PPP Projeto Político Pedagógico Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus Província Nossa Senhora Aparecida Porto Alegre/RS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PPP Projeto Político Pedagógico 2011 2014 Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus Província Nossa Senhora Aparecida Porto Alegre/RS"

Transcrição

1 PPP Projeto Político Pedagógico Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus Província Nossa Senhora Aparecida Porto Alegre/RS 1

2 SUMÁRIO Apresentação...04 CAPÍTULO I 1.IDENTIDADE DA INSTITUIÇÃO Histórico Da Congregação Filhas do Sagrado Coração de Jesus no Brasi Da Associação de Literatura e Beneficência Das Relações com a Entidade Mantenedora VALORES MISSÃO VISÃO DO SERVIÇO DA EDUCAÇÃO Dos Colégios Colégio Sagrado Coração de Jesus - São Borja Colégio Teresa Verzeri - Santo Ângelo Colégio Sagrado Coração de Jesus - Ijuí Colégio Medianeira - Santiago Colégio Coração de Maria - Esteio...14 CAPÍTULO II 2.CARISMA E ESPIRITUALIDADE PRINCÍPIOS GERAIS NA ARTE DE EDUCAR CONFORME TERESA VERZERI Testemunho Liberdade e Responsabilidade Acolhida aos Educandos Conhecimento do Temperamento dos Jovens Discrição e Discernimento Respeito à Individualidade Ponderação e Prudência Recurso à Deus

3 2.2.PRESSUPOSTOS TEÓRICOS Pressupostos Evangélicos Presupostos Antropológicos Pressupostos Epistemológicos Pressupostos Sociais e Políticos Pressupostos Psicológicos...32 CAPÍTULO III 3.GESTÃO PEDAGÓGICA Proposta Curricular Processo de Ensino e Aprendizagem Metodologia Planejamento das Práticas Educativas Avaliação Recursos Tecnológicos Identidade do(a) Educador(a) Verzeriano(a) Identidade do Educando Verzeriano CONSIDERAÇÕES FINAIS...47 BIBLIOGRAFIA

4 APRESENTAÇÃO Presidente construirá a apresentação Porto Alegre, dez Maria Elvira (Presidente da ASLB) 4

5 CAPÍTULO I 1. IDENTIDADE DA INSTITUIÇÃO 1.1. Histórico Da Congregação A Congregação das Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus foi fundada em Bígamo, na Itália, no dia 08 de fevereiro de 1831, pelo Monsenhor Giuseppe Benaglio e por Teresa Eustochio Verzeri. Sensível às necessidades de sua época, e tendo já aberto uma escola para meninos pobres, Monsenhor Giuseppe Benaglio decidiu atender, também, às meninas necessitadas e possibilitar formação humana e cristã. Encontrou, em Teresa Verzeri, uma mulher audaz, corajosa e com qualidades exigidas para levar adiante o projeto. Naquela época, muito difícil para a Igreja e para os povos, Teresa Verzeri foi um dos instrumentos da Providência para cumprir os seus desígnios. Ela aparece na fileira dos Fundadores do século XIX, como MESTRA DA ESPIRITUALIDADE, APÓSTOLA E PEDAGOGA. Benaglio iniciou uma obra para educação de jovens pobres. Para garantir a continuidade daquela missão, enriquecê-la e expandi-la, o grupo inicial de educadores passou a se constituir numa comunidade religiosa, com o nome de FILHAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS. O fundador queria que a repetição, ora pronunciada ora ouvida, desse nome fosse estímulo constante ao seguimento daquele Coração Divino, todo amor-caridade para com Deus e para com o próximo. Por isso, em fidelidade ao próprio carisma, as FILHAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS são, constantemente, chamadas a encontrar formas 5

6 concretas de expressar esse amor, conforme as exigências da realidade Filhas do Sagrado Coração de Jesus no Brasil A presença da Congregação iniciou-se com uma pequena escola paroquial, em Três Maio, antigo Buricá, no Estado do Rio Grande do Sul, em 28 de dezembro de Em 1935, teve início a Província Nossa Senhora Aparecida. As Filhas do Sagrado Coração de Jesus iniciaram seu trabalho na educação e saúde; posteriormente, ampliaram o atendimento nos lares para meninas, asilos e projetos sociais, em comunidades inseridas no meio popular. Atualmente, o Brasil tem duas províncias: Província Nossa Senhora Aparecida, com sede na cidade de Porto Alegre - RS e Província Teresa Verzeri, com sede no Maceió. Irradiam seu trabalho em vários estados do Brasil, desde o Rio Grande do Sul até o Amazonas. Além da Itália e o Brasil, a Congregação está presente na Argentina, Bolívia, República Centro-Africana, Ásia e Paraguai. Integra religiosas de diversas nacionalidades, que dão continuidade ao projeto inicial dos fundadores Da Associação de Literatura e Beneficência (Entidade Mantenedora) A Associação de Literatura e Beneficência foi fundada em 30 de agosto de 1932, tem como associadas às Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus; é uma sociedade civil, de fins não econômicos, filantrópica, de caráter beneficente, educativo, cultural e de assistência social. 6

7 A Associação tem sede na rua Dr. Dario de Bittencourt, 32, na cidade de Porto Alegre, RS, e suas principais finalidades estatutárias são as seguintes: Assistir, promover e valorizar as pessoas e grupos de pessoas menos favorecidas em situação de vulnerabilidade social; Oferecer oportunidades, meios e condições para educação de base, habilitação profissional, recreação, arte, melhoria dos padrões culturais e ascensão social; Promover o convívio e a fraternidade humana, o sentido e ação comunitária, a participação e a integração social; Prestar serviços de assistência em saúde preventiva e curativa; Criar, desenvolver e manter atividades-meio para se auto sustentar e qualificar seus serviços; Estimular atividade de pesquisa científico-cultural e o desenvolvimento nas áreas de saúde, educação, assistência social e preservação ambiental; Oferecer serviços educacionais, em todos os níveis de ensino, infantil, básico (fundamental e médio), superior e modalidades de ensino para crianças, jovens e adultos; Desenvolver ações, que visem à promoção da integração no mercado de trabalho de jovens e pessoas carentes; Promover e/ ou implantar sistemas de captação de recursos, junto à comunidade em geral, para viabilizar os objetivos institucionais; Criar, congregar, assessorar, subsidiar financeiramente, firmar contratos e convênios, incorporar e promover ação conjunta com obras e 7

8 instituições congêneres ou afins, com vista à promoção humana e que se enquadrem nas finalidades previstas neste Estatuto; Implantar e administrar unidades de produção; desenvolver e incentivar práticas desportivas; orientar, assessorar, administrar e dirigir instituições de saúde, educação e assistência social, destinando os resultados, exclusivamente, à sua manutenção Das Relações com s Entidade Mantenedora Para a consecução de suas finalidades, a Associação de Literatura e Beneficência, mantém, sob sua responsabilidade, uma rede de estabelecimentos na área da saúde, educação e de assistência social, de sua propriedade e manutenção, ou de sua administração e direção, e busca apoio da comunidade, de pessoas físicas e jurídicas, instituições públicas e privadas, e de organismos nacionais e internacionais. A Associação de Literatura e Beneficência é responsável, perante as autoridades públicas e o público em geral, pelos estabelecimentos mantidos, incumbindo-lhe tomar às medidas necessárias ao seu bom funcionamento, respeitando os limites da Lei, Regimento, a liberdade acadêmica dos corpos docentes e discentes. A entidade mantenedora reserva-se o direito de deliberar sobre a administração dos estabelecimentos mantidos, conforme previsão estatutária, podendo delegá-la, no todo ou em parte, à Diretoria nomeada em ato competente. 8

9 VALORES: 1.Caridade do Coração de Jesus 2.Cordialidade nas Relações 3.Respeito às diferenças 4.Justiça 5.Solidariedade 6.Profissionalidade MISSÃO: Promover a vida e a dignidade humana para tornar visível a Caridade do Coração de Jesus VISÃO: Ser presença significativa na Educação, Saúde, Assistência Social e na Inserção em meios populares, reconhecida pela prática dos valores da Instituição Verzeri, sustentabilidade, qualidade das relações e dos serviços DO SERVIÇO DA EDUCAÇÃO: Em 1931, as primeiras irmãs missionárias chegaram ao Brasil, sem nenhuma outra pretensão a não ser encarnar a amor do Coração de Jesus em terras latino-americanas. Desafiadas e fortalecidas pela fidelidade aos princípios educativos das FILHAS DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS, transmitidos por Santa Teresa Verzeri, em seus escritos, definiram e desenharam a educação como OBRA DE AMOR. Princípios estes pautados em uma missão educativa que se concretiza no testemunho de vida, na liberdade, na responsabilidade, na acolhida aos educandos, no conhecimento do temperamento dos jovens, na discrição, no discernimento, no respeito à individualidade, na ponderação, na prudência e na recorrência a Deus, para perceber e fazer a Sua Vontade. Neste mesmo ano, as 9

10 irmãs FSCJ iniciaram a missão educativa, fundando um colégio na cidade de Buricá, hoje Três de Maio/RS. Atualmente, as Instituições Verzeri contam com cinco escolas no Rio Grande do Sul, sempre atentas ao momento histórico e aos desafios da realidade Dos Colégios: Colégio Sagrado Coração de Jesus São Borja - RS D. Hermeto José Pinheiro, bispo de Uruguaiana e Monsenhor Patrício Petit-Jean, vigário de São Borja, pensaram na existência de um colégio católico, dirigido por Irmãs, em São Borja. Em 19 de fevereiro de 1932, foi fundado por religiosas lideradas pela Madre Maria Antônia Perini, o Colégio Sagrado Coração de Jesus, tendo o privilégio de erguer-se sobre as ruínas do antigo Colégio Jesuíta de São Francisco de Borja. Em sua atuação, há mais de sete décadas, sempre se inspirou na filosofia e nos escritos de Santa Teresa Verzeri, colocando a Educação a serviço da realização e da felicidade do ser humano. Atualmente, o Colégio busca ser uma Escola de referência regional em qualidade, procurando concretizar sua proposta metodológica através de projetos interdisciplinares, que oportunizam a integração com a comunidade e favorecem o desenvolvimento de competências e habilidades. Mantêm os Cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Curso Normal, Curso Técnico de Enfermagem. No 1º, 2º, 3º e 4º ano do Ensino Fundamental, proporciona oficinas variadas que visam ao desenvolvimento de habilidades e à interação com o contexto sócio-cultural dos alunos. 10

11 Consciente de seu papel na sociedade são-borjense diversificou seus espaços de atuação, oferecendo: Sala de Multimeios, Laboratórios de Informática e de Ciências, Bibliotecas, Matemotepa, Parque Infantil, Salão de atos, Capela Colégio Teresa Verzeri Santo Ângelo RS O Colégio Teresa Verzeri foi fundado em 1º de março de 1932, na cidade de Santo Ângelo, por um grupo de religiosas, lideradas pela Madre Catarina Lépori, constituindo-se na segunda escola a ser implantada pelas Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus no Estado do Rio Grande do Sul. A história do Colégio Teresa Verzeri é parte da história de Santo Ângelo, numa interação muito significativa. Atualmente, o Colégio mantém os cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio e coloca à disposição da comunidade escolar uma ampla estrutura física e pedagógica. Com um currículo sempre atualizado e inovador, acompanha a evolução tecnológica e metodológica em suas práticas; oferece laboratórios de Ciências Físicas e Biológicas e Informática; salas ambientes para atividades de Física, Matemática, Geografia, História, Canto, Dança e Brinquedos, além de amplo Parque Infantil, Ginásio de Esportes, Área coberta, amplo pátio, Auditório, Capela e outras dependências. Em sua ação, prioriza o educando e a construção de seu conhecimento e incentiva o professor a tornar-se um profissional competente e audaz, ciente da necessária interdisciplinaridade, em sua prática, e do contexto multicultural em que se insere. Também, coerente com o carisma da Congregação, a Escola desenvolve projetos sociais e de promoção humana, 11

12 envolvendo crianças, adolescentes e jovens de famílias de baixa renda Colégio Sagrado Coração de Jesus- Ijuí RS O Colégio Sagrado Coração de Jesus de Ijuí foi fundado em 21 de outubro de 1934 atendendo um desejo da comunidade ijuiense de implantar uma escola de confissão católica. A partir de 1994, é administrado por direção leiga. Tem como fontes inspiradoras de seu trabalho educativo, juntamente com professores, alunos, pais e funcionários, o projeto de Jesus Cristo e os Princípios Pedagógicos da fundadora, Santa Teresa Verzeri. Atualmente, o Colégio Sagrado Coração de Jesus oferece à Comunidade Regional: Educação Infantil (a partir de 1 ano e 6 meses), Ensino Fundamental e Ensino Médio. Conta com um grupo de 48 professores, 05 estagiários, 17 funcionários e 06 Irmãs que acompanham o aluno em seu processo de crescimento pessoal e intelectual para que desenvolva suas potencialidades, na vivência da fraternidade, do diálogo, a fim de interagir positivamente na sociedade, para que ela se torne mais cristã, humana e solidária. Cientes da importância das questões sociais, principalmente no que se refere à participação de empresas ou instituições na ajuda de grupos que necessitam de apoio, a Escola desenvolve o Projeto Social, em parceria com a Paróquia Nossa Senhora da Natividade e Gabinete 1ª Dama, através de ações solidárias junto às diversas pastorais que a Igreja presta assistência. O Colégio Sagrado Coração de Jesus, oferece à sua comunidade escolar recursos pedagógicos variados e ambientes especiais propícios ao desenvolvimento do processo de aprendizagem. 12

13 A Associação de Pais e Mestres, Clube de Mães, Associação de Professores e Funcionários e Grêmio Estudantil são instituições da Escola, dinâmicas e atuantes, que exercem com entusiasmo atividades inerentes à sua função, com o objetivo fortalecer os laços entre os membros da comunidade escolar. Em 2010 o CSCJ inovou com a aquisição de três Lousas Interativas, como um recurso pedagógico a mais que será utilizado pelo professor nas suas aulas com recursos em 3D. Também foi implantado o Portal Educacional através de uma parceria com a Escola, que tem por intuito encorajar e disseminar o uso das novas tecnologias, pesquisas na internet e interatividade com as Famílias, as quais possuem uma senha de acesso restrito. Buscando atender as constantes mudanças e descobertas científicas e tecnológicas a escola procura atualizar a proposta pedagógica, sempre atenta às tendências educacionais Colégio Medianeira Santiago RS O calendário marcava Madre Catarina Lépori partiu, com um grupo de Irmãs, rumo a Santiago. E, no dia 1º de março de 1945, finalmente, chegaram em nossa cidade. Uma semana depois, foi celebrada a 1ª missa do Colégio Medianeira. Comprometido com o Carisma da Congregação das Filhas do Sagrado Coração de Jesus e a Proposta Verzeriana, que valoriza a Educação como o bem maior de todo o ser humano, o Colégio Medianeira oferece uma aprendizagem diferenciada e de qualidade, fundamentada em princípios morais, éticos e cristãos, com o objetivo de formar pessoas críticas e conscientes no exercício da 13

14 cidadania, capazes de transformar a realidade. Conta com um espaço privilegiado, seguro e com ambientes variados, que auxiliam na construção do conhecimento. Sua Equipe Gerencial e Pedagógica, bem como seu Corpo Docente estão habilitados para oferecerem serviços da melhor qualidade. Esta é a grande Família Medianeira: Direção, Serviços, Professores, Alunos, Pais, Funcionários e Colaboradores, que, há mais de seis décadas, vêm contribuindo com a educação em Santiago e região. O Colégio mantém, hoje, os cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Técnico em Secretariado e Curso Normal e Aproveitamento de Estudos ou Normal Pós Ensino Médio. Também disponibiliza seu espaço físico para Cursos Universitários, como no momento, para a UNOPAR - Universidade do Norte do Paraná, para seminários, formaturas e outros eventos da Comunidade. Ainda, para desenvolver atividades complementares, conta com três amplas quadras de esporte, um pavilhão coberto e o ginásio de esportes. EDUCAR O CORAÇÃO COM O CORAÇÃO Colégio Coração de Maria Esteio RS Fundado em 19 de março de 1949, o Colégio Coração de Maria desenvolve um trabalho de cunho educacional, preservando valores cristãos e formando gerações ativas e participativas. Nossa missão funda-se nos valores verzerianos e Busca promover educação integral de excelência, desenvolvendo nos educandos potenciais intelectuais e valores humano cristãos, para atuarem em uma sociedade que prioriza relações, inovação e responsabilidade socioambiental. 14

15 Como diferenciais, temos: a metodologia de projetos pedagógicos; aulas significativas e práticas com uso de recursos diversos (laboratórios de informática, ciências físicas e biológicas, sala multimídia); plantão tira-dúvidas; programa de nivelamento educacional; acompanhamento individualizado; Este trabalho é acompanhado através da mediação pedagógica docente e discente. Temos também aulas de inglês desde a Educação Infantil e Espanhol desde a quarta série/ quarta ano do Ensino Fundamental, os alunos participam de projetos de Iniciação Científica, Robótica Educacional com o LEGO, Educação Física por modalidades esportivas. O Colégio oferece oficinas de música, capoeira, ballett, teatro, robótica, jazz, judô. Neste sentido, e guiado pelo Carisma de Santa Teresa Verzeri, o Colégio Coração de Maria criou o Programa Resgatando Vidas, que busca atender as demandas de convívio familiar e comunitário e de acesso à profissionalização através projetos sociais. Nossa proposta pedagógica provém do lema de Santa Teresa Verzeri: Bondade, firmeza e muito amor! CAPÍTULO II 2. CARISMA E ESPIRITUALIDADE Teresa Verzeri dedicou-se a uma vida intensa de doação, caridade e auxílio aos mais necessitados da época dando especial atenção às crianças, aos adolescentes, aos jovens, a educação e a formação de personalidades cristãs. Em seu caminho espiritual foi orientada por Monsenhor Giuseppe Benaglio, que acompanhou a família. Da infância a idade adulta deixou-se iluminar pelo espírito da verdade, que anima a uma constante e intensa luta espiritual. 15

16 Teresa Verzeri uma grande mulher: MESTRA DE ESPIRITUALIDADE, APÓSTOLA E RECONHECIDA EDUCADORA, fez a diferença em sua época e continua deixando marcas através do legado deixado as Filhas do Sagrado Coração de Jesus e a todos aqueles e aquelas que continuam seu projeto. Segundo Murad, diante de Jesus, somos todos seguidores, aprendizes e irmãs (ãos). Recebemos a missão de levar avante o carisma fundacional. Animar as pessoas a serem seguidoras de Jesus e continuadoras do Carisma. Conhecer, fazer parte da Instituição Verzeri, é aprender do Coração de Jesus: contemplar, estudar, aprender dele o caminho da santidade, praticar virtudes que Ele praticou especialmente a caridade para com o Pai e com a humanidade. São dimensões essenciais da espiritualidade, segundo a tradição das FSCJ. Pode-se comprovar no Livro dos Deveres onde Santa Teresa Verzeri diz: Jesus Cristo, a vós e ao vosso Instituto, fez precioso Dom do seu Coração, para que, não de outros, mas dele, aprendais a santidade, porque Ele é da verdadeira santidade, a fonte inesgotável. Do dom recebido vem o nome: Filhas do Sagrado Coração de Jesus, filhas do amor. Tudo deve acontecer na simplicidade, verdade, justiça, relação de proximidade, coração a coração, pensando conforme o íntimo do Coração de Jesus, tornando-se, como Ele, eucaristia para o mundo PRINCÍPIOS GERAIS NA ARTE DE EDUCAR, CONFORME TERESA VERZERI Os princípios Gerais na Arte de Educar, conforme Teresa Verzeri fundamentam a prática pedagógica, através da concepção de educação e dos pressupostos teóricos dos colégios da Instituição Verzeri. 16

17 Testemunho Testemunhar é declarar ter visto, ouvido ou conhecido. É manifestar, expressar, revelar. É confirmar, comprovar. Dar testemunho não é resultado de uma programação. Testemunho é conseqüência. O testemunho é um dos princípios educacionais, onde a ação de presença é evidenciada pelos valores éticos da convivência e nas relações humanas, que acontecem no diálogo, que deve ser permanente. A valorização das ações e dos exemplos são fundamentais para que o educando possa se espelhar no agir dos educadores, que são seus referenciais mais imediatos. Daí que toda interação seja precedida pela reflexão e posterior revisão, para que seja um autêntico testemunho de vida. A este propósito afirma Santa Teresa Verzeri: Quem quiser ser verdadeiramente útil aos jovens, deverá precedê-los em todas as virtudes com o exemplo, lembrando-se de que se obtém muito mais silenciando e agindo do que falando sem agir, e que o progresso do discípulo não se obtém pela voz do mestre mas por seu exemplo. A experiência comprova esta verdade: é necessário viver antes, o que pretende ensinar aos outros. É indispensável mostrar com o exemplo o que se pretende ensinar com palavras. (Livro dos Deveres, edição portuguesa, Vol.II, p , 1981). 17

18 Liberdade e Responsabilidade O processo de educação autêntica desperta e desenvolve valores, aprofundando-os e orientando o educando para o exercício constante do discernimento, pela participação e a liberdade. Nessa perspectiva, o processo educativo passa a ser entendido como prática da liberdade. A escola se transforma, assim, num espaço de atuação mais livre, espontânea e igualitária, na qual cada educando passa a se constituir sujeito de sua própria história, construindo uma personalidade autônoma e livre, através da liberdade de ação e de escolha. O limite, porém, entre liberdade total e liberdade responsável, é tênue. A liberdade responsável é uma opção da pessoa e uma conquista, assumida como processo existencial que conduz a autonomia. Na responsabilidade perante as próprias decisões, a relação com os demais e com a natureza, o ser humano torna-se sujeito livre, responsável assumindo sua identidade, no seu projeto de vida. Santa Teresa Verzeri, ao falar sobre liberdade em educação, afirmou: Sempre dentro dos limites do regulamento e da obediência, deixe-se aos jovens certa liberdade, para que saibam que o jugo do Senhor é suave e seus servos são livres. Uma prudente liberdade fará os educandos agirem com espontaneidade e liberdade, a fazerem com prazer aquilo que fariam, talvez, com dificuldade e revoltadas se coagidas. (Livro dos Deveres edição portuguesa, Vol. II, p , 1981). 18

19 Acolhida aos Educandos Acolher é atitude do coração. É uma forma de humanizar-se e de humanizar. Para isso, importa dar-se conta de que o outro existe. Ele e eu, em relação recíproca, teremos melhores condições de vida, além de maiores possibilidades de contribuir para tornar a sociedade humana e feliz. A escola, portanto, torna-se espaço que favorece a comunhão e a participação dos educandos entre si, com os educadores, familiares, comprometendo-se com ações de solidariedade e humanizando-se a partir de Jesus Cristo Este preceito é enaltecido por Santa Teresa Verzeri: Vós minhas diletíssimas, que deveis ser animadas e conduzidas por uma sólida caridade, tende para com essas jovens difíceis... o olhar atento e o coração benigno, indo ao encontro de suas necessidades, assim que podeis. A natureza e o amor-próprio levam-nos a prodigalizar atenções e cuidados para com as jovens que demonstram afeição, estima e respeito, que falam bem de nós. Mas a verdadeira caridade olha com predileção aquelas que nos detestam, que nos desprezam e falam mal de nós, reconhecendo-as especialmente necessitadas de ajuda e apoio (Livro dos Deveres, edição portuguesa, Vol. II. P , 1981) Conhecimento do temperamento dos Jovens Movidos pela paixão para com a juventude, os educadores agem com serenidade, com capacidade de unir afetividade e conhecimento, ternura e vigor, tanto no pensar como no agir. Apresentam, também, um posicionamento decidido e acolhedor de quem sabe ser firme com suavidade, enérgico com doçura e exigente sem ferir. Para isso, se criam as condições necessárias para que todos os educandos se sintam pessoas com possibilidades e limites, 19

20 e se desenvolvam para o exercício da cidadania e para a construção de uma sociedade justa, fraterna e democrática. Em educação, é necessário olhar as individualidades, respeitar as diferenças e o ritmo de cada um. Santa Teresa Verzeri enfatiza a importância do conhecimento do temperamento dos educandos para sensibilizá-los e orientá-los eficazmente, considerando as diferenças individuais, como postura educativa. Estudai-lhes o temperamento, observando suas manifestações, inclinações e movimentos espontâneos, até conhecê-los o mais profundamente possível, para formar deles um juízo acertado. Enquanto não conhecerdes o temperamento dos jovens, não adoteis nenhum método específico. É preferível que permaneçam algum tempo privados do seu alimento, a receberem outro não condizente. (Livro dos Deveres, Edição portuguesa, Vol. II, p. 178, 1981) Discrição e Discernimento A capacidade de discernir é uma exigência da condição humana. Implica o exercício de análise crítica da realidade com vistas à justa avaliação da mesma e o compromisso conseqüente de ações internas, posições mentais e cordiais, atitudes pessoais ou grupais, diante de acontecimentos, situações, problemas, pessoas, sem discriminação de cor, credo, deficiências, diante de si mesma e na relação com os outros, com o universo criado e com Deus. A interação educando - educador proporciona momentos de reflexão, experimentação, de forma autônoma e responsável. O educador é, portanto, presença orientadora e norteadora que, com discrição e prudência, se mostra atento 20

21 aos anseios e às necessidades dos educandos. O senso de oportunidade, medida, cordialidade, simplicidade e confiança serão atitudes imprescindíveis na vida e na prática docente. Por isso, é necessário conhecer a história de cada educando. Ouvir mais do que falar. Utilizar-se de meios adequados para chegar ao coração e à mente dos jovens. Conhecer, pelo menos em parte, os sonhos, angústias, esperanças e buscas. Oferecer a cada um o necessário. E não mais do que isso, para que o conhecimento, adquirido com sua própria capacidade e imaginação, leve o educando ao seu aperfeiçoamento interior. A partir desse olhar, o educador terá elementos para subsidiar sua pratica pedagógica, num empenho de educação para a virtude, conforme o Carisma e a Espiritualidade do Coração de Jesus. Santa Teresa Verzeri assim se expressa: No trato e na educação da juventude, usai de extrema discrição. Mantendo firme o propósito de educá-la para a virtude e orientá-la para Deus. Com base no conhecimento de cada uma, estabelecei a maneira de tratá-las. Algumas requerem um trato enérgico, outras, afável; algumas, rígido e outras, suave; reservado com algumas e aberto e familiar com outras. Daí, a cada uma, o que lhe for adequado; sendo isso, e não algo diferente, o que se faz necessário para conduzi-las à virtude e aperfeiçoá-las no espírito (Livro dos Deveres, edição portuguesa, Vol II p , 1981) Respeito à Individualidade Nossa sociedade é marcadamente multicultural, integrada por diferentes grupos, etnias, culturas e credos religiosos. Neste contexto, a escola precisa ser lugar de diálogo e boa convivência, para que as transformações 21

22 sociais não se tornem desigualdades sociais, mas busca da paz e da inclusão de todos. Sendo assim, a construção da cidadania passa pela valorização das diferentes culturas, dentro da sua própria comunidade, e busca ultrapassar os seus limites, também no que diz respeito ao conhecimento. Esse é um grande desafio que perpassa todo o fazer pedagógico, oportunizando um atendimento focado no seu ritmo de aprendizagem, nas suas necessidades e nas suas expectativas. Agir com retidão para orientar com sabedoria. Não fazer exigências rigorosas, mas atuar com paciência, confiança, bondade e firmeza. A partir disso, a educação, alicerçada nos princípios de Santa Teresa Verzeri, prioriza a formação e o desenvolvimento integral do educando Assim se expressa Santa Teresa Verzeri: Sede atentas para não pretender conduzir os outros pelo caminho que vós mesmos percorreis. Esse é um erro no qual se incorre facilmente.(...) O exigir demasiado do próximo, principalmente da juventude, é sinal de que se possui bem pouco conhecimento da limitação humana e pouca a luz de Deus. Quem força uma plantinha a produzir fruto antes do tempo determinado na natureza, faz com que ela seque... Assim fazeis com vossas jovens, quando as forçais e oprimis com pretensões e rigores indiscretos, ditados pelo espírito humano, que é impaciente, e não pelo espírito de Jesus Cristo, que sabe esperar com longanimidade. (Livro dos Deveres, edição portuguesa, Vol.II, p , 1981) Ponderação e Prudência A prudência encoraja nas decisões a serem tomadas, no que se refere a avançar ou a conservar. Faz 22

23 refletir e impulsiona a agir. A pessoa prudente age com discrição, não deixa o certo pelo duvidoso; fala pouco e escuta muito; reflete antes de assumir e dá o devido tempo a cada coisa. Ao tomar decisões, procede com coragem, guarda segredo no coração, é esclarecida e cautelosa, e modera as palavras. Na adversidade, mantém-se tranqüila, sabendo discernir o que é autêntico daquilo que é falso, e não julga facilmente o próximo. Os costumes familiares dos educandos e sua bagagem histórico-sócio-cultural os acompanharão durante toda a sua existência. Por isso, é importante respeitar as diferenças com ponderação e prudência, para auxiliar o educando na compreensão e superação das próprias atitudes e comportamento. Os costumes, mesmo enraizados, podem ser modificados pela ação pedagógica do educador, desde que passe pelo desafio de compreender o que não pode ser alterado ou reestruturado. Nesse particular, Santa Teresa Verzeri diz, citando São João Batista:... ele conhecia e praticava tudo com a maior perfeição, contudo, tendo sido interrogado por alguns publicanos pecadores sobre o que deveriam fazer como penitência... o Santo disse-lhes: nada mais do que aquilo que está prescrito (Lc 3,13). Eis como João Batista se ateve ao extremamente necessário, sabendo que, se tivesse exigido mais, nem mesmo isso ele teria conseguido. Aprendei deles, minhas caríssimas, a ser extremamente discretas. (Livro dos Deveres Vol. III, cap. III, p e na edição portuguesa Vol. II, p. 180, 1981). 23

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL Viviane Cardoso¹ Resumo: O objetivo desse artigo é refletir como os ideais da pedagogia freireana tem contribuído para as práticas

Leia mais

Entusiasmo diante da vida Uma história de fé e dedicação aos jovens

Entusiasmo diante da vida Uma história de fé e dedicação aos jovens Entusiasmo diante da vida Uma história de fé e dedicação aos jovens A obra salesiana teve início em Turim, na Itália, onde Dom Bosco colocou em prática seus ideais de educação associados ao desenvolvimento

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade. Democracia na escola Ana Maria Klein 1

PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade. Democracia na escola Ana Maria Klein 1 PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Democracia na escola Ana Maria Klein 1 A escola, instituição social destinada à educação das novas gerações, em seus compromissos

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT

A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT A UNIVERSIDADE E OS PROJETOS SOCIAIS: PROJETO RONDON COOPERAÇÃO ENTRE A UNIVERSIDADE E COMUNIDADES DO ESTADO DO MATO GROSSO / MT Myrian Lucia Ruiz Castilho André Luiz Castilho ** A educação é um direito

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica

OBLATOS ORIONITAS. linhas de vida espiritual e apostólica OBLATOS ORIONITAS linhas de vida espiritual e apostólica Motivos inspiradores da oblação orionita laical O "carisma" que o Senhor concede a um fundador, é um dom para o bem de toda a Igreja. O carisma

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova Prof. Humberto S. Herrera Contreras O que este documento nos diz? Algumas percepções iniciais... - O título já é uma mensagem espiritual! tem movimento, aponta

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

Proposta Pedagógica. Buscando atender às necessidades da comunidade local, o Colégio La Salle Brasília oferece educação infantil, fundamental e médio.

Proposta Pedagógica. Buscando atender às necessidades da comunidade local, o Colégio La Salle Brasília oferece educação infantil, fundamental e médio. Proposta Pedagógica Visão: Ser um centro de excelência em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio que busca alcançar a utopia que tem de pessoa e sociedade, segundo os critérios do evangelho, vivenciando

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ATO DE AMOR E AFETIVIDADE Vera Lucia Conrado de Oliveira¹; Maria Zildaneide Gonzaga²; Elda Cristiane de Souza Lima³ ESCOLA SENADOR PAULO GUERRA/CABROBÓ-PE lucinhaconrado.77@gmail.com;

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível?

A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível? 1 A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível? Natália Regina de Almeida (UERJ/EDU/CNPq) Eixo Temático: Tecnologias: Pra que te quero? Resumo As novas tecnologias estão trazendo novos

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Erika Cristina Pereira Guimarães (Pibid-UFT- Tocantinópolis) Anna Thércia José Carvalho de Amorim (UFT- Tocantinópolis) O presente artigo discute a realidade das

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental TRANSVERSALIDADE Os temas transversais contribuem para formação humanística, compreensão das relações sociais, através de situações de aprendizagens que envolvem a experiência do/a estudante, temas da

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE

José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE Cabe a denominação de novas diretrizes? Qual o significado das DCNGEB nunca terem sido escritas? Educação como direito Fazer com que as

Leia mais

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS

FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS FORMAÇÃO DA CIDADANIA OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a participação juvenil na elaboração e acompanhamento das políticas públicas na área de cidadania, em nível municipal, estadual e nacional, promovendo

Leia mais

AS ATIVIDADES ESPORTIVAS E DE LAZER COMO CONTRIBUIÇÃO PARA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE IGARASSU.

AS ATIVIDADES ESPORTIVAS E DE LAZER COMO CONTRIBUIÇÃO PARA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE IGARASSU. AS ATIVIDADES ESPORTIVAS E DE LAZER COMO CONTRIBUIÇÃO PARA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE IGARASSU. Autora: MARIA JOSÉ CALADO Introdução Diante da necessidade e do direito

Leia mais

A Educação Inclusiva, realidade ou utopia?

A Educação Inclusiva, realidade ou utopia? A Educação Inclusiva, realidade ou utopia? Gloria Contenças Marques de Arruda (Escola Municipal Luiz de Lemos) Baseado em informações dos conteúdos estudados, Michels (2006) diz que "[...] as reformas

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA NECESSÁRIA RELAÇÃO PARA A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA. Dayane

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO -

REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO - REGULAMENTO DAS PASTORAIS ESCOLARES E UNIVERSITÁRIAS - ESTRUTURA, COMPETÊNCIA E FUNCIONAMENTO - INTRODUÇÃO O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, no uso de suas atribuições (Cânones, Art. 63, item XVII)

Leia mais

Resolução SME N 24/2010

Resolução SME N 24/2010 Resolução SME N 24/2010 Dispõe sobre orientações das rotinas na Educação Infantil, em escolas e classes de período integral da rede municipal e conveniada, anexos I e II desta Resolução, com base no Parecer

Leia mais

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros

Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros Tema 8: Vocação - um novo relacionamento Deus se revela através dos outros DEUS SE REVELA ATRAVÉS DOS OUTROS Ser Marista com os outros: Experimentar caminhos de vida marista comunitariamente INTRODUÇÃO

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção?

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção? MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Espiritualidade e profecia são duas palavras inseparáveis. Só os que se deixam possuir pelo espírito de Deus são capazes de plantar sementes do amanhã e renovar a face da terra. Todo

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 . PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR Secretaria Municipal de Educação e Cultura SMEC Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 Angela Freire 2

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES NO ENSINO SUPERIOR As transformações sociais no final do século passado e início desse século, ocorridas de forma vertiginosa no que diz respeito aos avanços tecnológicos

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Projeto. Supervisão. Escolar. Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita

Projeto. Supervisão. Escolar. Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita Projeto de Supervisão Escolar Adriana Bührer Taques Strassacapa Margarete Zornita Justificativa O plano de ação do professor pedagogo é um guia de orientação e estabelece as diretrizes e os meios de realização

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIRETORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO E DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO - NADEP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE RESPONSABILIDADE SOCIAL SÃO

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO ESTÁGIO DOCENTE Ato educativo supervisionado realizado no contexto do trabalho docente que objetiva a formação de educandos que estejam regularmente frequentando cursos e/ou programas de formação de professores

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS

CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS CURSO PARA CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA E COORDENADORES DE GRUPOS JOVENS Apresentação A JUVENTUDE MERECE ATENÇÃO ESPECIAL A Igreja Católica no Brasil diz que é preciso: Evangelizar, a partir de Jesus Cristo,

Leia mais

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC 1. ESPAC O QUE É? A ESPAC é uma Instituição da Arquidiocese de Fortaleza, criada em 1970, que oferece uma formação sistemática aos Agentes de Pastoral Catequética e

Leia mais

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior UNIrevista - Vol. 1, n 2: (abril 2006) ISSN 1809-4651 A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior Marilú Mourão Pereira Resumo Fisioterapeuta especialista em neurofuncional

Leia mais

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO 1 ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO VOGEL, Deise R. 1 BOUFLEUR, Thaís 2 RAFFAELLI, Alexandra F. 3 Palavras chave: Espaços adaptados; experiências;

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE CATAGUASES - FIC /UNIS CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL

FACULDADES INTEGRADAS DE CATAGUASES - FIC /UNIS CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL FACULDADES INTEGRADAS DE CATAGUASES - FIC /UNIS CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: INCLUIR E SER INCLUÍDO PARA TRANSFORMAR A SOCIEDADE

Leia mais

AS IMPLICAÇÕES DA GESTÃO DEMOCRATICA NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COLETIVO Hedi Maria Luft UNIJUI Diovanela Liara Schmitt IEDB

AS IMPLICAÇÕES DA GESTÃO DEMOCRATICA NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COLETIVO Hedi Maria Luft UNIJUI Diovanela Liara Schmitt IEDB AS IMPLICAÇÕES DA GESTÃO DEMOCRATICA NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COLETIVO Hedi Maria Luft UNIJUI Diovanela Liara Schmitt IEDB Resumo Este estudo apresentado em forma de pôster tem como

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

III CONGRESSO DE EDUCAÇÃO CATÓLICA DA ANEC

III CONGRESSO DE EDUCAÇÃO CATÓLICA DA ANEC III CONGRESSO DE EDUCAÇÃO CATÓLICA DA ANEC GRUPOS DE TRABALHO EIXO 01 ENSINO RELIGIOSO, PASTORAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL GT: ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA CATÓLICA Ementa: A identidade do ensino religioso

Leia mais

Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva

Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva Pastoral Juvenil Salesiana Concepção e Fundamentos Gilberto Antonio da Silva Fundamentos Dom Bosco Madre Mazzarello Movidos pelo ES tiveram clara consciência de ser chamados por Deus a uma missão singular

Leia mais

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009.

Plano de Ação. Colégio Estadual Ana Teixeira. Caculé - Bahia Abril, 2009. Plano de Ação Colégio Estadual Ana Teixeira Caculé - Bahia Abril, 2009. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR Unidade Escolar: Colégio Estadual Ana Teixeira Endereço: Av. Antônio Coutinho nº 247 bairro São

Leia mais

Introdução. 1.2 Escola Católica

Introdução. 1.2 Escola Católica Introdução A Escola Sagrada Família Externato é uma Escola Católica e é regida pelo Ideário das Escolas da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias e o Estatuto da Associação Portuguesa

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO Texto:Ângela Maria Ribeiro Holanda ribeiroholanda@gmail.com ribeiroholanda@hotmail.com A educação é projeto, e, mais do que isto,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ponte Alta Processo Seletivo Edital 001/2014 Monitor Desportivo

Prefeitura Municipal de Ponte Alta Processo Seletivo Edital 001/2014 Monitor Desportivo 1 CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões) 1. Em seu Artigo 1º, a Lei Orgânica da Assistência Social LOAS, explica que a assistência social é: a. Uma política de seguridade social que provê os mínimos sociais

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR

UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR UMA CONSTRUÇÃO DE GESTÃO DEMOCRÁTICA/PARTICIPATIVA NO ÂMBITO ESCOLAR Neiva Maestro 1 A participação, sem dúvida, é o principal meio de se assegurar a gestão da escola que se quer democrática. Deve possibilitar

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil NOSSA MISSÃO: Por meio da educação formar cidadãos felizes, independentes, éticos e solidários VALORES: Respeito, honestidade, boa moral

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos

Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos 11) Analisando a relação entre desenvolvimento e aprendizagem na perspectiva de Vygotsky, é correto afirmar que: a) Desenvolvimento e aprendizagem

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Atendimento e o Currículo para o Trabalho com Pessoas com Necessidades Educativas Especiais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Atendimento e o Currículo para o Trabalho com Pessoas com Necessidades Educativas Especiais EDUCAÇÃO INCLUSIVA: Atendimento e o Currículo para o Trabalho com Pessoas com Necessidades Educativas Especiais Edilson José de Carvalho¹ Jarbas de Holanda Beltrão² 1 Pedagogo e Especialista em Educação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS FUNCIONÁRIOS NO PROCESSO EDUCATIVO NAS ESCOLAS

A IMPORTÂNCIA DOS FUNCIONÁRIOS NO PROCESSO EDUCATIVO NAS ESCOLAS A IMPORTÂNCIA DOS FUNCIONÁRIOS NO PROCESSO EDUCATIVO NAS ESCOLAS Carine Ferreira Machado Virago 1 Carla Cristiane Costa 2 Resumo: A nova conjuntura educacional, voltada especialmente a uma educação integral

Leia mais

Projeto Música e Cidadania no CAp: Extensão, Universidade, Comunidade

Projeto Música e Cidadania no CAp: Extensão, Universidade, Comunidade 1 Projeto Música e Cidadania no CAp: Extensão, Universidade, Comunidade Maria Helena de Lima helenal@terra.com.br/helena.lima@ufrgs.br Universidade Federal do Rio Grande do Sul Resumo. Este artigo constitui

Leia mais

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família

A transmissão da fé na Família. Reunião de Pais. Família A transmissão da fé na Família Reunião de Pais Família Plano Pastoral Arquidiocesano Um triénio dedicado à Família Passar de uma pastoral sobre a Família para uma pastoral para a Família e com a Família

Leia mais

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE

PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE PROVÍNCIA MARISTA DO BRASIL NORTE Espiritualidade Apostólica Marista Ir. José Milson de Mélo Souza Ano de Deus Pai LADAINHA DE SÃO MARCELINO CHAMPAGNAT (Ir. José Milson) V. Senhor, tende piedade de nós.

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões)

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões) 1. Paulo Freire na sua concepção pedagógica parte de alguns princípios que marcam, de forma clara e objetiva, o seu modo de entender o ato educativo. Considerando as características do pensamento desse

Leia mais

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 LEGENDA: EM VERMELHO O QUE INCLUÍMOS NO FÓRUM EJA / RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE VERDE PROPOSTA

Leia mais

PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS

PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS PROTEÇÃO INTEGRAL EM REDES SOCIAIS ENCONTRO DE GRUPOS REGIONAIS DE ARTICULAÇÃO- ABRIGOS - SÃO PAULO O QUE É UMA REDE DE PROTEÇÃO SOCIAL? sistemas organizacionais capazes de reunir indivíduos e instituições,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA SC CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSORA MARIA ORIBKA KERECZ CRAVEIRO SANTA TEREZINHA SC

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA SC CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSORA MARIA ORIBKA KERECZ CRAVEIRO SANTA TEREZINHA SC SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA TEREZINHA SC CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSORA MARIA ORIBKA KERECZ CRAVEIRO SANTA TEREZINHA SC PREMIO AMAVI EDUCAÇÃO 2013 PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO QUALIDADE

Leia mais

Tudo o que você precisa saber para ter filhos éticos, inteligentes, felizes e de sucesso

Tudo o que você precisa saber para ter filhos éticos, inteligentes, felizes e de sucesso Tudo o que você precisa saber para ter filhos éticos, inteligentes, felizes e de sucesso SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 15 2. COMUNICAÇÃO E DIÁLOGO ENTRE PAIS E FILHOS 23 2.1 O problema da comunicação entre pais

Leia mais

Aprendizes do Futuro: como incorporar conhecimento e transformar realidades Eduardo Carmello

Aprendizes do Futuro: como incorporar conhecimento e transformar realidades Eduardo Carmello Aprendizes do Futuro: como incorporar conhecimento e transformar realidades Eduardo Carmello Para suportar as intensas mudanças nos próximos 10 anos, Aprendizes do Futuro compreendem que é necessário criar

Leia mais

Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda Cinara Rizzi Cecchin Uma das primeiras certezas que o professor deve ter é que as crianças sempre

Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda Cinara Rizzi Cecchin Uma das primeiras certezas que o professor deve ter é que as crianças sempre Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda Cinara Rizzi Cecchin Uma das primeiras certezas que o professor deve ter é que as crianças sempre sabem alguma coisa, todo educando pode aprender, mas

Leia mais

DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO: Horário matutino: de 5º ao 9 º ano do Ensino Fundamental.

DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO: Horário matutino: de 5º ao 9 º ano do Ensino Fundamental. NÍVEIS E MODALIDADES DE ENSINO: EDUCAÇÃO INFANTIL: Maternal III: 3-4 anos 1º Período: 4-5 anos 2º Período: 5-6 anos ENSINO FUNDAMENTAL: Novatos: 1º ano matrícula com 6 anos completos (até 31 de março)

Leia mais

ESPIRITUALIDADE: Como um valor imprescindível para a educação

ESPIRITUALIDADE: Como um valor imprescindível para a educação ESPIRITUALIDADE: Como um valor imprescindível para a educação Janaina Guimarães 1 Paulo Sergio Machado 2 Resumo: Este trabalho tem por objetivo fazer uma reflexão acerca da espiritualidade do educador

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

Entrevista - Espiritualidade nas empresas

Entrevista - Espiritualidade nas empresas Entrevista - Espiritualidade nas empresas 1 - O que podemos considerar como espiritualidade nas empresas? Primeiramente considero importante dizer o que entendo por espiritualidade. Podemos dizer que é

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO. Programa de Responsabilidade Social

INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO. Programa de Responsabilidade Social INESUL / FAEC FACULDADE EDUCACIONAL DE COLOMBO Programa de Responsabilidade Social APRESENTAÇÃO 2 O equilíbrio de uma sociedade em última instância, é formada pelo tripé: governo, família e empresa. Esperar

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

A individualização e a flexibilidade na construção de contextos educacionais inclusivos

A individualização e a flexibilidade na construção de contextos educacionais inclusivos A individualização e a flexibilidade na construção de contextos educacionais inclusivos ARANHA, M.S.F.. A individualização e a flexibilidade na construção de contextos educacionais inclusivos. Resumo de

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva

CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES. Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva CURSO PREPARATÓRIO PARA PROFESSORES Profa. M. Ana Paula Melim Profa. Milene Bartolomei Silva 1 Conteúdo: Concepções Pedagógicas Conceitos de Educação; Pedagogia; Abordagens Pedagógicas: psicomotora, construtivista,

Leia mais