Processo de Fabricação: CORTE A LASER E CORTE A ÁGUA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo de Fabricação: CORTE A LASER E CORTE A ÁGUA"

Transcrição

1 Processo de Fabricação: CORTE A LASER E CORTE A ÁGUA

2 CORTE A LASER O que é o Laser? Amplificação da luz por emissão estimulada de radiação. É um sistema que produz um feixe de luz coerente e concentrado através de estimulações eletrônicas. O Laser é o mais avançado processo tecnológico para corte térmico. Onde é utilizado? Tratamento térmico superficial, Usinagem e gravação, Soldagem, Corte.

3 Vantagens do corte a laser Alta precisão Excelente qualidade da superfície cortada Níveis mínimos de deformação Mínima zona termicamente afetada Pouca perda de material Alta velocidade de corte Extrema versatilidade de processar diversos tipos de materiais Sistema automatizado que possibilita o corte de figuras geométricas complexas

4 Desvantagens do corte a laser Alto investimento inicial na compra do equipamento Alto custo de manutenção do equipamento (lentes, lâmpadas) Capacitação dos operadores e programadores Qualidade dos gases utilizados Assistência técnica

5 Materiais que podem ser processados Aços Carbono Aços Galvanizados Aços Inoxidáveis Alumínio Titânio Plásticos e Acrílicos Borrachas Madeira Papel, Couro e Tecidos Vidros

6 Maquina de corte a laser

7 Maquina de corte a laser Ela funciona integrada a um sistema CAD/CAM. Não necessita do desenvolvimento de matrizes. No processo de corte a laser, um dispositivo chamado soprador gira a 900hz e faz circular CO2 (gás carbônico). Gerador de alta potência produz um raio que é levado para a cabeça de corte. O feixe focado passa a apresentar uma alta densidade de energia e é direcionado para o material a ser trabalhado.

8

9 Peças cortadas a laser

10 Peças cortadas a laser

11 Capacidades do corte a laser Espessuras máximas para o corte dos materiais mais utilizados: Aço Carbono: 20mm Aço Inox: 12mm Alumínio: 8mm Madeira: 20mm Acrílico: 20mm

12 Níveis de tolerância e acabamento do processo Na produção individuais ou em série, o corte de chapas a laser fica em altíssima precisão, com tolerância de +/- 0,2 mm, podendo chegar a +/- 0,05 mm. O corte a laser dispensa o contato mecânico com a peça. Corte limpo, sem rebarbas.

13 Vídeo

14 Introdução, como ele funciona CORTE A ÁGUA 1. Gerar pressão Uma bomba de pressão ultra elevada gera um fluxo de água com uma pressão nominal de até bar. Para colocar em perspectiva, uma mangueira de incêndio possui pressão de 20 a 84 bar. 2. Converter pressão em velocidade Essa pressão é convertida em velocidade através de um minúsculo orifício de pedras preciosas, criando um fluxo tão pequeno como um fio de cabelo, e que pode cortar materiais leves.

15 3. Introduzir Abrasivo Para aumentar o poder de corte em vezes, abrasivo é inserido no fluxo do jato de água supersônico. A água e o abrasivo saem do cabeçote de corte com até quatro vezes a velocidade do som, capaz de cortar aço com até 30 centímetros.

16 Vantagens do corte a água Custo do equipamento aproximadamente metade do equipamento a laser Não apresenta nenhuma zona termicamente afetada Extremamente versátil, corta diversos tipo de material e espessuras Redução de operações secundárias de acabamento, rebarbas Equipamento de fácil manutenção e manuseio Pode trabalhar com chapas empilhadas Baixo consumo de energia Não é necessário a troca de ferramental de corte quando se altera o material Somente 10% do tempo do operador é necessário para a operação de corte

17 Desvantagens do corte a água Custo de corte mais elevado quando comparado a equipamentos de oxi corte e plasma Consome abrasivo para corte de materiais duros Velocidade de corte menor do que o Laser e Plasma para espessuras de até 6mm

18 Materiais que podem ser processados Arquitetura: mármore, granito, vidro, azulejo e pedra. Indústria: Ferramentas de metal duro, titânio, fibra de carbono, cerâmica. Qualquer liga de aço, cobre, alumínio, bronze, compostos, fibras, PVC, etc.

19 Maquina de corte a água

20 Maquina de corte a água Sistema de pressão ultra elevada inclui a bomba, cabeçote de corte e tubulação Máquina inclui os eixos X, Y e Z, os eixos do pulso do cabeçote de corte e o coletor de material Sistema de controle inclui o software de programação, a interface do operador, os motores de acionamento e o sistema de feedback de velocidade e posição

21 Jato de água puro O jato de água puro corta materiais leves como junta, espuma, plástico, papel, fralda descartável, isolamento, placa de cimento, interior automotivo, carpete e alimento.

22 Jato de água com abrasivo O jato de água abrasivo é similar ao jato de água puro, mas, após a criação do jato de água puro, o abrasivo é puxado para o cabeçote através de um vácuo venturi, misturado com água e, então, o fluxo do jato de água com abrasivo resultante pode cortar materiais duros, como metal, cerâmica, pedra, vidro e compósito.

23 Peças cortadas a água

24 Peças cortadas a água

25 Níveis de tolerância e acabamento do processo O Corte e Usinagem a Água e Abrasivo impõe alto padrão de acabamento, velocidade e praticidade em praticamente qualquer tipo de material imaginável, desde minúsculas e delicadas peças. O cabeçote responsável pela formação do jato de água e também pela adição do abrasivo tem elevadíssima precisão de posicionamento e corte com tolerãncia de +/- 0,1 mm.

