RELATÓRIO INDIVIDUAL DO PARTICIPANTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO INDIVIDUAL DO PARTICIPANTE"

Transcrição

1 RELATÓRIO INDIVIDUAL DO PARTICIPANTE Prémio Excelência no Trabalho 2012 Instituto Politécnico de Viana do Castelo

2 Índice 1. Prémio Excelência no Trabalho: O Estudo Introdução Metodologia Dimensões de excelência Resultados gerais em Informação do Participante Dados da empresa e caracterização da participação Desempenho geral Médias das dimensões e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) Médias das sub-dimensões e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) Médias por questão Empresa Top 10 Questões com maior desvio positivo face ao benchmark (Grandes Empresas) Bottom 10 Questões com maior desvio negativo face ao benchmark (Grandes Empresas) Satisfação Global com a Empresa Médias e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) Evolução Percebida Médias e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) Emoções Médias e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) Lista de Participantes - Grandes Empresas Pedidos de Análises Adicionais Página 2 de 43

3 1. Prémio Excelência no Trabalho: O Estudo Página 3 de 43

4 1.1. Introdução O Prémio Excelência no Trabalho 2012 é um estudo de clima organizacional e desenvolvimento do capital humano desenvolvido pela Heidrick & Struggles em parceria com o Económico e o INDEG - ISCTE Business School. Trata-se da terceira edição deste trabalho, através do qual se analisa o estado de arte das práticas de recursos humanos em Portugal e se premeiam as entidades que mais investem e apostam nesta área. Com o Prémio Excelência no Trabalho 2012 pretendemos determinar quais as empresas que apresentam um melhor clima organizacional e que se destacam como entidades de excelência em Portugal, disponibilizando a cada empresa participante informação de gestão relevante para a identificação de pontos fortes e oportunidades de melhoria na gestão do seu activo humano. No presente relatório, encontra-se disponibilizada toda a informação sobre as várias vertentes analisadas no estudo, permitindo a cada empresa participante avaliar o nível de excelência das suas práticas de capital humano, e através dessa informação planear acções e iniciativas que permitam melhorar os índices de satisfação dos seus colaboradores. Os rankings definidos tiveram em consideração a dimensão das organizações participantes (Micro, Pequenas, Médias, Grandes e Grandes>1000) e o seu posicionamento em diferentes macro sectores de actividade. Página 4 de 43

5 Nota prévia quanto à organização da informação apresentada no relatório: No capítulo 1 deste relatório iremos explicar com detalhe a metodologia utilizada neste estudo, as principais dimensões analisadas, dados de participação globais, resultados gerais e principais conclusões relativamente ao conjunto dos participantes. No capítulo 2 daremos destaque aos resultados individuais de cada empresa/ entidade participante, sistematizando a informação e consolidando as diversas análises estatísticas dos resultados obtidos. Página 5 de 43

6 1.2. Metodologia O Prémio Excelência no Trabalho 2012 foi constituído por diversas etapas das quais se destacam os principais momentos do projecto: Os instrumentos de avaliação considerados para a análise e apuramento dos resultados finais foram: Fases Instrumentos de Avaliação 1ª Fase Classificação dos participantes quanto aos critérios de dimensão e macro sector de actividade 2ª Fase Apuramento dos resultados nos instrumentos de avaliação quantitativos Inquérito aos colaboradores Taxa de participação 3ª Fase Análise dos inquéritos à gestão de topo 4ª Fase Apuramento de finalistas para auditoria 5ª Fase Apuramento dos resultados e rankings finais Página 6 de 43

7 1ª Fase: Classificação dos Participantes quanto aos critérios de dimensão e macro sector de actividade Nota prévia: De acordo com a definição nacional (Despachos Normativos nº 52/87, nº 38/88 e Aviso constante do DR nº 102/93, Série III), são PME as empresas que, cumulativamente, preencham os seguintes requisitos: empreguem até 500 trabalhadores (600, no caso de trabalho por turnos regulares); não ultrapassem euros de vendas anuais; e não possuam nem sejam possuídas em mais de 50% por outra empresa que ultrapasse qualquer dos limites definidos nos pontos anteriores. De notar que nesta definição são apenas apresentados critérios de classificação de pequenas e médias empresas, não se distinguindo, de entre estas, pequenas e médias empresas. Contudo, apesar de ser esta a definição em vigor em Portugal, a verdade é que, na prática, na maioria das situações, e designadamente para efeitos de atribuição de incentivos no âmbito do POE, estão a ser considerados os critérios constantes da definição europeia (Recomendação da Comissão (2003/361/CE, de 6 de Maio)), por motivos que se prendem com a necessidade de harmonização de conceitos no seio da União Europeia. Com base na referida recomendação da CE, a organização do Prémio Excelência no Trabalho adoptou os seguintes critérios para classificar as entidades/ empresas participantes: Critério de Dimensão (número de colaboradores): o Micro Empresa: <10 colaboradores o Pequena Empresa: <50 colaboradores o Média Empresa: 50<colaboradores<250 o Grande Empresa: 250<colaboradores<1000 o Grande >1000: >1000 colaboradores e Macro Sector de Actividade: Relativamente à classificação da entidade/ empresa participante em cada um dos 9 (nove) macro sectores definidos pela Organização do Prémio Excelência no Trabalho, foi tida em consideração a agregação e correspondência do sector de actividade indicado por cada entidade/ empresa, com os macro sectores definidos e detalhados ao longo deste capítulo. Página 7 de 43

8 2ª Fase: Apuramento dos resultados nos instrumentos de avaliação quantitativos Nesta fase foi definida pela equipa de projecto do Prémio Excelência no Trabalho, constituída por elementos da Heidrick & Struggles e do INDEG - ISCTE Business School, a metodologia de análise dos resultados relativamente às dimensões do estudo e respectivas questões associadas. Destacaram-se ainda nesta fase as seguintes actividades realizadas: Análises factoriais exploratórias e análise de componentes principais; Análise de validade do questionário, das perguntas e de constructos; Definição dos pesos e ponderadores para os diferentes instrumentos de análise (questionário de colaboradores, taxa de participação e inquérito à gestão de topo); Realização de análises estatísticas avançadas com recurso a ferramentas Excel e SPSS. Os instrumentos de avaliação quantitativos foram compostos por: Inquérito de Colaboradores: A cada uma das respostas às questões que compõem o inquérito foi atribuída uma valorização quantitativa (numa escala de 1 a 7), garantindo a objectividade da análise e a quantificação dos resultados. A ponderação a atribuir através deste instrumento, para efeitos de resultado final, é de 70%. Taxa de Participação: A taxa de participação de cada participante foi apurada através do rácio entre o número de respostas recebidas e o número de passwords disponibilizadas para resposta dos colaboradores. A ponderação a atribuir através deste indicador, para efeitos de resultado final, é de 10%. Página 8 de 43

