Introspecção na gestão organizacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introspecção na gestão organizacional"

Transcrição

1 Introspecção na gestão organizacional Ana Maria Bencciveni Franzoni, Dra. (UFSC) Antônio Marcos Feliciano, Me. (UFSC) Inara Antunes Vieira Willerding (UFSC) Vitória Augusta Braga de Souza, Me. (UFSC) RESUMO Em virtude das mudanças que advieram com o processo da globalização econômica e social e das inovações tecnológicas o setor de Recursos Humanos teve que se adaptar as novas exigências se no passado focava em atividades burocráticas e hoje seu papel é de staff, isto é, estar presente na tomada de decisão da organização, gerindo pessoas e processos. Essa mudança busca o comprometimento do colaborador com a organização, na qual deve dispor de forma clara e objetiva a visão, a missão, seus valores e principalmente a relação de empresa e colaboradores, com o objetivo de estimular parcerias internas e externas. O presente artigo tem por objetivo discorrer sobre importância da missão e visão organizacional; caracterização da instituição pesquisada; e a apresentação dos dados da pesquisa com o intuito de explanar a coesão da missão organizacional com sua gestão. Os procedimentos utilizados coleta das informações, para que se possa atender o objetivo propostos, optou-se por adotar uma entrevista semi-estruturada com a gerencia do Setor de Gestão de Pessoas, realizada em abril de 2009, focandos projetos e desenvolvimento de ações referentes a qualidade de vida no trabalho e a coesão da missão e visão organizacional, juntamente com referencial bibliográfico. Palavras-chave: Missão; Visão; Gestão de Pessoas; Qualidade de Vida no Trabalho. ABSTRACT Because of changes thereby made with the process of economic globalization and social and technological innovations the Human Resources Department had to adapt to new demands in the past focused on bureaucratic and today his role is to staff, that is, be present decisionmaking organization, managing people and processes. This change seeks the commitment of the employee with the organization, which must have a clear and objective vision, mission, values and especially the relationship between company and employees, in order to stimulate internal and external partnerships. This article aims to discuss the importance of organizational vision and mission; characterization of the research institution, and the presentation of research data in order to explain the cohesion of the organization's mission with its management. The procedures for collecting information so that they can meet the proposed goal, we chose to adopt a semi-structured interview with the managing of the Division of Personnel Management, held in April 2009, focandos projects and development actions related to quality of work life and cohesion of the organizational mission and vision, along with bibliographic references. Keywords: Mission, Vision, People Management, Quality of Working Life.

2 INTRODUÇÃO A área de Recursos Humanos de uma organização focava-se, principalmente, em atividades burocráticas operacionais e com foco no controle. Hoje, em virtude de mudanças mercadológicas decorrentes da globalização econômica e social e das inovações tecnológicas, as empresas passaram a ter preocupações em seu ambiente interno. Diante desse pressuposto, o colaborador é percebido como elemento de diferenciação no mercado, pois está inserido em um ambiente em que se destaca o conhecimento, produto inerente e exclusivo das pessoas. As mudanças tecnológicas, as inovações, passam a não ter sentido, quando no seio das organizações inexistem pessoas com competências e habilidades suficientes para extrair os resultados que esses instrumentos podem oferecer. Nesse âmbito, as organizações passaram a sentir a necessidade de investir e promover mudanças em sua gestão, focando, na ampliação do papel das atividades do setor de pessoal ou administração de recursos humanos, tanto internos como externamente. Em virtude dessa nova visão empresarial, a função administrativa de recursos humanos deixa de exercer a responsabilidade de produção e passa a desempenhar o papel de staff, isto é, estar presente na tomada de decisão da organização, gerindo pessoas e processos. A atual proposta de gestão vem delineando de forma integrada entre todos os setores da organização, tendo a finalidade de alcançar de forma positiva os resultados propostos pela empresa. Essa mudança busca o comprometimento do colaborador com a organização, na qual deve dispor de forma clara e objetiva a visão, a missão, seus valores e principalmente a relação de empresa e colaboradores, com o objetivo de estimular parcerias internas e externas. Dentro desse arcabouço, temos em Santa Catarina diversas empresas preocupadas em desenvolver essa nova política na sua forma de gestão. Esse artigo aborda um estudo de caso em uma organização localizada em Florianópolis no Estado de Estado de Santa Catarina. Uma cooperativa formada por médicos, atuante na área da saúde, que propõe em sua visão e missão, promover a saúde e a qualidade de vida para seus clientes. Nesse âmbito, a proposta dessa pesquisa é avaliar a coesão da missão e visão organizacional com a introspecção da gestão, isto é, correlacionar com seus clientes internos. 2 Procedimentos metodológicos Quanto aos procedimentos de coleta das informações, para que se possa atender o objetivo propostos, optou-se por adotar uma entrevista semi-estruturada com a gerência do Setor de Gestão de Pessoas, realizada em abril de 2009, focandos projetos e desenvolvimento de ações referentes a qualidade de vida no trabalho e a coesão da missão e visão organizacional, juntamente com referencial bibliográfico. A pesquisa abordara as seguintes etapas: Análise da importância da missão e visão organizacional; Caracterização da instituição pesquisada; e A apresentação dos dados da pesquisa com o intuito de explanar a coesão da missão organizacional com sua gestão. 2. REFERENCIAL TEÓRICO 2.1. Missão A missão está ligada ao objetivo existencial da organização, o qual deve ser definido de forma clara e objetiva, relacionando as crenças e valores da empresa ao foco do negócio.

