Especificação de Processo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Especificação de Processo"

Transcrição

1 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Realização de Videoconferências Especificação de Processo Realização de Videoconferências Versão 1.0 \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc

2 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Realização de Videoconferências Sumário 1. Introdução Tabela de Stakeholders Diagrama de Contexto Diagrama de Atividades Tabela de Atividades Tabela de Mapeamento de papéis para Pessoas/Unidades Tabela de Papéis e Competências...15 \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc

3 1. INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é definir as diretrizes que devem ser seguidas para o processo de realização de, bem como explicitar os instrumentos a serem utilizados no processo. 2. TABELA DE STAKEHOLDERS Stakeholders Nomes de Pessoas Executores Todos os responsáveis Gestor do Processo Assessoria de Cerimonial e Relações Institucionais () Pessoas de Referência Quanto à organização, agendamento e funcionalidades de s: Leonardo Felice Sousa Faquineli Silvana Maria Soares Ribeiro Vera Lucia Alves Martins Ana Cristina Medeiros Da Costa Quanto ao uso dos equipamentos e ao funcionamento da solução de s: Luiz Carlos de Deus Sales - Sesin Regina Tsujiguchi Seconf Geraldo Magela Lopes de Freitas - Semin Quanto ao som, imagem e gravação de : Oldair Gontalves De Brito Marcelo Xavier Silva Thyago Rodrigues Coimbra \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 3 de 15

4 3. DIAGRAMA DE CONTEXTO realização de s Base de problemas Realização de s Base de problemas Realização da Análise dos questionários enviados Disponibilização das gravações do evento Divulgação da realização do evento nos veículos considerados adequados \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 4 de 15

5 4. DIAGRAMA DE ATIVIDADES \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 5 de 15

6 5. TABELA DE ATIVIDADES Tira dúvidas sobre s 1 Consulta agenda de s Negocia a data/período de realização da Solicita a realização da A Assessoria de Cerimonial e Relações Institucionais () explica para a unidade solicitante o que é uma, quando se aplica, quais são seus benefícios, quais os recursos disponíveis, quais são suas limitações e como proceder para executá-lá. A unidade solicitante informa a sobre o objetivo e a duração da, pelo menos uma semana antes do evento. Efetua consulta para saber quais são as datas possíveis, de modo a se chegar a um período preliminar para escolha da data de realização. A verifica a agenda das sessões de do TCU para excluir datas para as quais já exista evento previsto. A verifica a disponibilidade de pessoal capacitado para acompanhar e conduzir o evento. A informa à unidade solicitante um conjunto preliminar de datas. A unidade solicitante verifica, junto aos participantes, se há disponibilidade para realizar a nas datas e horários previstos, enviando para as listas de distribuição de (Lista Secex-xx ). Se alguma unidade não responder ao , a unidade solicitante deve fazer contato telefônico para levantamento das informações solicitadas. A unidade solicitante reserva essa data junto às Secex's estaduais, por meio de . A unidade solicitante pede a realização de uma à, mediante formulário para solicitação de, com uma semana de antecedência. O formulário deve conter os seguintes dados: Nova versão do programa do evento; Endereço de correio eletrônico do coordenador do evento; Dúvidas Conjunto preliminar de datas de confirmação de reserva Explicação sobre dirimindo as dúvidas existentes Conjunto preliminar de datas de reserva de salas Unidade Solicitante FAQ Unidade Solicitante Unidade Solicitante Unidade Solicitante Unidades envolvidas 1 Na Intranet deve ser oferecido um FAQ (Frequently Asked Questions) sobre os recursos e limitações da solução de. \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 6 de 15

7 Confirma sessão de Lista das unidades do TCU que farão apresentações na ; Endereços eletrônicos dos apresentadores; Lista de endereços eletrônicos das entidades externas que participarão da ; e, Dinâmica do evento A informa a data escolhida pela unidade solicitante a todos os interessaods: Unidades envolvidas; Unidade solicitante; ; e, Serviço de Segurança da Informação (Sesin) da Secretaria de Tecnologia da Informação (Setec). Caso o evento utilize apresentações multimídia, como Power Points, a deverá envair à Unidade Solicitante o modelo de apresentação que é melhor visualizado em. Ainda neste caso a deverá informar que a apresentação deverá ser executada em microcomputadores do TCU. A envia um para cada unidade envolvida para solicitar a alocação de espaço, informando a data e os horários de início e término previstos para a realização da (horários de Brasília). A envia uma cópia do para as pastas institucionais das unidades envolvidas. Na notificação, a informa que os equipamentos de devem estar devidamente ligados com pelo menos 1 (uma) hora do horário agendado para o início do evento. A informa também endereços eletrônico e o telefone do para a resolução de qualquer problema de ordem técnica. Vide as diretrizes desta atividade. 2 de confirmação de ocorrência de evento Unidades envolvidas Unidade Solicitante 2 Agendar os eventos levando-se em conta os períodos de 8 às 12h e de 14 às 18h, horário de Brasília. Deixar sempre claro que os horários têm como referência o horário de Brasília-DF. É importante se certificar de que todos os horários são entendidos por todos, já que há fusos horários e mudanças em função do horário de verão. O período de realização da não deve exceder 3 horas, para não cansar os participantes. \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 7 de 15

8 Solicita recursos à para realização de Solicita recursos à SETEC para realização de Testa e configura participantes externos Solicita criação de modelo de sessão Define modelo de sessão de A deve publicar a realização deste evento na agenda. Quando for o caso, a após avaliar as necessidades do evento, bem como do local onde o mesmo ocorrerá, solicita ao SEMIT: Filmagem Microfones CD\DVD VHS Gravação Transmissão para todo TCU Transmissão para internet Caso seja necessário qualquer um dos 3 (três) últimos itens, a deverá informar ao qual das duas estações de gravação será utilizada para tal finalidade. Quando for o caso, a solicita ao que viabilize a participação de pessoas externas às dependências do TCU nas sessões de. Para isso, a informará à Setec quem são os responsáveis técnicos da entidade externa que deverá participar da sessão, com seus respectivos dados de contato. A comunica ao se será realizada gravação, filmagem e som. Além disso, se será feito envio para internet e para todo TCU, além da lista de participantes envolvidos. A Setec configura a participação externa na, testa a conexão e informa os resultados dos testes à unidade solicitante e à. Caso não exista um modelo de sessão que atenda aos requisitos solicitados, a solicita ao a criação de um modelo adequado. O define um modelo de sessão de. criação de modelo de sessão Ordem de Serviço com recursos para realização de Resultados dos testes de participações externa criação de modelo de sessão Novo modelo de sessão de Configura sessão A agenda e configura a sessão de Sessão de Setec Unidade solicitante Participantes Externos Qualquer mudança de data e horário tem que ser comunicada imediatamente a todos os envolvidos. \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 8 de 15

9 de Notifica entidades envolvidas na Envia notícia sobre, de acordo com modelos previamente definidos pelo Sesin, e cadastra na sessão todos os participantes. Caso a deseje acompanhar o evento por meio da estação primária que lhe foi disponibilizada, esta também deverá ser incluída na sessão. No caso de gravação, geração de multicast ou geração da para a internet, deve ser incluída na sessão uma das estações de gravação. No momento do cadastramento, utilizar a opção de agendar e colocar um nome significativo na sessão de. É necessário configurar o início da sessão para 45 minutos antes do início efetivo e o término para uma hora depois. A notifica as entidades envolvidas na com pelo menos dois dias úteis de antecedência. A notificação é enviada para os seguintes participantes: ; Todos os apresentadores, se houver apresentações; Todas as unidades do TCU envolvidas de forma ativa no evento; (ex: nas quais trabalhem o coordenador e/ou apresentadores) Todas as entidades externas que participarão da ; ; e, Se o evento for público, deve ser enviado um para o mundo informando o modo de acompanhamento do evento. Quando for o caso, a comunica a Assessoria de Comunicação Social (Ascom), para que avalie interesse de publicar no União, e, se for o caso, que a Ascom elabore notícia. configurada Notificação de Comunicação de evento de Ascom Apresentadores Unidades Envolvidas Participantes externas \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 9 de 15

10 Envia material de para leitura prévia Caso algum material deva ser lido antes da realização da, a unidade solicitante deverá encaminhá-lo a todas as unidades participantes tão logo receba a notificação da realização da. Notificação de Material da Unidade solicitante Unidades Envolvidas Participantes externas Verifica salas de Dois dias antes, o coordenador do evento verifica se as salas estão em estado adequado, com relação a móveis, limpeza etc. e, se necessário, toma providências corretivas junto à Segedam. ou Segedam No caso de autoridades, o responsável por tal verificação é a. Convida para teste de Dois dias antes, a convida o coordenador da, os apresentadores, o e todas as unidades responsáveis pela organização do evento para fazer um teste preliminar. Convite para treino Apresentadores Unidades responsáveis Executa teste de O teste é marcado com dois dias de antecedência e ocorre na véspera do evento. Nesta sessão, são usados os recursos audiovisuais necessários (ex. apresentação MS-Powerpoint). Além disso, é definida a dinâmica de comunicação dos participantes, que pode envolver outros recursos, tais como chat, correio eletrônico e fax. Convite para treino Apresentadores Guia para elaboração de slides Caso o microcomputador não possua o software necessário para a transmissão de slides para a, a Unidade Solicitadora deverá solicitar ao suporte técnico da Setec a instalação do software necessário. Caso algum envolvido não confirme o treino, então o coordenador efetua contato telefônico. O coordenador e os apresentadores devem acompanhar a execução da 3. Unidades envolvidas preparam início de As unidades envolvidas devem ligar os equipamentos com uma hora de antecedência e devem encaminhar os participantes com vinte minutos de antecedência para o local onde ocorrerá o evento. Unidades Envolvidas 3 Para garantir a qualidade das apresentações a serem realizadas, é necessário: testar todos os recursos a serem utilizados \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 10 de 15

11 prepara início de A deve verificar se algum equipamento não está devidamente operante no horário programado para o início da. Neste caso, procede com a tentativa de conexão do equipamento. Em caso de insucesso, contacta o coordenador e solicita que o mesmo estabeleça contato telefônico com a unidade envolvida pedindo que o equipamento seja ligado. Tão logo isso seja realizado, tenta re-conectar o equipamento problemático. Caso o problema persista, liga para o Sesin (SETEC) de modo a solicitar providências que permitam a conexão desse equipamento. A inicia a execução do software do micro para apresentação de slides e testa a operação (comandos de controle remoto durante a ). A verifica junto ao se a gravação e a transmissão foram iniciadas. prepara início de O verifica se os equipamentos estão funcionando adequadamente. Caso tenha sido solicitado filmagem e/ou utilização de microfones, a recepção dos sinais de áudio e vídeo pelo equipamento de deve ser monitorada pelo. Se houver algum problema, toma as providências cabíveis. Além disso, efetua as configurações necessárias para gravação do evento e transmissão via multicast e internet, e inicia a gravação. prepara início de O coordenador, com o apoio da, verifica o início do evento e os locais onde os participantes estão presentes. Caso alguma unidade não possua nenhum participante presente, o coordenador do evento contata o responsável para tomar as devidas providências. Inicia Ao abrir o evento, o coordenador executa atividades que incluem: Sessão de configurada Sessão de Unidade Solicitante 4 Além disso, deve-se seguir as seguintes diretrizes básicas: Cada pessoa que for falar deve executar as seguintes atividades: \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 11 de 15

12 Convidar as autoridades que abrirão o evento, se for o caso. Mostrar o programa do evento. Solicitar o preenchimento e entrega da ficha de avaliação no final do evento ao preposto em cada sítio. Informar o endereço de correio eletrônico e o número do fax da sala de. Informar como será a dinâmica de interação entre os participantes (Podendo incluir o uso de chat, correio eletrônico e fax). Informar o endereço eletrônico ou número de telefone do Sesin (SETEC), para serem usados caso haja problemas técnicos. Definir algumas regras básicas da, tais como: a. deixar as perguntas feitas oralmente para o final da apresentação; b. o envio de perguntas via correio eletrônico ao longo da apresentação ou por fax, se o correio eletrônico enfrentar problemas. 4 O coordenador media o evento quando necessário. Acompanha O servidor alocado do está presente na sala de geração do sinal de do TCU, durante o evento, para prover o apoio necessário com relação ao uso dos equipamentos e contactar terceiros, no caso de uso de equipamentos especiais. Ordem de serviço de solicitação de recursos para realização de Gravação do evento Terceiros Apresentar-se (nome, cargo e unidade) e agradecer a participação de todos no início da apresentação. Deixar claro se podem ser feitas perguntas durante ou somente depois da apresentação. Evitar se movimentar muito, devido à sensibilidade do microfone e da diminuição da qualidade do vídeo. Deixar o microfone fechado e só abri-lo no momento que for efetivamente gerar o sinal de áudio para uma sessão de. Os horários de início e de término devem ser rigorosamente cumpridos, pois muitos recursos em diversas localidades são alocados e coordenados nesse tipo de evento. Incentivar a troca de mensagens entre os participantes antes e depois do evento, de modo que a em si seja encarada somente como uma parte do ambiente de debate. Em especial nos eventos internos, criar um clima mais descontraído, para que as pessoas se soltem mais, possam estabelecer laços de confiança e, com isso, gerar resultados melhores. \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 12 de 15

13 Encerra evento de Consolida avaliação da O coordenador do evento solicita o preenchimento dos questionários de avaliação ao final da. Os participantes preenchem o formulário de avaliação da e os enviam preenchidos para a O coordenador resume rapidamente o que aconteceu durante toda a sessão, agradece a participação de todos e encerra o evento. Quando for o caso, além dos participantes, a e o também devem fazer uma avaliação técnica do evento. O coordenador solicita ao o encerramento da sessão e ao a interrupção da gravação e a geração de evento editado. A é responsável pelas seguintes atividades: receber os formulários preenchidos; tabular os resultados; analisar as respostas dos questionários e a partir da análise, toma as providências corretivas que lhe couber; enviar a análise dos questionários para os agentes a seguir, para que tenham ciência dos resultados e possam tomar providências de melhoria do processo: a. coordenador da ; b. todos os apresentadores, se houver apresentações; c. todas as unidades do TCU envolvidas de forma ativa no evento (ex: nas quais trabalhem o coordenador e/ou apresentadores); d. todas as entidades externas que participarão da ; e. ; f. O apresentador da, o coordenador e os apresentadores devem executar as seguintes atividades: analisar os resultados apurados; avaliar o que melhorar no processo de trabalho; incorporar melhorias; comunicar o que pode ser melhorado para as Avaliação de Avaliação de Ordem de Serviço de solicitação de edição contendo o destinatário da edição Análise da avaliação da Participantes \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 13 de 15 Apresentadores Unidades envolvidas Entidades externas

14 Disponibiliza gravação de Divulga diversas partes envolvidas; verificar se as gravações do evento (completa e compacta) disponíveis na Intranet e na Internet estão adequadas. O trata a gravação, que inclui a edição do evento, com retirada de trechos que não agregam (ex. momentos de substituição de apresentadores), de modo a gerar uma versão editada do evento; e envia a versão ao coordenador. Ainda, o disponibiliza a gravação editada do evento na Intranet. Se julgar conveniente, a executa ações para que o Ministro Presidente possa fazer uma notificação do evento em Plenário, apontando para as gravações do evento. Gravação do evento Ordem de Serviço de solicitação de edição contendo o destinatário da edição Versão editada do evento Divulgação do evento realizado Entidades envolvidas Ministro Presidente 6. TABELA DE MAPEAMENTO DE PAPÉIS PARA PESSOAS/UNIDADES Unidade solicitante Apresentadores Ascom Entidades envolvidas Entidades externas Ministro Presidente Participantes Papéis Responsáveis pelo acompanhamento da Secex Segedam Unidades do TCU e Entidades externas envolvidas Pessoas/Unidades \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 14 de 15

15 Papéis Servidor da alocado Servidor do Tel alocado Seseg Unidade solicitante Unidades envolvidas Pessoas/Unidades 7. TABELA DE PAPÉIS E COMPETÊNCIAS Apresentadores Ascom Entidades envolvidas Entidades externas Ministro Presidente Participantes Papéis Responsáveis pelo acompanhamento da Secex Segedam Servidor da alocado Servidor do Tel alocado Seseg Unidade solicitante Unidades envolvidas Unidades envolvidas Competências Capacidade de coordenação de eventos envolvendo diversas entidades internas e externas ao TCU. Conhecer o propósito e as funcionalidades principais da solução de. Conhecer o funcionamento dos equipamentos e solução de do TCU. Capacidade de elaborar e executar apresentações de qualidade. \\_sarq_prod\unidades\seinf\sequap\processos de Trabalho\Realização de Videoconferências\Realização de s - 07.doc Página 15 de 15

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-003-R00 RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-003-R00 RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-003-R00 RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela de Souza Leal 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM

Leia mais

Recursos do Outlook Web Access

Recursos do Outlook Web Access Recursos do Outlook Web Access Este material foi criado pela Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação (SETIC) do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Seu intuito é apresentar algumas

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA 10/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 09 de outubro de 2015. Aprovado, Leandro Costa Pereira Crispim de Sousa Fabio Faizi Rahnemay

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela

Leia mais

SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO CENTRAL DE ATENDIMENTO HELP DESK

SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO CENTRAL DE ATENDIMENTO HELP DESK Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO CENTRAL DE ATENDIMENTO HELP DESK Responsável: Alyne Rodrigues Borges Cópia Controlada

Leia mais

1. OBJETIVO. 2. REFERÊNCIA Normas e Portarias do Padrão de Atendimento Vapt Vupt NR-17 Anexo II / MTE

1. OBJETIVO. 2. REFERÊNCIA Normas e Portarias do Padrão de Atendimento Vapt Vupt NR-17 Anexo II / MTE Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDENCIA DE GESTÃO DO VAPT VUPT INSTRUÇÃO DE TRABALHO TELEMAN - HELP DESK Responsável: Humberto Gomes Arruda Cópia Controlada - Revisão 03 de 17/06/2015

Leia mais

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Procedimento Videoconferência 2015

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Procedimento Videoconferência 2015 CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Procedimento Videoconferência 2015 1 Soluções para transmissões A CTI disponibiliza dois tipos de soluções para transmissão de áudio e vídeo. Videoconferência

Leia mais

APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000

APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000 APOSTILA MICROSOFT OUTLOOK 2000 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO II. INICIANDO O OUTLOOK 2000 III. OUTLOOK HOJE IV. ATALHOS DO OUTLOOK V. CONFIGURAR CONTA DE CORREIO ELETRÔNICO VI. RECEBER E-MAIL VII. FILTRAR MENSAGENS

Leia mais

CORREIO inotes. Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet.

CORREIO inotes. Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet. CORREIO inotes Para acessar o Correio inotes é necessário acessar a Internet. Na sua Área de Trabalho execute dois cliques rápidos no ícone do Internet Explorer. Ao ser exibida a primeira tela do Internet

Leia mais

Especificação de Processo Melhoria Contínua de Processos

Especificação de Processo Melhoria Contínua de Processos TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO de melhoria contínua de processos Especificação de Melhoria Contínua de s Versão 1.0 \\_sarq_prod\unidades\seinf\s de Trabalho\Melhoria Contínua de s\ Melhoria Contínua de s.docpágina

Leia mais

PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe

PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO MANUAL DO SERVIDOR 1ºGRAU MÓDULO 1 Sumário 1 Acesso ao Sistema...3 2 Quadro de Aviso...4 3 Menu...8 3.1 Audiência...8 3.1.1 Tempo

Leia mais

MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA

MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA MANUAL CONTRATAÇÃO DE EVENTOS PRÉ EVENTO A) ELABORAÇÃO DA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA E TRÂMITES PARA CONTRATAÇÃO DA EMPRESA 1) Reunião Prévia (Responsável: Secretaria Demandante) Solicitação de Contratação,

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-602-R00

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-602-R00 MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-602-R00 AUTOS DE INFRAÇÃO E MULTAS 03/2014 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 Brasília, 17 de março de 2014. Aprovado, Fabio Faizi Rahnemay Rabbani 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011

MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011 MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011 O trabalho faz a diferença. Manaus, maio de 2007. Manual de Operação do Sistema de Informações Gerenciais e de Planejamento -

Leia mais

Manual de Transferência de Arquivos

Manual de Transferência de Arquivos O Manual de Transferência de Arquivos apresenta a ferramenta WebEDI que será utilizada entre FGC/IMS e as Instituições Financeiras para troca de arquivos. Manual de Transferência de Arquivos WebEDI Versão

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

MANUAL DE USO SERASAJUD

MANUAL DE USO SERASAJUD MANUAL DE USO SERASAJUD JULHO DE 2015 Controle de Revisão Data da Revisão Versão Documento Versão DF-e Manager Executor Assunto Revisado 08/10/2013 1.0 Rodrigo Vieira Ambar/Gigiane Martins Criação 18/03/2104

Leia mais

e- SIC Manual do SIC

e- SIC Manual do SIC e- SIC Manual do SIC Sumário Introdução.. 3 O e-sic.. 4 Primeiro acesso.. 5 Perfis de usuário.. 6 Cadastro de usuário no e-sic.. 7 Alteração de dados de usuários.. 9 Atualização de dados do SIC.. 11 Registro

Leia mais

TRBOnet Standard. Manual de Operação

TRBOnet Standard. Manual de Operação TRBOnet Standard Manual de Operação Versão 1.8 NEOCOM Ltd ÍNDICE 1. TELA DE RÁDIO 3 1.1 COMANDOS AVANÇADOS 4 1.2 BARRA DE FERRAMENTAS 5 2. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS 6 2.1 MAPLIB 6 2.2 GOOGLE EARTH 7 2.3

Leia mais

SUMÁRIO CAMPANHAS... 2 Como solicitar a produção de campanha de divulgação?... 2 EVENTOS... 3 Como solicitar a realização de eventos?...

SUMÁRIO CAMPANHAS... 2 Como solicitar a produção de campanha de divulgação?... 2 EVENTOS... 3 Como solicitar a realização de eventos?... SUMÁRIO CAMPANHAS... 2 Como solicitar a produção de campanha de divulgação?... 2 EVENTOS... 3 Como solicitar a realização de eventos?... 3 MATERIAIS IMPRESSOS... 4 Como solicitar a produção de material

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-004-R00 PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E EXECUÇÃO DE EVENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-004-R00 PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E EXECUÇÃO DE EVENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-004-R00 PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E EXECUÇÃO DE EVENTOS 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela de Souza Leal 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

MANUAL DE USO DO COMUNICADOR INSTANTÂNEO

MANUAL DE USO DO COMUNICADOR INSTANTÂNEO MANUAL DE USO DO COMUNICADOR INSTANTÂNEO GEINFO Gerência de Tecnologia da Informação E-mail geinfo@sejus.ro.gov.br Página 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ACESSANDO O SPARK... 4 3 INICIANDO UMA CONVERSAÇÃO...

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

MANUAL PORTAL ACADÊMICO

MANUAL PORTAL ACADÊMICO MANUAL PORTAL ACADÊMICO Sumário Sumário... 2 1. Apresentação... 3 2. Navegação no site da Escola do Legislativo... 4 3. Ministrante... 6 3.1.Cadastro de ministrante... 6 3.2. Preencher os campos... 7 3.3

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

Office 365 Manual Outlook 365 Web Application

Office 365 Manual Outlook 365 Web Application Office 365 Manual Outlook 365 Web Application Requisitos para usar o Office 365: Ter instalado pelo menos a versão 7 do Internet Explorer, Mozilla Firefox 15, Google Chrome 21 ou Safari no Mac. O que é

Leia mais

Atendimento On Line Foco Cliente Utilizando O Sistema Web Contábil 21/05/2010 IDEAL. Última Atualização: 01/2010

Atendimento On Line Foco Cliente Utilizando O Sistema Web Contábil 21/05/2010 IDEAL. Última Atualização: 01/2010 Atendimento On Line Foco Cliente Utilizando O Sistema Web Contábil 21/05/2010 IDEAL Última Atualização: 01/2010 Atendimento: Tel : (11) 3857-9007 - e-mail: suporte@webcontabil.com :: Módulo Documentos

Leia mais

Processo. Auditoria Interna. Marilusa Lara Bernardes Bittencourt Wilker Bueno de Freitas Rosa

Processo. Auditoria Interna. Marilusa Lara Bernardes Bittencourt Wilker Bueno de Freitas Rosa Dono do processo Aprovado por Analisado criticamente por Marilusa Lara Bernardes Bittencourt Wilker Bueno de Freitas Rosa Regiane Mendes Barbosa 1. Propósito Descrever a atividade de auditoria interna

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL DO SEFIP PLATAFORMA GRÁFICA

ROTEIRO OPERACIONAL DO SEFIP PLATAFORMA GRÁFICA ROTEIRO OPERACIONAL DO SEFIP PLATAFORMA GRÁFICA ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...4 2. REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SEFIP...5 3. INICIANDO O SEFIP...7 4. IMPORTAÇÃO DE ARQUIVO DE FOLHA...8 4.1 IMPORTAÇÃO DO ARQUIVO

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social A Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG é uma unidade de apoio e assessoramento da Instituição, diretamente ligada ao Gabinete da Reitoria, que dentre suas

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL PÁGINA: 1/10 1. OBJETIVO Descrever o procedimento para a execução de auditorias internas a intervalos planejados para determinar se o sistema de gestão da qualidade é eficaz e está em conformidade com:

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS DIRETORIA-GERAL Edital de Consulta Pública n. 1/14 Processo n. 101.921/2014 EDITAL DE CONSULTA PÚBLICA N.

CÂMARA DOS DEPUTADOS DIRETORIA-GERAL Edital de Consulta Pública n. 1/14 Processo n. 101.921/2014 EDITAL DE CONSULTA PÚBLICA N. EDITAL DE CONSULTA PÚBLICA N. 1/2014 Objeto: Consulta pública destinada à obtenção de informações e esclarecimentos para instruir futura contratação de serviço de gestão de margem consignável. Local: Câmara

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

Manual do usuário do ClaireMeeting

Manual do usuário do ClaireMeeting Manual do usuário do ClaireMeeting Entrando no ClaireMeeting 4 Digite o endereço do ClaireMeeting http:// www.clairemeeting4.com.br/ no campo de seu Navegador e pressione Enter. Na tela de Log in, digite

Leia mais

NORMA INTERNA DE TREINAMENTO FAUUSP

NORMA INTERNA DE TREINAMENTO FAUUSP NORMA INTERNA DE TREINAMENTO FAUUSP 1. OBJETIVOS Apresentar as diretrizes básicas e os procedimentos institucionais necessários à realização das atividades de treinamento. 2. DEFINIÇÕES 2.1. Treinamento

Leia mais

Pró-Reitoria de Administração PRAD Diretoria de Gestão de Pessoas - DGP. Comunicado Exames Médicos Periódicos

Pró-Reitoria de Administração PRAD Diretoria de Gestão de Pessoas - DGP. Comunicado Exames Médicos Periódicos Comunicado Exames Médicos Periódicos Comunicamos aos servidores que, cumprindo o disposto no artigo 206-A da Lei 8112/90 e em continuidade aos procedimentos necessários para a realização da segunda etapa

Leia mais

TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário

TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário (versão 1.0) 1 APRESENTAÇÃO O Tribunal Superior Eleitoral usando de suas atribuições

Leia mais

Manual - Gemelo Backup Online WEB

Manual - Gemelo Backup Online WEB Manual - Gemelo Backup Online WEB É um disco virtual que permite acessar seus dados de qualquer lugar através da Internet. Acesso A Gemelo Storage Solutions e enviará um e-mail confirmando que você é usuário

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO PELO MESTRANDO

PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO PELO MESTRANDO PROCEDIMENTOS PARA ORGANIZAÇÃO DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO PELO MESTRANDO Este roteiro não dispensa a leitura da Norma Complementar Nº002 (05/09/2012) alterado em 04/12/2013 e do Regimento Interno do PPGEP-S

Leia mais

TEMA LIVRE: ORAL / POSTER:

TEMA LIVRE: ORAL / POSTER: TEMA LIVRE: ORAL / POSTER: Prezados Colegas, Os Temas Livres, entendidos pela Comissão Científica como a demonstração real da prática terapêutica de cada um de nós, terão horário nobre para a sua apresentação.

Leia mais

MANUAL DE MEMBRO COMUNIDADE DO AMIGO

MANUAL DE MEMBRO COMUNIDADE DO AMIGO SUMÁRIO Efetuando o Login na comunidade... 3 Esqueceu sua senha?... 3 Página Principal... 4 Detalhando o item Configurações... 5 Alterar Foto... 5 Alterar Senha... 5 Dados Pessoais... 6 Configurações de

Leia mais

DAS CARACTERÍSTICAS MÍNIMAS

DAS CARACTERÍSTICAS MÍNIMAS TERMO DE REFERÊNCIA DO OBJETO Contratação de empresa especializada para elaboração de projeto, fornecimento de materiais e instalação de Circuito Fechado de TV (CFTV) para o Museu da Língua Portuguesa.

Leia mais

Manual de Utilização do Zimbra

Manual de Utilização do Zimbra Manual de Utilização do Zimbra Compatível com os principais navegadores web (Firefox, Chrome e Internet Explorer) o Zimbra Webmail é uma suíte completa de ferramentas para gerir e-mails, calendário, tarefas

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão inicial

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK 0 2015 Projeto: Conecta Contábil Sistema de controle e depreciação de patrimônio Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Plano de Gerenciamento desenvolvido para a realização

Leia mais

Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão

Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão NOVOSIS 3ª Versão Conteúdo Introdução... 3 Principais recursos:... 4 Para o cidadão:... 4 Para os órgãos públicos:... 4 Como Utilizar o SIC...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861

MANUAL DO USUÁRIO. Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 MANUAL DO USUÁRIO Organização: Evanildo Vieira dos Santos Bibliotecário CRB7-4861 Rio de Janeiro INPI/CEDIN 2014 BIBLIOTECA DO INPI Vinculada ao Centro de Disseminação da Informação Tecnológica (CEDIN),

Leia mais

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página NAD NO. 001/09 12 08/07/2014 1 de 9 Elaboração: Audrey A. Appendino

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

Conhecimentos Gerais. Conhecimentos Específicos. Atividades Gerais. Cargo: Auxiliar Administrativo Área: Instituto de Educação e Ciências

Conhecimentos Gerais. Conhecimentos Específicos. Atividades Gerais. Cargo: Auxiliar Administrativo Área: Instituto de Educação e Ciências Cargo: Auiliar Administrativo Área: nstituto de Educação e Ciências Conhecimentos Gerais N B D N B D N B D Operação de equipamento de escritório Rotinas Administrativas Atendimento a Clientes Serviços

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup. INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16 Telemarketing Ativo Origem: Diretoria Superintendência Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso Instrução Normativa: 14.16/08-01 Revisão nº 0102

Leia mais

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração Personata Recorder Manual de Instalação e Configuração Julho / 2013 1 Índice 1- Pré-requisitos......3 2 Verificação do Hardware......3 3 Instalação......5 4 Configuração Inicial......8 4.1 Localização......8

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades

TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades TACTIUM ecrm Guia de Funcionalidades 1 Interagir com seus clientes por variados meios de contato, criando uma visão unificada do relacionamento e reduzindo custos. Essa é a missão do TACTIUM ecrm. As soluções

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-201-R02

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-201-R02 MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-201-R02 ANÁLISE DE SOLICITAÇÕES DE HOTRAN 02/2014 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 Brasília, 28 de fevereiro de 2014. Aprovado, Fabio Faizi Rahnemay Rabbani 3 PÁGINA

Leia mais

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Divisão de Patrimônio DIPM/GRM/PRAD Manual do Sistema de Patrimônio Versão On-Line Núcleo de Informática Universidade Federal de Mato Grosso do Sul P á g i n a 2 Manual do Sistema de Patrimônio Núcleo

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

TST Certificado Digital. Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários. Como obter certificado digital no TST

TST Certificado Digital. Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários. Como obter certificado digital no TST Secretaria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Suporte Técnico aos Usuários Como obter certificado digital no TST Versão 1.0 - Fevereiro/2011 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Passo a Passo... 3

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-001-R00 PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO DIGITAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-001-R00 PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO DIGITAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-001-R00 PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO DIGITAL 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela de Souza Leal 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE

Leia mais

Portal Acta. Tutorial para avaliador TUTORIAL AVALIADOR:

Portal Acta. Tutorial para avaliador TUTORIAL AVALIADOR: TUTORIAL AVALIADOR: O processo de Avaliação é dividido em seis passos, que guiam o Avaliador durante o processo de Avaliação. Passo 1 O Avaliador deve primeiramente informar o Editor de Seção se está disponível

Leia mais

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O COORDENADOR WEB PORTFÓLIO PROVAB 2014 MÉDICOS

PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O COORDENADOR WEB PORTFÓLIO PROVAB 2014 MÉDICOS PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O COORDENADOR WEB PORTFÓLIO PROVAB 2014 MÉDICOS Brasília/DF, 8 de outubro de 2014. 1 APRESENTAÇÃO TUTORIAL DO WEB PORTFÓLIO PROVAB

Leia mais

AGENDAMENTO E REALIZAÇÃO DE EVENTOS (DA SMCC E DE TERCEIROS)

AGENDAMENTO E REALIZAÇÃO DE EVENTOS (DA SMCC E DE TERCEIROS) FINALIDADE: Esta norma por finalidade normatizar a realização de eventos, tanto da própria SMCC (Diretoria ou Departamentos e Comitês Científicos da SMCC) quanto eventos de terceiros, realizados nas dependências

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

CIUCA Manual de Operação Versão 2.02 (Módulos I Cadastro e II - Credenciamento)

CIUCA Manual de Operação Versão 2.02 (Módulos I Cadastro e II - Credenciamento) Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Cadastro das Instituições e Comissões de Ética no Uso de Animais CIUCA Versão 2.02 (Módulos I Cadastro e II - Credenciamento) Versão 1.01 (Módulo I Cadastro)

Leia mais

Guia de Mobilização - Vale

Guia de Mobilização - Vale Guia de Mobilização - Vale 2ª Edição Nov/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3. MACRO FLUXO DO PROCESSO DE MOBILIZAÇÃO... 3 3.1. CERTIFICAÇÃO... 3 3.2. CONTRATAÇÃO... 4 3.3. MOBILIZAÇÃO...

Leia mais

Manual das funcionalidades Webmail AASP

Manual das funcionalidades Webmail AASP Manual das funcionalidades Webmail AASP 1. Configurações iniciais 2. Regras 3. Histórico da conta 4. Autorresposta 5. Dados de acesso (alterando senha de acesso) 6. Identidade (assinatura) 7. Redirecionamento

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional

Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional Cartilha do Gestor de Frota de Unidade / Base Operacional SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão

Leia mais

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES

AdminIP. Manual do Usuário Módulo Administrador IES 2 AdminIP Manual do Usuário Módulo Administrador IES Brasília 2012 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 1 SISTEMA ADMINIP... 4 1.1 O que é o AdminIP?... 4 1.2 Quem opera?... 4 1.3 Onde acessar?... 5 1.4 Como acessar?...

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 029/2014 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Programa

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Sistema Gerencial de Informações. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Sistema Gerencial de Informações. PostgreSQL 8.2/ 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Com a necessidade de agilizar todos os serviços na parte de aquisição de material, tramitação de processo, documentação eletrônica

Leia mais

Perguntas Frequentes (FAQ) Portal do Professor

Perguntas Frequentes (FAQ) Portal do Professor Universidade Federal do Espírito Santo Perguntas Frequentes (FAQ) Portal do Professor Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) Novembro/2014 Sumário 1 ATIVIDADES COMPLEMENTARES... 4 1.1 O que é o menu

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ENVIO DE MENSAGENS SMS SHORT MESSAGE SERVICE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Responsável: Superintendência Central de Governança Eletrônica Objeto LOTE ITEM

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE TEMPO INTEGRAL CAROLINE CAMPELO CRUZ DA SILVA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE TEMPO INTEGRAL CAROLINE CAMPELO CRUZ DA SILVA 1. DO OBJETO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE TEMPO INTEGRAL CAROLINE CAMPELO CRUZ DA SILVA EDITAL DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE PROFISSIONAIS A Secretaria

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

Cartilha. Correio eletrônico

Cartilha. Correio eletrônico Cartilha Correio eletrônico Prefeitura de Juiz de Fora Secretaria de Planejamento e Gestão Subsecretaria de Tecnologia da Informação Abril de 2012 Índice SEPLAG/Subsecretaria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Este Manual aplica-se a todos os Usuário de T.I. do Ministério Público de Goiás. ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Manter o Manual Atualizado

Este Manual aplica-se a todos os Usuário de T.I. do Ministério Público de Goiás. ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Manter o Manual Atualizado Versão 01 - Página 1/8 1 Objetivo Orientar o usuário de T.I. a solicitar atendimento. Mostrar o fluxo da solicitação. Apresentar a Superintendência 2 Aplicação Este Manual aplica-se a todos os Usuário

Leia mais

Política de uso: Serviço de Conferência Web

Política de uso: Serviço de Conferência Web Política de uso: Serviço de Conferência Web DAGSer Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços outubro de 2011 Este documento descreve a política de uso do serviço de Conferência Web. Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP.

II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP. II. FASE DE PLANEJAMENTO define a maturidade do entendimento do escopo e, o desenvolvimento do Plano do Projeto PP. Nesta fase busca-se o refinamento dos objetivos do projeto e detalhamento do melhor caminho

Leia mais

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O foi desenvolvido com o objetivo de simplificar e agilizar o processo de aquisição de materiais e serviços, atendendo as exigências

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1 MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento Toledo PR Página 1 INDICE 1. O QUE É O SORE...3 2. COMO ACESSAR O SORE... 4 2.1. Obtendo um Usuário e Senha... 4 2.2. Acessando o SORE pelo

Leia mais

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage...

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... 12 Apresentação O Pitstop foi desenvolvido pela Interact com o objetivo

Leia mais

Apresentação. Nossa sugestão é que você experimente e não tenha medo de clicar!!!

Apresentação. Nossa sugestão é que você experimente e não tenha medo de clicar!!! Apresentação Este manual é uma orientação para os participantes de cursos no ambiente Moodle do INSTITUTO PRISMA. Tem como objetivo orientar sobre as ações básicas de acesso e utilização do ambiente virtual

Leia mais

Poder Judiciário e órgãos da Administração Pública

Poder Judiciário e órgãos da Administração Pública Poder Judiciário e órgãos da Administração Pública A Central Nacional de Indisponibilidade é um sistema que integra ordens judiciais e administrativas sobre indisponibilidade de bens. Para acessar a Central

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

PROGRAMA DE CULTURA ESPAÇOS VISUAIS REDE SESC DE GALERIAS Edição 2015 Artes Visuais

PROGRAMA DE CULTURA ESPAÇOS VISUAIS REDE SESC DE GALERIAS Edição 2015 Artes Visuais PROGRAMA DE CULTURA ESPAÇOS VISUAIS REDE SESC DE GALERIAS Edição 2015 Artes Visuais INTRODUÇÃO O Serviço Social do Comércio Sesc, Departamento Regional de Santa Catarina, informa aos interessados os procedimentos

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso. Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação. SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL

Universidade Federal de Mato Grosso. Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação. SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL Universidade Federal de Mato Grosso Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL Versão 2.1 2013 Cuiabá MT Sumário Usuários do SISCOFRE... 3 Fases

Leia mais