9 3ª Fase: Análise dos inquéritos à gestão de topo As respostas ao inquérito à gestão de topo foram analisadas pelos consultores da Heidrick & Struggles de acordo com as melhores práticas de gestão do capital humano, tendo sido atribuída uma classificação objectiva e quantitativa em função dos seguintes parâmetros de análise qualitativa: Objectividade e detalhe das respostas fornecidas Nível de desenvolvimento das políticas e práticas instituídas Sustentação e fornecimento de exemplos complementares Disponibilização de materiais e informação extra (relatórios, regulamentos, newsletters, eventos, comunicações, vídeos, testemunhos, etc.) A ponderação a atribuir através deste instrumento, para efeitos de resultado final, é de 20%. 4ª Fase: Apuramento de finalistas para auditoria Nesta fase de identificação dos finalistas foram tidos em consideração os resultados consolidados do inquérito de colaboradores e a respectiva taxa de participação, bem como dos inquéritos à gestão de topo, tendo sido apuradas para esta fase as entidades/ empresas que obtiveram, do ponto de vista de resultados, um posicionamento em lugares elegíveis para premiação (por dimensão). As auditorias visaram a recolha de evidências relativamente à informação fornecida. 5ª Fase: Apuramento dos resultados e rankings finais Na última fase de apuramento dos resultados e rankings finais, procedeu-se à consolidação dos resultados obtidos nos diversos instrumentos de avaliação (análises quantitativas e qualitativas). Foram definidos como rankings finais de prémios a atribuir as seguintes categorias: Dimensão Classificação do TOP 3 Grandes >1000 Classificação do TOP 10 Grandes Empresas Classificação do TOP 10 Médias Empresas Classificação do TOP 10 Pequenas Empresas Classificação do TOP 10 Pequenas Empresas Vencedor Micro Empresas Página 9 de 43

10 Sector 1º Classificado por macro sector de actividade Grandes Empresas 1º Classificado por macro sector de actividade Médias Empresas 1º Classificado por macro sector de actividade Pequenas Empresas Evolução percebida Corresponde à avaliação da percepção dos colaboradores face à evolução da empresa nos critérios em análise, há um ano atrás. Prémio evolução Grandes Empresas Prémio evolução Médias Empresas Prémio evolução Pequenas Empresas Os rankings definidos tiveram em consideração os seguintes macro sectores de actividade: Autarquias, Empresas Municipais, Institutos Públicos, Associações, Serviços de Educação Banca Seguros e Serviços Financeiros Construção, Gestão de Infraestruturas, Transportes e Logística Grande Consumo e Retalho Hotelaria, Imobiliária, Turismo, Lazer e Restauração Indústria e Energia Saúde e Farmacêuticas Serviços Profissionais Tecnologia, Media e Telecomunicações Página 10 de 43

11 1.3. Dimensões de excelência Da análise e validação estatística do questionário de colaboradores, foram possíveis apurar as seguintes dimensões de Excelência. A cada uma das dimensões de Excelência correspondem um conjunto de sub-dimensões que foram associadas às questões que melhor as representam. Dimensões Sub-dimensões Aprendizagem contínua Excelência da Dinâmica Organizacional Orientação estratégica Orientação para o cliente Informação e comunicação Excelência dos Processos Práticas de liderança Coordenação e integração Confiança organizacional Excelência do Clima Justiça Bem-estar Condições de trabalho Excelência da Gestão de Recursos Humanos Desenvolvimento de competências Gestão de talentos O detalhe sobre os resultados obtidos, é apresentado de forma detalhada na segunda parte do presente relatório. Página 11 de 43

12 1.4. Resultados gerais em 2012 Caracterização das Empresas Participantes Em termos da participação global das diversas entidades/ empresas que participaram nesta edição do Prémio Excelência no Trabalho, registámos a seguinte dimensão e distribuição sectorial: Representatividade das Empresas por Dimensão Representatividade das Empresas por Sector de Actividade Página 12 de 43

13 Índice de Satisfação dos Colaboradores 1 Totalidade das entidades/ empresas participantes Total dos participantes Micro Pequenas Médias Grandes Grandes (>1000) 1. Excelência Global % 73,2 82,8 75,5 73,3 69,4 67, Excelência da Dinâmica Organizacional % 77,1 86,0 79,5 77,1 73,4 70, Excelência dos Processos % 72,3 81,9 74,7 72,3 68,4 67, Excelência do Clima % 72,9 81,9 75,6 72,8 69,0 67, Excelência da Gestão de RH % 70,7 81,4 72,3 71,1 67,0 65,9 2. Satisfação Global com a Empresa 2 % 73,2 84,2 75,6 73,3 69,0 68,0 3. Evolução Percebida % 66,6 75,0 68,0 67,8 62,8 60,5 1 Baseado na componente de inquérito aos colaboradores. 2 Satisfação Global com a Empresa: Conjunto de questões colocadas, na segunda parte do questionário, não directamente ligadas às dimensões de Excelência no Trabalho mas que avaliam, do ponto de vista global, o grau de satisfação dos colaboradores com o clima organizacional da sua empresa. Conclusões Gerais: As avaliações entre os grupos de organizações por critério de dimensão são homogéneas entre as Pequenas, Médias e Grandes empresas, destacando-se mais positivamente as Micro empresas e menos positivamente as Grandes empresas (>1000 colaboradores). A dimensão de excelência da Dinâmica Organizacional apresenta nos cinco grupos, os valores de concordância mais elevados. Os resultados obtidos permitem-nos concluir que os valores das avaliações são inversamente proporcionais à dimensão da empresa. O estudo revela que quanto maior é a dimensão da empresa, menos positiva é a avaliação que os colaboradores fazem dela nas dimensões contempladas no estudo. Página 13 de 43

14 Autarquias, Institutos Públicos, Associações, Serviços de Educação Banca, Seguros e Serviços Financeiros Construção, Gestão de Infraestruturas, Transportes e Logística Grande Consumo e Retalho Hotelaria, Imobiliária, Turismo, Lazer e Restauração Indústria e Energia Saúde e Farmacêuticas Serviços Profissionais Tecnologia, Media e Telecomunicações Relatório Individual do Participante Índice de Satisfação dos Colaboradores 1 Dimensões por Macro Sectores de Actividade 1. Excelência Global % 66,4 72,8 75,1 74,3 78,3 70,7 72,4 75,1 74, Excelência da Dinâmica Organizacional 1.2. Excelência dos Processos % % 70,5 75,7 78,1 77,3 82,7 75,2 76,0 79,3 78,0 65,3 71,9 74,9 73,3 77,8 68,3 72,1 74,4 73, Excelência do Clima % 1.4. Excelência da Gestão de RH % 66,3 72,5 74,2 74,5 77,5 70,2 71,9 75,3 73,6 63,5 71,2 73,2 72,2 75,4 68,9 69,7 71,5 71,5 2. Satisfação com a Empresa 2 % 1 Baseado na componente do inquérito aos colaboradores. 66,4 73,0 75,0 73,7 77,7 70,0 72,0 75,3 75,0 3. Evolução Percebida % 60,1 65,0 68,2 68,3 73,1 64,9 63,4 68,8 67,2 2 Satisfação Global com a Empresa: Conjunto de questões colocadas, na segunda parte do questionário, não directamente ligadas às dimensões de Excelência no Trabalho mas que avaliam, do ponto de vista global, o grau de satisfação dos colaboradores com o clima organizacional da sua empresa. Página 14 de 43