26 Vídeo

27 Equipe: Janaína Baptista Juliana Barrionuevo Pedro Spolador Vitória Caldas Universidade Federal do Paraná

Design. O estudante deve redigir texto dissertativo, abordando os seguintes tópicos:

Design. O estudante deve redigir texto dissertativo, abordando os seguintes tópicos: Design Padrão de Resposta O estudante deve redigir texto dissertativo, abordando os seguintes tópicos: A A ideia de que desenvolvimento sustentável pode ser entendido como proposta ou processo que atende

Leia mais

Processo de soldagem: Os processos de soldagem podem ser classificados pelo tipo de fonte de energia ou pela natureza da união.

Processo de soldagem: Os processos de soldagem podem ser classificados pelo tipo de fonte de energia ou pela natureza da união. Soldagem Tipos de Soldagem Soldagem Processo de soldagem: Os processos de soldagem podem ser classificados pelo tipo de fonte de energia ou pela natureza da união. Tipos de Fontes Mecânica: Calor gerado

Leia mais

PROCESSOS AVANÇADOS DE USINAGEM

PROCESSOS AVANÇADOS DE USINAGEM PROCESSOS AVANÇADOS DE USINAGEM E FABRICAÇÃO DE PEÇAS DE PLÁSTICO Prof. Lopes INCLUEM PROCESSOS DE REMOÇÃO DE MATERIAL : QUÍMICOS ELÉTRICOS TÉRMICOS MECÂNICOS Usinagem Química Filme Usinagem Quimica

Leia mais

FABRICAÇÃO MECÂNICA. Introdução aos Processos de Fabricação / Fundição. Material 1 Coletânea de materiais sobre fundição (livros, apostilas e resumos)

FABRICAÇÃO MECÂNICA. Introdução aos Processos de Fabricação / Fundição. Material 1 Coletânea de materiais sobre fundição (livros, apostilas e resumos) 2010 FABRICAÇÃO MECÂNICA Introdução aos Processos de Fabricação / Fundição Material 1 Coletânea de materiais sobre fundição (livros, apostilas e resumos) Prof. Alexander 1/1/2010 1 - INTRODUÇÃO 2 3 2 -

Leia mais

O que é Tratamento Térmico de Aços?

O que é Tratamento Térmico de Aços? O que é Tratamento Térmico de Aços? Definição conforme norma NBR 8653 Operação ou conjunto de operações realizadas no estado sólido compreendendo o aquecimento, a permanência em determinadas temperaturas

Leia mais

Processo, Consumíveis, Técnicas e Parâmetros, Defeitos e Causas

Processo, Consumíveis, Técnicas e Parâmetros, Defeitos e Causas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Processo, Consumíveis, Técnicas e Parâmetros, Defeitos e Causas Professor: Anderson Luís Garcia Correia Unidade Curricular de Processos

Leia mais

Sistema de corte com jato de água. Idea

Sistema de corte com jato de água. Idea Sistema de corte com jato de água Idea Sistema de corte com jato de água Equipamento de origem italiana (único fabricante da Itália), com todos os componentes projetados e desenvolvidos internamente. Três

Leia mais

CENTROS DE USINAGEM MÁQUINAS PARA A USINAGEM DE ALUMÍNIO E OUTROS TIPOS DE MATERIAIS

CENTROS DE USINAGEM MÁQUINAS PARA A USINAGEM DE ALUMÍNIO E OUTROS TIPOS DE MATERIAIS CENTROS DE USINAGEM MÁQUINAS PARA A USINAGEM DE ALUMÍNIO E OUTROS TIPOS DE MATERIAIS Nossa empresa, com mais de 57 anos no mercado, está especializada na construção de centros de usinagem de controle numérico

Leia mais

Trabalho de solidificação. Soldagem. João Carlos Pedro Henrique Gomes Carritá Tainá Itacy Zanin de Souza

Trabalho de solidificação. Soldagem. João Carlos Pedro Henrique Gomes Carritá Tainá Itacy Zanin de Souza Trabalho de solidificação Soldagem João Carlos Pedro Henrique Gomes Carritá Tainá Itacy Zanin de Souza Introdução A soldagem é um processo de fabricação, do grupo dos processos de união, que visa o revestimento,

Leia mais

Maior Segurança e Produtividade em suas Operações

Maior Segurança e Produtividade em suas Operações Maior Segurança e Produtividade em suas Operações Sejam manuais ou automatizadas, operações de corte a plasma emitem radiação e gases que apresentam riscos ao meio ambiente, saúde e segurança dos trabalhadores

Leia mais

Discos CS e Rodas Laminadas CS Scotch-Brite Industrial

Discos CS e Rodas Laminadas CS Scotch-Brite Industrial 3 Discos CS e Rodas Laminadas CS Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Fevereiro/2004 Substitui: janeiro/2002 Página 1 de 6 Introdução: Os Discos CS e Rodas Laminadas CS (Clean N Strip) são originários

Leia mais

USINAGEM USINAGEM. Prof. M.Sc.: Anael Krelling

USINAGEM USINAGEM. Prof. M.Sc.: Anael Krelling USINAGEM Prof. M.Sc.: Anael Krelling 1 No processo de Usinagem uma quantidade de material é removido com auxílio de uma ferramenta de corte produzindo o cavaco, obtendo-se assim uma peça com formas e dimensões

Leia mais

FUNDIÇÃO POR CENTRIFUGAÇÃO

FUNDIÇÃO POR CENTRIFUGAÇÃO FUNDIÇÃO POR CENTRIFUGAÇÃO O processo de fabricação por centrifugação consiste em vazar-se metal líquido num molde dotado de movimento de rotação, de modo que a força centrífuga origine uma pressão além

Leia mais

Os materiais de proteção térmica devem apresentar:

Os materiais de proteção térmica devem apresentar: Os materiais de proteção térmica devem apresentar: Elevado calor específico Reduzida condutividade térmica Garantia de integridade durante a evolução do incêndio Resistência mecânica adequada Custo viável

Leia mais

FUNDIÇÃO DE ALUMÍNIO POR GRAVIDADE (COQUILHA)

FUNDIÇÃO DE ALUMÍNIO POR GRAVIDADE (COQUILHA) FUNDIÇÃO DE ALUMÍNIO POR GRAVIDADE (COQUILHA) Serviço indicado para fabricantes de máquinas e equipamentos, que utilizam peças; de pequenas dimensões (até 10kg) em alumínio fundidas em areia; shell moulding;

Leia mais

Sistemas de marcação a laser de fibra

Sistemas de marcação a laser de fibra Contraste de marcação superior em altas velocidades em plásticos e metais robustos Guia de amostras de codificação e marcação Sistemas de marcação a laser de fibra Realizar marcações a laser de alto contraste

Leia mais

MACOR. Cerâmica de Vidro Usinável Para Aplicações Industriais

MACOR. Cerâmica de Vidro Usinável Para Aplicações Industriais MACOR Cerâmica de Vidro Usinável Para Aplicações Industriais Material Inigualável MACOR Cerâmica de Vidro Usinável A cerâmica de vidro usinável MACOR é reconhecida em todo o mundo não só como uma grande

Leia mais

Aplicações do Alumínio na Indústria Aeronáutica e Aerospacial

Aplicações do Alumínio na Indústria Aeronáutica e Aerospacial Aplicações do Alumínio na Indústria Aeronáutica e Aerospacial Hugo Cal Barbosa, Engenheiro Aeronáutico Desde o final da década de 1920, quando o primeiro avião comercial foi fabricado, que o alumínio está

Leia mais

Bystronic: Best choice.

Bystronic: Best choice. JATO DE ÁGUA 4 JATO DE ÁGUA Corte a jato de água O corte a jato de água é um método de processamento fascinante. Uma bomba de alta pressão comprime até 3 litros de água por minuto através de um pequeno

Leia mais

Gerando Valor ao Cliente. Augusto Franco Gerente Nacional de Vendas

Gerando Valor ao Cliente. Augusto Franco Gerente Nacional de Vendas Gerando Valor ao Cliente Augusto Franco Gerente Nacional de Vendas Gerando Valor ao Cliente Programa da Apresentação: Valores e Missões Tecnologia Gerando Valor Redução de Custos Casos Práticos Ferramentas

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMADOS. (Comando Numérico EEK 561)

CONTEÚDOS PROGRAMADOS. (Comando Numérico EEK 561) (Comando Numérico EEK 5) Introdução Tipos de controle do movimento. Meios de entrada de dados e armazenagem de informações. Elementos de acionamento. Sistemas de controle. Eixos coordenados em maquinas

Leia mais

Tecnologia Mecânica Propriedades dos materiais

Tecnologia Mecânica Propriedades dos materiais Propriedades dos materiais Por que o plástico é "plástico"? Por que o alumínio é mais leve que o ferro? Por que a borracha depois de esticada volta a sua forma primitiva? Por que o cobre conduz eletricidade

Leia mais

Óxido de Alumínio. fechada. Dimensões e quantidades mínimas de encomenda por consulta. Carbureto de silício. fechada

Óxido de Alumínio. fechada. Dimensões e quantidades mínimas de encomenda por consulta. Carbureto de silício. fechada Cintas de lixa com costado de papel Papel de lixa ANTSTATC PS 22 F ACT F-Papel Pintura/verniz/massa Vantagens: Alta capacidade de desbaste, acabamento fino - Especialmente desenvolvido para o lixamento

Leia mais

METAIS, AÇOS E PROCESSOS SIDERÚRGICOS

METAIS, AÇOS E PROCESSOS SIDERÚRGICOS METAIS, AÇOS E PROCESSOS SIDERÚRGICOS METAIS Podem ser moldados; São dúcteis (deformam antes de romper); Bons condutores de energia elétrica e calor. OBTENÇÃO DOS METAIS OBTENÇÃO DOS METAIS OBTENÇÃO DOS

Leia mais

PROPRIEDADES MECÂNICAS I Fundamentos

PROPRIEDADES MECÂNICAS I Fundamentos INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA PROGRAMA DE CIÊNCIA DOS MATERIAIS PROPRIEDADES MECÂNICAS I Fundamentos Propriedades dos Materiais Ten Cel Sousa Lima, D. C. SUMÁRIO Introdução Tensões e Deformações Ensaio

Leia mais

AR FUSION. Brasil. Pneumática. Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP AR FUSION. Pneumática. VRP9-01 pressão de trab. 07bar

AR FUSION. Brasil. Pneumática. Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP AR FUSION. Pneumática. VRP9-01 pressão de trab. 07bar Resfriador de painel Tubo VORTEX SÉRIE VRP VRP9-01 pressão de trab. 07bar WWW.ARFUSION.COM.BR Resfriador de painel VORTEX Os Resfriadores com Ar Comprimido - Vortex são destinados à aplicações especiais

Leia mais

São ferramentas abrasivas utilizadas para o corte de diversos tipos de materiais, como aço e suas ligas, materiais não ferrosos e refratários.

São ferramentas abrasivas utilizadas para o corte de diversos tipos de materiais, como aço e suas ligas, materiais não ferrosos e refratários. Segurança, qualidade e economia. São ferramentas abrasivas utilizadas para o corte de diversos tipos de materiais, como aço e suas ligas, materiais não ferrosos e refratários. São utilizadas em máquinas

Leia mais

21 Gabaritos das aulas 61 a 80

21 Gabaritos das aulas 61 a 80 A U A UL LA Gabaritos das aulas 61 a 80 Aula 61 - Corte com jato de água 2. b; c 4. d, c, d Aula 62 - Corte com laser 2. b, b 5. c Aula 63 - Oxicorte 1. Acetileno, hidrogênio, propano e butano. 2. Porque

Leia mais

Aula 10 - Laminação. Para ter acesso a esse material acesse:

Aula 10 - Laminação. Para ter acesso a esse material acesse: Aula 10 - Laminação Para ter acesso a esse material acesse: http://professores.chapeco.ifsc.edu.br/keli Classificação Processos de Fabricação Processos de Fabricação Com remoção de cavaco Sem remoção de

Leia mais

AULA 6 USINABILIDADE DOS MATERIAIS

AULA 6 USINABILIDADE DOS MATERIAIS AULA 6 USINABILIDADE DOS MATERIAIS 39 6. VARIÁVEIS INDEPENDENTES DE ENTRADA: USINABILIDADE DOS MATERIAIS 6.1. Introdução A usinabilidade é definida como uma grandeza tecnológica que expressa, por meio

Leia mais

Aula 13 e 14: Soldagem Eletrodo Revestido TIG MIG/MAG Arco Submerso

Aula 13 e 14: Soldagem Eletrodo Revestido TIG MIG/MAG Arco Submerso Aula 13 e 14: Soldagem Eletrodo Revestido TIG MIG/MAG Arco Submerso A solda pode ser definida como uma união de peças metálicas, cujas superfícies se tornaram plásticas ou liquefeitas, por ação de calor

Leia mais

EFEITO DOS ELEMENTOS DE LIGA NOS AÇOS RSCP/ LABATS/DEMEC/UFPR

EFEITO DOS ELEMENTOS DE LIGA NOS AÇOS RSCP/ LABATS/DEMEC/UFPR EFEITO DOS ELEMENTOS DE LIGA NOS AÇOS RSCP/ LABATS/DEMEC/UFPR Seleção do processo de fundição Metal a ser fundido [C. Q.]; Qualidade requerida da superfície do fundido; Tolerância dimensional requerida

Leia mais

Fonte de soldagem MIG-MAG

Fonte de soldagem MIG-MAG Fonte de soldagem MIG-MAG Linha Industrial - MB 450 LD/DW Linha Nacional e Internacional Merkle Fontes de soldagem MIG-MAG Fontes de soldagem MIG pulsadas Fontes de soldagem TIG DC Fontes de soldagem TIG

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA MCC1001 AULA 1

APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA MCC1001 AULA 1 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA MCC1001 AULA 1 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas.

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas. Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar Boas práticas O sistema de aquecimento solar e seus componentes O que é sistema de aquecimento solar (SAS) A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Leia mais

EM535 USINAGEM DOS MATERIAIS 1 O. SEMESTRE DE Teste 2

EM535 USINAGEM DOS MATERIAIS 1 O. SEMESTRE DE Teste 2 EM535 USINAGEM DOS MATERIAIS 1 O. SEMESTRE DE 2007 - Teste 2 1. As características desejáveis a um material de ferramenta são: a. resistência ao desgaste, tenacidade, dureza a quente e baixo coeficiente

Leia mais

siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores

siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores siasphere Processos exigentes requerem produtos inovadores siasphere é um abrasivo estruturado Hightech único. A inovação reside na estrutura

Leia mais

Referência Grão Ref. Ind. Emb. - Lixamento manual a seco de primers e madeira, com efeito anti-empastante. Referência Grão Ref. Ind. Emb.

Referência Grão Ref. Ind. Emb. - Lixamento manual a seco de primers e madeira, com efeito anti-empastante. Referência Grão Ref. Ind. Emb. 507 lixa ferro - Para desbaste e acabamento de superfícies metálicas em geral - Costado de pano lixa madeira - Lixamento de madeiras em geral lixa massa - Para massa corrida, pintura em paredes, madeiras

Leia mais

Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria automotiva

Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria automotiva Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria automotiva Freddy Baruch 11 Novembro 2015 Page 1 SAUDAÇÃO BOM DIA! Page 2 APRESENTAÇÃO Page 3 APRESENTAÇÃO Quem somos - Apresentação Pessoal Freddy

Leia mais

INDICE GERAL. xv xvii. Nota dos tradutores Prefácio

INDICE GERAL. xv xvii. Nota dos tradutores Prefácio r INDICE GERAL Nota dos tradutores Prefácio xv xvii CAPíTULO 1 INTRODUÇÃO À CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS 1.1 Materiais e engenharia 1.2 Ciência e engenharia de materiais 1.3 Classes de materiais 1.4

Leia mais

Velocidade máxima de trabalho

Velocidade máxima de trabalho Kronenflex 0,8 1,0 mm A 980 TZ Agressividade E E E E E D D NOVO Vantagens: Livre de ferro, enxofre e cloro Cortes rápidos e precisos Baixa temperatura de corte Cortes sem rebarbas 25 discos distribuídos

Leia mais

A108 Broca, HSS, para Aços Inoxidáveis

A108 Broca, HSS, para Aços Inoxidáveis A108 Broca, HSS, para Aços Inoxidáveis ÍNDICE Usinagem de Aços Inoxidáveis 3 Por que os Aços Inoxidáveis são considerados como difíceis de usinar? 3 Pontos Importantes na usinagem de Aços Inoxidáveis 3

Leia mais

AULA 9 ATUADORES ELÉTRICOS

AULA 9 ATUADORES ELÉTRICOS AULA 9 ATUADORES ELÉTRICOS Prof. Fabricia Neres Tipos de Acionamento Os acionadores são dispositivos responsáveis pelo movimento nos atuadores. Podem ser classificados em: Acionamento Elétrico; Acionamento

Leia mais

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras.

