lado esquerdo com uma abertura de 14 cm, e um forro de tecido azulescuro. 27. Emblema de Barretina (Cap. VI Fig. 21) Manufacturado em metal dourado constituído pela Esfera Armilar Portuguesa ladeada de 2 vergonteas de loureiro, tendo os castelos e as quinas sobrepostas à esfera, possuindo à retaguarda um parafuso com porca para fixação. É usado na barretina. 28. Emblema de Peito (Crachá) (Cap. VI Fig. 22) É o Escudo de Armas com a simbologia heráldica do IPE em metal e esmalte; com o tamanho de 6,9 x 6,0 cm. O verso é composto por um alfinete na horizontal para segurar à farda à altura do bolso de peito do lado direito. É usado no uniforme de saída. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 16 de 36 Págs

17 29. Emblema do Instituto IPE (Cap. VI Fig. 23) Manufacturado em metal dourado com as letras IPE, com 2,1 cm de comprimento e 0,9 cm de altura, possuindo à retaguarda um parafuso com porca para fixação. É usado nos barretes e na barretina. 30. Espada (Cap. VI Fig. 24) É constituída por punho, lâmina e bainha a. Para Cmdt de Batalhão: O punho é de madeira, guarnecido a friso dourado, fixado por anilha gravada em guarda-mão de varetas de metal dourado encimado por capacete; a lâmina é de aço, de secção derivada da triangular, com goteira, gume convexo e terminada em ponta, com 81x2,2x0,4 cm e espiga de 15 cm com ponta roscada; as bainhas em metal cromado têm bocal, guarda-lamas e braçadeiras com argola de suspensão a 9 cm do bocal. Esta Espada é uma réplica do Fundador do Instituto, General Xavier Correia Barreto, pelo que tem o monograma da fundação do Instituto embutido na bainha. b. Para Adjunto do Cmdt de Batalhão, Porta-Estandarte e Cmdt Pelotão O punho é de madeira, guarnecido a friso dourado, fixado por anilha gravada em guarda-mão de varetas de metal dourado encimado por capacete; a lâmina é de aço, de secção derivada da triangular, com goteira, gume convexo e terminada em ponta, com 81x2,2x0,4 cm e espiga de 15 cm com ponta roscada; as bainhas em metal cromado têm bocal, guarda-lamas e braçadeiras com argola de suspensão a 9 cm do bocal. c. Para Cmdts de Companhia A espada tem a constituição descrita em b. com excepção do guarda-mão do punho que é em metal cromado. d. Para Cmdts de Secção Sabre com a constituição descrita em b. com a excepção do punho que é de madeira, fixado por anilha gravada em guarda-mão de metal cromado, do tipo fechado e com capacete. 31. Fato de Treino (Cap. VI Fig. 25) Confeccionado com 50% de poliéster e 50% de algodão de cor azul. É composto por calça e casaco. A calça tem um cós de 3,5 cm de elástico. O Casaco tem um fecho de correr, de gola redonda e com punhos e cós de 7 cm. À frente tem duas riscas, uma em azul claro e que sai do ombro direito em direcção ao sovaco esquerdo, outra em branco que sai do ombro esquerdo e passa por baixo do colarinho em direcção ao centro do peito. Sobre o lado esquerdo, no sito do peito tem a barretina do Instituto. As costas são lisas tendo a inscrição PUPILOS DO EXÉRCITO Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 17 de 36 Págs

18 32. Granadeiras (Cap. VI Fig. 26) De pano preto com a largura máxima de 3 cm, adelgaçando sucessivamente até aos dois extremos, tendo na parte exterior guarnições de lã preta com a largura máxima de 3 cm. Ao meio e na parte interna terá uma passadeira elástica para fixar à platina; os extremos serão ligados por um elástico para a fixar à manga junto do sovaco. 33. Gravata de Fundo Azul Confeccionada em gorgorão de seda de fundo azul, sem brilho, com um comprimento de 135 a 140 cm e uma largura de 7 a 8,5 cm, terminando em bico. Tem a Barretina gravada no fundo. 34. Laço Preto (Alunas) Confeccionado em gorgorão de seda preto, sem brilho, com 3 cm de largura fecha atrás com velcro. 35. Luvas Brancas (Cap. VI Fig. 27) Confeccionadas em algodão de cor branco, fechando através de botão. 36. Luvas Castanhas (Cap. VI Fig. 28) Confeccionadas em peliça castanha; são lisas e têm três nervuras longitudinais nas costas das mãos. 37. Peúgas de Enchimento para botas (Cap. VI Fig. 29) Confeccionadas em algodão de cor creme, de cano alto e ajustado à perna por canhão. 38. Peúgas de Ginástica brancas Peúgas brancas (90% acrílico / 10% poliamida) de cano alto e ajustada à perna por canhão, não podendo a seu comprimento ultrapassar um palmo acima do tornozelo. 39. Peúgas Pretas de Algodão (Cap. VI Fig. 30) Confeccionadas em algodão mercerizado preto; são lisas e ajustadas à perna por canhão elástico. 40. Saia Azul de Serviço Interno Confeccionada em tecido de poliéster e lã de cor azul, é direita com comprimento ligeiramente acima da curva do joelho, á frente e atrás tem um par de pinças a partir do cós. A cintura é justa com cós de 4 cm de altura que fecha com botão pequeno de massa de cor azul. Os passadores são em número de 6. Fecha através de fecho de correr que termina no cós. 41. Sapatos Pretos de Calfe (Cap. VI Fig. 31) Manufacturados com calfe preto, têm biqueiras sobrepostas e apertam à frente através de atacadores pretos de algodão, em cinco pares de furos. 42. Sapatos Pretos de Calfe (Alunas) Manufacturados com calfe preto, sendo decotados na frente sem atacadores, com salto de 1,5 cm. 43. Suspensão de Sabre-Baioneta (Cap. VI Fig. 32) Manufacturada em pele de anta de cor branca, tendo 17,5 cm de altura e 3,5 cm de largura. A parte superior é composta por uma presilha com 5,5 cm de abertura, presa por dois rebites de cor branca de 0,9 cm de diâmetro. A parte inferior é composta por uma dobra de 6 cm de altura e 3,5 cm de largura com uma correia e fivela na sua parte superior. A dobra é presa à retaguarda por quatro rebites brancos de 0,9 cm de diâmetro. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 18 de 36 Págs

19 44. Suspensão de Espada, ou Talim (Cap. VI Fig. 33) Manufacturada em pele de anta de cor branca, constituída por dois tirantes com 2 cm de largura e 20 cm de comprimento e um tirante com 2 cm de largura e 16,5 cm de comprimento, os quais se unem através de uma argola metálica prateada de 3 cm de diâmetro. Os dois tirantes possuem duas presilhas a parte superior, de 5,5 cm de largura, presas por dois rebites. A parte inferior possui duas presilhas de 1 cm de largura, presas por dois rebites.o tirante inferior possui uma presilha de 1 cm em cada extremidade, presa por um rebite. Este conjunto prende superiormente à argola metálica e inferiormente ao gancho rotativo de metal prateado (5,5 cm de comprimento e 2 cm de largura máxima). Os rebites são de metal prateado com 0,8 cm de diâmetro. 45. Suspensórios (Cap. VI Fig. 34) Manufacturados em pele de anta de cor branca, compostos por dois tirantes de 38 cm de comprimento, 3 cm de largura e 0,3 cm de espessura, possuindo vários furos de ajustamento, tendo uma extremidade em bico e outra com um furo para colocação de uma cavilha de fixação; e um tirante dobrado de 25 cm de comprimento, 3 cm de largura e 0,3 cm de espessura com dois furos para colocação de cavilha de fixação aos dois tirantes superiores. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 19 de 36 Págs

20 CAPÍTULO III Artigos Complementares INSTITUTO DOS PUPILOS DO EXÉRCITO Artigo 15º Entre os Artigos Complementares, agrupam-se os artigos de fardamento, peças de vestuário e outros artigos utilizados, destinados a satisfazer as exigências especificas da função ou actividade, artigos destinadosà protecção do utente ou dos próprios uniformes ou ainda outros artigos destinados a adornar a apresentação dos alunos. Artigo 16º Os artigos de uniforme são descritos por ordem alfabética. 1. Bata Azul (Cap. VI Fig. 35) Confeccionada em zuarte de cor azul, compondo-se de frentes, costas, gola e mangas. As frentes abotoam por meio de quatro botões lisos brancos, sendo o superior pregado na linha de intercepção do bordo inferior da algibeira da esquerda e os restantes com um espaçamento de 13 cm. Possui bandas com dente em esquadria. O bolso superior esquerdo tem 12 cm de altura e 11 cm de largura. Os bolsos inferiores são simétricos e possuem 19 cm de altura e 15,5 cm de largura. Todos os bolsos possuem superiormente uma bainha exterior de 3 cm. As costas são constituídas por duas peças ligadas por costura vertical interrompida por uma abertura de 48 cm, acima da orla. Sobre a cintura possui um cinto de 4,5 cm de largura, pregado de ilharga a ilharga de forma a ajustar levemente. O comprimento deverá ser tal que a orla inferior fique uma mão de travessa abaixo do joelho. 2. Pasta Azul para Livros (Cap. VI Fig. 36) Manufacturada em tecido impermeável sintético de cor azul, sendo lisa com a forma paralelepipédica. Tem a frente e traseira rectangulares de 37 cm de largura e 35 cm de altura com os cantos inferiores arredondados. Possui dois fechos simétricos junto ao bordo inferior na parte frontal, uma pega de mão na parte superior e dois reforços laterais onde prende uma correia azul com 4 cm de largura para transporte ao ombro. Tem acoplado ao corpo principal duas bolsas. Uma na parte da frente e interior, de 32 cm de largura e 21 cm de altura com duas bolsas incorporadas, 4 compartimentos para colocação de canetas e um compartimento para identificação pessoal. Outra exterior, de plástico, com 37 cm de largura e 28 cm de altura, fechando através de uma pala com velcro. Interiormente possui uma bolsa com uma abertura de 32 cm e fecho de correr. 3. Pijama Turco Azul (Cap. VI Fig. 37) Confeccionado em tecido turco azul claro (80% algodão e 20% de poliéster), sendo constituído por calças e camisola. Regulamento de Uniformes do Aluno do IPE Pág. 20 de 36 Págs

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro

S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS. Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro S.R. DA HABITAÇÃO E EQUIPAMENTOS Portaria n.º 8/2004 de 5 de Fevereiro Atendendo a que os modelos dos uniformes e distintivos a utilizar pelos elementos do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros

Leia mais

Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho. Regulamento de Uniformes dos Militares do Exército (RUE)

Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho. Regulamento de Uniformes dos Militares do Exército (RUE) Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho Regulamento de Uniformes dos Militares do Exército (RUE) 2011 MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL Portaria n.º 254/2011 de 30 de Junho O Decreto-Lei n.º 249/95, de 21 de

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015. Série. Número 34 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Portaria n.º 50/2015 Aprova o Regulamento do Fardamento

Leia mais

7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. c) Uniforme n. o 2; d) Uniforme n. o 3.

7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. c) Uniforme n. o 2; d) Uniforme n. o 3. 7518 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 273 24 de Novembro de 2001 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n. o 1314/2001 de 24 de Novembro Nos termos do disposto no artigo 43. o do Regulamento Geral

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA 8428-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 185 22 de setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS E MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Portaria n.º 304-A/2015 de 22 de setembro A Lei n.º 19/2004,

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL N. o 138 17 de Junho de 2003 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3535 5 Estabelecer que a Comissão é presidida pelo Ministro Adjunto do Primeiro-Ministro e tem a seguinte composição: a) Um representante da Presidência

Leia mais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais

REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS. CAPÍTULO I Disposições gerais REGULAMENTO DO UNIFORME N.º 2 FARDA DE TRABALHO DO REGIMENTO DE SAPADORES BOMBEIROS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o uniforme n.º 2, farda de trabalho, dos

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Diário da República, 1.ª série N.º 153 9 de Agosto de 2010 3259 MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Aviso n.º 173/2010 Por ordem superior se torna público ter a Etiópia depositado, junto do Director -Geral

Leia mais

CIRCULAR Nº 01/2014 DATA: 24/07/14. ASSUNTO: Conferência e prova de enxoval. Exmo(a). Sr.(a) Encarregado de Educação:

CIRCULAR Nº 01/2014 DATA: 24/07/14. ASSUNTO: Conferência e prova de enxoval. Exmo(a). Sr.(a) Encarregado de Educação: CIRCULAR Nº 01/2014 DATA: 24/07/14 ASSUNTO: Conferência e prova de enxoval Exmo(a). Sr.(a) Encarregado de Educação: O enxoval previsto para os Alunos do Colégio Militar integra atualmente os artigos considerados

Leia mais

R E G U L A M E N T O UNIFORMES ESCOLARES E FARDAS DE TRABALHO

R E G U L A M E N T O UNIFORMES ESCOLARES E FARDAS DE TRABALHO R E G U L A M E N T O UNIFORMES ESCOLARES E FARDAS DE TRABALHO Outubro 2015 1 UNIFORMES E FARDAS DE TRABALHO Os uniformes escolares e fardas de trabalho integram a imagem das Escolas de Hotelaria e Turismo

Leia mais

REPUBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO INTERIOR GABINETE DO MINISTRO RELATÓRIO

REPUBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO INTERIOR GABINETE DO MINISTRO RELATÓRIO REPUBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO INTERIOR GABINETE DO MINISTRO RELATÓRIO À medida que a Polícia Nacional vai atingindo um desenvolvimento que se pode considerar à altura dos objectivos traçados para a

Leia mais

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC

FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC FICHAS REFERENCIAIS UNIFORMES SENAC RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA CAIXAS - CONTACT CENTER - BIBLIOTECA FEMININO - INVERNO 01 RECEPÇÃO - SECRETARIA ESCOLAR - CENTRAL DE MATRÍCULA

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN

DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS DO RUCBMRN CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMRN (RUCBM) ANEXO I DA PORTARIA Nº 153 GAB CMDO, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. DESCRIÇÃO DOS UNIFORMES, INSÍGNIAS E DISTINTIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES

REGULAMENTO DE UNIFORMES POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS ANEXO III REGULAMENTO DE UNIFORMES TÍTULO I Generalidades Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

Regulamento de hino, uniformes, distintivos, símbolos, bandeiras, cerimónias e outros objectos de identificação colectiva ou individual

Regulamento de hino, uniformes, distintivos, símbolos, bandeiras, cerimónias e outros objectos de identificação colectiva ou individual Regulamento de hino, uniformes, distintivos, símbolos, bandeiras, cerimónias e outros objectos de identificação colectiva ou individual da Associação dos Escoteiros de Portugal P.O.R. (Princípios, Organização

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA ICA 168-6/2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESSOAL-MILITAR RCA 35-2 REGULAMENTO DE UNIFORMES PARA OS MILITARES DA AERONÁUTICA (RUMAER) 2012 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA

Leia mais

S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 22/2008 de 6 de Março de 2008

S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 22/2008 de 6 de Março de 2008 S.R. DO AMBIENTE E DO MAR Portaria n.º 22/2008 de 6 de Março de 2008 Considerando que os Serviços de Ambiente de Ilha são serviços periféricos da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, nos termos da

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS ESTADO DO PARÁ 1. Dados Gerais da Licitação Número do Processo Licitatório PA 031/2016 Exercício 2016 Modalidade Tipo Objeto Registro de Preços Originário de Pregão Presencial Menor Preço Status Publicada Contratação

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS

DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS DESCRIÇÃO UNIFORMES DA DEFESA CIVIL PARA AS COORDENADORIAS DISTRITAIS DE DEFESA CIVIL DAS SUBPREFEITURAS 1- COLETE : - Azul marinho; - 02 (duas) faixas refletivas, na direção horizontal, na cor laranja;

Leia mais

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO

DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO DESCRIÇÃO UNIFORMES BLAZER FEMININO Blazer padrão alfaiataria, acinturado, modelo tradicional com três botões bolsos com lapelas. Tecido composto c/ 100% poliéster, (padrão Sanyotex ou Superior); Sanyotex:

Leia mais

Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem:

Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem: Intro. O Banco BiG decidiu proteger cada um dos 95 bombeiros voluntários de Carregal do Sal, adquirindo equipamentos de combate a fogos que incluem: _Casaco _Calças _Botas _Luvas _Cógula Estes equipamentos

Leia mais

Separar as peças susceptíveis de serem oxidadas (rebites,gutos, botões) e eliminar manchas de óxido com tira nódoas adequado antes de lavar.

Separar as peças susceptíveis de serem oxidadas (rebites,gutos, botões) e eliminar manchas de óxido com tira nódoas adequado antes de lavar. CUIDADOS GERAIS Leia atentamente as etiquetas da roupa. Respeite sempre as indicações dos fabricantes das máquinas de lavar. Dissolva bem os detergentes para que não causem nódoas e utilize detergentes

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E HISTÓRICO DA AERONÁUTICA Fl. nº 1 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005 ADITAMENTO AO BOLETIM DO COMANDO DA AERONÁUTICA Nº 068 Para conhecimento do Pessoal

Leia mais

FICHA TÉCNICA DATA: 18-05-12 FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO

FICHA TÉCNICA DATA: 18-05-12 FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO 1 FICHA TÉCNICA FARDAMENTO ALUNO TÉCNICO DATA: 18-05-12 DESCRIÇÃO: CAMISETA COM RECORTES LATERAIS, MANGA MEIA CAVA COM RECORTE NO CORPO DA CAMISETA, GOLA EM ESTILO MANDARIM COM ABERTURA EM ZÍPER E PUNHO

Leia mais

ATO Nº 173/2004. I - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Especialidade Transporte; (Redação dada pelo Ato nº 121/2009)

ATO Nº 173/2004. I - Técnico Judiciário - Área Administrativa - Especialidade Transporte; (Redação dada pelo Ato nº 121/2009) ATO Nº 173/2004 Dispõe sobre o uso de uniforme de serviço por servidores ocupantes dos cargos que especifica ou requisitados, dentre outras providências. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA

Leia mais

Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica

Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica Clientes COM Serviços de Limpeza Doméstica Engomadoria Lavandaria & Engomadoria Peças variadas - da peça a avulso 1,20 Peças variadas - da peça a avulso 2,00 nº Peças 24h 48h nº Peças 10 7,00 0,70 15,00

Leia mais

MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI. MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI

MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI. MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI MATERNAL A e B Dança: BUMBA MEU BOI Chapéu de palha encapado com veludo preto, decorado com renda branca franzida na borda arabescos e acabamento feito com galão dourado,

Leia mais

REGULAMENTO DOS UNIFORMES, DISTINTIVOS E BANDEIRAS

REGULAMENTO DOS UNIFORMES, DISTINTIVOS E BANDEIRAS Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português REGULAMENTO DOS UNIFORMES, DISTINTIVOS E BANDEIRAS Aprovado pelo Conselho Permanente de 30 e 31 de Março de 1996. Introduzidas alterações pelo CNR

Leia mais

O que é um traje típico?

O que é um traje típico? O que é um traje típico? Conta a história que os nobres se revoltavam com o povo por eles imitarem suas vestimentas. Foi criada então uma lei que proibia o povo usar trajes iguais aos da nobreza. Quem

Leia mais

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012

Palácio Paiaguás, em Cuiabá, 18 de outubro 2012, 191º da Independência e 124º da República. Transc. D.O. n 25911 de 18/10/2012 DECRETO Nº 1.400, DE 18 DE OUTUBRO DE 2012. Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso RUPM/MT e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO, no uso

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual - PLANTEQ/2012

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual - PLANTEQ/2012 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual - PLANTEQ/2012 1. JUSTIFICATIVA A presente aquisição justifica-se pela necessidade de atender a demanda do Projeto PLANTEQ /2012,

Leia mais

ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública

ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública ENXOVAL PARA OS ALUNOS QUE IRÃO INICIAR O CURSO: Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública 1. MATERIAL ESCOLAR BÁSICO - Caneta esferográfica azul, preta e vermelha; - lápis preto,

Leia mais

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto.

Art. 1º. Fica aprovado o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/RN), anexo ao presente Decreto. Decreto nº 16.039, de 3 de maio de 2002. Dispõe sobre o Regulamento de Uniformes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte(RUCBM/ RN). O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando da

Leia mais

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado

Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado Uniformização das Unidades de Atendimento Integrado 1 POSTOS UAI - PROJETO DE UNIFORMIZAÇÃO ARTIGO COD. PAG FUNÇÃO AGASALHO FEMININO BEGE T- 11/ T-12 58 COPEIRA AGASALHO FEMININO PRETO T-13 13 ATEN. RECEPÇÃO,

Leia mais

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS

SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS REGULAMENTO DE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR DA PARAÍBA (RUPMPB) SEÇÃO III DOS UNIFORMES DAS UNIDADES ESPECIALIZADAS I - 8º UNIFORME CAVALARIA 8º UNIFORME A (8ºA) - CAVALARIA HISTÓRICO NEGO a) 8º UNIFORME

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 14 / 15 CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº. 12 / 14 Aos dezesseis dias do mês de abril do ano de 2015, nas dependências do Departamento de Compras e Licitações, situado na Avenida Presidente

Leia mais

CATÁLOGO WISE GENERATION VESTUÁRIO FACILITADOR

CATÁLOGO WISE GENERATION VESTUÁRIO FACILITADOR CATÁLOGO WISE GENERATION VESTUÁRIO FACILITADOR PERFIL DO IDOSO NO SÉCULO XXI. Maior qualidade de vida e bem-estar;. Necessidades especiais em caso de limitações motoras e/ou psíquicas;. Menos conservadores;.

Leia mais

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010 ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Referente ao Pregão nº 038/2010 LOTE 01: ESPECIFICAÇÕES DO ITEM 1: Blusa para usuários do sexo feminino, colarinho, com pence de busto no sentido horizontal frente e pence

Leia mais

UNIFORME SESI. Especificação Técnica

UNIFORME SESI. Especificação Técnica UNIFORME SESI Especificação Técnica 2015 SUMÁRIO 1. CAMISETA MANGA CURTA 3 2. CAMISETA MANGA LONGA 10 3. REGATA 17 4. POLO MASCULINA 24 5. POLO FEMININA 32 6. JAQUETA MASCULINA - TACTEL 40 7. JAQUETA MASCULINA

Leia mais

Página 1 de 6 KIT ENXOVAL PARA RECÉM-NASCIDOS COMPOSTO DE: - 01 cobertor; - 02 macacões curto tipo short; - 02 conjuntos tipo pagão;

Página 1 de 6 KIT ENXOVAL PARA RECÉM-NASCIDOS COMPOSTO DE: - 01 cobertor; - 02 macacões curto tipo short; - 02 conjuntos tipo pagão; KIT ENXOVAL PARA RECÉM-NASCIDOS COMPOSTO DE: - 01 cobertor; - 02 macacões curto tipo short; - 02 conjuntos tipo pagão; - 02 gorros de moletom; - 02 calças compridas; - 02 pares de meia recém-nascido; -

Leia mais

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado.

Art. 3º - Compete ainda, ao Comandante Geral estabelecer normas para aplicação do Regulamento ora aprovado. DECRETO N.º 18.063, de 06 de agosto de 1986 Aprova o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Ceará e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais que

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 43.430, DE 29 DE OUTUBRO DE 2004. (republicado no DOE nº 03, de 06 de janeiro de 2005) (vide abaixo publicação

Leia mais

Pelo prazer de conduzir

Pelo prazer de conduzir Style bmw-motorrad.pt Pelo prazer de conduzir SINTA A EMOÇÃO. A COLEÇÃO BMW MOTORRAD STYLE PERMITE, MESMO A QUEM NÃO TENHA UMA MOTO BMW, SENTIR A EMOÇÃO. É UM SÍMBOLO DE IDENTIFICAÇÃO COM A COMUNIDADE

Leia mais

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá

APÊNDICE V. Modelos de Uniforme e Crachá APÊNDICE V Modelos de Uniforme e Crachá MARÇO DE 2016 1 23 ÍNDICE 1.1. Apresentação...3 1.2. Tecidos...3 2.1. Gerente Feminino...5 2.2. Atendente Feminino...7 2.3. Gestante...9 2.4. Orientador Feminino...

Leia mais

II - NORMAS PARA O PENTEADO E O CORTE DE CABELO FEMININO PARA OFICIAIS E PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE (CBMRN).

II - NORMAS PARA O PENTEADO E O CORTE DE CABELO FEMININO PARA OFICIAIS E PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE (CBMRN). II - NORMAS PARA O PENTEADO E O CORTE DE CABELO FEMININO PARA OFICIAIS E PRAÇAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE (CBMRN). 1. FINALIDADE Estabelecer procedimentos uniformes para a apresentação

Leia mais

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia AJUDAS TÉCNICAS/PRODUTOS DE APOIO Prevenção de complicações Enfermeira: Andreia Gonçalves Actividades de vida diária Bem estar psicológico Comunidade,

Leia mais

Lavagem e manutenção

Lavagem e manutenção Lavagem e manutenção Instruções: a. Recomenda-se, durante a lavagem, não friccionar fortemente e/ou escovar, a roupa sobre o tanque, essas práticas desgastam o tecido, afetando a uniformidade das cores.

Leia mais

DESIGN E FUNCIONALIDADE

DESIGN E FUNCIONALIDADE P5341 P. 13 Touca em sarja com tiras de ajuste no mesmo tecido e tom. DESIG E FUCIOALIDADE ao serviço dos profissionais de hotelaria e restauração P4422 P. 125 Avental comprido. Disponível em 23 cores.

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL (SRP) Nº 56/2013

PREGÃO PRESENCIAL (SRP) Nº 56/2013 1 2 AVENTAL EM RASPA INTEIRO Avental de proteção confeccionado em raspa de couro, com emendas, com altura de 1,00m e largura de 0,60m. AVENTAL IMPERMEÁVEL Avental de segurança tipo frontal, em Trevira,

Leia mais

Fitas soltas (1cm de largura) Nesta ordem. Camiseta preta ou body com fitas soltas pregadas na gola (nas cores vermelha, amarela, e verde)

Fitas soltas (1cm de largura) Nesta ordem. Camiseta preta ou body com fitas soltas pregadas na gola (nas cores vermelha, amarela, e verde) MENINAS GRUPO 04 A Cabelo com penteado utilizando elásticos nas cores verde, amarela e vermelha MENINAS GRUPO 04 A Cabelo com penteado utilizando elásticos nas cores verde, amarela e vermelha Fitas soltas

Leia mais

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto.

Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Colocamos a disposição para melhor orientação a tabela do IPI, onde você irá encontrar as Nomenclaturas referidas de acordo com o seu produto. Observe que para as Indústrias de Confecções que trabalham

Leia mais

HOTELARIA E RESTAURAÇÃO CAMISOLAS CASACOS DE COZINHEIRO CALÇAS ACESSÓRIOS E AVENTAIS

HOTELARIA E RESTAURAÇÃO CAMISOLAS CASACOS DE COZINHEIRO CALÇAS ACESSÓRIOS E AVENTAIS HOTELARIA E RESTAURAÇÃO CAMISOLAS CASACOS DE COZINHEIRO CALÇAS ACESSÓRIOS E AVENTAIS CAMISOLA TOMILLO Hotelaria e Restauração Camisola de manga curta, com contraste de tecido às riscas na gola e à volta

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul 11-1 0-1977 Diário Oficial Estado de Mato Grosso do Sul ANO XXXII n. 7.655 CAMPO GRANDE-MS, QUARTA-FEIRA, 68 PÁGINAS GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI Vice-Governador MURILO ZAUITH Secretário de Estado de Governo

Leia mais

TOPTUXEDO WORKWEAR FORCES FISHERMAN UTILITIES FABRICADO EM PORTUGAL P1 //

TOPTUXEDO WORKWEAR FORCES FISHERMAN UTILITIES FABRICADO EM PORTUGAL P1 // WORKWEAR FORCES FISHERMAN UTILITIES P1 // SIMBOLOGIA Produto impermeável dupla fita reflectora Vestuário de alta visibilidade EN471 fita reflectora Produto resistente a flexão em baixas temperaturas com

Leia mais

REGULAMENTO DOS UNIFORMES, DISTINTIVOS E BANDEIRAS

REGULAMENTO DOS UNIFORMES, DISTINTIVOS E BANDEIRAS Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português REGULAMENTO DOS UNIFORMES, DISTINTIVOS E BANDEIRAS Aprovado pelo Conselho Permanente de 30 e 31 de Março de 1996. Introduzidas alterações pelo CNR

Leia mais

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES)

UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) UNIFORME DE OFICIAL R/2 (ORIENTAÇÕES) PEÇA ESPECIFICAÇÃO USO AQUISIÇÃO OBSERVAÇÕES SAPATO Social preto, padrão militar, com cadarço. Preferencialmente em lojas militares Evitar uso de sapato social com

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA CENTRO DE ENSINO BOMBEIRO MILITAR ACADEMIA DE BOMBEIRO MILITAR Caro futuro Cadete, Nós, da Academia de Bombeiro Militar

Leia mais

DICAS DE UTILIZAÇÃO PARA SEU UNIFORME.

DICAS DE UTILIZAÇÃO PARA SEU UNIFORME. DICAS DE UTILIZAÇÃO PARA SEU UNIFORME. A PROPOSTA Usar uniforme pro ssional às vezes não é uma prática vista com bons olhos pelos funcionários de uma empresa. As pessoas nem sempre gostam de se sentir

Leia mais

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994

DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 DECRETO Nº 16.144, DE 27 DE JULHO DE 1994 APROVA o Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Amazonas e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

Separata ao Boletim do Exército

Separata ao Boletim do Exército Separata ao Boletim do Exército MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA-GERAL DO EXÉRCITO SEPARATA AO BE Nº 11/2014 PORTARIA COMANDANTE DO EXÉRCITO Nº 158, DE 6 DE MARÇO DE 2014. Altera o Capítulo

Leia mais

IMPACTA CONTÁBIL S/S LTDA CNPJ: 07.792.378/0001-14

IMPACTA CONTÁBIL S/S LTDA CNPJ: 07.792.378/0001-14 1 2 REGULAMENTO TÉCNICO DE ETIQUETAGEM DE PRODUTOS TÊXTEIS NORMA BRASILEIRA I. Considerações Gerais 1. Para os efeitos do presente Regulamento, é considerado produto têxtil aquele que, em estado bruto,

Leia mais

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha

Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Capítulo 62 Vestuário e seus acessórios, exceto de malha Notas. 1.- O presente Capítulo compreende apenas os artefatos confeccionados de qualquer matéria têxtil, com exclusão das pastas ("ouates") e dos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIFORME EXECUTIVO PARA ATENDENTE COMERCIAL 1. PALETÓ MASCULINO 30039 Paletó padrão alfaiataria, três botões, 03 (três) bolsos embutidos (externo) 01 (um) bolso embutido (interno)

Leia mais

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação

(P 2 ) Exames de ELIMINATÓRIO Aptidão Física (P 3 ) Inspeção da. ELIMINATÓRIO Saúde (P 4 ) Avaliação. ELIMINATÓRIO Psicológica (P 5 ) Investigação CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE PESSOAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NAS FILEIRAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NA QUALIFICAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL AABB COMUNIDADE 2013

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL AABB COMUNIDADE 2013 MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 2013 INTRODUÇÃO Olá! Você tem em mãos o novo Manual de Identidade Visual do Programa AABB Comunidade. Ele nasceu junto com a reformulação do Programa, do desejo dos instituidores

Leia mais

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL

REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL 2014 REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE ALAGOAS Maceió-AL 1 COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO NOVO REGULAMENTO DE UNIFORMES DO CBMAL Presidente Cel. QOBM/Comb. Mat. 139983-4 - Adriano

Leia mais

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010

ANEXO V PROPOSTA COMERCIAL PADRONIZADA PREGÃO N. 038/2010 À DME Distribuição S/A - DMED PREGÃO N. 038/2010 A empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob o n..., estabelecida à Av./Rua..., n..., bairro..., na cidade de..., CEP..., telefone..., fax..., e-mail..., vem pela

Leia mais

Manual de Instruções Carrinho - Twin

Manual de Instruções Carrinho - Twin Manual de Instruções Carrinho - Twin (Ref. 1350) Página 1 de 8 Remova o carrinho da caixa. As rodas dianteiras, rodas traseiras, bandeja frontal, pedana e capota dianteira devem ser instaladas antes de

Leia mais

Anexo ao Decreto XXXXXXXXX. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais

Anexo ao Decreto XXXXXXXXX. CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Anexo ao Decreto XXXXXXXXX CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º - O presente Regulamento contém as prescrições sobre os uniformes, peças complementares, insígnias e distintivos do Corpo de Bombeiros

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG

POLÍCIA MILITAR DA BAHIA. Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG POLÍCIA MILITAR DA BAHIA Subcomando Geral - Nº 012-12 de agosto de 2003 LEGISLAÇÃO JURISPRUDÊNCIA E NORMAS GERAIS LJNG SUMÁRIO SUPLEMENTO LJNG N.º 012 06 DE AGOSTO DE 2003 QUARTA - FEIRA 1 - PORTARIA N.º

Leia mais

INDUSTRIA ACTIVA BLUSÕES CALÇAS POLARES PARKAS

INDUSTRIA ACTIVA BLUSÕES CALÇAS POLARES PARKAS INDUSTRIA ACTIVA BLUSÕES CALÇAS POLARES PARKAS BLUSÃO E CALÇA BICOLOR SERIE COBRE BLUSÃO HOMEM BICOLOR Blusão bicolor com fecho central escondido com aba e multibolsos. Frente e trás com contraste. M-3XL

Leia mais

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME

INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DECRETO Nº29.482, de 03 de outubro de 2008. INSTITUCIONALIZA O UNIFORME DO PROGRAMA RONDA DO QUARTEIRÃO E MODIFICA O DECRETO Nº18.063, DE 06 DE AGOSTO DE 1986 (REGULAMENTODE UNIFORMES DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

PREGÃO Nº 008/2012 CML/PM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/2013 GERP/SEMAD EMPRESA VENCEDORA: COMÉRCIO E INDÚSTRIA EQUILÍBRIO LTDA

PREGÃO Nº 008/2012 CML/PM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/2013 GERP/SEMAD EMPRESA VENCEDORA: COMÉRCIO E INDÚSTRIA EQUILÍBRIO LTDA PREGÃO Nº 008/2012 CML/PM ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 003/2013 GERP/SEMAD No dia 16 de abril de 2013, no Órgão Gerenciador, foram registrados os preços das empresas abaixo identificadas, para eventual

Leia mais

PROTOCOLO E SÍMBOLOS ACADÉMICOS NA UNIVERSIDADE ABERTA -PROTOCOLO ACADÉMICO PARA OS ALUNOS-

PROTOCOLO E SÍMBOLOS ACADÉMICOS NA UNIVERSIDADE ABERTA -PROTOCOLO ACADÉMICO PARA OS ALUNOS- PROTOCOLO E SÍMBOLOS ACADÉMICOS NA UNIVERSIDADE ABERTA -PROTOCOLO ACADÉMICO PARA OS ALUNOS- Aprovado em Assembleia Geral a 26 de Maio de 2007 I - Preâmbulo Na sequência do interesse e preocupação revelados

Leia mais

COMO TIRAR MEDIDAS. Na modelagem industrial, as medidas são padronizadas, mas é sempre bom saber como elas são tiradas.

COMO TIRAR MEDIDAS. Na modelagem industrial, as medidas são padronizadas, mas é sempre bom saber como elas são tiradas. COMO TIRAR MEDIDAS Na modelagem industrial, as medidas são padronizadas, mas é sempre bom saber como elas são tiradas. MEDIDAS HORIZONTAIS OU DE CIRCUNFERÊNCIA. 1. PESCOÇO OU DEGOLO: passe a fita métrica

Leia mais

Impermeáveis Resistência e Qualidade em Impermeáveis

Impermeáveis Resistência e Qualidade em Impermeáveis Impermeáveis Resistência e Qualidade em Impermeáveis Impermeáveis fabricados com matéria prima de alta qualidade, soldados eletronicamente, muito resistentes e disponíveis em diversos modelos que se adequam

Leia mais

BARRACA BÁSICA ESPECIFICAÇÃO

BARRACA BÁSICA ESPECIFICAÇÃO INSTRUÇÁO NORMATIVA / DIRETORIA DE ABASTECIMENTO BARRACA BÁSICA ESPECIFICAÇÃO IN / D Abst / C1 II no 0041 201 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... I 2. NORMAS CONIPLENIENTARES... I 3. CARACTER~STICAS GERAIS... 2 4.

Leia mais

STAR. Modelo N106 Grupos I, II e III. SAC: (11) 4072 4000 www.infanti.com.br

STAR. Modelo N106 Grupos I, II e III. SAC: (11) 4072 4000 www.infanti.com.br STAR Modelo N106 Grupos I, II e III SAC: (11) 4072 4000 www.infanti.com.br Conheça seu Assento de Segurança Cuidados e Manutenção A B C Encosto Guia lateral do cinto de segurança Braçadeiras do cinto (pres.

Leia mais

CARTA CONVITE 015/2015 MATÃO

CARTA CONVITE 015/2015 MATÃO CARTA CONVITE 015/2015 MATÃO A OSCIP INSTITUTO DE GESTÃO DE PROJETOS DA NOROESTE PAULISTA, organização da sociedade civil de interesse público, inscrita no CNPJ sob nº. 07.393.885/0001-85, estabelecida

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação. I. Instrução Normativa da Presidência... 05 II. Despacho da Corregedoria... 16

SUMÁRIO. Apresentação. I. Instrução Normativa da Presidência... 05 II. Despacho da Corregedoria... 16 SUMÁRIO Apresentação I. Instrução Normativa da Presidência... 05 II. Despacho da Corregedoria... 16 SEPARATA DO BOLETIM DE SERVIÇO Nº 20 ANO XXV Outubro - 2012 APRESENTAÇÃO Esta Separata do Boletim de

Leia mais

MANUAL DE ETIQUETA TÊXTIL

MANUAL DE ETIQUETA TÊXTIL MANUAL DE ETIQUETA TÊXTIL REGULAMENTO TÉCNICO DE ETIQUETAGEM DE PRODUTOS TEXTEIS. NORMA BRASILEIRA I. Considerações Gerais 1. Para os efeitos do presente Regulamento, é considerado produto têxtil aquele

Leia mais

ESQUADREJADORA. Princípios principais de utilização e precauções:

ESQUADREJADORA. Princípios principais de utilização e precauções: ESQUADREJADORA A esquadrejadora é uma máquina de serra circular que permite realizar cortes rectos de precisão, vazados ou interrompidos, de peças de grande dimensão. É constituída por um corpo com mesa

Leia mais

BMW Motorrad. Pelo prazer de conduzir. www.bmwmotorrad.pt NSTOPPABLE ACELERE ANTES QUE ESGOTE. DO QUE ESTÁ À ESPERA? EQUIPE-SE JÁ!

BMW Motorrad. Pelo prazer de conduzir. www.bmwmotorrad.pt NSTOPPABLE ACELERE ANTES QUE ESGOTE. DO QUE ESTÁ À ESPERA? EQUIPE-SE JÁ! BMW Motorrad www.bmwmotorrad.pt Pelo prazer de conduzir NSTOPPABLE ACELERE ANTES QUE ESGOTE. DO QUE ESTÁ À ESPERA? EQUIPE-SE JÁ! 204,90 Boa circulação contínua do ar Tela em aço inoxidável de grande superfície

Leia mais

Concurso Público n.º 19/DAC/2009

Concurso Público n.º 19/DAC/2009 Direcção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística Concurso Público n.º 19/DAC/2009 Aquisição de fatos de instrução com crachá aborrachado para o pessoal com funções policiais

Leia mais

CONSIDERANDO que cabe às OS o fornecimento dos insumos e equipamentos para as Unidades de Saúde sob contrato de Gestão com a SMSDC;