15 Conclusões Gerais: A dimensão de excelência Dinâmica Organizacional apresenta nos diferentes grupos sectoriais os valores de concordância mais elevados, especialmente no sector Hotelaria, Imobiliária, Turismo, Lazer e Restauração, enquanto que a dimensão de excelência Gestão de Recursos Humanos apresenta os valores de concordância mais baixos, particularmente no sector Autarquias, Institutos Públicos, Associações, Serviços de Educação De forma geral, os resultados apontam para valores de maior satisfação global nos sectores Hotelaria, Imobiliária, Turismo, Lazer e Restauração e Serviços Profissionais, sendo o sector Autarquias, Institutos Públicos, Associações, serviços de Educação, o que apresenta os valores mais baixos. Em termos de evolução percebida, os colaboradores do sector Hotelaria, Imobiliária, Turismo, Lazer e Restauração, avaliam de forma mais positiva a situação actual quando comparada com a situação existente há um ano atrás. Página 15 de 43

16 Relatório Individual do Participante Rankings Finais Os vencedores por DIMENSÃO foram os seguintes: Classificação do TOP 3 Grandes Empresas (>1000 colaboradores) (%) Classificação do TOP 10 Grandes Empresas (%) Página 16 de 43

17 Relatório Individual do Participante Classificação do TOP 10 Médias Empresas (%) Classificação do TOP 10 Pequenas Empresas (%) Página 17 de 43

18 Vencedor Micro Empresas (%) Página 18 de 43

19 Os vencedores por SECTOR foram os seguintes: 1º Classificado por Macro Sector de Actividade (Grandes Empresas) (%) 1º Classificado por Macro Sector de Actividade (Médias Empresas) (%) Página 19 de 43

20 1º Classificado por Macro Sector de Actividade (Pequenas Empresas) (%) Página 20 de 43

21 Os vencedores do PRÉMIO EVOLUÇÃO foram os seguintes: Prémio Evolução (Grandes, Médias, Pequenas Empresas) Grande Empresa Real Food - SGPS, S.A. Média Empresa AMS - Gomà Camps,SA Pequena Empresa MC&A - Sociedade de Advogados, Lda. Página 21 de 43

22 2. Informação do Participante Página 22 de 43

23 2.1. Dados da empresa e caracterização da participação Relatório Individual do Participante Empresa Dimensão Sector Macro Instituto Politécnico de Viana do Castelo Grande Autarquias, Empresas Municipais, Institutos Públicos, Associações, Serviços de Educação Responsável por contactos no âmbito do estudo Nome Função Ana Sofia de Sá Gil Rodrigues Pró-Presidente; Gestora Institucional da Qualidade Género Masculino 28 Feminino 49 < 25 anos anos anos 9 Idade anos anos a 50 anos 9 >50 anos 18 Nota: Em alguns casos, devido à ausência de dados de caracterização, o Total da Amostra apresentado poderá não corresponder ao total de cada variável de caracterização (i.e. género, idade, antiguidade, habilitações ou cargo). Página 23 de 43

24 2-5 anos anos 22 Antiguidade na Empresa anos anos 5 > 20 anos 19 Secundário ou equivalente 11 Licenciatura 13 Habilitações Académicas Pós graduação/ Mestrado 37 MBA 6 Doutoramento/ Pós Doutoramento 10 Director ou Gerente Responsável de Unidade/ Dept. 6 6 Cargo Supervisor/ Coordenador Técnico 16 8 Administrativo 8 Operacional 8 Outro 25 Total Amostra 77 Página 24 de 43

25 2.2. Desempenho geral Ranking 32º Lugar Total 38 Grandes Empresas De acordo com a metodologia já descrita, apresenta-se em detalhe os resultados obtidos pela empresa através dos instrumentos de avaliação quantitativos e qualitativos. Resultados Quantitativos Empresa Inquérito Colaboradores (70%) 61,3 x 70% = 42,9 Índice de Participação (10%) Universo ,2 x 10% = 1,8 Nº Respostas - 77 Subtotais 44,8 Resultados Qualitativos Inquérito Gestão de Topo (20%) 68,3 x 20% = 13,7 Resultado Final (%) (indicadores qualitativos + quantitativos) 58,4 1 Universo Número de colaboradores indicados pela empresa para preenchimento de questionários Página 25 de 43

26 2.3. Médias das dimensões e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) Página 26 de 43

27 2.4. Médias das sub-dimensões e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) - Excelência da Dinâmica Organizacional Média das sub-dimensões e média do benchmark (Grandes Empresas) Dimensão - Excelência dos Processos Média das sub-dimensões e média do benchmark (Grandes Empresas) Dimensão Página 27 de 43

28 - Excelência da Gestão de Recursos Humanos Média das sub-dimensões e Média do benchmark (Grandes Empresas) Dimensão - Excelência do Clima Média das sub-dimensões e média do benchmark (Grandes Empresas) Dimensão Página 28 de 43

29 2.5. Médias por questão Empresa Questão Média (%) - Empresa Média (%) benchmark (Grandes Empresas) Δ Benchmark Sou competente e capaz de fazer as actividades que são importantes para mim 86,6 86,4 0,2 Estou envolvido/a e interessado/a nas minhas actividades diárias 86,4 82,7 3,7 Levo uma vida com propósito e com significado 84,6 83,4 1,3 As pessoas respeitam-me 84,6 82,6 2,0 Contribuo activamente para a felicidade e bem-estar dos outros 79,4 81,7-2,3 Na minha empresa, é fundamental assegurar a satisfação do cliente 79,2 82,8-3,6 Sou uma boa pessoa e vivo uma boa vida 76,9 79,3-2,4 Quando toma decisões sobre o meu trabalho, a chefia trata-me com respeito 76,6 77,4-0,9 Sei bem que aspectos do meu trabalho podem levar a uma avaliação positiva 73,8 78,7-4,9 A alta direcção da minha empresa é de confiança para tomar decisões relativamente ao futuro da empresa 73,4 76,9-3,6 Geralmente, a actuação dos directores/ chefias está devidamente alinhada com a estratégia da empresa 72,6 74,5-1,9 Geralmente tenho um ritmo de trabalho adequado 71,2 74,9-3,7 As minhas relações sociais dão-me suporte e são recompensadoras 70,9 70,2 0,7 Se realmente precisar, sei que a minha chefia directa tomará a iniciativa de me ajudar 70,8 75,9-5,1 Frequentemente participo nas decisões sobre o meu trabalho 70,1 70,6-0,4 Há uma preocupação permanente para melhorar a relação com os clientes 69,8 78,9-9,1 Sou optimista acerca do meu futuro 69,8 74,8-5,0 Página 29 de 43

30 Questão Média (%) - Empresa Média (%) benchmark (Grandes Empresas) Δ Benchmark Quando toma decisões sobre o meu trabalho, a chefia lida comigo numa base de confiança 68,7 75,1-6,5 A minha empresa está fortemente empenhada na inovação e desenvolvimento dos seus produtos/serviços 68,4 76,2-7,7 Geralmente, tenho acesso à informação necessária para realizar bem o meu trabalho 68,4 74,2-5,7 A minha empresa preocupa-se com a criação de novos desafios e a procura de oportunidades 68,0 72,5-4,5 As principais mudanças na minha empresa estão focalizadas no cliente 67,6 74,1-6,5 Em geral, as chefias depositam grande confiança nos subordinados 67,6 70,3-2,7 A minha empresa tem cumprido as suas obrigações relativamente às condições de emprego 66,7 75,3-8,6 A minha empresa está muito empenhada na inovação 66,5 73,5-7,1 Nas decisões da empresa os interesses dos clientes estão sempre em primeiro lugar. 66,0 76,5-10,5 A minha chefia clarifica as decisões e fornece-me informação adicional quando lhe solicito 65,8 73,0-7,2 Tenho ao meu dispor os recursos materiais (equipamento, logística, etc.) necessários para a minha função 65,3 75,3-10,0 O feedback dos clientes é utilizado para melhorar os produtos/serviços da empresa 65,1 74,4-9,3 A minha chefia tem confiança suficiente em mim para defender as minhas decisões, mesmo na minha ausência 64,9 73,8-8,9 Em geral, as minhas opiniões sobre aspectos do meu trabalho são tidas em consideração 64,5 68,8-4,4 As relações com a hierarquia funcionam adequadamente 64,2 71,0-6,7 A minha chefia incentiva-me a assumir mais responsabilidades na minha função 63,8 72,1-8,2 Em geral, as chefias na minha empresa são eficazes 62,6 69,6-6,9 Há confiança total na gestão da empresa 61,6 71,4-9,9 Página 30 de 43

31 Questão Média (%) - Empresa Média (%) benchmark (Grandes Empresas) Δ Benchmark Antes de tomar decisões sobre o trabalho, a chefia procura obter informação adequada 61,5 70,4-8,8 A minha empresa promove activamente a apresentação de ideias inovadoras por parte dos colaboradores 61,4 67,2-5,8 A minha empresa adapta-se rapidamente às tendências do sector 61,0 73,2-12,2 As pessoas aqui sentem que podem confiar na alta direcção da empresa 60,4 69,8-9,4 Na maior parte dos dias, consigo um bom equilíbrio do tempo gasto no trabalho e na minha vida extra trabalho 59,7 67,6-7,9 A definição de responsabilidades de cada posto de trabalho é clara 58,9 69,7-10,8 Há um esforço permanente para fazer com que os erros não se repitam 58,3 72,5-14,1 Na minha empresa, os erros são vistos como uma oportunidade para aprender e melhorar o desempenho 58,2 65,9-7,7 A minha empresa fomenta a aquisição de competências necessárias ao desenvolvimento da minha carreira 58,1 63,7-5,6 Na minha empresa, incentivam-se as pessoas a partilharem os seus conhecimentos profissionais 57,6 68,7-11,1 As relações entre os departamentos/serviços funcionam bem 57,5 64,1-6,6 A coordenação de trabalho entre serviços/equipas é eficaz 57,2 63,9-6,7 Os meus superiores dizem-me o que pensam sobre o meu desempenho 57,0 67,7-10,7 Na minha empresa, as pessoas partilham os conhecimentos profissionais umas com as outras 56,6 67,4-10,8 Na minha empresa, é rápida a comunicação sobre os assuntos que afectam a minha actividade 55,7 66,5-10,8 É frequente a minha chefia comentar comigo o que pensa sobre o meu trabalho 55,7 67,0-11,3 A minha empresa define o sucesso com base no desenvolvimento dos recursos humanos, do trabalho de equipa e do empenho dos empregados 55,5 67,7-12,2 Página 31 de 43

32 Questão Média (%) - Empresa Média (%) benchmark (Grandes Empresas) Δ Benchmark A divulgação interna da informação na minha empresa funciona bem 55,2 65,7-10,5 A minha empresa investe adequadamente na formação profissional dos empregados 54,7 65,6-10,9 Os problemas de adaptação às mudanças na minha empresa são resolvidos adequadamente 54,0 66,1-12,1 A tomada de decisão está devidamente descentralizada para as várias áreas 53,3 66,3-12,9 A actividade dos diversos serviços/equipas está devidamente integrada 53,3 66,9-13,6 A qualidade da formação corresponde às minhas expectativas 53,1 62,9-9,8 Na minha empresa, é frequente transferir-se aquilo que se faz bem numa área para outras áreas 51,7 65,1-13,4 A comunicação entre departamentos/serviços/equipas é adequada 51,3 63,4-12,0 A minha empresa é conhecida por influenciar fortemente as novas tendências no mercado 50,3 68,7-18,5 A empresa disponibiliza-nos regularmente informação sobre a sua situação económico-financeira 49,8 62,3-12,6 A minha empresa consegue atrair os mais competentes 49,5 63,4-13,9 Na minha empresa, as necessidades de formação são devidamente atendidas 46,5 60,9-14,5 Os critérios de promoções na empresa são claros 45,5 54,2-8,7 Os critérios de avaliação do desempenho são adequados 45,1 58,6-13,5 Na minha empresa há um número de pessoas suficiente para o volume de trabalho que temos 42,8 62,7-19,9 A quantidade de acções de formação tem sido suficiente 42,4 59,3-16,9 A avaliação de desempenho distingue claramente aqueles que são mais produtivos 33,3 53,1-19,7 Atendendo àquilo que outras pessoas na minha empresa recebem, a minha remuneração global é justa 33,1 48,0-14,9 Página 32 de 43

33 Questão Média (%) - Empresa Média (%) benchmark (Grandes Empresas) Δ Benchmark Considerando as minhas competências e o meu esforço, a minha remuneração global é justa 32,2 49,3-17,1 O meu salário está adequado ao meu desempenho real 31,5 47,2-15,7 Na minha empresa, uma parte substancial das recompensas monetárias está associada ao cumprimento dos objectivos de trabalho 17,3 55,7-38,4 Página 33 de 43

34 2.6. Top 10 Questões com maior desvio positivo face ao benchmark (Grandes Empresas) (%) Página 34 de 43

35 2.7. Bottom 10 Questões com maior desvio negativo face ao benchmark (Grandes Empresas) (%) Página 35 de 43

36 2.8. Satisfação Global com a Empresa Médias e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) A Satisfação Global com a Empresa aqui analisada diz respeito a um conjunto de questões colocadas, na segunda parte do questionário, não directamente ligadas às dimensões de Excelência no Trabalho mas que avaliam, do ponto de vista global, o grau de satisfação dos colaboradores com o clima organizacional da sua empresa. - Média Global (%) Página 36 de 43

37 - Média por Questão (%) Página 37 de 43

38 2.9. Evolução Percebida Médias e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) A Evolução Percebida aqui analisada diz respeito a um conjunto de questões colocadas, na terceira parte do questionário, não directamente ligadas às dimensões de Excelência no Trabalho mas que avaliam a percepção dos colaboradores face à evolução da empresa nos critérios em análise, há um ano atrás. - Média Global (%) Página 38 de 43

39 - Média por Questão (%) Escala de Evolução Percebida: Min. 0% - Muito pior que o ano passado Max. 100% - Muito melhor que o ano passado Página 39 de 43

40 2.10. Emoções Médias e desvios face ao benchmark (Grandes Empresas) As Emoções aqui analisadas dizem respeito a um conjunto de questões colocadas, na quarta parte do questionário, não directamente ligadas às dimensões de Excelência no Trabalho e pretendem auscultar a disposição emocional mais recente dos colaboradores. - Média Global (%) Página 40 de 43

41 - Média por Questão: Emoções Positivas Escala de Frequência de Emoções: Min. 0% - Nunca Max. 100% - Muitíssimas vezes (%) - Média por Questão: Emoções Negativas (%) Nota: Numa relação inversamente proporcional, o gráfico demonstra que quanto menor o valor das emoções negativas, melhor é a disposição emocional dos colaboradores da empresa. Página 41 de 43

42 3. Lista de Participantes - Grandes Empresas Agap2 - HIQ Consulting Consultoria e Engenharia AXA Portugal Companhia de Seguros SA Alliance Healthcare Conduril, Engenharia Câmara Municipal de Ponte da Barca CGI / Lógica Câmara Municipal da Amadora CENTURY 21 Portugal Deutsche Bank AG - Sucursal em Portugal Everis Portugal Essilor Portugal Frulact - Industria Agro-Alimentar Fromageries Bel Portugal GrandVision Portugal GESTAMP AVEIRO Grupo Generali Grupo dst Instituto Politécnico de Viana do Castelo INFARMED - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, Liberty Seguros Município de Santa Maria da Feira MONERIS - Serviços de Gestão Município de Oliveira de Azeméis Nobre Alimentação OCP PORTUGAL - Produtos Farmacêuticos PricewaterhouseCoopers & Associados - Sociedade de Revisores Oficiais de Contas Real Food - SGPS ROFF Reditus Business Solutions Schenker Transitários Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Oeiras e Amadora Sport Lisboa e Benfica Sacoor Brothers SERVIÇO UTILIZAÇAO COMUM DOS HOSPITAIS THYSSENKRUPP ELEVADORES TNT Express Worldwide Vitacress Portugal ZON Multimédia Página 42 de 43

43 4. Pedidos de Análises Adicionais No âmbito deste Estudo, existe a possibilidade de requerer análises customizadas à medida das necessidades específicas do participante: Relatório Específico Interno, que inclui filtro interno por variáveis de estrutura ou caracterização (desagregação dos resultados por área funcional/direcção, por ex.) - envolve custos de para o participante; Relatório de Benchmark Externo Específico, o qual compara os resultados da Empresa com os resultados médios de um Mercado de Referência a definir pelo participante - envolve custos de para o participante; Relatório de Análise Comparativa face ao Ano Anterior, que se aplica a quem participou nas edições 2011 e 2012 e que analisa a evolução em todas as dimensões e questões - envolve custos de para o participante; Realização de um Workshop com a Alta Direcção da Empresa, para análise de resultados - envolve custos de para o participante. Para obter mais informações acerca das análises adicionais, deverá contactar Pedro Rocha e Silva, Rita Resendes ou Joana Oliveira através do seguinte contacto: Telefone: Página 43 de 43

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

Prémio Excelência no Trabalho 2015

Prémio Excelência no Trabalho 2015 FAQ Frequently Asked Questions Índice Prémio Excelência no Trabalho 2015 INSCRIÇÃO... 2 COMUNICAÇÃO INTERNA... 4 QUESTIONÁRIO DIRIGIDO AOS COLABORADORES... 5 INQUÉRITO À GESTÃO DE TOPO... 7 TRATAMENTO

Leia mais

Recursos Humanos. Hotelaria: gestores portugueses vs. estrangeiros

Recursos Humanos. Hotelaria: gestores portugueses vs. estrangeiros Esta é uma versão post print de Cândido, Carlos J. F. (2004) Hotelaria: Gestores Portugueses vs. Estrangeiros, Gestão Pura, Ano II, N.º 7, Abril/Maio, 80-83. Recursos Humanos Hotelaria: gestores portugueses

Leia mais

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011 1 Resultados Nacionais Agregados de 11 Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados Nacionais Agregados de 11 1. Introdução Desde a sua criação em 02 que o Observatório Nacional de Recursos Humanos

Leia mais

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa?

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Elton Moraes O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Sobre o Hay Group O Hay Group é uma consultoria mundial em gestão: Trabalhamos com líderes para transformar estratégias em realidade.

Leia mais

Governação Hospitalar

Governação Hospitalar Aviso: Este projecto encontra-se em fase-piloto e, sem autorização, não pode ser usado para outros fins. Se necessário, contacte o coordenador do DUQuE através de duque@fadq.org Governação Hospitalar em

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 COMMERCIAL & MARKETING Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores perfis qualificados,

Leia mais

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt

Perto de si, mudamos consigo! www.wechange.pt Hotel Alvalade LUANDA 16 a 27 de RH Os Ciclos de RH, consistem em planos de desenvolvimento de competências no domínio da gestão de Recursos Humanos, nomeadamente ao nível das áreas de Selecção, Formação

Leia mais

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A.

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. Nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 2.º, n.º 1, da Lei n.º 28/2009, de 19

Leia mais

ESTUDO DE REMUNERAÇÃO 2015. Specialists in human resources recruitment www.michaelpage.pt

ESTUDO DE REMUNERAÇÃO 2015. Specialists in human resources recruitment www.michaelpage.pt ESTUDO DE REMUNERAÇÃO 2015 Healthcare Human Resources & Life Sciences Specialists in human resources recruitment www.michaelpage.pt Human Resources Estudo de Remuneração 2015 Apresentamos-lhe os Estudos

Leia mais

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de Pessoas) na Gestão Empresarial Marketing Interno Licenciatura de Comunicação Empresarial 3º Ano Docente: Dr. Jorge Remondes / Discente: Ana Teresa Cardoso

Leia mais

Comunicado de Imprensa PRÉMIOS RH 2009

Comunicado de Imprensa PRÉMIOS RH 2009 Comunicado de Imprensa PRÉMIOS RH 2009 Os Prémios RH são o reconhecimento público do mérito dos profissionais da Gestão de Recursos Humanos que se distinguem nas suas várias dimensões. É crescente o prestígio

Leia mais

AGUIRRE NEWMAN Liderança baseada na inteligência emocional

AGUIRRE NEWMAN Liderança baseada na inteligência emocional Pág: 42 empresas de excelência para trabalhar em portugal Área: 19,00 x 26,00 cm² Corte: 1 de 6 AGUIRRE NEWMAN Liderança baseada na inteligência emocional Texto: Ana Leonor Martins Foto: Vítor Gordo A«A

Leia mais

MARKETING NA INTERNET PARA PME A contribuição das ferramentas online para a performance empresarial. Raquel Melo 1

