EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO VIII GLOSSÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO VIII GLOSSÁRIO"

Transcrição

1 EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO VIII GLOSSÁRIO ACJEF ACORDO FORMAL ACORDO SEM TERMO ADIDO AFD AFDT ALA AMB AMBIENTE DE CONTINGÊNCIA AMBIENTE DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTE DE HOMOLOGAÇÃO Arquivo de Controle de Jornada para Efeitos Fiscais. É um acordo com o cliente com a formalização de um RELATÓRIO DE PROPOSTA DE ACORDO - RPA. É um acordo com o cliente sem a formalização de um RELATÓRIO DE PROPOSTA DE ACORDO - RPA. COLABORADOR de outro órgão cedido ao BRDE. Arquivo-Fonte de Dados Portaria MTE 1510 Registro Eletrônico de Ponto. Arquivo Fontes de Dados Tratados Portaria 1510 Registro Eletrônico de Ponto Atualização do Laudo de Avaliação Associação Médica Brasileira Ambiente destinado a garantir a disponibilidade dos principais serviços e a continuidade de negócios em situações de desastre ou contingência. Ambiente onde são desenvolvidas e validadas pelo desenvolvedor as linhas de código implementadas. Ambiente pré-produção, usado para validação com usuários (UAT User Acceptance Test Teste de Aceitação do Usuário) de novas implementações. AMBIENTE DE PRODUÇÃO Ambiente final de execução das aplicações previamente desenvolvidas e validadas no ambiente de homologação. AMBIENTE DE TESTE Ambiente pós-desenvolvimento, usado para validação da equipe de testes de novas implementações. ANÁLISE DE GAPS Avaliação das insuficiências do APLICATIVO INTEGRADO para atender as necessidades de negócio do BRDE e identificação do que precisa ser feito para eliminá-las. ANAMNESE ANTECIPAÇÃO DE RECURSOS ANTT Entrevista realizada pelo profissional de saúde ao seu paciente, que tem a intenção de ser um ponto inicial no diagnóstico de uma doença. Liberação antecipada de recursos para uma empresa ou pessoa física realizar parte ou o todo do objeto de financiamento. Os recursos liberados antecipadamente devem ser descontados quando da liberação de recursos oriundos do PROVEDOR DE FUNDING. Agência Nacional de Transportes Terrestres. 1/17

2 APLICATIVO COMPLEMENTAR APLICATIVO INTEGRADO MÓDULOS que não integram o APLICATIVO PRINCIPAL, porém são ofertados como parte do APLICATIVO INTEGRADO, para que o mesmo possa atender, de forma integrada, à totalidade dos requisitos funcionais e técnicos expressos no EDITAL de Licitação. Solução integrada de sistemas que atende todos os requisitos funcionais e técnicos expressos no EDITAL de Licitação, podendo ser composta de APLICATIVO PRINCIPAL e APLICATIVO COMPLEMENTAR. APLICATIVO PRINCIPAL Conjunto básico de MÓDULOS integrados, desenvolvidos pelo mesmo fabricante, que compõem o APLICATIVO INTEGRADO responsável pelo atendimento dos requisitos funcionais e técnicos expressos no EDITAL de Licitação. ARQUITETURA DE SISTEMAS Infra-estrutura de sistemas de informação, incluindo as aplicações e os dados necessários para suportar a Arquitetura de Negócios (estratégia, governança, organização e PROCESSOS DE NEGÓCIO). Provê um plano para cada aplicação ser desenvolvida, suas interações e seus relacionamentos com os principais PROCESSOS DE NEGÓCIO do BRDE. Descreve a estrutura de dados e seus recursos de gerenciamento. ARQUITETURA DE TECNOLOGIA ART ARTEFATO ASO ASSUMENTE ATIVA ATIVIDADE Componentes de operação de TI que devem ser utilizados no dia-a-dia para suportar e viabilizar os PROCESSOS DE NEGÓCIO, incluindo hardwares, ferramentas de operação, ferramentas de monitoração e gerenciamento. Anotação de Responsabilidade Técnica Entregável, como manuais, arquivos executáveis e MÓDULOS, documentações de sistema, relatórios ou quaisquer outros documentos que venham a ser produzidos no desenvolvimento das atividades. Atestado de Saúde Ocupacional Pessoa que assume a dívida de terceiro junto ao BRDE. OPERAÇÕES de concessão de crédito junto aos clientes do BRDE. Combinações lógicas de tarefas, associadas a uma função específica de negócio, com a finalidade de criar/alterar objetos de negócio antes de transferi-los para outras atividades. É a ação executada que tem por finalidade dar suporte aos objetivos da organização. As ATIVIDADES correspondem a o quê é feito e como é feito durante o PROCESSO. 2/17

3 AVAL BACEN BANCO DE CLÁUSULAS BANCO PAGADOR BDC BNDES BÔNUS BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA CADASTRO DE BENS Garantia, onde uma pessoa (avalista) se torna responsável pelo pagamento de um título de crédito nas mesmas condições de seu avalizado. Banco Central do Brasil. Tabela de dados que contempla vários modelos de cláusulas para emissão de contratos ou outros termos legais. Banco no qual o BRDE efetua o pagamento de suas obrigações. Banco de Dados Corporativo. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Prêmio, bonificação ou vantagem que se confere aos portadores de certos títulos, cupões, bilhetes, etc. Descontos no custo financeiro da parcela de financiamento que o MUTUÁRIO recebe pelo pagamento da parcela até a data do seu vencimento. Todos os bens identificados como de clientes, de avalistas/fiadores e de controladores de empresas clientes. CADASTRO INTERNACIONAL Cadastro pelo qual é possível obter todas as informações sobre o comportamento de empresas e pessoas em todas as partes do mundo. CADIN CADIP CAGED CARTEIRA CAT CATÁLOGO DE CONSULTA RÁPIDA CBO CDC CDI CEDIDO CÉDULA CEF CEI CETIP CID CIPA CLT Cadastro Informativo de Créditos não Quitados. Cadastro da Dívida Pública (sistema de registro de OPERAÇÕES de crédito com o setor público) do BACEN. Cadastro Geral de Empregados e Desempregados Conjunto de OPERAÇÕES agrupadas por algum critério. Ex.: OPERAÇÕES ajuizadas. Comunicação de Acidente de Trabalho Manual resumido com as linhas de financiamento para uso interno. Cadastro Brasileiro de Ocupações Crédito Direto ao Consumidor Certificado de Depósito Interbancário COLABORADOR do BRDE cedido para trabalhar em outro órgão. INSTRUMENTO DE CRÉDITO Caixa Econômica Federal Cadastro de Empregador Individual. Central de Custódia e Liquidação de Títulos Cadastro Internacional de Doenças Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Consolidação das Leis do Trabalho. 3/17

4 CMMI-DEV Modelo da Maturidade da Capacidade para o Desenvolvimento - Integração CMN Conselho Monetário Nacional CNAE Classificação Nacional das Atividades Econômicas definida pelo IBGE. CND Certidão Negativa de Débito. COCRED Comitê de Crédito. Instância colegiada dos Superintendentes do BRDE, que auxilia a Diretoria em assuntos relativos à concessão e recuperação de créditos, bem como com respeito à definição de políticas operacionais e de crédito. CODESUL Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul CÓDIGO-FONTE É o código em que foi escrito o software antes de ser compilado e transformado em código executável. COFINS Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social COGER Comitê Gerencial das UNIDADES DE NEGÓCIO. Instância colegiada dos Gerentes e Superintendente da UNIDADES DE NEGÓCIO COGES Comitê de Gestão. Instância colegiada dos Superintendentes, Chefe do Gabinete da Diretoria (GADIR), Chefe da Consultoria Jurídica (CONJUR) e Chefe da Auditoria Interna (AUDIN), que auxilia a Diretoria, com assessoramento técnico em assuntos relacionados à gestão do Banco. COLABORADOR Funcionário de carreira, funcionário de gabinete, estagiário, conselheiro, diretor, ADIDO, CEDIDO. COMISSÃO INVENTARIANTE Comissão que valida o inventário de bens realizado anualmente. COMISSÃO DO FUNDO Valor devido pelo cliente ao administrador do FUNDO DE AVAL pela concessão da garantia na OPERAÇÃO. CONAB Companhia Nacional de Abastecimento. CONVENANTS CONVENIADA COSIF CREDIT SCORING CRÉDITO QUIROGRAFÁRIO CRF CRH CRP Cláusulas contratuais acessórias. Entidade parceira que executa OPERAÇÕES de crédito para seus membros/clientes via BRDE, atuando como intermediária. Consolidação do Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional. É o limite de crédito com base na classificação do risco. Crédito sem garantia. Certidão de Regularidade de Fornecedor. Cédula Rural Hipotecária. Cédula Rural Pignoratícia. 4/17

5 CRPH CSLL CUSTOMIZAÇÃO CVM DAÇÃO EM PAGAMENTO DACON DARF DCTF DDA DECISÃO DFC DIRF DLO DNRC DOC DRE DRM DRT DVA ECM ECTN EDI ENRIQUECIMENTO DOS DADOS Cédula Rural Pignoratícia e Hipotecária. Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. É a alteração de funcionalidades existentes ou criação de novas, sobre o SOFTWARE APLICATIVO, de acordo com as necessidades do BRDE. Comissão de Valores Mobiliários. Utilizar um bem para abater/saldar uma dívida com o BRDE. Ex.: entregar um imóvel como pagamento de parte da dívida. Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais Documento de Arrecadação de Receitas Federais Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Débito Direto Autorizado. Documento que contém as principais informações aprovadas da OPERAÇÃO, tais como PRODUTOS, taxas, prazos. Demonstração do Fluxo de Caixa. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte Demonstrativo de Lucro Operacional. Departamento Nacional de Registro Comercial. Documento de Crédito. Demonstração do Resultado do Exercício. Demonstrativo de Risco de Mercado. Delegacia Regional do Trabalho. Demonstração do Valor Adicionado. Enterprise Content Management ou Gestão de Conteúdos Empresarial, em português. Conjunto de tecnologias usadas para gerir o ciclo de vida das informações não-estruturadas de uma organização, contemplando as fases de criação/captura, armazenamento, versionamento, indexação, gestão, limpeza, distribuição, publicação, pesquisa e arquivamento, relacionando os conteúdos com PROCESSOS DE TRABALHO. Certificados de Emissão do Tesouro Nacional Electronic Data Interchange. Troca de arquivos de forma eletrônica. Compreende a atualização dos dados com novos atributos, complementares aos existentes até então, validação lógica e física dos dados e a adequação dos mesmos ao modelo de dados utilizado pelo APLICATIVO INTEGRADO. 5/17

6 EPM EQUALIZAÇÃO EQUIFAX ETIQUETA EVENTO EXIM EXTRAÇÃO DE DADOS EXTRATO GERAL DO CLIENTE FACDT FAMÍLIA DE ITENS FAMPE FAQ FATORES DE CÁLCULO Enterprise Performance Management ou Gestão do Desempenho Empresarial, em português. Solução de software que engloba conceitos, processos, metodologias, sistemas e indicadores que são utilizados para planejar, medir, comparar, analisar, prever e reportar informações das organizações, permitindo que a performance destas seja gerenciada de maneira mais racional e integrada. Valor a receber do Tesouro em função de descontos concedidos a clientes. Fornecedora de informação de crédito comercial, que contém banco de dados de informação de crédito de consumidores e empresas. Alterações contratuais unilaterais para aditar uma cédula de crédito rural. Identifica o término de uma etapa ou conjunto de atividades ao longo das Fases do Projeto de implantação do APLICATIVO INTEGRADO. A ocorrência de um EVENTO pode ou não gerar um pagamento. Produto BNDES com a finalidade de apoio à produção de bens e serviços destinados à exportação e a comercialização, no exterior, de bens e serviços brasileiros. Processo de captura dos dados das bases de dados e outras fontes dos sistemas legados do BRDE e armazenamento dos mesmos em arquivos texto. Saldo devedor com descrição da MODALIDADE OPERACIONAL e taxas aplicadas, imagem do contrato original e aditivos, comportamento nos pagamentos, histórico de SERASA, envios de correspondência e protestos que são as informações restritivas, além das garantias e histórico cadastral dos garantidores fidejussórios, informações jurídicas e identificação da CARTEIRA em que se encontra. Tabela única para atualização e conversão de débitos trabalhistas. Agrupamento de itens por tipo. Ex.: Computadores, impressoras. Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas. Este fundo é constituído e gerido pelo SEBRAE. Perguntas frequentes Equivale ao índice multiplicador do valor do Contrato que calcula o valor a ser pago para cada produto ou ARTEFATO entregues e serviços efetivamente prestados. 6/17

7 FGPC Fundo de Garantia para a Promoção da Competitividade. FGTS Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. FGV Fundação Getúlio Vargas. FINAME Financiamento para produção e aquisição de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional, credenciados no BNDES. FINEM Financiamento a empreendimentos de valor igual ou superior a R$ 10 milhões, realizado diretamente pelo BNDES ou por meio das Instituições Financeiras Credenciadas. FRO Ficha Resumo da OPERAÇÃO, no modelo do PROVEDOR DE FUNDING, que contém dados da OPERAÇÃO, como condições do financiamento, garantias e projeto. É encaminhada ao PROVEDOR DE FUNDING. FUNÇÃO ocupada pelo COLABORADOR, como: FUNÇÃO contador, administrador, economista, engenheiro, advogado, analista de sistemas. FUNÇÃO GRATIFICADA Designação temporária de um COLABORADOR que dá direito a um adicional salarial. Em português, "Fundo"; fonte de recursos, estatutária FUNDING ou legal, com condições e procedimentos operacionais específicos. Ex. Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT. Fundo que oferece uma garantia da OPERAÇÃO. FUNDO DE AVAL Ex.: FGC operado pelo BNDES. Caso o cliente fique inadimplente, este fundo arcará com o percentual contratado. FUNDO DE LIQUIDEZ Forma de garantia dada pelas CONVENIADAS às suas OPERAÇÕES, através de depósitos em determinada conta bancária. GARANTIA EVOLUTIVA Garantia inexistente na data de assinatura do contrato, que será construída ao longo da execução do projeto financiado e que será incorporada às garantias já existentes. GARANTIA FIDEJUSSÓRIA Garantia prestada através de aval na cédula ou fiança no contrato. GARANTIA PIGNORATÍCIA Bem móvel (penhor). GFIP Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social. GO LIVE Data de início da utilização das funcionalidades do APLICATIVO INTEGRADO, que suportam determinado processo de trabalho, em AMBIENTE DE PRODUÇÃO. GPS Global Positioning System Sistema de Posicionamento Global 7/17

8 GRPS GRRF GRUPO ECONÔMICO HONRA IBAMA IBGE ICP BRASIL IFRS IFT IGPM INCRA INFORME CADASTRAL INSS INSTRUMENTO DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE FORMALIZAÇÃO INTEGRADORA IPTU IRPF IRPJ IRRF Guia de Recolhimento da Previdência Social. Guia de Recolhimento Rescisório do FGTS Conjunto de mais de uma empresa que são administradas por um mesmo proprietário ou um mesmo grupo empresarial. Quando o FUNDO DE AVAL paga o percentual da dívida contratado. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Infra-estrutura de Chaves Públicas do Brasil International Financial Reporting Standards - Padrões de Relatórios Financeiros Internacionais Informações Financeiras Trimestrais. Índice Geral de Preços ao Mercado. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Relatório cadastral que contém as dívidas do cliente no BRDE, as dívidas informadas pela Central de Risco do BACEN e Central de Restrições (SERASA e EQUIFAX). Instituto Nacional do Seguro Social. Contrato ou cédula bancária entre BRDE e cliente. Idem INSTRUMENTO DE CRÉDITO. Os Convênios Operacionais podem compreender, para sua execução, várias entidades intervenientes, cada uma com sua função específica. Para fins de registro e controle, sempre que esta situação ocorrer, a entidade principal, a partir da qual se estabelece o fluxo operacional que conduz ao beneficiário final ou para quem se concede o LIMITE DE COOBRIGAÇÃO, será denominada de integradora. Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana. Imposto sobre a Renda de Pessoa Física. Imposto sobre a Renda de Pessoa Jurídica Imposto de Renda Retido na Fonte ISBRE Fundação BRDE de Previdência Complementar ISS Imposto sobre Serviços ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI), em português. Conjunto de boas práticas a serem aplicadas na infraestrutura, operação e manutenção de serviços de TI. 8/17

9 ITR LAUDO DE AVALIAÇÃO LIMITE DE COOBRIGAÇÃO LIVRE ESCOLHA LOTAÇÃO LTI MACROPROCESSO MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO ADAPTATIVA MANUTENÇÃO CORRETIVA MANUTENÇÃO EVOLUTIVA Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural. Relatório que contém a descrição das garantias, seus valores, método de avaliação utilizado e eventuais ônus/gravames das garantias. Limite que a conveniada/integradora pode garantir (ex.: dar AVAL, FUNDO DE LIQUIDEZ). Escolha de profissional de saúde fora do convênio. Setor de trabalho do COLABORADOR. Licença para Tratamento de Interesses Particulares São grandes conjuntos de ATIVIDADES pelos quais a organização cumpre a sua missão e alcança os seus objetivos estratégicos, gerando valor. Geralmente envolve mais de uma função da organização, e cuja operação tem impacto significativo nas demais funções da organização. O serviço de MANUTENÇÃO, no entendimento deste Edital, engloba serviços de fornecimento e aplicação de atualizações, correções, melhorias e adaptações tanto no Software Núcleo do APLICATIVO fornecido pela Contratada, quanto no próprio APLICATIVO, durante o prazo de vigência do contrato, contemplando três tipos: MANUTENÇÃO CORRETIVA, MANUTENÇÃO ADAPTATIVA e MANUTENÇÃO EVOLUTIVA. MANUTENÇÃO que surge em decorrência de alterações em legislação, requerimentos de órgãos reguladores e exigências jurídicas e visa alterar, adequar e/ou adaptar o APLICATIVO INTEGRADO à nova situação, garantindo seu perfeito funcionamento, sem ônus para o BRDE. Engloba também alterações ou adequações que, mesmo sem serem corretivas, não agregam novas funcionalidades ao APLICATIVO INTEGRADO. MANUTENÇÃO que decorre de um erro identificado no APLICATIVO INTEGRADO e que deve ser corrigido, assim como eliminar interrupções de funcionamento nos objetos sob responsabilidade da Contratada, a fim de que o APLICATIVO INTEGRADO opere normalmente, sem ônus para o BRDE. MANUTENÇÃO que consiste na gestão e resolução de solicitações de evolução do APLICATIVO, refletindo na adequação do APLICATIVO às novas exigências do BRDE, contemplando, não somente, a implementação de novas funcionalidades, não previstas nos requisitos funcionais do Edital, cabendo 9/17

10 o pagamento por esta MANUTENÇÃO via sistema de Banco de Horas. MAPA MAPA DE COMPROVAÇÃO MAPA DE RISCOS MAPA DE VAGAS MARGEM CONSIGNÁVEL MATRIZ DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Planilha com dados de documentos que comprovam os investimentos já realizados. É uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho (sobre a planta baixa da empresa, podendo ser completo ou setorial), capazes de acarretar prejuízos à saúde dos trabalhadores: acidentes e doenças de trabalho. Relatório da quantidade de vagas por cargo e LOTAÇÃO. Limite máximo de comprometimento do salário que pode ser reservado para as prestações mensais e que serão debitadas diretamente da folha de pagamento Relatório no qual é avaliado o risco da OPERAÇÃO de crédito ou do PROPONENTE, que contém dados qualitativos (ex.: qualidade das garantias, conceito cadastral) e quantitativos (dados de balanço, financiamentos existentes). A partir desses dados é atribuída uma nota de risco da OPERAÇÃO ou do PROPONENTE. Manual de Crédito Rural. Manual de Instrução de Pleitos. MCR MIP MODALIDADE OPERACIONAL Identificação da origem do FUNDING atrelada a uma aplicabilidade de crédito. MÓDULO Conjunto de funcionalidades (cadastro, consulta e relatórios) do APLICATIVO INTEGRADO, responsável por ATIVIDADES, PROCESSOS, ou SUBPROCESSOS similares e interligados. MPS.BR Melhoria de Processos do Software Brasileiro MTE Ministério do Trabalho e Emprego. MUTUÁRIO Entidade que recebe algum tipo de financiamento do BRDE. NATUREZA DE ITEM Agrupamento por categoria de itens por gênero. Ex.: Equipamentos de Informática. NCR Nota de Crédito Rural. NLCG Necessidade Líquida de Capital de Giro. OAB Ordem dos Advogados do Brasil. ONDA Intervalo de tempo para a implantação dos processos de trabalho em AMBIENTE DE PRODUÇÃO. ÔNUS DE SUCUMBÊNCIA Despesas do processo judicial (honorários e 10/17

11 OPERAÇÃO OPERAÇÃO ASSISTIDA ORDEM DE FORNECIMENTO ORDEM DE SERVIÇO ÓRGÃO REPASSADOR PAC PAI PAO PARADIGMA PARAMETRIZAÇÃO PAS PASEP PASSIVA PCH PCMSO PEDIDO DE LIBERAÇÃO PENHOR RURAL ressarcimento de custas pagas pela parte contrária). Contrato de concessão de crédito (financiamento). Operação conjunta do ambiente por profissionais do BRDE e da CONTRATADA por um período previamente acordado a fim de transferir conhecimento prático sobre as atividades cotidianas de operação e administração. Formalização do pedido de compra. Formulário do BRDE utilizado para requerer serviços técnicos especializados da Contratada utilizando-se de quantitativo de horas do Banco de Horas estabelecido em contrato. Repassador de recursos para concessão de crédito aos clientes finais. Ex.: BNDES. Proposta de Abertura de Crédito, no modelo do PROVEDOR DE FUNDING, que contém dados da OPERAÇÃO, como condições do financiamento, garantias e projeto, utilizada nos casos de financiamento de máquinas e equipamentos. É encaminhada ao PROVEDOR DE FUNDING. Programa de Assistência Infantil Programa de Assistência Odontológica COLABORADOR ao qual o reclamante se compara em uma ação trabalhista. É a configuração das funcionalidades do SOFTWARE APLICATIVO sem alteração das mesmas ou criação de nova funcionalidade. Programa de Assistência à Saúde Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público OPERAÇÕES junto aos órgãos repassadores de recursos financeiros (FUNDING). Pequena Central Hidrelétrica. Programa de controle médico de saúde ocupacional Solicitação de repasse de recursos contratados junto ao provedor de FUNDING. Direito Real de Garantia. Pode incidir sobre imóvel, que será o de produção agrícola, ou até mesmo maquinário industrial, que será considerado imóvel por acessão natural ou industrial. Possui prazos de renovação estipulados entre 3 e 4 anos, registrados em cartório imobiliário. 11/17

12 PERÍODO AVALIATIVO É o semestre ao qual correspondem as avaliações que estão sendo realizadas. PESA PIS Programa Especial de Saneamento de Ativos. Programa de Integração Social PL Patrimônio Líquido. Valor residual dos ativos da entidade depois de deduzidos todos os seus passivos (Fonte: Resolução CFC Nº /08, NBC T 1 Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis). PLANO DE TREINAMENTO Treinamentos que serão executados pelos COLABORADORES do BRDE no ano. PLANO EXECUTIVO DE IMPLANTAÇÃO PLE PMAT PMBOK PMI PMO PMP PPG PPP PPRA PRESCRIÇÃO INTERCORRENTE PRÓ-CAMINHONEIRO PROCESSO PROCESSO DE NEGÓCIO PROCESSO DE SUPORTE Manual de implantação do APLICATIVO INTEGRADO e demais PROJETOS necessários para a instalação dos novos PROCESSOS DE TRABALHO. Programa de Línguas Estrangeiras. Programa de Modernização da Administração Tributária e Gestão dos Setores Sociais Básicos. Project Management Body of Knowledge Project Management Institute Project Management Office. Project Management Professional Programa de Pós Graduação Perfil Profissiográfico Previdenciário Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Decorre da inércia do credor na movimentação do processo judicial. Quando uma ação judicial fica sem movimentação por algum tempo, o credor perde o direito de prosseguir na cobrança. Programa de Financiamento a Caminhoneiros. Seqüência de ATIVIDADES que recebe entradas, agrega-lhes valor e as transforma em resultados. Têm início e fim bem determinados, numa sucessão clara e lógica de ações interdependentes que geram resultados pretendidos pela organização. PROCESSO executado pelo BRDE para atender a sua missão e valores, vinculado diretamente à realização de negócios e geração de receitas. PROCESSO executado pelo BRDE que apóia e suporta seus PROCESSOS DE NEGÓCIO. PROCESSO DE TRABALHO Designa o somatório dos PROCESSOS DE NEGÓCIO e PROCESSOS DE SUPORTE executados pelo BRDE, que são suportados pelo 12/17

13 PROCESSO LÍDER PRODUTO PROGEREN PROINSA PROJETO PRONAF PROPONENTE APLICATIVO INTEGRADO. É um processo através do qual os convênios são registrados e controlados. Esse processo é aberto em nome da única ou da principal entidade CONVENIADA. Descreve as linhas de financiamento, beneficiários, os itens financiáveis, a sistemática de enquadramento, as condições operacionais, as exceções, as alçadas decisórias, os procedimentos de concessão, de fiscalização, os documentos necessários, as fontes de referência, orientações para operacionalização através de convênio, a sistemática de contratação a técnica os procedimentos internos. Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda. Programa de Refinanciamento de Insumos Agrícolas Projeto de financiamento a ser analisado. Pode gerar uma ou mais OPERAÇÕES. Programa Nacional de Agricultura Familiar. Futuro cliente, antes da contratação ou potencial comprador no processo Recuperação por Venda de Bens. PROPOSTA DE FUNDING Documento de solicitação de recursos ao PROVEDOR DE FUNDING; é criado um para cada SOLICITAÇÃO DE FINANCIAMENTO. Ex.: PAC ou FRO. PROPOSTA DO COMITÊ DE GESTÃO Deliberação sobre determinado tema (aprovação, sugestões de alterações ou não aprovações), emitido pelo Comitê de Gestão (COGES), para formalizar proposição de procedimentos e políticas de gestão do BRDE às alçadas superiores. Também denominada PCG. PRORROGAÇÃO Arrolamento da dívida rural por força de lei. PROVEDOR DE FUNDING Provedor/agente repassador de FUNDING para o BRDE. Ex.: BNDES. PROVIAS Programa de Intervenções Viárias. PSI Programa de Sustentação do Investimento. PVA Programa Validador e Assinador da ECD (Escrituração Contábil Digital), QA Quality Assurance ou Garantia da Qualidade, em português. Método que garante a qualidade do processo, evidenciando todas as etapas do desenvolvimento de sistemas, certificando que as mesmas estarão de acordo com as necessidades do cliente e que serão implementadas corretamente. 13/17

14 QUADRO DE ALOCAÇÃO DE GARANTIAS É um quadro onde é possível visualizar quanto de cada garantia está alocada em cada OPERAÇÃO. Serve para os casos em que uma garantia está envolvida em mais de uma OPERAÇÃO. QUADRO DE USOS E FONTES Quadro que contém a origem (fontes) e aplicações/cronograma de investimentos (usos) dos recursos. RAIS REBATE RECIBO DE HABILITAÇÃO RECOOP RECOR REFIN RELATÓRIO DE ALTERAÇÃO DE GARANTIA Relação Anual de Informações Sociais Desconto contratual ou concedido pelo governo em caso de prorrogações para operações agrícolas ou PRONAF. Comprovação de depósito prévio. Programa de Revitalização de Cooperativas de Produção Agropecuária Registro Comum das Operações Rurais do BACEN. Linha do BNDES para refinanciamento de dívidas. Relatório no qual constam os dados do cliente, situação no BRDE, dados econômico-financeiros, dados do INFORME CADASTRAL, garantias atuais da OPERAÇÃO, futuras garantias após a alteração e justificativa para a alteração. RELATÓRIO DE ANÁLISE Relatório que contém análise retrospectiva, prospectiva, gerencial, mercadológica, jurídica e aspectos técnicos do projeto. RELATÓRIO DE ATIVIDADES Relato detalhado das atividades executadas, contendo o tempo efetivamente gasto, os recursos humanos alocados na atividade e demais informações relevantes que caracterizem o contexto da execução dos serviços técnicos especializados demandados pelo BRDE. RELATÓRIO DE PROPOSTA DE ACORDO RELATÓRIO DE PRORROGAÇÃO REP REPASSE Relatório no qual constam os dados do cliente, histórico no BRDE, dados das OPERAÇÕES (com o BRDE) com saldo devedor, dados econômicofinanceiros, dados do INFORME CADASTRAL, garantias da OPERAÇÃO, projeção da capacidade de pagamento, proposta negociada e situação junto a outros credores e junto ao fisco. Relatório no qual consta um resumo das OPERAÇÕES passíveis de prorrogação estratificadas por programa, por CONVENIADA/individuais, por agência, por saldo vencido e em dia. Há também campos descritivos para registro das regras gerais do negócio e estratégia de atuação. Registrador Eletrônico de Ponto Valor recebido do PROVEDOR DE FUNDING que será liberado ao cliente. 14/17

15 REQUISIÇÃO DE OBJETO REVITALIZA RFB RP1 RP2 SCR SEAB SEBRAE SECURITIZAÇÃO SEFAZ SEFIP Documento através do qual as áreas solicitam à Area de compras a aquisição de um bem ou contratação de serviços. Programa de Apoio à Revitalização de Empresas Receita Federal do Brasil (ou brasileira). Regulamento de Pessoal I Regulamento de Pessoal II Sistema de Informações de Crédito do BACEN. Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Ferramenta financeira usada para converter uma carteira relativamente homogênea de ativos em títulos mobiliários passíveis de negociação Secretaria da Fazenda Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e informações à Previdência Social Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. SELIC SEMANA ACADÊMICA Semana com apresentações de trabalhos desenvolvidos pelos COLABORADORES em cursos de pós-graduação. SERASA SGBD SINTEGRA SIPAT SISBACEN SOFTWARE NÚCLEO SOLUÇÃO MODERNIZA BRDE SPE SPED STN Fornecedora de informação de crédito comercial, que contém banco de dados sobre consumidores, empresas e grupos econômicos. Sistema Gerenciador de Banco de Dados. Sistema de Informações Integradas sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços. Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho Sistema de Informações do BACEN que consiste em um conjunto de recursos de tecnologia da informação, interligados em rede, utilizado pelo Banco Central na condução de seus processos de trabalho. Software tal como é comercializado pela Contratada, sem qualquer tipo de CUSTOMIZAÇÃO e/ou PARAMETRIZAÇÃO. Conjunto de componentes (hardware, software e serviços) necessários para suportar a implantação dos PROCESSOS DE NEGÓCIO E SUPORTE do BRDE. Sistema do Correio. Escrituração Contábil Digital Secretaria do Tesouro Nacional. 15/17

16 SUBPROCESSO PROCESSOS em um nível maior de detalhamento, que demonstram os fluxos de trabalho e ATIVIDADES seqüenciais e interdependentes, necessárias e suficientes para a execução de cada PROCESSO da organização. SUMÁRIO EXECUTIVO DO PROJETO Resumo do PROJETO contendo os principais riscos e méritos do PROJETO. Idem DECISÃO. SUPORTE TÉCNICO LOCAL Suporte técnico presencial nas UNIDADES DE NEGÓCIO do BRDE. SUPORTE TÉCNICO REMOTO Suporte técnico por Internet ou telefone. SUS Sistema Único de Saúde. TCE Termo de Compromisso de Estágio TED Transferência Eletrônica Disponível. TERMO DE CANCELAMENTO Documento emitido quando do cancelamento da OPERAÇÃO. TERMO DE COOPERAÇÃO Define as obrigações do BRDE, da cooperada e das afiliadas, duração, prazos, eleição de foro, possibilidade de renovação, divisão das despesas, pagamento de comissão, beneficiários e linhas que serão operadas. TERMO DE LIBERAÇÃO DE GARANTIAS TERMO DE QUITAÇÃO TESTE DE PERFORMANCE TESTE DE REGRESSÃO TESTE INTEGRADO TESTE UNITÁRIO THO TJLP TR TREINAMENTO ABERTO TREINAMENTO FECHADO UNIDADE DE NEGÓCIO Documento emitido para a formalização da liberação de garantias. Documento que formaliza a quitação de uma dívida. Fase de testes onde se é verificado se os tempos de resposta do sistema são aceitáveis. Fase de testes que consiste na aplicação de testes à versão mais recente do software, para garantir que não surgiram novos defeitos em componentes já testados. Fase onde são testados os componentes de um sistema, de forma integrada. Fase onde são testadas as menores unidades independentes de software desenvolvidas. Tabela de Honorários Odontológicos Taxa de Juros de Longo Prazo. Taxa Referencial. Treinamento com formação externa, em geral solicitado pelo próprio COLABORADOR, para um participante ou grupos pequenos. Treinamento com formação interna para grandes grupos de COLABORADORES, com turmas exclusivas do BRDE. Unidade organizacional do BRDE. Pode ser a Direção Geral, agências e escritórios ligados a uma agência. 16/17

17 UNIDADE MONETÁRIA URA USUÁRIO ADMINISTRADOR USUÁRIO GESTOR USUÁRIO TRANSACIONAL VALIDAÇÃO DOS DADOS VALOR SEGURADO VIA NÃO NEGOCIÁVEL VOTO Unidade utilizada na realização de transações e que corresponde a um determinado valor oficialmente estabelecido. Unidade de Resposta Audível. Deve ser capaz de configurar os usuários e grupos de usuários, configurar usuários e seus acessos, configurar toda a plataforma e ambiente do APLICATIVO INTEGRADO, operar e monitorar todo o ambiente APLICATIVO INTEGRADO. Usuário capaz de conceder e revogar o acesso a seus subordinados com base em seus acessos. Utiliza o módulo de outras áreas para validar, autorizar, incluir informações, dentro de um processo definido em uma linha integrada. Processo de limpeza dos dados (detecção e correção de dados incorretos, incompletos, corrompidos ou duplicados). Percentual do valor da garantia. Cópia original do documento de formalização que não representa a exigibilidade do crédito (não tem valor judicial). Ex.: via do devedor. Deliberação sobre determinado tema (aprovação, sugestões de alterações ou não aprovações). 17/17

ANEXO VII GLOSSÁRIO 1

ANEXO VII GLOSSÁRIO 1 ANEXO VII GLOSSÁRIO 1 Termo Ambiente de Desenvolvimento Ambiente de Homologação Ambiente de Produção Ambiente de Teste Aplicativo Basileia Basileia II BNDES Descrição Ambiente onde propriamente são desenvolvidas

Leia mais

esocial O que muda na sua empresa? TAX

esocial O que muda na sua empresa? TAX TAX esocial O que muda na sua empresa? 20XX KPMG, uma [estrutura legal] brasileira e firma-membro da rede KPMG de firmasmembro independentes e afiliadas à KPMG International Cooperative ( KPMG International

Leia mais

FINANCEIROS FUNCIONALIDADES

FINANCEIROS FUNCIONALIDADES Os aplicativos financeiros da MPS - Contas a Receber, Contas a Pagar e Fluxo de Caixa - são utilizados por diversos clientes e possuem todas as funcionalidades operacionais necessárias, além de opções

Leia mais

A PRIMEIRA PLATAFORMA INTELIGENTE DE SISTEMAS E SERVIÇOS

A PRIMEIRA PLATAFORMA INTELIGENTE DE SISTEMAS E SERVIÇOS A PRIMEIRA PLATAFORMA INTELIGENTE DE SISTEMAS E SERVIÇOS INTEGRADOS PARA ASSEGURAR O CONTROLE COMPLETO DO PROCESSO DE VENDAS, COM ACESSO COMPARTILHADO POR TODAS AS PARTES ENVOLVIDAS. NOSSA PLATAFORMA WEB

Leia mais

III Seminário de Gestão e. Arrecadação Municipal

III Seminário de Gestão e. Arrecadação Municipal III Seminário de Gestão e iza Arrecadação Municipal Modernização dos Instrumentos de Arrecadação Fontes de Financiamento para Fazendas Públicas Municipais. Temas abordados no evento: 1. Alternativas de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA

PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAR UMA EMPRESA Equipe Portal de Contabilidade Para encerrar as atividades de uma empresa, é preciso realizar vários procedimentos legais, contábeis e tributários, além de, é claro,

Leia mais

Cargos/Funções necessárias no desenvolvimento das atividades: GERENTE DE ATIVIDADE, ASSISTENTE TÉCNICO ESPECIALIZADO E ASSISTENTE OPERACIONAL

Cargos/Funções necessárias no desenvolvimento das atividades: GERENTE DE ATIVIDADE, ASSISTENTE TÉCNICO ESPECIALIZADO E ASSISTENTE OPERACIONAL Cargos/Funções necessárias no desenvolvimento das atividades: GERENTE DE ATIVIDADE, ASSISTENTE TÉCNICO ESPECIALIZADO E ASSISTENTE OPERACIONAL MACRO FUNÇÃO ATIVIDADE TAREFA Verificar Tabela de Bancos, Analisar

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES 1. Introdução As tabelas a seguir apresentam os MACROPROCESSOS do BNDES, segregados por plataformas. As

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

ANEXO I OBJETO. OBJETO: Contratação de empresa para realização de auditoria do exercício de 2014.

ANEXO I OBJETO. OBJETO: Contratação de empresa para realização de auditoria do exercício de 2014. ANEXO I OBJETO OBJETO: Contratação de empresa para realização de auditoria do exercício de 2014. Prestação de serviços de auditoria para exame das demonstrações contábeis e financeiras do exercício de

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1)

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1) (I) DO COMPRADOR ( ) Ficha Cadastral do Proponente (Original, preenchida, datada e assinada) ( ) Documento de Identidade de todos os compradores e seus respectivos cônjuges, se for o caso ( ) CPF de todos

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Diretoria Executiva / Dir. Risco de Credito Área de Crédito e Risco Área Comercial Área de Tecnologia da Informação Compliance Officer Elementos de Apoio:

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes Índice 01. Incorporação Imobiliária...3 02. Contrato...4 03. Pagamento e Boletos...5 04. Financiamento...6 05. Distrato e Transferência...8 06. Documentações...9 07. Instalação

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ

MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ MANUAL DE GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ Introdução O Gerenciamento do Risco de Liquidez no Grupo Didier Levy, considerando as empresas BEXS Banco de Câmbio S/A e BEXS Corretora de Câmbio S/A está

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Projeto EFD Social Programa de Unificação do Crédito (Fazendário e Previdenciário)

Projeto EFD Social Programa de Unificação do Crédito (Fazendário e Previdenciário) Projeto EFD Social Programa de Unificação do Crédito (Fazendário e Previdenciário) Projeto EFD Social Integra o Programa de Unificação do Crédito Previdenciário) PUC 1 (Fazendário e Iniciativa

Leia mais

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros 2015 Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros Sumário Introdução... 2 O Programa PROEX... 2 PROEX Financiamento... 3 Mais Alimentos Internacional... 4 PROEX Equalização...

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL O que você irá ver O que é o SPED; SPED Fiscal; Abrangência do projeto; O PAC e o SPED; Benefícios para as Empresas; Benefícios para a Fisco; SPED Contábil; Nota

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

DELPHOS INFORMA CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO Nº 133, DE 26 DE ABRIL DE 2002

DELPHOS INFORMA CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO Nº 133, DE 26 DE ABRIL DE 2002 DELPHOS INFORMA ANO 8 - Nº 35 ABRIL / 2002 CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO Nº 133, DE 26 DE ABRIL DE 2002 Ementa: Aprovar o Regulamento do Parcelamento de Débitos

Leia mais

CARTA CONJUNTA SUP/AC 019/2012 SUP/AOI 242/2012. Rio de Janeiro, 04 de outubro de 2012

CARTA CONJUNTA SUP/AC 019/2012 SUP/AOI 242/2012. Rio de Janeiro, 04 de outubro de 2012 CARTA CONJUNTA SUP/AC 019/2012 SUP/AOI 242/2012 Rio de Janeiro, 04 de outubro de 2012 ASSUNTO: Programa BNDES Especial de Refinanciamento para os Setores de Bens de Capital e de Transporte Rodoviário de

Leia mais

Governo do Estado do Amazonas. Banco Interamericano de Desenvolvimento BID Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus PROSAMIM III 2676/OC-BR

Governo do Estado do Amazonas. Banco Interamericano de Desenvolvimento BID Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus PROSAMIM III 2676/OC-BR Governo do Estado do Amazonas Banco Interamericano de Desenvolvimento BID Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus PROSAMIM III 2676/OC-BR Plano de Contas Manaus Amazonas 2012 0 Índice 1. Introdução

Leia mais

Crédito Rural Safra 2014/2015 FINAME AGRÍCOLA. Produtores rurais Pessoas Jurídicas e Cooperativas Agropecuárias:

Crédito Rural Safra 2014/2015 FINAME AGRÍCOLA. Produtores rurais Pessoas Jurídicas e Cooperativas Agropecuárias: Linha PSI RURAL Produtores rurais Pessoas Jurídicas e Cooperativas Agropecuárias: a) Aquisição de máquinas e equipamentos; b) Aquisição de implementos agrícolas, tratores, colheitadeiras e similares; Produtores

Leia mais

Produtores rurais de arroz, pessoa física ou jurídica, com sede e administração no país, inclusive cooperativas.

Produtores rurais de arroz, pessoa física ou jurídica, com sede e administração no país, inclusive cooperativas. CIRCULAR Nº 02/2013-BNDES Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 2013. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para Composição de Dívidas Decorrentes de Operações de Crédito de Investimento Rural

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo estabelecer os critérios e procedimentos a serem adotados para concessão e liberação de empréstimos aos participantes. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO As operações de empréstimos

Leia mais

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA.

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. Índice Capítulo I Da Carteira de Empréstimo Simples... 3 Capítulo II Dos Recursos

Leia mais

PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS. Página 1 de 9

PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS. Página 1 de 9 PROGRAMA APLICAÇÃO DE RECURSOS FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS Responsável Versão Última Atualização 15/07/2015 Página 1 de 9 PROGRAMA PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS Exclusivo para Instituições Financeiras Associadas

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

ANEXO I DOS SERVIÇOS A SEREM CONTRATADOS

ANEXO I DOS SERVIÇOS A SEREM CONTRATADOS Concorrência DIRAT/CPLIC-009/2006 1 ANEXO I DOS SERVIÇOS A SEREM CONTRATADOS A empresa contratada deverá executar os serviços de auditoria contábil e outros correlatos, com emissão de pareceres e/ou relatórios,

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO IV INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS DO BRDE ÍNDICE

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO IV INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS DO BRDE ÍNDICE EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO IV INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS DO BRDE ÍNDICE 1. CARACTERIZAÇÃO E MISSÃO...2 2. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL...2 3. LINHAS DE APOIO FINANCEIRO...5 4.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS

CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS AO EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DESTINADO À RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS O BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A., com sede na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 e 2235, Bloco A, Vila Olímpia, São Paulo/SP, CEP 04543-011, CNPJ/MF sob n.º 90.400.888/0001-42, disponibiliza

Leia mais

LEI Nº 13.979, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007

LEI Nº 13.979, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007 ESTADO DO CEARÁ LEI Nº 13.979, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007 DISPÕE SOBRE A RENEGOCIAÇÃO DAS DÍVIDAS DECORRENTES DE EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS PELO EXTINTO BANCO DO ESTADO DO CEARÁ S/A BEC, POR PARTE DO ESTADO

Leia mais

Portabilidade de Crédito Conceitos Gerais e Processos Guia Rápido Correspondentes

Portabilidade de Crédito Conceitos Gerais e Processos Guia Rápido Correspondentes Diretoria de Cartões e Consignado Superintendência Executiva de Crédito Consignado Conceitos Gerais e Processos Guia Rápido Correspondentes São Paulo, Maio de 2014. Índice 1. Glossário 2. Definições 3.

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO GARÇAS CONTROLE INTERNO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO GARÇAS CONTROLE INTERNO 1/5 NORMA INTERNA : 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e orientar o fluxo das operações de crédito, bem como avais e garantias oferecidas para as operações de crédito; 1.2) Atender legalmente os dispositivos

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015. Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015. Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015 Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1 ENCAMINHAMENTO DA FICHA DE RESERVA DE CRÉDITO PARA MICROCRÉDITO 1.1 Para utilização

Leia mais

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS ESCRITA FISCAL A nota eletrônica é melhor do que a nota em papel? Sim a nota eletrônica não possui custo para emissão, necessitando apenas de um computador, um certificado digital

Leia mais

Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA. Renda Fixa. Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA

Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA. Renda Fixa. Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio Viabiliza o financiamento da cadeia do agronegócio com recursos privados O produto

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital

Sistema Público de Escrituração Digital O SPED O Sistema Público de Escrituração Digital tem por objetivo promover a integração entre os órgãos reguladores e de fiscalização da União, FISCOS Estaduais e futuramente Municipais. Isso mediante

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO Através deste manual, a Tecnicont pretende orientar seus clientes e facilitar os procedimentos a serem realizados no envio de documentos

Leia mais

RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados

RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados MARINHA DO BRASIL RO. 03.03 Versão: 38 Exclusivo para Uso Interno RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados 1. PÚBLICO ALVO E REGRAS BÁSICAS Categorias

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 43/2014-BNDES Rio de Janeiro, 20 de outubro de 2014 Ref.: Produtos BNDES Automático e BNDES Finame Agrícola Ass.: Programa BNDES

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

SEGURO-DESEMPREGO - NOVOS VALORES - MARÇO/2011. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 09/03/2011.

SEGURO-DESEMPREGO - NOVOS VALORES - MARÇO/2011. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 09/03/2011. SEGURO-DESEMPREGO - NOVOS VALORES - MARÇO/2011 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 09/03/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Requisitos 3 - Comprovação 4 - Parcelas 4.1 - Parcelas Adicionais

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 MÊS N ATIVO ATIVO CIRCULANTE Disponível Aplicações Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas Aplicações

Leia mais

Tabela Comparativa de funcionalidades

Tabela Comparativa de funcionalidades Sage Sage Gestão Contábil A evolução A do do escritório Tabela Comparativa de funcionalidades Sage Folha de Pagamento A disponibilidade da funcionalidade dependerá da modalidade do pacote 1 Gerenciador

Leia mais

II - original ou cópia autenticada da autorização legislativa específica para a realização da operação;

II - original ou cópia autenticada da autorização legislativa específica para a realização da operação; Portaria n o 4, de 18 de janeiro de 2002. Dispõe sobre os procedimentos de formalização de pedidos de contratação de operações de crédito externo e interno dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios,

Leia mais

TAX. esocial. kpmg.com/br

TAX. esocial. kpmg.com/br TAX esocial kpmg.com/br 1 esocial O que é o esocial? O Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas esocial é um projeto desenvolvido pelo Governo Federal,

Leia mais

Como o esocial muda o dia a dia da sua empresa?

Como o esocial muda o dia a dia da sua empresa? Como o esocial muda o dia a dia da sua empresa? SISTEMA HUMANUS DE GESTÃO DE RH O QUE É O ESOCIAL? O esocial é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação

Leia mais

Edital de Credenciamento 003/2012

Edital de Credenciamento 003/2012 1/5 Edital de Credenciamento 003/2012 1 DO OBJETO: 1.1. O presente Termo tem por objetivo o credenciamento de Instituições Financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, para prestação

Leia mais

FGTS para as empresas. Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ

FGTS para as empresas. Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ FGTS para as empresas Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ Roteiro Conectividade Social Regularizações Individualização Cadastral Parcelamento CRF Novo Modelo de TRCT Legislação do FGTS

Leia mais

RESOLUÇÃO N 2.471. Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.589, de 28/1/1999.

RESOLUÇÃO N 2.471. Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.589, de 28/1/1999. RESOLUÇÃO N 2.471 Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.568, de 6/11/1998. Prazo de renegociação prorrogado. Vide Resolução nº 2.589, de 28/1/1999. Prazo de renegociação prorrogado. Vide

Leia mais

AGÊNCIAS DE FOMENTO. Tudo para que a sua instituição financeira tenha uma gestão de qualidade, com abrangência, eficiência e confiabilidade.

AGÊNCIAS DE FOMENTO. Tudo para que a sua instituição financeira tenha uma gestão de qualidade, com abrangência, eficiência e confiabilidade. Segmento FINANCIAL SERVICES AGÊNCIAS DE FOMENTO As soluções de software de gestão para o segmento financial services da TOTVS oferecem controle, planejamento, execução e gestão para as atividades finais

Leia mais

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 OBRIGATORIEDADE A empresa é obrigada a elaborar mensalmente a folha de pagamento da remuneração paga devida ou creditada a todos os segurados

Leia mais

Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação - Facti PROCEDIMENTO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO DE RESCISÃO / MOVIMENTAÇÃO DE PESSOAL

Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação - Facti PROCEDIMENTO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO DE RESCISÃO / MOVIMENTAÇÃO DE PESSOAL Fundação de Apoio à Capacitação em Tecnologia da Informação - Facti PROCEDIMENTO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO DE RESCISÃO / MOVIMENTAÇÃO DE PESSOAL Código Revisão Confidencialidade Data Página RH0002/12 Rev.

Leia mais

2. inadimplência na data de publicação desta Resolução, contratadas até 30 de junho de 2010;

2. inadimplência na data de publicação desta Resolução, contratadas até 30 de junho de 2010; RESOLUÇÃO Nº 4.028, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011 Autoriza a composição de dívidas e a renegociação de operações de crédito rural, no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS PASEP - PROGRAMA DE FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO DO SERVIDOR PÚBLICO 1 CONCEITO O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público - PASEP foi criado pelo Governo Federal

Leia mais

STJ00085281 NOTA À 9." EDIÇÃO... OBRAS DO AUTOR... 1.2 Operações bancárias... 18. 1.4 Natureza dos contratos de crédito bancário...

STJ00085281 NOTA À 9. EDIÇÃO... OBRAS DO AUTOR... 1.2 Operações bancárias... 18. 1.4 Natureza dos contratos de crédito bancário... STJ00085281 SUMÁRIO NOTA À 9." EDIÇÃO.................. OBRAS DO AUTOR................... 5 7 1. CRÉDITO BANCÁRIO........ 17 1.1 Atividade creditícia dos bancos.............. 17 1.2 Operações bancárias..........................

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SICAP NEWS Ano 2 nº 19 Informativo Mensal Março 2010 *REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO * Base Legal: Art. 74 da CLT e Portaria 1.510/2009, do MTE Conforme dispõe o 2º do art. 74 da CLT, estão obrigados à anotação

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo mediante Consignação em Benefícios de Aposentadoria e Pensão do INSS ESTAS CONDIÇÕES GERAIS REGEM O CONTRATO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO MEDIANTE

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio Instrumento de captação de recursos e de investimento no agronegócio O produto O Certificado de

Leia mais

FLUXOGRAMA DO TRÂMITE INTERNO DE CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO

FLUXOGRAMA DO TRÂMITE INTERNO DE CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO FLUXOGRAMA DO TRÂMITE INTERNO DE CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO Verificada a necessidade de cumprimento de meta de governo para a qual não haja recurso disponível, pode a Secretaria interessada analisar

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.823, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL SP

ROTEIRO OPERACIONAL EMPRÉSTIMO CONSIGNADO SETOR PÚBLICO AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL SP E-MAILS DE CONTATO BANCO DAYCOVAL Negócio Roteiro Operacional Promotora MESA DE ANALISE PORTABILIDADE portabilidadeconsignado@bancodaycoval.com.br Empréstimo Cartão Débito C/C MESA DE ANALISE MARGEM margemconsignado@bancodaycoval.com.br

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÕES

REGULAMENTO DE OPERAÇÕES 1 GENERALIDADES As operações de crédito da Cooperativa serão realizadas dentro das normas fixadas pelo Estatuto Social, pelas normas legais, as do Banco Central do Brasil e por este Regulamento. 2 OBJETIVO

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Pedro@ananadvogados.com.br

Pedro@ananadvogados.com.br Pedro@ananadvogados.com.br Sócio de Anan Advogados Especialista em Direito Empresarial pela PUC-SP MBA Controller pela FEA-USP Membro da Diretoria Jurídica da ANEFAC Diretor do Conselho Consultivo da APET

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS. A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS. A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível seu quadro de avisos para análise da fiscalização os seguintes

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Estas são as condições gerais do Empréstimo, solicitado e contratado por você. Leia atentamente estas condições gerais, que serão aplicáveis durante todo o período

Leia mais

EXCELÊNCIA EM CONTABILIDADE

EXCELÊNCIA EM CONTABILIDADE EXCELÊNCIA EM CONTABILIDADE 1 50 ANOS DE TRADIÇÃO E INOVAÇÃO NO MERCADO MINEIRO 2 Desde 1963, a Matur tem compromisso com a gestão contábil e empresarial voltada para empresas dos mais diversos segmentos

Leia mais

Apresentação A Investe Rio é uma instituição financeira não bancária, sociedade de economia mista com personalidade jurídica de direito privado, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015

Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015 Agenda Tributária: de 07 a 13 de maio de 2015 Dia: 07 CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados Envio ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) da relação das admissões, demissões e transferências

Leia mais

4 - POLÍTICAS DE RISCO DE CRÉDITO

4 - POLÍTICAS DE RISCO DE CRÉDITO 1. INTRODUÇÃO Este documento objetiva esclarecer as normas, políticas e procedimentos de controle utilizados pelo Banco Tricury S/A no processo de gestão de Risco de Crédito das operações, consoante a

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

RO Roteiro Operacional. Prefeitura de Campinas - SP Área responsável: Gerência de Produtos Consignados

RO Roteiro Operacional. Prefeitura de Campinas - SP Área responsável: Gerência de Produtos Consignados RO Roteiro Operacional Pref. Campinas - SP RO.05.145 Versão: 01 Excluso para Uso Interno Prefeitura de Campinas - SP Área responsável: Gerência de Produtos Consignados 1. PÚBLICO ALVO E REGRAS BÁSICAS

Leia mais

Módulo 11 Corretora de Seguros

Módulo 11 Corretora de Seguros Módulo 11 Corretora de Seguros São pessoas físicas ou jurídicas, que se dedicam a angariar e promover contratos entre as Sociedades Seguradoras e seus clientes. A habilitação e o registro do corretor se

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre as operações no mercado de câmbio relativas às exportações brasileiras de mercadorias e de serviços. 2. O exportador de mercadorias ou de serviços

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Capital

Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital Estrutura de Gerenciamento de Capital Controle do documento Data Autor Versão Junho/2012 Compliance 001 Agosto/2013 Risk Management 002 Agosto/2014 Risk Management

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

Agenda Tributária: de 06 a 12 de Março de 2014

Agenda Tributária: de 06 a 12 de Março de 2014 Agenda Tributária: de 06 a 12 de Março de 2014 Dia: 06 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Importador O contribuinte importador de combustíveis deverá entregar,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA 1 REGULAMENTA O FUNDO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DE ALTO BELA VISTA GERAINVEST, REVOGA DECRETO 1883 E DA OUTRAS PROVIDENCIAS O Prefeito Municipal de Alto Bela Vista, Estado de Santa Catarina, no uso

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ÍNDICE

EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ÍNDICE EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL BRDE-2010/234 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ÍNDICE 1. OBJETO...2 2. DESCRIÇÃO DO OBJETO...2 3. DETALHAMENTO DO OBJETO...8 4. GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS/PROJETOS...28

Leia mais

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos Atualizada em 29/04/2015 Capital de Giro BB Capital de Giro Mix Pasep Recebíveis Antecipação de Crédito Lojista ACL Financiamento de Investimentos BB Crédito Empresa BB Giro Empresa Flex BB Giro Cartões

Leia mais

RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA

RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA RESUMO DO RELATÓRIO DO COMITÊ DE AUDITORIA 1- INTRODUÇÃO O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social, por meio do Decreto nº 5.212, de 22 de setembro de 2004, teve o seu Estatuto Social alterado

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.019, DE 21 DE JANEIRO DE 1992 "Institui o Fundo de Industrialização do Acre FIAC, e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono

Leia mais

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014

Neste bip. Como converter o arquivo CAGED para acerto. Você Sabia? Edição 52 Dezembro de 2014 Neste bip Como converter o arquivo CAGED para acerto... 1 Novo modo de alterar senha de operador... 2 Novo recurso no lançamento [+ planilha]... 2 13 parcela final e SEFIP... 3 Como converter o arquivo

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN N 643, DE 1º DE ABRIL DE 2009

MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN N 643, DE 1º DE ABRIL DE 2009 MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN N 643, DE 1º DE ABRIL DE 2009 Regulamenta as medidas de estímulo à liquidação ou renegociação de dívidas originárias de operações

Leia mais