Desenvolvimento de Ferramentas para Páginas web com Recursos de Acessibilidade para Pessoas com Necessidades Especiais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desenvolvimento de Ferramentas para Páginas web com Recursos de Acessibilidade para Pessoas com Necessidades Especiais"

Transcrição

1 Desenvolvimento de Ferramentas para Páginas web com Recursos de Acessibilidade para Pessoas com Necessidades Especiais Sílvio T. Fujisaki 1, Annie F.Frère 2 Klaus Schlünzen Junior 3 e Elisa T. M. Schlünzen 4 1,2 Lab. de Imagens Médicas EESC, Engenharia Elétrica, Universidade de São Paulo (USP), Brasil 2 Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT), Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), Brasil 3,4 Núcleo de Educação Corporativa (NEC), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Brasil 1 Laboratório de Inteligência Artificial e Aplicações, Faculdades COC, Brasil Resumo: Este artigo tem por objetivo demonstrar a estruturação de um ambiente virtual para cursos à distância, tornando conteúdos de páginas acessíveis para pessoas com necessidades especiais. Para a acessibilidade às informações da web são observadas diretivas internacionais, como da W3C - Consórcio para a WEB [1]. Para o manuseio de computadores, pode-se desenvolver dispositivos específicos para cada caso. Finalmente, relata-se as experiências desenvolvidas em um ambiente com pessoas com necessidades especiais, apresentando experiências como paralisia cerebral, surdez, pessoas com baixa visão e cegueira. Palavras-chave: necessidades especiais, Acessibilidade, inclusão, baixa visão, cegueira. Abstract: The objective of this paper is to demonstrate a virtual environment structure for long distance courses, making contents of web pages accessible to people with special needs. For the web information accessibility, the international directives are followed, as the W3C WEB Consortium [1]. For the computers handling, specific devices may be developed for each case. Finally, the experiences developed in a people with special needs environment are described, showing experiences as cerebral paralysis, deafness, poor vision and blindness. Key-words: special needs, accessibility, inclusion and blindness. Introdução Nas últimas décadas tem-se notado um grande avanço tecnológico em áreas como transporte, telecomunicação, medicina, informática, bem como em várias outras áreas. No entanto, observa-se pouco progresso na área social quando o assunto é inclusão, quer seja porque as pessoas não têm acesso à informática, ou porque tem necessidades especiais. Pesquisas recentes mostram que mais de 10% da população mundial apresentam alguma forma de deficiência [2]. O modelo de produção mundial pouco tem feito para adequar a ergonomia de seus produtos às pessoas com necessidades especiais. Embora nos últimos anos as atenções estejam voltadas a este grupo de pessoas, as empresas continuam produzindo produtos sem padronização, o que motivou várias organizações e instituições governamentais a iniciar uma corrente em busca de padronização. A WAI Web Accessibility Initiative é um exemplo de instituição responsável pela padronização voltada a diretivas para acessibilidade a web. Os projetos de acessibilidade a web devem considerar os diferentes contextos, possibilitando atender pessoas que: estejam incapacitados de ver, ouvir, se deslocar, ou interpretar determinados tipos de informações; tenham dificuldades em ler ou compreender textos; não sejam capazes de utilizar teclado ou mouse; possuam monitor que apresenta apenas texto, ou com dimensões reduzidas, ou ainda uma conexão lenta com a Internet; não falem ou compreendam fluentemente o idioma em que o documento foi escrito; estejam com seus olhos, mãos ou ouvidos ocupados; possuam uma versão ultrapassada de navegador web, diferente dos habituais, um navegador por voz, ou ainda um sistema operacional pouco convencional. Preocupados em possibilitar a inclusão digital, várias instituições estão voltando suas atenções para atender pelo menos parte deste grupo de pessoas, a exemplo de trabalhos desenvolvidos pela USP / UNESP. O Núcleo de Educação Corporativa - NEC FCT-UNESP de Presidente Prudente tem implementado páginas

2 web acessíveis com temas importantes para usuários com necessidades especiais, como por exemplo, registros de pessoas e qualificações profissionais [3]. Essa base de dados pode ser acessada por empresas com interesses afins. De fato existe hoje uma regulamentação legal (LEI FEDERAL Nº 8213/91) que obriga empresas a alocarem um certo número de vagas para pessoas com necessidades especiais em seu quadro de funcionários. A quantidade de vagas está diretamente relacionada ao número de empregados da empresa, variando de 1% para cem funcionários, podendo chegar a 5% para quadros acima de 1000 funcionários. O combate à exclusão digital tem sido um dos principais temas relacionados à tecnologia de informação junto a sociedade. No Brasil, apenas 15% da população têm acesso ao mundo digital [4], embora investimentos recentes por parte do governo procuram disponibilizar a informática ao ensino básico público. Um outro projeto implementa as estruturas necessárias de um ambiente virtual para cursos à distância, possibilitando a criação de um ambiente acessível, inclusivo, virtual e colaborativo de aprendizagem, propiciando a interação e a participação efetiva dos cursistas, bem como uma formação contextualizada e significativa de cada participante. Nesse projeto é empregado como ferramenta a plataforma de ensino à Distância TelEduc (um ambiente para a criação, participação e administração de cursos na Web- desenvolvido no NIED-Núcleo de Informática Aplicada à Educação da Universidade Estadual de Campinas[5]). O objetivo principal deste artigo é descrever a implementação da acessibilidade nos dois projetos anteriormente mencionados. Materiais e Métodos Levando-se em consideração o problema econômico e procurando satisfazer a quesitos como segurança, manutenção, disponibilidade de ferramentas, geração de novas aplicações e suporte, implementou-se um sistema que atendesse ao quesito financeiro e funcional através do uso de software livre. Os softwares de domínio público estão fortemente acoplados à inclusão digital, pois utilizar programas para computador considerados livres garante uma economia na aquisição de licenças de uso, facilitando a implementação de projetos sociais. Além disso, o uso de software livre é uma forma de combate ao monopólio que existe atualmente sobre os programas de computadores. Sendo a acessibilidade a web, parte fundamental do projeto, o uso de tecnologias conhecidas como LAMP (Linux, Apache, MySQL, PHP e CSS) possibilitou a obtenção de um sistema de alto desempenho e baixo custo (as tecnologias citadas são softwares livres, distribuídos sob a licença GNU/GPL), tornando estas tecnologias uma excelente escolha para projetos de cunho social. O sistema operacional Linux é um sistema operacional POSIX, desenvolvido a partir de 1991 com a colaboração de milhares de voluntários distribuídos pelo mundo todo. A multiprogramação, a estabilidade e a segurança são algumas das características marcantes do sistema. O fato de ser um sistema aberto facilita não só o processo de aprendizagem das pessoas como também a disseminação do conhecimento, além de possibilitar a adaptação do sistema às necessidades mais específicas. Sua aplicação tem apresentado crescimento constante em diversos setores do mercado mundial de informática, além de contar com uma grande quantidade de softwares de domínio público para esta plataforma, o que o torna importantíssimo aos projetos já mencionados. O servidor Web Apache é desenvolvido pela Apache Software Foundation [6], formada por uma comunidade de desenvolvedores com o objetivo de criar um servidor Web distribuído como software livre. Sua robustez o torna comparável a qualquer produto comercial do mercado, além de ser suportado por diversos sistemas operacionais, tais como o AIX, o freebsd, o hpux, o Mac OS X/Server, o Netware, o OS2, o solaris, o SUNos, o unixware, o win32 e o Linux. Segundo a pesquisa efetuada pela Netcraft, uma empresa de consultoria inglesa, o servidor web Apache é líder mundial, sendo utilizado por mais de 63% das máquinas conectadas à Internet. Todas essas características tornam o servidor WEB Apache importante ao projeto. Uma das linguagens de criação de scripts mais utilizadas no mundo, devido basicamente ao enorme volume de recursos, é o PHP, que permite a criação de websites com os mais diversos graus de interatividade. Como não poderia faltar, o gerenciador de banco de dados relacional MySQL, também de domínio público, permite a integração das demais tecnologias, possibilitando o acesso a base de dados através da internet. A última versão do TelEduc foi desenvolvida utilizando o MySQL como banco de dados. Todas as ferramentas citadas apresentam elevada performance e enorme possibilidade de integração. Para fechar o ciclo, ferramentas que inicialmente tinham a simples função de disponibilizar conteúdos na internet, a exemplo do HTML (Hyper Text Markup Language), evoluíram rapidamente, passando a incluir estilização em seus conteúdos. O problema a esse respeito é a quantidade de estilos presentes em uma página, tornando evidente a necessidade de maior flexibilidade no sentido de manipular visualmente os conteúdos Web. Para isso, o CSS (Cascading

3 Style Sheet) [7] foi projetado, ficando responsável pela apresentação dos conteúdos. Além do conjunto de softwares mencionados, utilizados para possibilitar o desenvolvimento de um sistema que implemente a acessibilidade, um outro ponto permanece descoberto: como possibilitar a interação dos computadores por pessoas com necessidades especiais que não podem movimentar ou não possua movimentos finos das mãos. Para isso fazse necessário à confecção de dispositivos alternativos aos tradicionais que acompanham o computador (teclados, mouses, impressoras, etc.). O surgimento de microcontroladores no mercado, com diferentes marcas e arquiteturas possibilitou a implementação de dispositivos periféricos alternativos aos tradicionais, a um custo baixo. Esses dispositivos periféricos, assim como os pequenos sistemas, utilizam esses componentes eletrônicos em seus projetos, a exemplo dos aparelhos eletrodomésticos, tais como: celulares, alarmes, videocassetes, agendas eletrônicas, brinquedos, enfim, todo dispositivo eletrônico controlado. Assim, é possível desenvolver projetos envolvendo equipamentos de diversas áreas, como a área médica, segurança, monitoramento, automação, instrumentação, entretenimento, enfim, em praticamente todas as áreas. Esses projetos podem ser implementados adicionando-se aos microcontroladores, componentes eletrônicos tais como sensores (pressão, temperatura, claridade, umidade, distância, etc...), coletores de dados, atuadores, sensores de aceleração e outros. Dentre os microcontroladores, pode-se diferenciar dois tipos: de um lado, os microcontroladores cujo projeto se baseia na arquitetura de Von-Neumann (CISC) no qual o barramento é único e por ele transitam dados e instruções concorrentemente. Uma outra característica é que essas arquiteturas apresentam periféricos externos ao chip. De outro lado ficam os microcontroladores que se baseiam na arquitetura de HARVARD (RISC - conjunto reduzido de instruções), no qual algumas características se destacam, como por exemplo, a existência de barramentos independentes possibilitando um certo grau de paralelismo. O microcontrolador utilizado no desenvolvimento deste projeto é o PIC (um produto da Microchip Technology Inc [8]). Para a sua escolha levou-se em consideração o custo, a sua disponibilidade no mercado, além de uma grande quantidade de exemplos de aplicações facilmente encontrados na internet. A partir das tecnologias dos microcontroladores e componentes eletrônicos apresentados, foi possível a implementação de um ambiente que ofereça recursos de acessibilidade às pessoas com necessidades especiais. Assim, para os casos de deficiência física, como por exemplo, pessoas paralíticas ou pessoas que não possuem os movimentos finos das mãos, houve a necessidade do desenvolvimento de um periférico que substituísse o mouse. Para isto, foram efetuadas pesquisas para a construção de um dispositivo periférico que possibilitasse a operacionalização do computador. Através destas pesquisas, encontrou-se um circuito eletrônico chamado acelerômetro que detecta a aceleração de movimentos bem como a vibrações, fornecendo como resposta as informações desses movimentos. Essas informações são geradas a partir de dois pontos: eixo X e eixo Y. As informações correspondentes ao eixo X neste projeto são geradas para os movimentos da cabeça correspondentes ao gesto de confirmação enquanto as informações do eixo Y correspondem aos movimentos da cabeça para o lado, no sentido dos ombros, conforme ilustra a figura abaixo. y Figura 1 Resposta do acelerômetro aos Movimentos do eixo X e eixo Y Cada eixo possui uma porta de saída, cujo sinal é digital (duty cicle) possibilitando a conexão com as portas de entrada do microcontrolador. Recebendo os dados do acelerômetro, o microcontrolador processa esses dados gerando informações de controle que são transmitidos ao computador através de uma interface que pode ser a com1, no qual responderá a esses comandos, tal qual respondia aos movimentos do mouse. O click do mouse foi implementado por um sensor de toque posicionado próximo a bochecha. Este pequeno sistema, composto pelo microcontrolador e acelerômetro, é fixado à cabeça do operador através de uma tiara, possibilitando ao usuário a controlar o sistema do computador através dos movimentos da cabeça substituindo os movimentos da mão manipulando o mouse. A comunicação desse dispositivo com o sistema continua sendo pela porta serial do computador (eventualmente, pode ser efetuado através de rádio frequencia). O clique pode ser adaptado por qualquer outro movimento possível do usuário, ou mesmo um mecanismo disparado através do sopro. Outros dispositivos podem ser desenvolvidos, a exemplo desse, com adaptações específicas a necessidade de um usuário. A evolução dos sistemas de telecomunicação, juntamente com a área de x

4 tecnologia, possibilitou o desenvolvimento de meios de comunicações mais interativos, surgindo um novo modelo de EaD-educação a distância, saindo do modelo estático (onde os materiais eram disponibilizados para serem trabalhados mais individualmente pelos alunos), para um modelo dinâmico que possibilita a interação entre todos os envolvidos no processo de aprendizagem (no qual todos se colocam como aprendentes e ensinantes). Com base neste novo modelo, o emprego de ferramentas com essas características contribuem na democratização da educação, mas ainda falha no quesito Inclusão. Seguindo a filosofia de utilizar software livre, o projeto utiliza-se, além das ferramentas já discutidas, o software de EaD Teleduc. O TelEduc é uma plataforma que disponibiliza atividades, possibilitando o aprendizado de conceitos em qualquer domínio do conhecimento a partir da resolução de problemas, auxiliados por diferentes materiais didáticos disponibilizados aos alunos através de ferramentas do ambiente (Material de Apoio, Leituras, Perguntas Freqüentes, etc.). Para possibilitar a intensa comunicação entre os participantes de cada curso e ampla visibilidade dos trabalhos desenvolvidos, existe um conjunto de ferramentas de comunicação como o Correio Eletrônico, Grupos de Discussão, Mural, Portfólio, Diário de Bordo, Bate-Papo etc. Como a plataforma TelEduc foi desenvolvida utilizando as tecnologias PhP, MySQL em cima do sistema operacional Linux, tornou-se uma ferramenta web natural, o que facilita na integração de ferramentas e serviços sobre a web. Visando torná-la uma ferramenta inclusiva, atendendo às pessoas com deficiências (auditiva e visual) foi necessário a adequação de sua interface para possibilitar a acessibilidade, para isto, buscou-se padrões internacionais, em especial o W3C. Para os cursistas com baixa visão ( condição de visão que vai desde a capacidade de indicar projeção de luz até a redução da acuidade visual ao grau que exige atendimento especializado [9]), foi desenvolvido, através dos recursos CSS, a adequação do tamanho das letras à apresentação de conteúdos, levando-se também em conta o problema de daltonismo. Assim, a apresentação de textos fica mais flexível, possibilitando ao usuário uma outra forma de apresentação, no qual a visualização é dinâmica, isto é, o tamanho das letras é adaptável à necessidade do usuário. No caso de usuário com cegueira, o sistema Braille é o principal recurso para leitura e escrita, a adaptação da interface exige software como, por exemplo, o DOSVOX. O DOSVOX é um sistema destinado a auxiliar o deficiente visual a utiliza microcomputadores da linha PC, através de sintetizador de voz. Este sistema foi desenvolvido no Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro [10] e vem sendo aperfeiçoado a cada nova versão. O sistema foi implementado por programadores deficientes visuais, que fazem uso do próprio sistema DOSVOX, sem necessitar de ajuda de pessoas videntes. O sistema conversa com o deficiente visual em Português, sem sotaque, e dá a ele muitas facilidades que um usuário vidente tem. Outra alternativa, é utilizar os recursos de multimídia gerando informação para possibilitar o acesso a toda informação escrita ou em vídeo em forma sonora, para isto é necessário que cada escritor crie um arquivo para esse fim e disponibilizando-o de forma dinâmica no sistema, isto é possibilitado pelo ambiente PhP. Resultados O projeto inicialmente foi utilizado para atender a uma classe de crianças com necessidades especiais de uma escola estadual de Presidente Prudente, no qual cada parte desenvolvida foi testada pelos usuários acompanhados por especialistas de cada área (educadores, técnicos, psicólogos e familiares). Através dos dispositivos periféricos desenvolvidos, usuários (5 crianças, 3 adolescentes e 3 adultos) com dificuldades motoras que não conseguiam ou tinham muita dificuldade para manipular o mouse do computador até o momento, passaram a interagir com a máquina. Em todos os casos, esta nova possibilidade trouxe um novo horizonte a esses usuários, embora todos esses usuários eram capacitados de efetuar os movimentos com a cabeça. Com o projeto de cursos à distância, a partir das tecnologias já mencionadas, possibilitou-se a participação não só de pessoas distantes, bem como de pessoas com necessidades especiais em cursos de extensão em EaD que hoje estão em andamento na FCT-UNESP de Presidente Prudente, como por exemplo: A Formação de Educadores para uma Escola Inclusiva e Aprendizagem Organizacional e Gestão do Conhecimento Corporativo. Discussão e Conclusão O desenvolvimento de um sistema que atenda as recomendações W3C, tornou o site acessível para os casos de audição e visão, diferenciando-o da maioria existente, a exemplo da Rede Saci [11] e do Programa de Informática na Educação Especial do CRPD [12]. Ao TelEduc também foram adicionados recursos de multimídia e CSS (flexibilidade da parte visual), permitindo aos deficientes visuais acessar as informações, agora de forma sonora, diferenciando-se de

5 algumas ferramentas de ensino à distância existentes. A evolução dos meios de telecomunicações, o surgimento de novas tecnologias, a variedade de softwares livres confiáveis aliadas ao emprego do conhecimento científico tem possibilitado a educação ampliar seu público, contribuindo na democratização da educação. Um exemplo disto foi a possibilidade das crianças interagir com jogos educacionais ou mesmo de entretenimento, passando a preencher uma grande lacuna em suas vidas. Para alguns casos, algumas crianças superaram seus limites, chegando a compor histórias (dentro de suas limitações) [13]. Espera-se que com o contínuo aperfeiçoamento dessas ferramentas, aliado às tecnologias emergentes, seja possível o acesso a esses ambientes educacionais virtuais, permitindo a participação de todas as pessoas e possibilitando a inclusão digital e social de pessoas com necessidades especiais. Entretanto, este é apenas o primeiro passo, esforços para melhoria dessas iniciativas, abrangendo tecnologia e esforço humano, devem ser incentivados, tanto pelo governo quanto pela sociedade, para garantir a continuidade e ofertar benefícios importantes aos excluídos e a sociedade. Agradecimentos Os autores agradecem o auxílio das pessoas relacionadas: Franklin R. Dias, Renan Del Arco de Oliveira, Felipe dos Santos e Felipe Schaden. Referências [1] Web Content Accessibility Guidelines 2.0, Internet site address: WCAG Acessado em 20/04/2004. [2] Forum Social Mundial, Internet site address: sp?pagina=of_abaed_deficien_po Acessado em 12/05/2004. [3] SCHLÜNZEN, E. T. M., SCHLÜNZEN JUNIOR, K. As Tecnologias de Informação e Comunicação Favorecendo a Aprendizagem de Alunos Especiais In: III Congresso Ibero- Americano de Informática na Educação Especial-CIIEE2002, Fortaleza-Brasil. [4] SILVEIRA, Sérgio Amadeu da; CASSINO, João. Software Livre e Inclusão Digital, Editora Conrad, Ed 1, [5] TelEduc Internet site address: Acessado em 16/05/2004. [6] The Apache Software Foundation, Internet site address: Acessado em 12/05/2004. [7] Authoring Tool Accessibility Guidelines 2.0, Internet site address: Acessado em 18/05/2004. [8] Microchip Technology Inc, Internet site address: Acessado em 10/01/2004. [9] Fundação Dorina Nowill, Internet site address: Acessado em 10/05/2004. [10] Projeto Dosvox, Internet site address: Acessado em 05/05/2004. [11] Rede SACI. Internet site address: Acessado em 16/05/2004 [12] Programa de Informática na Educação Especial do CRPD. Internet site address: Acessado em 16/05/2004 [13] SCHLÜNZEN JUNIOR, K., SCHLÜNZEN, E. T. M. Ambientes Virtuais para a Formação de Educadores: Buscando uma Escola Inclusiva. Revista UniVap, São José dos Campos SP, v. 10, nº 18, p , Contato Silvio T.Fujisaki, doutorando, Dep.Engenharia Elétrica EESC USP Professor, Faculdades COC, Rua Abrahão Issa Halack, 980 Ribeirão Preto

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Aula 15 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE.

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Acessibilidade nos sites das Instituições da Rede Federal de EPT

Acessibilidade nos sites das Instituições da Rede Federal de EPT Acessibilidade nos sites das Instituições da Rede Federal de EPT Maurício Covolan Rosito Gerente do Núcleo de Bento Gonçalves do projeto de Acessibilidade Virtual da RENAPI Everaldo Carniel Pesquisador

Leia mais

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Quase todos nós vamos precisar de óculos um dia (a menos que a tecnologia médica promova a substituição deste artefato por alguma outra coisa tecnológica,

Leia mais

Deficiências. Deficiência Física Deficiência Auditiva Deficiência Visual Deficiência Mental Deficiência Múltipla. Tem dificuldade para:

Deficiências. Deficiência Física Deficiência Auditiva Deficiência Visual Deficiência Mental Deficiência Múltipla. Tem dificuldade para: Deficiências Deficiência Física Deficiência Auditiva Deficiência Visual Deficiência Mental Deficiência Múltipla Tem dificuldade para: ver a tela usar o mouse usar o teclado ler um texto ouvir um som navegar

Leia mais

Acessibilidade na Web

Acessibilidade na Web Acessibilidade na Web Departamento de Computação - UFS Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Lucas Augusto Carvalho lucasamcc@dcomp.ufs.br Prof. Rogério Vídeo Custo ou Benefício? http://acessodigital.net/video.html

Leia mais

MATERIAL DE APOIO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA VIA WEB

MATERIAL DE APOIO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA VIA WEB 1 MATERIAL DE APOIO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA VIA WEB Edna Aniceto de Magalhães Universidade de Ribeirão Preto UNAERP edna@odin.unaerp.br Priscila de Oliveira Universidade de Ribeirão Preto UNAERP priscila.oliver@odin.unaerp.br

Leia mais

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013)

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Eduardo Bueno Simões Pires 1, Aline da Cunha Simões Pires 2 1 Instituto de Informática Universidade

Leia mais

Interface BVS-Site. Arquiteturta e Personalização da Interface

Interface BVS-Site. Arquiteturta e Personalização da Interface Interface BVS-Site Arquiteturta e Personalização da Interface Julio Takayama takayama@bireme.ops-oms.org Desenho Gráfico e Interfaces DGI-GA BIREME/PAHO/WHO Tópicos Arquitetura da BVS Modelo de Interfaces

Leia mais

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Objetivo O objetivo do projeto é especificar o desenvolvimento de um software livre com a finalidade de automatizar a criação de WEBSITES através do armazenamento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

Em que consiste o DOSVOX O programa é composto por:

Em que consiste o DOSVOX O programa é composto por: Projeto DOSVOX O que é o DOSVOX O DOSVOX é um sistema para microcomputadores que se comunica com o usuário através de síntese de voz, viabilizando, deste modo, o uso de computadores por deficientes visuais,

Leia mais

UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Sérgio M. Baú Júnior* e Marco A. Barbosa* *Departamento de Informática

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

TECNOLOGIA ASSISTIVA E ACESSIBILIDADE À WEB. Projeto de Acessibilidade Virtual - RENAPI Maio/2010

TECNOLOGIA ASSISTIVA E ACESSIBILIDADE À WEB. Projeto de Acessibilidade Virtual - RENAPI Maio/2010 TECNOLOGIA ASSISTIVA E ACESSIBILIDADE À WEB Projeto de Acessibilidade Virtual - RENAPI Maio/2010 Tecnologia Assistiva Expressão utilizada para identificar todo o arsenal de recursos e serviços que contribuem

Leia mais

Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Serviço Federal de Processamento de Dados SERPRO Universidade Corporativa Ministério da Fazenda Responsável: Margareth Alves de Almeida - Chefe

Leia mais

1o. Seminário Gestão de Informação Jurídica em Espaços Digitais. Acessibilidade. Prof. José Antonio Borges NCE/UFRJ Fev / 2007

1o. Seminário Gestão de Informação Jurídica em Espaços Digitais. Acessibilidade. Prof. José Antonio Borges NCE/UFRJ Fev / 2007 1o. Seminário Gestão de Informação Jurídica em Espaços Digitais Acessibilidade Prof. José Antonio Borges NCE/UFRJ Fev / 2007 Entendendo o problema: Porque desenvolver sistemas que permitam o acesso a pessoas

Leia mais

TECNOLOGIAS WEB AULA 8 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD

TECNOLOGIAS WEB AULA 8 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD TECNOLOGIAS WEB AULA 8 PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO @RIBEIRORD Objetivos: Apresentar os principais problemas de acessibilidade na Internet. Apresentar as principais deficiências e as tecnologias de apoio.

Leia mais

A importância da acessibilidade como mediadora da informação na internet para os deficientes visuais 1. Roberta Lucas SCATOLIM 2

A importância da acessibilidade como mediadora da informação na internet para os deficientes visuais 1. Roberta Lucas SCATOLIM 2 A importância da acessibilidade como mediadora da informação na internet para os deficientes visuais 1 Roberta Lucas SCATOLIM 2 RESUMO A Interação Humano - Computador permite a avaliação e solução de problemas

Leia mais

ENGENHARIA DE USABILIDADE Unidade V Acessibilidade à Web. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

ENGENHARIA DE USABILIDADE Unidade V Acessibilidade à Web. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático Conceitos e Importância Projeto e desenvolvimento de Web acessível Acessibilidade É o processo e as técnicas usadas para criar

Leia mais

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg.

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg. CURSO DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS ON-LINE: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás

Leia mais

Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG

Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG Adoniran Dias Ribeiro Andrade, Renato de Freitas Bulcão Neto Instituto de Informática Universidade Federal

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

Como usar a robótica pedagógica aplicada ao currículo

Como usar a robótica pedagógica aplicada ao currículo 1 Congresso sobre práticas inovadoras na educação em um mundo impulsionado pela tecnologia Workshop: Como usar a robótica pedagógica aplicada ao currículo Palestrante: João Vilhete Viegas d'abreu Núcleo

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

Prefeitura de Guarulhos desenvolve o Guarux, sistema livre com foco educacional, profissional e em aplicativos acessíveis

Prefeitura de Guarulhos desenvolve o Guarux, sistema livre com foco educacional, profissional e em aplicativos acessíveis Prefeitura de Guarulhos desenvolve o Guarux, sistema livre com foco educacional, profissional e em aplicativos acessíveis Perfil Guarulhos é um dos 39 municípios da Grande São Paulo, região economicamente

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60

EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60 INTRODUÇÃO REDES EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60 Computadores eram máquinas grandes e complexas, operadas por pessoas altamente especializadas; Não havia interação direta entre usuários

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA FACILITADOR VIRTUAL DA APRENDIZAGEM EM QUÍMICA Campina Grande-

Leia mais

As potencialidades da Educação a Distância na escolarização e profissionalização da pessoa com deficiência no País

As potencialidades da Educação a Distância na escolarização e profissionalização da pessoa com deficiência no País Audiência Pública As potencialidades da Educação a Distância na escolarização e profissionalização da pessoa com deficiência no País Carlos Bielschowsky Secretário de Educação a Distância Dados globais

Leia mais

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL Manoel Theodoro Fagundes Cunha Sergio Scheer Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Centro de Estudos de Engenharia

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIOS ADE

AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIOS ADE Curso: TÉCNICO EM INFORMÁTICA com Habilitação em Programação e Desenvolvimento de Sistemas. AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIOS ADE NOTA DE AULA 01 Assunto: Introdução a informática. Histórico do computador. Conceitos

Leia mais

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Divane Marcon Fundação Universidade Federal do Pampa divanemarcon@unipampa.edu.br Fabiane C. Höpner

Leia mais

Realidade Virtual Aplicada à Educação

Realidade Virtual Aplicada à Educação Realidade Virtual Aplicada à Educação Sandra Dutra Piovesan 1, Camila Balestrin 2, Adriana Soares Pereira 2, Antonio Rodrigo Delepiane de Vit 2, Joel da Silva 2, Roberto Franciscatto 2 1 Mestrado em Informática

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FORMANDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA O ACESSO A INTERNET: O CURSO DE WEB DESIGN E A

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação e Controle AR026 SUMÁRIO I. Sistemas Supervisórios... 3 II. Automação... 4 III. Arquitetura de Redes Industriais... 5 IV. Comunicação entre Supervisório e CLP...7 V. O Protocolo

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Teste rveras@unip.br Aula 11 Agenda Usabilidade Compatibilidade Validação Resolução de tela Velocidade de carregação Acessibilidade Testes Nesta etapa do projeto do web site

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Proposta de trabalho para produção do website do Programa Café Colombo. Walmar Andrade atendimento@fatorw.com (81) 9922-7168

Proposta de trabalho para produção do website do Programa Café Colombo. Walmar Andrade atendimento@fatorw.com (81) 9922-7168 Proposta de trabalho para produção do website do Programa Café Colombo Walmar Andrade atendimento@fatorw.com (81) 9922-7168 01. Apresentação Fator W é a marca fantasia através da qual o desenvolvedor web

Leia mais

Pesquisa sobre o perfil dos alunos com deficiência da PUC/SP Dezembro/2010

Pesquisa sobre o perfil dos alunos com deficiência da PUC/SP Dezembro/2010 Pesquisa sobre o perfil dos alunos com deficiência da PUC/SP Dezembro/2010 As Instituições de Ensino Superior se vêem, cada vez mais, diante do desafio de criar estratégias eficazes que promovam a inclusão,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 Eduardo Laguna Rubai, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR- Brasil eduardorubay@gmail.com, bonetti@unipar.br Resumo.

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB

IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB Isadora dos Santos Rodrigues, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil isadora.santosrodrigues@hotmail.com, bonetti@unipar.br

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA

DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA DESCRIÇÃO DA PLATAFORMA Descrição da plataforma A efaculdade é uma plataforma de aprendizagem a distância, desenvolvida por profissionais brasileiros com o intuito de atender às necessidades de nossas

Leia mais

Buscando Acessibilidade em Ambientes de EAD. Andréa Poletto Sonza e Daniela Menegotto CEFET Bento Gonçalves RS Junho 2008

Buscando Acessibilidade em Ambientes de EAD. Andréa Poletto Sonza e Daniela Menegotto CEFET Bento Gonçalves RS Junho 2008 Buscando Acessibilidade em Ambientes de EAD Andréa Poletto Sonza e Daniela Menegotto CEFET Bento Gonçalves RS Junho 2008 Tecnologia Assistiva CONCEITO: conjunto de artefatos disponibilizados às PNEs, que

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS 1. Identificação Curso Técnico em Informática Unidade São José Coordenador da S.A Walter André de Almeida Pires Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s)

Leia mais

Humano-Computador (IHC)

Humano-Computador (IHC) 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WA Professora: Clarisse Sieckenius de Souza Acessibilidade: Uma questão de lei e direitos humanos 15/Mar/2010 Stephen Hawking um dos maiores

Leia mais

Departamento de Governo Eletrônico Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Departamento de Governo Eletrônico Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. 215 Departamento de Governo Eletrônico Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. www.governoeletronico.gov.br Recomendações de Acessibilidade para

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA

PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA EE Odilon Leite Ferraz PROJETO INFORMÁTICA NA ESCOLA AULA 1 APRESENTAÇÃO E INICIAÇÃO COM WINDOWS VISTA APRESENTAÇÃO E INICIAÇÃO COM WINDOWS VISTA Apresentação dos Estagiários Apresentação do Programa Acessa

Leia mais

Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual

Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual Usabilidade e Acessibilidade na Web: Uma análise destes conceitos do ponto de vista de um deficiente visual Gláucio Brandão de MATOS 1 ; Alisson RIBEIRO 2 ; Gabriel da SILVA 2 1 Ex-aluno do Curso Superior

Leia mais

Sistemas de Lotes (2) Sistemas de Lotes (3) Layout da MP em Sistemas de Lotes. Minimizar o tempo de resposta

Sistemas de Lotes (2) Sistemas de Lotes (3) Layout da MP em Sistemas de Lotes. Minimizar o tempo de resposta 1 Mono e multiprogramação Introdução Classificação (Aula 2) Recap Sistemas Máquina Profa. Patrícia Gerenciador D. CostaLPRM/DI/UFES Provê Fornece Compartilhamento programador máquina justa recursos Operacionais

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

Implementação de um serviço de Site Dinâmico para a Intranet do Pólo de Touros utilizando o ambiente Apache, MYSQL e PHP em um Servidor Linux

Implementação de um serviço de Site Dinâmico para a Intranet do Pólo de Touros utilizando o ambiente Apache, MYSQL e PHP em um Servidor Linux UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ - EAJ CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA PROFESSOR CARLOS HENRIQUE GRILO DINIZ Projeto das Disciplinas de Sistemas Operacionais de Redes

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 3. Software Prof. Ronaldo Software Formado por um conjunto de instruções (algoritmos) e suas representações para o

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

Acessibilidade no SIEP (Sistema de Informações da Educação Profissional e Tecnológica) Módulo de Acessibilidade Virtual CEFET Bento Gonçalves RS Maio 2008 ACESSIBILIDADE À WEB De acordo com Cifuentes (2000),

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS PROFESSOR: Itair Pereira da Silva DISCENTES: Maria das Graças João Vieira Rafael Vitor ORGANOGRAMA PRESIDENTE GERENTE

Leia mais

Parte II Introdução à Informática. O Computador e o Software

Parte II Introdução à Informática. O Computador e o Software Parte II Introdução à Informática O Computador e o Software Apresentação Microsoft Maior casa de software do mundo www.microsoft.com Definição e classificação do software Custo de um sistema de computador

Leia mais

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR

ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR ESCOLHA UM TESTE PARA EXECUTAR Acompanhe o ritmo de aceleração dos ciclos de lançamento. Descubra a automatização com um toque humano EXECUTE UM TESTE 26032015 Com a Borland, tanto analistas de negócios

Leia mais

Deficiência Visual. Eficiência Tátil Inteligência - Adaptações. V Compartilhando Eficiências. Seção de Educação Especial SEE - DE

Deficiência Visual. Eficiência Tátil Inteligência - Adaptações. V Compartilhando Eficiências. Seção de Educação Especial SEE - DE Deficiência Visual Eficiência Tátil Inteligência - Adaptações V Compartilhando Eficiências Seção de Educação Especial SEE - DE a voar como os pássaros, Temos aprendido a nadar como os peixes, Mas ainda

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. - 6 Inscritos -

6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. - 6 Inscritos - 6º Semestre de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - 6 Inscritos - Tema: [Área 9]: Comunidade - Tema: 4. Iniciativas para a redução das desigualdades sociais Título: Aplicação de IHC para Inclusão Social e Digital

Leia mais

Análise do formato semanal do AVEA Moodle utilizando o padrão WCAG 2.0 para alunos cegos

Análise do formato semanal do AVEA Moodle utilizando o padrão WCAG 2.0 para alunos cegos 10 Edição-2015 Análise do formato semanal do AVEA Moodle utilizando o padrão WCAG 2.0 para alunos cegos Eduardo Dalcin¹, Ana Cláudia Pavão Siluk² ¹Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL A coordenadoria do projeto Laboratório de Cultura Digital, vinculado ao Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, torna pública a seleção de equipe para o referido projeto, conforme previsto

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG campus Bambuí VIII Jornada Científica TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG campus Bambuí VIII Jornada Científica TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS Daniele Nazaré Tavares¹; Daniela Costa Terra² ¹Estudante de Engenharia da Computação. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Rod. Bambuí/Medeiros

Leia mais

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Introdução Atualmente, é impossível imaginar uma empresa sem uma forte área de sistemas

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Aspectos Importantes - Desenvolvimento de Software Motivação A economia de todos países dependem do uso de software. Cada vez mais, o controle dos processos tem sido feito por software. Atualmente, os

Leia mais

MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS

MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS A Modelix Robotics é pioneira dentre as empresas nacionais no segmento de robótica educacional (uso acadêmico e educação tecnológica) e robótica para usuário

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB

PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB Ederson dos Santos Cordeiro de Oliveira 1,Tiago Bonetti Piperno 1, Ricardo Germano 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR- Brasil edersonlikers@gmail.com,

Leia mais

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário...

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário... Artigo sobre Indicie 1.Introdução....1 2.Como Surgiu....2 3.Para que serve....3 4.Instalação....3 5. Oque ele permite fazer....5 6. Primeiro Cenário....6 7. Segundo Cenário....7 8. Conclusão....8 5. Referencias....9

Leia mais

Projeto Integrador. Faculdade Senac

Projeto Integrador. Faculdade Senac Projeto Integrador Faculdade Senac Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás adota o Projeto Integrador nos cursos da área de Tecnologia da Informação com o intuito de possibilitar ao aluno criação de um produto

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 9º PERÍODO. Profª Danielle Casillo

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 9º PERÍODO. Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 9º PERÍODO Profª Danielle Casillo Utilizar os mesmos processos do trabalho anterior (Ladder já existente). Implementar este sistema

Leia mais

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Autores: Ana Paula Bernardo Mendonça Ana Cristina da Matta Furniel Rosane Mendes da Silva Máximo Introdução

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

4 O Projeto: Estudo de caso LED / IBC

4 O Projeto: Estudo de caso LED / IBC 45 4 O Projeto: Estudo de caso LED / IBC A tecnologia ligada à acessibilidade ajuda a minimizar as dificuldades encontradas entre pessoas com deficiências ao acesso a diversos formatos de informação. Do

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

MY HOME INTRODUÇÃO TOUCH SCREEN. Comando de Automação

MY HOME INTRODUÇÃO TOUCH SCREEN. Comando de Automação TOUCH SCREEN Comando de Automação Central de Cenário 54 ÍNDICE DE SEÇÃO 56 A casa como você quer 62 As vantagens de 66 Dispositivos BUS 68 Integração das funções My Home 70 Vantagens da instalação BUS

Leia mais

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino Escolher o Sponte Educacional é escolher inteligente Sistema web para gerenciamento de instituições

Leia mais

Funcionalidades da ferramenta zabbix

Funcionalidades da ferramenta zabbix Funcionalidades da ferramenta zabbix Jordan S. Romano¹, Eduardo M. Monks¹ ¹Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS (FATEC PELOTAS) Rua Gonçalves Chaves,

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO II PROFESSORA: PATRÍCIA

Leia mais

A importância da TIC no processo da Inclusão Escolar Agnes Junqueira

A importância da TIC no processo da Inclusão Escolar Agnes Junqueira A importância da TIC no processo da Inclusão Escolar Agnes Junqueira O mundo pertence àqueles que pensam em novos caminhos. Uwe Grahl - Arquiteto FACILITAÇÃO PELO USO DE TIC ATENDIMENTO ÀS ESPECIFICIDADES

Leia mais