MARKETING NA INTERNET PARA PME A contribuição das ferramentas online para a performance empresarial. Raquel Melo 1 MARKETING NA INTERNET PARA PME A contribuição das ferramentas online para a performance empresarial Raquel Melo 1 Índice Objectivos do estudo Sociedade da Informação nas Empresas Definição, Objectivos

Leia mais

ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL

ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL Agosto de 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 ENQUADRAMENTO... 3 O IMPACTE DO SECTOR FINANCEIRO NAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS... 4 PEGADA CARBÓNICA DO SECTOR

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

Car Policy Benchmark

Car Policy Benchmark Car Policy Benchmark LeasePlan Consultancy Services André Freire 30 de Setembro 2015 LeasePlan Consultancy Services Serviços de Consultoria Em Portugal a LeasePlan iniciou a sua aposta nos serviços de

Leia mais

Observatório Nacional de Recursos Humanos

Observatório Nacional de Recursos Humanos RUBRICA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados nacionais agregados de 211 O Observatório Nacional de Recursos Humanos (ONRH) celebra este ano 1 anos de existência.

Leia mais

As organizações com colaboradores mais felizes têm mais performance e são mais sustentáveis

As organizações com colaboradores mais felizes têm mais performance e são mais sustentáveis As organizações com colaboradores mais felizes têm mais performance e são mais sustentáveis No momento actual é fundamental saber quais as razões, pelas quais, os colaboradores são felizes Artigos académicos

Leia mais

Social Origins of Good Ideas

Social Origins of Good Ideas Social Origins of Good Ideas Ronald S. Burt Sara Duarte Redes Sociais Online ISCTE IUL Maio 2013 Ronald S. Burt Professor de sociologia e estratégia na University of Chicago Graduate School of Business;

Leia mais

Investimento Directo Estrangeiro e Salários em Portugal Pedro Silva Martins*

Investimento Directo Estrangeiro e Salários em Portugal Pedro Silva Martins* Investimento Directo Estrangeiro e Salários em Portugal Pedro Silva Martins* Os fluxos de Investimento Directo Estrangeiro (IDE) para Portugal tornaram-se uma componente importante da economia portuguesa

Leia mais

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL Perspectiva das Entidades Empregadoras Julho 2011 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento e Qualidade

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

2.2 VISÃO Sermos reconhecidos pelo mercado como líderes de excelência em tudo aquilo que fazemos.

2.2 VISÃO Sermos reconhecidos pelo mercado como líderes de excelência em tudo aquilo que fazemos. REGULAMENTO DO PROGRAMA BE A MONSTER 2013 1 1. ÂMBITO O presente documento pretende apresentar o programa Be a Monster a todos os interessados em apresentar candidatura. Tem como objetivo comunicar as

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação e Design Multimédia

Leia mais

Recursos Humanos em Portugal

Recursos Humanos em Portugal O Maior Salão Profissional de Recursos Humanos em Portugal 9.ª Edição 17e 18 de Março de 2010 Centro de Congressos do Estoril www.ife.pt OS DECISORES SÃO UMA PRESENÇA GARANTIDA + 2000 profissionais de

Leia mais

Resultados. Estudo Piloto de Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais Portugueses. 21. Novembro. 2011

Resultados. Estudo Piloto de Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais Portugueses. 21. Novembro. 2011 Resultados Estudo Piloto de Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais Portugueses 21. Novembro. 2011 Características do questionário Hospital Survey on Patient Safety Culture (HSPSC) Agency

Leia mais

a sua visão, a sua estratégia, a sua vontade, as nossas pessoas

a sua visão, a sua estratégia, a sua vontade, as nossas pessoas a sua visão, a sua estratégia, a sua vontade, as nossas pessoas trabalho temporário I search & selection I outsourcing I hr consulting I onsite serviços 360º Se o principal capital das empresas são as

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

A Satisfação do Cliente no Sector dos Seguros

A Satisfação do Cliente no Sector dos Seguros A Satisfação do Cliente no Sector dos Seguros Introdução Num contexto de uma economia de mercado em acelerada mudança, afigura-se fundamental que as empresas em geral, e em particular o sector segurador,

Leia mais

Finanças para Não Financeiros

Finanças para Não Financeiros www.pwc.pt/academy Finanças para Não Financeiros Academia da PwC Este curso permite-lhe compreender melhor as demonstrações financeiras, os termos utilizados e interpretar os principais indicadores sobre

Leia mais

Prémio Desenvolvimento Sustentável

Prémio Desenvolvimento Sustentável Prémio Desenvolvimento Sustentável 1 Prémio Desenvolvimento Sustentável A noção de que o desenvolvimento sustentável é um investimento a longo prazo, com vista à criação de valor para os stakeholders através

Leia mais

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA 1/21 ANÁLISE DA ENVOLVENTE EXTERNA À EMPRESA... 3 1. Análise do Meio Envolvente... 3 2. Análise da Evolução do Mercado... 7 3. Análise da Realidade Concorrencial...

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisas de Clima Organizacional fornecem subsídios para a melhoria das condições de trabalho e a satisfação dos colaboradores e, com isso, tornando esta

Leia mais

Revisor Oficial de Contas, desde 1990.

Revisor Oficial de Contas, desde 1990. 1. Dados pessoais Nome: Vitor Manuel Batista de Almeida Data de nascimento: 14 de Julho de 1956 Naturalidade: Lisboa Residência: Calçada das Lages, Lote 3, Nº 61-A, 14º C 1900-291 Lisboa Telefone casa:

Leia mais

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Francisco Correia Departamento de Difusão e Promoção Instituto Nacional de Estatística Avenida António José de Almeida 1000-043 Lisboa Tel: 218426143

Leia mais

Estudo sobre o Desenvolvimento da Concorrência no Mercado Postal Português Maio Agosto de 2006

Estudo sobre o Desenvolvimento da Concorrência no Mercado Postal Português Maio Agosto de 2006 Estudo sobre o Desenvolvimento da Concorrência no Mercado Postal Português Maio Agosto de 2006 Lisboa, Setembro de 2007 Apresentação do estudo e dos autores Sumário do estudo 2006 Accenture Estudo sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica

Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica Direção de Gestão de Informação e Comunicação Centro de Informação e Conhecimento Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica Lisboa, janeiro de 2015 Introdução

Leia mais

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012 Human Resources Human Resources Estudos de Remuneração 2012 3 Michael Page Page 4 Apresentamos-lhe os Estudos de Remuneração 2012, realizados pela Michael Page. O objectivo dos nossos Estudos de Remuneração

Leia mais

aedição de 2001 da PME Excelência

aedição de 2001 da PME Excelência 26 PME Excelência com mais qualidade Criado com o objectivo de distinguir as PME que apresentem em cada ano os melhores desempenhos económico-financeiros e de gestão, o Estatuto PME Excelência tem associado

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Desenho de Programas de Participação nos Lucros ou Resultados em Empresas Estatais

Desenho de Programas de Participação nos Lucros ou Resultados em Empresas Estatais Programa de Capacitação Desenho de Programas de Participação nos Lucros ou Resultados em Empresas Estatais 11 e 12 fevereiro 2009 Conteúdo Objetivos do Treinamento Agenda Contextualização: Remuneração

Leia mais

OFERTA FORMATIVA 2014/2015. Especial Administração Pública. 1ª Empresa Acreditada em Formação Profissional em Cabo Verde

OFERTA FORMATIVA 2014/2015. Especial Administração Pública. 1ª Empresa Acreditada em Formação Profissional em Cabo Verde OFERTA FORMATIVA 2014/2015 Especial Administração Pública 1ª Empresa Acreditada em Formação Profissional em Cabo Verde www. leaderconsulting.info Maputo, Moçambique. Cidade da Praia, Cabo Verde OFERTA

Leia mais

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ORGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ORGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ORGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO 1. Objectivos da Política de Remuneração dos órgãos de administração e fiscalização da Companhia de Seguros Açoreana, SA (

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

O presente documento constitui o Regulamento da 7ª edição do Prémio Boas Práticas no Sector Público.

