Origens da Teoria da Burocracia. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Origens da Teoria da Burocracia. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua"

Transcrição

1 Origens da Teoria da Burocracia Autor: Ader Fernando Alves de Pádua 1 INTRODUÇÃO A Burocracia é a necessidade que as organizações tem, para alcançar os objetivos estabelecidos, de maneira rápida e eficaz, através de normas e regras, proporcionando o mínimo possível de atrito entre superiores e subordinados. Ao longo deste artigo serão colocadas as origens, formas, e características de como burocracia esta estabelecida no interior das organizações, e como ela conduz de forma racional o relacionamento entre superiores e subordinados. Será abordado a importância da burocracia dentro das organizações, nos mostrando o modo racional, de como é definido cada passo tomado pelos seus Administradores através do poder.

2 1 2 ORIGENS DA TEORIA DA BUROCRACIA 2.1 Conceitos A burocracia é uma forma de organização humana que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos objetivos (fins) pretendidos, a fim de garantir a máxima eficiência possível no alcance desses objetivos. Autoridade significa a probabilidade de que um comando ou ordem especifica seja obedecido. Ela representa o poder institucionalizado e oficializado. O poder é a possibilidade de imposição de arbítrio por parte de uma pessoa sobre a conduta das outras, autoridade é ter poder, pois ter poder nem sempre significa autoridade. Legitimidade é a capacidade de justificar seu exercício. É o motivo que explica porque um determinado numero de pessoas obedece a ás ordens de alguém, conferindo-lhe poder. A dominação é uma relação de poder na qual o governante (dominador) ou pessoa que impõe seu arbítrio sobre as demais acredita ter o direito de exercer o poder, e os governados (dominados) consideram como sua obrigação obedecer-lhe as ordens. 2.2 Tipos de Sociedade Weber distingue três tipos de sociedade: a) Sociedade tradicional, onde predominam características patriarcais e patrimonialistas, como a família, o clã, a sociedade medieval etc.; b) Sociedade carismática, onde predominam características místicas, arbitrárias e personalísticas, como nos grupos revolucionários, nos partidos políticos, nas nações em revolução etc.;

3 2 c) Sociedade legal, racional ou burocrática, onde predominam normas impessoais e racionalidade na escolha dos meios e dos fins, como nas grandes empresas, nos estados modernos, nos exércitos etc. 2.3 Tipos de autoridades A cada tipo de sociedade corresponde, para Weber, um tipo de autoridade. autoridade significa a probabilidade de que um comando ou ordem específica seja obedecido. A autoridade representa o poder institucionalizado e oficializado. Poder implica potencial para exercer influencia sobre as outras pessoas. Poder significa, para Weber, a probabilidade de impor a própria vontade dentro de uma relação social, mesmo contra qualquer forma de resistência e qualquer que seja o fundamento dessa probabilidade. A autoridade e o poder dela decorrente depende da legitimidade, que é a capacidade de justificar seu exercício. A legitimidade é o motivo que explica por que um determinado número de pessoas obedece às ordens de alguém, conferindo-lhe poder. Essa aceitação, essa justificação do poder é chamada legitimação. A autoridade é legítima quando é aceita. Se a autoridade proporciona poder, o poder conduz à dominação. Dominação significa que a vontade manifesta (ordem) do dominador influência a conduta dos outros (dominados) de tal forma que o conteúdo da ordem, por si mesma, se transforma em norma de conduta (obediência), para os subordinados. As crenças que legitimam o exercício do poder existem tanto na mente do líder com na dos subordinados. Tais crenças determinam a relativa estabilidade da dominação, ao mesmo tempo em que retratam as diferenças básicas entre os diversos sistemas de dominação. Weber estabelece uma tipologia de autoridade, baseando-se não nos tipos de poder empregados, mas nas fontes e tipos de legitimidade aplicados. A dominação requer um aparato administrativo, isto é, a dominação, principalmente quando exercida sobre um grande número de pessoas e um vasto território, necessita de um pessoal administrativo para executar as ordens e servir como ponto de ligação entre o governo e os governados. Para Mouzelis, a legitimação e o aparato administrativo constituem os dois principais critérios para a tipologia weberiana que passaremos a discutir.

4 3 Weber aponta três tipos de autoridade legítima, a saber: a) Autoridade Tradicional : o poder tradicional não é racional, pode ser transmitido por herança e é extremamente conservador. Toda mudança social implica rompimento mais ou menos violento das tradições. Também ocorre em certos tipos de empresas familiares mais fechadas. b) Autoridade Carismática: é aplicável a grandes líderes políticos com Hitler; Kennedy etc,. a capitães de indústria, com Matarazzo, Ford etc.; o poder carismático é um poder sem base racional, é instável e facilmente adquire características revolucionária. Não pode ser delegado, nem recebido de herança, com o tradicional. A legitimação da autoridade carismática provém das características pessoais carismáticas do líder e da devoção e arrebatamento que consegue impor aos seguidores. O aparato administrativo, quando a dominação carismática envolve um grande número de seguidores, é constituído de discípulos e subordinados mais leais e devotados, para desempenharem o papel de intermediários entre o líder carismático e a massa. Esse aparato administrativo é inconstante e instável. c) Autoridade legal, Racional ou Burocrática: é o tipo de autoridade técnica, meritocrática e administrada. Baseia-se na promulgação. A idéia básica fundamenta-se no fato de que as leis podem ser promulgadas e regulamentas livremente por procedimentos formais e corretos. O aparato administrativo que corresponde à dominação legal é a burocracia. Muito embora tenham existido administrações burocráticas no passado, somente com a emergência do Estado Moderno o exemplo mais próximo do tipo legal de dominação é que a burocracia passou a prevalecer em tão larga escala. Todavia, a burocratização não se limita à organização estatal, pois embora Weber tenha elaborado o conceito de burocracia a partir de sua sociologia política, ele usou o conceito de modo mais abrangente, englobando as demais instituições de grande porte, tanto no domínio religioso (a Igreja) com no educacional (a Universidade) ou no econômico (as grandes empresas), que adotaram o tipo burocrático de organização, concentrando os meios de administração no topo da hierarquia e utilizando regras racionais e impessoais, visando à máxima eficiência.