3 Segundo Oliveira (1991, p. 372) a missão é a determinação do motivo central do planejamento estratégico, ou seja, a determinação de onde a organização quer ir. Corresponde a um horizonte dentro do qual a organização atua ou poderá atuar. A missão organizacional exerce a função de delinear através de orientações e delimitações as estratégias da empresa, descrevendo as habilidades essenciais da organização, explicitando seus princípios, valores e crenças Visão As organizações precisam ter uma visão clara de seu posicionamento no mercado para que possa se projetar e conduzir um futuro organizacional adequado e de excelência. Visão é conceituada como os limites que os proprietários e principais executivos da empresa conseguem enxergar dentro de um período de tempo mais longo e uma abordagem mais ampla. Nesse contexto, a visão proporciona o grande delineamento do planejamento estratégico a ser desenvolvido e implementado pela empresa. A visão representa o que a empresa quer ser (OLIVEIRA, 2004, p. 88) Gestão de Pessoas A Gestaõ de Pessoas é formada por conjunto são processos que possuem o intuito de orientar as pessoas em relação aos comportamentos culturais, políticos e sociais, ressaltando os potenciais do capital humano no ambiente de trabalho. Araujo (2006) define capital humano, como sendo as pessoas da organização que contribuem para qualquer atividade-fim da empresa, cooperando para o estabelecimento de um clima organizacional favorável, gerando resultados positivos. Gil (2001) explana que autores adeptos a nomenclatura de Gestão de Pessoas procuram definir os indivíduos que trabalham nas organizações como cooperados, parceiros ou clientes internos, não mais como funcionários ou empregados, pois essa expressão Gestão de Pessoas visa substituir a nomenclatura de Recursos Humanos, pois afirma ser muito restrito, focando os colaboradores da empresa apenas como recursos, utilizada para financeiros e materiais. Para Gil (2001, p. 17), Gestão de Pessoas é a função gerencial que visa à cooperação das pessoas que atuam nas organizações para o alcance dos objetivos tanto organizacionais como individuais. Segundo Chiavenato (2008) a gestão de pessoas consiste em várias tarefas ou processos, mas pode-se resumi-las em seis processos básicos: de agregar, aplicar, recompensar, desenvolver, manter e monitorar pessoas. Dessler (2003) explana as tarefas básicas da gestão de pessoas da seguinte forma: recrutamento e seleção; treinamento, desenvolvimento e remuneração e relações com o funcionário. Vale ressaltar que este artigo irá adotar as nomenclaturas de Dessler, na qual especifica os processos como: recrutamento e seleção; processo de treinamento, desenvolvimento e remuneração; relações com o colaborador. Hoje, por haver mudanças no mercado, relacionadas à economia, a globalização e as novas tecnologias, gerou-se um ambiente competitivos para as organizações. Dessa forma, para que elas possam participar dessas mudanças e se manterem positivamente nesta ambiência, busca-se diferenciais através de planejamentos estratégicos, que atualmente precisa-se estar alinhadas a gestão de pessoas, pois o capital intelectual faz a diferença em uma organização.

4 A performance organizacional exigida pela atual competitividade e dinamismo do mercado depende, em grande parte, da utilização de Estratégias coerentes, do Planejamento Estratégico e da integração de todas as áreas e funções da organização. A área de Recursos Humanos desempenha, neste contexto, papel essencial na manutenção dos talentos humanos e do conhecimento. (GIRARDI, 2008, p 67) 2.4 Processos de Gestão de Pessoas Recrutamento e seleção São processos realizados para inserir pessoas em uma organização, ou seja, por esse meio a organização agrega novos valores à sua equipe de trabalho. O recrutamento identifica e capta pessoas para ocupar uma função que está disponível em uma empresa. Ele pode ser interno ou externo. Quando interno, o processo é realizado por meio de remanejamento dos colaboradores da própria organização, na qual pode ser uma transferência simples de função ou como forma de promoção. No externo, a busca é realizada fora da empresa, podendo se dá pela contratação de empresas especializadas, anúncios de jornais, internet (sites específicos), entre outros. Segundo Ribeiro (2006) o recrutamento é um processo que através de informações capta e atrai candidatos para que possam ser selecionados futuramente. A seleção consiste em analisar e escolher os indivíduos recrutados, por meio da captura de informações do candidato, tendo como subsídios: uma dinâmica, uma entrevista, um teste de conhecimento que avalia o grau de conhecimento e habilidades, ou mesmo por meio das aptidões do candidato. Tais subsídios precisam estar apropriados para a função proposta. Dessler (2003) considera que é preciso obter através do recrutamento um bom número de candidatos para o processo de seleção, pois dessa forma, a eficiência e a eficácia da ação em selecionar o melhor candidato para a função ofertada é maior. Para Stoner e Freeman (1982), seleção é um processo mútuo, através do qual a organização decide se vai ou não ofertar o trabalho e o candidato decidir se a aceita ou não. Recrutamento e seleção são atividades que estão plenamente interligadas, andam sempre lado a lado e fica difícil fazer uma separação entre elas, embora curiosamente se refiram aos resultados finais distintos. (ARAUJO, 2006, p. 15) Assim, diante de tal pressuposto, por meio da Gestão de Pessoas pode-se desenvolver neste processo, estratégias que reflitam de forma positiva para a empresa, como por exemplo, o recrutamento interno valorização de seu colaborador através da educação e os conhecimentos, os custos são mais baixos, possibilita uma maior rapidez, oferece a oportunidade de crescimento do colaborador na organização e movimenta a motivação de seus parceiros e externo na busca de trabalhadores com perfil e conhecimentos mais específicos da função proposta, traz espírito novo para equipe e pode também aproveitar os indivíduos já desenvolvidos de outras empresas Processo de treinamento, desenvolvimento e remuneração Esta atividade consiste em orientar pessoas em relação a desempenhos de cargos e também da avaliação, treinamento e remuneração, em fim, é a ambientação do novo colaborador na organização. A ambientação consiste em comunicar de forma clara e objetiva a cultura organizacional em que o colaborador está inserido, através da missão, da visão e dos valores

