Certificação Digital e sua Utilização no Contexto das Universidades Brasileiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Certificação Digital e sua Utilização no Contexto das Universidades Brasileiras"

Transcrição

1 Certificação Digital e sua Utilização no Contexto das Universidades Brasileiras Diego M. Friedrich e Rodrigo A. Scholz 1 1 Acadêmicos do Curso de Ciência da Computação Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) dmf, Resumo. O objetivo principal deste artigo é fazer uma análise da situação atual do que existe em relação à certificação digital no Brasil englobando também uma nova tendência chamada certificação digital acadêmica, colocando em ênfase quais suas vantagens, desvantagens e quais progressos já foram obtidos em relação a esse assunto que a cada dia vem tomando mais espaço nas Universidades do País. 1. Introdução O cotidiano torna-se cada vez mais acostumado com a insegurança existente no dia-a-dia das cidades e do mundo como um todo. Por tais condições, passamos a tomar medidas mais rígidas para que fatos desagradáveis não venham a nos comprometer. No meio digital o mesmo comportamento vem tomando mais espaço a cada dia através de pesquisas, implementações e atitudes que tomam como premissa aumentar a segurança das informações compartilhadas através da Internet. Neste meio, a segurança está relacionada à necessidade de proteção contra o acesso ou manipulação, intencional ou não, de informações confidenciais por elementos não autorizados, e a utilização não autorizada do computador ou de seus dispositivos periféricos. A necessidade de proteção deve ser definda em termos das possíveis ameaças e riscos e dos objetivos de uma organização, formalizados nos termos de uma política de segurança. [Soares, Lemos, Colcher 2000 p448] A certificação digital situa-se nesse contexto e surgiu para melhorar a segurança das informações que trafegam pela grande rede. Esse é um, entre tantos outros benefícios, que um certificado digital, se utilizado de forma correta, pode prover sobre as informações, pois, além de utilizar o artifício da criptografia, também armazena dados de seu proprietário a fim de garantir o não-repúdio de mensagens [Felippe 2006]. No presente trabalho, não entraremos em detalhes relativos ao funcionamento e modos de uso de certificados digitais, pois assim estaríamos fugindo ao escopo do tema central. A grande dedicação nessa área também é conseqüência da intensidade na qual vem crescendo a alternativa da substituição do papel por documentos eletrônicos seguros e, como citado acima, pela busca por segurança nas transações, já que o comércio eletrônico vem quebrando recordes de faturamento a cada ano que passa [IDG Now 2007]. Artigo escrito sob orientação da Prof a. Dr a. Roseclea D. Medina para o VI Simpósio de Informática da Região Centro do RS - VI SIRC/RS - Que será realizado de 08 a 11/10 no Centro Universitário Franciscano.

2 Desse modo, têm-se como objetivo neste artigo realizar uma explanação sobre o assunto com o propósito de apresentar um panorama atual no contexto da certificação digital nacional, incluindo aspectos sobre certificação digital acadêmica. 2. Certificação Digital - Conceito Tradicional É difícil utilizar o termo tradicional para se referir a algo relativamente novo e totalmente vinculado com tecnologia. Porém, utilizamos este conceito no sentido de salientar as diferenças do que tem sido desenvolvido e utilizado até o presente momento para um novo ramo que vem se destacando cada vez mais na atualidade e que será abordado logo mais. Basicamente, entende-se por certificação digital nos moldes tradicionais aquela que provê os requisitos de disponibilidade, integridade, confidencialidade, autenticidade, irretratabilidade (não-repúdio) [Nunes 2006] e na qual o interessado em questão recorre à empresas privadas, geralmente desembolsando quantias monetárias consideráveis, para conseguir através dessas empresas estabelecer bons níveis de segurança em suas transações, seja em um servidor ou através de uma assinatura digital, por exemplo. Na assinatura digital informações são criptografadas com uma chave de entidade privada e anexadas a uma mensagem para assegurar ao destinatário a autenticidade e a integridade da mensagem. Ela comprova que a mensagem foi assinada pela entidade que possui ou tem acesso à chave privada ou chave simétrica secreta compartilhada. [Soares, Lemos, Colcher 2000 p457] Desta maneira o interessado tem que se submeter a renovações periódicas para que possa continuar a usufruir de tal benefício, gerando um vínculo entre ele e a empresa fornecedora do serviço o que, por fim, acarreta em um ciclo contínuo de investimento por parte do interessado. Os valores desses investimentos variam conforme o tipo de certificado, mecanismo de armazenamento (token ou smart cards, por exemplo) e periodicidade de renovação [PROGEMGE 2007]. É desta forma que ainda muitas das Universidades Brasileiras atuam quando desejam possuir/oferecer serviços relativos à certificação digital. No entanto, como dito, uma nova vertente vem surgindo e tomando seu lugar no contexto atual: A Certificação Digital Acadêmica, que será abordada a seguir. 3. Certificação Digital - Âmbito Acadêmico A partir das necessidades e também com o propósito de dispor uma alternativa ao mercado no ramo de certificação digital que existia no País, em 2003 a RNP (Rede Nacional de Ensino e Pesquisa), uma das instituições de maior influência na área, lançou uma chamada pública de projetos. Estes deveriam apresentar soluções viáveis para a implantação de uma infra-estrutura capaz de dar suporte ao cotidiano das universidades brasileiras. Essa chamada teve como vencedor o projeto GT ICP-EDU - Grupo de Trabalho: Infra-estrutura de Chaves Públicas Educacional - desenvolvido em cooperação entre algumas Universidades brasileiras, tais como a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e a Unicamp (Universidade

3 Estadual de Campinas), que possui como objetivo melhorar a segurança digital no âmbito acadêmico e atualmente está em sua terceira fase [RNP 2004]. Com base nos resultados obtidos por esse grupo de trabalho, que é o pioneiro no País, têm-se a possibilidade de implantação de uma ferramenta poderosa para a proteção da informação em sistemas e serviços que atuam na Internet atendendo aos mesmos requisitos da considerada aqui como certificação digital nos moldes tradicionais. Pois, apesar da Internet ser um recurso de comunicação que possibilita uma fácil manipulação de grandes volumes de dados independente da localização geográfica, muitas vezes a rede faz com que as informações circulem de forma vulnerável e em, certos casos, há a necessidade de que estas informações trafeguem inacessíveis para usuários mal intencionados. Este é, entre outros pontos, um benefício o qual tal ferramenta proporciona. Contudo, nessa alternativa o funcionamento é totalmente de forma gratuita e eficiente para instituições de ensino e seus usuários para que os mesmos possam usufruir dessa nova tecnologia. 4. Vantagens e Desvantagens Quanto as considerações sobre vantagens e desvantagens perante certificação digital podemos afirmar que as vantagens são imensuravelmente maiores se comparadas com sua oposta. Porém, não podemos deixar de mencionar as desvantagens, que dependem e variam muito de acordo com cada caso e muitas vezes se confundem a meras dificuldades Vantagens Tendo como premissa básica a correta utilização de certificados digitais, as vantagens são muitas visto que o fruto final dessa prática é o aumento significativo de segurança, através dos requisitos já mencionados, e também da economia como um todo. Esta tecnologia pode funcionar como grande aliada das instituições de ensino e de seus usuários, auxiliando o ambiente acadêmico, pois este utiliza um tráfego digital de informações importantes, como históricos escolares, resultados de pesquisas, notas de provas [RNP 2004]. Ela traz nesse âmbito a otimização de processos, ou seja, a disponibilização de serviços com uma maior agilidade e menor burocracia, oferecendo ainda maior segurança. Outra vantagem, dentre as que podem ser citadas, é a substancial redução de custos possibilitada pela desmaterialização dos processos através do uso de documentos digitais, acarretando em grandes economias com gastos em papel [SERPRO 2007]. O que, além de colaborar para a economia citada anteriormente, também ocasiona uma imensa diminuição do impacto ambiental. Por fim, atualmente a maioria das universidades brasileiras, para poderem contar com uma assinatura digital válida e de confiança, necessitam recorrer a instituições privadas. Então, unicamente se tratando de certificação digital acadêmica, os benefícios em relação à custos são ainda maiores, pois estes restringem-se apenas a instalação e disponibilização do serviço para a comunidade acadêmica em geral, para a qual o serviço é ofertado gratuitamente.

4 4.2. Desvantagens No que abrange a área de infra-estrutura de chaves públicas privada, a maior desvantagem encontrada não é o fato da renovação periódica de certificados, pois esse método é utilizado como mais um mecanismo para reforçar a segurança e confiabilidade dos certificados, mas sim o custo dessa renovação. Um fato existente que pode ser considerado não como uma desvantagem, mas sim como um obstáculo inicial é a dificuldade dos usuários a se habituarem a utilizar certificados digitais, pois este fato implica em mudanças no modo de agir, afinal em os mesmos devem preocupar-se com o sigilo das chaves de seus certificados. Se, no entanto, o certificado for usado de forma incautelosa ou incorreta seu proprietário dará chance para que outra pessoa assuma sua identidade, podendo causar diversos danos a si e ao receptor da informação falsamente certificada. Surge aí uma desvantagem, como a certificação digital confere veracidade e pessoalidade de informações, esse tipo de fraude será mais dificilmente identificável. Em se tratando especificamente de certificação digital acadêmica, as ACs (autoridades certificadoras), que são as entidades que possuem o poder de emitir certificados válidos, não têm o poder de emissões com valor jurídico, ao contrário da ICP-Brasil (Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira) que foi concebida com o intuito de oferecer também tal funcionalidade para que os certificados possam ser utilizados, caso haja necessidade, em eventuais disputas jurídicas entre seus usuários [RNP 2004]. 5. Estado da Arte Em se tratando do que existe de mais atual quando se refere à esse ramo em âmbito mundial, está o que se chama de EV-SSL (Extended Validation - Secure Sockets Layer) ou Certificados Digitais de Validação Avançada, que são certificados qualificados que se apresentam aos usuários da Internet de forma distinta dos demais certificados, garantindo assim aos usuários que o site acessado possui um certificado SSL emitido segundo um processo altamente seguro e verificado através de uma auditoria [Wikipedia 2007]. Porém, esta novidade tem sido palco de muitas discussões proferidas por quem é entendedor do assunto. De um lado, encontram-se as empresas fornecedoras desses certificados alegando que seu novo produto oferece mais segurança para seus usuários finais [CertiSign 2006]. De outro, estão os que defendem o ponto de vista de que essa nova modalidade de certificação não passa de uma atitude no sentido caça-níquel realizado pelas autoridades certificadoras, e que, se utilizando dos certificados convencionais, já se consegue os níveis de segurança necessários, basta que as ACs realizem suas tarefas da maneira mais confiável possível [de Barros 2007]. Entretanto, este é um tema muito vasto podendo ser abordado, quem sabe, em um próximo artigo. No que tange o foco da certificação digital acadêmica, o grupo de trabalho eleito pela RNP desenvolveu o HSM (Hardware Secure Module) ou Módulo Criptográfico Seguro. Ele é um protótipo que possui a finalidade de propiciar uma transmissão de dados realmente segura para sistemas de gerenciamento de certificados, para isso as universidades precisariam acoplar aos seus sistemas tal equipamento. O grande desafio que foi lançado na produção desse hardware e posteriormente alcançado era que seu custo final

5 ficasse por volta de US$1.000,00. Atualmente o sistema de gerenciamento de certificados acadêmico encontra-se em uso na UFSC e o desenvolvimento do HSM está em seu início de produção em maior escala, para que possa ser fornecido às instituições de ensino interessadas em tal dispositivo [AGECOM 2006]. Um projeto piloto foi elaborado com base na implantação, em caráter experimental, da AC raiz da RNP e outras AC s subordinadas (UFSC, Unicamp, UFMG, LNCC, UFF, etc) incluindo AR s para cada uma das instituições participantes do projeto. O objetivo deste projeto foi testar todos os softwares, hardwares e políticas desenvolvidas em projetos anteriores em um contexto de aplicação real. Suas atividades englobaram a criação de uma AC raiz, de AC s intermediárias, vinculadas à AC raiz e geradas pelas instituições que participaram do projeto, de uma AC de correio eletrônico, para emitir certificados para determinados domínios de s e de uma AC de propósito geral para emitir certificados para qualquer indivíduo, em caráter de teste [LABSEC 2006]. 6. Considerações Finais A certificação digital é uma assinatura virtual. Portanto, torna mais segura a prática de atividades on-line, como o uso de Internet banking, compras on-line e declaração de Imposto de Renda. Por exemplo, em transações bancárias, o banco terá a certeza de que quem está acessando sua conta corrente é você, evitando fraudes [WNews 2006]. Por essa importância e por todos outros benefícios citados anteriormente, tentouse, aqui, expor um panorama da situação atual da certificação digital em geral, suas vantagens e desvantagens, abordando também detalhes sobre os trabalhos que têm sido realizados na área acadêmica e já utilizados em ambientes de algumas instituições universitárias brasileiras. Mas, no final, o que podemos concluir é que ainda se tem muito a discutir de uma forma produtiva sobre este tema, que por sinal é muito vasto, para que nós venhamos a conseguir mais meios de nos beneficiar dessa tecnologia que, se ainda não faz parte de nossas vidas, irá fazer provavelmente muito em breve. 7. Referências AGECOM (2005). Universidades desenvolvem chave pública. Disponivel em:http://www.agecom.ufsc.br/index.php?secao=arqid=3064. Acesso em: Julho de de Barros, A. P. (2007). Idéia inócua: Ev-ssl. Disponível em: Acesso em: Julho de Felippe W. (2006). Certificação Digital - A validade e aplicabilidade do e-cnpj na Assinatura Digital de Documentos Eletrônicos. Disponível em: Acesso em: Julho de IDG Now (2007). Faturamento de lojas eletrônicas brasileiras cresce 49% no primeiro trimestre. Disponível em: Acesso em: Agosto de 2007.

6 LABSEC (2006). Projeto piloto - GT ICP-EDU. Disponível em: https://projetos.labsec.ufsc.br/icpedu/wiki/piloto?version=17. Acesso em: agosto de 2007 Nunes, W. B. (2006). Segurança da informação e certificação digital. Disponível em: Acesso em: Agosto de PROGEMGE (2007). Tecnologia garante autoria segura. Disponível em: Acesso em: Agosto de RNP (2004). ICP-EDU: disseminando a certificação digital no âmbito acadêmico. Disponível em: Acesso em: Julho de RNP (2006). RNP lança autoridade certificadora raiz para a comunidade acadêmica. Disponível em: Acesso em: Julho de SERPRO (2007). Sem Papel. Disponível em: publicacoes/. Acesso em: Julho de Soares, L. F., Lemos, G., Colcher, S.(2000). Redes de Computadores - das LANs, MANs e WANs às Redes ATM. 2 a edição. Editora Campus. Rio de Janeiro. Wikipedia (2007). Disponível em: SSL. Acesso em: Agosto de WNews (2006). Certificação Digital. Disponível em: Acesso em: Julho de 2007.

Certificação Digital Acadêmica: Implantação do Sistema de Gerenciamento de Certificados Digitais ICPEDU na UFSM

Certificação Digital Acadêmica: Implantação do Sistema de Gerenciamento de Certificados Digitais ICPEDU na UFSM Certificação Digital Acadêmica: Implantação do Sistema de Gerenciamento de Certificados Digitais ICPEDU na UFSM Diego Mostardeiro Friedrich¹ - dmf@inf.ufsm.br Roseclea Duarte Medina¹ - rose@inf.ufsm.br

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Certificados Digitais ICPEDU: Implantação na UFSM

Sistema de Gerenciamento de Certificados Digitais ICPEDU: Implantação na UFSM Sistema de Gerenciamento de Certificados Digitais ICPEDU: Implantação na UFSM Diego Mostardeiro Friedrich Universidade Federal de Santa Maria Sala 221 - Centro de Tecnologia UFSM - Camobi - Santa Maria

Leia mais

I T I. AC Raiz. Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, órgão do Governo Federal. Receita Federal SERASA SERPRO CAIXA CERT PRIVADA

I T I. AC Raiz. Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, órgão do Governo Federal. Receita Federal SERASA SERPRO CAIXA CERT PRIVADA I T I AC Raiz Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, órgão do Governo Federal Receita Federal SERASA SERPRO CAIXA CERT AC PRIVADA AR Autoridade Registradora AR Autoridade Registradora Certificado

Leia mais

Cartilha: Certificado Digital

Cartilha: Certificado Digital Certificação de Entidades Beneficientes de Assistência Social - CEBAS - 1 - Ministério da Educação Secretaria Executiva Secretaria de Educação Continuada, Alfabetizada e Diversidade Diretoria de Tecnologia

Leia mais

Assinatura Digital: problema

Assinatura Digital: problema Assinatura Digital Assinatura Digital Assinatura Digital: problema A autenticidade de muitos documentos, é determinada pela presença de uma assinatura autorizada. Para que os sistemas de mensagens computacionais

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICADO e ASSINATURA DIGITAL CERTIFICADO Éo documento eletrônico de identidade emitido por Autoridade Certificadora credenciada pela AC Raiz

Leia mais

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO CERTIFICADO DIGITAL O certificado digital é um arquivo eletrônico que contém dados de uma pessoa ou instituição, utilizados para comprovar sua identidade. Este arquivo pode

Leia mais

Smart Card Virtual e Autoridade Certificadora Distribuída. Jeroen van de Graaf Laboratório de Computação Científica UFMG jvdg@lcc.ufmg.

Smart Card Virtual e Autoridade Certificadora Distribuída. Jeroen van de Graaf Laboratório de Computação Científica UFMG jvdg@lcc.ufmg. Smart Card Virtual e Autoridade Certificadora Distribuída Jeroen van de Graaf Laboratório de Computação Científica UFMG jvdg@lcc.ufmg.br Programa O que é uma ICP? O que é ICP-EDU Qual é a proposta do GT-ICP-EDU

Leia mais

GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico

GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico Ricardo Felipe Custódio, Jeroen van de Graaf e Ricardo Dahab Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto

Leia mais

25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI. http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL

25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI. http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL 25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL 1 CONFIAR EM CERTIFICADOS DIGITAIS? ITI O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro Aula 1 Introdução à Certificação

Leia mais

67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Conquiste sua vitória ao nosso lado

67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Conquiste sua vitória ao nosso lado Carreira Policial Mais de 360 aprovados na Receita Federal em 2006 67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Conquiste sua vitória ao nosso lado Apostila

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro Criptografia Revisando A criptografia trata da escrita de um texto em códigos de forma a torná-lo incompreensível; A informação

Leia mais

CERTIFICAÇÃO NO ÂMBITO DA RECEITA FEDERAL

CERTIFICAÇÃO NO ÂMBITO DA RECEITA FEDERAL Novo Hamburgo RS, Maio de 2007. Circular 06/2007 Prezado cliente; Apresentamos através desta circular, esclarecimentos adicionais sobre o assunto que está gerando bastante dúvidas, para as empresas tributadas

Leia mais

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Onde pode ser usada? Arquivos de um Computador Internet Backups Redes

Leia mais

Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br

Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br Prof. Paulo Barbosa duvidas@paulobarbosa.com.br Esse material pode ser denominado Notas de Aulas. Ele não é autodidático, não o utilize como fonte única de consulta para estudos para préconcurso. Use-o

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Professor Jeferson

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Professor Jeferson SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Professor Jeferson 1 Segurança da Informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados ou a um conjunto de informações, no sentido de preservar o valor que possuem para

Leia mais

www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução

www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução Cada pessoa cria sua assinatura de forma totalmente livre e a utiliza com significado de expressa concordância com os conteúdos dos documentos

Leia mais

WatchKey. WatchKey USB PKI Token. Versão Windows. Manual de Instalação e Operação

WatchKey. WatchKey USB PKI Token. Versão Windows. Manual de Instalação e Operação WatchKey WatchKey USB PKI Token Manual de Instalação e Operação Versão Windows Copyright 2011 Watchdata Technologies. Todos os direitos reservados. É expressamente proibido copiar e distribuir o conteúdo

Leia mais

O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL?

O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL? O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL? Os computadores e a Internet são largamente utilizados para o processamento de dados e para a troca de mensagens e documentos entre cidadãos, governo e empresas. No entanto,

Leia mais

Serviços Ibama Certificação Digital

Serviços Ibama Certificação Digital Guia da nos 1. Informações Gerais Objetivando garantir mais segurança ao acesso dos usuários dos Serviços do Ibama, foi estabelecido desde o dia 1º de janeiro de 2014, o acesso por meio de certificação

Leia mais

Certificação Digital Automação na Assinatura de Documentos de Compras

Certificação Digital Automação na Assinatura de Documentos de Compras XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Certificação Digital Automação na Assinatura de Documentos de Compras Eder Soares

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Gisele Helena MARTINEZ 1 - RGM 73616 Renato Francisco Saldanha SILVA 2 Thiago Lopes da SILVA 3

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Gisele Helena MARTINEZ 1 - RGM 73616 Renato Francisco Saldanha SILVA 2 Thiago Lopes da SILVA 3 CERTIFICAÇÃO DIGITAL Gisele Helena MARTINEZ 1 - RGM 73616 Renato Francisco Saldanha SILVA 2 Thiago Lopes da SILVA 3 Resumo A informação é considerada o maior valor de uma empresa ou de uma pessoa. A velocidade

Leia mais

Certificados Digitais - Perguntas Frequentes

Certificados Digitais - Perguntas Frequentes Certificados Digitais - Perguntas Frequentes O que é um certificado digital? O certificado, na prática, equivale a uma carteira de identidade, ao permitir a identificação de uma pessoa, quando enviando

Leia mais

Entendendo a Certificação Digital

Entendendo a Certificação Digital Entendendo a Certificação Digital Novembro 2010 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. O que é certificação digital?... 3 3. Como funciona a certificação digital?... 3 6. Obtendo certificados digitais... 6 8.

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação (Extraído da apostila de Segurança da Informação do Professor Carlos C. Mello) 1. Conceito A Segurança da Informação busca reduzir os riscos de vazamentos, fraudes, erros, uso indevido,

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 018/2013

NOTA TÉCNICA Nº 018/2013 NOTA TÉCNICA Nº 018/2013 Brasília, 09 de maio de 2013. ÁREA: Finanças TÍTULO: Certificado Digital e a Importância para os Municípios. REFERÊNCIA(S): Cartilha SIOPS; Comunicado CGSN/SE nº 3, de 10 de março

Leia mais

Definição. Certificado. Digital. 1 tido ou dado como certo. 2 Diacronismo: antigo. que se fez ciente de

Definição. Certificado. Digital. 1 tido ou dado como certo. 2 Diacronismo: antigo. que se fez ciente de Certificado Digital Definição Certificado 1 tido ou dado como certo 2 Diacronismo: antigo. que se fez ciente de 3 documento no qual se atesta a existência de certo fato e dele se dá ciência - Autenticar;

Leia mais

Perspectivas do E-Commerce Brasileiro

Perspectivas do E-Commerce Brasileiro Perspectivas do E-Commerce Brasileiro Perspectivas do E-Commerce Brasileiro 78 Milhões de usuários de internet no Brasil Tíquete médio de compras pela web em 2011 foi de R$ 350,00 São mais de 3.000 de

Leia mais

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19).

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). PORTARIA Nº 483, DE 20 DE SETEMBRO DE 2001. Aprova as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso da competência que lhe é conferida

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57

RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57 RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57 Dispõe sobre o uso de Certificado Digital no âmbito da Agência Nacional de Águas ANA. O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA DE ÁGUAS-ANA,

Leia mais

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Conceitos de segurança da informação Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Introdução A infraestrutura de rede, os serviços e dados contidos nos computadores ligados a ela são bens pessoais,

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL E ASSINATURA DIGITAL: A EXPERIÊNCIA DA USP. Conceitos e problemas envolvidos

CERTIFICAÇÃO DIGITAL E ASSINATURA DIGITAL: A EXPERIÊNCIA DA USP. Conceitos e problemas envolvidos CERTIFICAÇÃO DIGITAL E ASSINATURA DIGITAL: A EXPERIÊNCIA DA USP Conceitos e problemas envolvidos Agenda Histórico Conceitos Aplicações na USP Recomendações Assinatura e Certificação Digital Objetivo =>

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Resumos Volume 1, Julho de 2015 Segurança da Informação POPULARIZAÇÃO DA INFORMÁTICA Com a popularização da internet, tecnologias que antes eram restritas a profissionais tornaram-se abertas, democratizando

Leia mais

Certificação digital para agente de registro e aplicações

Certificação digital para agente de registro e aplicações Certificação digital para agente de registro e aplicações Resumo de minicurso realizado no 15º Seminário RNP de Capacitação e Inovação Italo Valcy Ponto de Presença da RNP na Bahia

Leia mais

O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet.

O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet. Prezado(a) cliente, Você acaba de adquirir um Certificado Digital ICP BRASIL. O Certificado Digital é um documento eletrônico que permite a identificação segura do autor de uma transação feita na Internet.

Leia mais

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br BCInfo Consultoria e Informática 14 3882-8276 WWW.BCINFO.COM.BR Princípios básicos

Leia mais

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO CERTIFICADO DIGITAL O certificado digital é um arquivo eletrônico que contém dados de uma pessoa ou instituição, utilizados para comprovar sua identidade. Este arquivo pode

Leia mais

Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa

Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa Professor Gedalias Valentim Informática para Banca IADES Segurança da Informação Segurança da Informação Proteção de dados e informação que possuem valor para uma pessoa ou empresa 1 Segurança da Informação

Leia mais

Segurança e Privacidade nas Comunicações do Governo. Palestrante: Marcos Martins Mello

Segurança e Privacidade nas Comunicações do Governo. Palestrante: Marcos Martins Mello Segurança e Privacidade nas Comunicações do Governo Palestrante: Marcos Martins Mello Introdução Decreto nº 8.135 / 2013 2 / 33 Art. 1º As comunicações de dados da administração pública federal direta,

Leia mais

Aplicações da Informática na Odontologia

Aplicações da Informática na Odontologia Aplicações da Informática na Odontologia Introdução Qualquer base de conhecimento, fixada materialmente e disposta de maneira que se possa utilizar para consulta. Qualquer registro gráfico. Documento Entende-se

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

Nunca foi tão fácil utilizar

Nunca foi tão fácil utilizar Nunca foi tão fácil utilizar o Conectividade Social da CAIXA O que antes era feito com a autenticação de disquetes e precisava do antigo programa CNS para o relacionamento com a CAIXA e prestação de informações

Leia mais

Tiago Maciel Sidney Medeiros

Tiago Maciel Sidney Medeiros 2º Encontro dos membros do projeto de pesquisa em E-commerce/B2B Tiago Maciel Sidney Medeiros 2º Encontro dos membros do projeto de pesquisa em E-commerce e B2B Objetivos Expor modelagem inicial do sistema

Leia mais

Assinatura e Certificação Digital

Assinatura e Certificação Digital e Certificação Digital Por Rafael Port da Rocha 2006 Versão: 07/04/06 20:28 Notas de ula - 2006 Rafael Port da Rocha 1 Características Básicas para um Processo de Comunicação I B C utenticidade: O usuário

Leia mais

Aprendendo com a Indústria Bancária

Aprendendo com a Indústria Bancária Aprendendo com a Indústria Bancária CAMINHOS PARA OS PILARES DA AUTENTICAÇÃO COMPLETAMENTE SEGURA GILBERTO RODRIGUES JR. 22/05/2015 Agenda Uso do Certificado Digital no Segmento Bancário Motivação Como

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL

CERTIFICAÇÃO DIGITAL Autenticidade Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificação Digital 1 Políticas de Segurança Regras que baseiam toda a confiança em um determinado sistema; Dizem o que precisamos e o que não precisamos proteger;

Leia mais

A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para. Certificado Digital

A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para. Certificado Digital A rede de dados mais confiável do país. Proposta de Parceria para Certificado Digital 1. Objetivo Esta proposta tem por objetivo realizar a emissão e validação do Certificado Digital da Serasa Experian.

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE CERTIFICADOS DIGITAIS COMO SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

UM ESTUDO SOBRE CERTIFICADOS DIGITAIS COMO SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO UM ESTUDO SOBRE CERTIFICADOS DIGITAIS COMO SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Emerson Henrique Soares Silva Prof. Ms. Rodrigo Almeida dos Santos Associação Paraibana de Ensino Renovado - ASPER Coordenação

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: Certificado Digital e Nota

Leia mais

Segurança e Sistemas Eletrônicos de Pagamentos" Prof. Msc. Adolfo Colares

Segurança e Sistemas Eletrônicos de Pagamentos Prof. Msc. Adolfo Colares Segurança e Sistemas Eletrônicos de Pagamentos" Prof. Msc. Adolfo Colares 1 Objetivos" n Descrever sistemas de pagamento para e- commerce " n Identificar os requisitos de segurança para pagamentos eletrônicos

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos esse manual, significa que você adquiriu um certificado digital AC Link. Manual do Usuário 1 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?...

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA EM CHAVES PÚBLICAS TEMPORAL

INFRA-ESTRUTURA EM CHAVES PÚBLICAS TEMPORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Geovani Ferreira da Cruz Guilherme Steinmann INFRA-ESTRUTURA EM CHAVES PÚBLICAS TEMPORAL Florianópolis, julho de 2007 Resumo

Leia mais

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

M3D4 - Certificados Digitais Aula 4 Certificado Digital e suas aplicações

M3D4 - Certificados Digitais Aula 4 Certificado Digital e suas aplicações M3D4 - Certificados Digitais Aula 4 Certificado Digital e suas aplicações Prof. Fernando Augusto Teixeira 1 Agenda da Disciplina Certificado Digital e suas aplicações Segurança Criptografia Simétrica Criptografia

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Agenda 1. Segurança da Informação 1.1.Introdução 1.2.Conceitos 1.3.Ameaças a Segurança da

Leia mais

Portal Cidadão - Governo

Portal Cidadão - Governo Portal Cidadão - Governo A Certisign Manaus Recife Brasília Goiânia Belo Horizonte São Paulo Rio de Janeiro Porto Alegre A Certisign Pioneira no mercado Certificação na América Latina Única com foco exclusivo

Leia mais

Criptografia assimétrica e certificação digital

Criptografia assimétrica e certificação digital Criptografia assimétrica e certificação digital Alunas: Bianca Souza Bruna serra Introdução Desenvolvimento Conclusão Bibliografia Introdução Este trabalho apresenta os principais conceitos envolvendo

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Manual do usuário Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Índice Apresentação 03 O que é um Certificado Digital? 04 Instalando

Leia mais

USO DE CONTROLES CRIPTOGRÁFICOS. 1 OBJETIVO Estabelecer regras sobre o uso efetivo e adequado de criptografia na proteção da informação.

USO DE CONTROLES CRIPTOGRÁFICOS. 1 OBJETIVO Estabelecer regras sobre o uso efetivo e adequado de criptografia na proteção da informação. 1786/2015 - Quinta-feira, 06 de Agosto de 2015 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 1 FL. 2 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia

Leia mais

LSoft SGC Gestão Empresarial

LSoft SGC Gestão Empresarial LSoft SGC Gestão Empresarial O LSoft SGC é um sistema de gestão dinâmico, eficiente e flexível idealizado para atender diversos segmentos de indústrias, comércios e serviços. O objetivo principal é tornar

Leia mais

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Conceitos Segurança da Informação Assinatura Digital Certificado Digital Criptografia Legislação Aplicabilidade no TJMG AGENDA Segurança da Informação É a proteção da informação de vários tipos de ameaças

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Página1 Certificado Digital e-cpf Manual do Usuário Página2 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?... 03 Instalando o Certificado... 04 Conteúdo do Certificado... 07 Utilização, guarda

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Departamento de Ciência da Informação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Departamento de Ciência da Informação Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Educação Departamento de Ciência da Informação Daniela Sardá da Conceição Juliana Ribeiro Letícia Jansen Gonçalves IMPLEMENTAÇÃO SOFTWARE EMPRESA

Leia mais

Diretrizes Gerais para uso dos recursos de Tecnologia da Informação

Diretrizes Gerais para uso dos recursos de Tecnologia da Informação DIRETRIZES GERAIS PARA USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 6 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. DIRETRIZES GERAIS

Leia mais

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 Entenda o que é um certificado digital SSL (OPENSSL) fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 1. O que é "Certificado Digital"? É um documento criptografado que contém informações

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR

GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR GUIA ATS INFORMÁTICA: TUDO SOBRE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DO CONSUMIDOR SUMÁRIO Introdução... 3 Requisitos para implementação da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica... 12 Vantagens da Nota Fiscal de Consumidor

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e

NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-e Informações Gerais 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica NF-e? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 64/2008 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 64/2008 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 64/2008 Data: 17/11/2008 Objeto: Aquisição de certificado digital, na hierarquia da ICP-Brasil, do tipo A3 para pessoa física (e-cpf)

Leia mais

Manual de. instalação. Certificado Digital A1 ou S1

Manual de. instalação. Certificado Digital A1 ou S1 Manual de instalação Certificado Digital A1 ou S1 Sumário O que é? 3 Aplicação 3 Preparando sua máquina 4 1ª configuração: Sistemas Homologados 4 2ª configuração: Perfil de usuário 4 3ª configuração: Hierarquias

Leia mais

Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA.

Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA. 00 dd/mm/aaaa 1/11 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Política de Segurança da Informação se aplica no âmbito do IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Conceitos

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

CTIR Gov - Centro de Tratamento de Incidentes de Segurança de Redes de Computadores da Administração Pública Federal. CTIR Gov

CTIR Gov - Centro de Tratamento de Incidentes de Segurança de Redes de Computadores da Administração Pública Federal. CTIR Gov CTIR Gov Centro de Tratamento de Incidentes de Segurança de Redes de Computadores da Administração Pública Federal - CTIR Gov http://www.ctir.gov.br O CTIR Gov é um órgão subordinado ao Departamento de

Leia mais

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral Plano de Ensino Introdução à Segurança da Informação Princípios de Criptografia Segurança de Redes Segurança de Sistemas Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador)

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE

ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE ESPECIFICAÇÃO DO PROCESSO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS NO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE Guilherme Bertoldo Anastácio 1 Raphael Ribeiro Gomide 2 Maria Renata Silva Furtado 3 RESUMO Na

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. ANEXO l

TERMO DE REFERÊNCIA. ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO l 1. OBJETO Aquisição de certificados digitais para pessoa física e jurídica, para servidores WEB, incluindo opcionalmente serviços de validação on site, leitoras, cartões inteligentes

Leia mais

Certificado Digital Co C mo u sar? r

Certificado Digital Co C mo u sar? r Certificado Digital Como usar? Certificado Digital Documento eletrônico que identifica pessoas físicas e jurídicas e cuja validade é garantida por uma terceira parte de confiança Garante a identidade do

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) André Gustavo Assessor Técnico de Informática MARÇO/2012 Sumário Contextualização Definições Princípios Básicos de Segurança da Informação Ameaças

Leia mais

Apresentação. Vitae Tec Tecnologia a Serviço da Vida!

Apresentação. Vitae Tec Tecnologia a Serviço da Vida! Apresentação Vitae Tec Tecnologia a Serviço da Vida! A Vitae Tec A Vitae Tec é uma empresa de tecnologia que tem como missão oferecer serviços e produtos adequados às necessidades do cliente - pessoa física

Leia mais

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI 1. O que é o PROJUDI? Novo Guia de uso rápido do PROJUDI O Processo Judicial Digital PROJUDI, também chamado de processo virtual ou de processo eletrônico, pode ser definido como um software que reproduz

Leia mais

O QUE O CIRURGIÃO DENTISTA PRECISA SABER SOBRE CERTIFICADO DIGITAL

O QUE O CIRURGIÃO DENTISTA PRECISA SABER SOBRE CERTIFICADO DIGITAL O QUE O CIRURGIÃO DENTISTA PRECISA SABER SOBRE CERTIFICADO DIGITAL Resumo A necessidade de comprovar a autenticidade de documentos e atribuir lhes um valor legal, seja através de uma assinatura de próprio

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro Revisando As transações eletrônicas demandam mecanismos de segurança que garantam: Autenticidade Confidencialidade Integridade

Leia mais

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo.

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 1 TEMA Assunto: Redes de computadores. Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 2 PROBLEMA Problema: Qual a importância de criar uma rede estruturada em instituições

Leia mais

Certificado Digital. Manual do Usuário

Certificado Digital. Manual do Usuário Certificado Digital Manual do Usuário Índice Importante... 03 O que é um Certificado Digital?... 04 Instalação do Certificado... 05 Revogação do Certificado... 07 Senhas do Certificado... 08 Renovação

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS Orientador Empresarial CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF nº 580/2005

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Autenticação Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, junho de 2013 Resumos de mensagem (hash) Algoritmo Hash são usados quando a autenticação é necessária, mas o sigilo,

Leia mais

Autoridades de Certificação: importância e necessidade para uma infra-estrutura de chave pública (PKI) *

Autoridades de Certificação: importância e necessidade para uma infra-estrutura de chave pública (PKI) * Autoridades de Certificação: importância e necessidade para uma infra-estrutura de chave pública (PKI) * Francisco de Assis Noberto Galdino de Araújo 1 Suzilaine Sbroglio 2 José Manuel Magalhães Cruz (Orientador)

Leia mais

Tecnologia da Informação UNIDADE 3

Tecnologia da Informação UNIDADE 3 Tecnologia da Informação UNIDADE 3 *Definição * A segurança da informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para a organização. *Definição

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof Célio Conrado E-mail: celio.conrado@gmail.com Site: www.celioconrado.com Conceito Por que usar? Como funciona

Leia mais

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T.

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T. Revisão para A1 Criptografia e Certificação Digital Legenda: A + - Chave Pública de A A - - Chave Privada de A s Chave Secreta MD5 Algoritmo de HASH MSG Mensagem de texto claro - Operação de comparação

Leia mais

INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA. Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos.

INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA. Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos. 1 INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA Alexandre Kaspary 1 Alexandre Ramos 2 Leo Andre Blatt 3 William Rohr 4 Fábio Matias Kerber 5 Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 006/2014 EMENTA: Aprova Normas da Política de

Leia mais

Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI

Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI * A segurança da informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para a organização.

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Revisão Criptografia de chave simétrica; Criptografia de chave pública; Modelo híbrido de criptografia. Criptografia Definições

Leia mais

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores. Segurança Lógica

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores. Segurança Lógica Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores Segurança Lógica 1 Segurança Lógica Mecanismos de Controle A Segurança Lógica é aspecto abrangente e complexo, requerendo, consequentemente, um estudo

Leia mais

Informática Básica. Internet Intranet Extranet

Informática Básica. Internet Intranet Extranet Informática Básica Internet Intranet Extranet Para começar... O que é Internet? Como a Internet nasceu? Como funciona a Internet? Serviços da Internet Considerações finais O que é Internet? Ah, essa eu

Leia mais