DIAGNÓSTICO DO USO DA MÚSICA COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIAGNÓSTICO DO USO DA MÚSICA COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO"

Transcrição

1 0 DIAGNÓSTICO DO USO DA MÚSICA COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Natalia Ribeiro de Sousa 1 Roseli Vieira da Silva 2 Rosenilda Cruz dos Santos de Freitas 3 Olímpia T. da Silva Henicka 4 RESUMO O presente estudo teve como objetivo identificar se os professores utilizam a música como recurso pedagógico no ensino-aprendizagem e na socialização das crianças da educação infantil. Para tanto, utilizaram-se métodos indutivo, monográfico e estatístico; para a coleta de dados, a técnica de observação direta extensiva se mostrou necessária, através do instrumento de pesquisa questionário, contendo perguntas abertas e fechadas. Ao final da pesquisa, pode-se perceber que os professores pesquisados utilizam a música como instrumento de apoio no processo de ensino aprendizagem e que os mesmos não têm dificuldades para trabalhar com música na Educação Infantil. Constatou-se, ainda, que a música é ótima contribuidora no processo de ensino aprendizagem dos alunos. Assim, a música, além de contribuir para que os diversos conhecimentos sejam mais facilmente apreendidos pelo aluno, faz com que ele desenvolva sua criatividade, sua subjetividade e sua autonomia. Palavras-chave: Desenvolvimento. Educação Infantil. Música. 1 INTRODUÇÃO Este artigo tem como tema a música como recurso pedagógico, pois a música é, sem dúvida, uma fonte inesgotável de estímulo, e sua prática estabelece no indivíduo uma sensação de felicidade. Acima de qualquer argumento, sabe-se que a música é, foi e 1 Docente no curso de Pedagogia. Acadêmica do Curso de Especialização lato sensu em Educação Infantil da Faculdade de Alta Floresta FAF, em Alta Floresta-MT. 2 Docente no curso de Pedagogia. Acadêmica do Curso de Especialização lato sensu em Educação Infantil da Faculdade de Alta Floresta FAF, em Alta Floresta-MT. 3 Docente no curso de Pedagogia. Acadêmica do Curso de Especialização lato sensu em Educação Infantil da Faculdade de Alta Floresta FAF, em Alta Floresta-MT. 4 Orientadora. Profª Esp. em Psicopedagogia com ênfase em Educação Infantil pela AJES e Didática do Ensino Superior pela Faculdade de Alta Floresta-FAF, em Alta Floresta - MT.

2 1 sempre será uma excelente fonte de comunicação e expressão humana. Hoje, com a rapidez dos meios de comunicação, a música compartilha com o mundo as características de cada país, sua identidade social, sua cultura, sua história. Tem o poder de trabalhar a audição, a reprodução, a improvisação, a criação, a representação mediante o movimento, mediante a dança. Essas atividades auxiliam concretamente no desenvolvimento cognitivo, além de despertar a sensação de prazer e felicidade. A música é, talvez, uma das expressões artísticas mais sinceras e afetivas e que justamente por esses motivos atraem o universo infantil. Portanto, a importância da musicalidade na pré-escola é clara e evidente, além de ser uma atividade prazerosa, a mesma ajuda no desenvolvimento sócio-afetivo, psicomotor e linguístico dos pequenos educandos. Ouvindo música, os conceitos de ritmo, intensidade, altura e melodia são também percebidos, e, além disso, a criança habitua-se a relacioná-la à expressão de sentimentos. Ter em mãos um objeto como a música que gera prazer e desenvolvimento é muito importante para o profissional da educação. A música não é somente um acessório e sim ótimo recurso didático de aprendizagem afetiva e social. Nesse sentido, o presente trabalho levanta o seguinte questionamento: os professores da escola pesquisada estão utilizando a música como recurso didático para o desenvolvimento das crianças da Educação Infantil? Para tanto, partiu-se da hipótese de que os professores pesquisados utilizam a música como instrumento de apoio no processo de ensino aprendizagem. Secundariamente apresentaram-se as hipóteses de que os pesquisados não têm dificuldades para trabalhar com música na Educação Infantil e a música é ótima contribuidora no processo de socialização dos alunos. Enquanto objetivos, pretendeu-se averiguar se os professores utilizam a música como instrumento de apoio no processo de ensino aprendizagem; verificar se os pesquisados têm dificuldades para trabalhar com música na Educação Infantil; investigar como os pesquisados analisam a música como contribuidora no processo de ensino socialização dos alunos. O artigo está dividido em capítulos; no primeiro capítulo, trata-se da introdução do tema, bem como os objetivos e as hipóteses do problema levantado. No segundo capítulo, discorre-se sobre a música como princípio educativo, a música na escola e a importância da música na Educação Infantil. No terceiro capítulo, discorre-se sobre a área de estudo e a metodologia utilizada no trabalho. O quarto capítulo trata dos resultados e discussões dos

3 2 dados coletados no estudo e o quinto capítulo discorre sobre os resultados da pesquisa, bem como algumas sugestões. 2 EMBASAMENTO TEÓRICO Bréscia (2003) afirma que a música está presente em quase todas as manifestações sociais e pessoais do indivíduo desde os tempos mais antigos. Antes mesmo do descobrimento do fogo, o ser humano já se comunicava por meio de sinais e sons rítmicos. Como a forma mais completa de manifestar as diversidades culturais, não somente do Brasil, mas de todo o mundo, a música é a demonstração do sentimento, do prazer, do protesto, dos rancores e também se estabelece em benefício para o bemestar físico, mental e social. Desenvolve o ritmo ordenado na criança, os movimentos sincronizados, a imitação, a sensibilidade musical, a impostação da voz e a linguagem (BRESCIA, 2003, p. 52). A música é uma linguagem universal, empregada para expressar, comunicar sensações, pensamentos e emoções. É por meio da música que se expressam aptidões, sentimentos e disposições para uma aprendizagem significativa nas mais diversas áreas do conhecimento. De acordo com Gardner (apud VALLIN, 2012), a música, além de fazer parte do rol das inteligências múltiplas, ainda desenvolve habilidades no educando que o ajudarão a conhecer diversas culturas e a criar possibilidades de ação em busca de um mundo melhor. Mateus (apud RAMIN, 2012) destaca a música como sendo o elemento facilitador para a compreensão e aprendizagem do ser humano como elemento positivo no processo ensinoaprendizagem. É o que reforçam os Parâmetros Curriculares Nacionais: [...] que os alunos sejam capazes de:utilizar as diferentes linguagens verbais, musical, matemática, gráfica, plástica e corporal. como meio para produzir, expressar e comunicar suas ideias, interpretar e usufruir das produções culturais, em contextos públicos e privados, atendendo a diferentes intenções e situações de comunicação (BRASIL, 1998, p.7). Para Silva (apud RAMIN, 2012), A música desperta a atenção e estimula a confiança do indivíduo em si mesmo; ela pode dar vigor, levantar ânimo, ou mesmo deprimir, dependendo do estilo musical. O Autor relata ser difícil encontrar uma parte do corpo que não esteja sujeita aos efeitos musicais, ao movimento corporal, à aquisição do conhecimento e que a mesma ajuda a desenvolver habilidades culturais, motoras, relacionamento pessoal, estimula a atenção e a autoconfiança. Além desses processos, a música é importante para a contextualização, isto porque através da música se interage com as mais variadas formas de expressões, ideias e valores de uma determinada cultura.