5 estabelecidos pela organização e de suas normas, tendo como intuito a integração do indivíduo no ambiente de trabalho. Treinamento é o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos, as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho (DESSLER, 2003, p. 140). O treinamento é delineado por cada organização, pois relacionando às funções desempenhadas é determinado o período de tempo de treinamento. Para o novo colaborador está relacionado com a ambientação da função que irá exercer na organização e para os trabalhadores veteranos da empresa, os treinamentos tem objetivos dos aperfeiçoamentos, atualizações ou novos desafios. Nesse contexto, pode-se afirmar que o treinamento é responsável pelo capital intelectual, pois se considera as habilidades, as competências, uma forma mais produtiva e eficaz no desempenho das pessoas em suas funções, contribuindo para uma maior produtividade, criatividade e inovação, pois dessa forma possam cada vez mais alçar os objetivos organizacionais. O treinamento está relacionado com as atuais habilidades e capacidades exigidas pelo cargo. Sua orientação é ajudar os empregados a utilizar suas principais habilidades e capacidades para serem bem-sucedidos. (CHIAVENATO, 2008, p. 295) Em relação à avaliação de desempenho, Dessler (2003) considera que correlacionar os desempenhos atuais com os passados de um colaborador e também de buscar feedback ao seu parceiro no que diz respeito em contribuir com a eliminação de deficiências nos desempenhos ou até mesmo para manter o atual status de desempenho. A avaliação de desempenho possui o intuito de trazer novas informações para a gestão, podendo ajudar na tomara de decisão em relação a promoções, aumento de salários, correções de alguma deficiência nas ações ou até mesmo de reforçar os pontos positivos do desempenho do colaborador. Em relação ao novo trabalhador, busca ambienta-lo da melhor maneira no ambiente organizacional, a fim de delinear o colaborador no período em que está em experiências. Desenvolver pessoas se alinha com o crescimento pessoal do colaborador com o intuito de buscar a carreira futura e não apenas o cargo atual. Visa o crescimento profissional por meio de novas oportunidades. Ao abordar a ambientação do novo colaborador na organização, fala-se também em remuneração, pois além das normas estabelecidas pela empresa, do treinamento a nova função, é importante saber sobre a remuneração, como a organização está estabelecida em relação a esse assunto, no que diz respeito a salário, adiantamento salarial, empréstimos, incentivos, benefícios e serviços sociais, entre outros. O salário é um poderoso motivador, pois com ele realizaremos nossas funções na sociedade. Além do salário, tudo o que é concedido ao funcionário acaba tendo valor salarial como plano de saúde, por exemplo. (RIBEIRO, 2006, p. 266). Hipólito (in Fleury, 2002) afirma que possui três formas de remuneração: salários fixos valor previamente determinado, pago regularmente pela empresa; remuneração variável valor flexível, diretamente vinculado com o desempenho do trabalhador; remuneração indireta, benefícios como seguro de vida, plano de saúde, refeições subsidiadas entre, outros que a organização utiliza como ferramenta estratégica para a atração e retenção de pessoas. Serviços sociais também podem ser considerados uma forma de remuneração, de recompensas não-financeiras, pois afetam os sentimentos na forma de satisfação, de orgulho das pessoas. Segundo Girardi (2008), a aplicação estreita a orientação das pessoas em relação à cultura organizacional, sociabilizando desta forma o indivíduo; a estrutura de cargos,

6 chamado também de modelagem através da descrição das atividades, prazos a serem respeitados, entre outros; e também pelo potencial de desenvolvimento de cada indivíduo em relação a suas tarefas, metas e resultados Relações com o colaborador Busca a satisfação das pessoas por meio da criação de ambientes adequados ao exercício as atividades propostas. Pode-se incluir neste processo a administração de disciplina, com a finalidade de manter ordem no ambiente de trabalho; relações trabalhistas, obedecendo às normas de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT); higiene, que objetiva adequar as condições ambientais de trabalho, assegurando a saúde física (iluminação, ventilação, etc.) e mental (redução de estresse, etc.) das pessoas; segurança, no que diz respeito à prevenção de acidentes, incêndios; qualidade de vida, na qual se preocupa com o bem-estar do indivíduo e a coletividade. Para que a atividade de saúde e segurança do trabalho seja desenvolvida eficazmente, torna-se necessário o conhecimento de dois fatores importantes para esta ação. O primeiro deles é a implantação de um sistema de saúde e segurança do trabalho, no qual dez etapas devem ser desenvolvidas, desde o comprometimento da alta direção da organização até a realização de auditorias internas. O segundo diz respeito às condições legais pertinentes, as quais nos fazem conhecer as vinte e nove Normas Regulamentadoras e compreender a complexibilidade desta prática. A leitura das normas é de fundamental importância para o sucesso da ação de saúde e segurança do trabalho, porque são legais e são lógicas, buscam realmente preservar as pessoas em seu ambiente de trabalho. (ARAUJO, 2006, p. 220) Acompanhar e controlar as tarefas desenvolvidas pelos colaboradores e também em verificar resultados, faz parte do relacionamento organizacional, pois através de dados e dos sistemas de informação gerencial, pode-se desenvolver estratégias operacionais ou detectar deficiências nos processos. No que se refere ao conjunto de dados, decorrentes das ações da gestão de pessoas, é importante frisar que a partir do seu armazenamento, torna-se informação estratégica, pois permite novos elementos à tomada de decisões. Para se ter resultados eficazes nas ações da Gestão de Pessoas, a informação e a comunicação são ferramentas primordiais, pois quanto mais comunicação e informação houver, mais eficazes serão as decisões a serem tomadas na organização. A intenção estratégica representa a alavancagem de todos os recursos internos, capacidades e competências de uma organização com a finalidade de cumprir suas metas no ambiente competitivo. É uma intenção estratégica que proporciona aos membros da organização a meta que merece seu esforço, dedicação e compromisso pessoal de permanecer como o melhor no mercado ou derrubar a empresa que esta no pódio. (CHIAVENATO & SAPIRO, p. 52, 2003) 2.5. Qualidade de vida no trabalho Na década de 1970, quando Louis Davis (professor da University of Califórnia, Los Angeles) desenvolvia um projeto sobre desempenho de cargos evidenciou o termo Qualidade de Vida no Trabalho (QVT), referindo-se as preocupações com o bem-estar geral e a saúde dos colaboradores no desempenho de suas funções. Hoje, o conceito de QVT envolve os aspectos físicos, ambientais e também os psicológicos no ambiente de trabalho. Chiavenato (2008) afirma que é prioridade hoje nas organizações o respeito pelas pessoas, pois para que se possa alcançar um alto nível de qualidade e produtividade, as

7 empresas precisam de seus colaboradores motivados, que executem ativamente suas funções e que sejam adequadamente recompensados por suas ações. Nesta mesma linha de pensamento Fernandes (1996, p.13) ressalta que a QVT, é considerada indispensável à produtividade e à competitividade, cruciais para toda e qualquer empresa e partindo desta convicção medir os níveis de satisfação dos empregados sobre suas condições de trabalho é também uma questão-chave para o sucesso empresarial. Diante de tal pressuposto, pode-se inferir que a competitividade organizacional está diretamente vinculada com a qualidade e a produtividade, e que sua essência está no capital humano, conseqüentemente, é preciso primar pela QVT, pois colaboradores felizes e satisfeitos produzem mais. Nöller (apud Chiavenato, 1999, p. 391) afirma: coloque os empregados em primeiro lugar e eles irão colocar os consumidores em primeiro lugar. Pode-se avaliar então, que ao investir nos colaboradores diretamente, indiretamente vai investir no seu cliente. Em virtude dos indivíduos não serem iguais em suas necessidades e satisfações, para que gestão possa ter Qualidade Total na organização, essa depende da otimização do potencial humano para ter reflexo direto sobre a QVT. Pode-se explanar então, se a qualidade do trabalho for positiva, essa trará benefícios construtivos de respeito e confiança mútua. França (1997, p. 80) afirma: Qualidade de vida no trabalho é o conjunto de ações de uma empresa que envolve a implantação de melhorias e inovações gerenciais e tecnológicas no ambiente de trabalho. A construção da qualidade de vida no trabalho ocorre a partir do momento em que se olha a empresa e as pessoas como um todo, o que chamamos de enfoque biopsicossocial. O posicionamento biopsicossocial representa o fator diferencial para a realização de diagnóstico, campanhas, criação de serviços e implantação de projetos voltados para a preservação e desenvolvimento das pessoas, durante o trabalho na empresa. É importante ressaltar, que um programa de qualidade de vida no trabalho possui o objetivo de gerar uma organização mais humanizada, tendo como foco o colaborador em relação ao seu comprometimento e desenvolvimento relacionado às atividades com que exerce, juntamente com o desenvolvimento pessoal do indivíduo, mas evidentemente que nem todos os problemas relacionados à produção na empresa, e nem toda a insatisfação do trabalhador está relacionada diretamente as ações organizacionais na qualidade de vida no trabalho Programas de bem-estar dos colaboradores São programas desenvolvidos de forma preventiva na empresa em relação a problemas de saúde de seus funcionários. As ações desses programas procuram melhorar o estilo de vida dos indivíduos fora do trabalho, encorajando-os a qualificar seu padrão de saúde. Pesquisas já comprovaram que esses programas podem diminuir os elevados custos relacionados à saúde. Possui basicamente três componentes. 1. ajudar o colaborador a identificar possíveis riscos à saúde; 2. informar e educar as pessoas em relação aos riscos de saúde, como pressão alta, fumo, obesidade, sedentarismo, estresse, entre outros; e 3. encorajar mudanças relacionadas ao estilo de vida de forma positiva, como boa alimentação, monitoramento da saúde, a importância de exercícios, do sono, entre outros. Desta forma, uma das funções sociais de uma organização é a de colaborar para o desenvolvimento das pessoas, tanto dentro como fora da empresa, tanto no fornecimento de

8 informações para que possa refletir sobre sua qualidade de vida, como para a sociedade em que o indivíduo está inserido. 3. ESTUDO DE CASO: INTROSPECÇÃO NA GESTÃO A organização pesquisada está atuando no mercado da grande Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina a mais de trinta anos. O objetivo de sua criação visava sanar uma lacuna no sistema de saúde da região em relação a compor uma alternativa entre o sistema de saúde particular e o previdenciário. Desde sua implantação esses sistema cresce e gera diferenciais competitivos no mercado regional e nacional. Cabe salientar que a organização é uma cooperativa estadual, na qual são utilizados métodos singulares de gestão, se comparadas às organizações do mesmo grupo localizadas em outros estados. Entretanto, apesar dessa individualidade, no tocante à gestão, esta unidade está interligada nacionalmente, seguindo normas norteadoras estabelecidas pela matriz localizada em São Paulo. Hoje a organização conta com aproximadamente 1600 médicos cooperados nas mais diversas áreas; 12 laboratórios cooperados e 30 credenciados; 29 hospitais credenciados e 8 cooperados; 25 clínicas cooperadas e 53 credenciadas; e dois núcleos de atenção à saúde, com o intuito de dar assistência de urgência e emergência 24h a seus clientes de forma eficiente e rápida. Sua área de abrangência compreende 21 municípios, com aproximadamente 65% da população em potencial como clientes ( clientes), ocupando dessa forma a liderança no mercado da saúde. A empresa pesquisada possui como missão, "promover saúde e qualidade de vida, buscando a satisfação dos clientes, cooperados e demais profissionais, com responsabilidade sócio-ambiental". Sua visão é "ser reconhecida como cooperativa de excelência e a melhor promotora de saúde e qualidade de vida". Por ter sua missão e visão bem definida, busca constantemente a eficiência e a eficácia em seus serviços, para que possa manter-se no mercado, na qual sofrem constantemente mudanças relacionadas à globalização, a tecnologia e a economia do país. Por estar diretamente relacionada à saúde, a organização patrocina alguns esportes e atletas da região, utilizando essa ação para reforçar sua imagem e aumentar o reconhecimento da organização perante seus clientes e cooperados através da associação direta a saúde e a qualidade de vida, na qual é sua visão. Possui uma política de qualidade "buscar a satisfação dos clientes através da melhoria contínua dos processos, oferecendo e administrando planos de saúde e serviços com qualidade". Dessa forma, em 2006 conquista a primeira certificação ISO 9001, que apresenta um padrão de requisitos para um Sistema de Gestão da Qualidade, objetivando o aumento da eficiência e eficácia em seus processos organizacionais, otimizando ações e gastos, sem refletir na satisfação de seus clientes, cooperados, colaboradores e fornecedores. Esta certificação é permanentemente atualizada, trazendo dessa forma um diferencial competitivo da organização em relação a seus clientes internos e externos através do padrão internacional da qualidade. A implementação de novos projetos sempre é precedida pela concepção de que, suas ações, devem ir ao encontro da satisfação dos clientes internos e externos. Os projetos da organização em relação à medicina preventiva possuem o intuito de despertar mudanças de hábitos e também de estilo de vida, por meio de programas de informação e atividade física, na busca da conscientização da prevenção de doenças e também na manutenção do estado de saúde do indivíduo. Alguns dos projetos que exercem:

9 programa de atividades físicas supervisionadas; programa de gerenciamento da saúde; programa de controle do tabagismo, que busca a conscientização do cliente da diminuição ou o abandono dessa ação; programa de apoio ao diabético, visando o monitoramento rotineiro e informações sobre a doença; curso para gestante, na qual orienta e informam a gestante sobre o desenvolvimento da gravidez, o parto, amamentação e cuidados necessários com o recém-nascido e cursos cíclicos com informações temáticas a saúde, como nutrição, saúde bucal, cuidados com os olhos em outros. Esses programas citados estão abertos para seus clientes externos e internos, mas como a organização exerce sua gestão voltada para a qualidade de vida, a instituição pesquisada também possui programas voltados para o bem-estar de seus colaboradores, tendo a preocupação de buscar a qualidade de vida no trabalho. Cita-se: Programa vida ligth engloba apoio psicológico ao colaborador (efetivos ou afastados), dando ênfase na reflexão pessoal e profissional, com o intuito de conscientização do papel do trabalhador na organização. Periodicidade em sessões de quick massage, promovendo aumentar a concentração e produtividade do indivíduo através do bem-estar mental e físico. Programa de monitoramento busca acompanhar os colaboradores que possuem doenças crônicas, gestação e consultas ginecológicas e urológicas. Programa de tabagismo e alcoolismo incentivar o colaborador a participar do programa de tabagismo oferecido também para seus clientes externos, objetivando o abando do cigarro. Em relação ao programa de alcoolismo, realizar palestras com o intuito de conscientização. Programa de apoio nutricional informar aos seus colaborados a importância de uma alimentação saudável, objetivando mudanças de hábitos alimentares. Em relação a alimentação, adota-se o dia da fruta, na qual a organização disponibiliza uma cesta com frutas variadas, e também o dia do suco. Atividades físicas conscientizar e estimular a atividade física através de parcerias com academias em administrar descontos aos colaboradores, ter o dia da escada e nos setores diariamente é realizada a ginástica laboral (quinze minutos em cada setor) Responsabilidade sócio-ambiental busca a conscientização do colaborador em obter um consumo de materiais de forma coerente. Programas como: adote uma caneca, minimizando o consumo de copos plásticos, campanhas solidárias com arrecadação de roupas, alimentos, entre outros. Empresa saudável desenvolve palestras trimestrais focadas nos temas de qualidade de vida, responsabilidade social e ambiental, segurança, entre outros. Essas palestras buscam proporcionar ao colaborador conhecimento e respeito à saúde. Neste contexto, os programas referentes à qualidade de vida no trabalho abordado nessa pesquisa, são projetos idealizados pela organização observada, na qual estão e serão implementados no decorrer de A organização entende que a melhor estratégia é a implantação passo a passo, permite que a ação gere, no seu devido tempo, o resultado esperado. CONSIDERAÇÕES FINAIS

10 Hoje, o capital humano é uma vantagem competitiva organizacional, nesse sentido, gerar as pessoas torna-se atividade de estratégia, se não de sobrevivência para as organizações, dado que o conhecimento, que é intangível, pertence aos indivíduos e pode explicitá-lo permanecendo tangível. Esse artigo teve como objetivo apresentar e avaliar a coesão da missão e visão organizacional pesquisada com a introspecção de sua gestão embasada teoricamente. A pesquisa evidenciou a preocupação da instituição no que diz respeito à qualidade de vida no trabalho, pois através de programas desenvolvidos pela organização, busca inovar, motivar e satisfazer as necessidades referentes à saúde do colaborador, propiciando seu bem-estar no ambiente de trabalho, refletindo diretamente sobre seu desempenho e seu protagonismo com relação à organização e seu bem estar social, o que se refere ao tema abordado. Diante de tal pressuposto, a organização pratica com excelência sua missão, dentro e fora da instituição, pois busca incessantemente inovar seus programas de acordo com as necessidades expostas na gestão, periodizando a identificação de possíveis riscos à saúde, informando e educando os indivíduos a buscarem mudanças de hábitos vivenciais priorizando o bem-estar e conscientizando a importância de cada um fazer a sua parte, no que diz respeito aos programas sócio-ambientais. Sendo assim, uma das funções sociais de uma organização é o de colaborar para o desenvolvimento das pessoas, tanto dentro como fora da empresa, através do fornecimento de informações para que possa refletir na qualidade de vida, tanto no trabalho, como para a sociedade em que o indivíduo está inserido. REFERÊNCIAS ARAUJO, Luis César G. de. Gestão de pessoas: estratégias e integração organizacional. São Paulo: Atlas, CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, CHIAVENATO, Idalberto; SAPIRO, Arão. Planejamento estratégico. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, DESSLER, Gary. Administração de recursos humanos. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, FERNANDES, Eda. Qualidade de vida no trabalho: como medir para melhorar. Salvador, BA: Casa da qualidade, FLEURY, M. T. L. (coord.). As pessoas na organização. São Paulo: Gente, FRANÇA, AC Limongi. Qualidade de vida no trabalho: conceitos, abordagens, inovações e desafios nas empresas brasileiras, Revista Brasileira de Medicina Psicossomática. Rio de janeiro, vol. 1, n. 2, p , abr./mai./jun GIL, Antonio Carlos. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, GIRARDI, Dante. Da seção de pessoal a gestão estratégica de pessoas: consultoria interna de recursos humanos. Florianópolis: Pandion, 2008.

11 OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Estratégia empresarial: uma abordagem empreendedora. São Paulo: Atlas, Planejamento estratégico: conceitos, metodologias e práticas. 13. ed. São Paulo: Atlas, PALADINI, Edson Pacheco. Gestão da qualidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, RIBEIRO, Antonio de Lima. Gestão de pessoas. São Paulo: Saraiva, STONER, James A. F.; FREEMAN, R. Edward. Administração. Rio de Janeiro: Prentice- Hall, WELCH, J. Paixão por Vencer. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, YIN, Robert K. Case study research - Design and Methods. Applied social research methods series, vol 5. Thousand Oaks, California: Sage Publications, 2003.

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO ISSN 1984-9354 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO JAQUELINE ARAUJO DOS SANTOS (LATEC / UFF) Resumo: Os temas relacionados à qualidade de vida no trabalho estão cada vez mais sendo objeto de estudo e presentes

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

SUBSISTEMAS DA GESTÃO DE

SUBSISTEMAS DA GESTÃO DE FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROJETO INTEGRADOR SUBSISTEMAS DA GESTÃO DE PESSOAS - MÓDULO II - GESTÃO DE PESSOAS DANIEL BOFF BORGES GOIÂNIA - NOVEMBRO 2015 Sumário

Leia mais

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES Aline Martins Mendes Luciano José Vieira Franco Luis Guilherme Esteves Leocádio Sônia Madali Bosêja

Leia mais

Ilmara de Jesus Oliveira 1, Cleide Ane Barbosa da Cruz 2

Ilmara de Jesus Oliveira 1, Cleide Ane Barbosa da Cruz 2 A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DO TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES Ilmara de Jesus Oliveira 1, Cleide Ane Barbosa da Cruz 2. O presente artigo apresenta os conhecimentos teóricos acerca da importância

Leia mais

Auditoria Interna na gestão de pessoas: identificação de pontos fortes e fracos na política de recursos humanos

Auditoria Interna na gestão de pessoas: identificação de pontos fortes e fracos na política de recursos humanos Auditoria Interna na gestão de pessoas: identificação de pontos fortes e fracos na política de recursos humanos Letícia Baggio (UTFPR) leticia@uniao.edu.br Isaura Alberton de Lima, Dra (UTFPR) alberton@utfpr.edu.br

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES THE IMPORTANCE OF PERSONNEL MANAGEMENTIN ORGANIZATIONS

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES THE IMPORTANCE OF PERSONNEL MANAGEMENTIN ORGANIZATIONS A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES THE IMPORTANCE OF PERSONNEL MANAGEMENTIN ORGANIZATIONS Lidiane Vieira 1 Nerci Maria Rezende Carvalho 2 Resumo Ao falar-se de Gestão de Pessoas nos deparamos

Leia mais

Palavras-Chave: Organizações, Colaboradores, Recursos, Gestão de Pessoas

Palavras-Chave: Organizações, Colaboradores, Recursos, Gestão de Pessoas DA ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS À GESTAO DE PESSOAS Josiane de C. Aparecida Lacerda 1, Renata Valentina Bigolotti 2, Nivaldo Carleto 3 1 Fatec-Taquaritinga. Gestão do Agronegócio. Taquaritinga-SP

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

CARGOS E SALARIOS COMO FERRAMENTA PARA ADMINISTRAÇÃO DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL E PROFISSIONAL NAS PEQUENAS EMPRESAS 1

CARGOS E SALARIOS COMO FERRAMENTA PARA ADMINISTRAÇÃO DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL E PROFISSIONAL NAS PEQUENAS EMPRESAS 1 CARGOS E SALARIOS COMO FERRAMENTA PARA ADMINISTRAÇÃO DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL E PROFISSIONAL NAS PEQUENAS EMPRESAS 1 GUALASSI, Rodrigo Junior 2 RESUMO: Cargos e Salários dentre suas definições pode

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 18/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira²

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE UM MELHOR APROVEITAMENTO DO GESTOR NA ORGANIZAÇÃO BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² RESUMO O mundo tem passado por constantes mudanças, que têm

Leia mais

O TRABALHO DE UMA PSICÓLOGA ORGANIZACIONAL COM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE. Eliane Pereira Messias¹; Sérgio Domingues²

O TRABALHO DE UMA PSICÓLOGA ORGANIZACIONAL COM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE. Eliane Pereira Messias¹; Sérgio Domingues² 439 O TRABALHO DE UMA PSICÓLOGA ORGANIZACIONAL COM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À UNIVERSIDADE Eliane Pereira Messias¹; Sérgio Domingues² Resumo: Este trabalho apresenta o resultado de uma entrevista realizada

Leia mais

GABARITO OFICIAL(preliminar)

GABARITO OFICIAL(preliminar) QUESTÃO RESPOSTA COMENTÁRIO E(OU) REMISSÃO LEGAL 051 A 052 A 053 A RECURSO Recrutar faz parte do processo de AGREGAR OU SUPRIR PESSOAS e é o ato de atrair candidatos para uma vaga (provisão). Treinar faz

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Recursos Humanos 2011-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Recursos Humanos 2011-1 ISSN 1982-1816. www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais. Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Recursos Humanos 2011-1 DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO LIDERANÇA AUTOCRÁTICA: O RELACIONAMENTO

Leia mais

MBA EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS

MBA EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS MBA EM DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS COM ÊNFASE EM COMPETÊNCIAS O programa irá capacitá-lo a interagir em um contexto empresarial de inúmeras transformações e mudanças, desenvolvendo competências para conhecer,

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME Felipe Barbetta Soares da Silva 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Qualidade de Vida no Trabalho O conceito de QVT é muito abrangente, e precisa ser definido com clareza, uma vez que as posições profissionais dos trabalhadores dentro de uma organização

Leia mais

TIPOS DE RECRUTAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA GESTÃO ADEQUADA DE PESSOAS APLICADAS A EMPRESAS.

TIPOS DE RECRUTAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA GESTÃO ADEQUADA DE PESSOAS APLICADAS A EMPRESAS. TIPOS DE RECRUTAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA GESTÃO ADEQUADA DE PESSOAS APLICADAS A EMPRESAS. MICHEL, Murillo Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias murillo@faef.br RESUMO O presente

Leia mais

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral.

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral. Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos *Operários (1933) Tarsila do Amaral. A Função Administrativa RH É uma função administrativa compreendida por um conjunto de

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas

Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas Revista Eletrônica Sistemas & Gestão 4 (2) 136-154 Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Gestão, TEP/TCE/CTC/PROPP/UFF Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas

Leia mais

TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL.

TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL. TREINAMENTO COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA O CRESCIMENTO ORGANIZACIONAL. André Murilo de Souza Cavalcante Resumo: Este artigo estuda as etapas do treinamento e suas características, Desta maneira, o

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Clima organizacional e o desempenho das empresas

Clima organizacional e o desempenho das empresas Clima organizacional e o desempenho das empresas Juliana Sevilha Gonçalves de Oliveira (UNIP/FÊNIX/UNESP) - jsgo74@uol.com.br Mauro Campello (MC Serviços e Treinamento) - mcampello@yahoo.com Resumo Com

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

CATEGORIA: ADESÃO DOS COLABORADORES

CATEGORIA: ADESÃO DOS COLABORADORES EXPRESSO GUANABARA S/A - CNPJ: 41.550.112/0001-01 END. ROD BR 116 KM 04 N 700 MESSEJANA FORTALEZA/CE CATEGORIA: ADESÃO DOS COLABORADORES 2011 BOAS PRÁTICAS: ADESÃO DOS COLABORADORES AOS SEUS VALORES E

Leia mais

MBA Executivo em Gestão de Pessoas

MBA Executivo em Gestão de Pessoas ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Gestão de Pessoas www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX: (11) 3711-1000 MBA

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES. CARDOSO, Sandra Regina 1. BERVIQUE, Janete de Aguirre 2

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES. CARDOSO, Sandra Regina 1. BERVIQUE, Janete de Aguirre 2 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: O DESAFIO DAS ORGANIZAÇÕES CARDOSO, Sandra Regina 1 BERVIQUE, Janete de Aguirre 2 RESUMO Este artigo tem por finalidade apresentar fatores que influenciam na qualidade de

Leia mais

Processos de Recursos Humanos

Processos de Recursos Humanos Gestão Integrada RH Recursos Humanos Unida 2 Rosemeri da Silva Paixão Recursos Humanos 28 Gestão Integrada RH Sumário Introdução... 30 Objetivos... 31 Estrutura da Unida... 31 UNIDADE 2: Recursos Humanos

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 2 Professora: Zeila Susan Keli Silva 2º semestre 2012 1 Contexto Economia globalizada; Mudanças contextuais; Alto nível de complexidade do ambiente; Descoberta da ineficiência dos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

DA ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS À GESTÃO DE PESSOAS: INTEGRAÇÃO À ESTRATÉGIA PARA GARANTIR O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL DA ORGANIZAÇÃO

DA ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS À GESTÃO DE PESSOAS: INTEGRAÇÃO À ESTRATÉGIA PARA GARANTIR O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL DA ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS À GESTÃO DE PESSOAS: INTEGRAÇÃO À ESTRATÉGIA PARA GARANTIR O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL DA ORGANIZAÇÃO Shirlei Andréa Guedes Dantas Araújo Santos (Faculdade do Sul-Unime)

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Políticas de Gestão de Pessoas do Ibama COMISSÃO PORTARIA Nº 248/07 P

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Políticas de Gestão de Pessoas do Ibama COMISSÃO PORTARIA Nº 248/07 P INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Políticas de Gestão de Pessoas do Ibama COMISSÃO PORTARIA Nº 248/07 P Deliberações Resumo 1ª reunião: papéis, procedimentos gerais

Leia mais

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. BARBOSA, Roger Eduardo 1 Resumo Neste artigo analisaremos como o planejamento estratégico na gestão de pessoas nas

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

Omega Tecnologia. Vencedora Nacional do MPE Brasil Categoria: Serviços de TI

Omega Tecnologia. Vencedora Nacional do MPE Brasil Categoria: Serviços de TI Omega Tecnologia Vencedora Nacional do MPE Brasil Categoria: Serviços de TI Quem Somos Somos uma empresa especializada em serviços e soluções de TI e Telecom. A busca permanente da inovação, o compromisso

Leia mais

Política Corporativa Setembro 2012. Política de Recursos Humanos da Nestlé

Política Corporativa Setembro 2012. Política de Recursos Humanos da Nestlé Política Corporativa Setembro 2012 Política de Recursos Humanos da Nestlé Autoria/Departamento Emissor Recursos Humanos Público-Alvo Todos os Colaboradores Aprovação Concelho Executivo, Nestlé S.A. Repositório

Leia mais

CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management

CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management CRA-SP Centro do Conhecimento O Administrador Premium e Soluções Lucrativas Exigem Falling Walls in Management Profº Walter Lerner lernerwl@terra.com.br Filme 7 CONTEXTUALIZAÇÃO da ADM e do Administrador

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Osmar Mendes 1 Gilberto Raiser 2 RESUMO Elaborar uma proposta de planejamento estratégico é uma forma de criar um bom diferencial competitivo, pois apresenta para a organização

Leia mais

um RH estratégico para hoje e para o futuro Construindo

um RH estratégico para hoje e para o futuro Construindo Construindo um RH estratégico para hoje e para o futuro ado o crescente foco executivo no capital humano, o RH tem uma oportunidade sem precedentes de se posicionar como um verdadeiro parceiro estratégico

Leia mais

A gestão de pessoas como estratégia organizacional. Resumo

A gestão de pessoas como estratégia organizacional. Resumo A gestão de pessoas como estratégia organizacional Profa. Mariana Pessoas Mascarenhas Natália Luize Pereira da Conceição Patrícia da Cunha Oliveira Faria Raquel Aparecida Silva Resende Roberta Ferreira

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 14: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E RELAÇÕES SINDICAIS 14.1 O processo de segurança e qualidade de vida O processo de segurança é o que visa estabelecer disciplina e segurança,

Leia mais

O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE SILVICULTURA

O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE SILVICULTURA O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE SILVICULTURA Flávia Regina Graciano; Lucimara Araújo; Priscila Siqueira Campos; Sabrina Eduarda Mendes Magalhães; Tathiane Mendes Barbosa;

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

A importância do RH na empresa

A importância do RH na empresa A importância do RH na empresa O modo pelo qual seus funcionários se sentem é o modo pelo qual os seus clientes irão se sentir." Karl Albrecht Infelizmente, muitas empresas ainda simplificam o RH à função

Leia mais

Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua.

Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua. Identificação da empresa: Viação Santa Cruz S/A Identificação da Experiência: Gestão do Clima Organizacional Processo A Palavra é Sua. Data: Implantação em 2009 aos dias atuais Categoria: Adesão dos Colaboradores

Leia mais

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL

ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL Antonia Maria Gimenes 1, Renato Nogueira Perez Avila 2 Cleiton Riz Aleixo 3, Jakeline da Silva 4 Thayane C. Anjos Afonso 5 RESUMO Este estudo

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

Qual o papel do RH nos processos de mudança de cultura organizacional

Qual o papel do RH nos processos de mudança de cultura organizacional 9115 Qual o papel do RH nos processos de mudança de cultura organizacional 20 de Outubro, 2011 2011 Accenture. Todos os direitos reservados. Accenture, seu logo e High performance. Delivered. são marcas

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS RECURSOS HUMANOS

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS RECURSOS HUMANOS COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS RECURSOS HUMANOS DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Política de Gestão de Pessoas

Política de Gestão de Pessoas julho 2010 5 1. Política No Sistema Eletrobras, as pessoas são agentes e beneficiárias do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade empresarial.

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br BENEFÍCIOS SOCIAIS: um modelo para retenção de talentos Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br Introdução Este artigo aborda

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381 GESTÃO DE PESSOAS APLICADA ÀS UNIDADES DE INFORMAÇÃO 1 Mailza Paulino de Brito e Silva Souza 2 Sandra Pontual da Silva 3 Sara Sunaria Almeida da Silva Xavier 4 Orientadora: Profª M.Sc. Luciana Moreira

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS APRESENTAÇÃO O curso de especialização Gestão de Pessoas tem por meta desenvolver gestores para atuarem em empresas que estejam inseridas no processo de globalização

Leia mais

TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO (QVT): ESTUDO DE CASO EM UMA CONCESSIONÁRIA DE MOTOS EM JALES-SP CATEGORIA: CONCLUÍDO

TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO (QVT): ESTUDO DE CASO EM UMA CONCESSIONÁRIA DE MOTOS EM JALES-SP CATEGORIA: CONCLUÍDO TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO (QVT): ESTUDO DE CASO EM UMA CONCESSIONÁRIA DE MOTOS EM JALES-SP CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Qualidade de Vida no Trabalho e Satisfação: um Estudo de Caso no Setor de Transporte Coletivo Urbano

Qualidade de Vida no Trabalho e Satisfação: um Estudo de Caso no Setor de Transporte Coletivo Urbano Qualidade de Vida no Trabalho e Satisfação: um Estudo de Caso no Setor de Transporte Coletivo Urbano Renata Edvânia Costa Gouveia UFCG renata_gouveia@hotmail.com Kliver Lamarthine Alves Confessor UFPB

Leia mais

LABORE Laboratório de Estudos Contemporâneos POLÊM!CA Revista Eletrônica A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO - QVT E SUA INFLUÊNCIA NA VIDA DOS BANCÁRIOS

LABORE Laboratório de Estudos Contemporâneos POLÊM!CA Revista Eletrônica A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO - QVT E SUA INFLUÊNCIA NA VIDA DOS BANCÁRIOS 74 A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO - QVT E SUA INFLUÊNCIA NA VIDA DOS BANCÁRIOS DANNYEL VIANA RANGEL DUARTE Graduando em Administração da Unisuam. ELAINE CAVALCANTE PEIXOTO BORIN Professora Adjunta da

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Administração de Recursos Humanos

Administração de Recursos Humanos Administração de Recursos Humanos Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame O que é a Administração de Recursos Humanos? Refere-se às práticas e às políticas necessárias para conduzir os aspectos relacionados

Leia mais

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização NOSSO OBJETIVO GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Oferecer soluções viáveis em tempo hábil e com qualidade. Essa é a receita que a

Leia mais

RECURSOS HUMANOS EMENTAS DO CURSO 1º P TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA COMPLEMENTOS DE MATEMÁTICA PARA CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO

RECURSOS HUMANOS EMENTAS DO CURSO 1º P TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA COMPLEMENTOS DE MATEMÁTICA PARA CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO RECURSOS HUMANOS EMENTAS DO CURSO 1º P TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA Técnicas de leitura, interpretação e produção de textos, expressão oral e apresentação de trabalhos acadêmicos, argumentação

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

Captação, Seleção. e Acompanhamento PROCESSO DE COMPARAÇÃO, DECISÃO E ESCOLHA O CONTEXTO DE SELEÇÃO DE PESSOAS E MAIS...

Captação, Seleção. e Acompanhamento PROCESSO DE COMPARAÇÃO, DECISÃO E ESCOLHA O CONTEXTO DE SELEÇÃO DE PESSOAS E MAIS... Captação, Seleção e Acompanhamento O CONTEXTO DE SELEÇÃO DE PESSOAS PROCESSO DE COMPARAÇÃO, DECISÃO E ESCOLHA E MAIS... O PROCESSO DE SELEÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES Prof. Victor Andrey Barcala Peixoto

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO Política de SEGURANÇA Política de SEGURANÇA A visão do Grupo Volvo é tornar-se líder

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

8º Forum de Saúde e Segurança do Trabalho. FEBRABAN

8º Forum de Saúde e Segurança do Trabalho. FEBRABAN 8º Forum de Saúde e Segurança do Trabalho. FEBRABAN Cultura de Saúde e Segurança no Trabalho: da Norma para o Valor Volvo do Brasil Quais os Valores e Práticas em Saúde e Segurança do Trabalho que asseguram

Leia mais

Orçamento de Pessoal Aula 1 25-04-2012

Orçamento de Pessoal Aula 1 25-04-2012 Orçamento de Pessoal Aula 1 25-04-2012 Prof. Procópio Aula 25-04-2012 Quem sou Eu? Breve Programa do Curso Bibliografia Básica Sistema de Aulas Sistema de Avaliações Contatos do Professor Apresentação

Leia mais

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Trabalho de Gestão de Pessoas Alunos: Nilce Faleiro Machado Goiânia,4 de dezembro de 2015 1 Sumário Capa...1 Sumário...2 Introdução...3

Leia mais

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos As organizações em torno do mundo estão implantando processos e disciplinas formais

Leia mais

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 AGENDA 1. Posicionando a Remuneração e Reconhecimento 2. Tendências e impactos na Gestão 3. Melhores Práticas:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

PT03 - Qualidade de vida no trabalho (QVT)

PT03 - Qualidade de vida no trabalho (QVT) PT03 - Qualidade de vida no trabalho (QVT) BIBLIOGRAFIA Oliveira, Aristeu de. Manual de Salários e Benefícios. 1. ed. São Paulo : Atlas, 2006. Cap. 20 pág. 71 a 73. MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Teoria

Leia mais

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAL: PERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS 2012 Graduando em Psicologia na Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil adauto_montenegro@hotmail.com

Leia mais

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações O RH nesses 20 anos Tático, político e de políticas Desdobrador da estratégia Influenciador da estratégia e da operação Consultor e assessor para

Leia mais

Desenvolvimento de pessoas.

Desenvolvimento de pessoas. Desenvolvimento de pessoas. 2.2 FORMULAÇÃO DE UM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Gestão de Pessoas (Antonio Carlos Gil) e Gestão de Pessoas (Idalberto Chiavenato) "Se ensinardes alguma coisa a um

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Objetivos da aula: Nesta aula o objetivo será Apresentar uma visão diferenciada sobre como as ações integradas de planejamento estratégico de Recursos Humanos (RH)

Leia mais