Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional."

Transcrição

1 Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula: Semana15 Professor (a): Fundamento da Semana: Objetivo Geral: Recursos Materiais: Turma: Faixa Amarela Ciclo de remada com pausa. Remada ré com aceleração frente. Passagem pelas portas Técnica de remada e aplicação dos movimentos de mudança de direção Local amplo para acomodação dos alunos, apito, coletes salva vidas, capacete, saco de resgate, cabos de vassoura para aquecimento, barcos e remos. Atividade Apresentação do tema e Aquecimento Aula propriamente dita: Descrição No início da semana a apresentação geral dos fundamentos a serem executados com visualização do DVD. Logo depois aquecimento com corrida, alongamento e atividades lúdicas. 1º Exercício- Ciclo de remada com pausa DVD Nível 1 Prática eficaz para aquecimento e aprimoramento da técnica. A fase aérea corresponde ao movimento em que a pá não está em contato com a água. Para preparar o próximo ataque, o canoísta deverá acertar o ângulo da pá e terminar o giro de tronco até que fique em posição de extrema torção. O atleta deverá aproveitar a inércia do movimento da embarcação para relaxar a musculatura antes do novo ataque no lado oposto. Não esquecer de orientar o atleta a fazer o esforço com o pé, no mesmo lado da remada, pressionando-o contra o finca-pé, de forma a empurrar o barco para a frente. POSIÇÃO BASE EM CAIAQUE - CORPO Tempo de Execução 20 m 1h20m

2 A posição deverá estar sempre cômoda e bem apoiada para o canoísta de Slalom, porém os únicos pontos de contato com a embarcação deverão ser através do assento com as nádegas, do casco com os calcanhares, nas laterais com os joelhos em algumas oportunidades e dos finca-pés com os pés (metatarsos). Deve-se manter o corpo bem apoiado, ereto e levemente inclinado para frente do quadril, cuidando sempre para não deixar uma curvatura nas costas. Essa inclinação do tronco deve ficar entre 05 a 15. O Canoísta deve olhar sempre para frente, nunca para baixo, projetando o peito para cima. Deverá ter condições para uma boa rotação do tronco, dos ombros e um excelente apoio para os pés. Além de um melhor rendimento nas fases da remada a boa postura do atleta manterá o barco mais estável, com balanço mínimo o que diminuirá o atrito. POSIÇÃO BASE EM CANOA - CORPO CORPO A C1 Slalom é a embarcação que mais necessita da aplicação correta da técnica de remada para se conseguir bons resultados. É a única categoria com remada assimétrica e por esse motivo é necessário ter uma transmissão de força com muita qualidade para que haja o equilíbrio necessário e direcional da canoa. Jamais o atleta de C1 vai conseguir ter resultados expressivos no circuito internacional se não dominar completamente a técnica de remada, o que deverá ser feito de forma exaustiva e permanente em água parada.

3 Para se conseguir um bom desempenho na C1 Slalom será fundamental estar bem instalado na canoa com regulagem sob medida do banco, cinta, joelheira e apoios laterais. Estes são os itens que transformarão a canoa na extensão do atleta formando um único corpo a preencher o espaço. COSTAS deve-se manter a coluna reta buscando inserir o remo no local mais distante da embarcação sem, contudo, deixar que o braço da tração alongue-se completamente. Nesse momento o apoio dos joelhos deve ser mínimo para se manter o equilíbrio, devendo o atleta objetivar sempre o barco plano que conseguirá distribuindo seu peso entre o assento e o apoio dos joelhos. TRONCO o tronco deverá estar flexionado e com o busto girado em direção da remada. Deve-se cuidar para que não haja apoio mais forte em um joelho do que no outro, isso fará com que a canoa se desequilibre. OMBRO No lado da remada vai estar baixo e à frente. O atleta deverá cuidar para não girar o ombro o que fará com que a cintura também gire influenciando na direção da canoa. O ideal é conservar a cintura e o ombro de frente na linha de deslocamento. POSIÇÃO BASE EM C2 - CORPO REMADA PARA FRENTE É fundamental que os canoístas remem em sincronia. O homem da popa deve direcionar o barco o mínimo possível. Se for necessário virar:

4 - O homem da proa aplica menos força; - O homem da popa efetua remadas em J (vira a pá no final do tempo e desliza para o lado). Nota: veja no CD C1 Nível 1 para mais detalhes nas remadas à frente. 2º Exercício Remada ré com aceleração frente DVD Nível 1 VERIFICAR FORMA CORRETA PARA K1, C1 e C2 No início o atleta deverá remar vagarosamente para trás. Força máxima na primeira remada para a frente. Aceleração forte em seguida. Exercícios executados em espaços curtos. K1 Comece a remar vagarosamente para trás. Força máxima na primeira remada à frente. Aceleração forte em seguida. C1 Exercício difícil na fase de iniciação e por este motivo deverá ser realizado de forma bem lenta, com o objetivo de que o atleta sinta os movimentos da embarcação. Preferencialmente o atleta deverá utilizar apenas um lado para remar (sem utilização da remada cruzada). C2 Remar vagarosamente para trás 3 4 vezes e então reme de 3 5 vezes para frente com toda a força. A aceleração sem espirrar muita água é uma aceleração lisa e de melhor rendimento. 3º Exercício Passagem pelas portas DVD NÍVEL 1 K1 - MOVIMENTO RIO ABAIXO PASSANDO NAS PORTAS VERDES Efetuar uma circular (varredura) para iniciar a virada. Direcionar a proa, deslizando pela linha da porta (o canoísta deverá conduzir a proa para a direção em que estiver olhando).tração à frente deslizando a popa C1 - PORTAS LADO FAVORÁVEL - VERDES Remando no lado favorável, dirigir-se para o centro da porta. Ao passar a proa pela porta o canoísta deverá iniciar o movimento circular que o direcionará à próxima porta. Poucos centímetros antes de se passar o centro das balizas, o canoísta, ao terminar a tração, deverá iniciar um novo ciclo sem a fase aérea, ou seja, sem retirar o remo da água. Quando a proa sair totalmente da porta deverá ser

5 aplicado uma forte tração puxando a popa para fora e direcionando para a próxima baliza. Volta calma /desaquecimento: Avaliação da aula e Alongamento C2 - PORTAS LADO FAVORÁVEL - VERDES 1º - CANOÍSTA DE PROA - Deverá forçar a remada (pequena varredura) para direcionar a proa praticamente no centro da baliza de entrada. Ao sair deverá proceder da mesma forma (geralmente um tempo antes da linha da porta e um depois). Deverá remar para frente sempre sincronizado com o homem de popa. 2º - CANOÍSTA DE POPA - Deverá iniciar a virada fazendo com que a proa deslize entre as balizas mediante uma remada em direção a borda direita do barco sem tirar a pá da água. Deverá empurrar a proa muito próxima à baliza de saída (é possível ser para baixo dela também) seguido de força para frente. Ao final do treino verificar se os atletas têm alguma dúvida. Reunida em círculo a Turma deverá proceder os exercícios de alongamento e, nesse período, o Professor aproveitará o tempo para questionar sobre os fundamentos repassados no dia. 10 m 10 m Tempo Total Total 2h

K1 Técnica de remada inclinada

K1 Técnica de remada inclinada Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Local: ITAIPU Plano de aula:semana 41 Data: Turma: Faixa Verde Professor: Fundamento da Semana: Técnica de remada Objetivo Geral: Recursos

Leia mais

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Turma: Faixa Verde. ÁGUAS CALMAS Técnica de remada DVD NÍVEL 1

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Turma: Faixa Verde. ÁGUAS CALMAS Técnica de remada DVD NÍVEL 1 Plano de aula: Semana 02 Professor (a): Fundamento da Semana: 02 Objetivo Geral: Recursos Materiais: Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Turma: Faixa Verde ÁGUAS CALMAS Técnica

Leia mais

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n : Data: 03 a 08 Maio Professor: Rolamento. Nadar em corredeira

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n : Data: 03 a 08 Maio Professor: Rolamento. Nadar em corredeira Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n : Data: 03 a 08 Maio 2010. Rolamento. Nadar em corredeira Fazer com que os alunos possam vivenciar e ter os primeiros contatos

Leia mais

Instituto Meninos do Lago IMEL.

Instituto Meninos do Lago IMEL. Identificação: Itaipu Binacional Plano de aula n : 31 Data: 01/02/04/05 de Julho 2011. Giro Padrão Remonta (contra corrente). Trabalhar o giro de embarcação nas balizas contra corrente, com entradas paralelas.

Leia mais

Instituto Meninos do Lago IMEL.

Instituto Meninos do Lago IMEL. Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Local: Plano de aula n : Data: 01.02 de Agosto 2011 Turma: Professor: Objetivo Geral: Objetivo Específico: Recursos Materiais: Treinar com

Leia mais

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional.

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Local: Plano de aula n : Data: 02 a 07 agosto 2010. Turma: T1/T2/T5/T6 Professor: T3/T4/T7/T8 Objetivo Geral: Pista Inteira Objetivo Específico:

Leia mais

Escrito por CCC Qui, 30 de Abril de :05 - Última atualização Sáb, 01 de Maio de :36

Escrito por CCC Qui, 30 de Abril de :05 - Última atualização Sáb, 01 de Maio de :36 Manejo do remo Devido à torção do plano das pás, é preciso fazer um giro da haste do remo para alternar as remadas. Uma das mãos segura e faz um movimento de extensão como na aceleração de uma moto; a

Leia mais

Treino para Prevenção de Quedas. O que é e como fazer

Treino para Prevenção de Quedas. O que é e como fazer Treino para Prevenção de Quedas O que é e como fazer Orientações Treino Prevenção de Quedas Com este treino você terá melhora no seu equilíbrio, força muscular e bem estar geral, reduzindo seu risco de

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão Mobilização da Coluna (fase 1) - ADM Ativa Deitado, pés no chão. Junte as palmas das mãos a frente com o braço esticado e mova para um lado, mantenha e mova para o outro. Alongamento da Coluna - Pernas

Leia mais

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA OS EXERCÍCIOS ABDOMINAIS APRESENTADOS ABAIXO ESTÃO DIVIDIDOS DE ACORDOS COM SEU GRAU DE DIFICULDADE, ESTANDO CLASSIFICADOS COMO: EXERCÍCIOS LEVES EXERCÍCIOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

D S T Q Q S S. 4ª SEMANA e 5ª SEMANA RECESSO NATAL E PASSAGEM DE ANO

D S T Q Q S S. 4ª SEMANA e 5ª SEMANA RECESSO NATAL E PASSAGEM DE ANO ATUALIZAÇÃO 16/09/2009 1ª SEMANA local escola Profs. Heros, Antonio, Valdecir e Mayara 01- Retorno às escolas parceiras para entrega das carteirinhas 02- Revisão final e Planejamento Anual 03- Revisão

Leia mais

Prevenção de Lesões MUTUAL DE SEGURIDAD. na coluna vertebral. Seg. Trabalho

Prevenção de Lesões MUTUAL DE SEGURIDAD. na coluna vertebral.  Seg. Trabalho Prevenção de Lesões MUTUAL DE SEGURIDAD na coluna vertebral http://www.freewebs.com/douglaspbs Seg. Trabalho 1 I. INTRODUÇÃO Para poder prevenir as lesões na Coluna Vertebral temos que conhecer nosso corpo,

Leia mais

ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE. Rui Silva. Novembro 2009

ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE. Rui Silva. Novembro 2009 ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE Novembro 2009 Rui Silva ALONGAMENTOS NO BASQUETEBOL Na generalidade, os alongamentos devem ser feitos durante 20-30 segundos. De seguida, apresentam-se uma série de exercícios

Leia mais

I DA PARTICIPAÇÃO FAIXA ETÁRIA II DA CONVOCAÇÃO

I DA PARTICIPAÇÃO FAIXA ETÁRIA II DA CONVOCAÇÃO I DA PARTICIPAÇÃO FAIXA ETÁRIA Art. 1º - Todo e qualquer atleta com idade entre 08 a 23 anos e em perfeitas condições físicas para a prática de exercício em água, residente nos municípios margeados pelo

Leia mais

Unidade IV. Unidade IV. Técnica do Nado Peito

Unidade IV. Unidade IV. Técnica do Nado Peito Técnica da pernada 1. A pernada de peito requer uma boa flexibilidade, Já que, para um bom posicionamento dos pés, no momento da flexão máxima das pernas e no decorrer da extensão, é necessário realizar

Leia mais

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!.

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. 1ª Etapa (Movimentos de olhos e cabeça, primeiro lentos, depois rápidos). Participante em pé sobre um colchonete, olhar para cima e para baixo.

Leia mais

Objetivos: 1º Ten. QOBM Romeu Tadashi Yagui

Objetivos: 1º Ten. QOBM Romeu Tadashi Yagui 11 Operação com Pranchão de Salvamento Aquático Objetivos: 1. Conhecer as características de um Pranchão de Salvamento Aquático. 2. Cuidados com o equipamento. 3. Remando e passando a zona de arrebentação.

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão. Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão. Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento Lombar - Ponte - Fortalecimento Deitado, vagarosamente eleve os quadris o mais alto possível e mantenha. Dica: Contraia os glúteos e tente diminuir a lordose lombar. Faça 3 série(s) de 25 segundo(s) Lombar

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Paraná

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Paraná ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE Paraná 2 O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de vida diária. Existem cada vez mais evidências

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Campo Mourão

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Campo Mourão ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE Campo Mourão 2 O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de vida diária. Existem cada vez mais evidências

Leia mais

Protocolo de Avaliações

Protocolo de Avaliações Confederação Brasileira de Remo 18/01/2016 Protocolo de Avaliações Sistema Nacional de Avaliação de Remadores Anexo do Boletim Técnico 03/2016 1. PROTOCOLO DAS AVALIAÇÕES NO REMO ERGÔMETRO As avaliações

Leia mais

GUIA NORMATIVO DE ACESSO A PROVAS NACIONAIS INICIAÇÃO NÍVEL 1

GUIA NORMATIVO DE ACESSO A PROVAS NACIONAIS INICIAÇÃO NÍVEL 1 GUIA NORMATIVO DE ACESSO A PROVAS NACIONAIS 1. TESTES DE INICIAÇÃO GERAL Os elementos impostos, que deverão ser acompanhados por um tema musical, poderão ser executados numa ordem aleatória. A música poderá

Leia mais

LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa

LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa LANÇAMENTO DO PESO Técnica Rectilínea Sequência Completa PREPARATION GLIDE DELIVERY RECOVERY DESCRIÇÃO DAS VÁRIAS FASES A Técnica Rectilínea do Lançamento do Peso está dividida nas seguintes fases:,, e.

Leia mais

Lançamento Dardo e do Disco

Lançamento Dardo e do Disco Lançamento Dardo e do Disco Trabalho elaborado por: -Diana Isabel nº2 -Marina Gomes nº10 10ºD 2013/2014 Lançamento Do Dardo O que é? Lançamento de dardo é uma modalidade do atletismo na qual o atleta lança

Leia mais

Treinamento Esportivo.com

Treinamento Esportivo.com Treinamento Esportivo.com 2009 w w w. t r e i n a m e n t o e s p o r t i v o. c o m Página 0 APRESENTAÇÃO Este circuito de peso corporal surgiu anos atrás quando comecei a trabalhar com atletas de tênis

Leia mais

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização Caraterização O é uma modalidade individual, integrada por um conjunto de ações naturais, como são os casos dos saltos,

Leia mais

MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM TRATAMENTO COM TOXINA BOTULÍNICA

MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM TRATAMENTO COM TOXINA BOTULÍNICA MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM Por quê fazer exercícios? Porquê você recebeu um medicamento que age nos músculos, tornando-os mais relaxados, no entanto, se não houver a prática de exercícios físicos

Leia mais

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS Prescrições sobre os extensores Ao realizar um exercício não exceda a elasticidade prescrita na descrição do produto, o elástico atinge o dobro de seu tamanho

Leia mais

INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS

INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS 1 Sexo: - Masculino. (1) - Feminino.. (2) 2 Idade: 3 Estado Civil: - Solteiro (1) - Casado.. (2) - União de Facto (3) - Divorciado..... (4) - Separado..... (5) - Viúvo...

Leia mais

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Anexo III Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Mobilização da articulação do ombro 1 Objectivos: Aumentar a amplitude da mobilização dos ombros e parte superior Modo de execução: na posição

Leia mais

COPA MAIRA AVRUCH GA-GNU REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ESTREANTES FEMININO NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR

COPA MAIRA AVRUCH GA-GNU REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ESTREANTES FEMININO NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR COPA MAIRA AVRUCH GA-GNU REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ESTREANTES FEMININO NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR SALTO VD = pontos DOIS SALTOS IGUAIS - VALE O Salto de extensão com MELHOR SALTO trampolim. Aterrissagem

Leia mais

Exercícios para Perder Barriga em Casa. OS 10 Exercícios para Perder Barriga em Casa

Exercícios para Perder Barriga em Casa. OS 10 Exercícios para Perder Barriga em Casa Exercícios para Perder Barriga em Casa OS 10 Exercícios para Perder Barriga em Casa A construção de uma barriga tanquinho é um sonho para todos. Ele é um dos objetivos principais entre os homens e mulheres.

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 81 Aula U.D. Nº: 3 de 6 Instalações: Pavilhão Data: 14-05-2010 Hora: 9h20m Duração: 35 minutos Unidade Didáctica: Ginástica

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora flexão. Extensão do corpo de barriga para baixo - ADM Ativa / Mobilização

Série criada para: Ciatalgia - piora flexão. Extensão do corpo de barriga para baixo - ADM Ativa / Mobilização Lombar - Abdômen - Alongamento Em decúbito ventral coloque as mãos ao lado e empurre seu corpo para cima até sentir o alongamento. Extensão do corpo de barriga para baixo - ADM Ativa / Mobilização Deitado

Leia mais

Unidade II. Unidade II. Técnica do Nado Crawl

Unidade II. Unidade II. Técnica do Nado Crawl Posicionamento do corpo Permanece na horizontal em decubito ventral, realizando movimentos de rolamentos laterais, em seu eixo longitudinal. Posicionamento da cabeça O rosto fica em contato com a água,

Leia mais

Cinesiologia. Aula 2

Cinesiologia. Aula 2 Cinesiologia Aula 2 Graus de Liberdades de Movimentos São classificados pelo número de planos nos quais se movem os segmentos ou com o número de eixos primários que possuem Um grau de liberdade (uniaxial)

Leia mais

GINÁSTICA DE APARELHOS

GINÁSTICA DE APARELHOS GINÁSTICA DE APARELHOS Plinto O plinto é um aparelho utilizado para a realização de saltos tanto na posição transversal como longitudinal. Segurança: Deve-se verificar se a distância do trampolim ao aparelho

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Mário Santos Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 1 e 2 Aula U.D. Nº: 1 e 2 de 3 Instalações: Pavilhão Data: 13-04-2010 Hora: 10h20min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

Lição 02 Noções de Ergonomografia

Lição 02 Noções de Ergonomografia Lição 02 Noções de Ergonomografia Ergonomografia significa buscar nas características anatômicas, fisiológicas e psicológicas do ser humano a otimização para realizar o trabalho de escrever, usando os

Leia mais

Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Professor:

Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Professor: Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Técnica de remada inclinada Demonstrar aos alunos a maneira correta de utilização e ajustes do material em beneficio de uma maior segurança, iniciando

Leia mais

Grupo I Voleibol (25 pontos)

Grupo I Voleibol (25 pontos) Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2014 1ª FASE PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA Duração da prova: 45 minutos --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

As 11 técnicas fundamentais dos golpes de fundo de quadra

As 11 técnicas fundamentais dos golpes de fundo de quadra As 11 técnicas fundamentais dos golpes de fundo de quadra VERSÃO RESUMIDA Introdução do manual É feito para quem quer resultados, tenistas ou professores! 1 Simples e completo! 11 fundamentos que tratam

Leia mais

CAMINHONEIRORESPONSÁVEL. Volume 3

CAMINHONEIRORESPONSÁVEL. Volume 3 CAMINHONEIRORESPONSÁVEL Volume 3 SET/2012 2 CAMINHONEIRORESPONSÁVEL l Volume 3 Í Índice Capítulo 1 Dicas de Trânsito...3 Capítulo 2 Dicas de Alongamento...5 Capítulo 3 Saúde e Bem-estar...7 Capítulo 4

Leia mais

CAMPEONATO VICÉLIA FLORENZANO. PARTICIPANTES É aberta às ginastas que não tenham participado de Campeonatos oficiais da CBG em 2009 ou anteriores.

CAMPEONATO VICÉLIA FLORENZANO. PARTICIPANTES É aberta às ginastas que não tenham participado de Campeonatos oficiais da CBG em 2009 ou anteriores. CAMPEONATO VICÉLIA FLORENZANO PARTICIPANTES É aberta às ginastas que não tenham participado de Campeonatos oficiais da CBG em 2009 ou anteriores. FAIXA ETÁRIA - 07 e 08 anos, completos no ano da competição

Leia mais

Prof. Maick da Silveira Viana

Prof. Maick da Silveira Viana Regras do Handebol Prof. Maick da Silveira Viana REGRA 1 A quadra do jogo REGRA 2 - A duração da partida A partida de handebol consiste em dois tempos divididos por um intervalo de 10 minutos. A duração

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro Clínica Deckers Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro O QUE É Estes são alguns dos exercícios recomendados com mais freqüência para a terapia do ombro. Eles foram compilados para dar a você,

Leia mais

MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres Música finalidade da bateria/percussão

MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres Música finalidade da bateria/percussão MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres torres@waltertorres.com.br Música finalidade da bateria/percussão Resumo Este artigo tem como objetivo melhorar a absorção de exercícios,

Leia mais

CNE -Agrupamento 1100 Parque das Nações Alcateia 128 Santa Maria do Mar ORIGEM DOS KAYAKS/CANOAS

CNE -Agrupamento 1100 Parque das Nações Alcateia 128 Santa Maria do Mar ORIGEM DOS KAYAKS/CANOAS ORIGEM DOS KAYAKS/CANOAS A canoa é originária dos índios da América do Norte e as primeiras referências a estas embarcações datam do séc. XVI, no Canadá. Apresentam dentro da forma base várias dimensões,

Leia mais

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse plano de treinamento seja liberada. 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª

Leia mais

Professor: Natação com coletes salva vidas.

Professor: Natação com coletes salva vidas. Plano de aula n : 01 Data: 07/08/ dezembro Natação com coletes salva vidas. Demonstrar aos alunos a maneira correta de utilização e ajustes do material em beneficio de uma maior segurança. Local amplo

Leia mais

Massagem Shantala Método de massagem para o bebé

Massagem Shantala Método de massagem para o bebé Massagem Shantala Método de massagem para o bebé Preparativos Para a massagem você vai precisar de: - um produto emoliente (como óleo), de uso exclusivo infantil e dermatologicamente testado pode ser óleo

Leia mais

Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento

Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento Lombar e Quadril E - Abraçar um joelho - Alongamento Deitado, segure embaixo de um joelho e puxe-o em direção ao peito até sentir o alongamento. Com 5 segundo(s) de descanso. Lombar e Quadril D - Abraçar

Leia mais

TAl CHI CHUAN -SQN 104/105

TAl CHI CHUAN -SQN 104/105 1 -CRISTO REDENTOR (abraço universal) 2- SAUDAÇÃO ORIENTAL (respeito e humildade) 3 -MEDITAÇÃO TAl CHI CHUAN -SQN 104/105 PARTE I - ALONGAMENTO 4 -ROT AÇÃO DO TRONCO 1. Abrir mãos alternadas (acompanhar

Leia mais

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ESTAFETAS 192 DOMÍNIO DAS TÉCNICAS III FASE - APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS I- Ensino / Aprendizagem - Aquisição da noção de transmissão, através de jogos. - Aquisição

Leia mais

Parques Desportivos Saudáveis, acessíveis a toda a população. O conceito "Desporto para Todos" finalmente concretizado!

Parques Desportivos Saudáveis, acessíveis a toda a população. O conceito Desporto para Todos finalmente concretizado! Parques Desportivos Saudáveis, acessíveis a toda a população. O conceito "Desporto para Todos" finalmente concretizado! Pag. 1 de 9 Centro Empresarial Ral 2 - Pav. M 2709-503 Terrugem - Sintra Tel.: 21

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA

REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B Faixa etária - 9 e 10 anos, completos no ano da competição. Provas a) Salto (altura da mesa 1,10 metro); b) Barras

Leia mais

Fundamentos do Futebol

Fundamentos do Futebol Fundamentos do Futebol Sumário Apresentação Capítulo 1 O passe 1.1 Passe Simples 1.2 Passe Peito do pé 1.3 Passe com a lateral externa do pé 1.4 Passe de cabeça 1.5 Passe de Calcanhar 1.6 Passe de bico

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 REGULAMENTO

CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 CATEGORIAS FEMININAS: REGULAMENTO Pré-Mirim: até 6 anos Mirim: 7 e 8 anos, completos no ano da competição Pré-Infantil: 09 e 10 anos, completos

Leia mais

The Hundred. MANUAL PoCKet MOVIMENTO RESPIRAÇÃO NOTAS

The Hundred. MANUAL PoCKet MOVIMENTO RESPIRAÇÃO NOTAS MANUAL PoCKet 1 The Hundred básico intermediário avançado Subir e descer os braços em um movimento rápido e coordenado com a respiração; e Contar mentalmente 5 inspirações e 5 expirações fracionadas até

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS MIRIM GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA

REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS MIRIM GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA Federação de Ginástica Artística, Rítmica, Trampolim, Aeróbica e Acrobática do Rio Grande do Sul - FGRS. Filiada à Confederação Brasileira de Ginástica Fundada em 05 de novembro de 2013 REGULAMENTO TÉCNICO

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ 1 ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DA LOUSÃ Objectivo Ser capaz de realizar uma corrida com barreiras - ritmada em velocidade máxima. Princípios a considerar Um barreirista é também um velocista Correr rápido

Leia mais

ASPECTOS TÉCNICOS DO NADO CRAWL

ASPECTOS TÉCNICOS DO NADO CRAWL ASPECTOS TÉCNICOS DO NADO CRAWL MÉTODOS DE ENSINO OBJETIVOS É indispensável que o professor apresente recursos didáticos, e contemplados nos métodos de ensino. Assim o professor conduz a aprendizagem com

Leia mais

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken TÉCNICO CBV SAQUE POR CIMA - Sem SALTO Saque sem salto 1 a ensinar; Técnica geral será utilizada, nos saques com salto TRANSFERÊNCIA. POSTURA

Leia mais

Oito dicas para melhorar a postura corporal em sala de aula

Oito dicas para melhorar a postura corporal em sala de aula Bem-estar do professor Oito dicas para melhorar a postura corporal em sala de aula A rotina de quem ensina exige cuidados com a coluna e com a musculatura corporal. Veja como implementar estes cuidados

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO Ano/Turma 7º/8º/9º Período N.º aulas previstas

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM E REGULAGEM BÁSICA DO ERGOTROL

MANUAL DE MONTAGEM E REGULAGEM BÁSICA DO ERGOTROL MANUAL DE MONTAGEM E REGULAGEM BÁSICA DO ERGOTROL I Conteúdo da caixa: 1. Base com Rodízios 2. Estrutura de Posicionamento 3. Almofada Posterior de Tronco 4. Almofada Posterior de Quadril 5. Mesa regulável

Leia mais

CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO

CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO 154 CROSSCORE 180 MANUAL DO UTILIZADOR GUIA PRÁTICO Manual elaborado por: Fernando Jorge Ferreira da Costa Pedro Miguel da Costa Vidrago Janeiro, 2014 155

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Amadora 3 ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015. Plano de aula

Agrupamento de Escolas da Amadora 3 ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA 2014/2015. Plano de aula Parte Introdutória Plano de aula Etapa: 4ª Etapa Unidade de Ensino: 12ª UE Aula nº: 53 e 54 Ana Lares Data: 11/05/2015 14/05/2015 Turma: 7ºano Duração da aula: 45 90 Nº previsto de alunos: 28 Material:

Leia mais

Rotina Técnica. Elementos Obrigatórios para Solo

Rotina Técnica. Elementos Obrigatórios para Solo FEDERAÇÃO AQUÁTICA DO RIO DE JANEIRO Regulamento Torneio de Rotina Técnica de Nado Sincronizado Categorias Principiante, Infantil, Juvenil, Junior e Sênior - 2015 18 de julho de 2015 Das inscrições: 1.

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL Distribuição Interna ÍNDICE Apresentação 3 O que é Lesão por esforço repetitivo (LER)? 4 Prevenção 5 Dicas para evitar lesões 6 Exercícios 8 Ginástica Laboral

Leia mais

Escola Secundária Braamcamp Freire - Pontinha 2012/2013

Escola Secundária Braamcamp Freire - Pontinha 2012/2013 Plano de Aula Professor: Sandra Cintrão Gonçalves Turma: 7º 2ª Espaço: SG Data: 15/11/2012 Dia: quinta-feira Hora: 8h15 Duração: 90min Nº Aula: 24,25 Unidade Ensino: Etapa: 1 Matérias Abordadas: Ginástica

Leia mais

Ginástica aeróbica no contexto da ginástica Geral. Prof. Dra. Bruna Oneda

Ginástica aeróbica no contexto da ginástica Geral. Prof. Dra. Bruna Oneda Ginástica aeróbica no contexto da ginástica Geral Prof. Dra. Bruna Oneda Ginástica aeróbica Uma combinação da ginástica clássica com a dança. Esta modalidade não pertence ao calendário olímpico, porém,

Leia mais

E-book COLUNA SAUDÁVEL. Dr Thiago Rodrigues

E-book COLUNA SAUDÁVEL. Dr Thiago Rodrigues IMAGINE A VIDA SEM DOR NA COLUNA. E-book COLUNA SAUDÁVEL Dr Thiago Rodrigues DESCUBRA OS EXERCÍCIOS PARA DEIXAR SUA COLUNA SAUDÁVEL COM O FISIOTERAPEUTA DR THIAGO RODRIGUES ESPECIALISTA EM PROBLEMAS DE

Leia mais

Lista 7: Terceira Lei de Newton

Lista 7: Terceira Lei de Newton Lista 7: Terceira Lei de Newton NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. As cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Leia os enunciados com atenção. iii. Responder

Leia mais

Importante: Lista 3: Leis de Newton e Dinâmica da Partícula NOME:

Importante: Lista 3: Leis de Newton e Dinâmica da Partícula NOME: Lista 3: Leis de Newton e Dinâmica da Partícula NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. As cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Ler os enunciados com atenção.

Leia mais

Matéria: CIDADANIA. 1. TROPA É a reunião de dois ou mais alunos, fardados, devidamente comandados.

Matéria: CIDADANIA. 1. TROPA É a reunião de dois ou mais alunos, fardados, devidamente comandados. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2ª Série TURMA(S):

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo

Clínica Deckers. Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo Clínica Deckers Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo O QUE É. Estes são alguns exercícios recomendados com mais freqüência para a terapia do tornozelo. Eles foram compilados para dar a

Leia mais

LEIS DE NEWTON. - Força é um agente físico capaz de deformar um corpo ou alterar a sua velocidade vetorial ou as duas coisas simultaneamente.

LEIS DE NEWTON. - Força é um agente físico capaz de deformar um corpo ou alterar a sua velocidade vetorial ou as duas coisas simultaneamente. AULA 05 LEIS DE EWTO 1- ITRODUÇÃO o estudo da Dinâmica nos preocuparemos com as causas e com as leis da natureza que explicam os movimentos dos corpos. Este estudo está apoiado em três leis elaboradas

Leia mais

Como escrever ou realizar os exercícios de aquecimento

Como escrever ou realizar os exercícios de aquecimento Como escrever ou realizar os exercícios de aquecimento Considerações 1-O alfabeto da Ergonomografia foi desenvolvido para ser utilizado nas folhas padronizadas dos cadernos escolares. 2-Daí as letras que

Leia mais

Avaliação prática Solo

Avaliação prática Solo Avaliação prática Solo Construção de um Exercício com pelo menos 10 elementos diferentes, sendo obrigatório incluir os seguintes elementos; rondada flick flack e salto de mãos (ambos com ajuda de dois

Leia mais

APÊNDICE II POSIÇÕES BÁSICAS

APÊNDICE II POSIÇÕES BÁSICAS Em todas as Posições Básicas: APÊNDICE II POSIÇÕES BÁSICAS Federação Portuguesa de Natação a) A posição dos membros superiores é opcional; b) Pés em flexão plantar; c) Membros inferiores, tronco e pescoço

Leia mais

MANUAL DO TREINADOR NÍVEL I LANÇAMENTO DO DARDO

MANUAL DO TREINADOR NÍVEL I LANÇAMENTO DO DARDO LANÇAMENTO DO DARDO REGRAS DO LANÇAMENTO DO DARDO E ARREMESSO DE BOLA Local da Competição A prova do lançamento do dardo disputa-se na pista de atletismo, numa zona específica que compreende uma pista

Leia mais

Como ter um bumbum que TODO MUNDO Vai Notar! Você já quis melhorar o visual do seu bumbum? Você já quis ter um bumbum bonito, tonificado e atraente como o das modelos? Eu já, então eu desenvolvi uma forma

Leia mais

PROGRESSÕES PEDAGÓGICAS PARA EXERCÍCIOS ACROBÁTICOS DA TRAVE - TEORIA E PRÁTICA

PROGRESSÕES PEDAGÓGICAS PARA EXERCÍCIOS ACROBÁTICOS DA TRAVE - TEORIA E PRÁTICA PROGRESSÕES PEDAGÓGICAS PARA EXERCÍCIOS ACROBÁTICOS DA TRAVE - TEORIA E PRÁTICA Rosangela Marques Busto 1 As séries de trave incluem exercícios acrobáticos e ginásticos. Dentre as primeiras, estão as várias

Leia mais

VELOCIDADE E ESTAFETAS I

VELOCIDADE E ESTAFETAS I VELOCIDADE E ESTAFETAS I 1. Noções básicas sobre provas de Velocidade e de Estafetas Em todas as provas de velocidade e de estafetas há um aspecto regulamentar que é comum a todas as distâncias, a PARTIDA.

Leia mais

O que é Defesa Pessoal?

O que é Defesa Pessoal? DEFESA PESSOAL O que é Defesa Pessoal? Habilitação de tácticas e técnicas sistematizadas e acessíveis a qualquer pessoa pelo treino, dotando-a de mecanismos necessários e suficientes a parar qualquer acção

Leia mais

PORQUE DESENVOLVER FORÇA MUSCULAR?

PORQUE DESENVOLVER FORÇA MUSCULAR? PORQUE DESENVOLVER FORÇA MUSCULAR? Quando se desenvolve músculos mais fortes e resistentes você diminui o desgaste do sistema cardiovascular, economizando energia, pois sua musculatura tem um torque de

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

ENSINO DA PATINAGEM. Formação Continua Desporto Escolar

ENSINO DA PATINAGEM. Formação Continua Desporto Escolar ENSINO DA PATINAGEM Formação Continua Desporto Escolar INICIAÇÃO À PATINAGEM DE VELOCIDADE Lívio Medeiros livio.medeiros@gmail.com Objetivos Conhecer os principais factos da história da Patinagem de Velocidade

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE REMO. SISTEMA NACIONAL de AVALIAÇÃO do REMADOR 2014

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE REMO. SISTEMA NACIONAL de AVALIAÇÃO do REMADOR 2014 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE REMO SISTEMA NACIONAL de AVALIAÇÃO do REMADOR 2014 Protocolo da semana de avaliação Testes de remo ergômetro e de Força Máxima OLIMPICO E PARALIMPICO 1. Protocolo das avaliações

Leia mais

ANEXO V AO EDITAL CBMERJ Nº 001/2015 TESTE DE CAPACIDADE FÍSICA E TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA

ANEXO V AO EDITAL CBMERJ Nº 001/2015 TESTE DE CAPACIDADE FÍSICA E TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA ANEXO V AO EDITAL CBMERJ Nº 001/2015 TESTE DE CAPACIDADE FÍSICA E TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA Os Teste de Capacidade Física e de Habilidade Específica têm o objetivo de selecionar os candidatos cuja

Leia mais

Forma Perfeita Em Poucas Semanas

Forma Perfeita Em Poucas Semanas Forma Perfeita Em Poucas Semanas Quer desenvolver bíceps, tríceps e antebraços fortes como uma rocha? Para isso é só encarar nosso programa de treino de 1 mês. Serão 4 semanas intensas, mas o resultado

Leia mais

EREGULAMENTO ESPECÍFICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA

EREGULAMENTO ESPECÍFICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA CAMPEONATO ESTADUAL 2014 PROVAS FEMININAS:. Salto (altura da mesa) Estreante 1.00m ou 1,10m - Iniciante 1,10m ou 1,20m. - Intermediário 1,20m ou 1,25m. - Avançado - 1,25m.. Barras Paralelas Assimétricas.

Leia mais

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n :16 Data: 01 A 04 MARÇO 2010. Professor: Conhecer os locais de treino.

Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n :16 Data: 01 A 04 MARÇO 2010. Professor: Conhecer os locais de treino. Projeto Meninos do Lago Núcleo de Iniciação Itaipu Binacional. Plano de aula n :16 Data: 01 A 04 MARÇO 2010. Conhecer os locais de treino. Levar aos alunos a conhecer os locais de treino e explicar suas

Leia mais

6 rounds for time (TIMECAP 15 ) 12 Deadlifts 9 Hang Cleans 6 S2OH 15 Hand Release Burpees Synchro (atleta segura barra em front rack)

6 rounds for time (TIMECAP 15 ) 12 Deadlifts 9 Hang Cleans 6 S2OH 15 Hand Release Burpees Synchro (atleta segura barra em front rack) WKND WARS SALVADOR 2016 WOD 01: DT + Burpees 6 rounds for time (TIMECAP 15 ) 12 Deadlifts 9 Hang Cleans 6 S2OH 15 Hand Release Burpees Synchro (atleta segura barra em front rack) Cargas: RX (60/45) Scale(40/25)

Leia mais

Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: Execução: Tempo: Músculos envolvidos

Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: Execução: Tempo: Músculos envolvidos Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: PI - Em pé, MMII unidos, joelhos semiflexionados, MMSS ao longo do tronco. Execução: Flexionar o quadril e o tronco, entrelaçar os dedos na parte posterior

Leia mais

RACE BOOK BMS MINI 19K- MANUAL DO ATLETA

RACE BOOK BMS MINI 19K- MANUAL DO ATLETA RACE BOOK BMS MINI 19K- MANUAL DO ATLETA RESUMO DE PROVA HORÁRIO LOCAL PERCURSO MODALIDADE 6h00 8h30 9h30 Abertura do Parque Ecológico Dom Bosco Abertura do AT Bikes na Arena BMS LARGADA PC 07 ( à esquerda)

Leia mais

Trabalho elaborado por: -Marina Gomes 10ºD nº10

Trabalho elaborado por: -Marina Gomes 10ºD nº10 Trabalho elaborado por: -Marina Gomes 10ºD nº10 O que é? Rapel é uma actividade vertical praticada com uso de cordas e equipamentos adequados para a descida de paredões e vãos livres bem como outras edificações;

Leia mais

Ano 1 Treino II Execução: 21 Dias (2 Meses)

Ano 1 Treino II Execução: 21 Dias (2 Meses) Gin - Syne - 1 / II Por Synesio Saviani Júnior Ano 1 Treino II Execução: 21 Dias (2 Meses) PROGRAMA DE GINÁSTICA 1 / I Tempo do Programa: 21 dias ou 2 meses Objetivo: Ganho de massa muscular, melhora e

Leia mais