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO IT Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULTURA IT 154- MOTORES E TRATORES INTRODUÇÃO CONSTITUIÇÃO DOS MOTORES Carlos Alberto Alves

Leia mais

LAPIDADORA DE PISO FLAP-12

LAPIDADORA DE PISO FLAP-12 LAPIDADORA DE PISO FLAP-12 CONHEÇA OS BENEFÍCIOS QUE A LAPIDADORA DE PISO TRAZ PARA O TRABALHO NA OBRA. A Lapidadora de Piso FLAP-12 é 4 vezes mais em produtividade do que as politrizes. A lapidadora foi

Leia mais

Placas de Circuito Impresso

Placas de Circuito Impresso Placas de Circuito Impresso Origem Anteriormente à invenção dos transistores os circuitos eletrônicos baseavam-se em válvulas à vácuo que, por serem relativamente grandes, dispensavam maiores preocupações

Leia mais

Sistemas de Aquecimento Solar COLETORES SOLARES

Sistemas de Aquecimento Solar COLETORES SOLARES Sistemas de Aquecimento Solar Sumário Tipos de coletores Sistemas de aquecimento solar com coletor solar de placa plana Qualidade e Normas Projeto e Dimensionamento Coletor reservatório Placa plana sem

Leia mais

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico Apresentação Características da hidráulica Evolução dos sistemas hidráulicos Sistema hidráulico Circuito hidráulico básico Unidade hidráulica Apresentação Com a constante evolução tecnológica há no mercado

Leia mais

GRSS. MIG Brazing BRITE EURAM III. MIG Brazing

GRSS. MIG Brazing BRITE EURAM III. MIG Brazing MIG BRAZING O processo MIG BRAZING é um processo de SOLDABRASAGEM porque ocorre a fusão parcial do metal de base e a capilaridade é mínima. Soldagem Fusão do MA e MB; Soldabrasagem Fusão do MA e parcial

Leia mais

VLC. Matec. A VLC realiza testes de sedimentação e filtração para o dimensionamento dos equipamentos.

VLC. Matec. A VLC realiza testes de sedimentação e filtração para o dimensionamento dos equipamentos. FILTRO PRENSA VLC Empresa genuinamente brasileira, fundada em 1991, é uma das líderes no mercado nacional no fornecimento de soluções em Equipamentos e Sistemas para Filtração e Sedimentação. Com ampla

Leia mais

Tubos Leves/Pesados. Cortatubos. Serviço Pesado. Rodas Cortadoras. Serviço Pesado

Tubos Leves/Pesados. Cortatubos. Serviço Pesado. Rodas Cortadoras. Serviço Pesado Tubos Levesesados Tubos Levesesados Tipos Cortatubos Número de s (ol. ) ág. Serviço esado 3 ½ 3.2 Articulado 4 2 2 3.2 Cerâmica e Ferro Fundido 2 ½ 3.3 Ensamblador de Tubos ½ 3.3 Serviço esado Escariador

Leia mais

Proposições para Capacitação nas Máquinas para Madeira e Marcenaria

Proposições para Capacitação nas Máquinas para Madeira e Marcenaria Proposições para Capacitação nas Máquinas para Madeira e Marcenaria Departamentos Regionais Paraná São Paulo Santa Catarina Rio Grande do Sul Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação

Leia mais

Fundamentos Tecnológicos 70 h - Desenho Técnico I 70 h - Tecnologia dos Materiais 70 h - Prática Mecânica 35 h - Processos de Fabricação 35 h -

Fundamentos Tecnológicos 70 h - Desenho Técnico I 70 h - Tecnologia dos Materiais 70 h - Prática Mecânica 35 h - Processos de Fabricação 35 h - Curso Técnico Subsequente Curso de Mecânica CÂMPUS CHAPECÓ MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 350 h Fundamentos Tecnológicos Desenho Técnico I Introdução ao Mundo do Trabalho 35 h

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC DEPARTAMENTE DE ENGENHARAIA MECÂNICA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA MECÂNICA EMC 5522 RELATÓRIO 1/3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC DEPARTAMENTE DE ENGENHARAIA MECÂNICA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA MECÂNICA EMC 5522 RELATÓRIO 1/3 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC DEPARTAMENTE DE ENGENHARAIA MECÂNICA ESTÁGIO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA MECÂNICA EMC 5522 RELATÓRIO 1/3 INSTITUTO FRAUNHOFER PARA TECNOLOGIAS DE PRODUCAO IPT

Leia mais

O que é uma cremalheira?

O que é uma cremalheira? Cremalheiras O que é uma cremalheira? Peça mecânica que consiste numa barra ou trilho dentado que, com o auxílio de uma engrenagem do mesmo passo (módulo), exerce/transforma movimentos retilínios (cremalheira)

Leia mais

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada ArcelorMittal Inox Brasil S.A. Ugine S.A. Columbus Stainless P410D F12N 3CR12 * equivalência aproximada Designação Européia NF EN 10088-2

Leia mais

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO APRESENTAÇÃO EMPRESA A UBM Usinagem mantém o firme propósito de proporcionar aos seus clientes

Leia mais

helicoidais. Nesta aula vamos continuar nosso estudo sobre as molas.veremos

helicoidais. Nesta aula vamos continuar nosso estudo sobre as molas.veremos A UU L AL A Molas ll Na aula passada você conheceu as molas helicoidais. Nesta aula vamos continuar nosso estudo sobre as molas.veremos o que são molas planas. Introdução Molas planas As molas planas são

Leia mais

AULA 2 CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE USINAGEM

AULA 2 CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE USINAGEM AULA 2 CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE USINAGEM 3 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE USINAGEM 2.1. Introdução Fabricar é transformar matérias-primas em produtos acabados, por uma variedade de processos.