4 3 Na escola, a música pode acontecer por meio de atividades, mas é mediante a musicalização que esta tem acontecido. Segundo Loureiro (2003, p. 27), "musicalização é o processo de desenvolvimento da musicalidade". Penna (1990, p. 22) usou como ponto de partida para discussão a seguinte afirmação: ato ou processo de musicalizar. Musicalizar(se): tornar(-se) sensível a música, de modo que, internamente, a pessoa reaja, mova-se com ela. O processo de musicalização deve destinar-se a todos, buscando desenvolver esquemas de apreensão da linguagem musical. Durante esse processo, adquire-se uma sensibilidade que é construída num ambiente onde as potencialidades de cada indivíduo são trabalhadas e preparadas de modo a compreender e reagir ao estímulo musical. Musicalizar é, ainda, como salienta Penna (1990, p. 22), desenvolver os instrumentos de percepção necessários para que o indivíduo possa ser sensível a música, aprendê-la, recebendo o material sonoro/musical como significativo. Conforme afirma Penna (1990, p. 22), musicalização é um processo bidirecional e integrado entre homem e música. Esse processo ocorre dentro e fora da escola. Por isto, é muito importante levar em consideração as experiências que ocorrem no dia a dia nas situações informais em que o ser humano está inserido. A vivência musical promovida pela musicalização permite na criança o desenvolvimento da capacidade de expressar-se de modo integrado, executando movimentos corporais enquanto canta ou ouve uma música. O canto é usado como forma de expressão e não como mero exercício musical. O termo 'musicalização infantil' adquire então uma conotação específica, caracterizando o processo de educação musical por meio de um conjunto de atividades lúdicas, em que as noções básicas de ritmo, melodia, compasso, métrica, som, tonalidade, leitura e escrita musicais são apresentadas à criança por meio de canções, jogos, pequenas danças, exercícios de movimento, relaxamento e prática de pequenos conjuntos instrumentais. (BRITO, 1998 apud JOLY, 2003, p. 116). Para Feres (1989 apud JOLY, 2003, p. 116), "dizer que uma pessoa é musicalizada significa dizer que ela possui sensibilidade para os fenômenos musicais e sabe expressar-se por meio da música, cantando, assobiando ou tocando um instrumento etc". Portanto, não somente as crianças podem ser musicalizadas, mas qualquer indivíduo de qualquer idade pode passar por esse processo de contato expressivo com a música, podendo ser em uma banda ou num coral. De acordo com Stefani (1997), deve-se estar atento, no entanto, para o fato de a musicalização ser um processo constituído de elementos especificamente musicais. Um professor que canta com seus alunos durante a entrada na sala de aula está oferecendo um tipo

5 4 de vivência, mas essa vivência não pode se limitar apenas a essa atividade. O professor bem fundamentado usa esses momentos de vivência cotidiana na escola conectados a outros momentos em que a criança tem a oportunidade de criar e/ou compreender conceitos musicais a partir da vivência. Na rotina da educação infantil, pode ser incluída a música cantada em vários momentos do dia, como hora da chegada com cumprimento, chamando cada um pelo nome; hora do lanche; hora da brincadeira; hora da história, sendo que esse não deve ser o único motivo para que o trabalho com a música seja realizado. Além de cantar, a criança tem interesse, também, em tocar pequenas linhas melódicas nos instrumentos musicais, buscando entender sua construção. Torna-se muito importante poder reproduzir ou compor uma melodia, mesmo que usando apenas dois sons diferentes e percebe o fato de que para cantar ou tocar uma melodia é preciso respeitar uma ordem, à semelhança do que ocorre com a escrita das palavras (BRASIL, 1998, p. 53). Sempre que possível, deve-se realizar um momento de musicalizaçáo infantil, no qual o educador se programa para fazer uma abordagem musical mais significativa, utilizando os termos adequados para falar da música, dessa forma, desenvolvendo a inteligência musical da criança numa linguagem apropriada à idade. O desenvolvimento pleno das potencialidades inclui o despertar da capacidade auditiva. O ouvido sensível discrimina volume, intensidade e altura de sons, assim como a pronúncia de sons articulados, o que é fundamental para a alfabetização... A frequência com que a criança é levada a ouvir e apreciar músicas de boa qualidade é responsável direta pelo gosto pela música e, às vezes, pelo despertar de vocações (RIZZO, 1985, p. 242). As crianças se relacionam de forma natural e intuitiva com a música, já que os sons e a música como forma de comunicação que representam, são algumas das principais formas de relacionamento humano. A música é importante coadjuvante no trabalho psicomotor, inglês, aprendizagem de números, cores, etc [...] música vai ajudar a acalmar as crianças [...] música vai organizar as crianças [...] música alegra as crianças [...] música é excelente marketing para a escola (ARAUJO, 2001, p. 23). Precisa-se entender que a educação musical não visa à formação do músico profissional. O objetivo da música, entre outros, segundo Bréscia (2003, p. 181) é auxiliar "no processo de apropriação, transmissão e criação de práticas músico-culturais como parte da construção de sua cidadania". O objetivo primordial da educação musical é promover o acesso à multiplicidade de manifestações musicais da cultura do país, permitindo a concepção de manifestações musicais de culturas mais distantes. Além disso, o trabalho com música envolve a construção de identidades culturais das

