Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas. I - Relevância económica e política de um cidadão de Lisboa.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas. I - Relevância económica e política de um cidadão de Lisboa."

Transcrição

1 Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas Comunicação apresentada na Academia de Marinha pelo Membro Efectivo Aurélio de Araújo Oliveira, em 7 de Fevereiro de 2012 Síntese (NB: Não respeitamos aqui a recente ordenhaçom ortográfica). I - Relevância económica e política de um cidadão de Lisboa. 1. São muito parcos os dados documentais que possuímos sobre esta tão importante figura ligada aos descobrimentos. Teve o destino de muitos outros que viram o seu nome esquecido, porventura, apagado nas crónicas oficiais sobretudo depois dos concertos ordenados quer por Afonso V, quer depois, mais largamente, por D. Manuel. 2. Ignoramos, assim, as datas do nascimento e morte e muitos outros passos importantes desta figura, para além daqueles que constam em João de Barros que nos sumariou o contrato que fez com Afonso V em Generoso, alías, poi o diz cidadão honrado de Lisboa, enquanto que Pina, se limita a dizê-lo cidadão de Lisboa (Muito pouco. E ambos deveriam ter sabido da enorme relevância deste homem).teremos que buscar outras fontes. 3. É um homem do mar que bem possivelmente terá tido já contacto com o Regente D. Pedro. Não seria a um novato (ainda que jovem) que se tornaria Homem do Tesouro e a quem se entregariam todos os regates da Guiné como se verificou, em Por isso, desde antes, mas particularmente a partir daí andou cada vez mais envolvido nos tratos do mar (negócios das ilhas e costas de Árica), como em acções políticas e militares - conquistas Alcácer, Arzila e Tanger V-1

2 (sempre ao lado do Príncipe e - claro - de Afonso V). Particularmente importante (do meu ponto de vista), a presença na conquista e Anafé - um ninho de pirataria que, nas imediações, muito incomodava os tratos e empecilhava os caminhos do Atlântico. Passo estratégico no qual directamente se empenhou. Envolveu-se em significativos apoios financeiros à Coroa; envolveu-se nos tratos com o eixo da Flandres e depois no do Mediterrâneo. Tomou a iniciativa de propor ao monarca o arrendamento de Já antes, porém, tinha obtido toda a liberdade para ir às partes de Africa onde quisesse e com quaisquer mercadorias que entendesse. 5. Tomou o tão falado arrendamento em 1469 que, por demasiado conhecido, passamos. Não, porém, sem referir um aspecto que não tenho visto sublinhado ou devidamente sublinhado e que, do ponto de vista estratégico é importante iniciando uma estratégia de posse pela sinalização dos lugares atingidos com a colocação de Padrões, que ao tempo de Fernão Gomes, pelos vistos, eram de madeira (possivelmente troncos bem resistentes). Mandaria, depois o monarca (ou o Príncipe?), que daí (1474) para futuro fossem de pedra. Numa altura em que os estrangeiros estavam tentando meter-se nesses mares (e até alguns nacionais (Vide nosso Diogo Gomes de Lagos), esta sinalização de posse para Portugal era de facto, importante. 6. Já desde 1469, mas sobretudo desde 1471 quando tomou também a concessão do circuito de Arguim - a mais importante feitoria na costa de África até à construção da de S. Jorge da Mina - se tornou Fernão Gomes num verdeio potentado territorial-marítimo de que não há conhecimento semelhante na História de Portugal nem na Europa do tempo. Uma dimensão geográfica impressionante e, logo, económica também. Um verdadeiro senhor do Atlântico! 7. Permitia-me sublinhar também - porque também não o tenho visto referido como tal - o seu decisivo papel na reserva e preservação dos espaços marítimos portugueses. Na verdade, e contrariando as iniciativas e pretensões de não-nacionais, na pessoa de António de Nola, a quem Afonso V (temerariamente - segundo Cortesão) concedeu a donataria das ilhas de Cabo Verde), Fernão Gomes veio a envolver-se em grave conflito com o italiano. Na verdade, um verdeiro conluio espano-genovês, impedindolhe(s) circunscrevendo-lhe(s) a presença no estrito espaço que lhe(s) havia sido concedido. Vedar-lhe(s)-ia a pretensão de se alargarem a outros como 2

3 Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas estava(m) tentando. Ao que parece um conflito com aspectos de algua violência. Importa sublinhar este aspecto. É certo que defendia interesses próprios, mas Fernão Gomes tinha um contrato a tempo certo que largaria de mão brevemente - daí a um ano (estamos em 1472). A preservação para além desse tempo, a favor da Coroa e do Príncipe (que a partir das alfândegas de Lisboa, recebidas em 1471, já superintendia aos negócios do mar e do Atlântico. Na verdade, o envolvimento numa acção estratégica de futuro, não para si, mas para a Coroa de Portugal. A sua acção foi definitiva: Circunscreveu, limitou di Nola e os que com ele estavam). Este, pouco depois passar-se-ia para Castela a quando dos conflitos marítimos que chegaram até esses espaços. Uma atitude de verdadeira desforra. Mais: do ponto de vista jurisdicional é um acontecimento deveras importante. Fernão Gomes em 1472 (fim do litígio que levou a melhor), ficou com toda a jurisdição nesses mares: presas e embarcações por aí encontradas, passavam à posse e à mercê do destino que pessoalmente entendesse darlhes. 8. Outro dos aspectos que apraz sublinhar, é que Fernão Gomes acabou por tomar em mãos praticamente toda a construção naval em Lisboa. Logo de seguida a 1469, arrenda tarecenas ao Monarca e torna-se também o controlador do Paço da Madeira Escrivão do Paço da Madeira - que certamente exerceria por interposta pessoa, mas de que ele era o titular). Tudo lugares chave. Ainda com D. Manuel nos inícios do Século XVI alarga ou tenta alargar estas oficinas de construção naval solicitando novos arrendamentos contra o que então se opõe a nobreza a governança 9. Este homem acabaria feito cavaleiro pela sua participação, com armas e com dinheiro, logo nos campos de África, conselheiro régio desde Afonso V a D. João II e ainda com D. Manuel e homem da nobreza do Reino. Se não de sangue, ao menos de dinheiro: E já lá dizia por esses tempos, ou pouco depois, o trovador que o dinheiro é fidalgo e que, o sangue, todo é vermelho! II. Ficou-nos retrato de Fernão Gomes? 1. Eis uma questão, lateral nesta nossa intervenção, embora reconheça que se possa vir a tornar a mais polémica. V-3

4 Terá ficado algum retrato deste homem, para além de duas pinceladas das crónicas e um ou outro documento disperso? Cremos, seguramente, que sim. Ora, é o retrato desse homem, sem dúvida notável, que hoje, no contexto em que falamos do Mercador e Conselheiro de Monarcas, ousamos deixar à V. consideração. Não é que o encontro de mais um retrato, de per si, represente algo de excepcional, ainda que seja mais uma figura saída do fundo dos Séculos que se nos perfila, quase em carne e osso - como são todas aquelas outras dessa espantosa galeria e vivo mostruário saídos das mãos de Nuno Gonçalves. (E sobre o extraordinário mérito do pintor e da obra nada mais se poderá acrescentar ao que os peritos já disseram, nacionais e estrangeiros. Calar-nos-emos, por isso, aqui). A relevância, segundo creio e passando a modéstia que não me permite ir além de a deixar como hipótese - ainda que bem segura segundo vejo - advém do facto de, em primeiro lugar, ser possível identificar mais uma das figuras do célebre Tríptico dos Descobrimentos contribuindo para ajudar a completar (ou complicar?) a iconografia dos mesmos. Em segundo lugar, por vir dar um contributo para a data mais provável e possível da feitura dos mesmos (embora ande a datação envolvida em grandes polémicas e técnicas muito recentes a tenham já encontrado (ainda que sumida) numa das biqueiras da botas de um figurado). Pelos elementos que vão ficar á disposição dos ouvintes aqui presentes (e amanhã) de quem nos l ler, quase com certeza, o ano de 1475/1476. Nunca antes, pois não nos parece muito credível que essa notável peça do Tríptico tenha sido encomendada, realizada e concluída, toda ela, ainda no decurso de De qualquer modo, teria que ter sido forçosamente começada depois de 29 Agosto desse ano de 1474 a data em que Fernão Gomes recebeu o Grande Colar de Ouro, de condecoração. 2. Muito se tem escrito sobre os Painéis de Nuno Gonçalves. Já lá vão carradas de tinta. Assim, na possível identificação das figuras como a própria datação e significado, etc. Quanto às figuras, umas de identificação assente, mas outras de identificação incerta, bem problemática, outras de mera suposição, etc. etc. (Dispensámo-nos, por isso, de fazer aqui largo aparato referencial sobre cada uma destas teses e doutas questões. Não é esse o objectivo da nossa intervenção. Obras de mérito, sem dúvida. A mais demolidora, quanto a datas (e logo quanto ao conteúdo), uma das que mais recentemente apareceu (ainda que a idade do suporte possa pouco ou nada ter a ver com a data da realização da pintura). Também não pretendemos 4

5 Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas mover nem demover ninguém. Aqui, tão só, dar a ler e, da nossa parte, depois da leitura e do que acima dissemos, retirar as ilações. 3. Não temos grande dúvida que uma das figuras retrata Fernão Gomes da Mina - o maior personagem do Reino a quem todo o reino e o próprio rei reverenciavam. Bem sei que alguns peritos atribuíram já este retrato a outras figuras (da nobreza, muito menores, para não dizer irrelevantes, sem qualquer dúvida, em relação ao Fernão Gomes). E se o Tríptico representa as gentes e a gesta do mar quem, com mais créditos se lhe poderia avantajar? Foi a personagem que o Monarca mais apreciava entre todas e a quem, por sua vez, todo o Reino mais prezava e respeitava. Além disso, estamos nos tempos em que a figura e papel de D. João, é já decisiva. Um Príncipe (depois e monarca) em tudo muito mais afeiçoado à burguesia que à nobreza. Mas deixemos este argumento que pode ser menor. 4. Baseamo-nos para uma e outra das propostas na efectiva relevância deste personagem nos meios económicos, sociais, políticos e marítimos da capital e do Reino mas, sobretudo, na descrição e no testemunho documentais que nos ficaram, ainda que breves e sucintos: um, do punho de João de Barros, que cremos todos terem passado em branco - quanto a este assunto; outro, na relevância, também nunca atendida, dada e testemunhada na prosa do Cancioneiro Geral acerca de Fernão Gomes, - que se tornou, na figura mais importante de todo o Reino após a "descoberta da Mina do Ouro"! Dois documentos escritos, (apesar de impressos há muito, muito tempo, conjugando um testemunho que me parece, difícil de ultrapassar (para além da lógica representativa, evocativa e apologética das gentes do mar, que os Painéis, sem dúvida, consagram e representam). Ora, a apoteose das descobertas e o sucesso da Gesta do Mar, deu-se, nesse tempo, com a integração do Golfo. Precisamente um feito recente - espantoso pela rapidez com que acabava de se verificar; de extraordinária relevância económica - como acabava de se comprovar. Tudo isso se representava, incarnava e personalizava em Fernão Gomes cabeça dos homens que o conseguiram. (NB: Creio que ninguém apontou lá o Infante D. Pedro, mas isso parece também óbvio nesta altura, mas deveria estar em 1445 ou entre uma das datas a que alguns atribuem à Obra! Como arriscaria um pintor da Corte (nessa data ou nessas datas, deixar de lado o Regente, tão respeitado e louvado das gentes do mar (para além de algumas capas da aristocracia nobiliárquica). Isto é, tão só, a primeira figura do Reino? Esse notável Regente responsável por toda a política metropolitana e ultramarina nacional e um dos mais ilustrados príncipes da Europa de então? V-5

6 5. Poderiam alguns usar colares ao pescoço. Aliás, alguns, depois, tilintam, às vezes, aqui e ali, ajudando a ritmar e a musicar algumas das estrofes do Cancioneiro. Mas esta moda e esta ostentação, tinha começado antes. E todos quiseram depois imitar o Fernão da Mina! Todos esses blazonadores, porém, teriam que os adquirir por si próprios. Nenhum, como a Fernão Gomes, que lhe tivesse sido posto e ao que as palavras de Barros directamente mostram oferecido pelo Rei que lho pôs ao colo, isto é, ao peito. Uma autêntica condecoração e reconhecimento públicos do Monarca, da Coroa e do Reino! Por isso se diz na prosa do Cancioneiro que o Monarca não permite, ou antes, que "despreza qualquer outro bailador". E logo com D. João II mesmo quando Príncipe!. Não era qualquer um que bailava com o monarca ou com o seu filho que, desde 1471 ou 1474 tinha nas mãos todo o negócio dos mares. Um Príncipe depois um Monarca que segundo Resende só com o seu olhar corrigia tudo e todos! Não era qualquer um que - perante o monarca (fosse Afonso V, fosse, sobretudo, D. João) se apresentasse e se perfilasse como merecedor e digno de toda a honra e mercê que lhe fosse feita. 6. Havemos de reparar também que Fernão Gomes se passeava, isto é, se ostentava nas ruas de Lisboa rodeado e uma verdadeira corte, carregado de ouro, com aparato de príncipe! (NB. Nestas estrofes do Cancioneiro -que vão abaixo observe-se também a sua permanente e íntima ligaçãoassociação ao Príncipe. Os povos, ao que parece, distinguiam já muito bem por mãos de quem corriam as coisas do mar e não só). 7. Tão eminente personagem, respeitando, embora, hierarquias que os tempos assim o exigiam - nunca deixaria de ser "tratada" por Nuno Gonçalves - um contemporâneo atento, um homem do Renascimento ainda, por cima, numa galeria cuja temática se reporta, por inteiro, à Gesta das Descobertas e do trato marítimo, que tão largas cobiças despertava já na Europa do tempo e, gora, rematadas com a espectacular integração da Mina do Ouro. Um raro testemunho pictórico como querendo fixar os homens que fariam e permitiriam o sucesso de Gama e a fortuna do Venturoso! O tempo em que aparece é, por isso, outro dos argumentos documentais que acrescenta também verossimilhança à hipótese aqui deixada. Em 1475/1476 consagrase o espanto e o espectáculo do ouro.. 8. Ao lado da pintoresca, mas sugestiva descrição do Fernam Gomez da Myna, "apanhado" nas ruas de Lisboa pelo bardos e "retratistas" do 6

7 Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas Cancioneiro o que, sem dúvida, capta o inusitado do aparato e a ousadia da ostentação sem que ninguém o ousasse beliscar fica agora, daqui em diante, a imagem e a fisionomia do Mercador, do Cavaleiro nobilitado e do Conselheiro Régio tirada ao natural por Nuno Gonçalves. Fiquem, para a História e para a História da Arte, a verdadeira condecoração que o monarca lhe lançou ao pescoço e lhe pôs no peito. Verificar-se-á que é, essa figura, entre todas, a única que ostenta o aparatoso cordão de ouro ao peito, sobre as vestes, bem visível. (Aliás, também a fisionomia de um homem de sessenta de tantos anos que tantos teria Fernão Gomes por esta altura). Penso que, para a sua a sua legenda, podem ficar as estrofes directas do Cancioneiro de Resende e a tão breve passagem de Barros: "Se m a mym nã mente Ayxa, se me Conba nam enguana, sey bailar melhor mangana que dançar alta nem baixa. O Rey guaba e despreza qualquer outro bailador, ysto provarey à Alteza do Prinçepe nosso Senhor. Ando por ruas a pee, meus brozeguys com recramos, criados, compadres, amos, tudo casta de Guynee. Todo Portugual me preza, porque fuy descobridor da Mina de Su Alteza, do Prinçepe nosso Senhor". (Garcia de Resende, Cancioneiro Geral. Centro de Estudos Românicos. I. A. C. Coimbra II. 126). Por último, fique o testemunho, as palavras tão breves (mas preciosas) de João de Barros, em texto muito lido e utilizado por todos nós, ainda que não, com este fim. V-7

8 A primeira parte reporta-se aos contractos e serviços (por isso aqui a omitimos); a última, à merecida recompensa que documenta e sustenta a hipótese para uma outra leitura, de uma figuras dos trípticos de Nuno Gonçalves:. E porque descobrio o resgate do ouro da Mina, foy dado a Fernam Gomes apellido da Mina com ármas desta nobreza"./ porque depois este Soeiro Dacósta descobrio o rio a que óra chamámos o de Soeiro, que está entre o cábo das palmas e as tres pontas, vezinho a cása de Axem onde se faz a feitoria do resgáte do ouro.(vide alusão directa na estrofe supra) O qual contracto foy feito no anno de quatro centos e sessenta e noue... Peró depois ouue o mesmo Fernam Gomez do principe este resgate de Arguim por certos annos, /...E foy Frernam Gomez tam diligente e ditóso em este descobrimento e resgáte delle, que lógo no janeiro de quatrocentos e setenta e hû, descobrio o resgáte do ouro onde óra chamámos a Mina... e nam sómente descobrio Fernam Gomez este resgáte do ouro, mas chegarã os seus descobridores pela obrigação do seu contracto té o cábo de Sancta Catherina: que é alem do cábo de Lopo Gonçaluez trinta e séte léguoas.. No qual tempo ganhou Fernam Gómez muy grossa fazenda, com que depois seruio el rey: assy em Cépta como na tomáda de Alcacer, Arzila e Tangere, onde el rey o fez caualeiro. E no anno de quátro centos e setenta e quatro, que foy o derradeyro de seu arrendamento lhe deu nobreza de nouas ármas, hû escudo timbrádo com o campo de práta e tres cabeças de negros, cada hû com tres aries douro nas orelhas e narizes, e hû collar de ouro ao collo, e por apellido da Mina, em memória do descobrimento della, e disso lhe passou cárta a uinte e nóue dagosto do dito anno. Depois passádos quatro annos o fez do seu conselho: porque já neste tempo éra o commercio de Guine e resgáte da Mina de tanto proueito, e ajudáua tanto em substancia ao estádo do reyno, polo boa jndustria de Fernam Gómez, que assy por este seruiço como por outros particuláres de sua pesóa merecia toda a honra e merce que lhe fose feyta". (João de Barros, Ásia. Primeira Década. Imprensa Nacional Casa da Moeda. Edição Fac-Símile. Lisboa Sublinhados, nossos). 8

9 Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas V-9

10 10

11 Fernão Gomes da Mina Mercador e Conselheiro de Monarcas V-11

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DA FAMÍLIA GOYOS

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DA FAMÍLIA GOYOS SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DA FAMÍLIA GOYOS Por Durval de Noronha Goyos Jr. O Instituto Português de Heráldica e a Universidade Lusíada de Lisboa reeditaram o Livro de linhagens de Portugal, em 2014, numa

Leia mais

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo.

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. JOÁS, O MENINO REI Lição 65 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. 2. Lição Bíblica: 2 Reis 11; 2 Crônicas 24.1-24 (Base bíblica para a história

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto.

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto. Boa tarde a todos, para quem não me conhece sou o Ricardo Aragão Pinto, e serei o Presidente do Concelho Fiscal desta nobre Fundação. Antes de mais, queria agradecer a todos por terem vindo. É uma honra

Leia mais

Recomendação Inicial

Recomendação Inicial Recomendação Inicial Este estudo tem a ver com a primeira família da Terra, e que lições nós podemos tirar disto. Todos nós temos uma relação familiar, e todos pertencemos a uma família. E isto é o ponto

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

Decida buscar o Senhor

Decida buscar o Senhor Decida buscar o Senhor Textos bíblicos: 2º Reis 22.8, 10-11; 23.1-3 e 24-25: 8. Então, disse o sumo sacerdote Hilquias ao escrivão Safã: Achei o Livro da Lei na Casa do Senhor. Hilquias entregou o livro

Leia mais

NOTAS PARA A HISTORIA DOS PILOTOS EM PORTUGAL

NOTAS PARA A HISTORIA DOS PILOTOS EM PORTUGAL ISSN 0870-6735 CENTRO DE ESTUDOS DE HISTÓRIA E CARTOGRAFIA ANTIGA SÉRIE SEPARATAS 231 NOTAS PARA A HISTORIA DOS PILOTOS EM PORTUGAL POR MARIA EMILIA MADEIRA SANTOS INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

GMAIL - Criação de uma conta de correio electrónico

GMAIL - Criação de uma conta de correio electrónico COMO CRIAR UMA CONTA PESSOAL NO FACEBOOK Em primeiro lugar é necessário ter um endereço de correio electrónico (email) pessoal. Qualquer endereço de correio electrónico (email) serve perfeitamente. Pode

Leia mais

JESUS ALIMENTA A MULTIDÃO

JESUS ALIMENTA A MULTIDÃO João 6 Nesta Lição Estudará... Jesus Alimenta a Multidão Jesus Anda em Cima das Águas O Povo Procura Jesus Jesus, o Pão da Vida As Palavras de Vida Eterna JESUS ALIMENTA A MULTIDÃO: Leia João 6:1-15. Mateus,

Leia mais

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES JOGO EURO RUN www.novas-notas-de-euro.eu A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES A Ana e o Alex são da mesma turma e amigos inseparáveis. Estão sempre a viver aventuras incríveis e hoje não é exceção.

Leia mais

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES

A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES JOGO EURO RUN www.novas-notas-de-euro.eu A ANA E O ALEX CONTRA OS FALSIFICADORES - 2 - A Ana e o Alex são da mesma turma e amigos inseparáveis. Estão sempre a viver aventuras incríveis e hoje não é exceção.

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal.

Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal. Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal. ONDA GOSPEL - Quando revelou ao seu amigo, Luis Melancia a vontade de adquirir a rádio,

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 A língua, a ciência e a produção de efeitos de verdade Programa Hora de Debate. Campanhas de prevenção contra DST: Linguagem em alerta SOM: abertura (Vinheta de abertura do

Leia mais

25 de Abril de 2015 Comemoração dos 41 anos da Revolução dos Cravos

25 de Abril de 2015 Comemoração dos 41 anos da Revolução dos Cravos 25 de Abril de 2015 Comemoração dos 41 anos da Revolução dos Cravos Intervenção da Deputada Municipal do PSD Célia Sousa Martins Senhora Presidente da Assembleia Municipal, Senhor Presidente da Câmara

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

ANTECEDENTES E EVOLUÇÃO

ANTECEDENTES E EVOLUÇÃO Bandeira Nacional ANTECEDENTES E EVOLUÇÃO 5 D. Afonso Henriques (1143-1185) Segundo a tradição, durante as primeiras lutas pela Independência de Portugal, D. Afonso Henriques teria usado um escudo branco

Leia mais

12:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo

12:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo 2:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo Amados de Deus, a paz de Jesus... Orei e pensei muito para que Jesus me usasse para poder neste dia iniciar esta pregação com a

Leia mais

A OFERTA DE UM REI (I Crônicas 29:1-9). 5 - Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao SENHOR?

A OFERTA DE UM REI (I Crônicas 29:1-9). 5 - Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao SENHOR? A OFERTA DE UM REI (I Crônicas 29:1-9). 5 - Quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao SENHOR? Esse texto é um dos mais preciosos sobre Davi. Ao fim de sua vida,

Leia mais

Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhora e Senhores Membros do Governo

Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhora e Senhores Membros do Governo Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhora e Senhores Membros do Governo Evocar hoje, dia 8 de Março de 2007, o Tratado que instituiu a Comunidade Económica Europeia, assinado em Roma há 50

Leia mais

MAHATMA GANDHI. Cronologia

MAHATMA GANDHI. Cronologia Cronologia 1869 Data de nascimento de Gandhi 1888 1891 Estudou direito em Londres 1893 1914 Período em que viveu na África do Sul 1920 Lutou pelo boicote aos produtos ingleses 1930 Campanhas de desobediência

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE COIMBRA

ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE COIMBRA COMUNICADO As razões que nos trazem hoje aqui entristecem-nos. Contudo, no seguimento de uma série de eventos que têm ocorrido, esta tornou-se na única resposta possível aquilo que sentimos como uma afronta

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

A tecnologia e a ética

A tecnologia e a ética Escola Secundária de Oliveira do Douro A tecnologia e a ética Eutanásia João Manuel Monteiro dos Santos Nº11 11ºC Trabalho para a disciplina de Filosofia Oliveira do Douro, 14 de Maio de 2007 Sumário B

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA

MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA 1 40 dias vivendo para Jesus 12/05/2013 At 1 4 Um dia, quando estava com os apóstolos, Jesus deu esta ordem: Fiquem em Jerusalém e esperem até que o Pai

Leia mais

O Foral e a Organização Municipal Torriense

O Foral e a Organização Municipal Torriense O Foral e a Organização Municipal Torriense Foral Medieval de Torres Vedras, 1250 In O Foral Medieval da vila de Torres Vedras: 15 de Agosto de 1250. VICENTE, António Balcão, [et al.] - O foral medieval

Leia mais

Jesus, o Filho de Deus

Jesus, o Filho de Deus JESUS, O FILHO DE DEUS 43 4 Jesus, o Filho de Deus No coração do cristianismo reside a verdade de que Jesus o Cristo é o Filho de Deus. Cristo é o centro da nossa religião. Ele é a fundação da nossa fé

Leia mais

DAVI, O REI (PARTE 1)

DAVI, O REI (PARTE 1) Bíblia para crianças apresenta DAVI, O REI (PARTE 1) Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

A Bíblia realmente afirma que Jesus

A Bíblia realmente afirma que Jesus 1 de 7 29/06/2015 11:32 esbocandoideias.com A Bíblia realmente afirma que Jesus Cristo é Deus? Presbítero André Sanchez Postado por em: #VocêPergunta Muitas pessoas se confundem a respeito de quem é Jesus

Leia mais

SEU NOME SERÁ CHAMADO DE "EMANUEL"

SEU NOME SERÁ CHAMADO DE EMANUEL Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Isaías 7.14 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão

Leia mais

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista?

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? Navegar era preciso, era Navegar era preciso navegar... Por quê? O que motivou o expansionismo marítimo no século

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra. Senhor Representante de Sua Excelência o Presidente da República, General Rocha Viera, Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI Bíblia para crianças apresenta O SÁBIO REI SALOMÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Paródia 1ªA. Música Fugidinha Michel Teló. Cheguei na escola não consegui entender. Mas depois de um tempo tudo foi se resolver

Paródia 1ªA. Música Fugidinha Michel Teló. Cheguei na escola não consegui entender. Mas depois de um tempo tudo foi se resolver Paródia 1ªA Música Fugidinha Michel Teló Cheguei na escola não consegui entender Mas depois de um tempo tudo foi se resolver Tudo dando certo eu vou ficar esperto E vestibular eu vou fazer Sempre tem aquele

Leia mais

Portadores. Luz. Por Neale Donald Walsch. Autor de Conversando com Deus

Portadores. Luz. Por Neale Donald Walsch. Autor de Conversando com Deus Portadores da Luz Por Neale Donald Walsch Autor de Conversando com Deus Em memória de Francis H. Treon um Futzu (Mestre) em Gohn Dagow (uma clássica, chinesa, suave, monacal forma de autodesenvolvimento)

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA CENTRO CULTURAL DE BELÉM 3 DE DEZEMBRO DE 2009 MARIA GUIDA DE FREITAS FARIA 1 AGRADEÇO

Leia mais

Lucas Liberato Coaching Coach de Inteligência Emocional lucasliberato.com.br

Lucas Liberato Coaching Coach de Inteligência Emocional lucasliberato.com.br Script de Terapia de Liberação Emocional (EFT) para desfazer crenças relativas aos clientes que você merece ter. Eu não consigo atrair clientes dispostos a pagar preços altos A Acupuntura Emocional é uma

Leia mais

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt)

Esterofoto Geoengenharia SA. Álvaro Pombo. Administrtador. (www.estereofoto.pt) Esterofoto Geoengenharia SA Álvaro Pombo Administrtador (www.estereofoto.pt) Q. Conte-nos um pouco da historia da empresa, que já tem mais de 30 anos. R. A Esterofoto é uma empresa de raiz, a base da empresa

Leia mais

A Rainha, o guarda do tesouro e o. papel que valia muito ouro

A Rainha, o guarda do tesouro e o. papel que valia muito ouro A Rainha, o guarda do tesouro e o papel que valia muito ouro Há muito, muito tempo atrás, havia uma rainha que governava um reino chamado Portugal. Essa rainha chamava-se D. Maria I e como até tinha acabado

Leia mais

Jefté era de Mizpá, em Gileade, terra de Jó e Elias. Seu nome (hebraico/aramaico - יפתח Yiftach / Yipthaχ). Foi um dos Juízes de

Jefté era de Mizpá, em Gileade, terra de Jó e Elias. Seu nome (hebraico/aramaico - יפתח Yiftach / Yipthaχ). Foi um dos Juízes de Jefté era de Mizpá, em Gileade, terra de Jó e Elias. Seu nome (hebraico/aramaico - יפתח Yiftach / Yipthaχ). Foi um dos Juízes de Israel por um período de seis anos (Jz 2:7 ). Jefté viveu em Gileade e foi

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ JESUS E TENTADO NO DESERTO Volume 4 Escola: Nome : Professor (a): Data : / / 11 7) PERGUNTAS: 1. Depois de ser batizado, onde Jesus foi guiado pelo espírito? 2. Quem

Leia mais

A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE

A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE Aline Trindade A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE Introdução Existem várias maneiras e formas de se dizer sobre a felicidade. De quando você nasce até cerca dos dois anos de idade, essa

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 9, 10-17)

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 9, 10-17) SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO (ANO C) 2 de Junho de 2013 Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas (Lc 9, 10-17) 10 Ao regressarem, os Apóstolos contaram-lhe tudo o que tinham feito.

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

LIÇÃO 1 Deus Tem Dons para Nós

LIÇÃO 1 Deus Tem Dons para Nós LIÇÃO 1 Deus Tem Dons para Nós Esta é a primeira de duas lições que lhe darão um bom fundamento para tudo quanto estudar neste curso. Nesta primeira lição, estudará a sua importância no corpo de Cristo.

Leia mais

Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, Deputado Ribeiro e Castro,

Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, Deputado Ribeiro e Castro, Exmo. Sr. Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, Deputado Ribeiro e Castro, Exmo. Sr. Relator da Petição Pública Não há Educação sem Educação Física, Deputado Paulo Cavaleiro, Exmos. Srs.

Leia mais

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé.

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé. 1 Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9 Introdução: Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre. Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja

Leia mais

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados...

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... Apostila de Fundamentos Arrependimento Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... (Atos 3:19) A r r e p e n d i m e n t o P á g i n a 2 Arrependimento É muito importante

Leia mais

Anexo 2. . Falar educação Um programa do Instituto de Tecnologia Educativa Radio Televisão Portuguesa (1975) EDUCAÇÃO PELA ARTE

Anexo 2. . Falar educação Um programa do Instituto de Tecnologia Educativa Radio Televisão Portuguesa (1975) EDUCAÇÃO PELA ARTE Anexo 2 O documento que se apresenta em seguida é um dos que consideramos mais apelativos neste estudo visto ser possível ver Cecília Menano e João dos Santos e a cumplicidade que caracterizou a sua parceria

Leia mais

Guião de Entrevista. 1- Para ti, quais foram as coisas que Portugal descobriu na época dos Descobrimentos?

Guião de Entrevista. 1- Para ti, quais foram as coisas que Portugal descobriu na época dos Descobrimentos? Guião de Entrevista 1- Para ti, quais foram as coisas que Portugal descobriu na época dos Descobrimentos? 2- Consideras os Descobrimentos portugueses um assunto importante? Porquê? 3- Na tua opinião, por

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA 1 Artur Polónio Índice 1. O que é um ensaio filosófico? 2. O que se espera que um estudante mostre ao escrever um ensaio? 3. Como escolher o título do ensaio? 4. Como se prepara um ensaio? 5. Como se deve

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

Senhor Presidente. Senhor Presidente,

Senhor Presidente. Senhor Presidente, Intervenção proferida pelo Deputado Clélio Meneses aquando da discussão do Plano e Orçamento para 2012. Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente, Senhora e Senhores Membros do

Leia mais

Mostrei minha obra-prima à gente grande, perguntando se meu desenho lhes dava medo.

Mostrei minha obra-prima à gente grande, perguntando se meu desenho lhes dava medo. I Uma vez, quando eu tinha seis anos, vi uma figura magnífica num livro sobre a floresta virgem, chamado Histórias vividas. Representava uma jiboia engolindo uma fera. Esta é a cópia do desenho. O livro

Leia mais

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste LEITURA DA ENTREVISTA 2 E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste trabalho que estou a desenvolver. Como lhe foi explicado inicialmente, esta entrevista está

Leia mais

ENSINAR É INVESTIGAR,

ENSINAR É INVESTIGAR, Comunicação ao Encontro de Professores "Ensinar é Investigar. Investigação e Formação de Professores", promovido pela Associação de Professores Ensinar é Investigar. 08 de Fevereiro de 1996. Faculdade

Leia mais

As religiões na escola

As religiões na escola G E R A Ç Õ E S E V A L O R E S Estudos As religiões na escola Se a escola tem por missão colaborar na formação integral do aluno, então não pode ignorar nenhuma das suas dimensões específicas, sob pena

Leia mais

ESCOLA BÍBLICA I.E. SOS JESUS

ESCOLA BÍBLICA I.E. SOS JESUS Data: 01/02/09 Aula 01 AS VESTES SACERDOTAIS O Sumo Sacerdote I - O que era um sacerdote: Era um ministro investido da autoridade, isto é, autorizado diante de Deus a interceder em favor do povo. Servia

Leia mais

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Em primeiro lugar gostaria de expressar o meu agradecimento

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

Entrevista 1.02 - Brenda

Entrevista 1.02 - Brenda Entrevista 1.02 - Brenda (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira Trabalho Pratico Organização de Eventos

Escola Secundária de Paços de Ferreira Trabalho Pratico Organização de Eventos Escola Secundária de Paços de Ferreira Trabalho Pratico Organização de Eventos Organização de uma Festa de Aniversário Tânia Marlene Silva Nº21 Novembro de 2009 Conteúdo Introdução... 3 Preparação... 4

Leia mais

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com Clínica Maló Paulo Maló CEO www.clinicamalo.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

Histórias Tradicionais Portuguesas. Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO. Autora: Lina. Publicado em: www.escolovar.org

Histórias Tradicionais Portuguesas. Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO. Autora: Lina. Publicado em: www.escolovar.org Histórias Tradicionais Portuguesas Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO DE PINTO PINTÃO VAMOS CONHECER O LIVRO A CAPA A CONTRACAPA A LOMBADA Observa a capa do livro e responde: 1.Título 2. Nome da autora 3.

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo Era uma vez a família Rebolo, muito simpática e feliz que vivia na Amadora. Essa família era constituída por quatro pessoas, os pais Miguel e Natália e os seus dois filhos Diana e Nuno. Estávamos nas férias

Leia mais

O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS

O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS O PERCURSO ACADÉMICO NA FBAUL E AS PERSPECTIVAS FUTURAS QUE OPORTUNIDADES PÓS-LICENCIATURA ESPERAM? EXPECTATIVAS QUE INQUIETAÇÕES TÊM OS ALUNOS DE DC? MADALENA : M QUAL É A TUA PERSPECTIVA DO MERCADO

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

DIREITOS HUMANOS UMA LACUNA NO TRATADO DE AMIZADE LUSO-BRASILEIRO?

DIREITOS HUMANOS UMA LACUNA NO TRATADO DE AMIZADE LUSO-BRASILEIRO? DIREITOS HUMANOS UMA LACUNA NO TRATADO DE AMIZADE LUSO-BRASILEIRO? Recebi o convite, que muito me honra, para participar deste Colóquio; e fiquei convencido, certamente por lapso meu, que me era pedido

Leia mais

Uma Técnica Muito Extraordinária

Uma Técnica Muito Extraordinária Uma Técnica Muito Extraordinária Obrigado, Alberto. Você está se tornando um excelente escudeiro. 1 1 escudeiro: um jovem de família nobre que auxiliava um cavaleiro até ele mesmo se tornar cavaleiro Nosso

Leia mais

Jesus declarou: Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo. (João 3:3).

Jesus declarou: Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo. (João 3:3). Jesus declarou: Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo. (João 3:3). O capítulo três do Evangelho de João conta uma história muito interessante, dizendo que certa noite

Leia mais

O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 Perseverando com graça - Efésios 6.18-24

O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 Perseverando com graça - Efésios 6.18-24 Perseverando com graça Efésios 6.18-24 O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 18 Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem

Leia mais

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Atividade: Leitura e interpretação de texto Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Orientações: 1- Leia o texto atentamente. Busque o significado das palavras desconhecidas no dicionário. Escreva

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA E DE TEMAS PARA DISCUSSÃO

PROPOSTA DE PROGRAMA E DE TEMAS PARA DISCUSSÃO PROPOSTA DE PROGRAMA E DE TEMAS PARA DISCUSSÃO 2. INOVAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO O objectivo está adquirido, como está adquirida a consciência da sua importância. O que não está adquirido é a forma de

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

Monoteísmo Noaico. por Sha ul Bensiyon

Monoteísmo Noaico. por Sha ul Bensiyon Monoteísmo Noaico por Sha ul Bensiyon Aula 16 Moderação N ã o s e j a s d e m a s i a d a m e n t e j u s t o, n e m demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo? (Ec. 7:17) O caminho do meio

Leia mais

Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte:

Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte: Exmos. Senhores. Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte: Sou cliente desde a época da TVTel nunca, até hoje, mudei de

Leia mais

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 Apresentação do livro de Nuno Baptista-Afonso Nuno Baptista-Afonso nasceu em Mirandela, em 1979, mas é um Alfandeguense, pois aqui foi

Leia mais

[fl. 1] Senhor, Despacho à esquerda: Como parece. Lisboa, 16 de novembro de 1689 [?] [rubrica]

[fl. 1] Senhor, Despacho à esquerda: Como parece. Lisboa, 16 de novembro de 1689 [?] [rubrica] AHU, Alagoas Avulsos, Documento 2 (Versão Adaptada) 1 Documento 2 Consulta do Conselho Ultramarino ao rei D. Pedro II sobre o requerimento de D. Maria da Silveira, viúva de Francisco Álvares Camelo, em

Leia mais

SUSPENSÃO DO PROCESSO NO DIREITO PENAL TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS

SUSPENSÃO DO PROCESSO NO DIREITO PENAL TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS SUSPENSÃO DO PROCESSO NO DIREITO PENAL TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS No Processo Penal Português está plasmado o princípio da suficiência daquele, o qual, nos termos do disposto no artigo 7.º, n.º 1, CPP, prevê

Leia mais

A reforma metrológica nas Ordenações Manuelinas. 17 de Dezembro A Reforma Metrológica nas Ordenações Manuelinas

A reforma metrológica nas Ordenações Manuelinas. 17 de Dezembro A Reforma Metrológica nas Ordenações Manuelinas A reforma metrológica nas Ordenações Manuelinas 1 Sumário: Contexto e antecedentes A reforma metrológica A reforma dos pesos As outras medidas Os padrões nacionais O controlo metrológico A evolução até

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca MO DE JANEIRO, 7 DE ABRIL DE 1958.

Leia mais

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA 1 Lição 0 Já nasceu de novo? (volte para a página 5) Perguntaram a John Wesley porque razão ele pregava várias vezes, acerca de devem nascer de novo. Ele respondeu, porque vocês devem nascer de novo! Já

Leia mais

A formação moral de um povo

A formação moral de um povo É um grande desafio evangelizar crianças nos dias de hoje. Somos a primeira geração que irá dizer aos pais e evangelizadores como evangelizar os pequeninos conectados. Houve um tempo em que nos colocávamos

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

De que jeito se governava a Colônia

De que jeito se governava a Colônia MÓDULO 3 De que jeito se governava a Colônia Apresentação do Módulo 3 Já conhecemos bastante sobre a sociedade escravista, especialmente em sua fase colonial. Pouco sabemos ainda sobre a organização do

Leia mais