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0049 ISOLADORES 1/19 1. FINALIDADE

Leia mais

DEFINIÇÃO DE FUNDIÇÃO. Processo metalúrgico de fabricação que envolve a. fusão de metais ou ligas metálicas, seguida do

DEFINIÇÃO DE FUNDIÇÃO. Processo metalúrgico de fabricação que envolve a. fusão de metais ou ligas metálicas, seguida do Dr. Eng. Metalúrgica Aula 01: 1. Introdução - Definição de fundição. - Características e potencialidades dos processos de fundição. - Princípios fundamentais. 2. Classificação dos Processos de Fundição

Leia mais

SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L

SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L SISTEMAS DE LUBRIFICAÇÃO LTDA-ME L IN H A P R O F I S S I O N A L ÍNDICE Linha de Escovas Página Escovas Circulares de arames Ondulados 03 ref. 7000 Escovas Circulares de arames Trançados 04 ref. 7010

Leia mais

Metálicas. Prof. Paulo Marcondes, PhD. DEMEC / UFPR

Metálicas. Prof. Paulo Marcondes, PhD. DEMEC / UFPR Manufatura de Chapas Metálicas Corte Prof. Paulo Marcondes, PhD. DEMEC / UFPR Corte Operações básicas: Estampagem - Corte - Dobramento - Estiramento (chapa presa pela periferia) - Embutimento (não há restrições

Leia mais

Descrição Geral: Conexões disponíveis:

Descrição Geral: Conexões disponíveis: Descrição Geral: Conexões disponíveis: - 3 - Instalação em banheiras de hidromassagem: Erros comuns de instalação: - 4 - Instalação elétrica: A montagem e instalação elétrica para a motobomba devem ser

Leia mais

Falando em CORTE. Corte GRSS

Falando em CORTE. Corte GRSS Falando em CORTE Prof. Alexandre Queiroz Bracarense, PhD Laboratório de Robótica, Soldagem e Simulação Departamento de Engenharia Mecânica Universidade Federal de Minas Gerais Falando em CORTE Métodos

Leia mais

Linha de Produtos. » Lâminas para Serra Tico-Tico e Máquinas Elétricas de Bancada. Linha Metal - Dentes Retos

Linha de Produtos. » Lâminas para Serra Tico-Tico e Máquinas Elétricas de Bancada. Linha Metal - Dentes Retos » Lâminas para Serra Tico-Tico e Máquinas Elétricas de Bancada Todas as lâminas são de Cromo Vanádio, temperadas e revenidas em toda sua superfície. O diferencial das serras esta na qualidade em que os

Leia mais

PAINEL STONEWOOL COMPOSITE HONEYCOMB DA ARCHICOM TM

PAINEL STONEWOOL COMPOSITE HONEYCOMB DA ARCHICOM TM STONEWOOL COMPOSITE HONEYCOMB ESTAMOS COMPROMETIDOS COM O VALOR E COM A QUALIDADE ARQUITETURA IDENTIDADE CORPORA TIVA EXIBIÇÃO TRANSPORTE INDÚSTRIA SOBRE A SUSTENTABILIDADE RIGIDEZ As estruturas prensadas

Leia mais

ÍNDICE GERAL 1. SERRAS CIRCULARES HSS 1.1. CARACTERÍSTICAS DAS LÂMINAS E APLICAÇÃO 1.2. DURABILIDADE E CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DOS REVESTIMENTOS

ÍNDICE GERAL 1. SERRAS CIRCULARES HSS 1.1. CARACTERÍSTICAS DAS LÂMINAS E APLICAÇÃO 1.2. DURABILIDADE E CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DOS REVESTIMENTOS A Sul Corte foi fundada em 21 de setembro de 1994 e é detentora de uma grande tradição no mercado metal mecânico. É especializada na fabricação de Serras Circulares em Aço Rápido HSS e Serras Circulares

Leia mais

TECNOLOGIA MECÂNICA. Aula 02. Introdução ao Estudo dos Materiais

TECNOLOGIA MECÂNICA. Aula 02. Introdução ao Estudo dos Materiais Aula 02 Introdução ao Estudo dos Materiais Prof. Me. Dario de Almeida Jané Introdução ao Estudo dos Materiais - Definição - Tipos de Materiais / Classificação - Propriedades dos Materiais Introdução ao

Leia mais

CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO. Soluções completas em tratamento térmico.

CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO. Soluções completas em tratamento térmico. CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO Soluções completas em tratamento térmico. Muito além do aço. Na indústria metal-mecânica, a demanda por aços com propriedades mecânicas e tribológicas é cada vez

Leia mais

O SENAI-SP é a maior instituição de educação profissional e tecnológica da América Latina

O SENAI-SP é a maior instituição de educação profissional e tecnológica da América Latina abril de 2016 O SENAI-SP é a maior instituição de educação profissional e tecnológica da América Latina MISSÃO Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias

Leia mais

CNC Comando Numérico Computadorizado

CNC Comando Numérico Computadorizado CNC Comando Numérico Computadorizado 1 - Histórico Busca de melhoria ao produto, aliado ao desenvolvimento dos computadores. Principal fator: 2ª Guerra Mundial produção em massa (a guerra consumia tudo,

Leia mais

Fundição sob Pressão Die Casting

Fundição sob Pressão Die Casting Fundição sob Pressão Die Casting Os fundidos fabricados por Fundição sob pressão encontram-se entre os itens de maior volume de produção na indústria de metais. RSCP LABATS/DEMEC/UFPR LIGAS METÁLICAS NÃO

Leia mais

Empresa certificada ISO 9001:2000

Empresa certificada ISO 9001:2000 Empresa certificada ISO 9001:2000 Maemfe é uma empresa brasileira, localizada na cidade do Rio de Janeiro, com 22 anos de existência, líder no fornecimento de uma vasta gama de serviços e produtos para

Leia mais

SOLDA DE CORTE PLASMA 40

SOLDA DE CORTE PLASMA 40 *imagens meramente ilustrativas SOLDA DE CORTE PLASMA 40 Manual De Instruções 1. DADOS TÉCNICOS MÁQUINA DE CORTE PLASMA 40 Modelo Plasma 40 Corrente nominal 40A Tensão em vazio máxima 280V Ciclo de trabalho

Leia mais

SISTEMAS DE POLIURETANO POLYURETHANE

SISTEMAS DE POLIURETANO POLYURETHANE SISTEMAS DE POLIURETANO POLYURETHANE Introdução A Univar Brasil conta com um laboratório exclusivo para desenvolvimento e aplicação de sistemas de poliuretano. Uma série de produtos especiais é desenvolvida

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/ Materiais para Ferramentas

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/ Materiais para Ferramentas MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06 6. Materiais para Ferramentas F. Jorge Lino Alves 1 Resumo 6. Materiais para ferramentas de corte. Materiais cerâmicos para abrasivos. 2

Leia mais

Aula 1: Aços e Ferros Fundidos Produção Feito de Elementos de Liga Ferros Fundidos. CEPEP - Escola Técnica Prof.: Kaio Hemerson Dutra

Aula 1: Aços e Ferros Fundidos Produção Feito de Elementos de Liga Ferros Fundidos. CEPEP - Escola Técnica Prof.: Kaio Hemerson Dutra Aula 1: Aços e Ferros Fundidos Produção Feito de Elementos de Liga Ferros Fundidos CEPEP - Escola Técnica Prof.: Kaio Aços e Ferros Fundidos O Ferro é o metal mais utilizado pelo homem. A abundância dos

Leia mais

Dimensões [mm] Furo padrão [mm] Haste-[mm] max. Quant. 0,35 mm 0,50 mm 0,50 mm D A T B min -1 Embal. Código. Código. Código.

Dimensões [mm] Furo padrão [mm] Haste-[mm] max. Quant. 0,35 mm 0,50 mm 0,50 mm D A T B min -1 Embal. Código. Código. Código. Dimensões A podem variar de acordo com o diâmetro e qualidade do arame. A rotação recomendada de tabalho é aproximadamente 50 % da rotação máxima RPM. 26 Escovas circulares, arame trançado tipo agressivo

Leia mais

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Materiais de Construção de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 APLICAÇÕES DOS MATERIAIS NA ARQUITETURA O ENVELOPE MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS

Leia mais

Os processos de fabricação mecânica podem ser agrupados em 5 grupos principais.

Os processos de fabricação mecânica podem ser agrupados em 5 grupos principais. Os processos de fabricação mecânica podem ser agrupados em 5 grupos principais. a) Fundição d) Metalurgia do pó b) Usinagem c) Soldagem E) CONFORMAÇÃO MECÂNICA Esquema geral dos processos de conformação

Leia mais

FORMAÇÃO DE CORROSÃO GALVÂNICA

FORMAÇÃO DE CORROSÃO GALVÂNICA FORMAÇÃO DE CORROSÃO GALVÂNICA EJC ENGENHARIA DE UTILIDADES WWW.EJCENGENHARIA.COM.BR CORROSÃO GALVÂNICA O aço inox ou o alumínio, quando utilizados em placas de identificação para vasos de pressão, através

Leia mais

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, Prof. Marco Simões Transferência de calor, exercícios selecionados do Sears & Zemansky, cap.

Unimonte, Engenharia Física Aplicada, Prof. Marco Simões Transferência de calor, exercícios selecionados do Sears & Zemansky, cap. Unimonte, Engenharia Física Aplicada, Prof. Marco Simões Transferência de calor, exercícios selecionados do Sears & Zemansky, cap. 17 17.65) Suponha que a barra da figura seja feita de cobre, tenha 45,0

Leia mais

Gravação com laser da Trotec

Gravação com laser da Trotec Manual para Gravação com laser da Trotec www.troteclaser.com Dicas e truques para gravação a laser Índice 3 Introdução 3 Quais as aplicações da máquina a laser? 4 Fontes de laser e suas opções 4 Lasers

Leia mais

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira Processos de Soldagem Valter V de Oliveira Introdução Processos de junção são empregados para unir dois ou mais componentes, de forma que estes passem a apresentar um movimento de corpo rígido. O termo

Leia mais

GRANDE DURABILIDADE, MAIS PRODUTIVIDADE: LÂMINAS LUTZ PARA A FABRICAÇÃO DE TAPETES E TECIDOS

GRANDE DURABILIDADE, MAIS PRODUTIVIDADE: LÂMINAS LUTZ PARA A FABRICAÇÃO DE TAPETES E TECIDOS TEARES DUPLOS Amostra de sortimento outros modelos sob consulta GRANDE DURABILIDADE, MAIS PRODUTIVIDADE: LÂMINAS LUTZ PARA A FABRICAÇÃO DE TAPETES E TECIDOS LÂMINAS ESPECIAIS PELÍCULA FIBRAS QUÍMICAS E

Leia mais

Redes de Computadores.

