PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO"

Transcrição

1 PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI /2012 Prorrogado para 2013/2014 versão dez/2012 Recife, 19 de dezembro de 2012 PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 1

2 SUMÁRIO Pág Aprovado pelo Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação em 09-dez-2011 e Homologado pela Diretoria Colegiada da Sudene em 15-dez Introdução 03 2 Tecnologia da Informação 04 3 Ambiente de Tecnologia da Informação 06 4 Proposta para Sistemas de Informação Equipamentos Serviços a contratar 12 5 Avaliação e Revisão do PDTI 17 6 Conclusão 18 PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 2

3 1 INTRODUÇÃO O Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI, tem como objetivo a criação de estratégias que promovam a melhoria na qualidade e na disponibilidade de informações e conhecimentos importantes para a Sudene, com base em diagnósticos situacionais e requisições dos usuários (Plano de Ação da Sudene e Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação CESTI). A re-estruturação organizacional da Sudene continua e, neste contexto, a área de TI - Tecnologia da Informação - restrita a Coordenação de Segurança da Informação por força da legislação, elaborou o PDTI 2011/2012, mesmo com a estrutura atual, para viabilizar as contratações de bens e serviços, relativos a Tecnologia de Informação. Este Plano Diretor de TI, aprovado pelo Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação, contempla soluções não concluídas do Plano 2010/2011 e novos projetos de atualização de Equipamentos ( Hardware ) e Sistemas ( Software ), Serviços e Capacitação de usuários. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 3

4 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A área de Tecnologia da Informação tem como competência a coordenação, supervisão e desenvolvimento das atividades relacionadas a TI e como atribuições: I - implementar a Política de Tecnologia da Informação, gerenciando sua aplicação, inclusive no tocante a recursos de informática, sistemas e segurança da informação, em consonância com a estratégia definida pelo Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação (CESTI), mediante um plano integrado de ações; II - promover a articulação com o órgão central do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática SISP, e informar e orientar a Sudene quanto ao cumprimento das normas administrativas estabelecidas, com vistas ao desenvolvimento e a implementação de programas, projetos e ações associadas à Tecnologia de Informação; III - articular e coordenar os processos de elaboração, acompanhamento e a avaliação de sistemas integrados e da rede institucional voltada à organização, produção, disseminação e compartilhamento de informações e conhecimentos, para apoio a tomada de decisões, em consonância com o direcionamento estratégico da Sudene; IV planejar, coordenar e supervisionar as atividades de gestão e desenvolvimento de sistemas informatizados; V planejar, coordenar, avaliar, orientar normativamente e supervisionar o gerenciamento dos serviços de administração da rede, do parque de informática, das bases de dados e do suporte ao usuário dos recursos de Tecnologia da Informação; VI promover a aplicação da tecnologia da informação no desenvolvimento e implantação de soluções, que possibilitem o incremento da produtividade e subsidiem a tomada de decisões; VII coordenar e atualizar, com a participação das demais unidades organizacionais da Sudene, o Plano Diretor de Tecnologia de Informação(PDTI), de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo Comitê Estratégico de Tecnologia de Informação(CESTI); PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 4

5 VIII implementar e administrar o Plano de Segurança de Informação(PSI), em consonância com as recomendações de segurança aprovada pelo Comitê Estratégico de Tecnologia de Informação(CESTI); IX - propor ao Diretor de Administração projetos e ações de Tecnologia de Informação; X - gerir os projetos na área de Tecnologia de Informação; XI - ser responsável pela Gestão do Plano Diretor de Tecnologia de Informação(PDTI); XII - implementar práticas fundamentais para a gestão estratégica da Tecnologia de Informação; XIII - promover a integração das fontes de conhecimento e dos dados corporativos; XIV - participar da formulação de diretrizes, normas e procedimentos que orientem e disciplinem, a utilização dos recursos relacionados à Tecnologia de Informação, bem como verificar o seu cumprimento; XV - promover estudo prévio de viabilidade e exeqüibilidade de solicitação de desenvolvimento de sistemas de informação; XVI - assessorar as demais unidades organizacionais da Sudene no estabelecimento de contratos e convênios com órgãos e entidades visando o intercâmbio de dados disponíveis em sistemas de informação e viabilizar sua implementação; XVII - apoiar a Superintendência, participando do planejamento e da execução de fiscalizações que demandem conhecimentos especializados na área de Tecnologia de Informação; XVIII - Acompanhar e avaliar a execução orçamentária e financeira da unidade; XIX - Promover, em conjunto com a unidade de Recursos Humanos, a capacitação e reciclagem periódica dos servidores da área de Tecnologia de Informação. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 5

6 3 AMBIENTE DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Rede Local da Sudene possui 185 estações de trabalho, algumas com impressoras e scanner, outras com impressoras laser compartilhadas, distribuídas nas Diretorias e assessorias, conforme o quadro abaixo: RELAÇÃO DE EQUIPAMENTOS EM USO Área Computadores Impressoras Estabilizadores Scanners Concentradores GAB AGI ASCOM OUV AUD PRD DAD DFIN DPLAN CPTCE Situação dos Sistemas de Informação existentes na Sudene: Controle de Estoque/Almoxarifado em produção Controle Patrimonial em produção Controle de Suprimentos de Fundos em produção Controle Biométrico de Frequência dos Servidores em produção Incentivos e Benefícios Fiscais (SIBF) em produção Sistema responsável pelo controle do almoxarifado (material de consumo). Sistema responsável pelo controle patrimonial de bens móveis. Sistema com a finalidade de facilitar o Acompanhamento e a Prestação de Contas dos Suprimentos de Fundos. Sistema responsável pelo controle de frequência dos servidores da Sudene. Sistema responsável pela gestão dos Incentivos e Benefício Fiscais, compreendendo a: Redução de 75% do IRPF, Redução de 12,5% do IRPJ, PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 6

