INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2009.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2009."

Transcrição

1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE Estabelece as normas de utilização dos meios de comunicação telefônica fixa e móvel, no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL ANAC, no exercício das atribuições que lhe conferem o art. 16 da Lei nº , de 27 de setembro de 2005, o inciso II do art. 35 do Regulamento, aprovado pelo Decreto nº 5.731, de 20 de março de 2006, e o inciso II do art. 10 do Regimento Interno, aprovado pela Resolução nº 71, de 23 de janeiro de 2009, RESOLVE: Art. 1º Regulamentar a utilização dos meios de comunicação telefônica fixa e móvel, no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil ANAC, de acordo com as diretrizes desta Instrução Normativa. CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES definições: Art. 2º Para efeitos desta Instrução Normativa foram adotadas as seguintes I Discagem Direta a Distância DDD: ligações de longa distância (interurbanas) efetuadas mediante discagem direta do número desejado, precedida do código da operadora contratada e do código da localidade pretendida. II Discagem Direta Internacional DDI: ligações efetuadas para outros países mediante discagem direta do número desejado, precedida do código da operadora contratada e do código da localidade pretendida. III Roaming: serviço que permite fazer ou receber ligações em localidades fora da área de registro do aparelho móvel celular. CAPÍTULO II DOS SERVIÇOS DE TELEFONIA FIXA Art. 3º Os usuários são responsáveis pelas ligações telefônicas realizadas nos aparelhos telefônicos disponibilizados para sua respectiva utilização.

2 Art. 4º A solicitação de quaisquer serviços de telefonia fixa, tais como: instalação, transferência, mudança de número e desativação de ramal, deverá ser efetivada junto à Superintendência de Administração e Finanças SAF, por meio de memorando dirigido à Gerência Técnica de Recursos Logísticos GTRL. Parágrafo único. A SAF manterá registro e controle de linhas, linhas-tronco e extensões, bem como da distribuição dos respectivos aparelhos, quanto à localização física, Unidade ou Subunidade responsável. Art. 5º A liberação para utilização de aparelhos fixos nas ligações particulares de longa distância DDD e DDI somente será autorizada com prévia anuência do responsável que controlará as ligações realizadas devendo a despesa ser ressarcida com posterior identificação na fatura do gasto realizado pelo usuário. CAPÍTULO III DOS SERVIÇOS DE TELEFONIA MÓVEL CELULAR Art. 6º Os aparelhos telefônicos móveis celulares destinam-se ao uso exclusivo de assuntos de interesse do serviço público, sendo de uso pessoal e exclusivo do servidor que possui a guarda, nos termos desta Instrução Normativa. temporário. Parágrafo único. A utilização de telefonia móvel pode ter caráter contínuo ou Art. 7º O telefone móvel celular de uso contínuo será concedido ao servidor nomeado para exercer os Cargos Comissionados Níveis CD I, CD II, CGE I, CGE II, CGE III, CGE IV, CA I, CA II, para realização de ligações nacionais e internacionais. Parágrafo único. O serviço de roaming internacional é restrito ao Diretor- Presidente, aos Diretores e aos Superintendentes, ou aos servidores por eles formalmente indicados. Art. 8º O usuário detentor de aparelho celular de uso contínuo, quando desligado ou exonerado do cargo comissionado na ANAC, deverá restituir o aparelho e os acessórios à SAF, para baixa de sua responsabilidade. Parágrafo único. A Gerência de Gestão de Pessoas GGEP informará à GTRL a exoneração do ocupante de cargo comissionado, quando do encaminhamento do ato à Assessoria Técnica para publicação. Art. 9º Os motoristas dos veículos oficiais da ANAC podem ser usuários de celulares de uso contínuo, mediante solicitação da autoridade a que estão vinculados. Art. 10. Os servidores ocupantes dos cargos comissionados não previstos no art. 7º podem dispor de aparelhos celulares de caráter contínuo ou temporário, desde que exerçam atividades que requeira o uso do telefone móvel, mediante solicitação do Dirigente da Unidade, com a respectiva justificativa. Art. 11. Os telefones celulares de uso temporário podem ser destinados a servidores, em caráter eventual, para o desempenho de missões que, a critério do Dirigente da Unidade, exijam sua utilização, ficando estes aparelhos alocados à SAF.

3 Art. 12. A solicitação de aparelhos telefônicos celulares deve ser feita por intermédio de memorando encaminhado à SAF, devidamente assinado pelo titular da Unidade de lotação do usuário, com as devidas justificativas. 1º Para os usuários previstos no art. 7º, deverá ser encaminhada cópia da publicação da portaria de nomeação e do número do CPF do usuário. 2º Para os demais usuários de aparelhos celulares, o memorando deve ser encaminhado com antecedência mínima de 03 (três) dias úteis da utilização, com a respectiva justificativa, o nome do usuário, o CPF e o cargo ocupado na ANAC. 3º Aos usuários de aparelhos celulares de uso temporário, deverá ser informado, ainda, o período de utilização (especificando a data do início e do término da viagem), além do local de destino. 4º A solicitação de telefone móvel celular para uso temporário em viagens ou eventos internacionais deverá ser efetuada em conformidade com o disposto no 2º e 3º deste artigo, com antecedência mínima de 05 (cinco) dias úteis do início da viagem. Art. 13. A devolução do aparelho deve ocorrer nas mesmas condições do recebimento, para baixa no Termo de Responsabilidade e Cautela, no prazo máximo de 5 (cinco) dias úteis do término da viagem ou evento, sendo atribuído ao responsável o ônus sobre possíveis danos causados por mau uso ou uso inadequado do aparelho e dos serviços de telefonia móvel. Art. 14. No ato do recebimento do telefone móvel celular para uso contínuo ou temporário, bem como dos respectivos acessórios, o usuário deverá assinar o Termo de Responsabilidade e Cautela, conforme modelo constante no Anexo A. Art. 15. Os valores máximos de despesas mensais com telefonia móvel celular de uso contínuo, excluindo-se o valor da taxa correspondente à assinatura básica, serão custeados pela ANAC nos limites estabelecidos no Anexo B desta Instrução Normativa. 1º Os valores que excederem aos limites deverão ser ressarcidos à ANAC pelos usuários que os originaram, salvo se devidamente justificado que foram em objeto de serviço, mediante a concordância da chefia imediata. 2º Cabe ao Superintendente de Administração e Finanças proceder à atualização dos limites estabelecidos, sempre que necessário. 3º Os gastos mensais dos aparelhos de telefonia móvel celular de uso contínuo que não atingirem os limites estabelecidos, não serão cumulativos. Art. 16. Os substitutos legais dos titulares dos cargos de CGE I, CGE II, CGE III e CGE IV somente farão jus ao limite quando comprovados os afastamentos regulamentares do respectivo titular. Art. 17. Os usuários de aparelhos de telefonia celular devem observar as recomendações dos manuais de utilização dos respectivos equipamentos e acessórios, bem como as normas técnicas das concessionárias, principalmente aquelas que propiciem maior economia na sua utilização.

4 CAPÍTULO IV DAS RESPONSABILIDADES Art. 18. Os aparelhos, equipamentos e demais acessórios de comunicação que integram o serviço de telecomunicação da ANAC são objetos de controle patrimonial, ficando o usuário no ato do recebimento ou da instalação com a responsabilidade pelo uso e guarda, cabendo-lhe indenizar a Agência em caso de uso indevido, extravio, quebra ou eventual dano, após apuração, conforme dispuser a legislação pertinente. Art. 19. A SAF é responsável pela gestão dos serviços de telefonia móvel e pela fiscalização do respectivo contrato. 1º A Gerência de Administração no Rio de Janeiro e a Superintendência de Aeronavegabilidade em São José dos Campos, indicarão dois servidores, na qualidade de titular e substituto, para atuarem como representantes junto à SAF. 2º Aos representantes referidos no parágrafo anterior incumbe: I - encaminhar, mensalmente, aos usuários, as respectivas contas, procedendo à conferência e identificação das ligações efetuadas a serviço e as de caráter particular; II - receber e atestar as faturas referentes às linhas telefônicas de uso em cada localidade; III - controlar os gastos telefônicos, os comprovantes de pagamento emitidos pelos usuários dos aparelhos e providenciar o ressarcimento nos casos previstos no Capítulo V; IV - receber, guardar e distribuir os aparelhos, no âmbito das Unidades referidas no 1º; V - entrar em contato com a operadora de telecomunicações para atender às solicitações de serviços feitas pelos usuários em cada localidade; VI - enviar as contas devidamente atestadas à SAF; VII - acompanhar no Diário Oficial da União, e por intermédio da GGEP, as nomeações, exonerações, afastamentos e desligamentos de servidores detentores de aparelhos celulares na localidade; VIII - informar à GGEP os débitos existentes em nome de servidor detentor de aparelho celular que tenha sido destituído ou exonerado; IX - fazer cumprir o disposto nesta Instrução Normativa e outras responsabilidades que lhe venham a ser atribuídas pela SAF. Art. 20. Nos casos de perda, furto, roubo ou extravio, o usuário deverá solicitar, imediatamente, o bloqueio do telefone, uma vez que é responsável por todos os débitos que incidam no seu telefone celular, até que a concessionária/permissionária seja notificada. Parágrafo único. Nas situações previstas neste artigo, os usuários com exercício em Brasília deverão informar à GTRL e nas demais localidades aos representantes previstos no lº do art. 19. Art. 21. No caso de furto ou roubo, o usuário deverá registrar o Termo Circunstanciado de Ocorrência TCO, na localidade em que tenha ocorrido o fato e comunicar imediatamente à SAF, anexando cópia da ocorrência. Art. 22. Comprovada a responsabilidade nos casos de extravio, perda ou danos por má utilização, o usuário deverá repor o aparelho recebido.

5 Art. 23. Cabe à SAF verificar as condições de uso e de conservação dos aparelhos e registrar eventual ocorrência por ocasião do seu recebimento, tomando as providências cabíveis, quando for o caso. Parágrafo único. Se houver danos ao aparelho, o usuário deverá reparar o dano, às suas expensas. Art. 24. É vedada a transferência de uso do aparelho celular a terceiros, sendo atribuído ao responsável o ônus sobre danos causados por uso inadequado. CAPÍTULO V DO RESSARCIMENTO Art. 25. As despesas com ligações DDD e DDI, inclusive para aparelho móvel celular, realizadas em caráter particular, bem como os valores das contas de telefones celulares que excederem os limites estipulados no art. 15 desta Instrução Normativa serão ressarcidas pelo usuário que as originaram utilizando o formulário GRU Simples, mediante o Código de Receita de número (Ressarcimento de Ligações Telefônicas), que se encontra disponível para preenchimento no sítio da ANAC, no endereço eletrônico ou na intranet, em Serviços/GRU. Parágrafo único. Os valores excedentes deverão ser recolhidos no prazo máximo de 03 (três) dias após o atesto da fatura, devendo a cópia do comprovante de recolhimento, no prazo de até 05 (cinco) dias da liquidação, ser anexada à correspondente fatura e restituída à SAF, para controle e comprovação do ressarcimento. Art. 26. A Gerência Técnica de Recursos Logísticos GTRL da SAF deverá encaminhar às Unidades, mensalmente, as cópias das faturas relativas à linha direta e aparelhos móveis celulares, para fins de atesto pelos usuários. lº As cópias das faturas deverão ser devolvidas pelas Unidades à GTRL, devidamente atestadas e acompanhadas, se for o caso, de relatório de ocorrência quanto à qualidade da prestação dos serviços pelas concessionárias contratadas. 2º O não-encaminhamento das cópias das faturas atestadas à GTRL, até a emissão da fatura do mês subseqüente, resultará na suspensão do direito de utilização do serviço celular. CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 27. É vedada a utilização das linhas telefônicas fixa e móvel, sob pena de ressarcimento por parte do usuário responsável pela linha para: I recebimento de ligações e mensagens a cobrar, sejam elas locais ou interurbanas, exceto quando previamente autorizadas pelo dirigente da Unidade; II acesso aos serviços especiais tarifados pela concessionária/permissionária local, salvo quando em objeto de serviço; III transmissão de telegrama e anúncio fonado, ressalvados aqueles objeto de serviço, devidamente autorizado pelo dirigente da Unidade.

6 Art. 28. As despesas decorrentes de acesso à internet por meio da telefonia móvel que não sejam de interesse da ANAC deverão ser ressarcidas pelos usuários. Art. 29. As ligações de DDD e DDI devem ser realizadas, obrigatoriamente, por intermédio das operadoras contratadas por meio de processo licitatório. Parágrafo único. A SAF informará o prefixo da operadora que deverá ser utilizado nas chamadas de longa distância, tanto para a telefonia fixa quanto para o móvel. Art. 30. Caso seja verificada chamada de longa distância sem que tenha sido utilizado o prefixo da operadora informado pela SAF, o valor das despesas e taxas geradas deverão ser pagas pelo usuário. Art. 31. Os equipamentos de fac-símile instalados nas unidades da ANAC devem ser utilizados única e exclusivamente no interesse da Autarquia para transmissão de documentos oficiais urgentes que devam chegar ao conhecimento do destinatário no mesmo dia. Parágrafo único. Os aparelhos de fac-símile não devem ser utilizados como substituto a equipamento de reprografia. Art. 32. A SAF é responsável pela administração dos aparelhos celulares, respeitadas as orientações contidas nesta Instrução Normativa. Parágrafo único. A SAF encaminhará mensalmente a conta ao respectivo usuário, cabendo-lhe proceder à conferência e identificação das ligações efetuadas a serviço e as de caráter particular. Art. 33. Os casos omissos serão decididos pelo Superintendente de Administração e Finanças. Art. 34. Fica revogada a Instrução Normativa nº 12, de 24 de setembro de 2008, publicada no Boletim de Pessoal e Serviço nº 39, de 26 de setembro de SOLANGE PAIVA VIEIRA Diretora-Presidente

7 ANEXO A Superintendência de Administração e Finanças Gerência Técnica de Recursos Logísticos TERMO DE RESPONSABILIDADE E CAUTELA REFERÊNCIA: Aparelho Celular de uso funcional MARCA: Nº DA LINHA: Nº DE SÉRIE: ACESSÓRIOS: Por este Termo de Responsabilidade e Cautela responsabilizo-me pela guarda e posse do bem relacionado, respondendo perante a operadora em caso de furto, roubo, extravio ou semelhante, bem como pela má utilização ou qualquer dano causado ao bem, comprometendo-me a ressarcir um aparelho igual ou de valor equivalente, na ocorrência de qualquer um dos eventos referidos. Comprometo-me, ainda, utilizá-lo de forma estritamente funcional, no período em que exercer funções no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil ANAC, obrigando-me a devolvê-lo em perfeito estado de conservação em caso de exoneração ou a pedido da Autoridade Responsável. Estou ciente que as ligações de longas distâncias (DDD/DDI) efetuadas nesta linha móvel deverão ser realizadas somente pela operadora com a qual a ANAC possui contrato (código ). Nestes termos, e após conferir e achar de acordo, declaro que recebi o bem relacionado e que o mesmo encontra-se em perfeita condição de uso: Localidade, de de 200. NOME DO USUÁRIO CPF: DEVOLUÇÃO Atesto que o aparelho foi devolvido em / /, nas seguintes condições: ( ) Em perfeito estado ( ) Apresentando defeito Responsável pelo recebimento Matrícula Nº

8 ANEXO B VALORES MÁXIMOS DE DESPESAS MENSAIS COM TELEFONIA MÓVEL CELULAR CARGO CÓDIGO VALOR Diretor-Presidente CD I Isento Diretor CD II Isento Superintendente CGE I Até R$ 500,00 Chefe de Gabinete Gerente Geral Procurador Corregedor Ouvidor Chefe de Assessoria / Gerente Assessor Especial Assessor Técnico CGE II CGE III CA I CA II Até R$ 400,00 Gerente Técnico CGE IV Até R$ 200,00 Usuário Temporário Situações Excepcionais (art. 10) - Até R$ 100,00 Motorista - Até R$ 50,00

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre normas de utilização dos meios de comunicação telefônica móvel e fixa da Agência Nacional de Aviação

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003, DE 16 DE MARÇO 2007.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003, DE 16 DE MARÇO 2007. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003, DE 16 DE MARÇO 2007. Dispõe sobre normas de utilização dos meios de comunicação telefônica móvel e fixa da Agência Nacional de Aviação Civil

Leia mais

NORMA DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO COMUNICAÇÃO NOR 203

NORMA DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO COMUNICAÇÃO NOR 203 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO COD. 200 ASSUNTO: UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO COMUNICAÇÃO COD: NOR 203 APROVAÇÃO: REDIR nº 14/2009, de 16/11/2009 NORMA DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10/2003

RESOLUÇÃO Nº 10/2003 RESOLUÇÃO Nº 10/2003 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Viçosa, órgão superior de administração, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de otimizar a gestão do sistema

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSG 001/2011. Sistema Serviços Gerais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSG 001/2011. Sistema Serviços Gerais INSTRUÇÃO NORMATIVA SSG 001/2011 Versão: 01 Aprovação em: 10/10/2011 Unidade Responsável: Coordenadoria de Administração - CAD SSG: Sistema Serviços Gerais I FINALIDADE Dispor sobre as normas e procedimentos

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INSTRUÇÃO DE SERVIÇO/DG N 08, DE 15 DE JUNHO DE 2009

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INSTRUÇÃO DE SERVIÇO/DG N 08, DE 15 DE JUNHO DE 2009 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INSTRUÇÃO DE SERVIÇO/DG N 08, DE 15 DE JUNHO DE 2009 O DIRETOR GERAL do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA Resolução nº 1.839, de 26 de novembro de 2010. Disciplina o uso e responsabilidade dos equipamentos de telefonia móvel no âmbito do Conselho Federal de Economia. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 006/2011-UNEMAT

INSTRUÇÃO NORMATIVA 006/2011-UNEMAT INSTRUÇÃO NORMATIVA 006/2011-UNEMAT Dispõe sobre a guarda e utilização dos aparelhos e linhas de telefonia móvel no âmbito da Universidade do Estado de Mato Grosso CONSIDERANDO a autonomia administrativa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 1º/12/2009. RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e de comunicação móvel do Supremo Tribunal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008

RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008 RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e móvel celular do Supremo Tribunal Federal O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA PORTARIA Nº 969, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015. Regulamenta a utilização, manutenção e controle do sistema de telefonia fixa, móvel e de Voz sobre

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 101, DE 04 DE AGOSTO DE 2014

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 101, DE 04 DE AGOSTO DE 2014 AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 101, DE 04 DE AGOSTO DE 2014 PUBLICADA NO DODF Nº 159 DE 06 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º783/2007. (publicada no DOE nº 194, de 11 de outubro de 2007) Define as políticas para o uso

Leia mais

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página NAD NO. 001/09 12 08/07/2014 1 de 9 Elaboração: Audrey A. Appendino

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça Vide Instrução Normativa STJ/GDG n. 26 de 18 de dezembro de 2015 (Alteração = art. 12) RESOLUÇÃO STJ N. 2 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015. Dispõe sobre os serviços de telecomunicações do Superior Tribunal de

Leia mais

LEGISLAÇÃO CORRELATADA

LEGISLAÇÃO CORRELATADA LEGISLAÇÃO CORRELATADA DECRETO 3.984 de 11 de março de 2008 Define Políticas de Gestão para utilização do serviço telefônico fixo comutado (STFC) e do serviço móvel pessoal (SMP) pelos Órgãos da Administração

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 DIÁRIO OFICIAL Nº. 31389 de 31/03/2009 GABINETE DA GOVERNADORA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 /2009. Dispõe sobre a utilização, o registro e o controle dos telefones móveis pertencentes

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE CLÁUDIA CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE CLÁUDIA CONTROLE INTERNO 1/5 1) FINALIDADE: 1.1) Estabelecer rotinas para utilização e controle dos meios de comunicação de telefonia móvel e fixa no âmbito do Serviço Público do Município de Cláudia/MT. 2) ABRANGÊNCIA: 2.1) Abrange

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.º 88 DE 26 DE OUTUBRO DE 2010.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.º 88 DE 26 DE OUTUBRO DE 2010. PORTARIA CNMP-PRESI N.º 88 DE 26 DE OUTUBRO DE 2010. Regulamenta a utilização, manutenção e controle do Sistema de Telefonia fixa e móvel, no âmbito do Conselho Nacional do Ministério Público. O PRESIDENTE

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 29 DE OUTUBRO DE 2010. Dispõe sobre a jornada de trabalho, o registro e o controle da frequência dos servidores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 Publicada no Boletim de Serviço nº 12, de 7 dez. 2011, p. 7-11 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 129, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o funcionamento da Biblioteca Ministro Victor Nunes Leal do Supremo Tribunal

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO BOLETIM

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO

GABINETE DO MINISTRO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 265, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2001 O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso de suas atribuições, e considerando o disposto no art. 8º do Decreto nº

Leia mais

Considerando que: a) A UNAFISCO NACIONAL firmou com a TIM Celular contrato de Prestação do Serviço Móvel Pessoal (SMP);

Considerando que: a) A UNAFISCO NACIONAL firmou com a TIM Celular contrato de Prestação do Serviço Móvel Pessoal (SMP); Nº Do contrato: Fone: ( ) IMEI: * *A ser preenchido pela associação. INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE COMODATO DE APARELHO CELULAR E DE CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL E CONTRATAÇÃO DE

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Cartão de crédito corporativo

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Cartão de crédito corporativo pág.: 1/4 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos referentes à utilização do cartão de crédito corporativo para pagamento das despesas de viagem e deslocamento dos empregados a serviço da COPASA

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS AUXILIARES

MANUAL DE SERVIÇOS AUXILIARES SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de Aplicação 3. Referências 4. Definições 5. Siglas 6. Condições Gerais 7. Telefone Fixo 8. Telefone Celular 9. Responsabilidades Anexo A 1. OBJETIVO Esta Norma estabelece

Leia mais

Guia do serviço SMP Corporativo

Guia do serviço SMP Corporativo Guia do serviço SMP Corporativo Versão 02 Introdução Esse guia tem o intuito de apresentar o funcionamento e os procedimentos da gestão do novo contrato do Serviço de Telefonia Móvel corporativo da Unicamp.

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

BOLETIM DE SERVIÇO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO BOLETIM DE SERVIÇO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Nº 02 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Geraldo Brindeiro Procurador-Geral da República Haroldo Ferraz da Nobrega Vice-Procurador-Geral

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 83, DE 4 DE MARÇO DE 2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 83, DE 4 DE MARÇO DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 83, DE 4 DE MARÇO DE 2015. Estabelece os critérios e procedimentos a serem adotados para o relacionamento dos servidores e colaboradores da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 PORTARIA Nº. 17, DE 23 DE JANEIRO DE 2015. Aprova

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. A DIRETORA EM EXERCÍCIO DO CÂMPUS DE PARANAÍBA da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, resolve:

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL UTILIZAÇÃO DOS TELEFONES CELULARES. Estabelecer critérios e disciplinar a utilização dos telefones celulares.

NORMA PROCEDIMENTAL UTILIZAÇÃO DOS TELEFONES CELULARES. Estabelecer critérios e disciplinar a utilização dos telefones celulares. 50.03.010 1/6 1. FINALIDADE Estabelecer critérios e disciplinar a utilização dos telefones celulares. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Diretoria, Vice-Diretoria, Chefia de Gabinete, Serviço de Telefonia, Serviço

Leia mais

PORTARIA UFERSA/GAB Nº 428/2009, 04 de Maio de 2009

PORTARIA UFERSA/GAB Nº 428/2009, 04 de Maio de 2009 PORTARIA UFERSA/GAB Nº 428/2009, 04 de Maio de 2009 O Reitor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, no uso das atribuições que lhe confere o Decreto do Ministério da Educação de 30 de julho de 2008,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO Nº 04/2010 Dispõe sobre procedimentos para expedição e uso do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.169, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 Disciplina o afastamento de servidores docentes e técnico-administrativos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 163, DE 21 DE OUTUBRO DE 2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 163, DE 21 DE OUTUBRO DE 2013 Publicada no Boletim de Serviço, n. 11, p. 6-14 em 13/11/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 163, DE 21 DE OUTUBRO DE 2013 Dispõe sobre a administração de bens móveis patrimoniais no âmbito da Secretaria do Supremo

Leia mais

Portaria nº 37, de 13 de abril de 2009.

Portaria nº 37, de 13 de abril de 2009. Portaria nº 37, de 13 de abril de 2009. Disciplina os procedimentos para concessão de diárias e passagens, no âmbito da Fundação Cultural Palmares. O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES, no uso das

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS DECRETO N o 525, DE 11 DE JULHO DE 2013. Regulamenta a utilização de veículos oficiais pela administração direta e indireta do Município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso de suas atribuições que

Leia mais

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 Dispõe sobre o registro e controle da freqüência dos servidores do Poder Judiciário. PUBLICADO NO DIÁRIO DO PODER JUDICIÁRIO NO DIA 24 DE AGOSTO DE 2009. A PRESIDENTE DO

Leia mais

EDITAL Nº 4/ SGP/ 2013 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS EXERCÍCIO/ 2013

EDITAL Nº 4/ SGP/ 2013 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS EXERCÍCIO/ 2013 EDITAL Nº 4/ SGP/ 2013 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS EXERCÍCIO/ 2013 A SUPERINTENDENTE DE GESTÃO DE PESSOAS no uso de suas atribuições, conferidas pelo artigo 93-C do Regimento

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

I PARTE (SERVIÇOS DIÁRIOS) II PARTE (ENSINO E INSTRUÇÃO) III PARTE (ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS)

I PARTE (SERVIÇOS DIÁRIOS) II PARTE (ENSINO E INSTRUÇÃO) III PARTE (ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS) GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL POLÍCIA MILITAR DO PARÁ AJUDÂNCIA GERAL ADITAMENTO AO BG Nº 064 03 ABR 2012 Para conhecimento dos Órgãos subordinados

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014 INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 07 DE MARÇO DE 2014 Institui a Política de Remoção dos servidores detentores de cargo efetivo no âmbito do Instituto

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 25 DE JUNHO DE 2009.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 25 DE JUNHO DE 2009. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 25 DE JUNHO DE 2009. Dispõe sobre o Processo de Concessão de Bolsas de Estudo em Idiomas como parte integrante do Programa Permanente de

Leia mais

Normas para reserva de equipamentos para eventos de interesse da UNILAB

Normas para reserva de equipamentos para eventos de interesse da UNILAB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira UNILAB Coordenação de Logística Normas para reserva de equipamentos para eventos de interesse da UNILAB Divisão

Leia mais

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014

PODER EXECUTIVO. Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014 Publicado no D.O. de 14.01.2014 DECRETO Nº 44.558 DE 13 DE JANEIRO DE 2014 REGULAMENTA A GESTÃO DOS BENS MÓVEIS INTEGRANTES DO PATRIMÔNIO PÚBLICO DO PODER EXECUTIVO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS

Leia mais

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos:

Art. 3º A diária será devida pela metade nos seguintes casos: Orientações para Solicitação e Prestação de Contas de Diárias de acordo com o Decreto nº 3328-R, de 17 de junho de 2013. DIÁRIAS Diárias são indenizações pagas antecipadamente para cobrir despesas com

Leia mais

ATO DO PRIMEIRO-SECRETÁRIO Nº 5, DE 2014.

ATO DO PRIMEIRO-SECRETÁRIO Nº 5, DE 2014. ATO DO PRIMEIRO-SECRETÁRIO Nº 5, DE 2014. Estabelece instruções complementares sobre procedimentos a serem observados para a administração, controle e ressarcimento das despesas realizadas à conta da Cota

Leia mais

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE RESOLUÇÃO Nº 058/2012 NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, AUTORIZAÇÃO, CONCESSÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE TRANSPORTE, PASSAGENS, HOSPEDAGEM E ADIANTAMENTO AOS CONSELHEIROS DE SAÚDE O Conselho Municipal de Saúde,

Leia mais

EDITAL ANAC Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2012. PROCESSO SELETIVO INTERNO DE REMOÇÃO Nº 1

EDITAL ANAC Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2012. PROCESSO SELETIVO INTERNO DE REMOÇÃO Nº 1 EDITAL ANAC Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2012. PROCESSO SELETIVO INTERNO DE REMOÇÃO Nº 1 O DIRETOR-PRESIDENTE DA ANAC, no uso de suas atribuições, conferidas pelo artigo art. 16 da Lei nº 11.182, de 27 de setembro

Leia mais

JUAREZ COSTA, PREFEITO MUNICIPAL DE SINOP, ESTADO DE MATO GROSSO, no uso de suas atribuições legais; D E C R E T A:

JUAREZ COSTA, PREFEITO MUNICIPAL DE SINOP, ESTADO DE MATO GROSSO, no uso de suas atribuições legais; D E C R E T A: DECRETO Nº. 245/2014 DATA: 24 de novembro de 2014 SÚMULA: Disciplina a utilização das linhas telefônicas móveis, os chamados Celulares Corporativos, e dá outras providências. JUAREZ COSTA, PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

EDITAL Nº 05/ SGP/ 2014 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DA BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS REFERENTE AO EXERCÍCIO 2014

EDITAL Nº 05/ SGP/ 2014 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DA BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS REFERENTE AO EXERCÍCIO 2014 EDITAL Nº 05/ SGP/ 2014 SELEÇÃO PARA CONCESSÃO DA BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS REFERENTE AO EXERCÍCIO 2014 A SUPERINTENDENTE DE GESTÃO DE PESSOAS, no uso de suas atribuições conferidas pelo art. 2º, inciso

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA Por este instrumento, em que são partes: de um lado a TELEFÔNICA BRASIL S.A., concessionária do Serviço Telefônico

Leia mais

Capítulo I Das Disposições Preliminares

Capítulo I Das Disposições Preliminares RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 10, DE 1º DE MARÇO DE 2004 Estabelece normas complementares relativas ao registro, controle e apuração da frequência dos servidores públicos da administração direta, autárquica e fundacional

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR DECRETO Nº 4.076, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2008. Alterada pelo Decreto nº 16.190, de 13 de outubro de 2011. REGULAMENTA A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DO PODER EXECUTIVO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº RJ-PGD-2007/00095 de 8 de outubro de 2007

PODER JUDICIÁRIO. PORTARIA Nº RJ-PGD-2007/00095 de 8 de outubro de 2007 PORTARIA Nº RJ-PGD-2007/00095 de 8 de outubro de 2007 O JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FORO E CORREGEDOR PERMANENTE DOS SERVIÇOS AUXILIARES DA - SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

PORTARIA Nº 979/2009. RESOLVE editar a seguinte Portaria:

PORTARIA Nº 979/2009. RESOLVE editar a seguinte Portaria: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Gabinete da Procuradora Chefe PORTARIA Nº 979/2009 Disciplina, no âmbito da PR/SP, o procedimento de encaminhamento das solicitações de diárias. A PROCURADORA CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se:

TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se: TERMO DE ADESÃO DE USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO ITU 1. Definições Para interpretação do Termo de Adesão e Uso do Loja Virtual VT Urbano Itu, considera-se: Empresa Concessionária: Viação Itu Ltda, pessoa

Leia mais

Telefonia Celular Coorporativo, fixo e Mini Modem. Sumário. 1. Objetivo 02. 2. A quem se destina 02. 3. Diretrizes 02

Telefonia Celular Coorporativo, fixo e Mini Modem. Sumário. 1. Objetivo 02. 2. A quem se destina 02. 3. Diretrizes 02 Sumário 1. Objetivo 02 2. A quem se destina 02 3. Diretrizes 02 4. Uso do celular corporativo 03 5. Mini Modem 04 6. Ligações Particulares 05 7. Responsabilidades e autoridades 8. Anexos Página 1 de 5

Leia mais

Divisão de Telefonia

Divisão de Telefonia Departamento de Tecnologia da Informação Divisão de Telefonia (FIXA E MÓVEL) Horário de atendimento 8h30min às 18:30min Local 1º andar do prédio anexo Contatos dti.atendimento@al.rs.gov.br Ramais: 1080

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº 06, de 17.2.09 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO o disposto nos arts.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TELEFONIA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE TELEFONIA 02/02/205 PTI-0. INTRODUÇÃO A Política de Telefonia tem por objetivo estabelecer o procedimento e regras para concessão e utilização dos recursos de telefonia móvel disponibilizados pela empresa. 2. ESCOPO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 012, DE 20 DE MAIO DE 2014 Estabelece normas para o afastamento de servidores

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Estabelece os critérios de concessão de acesso ao Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse SICONV. O SECRETÁRIO DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14, 16 DE JANEIRO DE 2015

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14, 16 DE JANEIRO DE 2015 INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 14, 16 DE JANEIRO DE 2015 O PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO, da FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL, no uso das suas atribuições e considerando o disposto na Instrução

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA EDITAL PROGRAD Nº 79 DE 15 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA EDITAL PROGRAD Nº 79 DE 15 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL PROGRAD Nº 79 DE 15 DE SETEMBRO DE 2014 CONSIDERANDO as normas estabelecidas pela Resolução COSUEN 013/2014, de 23 de julho de 2014, a Pró-Reitoria de Graduação, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO PARA CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO PARA CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL Nº Do contrato: Fone: ( ) IMEI: * *A ser preenchido pela associação. INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO PARA CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL Pelo presente instrumento particular, de um lado

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO VIVO GESTÃO O GESTÃ. L I Razão Social: E N CNPJ: / - Inscrição Estadual: T E Endereço: Nº: Complemento: CEP: -

CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO VIVO GESTÃO O GESTÃ. L I Razão Social: E N CNPJ: / - Inscrição Estadual: T E Endereço: Nº: Complemento: CEP: - CONTRATO DE ADESÃO AO SERVIÇO VIVO GESTÃO O GESTÃ C Dados do Cliente (Empresa): L I Razão Social: E N CNPJ: / - Inscrição Estadual: T E Endereço: Nº: Complemento: CEP: - Bairro: Município: UF: São partes

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA Por este instrumento, em que são partes: de um lado a TELEFÔNICA BRASIL S.A, prestadora do serviço telefônico

Leia mais

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se:

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal 1. DEFINIÇÕES: Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: EMPRESA CONCESSIONÁRIA Viação Atibaia

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições:

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições: REGULAMENTO A OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS CVC TUR LTDA., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às condições

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Frotas (Transportes); 1.2) Proteger o Patrimônio Público contra o uso indevido, bem como atender a legislação em vigor e evitar

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 Dispõe sobre a concessão, aplicação e prestação de contas de suprimento de fundos no âmbito do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Carga patrimonial

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Carga patrimonial , pág.: 1/4 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para a formalização de responsabilidade para os empregados da empresa pela guarda, conservação e bom uso dos bens patrimoniais de propriedade

Leia mais

CAPES COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Anexo I Portaria nº 028, de 27 de janeiro de 2010. Anexo I

CAPES COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Anexo I Portaria nº 028, de 27 de janeiro de 2010. Anexo I Anexo I REGULAMENTO DA CONCESSÃO DO AUXÍLIO FINANCEIRO A PROJETO EDUCACIONAL E DE PESQUISA - AUXPE 1. Da Concessão e Aceitação 1.1 A solicitação e concessão de recursos financeiros dar-se-á mediante celebração

Leia mais

RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 71, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2003

RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 71, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2003 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 71, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2003 Dispõe sobre padronização e utilização dos Serviços de Correio Eletrônico Oficial dos Órgãos e Entidades do Poder Executivo da Administração Pública Estadual

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 54, DE 4 DE OUTUBRO DE 2011.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 54, DE 4 DE OUTUBRO DE 2011. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 54, DE 4 DE OUTUBRO DE 2011. Estabelece os valores da hora trabalhada e os critérios para o pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso no âmbito da Agência Nacional

Leia mais

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público;

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público; ATO DA MESA Nº 500, de 15 de julho de 2015 Dispõe sobre a concessão de diárias e passagens e a respectiva prestação de contas no âmbito da Assembleia Legislativa, e adota outras providências. A MESA DA

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 247, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2000 REGULAMENTO PARA ARRECADAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA O FUNDO DE UNIVERSALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 52, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 52, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 52, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2010. Estabelece os critérios e os procedimentos específicos de avaliação de desempenho individual e institucional para

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO CONJUNTA N 4, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2014

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO CONJUNTA N 4, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2014 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO CONJUNTA N 4, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2014 Regulamenta, no âmbito do Poder Judiciário e do Ministério Público, os arts. 6º, inciso XI, e 7 -A, ambos da

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N 127, de 13 de abril de 2000

CIRCULAR SUSEP N 127, de 13 de abril de 2000 MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados CIRCULAR SUSEP N 127, de 13 de abril de 2000 Dispõe sobre a atividade de corretor de seguros, e dá outras providências. O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015

CONTROLE DE COPIA: PO-AM-TI-025 TELEFONIA MÓVEL 10/07/2015 1/6 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para concessão de linhas telefônicas móveis, aparelhos e modens, ao pessoal, Técnico, Administrativo e Operacional das empresas do Grupo Santa Helena. Este procedimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 098/2006-CAD/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 098/2006-CAD/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 098/2006-CAD/UNICENTRO Celebra Termo de Convênio firmado entre a UNICENTRO e o Banco UNIBANCO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho de Administração,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2552 Dispõe sobre o ressarcimento de diárias e transporte aos Senhores Funcionários, quando em viagem a serviço, reuniões, eventos e treinamentos dentro e fora do Estado, formalmente convocados

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO MEUS MINUTOS BRASIL TODO DIA

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO MEUS MINUTOS BRASIL TODO DIA CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO MEUS MINUTOS BRASIL TODO DIA Por este instrumento, em que fazem parte de um lado, TELEFÔNICA BRASIL S.A., devidamente inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 02.558.157/0001-62,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO Nº 03/2012 DO CONSELHO DIRETOR Aprova o Regulamento do Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal de Uberlândia. O CONSELHO DIRETOR DA, no uso da competência prevista nos arts. 14, do Estatuto,

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO NORMA OPERACIONAL/DIRAD/N 04, DE 7 DE AGOSTO DE 2014 Define os procedimentos relativos à concessão de auxílio-moradia

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO nº 020

ORDEM DE SERVIÇO nº 020 ORDEM DE SERVIÇO nº 020 Disciplina as solicitações, indicações, tramitações e inscrições de servidores em eventos de capacitação, e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Instrução nº 2550/12 Dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do Crea-SP.

Instrução nº 2550/12 Dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do Crea-SP. Instrução nº 2550/12 Dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do Crea-SP. O Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o afastamento do país e concessão de passagens para servidores da UNIRIO. O Conselho de

Leia mais

CONTRATO DE ADESSÃO À ATIVIDADE DE AGENTE CHIP

CONTRATO DE ADESSÃO À ATIVIDADE DE AGENTE CHIP CONTRATO DE ADESSÃO À ATIVIDADE DE AGENTE CHIP Pelo presente instrumento contratual particular, do qual são partes integrantes Worldxchange Intermediação e Negócios Ltda, pessoa jurídica de direito privado,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO 1 - Definições: 1.1- o sistema de controle de acesso abrange a identificação, a permissão e o registro de entrada e saída de pessoas e veículos no âmbito das unidades acadêmicas

Leia mais

EDITAL Nº 20/ SGP, DE 31 DE JULHO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS EXERCÍCIO 2015

EDITAL Nº 20/ SGP, DE 31 DE JULHO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS EXERCÍCIO 2015 EDITAL Nº 20/ SGP, DE 31 DE JULHO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS EM IDIOMAS EXERCÍCIO 2015 A SUPERINTENDENTE DE GESTÃO DE PESSOAS, no uso de suas atribuições que lhe conferem

Leia mais

PORTARIA Nº 053/2015, de 26 de Fevereiro de 2015

PORTARIA Nº 053/2015, de 26 de Fevereiro de 2015 PORTARIA Nº 053/2015, de 26 de Fevereiro de 2015 Expede normas para a concessão de diárias e passagens no âmbito do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais Câmpus Muriaé. A

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO N.15964, DE 14 DE JUNHO DE 2011. DIÁRIO N 1754 PUBLICADO EM 15 DE JUNHO DE 2011. Dispõe sobre a Regulamentação da Concessão de Diárias, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDÔNIA,

Leia mais

Capítulo I. Da Finalidade

Capítulo I. Da Finalidade Dispõe sobre o Regulamento do Serviço de Circulação do Sistema de Bibliotecas (SiBi), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) aprovado em Reunião de Chefias em 26 de fevereiro de 2015. Capítulo I Da Finalidade

Leia mais