Redes de Computadores. Redes de Computadores www.profjvidal.com Meios de Comunicação Fibra Óptica Meios de Comunicação Fibra Óptica Consiste basicamente de material dielétrico, em geral sílica ou plástico, transparente flexível

Leia mais

Acessórios de colagem a UV. Referência Máquina para colar a UV Entrada 220 V Potência 100W Cor da luz: Branca

Acessórios de colagem a UV. Referência Máquina para colar a UV Entrada 220 V Potência 100W Cor da luz: Branca Referência 008 75 310 Entrada 220 V Potência 100W Cor da luz: Branca Lâmpada recarregável Referência 008 75 319 Marca: Bohle 87 Referência 008 75 400 Entrada 230 V Potência 45W Cor da luz: Azul Comprimento

Leia mais

Pantógrafo. Nesta aula você vai conhecer, de maneira. Nossa aula. Cópias perfeitas

Pantógrafo. Nesta aula você vai conhecer, de maneira. Nossa aula. Cópias perfeitas A U A UL LA Pantógrafo Nesta aula você vai conhecer, de maneira geral, uma máquina usada para fazer gravações em metais, plásticos e acrílicos. Vai saber como esta máquina é montada e quais são os principais

Leia mais

TW102 TW202 TW302 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE.

TW102 TW202 TW302 MAIS QUE PRODUTOS. PRODUTIVIDADE. TW102 TW202 TW302 SOLUÇÕES PARA ALUMÍNIO E METAIS MALEÁVEIS TW102 DIN 338 (6xD) TW202 DIN 340 (10xD) TW302 DIN 1869/1 (15xD) Alta durabilidade Maior produtividade peças/hora Redução de paradas para reafiação

Leia mais

Conteúdo 5 - Serigrafia e Sublimação. professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 5 - Serigrafia e Sublimação. professor Rafael Hoffmann Conteúdo 5 - Serigrafia e Sublimação professor Rafael Hoffmann No processo coloca-se o suporte por baixo da matriz (tela), coloca-se a tinta por cima e com a ajuda de uma espátula faz-se pressão na tinta

Leia mais

EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUÇÃO POLITRIZ DE PISO FP-06

EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUÇÃO POLITRIZ DE PISO FP-06 EQUIPAMENTOS PARA CONSTRUÇÃO POLITRIZ DE PISO FP-06 A MAIS VENDIDA DO BRASIL. Vídeo (visite nosso canal no Youtube: FINITI EQUIPAMENTOS) clique na imagem para assistir ao vídeo. Sobre a Politriz de Piso

Leia mais

Centrais de cogeração em edifícios: o caso da Sonae Sierra

Centrais de cogeração em edifícios: o caso da Sonae Sierra Centrais de cogeração em edifícios: o caso da Sonae Sierra Miguel Gil Mata 29 Maio 2009 FEUP Semana da Energia e Ambiente 1 Centrais de Cogeração em edifícios o caso da Sonae Sierra 1. O conceito de Cogeração

Leia mais

Extintor de pó químico

Extintor de pó químico Tipos de extintores Extintor de pó químico O agente extintor é o bicarbonato de sódio ou bicarbonato de potássio; A extinção do incêndio acontece pela formação de uma nuvem de pó sobre a chama que exclui

Leia mais

2. Conformação mecânica: deformação plástica do material.

2. Conformação mecânica: deformação plástica do material. CONFORMAÇÃO (Mar 2007) 1. Processos de conformação podem ser classificados em: - processos de compressão direta (forjamento, laminação) - processos de compressão indireta (trefilação, extrusão, estampagem

Leia mais

Fixador de crânio. HeadFix HF-02B

Fixador de crânio. HeadFix HF-02B Fixador de crânio HeadFix HF-02B HeadFix HeadFix é o Sistema de Fixação Cranial que possibilita o posicionamento da cabeça do paciente de acordo com as necessidades do médico durante o procedimento cirúrgico.

Leia mais

OXICORTE SENAI CETEMP OUTROS PROCESSOS TOBIAS ROBERTO MUGGE

OXICORTE SENAI CETEMP OUTROS PROCESSOS TOBIAS ROBERTO MUGGE OXICORTE SENAI CETEMP OUTROS PROCESSOS TOBIAS ROBERTO MUGGE TIPOS DE CORTE MECÂNICO: Cisalhamento ou remoção de cavacos (guilhotinas e tesouras, serra) FUSÃO: Fusão do material pela transferência de calor

Leia mais

Compromisso com o Futuro. testo 319. Visão Garantida

Compromisso com o Futuro. testo 319. Visão Garantida Compromisso com o Futuro testo 319 Visão Garantida Documentação Para visualizar, documentar e comunicar, um adaptador para telefone celular Nokia 6600 está disponível, bem como um adaptador MDA para o

Leia mais

Catálogo de Produtos. Tradição e Qualidade. Paula Ramos Abrasivos EIRELI Detentora do uso da marca ICAPER

Catálogo de Produtos. Tradição e Qualidade.  Paula Ramos Abrasivos EIRELI Detentora do uso da marca ICAPER Paula Ramos Abrasivos EIRELI Detentora do uso da marca ICAPER Catálogo de Produtos Tradição e Qualidade Discos de Corte Standard Discos de Corte Reforçados e Super Reforçados Discos de Corte Extrafino

Leia mais

Rebarbar: o diâmetro usual dos discos de rebarbar é de 115 ou 125 m consoante o modelo da rebarbadora.

Rebarbar: o diâmetro usual dos discos de rebarbar é de 115 ou 125 m consoante o modelo da rebarbadora. A REBARBADORA A rebarbadora pode ser utilizada para trabalhos de esmerilagem, rebarbagem e corte de metais (chapa metálica, perfis de alumínio, chapas em ferro fundido, etc.) e materiais de construção)

Leia mais