CONSIDERANDO que cabe às OS o fornecimento dos insumos e equipamentos para as Unidades de Saúde sob contrato de Gestão com a SMSDC; Circular S/SUBPAV/SAP n.º 08/2011. Rio de Janeiro, 09 de maio de 2011. Aos Coordenadores das A.P.s com vistas às Organizações Sociais e às Unidades Primárias de Saúde Assunto: Uniformes para as Equipes

Leia mais

Recolhas Etnográficas Trajos. Autoria. Comissão Técnica GFCB

Recolhas Etnográficas Trajos. Autoria. Comissão Técnica GFCB Recolhas Etnográficas Trajos Autoria Comissão Técnica GFCB FICHA ETNOGRÁFICA:n.º Assunto: Trajo de Casamento Data da Recolha: 1986 Objecto: Casamento - Urra Época em que foi usado: Início do século XX

Leia mais

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Capítulo I Das disposições preliminares

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Capítulo I Das disposições preliminares DIRETORIA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR E ASSISTÊNCIA SOCIAL INSTRUÇÃO 02 / 2012. DEEAS Regula o uso de uniformes do Colégio Tiradentes da Policial Militar de Minas Gerais. Capítulo I Das disposições preliminares

Leia mais

INDUSTRIA ATIVA ROUPA DE CAÇA E AVENTURA COLETES CALÇAS CAMISOLAS

INDUSTRIA ATIVA ROUPA DE CAÇA E AVENTURA COLETES CALÇAS CAMISOLAS INDUSTRIA ATIVA ROUPA DE CAÇA E AVENTURA COLETES CALÇAS CAMISOLAS COLETE SINTRA Colete com múltiplos bolsos (total 15) de diferentes tamanhos e fácil abertura com palas com velcro e fechos, que nos dá

Leia mais

D i c a s e E s t i l o s p a r a N o i v o s O q u e u s a r?

D i c a s e E s t i l o s p a r a N o i v o s O q u e u s a r? O q u e u s a r? Smoking Black Tie: Para um casamento moderno, luxuoso e realizado durante à noite. Composição: As lapelas com detalhes em cetim, camisa branca, podendo ser plissada no peito. A gravata

Leia mais

c a t á l o g o d e p r o d u t o s

c a t á l o g o d e p r o d u t o s catálogo de produtos AJUDE SEUS CLIENTES A MOSTRAREM O QUE ELES TÊM NA CABEÇA. Linha de Capacetes Helt 2014. O capacete Helt é mais do que uma simples proteção do motociclista. É um acessório que demonstra

Leia mais

Instruções de instalação

Instruções de instalação Instruções de instalação Acessórios Cabos de ligação do acumulador da caldeira de aquecimento Para técnicos especializados Ler atentamente antes da montagem. Logano plus GB225-Logalux LT300 6 720 642 644

Leia mais

Como fazer o seu próprio escudo medieval

Como fazer o seu próprio escudo medieval Dark Ages - idade média www.sec11.cjb.net goshinryukempo@hotmail.com Idade média Como fazer o seu próprio escudo medieval Existem dois métodos, um simples e o outro bem mais elaboro. 1. O método simples:

Leia mais

Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo.

Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo. Dicas para orientar a cliente na escolha de biquínis e da roupa mais adequada para cada tipo de corpo. Biquíni Ideal Aquelas que têm seios grandes precisam antes de tudo de sustentação. Tops com alças

Leia mais

102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex.

102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex. 102 - Puppet Noel Confeiteiro. Quantidade: 4. 4 (quatro) malhas de suplex. 103 - Bolacha Puppet. Quantidade: 8. 8 (oito) meias. 104 - Boneca Fantástica Fábrica. Quantidade: 8. Reformas e ajustes necessários.

Leia mais

Proposta de Preços ANEXO I

Proposta de Preços ANEXO I PREGÃO PRESENCIAL Nº 088 / 2011 Proposta de Preços ANEXO I Processo 14.793 / 2011 Razão Social do Licitante: CNPJ: Insc. Estadual: Endereço: Cidade: Estado: Telefone : Fax : e-mail : INFORMACÕES PARA PAGAMENTOS

Leia mais

UNIFORMES LOCAMERICA DICAS E CUIDADOS

UNIFORMES LOCAMERICA DICAS E CUIDADOS UNIFORMES LOCAMERICA DICAS E CUIDADOS APRESENTAÇÃO No universo corporativo, as regras de conduta e comportamento são mais claras e rígidas do que na vida social. Para projetar a imagem institucional adequada,

Leia mais

DOCUMENTO Nº 31 - SETEMBRO/08. Manual de Uniformes

DOCUMENTO Nº 31 - SETEMBRO/08. Manual de Uniformes DOCUMENTO Nº 31 - SETEMBRO/08 Manual de Uniformes ROBERTO REQUIÃO Governador do Estado do Paraná VALTER BIANCHINI Secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ -

Leia mais

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta

Feminino. Tipos de corpo. Ampulheta O guia de tamanho será desenvolvido para auxiliar os e-consumidores, no momento da compra. O e-consumidor terá disponível um guia de auxilio a medidas, de forma que permitirá que o mesmo obtenha informações

Leia mais

SURG Cia. de Serviços de Urbanização de Guarapuava Rua Afonso Botelho, 63 Bairro Trianon CNPJ 75.646.273/0001-07 COMUNICADO

SURG Cia. de Serviços de Urbanização de Guarapuava Rua Afonso Botelho, 63 Bairro Trianon CNPJ 75.646.273/0001-07 COMUNICADO SURG Cia. de Serviços de Urbanização de Guarapuava Rua Afonso Botelho, 63 Bairro Trianon CNPJ 75.646.273/0001-07 REF., PREGÃO PRESENCIAL Nº 059/2014 COMUNICADO ABERTURA / DATA: 11/08/2014 Objeto: Contratação

Leia mais