Palavras-chave: Contos de fadas; Desenvolvimento infantil; Criança.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras-chave: Contos de fadas; Desenvolvimento infantil; Criança."

Transcrição

1 OS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA: BREVES REFLEXÕES TIAGO AQUINO DA COSTA E SILVA LEL Laboratório dos Estudos do Lazer UNESP/ Rio Claro, Rio Claro, São Paulo, Brasil LUANA LEÃO CURY FMU Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo, São Paulo, Brasil ALIPIO RODRIGUES PINES JUNIOR GIEL - Grupo Interdisciplinar de Estudos do Lazer da USP - Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil TATYANNE ROIEK LAZIER FAFI - Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras - União da Vitória - PR - Brasil CLEBER MENA LEÃO JUNIOR GELL/PUCPR - Grupo de Estudos em Lazer e Ludicidade - Curitiba - PR - Brasil RESUMO Este trabalho teve como objetivo apresentar uma breve reflexão sobre a influência dos contos de fadas na vida das crianças, abordando de forma ampla, a importância no desenvolvimento infantil. Trata-se de um trabalho de referencial teórico sobre o conto de fadas e de seus principais autores, que de forma qualitativa, favorece a reflexão e análise acerca das teorias e hipóteses levantadas. Algumas perguntas nortearam o interesse pelo tema, como: quais as possíveis origens dos contos de fadas? O que a criança aprende ao vivenciar os contos de fadas? Os contos de fadas, em sua tradição oral, surgiram há milhares de anos, com difícil precisão histórica. Entende-se de forma positiva que os eles possuem uma estrutura narrativa, apresentada por uma sucessão de fatos e acontecimentos organizados de forma coerente e significante. Por fim, entende-se que os contos de fadas fazem despertar nas crianças o prazer pela leitura e escrita, estimulando a criatividade, a imaginação e a superação dos seus problemas. Palavras-chave: Contos de fadas; Desenvolvimento infantil; Criança. 1. INTRODUÇÃO Trata-se de um trabalho de referencial teórico sobre o conto de fadas na vida das crianças e seus respectivos principais autores. Surgiram inicialmente algumas perguntas que necessitavam de reflexões: Quais as possíveis origens dos contos de fadas? O que a criança aprende ao vivenciar os contos de fadas? Este trabalho teve por objetivo apresentar uma breve reflexão sobre a influência dos contos de fadas na vida das crianças, abordando de forma ampla, a importância no desenvolvimento infantil. Os contos de fadas são narrativas que giram em torno de uma problemática espiritual, ética e existencial, ligada a realização interior do indivíduo, basicamente por intermédio do amor, giram em torno de deuses, duendes, heróis ou situações em que o que sobressai é o sobrenatural. Os contos abrem espaço para que as crianças possam imaginar e despertar curiosidades que são respondidas no decorrer dos contos (COELHO, 2003).

2 Por fazerem parte da sociedade e do folclore de vários povos, e ter a oralidade como primeira opção de transmissão do conhecimento, fica difícil precisar a origem dos contos de fadas. Os contos de fadas, possivelmente, são de origem celta. Surgiram como poemas, que revelavam amores estranhos, fatais e eternos, além de serem expressões narrativas de conflitos entre o homem e a natureza. Por volta do sec II a.c e I d.c, foram acrescentadas a presença de fadas, que eram mulheres iluminadas que podiam ver o futuro de pessoas especiais que elas protegiam (KUPSTAS, 1993). O registro dos contos de fadas começou no século VII com a transcrição do poema épico anglo-saxão Beowulf. No livro galês Mabinogion surgiram as fadas e a transformação das aventuras reais que deram origem ao Ciclo Arturiano onde referia-se ao conjunto de lendas referentes ao rei Artur e seus cavaleiros, para Coelho (1987). Foi com o narratólogo russo Vladimir Propp que se deu os primeiros estudos científicos relevantes dos contos, em A partir dos seus estudos chegou-se a conclusão de que as histórias apresentam, apesar da diversidade, a mesma estrutura: início, ruptura, confronto e superação de obstáculos e perigos, restauração e desfecho (COELHO, 1987; PAVONI, 1989). No início configura-se o surgimento do herói e do problema que irá trilhar toda a história. A ruptura é quando o herói vai ao desconhecido, apresentando momentos de insegurança em sua vida; o confronto e a superação de obstáculos acontecem quando o herói busca soluções fantasias para os seus problemas; a restauração é quando se inicia o processo da descoberta do novo, das suas potencialidades; e o desfecho é o retorno à realidade, com a união dos opostos (MATTAR, 2007). Permite-se afirmar que a fantasia exibida nos contos de fadas expressa as dificuldades e obstáculos apresentados ao herói e o mesmo precisa vencer e alcançar o sucesso e autorealização. Coelho (2003) ainda diz que os irmãos Grimm e Andersen, começaram a achar mais importantes e eficientes o bom caráter da princesa do que as forças brutas do vilão, e dessa forma os contos de fadas, passaram a serem destinados as crianças como conhecemos nos dias atuais. E ainda afirma que através dos contos de fadas é possível despertar nas crianças o prazer de ouvi-los, sendo importante para a formação da criança, pois estimula a criatividade, a imaginação, a brincadeira, a leitura, a escrita, a música, a oralidade, o querer ouvir novamente... Ao ouvir ou ler os contos o psiquismo da criança se desenvolve, primeiramente porque ela tem o desafio intelectual de compreender uma narrativa tão rica, intricada e bem tecida, sendo os contos de fadas capazes de ajudar as crianças a superar obstáculos e vencer os conflitos internos, como a morte, o envelhecimento, a luta entre o bem e o mal, a inveja, que são tratados nos contos de fadas com desfechos otimistas, segundo Oliveira (2011). Para Bettelheim (2004), os contos de fadas são integralmente compreensíveis para as crianças, como nenhuma outra arte é. O significado dos contos de fadas será diferente para cada pessoa e diferente para a mesma pessoa em cada época da sua vida, podendo voltar ao mesmo conto quando se sentir preparada para ampliar ou substituir seus significados. Os contos de fadas existem a milhares de anos e é importante para a formação e a aprendizagem das crianças. Escutar histórias contribui de forma significativa para o início da aprendizagem e para que o indivíduo seja um bom ouvinte e um bom leitor, mostra-se um caminho infinito de descobertas e de compreensão do mundo. Assim Coelho (2003), afirma que os contos abrem espaços para que as crianças deixem fluir o imaginário e despertem a curiosidade, que logo é respondida no decorrer dos contos. Os contos de fadas apresentam fundamental importância no desenvolvimento e aprendizagem da criança. Enquanto diverte a criança, o conto de fadas a esclarece sobre si mesma, e favorece o desenvolvimento de sua personalidade. Oferece

3 significado em tantos níveis diferentes, e enriquece a existência da criança de tantos modos que nenhum livro pode fazer justiça à multidão e diversidade de contribuições que esses contos dão à vida da criança. (BETTELHEIM, 2004, p. 20). Coelho (2003), afirma que através dos contos de fadas é possível despertar nas crianças o prazer em ouvi-las, e isso é importante para a formação de qualquer criança, pois estimula a criatividade, a imaginação, a brincadeira, a leitura, a escrita, a musica, o querer ouvir novamente, desenvolvendo dessa forma a oralidade nas crianças dessa faixa etária, considerado como um importante e significativo veículo de comunicação entre elas. Assim como diz Oliveira (2011), ao ouvir ou ler os contos o psiquismo da criança se desenvolve, primeiramente porque ela tem o desafio intelectual de compreender uma narrativa tão rica, intricada e bem tecida, sendo os contos de fadas capazes de ajudar as crianças a superar obstáculos e vencer os conflitos internos, como a morte, o envelhecimento, a luta entre o bem e o mal, a inveja, que são tratados nos contos de fadas com desfechos otimistas. Segundo Tanouye (2005) os contos de fadas exercem uma influência muito benéfica na formação da personalidade, pois através do entendimento da estória as crianças aprendem que é possível superar obstáculos e vencerem conflitos internos do ser humano, pois os mesmo são tratados nos contos de fadas com desfechos otimistas tendo como um dos motivos pelo qual as crianças querem escutar as mesmas estórias repetidas vezes é para usarem como referência para se compreender, até que o conflito interno seja superado. A mensagem dos contos de fadas é que é inevitável não passar por dificuldades, mas se lutar com firmeza se chega à vitória. Abramovich (1995) é ouvindo histórias que se pode sentir emoções importantes como raiva, tristeza, irritação, bem estar, medo, alegria, pavor, insegurança, tranquilidade, entre outras, e viver profundamente tudo o que as narrativas provocam em quem as ouve com toda a amplitude, significância e verdade que cada uma delas fez, ou não brotar. Pois é ouvir, sentir e enxergar com os olhos do imaginário. As crianças utilizam dos contos de fadas para conseguir lidar com problemas reais enfrentando-os com a coragem de um adulto e a com a inocência de uma criança, para Aguiar (1990). Cashdan (2000) diz que os contos são psicodramas da infância, espelhando lutas reais, com objetivo principal de ajudar as crianças a lidar com os conflitos internos que elas enfrentam. Os contos de fadas são capazes de auxiliar as crianças a superarem certos medos, inseguranças e receios, pois o envolvimento simbólico com a proposta lúdica facilita o entendimento e possíveis soluções desses conflitos, propiciando o desenvolvimento psíquico, afetivo e social. O conto de fadas tem um efeito terapêutico na medida em que a criança encontra uma solução para as suas dúvidas através da contemplação do que a história parece implicar acerca dos seus conflitos pessoais nesse momento da vida, para Bettelheim (2004). Portanto as crianças aceitam com mais naturalidade as desilusões que encontrarão no dia-a-dia, pois sabe que, à semelhança do que acontece nos contos de fadas, os esforços desprendidos hão de ter uma grandiosa recompensa. Por fim, os contos de fadas garantem à criança que as dificuldades podem ser vencidas, as florestas atravessadas, os caminhos de espinhos desbravados e os perigos mudados, por mais pequeno e insignificante que seja quem pretende vencer na vida. E a criança, desprotegida por natureza, sente que também ela pode ser capaz de vencer os seus secretos medos, as suas evidentes ignorâncias, segundo Bettelheim (2004). 3. PROCEDIMENTOS METODLÓGICOS

4 A metodologia utilizada consiste em dois procedimentos. O primeiro define a abordagem utilizada. Neste trabalho utilizou-se a abordagem dedutiva, onde se "[...] parte de teorias e leis com princípios universais e previamente aceitos para a elaboração de conclusões sobre fenômenos universais ou particulares [...]" (MATTOS; ROSSETTO JUNIOR; BLECHER, 2008:28). O segundo procedimento é relativo ao tipo de pesquisa adotado, neste caso, a pesquisa indireta, que de acordo com Mattos, Rossetto Junior e Blecher (2008: 37), é caracterizada "[...] pela utilização de informações, conhecimentos, e dados já coletados por outras pessoas e demonstrados de diversas formas [...]". Assim, dentro da pesquisa indireta, utilizou-se a pesquisa bibliográfica, ou de fontes secundárias, abrangendo publicações como livros, artigos, periódicos e demais publicações que tenham relação com a temática abordada no trabalho (MARCONI; LAKATOS, 2010). 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS Notou-se com o estudo que pesquisar sobre os contos de fadas é algo que exige leitura e compromisso em apresentar o conteúdo e forma relevante e significante. Partindo de uma breve reflexão, buscou-se apresentar a contextualização histórica dos contos de fadas, e seus principais pesquisadores. Notou-se então, que sua origem é imprecisa, e que não nasceram para as crianças e ao longo dos séculos tornaram-se voltado de forma significativa às crianças. Os contos de fadas não são apenas passatempos para as crianças, mas que devem figurar entre as principais estratégias lúdicas para despertarem a curiosidade, estimularem a imaginação, e o favorecem o desenvolvimento da personalidade. Entende-se de forma positiva que os contos de fadas possuem uma estrutura narrativa, apresentada por uma sucessão de fatos e acontecimentos organizados de forma coerente e significante. Por fim, os contos de fadas aumentam a autoestima das crianças tendo grande importância para a formação de sua personalidade. Os contos são facilmente entendidos devido a sua estrutura organizacional, onde sua linguagem simbólica eleva as crianças para as inesquecíveis aventuras lúdicas, projetando o não permitido e o irreal em ação e emoção. REFERÊNCIAS ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 5.ed. São Paulo : Scipione, AGUIAR, V. T. Era uma vez (contos de Grimm). Porto Alegre: Kuarup, BETTELHEIM, Bruno. A Psicanálise dos Contos de Fadas. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, CASHDAN, S. Os 7 pecados capitais nos contos de fada: como contos de fada influenciam nossas vidas. Rio de Janeiro: Campos, COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: Teoria Analise Didática. 6. ed. São Paulo. Moderna, COELHO, Nelly Novaes. O conto de fadas. São Paulo: Ática, KUPSTAS Márcia. et al. Sete faces do conto de fadas. São Paulo: Moderna, 1993.

5 MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, MATTAR, R. R. Os contos de fadas e suas implicações na infância f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) Faculdade de Ciências da UNESP Universidade Estadual Paulista, Bauru, MATTOS, M. G.; ROSSETTO JUNIOR, A. J.; BLECHER, S. Metodologia da pesquisa em Educação Física: construindo sua monografia, artigos e projetos. 3. ed. São Paulo: Phorte, OLIVEIRA, C. Livros e Infância [online]. Disponível em: <http://graudez.com.br/litinf/livros.htm> Acesso em: 24/10/2012 PAVONI, Amarílis. Os Contos e os Mitos no Ensino Uma Abordagem Junguiana. São Paulo: EPU, TANOUYE, M. A importância dos contos de fadas na formação da personalidade. Disponível em: <http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/artigo.asp?entrid=685> Acesso em 23/10/2012.

6 THE FAIRY TALES OF CHILDHOOD: REFLECTIONS IN BRIEF LUANA LEÃO CURY FMU - Metropolitan United Colleges - Sao Paulo - SP Brazil ALIPIO RODRIGUES PINES JUNIOR GIEL/USP/CNPq Interdisciplinary Group of Leisure Studies - Sao Paulo - SP - Brazil TATYANNE ROIEK LAZIER FAFI - Philosophy, Sciences and Letters State College - Uniao da Vitoria - PR - Brazil CLEBER MENA LEÃO JUNIOR GELL/PUCPR - Group of Leisure and Playfulness Studies - Curitiba - PR - Brazil TIAGO AQUINO DA COSTA E SILVA LEL/UNESP Laboratory of Leisure Studies - Rio Claro - SP - Brazil ABSTRACT This paper aims to present a brief reflection on the influence of fairy tales in children's lives, addressing comprehensively the importance in child development. It is a theoretical work on the fairy tale and its principal authors, in a qualitative way, encourages reflection and analysis about the theories and hypotheses. Some questions guided the interest in the topic, such as: what are the possible origins of fairy tales? What the child learns to experience the fairy tales? Fairy tales in their oral tradition, emerged thousands of years ago, with difficult historical accuracy. It is understood positively that they have a narrative structure, by a succession of facts and events organized in a coherent and meaningful. Finally, it is understood that fairy tales do awaken in children the joy of reading and writing, stimulating creativity, imagination and overcome their problems. Keywords: Fairytales. Child Development. Child 1 INTRODUCTION It is a theoretical work on the fairy tale in the lives of children and their principal authors. There were initially some questions that needed reflections: What are the possible origins of fairy tales? What the child learns to experience the fairy tales? This study aimed to provide a brief reflection on the influence of fairy tales in children's lives, addressing comprehensively the importance in child development. Fairy tales are stories that revolve around a problematic spiritual, ethical and existential, inner realization linked to the individual, primarily through love, revolving around gods, goblins, heroes or situations where what stands out is the supernatural. The stories open space for children to imagine and awaken curiosity that are answered in the course of the tales (Coelho, 2003). By being part of society and folklore of various peoples, and have the first option as oral transmission of knowledge, it is difficult to specify the origin of fairy tales. Fairy tales are probably of Celtic origin. Emerged as poems that revealed loves strangers, fatal and eternal, and are expressions narratives of conflict between man and nature.

7 Around sec BC and AD, were added the presence of fairies, who were enlightened women who could see the future of special people they protected (KUPSTAS, 1993). The record of fairy tales began in the seventh century to the transcript of the Anglo- Saxon epic poem Beowulf. In the book Welsh Mabinogion emerged fairies and transformation of real adventures that gave rise to the Arthurian cycle where it referred to the group of legends relating to King Arthur and his knights, to Coelho (1987). It was the Russian Vladimir Propp narratólogo who gave the first scientific studies of relevant stories in From their studies came to the conclusion that the stories show, despite the diversity, the same structure: beginning, break, confrontation and overcoming obstacles and hazards, restoration and outcome (Coelho, 1987; PAVONI, 1989). At the beginning sets up the appearance of the hero and the problem will tread the whole story. The break is when the hero goes to the unknown, showing moments of insecurity in their life; confrontation and overcoming obstacles happen when the hero fantasies seeks solutions to their problems; restoration is when it begins the process of inventing something new, the their potential, and the outcome is a return to reality, with the union of opposites (MATTAR, 2007). Lets say that the fantasy appears in fairy tales expressed the difficulties and obstacles presented to the hero and the same needs to win and achieve success and self-fulfillment. Coelho (2003) also says that the brothers Grimm and Andersen, began to find more important and efficient the good character of the princess than the brute forces of the villain, and thus the fairy tales, intended to be passed as the kids know us today. And states that through fairy tales can awaken in children the pleasure of hearing them, is important for the formation of the child because it stimulates creativity, imagination, play, reading, writing, music, orality, wanting to hear again... When you hear or read the stories the psyche of the child develops, primarily because she has the intellectual challenge of understanding a narrative as rich, intricate and tightly woven, fairy tales being able to help children overcome obstacles and overcome internal conflicts such as death, aging, the struggle between good and evil, envy, which are treated in fairy tales with optimistic outcomes, according to Oliveira (2011). For Bettelheim (2004), fairy tales are entirely understandable for children, art is like no other. The meaning of fairy tales will be different for each person and different for the same person in every period of his life, and may return to the same story when you feel ready to expand or replace their meanings. Fairy tales are thousands of years and it is important for training and learning for children. Listening to stories contributes significantly to the early learning and for the individual to be a good listener and a good player, it shows a path of endless discoveries and understanding of the world. So Rabbit (2003), states that the tales open spaces for children to let the imagination flow and arouse curiosity, which is soon answered over the stories. Fairy tales have fundamental importance in the development and learning of children. While amuses the child, the fairy tale clarifies on itself, and favors the development of his personality. It offers meaning on so many levels, and enriches the child's existence in so many ways that no book can do justice to the multitude and diversity of contributions that these stories give to the child. (Bettelheim, 2004, p. 20). Coelho (2003) asserts that through fairy tales can awaken in children happy to hear them, and that is important for the formation of any child because it stimulates creativity, imagination, play, reading, writing, music, wanting to hear again, thus developing orality in this age group, considered as an important and significant vehicle for communication between them. As said Oliveira (2011), to hear or read the stories the psyche of the child develops, primarily because she has the intellectual challenge of understanding a narrative as rich, intricate, tightly woven, and fairy tales able to help children overcome obstacles and overcome internal conflicts, such as death, aging, the struggle between good and evil, envy, which are treated in fairy tales with optimistic outcomes.

8 According Tanouye (2005) fairy tales exert a very beneficial influence in shaping the character, because by understanding the story children learn that it is possible to overcome obstacles and overcome internal conflicts of the human being, as the same are treated in fairy tales with optimistic outcomes as having one of the reasons why the children want to hear the same stories over and over again is to use as reference for understanding, until the internal conflict is overcome. The message of fairy tales that is inevitable is not experiencing difficulties, but if it gets firmly fight to victory. Abramovich (1995) is hearing stories that one can feel important emotions like anger, sadness, irritation, wellness, fear, joy, fear, insecurity, tranquility, among others, and live deeply everything narratives provoke in those who hear with whole breadth, significance and truth that each one of them did, or did not sprout. Yeah hear, feel and see with the eyes of imagination. Children use fairy tales to cope with real problems facing them with the courage of an adult and with the innocence of a child, to Aguiar (1990). Cashdan (2000) says that the stories are psychodramas childhood, mirroring real fights, with the main purpose of helping children deal with the internal conflicts they face. Fairy tales are able to help children overcome certain fears, insecurities and fears, as the involvement with the proposed symbolic playful facilitates the understanding and "possible solutions" such conflicts, providing psychic development, emotional and social. The fairy tale has a therapeutic effect in that the child finds a solution to your questions through contemplation of the story seems to imply about their personal conflicts at this time of life, for Bettelheim (2004). So children more naturally accept the disappointments that meet the day-to-day, because he knows that, similarly to what happens in fairy tales, the selfless efforts will have a great reward. Finally, fairy tales assure to the child that the difficulties can be overcome, forests crossed the paths of thorns and dangers pioneered changed, however small and insignificant it is those who want to succeed in life. And the child, unprotected by nature, also feels that she may be able to overcome their secret fears, their apparent ignorance, according to Bettelheim (2004). 3 METHODOLOGY The methodology consists of two procedures. The first defines the approach. In this study we used a deductive approach, where "[...] part of theories and laws with universal principles and previously accepted for drawing conclusions about universal phenomena or individuals [...]" (MATTOS; ROSSETTO JUNIOR; BLECHER, 2008:28). The second procedure is relative to the type of adopted research in this case, the search indirect, according to Mattos, Rossetto Junior and Blecher (2008: 37), is characterized "[...] by use of information, knowledge, and data already collected by others and demonstrated in several ways [...]. " Thus, within the indirect research, we used the literature, or from secondary sources, including publications such as books, articles, journals and other publications that relate to the theme discussed at work (MARCONI, LAKATOS, 2010). 4 FINAL CONSIDERATIONS It was noted in the study that research on fairy tales is something that requires reading and commitment to submit content and a relevant and significant. After a brief reflection, we tried to present the historical context of fairy tales, and their principal investigators. It was noted then that its origin is unclear, and that unborn children for over the centuries and became significantly geared to children. Fairy tales are not just hobbies for children, but that should be among the main playful strategies to awaken curiosity, stimulate the imagination, and promote the development of personality.

9 It is understood that in a positive way fairy tales have a narrative structure, by a succession of facts and events organized in a coherent and meaningful. Finally, fairy tales increase the self-esteem of children having great importance for the formation of his personality. The stories are easily understood because of its organizational structure, where its symbolic language elevates children to the unforgettable adventure play, projecting unreal and not allowed into action and emotion. REFERENCES ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 5.ed. São Paulo : Scipione, AGUIAR, V. T. Era uma vez (contos de Grimm). Porto Alegre: Kuarup, BETTELHEIM, Bruno. A Psicanálise dos Contos de Fadas. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, CASHDAN, S. Os 7 pecados capitais nos contos de fada: como contos de fada influenciam nossas vidas. Rio de Janeiro: Campos, COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: Teoria Analise Didática. 6. ed. São Paulo. Moderna, COELHO, Nelly Novaes. O conto de fadas. São Paulo: Ática, KUPSTAS Márcia. et al. Sete faces do conto de fadas. São Paulo: Moderna, MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, MATTAR, R. R. Os contos de fadas e suas implicações na infância f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) Faculdade de Ciências da UNESP Universidade Estadual Paulista, Bauru, MATTOS, M. G.; ROSSETTO JUNIOR, A. J.; BLECHER, S. Metodologia da pesquisa em Educação Física: construindo sua monografia, artigos e projetos. 3. ed. São Paulo: Phorte, OLIVEIRA, C. Livros e Infância [online]. Disponível em: <http://graudez.com.br/litinf/livros.htm> Acesso em: 24/10/2012 PAVONI, Amarílis. Os Contos e os Mitos no Ensino Uma Abordagem Junguiana. São Paulo: EPU, TANOUYE, M. A importância dos contos de fadas na formação da personalidade. Disponível em: <http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/artigo.asp?entrid=685> Acesso em 23/10/2012.

10 THE FAIRY TALES OF CHILDHOOD: REFLECTIONS IN BRIEF ABSTRACT This paper aims to present a brief reflection on the influence of fairy tales in children's lives, addressing comprehensively the importance in child development. It is a theoretical work on the fairy tale and its principal authors, in a qualitative way, encourages reflection and analysis about the theories and hypotheses. Some questions guided the interest in the topic, such as: what are the possible origins of fairy tales? What the child learns to experience the fairy tales? Fairy tales in their oral tradition, emerged thousands of years ago, with difficult historical accuracy. It is understood positively that they have a narrative structure, by a succession of facts and events organized in a coherent and meaningful. Finally, it is understood that fairy tales do awaken in children the joy of reading and writing, stimulating creativity, imagination and overcome their problems. Keywords: Fairytales. Child Development. Child LES CONTES DE L'ENFANCE: RÉFLEXIONS EN BREF RÉSUMÉ Cet article vise à présenter une brève réflexion sur l'influence des contes de fées dans la vie des enfants, traiter de manière exhaustive l'importance du développement des enfants. Il s'agit d'un travail théorique sur le conte et ses principaux auteurs, de manière qualitative, incite à la réflexion et à l'analyse des théories et des hypothèses. Certaines questions ont guidé l'intérêt pour le sujet, tels que: quelles sont les origines possibles de contes de fées? Ce que l'enfant apprend à découvrir les contes de fées? Les contes de fées dans leur tradition orale, a émergé il ya des milliers d'années, avec l'exactitude historique difficile. Il est entendu positive qu'ils ont une structure narrative, par une succession de faits et d'événements organisés d'une manière cohérente et significative. Enfin, il est entendu que les contes de fées ne se réveiller chez les enfants le plaisir de lire et d'écrire, de stimuler la créativité, l'imagination et à surmonter leurs problèmes. Mots-clés: Contes de fées. Développement de l'enfant. Enfant. LOS CUENTOS DE HADAS DE LA INFANCIA: REFLEXIONES EN BREVE RESUMEN Este artículo tiene como objetivo presentar una breve reflexión sobre la influencia de los cuentos de hadas en la vida de los niños, abordar exhaustivamente la importancia en el desarrollo infantil. Se trata de un trabajo teórico sobre el cuento de hadas y sus autores principales, de forma cualitativa, fomenta la reflexión y el análisis sobre las teorías e hipótesis. Algunas preguntas que guiaron el interés en el tema, tales como: cuáles son los posibles orígenes de los cuentos de hadas? Lo que el niño aprende a disfrutar de los cuentos de hadas? Los cuentos de hadas en su tradición oral, surgió hace miles de años, con una precisión histórica difícil. Se entiende positivamente que tienen una estructura narrativa, por una sucesión de hechos y eventos organizados de manera coherente y significativa. Por último, se entiende que los cuentos de hadas no despertar en los niños el gusto por la lectura y la escritura, estimular la creatividad, la imaginación y superar sus problemas. Palabras clave: Cuentos de hadas. Desarrollo del Niño. Niña.

11 OS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA: BREVES REFLEXÕES RESUMO Este trabalho teve como objetivo apresentar uma breve reflexão sobre a influência dos contos de fadas na vida das crianças, abordando de forma ampla, a importância no desenvolvimento infantil. Trata-se de um trabalho de referencial teórico sobre o conto de fadas e de seus principais autores, que de forma qualitativa, favorece a reflexão e análise acerca das teorias e hipóteses levantadas. Algumas perguntas nortearam o interesse pelo tema, como: quais as possíveis origens dos contos de fadas? O que a criança aprende ao vivenciar os contos de fadas? Os contos de fadas, em sua tradição oral, surgiram há milhares de anos, com difícil precisão histórica. Entende-se de forma positiva que os eles possuem uma estrutura narrativa, apresentada por uma sucessão de fatos e acontecimentos organizados de forma coerente e significante. Por fim, entende-se que os contos de fadas fazem despertar nas crianças o prazer pela leitura e escrita, estimulando a criatividade, a imaginação e a superação dos seus problemas. Palavras-chave: Contos de fadas; Desenvolvimento infantil; Criança.

ERA UMA VEZ: A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA

ERA UMA VEZ: A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA ERA UMA VEZ: A INFLUÊNCIA DOS CONTOS DE FADAS NA INFÂNCIA Prof. Luana Leão Cury, Prof. Tiago Aquino da Costa e Silva, Prof. Kaoê Giro Ferraz Gonçalves FMU Faculdades Metropolitanas Unidas/SP Prof. Alipio

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

NAS TRAMAS DO COTIDIANO: ADULTOS E CRIANÇAS CONSTRUINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL

NAS TRAMAS DO COTIDIANO: ADULTOS E CRIANÇAS CONSTRUINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia Néli Falcão Barbosa NAS TRAMAS DO COTIDIANO: ADULTOS E CRIANÇAS CONSTRUINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL Dissertação de Mestrado DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Programa de Pós-Graduação em Educação Rio de Janeiro

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

Descrição das actividades

Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Em Acção Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos Guião D 1.º MOMENTO Intervenientes

Leia mais

Revista F@pciência, Apucarana PR, ISSN 1984-2333, v.8, n.2, p.11 15, 2011 11

Revista F@pciência, Apucarana PR, ISSN 1984-2333, v.8, n.2, p.11 15, 2011 11 Revista F@pciência, Apucarana PR, ISSN 1984-2333, v.8, n.2, p.11 15, 2011 11 A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE LEITORES ALVES, C. C. G. 1 RESUMO Este artigo visa

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

Conteúdo Programático Anual

Conteúdo Programático Anual INGLÊS 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) Capítulo 01 (Unit 1) What s your name? What; Is; My, you; This; Saudações e despedidas. Capítulo 2 (Unit 2) Who s that? Who; This, that; My, your, his, her; Is (afirmativo,

Leia mais

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015 Pets reality There are about 30 millions abandoned pets only in Brazil. Among these amount, about 10 millions are cats and the other 20 are dogs, according to WHO (World Health Organization). In large

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho. 2 EPISÓDIO TRABALHADO Conhecendo o Rosquinha. 3 SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Balinha e Dentinho encontram um cachorro perdido

Leia mais

A Institucionalização da Pessoa Idosa

A Institucionalização da Pessoa Idosa UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Ciências Sociais e Humanas A Institucionalização da Pessoa Idosa Ana Paula Leite Pereira de Carvalho Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Empreendedorismo e Serviço

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL COSTA, Jane de Fátima Rodrigues da Discente do curso de Educação Física na Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva FAIT ZUTTIN, Roberta

Leia mais

A IMPORTANCIA DA LITERATURA INFANTIL NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS COM 4 ANOS

A IMPORTANCIA DA LITERATURA INFANTIL NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS COM 4 ANOS A IMPORTANCIA DA LITERATURA INFANTIL NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS COM 4 ANOS Luciana Sponton da Silva Profª Ms Elaine Cristina Moreira da Silva LINS - SP 2009 1 A IMPORTANCIA DA LITERATURA INFANTIL NO

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL PINHO, Luis Marcelo Varoneli Graduando do curso de Pedagogia, da Faculdade de Ciências Humanas da Associação Cultural e Educacional de Garça,

Leia mais

LITERATURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA COM CONTO CLÁSSICO E CONTEMPORÂNEO NO GRUPO IV

LITERATURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA COM CONTO CLÁSSICO E CONTEMPORÂNEO NO GRUPO IV LITERATURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA COM CONTO CLÁSSICO E CONTEMPORÂNEO NO GRUPO IV Damires Ferreira Lima da Silva UFPE damiresferreira27@gmail.com Kariny Michelly Silva de Oliveira UFPE kariny.ufpe@hotmail.com

Leia mais

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them?

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them? GUIÃO A Prova construída pelos formandos e validada pelo GAVE, 1/7 Grupo: Chocolate Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas 1º Momento Intervenientes

Leia mais

NO MUNDO MÁGICO DA LITERATURA INFANTIL

NO MUNDO MÁGICO DA LITERATURA INFANTIL NO MUNDO MÁGICO DA LITERATURA INFANTIL SOUZA, Jânia Loines Gonçalves de 1 LADWIG, Vânia Kunzler 2. PIRES, Rosalina Elizete dos Santos 3 Resumo A literatura infantil permeia e influencia em aprendizagens

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

Semestre do plano de estudos 1

Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Inglês CU Name Código UC 6 Curso LEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Gestão Duração Semestral Horas de trabalho 54 ECTS 2 Horas de contacto TP - 22,5 Observações n.a. Docente responsável

Leia mais

A DISLEXIA COMO DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM SOB A ÓTICA DO PROFESSOR UM ESTUDO DE CASO

A DISLEXIA COMO DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM SOB A ÓTICA DO PROFESSOR UM ESTUDO DE CASO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO A DISLEXIA COMO DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM SOB A ÓTICA DO PROFESSOR UM ESTUDO DE CASO NEUZA APARECIDA GIBIM PONÇANO Presidente Prudente SP

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Inglês 6º Ano de Escolaridade Prova 06 / 2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. 2014 Prova 06/ 2.ª F.

Leia mais

SEYMOUR PAPERT Vida e Obra

SEYMOUR PAPERT Vida e Obra SEYMOUR PAPERT Vida e Obra Eva Firme Joana Alves Núria Costa 1 de Março de 1928 -EUA Activista - movimento anti-apartheid 1954-1958 - Universidade de Cambridge (matemática). 1958-1963 - Centro de Epistemologia

Leia mais

Validation of the Paratest as efficient method for parasitological diagnosis

Validation of the Paratest as efficient method for parasitological diagnosis Validation of the Paratest as efficient method for parasitological diagnosis TEODORO B. K.; ROBERTO T. N.; BRASIL D. M. E SOUZA L. B.; SOUZA M. C.; PAULETTO M. C. A. C.; MAMED J. A.; SBRAVATE-MARTINS C.

Leia mais

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Trabalho de Compensação de Ausência

Leia mais

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional!

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! ii A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! iii Agradeço à Deus, esta força maior, pela vida, pela sabedoria e pelo amor. Mas, sobretudo, por me ensinar saber fazer ser

Leia mais

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as

Exercícios extras. Na aula de hoje, você deverá arregaçar as Exercícios extras Assunto do dia Na aula de hoje, você deverá arregaçar as mangas e entrar de cabeça nos exercícios extras, que têm como tema tudo que vimos nas aulas do Segundo Grau. Atenção: 3, 2, 1...

Leia mais

PRÁTICAS DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PRÁTICAS DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PRÁTICAS DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL CRUVINEL,Fabiana Rodrigues Docente do curso de pedagogia da faculdade de ciências humana- FAHU/ACEG Garça/SP e-mail:fabianarde@ig.com.br ROCHA,

Leia mais

In this lesson we will review essential material that was presented in Story Time Basic

In this lesson we will review essential material that was presented in Story Time Basic Portuguese Lesson 1 Welcome to Lesson 1 of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group:

Colégio de Aplicação UFRGS. Name: Group: Present Perfect: FOOD for THOUGHT Colégio de Aplicação UFRGS Name: Group: Present Perfect Simple Os Perfect Tenses são formados com o presente simples do verbo to have (have / has), que, neste caso, funciona

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

ORKUT: O Impacto da Realidade da Infidelidade Virtual

ORKUT: O Impacto da Realidade da Infidelidade Virtual Maria Engel de Oliveira ORKUT: O Impacto da Realidade da Infidelidade Virtual DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA Programa de Pós-Graduação em Psicologia Rio de Janeiro, fevereiro de 2007

Leia mais

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração VICTOR HUGO SANTANA ARAÚJO ANÁLISE DAS FORÇAS DE PORTER NUMA EMPRESA DO RAMO FARMACÊUTICO:

Leia mais

NOTA: Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web. 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening )

NOTA: Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web. 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening ) Professor(a): Bispo, Suzamara Apª de Souza Nome: n.º 3º Web Barueri, / / 2009 Trimestre: 3ª Postagem Exercícios de reposição ( listening ) NOTA: ACTIVITY ONE: Put the verses in order according to what

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

II Simpósio de Pesquisa em Educação e Mostra de TCs de 21 a 25 de novembro de 2011 EIXO TEMÁTICO. 2 - Corpo e movimento: perspectivas na educação

II Simpósio de Pesquisa em Educação e Mostra de TCs de 21 a 25 de novembro de 2011 EIXO TEMÁTICO. 2 - Corpo e movimento: perspectivas na educação EIXO TEMÁTICO 2 - Corpo e movimento: perspectivas na educação 16 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO CORPORAL NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Aline Ramos Lilian Dias De Oliveira Ferreira Prof.

Leia mais

Estereoscopia Digital no Ensino da Química AGRADECIMENTOS

Estereoscopia Digital no Ensino da Química AGRADECIMENTOS AGRADECIMENTOS O findar desta dissertação é o momento indicado para agradecer ao Professor Doutor João Carlos de Matos Paiva pela sua grande ajuda, pela disponibilidade sempre manifestada, pelo seu empenho

Leia mais

TEMPO, FEMININO E IDENTIDADE : A IMAGEM FEMININA NA VELHICE

TEMPO, FEMININO E IDENTIDADE : A IMAGEM FEMININA NA VELHICE Mônica Carvalho Pinto Boclin TEMPO, FEMININO E IDENTIDADE : A IMAGEM FEMININA NA VELHICE Departamento de Psicologia Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Mônica Carvalho Pinto Boclin TEMPO,

Leia mais

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM.

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS Prova-modelo Instruções Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. A prova é avaliada em 20 valores (200 pontos). A prova é composta

Leia mais

NARRATIVAS E PRÁTICAS DE LEITURA NA CRECHE: RELATOS SOBRE A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA BEBÊS. Uma experiência com mães.

NARRATIVAS E PRÁTICAS DE LEITURA NA CRECHE: RELATOS SOBRE A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA BEBÊS. Uma experiência com mães. NARRATIVAS E PRÁTICAS DE LEITURA NA CRECHE: RELATOS SOBRE A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA BEBÊS. Uma experiência com mães. Autores: DILMA ANTUNES SILVA 1 ; MARCELO NASCIMENTO 2. Modalidade: Relato de experiência.

Leia mais

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16 Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito Unidade curricular História do Direito Português I (1º sem). Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil

Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil Josy Fischberg Criança e jornalismo: um estudo sobre as relações entre crianças e mídia impressa especializada infantil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios Sandra Sofia Brito da Silva Dissertação

Leia mais

A ROTINA NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A ROTINA NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA A ROTINA NA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Andréia Ap. Domingues Leite RA 20 143

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law Sérgio Leal a,b, João Paulo Leal a,c Horácio Fernandes d a Departamento de Química e Bioquímica, FCUL, Lisboa, Portugal b Escola Secundária com 3.º ciclo Padre António Vieira, Lisboa, Portugal c Unidade

Leia mais

O PAPEL DO BRINCAR NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

O PAPEL DO BRINCAR NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL O PAPEL DO BRINCAR NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL CAMARGO,Kézia Duarte Discente do Curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Socias e Agrárias de Itapeva ZUTTIN,Fabiana Docente da Faculdade de Ciências

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DOS CONTOS DE FADAS PARA A CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Fernanda Maria Sousa Martins; Valdiêgo José Monteiro Tavares; Larissa Mabrine Dias da Silva; Professor

Leia mais

PROJETO VIDA: O USO DA LUDICIDADE NA INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS

PROJETO VIDA: O USO DA LUDICIDADE NA INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS PROJETO VIDA: O USO DA LUDICIDADE NA INCLUSÃO DIGITAL DE CRIANÇAS L. do P. Cordoba*, J. H. Ribas* e S. de Almeida* *Departamento de Informática/UTFPR, Ponta Grossa,Brasil e-mail: laysecordoba@hotmail.com

Leia mais

Planejamento de Comunicação Organizacional: uma releitura da estrutura, enriquecida pelos modelos de análise de marketing.

Planejamento de Comunicação Organizacional: uma releitura da estrutura, enriquecida pelos modelos de análise de marketing. Universidade de São Paulo Escola de Comunicações e Artes - ECA Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação Planejamento de Comunicação Organizacional:

Leia mais

A Contribuição da Literatura na Educação Infantil. The Literature Contribution to Children s Education

A Contribuição da Literatura na Educação Infantil. The Literature Contribution to Children s Education A Contribuição da Literatura na Educação Infantil The Literature Contribution to Children s Education Waldmir Assis Freitas Ferreira a *; Reny Fátima Assis Pereira a a Faculdade Anhanguera de São José,

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA 1. Introdução A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA Jhonatas Garagnani de Souza (G- CLCA - UENP-CJ/CJ) Juliano César Teixeira (G- CLCA UENP/CJ) Paula Fernanda L. de Carvalho (G- CLCA -UENP-CJ-CJ)

Leia mais

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Unidade curricular História do Direito Português I (Doutoramento - 1º semestre) Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

UM OLHAR SOBRE HISTÓRIA DA MATEMÁTICA EM TURMAS DA EJA: UMA ESTRATÉGIA DIDÁTICA

UM OLHAR SOBRE HISTÓRIA DA MATEMÁTICA EM TURMAS DA EJA: UMA ESTRATÉGIA DIDÁTICA UM OLHAR SOBRE HISTÓRIA DA MATEMÁTICA EM TURMAS DA EJA: UMA ESTRATÉGIA DIDÁTICA JOSÉ JORGE CASIMIRO DOS SANTOS Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) jorge.cassimiro14@gmail.com RÔMULO TONYATHY

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO. Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO. Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO Este artigo apresenta como objeto de as pesquisas sobre as Contribuições da Psicologia à Educação. O objetivo foi analisar a produção

Leia mais

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE?

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE? Visitor, is this is very important contact with you. I m Gilberto Martins Loureiro, Piraí s Senior Age Council President, Rio de Janeiro State, Brazil. Our city have 26.600 habitants we have 3.458 senior

Leia mais

A ESCOLA COMO TRANSFORMADOR SOCIAL

A ESCOLA COMO TRANSFORMADOR SOCIAL A ESCOLA COMO TRANSFORMADOR SOCIAL MORAIS, Rafael Oliveira Lima Discente do curso de Pedagogia na Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva RESUMO O profissional que entender que é importante

Leia mais

O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Renato da Guia Oliveira 2 FICHA CATALOGRÁFICA OLIVEIRA. Renato da Guia. O Papel da Contação

Leia mais

A PRÁTICA DE LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO INCENTIVO NA FORMAÇÃO DE FUTUROS LEITORES RESUMO

A PRÁTICA DE LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL COMO INCENTIVO NA FORMAÇÃO DE FUTUROS LEITORES RESUMO Revista Eventos Pedagógicos Articulação universidade e escola nas ações do ensino de matemática e ciências v.6, n.2 (15. ed.), número regular, p. 241-249, jun./jul. 2015 A PRÁTICA DE LEITURA NA EDUCAÇÃO

Leia mais

As Novas Tecnologias como componente da. Formação, de 1º ciclo, em Serviço Social

As Novas Tecnologias como componente da. Formação, de 1º ciclo, em Serviço Social Instituto Superior Miguel Torga Escola Superior de Altos Estudos Cláudia Sofia da Costa Duarte As Novas Tecnologias como componente da Formação, de 1º ciclo, em Serviço Social Dissertação de Mestrado em

Leia mais

THE LIBRARY A LANGUAGE LEARNING ADVENTURE #1 TEXTO DE ESTUDO

THE LIBRARY A LANGUAGE LEARNING ADVENTURE #1 TEXTO DE ESTUDO 1 A LANGUAGE LEARNING ADVENTURE #1 TEXTO DE ESTUDO ENGLISH TEXT The beginning of your journey So, you want to improve your English. Do you need to improve your English for professional reasons, for reasons

Leia mais

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire Volunteer Profile Questionnaire 1 Índice 1 VOLUNTEER PROFILE QUESTIONNAIRE... 1.1 Country... 1. AGE... 1. GENDER... 1..1 GENDER vs... 1. Qualification... 1..1 QUALIFICATION GREECE VS PORTUGAL... 1. Are

Leia mais

Lesson 6 Notes. Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job. Language Notes

Lesson 6 Notes. Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job. Language Notes Lesson 6 Notes Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job Welcome to Fun With Brazilian Portuguese Podcast, the podcast that will take you from beginner to intermediate in short, easy steps. These

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

Redes sociais: a coexistência de classes sociais distintas em um mesmo ambiente digital.

Redes sociais: a coexistência de classes sociais distintas em um mesmo ambiente digital. Tatiana Kocerginskis Redes sociais: a coexistência de classes sociais distintas em um mesmo ambiente digital. Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

Carreiras e a Nova Geração Produtiva: Quais as Expectativas de Carreira de Jovens Profissionais?

Carreiras e a Nova Geração Produtiva: Quais as Expectativas de Carreira de Jovens Profissionais? Patrícia Freitas de Sá Carreiras e a Nova Geração Produtiva: Quais as Expectativas de Carreira de Jovens Profissionais? Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

LITERATURA INFANTIL CONTEMPORÂNEA

LITERATURA INFANTIL CONTEMPORÂNEA RISSA, A.C. SOUZA, D.C. VIEIRA, A.R. LITERATURA INFANTIL CONTEMPORÂNEA Resumo O presente artigo tem como principal objetivo evidenciar as características da literatura desde o seu inicio bem como na contemporaneidade.

Leia mais

PARFOR E AS INICIATIVAS DE FORM AÇÃO DE DOCENTES NO ESTADO DE SANTA CATARINA

PARFOR E AS INICIATIVAS DE FORM AÇÃO DE DOCENTES NO ESTADO DE SANTA CATARINA PARFOR E AS INICIATIVAS DE FORM AÇÃO DE DOCENTES NO ESTADO DE SANTA CATARINA Franciela Mara Córdova Ransolin Resumo: A formação de professores é um tema relevante entre as políticas públicas posto que

Leia mais

OUTRA FORMA DE VER? A CONSTRUÇÃO DO AUTOCONCEITO DE CRIANÇAS CEGAS E AMBLIOPES

OUTRA FORMA DE VER? A CONSTRUÇÃO DO AUTOCONCEITO DE CRIANÇAS CEGAS E AMBLIOPES UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CENTRO REGIONAL DE BRAGA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS OUTRA FORMA DE VER? A CONSTRUÇÃO DO AUTOCONCEITO DE CRIANÇAS CEGAS E AMBLIOPES II Ciclo de Estudos em Ciências da

Leia mais

Serviços: API REST. URL - Recurso

Serviços: API REST. URL - Recurso Serviços: API REST URL - Recurso URLs reflectem recursos Cada entidade principal deve corresponder a um recurso Cada recurso deve ter um único URL Os URLs referem em geral substantivos URLs podem reflectir

Leia mais

ANÁLISE POR TRIANGULAÇÃO DE MÉTODOS: UM REFERENCIAL PARA PESQUISAS QUALITATIVAS

ANÁLISE POR TRIANGULAÇÃO DE MÉTODOS: UM REFERENCIAL PARA PESQUISAS QUALITATIVAS 201 Recebido em 12/2013. Aceito para publicação em 03/2014. ANÁLISE POR TRIANGULAÇÃO DE MÉTODOS: UM REFERENCIAL PARA PESQUISAS QUALITATIVAS ANALYSIS BY TRIANGULATION OF METHODS: A REFERENCE TO QUALITATIVE

Leia mais

BIBLIOGRAFIA. Faupel, A. & Sharp, P. (2003). Promoting emotional literacy. Guidelines for schools, local authorities and

BIBLIOGRAFIA. Faupel, A. & Sharp, P. (2003). Promoting emotional literacy. Guidelines for schools, local authorities and RESUMO EXPANDIDO Pode definir-se Literacia Emocional como a capacidade para reconhecer, compreender, expressar e gerir estados emocionais, do próprio e de outras pessoas, existindo associações entre esta

Leia mais

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Instruções aos candidatos: (1) Preencher somente o número de inscrição em todas as folhas. (2) Usar caneta preta ou azul. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Leia mais

Planificação anual - 2015/2016llllllllllll. Disciplina / Ano: Inglês / 5º ano. Manual adotado: Win!5 (Oxford University Press) Gestão de tempo

Planificação anual - 2015/2016llllllllllll. Disciplina / Ano: Inglês / 5º ano. Manual adotado: Win!5 (Oxford University Press) Gestão de tempo 1º PERÍODO 2º PERÍODO 3º PERÍODO ESCOLA BÁSICA DA ABELHEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL DE INGLÊS DO 5.º ANO 2015/2016 Planificação anual - 2015/2016llllllllllll Disciplina / Ano: Inglês / 5º ano Manual adotado:

Leia mais

LEITURA LITERÁRIA NA SALA DE AULA SILVA, R. L.; RUTHES, A. F.; PIRES, R.; HARSCH, M. A.; SILVA, E.C.G. Resumo

LEITURA LITERÁRIA NA SALA DE AULA SILVA, R. L.; RUTHES, A. F.; PIRES, R.; HARSCH, M. A.; SILVA, E.C.G. Resumo LEITURA LITERÁRIA NA SALA DE AULA SILVA, R. L.; RUTHES, A. F.; PIRES, R.; HARSCH, M. A.; SILVA, E.C.G Resumo O objetivo deste trabalho é conhecer mais profundamente o que acontece no espaço da sala de

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

WELCOME Entrevista Au Pair Care

WELCOME Entrevista Au Pair Care WELCOME Entrevista Au Pair Care MÓDULO 2. ENTREVISTA-PERGUNTAS EXTRAS ENTREVISTA FÓRMULA PARA O SUCESSO Passo 1 Vai ser uma conversa informal, então relaxe! Parte 2 Algumas perguntas vão ser as mesmas

Leia mais

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS Ana Helena da Silva, MCI12017 Cristiana Coelho, MCI12013 2 SUMMARY 1. Introduction 2. The importance of IT in Organizations 3. Principles of Security 4. Information

Leia mais

WORKING CHILDREN. a) How many children in Britain have part-time jobs?. b) What do many Asian children do to make money in Britain?.

WORKING CHILDREN. a) How many children in Britain have part-time jobs?. b) What do many Asian children do to make money in Britain?. Part A I. TEXT. WORKING CHILDREN Over a million school children in Britain have part-time Jobs. The number is growing, too. More and more teenagers are working before school, after school or on weekends.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DA DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DA DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Oliveira, Rafael Cavalheiro de Discente do curso de Educação Física da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva Muzel, Andrei Alberto Docente do curso

Leia mais

LEITURA E LITERATURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA

LEITURA E LITERATURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA LEITURA E LITERATURA NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA Suellen Lopes 1 Graduação Universidade Estadual de Londrina su.ellen23@hotmail.com Rovilson José da Silva 2 Universidade Estadual de Londrina rovilson@uel.br

Leia mais

O ensino de língua inglesa para crianças

O ensino de língua inglesa para crianças O ensino de língua inglesa para crianças Débora Leffa Dimer 1 Adriana Soares 2 Resumo: No presente artigo, iremos analisar como ocorre o aprendizado de uma língua estrangeira, no caso, a Língua Inglesa,

Leia mais

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2.

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2. TeamSpeak PORTUGUES ENGLISH Tutorial de registo num servidor de TeamSpeak Registration tutorial for a TeamSpeak server Feito por [WB ].::B*A*C*O::. membro de [WB ] War*Brothers - Non Dvcor Dvco Made by:

Leia mais

PROVA COMENTADA E RESOLVIDA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO

PROVA COMENTADA E RESOLVIDA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO COMENTÁRIO GERAL DOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO Uma prova, para avaliar tantos candidatos deve ser sempre bem dosada como foi a deste ano. Houve tanto questões de interpretação (6) como de gramática

Leia mais

ADOÇÃO. Aprendizagem com crianças adotadas de 8 anos na 3ª série

ADOÇÃO. Aprendizagem com crianças adotadas de 8 anos na 3ª série ADOÇÃO Aprendizagem com crianças adotadas de 8 anos na 3ª série ANA LUCIA DOS SANTOS LILIAN BOZZO ALVES TAMIRES ANTONIO FRANCISCO Prof. Ms JOSÉ MÉDICE Lins SP 2009 1 ADOÇÃO Aprendizagem com crianças adotadas

Leia mais

Resumo. pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração

Resumo. pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração Resumo A Trissomia XXI caracteriza-se por um distúrbio de origem genética causado pela presença extra, total ou parcial, do cromossoma 21. Assim, existe uma alteração generalizada do Sistema Nervoso Central

Leia mais

Barbara Jane Necyk. Texto e Imagem: um olhar sobre o livro infantil contemporâneo. Dissertação de Mestrado

Barbara Jane Necyk. Texto e Imagem: um olhar sobre o livro infantil contemporâneo. Dissertação de Mestrado Barbara Jane Necyk Texto e Imagem: um olhar sobre o livro infantil contemporâneo Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Design do Departamento de Artes & Design

Leia mais

Estratégia de Leitura Elementos de Referência. Reference devices ou elementos de referência

Estratégia de Leitura Elementos de Referência. Reference devices ou elementos de referência Estratégia de Leitura Elementos de Referência Reference devices ou elementos de referência Ao ler textos sobre qualquer assunto, em qualquer área de conhecimento, todo leitor percebe uma relação de REFERÊNCIA

Leia mais

Inglês 05 The Present.

Inglês 05 The Present. Inglês 05 The Present. O Presente Simples expressa uma ação que acontece rotineiramente, em contraste com o Continuous, que expressa, entre outras coisas, uma ação que esta se processando no momento. He

Leia mais

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil SOARES, Nathalia Fernandes Brasil - Angola: aproximando-os

Leia mais

Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante?

Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante? Do you know how to ask questions in English? Você sabe fazer perguntas em Inglês? Em primeiro lugar observe as frases abaixo: Afirmativo: Ele é estudante Interrogativo: Ele é estudante? Note que tanto

Leia mais

Grupo de Trabalho: Temas Livres

Grupo de Trabalho: Temas Livres ATIVIDADE FÍSICA, LAZER E SAÚDE NA ADOLESCÊNCIA: POSSÍVEIS APROXIMAÇÕES Alipio Rodrigues Pines Junior (alipio.rodrigues@gmail.com) Grupo Interdisciplinar de Estudos do Lazer - GIEL/USP/CNPq Tiago Aquino

Leia mais

V Simpósio de Pesquisa em Educação e Mostra de TCs de 10 a 14 de novembro de 2014 5 - EIXO: ALFABETIZAÇÃO, LETRAMENTO, EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

V Simpósio de Pesquisa em Educação e Mostra de TCs de 10 a 14 de novembro de 2014 5 - EIXO: ALFABETIZAÇÃO, LETRAMENTO, EDUCAÇÃO MATEMÁTICA 5 - EIXO: ALFABETIZAÇÃO, LETRAMENTO, EDUCAÇÃO MATEMÁTICA A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Ana Lúcia de Oliveira Jéssica Maria Bulin Profa Dra Lígia Formico Paoletti http://lattes.cnpq.br/4928386512604987

Leia mais