5 4 Weber identifica três fatores que favorecem o desenvolvimento da moderna burocracia: o desenvolvimento de uma economia monetária, o crescimento quantitativo e qualitativo das tarefas administrativas do Estado Moderno, a superioridade técnica em termos de eficiência do tipo burocrático de administração. O desenvolvimento tecnológico fez com que as tarefas administrativas, para o acompanhamento, tendessem ao aperfeiçoamento. Assim, os sistemas sociais cresceram em demasia, as grandes empresas há uma necessidade crescente de cada vez mais se obter um controle e uma maior previsibilidade do seu funcionamento. O modelo concebido com grande antecipação por Max Weber tem muita semelhança com as grandes organizações modernas, com a General Motors, a Philips, a Sear Roebuck, a Ford etc. 2.4 Disfunções da Burocracia Para Weber, a burocracia é uma organização cujas conseqüências desejadas se resumem na previsibilidade do seu funcionamento no sentido de obter a maior eficiência da organização. Merton deu o nome de disfunções da burocracia, para designar as anomalias de funcionamento responsáveis pelo sentido pejorativo que o termo burocracia adquiriu junto aos leigos no assunto. Segundo Merton, o homem (excluído dos estudos de Max Weber, que descreveu um sistema social desumano e mecanicista), quando participa da burocracia, faz com que toda a previsibilidade do comportamento, que deveria ser a maior conseqüência da organização, escape ao modelo preestabelecido. Cada disfunção é o resultado de algum desvio ou exagero em cada uma das características do modelo burocrático explicado por Weber. Cada disfunção é uma conseqüência não prevista pelo modelo weberiano. As disfunções da burocracia são basicamente as seguintes: Internalização das regras e exagerado apego aos regulamentos: as normas e regulamentos passam a se transformar de meios em objetivos. Passam a ser absolutos e prioritários: o funcionário adquire viseiras e esquece que a

6 5 flexibilidade é uma das principais características de qualquer atividade racional. Com isto, o funcionário burocrata torna-se um especialista, não por possuir conhecimento de suas tarefas, mas por conhecer perfeitamente as normas e os regulamentos que dizem respeito ao seu cargo ou função. Excesso de formalismo e de papelório: a necessidade de documentar e de formalizar todas as comunicações dentro da burocracia a fim de que tudo possa ser devidamente testemunhado por escrito pode conduzir à tendência ao excesso de formalismo, de documentação e conseqüentemente, de papelório. Aliás, o papelório constitui uma das mais gritantes disfunções da burocracia. Resistência a mudanças: como tudo dentro da burocracia é rotinizado, padronizado, previsto com antecipação, o funcionário geralmente se acostuma a uma completa estabilidade e repetição daquilo que faz, o que passa a lhe proporcionar uma completa segurança a respeito de seu futuro na burocracia. Quando surge alguma possibilidade de mudança dentro da organização, essa mudança tende a ser interpretada pelo funcionário com algo que ele desconhece. E, na medida do possível, ele passa a resistir a qualquer tipo de mudança que se queira implantar na burocracia. Essa resistência à mudança pode ser passiva e quieta, como pode ser ativa e agressiva através de comportamentos de reclamação, tumultos e greves. Despersonalização do relacionamento: a burocracia tem com uma de suas características a impessoalidade no relacionamento entre os funcionários. Os funcionários passam a conhecer os colegas não pelos seus nomes pessoais, mas pelos títulos dos cargos que ocupam. Algumas vezes, o conhecimento é feito pelo número do registro do colega ou por qualquer outra forma de identificação das pessoas imposta pela organização. Categorização com base do processo desisorial: a burocracia se assenta em uma rígida hierarquização da autoridade. Por outro lado, categorizar significa uma maneira de classificar as coisas, estereotipadamente, a fim de lidar com elas com mais facilidade. Quanto mais se lanças mão da categorização no processo decisorial, menor será a procura de alternativas diferentes de solução.

7 6 Superconformidade às rotinas e procedimentos: a burocracia baseia-se em rotinas e procedimentos, como meio de garantir que as pessoas façam exatamente aquilo que delas se espera. O impacto dessas exigências burocráticas sobre a pessoa provoca profunda limitação em sua liberdade e espontaneidade pessoal, além da crescente incapacidade de compreender o significado de suas própria tarefas e atividades dentro da organização com um todo. O funcionário passa a fazer o estritamente contido nas normas, nas regras, nos regulamentos, nas rotinas e procedimentos impostos pela organização. Esta perde toda a sua flexibilidade,pois o funcionário restrige-se ao desempenho mínimo. Perde sua iniciativa, criatividade e inovação. Exibição de sinais de autoridade: como a burocracia enfatiza a hierarquia de autoridade, torna-se necessário um sistema capaz de indicar, aos olhos de todos, aqueles que detêm o poder. Daí surge a tendência intensiva de símbolos ou de sinais de estatus para demonstrar o posição hierárquica dos funcionários, com o uniforme, a localização da sala, do banheiro, do estacionamento, do refeitório, o tipo de mesa etc., como meio de identificar quais são os principais chefes da organização. Dificuldade no atendimento a clientes e conflitos com o público: o funcionário está completamente voltado para dentro da organização, para suas normas e regulamentos internos, para suas rotinas e procedimentos, para seu superior hierárquico que avalia o seu desempenho. Essa sua atuação interiorizada para a organização geralmente o leva a criar conflitos com os cliente da organização. As causas das disfunções da burocracia residem basicamente no fato de que a burocracia não leva em conta a chamada organização informal que existe fatalmente em qualquer tipo de organização, nem se preocupa com a variabilidade humana (diferenças individuais entre as pessoas) que necessariamente introduz variações no desempenho das atividades organizacionais. Em face exigência de controle que norteia toda a atividade organizacional é que surgem as conseqüências imprevistas da burocracia. Com essas disfunções, a burocracia torna-se

8 7 esclerosada, fecha-se ao cliente, que é o seu próprio objetivo, e impede totalmente a inovação e a criatividade. 2.5 Características da burocracia segundo Weber BUROCRACIA Organização eficiente por excelência CARACTERISTICAS CONSEQUÊNCIAS VANTAGENS Weber apresentou diversas características quanto à burocracia, tais como: Burocracia: organização ligada por normas e regulamentos. - Caráter legal das normas e regulamentos, sendo estes estabelecidos por escritos e com antecedência, ou seja, uma organização que constitui sua própria legislação e como a mesma deveria funcionar; Burocracia: organização ligada por comunicações escritas. - Com caráter formal das comunicações, a burocracia requer comunicações por escrito, dentro da organização, isto é, as situações de regras e decisões de administração são elaboradas e apresentadas por escrito, tal formalidade com objetivo de se comprovar por meio de documentos aquilo que foi decidido adequadamente; Burocracia: organização sistemática da divisão do trabalho.

9 8 - Com caráter racional e divisão do trabalho que leva à uma adequação aos objetivos a serem alcançados, ou seja, a eficiência da organização que constitui o aspecto racional da burocracia e com relação a divisão sistemática do trabalho que proporcione direito e poder a cada integrante da organização juntamente com suas obrigações e condições necessárias; Burocracia: organização que distribui atividades. - Impessoalidade nas relações; distribuição de tarefas é feita de forma impessoal em termos de cargos e funções, levando a subordinação do inferior à obediência ao seu superior e também de forma impessoal, uma vez que para garantir burocracia é necessário manter cargos e funções visto que as pessoas não são permanentes; Burocracia: organização que estabelece cargos pela hierarquia. - Hierarquia da autoridade determina que o inferior deve está sob o controle de seu superior, uma vez que nenhum cargo pode ficar sem controle ou supervisão; Burocracia: organização que fixa regras e normas técnicas: - Rotinas e procedimentos estandardizados; o funcionário já possuindo seu cargo e tarefas, fica impedido de fazer o que quiser, mas aquilo que a burocracia impõe que ele faça, observando as tarefas já prévia e explicitamente definidas pela organização; Burocracia: organização que escolhe pessoas por mérito e competência. - Competência técnica e meritocracia que são baseados no mérito e na competência de cada funcionário e não em suas preferências pessoais, ou seja, sua de sua admissão à sua promoção ou demissão, são avaliados e válidos para toda organização e não em critérios particulares;

10 9 Burocracia: organização que separa propriedade da administração. - Especialização da administração requer que os integrantes do setor administrativo estejam completamente separados da propriedade dos meios de produção, ou seja, os dirigentes não são necessariamente donos da organização, mas, profissionais especializados em usa função. O funcionário não pode apropriar-se e nem integrar seu cargo ao patrimônio público ou privado; Burocracia: organização que visa profissionalização de seus participantes. - Profissionalização dos participantes coloca que cada funcionário é um especialista em seu cargo e em suas atividades, sendo um assalariado que percebe salário pelo cargo que ocupa; nomeado pelo seu superior devido à sua capacidade e competência; seu cargo é por tempo indeterminado; devido à usa capacidade profissional pode vir a ser promovido; não possui propriedade dos meios de produção; deve se identificar com os objetivos da empresa. Burocracia: organização que prevê comportamento de seus membros. - A previsibilidade do funcionamento dos membros é de acordo com suas normas e regulamentos, uma vez que, ao prever o comportamento dos integrantes torna-se perfeitamente previsível o alcance da máxima eficiência possível. Weber não previu nenhuma alteração de comportamento humano dentro da organização, pelo contrário, segundo ele, a burocracia coloca de maneira uniforme tal comportamento. Assim, não considera a organização informal por não estar considerada dentro dos objetivos e desejos da organização formal.

11 Vantagens da Burocracia Max Weber entendia que deveria haver racionalidade para se alcançar os objetivos da organização, ou seja, adequar os meios aos fins. Via também que o conhecimento exato dos deveres levava a uma precisão na definição do cargo e no desempenho das funções operacionais e uma vez que, sabendo-se o que fazer e como deve ser feito, proporciona rapidez nas decisões a serem tomadas e de forma constante, ou seja, nas mesmas circunstâncias. e escrita. Para ele, a interpretação das normas garantia sua regulamentação específica A padronização das rotinas na organização, ocasiona redução dos custos e erros que também reduz o atrito entre os membros, partindo do principio de que cada funcionário sabendo daquilo que lhe é exigido não ultrapassa sua responsabilidade e nem a dos outros. A hierarquia também é vista por Weber como vantagem dentro da organização, pois a subordinação coloca o superior numa posição de tomada de decisão que afete o nível mais inferior e, essa hierarquia é formalizada onde o trabalho entre os funcionários é dividido de forma ordenada e as pessoas treinadas para se tornarem especialistas. A confiabilidade faz parte do processo decisório, que é definido pelas normas conhecidas da organização e este processo sem a interferência de sentimentos irracionais elimina a discriminação pessoal. Enfim, nas vantagens da burocracia, Weber expõe também que a hierarquia é formalizada, o trabalho é dividido entre os integrantes da organização de maneiro sincronizada uma vez que os mesmos são treinados para se tornarem especialistas por meio de sua capacidade profissional e competência técnica. 2.7 Conseqüências

12 11 Para Max Weber, as conseqüências da burocracia são previstas de acordo com o comportamento humano dentro da organização e uma padronização do desempenho dos membros leva à total eficiência. De acordo com outro estudioso da burocracia, Laski (1931), acrescenta que o trabalho é profissionalizado, o nepotismo é evitado e as condições de trabalho favorecem a moralidade econômica e dificultam a corrupção. Segundo Moore, 1962: a burocracia tem virtude de assegurar cooperação entre grande número de pessoas sem que essas pessoas se sintam necessariamente cooperadas. As pessoas cumprem as regras organizacionais principalmente porque os fins alcançados pela estrutura total são altamente valorizados e cada qual deve fazer a sua própria parte para que o objetivo seja alcançado. CONCLUSÃO O tema desenvolvido reflete a necessidade que as organizações têm para atingir os objetivos estabelecidos de uma forma rápida e eficaz, através de normas e regras, visando os atritos existentes entre superiores e seus subordinados. A teoria da burocracia surge com a necessidade de um aperfeiçoamento da Administração e principalmente pela fragilidade e parcialidade apresentadas, que ocasionam uma falta de definição em relação às organizações. A Burocracia é uma maneira de organização humana que é caracterizada na racionalidade, isto é na adequação dos meios aos objetivos almejados, tendo um aproveitamento total dos objetivos alcançados.