7 Gestão de Documentos (NetDoc) em produção WebMail em Produção Intranet em Produção Site em Produção Agenda Corporativa em Produção SACI em Produção Reinvestimento de 30% do IRPJ, Depreciação Acelerada e Incentivada e Isenção do AFRMM. Sistema responsável pela gestão de Documentos da Sudene. Sistema responsável pelo uso do Correio Eletrônico no ambiente Web. Sistema responsável pela gestão da Intranet Corporativa. Sistema responsável pela gestão do Sítio Institucional. Sistema responsável pelo controle da Agenda do Gabinete, Diretorias e Assessorias. Sistema responsável pelo controle, acompanhamento e avaliação dos atendimentos feitos pela área de TI. SERVIÇOS CONTRATADOS (de natureza continuada) FINALIDADE DO SERVIÇO Custo Mensal Custo Anual Acesso dedicado a Internet 5.445, ,28 Locação de No-Break 1.124, ,40 Garantia de Assistência Técnica - Produto WebTop 6.000, ,00 Total , ,68 PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 7

8 REALIZADO - PDTI 2010/2011 Disco para Storage SUN: Foram adquiridas 5 unidades de discos para o Storage, ampliando a capacidade de armazenamento de 600 GB para 1,5 TB. Switches e Interface tipo SFP: Foram adquiridos 3 switchs com interfaces SFP para conexão da Rede ao anexo do Conselho Deliberativo. Servidores de Rede: Foram adquiridos 2 máquinas servidoras, proporcionando uma maior capacidade de processamento, estabilidade e expansibilidade. Projetor de Vídeo: Foram adquiridos 3 projetores para atendimentos as demandas de apresentações e reuniões técnicas da Superintendência. TV Monitor: Foram adquiridos 2 equipamentos, sendo 1 instalado na Sala JK e o outro na Sala de Treinamento multimídia da Informática. Tape Standalone: Foi adquirido 1 unidade de Tape Standalone para uso do Sistema de Backup de arquivos e bases de dados corporativas da SUDENE. Grupo Gerador: Foi adquirido um Grupo Gerador que terá a função de proteger as máquinas servidoras da Rede de Computadores, da falta de energia elétrica, principalmente aquelas ocorridas em fins de semana ou feriados, causando transtornos com a indisponibilidade do Site da Sudene e inoperância da Rede. Antivírus Corporativo: Kaspersky foi a solução antivirus adquirida, com garantia de atualização por um período de 3 anos. Esta solução tem a função de proteger as estações de trabalho de vírus e demais softwares nocivos. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 8

9 4. PROPOSTA PARA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 01. Sistema de Gestão do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (SGFD) Desenvolvimento Este Sistema será responsável pela gestão do FDNE e acompanhará todas as fases do processo, ou seja, carta-consulta, projeto, contratação, liberação, execução e amortização do financiamento. 4.2 EQUIPAMENTOS 01. Impressora Laser Colorida: A aquisição de impressora laser colorida - visa atender, de forma generalizada, às necessidades de impressão em cores, como as de relatórios com gráficos ou de apresentações de slides, demandadas, principalmente, pelas áreas finalísticas da Sudene. Esta visa, também, atender às demandas específicas de áreas que desenvolvem atividades de fiscalização, acompanhamento de convênios e de incentivos fiscais, pois necessitam de equipamento profissional para imprimir fotografias em laudos e pareceres técnicos. 02. Switches de borda: Equipamento necessário para interligação da Rede Local de Computadores da Sudene. Atualmente há um Switch por andar com capacidade máxima de conexão de 24 computadores/impressoras. Exceção apenas, do 13 o andar, onde existem 3 Switches para atender a ala norte(1) e a ala sul(2), com a mesma capacidade de conexão já citada. Necessitamos adquirir 17 Switches (redundantes) para garantir a segurança física da Rede. 03. Switch Core: Trata-se de um equipamento fundamental para aumentar a segurança, disponibilidade e, sobretudo, proporcionar o aumento da performance da Rede de Computadores da Sudene. É o principal equipamento para o efetivo monitoramento e gerenciamento da Rede. Atualmente a Sudene possui um único switch core que, além de obsoleto, possui um número insuficiente de portas de comunicação. É um equipamento de uso crítico, caso venha apresentar algum defeito, a sua inoperância provocaria a paralisação de toda Rede. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 9

10 04. Notebook: Em 2010/2011 a demanda por notebook para uso em viagens foi muito grande. Todos os nossos notebooks já estão fora de garantia e estão defasados tecnologicamente. De um total de 22 notebooks, apenas 8 ainda estão funcionando sem restrições. Com a implantação do Sistema de Incentivos Fiscais, será necessária a aquisição de, pelo menos, dez notebooks para uso nas viagens de vistoria de empreendimentos. A demanda tem crescido, também, nas áreas de Planejamento, Auditoria e de Gestão do FDNE. Assim, estimamos que 25 novos equipamentos seriam suficientes para suprir a demanda em 2011/ Storage: É o equipamento responsável pelo armazenamento de todas as bases de dados da Sudene, como também, pelo armazenamento de todos os arquivos produzidos e disponibilizados na Rede Local. A Rede de Computadores depende deste único equipamento para o armazenamento de todo acervo de dados e informações da Sudene. Em outras palavras, qualquer inoperância do Storage inviabilizaria o acesso aos arquivos e aos Sistemas Corporativos da Sudene e, certamente, causaria grande prejuízo as atividades desenvolvidas pela Autarquia. Esta vulnerabilidade somente poderá ser resolvida com a aquisição de um novo Storage para funcionamento em alta disponibilidade, isto significa que os dois equipamentos funcionariam de forma sincronizada e que na falha de um equipamento, o outro assumiria as operações enquanto o problema não fosse resolvido. Além da garantia de alta disponibilidade, teríamos uma maior capacidade de armazenamento e maior velocidade no acesso, pois estas operações passariam a ser feitas por duas máquinas. 06. Computadores Desktop : A Sudene possui atualmente em uso 40 computadores adquiridos em Esses computadores já não possuem assistência técnica em razão da sua obsolescência. Metade destes computadores operam com restrições de funcionamento, assim, para evitar a falta de computadores para uso dos servidores no exercício de suas atividades, em 2012 deverão ser adquiridos 40 computadores para substituição das referidas máquinas obsoletas. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 10

11 07. Computadores portáteis: Com o objetivo de proporcionar aos gestores da Sudene maior facilidade de comunicação, como também, maior produtividade e mobilidade no cumprimento das atividades gerenciais, faz-se necessário a aquisição de 20 computadores portáteis (tablet PCs). RESUMO DOS CUSTOS COM EQUIPAMENTOS Prioridade Denominação do Material Item Qtd. Unidade Custo estimado R$ 1 Switch Core Equip Storage Equip Switch de borda (Contingência) Equip Impressora Laser colorida Equip Notebook Equip Computador desktop Equip Computador portátil (tablet PC) Equip Total PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 11

12 4.3 SERVIÇOS A CONTRATAR 01. Análise de Vulnerabilidades: Trata-se de um serviço fundamental para aumentar a segurança do acervo de informações disponíveis na Rede de Computadores da Sudene. Toda organização necessita de uma infraestrutura de redes muito bem elaborada. O objetivo da análise de vulnerabilidade é reduzir o risco em relação aos incidentes de segurança, seja tanto na rede interna quanto na exposição a internet. É necessário detectar essas possíveis vulnerabilidades e corrigi-las para garantir que a rede esteja em um nível de segurança adequado. A análise de vulnerabilidade visa detectar falhas em diversos componentes tais como: aplicações, softwares, equipamentos, sistemas operacionais, dentre outros. O processo de verificação e análise da rede deve ser continuamente realizado para que a mesma fique sempre atualizada e livre de acessos não permitidos e indesejáveis. Existem vulnerabilidades de Sistema Operacional (Windows, Linux, Solaris, entre outros), de aplicativos (browsers, instant messengers, media players, entre outros), humanas (por exemplo, ataques de engenharia social). Assim, durante a análise de vulnerabilidades é realizada uma verificação detalhada do ambiente computacional da Instituição, verificando se o ambiente atual fornece condições de segurança compatíveis com a importância estratégica dos serviços que fornecem ou desempenham. A análise de vulnerabilidade sobre os ativos da informação compreende Tecnologias, Processos, Pessoas e Ambientes; Como benefícios deste processo, esperamos reduzir o risco de ataque a Rede Local de Computadores e, consequentemente, proporcionar maior confiabilidade ao nosso ambiente computacional. 02. Assistência Técnica ao produto ViaProxy : O ViaProxy é um produto (software) adquirido em 2007 e responsável pelo controle de acesso aos nossos Sistemas Aplicativos disponíveis na Intranet e Internet. O produto realiza o controle de acesso mediante a autenticação baseada em Certificados Digitais. Dessa forma, o produto garante a autenticidade do usuário, como também, garante a criptografia dos dados trafegados entre o usuário e o nosso servidor de aplicações. Todavia, ao adquirirmos este software em 2007, PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 12

13 por razões orçamentárias, não adquirimos extensão de garantia que assegura a assistência técnica ao produto durante o período contratado. É uma ferramenta importante para a segurança da informação de nossos Sistemas, principalmente, aqueles disponíveis na internet. 03. Garantia de assistência técnica aos servidores de Rede : Serviço fundamental e imprescindível para garantir o funcionamento ininterrupto dos servidores da Rede de Computadores da Sudene. 04. Serviço para desenvolvimento e implantação do Sistema de Gestão de FDNE(SGFD): Este serviço representa a segunda etapa do processo de desenvolvimento e implantação do Sistema de Gestão do FDNE. O custo deverá ser rateado entre a Sudene e a Sudam, da mesma forma como foi feita a contratação do Projeto Básico, considerando que o produto final (Sistema) será utilizado pelas duas Autarquias. 05. Manutenção do Portal Capacita Nordeste: A SUDENE e PacTc-PB, por meio de convênio, criaram uma ferramenta web para a coleta de informações sobre capacitação dos estados da área de atuação dessa autarquia. Para sua continuidade há a necessidade de adequar o padrão de segurança de acesso ao site. 06. Atualização de versão do produto NetDoc: O Sistema NetDoc foi implantado em É responsável pela gestão de Documentos, com protocolo eletrônico e recursos de workflow configuráveis. 07. Manutenção corretiva e evolutiva do Sistema de Incentivos e Benefícios Fiscai SIBF: Sistema implantado em 2010, responsável pela gestão dos Incentivos e Benefício Fiscais, compreendendo: Redução de 75% do IRPF, Redução de 12,5% do IRPJ, Reinvestimento de 30% do IRPJ, Depreciação Acelerada e Incentivada, e Isenção do AFRMM. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 13

14 08. Atualização de versão do MS Office 97 para o Office 2010: O produto MS Office em uso na Sudene, foi adquirido em De lá para cá, fizemos várias tentativas de uso de ferramentas gratuitas com o OpenOffice e o BrOffice, que resultaram em completo fracasso. Primeiramente, podemos citar que a cultura dos servidores no uso do MS Office foi um dos principais motivos pela rejeição a alternativa gratuitas, pois, desde 1993, utilizamos o Word e o Excel. Um outro fator que contribuiu fortemente para não aceitação da versão gratuita foi a dificuldade e até mesmo, a impossibilidade de uso de algumas funções disponíveis no Excel e não compatível nas versões gratuitas. Se avaliamos um uso mais específico, como no caso do Access, a situação é bem pior. Por outro lado, as opções gratuitas do produto, que num primeiro momento, sinaliza a possibilidade de custo zero, na verdade esconde vários custos que não teríamos se mantivéssemos o Ms Office como ferramenta padrão, pois, neste caso, não teríamos os custos de assistência técnica e treinamento (básico e avançado) para todos os servidores da Sudene, para uso do produto. Estes custos, certamente, seriam bem maiores se comparados com a simples atualização do produto que já utilizamos há 19 anos. 09. Aumento de velocidade do link de acesso a internet: Atualmente a Sudene utiliza dois links de acesso dedicado de 2 Mbps. É notório que esta velocidade de acesso já não atende as necessidades desta Autarquia, principalmente porque, freqüentemente, mais de cem usuários estão conectados simultaneamente a internet. Isto provoca um alto tráfego em nosso link, resultando em um acesso lento e em muitos casos a perda da conexão. Considerando o fato de que utilizamos, cada vez mais, um número maior de Sistemas, tais como SIAFI, SIASG, SIAPE, SIGPLAN, SICONV, SCDP, dentre outros Sistemas Federais, é imprescindível que tenhamos um link de acesso de maior velocidade, no mínimo 50 Mbps, para que possamos atender às necessidades básicas de acesso aos Sistemas e demais informações de interesse organizacional. Além do aumento de velocidade no link de acesso fixo à Internet, é necessária a contratação de serviço de acesso 3G para 20(vinte) equipamentos (notebook/tablet) para uso de gestores e técnicos em viagens à serviço. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 14

15 10. Atualização de versão do Dicionário Aurélio (nova ortografia): O dicionário Aurélio em uso na Rede de Computadores, foi adquirido em Trata-se da versão 3.0 do produto. Considerando o uso frequente deste dicionário pelo servidores da Sudene, faz necessária a atualização do dicionário com base na nova ortografia, versão Software para virtualização de máquinas servidoras: A tecnologia de virtualização de máquina é usada para consolidar várias máquinas físicas em um único dispositivo físico. A função de virtualização possibilita a redução de custos com a criação de um centro de dados ágil e dinâmico. As principais vantagens que a virtualização de máquinas servidoras permitem são: Redução de custos: necessita-se de menos hardware (menos dispositivos físicos, como computadores, switches etc.) para gerenciar uma rede; Segurança: as VM s (virtual machines) são isoladas e independentes umas das outras; Melhor aproveitamento do espaço físico: com menos máquinas a necessidade de espaço diminui; Redução do consumo de energia: devido a redução na quantidade de dispositivos; Consolidação de servidor: possibilita a redução da quantidade de servidores físicos, diminuindo o custo de propriedade da máquina, consolidando cargas de trabalho e reduzindo os custos de gerenciamento. Ambientes de desenvolvimento e teste: permite a criação um ambiente mais flexível e fácil de gerenciar, maximizando o hardware de teste, reduzindo custos, melhorando o gerenciamento do ciclo de vida e melhor cobertura dos testes. Gerenciamento de continuidade de negócios: possibilita eliminar o impacto de tempos de inatividade programados e não programados, como também, permite a capacidade de recuperação de desastres com recursos como a Migração ao Vivo e clustering de host. Centro de dados dinâmico: a virtualização possibilita a criação de uma infraestrutura mais ágil, combinada com novos recursos de gerenciamento, que permite a movimentação de máquinas virtuais sem causar impacto sobre os usuários. Facilidade ao migrar ambientes: evita reinstalação e reconfiguração dos sistemas a serem migrados; PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 15

16 Melhor aproveitamento do hardware: com o compartilhamento de hardware entre as VM s numa mesma máquina, reduz-se a ociosidade do mesmo; 12. Software para virtualização de PCs: É cada vez maior o número de empresas que estão optando pelo uso de thin clients ao invés de novos investimentos em estações de trabalho com PCs, devido a vários comparativos de uso das tecnologias como tempo de vida, economia de energia, manutenção, segurança e outros fatores que contribuem para a redução do custo total de propriedade (TCO). Estudos recentes revelam que, dependendo da aplicação e, principalmente, do nível de gerenciamento, o custo total de propriedade de uma arquitetura centralizada em servidores, com thin clients como estações-cliente, fica entre 12% e 48% menor do que se a opção for pelos ambientes com PCs nas mesas dos usuários. O thin client é uma solução que reduz o custo total de propriedade. A vida útil de um terminal magro é bem maior do que a de um PC, podendo chegar a até dez anos, segundo os fabricantes, enquanto nos PC s convencionais isso se reduz para 3 anos em média. Como todas as aplicações estão centralizadas no servidor, basta atualizar o equipamento. Usando o thin client, se ocorrer defeitos, basta substituir o terminal por outro, praticamente sem interrupção do trabalho ou a necessidade de recuperar os dados do disco rígido, como ocorre nos PCs. A economia de energia é outro fator importante. Um thin client consome 10 Watts de energia enquanto uma estação de trabalho comum consome 250 Watts. Informações contidas no site da empresa Add IT Soluction, enumeram vários benefícios da virtualização de desktops: Reduzir os custos de aquisição e manutenção dos desktops; Reduzir custos com espaços e com energia elétrica; Aumentar a produtividade dos usuários; Ganhar mobilidade de acessos externos; Aumentar a segurança: com o thin client o usuário não baixa arquivos contaminados nem programas que comprometem a produtividade; Centralizar os dados corporativos; Facilidade de backups e restauração; Melhorar a administração da rede e ganhar em economia com pessoas para suporte; Não permitir o uso de softwares desautorizados e não homologados; Economia com links dedicados e de internet; Menor largura de Banda; Alta disponibilidade de serviços; PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 16

17 13. Aquisição do software AutoCAD: O AutoCAD é um programa (software), que se enquadra no conceito de tecnologia CAD ( Computer Aidded Design", ou seja, Desenho Assistido por Computador) e é utilizado mundialmente para a criação de projetos em computador. Nos últimos dois anos, a Sudene vem demandando o uso deste produto para visualização de projetos de engenharia na área de gestão do FDNE, como também, em áreas que fazem a gestão de convênios. 14. Aquisição de solução de videoconferência: A solução de videoconferência, é uma tecnologia que permite o contacto visual e sonoro entre pessoas que estão em lugares diferentes, dando a sensação de que os interlocutores encontram-se no mesmo local. Esta solução possibilitará a realização de reuniões com mais frequencia e praticidade entre o Ministério da Integração Nacional e suas vinculadas, sem a necessidade de serem reuniões presenciais, o que gera economia de tempo e, principalmente, redução de despesas com diárias e passagens. RESUMO DOS CUSTOS COM SERVIÇOS Prioridade Descrição do Serviço Item Custo anual estimado ( R$ ) 1 Garantia de assistência técnica aos servidores de Rede Atualização - NetDoc Serviço para desenvolvimento e implantação do Sistema de Gestão de FDNE(SGFD): Manutenção corretiva e evolutiva do SIBF Atualização de licenças do MS Office 97 para o Offife Solução de videoconferência Manutenção do Portal Capacita Nordeste Análise de Vulnerabilidades Aumento de velocidade do link de acesso a internet Atualização do Dicionário Aurélio (nova ortografia) Atualização - ViaProxy Aquisição de licença de uso do AutoCAD Virtualização de máquinas servidoras Virtualização de PCs Total PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 17

18 5 AVALIAÇÃO E REVISÃO DO PDTI Durante o período de vigência deste PDTI, o Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação poderá realizar reuniões para revisar, avaliar e, quando for o caso, realizar modificações no planejamento, objetivando uma melhor adequação dos recursos orçamentários, face as possíveis mudanças de prioridades e o surgimento de novas demandas. Para efetividade das alterações aprovadas em reuniões do Comitê, deverá ser elaborada uma Nota Técnica sobre as modificações e submetida à deliberação da Diretoria Colegiada. O PDTI e suas respectivas alterações deverão ser publicados na Intranet. 6 CONCLUSÃO Desta forma, pretende-se que o PDTI desempenhe seu papel estratégico na instituição, agregando valor aos seus produtos e serviços e auxiliando a promoção das inteligências competitivas e institucionais, à medida que seus recursos computacionais possibilitem a geração de cenários decisórios produzidos com as informações oportunas e com os conhecimentos personalizados. Os resultados esperados para o cumprimento deste Plano Diretor de Tecnologia da Informação, são entre outros: 1. O crescimento ordenado e a economia dos recursos de informação e informática; 2. Facilidade no intercâmbio de informações; 3. Atendimento eficiente ao usuário, através do acompanhamento contínuo e da criação de Sistemas de Informação a exemplo do SACI (Serviço de Atendimento centralizado da Informática); 4. Gerenciamento eficiente da rede, com maior segurança, criada por uma política de segurança da Informação; 5. Motivação da equipe técnica e gerencial; 6. Capacitação orientada as reais necessidades dos usuários e aos recursos existente na área de tecnologia da Informação. PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 18

19 A não aplicação ou aplicação parcial, deste PDTI, implicará na dificuldade de controle dos serviços prestados atualmente pela área de TI, na insatisfação do usuário, em processos obsoletos (incluindo documentação desatualizada), implantações sem planejamento com geração de falhas de implementação, na falta de motivação da área técnica, devido ao aumento de manutenções corretivas, entre outras decorrentes do não cumprimento deste PDTI. Este PDTI foi elaborado pela área de Tecnologia da Informação (Coordenação de Segurança da Informação) e aprovado pelo Comitê Estratégico de Tecnologia da Informação CESTI, em 09 de dezembro de A Diretoria Colegiada da SUDENE, na 93 a reunião, sessão realizada em 15 de dezembro de 2011, homologou o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2011/2012. A área de TI solicitou a prorrogação deste PDTI, em 17 de dezembro de 2012, até a elaboração e aprovação do PEI planejamento estratégico institucional quando então serão elaborados o PETI planejamento estratégico de TI e o novo PDTI plano diretor de TI. A prorrogação do PDTI 2011/2012 para o período de 2013/2014, foi aprovada pela Diretoria Colegiada, na 125 a reunião, sessão realizada em 19 de dezembro de PDTI 2013/2014 (versão dez/12) 19

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI - 2010/2011 versão dez/2010 Recife, 16 de dezembro de 2010 PDTI Aprovado 2010/2011 pelo (versão Comitê Estratégico dez/10) de Tecnologia da Informação em

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação

Departamento de Tecnologia da Informação Departamento de Tecnologia da Informação Objetivos O DTI é o departamento responsável por toda a arquitetura tecnológica do CRF- SP, ou seja, compreende todo o conjunto de hardware/software necessário

Leia mais

OBJETIVOS DA APRESENTAÇÃO

OBJETIVOS DA APRESENTAÇÃO Institucional OBJETIVOS DA APRESENTAÇÃO Apresentar as vantagens de se trabalhar com Thin Clients Apresentar como funciona a tecnologia Server Based Computing, Virtualização de Desktop e Aplicativos EVOLUÇÃO

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Organização de arquivos e pastas

Organização de arquivos e pastas Organização de arquivos e pastas Pasta compara-se a uma gaveta de arquivo. É um contêiner no qual é possível armazenar arquivos. As pastas podem conter diversas subpastas. Definir a melhor forma de armazenamento

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Tecnologia da Informação Estrutura CTI Infraestrutura e Telecomunicações Suporte Técnico CTI Contratos Desenvolvimento de Sistemas 2 0 0 7 equipe técnica insuficiente. equipamentos obsoletos.

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA

Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA Artigos Técnicos Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA Tarcísio Romero de Oliveira, Engenheiro de Vendas e Aplicações da Intellution/Aquarius Automação Industrial Ltda. Um diagnóstico

Leia mais

Replicação de dados Qual modo escolher? Síncrono ou assíncrono? por Diego Salim De Oliveira

Replicação de dados Qual modo escolher? Síncrono ou assíncrono? por Diego Salim De Oliveira Replicação de dados Qual modo escolher? Síncrono ou assíncrono? por Diego Salim De Oliveira A replicação síncrona de dados é, sem sombra de dúvida, o sonho de muitos gestores de TI, de Negócios, e principalmente

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA Art. 1º. A Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação SETIC é um Órgão Suplementar Superior

Leia mais

Projecto de Reengenharia dos Postos de Trabalho BANIF e BCA

Projecto de Reengenharia dos Postos de Trabalho BANIF e BCA Projecto de Reengenharia dos Postos de Trabalho BANIF e BCA 19 November 2007 Objectivos para o BANIF Standardização dos postos de trabalho Focar a equipa de IT em tarefas pro-activas de gestão, minimizando

Leia mais

Capítulo XIII SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Capítulo XIII SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Capítulo XIII SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO FINALIDADE A Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação, órgão de direção especializada, subordinada ao diretor-geral da Secretaria

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

Guia de vendas Windows Server 2012 R2

Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Por que Windows Server 2012 R2? O que é um servidor? Mais do que um computador que gerencia programas ou sistemas de uma empresa, o papel de um servidor é fazer com

Leia mais

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente,

PORTARIA Nº 7876. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que lhe confere a Legislação vigente, PORTARIA Nº 7876 Dispõe sobre a Norma PSI/N.0001 - Utilização da Estação de Trabalho, nos termos dos arts. 20 e 24, da Resolução nº 041/2010-SPDE. O PREFEITO DE JUIZ DE FORA, no uso das atribuições que

Leia mais

Serviços do Prodasen. Estrutura de atendimento... 5. Central de Atendimento... 6. Gerente de Relacionamento... 7. Infra-estrutra de Rede...

Serviços do Prodasen. Estrutura de atendimento... 5. Central de Atendimento... 6. Gerente de Relacionamento... 7. Infra-estrutra de Rede... Serviços do Prodasen Estrutura de atendimento... 5 Central de Atendimento... 6 Gerente de Relacionamento... 7 Infra-estrutra de Rede... 9 Gestão de Equimentos... 9 Serviços de apoio... 10 Outros serviços...

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Artigo: Virtualização de Storages

Artigo: Virtualização de Storages Artigo: Virtualização de Storages por Diego Salim De Oliveira Primeiramente, é importante separar Storages com Características de Virtualização, de Virtualização de Storages. Storages com características

Leia mais

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 13 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PADRONIZAÇÃO DOS RECURSOS DE T.I. 4 5. AQUISIÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DTI PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA - 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS 2. CENÁRIO ATUAL DE TI 2.1. AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DO CENÁRIO

Leia mais

PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013.

PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013. PORTARIA N Nº 189 Rio de Janeiro, 17 de Abril de 2013. ACRESCENTA À ARQUITETURA DE PADRÕES TECNOLÓGICOS DE INTEROPERABILIDADE -, NO SEGMENTO DISPOSITIVOS DE ACESSO, O PADRÃO TECNOLÓGICO CONFIGURAÇÃO MÍNIMA

Leia mais

Migração para Software Livre Administração da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira

Migração para Software Livre Administração da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira Migração para Software Livre Administração da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira Valdir Barbosa valdir@adm.feis.unesp.br Outubro 2009 Agenda Motivação Objetivos Projeto Piloto /Treinamento Aplicativos

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Licenciamento de estações de trabalho Windows para Ambientes VDI

Licenciamento de estações de trabalho Windows para Ambientes VDI Microsoft VDI e Windows VDA Perguntas Frequentes Licenciamento de estações de trabalho Windows para Ambientes VDI Como a Microsoft licencia o Windows das estações de trabalho em ambientes virtuais? A Microsoft

Leia mais

Benefícios do Windows Server 2008 R2 Hyper-V para SMB

Benefícios do Windows Server 2008 R2 Hyper-V para SMB Benefícios do Windows Server 2008 R2 Hyper-V para SMB Sumário Introdução... 3 Windows Server 2008 R2 Hyper-V... 3 Live Migration... 3 Volumes compartilhados do Cluster... 3 Modo de Compatibilidade de Processador...

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS BÁSICOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO Relatório de Gestão 2011 GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA UTFPR A Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação (DIRGTI) é responsável pelas atividades

Leia mais

Universidade Utiliza Virtualização para Criar Data Center Com Melhor Custo-Benefício e Desempenho

Universidade Utiliza Virtualização para Criar Data Center Com Melhor Custo-Benefício e Desempenho Virtualização Microsoft: Data Center a Estação de Trabalho Estudo de Caso de Solução para Cliente Universidade Utiliza Virtualização para Criar Data Center Com Melhor Custo-Benefício e Desempenho Visão

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do Sisloc

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do Sisloc Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do Sisloc Sumário: 1. Pré-requisitos de instalação física e lógica do Sisloc... 3 Servidores de Dados... 3 Servidores de Aplicação (Terminal Service)... 3

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

O poder da colaboração e da comunicação baseadas na Nuvem

O poder da colaboração e da comunicação baseadas na Nuvem O poder da colaboração e da comunicação baseadas na Nuvem O Microsoft Office 365 é a suíte de Produtividade da Microsoft, que oferece as vantagens da Nuvem a empresas de todos os tamanhos, ajudando-as

Leia mais

DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005

DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005 DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005 Dispõe sobre o Conselho Municipal de Informática, o Sistema de Tecnologia da Informação, a aquisição e a contratação de bens e serviços de informática. JOSÉ SERRA,

Leia mais

SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ:

SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ: Dados da Empresa Dados da SYSTEMBRAS SISTEMAS BRASILEIRO EM INFORMÁTICA CNPJ: 00.000.000/0001-00 Rua Paramoti, 04 Vila Antonieta SP Cep: 03475-030 Contato: (11) 3569-2224 A Empresa A SYSTEMBRAS tem como

Leia mais

Renovação e Modernização de Estações de Trabalho da

Renovação e Modernização de Estações de Trabalho da INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Renovação e Modernização de Estações de Trabalho da I. Finalidade Esta Instrução de Serviço (IS) define a política para disponibilização de estações de trabalho para uso por empregados

Leia mais

KeeP Desenvolvimento e Tecnologia

KeeP Desenvolvimento e Tecnologia KeeP Desenvolvimento e Tecnologia Transformar Necessidade em Realidade! KeeP Integrando Soluções: Conectando pessoas, processos e dados. KeeP-Backup Nós da KeeP desenvolvemos uma solução de backup/clonagem

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux.

O relacionamento direto com o cliente, respeito mútuo, responsabilidade, flexibilidade e adaptabilidade são os principais valores da Infolux. A NOSSA HISTÓRIA A Infolux Informática possui seu foco de atuação voltado para o mercado corporativo, auxiliando micro, pequenas e médias empresas na tarefa de extrair o máximo de benefícios com investimentos

Leia mais

Workshop de Virtualização de Desktops. Braga, 12 de Junho de 2013

Workshop de Virtualização de Desktops. Braga, 12 de Junho de 2013 Workshop de Virtualização de Desktops Braga, 12 de Junho de 2013 AGENDA AGENDA 09h30 Welcome Coffee Sala contígua ao Auditório do ILCH-UMinho, no piso 0 09h50 Boas Vindas Luís Costa, Senior Account Manager,

Leia mais

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC

Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Executando o Modo Windows XP com Windows Virtual PC Um guia para pequenas empresas Conteúdo Seção 1: Introdução ao Modo Windows XP para Windows 7 2 Seção 2: Introdução ao Modo Windows XP 4 Seção 3: Usando

Leia mais

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 1. Comunicação Institucional a. Portal UFABC b. Aplicativos para Smartfone c. Eventos d. WEB TV e. Portal do Aluno f. Portal do Professor g. Páginas de

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

PJe-Processo Judicial Eletrônico. Gestão 2013/2015. Ministro Carlos Alberto Reis de Paula

PJe-Processo Judicial Eletrônico. Gestão 2013/2015. Ministro Carlos Alberto Reis de Paula PJe-Processo Judicial Eletrônico Gestão 2013/2015. Ministro Carlos Alberto Reis de Paula Agenda 1 O PJe no Brasil 2 Desafios 3 4 Ações Estruturantes Próximos Passos Os números do PJe no Brasil Número de

Leia mais

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC Sumário Pré-Requisitos de Instalação Física e Lógica do SISLOC...3 Servidores de Dados...3 Servidores de Aplicação (Terminal Service)...3 Estações

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

Principais diferenciais do Office 365

Principais diferenciais do Office 365 Guia de compras O que é? é um pacote de soluções composto por software e serviços, conectados à nuvem, que fornece total mobilidade e flexibilidade para o negócio. Acessível de qualquer dispositivo e qualquer

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE (CTIS)

REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE (CTIS) Página 1 de 12 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário

Ministério do Desenvolvimento Agrário Capítulo 1 Ministério do Desenvolvimento Agrário Instituição: Sítio: Caso: Responsável: Palavras- Chave: Ministério do Desenvolvimento Agrário www.mda.gov.br Plano de Migração para Software Livre Paulo

Leia mais

Virtualização de desktop da NComputing

Virtualização de desktop da NComputing Virtualização de desktop da NComputing Resumo Todos nos acostumamos ao modelo PC, que permite que cada usuário tenha a sua própria CPU, disco rígido e memória para executar seus aplicativos. Mas os computadores

Leia mais

acesse: vouclicar.com

acesse: vouclicar.com Transforme como sua empresa faz negócios, com o Office 365. Vouclicar.com A TI chegou para as pequenas e médias empresas A tecnologia é hoje o diferencial competitivo que torna a gestão mais eficiente,

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, e tendo em vista o que consta do Processo

Leia mais

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet.

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet. Nettion Security & Net View Mais que um software, gestão em Internet. Net View & Nettion Security Mais que um software, gestão em Internet. A Net View e a Nettion Security Software se uniram para suprir

Leia mais

VDESK 2011 Desktop Virtualization

VDESK 2011 Desktop Virtualization VDESK 2011 Desktop Virtualization Linha VDesk 2011 Desktop Virtualization Agilidade Flexibilidade Gerenciamento Segurança Custo Desafios das empresas atualmente Centralização da operação Redução nos custos

Leia mais

Av. Bem-te-vi, 333 Moema São Paulo-SP tel.: (11) 5049-0441 - www.eyenet.com.br

Av. Bem-te-vi, 333 Moema São Paulo-SP tel.: (11) 5049-0441 - www.eyenet.com.br 1 2 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO APRESENTAR A EYENET E SERVIÇO ARQUIVO DIGITAL WEB - ADW 3 1) Apresentação Executiva 2) ADW 3) Proposta Comercial 4 A EYENET FOI FUNDADA EM 1999 COM O OBJETIVO DE PROVER SOLUÇÕES

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Acesse: www.eyenet.com.br ou ligue : (11) 5049-0441

Acesse: www.eyenet.com.br ou ligue : (11) 5049-0441 1 2 1) Proposta Comercial 2) Cases 3) Apresentação Eyenet 3 Objetivos do Projeto Construir uma intranet, oferecendo aos gestores, uma ferramenta web de fácil atualização de conteúdos, tornando-o um meio

Leia mais

1. P03 Dispositivos de Acesso. Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho P03.001

1. P03 Dispositivos de Acesso. Configuração Mínima de Softwares para Estações de Trabalho P03.001 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P03.001 Revisão v. 2014 2. PUBLICAÇÃO Órgão IplanRio Diretoria DOP Diretoria de Operações Setor GSA - Gerência de Suporte e Atendimento 1 de 6 epingrio@iplanrio.rio.rj.gov.br

Leia mais

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente)

BEMATECH LOJA LIVE. Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente) BEMATECH LOJA LIVE Requerimento de Infra-instrutura (servidores no cliente) Versão 1.0 03 de março de 2011 DESCRIÇÃO Este documento oferece uma visão geral dos requerimentos e necessidades de infra-estrutura

Leia mais

Planejamento Estratégico para as PMEs. Tecnologia da Informação a Serviço das PMEs

Planejamento Estratégico para as PMEs. Tecnologia da Informação a Serviço das PMEs Planejamento Estratégico para as PMEs Tecnologia da Informação a Serviço das PMEs Maio/2007 Rio Quente- Goiás Nivaldo Cleto Na era da tecnologia da informação, o mercado exige um empresário dinamicamente

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Pregão Presencial nº 001/2008. 2.1 Reposição de partes e de peças de produtos em uso no PRODERJ:

TERMO DE REFERÊNCIA Pregão Presencial nº 001/2008. 2.1 Reposição de partes e de peças de produtos em uso no PRODERJ: ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA Pregão Presencial nº 001/2008 1 DO OBJETO 1.1 Prestação de serviços de suporte especializado destinado ao gerenciamento da infra-estrutura de TIC da Rede Governo (INFOVIA.RJ),

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET

NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET NORMA DE SEGURANÇA PARA A UNIFAPNET 1. Objetivo As Normas de Segurança para a UNIFAPnet têm o objetivo de fornecer um conjunto de Regras e Recomendações aos administradores de rede e usuários, visando

Leia mais

Plano de Sustentação (PSUS)

Plano de Sustentação (PSUS) Plano de Sustentação (PSUS) Contratação de serviços técnicos de suporte à infraestrutura de Tecnologia da Informação do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Planejamento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

Configuração SERVIDOR.

Configuração SERVIDOR. REQUISITOS MINIMOS SISTEMAS FORTES INFORMÁTICA. Versão 2.0 1. PRE-REQUISITOS FUNCIONAIS HARDWARES E SOFTWARES. 1.1 ANALISE DE HARDWARE Configuração SERVIDOR. Componentes Mínimo Recomendado Padrão Adotado

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE

INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE Perfil O Grupo Teksid é o maior em fundição de autopeças do mundo, com capacidade produtiva

Leia mais

Consultoria em Informática

Consultoria em Informática A sua empresa bem assessorada Desde 1995, a Pro-INFO se mantém na vanguarda tecnológica para melhor atender as necessidades dos seus clientes. A paixão pelo que fazemos é o motivo pelo qual existimos,

Leia mais

Conheça a nova solução de servidor que ajuda pequenas empresas a fazer mais Com menos.

Conheça a nova solução de servidor que ajuda pequenas empresas a fazer mais Com menos. Conheça a nova solução de servidor que ajuda pequenas empresas a fazer mais Com menos. O papel de um servidor Introdução à rede básica Sua empresa tem muitas necessidades recorrentes, tais como organizar

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FL. 25 It Objeto Tipo de contratação 01 Reestruturação de infraestrutura das VTs no interior 1 02 Aquisição de Racks UPS e refrigeração 03 Aquisição de pontos de acesso para rede s fio 04 Aquisição de

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

NECESSIDADE DE UM PLANO DE CONTINGÊNCIA DE TIC

NECESSIDADE DE UM PLANO DE CONTINGÊNCIA DE TIC CI-206 Adm. de TI & IT Prof. Antonio URBAN Referência: Plano de Contingência para Recursos de Tecnologia de Informação e Comunicação Palavras-chave: Tecnologia de Informação, Tecnologia de Comunicação,

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

Em casa de ferreiro, O espeto é de INOX

Em casa de ferreiro, O espeto é de INOX Em casa de ferreiro, O espeto é de INOX Selma Aguilera Executiva Sênior de TI Corporativa e Compliance, TIVIT 1 Apresentação para GARTNER 29 de Junho 2009 Depoimento de Caso de Sucesso com Symantec TIVIT

Leia mais

REGULAMENTO DE GESTÃO E DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UTFPR

REGULAMENTO DE GESTÃO E DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UTFPR REGULAMENTO DE GESTÃO E DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UTF Art. 1º O presente Regulamento estabelece as diretrizes, normas de gestão e de utilização dos recursos de Tecnologia

Leia mais

Endpoint Security Platform

Endpoint Security Platform AKER Endpoint Security Platform Proteção de endpoints dentro e fora da empresa Ataques virtuais a redes corporativas têm se tornado cada vez mais comuns. Sob constante ameaça, as empresas passaram a utilizar

Leia mais

Requisitos técnicos dos produtos Thema

Requisitos técnicos dos produtos Thema Requisitos técnicos dos produtos Thema 1 Sumário 2 Apresentação...3 3 Servidor de banco de dados Oracle...4 4 Servidor de aplicação Linux...4 5 Servidor de terminal service para acessos...4 6 Servidor

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. PORTARIA nº 456, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2010.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. PORTARIA nº 456, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2010. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA nº 456, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2010. Institui a Política de Segurança da Informação e Comunicações POSIC, no âmbito do IPEA. O PRESIDENTE DO INSTITUTO DE

Leia mais

Secretaria Municipal de Fazenda

Secretaria Municipal de Fazenda ANEXO VI TERMO DE REFERENCIA 1. Justificativa A Secretaria Municipal de Fazenda, no cumprimento de sua missão institucional é responsável por garantir a arrecadação dos tributos municipais e de outras

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni Material 5 Administração de Recursos de HW e SW Prof. Edson Ceroni Desafios para a Administração Centralização X Descentralização Operação interna x Outsourcing Hardware Hardware de um Computador Armazenamento

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

UNIFIED DATA PROTECTION RESUMO DA SOLUÇÃO

UNIFIED DATA PROTECTION RESUMO DA SOLUÇÃO UNIFIED DATA PROTECTION RESUMO DA SOLUÇÃO arcserve UDP Impulsionadas pelo aumento no volume dos dados e os avanços da tecnologia como a virtualização, as arquiteturas atuais para proteção dos dados deixam

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Política comercial Válida a partir de Novembro de 2015

Política comercial Válida a partir de Novembro de 2015 1 de 5 Política comercial Válida a partir de Novembro de 2015 1. Introdução A mobilidade corporativa deixou de ser uma tendência para fazer parte da ação estratégica das empresas. Hoje, o profissional

Leia mais

Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI

Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI Administração e Desenvolvimento de Soluções em TI Projeto Corporativo Missão: Oferecer soluções corporativas em Tecnologia da Informação, fornecendo e integrando produtos e serviços profissionais de alta

Leia mais

Planejamento 2011 Diretoria de TI

Planejamento 2011 Diretoria de TI Planejamento 2011 Diretoria de TI ITIL / COBIT / Definição de Processos Inicio: 01/2011 Prioridade: Alta Repositório Institucional Inicio: 07/2010 UPGRADE Prioridade: Média Política de Utilização de Recursos

Leia mais