O presente documento constitui o Regulamento da 7ª edição do Prémio Boas Práticas no Sector Público. 7ª edição Prémio Boas Práticas no Sector Público O presente documento constitui o Regulamento da 7ª edição do Prémio Boas Práticas no Sector Público. Aconselhamos a sua leitura antes de iniciar o processo

Leia mais

Resultados do Questionário

Resultados do Questionário Resultados do Questionário 1. No que respeita à certificação de formadores (portaria nº 214/2011 de 30 de maio) poderia dizer que: Estudei bem a legislação 21,5% Li para ter uma noção das linhas gerais

Leia mais

Benchmarking e Boas Práticas no sector das Novas Tecnologias Jorge Carrola Rodrigues

Benchmarking e Boas Práticas no sector das Novas Tecnologias Jorge Carrola Rodrigues Benchmarking e Boas Práticas no sector das Novas Tecnologias Jorge Carrola Rodrigues Director, Lisconsult Consultoria Empresarial SA Consultor Nacional de Benchmarking (IAPMEI/UKBI-DTI) Coimbra, 8 de Abril

Leia mais

Convênio... 3. Apresentação... 3 ISCTE / INDEG... 3. Coordenador... 5. Docentes... 5. Valores... 6

Convênio... 3. Apresentação... 3 ISCTE / INDEG... 3. Coordenador... 5. Docentes... 5. Valores... 6 MBA Executivo Internacional MBA EXECUTIVO MÓDULO INTERNACIONAL 06 a 13 de Outubro de 2012 Coordenação Acadêmica: Prof. Dr. Marcus Vinícius Rodrigues Convênio..................... 3 Apresentação....................

Leia mais

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço BENCHMARKING 2014 Estudo dos niveis de serviço Objetivo do estudo BENCHMARKING 2014 O objectivo deste estudo é conhecer o nível de serviço oferecido pelos fabricantes do grande consumo aos distribuidores,

Leia mais

As novas tecnologias na Gestão do Talento www.optimhom.pt O QUE SÃO Os são um instrumento on-line de avaliação de competências, que usa questões simples ligadas às situações concretas do diaa-dia nas organizações,

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

Tendências do Mercado de SST em Portugal. João Florindo

Tendências do Mercado de SST em Portugal. João Florindo Tendências do Mercado de SST João Florindo 1 O que nos preocupa na UE Para o universo de 217 milhões de trabalhadores da EU, registam-se: 4.000 mortes devido a acidentes de trabalho (EEAT 2011) 159.500

Leia mais

A EMPRESA. A DRIVE Consultoria e Investimento, S.A. (DRIVE CI) dedica-se à prestação de serviços de gestão, em especial em

A EMPRESA. A DRIVE Consultoria e Investimento, S.A. (DRIVE CI) dedica-se à prestação de serviços de gestão, em especial em A EMPRESA A DRIVE Consultoria e Investimento, S.A. (DRIVE CI) dedica-se à prestação de serviços de gestão, em especial em áreas onde apresenta factores diferenciadores, como a representação em conselhos

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA

RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA A Associação Portuguesa de Geógrafos (APG) promoveu um inquérito online entre 5 de Novembro e 21 de Dezembro de 2009 com o objectivo de auscultar a comunidade

Leia mais

Recursos Humanos. Nacional 15000

Recursos Humanos. Nacional 15000 Temática: Dimensão: Recursos Humanos 1888 Âmbito: Tiragem: Nacional 15000 Imagem: Página (s): S/Cor 34 a 38 Prémios 2012 esources HRPortugal A Human Resources Portugal premeia pelo segundo ano consecutivo

Leia mais

Observatório da Criação de Empresas. Observatório da Criação de Empresas

Observatório da Criação de Empresas. Observatório da Criação de Empresas Observatório da Criação de Empresas O Observatório da Criação de Empresas é um projecto desenvolvido pelo IAPMEI, com a colaboração da Rede Portuguesa de Centros de Formalidades das Empresas (CFE), que

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP PME em Números PME em Números 1 Nota introdutória De acordo com o disposto na definição europeia 1, são classificadas como PME as empresas com menos de 250 trabalhadores cujo volume de negócios anual não

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL E APRESENTAÇÃO DE MEDIDAS DE MELHORIA PARA A ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA CAF (COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK)

DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL E APRESENTAÇÃO DE MEDIDAS DE MELHORIA PARA A ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA CAF (COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK) DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL E APRESENTAÇÃO DE MEDIDAS DE MELHORIA PARA A ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA CAF (COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK) Equipa de Auto-Avaliação da CAF: Anabela Silva, Ercilia Braga,

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Commercial & Marketing. Estudos de Remuneração 2012

Commercial & Marketing. Estudos de Remuneração 2012 Commercial & Marketing Estudos de Remuneração 2012 Estudos de Remuneração Commercial & Marketing 2012 2 Nota preliminar pág. 3 Funções de Marketing Funções Comerciais Assistente de Marketing pág. 12 Supervisor

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL. PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. NOME DA EMPRESA PERSPECTIVA Consultores Associados Ltda. PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL NOME DA EMPRESA A pesquisa foi desenvolvida e aplicada pela PERSPECTIVA Consultores Associados. Coordenador Interno: Ricardo Lezana

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

Retenção: desafio estratégico de liderança no Brasil Remuneração, ações de desenvolvimento e de retenção de talentos: os desafios estratégicos de RH

Retenção: desafio estratégico de liderança no Brasil Remuneração, ações de desenvolvimento e de retenção de talentos: os desafios estratégicos de RH Retenção: desafio estratégico de liderança no Brasil Remuneração, ações de desenvolvimento e de retenção de talentos: os desafios estratégicos de RH Maio/2012 Agenda Por que está tão crítico reter profissionais?

Leia mais

ILIMITADOS THE MARKETING COMPANY

ILIMITADOS THE MARKETING COMPANY ILIMITADOS THE MARKETING COMPANY _ CURRICULUM Composta por uma equipa multidisciplinar, dinâmica e sólida, Sobre Nós A ilimitados - the marketing company é uma empresa de serviços na área do Marketing,

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2010 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU)

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2010 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU) Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2010 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU) Alan Rodrigues da Silva Iuri Frederico de Oliveira Santos

Leia mais

Convênio... 3. Apresentação... 3 ISCTE / INDEG... 3. Programa... 4. Duração do Curso... 4. Idioma... 4. Coordenador... 5. Docentes...

Convênio... 3. Apresentação... 3 ISCTE / INDEG... 3. Programa... 4. Duração do Curso... 4. Idioma... 4. Coordenador... 5. Docentes... MÓDULO INTERNACIONAL MÓDULO INTERNACIONAL Data de realização: 10 a 17 de Outubro de 2015 Convênio..................... 3 Apresentação.................... 3 ISCTE / INDEG....................... 3 Programa.......................

Leia mais

CONCLUSÕES. Conclusões 413

CONCLUSÕES. Conclusões 413 CONCLUSÕES Conclusões 413 Conclusões 414 Conclusões 415 CONCLUSÕES I - Objectivos do trabalho e resultados obtidos O trabalho realizado teve como objecto de estudo a marca corporativa e a investigação

Leia mais

Executive breakfast Planeamento, Controlo e Gestão de Recursos Públicos. 24 de Fevereiro de 2015

Executive breakfast Planeamento, Controlo e Gestão de Recursos Públicos. 24 de Fevereiro de 2015 Executive breakfast Planeamento, Controlo e Gestão de Recursos Públicos 24 de Fevereiro de 2015 1 Agenda 08:00-8:30 Recepção 08:30-8:45 Abertura Margarida Bajanca, Partner Deloitte 08:45-9:30 Melhores

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Turistas Avaliação da Satisfação dos Turistas 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação da Satisfação dos Turistas 2011 Índice SÍNTESE... 03 1. INTRODUÇÃO... 05 2.

Leia mais

Relatório Questionário on-line

Relatório Questionário on-line Associação Portuguesa dos Gestores e Técnicos dos Recursos Humanos Seminário: Novos Caminhos, Novos Desafios da Formação Certificada Relatório Questionário on-line Relatório 1. Introdução e Objectivos

Leia mais

MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES

MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL UNIDADES CURRICULARES OBRIGATÓRIAS PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES Análise de Informação Económica para a Economia Portuguesa 1. Identificação

Leia mais

O modelo de balanced scorecard

O modelo de balanced scorecard O modelo de balanced scorecard Existe um modelo chamado balanced scorecard que pode ser útil para medir o grau de cumprimento da nossa missão. Trata-se de um conjunto de medidas quantificáveis, cuidadosamente

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

(PROGRAMA LEONARDO DA VINCI)

(PROGRAMA LEONARDO DA VINCI) ANGLIA UNIVERSITY PROGRAMA LEONARDO DA VINCI GROUP ESC PAU GROUP ESC TOULOUSE PRIORIDADES PARA EL DESARROLLO DIRECTIVO INSTITUTO SUPERIOR SUPERIOR DE GESTAO MIDDLESEX UNIVERSITY INSTITUTO DE EMPRESA UNIÓN

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA Avaliação Interna Questionário aos Pais Encarregados de Educação Reconhece-se a importância da família e da sua colaboração no processo educativo. Com este questionário

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

Tipologia de Intervenção Formação Acção para PME Programa de Candidatura

Tipologia de Intervenção Formação Acção para PME Programa de Candidatura Tipologia de Intervenção Formação Acção para PME Programa de Candidatura 1. Enquadramento legal do Projecto Dinamizar Considerando o contrato de delegação de competências da Comissão Directiva do POPH

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO Código: 426 Versão: 1.1 Agosto 2009 INTRODUÇÃO O Inquérito aos Parques de Campismo existe desde 1983 e tem como objectivo caracterizar os parques de campismo no que diz

Leia mais

PRÉMIOS MORNINGSTAR DIÁRIO ECONÓMICO 2012 OBJETIVO

PRÉMIOS MORNINGSTAR DIÁRIO ECONÓMICO 2012 OBJETIVO PRÉMIOS MORNINGSTAR DIÁRIO ECONÓMICO 2012 OBJETIVO O objectivo dos Prémios Morningstar consiste em seleccionar os fundos e gestoras que mais valor proporcionaram aos participantes neste tipo de fundos,

Leia mais

Consultoria de Gestão Sistemas Integrados de Gestão Contabilidade e Fiscalidade Recursos Humanos Marketing e Comunicação Consultoria Financeira JOPAC SOLUÇÕES GLOBAIS de GESTÃO jopac.pt «A mudança é a

Leia mais

Jogo do Investimento 2012 REGULAMENTO DO JOGO

Jogo do Investimento 2012 REGULAMENTO DO JOGO Jogo do Investimento 2012 REGULAMENTO DO JOGO Jogo do Investimento 2012 ÍNDICE Acerca do Jogo do investimento... 2 Como Participar no Jogo do Investimento?... 4 Qual o objectivo do jogo?... 5 Qual o calendário

Leia mais

Índice. Accor. Capítulo 1. Prefácio 15. Nota Introdutória 17. 1.1. Caracterização da empresa 23 1.1.1. A filosofia, os valores 23 1.1.2.

Índice. Accor. Capítulo 1. Prefácio 15. Nota Introdutória 17. 1.1. Caracterização da empresa 23 1.1.1. A filosofia, os valores 23 1.1.2. Índice Prefácio 15 Nota Introdutória 17 Capítulo 1 Accor 1.1. Caracterização da empresa 23 1.1.1. A filosofia, os valores 23 1.1.2. A visão 24 1.2. Novotel Move Up 24 1.2.1. Como? 25 1.3. Programas de

Leia mais

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS)

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) Anteprojecto de decreto-lei Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) As acções de protecção civil integram, obrigatoriamente, agentes e serviços que advêm de organismos do Estado,

Leia mais

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos.

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Formada por uma Equipa de Consultores com uma consolidada e diversificada experiência, quer na área

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1. Identificação do Curso Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos 2. Destinatários Profissionais em exercício de funções na área de especialização do curso ou novos

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

O Programa de Reforço e Dinamização da Cooperação Empresarial SISCOOP constitui-se como

O Programa de Reforço e Dinamização da Cooperação Empresarial SISCOOP constitui-se como SISTEMA DE DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO DAS OPORTUNIDADES DE COOPERAÇÃO EM REDE Nota: documento elaborado pela INTELI Inteligência em Inovação, no âmbito da consultadoria prestada

Leia mais

A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas

A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas A Câmara Municipal de Rio Maior e o papel do Curso de Educação e Comunicação Multimédia no Gabinete de Imagem, Comunicação e Relações Públicas Psicologia organizacional A Psicologia Organizacional, inicialmente

Leia mais

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação.

Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens da certificação. Objectivos Gerais Definir o que é a Qualidade; Determinar a evolução da qualidade. Definir os requisitos da Norma NP EN ISO 9001. Como implementar sistemas da qualidade em empresas. Conhecer as vantagens

Leia mais