6 5 crianças, adolescentes e jovens e o desenvolvimento de habilidades interpessoais. Nesse sentido, conforme afirma Bréscia (2003, p. 181), é importante que a educação musical escolar [...] tenha como propósito expandir o universo musical do aluno, isto é, proporcionar a vivência de manifestações musicais de diversos grupos sociais e culturais e de diferentes gêneros musicais dentro da nossa própria cultura. De acordo com Brito (2003), aprender música significa ampliar a capacidade perceptiva, expressiva e reflexiva com relação ao uso da linguagem musical, tão importante que no processo de musicalização, a preocupação maior seja com o desenvolvimento geral da criança, assegurado pelas aprendizagens de aptidões complementares àquelas diretamente relacionadas às musicais. É importante também, segundo a autora, que a escolha de cada um dos procedimentos musicais tenha por objetivo promover o desenvolvimento de outras capacidades nas crianças, além das musicais, tais como: capacidade de integrar-se no grupo, de auto afirmar-se, de cooperar, de respeitar os colegas e professores, de comportar-se de uma forma tolerante (respeitar opiniões e propostas dos que pensam diferente dela), de ser solidário e cooperativo em vez de competitivo, de ouvir com atenção, de interpretar e de fundamentar propostas pessoais, de comportar-se comunicativamente no grupo, de expressarse por meio do próprio corpo, de transformar e descobrir formas próprias de expressão, de produzir ideias e ações próprias. escola: Joly (2003) enumera algumas razões importantes para justificar a inserção da música na O desenvolvimento das suas sensibilidades estéticas e artísticas o desenvolvimento da imaginação e do potencial criativo, um sentido histórico da nossa herança cultural, meios de transcender o universo musical de seu meio social e cultural, o desenvolvimento cognitivo, afetivo e psicomotor, o desenvolvimento da comunicação não verbal. (JOLY, 2003, p. 117). É importante destacar que a música deve estar presente na escola como um dos elementos formadores do indivíduo. Para que isso aconteça, é imprescindível que o professor, conforme explica Joly (2003, 118), "seja capaz dc observar as necessidades de seus alunos e identificar, dentro de uma programação de atividades musicais, aquelas que realmente poderão suprir as necessidades de formação desses alunos". De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (BRASIL, 1998), o trabalho com música deve organizar-se de forma que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades: musicais; a) ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções b) brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais;

7 6 c) explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo; d) perceber e expressar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio de improvisações, composições e interpretações musicais. Na educação infantil, as crianças começam a vivenciar ritmos, gestos, jogos motrizes através de canções e danças. Os conteúdos são organizados em dois blocos, o fazer musical e a apreciação musical que abarcarão, também, questões referentes à reflexão. O fazer musical, segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (BRASIL, 1998): a) exploração e produção do silêncio e de sons com a voz, o corpo, o entorno e materiais sonoros diversos; b) interpretação de músicas e canções diversas, participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos; c) reconhecimento e utilização expressiva, em contextos musicais das diferentes características geradas pelo silêncio e pelos sons: altura (graves ou agudos), duração (curtos ou longos), intensidade (fracos ou fortes) e timbre (característica que distingue e personaliza cada som); d) participação em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e/ou a improvisação musical. Segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (BRASIL, 1998), a apreciação musical refere-se à audição e à interação com músicas diversas: a) escuta de obras musicais variadas; b) participação em situações que integrem músicas, canções e movimentos corporais; c) escuta de obras musicais de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas, da produção musical brasileira e de outros povos e países; d) reconhecimento de elementos musicais básicos: frases, partes, elementos que se repetem etc. (a forma); e) dados sobre as obras ouvidas e seus compositores para começar seus conhecimentos sobre a produção musical. Na escola, a música pode acontecer por meio das inúmeras atividades, mas é mediante a musicalização, ou seja, o processo de desenvolvimento da musicalidade, que esta tem acontecido. Construir materiais sonoros com as crianças é uma experiência prazerosa, lúdica e que traz muita aprendizagem. Tão importante quanto confeccionar instrumentos é poder fazer música com eles. Portanto, a música na educação infantil é importante em todas as áreas de

8 7 desenvolvimento e relaciona-se com outras atividades na rotina diária. Os conhecimentos produzidos na rotina diária através da música são reelaborados pelas crianças em suas vivências. Assim sendo, é fundamental conhecer, aproximar e identificar a importância da educação musical, partindo das emoções e lógicas que guiam e constroem o envolvimento da criança com a música. Ao mesmo tempo, a expressão musical pode representar uma importante fonte de estímulos, na qual o professor pode refinar e despertar a sensibilidade da criança. 3 MATERIAIS E MÉTODOS 3.1 Área de Estudo O estudo foi realizado em uma escola municipal localizada na zona urbana, denominada Escola Municipal Paulo Pires Pereira, bairro Boa Nova III. A referida instituição foi fundada em 2001 na associação do bairro e em 2004 se instalou em prédio próprio. A escola funciona em período integral, atendendo 283 alunos com idade entre 4 meses e 5 anos de idade. O quadro de funcionários é composto de 1 diretora, 1 coordenadora pedagógica, 1 secretária, 13 professores com formação superior, 13 Técnicos de Desenvolvimento da Educação Infantil (TDEIs), 2 Apoio Administrativo Educacional Nutrição, 1 Apoio Administrativo Educacional (vigia), 3 Apoios Administrativo Educacional (limpeza). 3.2 Metodologia O procedimento metodológico envolveu a pesquisa bibliográfica através de autores e suas obras para a obtenção de informações capazes de ajudar no desenvolvimento da pesquisa e de campo desenvolvida pelo método indutivo que, de acordo com Lakatos (2006), partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas (conexão ascendente), ou seja, que fornece diversas informações sobre a importância da música como recurso pedagógico na Educação Infantil. As hipóteses formuladas foram testadas a partir do processo de inferência. A abordagem do problema utilizada foi a quantitativa que, conforme Ruiz (2006), se caracteriza pelo uso da quantificação tanto na coleta quanto no tratamento das informações

9 8 por meio de técnicas estatísticas. A análise quantitativa mede em percentual a importância da música na aprendizagem das crianças da Educação Infantil. Com relação aos objetivos, a pesquisa se classifica como descritiva, pois, segundo Vergara (2007), tem como finalidade primordial a descrição das características de determinada população ou fenômeno, isto é, descreve as formas e metodologias adotadas para conhecer a importância do uso da música como recurso pedagógico. O método de procedimento utilizado foi o monográfico, no qual foi realizado um estudo com determinados professores, com a finalidade de obter generalizações. Para Vergara (2007), qualquer caso estudado em profundidade pode explicar outros ou todos os semelhantes. Este método detalha o objeto da pesquisa que é a utilização da música como recurso pedagógico, o qual poderá dar um direcionamento a futuras pesquisas. E o estatístico que, segundo Martins (2002), permite obter, de conjuntos complexos, representações simples e constata se essas verificações simplificadas têm relações entre si. Através dos dados em percentuais, pode-se medir a opinião dos pesquisados sobre o tema proposto. Foi aplicada a técnica de observação direta extensiva, através de questionários, composto com seis questões fechadas e dez abertas, tendo como objetivo averiguar se os professores utilizam a música como instrumento de apoio no processo de ensino aprendizagem e, posteriormente, foi realizada a tabulação dos dados com os tratamentos estatísticos relacionados para um melhor entendimento das informações coletadas. A pesquisa envolveu doze professores, com faixa etária de 20 e 50 anos, pertencentes a escola em estudo. Os questionários foram entregues aleatoriamente aos pesquisados, no mês de agosto, contendo em anexo uma carta de apresentação com as informações sobre àpesquisa, bem como orientações sobre o preenchimento do questionário e o resguardo da identificação do pesquisado. Os questionários foram devolvidos no prazo estipulado. 4 RESULTADOS E DISCUSSÃO Participaram do estudo 12 pesquisados, sendo que 92% são do sexo feminino; 41% têm idade entre 30 a 40 anos; 33% estão na área da educação entre 5 a 10 anos; 42% têm especialização como grau de formação e 67% atuam como professores na instituição pesquisada. O gráfico 1 mostra que 100% dos pesquisados já participaram da cursos de capacitação que contribuíram para trabalhar com os alunos na área da musicalidade.