13 12 Com isto podemos dizer que a Burocracia é adotada nas organizações contemporâneas, de uma forma em que visa a busca do aperfeiçoamento administrativo e operacional, onde se adota a legitimidade do poder racional e legal, que se baseia em regras legais e pré-definidas. Dentro das organizações ela é utilizada de uma forma Hierárquica onde existe os superiores que determinam como e onde é feito e os subordinados apenas executam da forma exata e estabelecida. A característica da burocracia é a rotina por este motivo se torna resistente às mudanças. REFEÊNCIAS H.Laski, Bureaucracy, in Encyclopaedia of the Social Sciences, London, apud E.R.A Seligman, The Macmillan Company, W.E.Moore, The Conduc of the Corporation, Nova York, Randon, CHIAVENATO, Idalberto. Origens da teoria da burocracia. In: Introdução as Técnicas Gerenciais Administrativas. 5. ed. São Paulo: Matron Books, p

6. Modelo Burocrático

6. Modelo Burocrático 6. Modelo Burocrático Conteúdo 1. Burocracia 2. Teoria da Burocracia 3. Tipos de Sociedade 4. Tipos de Autoridade 5. Características da Burocracia segundo Weber 6. Disfunções da Burocracia 7. Modelo Geral

Leia mais

Etimologia bureau (francês) + krátias (grego); governo dos técnicost

Etimologia bureau (francês) + krátias (grego); governo dos técnicost BUROCRACIA é a organização eficiente por excelência MAX WEBER Etimologia bureau (francês) + krátias (grego); governo dos técnicost (Robert K. Merton; Philip Selznick) 1864-1920 objectivos Descrever as

Leia mais

A TEORIA DA BUROCRACIA

A TEORIA DA BUROCRACIA A TEORIA DA BUROCRACIA Uma das primeiras aplicações do termo Burocracia data do século XVIII, onde o termo era carregado de forte conotação negativa, designando aspectos de poder dos funcionários de uma

Leia mais

TGA TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO

TGA TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO FUPAC - FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE UNIPAC DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, C. SOCIAS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINSTRAÇÃO TGA TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO Profº Cláudio

Leia mais

Tipos de Administração Pública. 1 - Administração Patrimonialista 2 - Administração Burocrática 3 Administração Gerencial

Tipos de Administração Pública. 1 - Administração Patrimonialista 2 - Administração Burocrática 3 Administração Gerencial Tipos de Administração Pública Professor Luiz Antonio de Carvalho Tipos de Administração Pública BUROCRÁTICA 1 - Administração 2 - Administração Burocrática 3 Administração Gerencial lac.consultoria@gmail.com

Leia mais

Poder e Dominação Segundo Max Weber. Dominação Legal, Dominação Tradicional, Dominação Carismática. Dominação Legal. Dominação Tradicional

Poder e Dominação Segundo Max Weber. Dominação Legal, Dominação Tradicional, Dominação Carismática. Dominação Legal. Dominação Tradicional Poder e Dominação Segundo Max Weber Poder significa toda oportunidade de impor sua própria vontade, no interior de uma relação social, até mesmo contra resistências, pouco importando em que repouse tal

Leia mais

AÇÃO SOCIAL. Exemplo de AÇÃO SOCIAL 25/3/2011 A MAX WEBER. Vida e Obra de Max Weber. Max Weber (Contexto) Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920)

AÇÃO SOCIAL. Exemplo de AÇÃO SOCIAL 25/3/2011 A MAX WEBER. Vida e Obra de Max Weber. Max Weber (Contexto) Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920) A MAX WEBER Vida e Obra de Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920) Erfurt/Alemanha (Contexto) 1830: Alemanha - país mais atrasado da Europa Origem burguesa, origem protestante e religiosa, família de comerciantes

Leia mais

www.boscotorres.com.br MA_19_Formalização do Comportamento - 1a_Parte 1

www.boscotorres.com.br MA_19_Formalização do Comportamento - 1a_Parte 1 FORMALIZAÇÃO DO COMPORTAMENTO - I DISCIPLINA: Macro Análise das Organizações FONTE: Henry Mintzberg. Criando Organizações Eficazes. Atlas. São Paulo: 2006. Prof. Bosco Torres MA_19_Formalização do Comportamento

Leia mais

Comunidade no Orkut: Administração Pública - concursos. Grupo no Yahoo: enviar e-mail para: professor_wagner_rabellosubscribe@yahoogrupos.com.

Comunidade no Orkut: Administração Pública - concursos. Grupo no Yahoo: enviar e-mail para: professor_wagner_rabellosubscribe@yahoogrupos.com. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA _ Prof. Wagner Rabello Jr. Currículo resumido: Wagner Leandro Rabello Junior é pós-graduado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e bacharel em Biblioteconomia

Leia mais

Faculdade Arquidiocesana de Curvelo Departamento de Administração Curso de Pós-Graduação. O Treinamento e o Modelo Burocrático de Organização

Faculdade Arquidiocesana de Curvelo Departamento de Administração Curso de Pós-Graduação. O Treinamento e o Modelo Burocrático de Organização Faculdade Arquidiocesana de Curvelo Departamento de Administração Curso de Pós-Graduação O Treinamento e o Modelo Burocrático de Organização Afonso Ferrão Júnior Ana Helena Soares Fernandes José de Anchieta

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Pública

Curso de Especialização em Gestão Pública Universidade Federal de Santa Catarina Centro Sócio-Econômico Departamento de Ciências da Administração Curso de Especialização em Gestão Pública 1. Assinale a alternativa falsa: (A) No processo gerencial,

Leia mais

Max Weber e o Direito (1864-1920)

Max Weber e o Direito (1864-1920) 82 Max Weber e o Direito (1864-1920) Fontes: BILLIER, Jean-Cassiere MARYIOLI, Aglaé. História da Filosofia do Direito. Barueri: Manole, 2005. DEFLEM, Mathiew. Sociology of Law. Cambridge: CUP, 2008. RODRIGUES

Leia mais

Teorias da Administração

Teorias da Administração Teorias da Administração Cronologia das teorias da administração 1903 Administração Científica 1903 Teoria Geral da Administração 1909 Teoria da Burocracia 1916 Teoria Clássica da Administração 1932 Teoria

Leia mais

TEORIA BUROCRÁTICA TEORIA BUROCRÁTICA CARLOS MAGNO DOS ANJOS VERAS

TEORIA BUROCRÁTICA TEORIA BUROCRÁTICA CARLOS MAGNO DOS ANJOS VERAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSOS DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA E MECANICA ADMINISTRAÇÃO TEORIA BUROCRÁTICA Max Weber

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. 1 Elaborar cuidadosamente o planejamento da organização e assegurar que o mesmo seja executado.

ADMINISTRAÇÃO I. 1 Elaborar cuidadosamente o planejamento da organização e assegurar que o mesmo seja executado. 3 PAPEL DOS GERENTES Os gerentes são os protagonistas do processo administrativo. Eles são responsáveis por coordenar o trabalho dos outros funcionários da empresa. Não existe apenas um modelo administrativo,

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Tipos de Organização. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Tipos de Organização. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Tipos de Organização Professor: Roberto César CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA ORGANIZAÇÃO FORMAL A organização consiste em um conjunto de posições funcionais e hierárquicas orientado

Leia mais

Max Weber. Sociologia Compreensiva

Max Weber. Sociologia Compreensiva Max Weber Sociologia Compreensiva Índice Max Weber: Vida e obra Uma teia de sentidos Desencantamento do mundo e racionalização Tipos puros 1. O conceito de ação social 1.1 Ação racional com relação a objetivos

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

QUESTÃO 11 ENADE Administração/2009

QUESTÃO 11 ENADE Administração/2009 Universidade Federal Fluminense Oficina de Trabalho Elaboração de Provas Escritas Questões Objetivas Profª Marcia Memére Rio de Janeiro, janeiro de 2013 QUESTÃO 11 ENADE Administração/2009 Cada uma das

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Organograma Linear. O organograma linear de responsabilidade revela:

Organograma Linear. O organograma linear de responsabilidade revela: 1 Organograma Linear O organograma linear de responsabilidade revela: 1. A atividade ou decisão relacionada com uma posição ou cargo organizacional, mostrando quem participa e em que grau, quando uma atividade

Leia mais

Introdução à Estrutura Organizacional nas Empresas

Introdução à Estrutura Organizacional nas Empresas Conceitos Fundamentais de Engenharia 1 Ano Profª Fernanda Cristina Vianna Introdução à Estrutura Organizacional nas Empresas 1. O Que é Estrutura Organizacional? É a estrutura formal na qual ocorrem as

Leia mais

GESTÃO DE EMPRESA FAMILIAR: Um estudo de caso da HEBRON

GESTÃO DE EMPRESA FAMILIAR: Um estudo de caso da HEBRON GESTÃO DE EMPRESA FAMILIAR: Um estudo de caso da HEBRON Antonio Henrique Neto, Discente da Faculdade Integrada de Pernambuco - FACIPE Suzane Bezerra de França, - FACIPE, SEDUC/PE docente. suzyfranca@yahoo.com.br

Leia mais

FICHAMENTO. Aluno(a): Odilon Saturnino Silva Neto Período: 3º

FICHAMENTO. Aluno(a): Odilon Saturnino Silva Neto Período: 3º FICHAMENTO Aluno(a): Odilon Saturnino Silva Neto Período: 3º Disciplina: Administração Contemporânea IDENTIFICAÇÃO DO TEXTO MOTTA, Fernando C. Prestes; VASCONCELOS, Isabella F. Gouveia. Teoria geral da

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Aula 8: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Max Weber (I).

Aula 8: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Max Weber (I). Aula 8: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Max Weber (I). CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman

Leia mais

A Sociologia Compreensiva. De Max Weber

A Sociologia Compreensiva. De Max Weber A Sociologia Compreensiva De Max Weber Problematização O comportamento social é espontâneo, individual e descolado do passado? Max Weber Maximillian Carl Emil Weber Nasceu em 1864 na cidade de Erfurt (Alemanha),

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Estruturas Organizacionais Deve ser delineado de acordo com os objetivos e estratégias estabelecidos pela empresa. É uma ferramenta básica para alcançar as situações almejadas pela empresa. Conceito de

Leia mais

Planejamento. Futuro. Técnica ou processo que serve para lidar com o futuro. O que aumenta a incerteza nas organizações. Incerteza nas organizações

Planejamento. Futuro. Técnica ou processo que serve para lidar com o futuro. O que aumenta a incerteza nas organizações. Incerteza nas organizações Fonte: Introdução à Administração de Antonio Cesar Amaru Maximiano Índice Definição de planejamento Incertezas Eventos previsíveis Processo de planejamento Decisões de planejamento Planejar Atitudes em

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESCOLAS DA ADMINISTRAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESCOLAS DA ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESCOLAS DA ADMINISTRAÇÃO Atualizado em 14/10/2015 ESCOLAS DA ADMINISTRAÇÃO TIPOS DE DOMINAÇÃO Em todo Estado deve existir alguma relação de dominação na qual os governantes exercem

Leia mais

ANÁLISE DA PRÁTICA INSTITUCIONAL

ANÁLISE DA PRÁTICA INSTITUCIONAL ANÁLISE DA PRÁTICA INSTITUCIONAL Prof.ª Mônica Ferreira dos Santos José Augusto Guilhon de Albuquerque é sociólogo e professor da USP. No Serviço Social alguns autores já usaram seu referencial. Weisshaupt

Leia mais

Gestão da Inovação SEMINÁRIO Strategic Management of Technology and Innovation Maidique, Burguelman e Wheelwright

Gestão da Inovação SEMINÁRIO Strategic Management of Technology and Innovation Maidique, Burguelman e Wheelwright Gestão da Inovação SEMINÁRIO Strategic Management of Technology and Innovation Maidique, Burguelman e Wheelwright Ambiente Organizacional voltado a inovação As 6 chaves para o Sucesso Foco Flexibilidade

Leia mais

Cursos de Gestão Tecnológica Disciplina: Teoria das Organizações

Cursos de Gestão Tecnológica Disciplina: Teoria das Organizações Função Organização Aspectos Administrativos Objetivos Dividir o trabalho Designar as atividades e especialização Administração Desempenho Organizacional Planejar Agrupar as Organizar atividades em órgãos

Leia mais

Teoria Burocrática e a Contabilidade Comercial em Fortaleza-Ceará

Teoria Burocrática e a Contabilidade Comercial em Fortaleza-Ceará Teoria Burocrática e a Contabilidade Comercial em Fortaleza-Ceará Welynádia Rodrigues Pereira Faculdade Lourenço Filho Universidade de Fortaleza Resumo A burocracia constitui uma forma de associação humana

Leia mais

L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida)

L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida) L I D E R A N Ç A (Autoria não conhecida) Liderança é inata? Abordagem Genética - Antigamente acreditava-se que o indivíduo nascia com características, aptidões e valores próprios de um líder. Na moderna

Leia mais

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N. Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.º 32603 INTRODUÇÃO Na área do controlo de gestão chamamos atenção para

Leia mais

Sociologia Organizacional. Contextualização. Aula 4. Organização da Aula. Profa. Me. Anna Klamas

Sociologia Organizacional. Contextualização. Aula 4. Organização da Aula. Profa. Me. Anna Klamas Sociologia Organizacional Aula 4 Contextualização Profa. Me. Anna Klamas Organização da Aula A Sociologia de Max Weber e o tema da racionalidade A disciplina de sociologia deve contribuir com a percepção

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. Funções administrativas ADMINISTRAÇÃO. Revisão de véspera Técnico INSS ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO. Funções administrativas ADMINISTRAÇÃO. Revisão de véspera Técnico INSS ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO Funções administrativas Revisão de véspera Técnico INSS Planejamento Organização Direção Controle 1 2 Funções administrativas Planejamento: Planejamento é a função administrativa que estabelece os objetivos

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

Pode ser desdobrada em 2 orientações diferentes que se completam.

Pode ser desdobrada em 2 orientações diferentes que se completam. Evolução da Teoria Administrativa Escolas de Concepção Administrativa. Abordagem Clássica da Administração. Pode ser desdobrada em 2 orientações diferentes que se completam. 1 - Visão Americana: Liderada

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA DO ESTADO 1. Na teoria contratualista, o surgimento do Estado e a noção de contrato social supõem que os indivíduos abrem mão de direitos (naturais)

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA drivanmelo@yahoo.com.br ADMINISTRAÇÃO AD Prefixo latino = Junto de AD MINISTRAÇÃO MINISTER Radical = Obediência, Subordinação Significa aquele que realiza uma função

Leia mais

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I 1 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Administração é a maneira de governar organizações ou parte delas. É o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos

Leia mais

PRINCÍPIO DE ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA

PRINCÍPIO DE ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização

Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização Capítulo 8 Decorrências da Teoria Neoclássica: Tipos de Organização ESTRUTURA LINEAR Características: 1. Autoridade linear ou única. 2. Linhas formais de comunicação. 3. Centralização das decisões. 4.

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

Auditoria Interna Como assessoria das entidades

Auditoria Interna Como assessoria das entidades Auditoria Interna Como assessoria das entidades Francieli Hobus 1 Resumo A auditoria interna vem se tornando a cada dia, uma ferramenta indispensável para as entidades. Isso está ocorrendo devido à preocupação

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Idealismo - corrente sociológica de Max Weber, se distingui do Positivismo em razão de alguns aspectos:

Idealismo - corrente sociológica de Max Weber, se distingui do Positivismo em razão de alguns aspectos: A CONTRIBUIÇÃO DE MAX WEBER (1864 1920) Max Weber foi o grande sistematizador da sociologia na Alemanha por volta do século XIX, um pouco mais tarde do que a França, que foi impulsionada pelo positivismo.

Leia mais

Gestão Empresarial. Um Pouco de História... Administração Científica. Aula 2. Comércio Exterior. Frederick Taylor (1856-1915) Tarefa

Gestão Empresarial. Um Pouco de História... Administração Científica. Aula 2. Comércio Exterior. Frederick Taylor (1856-1915) Tarefa Gestão Empresarial Um Pouco de História... Aula 2 Prof. Elton Ivan Schneider tutoriacomercioexterior@grupouninter.com.br Comércio Exterior Administração Pré-Científica Administração Científica Maior interesse

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Práticas de Apoio à Gestão: Gerenciamento com foco na Qualidade. Prof a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Práticas de Apoio à Gestão: Gerenciamento com foco na Qualidade. Prof a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Práticas de Apoio à Gestão: Gerenciamento com foco na Qualidade Prof a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Gestão da Qualidade Total (TQM) Conjunto de ideias e

Leia mais

Max Weber. Sociologia Compreensiva

Max Weber. Sociologia Compreensiva Max Weber Sociologia Compreensiva Índice Max Weber: Vida e obra Uma teia de sentidos 1. O conceito de ação social 1.1 Ação tradicional 1.2 Ação afetiva 1.3 Ação racional com relação a valores 1.4 Ação

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA BUROCRACIA EM MAX WEBER. Cristiane Roque de Almeida

CARACTERÍSTICAS DA BUROCRACIA EM MAX WEBER. Cristiane Roque de Almeida CARACTERÍSTICAS DA BUROCRACIA EM MAX WEBER Cristiane Roque de Almeida WEBER, Max. Burocracia. In: GERTH. H. H.; MILLS, C. Wright (Org.). Max Weber Ensaios de Sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara,

Leia mais

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO AMARILDO MONTEIRO DINIZ GERALDO MAGELA DA FONSECA GERALDO MOISES BARBOSA COSTA JOSE ROBERTO TORRES CAMPOLINA

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO AMARILDO MONTEIRO DINIZ GERALDO MAGELA DA FONSECA GERALDO MOISES BARBOSA COSTA JOSE ROBERTO TORRES CAMPOLINA FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO AMARILDO MONTEIRO DINIZ GERALDO MAGELA DA FONSECA GERALDO MOISES BARBOSA COSTA JOSE ROBERTO TORRES CAMPOLINA ENSAIO DE ARTIGO CIENTÍFICO TEMA: TEORIA DA BUROCRACIA PRINCIPIO

Leia mais

A importância do RH na empresa

A importância do RH na empresa A importância do RH na empresa O modo pelo qual seus funcionários se sentem é o modo pelo qual os seus clientes irão se sentir." Karl Albrecht Infelizmente, muitas empresas ainda simplificam o RH à função

Leia mais

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO

DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO DESEMPENHO 1 INTRODUÇÃO Esta pesquisa tem como objetivo abordar o tema voltado para a avaliação do desempenho humano com os seguintes modelos: escalas gráficas, escolha forçada, pesquisa de campo, métodos

Leia mais

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos Gestão por Processos Gestão por Projetos Gestão por Processos Gestão de Processos de Negócio ou Business Process Management (BPM) é um modelo de administração que une gestão de negócios à tecnologia da

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Organizações Modernas Visão da Sociologia - Giddens. Psicossociologia do trabalho 1

Organizações Modernas Visão da Sociologia - Giddens. Psicossociologia do trabalho 1 Organizações Modernas Visão da Sociologia - Giddens Psicossociologia do trabalho 1 Sumário As organizações modernas A transferência do papel da comunidade para as organizações O processo de interdependência

Leia mais

Processo administrativo. Auto: Ader Fernando Alves de Pádua

Processo administrativo. Auto: Ader Fernando Alves de Pádua Processo administrativo Auto: Ader Fernando Alves de Pádua 1. INTRODUÇÃO Este artigo apresentara os quatro tipos de fundamentos do processo administrativo tais como Planejamento, Organização, Direção e

Leia mais

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS

PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS INTEGRADAS ÀS ESTRATÉGIAS ORGANIZACIONAIS Marino, Reynaldo Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde - FASU/ACEG GARÇA/SP-

Leia mais

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia A Teoria de Ação Social de Max Weber 1 Ação Social 2 Forma de dominação Legítimas 3 Desencantamento

Leia mais

A ESCOLA CLÁSSICA OU ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO

A ESCOLA CLÁSSICA OU ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO A ESCOLA CLÁSSICA OU ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 1. INTRODUÇÃO As origens da Abordagem Clássica da Administração remontam às conseqüências geradas pela Revolução Industrial e que poderiam ser resumidas

Leia mais

As Teorias da Administração em foco: de Taylor a Drucker

As Teorias da Administração em foco: de Taylor a Drucker As Teorias da Administração em foco: de Taylor a Drucker O presente artigo busca destacar as principais contribuições teóricas que definiram a linha evolutiva da Administração que se desenvolveu desde

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO Organização, Processo e Estruturas 1 Organização Processo de estabelecer relações entre as pessoas e os recursos disponíveis tendo em vista os objectivos que a empresa como um todo se propõe atingir. 2

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ADMINISTRAÇÃO DE ENFERMAGEM AVALIANDO O QUE ESTUDAMOS 1. A Supervisão de Enfermagem é fundamental para o desenvolvimento dos recursos humanos, através da educação

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

ATIVIDADES DE LINHA E DE ASSESSORIA

ATIVIDADES DE LINHA E DE ASSESSORIA 1 ATIVIDADES DE LINHA E DE ASSESSORIA SUMÁRIO Introdução... 01 1. Diferenciação das Atividades de Linha e Assessoria... 02 2. Autoridade de Linha... 03 3. Autoridade de Assessoria... 04 4. A Atuação da

Leia mais

Prof. Fabiano Geremia

Prof. Fabiano Geremia PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus

Leia mais

Sumário: 2. Teorias sociológicas da educação: dos clássicos aos contributos recentes. 2.4 De Weber aos neo- weberianos

Sumário: 2. Teorias sociológicas da educação: dos clássicos aos contributos recentes. 2.4 De Weber aos neo- weberianos Sumário: 2. Teorias sociológicas da educação: dos clássicos aos contributos recentes 2.4 De Weber aos neo- weberianos Os estabelecimentos de ensino no con;nente europeu, especialmente as ins;tuições de

Leia mais

Organização em Enfermagem

Organização em Enfermagem Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Básica Disciplina Administração em Enfermagem I Organização em Enfermagem Prof. Thiago C. Nascimento Objetivos: Discorrer

Leia mais

Análise da Prova ADMINISTRAÇÃO GERAL E PÚBLICA

Análise da Prova ADMINISTRAÇÃO GERAL E PÚBLICA Concurso de Auditor da Receita Análise da Prova ADMINISTRAÇÃO GERAL E PÚBLICA I. A liderança, a direção e a gerência são um mesmo papel que necessariamente deve ser desempenhado pelo administrador. II.

