UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROGRAMA DE DISCIPLINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROGRAMA DE DISCIPLINA"

Transcrição

1 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: História Geral da Música I Código: 8089 Carga Horária: 34h/a Periodicidade: 1º semestre Ano de Implantação: EMENTA História da Música da Pré-História ao Renascimento. 2. OBJETIVOS Conhecer os diferentes caminhos tomados pela música desde o período Paleolítico até a Renascença Tardia. Desenvolver o reconhecimento auditivo e teórico das características peculiares de cada época. 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO As civilizações musicais pré-históricas. Paleolítico e neolítico. Formação das sociedades antigas e suas características musicais. Música grega. Primórdios da música na era cristã. Monodia litúrgica e secular. Primórdios da polifonia Música trovadoresca Ars antiqua e Ars Nova Música de transição para a renascença Geração franco-flamenga. Madrigal italiano 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) CANDÉ, Roland de. Os músicos, a vida, a obra, os estilos. São Paulo: Martins Fontes, s.d. CANDÉ, Roland de. História da Música Universal. São Paulo: Martins Fontes, 2001, 2v. GROUT, D & PALISCA, C. História da Música Ocidental. Lisboa: Gradiva, Complementares CHAILLEY, J. Traité historique d analyse harmonique. Paris: Leduc, 1951 DART, Thurston Interpretação da Música. São Paulo: Martins Fontes, FUBINI, E. La estética musical desde la antigüedad hasta el siglo XX. Madrid:Alinza Editorial, 1990 HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Literatura. São Paulo: Martins Fontes, 2000 APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

2 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: História Geral da Música I Código: 8089 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 1º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª 3ª 4ª Peso: 1 2 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. AVALIAÇÃO FINAL: a avaliação final terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

3 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: História Geral da Música II Código: 8095 Carga Horária: 34h/a Periodicidade: 2º semestre Ano de Implantação: EMENTA História da Música da Renascença Tardia até o Romantismo. 2. OBJETIVOS Conhecer os diferentes caminhos tomados pela música desde o final da renascença até período romântico. Desenvolver o reconhecimento auditivo e teórico das características peculiares de cada época e abordar o entendimento histórico do surgimento, manutenção e dissolução do sistema tonal. 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO A renascença tardia e o surgimento da música tonal O início da ópera A música Barroca Rameau como precursor da funcionalidade tonal Barroca francês e italiano: diferenças estilísticas e interpretativas O estilo galante Bach, Haendel, Telemann, Monteverdi O absolutismo francês: a música no período clássico. Primeira escola de Viena: Haydn, Mozart e Beethoven Beethoven e a fase heróica Beethoven e a transição ao romantismo Música do período romântico: aspectos históricos e sociais A relação da música romântica com o texto. Os planos musicais do Lied e sua relação com a pintura figurativa A ópera romântica e a decadência do ideal romântico Os críticos à ópera romântica: correntes alternativas Nacionalismos românticos. 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) RAYNOR, Henry. História Social da Música: da Idade Média a Beethoven. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1978 ROSEN, Charles. The Classical Style. New York: WW Norton, 1997 ROSEN, Charles. A geração Romântica. São Paulo: Edusp, 2000

4 4.2- Complementares COSTÉRE, E. Tonalité, In: Encyclopédie de la Musique. Paris: Fasquelle, v. III, Mort ou trasfigurations de l harmonie. Paris: Presses Universitaires de France, ENCICLOPÉDIA EINAUDI. Artes-tonal/atonal. Portugal: Imprensa Nacional Casa da Moeda, v. 3, HANSLICK, E. Do belo musical. Campinas: Editora da Unicamp, RAMEAU, J. P. Traité de l harmonie réduite à sés príncipes naturels. Paris: Ballard, SEKEFF, Maria de Lourdes. Curso e dis-curso do sistema musical (tonal). São Paulo: Annablume, 1996 SOLOMON, Maynard. Beethoven. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1987 ULRICH, H. & PISK, P. A history of music and musical style. New York: Harcourt Brace Jovanovich, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

5 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: História Geral da Música II Código: 8095 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 2º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª 3ª 4ª Peso: 1 2 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. AVALIAÇÃO FINAL: a avaliação final terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

6 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Percepção Musical I Carga Horária: 68 h/a Periodicidade: 1º semestre Código: 8090 Ano de Implantação: EMENTA Teoria geral da música e treinamento auditivo: leitura e escrita da linguagem musical por meio de solfejos e ditados diversos com ênfase em padrões melódicos e ritmos em compasso simples. (Res. 159/2013-CI/CCH) 2. OBJETIVOS Assimilar os conhecimentos prévios do aluno quanto aos parâmetros sonoros e musicais e teoria geral da música. Desenvolver as habilidades de percepção, execução e notação de padrões musicais, em aspectos rítmicos e melódicos, visando fundamentar a execução instrumental/vocal. (Res. 159/2013- CI/CCH) 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Teoria: Tom e semitom, acidentes; Intervalos e suas inversões; Métrica, compassos simples e compostos; Escalas maiores, graus da escala; Escalas menores; Tonalidade, armadura; Tríades e suas inversões; Tétrades e suas inversões; Sofejos: Entonação de escalas maiores e menores; arpejos de três sons (maiores, menores, aumentados e diminutos); intervalos de até três tons e meio. Solfejos melódicos em tonalidades maiores e menores. Solfejos rítmicos a uma voz em compasso simples contendo figuras de tempos inteiros e frações de até quartos de tempo. Ditados: Ditados de intervalos de até três tons e meio. Ditados melódicos a uma voz em tonalidades maiores e menores. Ditados rítmicos a uma voz em compasso simples contendo figuras de tempos inteiros e frações de até quartos de tempo.

7 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) BENWARD, B.; KOLOSICK, T. Percepção musical: prática auditiva para músicos. Série didático-musical. São Paulo: Edusp/Editora da Unicamp, BERKOWITZ, S.; FONTRIER, G.; KRAFT, L. A new approach to sight singing. New York: WW Norton & Company, HALL, A. C. Studying Rhythm. New Jersey: Prentice Hall, KRAFT, L. A New Approach to Ear Training: A Self-instruction Program. New York: WW Norton & Company, Complementares GRAMANI, J. E. Rítmica viva: a consciência musical do ritmo. Campinas: UNICAMP, MED, B. Ritmo. 4º Edição. Brasília: Musimed, MED, B. Solfejo. 3º Edição. Brasília: Musimed, MED, B. Teoria da música. Brasilia: Musimed, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

8 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Percepção Musical I Código: 8090 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 1º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª Peso: 2 3 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA: A avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de três sub-avaliações: prova de teoria, ditados e solfejos, a critério do professor. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA: Igual à anterior. AVALIAÇÃO FINAL: A avaliação final terá valor de zero a dez, resultando da somatória de três subavaliações: prova de teoria, ditados e solfejos, a critério do professor. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

9 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Percepção Musical II Carga Horária: 68 h/a Periodicidade: 2º semestre Código: 8091 Ano de Implantação: EMENTA Teoria geral da música e treinamento auditivo: leitura e escrita da linguagem musical por meio de solfejos e ditados diversos com ênfase em padrões melódicos e harmônicos, e ritmos em compasso composto. (Res. 159/2013-CI/CCH) 2. OBJETIVOS Desenvolver as habilidades de percepção, execução e notação de padrões musicais, em aspectos rítmicos, melódicos e harmônicos, visando fundamentar a execução instrumental/vocal. (Res. 159/2013-CI/CCH) 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Teoria: Acentos métricos, contratempo e sícope; Quiálteras, anacruse; Marcação de pulsos em compasso binário, ternário e quaternário; Indicações de dinâmica e andamento; Sinais de articulação; Sistemas de nomenclatura das oitavas; Sofejos: Entonação de arpejos de três sons (maiores, menores e diminutos) com suas inversões; intervalos de quatro a seis tons. Solfejos melódicos em tonalidades maiores e menores. Solfejos rítmicos a uma voz em compasso composto contendo figuras de tempos inteiros e frações de até sextos de tempo. Ditados: Ditados de intervalos de quatro a seis tons. Ditados melódicos a uma voz em tonalidades maiores e menores. Ditados rítmicos a uma voz em compasso composto contendo figuras de tempos inteiros e frações de até sextos de tempo. Ditados de acordes;

10 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) BENWARD, B.; KOLOSICK, T. Percepção musical: prática auditiva para músicos. Série didático-musical. São Paulo: Edusp/Editora da Unicamp, BERKOWITZ, S.; FONTRIER, G.; KRAFT, L. A new approach to sight singing. New York: WW Norton & Company, HALL, A. C. Studying Rhythm. New Jersey: Prentice Hall, KRAFT, L. A New Approach to Ear Training: A Self-instruction Program. New York: WW Norton & Company, Complementares GRAMANI, J. E. Rítmica viva: a consciência musical do ritmo. Campinas: UNICAMP, MED, B. Ritmo. 4º Edição. Brasília: Musimed, MED, B. Solfejo. 3º Edição. Brasília: Musimed, MED, B. Teoria da música. Brasilia: Musimed, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

11 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Percepção Musical II Código: 8091 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 2º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª Peso: 2 3 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA: A avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de três sub-avaliações: prova de teoria, ditados e solfejos, a critério do professor. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA: Igual à anterior. AVALIAÇÃO FINAL: A avaliação final terá valor de zero a dez, resultando da somatória de três subavaliações: prova de teoria, ditados e solfejos, a critério do professor. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

12 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Prática de Conjunto I Código: 8094 Carga Horária: 68 h/a Periodicidade: anual Ano de Implantação: EMENTA Princípios de interpretação musical e elaboração de arranjos. Equilíbrio de sonoridade e timbre entre componentes de grupos instrumentais e vocais. (Res. 159/2013-CI/CCH) 2. OBJETIVOS Proporcionar a prática de execução musical em conjunto, objetivando o desenvolvimento da capacidade interpretativa. Desenvolver princípios de liderança em grupos musicais diversos. (Res. 159/2013-CI/CCH) 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Interpretação musical em grupo: aspectos de equilíbrio entre grupos instrumentais; Aspectos técnicos, estéticos e conceituais de arranjos; Características básicas de arranjos: sonoridade, estilo, linguagem; Exercícios de escrita para instrumentos; Introdução à direção de grupos musicais. 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) DART, Thurston Interpretação da Música. São Paulo: Martins Fontes, GUEST, Ian. Arranjo. Lumiar Editora, SEBESKY, Don. The Contemporary Arranger. Van Nuys, CA: Alfred Publishing Co., Complementares ALMADA, Carlos. Arranjo. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, HARNONCOURT, Nikolaus. Discurso dos Sons. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, LAGO JUNIOR, Sylvio. A arte da Regência: história, técnicas e maestros. Rio de Janeiro: Lacerda Editores, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

13 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Prática de Conjunto I Código: 8094 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: anual Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª 3ª 4ª Peso: ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: apresentação de obras musicais e arranjos desenvolvidos na disciplina, provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, criações musicais e arranjos, análise e produção de textos, relatórios e exposições, a critério do professor. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual à anterior. 3ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual à anterior. 4ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual à anterior. AVALIAÇÃO FINAL: igual à anterior. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

14 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: Contraponto Código: 8092 Carga Horária: 34h/a Periodicidade: 1º semestre Ano de Implantação: EMENTA Os elementos básicos e as regras utilizadas na composição de música com textura contrapontística. Desenvolvimento da técnica de escrita do Contraponto. 2. OBJETIVOS Proporcionar a compreensão dos aspectos estruturais da composição contrapontística, fornecendo conhecimentos necessários à análise, criação e interpretação musical. 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Introdução ao Contraponto; Construção de Cantus Firmus e suas implicações estruturais e discursivas; Condução de vozes na textura polifônica modal; Contraponto modal: modos litúrgicos ou eclesiásticos; Contraponto em espécies: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª espécies; Contraponto livre; 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) FUX, J.J. Study of Counterpoint. New York: W.W. Norton, JEPPESEN, K. The Polyphonic Vocal Style of the Sixteenth Century. New York. Dover Publications, SCHOENBERG, A. Exercícios preliminares em Contraponto. São Paulo: Via Lettera, Complementares KENNAN, K. W. Counterpoint: based on eighteenth-century practice. New Jersey: Prentice Hall, PISTON, W. Counterpoint. New York : W. W. Norton & Company, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

15 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: Contraponto Código: 8092 Turma(s): 1 Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 1º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª 3ª 4ª Peso: 1 2 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. AVALIAÇÃO FINAL: a avaliação final terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

16 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: Fundamentos Básicos da Música Código: 8093 Carga Horária: 34h/a Periodicidade: 2º semestre Ano de Implantação: EMENTA Os conceitos básicos da música. A música e seus diversos princípios organizacionais. A música enquanto emergência dos processos simbólicos de representação. A percepção musical quanto aos seus aspectos sociológicos, históricos e cognitivos. 2. OBJETIVOS Definir conceitos básicos da música através da interrelação entre a percepção, ação e reflexão. Estabelecer e solidificar a relação entre os conceitos musicais e sua articulação com a praxis musical. 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Música e práxis; Música e representação; Música e linguagem; Música e percepção; Música e sociedade; 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) EMMERSON, S. The Relation of Languagem to Materials. In: The language of electroacoustic music. New York: Harwood academic publishers, NATTIEZ, J.J. Music and discourse: Toward a semiology of music. New Jersey: Princeton University Press, 1990 SCHAFER, R. M. O ouvido pensante. São Paulo: Edunesp, SCHAFER, R. M. A afinação do mundo. São Paulo: Edunesp, 1997 ZAMPRONHA, E. Notação, representação e composição: um novo paradigma da escritura musical São Paulo: Annablume/FAPESP, Complementares ADORNO. T. Introdução à sociologia da Música.São Paulo: Edunesp, HURON, D. B. Sweet anticipation: music and the psychology of expectation. MIT Press, MEYER, L. B. Emotion and Meaning in Music. Chicago University Press, TENNEY, J. A History of 'Consonance' and 'Dissonance'. Excelsior Music Publishing Company, WEBERN, A. O caminho para a música nova. Ed. Novas Metas, 1984 WISHART, T. On Sonic Art. New York: Taylor & Francis Group, 1996 APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

17 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: Fundamentos Básicos da Música Código: 8093 Turma(s): 1 Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 2º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª 3ª 4ª Peso: 1 2 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. AVALIAÇÃO FINAL: a avaliação final terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

18 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Harmonia Tonal Carga Horária: 68 h/a Periodicidade: 2º semestre Código: 8096 Ano de Implantação: EMENTA Elementos básicos e avançados da harmonia tonal de prática comum dos séculos XVIII e XIX; prática das técnicas de formação e encadeamento de estruturas harmônicas tonais. (Res. 159/2013-CI/CCH) 2. OBJETIVOS Compreender as principais regras que envolvem a linguagem da harmonia tonal de prática comum dos séculos XVIII e XIX, visando fornecer conhecimentos necessários à análise, criação e interpretação musical. (Res. 159/2013-CI/CCH) 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Fundamentos acústicos da Tonalidade Funcional; Estruturas Harmônicas: tríades, tétrades e suas inversões; Fórmulas Cadenciais, Funções Harmônicas e Campo Harmônico; Nomenclaturas analíticas Funcionais e da Harmonia Graduada; Prolongamentos Estruturais; Prolongamentos Melódicos: notas estranhas ao acorde; Empréstimos Harmônicos e Modais; Alterações Cromáticas; Teoria da Modulação; Encadeamento de vozes e Marchas Harmônicas; 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) BITTENCOURT, Marcus Alessi. Apresentação de uma reforma simbológica para a análise harmônica funcional do repertório tonal. In: Anais do XIX Congresso da ANPPOM. Curitiba: ANPPOM, BITTENCOURT, Marcus Alessi. O Arcabouço de uma Proposta de Metodologia Analítica para o Tonalismo do Século XIX: uma revisão taxonômica da teoria da modulação. Revista Música Hodie, Goiânia, V.13 - n.1, p , BRISOLLA, C. Princípios de harmonia funcional. São Paulo: Annablume, KOELLREUTER, H.J. Harmonia Funcional. Rio de Janeiro: Ricordi, ZAMACOIS, J. Tratado de armonia (três volumes). Labor. Barcelona, 1984.

19 4.2- Complementares ALDWELL, Edward; SCHATER, Carl. Harmony and Voice Leading. 3 ed. Belmont: Thomson Schirmer, BENSON, David J. Music: A Mathematical Offering. Cambridge: Cambridge University Press, OLIVEIRA, J. Z. ; OLIVEIRA, M. A. T. Harmonia Funcional. São Paulo: Cultura Musical Ltda., PISTON, W. Harmony. New York: Norton. SCHOENBERG, A. Harmonia. São Paulo: Editora UNESP, SCHOENBERG, A. Funções estruturais da Harmonia. São Paulo: Via Lettera, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

20 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Departamento: Centro: Graduação em Música Departamento de Música Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Nome: Harmonia Tonal Código: 8096 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: 2º semestre Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª Peso: 2 3 1ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos, relatórios e exposições, a critério do professor. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual à anterior. AVALIAÇÃO FINAL: igual à anterior. Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

21 PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: História Geral da Música III Código: 8099 Carga Horária: 68h/a Periodicidade: anual Ano de Implantação: EMENTA História da Música no Século XX e início do Século XXI. 2. OBJETIVOS Conhecer os diferentes caminhos tomados pela música durante o Século XX, bem como suas perspectivas e direções no Século XXI. Estimular o conhecimento técnico-musical sobre as diferentes abordagens composicionais da música do Século XX. 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Recapitulação do romantismo em música; Dissolução do Sistema Tonal; Atonalismo Livre; Segunda Escola de Viena; Stravinsky e as novas formas musicais; Neoclassicismo e Nacionalismo; Debussy e música francesa do início do século XX; Serialismo Integral; O mundo pós-45; Decorrências do serialismo integral; Música Eletrônica; Música Concreta e Acusmática; A exacerbação da complexidade e do determinismo em música; A valorização da aleatoriedade; Música Eletroacústica; Paisagem sonora e ecologia acústica Tendências composicionais dos últimos anos. 4. REFERÊNCIAS 4.1- Básicas (Disponibilizadas na Biblioteca ou aquisições recomendadas) GRIFFITHS, P. (1987). A música moderna. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. MORGAN, R. Twentieth Century Music: A History of Musical Style in Modern Europe and America W W Norton & Company Incorporated, de LEEUW, T. & de GROOT, R. Music of the Twentieth Century: A Study of Its Elements and Structure. Amsterdam University Press, Complementares ALBERT, Montserrat. A música contemporânea. Rio de Janeiro: Salvat, ANTUNES, Jorge. Notação na música contemporânea. Brasília: Sistrum, BERIO, Luciano. Entrevista sobre a música contemporânea, realizada por Rossana Dalmonte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, BOULEZ, Pierre (1992). A música hoje 2. São Paulo, Perspecitva. BOULEZ, Pierre (1981). A música hoje. São Paulo: Perspectiva.

22 CHION, Michel, REIBEL, Guy. Les musiques électroacoustiques. Aix-en-Provence: INA/GRM/Edsud, 1976 SOLOMON, Maynard. Beethoven. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1987 ULRICH, H. & PISK, P. A history of music and musical style. New York: Harcourt Brace Jovanovich, ERNST, David. The evolution of electronic music. New York: Schirmer Books, GRIFFITHS, Paul. A Guide to Electronic Music. London: Thames and Hudson, MENEZES, Flo. Música eletroacústica : história e estéticas. São Paulo: Edusp, (Acompanha CD) PRICHETT, J. The music of John Cage. Cambridge: Cambridge University, SCHAEFFER, Pierre. Traité des objets musicaux. [Nouvelle Édition]. Paris: Éditions du Seuil, SCHAFER, Murray. A afinação do mundo. São Paulo: UNESP, TRUAX, Barry. Soundscape, Acoustic Communication and Environmental Sound Composition. Contemporary Music Review. V. 15(1), p , Windsor, W. L. A perceptual approach to description and analysis of acusmatic music. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade de Sheffield. [online]. Disponível em mus/staff/wlw/lwhomepage.html. January of WISHART, Trevor. On sonic art. Amsterdam: Harwood Academic Publishers, ZAMPRONHA, Edson S. Notação, representação e composição: um novo paradigma da escritura musical. São Paulo: Annablume/FAPESP, APROVAÇÃO DO DEPARTAMENTO APROVAÇÃO DO CONSELHO ACADÊMICO

23 CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Curso: Graduação em Música Campus: Sede Departamento: Centro: Departamento de Música Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Nome: História Geral da Música III Código: 8099 Turma(s): todas Ano de Implantação: 2014 Periodicidade: anual Verificação da Aprendizagem Legislação > Normas da Graduação > Pesquisar por Assunto:Avaliação Obs.: Apresentar abaixo quantas avaliações serão exigidas e detalhar o processo de verificação da aprendizagem (provas, avaliação contínua, seminários, trabalhos etc.), para obtenção das notas periódicas e Avaliação Final. Número mínimo de avaliações = 2 (duas) Avaliação Periódica: 1ª 2ª 3ª 4ª Peso: ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA a avaliação bimestral terá valor de zero a dez, resultando da somatória de no mínimo uma das seguintes atividades: provas, resumos, fichamentos de leituras, seminários, análise e produção de textos. 2ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual a anterior 3ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual a anterior 4ª AVALIAÇÃO PERIÓDICA igual a anterior AVALIAÇÃO FINAL: igual a anterior Aprovação do Departamento Aprovação do Conselho Acadêmico

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LEM1714T1 - História da Música Brasileira

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LEM1714T1 - História da Música Brasileira Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina LEM1714T1 - História da Música Brasileira Docente(s) Paulo Augusto Castagna Unidade Instituto de Artes Departamento Departamento de Música Créditos 0 60

Leia mais

Habilidades Específ icas. Música

Habilidades Específ icas. Música Habilidades Específ icas Música 1. INTRODUÇÃO As provas de Habilidades Específicas em Música do Vestibular 2012 têm por objetivo avaliar a formação musical do candidato, bem como o seu potencial artístico.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º MU096- CANTO 1A OBRIG 0 60 60 2.0 Fórmula: MU055 MU055- PERCEPCAO RITMICA MU271- CANTO CORAL 1 OBRIG 0 30 30 1.0 Fórmula: MU096 MU096- CANTO 1A PRÁTICA DA POLIFONIA VOCAL A DUAS E TRÊS VOZES.

Leia mais

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário).

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário). CURSOS DE MÚSICA DO SESC (2º Semestre) MODALIDADE INICIANTE 1) VIOLÃO POPULAR Este curso está direcionado ao estudo da música popular com acompanhamento harmônico. Serão praticadas canções do repertório

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM MÚSICA OPÇÃO: PIANO / VIOLINO / VIOLA / VIOLÃO / VIOLONCELO

CURSO DE BACHARELADO EM MÚSICA OPÇÃO: PIANO / VIOLINO / VIOLA / VIOLÃO / VIOLONCELO CURSO DE BACHARELADO EM MÚSICA OPÇÃO: PIANO / VIOLINO / VIOLA / VIOLÃO / VIOLONCELO AUTORIZAÇÃO: Resolução nº 31/93 CONSUNI e Resolução nº 374/2005 CONSUNI RECONHECIMENTO: Decreto Estadual nº 1495/2000

Leia mais

AS SONATAS PARA VIOLINO E PIANO DE CLÁUDIO SANTORO: UMA ABORDAGEM ESTILÍSTICA

AS SONATAS PARA VIOLINO E PIANO DE CLÁUDIO SANTORO: UMA ABORDAGEM ESTILÍSTICA AS SONATAS PARA VIOLINO E PIANO DE CLÁUDIO SANTORO: UMA ABORDAGEM ESTILÍSTICA Michelle Lauria Silva milasila@bol.com.br Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Resumo Este estudo trata da relação entre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS UNIDADE ACADÊMICA DE ARTE E MÍDIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MÚSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS UNIDADE ACADÊMICA DE ARTE E MÍDIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MÚSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS UNIDADE ACADÊMICA DE ARTE E MÍDIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MÚSICA Teste de Habilidade Específica (THE) O Teste de Habilidade Específica (THE)

Leia mais

CONSERVATÓRIO MUSICAL BEETHOVEN www.beethoven.art.br beethoven@beethoven.art.br

CONSERVATÓRIO MUSICAL BEETHOVEN www.beethoven.art.br beethoven@beethoven.art.br Curso de Capacitação em Música para Professores do Ensino Médio, Fundamental 03 horas / semanais e Musicalização Infantil ( com base no PCN Artes ) VAGAS LIMITADAS FAÇA SUA PRÉ-RESERVA 10 meses ( inicio

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO DISCIPLINA FLEXÍVEL

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO DISCIPLINA FLEXÍVEL PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, COMUNICAÇÃO, LETRAS E ARTE CURSO DE COMUNICAÇÃO E MULTIMEIOS DISCIPLINA FLEXÍVEL Disciplina: Música-voz-som e processos criativos:

Leia mais

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO DE CERTIFICAÇÃO EM HABILIDADES ESPECÍFICAS UFU 2015-1 EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 02/2015 Composição da Certificação A Certificação de Habilidades Específicas

Leia mais

FUVEST - VESTIBULAR 2010 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA

FUVEST - VESTIBULAR 2010 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA FUVEST - VESTIBULAR 2010 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA Curso: ( ) Licenciatura ( ) Canto ( ) Instrumento ( ) Regência ( ) Composição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO DEPARTAMENTO DE ARTES (DEART) CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO DEPARTAMENTO DE ARTES (DEART) CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO DEPARTAMENTO DE ARTES (DEART) CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA PLANO DE ENSINO Disciplina Laboratório de Criação Musical I Código Período Carga Horária 2235-5 2012/1º Regular

Leia mais

HISTÓRICO DA NOTAÇÃO MUSICAL (DA ANTIGUIDADE ATÉ OS DIAS ATUAIS)

HISTÓRICO DA NOTAÇÃO MUSICAL (DA ANTIGUIDADE ATÉ OS DIAS ATUAIS) HISTÓRICO DA NOTAÇÃO MUSICAL (DA ANTIGUIDADE ATÉ OS DIAS ATUAIS) Faremos a seguir, um pequeno histórico da notação musical desde os seus primeiros registros até os dias atuais, para que se compreenda a

Leia mais

Currículo Referência em Música Ensino Médio

Currículo Referência em Música Ensino Médio Currículo Referência em Música Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina MUS1295T1 - Canto III

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina MUS1295T1 - Canto III Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina MUS1295T1 - Canto III Docente(s) Márcia Aparecida Baldin Guimarães Unidade Instituto de Artes Departamento Departamento de Música Créditos 0 90 Carga Horaria

Leia mais

MÚSICA. Bacharelado em Regência Coral. GRAUS ACADÊMICOS: Licenciado em Educação Musical Cantor Compositor Músico Instrumentista Regente Coral

MÚSICA. Bacharelado em Regência Coral. GRAUS ACADÊMICOS: Licenciado em Educação Musical Cantor Compositor Músico Instrumentista Regente Coral MÚSICA 1. TURNO: Integral HABILITAÇÕES: Licenciatura em Educação Musical Bacharelado em Canto Bacharelado em Composição Bacharelado em Instrumento (opções: Flauta Transversal, Piano, Violão e Violino)

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores

Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores ATENÇÃO: O candidato deve apresentar-se com 30 minutos de antecedência, munido da cédula de identidade e do seguinte material para realização da prova: -

Leia mais

Portaria n.º 84/2004 de 21 de Outubro de 2004

Portaria n.º 84/2004 de 21 de Outubro de 2004 Portaria n.º 84/2004 de 21 de Outubro de 2004 JORNAL OFICIAL Nº 43 I SÉRIE 21-10-2004 Ao abrigo do regime jurídico da educação extra-escolar, criado pelo Decreto Legislativo Regional n.º 13/2002/A, de

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01 DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 02/2014

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01 DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 02/2014 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01 DO EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 02/2014 O Prefeito em Exercício do Município de Lucas do Rio Verde e a Presidente da Comissão Examinadora do Processo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º SF451- FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO OBRIG 60 0 60 4.0 Fórmula: SF200 SF200- INTRODUCAO A EDUCACAO INTRODUÇÃO À ANÁLISE E DISCUSSÃO DO FENÔMENO EDUCATUVO, CONSIDERANDO AS RELAÇÕES ENTRE EDUCAÇÃO

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA

CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA DESCRIÇÃO Número de Fases: 08 Número de disciplinas obrigatórias: 38 Número de créditos obrigatórios: 152 Carga horária total das disciplinas obrigatórias: 2.280 horas Mínimo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE MÚSICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE MÚSICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE MÚSICA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 74, de 04 de NOVEMBRO de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES ENSINO BÁSICO 2º CICLO PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES ENSINO BÁSICO 2º CICLO PLANIFICAÇÃO ANUAL Domínios e Subdomínios Desenvolvimento da Capacidade de Expressão e Comunicação: Interpretação e Comunicação INDICADORES O aluno canta controlando a emissão vocal em termos de afinação e respiração. O

Leia mais

INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA CURSOS BÁSICO E SECUNDÁRIO DE MÚSICA PIANO OBJECTIVOS GERAIS

INSTITUTO GREGORIANO DE LISBOA CURSOS BÁSICO E SECUNDÁRIO DE MÚSICA PIANO OBJECTIVOS GERAIS CURSOS BÁSICO E SECUNDÁRIO DE MÚSICA PIANO OBJECTIVOS GERAIS CURSO BÁSICO Desenvolver competências técnicas e artísticas através do estudo de um repertório diversificado. Trabalhar a compreensão do texto

Leia mais

Sonatas latino-americanas para piano no século XX

Sonatas latino-americanas para piano no século XX Sonatas latino-americanas para piano no século XX Cristina Capparelli Gerling Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS cgerling@ufrg.br Carolina Avellar de Muniagurria Universidade Federal do Rio

Leia mais

Curso Básico de Regência Coral Jayme Amatnecks Jr.

Curso Básico de Regência Coral Jayme Amatnecks Jr. Jayme Amatnecks Jr. Ementa: Abordagem do conceito de regência coral enquanto prática de controle, condução e interpretação da peça musical, num contexto da inter-relação regente/cantor/grupo. Apresentação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Educação Musical; Formação de Professores; Oficina de Violão; Educação básica.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Musical; Formação de Professores; Oficina de Violão; Educação básica. INICIAÇÃO À DOCÊNCIA EM MÚSICA: RESULTADOS DO PIBID EM DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DE GOIÂNIA/GO Luna Borges MELO luna.borges.melo@gmail.com Larissa dos Santos MARTINS Escola de Música e Artes Cênicas - UFG

Leia mais

Habilidades Específicas - Música

Habilidades Específicas - Música Habilidades Específicas - Música 1. INTRODUÇÃO As provas de Habilidades Específicas em Música do Vestibular 2014 tiveram por objetivo avaliar a formação musical do candidato, bem como o seu potencial artístico.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FORMAÇÃO AUDITIVA III Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FORMAÇÃO AUDITIVA III Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular FORMAÇÃO AUDITIVA III Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Jazz e Música Moderna 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA

APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA Luiz Rafael Moretto Giorgetti Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP (Ex-aluno) e-mail: rafael_giorgetti@hotmail.com

Leia mais

O Piano Como Ferramenta Para o Regente de Coro PIVIC/2010-2011

O Piano Como Ferramenta Para o Regente de Coro PIVIC/2010-2011 O Piano Como Ferramenta Para o Regente de Coro PIVIC/2010-2011 Márcio Roberto Lisbôa, Dr. Prof. Carlos Henrique Costa Coutinho Universidade Federal de Goiás - Escola de Música e Artes Cênicas, CEP 74001-970,

Leia mais

A percepção musical através da música contemporânea

A percepção musical através da música contemporânea A percepção musical através da música contemporânea Taís Helena Palhares Foloni Universidade Federal de Mato Grosso UFMT tais.helena@terra.com.br Resumo. Nas aulas de percepção musical dos cursos de graduação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 151/2006-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 151/2006-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 151/2006-CEPE/UNICENTRO Convalida o Curso de Composição Musical e Oficina Optativa de Música do Século XX. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho

Leia mais

Contribuições de Bruner e Gagné para a Teoria da Aprendizagem Musical de Edwin Gordon

Contribuições de Bruner e Gagné para a Teoria da Aprendizagem Musical de Edwin Gordon Contribuições de Bruner e Gagné para a Teoria da Aprendizagem Musical de Edwin Gordon Ricardo Dourado Freire Universidade de Brasília e-mail: freireri@unb.br web: www.musicaparacriancas.unb.br Sumário:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS UNIDADE ACADÊMICA DE ARTE E MÍDIA TESTE DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS UNIDADE ACADÊMICA DE ARTE E MÍDIA TESTE DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS UNIDADE ACADÊMICA DE ARTE E MÍDIA TESTE DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O Teste de Conhecimentos Específicos em Música (TCE) tem por objetivo

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 8.2 Conteúdo. Música

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 8.2 Conteúdo. Música Aula 8.2 Conteúdo Música 1 Habilidades: Conhecer a origem da Música, seus principais elementos formadores, e a sua importância na sociedade. 2 Música Origem: Pré-história (marcava o ritmo com as mãos e

Leia mais

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO

CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO CURSO DE MÚSICA MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO DE CERTIFICAÇÃO EM HABILIDADES ESPECÍFICAS UFU 2015-2 EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 10/2015 Composição da Certificação A Certificação de Habilidades Específicas

Leia mais

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e Planificação 2014/2015 6º ano Educação Musical Núcleos organizadores Interpretação e Comunicação Metas de aprendizagem O aluno decide sobre a aplicação de elementos de dinâmica e agógica na interpretação

Leia mais

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Licenciatura Plena ou Bacharelado - Habilidades Artístico Culturais - Música

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Licenciatura Plena ou Bacharelado - Habilidades Artístico Culturais - Música Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Licenciatura Plena ou Bacharelado - Habilidades Artístico Culturais - Música 31) Em sua primeira fase, a música religiosa era essencialmente vocal, não

Leia mais

Ano letivo 2014/15. Clube de Música

Ano letivo 2014/15. Clube de Música Ano letivo 2014/15 Clube de Música O Clube de Música 1 - Introdução A música tem uma importância relevante no desenvolvimento das capacidades e das competências ligadas à compreensão e manipulação dos

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LEM1604T1 - Canto Coral I. Docente(s) Fábio Miguel

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina LEM1604T1 - Canto Coral I. Docente(s) Fábio Miguel Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina LEM1604T1 - Canto Coral I Docente(s) Fábio Miguel Unidade Instituto de Artes Departamento Departamento de Música Créditos 0 60 Carga Horaria Seriação ideal

Leia mais

PRÁTICA INSTRUMENTAL AO PIANO

PRÁTICA INSTRUMENTAL AO PIANO PRÁTICA INSTRUMENTAL AO PIANO OBJECTIVOS GERAIS Desenvolver competências técnicas e artísticas através do estudo de um repertório diversificado. Trabalhar a compreensão do texto musical de modo a favorecer

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina MUS1530T1 - Dicção I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de São Paulo. Curso null - null. Ênfase. Disciplina MUS1530T1 - Dicção I Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina MUS1530T1 - Dicção I Docente(s) Wladimir Farto Contesini de Mattos Unidade Instituto de Artes Departamento Departamento de Música Créditos 4 60 Carga Horaria

Leia mais

Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura

Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura Provas de Habilidades Específicas em Música Composição e Licenciatura Percepção Ditado Melódico 1: Reconhecimento de notas erradas na partitura (duração da questão 01min 30s). 1. Ouviremos a seguir um

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO. Concerto encenado em classe de conjunto: estudo sobre perceções e aprendizagens

PROGRAMAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO. Concerto encenado em classe de conjunto: estudo sobre perceções e aprendizagens PROGRAMAÇÃO DO PROJETO EDUCATIVO Concerto encenado em classe de conjunto: estudo sobre perceções e aprendizagens Ana Estevens, nº 120138001 Trabalho realizado na Unidade Curricular de Processos de Experimentação

Leia mais

COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00)

COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00) PROVA DE APTIDÃO MÚSICA COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00) 1. ANÁLISE COMPARATIVA (01:00:00) Ouça atentamente os três trechos musicais a serem reproduzidos durante o exame 1.1 Esboce uma representação

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes R E S O L U Ç Ã O N.º 090/2009 CI / CCH CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 10/12/2009. João Carlos Zanin, Secretário Aprova o projeto pedagógico

Leia mais

DE OSWALD A ALMEIDA PRADO: PARÂMETROS INTEPRETATIVOS EM PEÇAS CONTRASTANTES PARA VIOLINO E PIANO DO SÉCULO XX

DE OSWALD A ALMEIDA PRADO: PARÂMETROS INTEPRETATIVOS EM PEÇAS CONTRASTANTES PARA VIOLINO E PIANO DO SÉCULO XX DE OSWALD A ALMEIDA PRADO: PARÂMETROS INTEPRETATIVOS EM PEÇAS CONTRASTANTES PARA VIOLINO E PIANO DO SÉCULO XX Resumo expandido - Conpeex 2011 1. NOME DOS AUTORES Luciano Ferreira PONTES¹; Glacy Antunes

Leia mais

A música surgiu com os sons

A música surgiu com os sons Dó A música surgiu com os sons da natureza, já que seus elementos formais - som e ritmo - fazem parte do Universo e, particularmente da estrutura humana O homem pré-histórico deve ter percebido os sons

Leia mais

ANEXO III CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS CURSOS DE MÚSICA, DANÇA E TEATRO VESTIBULAR 2015

ANEXO III CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS CURSOS DE MÚSICA, DANÇA E TEATRO VESTIBULAR 2015 ANEXO III CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS CURSOS DE MÚSICA, DANÇA E TEATRO VESTIBULAR 2015 O concurso Vestibular para os cursos de Dança, Música e Teatro compreendem, além das

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DANÇA LICENCIATURA

EMENTÁRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DANÇA LICENCIATURA 1 EMENTÁRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DANÇA LICENCIATURA FTC245 - Disciplina: Corpo e Sociedade I Ementa: Um percurso histórico sobre as conceituações de corpo da antiguidade ao século XVII. FTC279 - Disciplina:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Expressões e Tecnologias Planificação Anual de Educação Musical 6º ano Ano Letivo 2015/2016

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA 464 Turno: VESPERTINO Currículo nº 2 Reconhecido pelo Decreto nº. 3598, de 14.02.08, D.O.E. de 14.02.08, e complementação do reconhecimento pelo Decreto nº. 5395, de 14.09.09,

Leia mais

FUVEST - Vestibular 2014 Prova de Aptidão em Música GABARITO da PROVA TEÓRICA

FUVEST - Vestibular 2014 Prova de Aptidão em Música GABARITO da PROVA TEÓRICA FUVEST - Vestibular 2014 Prova de Aptidão em Música GABARITO da PROVA TEÓRICA Provas: A B C 1 a 2. Percepção musical 1. Ditado melódico modal a uma voz. O ditado será repetido sete vezes, sempre precedido

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Músico de Banda Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Músico de Banda Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos)

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA GERAL SECRETARIA DE ENSINO CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSORES DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO = 2002 = PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) 1) Escreva uma notação rítmica

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / à / ÁREA DO CONHECIMENTO: Música CARGA HORÁRIA: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PLANO DA I UNIDADE - Conhecer e criar novas melodias. - Desenvolver

Leia mais

18. TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA, CAMPUS II CURITIBA

18. TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA, CAMPUS II CURITIBA - Entrevista OBS: A prova poderá ser interrompida a qualquer momento a critério da banca examinadora. Violino Mecanismo em Sol Maior, em três oitavas (escala, os 7 arpejos, terças e cromática) de cor;

Leia mais

METODOLOGIA DO ENSINO DA ARTE. Número de aulas semanais 4ª 2. Apresentação da Disciplina

METODOLOGIA DO ENSINO DA ARTE. Número de aulas semanais 4ª 2. Apresentação da Disciplina METODOLOGIA DO ENSINO DA ARTE Série Número de aulas semanais 4ª 2 Apresentação da Disciplina Considerando a necessidade de repensar o ensino da arte, faz-se necessário refletir sobre este ensino em sua

Leia mais

PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA

PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS MÚSICA ETAPA TEÓRICA Para responder às questões de 01 a 09, consulte a obra Kanonisches Liedchen, de Robert Schumann, do Álbum Para Juventude Op. 68, que se encontra reproduzida

Leia mais

PROGRAMA DAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ESCOLA DE MÚSICA CURSO: MÚSICA / BACHARELADO

PROGRAMA DAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ESCOLA DE MÚSICA CURSO: MÚSICA / BACHARELADO PROGRAMA DAS PROVAS DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ESCOLA DE MÚSICA CURSO: MÚSICA / BACHARELADO - HABILITAÇÃO EM INSTRUMENTO - HABILITAÇÃO EM CANTO PROVA PRÁTICA DE INSTRUMENTO OU CANTO INFORMAÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

Interferência de diferentes procedimentos harmônicos na improvisação do choro e configurações identitárias: década de 20 ao Tempo Presente

Interferência de diferentes procedimentos harmônicos na improvisação do choro e configurações identitárias: década de 20 ao Tempo Presente 1 Interferência de diferentes procedimentos harmônicos na improvisação do choro e configurações identitárias: década de 20 ao Tempo Presente Everton Luiz Loredo de MATOS UFG tonzeramusic@hotmail.com Magda

Leia mais

WORKSHOP INTRODUÇÃO À MÚSICA

WORKSHOP INTRODUÇÃO À MÚSICA WORKSHOP INTRODUÇÃO À MÚSICA INTRODUÇÃO Nos dias de hoje, é quase impensável querermos uma televisão a preto e branco em deterimento de uma televisão a cores e acontece porque a partir do momento em que

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 17032441 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA Evolução das Artes Visuais II ETAPA 2ª Período

Leia mais

A LINGUAGEM MUSICAL DO MUSICOTERAPEUTA

A LINGUAGEM MUSICAL DO MUSICOTERAPEUTA A LINGUAGEM MUSICAL DO MUSICOTERAPEUTA Rita Bomfati. UNESPAR- FAP ritabomfati1@gmail.com Resumo: A importância da formação musical do musicoterapeuta (conhecimento de ritmos e instrumentos, história da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (UNIRIO) CENTRO DE LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA www.unirio.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (UNIRIO) CENTRO DE LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA www.unirio. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (UNIRIO) CENTRO DE LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA www.unirio.br/ppgm PPGM EXAME DE SELEÇÃO 2010 MESTRADO EM MÚSICA - EDITAL - A Coordenação

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2013 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Assinatura: PROVA COLETIVA

CONCURSO VESTIBULAR 2013 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Assinatura: PROVA COLETIVA CONCURSO VESTIBULAR 2013 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA LOCAL-SALA-SEQ INSCRIÇÃO NOME Assinatura: PROVA COLETIVA 1- A prova está dividida em 4 questões com as seguintes pontuações: Questão

Leia mais

Convite à Apreciação Musical : Um relato de experiência

Convite à Apreciação Musical : Um relato de experiência 1 Convite à Apreciação Musical : Um relato de experiência Adriano Braz Gado Davi Nery Rocha Junior A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância. (Dalai Lama) Resumo: O presente

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado. Caso se identifique em qualquer outro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 57/ 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso Superior em Regência de Bandas

Leia mais

VESTIBULAR DE VERÃO 2015/1 PROGRAMA DAS DISCIPLINAS

VESTIBULAR DE VERÃO 2015/1 PROGRAMA DAS DISCIPLINAS COORDENADORIA DE VESTIBULARES E CONCURSOS/COVEST VESTIBULAR DE VERÃO 2015/1 PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PROVA OBJETIVA LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Compreensão e uso adequado da língua Construção

Leia mais

ANEXO. Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado

ANEXO. Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado ANEXO Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado EXAME DE HABILIDADE PARA OS CANDIDATOS A FACULDADE DE ARTES VISUAIS MODALIDADE LICENCIATURA E BACHARELADO ARTES VISUAIS Para candidatar-se ao

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO MANOSSOLFA COMO FORMA DE INTRODUÇÃO A PERCEPÇÃO HARMÔNICA

A UTILIZAÇÃO DO MANOSSOLFA COMO FORMA DE INTRODUÇÃO A PERCEPÇÃO HARMÔNICA A UTILIZAÇÃO DO MANOSSOLFA COMO FORMA DE INTRODUÇÃO A PERCEPÇÃO HARMÔNICA 1 Introdução/ Desenvolvimento José Werbto Xavier Sales 1 Willames Nunes Rodrigues 2 Isaura Rute de Lima Gino 3 Marco Antônio Silva

Leia mais

46 Dona Nobis Pacem: alturas Conteúdo

46 Dona Nobis Pacem: alturas Conteúdo Introdução Formação de tríades maiores menores Arpejos maiores e menores Cânone Sobreposição de vozes formando acordes Inversão de acordes Versões do cânone Dona Nobis Tonalidades homônimas Armaduras Influência

Leia mais

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO MUSICAL]

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO MUSICAL] 2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO MUSICAL] Plano Anual de Expressão Musical Ano Letivo 2012/2013 Introdução: Esta atividade pretende que os alunos fortaleçam o gosto natural pela expressão musical

Leia mais

Escola Básica 2,3/S Dr. Azevedo Neves

Escola Básica 2,3/S Dr. Azevedo Neves Escola Básica 2,3/S Dr. Azevedo Neves 5º e 6º ano Professor Hugo Costa 2009/2010 A Cappella música vocal sem acompanhamento de instrumentos musicais. Accelerando - Aumento gradual do andamento de uma parte

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO E LICENCIATURA ARTES CÊNICAS - FACALE/UFGD

CURSO DE BACHARELADO E LICENCIATURA ARTES CÊNICAS - FACALE/UFGD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS Anexo à Resolução CEPEC Nº157 DE 06 DE SETEMBRO DE 2013. CURSO DE BACHARELADO E LICENCIATURA ARTES CÊNICAS - FACALE/UFGD ESTRUTURA

Leia mais

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Fundação das Artes Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Inscrições Abertas Turmas 2013 Primeiro Semestre Cursos Livres e Técnicos A Fundação das Artes é uma Escola de Artes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR VESTIBULAR 2013 MÚSICA INSTRUÇÕES - Ao receber este caderno de prova verifique se contém 30 questões. Caso contrário,

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

EDITAL 04/2015 ADMISSÃO AO CURSO PREPARATÓRIO PARA O MÓDULO 3 DO CURSO FORMAÇÃO MUSICAL

EDITAL 04/2015 ADMISSÃO AO CURSO PREPARATÓRIO PARA O MÓDULO 3 DO CURSO FORMAÇÃO MUSICAL GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA FUNDAÇÃO ANITA MANTUANO DE ARTES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE MÚSICA VILLA-LOBOS EDITAL 04/2015 ADMISSÃO AO CURSO PREPARATÓRIO

Leia mais

www.portaledumusicalcp2.mus.br

www.portaledumusicalcp2.mus.br Apostila de Educação Musical 1ª Série Ensino Médio www.portaledumusicalcp2.mus.br O QUE É MÚSICA? A música (do grego μουσική τέχνη - musiké téchne, a arte das musas) constituise basicamente de uma sucessão

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARTE MODERNA Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARTE MODERNA Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA ARTE MODERNA Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular HISTÓRIA

Leia mais

PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima

PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima 1. Formação Inicial e Continuada / Qualificação Profissional pretendida: Curso de Formação Inicial e Continuada em Regência

Leia mais

Caderno de Prova 2 PR04. Artes Música. ( ) prova de questões Objetivas. Professor de

Caderno de Prova 2 PR04. Artes Música. ( ) prova de questões Objetivas. Professor de Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Edital n o 001/2009 Caderno de Prova 2 PR04 ( ) prova de questões Objetivas Professor de Artes Música Dia: 8 de novembro de 2009 Horário:

Leia mais

Teoria Musical. O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli.

Teoria Musical. O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli. Teoria Musical O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli. 01. Com base no trecho musical acima, analise as proposições a seguir. 0-0) As notas Sol sustenido

Leia mais

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA Curso: ( ) Licenciatura ( ) Canto ( ) Instrumento ( ) Regência ( ) Composição

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA Turno: VESPERTINO Currículo nº 2 Reconhecido pelo Decreto nº. 3.598, de 14.10.08, D.O.E. nº 7.827 de 14.10.08, e complementação do reconhecimento pelo Decreto nº. 5.395,

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Produção de Áudio. 72 5º semestre

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Produção de Áudio. 72 5º semestre Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS CEPS PROCESSSO SELETIVO 2016 PS 2016 EXAME DE HABILIDADES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS CEPS PROCESSSO SELETIVO 2016 PS 2016 EXAME DE HABILIDADES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA CENTRO DE PROCESSOS SELETIVOS CEPS PROCESSSO SELETIVO 2016 PS 2016 EXAME DE HABILIDADES CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CURSO DE ARTES VISUAIS I. NOÇÕES DE PERCEPÇÃO E PERSPECTIVA

Leia mais

A obra de Marco Pereira para violão solo: aspectos composicionais. Palavras chave: Violão solo brasileiro, Marco Pereira, jazz, Garoto.

A obra de Marco Pereira para violão solo: aspectos composicionais. Palavras chave: Violão solo brasileiro, Marco Pereira, jazz, Garoto. A obra de Marco Pereira para violão solo: aspectos composicionais Julio Cesar Moreira LEMOS, UFG - EMAC. Julioczar10@gmail.com Werner AGUIAR, UFG EMAC werneraguiar@gmail.com Palavras chave: Violão solo

Leia mais

ANEXO I. Tabela de pontuação do histórico escolar e do currículo. Grupo I - Títulos Acadêmicos. Quantidade de Títulos.

ANEXO I. Tabela de pontuação do histórico escolar e do currículo. Grupo I - Títulos Acadêmicos. Quantidade de Títulos. ANEXO I Tabela de pontuação do histórico escolar e do currículo Grupo I - Títulos Acadêmicos 01) Diploma de Especialização (20 pontos até 40) 40 02) Diploma de Cursos Diversos (5 pontos por curso até 30)

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular IMPROVISAÇÃO EM MUSICOTERAPIA Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular IMPROVISAÇÃO EM MUSICOTERAPIA Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular IMPROVISAÇÃO EM MUSICOTERAPIA Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Musicoterapia 3. Ciclo de Estudos 2º 4.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Unidade Universitária Cora Coralina CURSO DE HISTÓRIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS. Unidade Universitária Cora Coralina CURSO DE HISTÓRIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA - CIDADE DE GOIÁS Curso: HISTÓRIA Disciplina: História Moderna Habilitação: LICENCIATURA Carga Horária Total: 64 h/a anuais 2 h/a semanais Carga Horária

Leia mais

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som

Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida. por Caio Amon. Imagens Sonoras. A Expansão da Imagem pelo Som Imagens Sonoras por Caio Amon A Expansão da Imagem pelo Som Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida Aprenda a produzir som e trilha para seus projetos. Imagens Sonoras A Expansão

Leia mais

Campus de Presidente Prudente PROGRAMA DE ENSINO. Área de Concentração AQUISIÇÃO, ANÁLISE E REPRESENTAÇÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS

Campus de Presidente Prudente PROGRAMA DE ENSINO. Área de Concentração AQUISIÇÃO, ANÁLISE E REPRESENTAÇÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS PROGRAMA DE ENSINO Disciplina ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO Quadrimestre Código Ano Letivo Área de Concentração AQUISIÇÃO, ANÁLISE E REPRESENTAÇÃO DE INFORMAÇÕES ESPACIAIS Área: CONCENTRAÇÃO ( X )

Leia mais

TEORIA ELEMENTAR DA MÚSICA

TEORIA ELEMENTAR DA MÚSICA Universidade Federal de Santa Maria Centro de Artes e Letras Departamento de Música TEORIA ELEMENTAR DA MÚSICA 2012 Teoria e Percepção Musical Prof. Pablo Gusmão Tópico Página 1 Notas musicais, pauta,

Leia mais

Arte e Cultura na Escola

Arte e Cultura na Escola SECRETARIA NACIONAL DE ASSUNTOS INSTITUCIONAIS SNAI DIRETÓRIO NACIONAL DO PT Arte e Cultura na Escola GESTÃO: MUNICÍPIO: 2001-2004 IMPERATRIZ PREFEITO: Jomar Fernandes Perereira Filho ÓRGÃO RESPONSÁVEL:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAQUARA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 1ª RERRATIFICAÇÃO SOBRE O EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES N 001/2010. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE TAQUARA - RS, no uso de suas atribuições, por contrato celebrado com a PONTUA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM

Leia mais