O Projeto Político-Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Projeto Político-Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola"

Transcrição

1 O Projeto Político-Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola

2

3 Projeto Político-Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola OPaulo Gomes Lima Meira Chaves Pereira

4 Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi Profa. Dra. Benedita Cássia Sant anna Prof. Dr. Carlos Bauer Profa. Dra. Cristianne Famer Rocha Prof. Dr. Fábio Régio Bento Prof. Dr. José Ricardo Caetano Costa Prof. Dr. Luiz Fernando Gomes Profa. Dra. Milena Fernandes Oliveira Prof. Dr. Ricardo André Ferreira Martins Prof. Dr. Romualdo Dias Profa. Dra. Thelma Lessa Prof. Dr. Victor Hugo Veppo Burgardt 2013 Paulo Gomes Lima; Meira Chaves Pereira Direitos desta edição adquiridos pela Paco Editorial. Nenhuma parte desta obra pode ser apropriada e estocada em sistema de banco de dados ou processo similar, em qualquer forma ou meio, seja eletrônico, de fotocópia, gravação, etc., sem a permissão da editora e/ou autor. L6286 Lima, Paulo Gomes; Pereira, Meira Chaves. O Projeto Político Pedagógico e a possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola/Paulo Gomes Lima; Meira Chaves Pereira. Jundiaí, Paco Editorial: p. Inclui bibliografia. ISBN: Canais de legitimação democrática 2. Projeto político-pedagógico 3. Emancipação 4. Democracia I. Lima, Paulo Gomes; II. Pereira, Meira Chaves. CDD: 370 Índices para catálogo sistemático: Educação Pedagogia 370 Escola Métodos De Ensino. Pedagogia. A Escola Política Escolar 371 IMPRESSO NO BRASIL PRINTED IN BRAZIL Foi feito Depósito Legal

5 Sumário Introdução...7 Capítulo I O Projeto Político-Pedagógico e os Condicionantes Sócio-Históricos da Gestão Participativa e Democrática da Escola no Brasil A Construção da Democracia na Escola Brasileira A Reestruturação Produtiva Mundial e as Exigências de uma Tipologia de Trabalhador Condicionantes Sócio-Históricos da Gestão Participativa, Democrática e do Projeto Político-Pedagógico na Escola Brasileira...28 Capítulo Ii O Projeto Político-Pedagógico como Instrumento do Exercício Participativo e Democrático Caracterização do Projeto Político-Pedagógico da Escola e Protagonistas Os Condicionantes Internos da Participação da Comunidade na Construção do PPP As Condições de Trabalho ou os Condicionantes Materiais da Participação Os Condicionantes Institucionais Condicionantes Político-Sociais Condicionantes Ideológicos O Sentido da Participação Comunitária na Elaboração do PPP: Entre o Consentimento e a Consciência Coletiva...55

6 Capítulo III O Projeto Político-Pedagógico numa Perspectiva Democrática e Emancipatória da Escola Um Olhar Sobre a Democracia e Emancipação Conferidas às Escolas Brasileiras A Leitura do Real e a Solicitação de Outro Desenho de Democracia e Emancipação a partir do PPP da Escola O Projeto Político-Pedagógico Orientado por uma Lógica Democrática e Emancipatória...73 Considerações Finais...85 Referências...9

7 Introdução A temática central deste livro foi desencadeada a partir de leituras e discussões sobre a realidade da escola no Brasil e o processo de democratização nas tomadas de decisões em seu interior. Acerca deste foco, Vitor Henrique Paro (1996) destaca que a década de 1980 será condicionada por uma efervescência quanto aos âmbitos de participação da comunidade intra e extraescolar considerando as instâncias respectivas: conselhos de escola, colegiados específicos, associações de pais e mestres, dentre outros, como canais de legitimação do processo de redemocratização no Brasil. Portanto, esta década é identificada como um divisor de águas entre um período autoritário e o anseio pela inauguração de uma sociedade democrática, consequentemente, pela garantia de espaços e tempos do direito a ter direitos. Em relação ao processo de democratização, a palavra-chave é participação como direito inalienável e exercício concreto da vida democrática para a cidadania. Numa primeira inquietação, a participação garantiria a efetivação da gestão democrática na escola, harmonizando-se com a estrutura social do capital? Por meio das lutas dentro e fora da escola na reivindicação da escolha de diretores, o exercício da autonomia e socialização das responsabilidades e tomada de decisão dos interesses comunitários, via instrumentos ou canais legítimos de participação como o Projeto Político-Pedagógico, dentre outros, podemos afirmar que já atingimos a dimensão necessária de gestão democrática para a escola brasileira em meio a uma pretensa estrutura social solidária em nível nacional e internacional a partir dos interesses do mercado? Tais questões solicitam uma contextualização da construção da perspectiva democrática na escola brasileira e respectivos desdobramentos. Neste sentido, é oportuno destacar 7

8 Paulo Gomes Lima e Meira Chaves Pereira que os primeiros referenciais acerca da gestão democrática da escola no Brasil e a mobilização pelas tomadas de decisão ocorrerão em Minas Gerais e Paraná, pela proposição de uma gestão colegiada com abertura para eleição de diretores e melhoria no clima organizacional da escola. Por conta da organização didática deste trabalho e opção do autor, destacaremos o caso mineiro como ponto inicial de discussão. Neste caso, não haverá referência à construção do processo paranaense, pelo que indicamos para enriquecimento e pesquisa da realidade deste estado o trabalho de José Luciano Ferreira de Almeida (2004), em nível de dissertação de mestrado, defendida pela Universidade Federal do Paraná e que foi intitulada Concepções de Gestão Escolar e eleição da diretores da escola pública do Paraná. O tempo histórico do processo de mobilização por uma gestão escolar colegiada e eleição de diretores no estado de Minas Gerais, bem como respectiva busca pela construção e efetivação de canais legítimos de participação, se dá a partir do ano de 1983, durante o primeiro Congresso Mineiro de Educação, conforme observa Hora (2000). A partir daí, as discussões sobre o contexto de participação popular nas decisões sociais começaram a tomar corpo e maior ou menor medida, a serem contempladas nos documentos oficiais do Brasil, no que se refere ao campo educacional. No quadro de disposição dos discursos sobre democracia, representação popular, justiça social e participação coletiva que se desenvolveu a partir da década de 1980, a gestão democrática da escola pública mostrou-se como um concreto objeto de problematização dentre os que afirmam que a sua consecução foi atingida e àqueles que dizem haver um fosso entre a sua regulamentação e sua operacionalização tanto em âmbito macro (políticas públicas da educação) como em sentido micro (em cada unidade escolar) e nas relações de poder instituídas. 8

9 O Projeto-Político Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola A abertura democrática da década de 1980 refletida na Constituição Federal e reforçada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996 orientava que o exercício da gestão democrática deveria ser consolidado por meio de canais legítimos de participação, dentre eles o Projeto Pedagógico ou Proposta Pedagógica da escola. Aqui o termo político não fora contemplado, exatamente por isso e, a partir da década de 1990, tal ausência passou a causar imensa polêmica nos meios acadêmicos, constituindo-se, inclusive, objeto de discussão em inúmeros textos (Veiga, 2002; Biázzio & Lima, 2009; Ferreira & Oliveira, 2009; Bordignon, 2009). Frente ao processo de exclusão de participação histórica dos cidadãos brasileiros nas tomadas de decisão, o posicionamento que assumimos era de que omitir o político do Projeto Pedagógico seria um ato de não evocar à memória aquele processo, porque a cidadania presume participação política, elemento imprescindível ao exercício da gestão democrática. Como observam Biázzio & Lima (2009), a própria denominação Projeto Político-Pedagógico sugere uma ação coletiva, tendo a escola o papel de instrumento articulador dos interesses coletivos. Assim, as ações objetivadas pela escola, as tomadas de decisões que nela acontecem e o próprio fazer pedagógico do professor requer diálogo, discussão e posicionamento político com todos os envolvidos no processo educacional, ainda que o sistema capitalista tente desarranjar tal leitura. Neste sentido, o termo Projeto Político-Pedagógico da escola se legitima não somente por conta do memorial do processo de exclusão à gestão democrática na escola brasileira, mas por sua significação enquanto canal de consecução daquela. Concretamente sabe-se que a democracia na escola muitas vezes é vivenciada como um verniz instituído (Paro, 1996, 2008; Lima, 2009; Hora, 2001; Ferreira & Oliveira, 2009) e os seus canais de legitimação condicionam-se por fazeres tecnicistas e autocráticos. Por meio dessa leitura, afirma-se que 9

10 Paulo Gomes Lima e Meira Chaves Pereira o Projeto Político-Pedagógico não tem se consolidado como um dos canais de legitimação da gestão democrática da escola, imputando-lhe um fim em si mesmo com pouca ou nenhuma participação dos atores sociais da escola. Acerca deste olhar, Biázzio & Lima (2009) destacam que historicamente a participação de grupos sociais nas diferenciadas instituições humanas estabelecidas se dá por representatividade, destacando-se que esta, muitas vezes, não se configura como instrumento verdadeiramente válido dos anseios de distintos grupos sociais quando, por exemplo, coloca de lado seu papel e assume o discurso de grupos hegemônicos. O mesmo processo acaba acontecendo na escola onde, além de a aproximação entre representante e representado ser um veículo constantemente desprezado, muitas questões dos interesses das famílias e comunidade extraescolar deixam de ser problematizadas e encaminhadas ou mesmo passam a ser reduzidas, evidenciando-se, não raras vezes, pacotes prontos de ações da equipe técnica escolar com pouca ou nenhuma participação docente e de demais segmentos sociais, e, o pior de tudo, tais pacotes muitas vezes são fruto das políticas governamentais para o bem de todos, por isso todos deverão discutir a prescrição determinada. Essa reflexão, além das questões identificadas até aqui, conduziu-nos a formular de maneira indagativa a problemática deste livro, como segue: Que ou quais encaminhamentos são necessários ou imprescindíveis para a consolidação do Projeto Político-Pedagógico da escola como veículo legítimo da gestão participativa numa perspectiva democrática e emancipatória?. Para nos ajudar a responder a esta indagação, partimos do norteamento de que: O processo do conhecimento da investigação epistemológica deve ser caracterizado pelo desvelamento do objeto, não de forma fragmentária e/ou fragmentada, como se numa perspectiva unilateral as respostas ao problema 10

11 O Projeto-Político Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola suscitado se mostrassem suficientemente contempladas; muito pelo contrário. Esse toma como sustentação maior a totalidade do objeto, escrutinando os domínios conceituais e metodológicos que, desvelando a abrangência contextual da problemática levantada, possibilita tanto a explicação, a descrição, a compreensão, como também encaminhamentos recorrentes como críticas ou contribuições alternativas a uma dada realidade. (Lima, 2001, p. 262) Na leitura do objeto, a orientação procedimental utilizada foi a pesquisa bibliográfica, ordenada em três momentos articulados: a) identificação de informações (verificar o tipo de documentos, marcar as passagens importantes e verificar as contribuições do autor no final do trabalho, além de discutir a viabilidade e validade ou não do conjunto bibliográfico identificado); b) organização dos dados (interpretar os dados e contribuições do material); e c) redação (ordenar de forma lógica os dados com uma linguagem clara e recorrente em coerência com a abordagem utilizada para a problematização da problemática). Dentre os referenciais bibliográficos pesquisados, destacamos as contribuições de Azevedo (2002); Bordignon (2009); Ferreira & Oliveira (2009); Hora (2000); Lima, Aranda e Lima (2009); Lima (2001, 2007, 2009, 2010); Veiga (2002); Mészáros (2006); Xavier (1980, 1990); De Rossi (2006); Saraiva (1997); Paro (1996, 2008); e Freire (1987a, 1987b, 1992, 2000, 2001). Sob a orientação do texto de Lima (2001), seria necessário eleger uma abordagem de pesquisa que viabilizasse o tratamento da revisão de literatura desenvolvida e que pudesse possibilitar construções recorrentes ou um espaço de dialogicidade significativo para o desenvolvimento e resposta ao objeto de estudo. Dentre as abordagens ou paradigmas de pesquisa educacionais, optamos pelo norteamento dialético, portanto, essa investigação caracteriza-se como pesquisa bi- 11

12 Paulo Gomes Lima e Meira Chaves Pereira bliográfica de abordagem dialética. A opção por essa abordagem deu-se pelo seu caráter recorrente e dinâmico no tratamento do objeto de estudo, apresentando um duplo objetivo, conforme Freitas (1991, p. 267): [...] trabalha as determinações abstratas e estabelece relações entre elas, de forma que os opostos definam- -se mutuamente e constitui com eles uma nova totalidade (com múltiplas determinações) na qual o que antes aparecia como opostos, forma agora uma unidade que os compreende e explica. Assim, avança do simples (determinações) para o complexo (totalidade) ou ainda, do abstrato para o concreto (pensado). Portanto, a nossa escolha pela abordagem dialética deu-se por conta de sua dimensão crítico-reflexiva, na qual a educação e suas problemáticas são trabalhadas com o propósito de debater, denunciar e apontar caminhos alternativos que reorientem o fazer e pensar educativos de forma criteriosa e crítica, quer se deem em nível de políticas públicas de educação ou em nível de unidade escolar, local da implementação ou implantação (neste texto utilizaremos estas palavras no sentido de processo e execução) e vivência do Projeto Político-Pedagógico, o objeto que destacamos como recorte. O desvelamento do objeto, nessa diretriz, deu-se pela leitura da indissociabilidade entre o universo natural e o social, entre o pensamento e sua base material, entre o objeto, seu texto, seu contexto e suas questões (Minayo, 1996, p. 12); entre a ação do homem como sujeito histórico e as determinações que o condicionam, conforme a dialogicidade construída à medida que se desenvolvia a pesquisa bibliográfica. A problemática solicitou do autor a elaboração de objetivos articulados para o seu desvelamento. O objetivo geral centrou-se em analisar a possibilidade, à luz da literatura especializada, do exercício de democratização e emancipação 12

13 O Projeto-Político Pedagógico e a Possibilidade da Gestão Democrática e Emancipatória da Escola da escola no Brasil a partir do Projeto Político-Pedagógico como um dos canais legítimos da gestão democrática. Os objetivos específicos ou acessórios que foram orientados para maior clarificação do geral foram elaborados em três eixos, a saber: a) descrever os antecedentes históricos do Projeto Político-Pedagógico da escola no Brasil e os condicionantes sócio-históricos da gestão participativa; b) problematizar o Projeto Político-Pedagógico da escola como instrumento participativo democrático; e c) refletir o Projeto Político-Pedagógico da escola e encaminhamentos pertinentes a uma gestão escolar numa perspectiva democrática e emancipatória. Em nível conceitual, utilizar-se-á a sigla PPP referente ao Projeto Político-Pedagógico da escola, de forma alternada, conforme o desdobramento frasal do autor do presente livro. A hipótese central da pesquisa é a de que a participação comunitária no Projeto Político-Pedagógico da escola se faz de maneira consentida e em nível representativo, afastando-se da configuração da dimensão democrática que foi manifestada pelos movimentos sociais a partir da década de 1980 e, até mesmo, de uma perspectiva emancipatória das relações de classes existentes na atualidade. Neste sentido, por meio de pesquisa bibliográfica e a partir de uma abordagem dialética, como já destacamos, procuramos reunir pontos e contrapontos nos condicionantes sócio-históricos da escola no Brasil e seu processo de democratização a partir da proposta de participação no Projeto Político-Pedagógico. 13

14

15 Capítulo I O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO E OS CONDICIONANTES SÓCIO-HISTÓRICOS DA GESTÃO PARTICIPATIVA E DEMOCRÁTICA DA ESCOLA NO BRASIL INTRODUÇÃO Este capítulo tem como objetivo a problematização dos condicionantes sócio-históricos da gestão participativa e democrática da escola no Brasil e o Projeto Político-Pedagógico como um dos canais de sua legitimação. Estabelecemos como caminho metodológico o materialismo histórico-dialético por conta da: necessidade da recorrência dos fenômenos e a reflexão sobre os arranjos sociais outorgados e legitimados; compreensão de que as múltiplas determinações dos arranjos de produção ratificam e legitimam os interesses do sistema capitalista de maneira difusa e naturalizada pela ideologia centrada na defesa do bem comum. Tal entendimento ocorre quer pelo sentido de justiça social que se preconiza no país, quer pelas inversões internacionais por meio de múltiplos organismos que se encarregam de globalizar a nova era de intenções humanizadas, mas que ao mesmo tempo negam o sentido de hominização quanto aos processos estruturais mais básicos de dignificação de todos os atores sociais. Nesse sentido, a proposição da participação e da democracia que se quer reproduzida toma corpo e concorre para o desmonte de canais refletidos e reflexivos de sua legitimação e a naturalização de instrumentos forjados, ratificadores 15

A Educação Sexual na Escola e a Pedagogia da Infância. Matrizes Institucionais, Disposições Culturais, Potencialidades e Perspectivas Emancipatórias

A Educação Sexual na Escola e a Pedagogia da Infância. Matrizes Institucionais, Disposições Culturais, Potencialidades e Perspectivas Emancipatórias A Educação Sexual na Escola e a Pedagogia da Infância Matrizes Institucionais, Disposições Culturais, Potencialidades e Perspectivas Emancipatórias Matrizes Institucionais, Disposições Culturais, Potencialidades

Leia mais

A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial no Curso de Direito

A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial no Curso de Direito A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial no Curso de Direito A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial para a Produção de Textos no Curso de Direito Fernanda de Favre Merbach Conselho Editorial

Leia mais

Desempenho dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Administração, Ciências Contábeis e Turismo no Brasil

Desempenho dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Administração, Ciências Contábeis e Turismo no Brasil Desempenho dos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu em Administração, Ciências Contábeis e Turismo no Brasil Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP

Leia mais

Autismo e Inclusão. Experiências no Ensino Regular

Autismo e Inclusão. Experiências no Ensino Regular Autismo e Inclusão Experiências no Ensino Regular talita CRuZ autismo e Inclusão Experiências no Ensino Regular Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21

Leia mais

Conhecimento sobre o Lazer nos Cursos de Educação Física de Belém - PA

Conhecimento sobre o Lazer nos Cursos de Educação Física de Belém - PA Conhecimento sobre o Lazer nos Cursos de Educação Física de Belém - PA CONHECIMENTO SOBRE O LAZER NOS CuRSOS DE EDuCAÇÃO FÍSICA DE BELÉM - PA Gustavo Maneschy Montenegro Conselho Editorial Av. Carlos

Leia mais

Condições de Trabalho e Formação de Professoras Atuantes no Ciclo I do Ensino Fundamental

Condições de Trabalho e Formação de Professoras Atuantes no Ciclo I do Ensino Fundamental Condições de Trabalho e Formação de Professoras Atuantes no Ciclo I do Ensino Fundamental Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP

Leia mais

Racionalidade do Dinheiro. Contrapontos à racionalidade ambiental

Racionalidade do Dinheiro. Contrapontos à racionalidade ambiental Racionalidade do Dinheiro Contrapontos à racionalidade ambiental Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi Profa. Dra. Benedita

Leia mais

Índices para catálogo sistemático: Formação de professores 370.71 Didática - Métodos de ensino instrução e estudo Pedagogia 371.3

Índices para catálogo sistemático: Formação de professores 370.71 Didática - Métodos de ensino instrução e estudo Pedagogia 371.3 Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br Profa. Dra. Andrea Domingues

Leia mais

Índices para catálogo sistemático: Pedagogia 371.3 Formação de professores 370.71

Índices para catálogo sistemático: Pedagogia 371.3 Formação de professores 370.71 - Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi Profa. Dra. Benedita Cássia Sant anna Prof. Dr. Carlos Bauer Profa. Dra. Cristianne

Leia mais

1. Educação Física 2. Meio Ambiente 3. Cultura Corporal 4. Currículo Escolar I. Canciglieri, Felipe Gustavo Santos

1. Educação Física 2. Meio Ambiente 3. Cultura Corporal 4. Currículo Escolar I. Canciglieri, Felipe Gustavo Santos Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br Profa. Dra. Andrea Domingues

Leia mais

A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA

A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA Shirlei de Souza Correa - UNIVALI 1 Resumo: No contexto educacional pode-se considerar a gestão escolar como recente, advinda das necessidades

Leia mais

Cinema e Religião. Perguntas & Respostas

Cinema e Religião. Perguntas & Respostas Cinema e Religião Perguntas & Respostas Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi Profa. Dra. Benedita Cássia Sant anna Prof.

Leia mais

Trabalho Portuário e Modernização dos Portos

Trabalho Portuário e Modernização dos Portos Trabalho Portuário e Modernização dos Portos Empobrecimento e Riqueza no mesmo Contexto Eder Dion de Paula Costa Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21

Leia mais

O Tripé da Educação a Distância: regulação, docência e discência

O Tripé da Educação a Distância: regulação, docência e discência O Tripé da Educação a Distância: regulação, docência e discência Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315

Leia mais

Letramento Escolar e Cotidiano. Análise de Experiências sobre Práticas de Letramento à Luz da Crítica Social

Letramento Escolar e Cotidiano. Análise de Experiências sobre Práticas de Letramento à Luz da Crítica Social Letramento Escolar e Cotidiano Análise de Experiências sobre Práticas de Letramento à Luz da Crítica Social Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

Julia Monteath de França. Brasil e África. em perspectiva faces de uma relação no ínício do século XXI

Julia Monteath de França. Brasil e África. em perspectiva faces de uma relação no ínício do século XXI Julia Monteath de França Brasil e África em perspectiva faces de uma relação no ínício do século XXI Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú

Leia mais

Trajetórias dos Imigrantes Açorianos em São Paulo Processos de Formação, Transformação e as Ressignificações Culturais

Trajetórias dos Imigrantes Açorianos em São Paulo Processos de Formação, Transformação e as Ressignificações Culturais Trajetórias dos Imigrantes Açorianos em São Paulo Processos de Formação, Transformação e as Ressignificações Culturais Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar,

Leia mais

DEMOCRÁTICA NO ENSINO PÚBLICO

DEMOCRÁTICA NO ENSINO PÚBLICO O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ROSINALDO PANTOJA DE FREITAS rpfpantoja@hotmail.com DEMOCRÁTICA NO ENSINO PÚBLICO RESUMO: Este artigo aborda o Projeto político pedagógico e também

Leia mais

Águas Subterrâneas. Conceitos e Aplicações sob uma Visão Multidisciplinar

Águas Subterrâneas. Conceitos e Aplicações sob uma Visão Multidisciplinar Águas Subterrâneas Conceitos e Aplicações sob uma Visão Multidisciplinar Águas Subterrâneas conceitos e Aplicações sob uma Visão multidisciplinar rodrigo Lilla manzione Conselho Editorial Av. Carlos Salles

Leia mais

Caminhos do Educador Social no Brasil

Caminhos do Educador Social no Brasil Caminhos do Educador Social no Brasil Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA: UM INSTRUMENTO DA INCLUSÃO RESUMO

GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA: UM INSTRUMENTO DA INCLUSÃO RESUMO Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery http://re.granbery.edu.br - ISSN 1981 0377 Curso de Pedagogia - N. 6, JAN/JUN 2009 GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA: UM INSTRUMENTO DA INCLUSÃO Beanilde Toledo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

Leia mais

O Comércio e a Hotelaria de Luxo nas Metrópoles de São Paulo e Buenos Aires

O Comércio e a Hotelaria de Luxo nas Metrópoles de São Paulo e Buenos Aires O Comércio e a Hotelaria de Luxo nas Metrópoles de São Paulo e Buenos Aires Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100

Leia mais

O Princípio da Informação Ambiental e a Segurança da Informação Empresarial. Pedro Lucas Lindoso

O Princípio da Informação Ambiental e a Segurança da Informação Empresarial. Pedro Lucas Lindoso O Princípio da Informação Ambiental e a Segurança da Informação Empresarial Pedro Lucas Lindoso Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP

Leia mais

Saberes da Docência Aprendidos no PIBID. um estudo com futuros professores de sociologia

Saberes da Docência Aprendidos no PIBID. um estudo com futuros professores de sociologia Saberes da Docência Aprendidos no PIBID um estudo com futuros professores de sociologia Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi

Leia mais

Águas Minerais de São Paulo. Thays de Souza João Luiz

Águas Minerais de São Paulo. Thays de Souza João Luiz Águas Minerais de São Paulo Thays de Souza João Luiz Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

Modelo de Sistema de Gestão de Saúde e Segurança em Serviços com Eletricidade em Canteiros de Obras de Edificações

Modelo de Sistema de Gestão de Saúde e Segurança em Serviços com Eletricidade em Canteiros de Obras de Edificações Modelo de Sistema de Gestão de Saúde e Segurança em Serviços com Eletricidade em Canteiros de Obras de Edificações Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala

Leia mais

Conselho Editorial. CDD:796.07 Índices para catálogo sistemático: Voleibol 796.325 Ensino universitário. 378 Formação do Educador

Conselho Editorial. CDD:796.07 Índices para catálogo sistemático: Voleibol 796.325 Ensino universitário. 378 Formação do Educador Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br Profa. Dra. Andrea Domingues

Leia mais

Atenção Básica à Saúde. Relato de Experiência do Pet-Saúde UFRN/SMS na USF Santarém

Atenção Básica à Saúde. Relato de Experiência do Pet-Saúde UFRN/SMS na USF Santarém Atenção Básica à Saúde Relato de Experiência do Pet-Saúde UFRN/SMS na USF Santarém Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP -

Leia mais

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Andrelisa Goulart de Mello Universidade Federal de Santa Maria andrelaizes@gmail.com Ticiane

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

Educação ambiental e educação inclusiva possíveis aproximações

Educação ambiental e educação inclusiva possíveis aproximações Educação ambiental e educação inclusiva possíveis aproximações Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315

Leia mais

O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS VOLTADAS PARA A DEFESA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO

O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS VOLTADAS PARA A DEFESA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS VOLTADAS PARA A DEFESA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO Soraya Hissa Hojrom de Siqueira Diretora da Superintendência de Modalidades e Temáticas

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Balanço DA Política Educacional Brasileira (1999-2009) ações e programas

Balanço DA Política Educacional Brasileira (1999-2009) ações e programas Balanço DA Política Educacional Brasileira (1999-2009) ações e programas ESTA OBRA FOI IMPRESSA EM PAPEL RECICLATO 75% PRÉ-CONSUMO, 25 % PÓS- CONSUMO, A PARTIR DE IMPRESSÕES E TIRAGENS SUSTENTÁVEIS. CUMPRIMOS

Leia mais

Projeto Pedagógico: trajetórias coletivas que dão sentido e identidade à escola.

Projeto Pedagógico: trajetórias coletivas que dão sentido e identidade à escola. Prof. Dr. Juares da Silva Thiesen Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC Centro de Educação - CED Projeto Pedagógico: trajetórias coletivas que dão sentido e identidade à escola. Ementa: Legitimidade

Leia mais

PRÁTICAS E PERSPECTIVAS DE DEMOCRACIA NA GESTÃO EDUCACIONAL

PRÁTICAS E PERSPECTIVAS DE DEMOCRACIA NA GESTÃO EDUCACIONAL PRÁTICAS E PERSPECTIVAS DE DEMOCRACIA NA GESTÃO EDUCACIONAL Coleção EDUCAÇÃO SUPERIOR Coordenação editorial: Claudenir Módolo Alves Metodologia Científica Desafios e caminhos, Osvaldo Dalberio / Maria

Leia mais

Produção do Espaço Urbano Condomínios horizontais e loteamentos fechados em Cuiabá-MT

Produção do Espaço Urbano Condomínios horizontais e loteamentos fechados em Cuiabá-MT Produção do Espaço Urbano Condomínios horizontais e loteamentos fechados em Cuiabá-MT Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi

Leia mais

Produção Textual no Ensino de Português Língua Estrangeira

Produção Textual no Ensino de Português Língua Estrangeira Produção Textual no Ensino de Português Língua Estrangeira Paralelo entre o Livro Didático e o Exame Oficial de Proficiência Celpe-Bras Rosana Salvini Conrado Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block,

Leia mais

Patrimônio Histórico e Cultural de Planaltina (DF): memória e identidade social

Patrimônio Histórico e Cultural de Planaltina (DF): memória e identidade social Patrimônio Histórico e Cultural de Planaltina (DF): memória e identidade social Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL NA EDUCAÇÃO: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA PARA SE COMPREENDER A COMPLEXIDADE DO ENSINO/APRENDIZADO BRASILEIRO.

SERVIÇO SOCIAL NA EDUCAÇÃO: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA PARA SE COMPREENDER A COMPLEXIDADE DO ENSINO/APRENDIZADO BRASILEIRO. SERVIÇO SOCIAL NA EDUCAÇÃO: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA PARA SE COMPREENDER A COMPLEXIDADE DO ENSINO/APRENDIZADO BRASILEIRO. Resumo Paula Lopes Gomes - Universidade Estadual da Paraíba. E-mail: paulagomes20@msn.com

Leia mais

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes FACULDADE ALFREDO NASSER INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO III PESQUISAR

Leia mais

resgate de um processo pedagógico autônomo, de qualidade e que também podem somar-se às problematizações e às reflexões que se realizam nos

resgate de um processo pedagógico autônomo, de qualidade e que também podem somar-se às problematizações e às reflexões que se realizam nos RESUMO PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL, PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL E PPC PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO, ENTRE O DITO E O FEITO ESTUDOS DE CASO MÚLTIPLOS / IES/ RS BRASIL 2007/2008. Autora

Leia mais

Cultura, Trabalho e Cidadania

Cultura, Trabalho e Cidadania Cultura, Trabalho e Cidadania Direitos desta edição adquiridos pela Paco Editorial e pela UFPA - Campus Universitário do Tocantis/Cametá. Nenhuma parte desta obra pode ser apropriada e estocada em sistema

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local 1 Por: Evandro Prestes Guerreiro 1 A questão da Responsabilidade Social se tornou o ponto de partida para o estabelecimento

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Secretaria de Estado da Educação Estado do Paraná Núcleo Regional de Educação de União da Vitória COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAÚJO NETO Ensino Fundamental e Médio Rua Presidente Kennedy, 200 Fone: (42) 3552

Leia mais

Políticas de Ação Afirmativa na. Educação Brasileira. Estudo de Caso do Programa de Reserva de Vagas para Ingresso na Universidade Federal da Bahia

Políticas de Ação Afirmativa na. Educação Brasileira. Estudo de Caso do Programa de Reserva de Vagas para Ingresso na Universidade Federal da Bahia Políticas de Ação Afirmativa na Educação Brasileira Estudo de Caso do Programa de Reserva de Vagas para Ingresso na Universidade Federal da Bahia Penildon Silva Filho Conselho Editorial Av. Carlos Salles

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

As Escolas Famílias Agrícolas do Território Rural da Serra do Brigadeiro

As Escolas Famílias Agrícolas do Território Rural da Serra do Brigadeiro As Escolas Famílias Agrícolas do Território Rural da Serra do Brigadeiro VIEIRA, Tatiana da Rocha UFV - pedagogia_tati@yahoo.com.br BARBOSA, Willer Araújo UFV- wbarbosa@ufv.br Resumo: O trabalho apresentado

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Paradigmas de Organização Escolar: pressupostos teóricos e práticos. Administração/gestão escolar: teorias e tendências atuais no Brasil. A escola concebida e organizada a partir das Diretrizes

Leia mais

OCUPAR, RESISTIR E PRODUZIR, TAMBÉM NA EDUCAÇÃO

OCUPAR, RESISTIR E PRODUZIR, TAMBÉM NA EDUCAÇÃO OCUPAR, RESISTIR E PRODUZIR, TAMBÉM NA EDUCAÇÃO O MST e a Burocracia Estatal: Negação e Consenso Arlete Ramos dos Santos Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar,

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

Conselho Editorial. Índices para catálogo sistemático: Higiene e saúde 372.37 segurança do trabalho 331.259

Conselho Editorial. Índices para catálogo sistemático: Higiene e saúde 372.37 segurança do trabalho 331.259 Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br Profa. Dra. Andrea Domingues

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo Ementas das Disciplinas 1. Teorias Administrativas e a Gestão Escolar - 30 horas Ementa: Gestão Educacional conceitos, funções e princípios básicos. A função administrativa da unidade escolar e do gestor.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - 2014

PLANO DE AÇÃO - 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO PLANO DE AÇÃO - 2014 MISSÃO Assessorar as Regionais Educacionais, fortalecendo o processo

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CONSIDERAÇÕES SOBRE O TRABALHO REALIZADO PELO SERVIÇO SOCIAL NO CENTRO PONTAGROSSENSE DE REABILITAÇÃO AUDITIVA E DA FALA (CEPRAF) TRENTINI, Fabiana Vosgerau 1

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Casal e Família na Atualidade: Desafios, Estratégias e Possíveis Soluções para os Problemas

Casal e Família na Atualidade: Desafios, Estratégias e Possíveis Soluções para os Problemas Casal e Família na Atualidade: Desafios, Estratégias e Possíveis Soluções para os Problemas Casal e Família na Atualidade Desafios, Estratégias e Possíveis Soluções para os Problemas Heron Flores Nogueira

Leia mais

1.3. Planejamento: concepções

1.3. Planejamento: concepções 1.3. Planejamento: concepções Marcelo Soares Pereira da Silva - UFU O planejamento não deve ser tomado apenas como mais um procedimento administrativo de natureza burocrática, decorrente de alguma exigência

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO Texto:Ângela Maria Ribeiro Holanda ribeiroholanda@gmail.com ribeiroholanda@hotmail.com A educação é projeto, e, mais do que isto,

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA

OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA COMO MEDIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS CURSOS SUBSEQÜENTES DO IFRN - CAMPUS NATAL/CIDADE ALTA Dayvyd Lavaniery Marques de Medeiros Professor do IFRN Mestrando do PPGEP

Leia mais

PSICOLOGIA E PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: EVIDÊNCIAS DE UMA RELAÇÃO.

PSICOLOGIA E PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: EVIDÊNCIAS DE UMA RELAÇÃO. PSICOLOGIA E PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: EVIDÊNCIAS DE UMA RELAÇÃO. Betânia Maria Oliveira de Amorim UFCG betânia_maria@yahoo.com.br Polliany de Abrantes Silva UFCG pollianyabrantes_psico@hotmail.com

Leia mais

Dra. Margareth Diniz Coordenadora PPGE/UFOP

Dra. Margareth Diniz Coordenadora PPGE/UFOP Dra. Margareth Diniz Coordenadora PPGE/UFOP Pela sua importância destacam-se aqui alguns dos seus princípios: Todos/as os/ssujeitos, de ambos os sexos, têm direito fundamental à educação, bem como a oportunidade

Leia mais

Velho espelho. Iapuã Ralmax de Araújo e sá Carmem lucia soares (orgs.)

Velho espelho. Iapuã Ralmax de Araújo e sá Carmem lucia soares (orgs.) Velho espelho Iapuã Ralmax de Araújo e sá Carmem lucia soares (orgs.) Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA E A INTERNET MÓVEL. Palavras Chave: Modelagem Matemática; Educação de Jovens e Adultos (EJA); Internet Móvel.

A MODELAGEM MATEMÁTICA E A INTERNET MÓVEL. Palavras Chave: Modelagem Matemática; Educação de Jovens e Adultos (EJA); Internet Móvel. A MODELAGEM MATEMÁTICA E A INTERNET MÓVEL Márcia Santos Melo Almeida Universidade Federal de Mato Grosso do Sul marciameloprofa@hotmail.com Marcos Henrique Silva Lopes Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO ESTÁGIO DOCENTE Ato educativo supervisionado realizado no contexto do trabalho docente que objetiva a formação de educandos que estejam regularmente frequentando cursos e/ou programas de formação de professores

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

Tópicos em Educação Especial e Inclusiva: Formação, pesquisa, escolarização e famílias

Tópicos em Educação Especial e Inclusiva: Formação, pesquisa, escolarização e famílias Tópicos em Educação Especial e Inclusiva: Formação, pesquisa, escolarização e famílias Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A CONTRIBUIÇÃO DA DIDÁTICA CRÍTICA NA INTERLIGAÇÃO DE SABERES AMBIENTAIS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

Tabela 1 Total da população 2010 Total de homens Total de mulheres Homens % Mulheres % Distrito Federal 2.562.963 1.225.237 1.337.

Tabela 1 Total da população 2010 Total de homens Total de mulheres Homens % Mulheres % Distrito Federal 2.562.963 1.225.237 1.337. PROGRAMA TÉMATICO: 6229 EMANCIPAÇÃO DAS MULHERES OBJETIVO GERAL: Ampliar o acesso das mulheres aos seus direitos por meio do desenvolvimento de ações multissetoriais que visem contribuir para uma mudança

Leia mais

Educação Ambiental Crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis

Educação Ambiental Crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis Educação Ambiental Crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis Ciclo de Cursos de Educação Ambiental Ano 4 Secretaria de Estado do Meio Ambiente Coordenadoria de Planejamento Ambiental Estratégico

Leia mais

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL SILVA, Régis Henrique dos Reis - NUPEFI/CEPAE/UFG SILVA, Sarah Maria de Freitas Machado - ESEFEGO/UEG

Leia mais

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE.

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE. TRABALHO DOCENTE: POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA, TRANSFORMADORA E EMANCIPATÓRIA OLIVEIRA, Marinalva Luiz de Prefeitura da Cidade do Recife GT-22: Educação Ambiental Resumo Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

Índices para catálogo sistemático:

Índices para catálogo sistemático: Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi Profa. Dra. Benedita Cássia Sant anna Prof. Dr. Carlos Bauer Profa. Dra. Cristianne Famer

Leia mais

CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X

CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X DA INVISIBILIDADE AFROBRASILEIRA À VALORIZAÇÃO DA DIVERSIDADE

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Uma Década da Lei 10.639/03 Perspectivas e Desafios de uma Educação para as Relações Étnico-raciais

Uma Década da Lei 10.639/03 Perspectivas e Desafios de uma Educação para as Relações Étnico-raciais Uma Década da Lei 10.639/03 Perspectivas e Desafios de uma Educação para as Relações Étnico-raciais (Orgs.) Conselho Editorial Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú

Leia mais

FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR FRENTE ÀS EXIGÊNCIAS DE MERCADO E AO EXAME DE SUFICIÊNCIA. Prof. Dr.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR FRENTE ÀS EXIGÊNCIAS DE MERCADO E AO EXAME DE SUFICIÊNCIA. Prof. Dr. FORMAÇÃO PROFISSIONAL: RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR FRENTE ÀS EXIGÊNCIAS DE MERCADO E AO EXAME DE SUFICIÊNCIA Prof. Dr. Valmor Slomski A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS

Leia mais

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua!

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua! PROJETO-INTERVENÇÃO O curso de formação de gestores escolares que estamos realizando orientase por dois eixos básicos: a) a educação compreendida como direito social a ser suprido pelo Estado; b) a gestão

Leia mais

José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE

José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE José Fernandes de Lima Membro da Câmara de Educação Básica do CNE Cabe a denominação de novas diretrizes? Qual o significado das DCNGEB nunca terem sido escritas? Educação como direito Fazer com que as

Leia mais

Gestão democrática no cotidiano escolar

Gestão democrática no cotidiano escolar Coleção UAB UFSCar Pedagogia Sandra Aparecida Riscal Gestão democrática no cotidiano escolar Gestão democrática no cotidiano escolar Reitor Targino de Araújo Filho Vice-Reitor Pedro Manoel Galetti Junior

Leia mais

Índices para catálogo sistemático:

Índices para catálogo sistemático: Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br Profa. Dra. Andrea Domingues

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

A Cerveja e a Cidade do Rio de Janeiro: De 1888 ao início dos anos 1930

A Cerveja e a Cidade do Rio de Janeiro: De 1888 ao início dos anos 1930 A Cerveja e a Cidade do Rio de Janeiro: De 1888 ao início dos anos 1930 Fundação Universidade de Brasília Reitor Vice-Reitora Ivan Marques de Toledo Camargo Sônia Nair Báo Diretora Conselho Editorial Ana

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná.

RESOLUÇÃO. Artigo 1º Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. RESOLUÇÃO CONSEPE 14/2006 Referenda a aprovação do Regulamento da Coordenação de Ensino a Distância do Centro Universitário Franciscano do Paraná. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: ELEMENTOS PARA DISCUSSÃO 1

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: ELEMENTOS PARA DISCUSSÃO 1 AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: ELEMENTOS PARA DISCUSSÃO 1 Sandra M. Zákia L. Sousa 2 As demandas que começam a ser colocadas no âmbito dos sistemas públicos de ensino, em nível da educação básica, direcionadas

Leia mais

Margarete Bertolo Boccia Marie Rose Dabul Sandra da Costa Lacerda (orgs.) GESTÃO ESCOLAR EM DESTAQUE

Margarete Bertolo Boccia Marie Rose Dabul Sandra da Costa Lacerda (orgs.) GESTÃO ESCOLAR EM DESTAQUE Margarete Bertolo Boccia Marie Rose Dabul Sandra da Costa Lacerda (orgs.) GESTÃO ESCOLAR EM DESTAQUE Conselho Editorial Av Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú

Leia mais