Conheça o Conselho Fiscal. Dicas de Investimento: Por que investir? 2ª Parte. Boas FEstas e um Próspero 2007! Pág. 3 Pág. 4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conheça o Conselho Fiscal. Dicas de Investimento: Por que investir? 2ª Parte. Boas FEstas e um Próspero 2007! Pág. 3 Pág. 4"

Transcrição

1 Praça da Liberdade - Belo Horizonte/MG Tudo o que um sonho precisa para tornar-se realidade é Alguém acreditar que ele possa ser realizado. Boas FEstas e um Próspero 2007! Conheça o Conselho Fiscal Dicas de Investimento: Por que investir? 2ª Parte Pág. 3 Pág. 4

2 Editorial Veja nesta edição A DERMINAS procura agir sempre em prol de seu associado, sendo uma de suas preocupações constantes a transparência. Através deste nosso informativo, procuramos mostrar como são feitas as aplicações do patrimônio e os resultados obtidos. Por isso, a cada edição buscamos repassar aos leitores os conceitos e as informações básicas relativos ao setor da previdência complementar, por acreditarmos que o nosso maior fiscal é o próprio associado (pág. 5). Temos ainda uma política de proporcionar ao nosso funcionário a oportunidade de participar de cursos voltados para o setor, pois os conhecimentos adquiridos irão certamente contribuir para seu melhor desempenho na Entidade (pág. 6). O resultado do trabalho de funcionários e dirigentes é sempre colocado à prova pelo nosso Conselho Fiscal, muito rigoroso nas suas verificações, que, em constantes reuniões, sempre acompanha e monitora as ações implementadas pelos dirigentes da DERMINAS, tendo como missão poder assegurar a tranqüilidade necessária aos nossos associados. Conheça mais sobre esse órgão colegiado na pág. 3. Com destaque para a DERMINAS, o nosso Diretor Superintendente, Daniel José Magalhães de Melo, foi o paraninfo da primeira turma do curso de MBA em Previdência Complementar da PUC Minas (pág. 6) e também foi eleito o Dirigente do Ano pelos demais dirigentes da Regional Leste da ABRAPP (veja matéria abaixo). Notícia Prêmio de Dirigente Regional Por iniciativa do Instituto Cultural de Seguridade Social (ICSS), através de votação eletrônica, o Diretor Superintendente da DERMINAS, Daniel José Magalhães de Melo, foi eleito, pelos demais colegas da região, o Dirigente do Ano da Regional Leste da ABRAPP - Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. Essa eleição tem como objetivo distinguir e homenagear, através da iniciativa do voto, os dirigentes que são vistos como exemplos por suas atitudes pessoais e profissionais, sua capacidade de liderança e contribuição oferecida ao sistema de fundos de pensão no Brasil. A apuração distinguiu os seguintes dirigentes nas 6 regiões da ABRAPP: Regional Centro Norte Leste Nordeste Sudeste Sudoeste Sul Dirigente Manoel Moacir Costa Macêdo Daniel José Magalhães de Melo Derminas Luiz Ovídio Fisher Sérgio Ricardo Silva Rosa Flávia Thais Fontana Gemignani João Laércio de Amorim Entidade Ceres Ecos Previ Estado Distrito Federal Minas Gerais Bahia Rio de Janeiro Fund. Attilio Fontana São Paulo Previsc Santa Catarina EXPEDIENTE Conselho Deliberativo Adalberto Bahia (Presidente) Carlos Roberto de Oliveira César Pomárico José Alberto Coutinho Márcio José dos Reis Santos Ronaldo de Assis Carvalho Conselho Fiscal Dalva Maria Ferreira de Souza (Presidente) Geralda Borges da Silva Roberto Dias Alves Sebastião Vieira dos Santos Diretoria Executiva Diretor Superintendente Daniel José Magalhães de Melo Diretor Financeiro-Administrativo Delson Chaves Campos Diretor de Seguridade Luiz Gonzaga Chaves Campos Patrocinador Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais - DER/MG Conselho Editorial Daniel José Magalhães de Melo Adilson Andrade Soares Jornalista Responsável Mário Chrispim - MTb Fotografia Bernadete Campos Amado Paulo Roberto Palião Lagaris (estagiário) Projeto Gráfico e Diagramação Kamayurá Propaganda Impressão: Gráfica e Editora O Lutador Tiragem: exemplares Periodicidade: Trimestral Obs.: As matérias publicadas neste jornal são de caráter exclusivamente informativo, não gerando qualquer espécie de direito ou obrigação por parte da DERMINAS. 2

3 Conhecendo a DERMINAS Conselho Fiscal: Instrumento de Gestão A separação crescente entre a gestão executiva, cada vez mais profissionalizada, e os membros acionistas/participantes das empresas/entidades faz com que o Conselho Fiscal se torne um interlocutor indispensável aos interesses das partes envolvidas. No caso da DERMINAS, é um órgão de controle interno, que tem o papel controlador, fiscalizador e relator, opinando sobre a administração da Entidade e seus aspectos organizacionais, contábeis, econômico-financeiros e atuariais. O Conselho Fiscal, portanto, não deve se ater apenas à verificação de assuntos de natureza contábil/financeira, como a análise de balancetes e as demonstrações financeiras do exercício social. A primeira e a mais importante competência do Conselho Fiscal é a de fiscalizar os atos dos administradores (Conselho Deliberativo e Diretoria Executiva) e verificar o cumprimento de seus deveres legais e estatutários. A eficiência de um Conselho Fiscal depende da disponibilidade de seus componentes, de reuniões periódicas e produtivas, da amplitude dos seus trabalhos de fiscalização e, principalmente, da qualificação e competência de seus membros. Um Conselho Fiscal eficiente é um instrumento a mais de governança corporativa. Conheça agora os integrantes do Conselho Fiscal da DERMINAS. DALVA MARIA FERREIRA DE SOUZA Admitida no DER em 1975, atuou na Diretoria de Transportes, na Assessoria de Planejamento e na Assessoria Jurídica. Aposentou-se em Formada em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais, seu dinamismo levou-a para a prática do magistério. Na Derminas, é a Presidente do Conselho Fiscal. ROBERTO DIAS ALVES Seu ingresso no DER ocorreu em 1972, como celetista, exercendo atividades na 1ª Coordenadoria Regional. Prestou serviços na Diretoria de Manutenção, na Vice-diretoria e na Divisão Administrativa. Trabalha há 18 anos na Auditoria. Formou-se Bacharel em Direito pela Faculdade Milton Campos de Divinópolis. 3 GERALDA BORGES É técnica em Contabilidade. Passou a integrar o quadro de funcionários do DER/MG em 1976, na Diretoria Administrativa-Financeira, onde atuou por 24 anos. Funcionária aposentada desde 2000, seus conhecimentos contábeis a levaram a participar do Conselho Fiscal da DERMINAS. SEBASTIÃO VIEIRA DOS SANTOS Técnico em Contabilidade, ingressou no DER/MG em 1994, com a transferência da Transmetro. Desde então, trabalha na Diretoria Financeira, exercendo suas funções na Contabilidade.

4 Dicas de Investimentos Por que investir? 2ª Parte Estabelecer um planejamento de poupança, mesmo com valores considerados pequenos, é bastante salutar do ponto de vista do controle e da disciplina financeira. Sem ele, as pessoas acabam fazendo dívidas que podem comprometer seus orçamentos, sendo vítimas da própria negligência. É também menos traumático que ser forçado a apertar o cinto em situações de gastos inesperados. Daí, a importância de se adotar uma estratégia que garanta alguma sobra de dinheiro no final do mês. Ao contrário do que a maioria imagina, definir e conduzir um processo de investimento financeiro não é complicado. Pelo contrário, é algo interessante, que pode trazer alguma contribuição para a sua qualidade de vida. Portanto, baseado no seu orçamento, defina um valor fixo mensal para ser investido (sugerimos utilizar a tabela Controle de Gastos publicada na última edição deste jornal, que permitiu a você avaliar a sua saúde financeira). Temos que ressaltar que, em caso de imprevistos, deve ser redimensionado o valor estabelecido. O importante é evitar a perda da disciplina de poupança em razão de uma sobrecarga financeira temporária. Quanto mais claros forem os objetivos a serem atingidos, mais fácil será escolher a aplicação mais adequada à sua realização. Seja realista. Trabalhe inicialmente com metas possíveis de serem alcançadas e cumpridas sem muitos sacrifícios. Depois de cada conquista, estabeleça metas mais ambiciosas. Assim, cada objetivo conquistado servirá de estímulo para que você dê passos cada vez maiores. Objetivos de curto, médio e longo prazos requerem aplicações em tempos similares. Recursos de curto prazo não devem ser expostos a riscos, pois você não terá tempo suficiente para recuperar possíveis perdas. Portanto, se você busca oportunidades de maior retorno, direcione-se para objetivos e aplicações de longo prazo, nos quais as oscilações geralmente ocorrem, mas tendem a se diluir ao longo do tempo. Outros fatores que influenciam na escolha do investimento é o total da sua renda mensal e o montante do seu patrimônio. Também a faixa etária e a existência de dependentes influenciam diretamente na definição dos prazos previstos. No entanto, a aversão a riscos costuma ser a maior limitação dessa decisão. É extremamente difícil definir uma medida padrão de risco para todos os investidores, visto que as pessoas reagem de forma distinta às diversas situações que surgem em suas vidas. Problemas para uns poderão significar oportunidades para outros. Porém, o que deve ser enfatizado é que, por ser avessa a prejuízos, a maioria das pessoas está mais propensa a agir com medo de sofrer perdas do que de obter ganhos. De forma geral, as pessoas só aprendem a lidar com essa situação com o tempo e a experiência, mas, se você ainda perde o sono com possíveis oscilações de seus investimentos, é melhor optar por aplicações mais conservadoras, como poupança ou renda fixa. Historicamente, essas aplicações apresentam menor rendimento ao longo do tempo, mas garantem uma proteção total ao seu patrimônio. No extremo oposto, encontram-se investidores que até acham divertido as oscilações do mercado, pois, por experiência própria, sabem que a baixa momentânea dos ativos abre oportunidade para novas compras e que, quanto maior o risco, maior será o retorno previsto. Essas pessoas sabem que investir implica sempre em correr riscos de forma calculada, podendo, inclusive, recuperar à frente perdas passadas. Nessas condições, procuram aplicações mais agressivas, como a renda variável (bolsa de valores), suportando sempre as perdas que geralmente ocorrem no curto prazo. Logicamente existe aquele investidor meio-termo, defensor das aplicações moderadas, como é o caso dos fundos multimercado, ou que procura a diversificação de suas aplicações, alocando uma maior parte em renda fixa e uma outra menor em renda variável. Por tudo isso, se você conseguiu ficar mais familiarizado e adepto desses conceitos, o próximo passo será compatibilizar o seu perfil com os investimentos disponíveis no mercado, ou seja, as aplicações a serem feitas devem se enquadrar perfeitamente nos seus objetivos de prazo, de liquidez (tempo necessário para transformar a aplicação em dinheiro novamente) e de risco desejado. Nesse caso, você deve evitar fazer uma aplicação fora dessas características só porque foi sugerida por alguém. Nos próximos números, faremos uma abordagem geral sobre as diversas possibilidades de investimentos existentes no mercado, iniciando pela renda fixa, que é considerada a mais conservadora. Até lá, comece por estabelecer e poupar aquele valor fixo mensal para as suas aplicações. 4

5 Evolução do Patrimônio Posição dos investimentos No último mês de setembro, de maneira geral, o mercado apresentou baixa volatilidade. Na Bovespa esperase a perspectiva de uma recuperação no curto prazo, com a volta dos investidores estrangeiros. Entretanto, nunca é demais lembrar que o comportamento da economia americana exerce forte influência no mercado internacional, principalmente em países emergentes, tais como Brasil, Rússia, Índia e China. A carteira de investimentos da DER- MINAS não apresentou movimentações importantes naquele mês. Na renda fixa, manteve suas apostas nos fundos multimercado e de direitos creditórios, além dos Certificados de Depósito Bancário e Títulos Públicos. Na renda variável, acompanhando a expectativa do mercado, manteve sua posição em 2 fundos e 3 carteiras administradas de ações. Nos imóveis, a intenção é alienar parte da carteira, em função da baixa rentabilidade que pode ser obtida nesse segmento. Já os empréstimos, apesar da boa rentabilidade para a Entidade, estão limitados à capacidade financeira dos mutuários, que é o desconto de até 30% do salário, conforme regra estabelecida pela Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG). O comportamento do mercado, bem como a alocação estratégica da DERMINAS no ano de 2006, propiciou uma rentabilidade de 374,88% acima da meta atuarial da Entidade, conforme gráfico a seguir: É importante ressaltar que, para o ano de 2007, a DERMINAS pretende manter a mesma estrutura atual dos investimentos, com uma participação mais acentuada em Notas do Tesouro Nacional (NTN-B), com o objetivo de fazer hedge (proteção) do passivo da Entidade. Apresentamos no quadro ao lado, a rentabilidade acumulada e a alocação por segmento em relação ao patrimônio total em 29/09/06: Segmento Renda Fixa Renda Variável Investimentos Imobiliários Operações com Participantes Consolidado Geral Rentabilidade 14,49% 22,86% 3,06% 32,14% 19,42% % do Total 55,44% 32,60% 4,71% 7,26% 100,00% Trocando em Miúdos O que é Benefício Definido? O Conselho de Gestão da Previdência Complementar definiu que o plano de caráter previdenciário na modalidade benefício definido é aquele cujos benefícios programados têm seu valor ou nível previamente estabelecido, sendo o custeio determinado atuarialmente, de forma a assegurar sua concessão e manutenção. Na DERMINAS, o benefício definido é uma complementação da pensão recebida pelos beneficiários de seus 5 associados, de modo que o valor total da pensão seja, no mínimo, igual ao do último salário-base de contribuição (ativo ou aposentado), sendo assegurado um valor mínimo de até 15% (quinze por cento) desse salário.

6 Destaque Mais conhecimento para a DERMINAS O Diretor Superintendente da DER- MINAS, Daniel José Magalhães de Melo, foi homenageado no dia 14 de setembro, sendo paraninfo da primeira turma em Minas Gerais do curso de MBA em Previdência Complementar. Trata-se do pioneiro e consagrado curso de pósgraduação lato sensu que o Instituto de Desenvolvimento e Estudos Aplicados à Seguridade - IDEAS coordena em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, que recentemente foi reconhecida como a melhor instituição nacional privada de ensino superior. O objetivo do curso é capacitar os profissionais das Entidades Fechadas e Abertas de Previdência Complementar com conceitos e técnicas que lhes permitam atuar nas complexas atividades diretivas e gerenciais dessas organizações. A duração foi de 2 anos, com aulas às sextas e aos sábados, tendo a participação de 4 funcionários da DERMI- NAS, que sacrificaram momentos de lazer com a família em busca de mais conhecimento e qualificação profissional. Durante o seu discurso de paraninfo, Daniel Melo expôs a complexidade do sistema de Previdência Complementar, bem como a falta de mão-de-obra qualificada para atuar no setor. Ressaltou que a maioria dos treinamentos nesse segmento é realizada nos locais de trabalho de entidades afins, sendo raros os cursos existentes Por essa razão, os profissionais do setor não podem deixar de participar desse tipo de especialização quando surge a oportunidade. Daniel José Magalhães de Melo, Diretor Superintendente da DERMINAS, paraninfo da primeira turma em Minas Gerais do curso de MBA em Previdência Complementar, uma parceria do Instituto IDEAS e da PUC Minas. Funcionários da DERMINAS com MBA em Previdência Complementar, a partir da esquerda: Antônio Eustáquio Generoso, Ricardo José da Silva, Aymon Gracielle Salles Lopes Cançado e Adilson Andrade Soares. Política de Investimentos 2007 Em conformidade com a legislação que disciplina o funcionamento das entidades fechadas de previdência complementar, a DERMINAS informa que a sua Política de Investimentos de 2007 encontra-se disponível no site da Entidade: 6

Belo Horizonte irá sediar o 28º Congresso Brasileiro

Belo Horizonte irá sediar o 28º Congresso Brasileiro Destaque - Pág. 6 Naldi Joviano dos Santos assina o termo de posse como Diretor de Seguridade da DERMINAS, na presença do Diretor Geral do DER/MG, José Elcio Santos Monteze (ao centro), e do Vice- Diretor,

Leia mais

Superávit permite nova redução de contribuição Pág. 5

Superávit permite nova redução de contribuição Pág. 5 Superávit permite nova redução de contribuição Pág. 5 Comemorados os 25 anos da DERMINAS Conheça o Conselho Deliberativo Pág. 6 Dicas de Investimento: Por que investir? Pág. 3 Pág. 4 Editorial A contribuição

Leia mais

A DERMINAS continua a ter o menor custo final para a contratação de empréstimo no mercado. Pág. 2

A DERMINAS continua a ter o menor custo final para a contratação de empréstimo no mercado. Pág. 2 Destaque - Pág. 6 O Diretor Superintendente da DERMINAS, Daniel José Magalhães de Melo, como diretor da ABRAPP, presidindo o Workshop Transparência na Gestão de Fundos de Pensão, no 27º Congresso Brasileiro

Leia mais

Capital mineira sedia o 28º Congresso Brasileiro

Capital mineira sedia o 28º Congresso Brasileiro Capital mineira sedia o 28º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão Destaque - Pág. 6 Ampliação do espaço de atendimento a participantes Redução significativa dos juros de empréstimos Novos conselheiros

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2010 Tibagi Tibagiprev. - 1 - Índice pág. 1 Introdução 3 2 Objetivos 4 3 Diretrizes de Alocação dos Recursos 6 4 Diretrizes para Gestão dos Segmentos 8 Tibagi Tibagiprev. - 2

Leia mais

Manual Perfis de Investimentos

Manual Perfis de Investimentos Manual Perfis de Investimentos 2015 Manual de Perfis de Investimentos Índice Perfi s de Investimentos Avonprev... 4 Por que existem os Perfi s de Investimentos... 5 O que são Perfi s de Investimentos...

Leia mais

PROGRAMA DE PREVIDÊNCIA UVERGS PREVI

PROGRAMA DE PREVIDÊNCIA UVERGS PREVI PROGRAMA DE PREVIDÊNCIA UVERGS PREVI UVERGS PREVI A União dos Vereadores do Estado do Rio Grande do Sul visa sempre cuidar do futuro de seus associados Por conta disso, está lançando um Programa de Benefícios

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 1. INTRODUÇÃO Atendendo à legislação pertinente aos investimentos dos Regimes Próprios de Previdência Social RPPS, em especial à Resolução n 3.922 de 25 de novembro de 2010 do Conselho Monetário Nacional

Leia mais

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTOS

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTOS CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTOS OBJETIVO GERAL O PrevMais prevê para o Benefício de Renda Programada a possibilidade de que os participantes optem por perfis de investimento, em épocas préestabelecidas,

Leia mais

DERMINAS participa de plenária sobre Tecnologia da Informação no 29º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão

DERMINAS participa de plenária sobre Tecnologia da Informação no 29º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão DERMINAS participa de plenária sobre Tecnologia da Informação no 29º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão Editorial: 2008, um ano de desafios 2009 é ano de eleição de conselheiros da DERMINAS Política

Leia mais

PERFIS DE INVESTIMENTO

PERFIS DE INVESTIMENTO PERFIS DE INVESTIMENTO Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a ELETROS? 4 Como são os investimentos em renda variável? 5 Como são os investimentos em renda fixa? 6 Como são os investimentos nos demais

Leia mais

Conheça as novas instalações da DERMINAS

Conheça as novas instalações da DERMINAS Sala de Reuniões Auditório Área privativa Recepção do 1º andar Conheça as novas instalações da DERMINAS Críticas e sugestões no Espaço do Associado Atenção: informações importantes para os participantes

Leia mais

RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil.

RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil. 1 RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil. O Informativo Previcoke (Fundo de Pensão da Coca-Cola Brasil) é feito para quem já pensa no amanhã e para quem quer começar a pensar. Aqui, você

Leia mais

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO OUTUBRO/2006 ÍNDICE Documento de Referência 03 Histórico 04 Objetivo da FUNASA 05 Conceitos 06 e 07 Objetivos do Manual de Organização: De Informação 07 De Racionalização Estrutural e Funcional 07 e 08

Leia mais

APRESENTAÇÃO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV

APRESENTAÇÃO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV APRESENTAÇÃO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV 1) Voce escolhe se quer investir as suas contribuições em Renda Variável Ao iniciar a contribuição ao Plano de Previdência da CargillPrev (Planos Cargill

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Índice Objetivo... 3 Introdução... 3 Falando sobre sua escolha e seu plano... 3 Perfis de Investimento... 5 Principais

Leia mais

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD MATERIAL EXPlICatIvo Plano BAYER CD 1 Prezado Colaborador! você, que está sendo admitido agora ou ainda não aderiu ao Plano de Previdência oferecido pelo Grupo Bayer, tem a oportunidade de conhecer, nas

Leia mais

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Valia Fix, Valia Mix 20, Valia Mix 35 e Valia Ativo Mix 40 Quatro perfis de investimento. Um futuro cheio de escolhas. Para que seu plano de

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

LW REPORT INVESTINDO COM OS FUNDOS DE PENSÃO BRASILEIROS. As regras do jogo. 01 Abril 2013. Principais áreas de atuação:

LW REPORT INVESTINDO COM OS FUNDOS DE PENSÃO BRASILEIROS. As regras do jogo. 01 Abril 2013. Principais áreas de atuação: LW REPORT 01 Abril 2013 Principais áreas de atuação: Societário e mercado de capitais Restructuring and Finance Real Estate M&A Executive Compensation and Benefits Direito Empresarial Externo INVESTINDO

Leia mais

plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012

plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012 plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012 Apresentação Ativo, rentabilidade, renda fixa, perfil de investimento... Se você tem o hábito de se informar sobre como anda o dinheiro investido no seu plano

Leia mais

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Cesar Soares Barbosa Diretor de Previdência É responsável também pela gestão dos recursos garantidores dos planos de benefícios administrados pela Sabesprev,

Leia mais

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7 Sumário A função do 3 Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4 Contribuições do Participante 6 Contribuições da Patrocinadora 7 Controle de Contas 8 Investimento dos Recursos 9 Benefícios 10 Em caso de

Leia mais

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos Relatório Anual 2009 ÍNDICE Introdução 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados 2. Política de Investimentos 2010 3. Distribuição de Investimentos 4. Parecer Atuarial 5. Parecer dos Auditores Independentes

Leia mais

INSTRUÇÃO PREVIC Nº 5, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2013

INSTRUÇÃO PREVIC Nº 5, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2013 INSTRUÇÃO PREVIC Nº 5, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2013 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelas entidades fechadas de previdência complementar na divulgação de informações aos participantes e assistidos

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Conceitos básicos de. Previdência Complementar

Conceitos básicos de. Previdência Complementar CALVO E FRAGOAS ADVOGADOS Conceitos básicos de Previdência Complementar Advogado: José Carlos Fragoas ROTEIRO DE APRESENTAÇÃO 1. Apresentação 2. Embasamento Legal 3. Princípios da Previdência Privada contidos

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Segurança nos investimentos Gestão dos recursos financeiros Equilíbrio dos planos a escolha ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 A POLÍTICA DE INVESTIMENTOS...4 SEGMENTOS DE APLICAÇÃO...7 CONTROLE

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Financeira e Controladoria Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Financeira e Controladoria tem por objetivo o fornecimento

Leia mais

Versão atualizada em março de 2011

Versão atualizada em março de 2011 Versão atualizada em março de 2011 Apresentação Ativo, rentabilidade, renda fixa, perfil de investimento... Se você tem o hábito de se informar sobre como anda o dinheiro investido no seu plano previdenciário,

Leia mais

Perfil de investimentos

Perfil de investimentos Perfil de investimentos O Fundo de Pensão OABPrev-SP é uma entidade comprometida com a satisfação dos participantes, respeitando seus direitos e sempre buscando soluções que atendam aos seus interesses.

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Conforme aprovado pelo Conselho Deliberativo em reunião realizada em 4 de abril de 2011 a São Bernardo implementará em 1º de julho de 2011

Leia mais

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo SONHOS AÇÕES Planejando suas conquistas passo a passo Todo mundo tem um sonho, que pode ser uma viagem, a compra do primeiro imóvel, tranquilidade na aposentadoria ou garantir os estudos dos filhos, por

Leia mais

Veículo: Valor Online Data: 29/04/09

Veículo: Valor Online Data: 29/04/09 Veículo: Valor Online Data: 29/04/09 Cresce procura por gestores de risco Em tempos de crise, os gestores de risco estão sendo garimpados pelas empresas como pedras raras. Segundo a consultoria Michael

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev.

Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada e o seu Plano de Benefícios ACPrev. ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO ACPREV... 8 PARTICIPANTES... 8 Participante Ativo... 8 Participante Assistido...

Leia mais

Política Anual de Investimentos. Período : 01/2010 a 12/2010

Política Anual de Investimentos. Período : 01/2010 a 12/2010 Regime Próprio de Previdência Social de Varginha(MG) Política Anual de Investimentos Período : 01/2010 a 12/2010 Política de Investimentos do RPPS do Município de Varginha(MG), aprovada em30/12/2009. 1.

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados;

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados; Guia de Fundos de Investimento A CMA desenvolveu o Guia de Fundos de Investimento para você que quer se familiarizar com os princípios básicos do mercado financeiro, ou que tem interesse em aprofundar

Leia mais

REALIZAÇÃO: PARCERIA:

REALIZAÇÃO: PARCERIA: REALIZAÇÃO: PARCERIA: Com esta palestra, você descobrirá como a educação financeira pode ajudar você na melhoria de sua qualidade de vida e dicas sobre planejamento financeiro e previdência privada. Somos

Leia mais

Investimentos. Inteligentes. Roberta e Bruno Omeltech

Investimentos. Inteligentes. Roberta e Bruno Omeltech Investimentos Inteligentes Roberta e Bruno Omeltech station centro de treinamentos (11) 3704-4377 contato@stationct.com.br !!!! ROBERTA OMELTECH DIRETORA COMERCIAL OMELTECH DESENVOLVIMENTO Empresa de Educação

Leia mais

DEMONSTRATIVO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

DEMONSTRATIVO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DEMONSTRATIVO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 1. ENTE Endereço: Bairro: Prefeitura Municipal de Itanhaém / SP AVENIDA WASHINGTON LUIS - 75 CENTRO (013) 3421-1600 Fax: (013) 3421-1600 CNPJ: Complemento: CEP:

Leia mais

APRENDA A INVESTIR O SEU DINHEIRO

APRENDA A INVESTIR O SEU DINHEIRO APRENDA A INVESTIR O SEU DINHEIRO Programa 2013 OBJETIVOS: O mercado financeiro sofreu grandes modificações nos últimos anos e temos a necessidade de conhecer profundamente os produtos financeiros para

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV...

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... 7 CONHEÇA O PLANO DENTALUNIPREV... 8 PARTICIPANTES... 9 Participante

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE JAGUARÃO-RS PARA O EXERCÍCIO DE 2014

POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE JAGUARÃO-RS PARA O EXERCÍCIO DE 2014 POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE JAGUARÃO-RS PARA O EXERCÍCIO DE 2014 1. Apresentação A presente Política de Investimentos visa atender as Portarias

Leia mais

Regulamento - Perfil de Investimentos

Regulamento - Perfil de Investimentos Regulamento - Perfil de Investimentos 1. Do Objeto Este documento estabelece as normas gerais aplicáveis ao Programa de Perfil de Investimentos (Multiportfólio) da CargillPrev. O programa constitui-se

Leia mais

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas - PREVPEL. Política de Investimentos Exercício de 2013

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas - PREVPEL. Política de Investimentos Exercício de 2013 Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas - PREVPEL Política de Investimentos Exercício de 2013 Política de Investimentos do RPPS do Município de Pelotas RS, aprovada pelo

Leia mais

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade.

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. ACEPREV Acesita Previdência Privada Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2008 M ENSAGEM DA DIRETORIA A Diretoria Executiva

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 2: Como Poupar

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 2: Como Poupar Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 2: Como Poupar Objetivo Dar dicas importantes para que nossos clientes consigam ter uma poupança e vivam com mais segurança e tranquilidade O conteúdo deste

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA...

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 8 CONHEÇA O PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 9 PARTICIPANTES...

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria

Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria Olhando para o Futuro: como preparar sua aposentadoria Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças

Leia mais

Brasília, 27.08.2015

Brasília, 27.08.2015 Brasília, 27.08.2015 1/23 FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS Fundo de Pensão instituído em 1º.08.1977 Investidor de longo prazo Patrocinadores: a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL e a própria FUNCEF Planos administrados:

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

Manual de Governança Corporativa

Manual de Governança Corporativa Manual de Governança Corporativa Conselho Deliberativo Sylvia do Carmo C. Franceschini (Presidente) Evaristo Luciano Rosa José Aparecido de Paula José Júlio de Souza Márcia Rogéria de Almeida Lamêgo Sebastião

Leia mais

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br

Fachesf de FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL www.fachesf.com.br Fachesf de Você está em nossos planos Criada em 10 de abril de 1972, pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), sua patrocinadora, a Fundação Chesf de Assistência e Seguridade Social é uma

Leia mais

Movimentações entre aplicações financeiras sem CPMF

Movimentações entre aplicações financeiras sem CPMF Movimentações entre aplicações financeiras sem CPMF A Conta Investimento foi instituída pela Lei 10.892, que entrou em vigor em 01/10/2004. Trata-se de uma conta corrente de depósitos para investimento

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

Perfis de Investimento PrevMais

Perfis de Investimento PrevMais Cartilha Perfis de Investimento PrevMais [1] Objetivo Geral O regulamento do PREVMAIS prevê exclusivamente para o Benefício de Renda Programada a possibilidade de os participantes optarem por perfis de

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUCAO 3.308 --------------- Altera as normas que disciplinam a aplicação dos recursos das reservas, das provisões e dos fundos das sociedades seguradoras, das sociedades de capitalização e das entidades

Leia mais

Investimentos O Governo Federal oferece 1.047 vagas de até R$ 8.300,00

Investimentos O Governo Federal oferece 1.047 vagas de até R$ 8.300,00 Investimentos Segundo pesquisas, ao se fazer um curso de graduação, por exemplo, a média salarial aumentará cerca de 168%, ou seja, quem ganha R$ 1000,00, ao terminar um curso de graduação tem grandes

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS ATENTO ATENTO PREV. Manual Explicativo

PLANO DE BENEFÍCIOS ATENTO ATENTO PREV. Manual Explicativo PLANO DE BENEFÍCIOS ATENTO ATENTO PREV Manual Explicativo 1 2 Plano de Benefícios Atento AtentoPrev O Plano de Benefícios Atento Atento Prev é um plano de previdência complementar, constituído na modalidade

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

Material Explicativo Centrus

Material Explicativo Centrus Material Explicativo Centrus De olho no futuro! É natural do ser humano sempre pensar em situações que ainda não aconteceram. Viagem dos sonhos, o emprego ideal, casar, ter filhos, trocar de carro, comprar

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

Agenda. Principais números da Fundação. Estrutura organizacional. Resultados. Medidas implantadas a partir de março/2015

Agenda. Principais números da Fundação. Estrutura organizacional. Resultados. Medidas implantadas a partir de março/2015 Agenda Principais números da Fundação Estrutura organizacional Resultados Medidas implantadas a partir de março/2015 2 PRINCIPAIS NÚMEROS DA FUNDAÇÃO Maior entidade de previdência fechada multipatrocinada

Leia mais

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador Contextualizando os Investimentos em 2012 O Olhar do órgão Fiscalizador Brasília Maio/2012 1 Agenda A PREVIC e Dados do setor Impacto de Mudanças nas Taxas de Juros Alteração Res. CGPC 18 Guia PREVIC de

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

Prestação de Contas Libertas - 2014

Prestação de Contas Libertas - 2014 Prestação de Contas Libertas - 2014 participantes aposentados pensionistas patrocinadoras Na Libertas, é assim. Sumário - Prestação de Contas 2014 Relatório Anual de Informações - RAI 2014 Documentação

Leia mais

INFORMA REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ?

INFORMA REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ? INFORMA Edição nº 4 Dezembro/2015 REDUÇÃO DO CUSTEIO ADMINISTRATIVO - QUE DIFERENÇA FAZ? Para administrar os planos de benefícios, a Regius utiliza os recursos advindos do custeio administrativo previdencial,

Leia mais

MANTENEDOR E CONTADOR

MANTENEDOR E CONTADOR MANTENEDOR E CONTADOR No ano de 2000, Darci de Paula, Contador formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em Ciências Contábeis e Pós graduado em MBA IFRS(Normas Internacionais de Contabilidade),

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Maio 2009 ... O Brasil é onde mais pessoas se preocupam com o futuro e onde menos se faz poupança Pesquisa realizada em 12 países, pelo Principal Financial Group (03/2004) ... Famílias se endividam mais

Leia mais

Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar

Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar Revista EXAME: As 10 armadilhas da Previdência Complementar Os fundos de previdência privada, sejam fechados ou abertos, têm características próprias e vantagens tributárias em relação aos investimentos

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SALTO VELOSO IPRESVEL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014.

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SALTO VELOSO IPRESVEL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014. INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SALTO VELOSO IPRESVEL RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2014 Salto Veloso, SC O IPRESVEL O Instituto de Previdência Social dos Servidores

Leia mais

RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL

RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL RELATÓRIO DE CONTROLES INTERNOS DO CONSELHO FISCAL Artigo 19, da Resolução do CGPC nº 13/04. CAPOF Caixa de Assistência e Aposentadoria dos Funcionários do Banco do Estado do Maranhão. 1º SEMESTRE DE 2011

Leia mais

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ELETROS Norma Operacional

MANUAL DE ORGANIZAÇÃO ELETROS Norma Operacional / 1. OBJETIVO Estabelecer conceitos, diretrizes e procedimentos acerca dos perfis de investimentos destinados aos participantes dos planos de contribuição definida e contribuição variável administrados

Leia mais

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16.

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16. 7,7% 7,% 6,17% 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO DISPONÍVEL REALIZÁVEL Operações com Participantes PERMANENTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL OPERACIONAL EXIGÍVEL ATUARIAL PROVISÕES MATEMÁTICAS Benefícios

Leia mais

Congresso Pernambucano de Municípios

Congresso Pernambucano de Municípios Congresso Pernambucano de Municípios O desenvolvimento dos municípios sustenta o crescimento do Brasil. José Coimbra Patriota Filho Presidente da Amupe RPPS: Sustentabilidade e Compensação Previdenciária

Leia mais

FUTURO FINANCEIRO: VOCÊ PODE PLANEJAR O SEU. Lilian Massena Gallagher

FUTURO FINANCEIRO: VOCÊ PODE PLANEJAR O SEU. Lilian Massena Gallagher FUTURO FINANCEIRO: VOCÊ PODE PLANEJAR O SEU Lilian Massena Gallagher APRESENTAÇÃO Livros: Minutos de Riqueza, Planeje seu Futuro Financeiro, Como Aumentar seu Patrimônio, Exame de Certificação CPA-10 (teoria

Leia mais

Política Anual de Investimentos Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas PREVPEL (RPPS) Exercício 2014

Política Anual de Investimentos Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas PREVPEL (RPPS) Exercício 2014 Política Anual de Investimentos Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas PREVPEL (RPPS) Exercício 2014 Política de Investimentos do RPPS do Município de Pelotas / RS aprovada

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

Fundação de Previdência dos Empregados da CEB

Fundação de Previdência dos Empregados da CEB Prezado(a) participante, Seguem informações referentes à Política de Investimento para o Plano Complementar de Benefícios da FACEB, Plano de Benefícios CEBPREV e Plano Administrativo PGA para o ano de

Leia mais

Prazos e Riscos de Mercado

Prazos e Riscos de Mercado Prazos e Riscos de Mercado A Pilla Corretora oferece aos seus clientes uma gama completa de produtos e serviços financeiros. Nossa equipe de profissionais está qualificada para atender e explicar tudo

Leia mais

Como funcionam os fundos de investimentos

Como funcionam os fundos de investimentos Como funcionam os fundos de investimentos Fundos de Investimentos: são como condomínios, que reúnem recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado

Leia mais

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, 1455 - Bairro Jardim (11) 4433-6161 Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) 2127-0003

esags.edu.br Santo André > Av. Industrial, 1455 - Bairro Jardim (11) 4433-6161 Santos > Av. Conselheiro Nébias, 159 (13) 2127-0003 APRENDA A INVESTIR O SEU DINHEIRO APRESENTAÇÃO Aprenda os princípios e conceitos de finanças pessoais para se organizar e criar a disciplina para o investimento. Conheça as melhores alternativas de investimento

Leia mais

Sonhos. Sonhos não costumam ser autorrealizáveis. É necessário agir

Sonhos. Sonhos não costumam ser autorrealizáveis. É necessário agir Sonhos Sonhos não costumam ser autorrealizáveis É necessário agir Como transformar sonhos em projetos? 1) Saiba aonde você quer chegar 2) Internalize a visão de futuro trazida pela realização do projeto

Leia mais

Políticas de Gerenciamento de Risco de Mercado

Políticas de Gerenciamento de Risco de Mercado Cooperativa de Crédito Mutuo dos Praças e Oficiais da Policia Militar do Estado de São Paulo Cooperacs - SP Políticas de Gerenciamento de Risco de Mercado Aprovados pela Diretoria Executiva em 02/08/2010

Leia mais

E-book de Fundos de Investimento

E-book de Fundos de Investimento E-book de Fundos de Investimento O QUE SÃO FUNDOS DE INVESTIMENTO? Fundo de investimento é uma aplicação financeira que funciona como se fosse um condomínio, onde as pessoas somam recursos para investir

Leia mais

Nosso presente é cuidar do seu futuro

Nosso presente é cuidar do seu futuro Nosso presente é cuidar do seu futuro Quem quer ser um milionário? Investimento Mensal - R$ 1.000,00 R$ 1.200.000,00 Evolução Patrimonial R$ 1.000.000,00 R$ 800.000,00 R$ 600.000,00 R$ 400.000,00 R$ 200.000,00

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RESOLUÇÃO Nº 19, DE 30 DE MARÇO DE 2015

CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RESOLUÇÃO Nº 19, DE 30 DE MARÇO DE 2015 EDIÇÃO 72, SEÇÃO I, PÁGINA 35, DE 16 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RESOLUÇÃO Nº 19, DE 30 DE MARÇO DE 2015 Dispõe sobre os processos de certificação, habilitação e qualificação

Leia mais

Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa

Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa Perfil do Investidor Brasileiro Experiências e Atuação Educacional da Bolsa Daniel Pfannemüller Superintendente do Instituto Educacional BM&FBOVESPA Mar/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno

Leia mais

Material Explicativo

Material Explicativo Material Explicativo Material Explicativo Índice Introdução 4 Sobre o Plano Previplan 5 Adesão 5 Benefícios do Plano 6 Entenda o Plano 7 Rentabilidade 8 Veja como funciona a Tributação 9 O que acontece

Leia mais