10 9 Gráfico 1: Participou de algum curso de capacitação na área da musicalidade % % Sim Não Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. Todos os pesquisados já fizeram ou fazem curso de aperfeiçoamento na área de atuação e possuem o hábito de trabalhar a música em sala de aula. O professor deve estar ciente da necessidade de formação, pois a capacitação tem como finalidade aperfeiçoar os conhecimentos dos professores, mas sempre valorizando seus saberes e seu modo de pensar. Observa-se que os professores buscam cursos de aperfeiçoamento e veem a necessidade de formação musical nos cursos de graduação que contemplem a música. Acredita-se que, através do conhecimento musical, torna-se possível que o professor desenvolva habilidades necessárias para atuar em sala de aula junto aos alunos no sentido de formá-los, com vistas à construção de uma identidade. Ferreira (2002, p. 24) destaca que a música na escola serve para dar vida ao ambiente escolar e favorecer a socialização dos alunos, além de despertar neles a criação e recreação. No gráfico 2, 100% dos pesquisados afirmaram que têm o hábito de usar música em sala de aula.

11 10 Gráfico 2: Utiliza música em sala de aula % % Sim Não Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. Observa-se, nestas respostas, que os professores utilizam a música nas séries iniciais; acredita-se que, nesta fase, é possível perceber as dificuldades encontradas pelas crianças, desse nodo é de fundamental importância que o educador saiba as fases de desenvolvimento de cada criança, saiba quais são as habilidades que ela deve ter para cada fase, para assim poder trabalhar de forma mais segura, observa-se também que é nas escolas de educação infantil que o professor deve ter um olhar mais atento. É fundamental dar às crianças uma orientação e instrumentos adequados e necessários para a sua auto-expressão, criatividade, a expressão de sentimentos e ideias, elementos imprescindíveis para elascontinuarem a aprender ao longo da vida e para um desenvolvimento harmonioso, coerente e saudável da sua personalidade. Brito (2003, p.55) afirma que a criança precisa ser constantemente estimulada para o desenvolvimento de sua inteligência e a exploração de sua inquietação, pois é, por natureza, inquieta. Sente necessidade de correr, pular, brincar. Ela, tendo espaço e oportunidade, naturalmente executa seus movimentos. Cabe à escola oferecer espaço e momentos para continuar e possibilitar este processo. O gráfico 3 mostra que 33% dos pesquisados utilizam a música nas atividades e brincadeiras; 33% responderam que utilizam como elemento de interação e comunicação com as crianças; 18% afirmaram que utilizam de forma lúdica sem cobrança pedagógica; 8%

12 11 disseram que utilizam para trabalhar o ritmo e harmonia; e 8% afirmaram que utilizam a música na rotina como na hora do lanche e entrada. Gráfico 3: Como você a utiliza % 33% % 8% 8% 0 Atividades e brincadeiras Como elemento de interação e comunicação com as crianças De forma lúdica sem cobrança pedagógica Utilizam para trabalhar o ritmo e harmonia Utilizam a música na rotina Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. Observa-se que todas as atividades citadas pelos entrevistados buscam trabalhar o desenvolvimento da criança de uma maneira integral. A música na educação infantil é importante em todas as áreas de desenvolvimento e relaciona-se com outras atividades na rotina diária; assim, é fundamental que o aluno saiba conhecer, aproximar e identificar a importância da educação musical, partindo das emoções e lógicas que guiam e constroem o envolvimento com a música; ao mesmo tempo, a expressão musical pode representar uma importante fonte de estímulos, na qual o professor pode refinar e despertar a sensibilidade da criança. Brito (2003, p.54) afirma que: O educador poderá trabalhar a música na comunicação, expressão, facilitando a aprendizagem, tornando o ensino mais agradável para a criança, fazendo com que a criança fixe assuntos com facilidades, de uma forma agradável.(...) trabalhar a música nas áreas da educação: na comunicação, expressão, facilitara a aprendizagem de forma mais agradável. No gráfico 4, 33% dos pesquisados afirmaram que a contribuição dada pela música no desenvolvimento afetivo da criança é a expressividade de seus sentimentos, sua afetividade;

13 12 33% não opinaram; 18% responderam que a contribuição é a fala e a coordenação motora; 8% responderam que é o desenvolvimento motor e cognitivo e 8% disseram que é a socialização. Gráfico 4: Contribuição que a música oferece no desenvolvimento afetivo da criança da Educação Infantil % 33% % 8% 8% 0 É a expressividade de seus sentimentos, sua afetividade Em branco A fala e a coordenação motora Desenvolvimento motor e cognitivo Socialização Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. É importante brincar e cantar com as crianças, pois o vínculo afetivo que se estabelece nos grupos em que se canta é forte e significativo, pois, segundo Loureiro (2003), o ensino de música deve ter uma atenção especial e ser ofertado no nível da educação básica, principalmente na educação infantil, pois a música e os cantos infantis exercem papel fundamental na afetividade e socialização da criança estimulando seu desenvolvimento integral. Para Oliveira (2008, p. 160), A música favorece o equilíbrio afetivo da criança e contribui para o processo de apropriação de signos sociais. A música é. para a criança, um momento mágico, cantando, ela alimenta sua vida interior, liberando, assim, sua capacidade de criar e reinventar. O gráfico 5 mostra que 100% dos pesquisados afirmaram que a escola oferece material para trabalhar a música.

14 13 Gráfico 5: A escola oferece materiais para trabalhar a música % % Sim Não Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. É fundamental o papel da escola no estudo da cultura musical, pois nela, como terreno de mediação, poderão ocorrer trocas de experiências pessoais, intuitivas e diferenciadas. Portanto a linguagem musical da escola contempla o trabalho vocal, a interpretação e criação de canções, os brinquedos cantados e rítmicos e a construção de instrumentos e objetos sonoros. Construir instrumentos musicais com as crianças, segundo Souza (2008), é uma alternativa de grande valor educativo, além da manipulação da atividade motora envolvida na ação de montar um objeto, ele compreende melhor que a característica do som depende da característica do instrumento. No gráfico 6, 100% dos pesquisados afirmaram que consideram a música como um recurso pedagógico no auxílio do desenvolvimento da criança. Gráfico 6: A música auxilia os professores no desenvolvimento da criança % 0% Sim Não Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa.

15 14 A música possibilita ao professor conhecer a realidade das crianças, através das atividades de natureza lúdica como auxílio no conhecimento do aluno, por isso é um fator essencial e indispensável ao desenvolvimento da criança em sua totalidade, pois ao se trabalhar atividades que contribuem para o desenvolvimento infantil, através das brincadeiras e música, além de promover o desenvolvimento global, incentivam a interação e a formação de um cidadão crítico e reflexivo. Joly (2003, p ) destaca que a música é fator preponderante no processo de ensino e aprendizagem e que alguns fatores podem ser considerados importantes para o sucesso do professor. Conhecer o desenvolvimento cognitivo de cada idade e suas potencialidades proporciona uma direção para que o educador escolha determinada atividade e para que esta venha ao encontro de seus objetivos. No gráfico 7, 42% dos pesquisados afirmaram que a música auxilia no desenvolvimento das habilidades sensoriais, motoras e a socialização; 42% responderam que auxilia no desenvolvimento motor e as linguagens; 8% disseram que auxilia na aproximação entre professores e alunos e 8% não opinaram. Gráfico 7: Como ela pode auxiliar 5 42% 42% % 8% Desenvolvimento de suas habilidades sensoriais, motoras e a socialização Desenvolvimento motor e as linguagens Na aproximação entre professores e alunos Em branco Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa.

16 15 Com as atividades musicais, espera-se que a criança desenvolva a coordenação motora, a atenção, o movimento ritmado, conhecimento quanto à posição do corpo, direção a seguir e outros; participando do desenvolvimento em seus aspectos e sociais; desenvolva livremente a expressão corporal que favorece a criatividade; adquira hábitos de práticas recreativas para serem empregados adequadamente nas horas de lazer; adquira hábitos de boa atividade corporal; seja estimulada em suas funções orgânicas, visando ao equilíbrio da saúde dinâmica e desenvolva o espírito de iniciativa, tornando-se capaz de resolver eficazmente situações imprevistas. Souza (2008, p. 77) diz que, a música na educação infantil favorece a autoestima, a socialização o desenvolvimento o gosto e o senso musical das crianças e que cantando ou dançando, a música proporciona diversos benefícios e é uma grande aliada no desenvolvimento saudável da criançada. No gráfico 8, conforme respostas dos pesquisados, 75% responderam que utilizam a música para trabalhar com todas as áreas do conhecimento; 17% afirmaram que utilizam no desenvolvimento motor, na matemática, na linguagem, artes e ciências e 8% disseram que utilizam com a natureza e a arte. Gráfico 8: Áreas do conhecimento você utiliza a música % 17% 8% Em todas as áreas do conhecimento Motora, na matemática, na linguagem, artes e ciências Natureza e arte Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa.

17 16 As respostas confirmam a hipótese de que os mesmos estão utilizando o repertório para auxiliar em suas atividades, pois a maioria dos pesquisados afirmaram que utilizam a música em todas as áreas do conhecimento, já que é a forma de comunicação que envolve a todos, facilitando seu relacionamento no meio social e, também, contribuindo para o desenvolvimento da linguagem bem como da coordenação motora. A aprendizagem através da música, além de promover o gosto e o senso musical, favorece a expressão artística formando o ser humano com uma cultura musical desde criança, sendo capaz de usufruir da música, analisá-la e compreendê-la. De acordo com Bréscia, (2003) a música vem desempenhando um papel muito importante no desenvolvimento do ser humano, seja no aspecto religioso, no moral, ou no social, contribuindo para aquisição de hábitos e valores que são indispensáveis a um cidadão no exercício da cidadania em uma sociedade. O gráfico 9 demonstra que 100% dos pesquisados afirmaram que não existem dificuldades para se trabalhar a música na Educação Infantil. Gráfico 9: Tem dificuldade para trabalhar a música na Educação Infantil % 0% Sim Não Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. Percebe-se, nas respostas, que os professores não encontram dificuldades para trabalhar com a música nas aulas, desse modo, fica evidente que os mesmos reconhecem a necessidade e importância da música como recurso na aprendizagem do aluno. De acordo com Bréscia (2003, p. 36), a música tem a capacidade de acalmar, concentrar e disciplinar. Temos na musicalização uma riqueza que deve ser explorada em sua

18 17 totalidade. Portanto, as ativ idades com música funcionam como ferramentas para que o educador consiga por meio delas auxiliar o aluno a aprender a aprender. O gráfico 10 mostra que 100% dos pesquisados afirmaram que a música contribui no processo de socialização dos alunos. Gráfico 10: A música é contribuidora no processo de socialização dos alunos % 0% Sim Não Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. A música é um recurso pedagógico no desenvolvimento do educando, pois a mesma estimula a socialização e atenção, possibilitando que a criança se relacione melhor no meio em que vive. Para Bréscia (2003, p. 81), [...] o aprendizado de música, além de favorecer o desenvolvimento afetivo da criança, amplia a atividade cerebral, melhora o desempenho escolar dos alunos e contribui para integrar socialmente o indivíduo. A presença de atividades lúdicas na escola oferece amplas possibilidades para o constante desenvolvimento dos aspectos cognitivos e psicomotores da criança. O gráfico 11 mostra que 34% dos pesquisados deram como sugestão confeccionar instrumentos sonoros com sucata; 17% sugeriram mais participação dos professores nas danças e coreografias para incentivar os alunos; 17% não opinaram; 8% sugeriram utilizá-la diariamente; 8% recomendaram utilizá-la na área educacional e no cotidiano do aluno; 8% deram como sugestão a utilização das brincadeiras de roda e 8% recomendaram mais variedade em DVD com coreografias.

19 18 Gráfico 11: Sugestão a indicar para o trabalho da música em sala de aula % % 17% 1 8% 8% 8% 8% 0 Confeccionar instrumentos sonoros com sucatas Participação dos professores nas danças e coreografias Em branco Utiliza-la diariamente Utiliza-la na área educacional e no cotidiano do aluno Utilização das brincadeiras de roda Mais variedades em DVD com coreografias Fonte: Elaborado pelas Autoras a partir de dados obtidos da pesquisa. Percebe-se que os profissionais sugeriram atividades que contribuem para o desenvolvimento infantil, através das brincadeiras, pois a música, além de promover o desenvolvimento global das crianças, incentiva a interação e a formação de um cidadão crítico e reflexivo. As brincadeiras realizadas no cotidiano da escola através da musica, além de serem apropriadas para a função motora e recreativa, auxiliam também no desenvolvimento da aprendizagem, pois as atividades que envolvem música podem ser consideradas como meio eficaz para promover a socialização dos alunos, uma vez que normalmente são realizadas em grupos e obedecem ao princípio da cooperação entre seus componentes, estimulando, assim, a criança no seu comportamento social. Para Jeandot (1997, p. 54): A música representa uma importante fonte de estímulos, equilíbrio e felicidade para a criança. Consequentemente, as brincadeiras musicais contribuem para reforçar todas as áreas do desenvolvimento infantil, representando um inestimável benefício para a formação e o equilíbrio da personalidade da criança. Ouvir música, aprender uma canção, brincar de roda, realizar brinquedos rítmicos, são atividades que despertam, estimulam e desenvolvem o gosto pela atividade musical, além de propiciar a vivência de elementos estruturais dessa linguagem. Através dos

20 19 materiais sonoros, descobrem-se instrumentos, inventam-se melodias e ouve-se com prazer a música de todos os povos. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Este estudo possibilitou a reflexão sobre o papel da música na Educação Infantil e a análise da mesma como um elemento de fundamental importância para o desenvolvimento/aprendizado da criança. Conforme resultados da pesquisa, atingiram-se os objetivos propostos, visto que os professores pesquisados utilizam a música como instrumento de apoio no processo de ensino aprendizagem e que os mesmos não têm dificuldades para trabalhar com música na Educação Infantil. Constatou-se, ainda, que a música é ótima contribuidora no processo de socialização dos alunos. Percebeu-se também, no decorrer do trabalho, que a música é uma linguagem presente no dia a dia do indivíduo, portanto, os educadores precisam refletir sobre o valor do ensino da música nas escolas. A vivência musical promovida pela musicalização permite na criança o desenvolvimento da capacidade de expressar-se de modo integrado, por meio do brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais. Nesse sentido, a música desenvolve na criança sensibilidade, criatividade, senso crítico, ouvido musical, prazer em ouvir, expressão corporal, imaginação, memória, atenção, concentração, respeito ao próximo, autoestima, enfim, uma infinidade de benefícios são proporcionados a ela, que passa pela experiência e pela vivência dos momentos de educação musical. Esse trabalho pode efetivamente auxiliar educadores que acreditam que podem fazer a diferença na vida de seus alunos e tenham na musicalidade uma aliada permanente no processo de ensino aprendizagem. DIAGNOSIS OF USE MUSIC AS EDUCATIONAL RESOURCE IN EARLY CHILDHOOD EDUCATION ABSTRACT This study aimed to identify whether teachers use music as a teaching resource in the teaching-learning and socialization of children's education. For both methods were used

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

Leia mais

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves

Expressão Musical II. Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013. Docente: António Neves Universidade De Trás-Os-Montes e Alto Douro Educação Básica 1ºano,2ºsemestre,2012/1013 Expressão Musical II Docente: António Neves Discente: Ana Matos nº 53184 A música e o som, enquanto energia, estimulam

Leia mais

Composição musical na educação infantil: uma experiência possível

Composição musical na educação infantil: uma experiência possível Composição musical na educação infantil: uma experiência possível Francine Kemmer Cernev francine@cernev.com.br Universidade Estadual de Londrina/ Colégio Nossa Senhora do Rosário, Cornélio Procópio/PR/

Leia mais

Quatro coordenadas para o andamento da educação musical

Quatro coordenadas para o andamento da educação musical Quatro coordenadas para o andamento da educação musical Léa Pintor Martins de Arruda Maria Angela de Souza Lima Rizzi O trabalho realizado com os educadores, pela equipe da Associação Arte Despertar no

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas. Disciplina Prática de Ensino. Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA

Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas. Disciplina Prática de Ensino. Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas Disciplina Prática de Ensino Ano letivo 2011 Série 3ª Carga Horária 72 H/aula Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA Assim como curadores

Leia mais

O QUE O REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL ESCLARECE SOBRE A EDUCAÇÃO MUSICAL NO CONTEXTO ESCOLAR?

O QUE O REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL ESCLARECE SOBRE A EDUCAÇÃO MUSICAL NO CONTEXTO ESCOLAR? 1123 O QUE O REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL ESCLARECE SOBRE A EDUCAÇÃO MUSICAL NO CONTEXTO ESCOLAR? Everton Tomiazzi 1, Luciana Carolina Fernandes de Faria 2, Raquel Rosan Christino

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil

VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil VISÃO: ser referência na comunidade na área de educação Infantil NOSSA MISSÃO: Por meio da educação formar cidadãos felizes, independentes, éticos e solidários VALORES: Respeito, honestidade, boa moral

Leia mais

PRATICA EDUCATIVA: MUSICALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PRATICA EDUCATIVA: MUSICALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PRATICA EDUCATIVA: MUSICALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Josimara Nascimento Santos Pereira (Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB) Alcione Pereira Santos de Souza (Graduada

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS 1 NOTA INTRODUTÓRIA Programa Música - AEC (1º e 2º Ano - 1º CEB) (Adaptação do Programa do 1º Ciclo Plano da Meloteca) No âmbito da Expressão e Educação Musical, ao abrigo do Despacho n.º 9265-B/2013,

Leia mais

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO Ana Lucia da Silva 1 Franchys Marizethe Nascimento Santana Ferreira 2 O presente projeto justifica-se pela necessidade verificada,

Leia mais

AS RELAÇÕES ENTRE O BRINCAR E A MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A PARTIR DE UMA NOVA CONCEPÇÃO DE SUJEITO

AS RELAÇÕES ENTRE O BRINCAR E A MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A PARTIR DE UMA NOVA CONCEPÇÃO DE SUJEITO AS RELAÇÕES ENTRE O BRINCAR E A MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A PARTIR DE UMA NOVA CONCEPÇÃO DE SUJEITO Igor Guterres Faria¹ RESUMO: Este estudo é parte integrante do projeto de pesquisa de iniciação científica

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 TÍTULO DO PROGRAMA As letrinhas mágicas. 2 EPISÓDIO TRABALHADO Uma visita ao zoológico. 3 SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO As Vogais vão ao zoológico e têm contato com

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Elany Nogueira da Silva Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo Este presente artigo pretende refletir idéias sobre o brincar na Educação Infantil,

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. Premissas básicas:

EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. Premissas básicas: EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil, enquanto segmento de ensino que propicia um maior contato formal da criança com o mundo que a cerca, deve favorecer a socialização da criança, permitir a interação

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades: OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL V - 2012 A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

Leia mais

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE Unidade II ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Profa. Ana Lucia M. Gasbarro A formação pessoal e social da criança, áreas de conhecimento e desenvolvimento da criança Introdução A importância

Leia mais

AUTOR(ES): JULIA CUSTODIO ALEXANDRE, SILVIA MARA GOMES DE FREITAS RODRIGUES ORIENTADOR(ES): JOÃO ANGELO SEGANTIN, LUDMILA FERNANDA RODRIGUES PEREIRA

AUTOR(ES): JULIA CUSTODIO ALEXANDRE, SILVIA MARA GOMES DE FREITAS RODRIGUES ORIENTADOR(ES): JOÃO ANGELO SEGANTIN, LUDMILA FERNANDA RODRIGUES PEREIRA TÍTULO: PRÁTICA PEDAGÓGICA A MUSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): JULIA CUSTODIO ALEXANDRE,

Leia mais

Educação Musical: Criação, Linguagem e Conhecimento

Educação Musical: Criação, Linguagem e Conhecimento Educação Musical: Criação, Linguagem e Conhecimento INTRODUÇÃO Educadores musicais têm manifestado sua preocupação com a observância da Lei nº 11769, que é a lei de inclusão da música no currículo das

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 34, Toledo PR Fone: 377-850 PLANEJAMENTO ANUAL DE MÚSICA SÉRIE: PRÉ I PROFESSOR: Carla Iappe

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Curso: Pedagogia Carga Horária: 36h Ano: 2011 Professor: José Paulo de Assis Rocha Plano de Ensino Disciplina: Arte e Educação Período: 1º ano Turno: noturno

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

LINGUAGEM MÚSICAL: UMA REFLEXÃO SOBRE PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LINGUAGEM MÚSICAL: UMA REFLEXÃO SOBRE PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM MÚSICAL: UMA REFLEXÃO SOBRE PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Rosimari dos Santos Silva Andrade - Graduanda/UEPB Soraya Maria Barros de Almeida Brandão UEPB RESUMO INTRODUÇÃO: Estudos sobre

Leia mais

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 Claudiane da S. EUSTACHIO Dayana Pires Alves GARCIA Fátima RODRIGUES Jean de J. SANTANA 2 Juliana CESANA 3 Ana Lucia de Carvalho MARQUES

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO Tatiane Testa Ferrari e-mail: tatitferrari@ig.com.br Ticiane Testa Ferrari e-mail: ticiferrari@ig.com.br Araceli Simão Gimenes Russo e-mail:

Leia mais

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II 1 A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II Donizeth Henrique Aleluia Vieira 1 Paula Rodrigues de Souza 2 Suely Miranda Cavalcante Bastos 3 Resumo: Juntamente com o campo dos Números

Leia mais

A ATIVIDADE DE MUSICALIZAÇÃO NO ESPAÇO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSIBILIDADES DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

A ATIVIDADE DE MUSICALIZAÇÃO NO ESPAÇO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSIBILIDADES DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A ATIVIDADE DE MUSICALIZAÇÃO NO ESPAÇO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSIBILIDADES DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Resumo VIEGAS, Elis Regina dos Santos 1 - UFGD Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

Projeto: Teatro Infantil

Projeto: Teatro Infantil Cooperativa de Ensino e Cultura de Santa Rita Projeto: Teatro Infantil O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana. (Frederico Garcia Lorca) 1 Unidade Executora: Coordenação Pedagógica, Grupo

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / à / ÁREA DO CONHECIMENTO: Música CARGA HORÁRIA: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PLANO DA I UNIDADE - Conhecer e criar novas melodias. - Desenvolver

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

Reflexões sobre a percepção sonora no processo de musicalização infantil na Escola de Música Maestro Moisés Araújo em Marabá/PA

Reflexões sobre a percepção sonora no processo de musicalização infantil na Escola de Música Maestro Moisés Araújo em Marabá/PA Reflexões sobre a percepção sonora no processo de musicalização infantil na Escola de Música Maestro Moisés Araújo em Marabá/PA Jane Lino Barbosa de Sousa janeufpa@hotmail.com Resumo: O presente trabalho

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal de Campina Grande jliedja@hotmail.com Introdução A Educação de

Leia mais

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim 1 Reflexão A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação Aluna: Ana Isabel Araújo Olim As escolas, ao longo do ano letivo, trabalham várias temáticas sociais. O infantário Donamina, para

Leia mais

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO 1 ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO VOGEL, Deise R. 1 BOUFLEUR, Thaís 2 RAFFAELLI, Alexandra F. 3 Palavras chave: Espaços adaptados; experiências;

Leia mais

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos.

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos. Etapa de Ensino Faixa Etária Prevista Duração Educação Infantil 3 a 5 anos Ensino Fundamental: Anos Iniciais 6 a 10 anos 5 anos Ensino Fundamental: Anos Finais 11 a 14 anos 4 anos EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO

Leia mais

Alessandra Santana. Angélica Cristina da Silva Freire

Alessandra Santana. Angélica Cristina da Silva Freire Câmpus Alfenas 28 de novembro de 2011 SUMÁRIO Alessandra Santana... 2 Angélica Cristina da Silva Freire... 2 Bárbara Luiza Novais... 3 Bruna Aparecida Reis... 3 Carolina Esteves Martins... 4 Celsianne

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO QUALITATIVA DA APRENDIZAGEM SEMESTRAL Educação Infantil Estimulação Essencial e Pré-Escolar O relatório da Educação Infantil - Estimulação Essencial

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 Autora: Maria Thaís de Oliveira Batista Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Email: taholiveira.thais@gmail.com

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Educação Infantil I Segmento I

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Educação Infantil I Segmento I Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2010 Educação Infantil I Segmento I Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA Ano: Infantil I Segmento: I COMPETÊNCIAS HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS - ALUNOS EIXOS TEMÁTICOS/CONTEÚDOS

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS 175 ANAIS III FÓRUM DE PESQUISA CIENTÍFICA EM ARTE Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Curitiba, 2005 DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS Marta Deckert * RESUMO: Como

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL * Rita de Cássia Lindner Kaefer **Ana Eleonora Sebrão Assis RESUMO O objetivo do presente artigo é apresentar uma reflexão a respeito da importância

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO Rebeca Vieira de Queiroz Almeida Faculdade Saberes Introdução O presente texto é um relato da experiência do desenvolvimento do projeto

Leia mais

Projeto Iniciação Musical no Jardim de Infância

Projeto Iniciação Musical no Jardim de Infância Projeto Iniciação Musical no Jardim de Infância ( ) o movimento, o cantar e o tocar se tornam um todo ( ) Com base na espontaneidade dos jogos musicais e corporais das crianças, que têm, na sua base razões

Leia mais

Educação Infantil, que espaço é este?

Educação Infantil, que espaço é este? Educação Infantil, que espaço é este? O material do sistema de ensino Aprende Brasil de Educação Infantil foi elaborado a fim de oferecer subsídios para reflexões, informações e sugestões que auxiliem

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Henrique Daniel Froelich rikedaniel@yahoo.com.br Resumo: Para se viver

Leia mais

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II Músicas infantis. Danças, músicas e personagens folclóricos. Conhecer textos e melodias folclóricos; Entoar músicas do folclore brasileiro; Dançar músicas folclóricas; Imitar

Leia mais

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES Tamiris Andrade Nascimento (Mestranda do Programa Educação Cientifica e Formação de Professores da Universidade

Leia mais

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 Fernanda de Assis Oliveira 2 Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Resumo: Este relato descreve

Leia mais

APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA

APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA Luiz Rafael Moretto Giorgetti Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP (Ex-aluno) e-mail: rafael_giorgetti@hotmail.com

Leia mais

O DIA DO BIS NAS AULAS DE RECREAÇÃO

O DIA DO BIS NAS AULAS DE RECREAÇÃO O DIA DO BIS NAS AULAS DE RECREAÇÃO Profª Tatyanne Roiek Lazier 1 Prof. Esp. Cleber Mena Leão Junior (ABRE) 2 O objetivo principal deste estudo foi propor a inserção de um dia em que as crianças possam

Leia mais

EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS

EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS Cordeiro, Juliana SEMED/Pinhais, vínculo efetivo, Pinhais, Paraná, Brasil juliana.cordeiro@pinhais.pr.gov.br

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. APRESENTAÇÃO Este curso, que ora apresentamos, insere-se como mais uma ação na perspectiva da formação do educador e destina-se a especializar

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO MAIS EDUCAÇÃO CANTO CORAL JUSTIFICATIVA É conhecida a importância da música na vida das pessoas, seja no tocante à saúde, auto - estima conhecimento,

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2...

mhtml:file://c:\documents and Settings\Angela Freire\Meus documentos\cenap 2... Page 1 of 6 O lúdico na educação infantil Com relação ao jogo, Piaget (1998) acredita que ele é essencial na vida da criança. De início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1

MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 Autora: Juliete Soares de Albuquerque Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Co-autora: Geruslandia Almeida

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Expressar curiosidade e desejo de saber; Reconhecer aspetos do mundo exterior mais próximo; Perceber a utilidade de usar os materiais do seu quotidiano;

Leia mais

Projeto: Música na Escola. O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado.

Projeto: Música na Escola. O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado. Projeto: Música na Escola O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado. Justificativa De acordo com as diretrizes curriculares, o som é a matériaprima da música;

Leia mais

14. As áreas de conhecimento e o desenvolvimento da criança de até 6 anos

14. As áreas de conhecimento e o desenvolvimento da criança de até 6 anos 14. As áreas de conhecimento e o desenvolvimento da criança de até 6 anos Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Volume III Âmbito de Conhecimento de Mundo Este volume do RCNEI orienta

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Lúcia Peranzoni 1 Fabiana Lacerda da Silva 2 Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido na disciplina Estágio Básico II no segundo semestre de 2011, tendo

Leia mais

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil 1 Introdução: A matemática é uma disciplina de fundamental importância na vida de todo mundo. Desde tempos antigos o ensino dessa matéria vem fazendo cada vez mais parte da vida dos seres humanos. Basta

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO 4

INFORMATIVO 2015 GRUPO 4 INFORMATIVO 2015 GRUPO 4 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGISTO DE OBSERVAÇÃO / AVALIAÇÃO Nome Data de Nascimento / / Jardim de Infância de Educadora de Infância AVALIAÇÃO

Leia mais

UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DA IMPLANTAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE PÚBLICA E PRIVADA

UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DA IMPLANTAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE PÚBLICA E PRIVADA CIÊNCIAS HUMANAS EDUCAÇÃO UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DA IMPLANTAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NA REDE PÚBLICA E PRIVADA NATÁLIA CORRÊA Curso de Pedagogia Faculdade de Educação NEIDE BARBOSA SAISI

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Referência: CHAGURI, J. P. A Importância do Ensino da Língua Inglesa nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental. In: O

Leia mais

GUIA PEDAGÓGICO PARA OS PAIS 1 ano

GUIA PEDAGÓGICO PARA OS PAIS 1 ano EDUCAÇÃO INFANTIL Maceió, 02 de outubro de 2015. GUIA PEDAGÓGICO PARA OS PAIS 1 ano Senhores pais ou responsáveis Seguem abaixo os temas, objetivos, atividades e evento de culminância dos projetos a serem

Leia mais

A Música No Processo De Aprendizagem

A Música No Processo De Aprendizagem A Música No Processo De Aprendizagem Autora: Jéssica Antonia Schumann (FCSGN) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: O presente trabalho tem por objetivo investigar sobre a importância em

Leia mais

JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin

JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin Quem não se lembra do tempo de escola? Das canções infantis? Das brincadeiras de criança? Dos jogos daquele

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A DINÂMICA

Leia mais

A DANÇA COMO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL.

A DANÇA COMO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL. A DANÇA COMO POTENCIAL DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL. CAMARGO,Leonildo Discente do curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva. MÜZEL,Andrei Docente do curso de Pedagogia da

Leia mais

PROJETO XADREZ NA ESCOLA. Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática.

PROJETO XADREZ NA ESCOLA. Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática. PROJETO XADREZ NA ESCOLA FERREIRA, Massako Saiki Alves 1 SILVA, Lázaro Fernando Rodrigues 2 Palavras-Chave: Xadrez, Ferramenta de Aprendizagem e Matemática. Introdução O Ensino de Xadrez é defendido por

Leia mais

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS Eixo: Políticas para a Infância e Formação de Professores Contempla as produções acadêmico-científicas que tratam de ações políticas e legislações referentes à Educação Infantil e a infância. Aborda pesquisas

Leia mais

Planejamento Anual 2015. Educação Infantil Maternal II

Planejamento Anual 2015. Educação Infantil Maternal II Planejamento Anual 2015 Educação Infantil Maternal II Em nossa ação educativa, pretendemos colaborar para todos trabalharem pela harmonia nas relações entre os homens e os povos, fundada no amor ao outro,

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR Katia Maria de Oliveira CUSTODIO, Ketulem Cristina Vieira ARANTES, Ducéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES. Ângela Aparecida DIAS Departamento de Educação,UFG

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE Natália Maria G. Dantas de Santana- UAE/CFP/UFCG Mayrla Marla Lima Sarmento-UAE/CFP/UFCG Maria Thaís de Oliveira

Leia mais