RELATÓRIO DE INSPEÇÃO SISTEMAS DE SEGURANÇA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE INSPEÇÃO SISTEMAS DE SEGURANÇA"

Transcrição

1 PERÍCIAS, VISTORIAS, AUDITORIAS E CONSULTORIA EM ENGENHARIA RELATÓRIO DE INSPEÇÃO SISTEMAS DE VERSÃO FINAL CLIENTE DISCO INCORPORADORA IMOB. LTDA. EMPREENDIMENTO CLUBE RESIDENCIAL OLYMPIQUE AE 04 LTS G/H AV. CONTORNO GUARÁ DISTRITO FEDERAL ABR,

2 REALIZAÇÃO MAT & ART PERÍCIAS, AVALIAÇÕES E CONSULTORIA EM ENGENHARIA Responsável Técnico: Perito Eng. Civil Caio Cícero Madrid Magalhães CREASP /D PERÍCIAS, AUDITORIAS E CONSULTORIA EM ENGENHARIA E TECNOLOGIA Responsável Técnico: Perito Eng. Eletricista /Comunicações Fernando Autran CREADF /D PROFISSIONAIS ASSOCIADOS 2

3 1. TERMINOLOGIA Segundo a Norma de Inspeção Predial do IBAPE, a classificação quanto ao grau de risco de uma anomalia ou falha deve sempre ser fundamentada, considerando os limites e os níveis da Inspeção Predial realizada, podendo haver 03 classificações: CRÍTICO Impacto irrecuperável recomendando intervenção imediata. Explanação: Os impactos irrecuperáveis são aqueles que provocam danos contra a saúde e segurança das pessoas e meio ambiente, perda excessiva de desempenho causando possíveis paralisações, aumento de custos, comprometimento sensível de vida útil e desvalorização acentuada. REGULAR Impacto parcialmente recuperável recomendando programação de curto prazo. Explanação: Os impactos parcialmente recuperáveis são aqueles que provocam de perda de funcionalidade sem prejuízo à operação direta de sistemas, perda pontual de desempenho (possibilidade de recuperação), deterioração precoce e pequena desvalorização. MÍNIMO Impacto recuperável recomendando programação de médio prazo. Explanação: Os impactos recuperáveis são aqueles causados por pequenos prejuízos à estética ou atividades programáveis planejadas, sem incidência ou sem a probabilidade de ocorrência dos riscos acima expostos, e sem comprometimento do valor imobiliário. art.eng.br 3

4 Para determinação da ordem de prioridades, a Norma recomenda que seja elaborada lista disposta em ordem decrescente quanto ao grau de risco e intensidade das anomalias e falhas, apurada por metodologias técnicas apropriadas. Em adendo, do Glossário de Terminologia Básica aplicável à engenharia do IBAPE/SP, constam definições das expressões mencionadas abaixo, que serão utilizadas neste trabalho: As Anomalias são vícios de construção, que podem ser divididas em: ENDÓGENAS Relacionados à construção (projetos, materiais e execução); EÓGENAS Relacionados a danos causados por terceiros (obras vizinhas, choques de veículos etc.); NATURAIS Relacionados a fatores ligados à natureza (terremotos, inundações etc.); FUNCIONAIS Decorrentes da degradação devido ao uso e operação. Portanto o enfoque do vistoriador deve ser tríplice, ou seja, técnico, funcional e de manutenção, exigindo uma visão sistêmica tridimensional. No caso presente sub estudo, o objetivo é realizar avaliação de conformidades (anomalias de projeto, construtivas e desempenho) dos produtos entregues pela construtora, isto é, Projetos ASBUILT, Manuais de Operação, Especificações Técnicas, reclamações realizadas junto à Construtora, reparos realizados pelo Condomínio, e outros. 4

5 3.RELATÓRIO DE INSPEÇÃO ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A CO Luminária de emergência em falta, em escada de incêndio. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 1.LUMINÁRIA DE EMERGÊNCIA EM FALTA. art.eng.br 5

6 3.002 ETINTOR DE INCÊNDIO 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A CO Extintor em falta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 2.ETINTOR EM FALTA. 6

7 3.003 ESCADAS DE INCÊNDIO 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A ME Antecâmara do cômodo de presurização das escadas utilizado como depósito de baldes e vassouras. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 3.ANTECÂMARA DO CÔMODO DE PRESSURIZAÇÃO DE ESCADAS UTILIZADO COMO DEPÓSITO DE BALDES E VASSOURAS. art.eng.br 7

8 3.004 HIDRANTE 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A ME Falta de mangueira de incêndio. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 4.FALTA DE MANGUEIRA DE INCÊNDIO. 8

9 3.005 ETINTOR DE INCÊNDIO 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A ME Extintor em falta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 5.ETINTOR EM FALTA. art.eng.br 9

10 3.006 ALARME DE INCÊNDIO 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE B PILOTIS Botão de alarme de incêndio em falta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 6.BOTÃO DE ALARME DE INCÊNDIO EM FALTA. 10

11 3.007 ETINTOR DE INCÊNDIO 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE B PILOTIS Extintor de incêndio em falta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 7.ETINTOR DE INCÊNDIO EM FALTA. art.eng.br 11

12 3.008 PORTA CORTA FOGO 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE B PILOTIS Porta corta fogo presa, sendo deixada sempre aberta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 8.PORTA CORTA FOGO PRESA. 12

13 Saída de emergência obstruída. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 9.SAÍDA DE EMERGÊNCIA OBSTRUÍDA. art.eng.br 13

14 3.009 ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA 27/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A Luminária de emergência deslocada. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL Anomalia encontrada próxima ao apartamento PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 10.LUMINÁRIA DE EMERGÊNCIA DESLOCADA. 14

15 3.010 ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA 27/01/ RESIDENCIAL OLYMPIQUE Luminária de emergência com fiação exposta. ÁREAS COMUNS CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO T FIGURA 11.LUMINÁRIA DE EMERGÊNCIA EM FRENTE AO SALÃO DE BELEZA. art.eng.br 15

16 3.011 BOMBAS DE SPRINKLER S 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE 1.SS Todas as bombas de sprinkler na posição desligado. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 12.BOMBAS DE SPRINKLER DESLIGADAS. FIGURA 13.BOMBAS DE SPRINKLER DESLIGADAS. 16

17 3.012 ALARME DE INCÊNDIO 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE 1º.SS Botoeira de alarme de incêndio solta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 14.BOTOEIRA DE ALARME DE INCÊNDIO SOLTA. art.eng.br 17

18 Botoeira de alarme de incêndio presa por fita plástica. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 15.BOTOEIRA PRESA POR FITA PLÁSTICA. 18

19 3.013 PORTA CORTA FOGO 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE D CO Porta corta fogo presa, sendo deixada sempre aberta. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 16.PORTA CORTA FOGO SEMPRE ABERTA. art.eng.br 19

20 3.014 Hidráulica 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE D CO Contramarco da visita à válvula redutora de pressão soltando. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 17.CONTRAMARCO DA VISITA À VÁLVULA REDUTORA DE PRESSÃO SOLTANDO. 20

21 Pressão de vávula redutora. Vazamento nas tampas das 4 válvulas. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 18.PRESSÃO DE VÁVULA REDUTORA. art.eng.br 21

22 Pressão de vávula redutora. Vazamento nas tampas das 4 válvulas. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 19.PRESSÃO DE VÁVULA REDUTORA. 22

23 3.015 ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE B Luzes de emergência deste pavimento não funcionam. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 20..LUZES DE EMERGÊNCIA NÃO FUNCIONAM. art.eng.br 23

24 3.016 SISTEMA DE CHUVEIRO AUTOMÁTICO 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE 1º.SS Rede de Sistemas de Chuveiro Automático completamente despressurizada; Infiltrações nos manômetros. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL Rede de Sprinklers inoperante PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 21.REDE DESPRESSURIZADA. 24

25 Sistemas com vazamento nas juntas e uniões; Totalmente inoperante. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL Rede de Sprinklers inoperante PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 22.VAZAMENTOS EM JUNTAS E UNIÕES. art.eng.br 25

26 Barrilhete do Sistema de Sprinkler s totalmente despressurizado. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL Rede de Sprinklers inoperante PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 23.SISTEMA DESPRESSURIZADO. 26

27 3.017 SISTEMAS DE HIDRANTES DE PAREDE 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A CO Conjunto de bombas com pressão elevada (7,5 kgf/cm 2 ). CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 24.CONJUNTO DE BOMBAS COM PRESSÃO ELEVADA. art.eng.br 27

28 3.018 SISTEMAS DE HIDRANTES DE PAREDE 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE B CO Conjunto de bombas com fiação exposta próximo à junção elétrica das bombas e os conduletes. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 25.FIAÇÃO EPOSTA PRÓIMO ÀS BOMBAS. 28

29 3.019 SISTEMAS DE HIDRANTES DE PAREDE 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE C CO Conjunto de bombas sendo acionadas ao mesmo tempo. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 26.CONJUNTO DE BOMBAS SENDO ACIONADAS AO MESMO TEMPO. art.eng.br 29

30 Falta de equipamentos dos hidrantes de parede, tais como mangueiras e esguinchos. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 27.FALTA DE EQUIPAMENTOS EM HIDRANTE. 30

31 3.020 SISTEMAS DE HIDRANTES DE PAREDE 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE D CO Rede totalmente despressurizada. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 28.REDE DESPRESSURIZADA. art.eng.br 31

32 3.021 CENTRAL DE DETECÇÃO E ALARMES 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE A Pilotis Central de alarmes de incêndio desligada. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 29.CENTRAL DE ALARMES DE INCÊNDIO DESLIGADA. 32

33 Central inoperante para todos os sistemas de detecção. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 30.CENTRAL INOPERANTE. art.eng.br 33

34 Sistema de automação do grupo pressurizador das escadas inoperante. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 31.SISTEMA DE AUTOMAÇÃO DO PRESSURIZADOR INOPERANTE. 34

35 3.022 VÁVULA DE GOVERNO AUTOMÁTICA 28/01/2016 RESIDENCIAL OLYMPIQUE C CO Registro de válvula sem manutenção e indicação. CRÍTICO REGULAR MÍNIMO ENDÓGENA EÓGENA NATURAL FUNCIONAL PROJETO MATERIAIS EECUÇÃO MANUTENÇÃO FIGURA 32.REGISTRO DE VÁLVULA SEM MANUTENÇÃO E INDICAÇÃO. art.eng.br 35

(atualizada em 11/2006) NBR 5667-1:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil - Parte 1 - Hidrantes de Coluna NBR 5667-2:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro dúctil - Parte 2 - Hidrantes

Leia mais

UMA PROPOSTA DE ROTEIRO DE INSPEÇÃO PREDIAL PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI

UMA PROPOSTA DE ROTEIRO DE INSPEÇÃO PREDIAL PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI UMA PROPOSTA DE ROTEIRO DE INSPEÇÃO PREDIAL PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI Anderson Alves de Oliveira 1 Ernani Alencar Rodrigues 2 Larissa Maria Argollo de Arruda Falcão 3 RESUMO: A construção é

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) Projeto Prevenção de Incêndio TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS

Leia mais

VISITA DE INSPEÇÃO PREDIAL REALIZADA NO CONDOMÍNIO IRISVILLE

VISITA DE INSPEÇÃO PREDIAL REALIZADA NO CONDOMÍNIO IRISVILLE ANUÁRIO DE PRODUÇÕES ACADÊMICO-CIENTÍFICAS DOS DISCENTES DA FACULDADE ARAGUAIA VISITA DE INSPEÇÃO PREDIAL REALIZADA NO CONDOMÍNIO IRISVILLE André Luiz Amâncio Ferreira Tecnologia em Construção de Edifícios

Leia mais

São Paulo, maio de 2014

São Paulo, maio de 2014 São Paulo, maio de 2014 Ao Conselho Federal de Engenharia e Agronomia Confea SEPN 508, Bloco A, 3º andar - Edifício Confea 70740-541 - Brasília DF A/C: Eng. Civil José Gilberto Campos - Superintendente

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16 Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas 5 Procedimentos ANEXOS A Planilha de levantamento de dados B Fluxograma do Plano de Intervenção de Incêndio 1 Objetivo Esta Norma Técnica

Leia mais

Aspectos da Norma de Inspeção Predial

Aspectos da Norma de Inspeção Predial 1 Seminário de Normas Técnicas Eng.º Frederico Correia Lima: Eng.º Arival Cidade 21/07/2016 2 Seminário de Normas Técnicas Palestrantes Frederico Correia Lima: Engenheiro Avaliador e Perito. Graduado em

Leia mais

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por:

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016 Errata 01 1. No item 6.2.2 da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: 6.2.2 O recurso de 1ª instância deverá ser encaminhado à AAT ou

Leia mais

INSPEÇÃO PREDIAL Eng Flávia Zoéga Andreatta Pujadas out/2008

INSPEÇÃO PREDIAL Eng Flávia Zoéga Andreatta Pujadas out/2008 INSPEÇÃO PREDIAL Eng Flávia Zoéga Andreatta Pujadas out/2008 INSPEÇÃ ÇÃO O PREDIAL Norma de Inspeção Predial 2007 IBAPE/SP É a avaliação isolada ou combinada das condições técnicas técnicas, de uso e de

Leia mais

Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Diretoria Técnica do IBAPE/SP

Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Diretoria Técnica do IBAPE/SP INSPEÇÃO PREDIAL A saúdedos dos edifícios Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Diretoria Técnica do IBAPE/SP archeo@uol.com.br NORMAS RELACIONADAS Norma de Inspeção Predial do IBAPE/SP (2011) Norma

Leia mais

STF ASSESSORIA & CONSULTORIA S/C LTDA

STF ASSESSORIA & CONSULTORIA S/C LTDA São Paulo, 03 de julho de 2014. À SKR Empreendimento: JURUCÊ. A/C Carolina Barbosa C/C aos demais projetistas. Ref. 1º Relatório de análise dos sistemas passivos e ativos de prevenção e combate a incêndio

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS DE COMBATE A INCÊNDIO

SISTEMAS PREDIAIS DE COMBATE A INCÊNDIO SISTEMAS PREDIAIS DE COMBATE A INCÊNDIO PROFESSOR: ELIETE DE PINHO ARAUJO PLANO DE AULA Ementa: Aplicação dos conhecimentos teóricos adquiridos durante o curso, por meio da realização de projetos individuais

Leia mais

Painel 1 Perícias de Engenharia e a Norma de Desempenho

Painel 1 Perícias de Engenharia e a Norma de Desempenho Diagnósticos Técnicos e a Preservação de Direitos na Construção Civil Painel 1 Perícias de Engenharia e a Norma de Desempenho Engº Msc. JERÔNIMO CABRAL PEREIRA FAGUNDES NETO Realização Apoio Técnico Apoio

Leia mais

MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO

MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO A ANPC já publicou o a ultima versão dos esclarecimentos sobre os procedimentos para a implementação das medidas de autoproteção. http://www.proteccaocivil.pt/segurancacontraincendios/pages/planosdeseguranca.aspx

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO

PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO QUANTO CUSTA UM BANHO? Área Total = 170 mil m² Área Construída = 105 mil m² FREQUENCIA MÉDIA DE ASSOCIADOS (2015) Média Diária = 6.708 entradas Média Mensal = 201.251 entradas

Leia mais

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100.

ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. PARECER TÉCNICO DAS ANOMALIAS ENCONTRADAS NA EDIFICAÇÃO DE GARANTIA POR PARTE DA CONSTRUTORA. 1ªPARTE TORRES 1 a 3. CONDOMÍNIO: Brink Condomínio Clube. ENDEREÇO: Estrada de Itapecerica Nº 2.100. CIDADE/UF:

Leia mais

Hidrante Consultoria e Projetos (62) Projetando Instalações Prediais de Combate a Incêndio CONCEITOS E APLICAÇÃO

Hidrante Consultoria e Projetos  (62) Projetando Instalações Prediais de Combate a Incêndio CONCEITOS E APLICAÇÃO Hidrante Consultoria e Projetos www.hidrante.com.br (62) 3251-0220 Projetando Instalações Prediais de Combate a Incêndio CONCEITOS E APLICAÇÃO Apresentação Flávio Eduardo Rios Engenheiro Civil desde 1979

Leia mais

NORMA TÉCNICA 41/2014

NORMA TÉCNICA 41/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 41/2014 Edificações Existentes Adaptação às Normas de Segurança Contra Incêndio e Pânico SUMÁRIO 1 Objetivo 2

Leia mais

FACULDADE NOBRE DE FEIRA DE SANTANA Recredenciada pela Portaria Ministerial nº de 07 de outubro de 2011.

FACULDADE NOBRE DE FEIRA DE SANTANA Recredenciada pela Portaria Ministerial nº de 07 de outubro de 2011. FACULDADE NOBRE DE FEIRA DE SANTANA Recredenciada pela Portaria Ministerial nº 1.417 de 07 de outubro de 2011. CURSO: Engenharia Elétrica DISCIPLINA: Sistemas de Automação PROFESSOR: Allan Jacson LISTA

Leia mais

CONTROLADOR DE CARGA CTL-100

CONTROLADOR DE CARGA CTL-100 Manual do usuário Série: A MAN-DE- Rev.: 01.01-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível a leitura completa deste manual para um bom entendimento

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: INCÊNDIO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. Apresentação... 03 2. Extintores... 04 3. Iluminação de Emergência...

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA ESPECIAL DE CONCESSÕES E PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA ESPECIAL DE CONCESSÕES E PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS ANEXO 7 - Quadro de Indicadores de Desempenho QID 1. A mensuração do desempenho operacional, financeiro e gerencial da CONCESSIONÁRIA será realizada por meio dos CRITÉRIOS DE DESEMPENHO apresentados no

Leia mais

MÁQUINAS TÉRMICAS AT-101

MÁQUINAS TÉRMICAS AT-101 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-101 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 : A 13º norma regulamentadora, estabelece todos os requisitos

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Processo: 23083.006186/2015-28 Pregão: 36/2016 Vigência 28/04/2016-27/04/2017 Objeto: Aquisição de extintores de incêndio Gestor: Sérgio Vieira DEPTO: PROAD E-mail: proad-ngs@ufrrj.br

Leia mais

Planilha Orçamentária Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02%

Planilha Orçamentária Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02% 020000 Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02% 020200 Container 020202 CPOS Container alojamento - mínimo 9,20 m² unxmês 2,00 253,33 2,24 511,14 0,069% 020204 CPOS Container sanitário - mínimo

Leia mais

REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR)

REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR) REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR) Detalhe do vazamento junto à válvula redutora. 54 Detalhe da falta de acabamento do ralo. RECOMENDAÇÃO: REDUTORAS DE PRESSÃO (6 ANDAR) Por se tratar de anomalia construtiva

Leia mais

Brigada Combate a Incêndios. 1. Levantamento de Dados

Brigada Combate a Incêndios. 1. Levantamento de Dados 1. Levantamento de Dados Setor 1: Diversos - Portaria - Bicicletaria - Estacionamento para ônibus - Refeitório - Sala de Visitas - Caixa de água potável Subterrânea - Caixa de água Potável Elevada R.T.I.

Leia mais

GRUPO NOVO BRASIL LINHA DE PRODUTOS 01/2002-REV.00

GRUPO NOVO BRASIL LINHA DE PRODUTOS 01/2002-REV.00 UNID ABRIGOS PARA HIDRANTES E MANGUEIRAS DE INCENDIO Medidas Padrão: Caixa de embutir com moldura removível: 50 x 70 x 25 (cm); Predial / Industrial 75 x 45 x 17 (cm);. Predial / Industrial Caixa externa

Leia mais

Maquinas, equipamentos e ferramentas diversas na construção civil. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Maquinas, equipamentos e ferramentas diversas na construção civil. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho na construção civil Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho A operação de máquinas e equipamentos que exponham o operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por trabalhador

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 12 Forros FORROS Definição: Revestimento da face inferior da laje ou de telhados de modo a constituir a superfície superior de um ambiente fechado FORROS FORROS Critérios de escolha:

Leia mais

NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNCIO

NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNCIO NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNCIO DADOS DA INSPEÇÃO Órgão Responsável pelo Estabelecimento Endereço CNAE Inspetor (es) Estabelecimento Contato Numero de Servidores Referências técnicas (Além desta NR) Acompanhante

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

FICHA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO A ANEXAR AOS PROJECTOS DE ARQUITECTURA DE EDIFÍCIOS DE OCUPAÇÃO EXCLUSIVA OU MISTA COM UTILIZAÇÕES TIPO DA 1ª E 2ª CATEGORIAS DE RISCO Ficha a ser apreciada pela Câmara Municipal (1ª Categoria) ou pelos

Leia mais

PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA

PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA Página: 1 Data de Criação: 22/03/2004 Período Início: 2004/01 Horas Aula Teórica: 68 Prática: 0 ExtraClasse: 0 Carga Horária:68 Número de Créditos: 4 Sistema de Aprovação: Aprovação por Média/Freqüência

Leia mais

COMISSIONAMENTO DE SISTEMAS PREDIAIS

COMISSIONAMENTO DE SISTEMAS PREDIAIS AGENDA OBJETIVO DO COMISSIONAMENTO; PAPEL DO AGENTE/ EMPRESA DE COMISSIONAMENTO; PRINCIPAIS ATIVIDADES NA CADEIA DA CONSTRUÇÃO; CASES; BENEFÍCIOS DO COMISSIONAMENTO; AÇÕES DO COMISSIONAMENTO NO BRASIL;

Leia mais

Tratamento Térmico de Resíduos. Uma Opção para a Destinação do Resíduo: Tratamento Térmico

Tratamento Térmico de Resíduos. Uma Opção para a Destinação do Resíduo: Tratamento Térmico Uma Opção para a Destinação do Resíduo: Tratamento Térmico Florianópolis, 21 de outubro de 2013 Assuntos: Plano de Consultoria do Teste de Queima; Diagnóstico Inicial; Plano do Teste de Queima; Plano de

Leia mais

TESTE DE LAMPADAS TL-12

TESTE DE LAMPADAS TL-12 TESTE DE LAMPADAS TL-12 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso TESTE DE LAMPADAS TL-12. Para garantir o uso correto e eficiente do TL-12, leia este manual completo e atentamente para entender como

Leia mais

NORMA TÉCNICA 04/2014

NORMA TÉCNICA 04/2014 É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 04/2014 Símbolos Gráficos SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas e bibliográficas

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

ADAPTADOR RJ-45 PARA BORNE AA-400

ADAPTADOR RJ-45 PARA BORNE AA-400 ADAPTADOR RJ-45 PARA BORNE Manual do usuário Adaptador RJ-45 para Borne MAN-PT-DE-AA400 Rev.: 1.00-11 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso. Para garantir o uso correto e eficiente, é imprescindível

Leia mais

1

1 1 12.07.11 Seguradoras, Corretores e resseguradores. 12.08.11 Reunião técnica 1: Levantamento dos problemas e sugestões. 16.09.11 Reunião técnica 2. Desenvolvimento das sugestões. 17.10.11 Reunião técnica

Leia mais

Proteção contra choques elétricos. Proteção em instalações elétricas. Proteção contra choques elétricos. Proteção contra choques elétricos

Proteção contra choques elétricos. Proteção em instalações elétricas. Proteção contra choques elétricos. Proteção contra choques elétricos Proteção em instalações elétricas Na disciplina de instalações elétricas, verificamos os quatro tipos de proteção previstos na NBR 5410: Proteção contra sobre tensão; Proteção contra sobrecorrente e curto-circuito;

Leia mais

ETAPAS. 1. Contextualização; 2. Abrangência; 3. Pregão Nº 811/2012 DNIT; 4. TED Nº 290/2014 DNIT/COTER; 5. Situação Atual; 6.

ETAPAS. 1. Contextualização; 2. Abrangência; 3. Pregão Nº 811/2012 DNIT; 4. TED Nº 290/2014 DNIT/COTER; 5. Situação Atual; 6. Brasília, 2014 ETAPAS 1. Contextualização; 2. Abrangência; 3. Pregão Nº 811/2012 DNIT; 4. TED Nº 290/2014 DNIT/COTER; 5. Situação Atual; 6. Encerramento CONTEXTUALIZAÇÃO Histórico 1975 Programa de Contagem

Leia mais

GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas

GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas GT DESEMPENHO/BA Eng. Priscila Freitas ENG. PRISCILA FREITAS Engenheira Civil, UEFS (2006) Especialista em Engenharia da Qualidade, UFBA (2007) Mestranda em Gestão e Tecnologia Industrial GETEC, SENAI

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL URBANO

LAUDO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL URBANO LAUDO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL URBANO Imóveis Distrito Industrial Polo Industrial Fernando Santucci - Leme (SP) Exmo Sr. Prefeito Municipal da Comarca de Leme (SP) Sr. Paulo Roberto Blascke Admilson Aparecido

Leia mais

SEGUNDA GERAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL ATENDE NORMAS DE DESEMPENHO E MANUTENÇÃO DA ABNT

SEGUNDA GERAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL ATENDE NORMAS DE DESEMPENHO E MANUTENÇÃO DA ABNT SEGUNDA GERAÇÃO DE INSPEÇÃO PREDIAL ATENDE NORMAS DE DESEMPENHO E MANUTENÇÃO DA ABNT A modernização tecnológica da construção civil e conseqüente possibilidade de aprimoramentos da qualidade das habitações

Leia mais

CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA

CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA Por este instrumento particular, CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO LIFESPACE CURITIBA, com CNPJ em processamento, localizado à Avenida Visconde de Guarapuava, 3.806, cidade de Curitiba,

Leia mais

Transmissor de vazão de ar Modelo A2G-25

Transmissor de vazão de ar Modelo A2G-25 Medição eletrônica de pressão Transmissor de vazão de ar Modelo A2G-25 WIKA folha de dados SP 69.04 outras aprovações veja página 5 Aplicações Para medição da vazão de ar de ventiladores radiais Para medição

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13

PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13 PERGUNTAS E RESPOSTAS COMENTADAS SOBRE NR 13 O que são vasos e caldeiras para fins de aplicação da NR 13? Caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior

Leia mais

Lilian Sarrouf Coordenadora Técnica do GT Manual

Lilian Sarrouf Coordenadora Técnica do GT Manual v Lilian Sarrouf Coordenadora Técnica do GT Manual HISTÓRICO 1997 SINDUSCON SP Guia para Redação e Produção do Manual de Operação, Uso e Manutenção de Imóveis 2000 - SECOVI SP Manual de Operação, Uso e

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO USO DE IMÓVEIS

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO USO DE IMÓVEIS PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO USO DE IMÓVEIS José Moacyr Freitas de Araujo Engenheiro CONTRU - 4 Orientações para obtenção de Alvará de

Leia mais

INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER

INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER INTERFERÊNCIA DO SISTEMA DE AR CONDICIONADO NO SISTEMA DE DETECÇÃO DE FUMAÇA DATA CENTER TIPOS DE DETECTORES DE FUMAÇA ü Detector de fumaça fotoelétrico 1. Câmera ótica 2. Protetor 3. Caixa 4. Fotodiodo

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE ASPECTOS GERAIS O curso com uma duração de 128 horas é constituído pelas sessões a seguir indicadas. 1 Parte I Teórico prática 1.1

Leia mais

Não conformidades dos sistemas de chuveiros automáticos no município de São Paulo

Não conformidades dos sistemas de chuveiros automáticos no município de São Paulo Não conformidades dos sistemas de chuveiros automáticos no município de São Paulo CASSIO ROBERTO ARMANI Coronel PM Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE CONFECÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS PLANTAS DE EMERGÊNCIA

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE CONFECÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS PLANTAS DE EMERGÊNCIA PLANTA DE EMERGÊNCIA ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE CONFECÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS PLANTAS DE EMERGÊNCIA QUAIS EDIFICAÇÕES OU ÁREAS DE RISCO DEVERÃO APRESENTAR AS PLANTAS DE SEGURANÇA? RESOLUÇÃO Nº 097, DE 04 DE

Leia mais

Tecnologias para Extinção de incêndio

Tecnologias para Extinção de incêndio Tecnologias para Extinção de incêndio Apresentação referente às tecnologias disponíveis para extinção de incêndio. Adelmiro Mendes Ferreira 1 3M No mundo e no Brasil 2 112 anos de fundação nos EUA, 68

Leia mais

PARTE I - SINALIZAÇÃO DE ORIENTAÇÃO E SALVAMENTO

PARTE I - SINALIZAÇÃO DE ORIENTAÇÃO E SALVAMENTO PARTE I - SINALIZAÇÃO DE ORIENTAÇÃO E SALVAMENTO Produto Utilização Ref. Cm. Indica o sentido da saída nos locais planos e sem escadas, onde a orientação seja PV10231 seguir à direita a partir do ponto

Leia mais

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS Análise dos Critérios de Atendimento à Norma de Desempenho ABNT NBR 15.575 Estudo de caso em empresas do programa Inovacon-CE AGRADECIMENTOS Instituições de ensino INOVACON Programa

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

Montagem de Mezaninos Metálicos em Estações da Fase II da Linha 4 Amarela do Metrô/SP, em Convivência com a Operação Comercial AEAMESP

Montagem de Mezaninos Metálicos em Estações da Fase II da Linha 4 Amarela do Metrô/SP, em Convivência com a Operação Comercial AEAMESP Montagem de Mezaninos Metálicos em Estações da Fase II da Linha 4 Amarela do Metrô/SP, em Convivência com a Operação Comercial Jean José de Lima Vanessa Alessandra Salvador 21ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Sprinklers e Estatísticas; Capacitação/Qualificação Profissional. José Carlos Paiva Gerente Executivo

Visão Geral dos Sistemas de Sprinklers e Estatísticas; Capacitação/Qualificação Profissional. José Carlos Paiva Gerente Executivo Visão Geral dos Sistemas de Sprinklers e Estatísticas; Capacitação/Qualificação Profissional José Carlos Paiva Gerente Executivo CONTEÚDO Visão geral dos Sistemas de Sprinklers Confiabilidade e Estatísticas

Leia mais

LAB4 Introdução aos Controladores Lógicos Programáveis

LAB4 Introdução aos Controladores Lógicos Programáveis LAB4 Introdução aos Controladores Lógicos Programáveis 4.1 Introdução Os Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) são dispositivos digitais, muito utilizados na indústria, capazes de armazenar instruções

Leia mais

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA ANEXO 01

REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA ANEXO 01 REFORMA SALA DO NÚCLEO DE SEGURANÇA LUMINOTÉCNICO ANEXO 01 Responsabilidade e compromisso com o meio Ambiente SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO E OBJETIVO... 4 2. NORMALIZAÇÃO... 4 3. COMENTÁRIOS LUMINOTÉCNICOS:...

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATO DO COMANDANTE GERAL

SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATO DO COMANDANTE GERAL SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATO DO COMANDANTE GERAL PORTARIA CBMERJ N 383, 10 DE MARÇO DE 2005. REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA RESOLUÇÃO SEDEC

Leia mais

PARECER TÉCNICO DE AVALIAÇÃO MERCADOLÓGICA

PARECER TÉCNICO DE AVALIAÇÃO MERCADOLÓGICA fls. 82 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUÍZ DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE GUARUJÁ/SP. Processo : 0003918-66.2016.8.26.0223 Cartório : 3º Vara Cível Exequente : CONDOMINIO EDIFICIO GOLDEN TOWER

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES BEBEDOUROS BEGEL REFRIGERADOS TIPO PRESSÃO BRX40 CONJUGADO BRX40 BRX80CONJUGADO BRX80. PARABÉNS Pelo seu novo bebedouro BEGEL

MANUAL DE INSTRUÇÕES BEBEDOUROS BEGEL REFRIGERADOS TIPO PRESSÃO BRX40 CONJUGADO BRX40 BRX80CONJUGADO BRX80. PARABÉNS Pelo seu novo bebedouro BEGEL MANUAL DE INSTRUÇÕES BEBEDOUROS BEGEL REFRIGERADOS TIPO PRESSÃO BRX40 CONJUGADO BRX40 BRX80CONJUGADO BRX80 PARABÉNS Pelo seu novo bebedouro BEGEL Ficamos muito satisfeitos por você ter depositado sua confiança

Leia mais

portas corta fogo dominante

portas corta fogo dominante portas corta fogo dominante índice 04 portas corta fogo 11 12 acessórios serviços 01 02 Ensaio de porta corta fogo DOMINANTE - IPT portas corta fogo 05 07 08 porta classe P60/P90/P120 medidas de portas

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37. Subestação elétrica ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 37 Subestação elétrica SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências normativas

Leia mais

Dimensão Adequação e Conforto das Instalações Check-list Adequação e Conforto das Instalações

Dimensão Adequação e Conforto das Instalações Check-list Adequação e Conforto das Instalações A - ADEQUAÇÃO DAS INSTALAÇÕES 1. Acessos e mobilidade 1.1 Garante a existência de rampas de acesso para pessoas com mobilidade reduzida 1.2 Mantém atualizada a comunicação visual e sinalética 1.3 Está

Leia mais

Instalações Prediais. Manutenção

Instalações Prediais. Manutenção Instalações Prediais Manutenção Legislação Leis nº 10.199/86 e 8382/76 Certificado de manutenção dos sistemas de segurança contra incêndio Lei nº 13.214, de 22 de novembro de 2001. Obrigatoriedade de instalação

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS OBRAS EM CONDOMÍNIOS: PRECAUÇÕES E RESPONSABILIDADES

CICLO DE PALESTRAS OBRAS EM CONDOMÍNIOS: PRECAUÇÕES E RESPONSABILIDADES CICLO DE PALESTRAS OBRAS EM CONDOMÍNIOS: PRECAUÇÕES E RESPONSABILIDADES INSPEÇÃO PREDIAL CHECK UP E PREVENÇÃO DE ACIDENTES IBAPE/SP Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo

Leia mais

Controle BP308 para Painéis de Elevadores

Controle BP308 para Painéis de Elevadores Controle BP308 para Painéis de Elevadores Safe solutions for your industry Controlador BP308 Um sistema, várias aplicações. Os benefícios em resumo: Aplicações PB308 - Sistema Flexível Aplicação e Utilização

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA Versão 2014 Entidades Associadas Sumário Seção 1 Estrutura Organizacional 1.1. Liderança 1.2. Equipe Médica 1.3. Equipe de Enfermagem 1.4. Gestão de Pessoas

Leia mais

[Manual do Usuário] é bem durável e resistente é multi-uso é super simples de usar fácil de programar usa peças importadas ele não enferruja!

[Manual do Usuário] é bem durável e resistente é multi-uso é super simples de usar fácil de programar usa peças importadas ele não enferruja! >> destaques ECONOTIMER: é bem durável e resistente é multi-uso é super simples de usar fácil de programar usa peças importadas ele não enferruja! [Manual do Usuário] I NDEX. Introdução... 01. Aplicações...

Leia mais

CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO TAMANDARÉ

CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO TAMANDARÉ CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO TAMANDARÉ Neste Guia, você tem um roteiro para fazer uma inspeção informal no prédio, com a finalidade de identificar anomalias nos equipamentos e na estrutura, como parte da manutenção

Leia mais

Símbolos Gráficos Para Projeto de Segurança Contra Incêndio

Símbolos Gráficos Para Projeto de Segurança Contra Incêndio Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 004 Símbolos Gráficos Para Projeto de Segurança Contra Incêndio CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 17 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo

Leia mais

Avaliação Global. Empresa: TRANSGLOBAL SERVIÇOS LTDA. Responsável Técnico: Reginaldo Beserra Alves Engº Segurança no Trabalho CREA 5907-D/PB

Avaliação Global. Empresa: TRANSGLOBAL SERVIÇOS LTDA. Responsável Técnico: Reginaldo Beserra Alves Engº Segurança no Trabalho CREA 5907-D/PB Avaliação Global VIGÊNCIA: SETEMBRO DE 2015 à SETEMBRO DE 2016. Empresa: TRANSGLOBAL SERVIÇOS LTDA. Responsável Técnico: Reginaldo Beserra Alves Engº Segurança no Trabalho CREA 5907-D/PB Avaliação Global

Leia mais

Higiene e Segurança Industrial. Prof Ivan F. Bottger

Higiene e Segurança Industrial. Prof Ivan F. Bottger Higiene e Segurança Industrial Prof Ivan F. Bottger A análise preliminar de riscos (APR) baseia-se na técnica definida e usada pelos militares nos programas de segurança de seus sistemas. Muitas empresas

Leia mais

AULA FMEA FABIANO DROZDA

AULA FMEA FABIANO DROZDA AULA FMEA FABIANO DROZDA 1 Failure Modes Effects Analysis (FMEA) is used during the development of new products and processes to identify, control and eliminate the causes of failure, while mitigating

Leia mais

INC F-1 MAPA CHAVE SEM ESCALA: CONTROLE MESTRE SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DLFO EQUIPAMENTOS CORPO DA GUARDA SUPERVISOR COPA NOTAS RACKS E QUADROS

INC F-1 MAPA CHAVE SEM ESCALA: CONTROLE MESTRE SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DLFO EQUIPAMENTOS CORPO DA GUARDA SUPERVISOR COPA NOTAS RACKS E QUADROS SUPERVISOR CX D'ÁGUA / ÊNDIO CONFERIR MEDIDAS DO CGER TELEFONIA SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME DE ÊNDIO E EXTINTORES MANUAIS : CONTROLE MESTRE RACK TÉCNICO DE DE COMBATE (EXTINTORES E HIDRANTES) DE ACIONADORES

Leia mais

INSPEÇÃO PREDIAL: DIRETRIZES, ROTEIRO E MODELO DE LAUDO PARA INSPEÇÕES EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.

INSPEÇÃO PREDIAL: DIRETRIZES, ROTEIRO E MODELO DE LAUDO PARA INSPEÇÕES EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSPEÇÃO PREDIAL: DIRETRIZES, ROTEIRO E MODELO DE LAUDO PARA INSPEÇÕES EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Wladson Livramento Silva 2016 INSPEÇÃO

Leia mais

SISTEMA FEDERAL DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

SISTEMA FEDERAL DE INSPEÇÃO DO TRABALHO SISTEMA FEDERAL DE INSPEÇÃO DO TRABALHO ANÁLISE DE ACIDENTE DE TRABALHO Máquina Injetora de Plástico Fabricação de artefatos de material plástico Objetivo A análise de acidente de trabalho ocorrido nas

Leia mais

Segurança em escavações e fundações. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Segurança em escavações e fundações. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Segurança em escavações e fundações Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho A área de trabalho deve ser previamente limpa, devendo ser retirados ou escorados solidamente árvores,

Leia mais

SISTEMA DE DETECÇÃO E EXTINÇÃO DE INCÊNDIOS

SISTEMA DE DETECÇÃO E EXTINÇÃO DE INCÊNDIOS SISTEMA DE DETECÇÃO E EXTINÇÃO DE INCÊNDIOS CADERNO DE ENCARGOS 2009/LIP-CC-15 Lisboa, Março de 2009 PARTE ADMINISTRATIVA ARTIGO 1.º Obrigações do adjudicatário São obrigações do adjudicatário, entre outras,

Leia mais

SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP

SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP Manual de usuário SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP MAN-DE-PICKUP Rev.: 01.00-10 Introdução Obrigado por ter escolhido nosso SENSOR MAGNÉTICO TIPO PICK-UP. Para garantir o uso

Leia mais

Consultoria em Irrigação e Fertirrigação. 3ª Reunião do GIC. Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012

Consultoria em Irrigação e Fertirrigação. 3ª Reunião do GIC. Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012 3ª Reunião do GIC Ribeirão Preto-SP, 18 de Setembro de 2012 Acionamento de motores elétricos em sistemas de irrigação via Inversor de Frequência e Qualidade na Aplicação e Operação de Sistema Carretel

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Amandio Pires Júnior 1, Sérgio Gonçalves Dutra 2, José Marcos de Lima 3, Maximillian Latorraca Barbosa 3 e Jean Louis Belot 4

NOTA TÉCNICA. Amandio Pires Júnior 1, Sérgio Gonçalves Dutra 2, José Marcos de Lima 3, Maximillian Latorraca Barbosa 3 e Jean Louis Belot 4 NOTA TÉCNICA Nº6 / 2016 Janeiro de 2016 Publicação de difusão científica e tecnológica editada pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e dirigida a profissionais envolvidos com o cultivo e beneficiamento

Leia mais

MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA EMPRESA

MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA EMPRESA MAIS TRANQUILIDADE PARA SUA EMPRESA Foi acreditando nos princípios éticos, morais e técnicos que a AVAM - AVALIAÇÃO AMBIENTAL S/S LTDA., consolidou-se como uma das mais respeitadas empresas de Consultoria

Leia mais

SISTEMAS / MEDIDAS DE SEGURANÇA

SISTEMAS / MEDIDAS DE SEGURANÇA LAUDO TÉCNICO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO Renovação de AVCB (conforme item 6.2.1.5 da IT 01) Impossibilidade técnica (conforme art. 29 do Dec. 44.746/08) 1. IDENTIFICAÇÃO DA EDIFICAÇÃO E/OU ÁREA

Leia mais

Descargas com Sensor. DRACO Automação de sanitários de alto tráfego, a melhor experiência.

Descargas com Sensor. DRACO Automação de sanitários de alto tráfego, a melhor experiência. Descargas com Sensor As válvulas de descargas com sistema de detecção HTEC Infra, substituem válvulas convencionais, com o diferencial do funcionamento completamente automático. Detectam a presença do

Leia mais

compromisso, dedicação e qualidade do começo ao fim de sua obra

compromisso, dedicação e qualidade do começo ao fim de sua obra compromisso, dedicação e qualidade do começo ao fim de sua obra A MIL manutenções e instalações elétricas nasceu com o objetivo de garantir a todos os seus clientes acesso a serviços profissionais e de

Leia mais

FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES

FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA FÓRUM DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DAS INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO EMPRESA RESPONSÁVEL: Senemig Engenharia LTDA RESPONSÁVEIS

Leia mais

Laudo Técnico de Vistoria Predial (Autovistoria)

Laudo Técnico de Vistoria Predial (Autovistoria) Laudo Técnico de Vistoria Predial (Autovistoria) LTVP nº: Nota: Este LTVP, numerado, se destina a atender ao disposto na LEI Nº 6400, DE 05 DE MARÇO DE 2013, cujo preenchimento é baseado no resultado das

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO Obra: Construção de um Prédio Residencial Multifamiliar Local: Avenida Maria José Pinheiro Machado x Jorge Calixto nº 570 Planta aprovada nº 174/16 expedida

Leia mais

Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário

Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário Carla Moraes Técnica em Edificações CTU - Colégio Técnico Universitário PREVENÇÃO SAÍDAS DE EMERGÊNCIA Visam o abandono seguro da população, em caso de incêndio ou pânico, e permitir o acesso de bombeiros

Leia mais

MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA

MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA MEMORIAL DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA O presente memorial visa descrever e caracterizar o sistema de iluminação de emergência a ser adotado para a presente edificação baseada na NBR-10.898. 2. Descrição

Leia mais

BANCADA DE TESTES DE CILINDROS

BANCADA DE TESTES DE CILINDROS MODELO: 1 1.0 Considerações Gerais 1.1 Instruções de recebimento Deve-se inspecionar visualmente todo o equipamento para detectar avarias causadas durante o transporte, como vazamentos e marcas de batidas.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE DETECÇÃO E ALARME PARA SALVAR VIDAS ROBERTA GODOY SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO BRASIL Com a moderna forma de viver, existe maior exposição ao risco de incêndio. Vídeo desenvolvido,

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO RESIDENCIAL/COMERCIAL MONET Rua: 2.870, n. 66 Centro Balneário Camboriú/SC

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO RESIDENCIAL/COMERCIAL MONET Rua: 2.870, n. 66 Centro Balneário Camboriú/SC CONDOMÍNIO EDIFÍCIO RESIDENCIAL/COMERCIAL MONET Rua: 2.870, n. 66 Centro Balneário Camboriú/SC 88330-358 Balneário Camboriú, 16 de Janeiro de 2015. Com objetivo único de fazer uma amostragem da situação

Leia mais

MEMÓRIA DE CÁLCULO - PREVENTIVO

MEMÓRIA DE CÁLCULO - PREVENTIVO MEMÓRIA DE CÁLCULO - PREVENTIVO INSTALAÇÕES PREVENTIVO CONTRA 1 INCÊNDIO 1.1 Escavação e Reaterro 1.1.1 79517/001 Escavação manual até 1,50 m m³ 35,50 35,50 1.1.3 73964/006 Reaterro compactado manualmente

Leia mais

Rua Sergipe, 475 cj. 601 CEP São Paulo (SP) - Tel: (011) LAUDO DE VISTORIA DE

Rua Sergipe, 475 cj. 601 CEP São Paulo (SP) - Tel: (011) LAUDO DE VISTORIA DE LAUDO DE VISTORIA DE ENGENHARIA E ACESSIBILIDADE 1 IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO Nome do estádio: Moisés Lucarelli Apelido do estádio: Majestoso Endereço do estádio: Pç. Dr. Francisco Ursaia, 1900, Jardim Proença

Leia mais