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO COLABORADOR www.simplessolucoes.com.br

MATERIAL DE APOIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO COLABORADOR www.simplessolucoes.com.br Folha 1 de 6 O que é uma avaliação de desempenho? Avaliação de desempenho é um processo contínuo de análise da atuação do colaborador frente às tarefas, responsabilidades e comportamentos da função, contribuindo

Leia mais

Unidade II FUNDAMENTOS DA. Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade II FUNDAMENTOS DA. Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade II FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Me. Livaldo dos Santos Objetivos da unidade Abordar, caracterizar e apresentar os princípios das Teorias Teoria Científica (1903) Teoria Clássica (1916) Teoria

Leia mais

Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3

Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3 Administração em Enfermagem Teorias da Administração - Aula 3 Teorias da Administração Aula 3 Teoria Científica Taylorismo (Continuação) Taylor observou que, ao realizar a divisão de tarefas, os operários

Leia mais

A Importância do Gestor Público no Processo Decisório. Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional Secretaria do Tesouro Nacional

A Importância do Gestor Público no Processo Decisório. Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional Secretaria do Tesouro Nacional A Importância do Gestor Público no Processo Decisório Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional Secretaria do Tesouro Nacional Contexto A administração pública brasileira sofreu transformações

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS

RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Centro de Educação Superior Barnabita CESB 1 RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO: ATUAÇÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS Clara de Oliveira Durães 1 Profª. Pollyanna

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

Função Gerencial. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

Função Gerencial. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua Função Gerencial Autor: Ader Fernando Alves de Pádua 1. INTRODUÇÃO Este artigo tem por objetivo levar aos seus leitores à uma aproximação teórica dos estudos da administração empresarial, enfocando a importância

Leia mais

Modelos de Gestão Pública: Tipologias de Governação

Modelos de Gestão Pública: Tipologias de Governação Modelos de Gestão Pública: Tipologias de Governação Nas últimas décadas do século XX, o tema da reforma administrativa passou a estar na agenda de grande parte dos governos dos países industrializados.

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES QUESTÕES 01) A Administração recebeu influência da Filosofia e diversos filósofos gregos contribuíram para a Teoria da Administração. A forma democrática de administrar os negócios públicos é discutida

Leia mais

DESMITIFICANDO A BUROCRACIA: REFLEXÕES DA PRÁTICA

DESMITIFICANDO A BUROCRACIA: REFLEXÕES DA PRÁTICA Por Floriano Pesaro Vereador, líder da bancada do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo. Natural de São Paulo, Floriano é sociólogo formado pela USP, com especialização em Processo Legislativo e Relações

Leia mais

Apartir da identificação das falhas poderão ser processadas modificações racionalizantes em todo o sistema.

Apartir da identificação das falhas poderão ser processadas modificações racionalizantes em todo o sistema. Gráficos Os gráficos podem ser divididos em dois grupos: Gráficos Informacionais Gráfico é a representação de dados sobre uma superfície plana, através de diferentes formas, de modo a facilitar a visualização

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR Prof. Bento QUESTÕES Doc. # 1 Revisão Indique se é Verdadeira ou Falsa a seguinte afirmação UMA TEORIA É UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA OU ABSTRACTA DE UM PROBLEMA OU CONJUNTO DE

Leia mais

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO Um ponto muito importante na administração é a sua fina relação com objetivos, decisões e recursos, como é ilustrado na Figura 2.1. Conforme

Leia mais

Clima Organizacional: um Estudo Comparativo entre uma Empresa Pública e as Melhores Empresas para se Trabalhar

Clima Organizacional: um Estudo Comparativo entre uma Empresa Pública e as Melhores Empresas para se Trabalhar 1 Clima Organizacional: um Estudo Comparativo entre uma Empresa Pública e as Melhores Empresas para se Trabalhar Deividy Attila Marcelino Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro UFRRJ Deividy_attila@yahoo.com.br

Leia mais

A área de recursos humanos é o filtro da empresa, a porta de entrada de todas as companhias. (Reinaldo Passadori)

A área de recursos humanos é o filtro da empresa, a porta de entrada de todas as companhias. (Reinaldo Passadori) TATIANA LOPES 2012 A área de recursos humanos é o filtro da empresa, a porta de entrada de todas as companhias. (Reinaldo Passadori) PLANEJAMENTO: é uma ferramenta administrativa, que possibilita perceber

Leia mais

CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO TURMA ANO INTRODUÇÃO

CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO TURMA ANO INTRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ADMINISTRAÇÃO E ECONOMIA DISCIPLINA: ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTO CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO

Leia mais

TGA TEORIAS DAS ORGANIZAÇÕES FUPAC - FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS. Profº Cláudio de Almeida Fernandes, D.Sc

TGA TEORIAS DAS ORGANIZAÇÕES FUPAC - FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS. Profº Cláudio de Almeida Fernandes, D.Sc FUPAC - FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA TGA TEORIAS DAS ORGANIZAÇÕES Profº Cláudio de Almeida Fernandes, D.Sc Ph.D in Business Administration Doutorado

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Gerenciamento de Programas e Projetos nas Organizações" 4ª Edição (a ser lançada) Autor: Darci Prado Editora INDG-Tecs - 1999-2006

Leia mais

DECLARAÇÃO DE ARUSHA (REVISADA)

DECLARAÇÃO DE ARUSHA (REVISADA) DECLARAÇÃO DE ARUSHA (REVISADA) DECLARAÇÃO DO CONSELHO DE COOPERAÇÃO ADUANEIRA SOBRE A BOA ADMINISTRAÇÃO E A ÉTICA EM MATÉRIA ADUANEIRA CONSELHO DE COOPERAÇÃO ADUANEIRA *, CONSIDERANDO que as administrações

Leia mais

Teorias e Modelos de Gestão

Teorias e Modelos de Gestão Teorias e Modelos de Gestão Objetivo Apresentar a evolução das teorias e modelo de gestão a partir das dimensões econômicas, filosóficas, pol Iticas, sociológicas, antropológicas, psicológicas que se fazem

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais