IMPLANTAÇÃO DO E-COMMERCE COMO ESTRATÉGIA EFICAZ DE NEGÓCIOS: UM ESTUDO NA EMPRESA GUTCENTER MÁQUINAS DO INTERIOR DO CENTRO OESTE PAULISTA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IMPLANTAÇÃO DO E-COMMERCE COMO ESTRATÉGIA EFICAZ DE NEGÓCIOS: UM ESTUDO NA EMPRESA GUTCENTER MÁQUINAS DO INTERIOR DO CENTRO OESTE PAULISTA"

Transcrição

1 IMPLANTAÇÃO DO E-COMMERCE COMO ESTRATÉGIA EFICAZ DE NEGÓCIOS: UM ESTUDO NA EMPRESA GUTCENTER MÁQUINAS DO INTERIOR DO CENTRO OESTE PAULISTA (IMPLEMENTATION OF E-COMMERCE AS EFFECTIVE BUSINESS STRATEGY: A STUDY IN GUTCENTER MACHINE IN THE CENTER WEST PAULISTA) MARCOS DANIEL GOMES DE CASTRO a,*, RICARDO JOSÉ LOPES GUTIERRES b, FERNANDA SEROTINI GORDONO c a,* Mestre em Engenharia da Produção, Professor da FACOL b FACOL/FAAG 53 c SENAI/ FAAG O presente trabalho tem por objetivo apresentar os fundamentos do e-commerce (comércio eletrônico) e identificar as vantagens de utilizá-lo lo com estratégia de negócios. Com isso, pretende-se sugerir a empresa GutCenter Máquinas, uma empresa de assistência técnicas em produtos destinados a florestas e jardins do centro oeste paulista a sua implantação, pois é uma forma moderna de se negociar, devido as transações não terem fronteiras, uma vez que tudo ocorre via Internet. O e-commerce é atualmente um dos principais segmentos econômicos do e-business e do marketing na internet, proporcionando diversos benefícios para todos os envolvidos: empresa, consumidor e sociedade. Existem algumas razões que justificam seu investimento, como a oportunidade de se tornar visível para qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo e oportunidades de redução de custos. Por isso, é necessário as organizações que desejam crescer e manter-se no mercado, se adaptarem a essa nova forma de negociação, pois permite ao consumidor variedade de produtos, preços e mais conforto nas compras. Palavras-chaves: E-Commerce, Implantação, Vantagens. This paper aims to present the fundamentals of e-commerce (electronic commerce) and identify the advantages of using it with the business strategy. Thus, it is intended to suggest the company GutCenter Machines, a company of technical assistance products for gardens and forests west of São Paulo's center to its implementation, as it is a modern way to negotiate, because the transactions do not have borders, since everything that occurs via the Internet. The e-commerce is currently a major economic segments of e-business and internet marketing, providing many benefits for everyone involved: business, consumer and society. There are some reasons for their investment, and the opportunity to become visible to anyone anywhere in the world and opportunities to reduce costs. Therefore, organizations that want to grow and remain in the market, adapt to this new way of trading is necessary because it allows the consumer range of products, prices and more comfort in purchasing.. Keywords: E-Commerce, deployment, advantages. 1 INTRODUÇÃO

2 54 Com a rápida disseminação da internet, o termo e-commerce ou comércio eletrônico passou a ser utilizado com bastante frequência e diz respeito à comercialização (compra e venda) de produtos ou serviços online. A competitividade e a volatilidade do mercado marcam o passo dos negócios, lançando a organização para além de suas fronteiras físicas, envolvendo-a com seus parceiros de negócios: fornecedores de produtos e serviços, distribuidores, compradores, profissionais etc. Se, a princípio a maioria das empresas entrou na Internet apenas para marcar presença com um site meramente institucional, em seguida, passou a enxergar o meio de maneira estratégica para comercializar seus produtos e serviços, além das oportunidades de oferecer serviços diferenciados que agreguem valor aos seus produtos e serviços. Através de uma loja virtual a empresa pode ter o faturamento igual ou superior ao de uma loja física, devido a loja virtual estar 24 (vinte e quatro) horas por dia, 7 (sete) dias da semana online a espera de um cliente, tornando-se um canal imprescindível para o crescimento de sua empresa. A variedade de produtos tornase maior, indo desde bens de consumo e farmácias até educação à distância, o que possibilita a concorrência entre várias empresas. São vários os benefícios oferecidos pelo e-commerce para a organização, entre eles: a possibilidade de ampliar o número de consumidores e contatos de fornecedores e organizações do mesmo ramo, fornecer informação, fazer demonstração de seus produtos e receber encomendas 24 (vinte e quatro) horas por dia, resultando na autopromoção da empresa. A redução de custos com os funcionários é bastante significante, pois o número de profissionais para a execução do serviço é menor. Para os consumidores alguns benefícios são: a comodidade no processo de compra, já que o consumidor não tem que estar sujeito aos horários de abertura de lojas, espera em filas de atendimento/pagamento ou em filas de trânsito no trajeto até a loja; grande variedade de produtos e preços mais baixos e competitivos, permite ao consumidor ter de forma imediata as informações, serviços e produtos da empresa. A tendência de crescimento deste mercado é baseada pelo aumento de usuários da internet, que a cada ano é maior, outro fator importante é a quebra da insegurança em relação às compras virtuais, os consumidores passaram a ter

3 55 confiabilidade no serviço e com isso compram mais, com conforto e disponibilidade de horário para as compras. O e-commerce não substitui os outros tipos de mercado, mas é um meio facilitador de compras, vendas e pagamentos. Portanto, a organização que deseja se manter e crescer no mercado, precisa competir e estar presente nas melhores formas de mercado. Assim, o presente trabalho pretende sugerir a Gutcenter Máquinas, uma empresa do centro oeste paulista, do ramo de assistência técnicas em produtos destinados a florestas e jardins a implantação do e-commerce como estratégia eficaz de negócio. 2 METODOLOGIA (DESENVOLVIMENTO) Para o desenvolvimento do trabalho, foi escolhido a empresa Gutcenter Máquinas, uma empresa do centro oeste paulista, localizada nas cidades de Lençóis Paulista e Agudos. A empresa é do ramo de assistência técnica em produtos destinados a florestas e jardins. O principal objetivo do trabalho é sugerir a implantação do e-commerce, uma vez que a empresa trabalha com um grande mix de produtos, encarecendo muito seus custos de estocagem e armazenagem. A metodologia utilizada foi o estudo bibliográfico em livros, artigos e trabalhos sobre o assunto (monografias, dissertações e teses), para dar embasamento teórico sobre o assunto. Através das informações coletadas, os autores sugeriram a implantação do e-commerce na empresa estudada como uma ferramenta estratégica de gestão, uma vez que sua utilização poderá diminuir seus estoques e armazenagens, melhorando assim, os custos logísticos e ainda pode fortalecer as parcerias entre a empresa e seus fornecedores. A reunião para a sugestão, foi realizada com dois gestores, no dia 30 de julho de 2014, na própria empresa, na cidade de Lençóis Paulista. Os gestores ouviram atentamente as informações passadas pelos autores e deram um feedback positivo, relatando que a ideia será colocada em seu planejamento para o ano de 2015.

4 2.1 E-COMMERCE 56 De acordo com O brien (2007) comércio eletrônico é a compra e venda por meio digitais, marketing e assistência a produtos, serviços e informações sobre uma multiplicidade de redes de computadores. Ainda segundo o autor é considerado um empreendimento interconectado que utiliza internet, intranets, extranets e outras redes para apoiar cada etapa do processo comercial. Para Limeira (2007), o e-commerce engloba a realização de negócios por meio da internet, incluindo a venda não só de produtos e serviços físicos, entregas offline, isto é, por meios tradicionais, mas de produtos como os softwares, que podem ser digitalizados e entregues online, por meio da internet. Segundo Albertin (2007) o e-commerce é a realização de toda a cadeia de valor dos processos de negócio num ambiente eletrônico, por meio da aplicação intensa das tecnologias de comunicação e informação, atendendo aos objetivos de negócio. Assim, as lojas não precisam ter seu mix de produtos expostos, pois para fazer o e-commerce é necessário fazer parcerias com seus fornecedores (trabalhar just in time), ou estocar os produtos em centros de distribuição, no caso de grandes redes. O e-commerce inclui além da exposição de bens e serviços on-line, a colocação de pedidos, faturamento, atendimento e ainda todo o processamento de pagamentos e transações. Portanto pode-se entender o e-commerce como uma versão eletrônica das lojas físicas, e com vantagem competitiva, uma vez que as empresas que optam por esse tipo de comércio, podem vender absolutamente tudo, em qualquer lugar do mundo, com grande rapidez, eficiência e redução de custos. O principal objetivo desse tipo de comércio é a criação de um novo tipo de ambiente comercial, em que vários passos que intermediam a transação comercial entre o vendedor e o comprador possam ser integrados e eletronicamente automatizados, minimizando os custos da operação. (O BRIEN, 2007). Para se realizar o e-commerce a empresa precisa decidir a melhor forma do cliente de se fazer as transações comerciais, bem como a realização do pagamento.

5 57 Para isso, Yanaze (2007) descreve alguns meios que poderão ser utilizados na realização dos pagamentos. O quadro 1 mostra a descrição. Quadro 1 - Meios de pagamentos Meios de Pagamento É uma modalidade que foi muito utilizado no passado, porém não é muito utilizada atualmente, devido à falta de praticidade, uma vez que o cliente precisa se locomover até um estabelecimento que o receba. Muitas empresas não gostam também de trabalhar Boleto bancário com esse sistema, pois nesse intervalo entre a compra e o pagamento, pode haver o arrependimento e a venda acaba não sendo concretizada. Esse tipo de pagamento não é aconselhado para as empresas que têm como foco os clientes impulsivos. Este é o meio de pagamento preferido entre os clientes que compram pela internet.. As facilidades desse tipo de pagamentos são muitas para os clientes, pois não precisam ir a nenhum local para efetivar o pagamento da compra, podem parcelar suas compras (maioria das Cartão de crédito vezes sem juros), podem comprar e pagar somente no vencimento da fatura, enfim não precisam ter o dinheiro aquele momento para adquirir o bem ou o serviço desejado. Também é a preferida por parte das empresas que trabalham com o e-commerce, pois favorece muito a compra por impulso. Criada em substituição ao depósito bancário, trata-se de uma conexão online entre o lojista e um banco que ofereça esse tipo de serviço, o banco autoriza a Transferência eletrônica de fundos transferência do valor da compra para loja e após essa liberação a compra é finalizada. É um meio de pagamento rápido e seguro e tende a ser cada vez mais utilizado. Essa modalidade pode ser oferecida de duas maneiras: a loja tem um cartão com marca própria, aí a compra fica restrita a uma loja especifica e o outro aberto a várias lojas. Para o lojista, funciona como Cartões de financiamento cartão de crédito normal, com descontos de 5% e pagamento em 30 dias. As compras feitas e pagas nessa modalidade podem oferecer aos clientes facilidades como o pagamento em várias vezes, mas sem a cobrança de juros. Fonte: Adaptado de Yanaze (2007). 2.2 TIPOS DE E-COMMERCE Atualmente, a internet monopoliza o comércio eletrônico. Segundo os ensinos de Albertin (2007), existem vários tipos de e-commerce.. Os mais comuns são: Business to Business (B2B), Business to Consumer (B2C) e Consumer to Consumer (C2C), conforme mostra o quadro 2.

6 Business to business B2B Business to consumer - B2C Consumer to consumer C2C Quadro 2 - Tipos de e-commerce Tipos de e-commerce Sua principal característica são as transações comerciais realizadas entre empresas, ou seja, as empresas utilizam o B2B para se relacionar com seus fornecedores, fazendo pedidos, recebendo e pagando faturas e pagamentos, trocando dados e informações. Esse tipo de modalidade é interessante para as empresas que adotam o e-commerce,, pois não precisam manter estoques em sua empresa, uma vez que terão em seu site o mix de produtos dos fornecedores, além das informações logísticas prazos de como o produto/serviço será entregue ao cliente. Esse tipo de comércio facilita as aplicações de negócios, beneficiando o gerenciamento de fornecimento, estoque, distribuição, canal e pagamento. Possibilitando o aumento da competitividade. É a forma mais comum de comércio eletrônico, é caracterizado pela relação entre a empresa e o consumidor final. O consumidor é uma pessoa física que através de um computador busca informações sobre os produtos e serviços oferecidos. Nesse tipo de comércio a empresa pode cadastrar os produtos e serviços oferecidos de seus fornecedores no site, sem precisar ter estoque, assim que a compra é efetuada, a empresa utilizase do comércio B2B e realiza a transação com seu fornecedor para então fazer a entrega para seu cliente (consumidor final). Esse tipo de comércio não tem fronteiras e como tem maior alcance geográfico, o número de consumidores pode ser elevado. Esse tipo de comércio também oferece algumas vantagens como a prática de preços mais baixos que nas lojas físicas, divulgação da marca, menor tempo de entrega dos produtos e serviços (pois o seu fornecedor pode estar mais próximo de seu cliente e a entrega será mais rápida). É um modelo de negócio onde os consumidores executam negociações entre si, sem que haja empresas diretamente envolvidas. Um exemplo desse comércio são os leilões virtuais, onde os consumidores disputam um produto. Fonte: Adaptado de Albertin (2007) VANTAGENS DO E-COMMERCE O e-commerce traz inúmeras vantagens para as empresas e para os usuários, por isso, muitas empresas que tinham apenas lojas físicas estão investindo cada vez mais no comércio virtual, pois com a utilização da internet quebra-se as barreiras geográficas, possibilitando a conquista de muito mais clientes. Para Yanaze (2007) uma das vantagens que tem atraído os consumidores para este mercado é a facilidade de realizar uma compra, pois no momento em que se sabe o que quer comprar, com poucos cliques do teclado a compra se concretiza, o único trabalho que poderá ter é estar em casa e abrir a porta para receber a encomenda. Segundo Albertin (2007) outros benefícios oferecidos aos consumidores são:

7 Aumento do mix de produtos e serviços oferecidos aumento do poder de escolha; Facilidade sobre as informações dos produtos e serviços oferecidos ficha técnica; Praticidade e rapidez nas compras, evitando a deslocação até um estabelecimento; O consumidor pode efetuar a compra a qualquer momento, não há horas predeterminada; Suporte pré e pós venda; Preços menores; Pagamento eletrônico; 59 são: Para o autor as empresas também podem obter vantagens, as principais delas Aumento do mix de produtos oferecidos; Diminuição dos impostos; Redução de estoques; Redução da mão-de-obra; Comercialização no âmbito global; Publicidade e promoções mais fáceis de realizar; Nome da empresa ligada a multimarcas já reconhecidas no mercado. 2.4 O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR Desde que nascem as pessoas sentem necessidades, desejos e o consumo é uma forma de saciar esses desejos. As pessoas compram produtos ou serviços para satisfazerem suas necessidades. Essas necessidades surgem constantemente, é um ciclo, porque ao comprar um produto hoje, amanhã o mesmo produto surgirá no mercado com novas características e vantagens, daí surge a necessidade de se comprar novamente. Segundo Limeira (2007) o comportamento do consumidor pode ser influenciado de várias maneiras, não só por fatores de natureza pessoal, como personalidade,

8 60 características demográficas, valores e hábitos, mas também por fatores ambientais, situações e marketing.. São exemplos de fatores ambientais a cultura, a classe social, a família, a economia e a tecnologia. As influências de marketing são denominadas como produto, preço, ponto de distribuição e promoção, esses agem como estímulo para provocar as respostas dos consumidores. Outro tipo de influência são os fatores situacionais, por exemplo, o ambiente físico, o tempo e as circunstâncias. Para se entender o comportamento do consumidor, é necessário saber como funciona o processo de decisão de compra, ou seja, como as pessoas escolhem os produtos. O processo de decisão é dividido em quatro etapas: Na primeira, o consumidor identifica sua necessidade, que pode ser influenciada por fatores externos como estímulos do marketing, e por fatores internos, como a fome, cansaço, sede, etc. Após a identificação da necessidade, o consumidor busca informações em várias fontes: as internas, que podem estar retidas na memória e as externas, consultando amigos, familiares, comerciais. Baseado nas informações obtidas, o consumidor analisa, compara as diversas alternativas, maneiras, recursos e os benefícios, características oferecidas por cada um deles. Por fim, a quarta etapa é a tomada de decisão, entendida como a escolha de uma opção entre mais de uma alternativa possível. Esse processo é interferido por vários fatores psicológicos inerentes a cada pessoa, como personalidade, motivação, atitude, percepção e aprendizado etc. O ato de compra pode gerar satisfação ou insatisfação do consumidor. Se satisfeito, o consumidor pode realizar compras repetidas do produto ou serviço, ou seja, se tornar fiel a marca. Por isso é importante que a empresa ofereça realmente o que o consumidor busca, atendendo suas expectativas, pois a insatisfação do consumidor pode fazer com que ele abandone a ideia de comprar o produto ou até mesmo a compra virtual. A inclusão digital da classe social com menos poder de compra foi um fator importante para o aumento do e-commerce,, pois as pessoas que antes não tinham acesso à internet foram apresentadas a facilidade e diversidade de produtos na

9 61 compra através da internet. O principal período de compra no ano é a época de natal. 2.5 REGISTRO DO DOMÍNIO Para ingressar no e-commerce é preciso ter um registro de domínio da empresa, ou seja, o endereço virtual que a empresa utilizará para que os consumidores possam fazer o acesso ao site da empresa. O registro do domínio é realizado através do órgão FAPESP, onde a empresa também poderá fazer consultas para verificar se o domínio que se pretende utilizar, já é usado por outra empresa, pois não pode haver domínios iguais. Também é importante que a empresa faça a sua home page, para que os consumidores efetuem suas consultas e realizem suas compras. A home page é uma das partes mais importantes de uma empresa que opta pelo e-commerce e precisa atraente e de fácil compreensão. As características necessárias para uma home page é ter diversos recursos de imagens, cores e formatos, para atrair os internautas-clientes e deve servir de instrumento para que os internautas-clientes possam obter informações sobre o negócio, produtos e/ou serviços. A home page ou site deve ter um provedor de hospedagem, pois são eles que armazenam os sites. 2.6 O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR E O E-COMMERCE A empresa que fornece serviços ou produtos no mercado de consumo deve observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor, (CDC). É importante saber que o CDC se aplica às operações comerciais em que estiver presente ente a relação de consumo, isto é, no caso em que uma pessoa física ou jurídica adquire produtos ou serviços como destinatário final. Para cumprir as exigências do CDC, a empresa deverá conhecer bem as regras que deverá atender, tais como a forma adequada de oferta e exposição dos produtos, prazo mínimo de garantia, cautela ao se fazer uma cobrança de dívida,

10 62 etc. Por isso é necessário que a empresa esteja atenta, pois o CDC estabelece uma série de direitos e obrigações ao fornecedor e consumidor. Um fator importante e protegido pela legislação é o prazo de arrependimento sobre a compra, esse prazo é um direito que o consumidor virtual tem e deve ser de conhecimento do empresário. O direito estabelece que quando a contratação de fornecimento do produto ou serviço ocorrer fora do estabelecimento comercial, seja por telefone, domicílio ou por internet,, o consumidor tem o prazo de 7 (sete dias) a contar da data da assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, para que se arrependa. Se o consumidor exercer o direito do arrependimento, mesmo sem justificar suas razões, os valores pagos, a qualquer título deverão ser devolvidos com correção monetária. 3 ESTUDO DE CASO A empresa estudada é a Gutcenter Maquinas, sua localização é nas cidades de Lençóis Paulista (matriz) e Agudos (filial), ambas no interior do cento oeste paulista. A empresa é considerada de pequeno porte conforme a definição do O SEBRAE, que utiliza o critério por número de empregados do IBGE como critério de classificação do porte das empresas, para fins bancários, ações de tecnologia, exportação e outros. O quadro 3 mostra a definição de porte da empresa conforme o SEBRAE. Quadro 3 - Definição de porte Comércio e Serviços Porte Número de funcionários Micro até 9 empregados Pequena de 10 a 49 empregados Média de 50 a 99 empregados Grande mais de 100 empregados Fonte: SEBRAE Santa Catarina Fundada em 10 de março de 1996, é uma empresa de administração familiar onde busca junto aos seus colaboradores vender e dar assistência técnicas em produtos destinados a florestas e jardins. A empresa atualmente tem três principais departamentos:

11 63 Departamento de assistência técnica, onde é dada entrada das máquinas para execução dos serviços. Departamento de vendas, onde tem contato direto com o cliente, apresentando os produtos e serviços disponíveis pela empresa. Departamento financeiro, onde tem como objetivo pagamentos e recebimentos de valores, cobrança de clientes, emissão de notas e boletos, e controle de entrada e saída de maquinas e peças. A empresa tem 10 funcionários, o seu organograma é demonstrado na figura 1. Figura 1 - Organograma da GutCenter Máquinas Diretor Gerente Vendedor Técnico de Manutenção Fonte: Adaptado pelos autores Os cargos na empresa são distribuídos: Diretor: a empresa tem 1 (um) diretor que dirige as duas matriz e a filial, é ele quem define o planejamento estratégico da organização. Gerente a empresa tem 1 (um) gerente que gerencia o fluxo de movimento das duas lojas, determinando metas e modelo de administração a ser seguida, também analisa entrada e saída de produtos. Vendedor a empresa tem 2 vendedores, um para cada loja e são responsáveis pelo contato direto com o cliente, apresentando os produtos e serviços disponíveis na empresa. Técnico de manutenção na empresa tem 3 (três) técnicos de manutenção, 2 (dois) deles ficam na loja de Lençóis Paulista e 1 (uma) na loja de Agudos, eles são responsáveis pelo recebimento de maquinas para manutenção, executando assim orçamentos e/ou serviços exigido pelo cliente.

12 64 A empresa tem um mix grande de produtos (ferramentas, abrasivos, equipamentos de segurança) e peças de manutenção, principalmente os voltados para a linha florestal e de jardinagem. E como ela não tem um site para mostrar os produtos e as peças que ela trabalha, é necessário ter um estoque grande e diversificados dos produtos e peças de manutenção para atender as demandas. Assim, a empresa fica com dinheiro parado e deixa muitas vezes de fazer investimento. Através dessas informações recebidas pela empresa, os pesquisadores resolveram então, sugerir que a empresa utilizasse o e-commerce para que não precisem mais ter níveis de estoque elevados. 4 SUGESTÃO E DISCUSSÕES A sugestão da implantação do e-commerce foi dada para que a empresa reduza o seu nível de estoque e também devido ao crescimento significante na economia voltada a internet,, o negócio virtual nunca foi tão ascendente, onde sempre surge novas formas de negócio, com isso não há barreiras para que a empresa faça suas transações comerciais. A principal ferramenta da implantação do e-commerce é a criação de um website, onde cria-se uma vasta vantagem em relação as lojas físicas, e umas das principais são que seu produto fique disponível ao cliente 24 (vinte e quatro) horas por dia, sua divulgação pode ser feita em grande escala, e não mais limitada a uma só região, também acontece uma redução de custos com funcionários, treinamento, publicidade, etc. Com isso pode-se afirmar e concluir que não é só fundamental, mais também inevitável a implantação do e-commerce na empresa esa que tem como meta atingir sempre o crescimento de mercado, e também ampliar cada vez mais os mais variados públicos alvos, já que vem ocorrendo um rompimento da barreira social no mercado virtual, aumentando assim a amplitude de serviços a serem oferecidos aos consumidores. O empreendedor que quer destacar-se se no mercado deve alinhar eficazmente o planejamento aos objetivos da organização, buscando sempre inovar e atualizar

13 65 suas ideias, pois só assim a empresa consolida uma base estável, conseguindo competitividade no mercado. A apresentação do projeto para a implantação do e-commerce aos gestores (diretor e gerente) da empresa aconteceu no dia 10 de maio de 2014, os pesquisadores sugeriram como primeira etapa a montagem de um site de divulgação dos produtos e como segunda etapa a montagem do site já com a opção de vendas para os clientes em geral. Para a primeira etapa, os pesquisadores sugeriram criar um site dinâmico, informativo e com um visual que transmita a informação necessária para seu público consumidor, através de uma visão institucional, servindo de vitrine para a empresa apresentar sua história e sua força nas regiões onde atua. A criação do site será realizada por uma empresa especializada e o custo para criação do site corresponde a um investimento de 1,21% do faturamento mensal da empresa e o custo para manutenção será negociado após a criação. O site será alimentado com os dados que vão desde os dados da empresa, catálogo de produtos e serviços, lista das marcas, local para o cliente se cadastrar, notícias, novidades, lançamentos, fale conosco e posteriormente, formas de pagamento. Os pesquisadores acharam que de início não seria necessário divulgar os preços no site, pois a intenção da primeira etapa é de divulgação da empresa, de seus produtos e serviços. Nessa primeira etapa, os gestores deverão decidir o que irão comercializar no site, portanto foi sugerido que se leve em consideração os produtos e serviços que no geral são mais vendidos na empresa, mostrar produtos marcas reconhecidas no mercado, produtos que tem garantia pelo fornecedor, produtos dentro os padrões e normas de especificações e produtos que se consiga fazer demonstrações em vídeo. Os meios de divulgação do site também é um assunto de importante relevância, por isso deve-se levar em conta: Mala direta por (mail marketing): é o meio mais barato e mais utilizado.

14 66 O conteúdo do deve ser bem elaborado e deve ser respeitar a periodicidade idade de pelo menos uma semana. Sites de busca: meio não tão barato, porém essencial. Existem empresas e profissionais especializados em posicionar bem sua empresa nos sites de busca. Para uma boa divulgação é importante que a empresa apareça pelo menos nas quatro primeiras páginas de pesquisas dos sites mais conhecido de busca. Sites de classificados: sites que permitem classificados online. Alguns exemplos são: Mercado Livre, Lance Final, ListaOnLine, AloNegocios, Classificados de Jornais e HagaH. Links patrocinados: os resultados são orientados através de palavras chaves. O serviço só é cobrado quando seu anúncio é clicado. Sites regionais ou temáticos: este meio de divulgação pode ser o mais barato de todos. A ideia básica consiste em encontrar um portal temático, ou até mesmo portal regional, que contemple assuntos relacionados a seu ramo de atuação. Após a primeira etapa, então foi sugerido a implantação do site já com o formato de e-commerce. Após a explanação aos gestores da empresa sobre as vantagens do e- commerce e como deveria ser sua implantação, o diretor pediu um prazo de 15 (quinze) dias para poder avaliar as informações e após o vencimento do prazo voltou a estabelecer contato com os pesquisadores, dizendo que ficou empolgado com a sugestão de implantação em sua empresa, notificando que sua principal meta para 2015 é implantar esse tipo de comercio, uma vez que o diretor não conhecia seu funcionamento. Portanto será contratada uma empresa especializada em para criação do site da empresa. Um dos motivos relatado pelo diretor que mais o convenceu de levar adiante o projeto foi o fato, dele poder vender seus produtos a várias classes sociais, e também o fato de sua empresa poder ampliar sua área de vendas, onde antigamente era limitada a uma pequena região no interior do centro oeste paulista.

15 5 CONCLUSÕES 67 De acordo com a pesquisa para fazer o referencial teórico, foi possível perceber que o e-commerce é importante para abrir novos clientes e quebrar barreiras geográficas, bem como diminuir os níveis de estoque da empresa, gerando assim mais dinheiro para investimentos na estrutura da empresa, uma vez que não há necessidade de ter estoque físico na empresa. Na realização do estudo de caso, foi possível mostrar para os gestores da empresa GutCenter Máquinas como o e-commerce pode ser implantado e o que deve ser levado em consideração em sua implantação. Após as informações apresentadas, eles receberam a proposta osta dos pesquisadores com entusiasmo e entenderam como necessidade imediata a implantação do e-commerce, através da criação do site conforme foi sugerido. Os gestores informaram ainda que a proposta será colocada no planejamento financeiro do primeiro semestre de 2015 e que sua implantação ocorrerá em duas etapas, sendo a primeira etapa no primeiro semestre e posteriormente a segunda etapa, que ainda não tem data definida para acontecer. Na primeira etapa será criado um site da empresa e os gestores já iniciarão iciarão as negociações com parceiros para que possam mostrar aos clientes os produtos que oferecerão. Já na segunda etapa será escolhido o tipo de transação comercial que será adotada na empresa, bem como condições de pagamento, como será realizado a cobrança e outros fatores que não puderam ser implantados na primeira etapa. Entende-se, portanto que o e-commerce acaba sendo essencial ao crescimento da empresa (alavancar as vendas), por abranger uma grande escala de mercado, proporcionando oportunidade de micros e pequenas empresas buscarem sucesso empresarial, uma vez que não há fronteiras para esse tipo de comércio. 6 REFERÊNCIAS 1. ALBERTIN, A. L. Comércio Eletrônico.. São Paulo: Atlas, CHIAVENATO, I. Introdução a teoria geral da administração. 9. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

16 3. LAUDON, K.C; LAUDON, J.P. Sistemas de informação gerenciais. 7. Ed. SP: Pearson, MARTINS, Y., M.; MIRANDA, P. R. de; MEIRELES G. A. Marketing Eletrônico: Um Estudo Sobre a Importância da Internet no Mundo dos Negócios Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste. Disponível em: Acesso em: 10 ago O`BRIEN, J. Sistemas de Informação e as Decisões Gerenciais. São Paulo: Saraiva, SEBRAE. Serviço de apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Classificação das empresas conforme o porte.. Disponível em:http://www.sebraesc.com.br/leis/default.asp?vcdtexto=4154.acesso em: 10 jul YANAZE, M. H.. Gestão de Marketing: avanços e aplicações. São Paulo: Saraiva, 2007.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O guia online Vitrine de Guarulhos é um dos produtos do Grupo Vitrine X3, lançado no dia 11/11/11 com o objetivo de promover

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof. Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof. Odilon Zappe Jr Vantagens e Desvantagens do Comércio Eletrônico Vantagens Aumento do número de contatos da empresa com fornecedores e com outras empresas do mesmo ramo, e

Leia mais

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC

Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC Wagner K. Arendt Coordenador de TI FCDL/SC sua empresa na Internet A criação de um site é uma regra geral para empresas que querem sobreviver em um mercado cada vez mais agressivo e um mundo globalizado,

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso

Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso Os Sistemas de Informação para as Operações das Empresas e o Comércio Eletrônico Simulado Verdadeiro ou Falso 1. Muitas organizações estão utilizando tecnologia da informação para desenvolver sistemas

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL (Estudo de Caso: Rede Eletrosom Ltda em Pires do Rio - GO) MÁRCIO FERNANDES 1, DÉBORA DE AMORIM VIEIRA 2, JOSIANE SILVÉRIA CALAÇA MATOS

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise externa Roberto César 1 A análise externa tem por finalidade estudar a relação existente entre a empresa e seu ambiente em termos de oportunidades e ameaças, bem como a

Leia mais

Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS².

Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS². Aplicação Web para comércio eletrônico institucional Guilherme CORRÊA¹; Thiago DIAS². ¹Estudante do curso Análise e Desenvolvimento de sistemas. Instituto Federal de Minas Gerais campus Bambuí. Rod. Bambuí

Leia mais

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Comércio Eletrônico FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Definição Toda atividade de compra e venda realizada com recursos eletrônicos; Uso de mecanismos eletrônicos para a

Leia mais

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Comércio Eletrônico. Comércio Eletrônico. Grau de digitalização. Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização: Comércio Eletrônico FTS Faculdade Taboão da Serra Curso de Administração de Sistemas de Informações Disciplina: Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico Caracteriza-se Comércio eletrônico pelo grau de digitalização:

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. Vendas, Loja Virtual e Gestão de Comissões

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. Vendas, Loja Virtual e Gestão de Comissões Bloco Comercial Vendas, Loja Virtual e Gestão de Comissões Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos Vendas, Loja Virtual e Gestão de Comissões, que se encontram no Bloco

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS ON-LINE Alterada dia 13/01/2015-13h00 Venha fazer parte do sucesso de vendas de camisetas que mais cresce na Internet... Já são mais de 100 micro-franqueados e franqueados no Brasil!

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Fundamentos do Sistema de Informação nas Empresas. Objetivos do Capítulo

Fundamentos do Sistema de Informação nas Empresas. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar as cinco áreas dos sistemas de informação que esses profissionais

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. MEUS PEDIDOS

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. MEUS PEDIDOS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. MEUS PEDIDOS Consigo rastrear o minha Compra? Sim. As informações mais atualizadas sobre sua Compra e a situação de entrega de sua Compra estão disponíveis em Meus pedidos.

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 13 E-commerce Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons 15 de Outubro

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Amercian Express, Diners, Hipercard, Aura e Elo.

Amercian Express, Diners, Hipercard, Aura e Elo. TERMO DE CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE PRODUTOS PELA INTERNET Magazine Luiza S/A, pessoa jurídica de direito privado, com sede na cidade de Franca/SP, Rua Voluntários da Franca, nº 1465, inscrita no CNPJ

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net

APRESENTAÇÃO COMERCIAL. www.docpix.net APRESENTAÇÃO COMERCIAL www.docpix.net QUEM SOMOS Somos uma agência digital full service, especializada em desenvolvimento web, de softwares e marketing online. A Docpix existe desde 2010 e foi criada com

Leia mais

DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 2. MBA Gestão de TI. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 2. MBA Gestão de TI. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO COMÉRCIO ELETRÔNICO AULA 2 MBA Gestão de TI Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com 2 3 Um otimista vê uma oportunidade em cada calamidade; um pessimista vê uma calamidade em

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS

E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS Central de Cases E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS www.espm.br/centraldecases Central de Cases E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS Preparado pelo Prof. Vicente Martin Mastrocola, da ESPM SP. Disciplinas

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

Amigo varejista, Boa leitura e aproveite para promover melhorias em sua loja! Conheça o Instituto Redecard:

Amigo varejista, Boa leitura e aproveite para promover melhorias em sua loja! Conheça o Instituto Redecard: Mercearia Amigo varejista, A partir deste mês outubro - o Tribanco traz novidades no Projeto Capitão Varejo, pois conta agora com a parceria do Instituto Redecard. Juntos, irão levar até você mais informação

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios

FATEC Cruzeiro José da Silva. Ferramenta CRM como estratégia de negócios FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Cruzeiro SP 2008 FATEC Cruzeiro José da Silva Ferramenta CRM como estratégia de negócios Projeto de trabalho de formatura como requisito

Leia mais

Boas-vindas ao Comércio Eletrônico. André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes Jan.2014

Boas-vindas ao Comércio Eletrônico. André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes Jan.2014 Boas-vindas ao Comércio Eletrônico André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes Jan.2014 SOBRE A TRAY Sobre a Tray + 10 anos de atuação em e-commerce + 4.500 lojas virtuais + 3MM pedidos processados em

Leia mais

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso!

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso! Fornecedores www.grupoquantica.com Apresentação 2010 A idéia Fundado e idealizado por Cleber Ferreira, Consultor de Marketing e Vendas, autor do livro Desperte o Vendedor Interior com Técnicas de Vendas

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

COMO CRIAR UMA LOJA VIRTUAL?

COMO CRIAR UMA LOJA VIRTUAL? EGC 9003-11 COMÉRCIO ELETRÔNICO PROFESSOR: LUIS ALBERTO GÓMEZ COMO CRIAR UMA LOJA VIRTUAL? ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO Conceito de comércio e seus componentes Perguntas essenciais Passo a passo de como criar

Leia mais

Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com

Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5. Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Comércio Eletrônico e-commerce Aula 5 Prof. Msc. Ubirajara Junior biraifba@gmail.com Introdução Mudança no ambiente empresarial; Ligação com o desenvolvimento de tecnologia da informação. Características

Leia mais

Você sabia que... O pagamento numa loja virtual. Guia #6 Como as formas de pagamento podem interferir nas minhas vendas

Você sabia que... O pagamento numa loja virtual. Guia #6 Como as formas de pagamento podem interferir nas minhas vendas Guia #6 Como as formas de pagamento podem interferir nas minhas vendas Você sabia que... Hoje, 77% dos brasileiros já utilizam cartão de crédito, aponta estudo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil)

Leia mais

Ganhe Dinheiro na Internet

Ganhe Dinheiro na Internet Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br Bem-vindoà versão de demonstração do curso! Vocêpoderá conferir alguns vídeos do curso antes de efetuar sua compra Prof. Dr. José Dornelas www.planodenegocios.com.br

Leia mais

Estratégia e Regras do Negócio: E-Commerce. O que é e-commerce?

Estratégia e Regras do Negócio: E-Commerce. O que é e-commerce? E-Commerce O que é e-commerce? Comércio electrónico ou e-commerce é um conceito aplicável a qualquer tipo de negócio ou transação comercial que implique a transferência de informação através da Internet.

Leia mais

Fundamentos do Comércio Eletrônico

Fundamentos do Comércio Eletrônico Administração e Finanças Uniban Notas de Aula Comércio (e-commerce) Prof. Amorim Fundamentos do Comércio Comércio Mais do que a mera compra e venda de produtos on-line. Engloba o processo on-line inteiro:

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS 1. Sabe-se que o conceito de Sistema de Informação envolve uma série de sistemas informatizados com diferentes características e aplicações, os quais, porém, têm em comum

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO

MARKETING DE RELACIONAMENTO MARKETING DE RELACIONAMENTO 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja.

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja. Com a consolidação do comércio eletrônico no Brasil e mundo, fica cada vez mais claro e a necessidade de estar participando, e mais a oportunidade de poder aumentar suas vendas. Mas é claro que para entrar

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 4.1 4 OBJETIVOS OBJETIVOS A EMPRESA DIGITAL: COMÉRCIO E NEGÓCIOS ELETRÔNICOS Como a tecnologia de Internet mudou propostas de valor e modelos de negócios

Leia mais

Atendimento Virtual Ampla

Atendimento Virtual Ampla 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Atendimento Virtual Ampla Carlos Felipe de Moura Moysés Ampla Energia e Serviços S.A cmoyses@ampla.com André Theobald Ampla Energia e Serviços S.A theobald@ampla.com

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Comércio Eletrônico Um breve histórico Comércio compra, venda, troca de produtos e serviços; Incrementado pelos Fenícios, Árabes, Assírios e Babilônios uso

Leia mais

Sistemas de e-business. Objetivos do Capítulo

Sistemas de e-business. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma empresa, seus clientes e parceiros de

Leia mais

Apresentação comercial

Apresentação comercial Apresentação comercial 1 Dotstore Quem somos 8 anos de mercado Mais de mil clientes ativos Uma das plataformas líderes no país 40 colaboradores Equipe certificada Mais de 150 projetos personalizados por

Leia mais

E-Commerce: os novos caminhos do varejo MANUAL DO CURSO

E-Commerce: os novos caminhos do varejo MANUAL DO CURSO E-Commerce: os novos caminhos do varejo MANUAL DO CURSO ESPM - Campus Vila Olímpia Rua Gomes de Carvalho, 1195 Vila Olímpia São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1)

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Administração Mercadológica

Administração Mercadológica Organização Competitiva e Estratégias de Branding Administração Mercadológica Os elementos do mix de marketing Marketing-mix = Composto de MKt = 4P s Estratégia de produto Estratégia de preço Estratégia

Leia mais

dynam PROPOSTA OFICIAL PARA PPC (Links Patrocinados) publicidadeonline AGÊNCIA SEARCH ENGINE MARKETING Marketing de Busca

dynam PROPOSTA OFICIAL PARA PPC (Links Patrocinados) publicidadeonline AGÊNCIA SEARCH ENGINE MARKETING Marketing de Busca PROPOSTA OFICIAL PARA PPC (Links Patrocinados) dynam publicidadeonline AGÊNCIA SEARCH ENGINE MARKETING Marketing de Busca Av. Carlos Gomes 141 Suite 411 - Porto Alegre. RS Tel. +55(11) 3522-5950 / (51)

Leia mais

WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO

WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO WORKER SISTEMA COMERCIAL PARA COMÉRCIO VAREJISTA E PRESTADORES DE SERVIÇO VILAS BOAS, M. A. A. 1 ; GOMES, E. Y. 2 1- Graduando em Sistemas de Informação na FAP - Faculdade de Apucarana 2- Docente do Curso

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Abril/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Março/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Abril/2015. O mês de março mostrou mais uma queda no faturamento dos

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce;

Objetivos. Universo. Transformação. Administração 10/10/2012. Entender as definições de e-business e e- commerce; Objetivos Administração Profª Natacha Pouget Módulo: Gestão de Inovação e Ativos Intangíveis Tema da Aula: E-Business e Tecnologia da Informação I Entender as definições de e-business e e- commerce; Conhecer

Leia mais

Motivando sua Empresa para o Sucesso

Motivando sua Empresa para o Sucesso Motivando sua Empresa para o Sucesso rev. 06/06 Trabalhando com um time de sucesso Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO EVOLUÇÃO

Leia mais

Transações Monetárias na Internet

Transações Monetárias na Internet Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br) Transações

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET CONCEITOS, OBJETIVOS, BENEFÍCIOS E TENDÊNCIAS Renato Schumacher

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR APRESENTAÇÃO DO TI O Trabalho Interdisciplinar é um projeto desenvolvido ao longo dos dois primeiros bimestres do curso. Os alunos tem a oportunidade de visualizar a unidade da estrutura curricular do

Leia mais

Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma

Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma 1 Identificar cada um dos sistemas de e-business interfuncionais abaixo e dar exemplos de como eles podem fornecer significativo valor para uma empresa, seus clientes e parceiros de negócios: de recursos

Leia mais

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo

Competindo com Tecnologia da Informação. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as diversas estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar a tecnologia da informação para fazer frente às forças competitivas que as empresas enfrentam.

Leia mais

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI 2ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI Patrocinador Principal Patrocinadores Globais APDSI Internet, Negócio e Redes Sociais

Leia mais

Balanço do Crédito do Comércio Varejista

Balanço do Crédito do Comércio Varejista Receitas de Vendas A vista (cartão de débito, dinheiro e cheque) Vendas a Prazo (cartão de crédito, cheque pré-datado, etc.) Total Formas de vendas a prazo que a empresa aceita Cheque Cartão de Crédito

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 02 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN CAPÍTULO 01 continuação Páginas 03 à 25 1 COMPONENTES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO Especialistas

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé?

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé? 1 INTRODUÇÃO As empresas, inevitavelmente, podem passar por períodos repletos de riscos e oportunidades. Com a complexidade da economia, expansão e competitividade dos negócios, tem-se uma maior necessidade

Leia mais

II. Visão Geral do e-business

II. Visão Geral do e-business II. Visão Geral do e-business 1. e-commerce X e-business 2. Vantagens do e-business 3.Problemas na Internet 4. Tipos de e-business 5. Categorias de e-business 6. Ferramentas de Comércio Eletrônico 7. Dimensões

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Sistemas de Informações. Daniel Gondim

Sistemas de Informações. Daniel Gondim Sistemas de Informações Daniel Gondim Roteiro da Aula SPT Sistema de Processamento de Transações Visão geral; métodos e objetivos Atividades no processamento de transações Controle de Administração Aplicações

Leia mais

O que é ERP e suas vantagens

O que é ERP e suas vantagens Sistema 8Box ERP O que é ERP e suas vantagens Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

Microcrédito é a designação para diversos tipos de empréstimos dos quais apontamos as seguintes características:

Microcrédito é a designação para diversos tipos de empréstimos dos quais apontamos as seguintes características: O QUE É MICROCRÉDITO Microcrédito é a designação para diversos tipos de empréstimos dos quais apontamos as seguintes características: Apesar de maiores limites determinados pelo governo, comumente percebemos

Leia mais

emarket Digital Sales é uma empresa de varejo online, especializada na análise, implantação, gestão e operação de lojas virtuais.

emarket Digital Sales é uma empresa de varejo online, especializada na análise, implantação, gestão e operação de lojas virtuais. Nós amamos e-commerce! f emarket Digital Sales é uma empresa de varejo online, especializada na análise, implantação, gestão e operação de lojas virtuais. Além do e-commerce full service, na emarket você

Leia mais

SIAC SISTEMA ITAUTEC DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL

SIAC SISTEMA ITAUTEC DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL SIAC SISTEMA ITAUTEC DE AUTOMAÇÃO COMERCIAL O SIAC é a solução integrada de automação comercial da Itautec para frente de loja. Um sistema que integra toda a área de vendas, fazendo com que a loja trabalhe

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá EPR 806 Sistemas de Informação

Universidade Federal de Itajubá EPR 806 Sistemas de Informação Tipos de Sistemas de Informação Sistemas sob a Perspectiva de Grupos Usuários Sistemas de apoio ao executivo (SAE); Universidade Federal de Itajubá EPR 806 Sistemas de Informação Segundo semestre de 2012

Leia mais

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN O que é o GVN Parceiro: O GVN Parceiro é uma modalidade de parceria de negócios criada pelo Grupo Vila Nova para ampliar sua capilaridade de oferta e garantir que

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

ATENDIMENTO 3D O diferencial para o sucesso em vendas

ATENDIMENTO 3D O diferencial para o sucesso em vendas Perfil... Atuando há 20 anos em vendas Jean Oliveira já viveu na pele cada experiência que essa profissão promove, é especialista com MBA em Estratégias de Negócios e graduado em Tecnologia de Processamento

Leia mais

E-BUSINESS AGENDA. Profª. Kelly Hannel

E-BUSINESS AGENDA. Profª. Kelly Hannel E-BUSINESS Profª. Kelly Hannel AGENDA Evolução da internet nos negócios Conceitos de E-BUSINESS e COMÉRCIO ELETRÔNICO Identificando tendências do E-BUSINESS Quadro das interações possíveis no meio eletrônico

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais...

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... Software www.imagecomnet.com.br Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... A Empresa A Imagecom, uma empresa conceituada no ramo

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

Cobre Bem Tecnologia

Cobre Bem Tecnologia Cobre Bem Tecnologia A Empresa Fundada em 1995, a Cobre Bem Tecnologia, sempre visou produzir softwares que automatizassem cada vez mais as cobranças utilizando para isso uma tecnologia de ponta. Com a

Leia mais

Conhecimentos em Comércio Eletrônico Capítulo 4 CAPÍTULO 4 VISÃO GERAL DO COMÉRCIO

Conhecimentos em Comércio Eletrônico Capítulo 4 CAPÍTULO 4 VISÃO GERAL DO COMÉRCIO CAPÍTULO 4 VISÃO GERAL DO COMÉRCIO PLANEJAMENTO E MODELOS DE E-COMMERCE Uma das principais características do CE é permitir a criação de novos modelos de negócio. Um modelo de negócio é um método que permite

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais