CADERNO DE RESUMOS PRESIDENTE PRUDENTE 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADERNO DE RESUMOS PRESIDENTE PRUDENTE 2007"

Transcrição

1 CADERNO DE RESUMOS PRESIDENTE PRUDENTE 2007

2 1 SUMÁRIO CRÉDITOS...02 APRESENTAÇÃO...03 PROGRAMAÇÃO...04 RESUMOS DAS COMUNICAÇÕES...08

3 2 Direção Acadêmica da FAPEPE Claudia A. Pereira Coordenação do Curso de Turismo Pedro Sérgio Mora Filho Comissão Organizadora: Eduardo A. Werneck Ribeiro Edvaldo Correa Sotana Guilherme Sanches Heber Ricardo da Silva Samanta G. Cabral Monitores: Adriana S. C. Barreiros Ana Paula de Souza Andréia Garcia da Silva Bruno Faria Barros Carla M. P. Rocha Caroline Barizon Cristiane da Silva Coelho Emerson B. da Silva Gisele C. E. da Silva Izabela C. Nunes Jacir A. P. Junior Juliana K. Fernandes Marcelo C. Silva Barros Mônica da Silva Santos Patrícia C. de Almeida Saramelo Priscila I. Duarte Priscila L. Malacrida Rafaela A. Feliciano Rosivane da Silva Vinicius Vellasques Wellington F. Tolentino Diagramação e Organização: Edvaldo Correa Sotana Apoio: Faculdade de Presidente Prudente

4 3 APRESENTAÇÃO Além de sua função social e integradora, o evento permite uma grande difusão dos conhecimentos adquiridos e traz a oportunidade do intercâmbio entre profissionais, estudantes, professores e demais empresas pertencentes ao trade turístico. A realização do SETA - Seminário de Turismo Acadêmico - pretende ser um instrumento de orientação a todos os envolvidos nos dois dias de atividades. O IV SETA pretende refletir sobre Agências de Eventos e Agência Escola de Viagens marcando, de maneira peculiar, a diferença entre o profissionalismo e o amadorismo e, também, fazendo a diferença para os futuros profissionais do trade turístico de Presidente Prudente. Além disso, objetiva aliar pesquisa e difusão do conhecimento científico nas palestras, cursos e grupos de trabalho. PEDRO SÉRGIO MORA FILHO Coordenador do Curso de Turismo

5 4 PROGRAMAÇÃO 08/11 (QUINTA-FEIRA) 14h até 17h30 - Abertura da Secretaria: Credenciamento 17h30 até 19h - Apresentação de trabalhos Científicos TURISMO, PATRIMÔNIO CULTURAL E HISTÓRIA COORDENADOR: Heber Ricardo SALA: ARAGÃO, Rafaela Feliciano. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO TURISMO PARA A HISTÓRIA DE UM LOCAL. 2.BARIZON, Caroline. (Discente do curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO HISTÓRICO-CULTURAL E ARQUEOLOGIA NO CAMINHO DE PEABIRU. 3.DANTAS, Cleyse Mendes. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP) TURISMO CULTURAL: MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. 4. MALDONADO, Simone Calçado. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). A IMPORTÂNCIA DO PRÉDIO MATARAZZO COMO PATRIMÔNIO CULTURAL. 5. MARACCI, Christiane da Cruz. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). PATRIMÔNIO HISTÓRICO-CULTURAL E TURISMO CULTURAL NO MUNICIPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: UMA ANÁLISE DOS BENS MATERIAIS IMÓVEIS. 6. MENDONÇA, Bárbara Tuponi.(Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). VIAGENS HISTÓRICO-CULTURAIS REALIZADAS POR MEIO DAS AGENCIAS DE VIAGENS. 7.SILVA, Danilo Galdino da. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO ARQUEOLÓGICO UM ESTUDO SOBRE AS POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO PARA FINS TURÍSTICOS NO MUNICÍPIO DE IEPÊ. GESTÃO EM HOSPITALIDADE, AGENCIAMENTO E EVENTOS COORDENADOR: Guilherme Sanches SALA: 75

6 1.BARROS, Patrícia de Souza. (Graduada em Turismo FAPEPE/UNIESP). TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS E ADAPTAÇÃO PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS: ESTUDO DE CASO EMPRESA ANDORINHA. 5 2.BRITO, Shirley. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). RECURSOS HUMANOS NO SETOR DE RECEPÇÃO NA HOTELARIA DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE. 3.NICODEMO, Drielli Atanasio. (Discente do Curso de Turismo - FAPEPE/ UNIESP). IDENTIDADE E HOSPITALIDADE. 4. MENDES, Janayna de Araújo (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP) ESTUDO DO FUNCIONAMENTO DO AEROPORTO DE PRESIDENTE PRUDENTE. 5MORAIS, Valter Santos de. (Discente do Curso de Turismo da FAPEPE/UNIESP). HOSPITALIDADE E TURISMO: RELAÇÃO DA HOSPITALIDADE COMERCIAL NO RESTAURANTE E CHURRASCARIA GAÚCHA EM TEODORO SAMPAIO SP. 6. PINTO, Gabriel Pereira. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). ANALISE DOS FLUXOS DE PASSAGEIROS DA EMPRESA DE TRANSPORTES ANDORINHA S. A. QUE UTILIZAM O TERMINAL RODOVIARIO DE PRESIDENTE PRUDENTE. 7. TAKAHASHI, Paula Rodrigues. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). ANÁLISE DO HOTEL PORTAL D OESTE DE PRESIDENTE PRUDENTE. 8.TUPONI, Binca. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS HOTÉIS FAZENDAS - CAMPO BELO E CLIV SOL 19h - Abertura Oficial Claudia A. Pereira Diretora Acadêmica Pedro S. Mora Filho Coordenador do Curso 20h Conferência de Abertura: Política e planejamento do desenvolvimento sustentável do turismo no Estado de São Paulo Prof. Dr. Mario Carlos Beni (Professor Titular da USP). 21h Palestra: O desenvolvimento do setor hoteleiro de Resorts e seus impactos no mercado de trabalho Sr. Alexandre Zubaran (Presidente da Sauípe S.A. Costa do Sauípe Resorts) 22h Coquetel de Confraternização

7 6 09/11 (SEXTA-FEIRA) 17h30 até 19h - Apresentação de trabalhos Científicos MEIO AMBIENTE, DESENVOLVIMENTO E TURISMO COORDENADOR: Pedro Sérgio Mora Filho SALA: ALMEIDA, Evelin Maciel de. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). PLANEJAMENTO DO ESPAÇO TURISTÍCO NO MUNICÍPIO DE TEODORO SAMPAIO: UMA PROPOSTA PARA O DESENVOLVIMENTO DAS POTENCIALIDADES TURÍSTICAS. 2. CAETANO, Eloisa Rodrigues. (Discente do Curso de Administração FAPEPE/ UNIESP). ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: UM ESTUDO SOBRE A ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR NO MUNICÍPIO DE ÁLVARES MACHADO - SP 3.COELHO, Cristiane da Silva. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO NA NATUREZA; SALA DE AULA PERFEITA PARA A ALFABETIZAÇÃO ECOLOGICA. 4.CORREA, Odair. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO RURAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL: TEORIA E REALIDADE 5. DUARTE, Priscila (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). ÁREA PILOTO DA BACIA DO RIBEIRÃO DO PALMITAL. 6. RUAS, Luana Marcela da Silva (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). VIABILIDADE DA IMPLANTAÇÃO DE UM RECEPTIVO TURÍSTICO NO ASSENTAMENTO ÁGUA LIMPA NO MUNICÍPIO LIMÍTROFE DE MIRANTE DO PARANAPANEMA E PRESIDENTE BERNARDES. 7. SANTOS, Luciene Maria dos. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). ECOTURISMO NO MUNCÍPIO DE SANDOVALINA EM UMA ÁREA GEOGRÁFICA DO CAMINHO DO PEABIRU. GESTÃO EM HOSPITALIDADE, AGENCIAMENTO E EVENTOS: REFLEXÕES SOBRE O LAZER. COORDENADOR: Eduardo W. Ribeiro SALA: CARVALHO, Arthur Dias de. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). A VIOLÊNCIA DAS TORCIDAS ORGANIZADAS DE FUTEBOL

8 2. MALACRIDA, Priscila Lomas. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP) RETROSPECTIVA HISTÓRICA DO LÚDICO: REFLEXÕES SOBRE A TEMÁTICA LAZER E TRABALHO. 3. ROCHA, Marcelo Mariano. (Graduado em Turismo FAPEPE/UNIESP) TURISMO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NO BRASAIL: REFLEXÕES HISTÓRICAS 4.SARAMELO, Patrícia C. A. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). O TRABALHO NO TURISMO E AS ATIVIDADES ESTRESSANTES: PRIORIDADE NA BUSCA PELA QUALIDADE DE VIDA. 5. OKIMOTO, Evellyn Okimoto. (Discente em Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO E TERCEIRA IDADE. 7 19h30 Palestra: Museus, Arqueologia e Turismo Dr.ª Ruth Künzli (Docente da FCT UNESP/ Presidente Prudente) 21h Entrega de Prêmios e Certificados de Participação 21h45 Encerramento do Evento

9 8 RESUMOS DAS COMUNICAÇÕES

10 9 GRUPO DE TRABALHO TURISMO, PATRIMÔNIO CULTURAL E HISTÓRIA ARAGÃO, Rafaela Feliciano. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO TURISMO PARA A HISTÓRIA DE UM LOCAL. O turismo pode ser visto com um forte instrumento para o regaste da história de um determinado local, dependendo da forma como é utilizado. Para que se trabalhe com um lugar especifico, é preciso utilizar ferramentas de pesquisa que demonstrem as transformações e quais vestígios foram preservados. Assim, pode-se localizar componentes importantes para se entender à história de um espaço, a relação homem/ natureza, a analise geográfica do local e a sua paisagem. Arqueologia e geografia são ciências fundamentais para a realização de estudos desse tipo. Desse modo, parece possível compreender que a paisagem é dotada de sentido perceptivo, pois através da sua análise é que o homem começa a elaborar a história do local. Através de estudos, o turismo pode realçar a importância do local e, em seguida, têm condições de disseminar conhecimento sobre a cultura de povos ou espécies que podem ter vivido naquele mesmo território. Esses são, portanto, temas da presente comunicação. BARIZON, Caroline. (Discente do curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO HISTÓRICO-CULTURAL E ARQUEOLOGIA NO CAMINHO DE PEABIRU. A pesquisa científica sobre a debitagem de rochas analisou elementos importantes, tais como comprimento / largura das lascas completas, ângulos externos e internos das lascas nos sítios do Baixo Palmital e Água Sumida I e II. Assim, mostrou o forte potencial da arqueologia da região e, futuramente, após mais estudos, objetiva contribuir com o desenvolvimento de projetos turísticos sustentáveis, visando enfocar o lado histórico e cultural na região por onde passa o Caminho de Peabiru. Muito material foi coletado nos sítios estudados. Nos sítios do Baixo Palmital, foram encontradas categorias de peças muito larga, quase longa e laminar, somando, no total, 17 peças. Nos sítios Água Sumida I e II, foram encontradas 22 peças muito largas, 17 peças quase longas, seis peças longas, e duas laminares, somando 47 peças. O estudo dos produtos de debitagem permitiu analisar os ângulos externo e interno. Enfim, dentre as 572 peças coletadas, foram selecionadas as mais significativas, visando uma amostragem geral dos produtos de debitagem verificados no decorrer da análise. Todos estes elementos mostram a riqueza arqueológica da região para um possível desenvolvimento do turismo cultural e histórico. Apresentar aspectos do material encontrado e tratar da importância da arqueologia para o desenvolvimento do turismo local são dois objetivos da presente comunicação. DANTAS, Cleyse Mendes. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO CULTURAL: MUSEU HISTÓRICO E PEDAGÓGICO ÍNDIA VANUÍRE. O presente trabalho é fruto de estudos sobre o museu histórico e pedagógico índia Vanuíre e sua relação com o turismo na cidade de Tupã, interior do estado de São Paulo. A cidade de Tupã foi formada por vários povos, porém, com presença maior dos indígenas. Esses povos lutaram por sua sobrevivência, seus costumes e tradições em contraposição aos brancos que ocuparam as terras da cidade. Isso sem pedir licença ou ao menos respeitar os índios que ali

11 viviam, pois de uma maneira grotesca invadiram seus espaços e destruíram suas tribos. Dessa maneira a cidade representa um lugar com uma cultura miscigenada onde à presença indígena proporcionou a Tupã uma identidade própria. O objetivo central da pesquisa é resgatar a história do museu e a possível contribuição que pode ocasionar para o avanço do turismo cultural no município, verificando como o poder público se relaciona com o museu, bem como a importância que tem para com o desenvolvimento das questões culturais na cidade. Assim, realizamos entrevistas com os responsáveis pela Secretaria de Cultura e diretoria do museu. Estas possibilitaram conhecer e entender a história do município e do próprio museu. 10 MALDONADO, Simone Calçado. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). A IMPORTÂNCIA DO PRÉDIO MATARAZZO COMO PATRIMÔNIO CULTURAL. De certa forma, o patrimônio é tudo aquilo que conta a história da sociedade. Aquilo que permite preservar a herança e a identidade cultural. Cada país, estado, região e comunidade têm sua história e suas características. As Indústrias Matarazzo podem ser observadas como responsáveis pela construção e desenvolvimento da industrialização no Brasil, principalmente no Estado de São Paulo. Muitas dessas indústrias ainda estão presentes no cotidiano e na memória da população dessas cidades. Desta maneira, este trabalho objetiva analisar a Indústria Matarazzo em Presidente Prudente como patrimônio cultural, enfocando, sobretudo, o valor histórico cultural do prédio e o projeto que está sendo executado para revitalizá-lo, transformando-o num centro cultural. Para atingir esses objetivos, a pesquisa utilizou algumas técnicas de coleta e análise de dados, tal como a pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental e o estudo de caso. Além de discutir o conceito de turismo cultural, a idéia de patrimônio e a história das Indústrias Matarazzo no Brasil e na cidade de Presidente Prudente, a presente comunicação também objetiva tratar da revitalização do prédio Matarazzo da cidade de Presidente Prudente, abordando o valor cultural atribuído a edificação e os benefícios turísticos que as novas instalações irão proporcionar. MARACCI, Christiane da Cruz. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). PATRIMÔNIO HISTÓRICO-CULTURAL E TURISMO CULTURAL NO MUNICIPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: UMA ANÁLISE DOS BENS MATERIAIS IMÓVEIS. A presente pesquisa centra-se na apresentação de uma análise sobre a realidade dos bens tombados, enfocando bens materiais imóveis, no município de Presidente Prudente, possibilitando, assim, uma reflexão sobre a relação entre turismo e patrimônio histórico cultural. Entende que a falta de conhecimento e valorização sobre a importância e significado histórico desses bens culturais, vem causando a perda identitária da população prudentina. Por isso, objetivou propor reflexões a respeito da relação entre a atividade turística e o legado cultural do município, reafirmando assim as característica0s da população e possibilitando o desenvolvimento econômico, social e cultural da cidade. A metodologia utilizada recorreu as técnicas de pesquisa bibliográfica, documental e, para o aprofundamento do objetivo proposto, apoiou-se também nas técnicas de observação e pesquisa de campo, por meio da realização de entrevista. Deste modo a presente comunicação de pesquisa busca evidenciar a confirmação da hipótese de que o município de Presidente Prudente apresenta, assim como todos os outros municípios, uma história digna de reconhecimento e valorização, que de certo modo é materializada pelo conjunto de bens patrimoniais que ela apresenta. Assim o reconhecimento e a valorização desses bens deveriam conferir ao município atratividade turística. Porém, em Presidente Prudente a desvalorização do patrimônio histórico e cultural é notória, ignorando, desta forma, a possibilidade de desenvolvimento da atividade turística no município.

12 MENDONÇA, Bárbara Tuponi.(Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). VIAGENS HISTÓRICO-CULTURAIS REALIZADAS POR MEIO DAS AGENCIAS DE VIAGENS. O principal elemento que motiva o turismo é a descoberta do novo, feito através de viagens. Desse modo, procuraremos discutir quais os destinos de turismo histórico-cultural são procurados com maior freqüência pelo público jovem que realiza viagens por meio de agências de turismo prudentinas. A pesquisa busca descobrir quais são os locais visitados, os motivos que fazem os visitantes irem até lá, se existe apenas a busca pelo lazer ou se há também trocas culturais de ambas as partes e, além disso, se existe reconhecimento da identidade cultural do local visitado. Também objetivamos pesquisar em que freqüência estas viagens ocorrem, assim percebendo se os visitantes se sentem motivados a voltar ao local visitado. Os jovens compõem o público-alvo da pesquisa por vivenciarem uma fase de formação de valores culturais e senso crítico, uma vez que, a identidade cultural transmitida nas viagens, muito provavelmente, será de extrema importância para a percepção que eles terão no futuro. Outro elemento essencial para a pesquisa é a agência de turismo. É necessário afirmar que desenvolveremos uma coleta de dados, considerada de extrema importância, pois nela iremos conseguir os dados básicos para a nossa pesquisa e também perceber outra visão que é a do organizador, do planejador das viagens. Estes dados serão coletados por meio de questionários que serão aplicados a todos os responsáveis pelas agências de turismo de Presidente Prudente. Apresentar os resultados obtidos até o momento é o principal objetivo dessa comunicação de pesquisa. 11 SILVA, Danilo Galdino da. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO ARQUEOLÓGICO UM ESTUDO SOBRE AS POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO PARA FINS TURÍSTICOS NO MUNICÍPIO DE IEPÊ. Esta pesquisa tem por objetivo mostrar a importância da valorização e preservação do patrimônio arqueológico como fator de desenvolvimento do turismo arqueológico. No caso especifico desta pesquisa, entendemos os benefícios da arqueologia como fator de desenvolvimento para a atividade turística. Para isso, a pesquisa restringiu-se em analisar as possibilidades de utilizar o patrimônio arqueológico para fins turísticos no município de Iepê, Estado de São Paulo. Para subsidiar o trabalho, as técnicas de pesquisas bibliográfica, documental e de campo foram adotadas como procedimento metodológico. Alem destas, a pesquisa recorreu à técnica de entrevista, que contribui de forma direta para o desenvolvimento do trabalho. Na última etapa do estudo, foi possível analisar a viabilidade de desenvolver ou não o turismo arqueológico no município de Iepê. Notou-se, então, que a população esta relativamente perceptível à questão da valorização e preservação de sua identidade através do patrimônio arqueológico e do museu de arqueologia do município. Além disso, foi possível perceber que o poder público, representado pela Prefeitura Municipal, também se preocupa com estas questões culturais. Mas a falta de recursos financeiros do setor privado encarece e inviabiliza a utilização deste patrimônio arqueológico, em especial dos sítios arqueológicos para finalidades turísticas, sendo que, para fins turísticos seria necessário todo um planejamento para estar recebendo visitantes, o qual, atualmente, é inexistente no município.

13 12 GRUPO DE TRABALHO GESTÃO EM HOSPITALIDADE, AGENCIAMENTO E EVENTOS BARROS, Patrícia de Souza. (Graduada em Turismo FAPEPE/UNIESP). TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS E ADAPTAÇÃO PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS: ESTUDO DE CASO EMPRESA ANDORINHA. O trabalho apresenta uma breve revisão histórica da evolução do Transporte Rodoviário de Passageiros no Mundo e no Brasil, juntamente com a apresentação das rodovias de ligação de nosso país e a apresentação das dez maiores empresas de transporte Rodoviário de passageiros. Atualmente, o Transporte Rodoviário de Passageiros no turismo abrange um grupo cada vez maior de pessoas que buscam diversão, aprendizado e realização de sonhos. Desta forma, com o deficiente físico não é diferente, já que cada vez mais esse grupo procura estar interagindo com o mundo e, portanto, viajando mais. Cabe lembrar que toda pessoa tem o direito de desfrutar de uma viagem rodoviária, com conforto e respeito merecido. Ainda hoje é comum ver a exclusão das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais (PPDs), sendo que muitos ficam a mercê da sociedade. Em relação ao que é oferecido no mundo, não são todos os lugares que dispõem uma infra-estrutura adequada para atender este público. Desse modo, é relevante para o trabalho analisar a atuação da Empresa Andorinha de Transportes. Neste trabalho, também será apresentado a analise dos questionários referentes à qualidade do Transporte Rodoviário de Passageiros. BRITO, Shirley. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). RECURSOS HUMANOS NO SETOR DE RECEPÇÃO NA HOTELARIA DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE. A pesquisa entende que a capacitação de recursos humanos no setor de recepção, na área hoteleira, é tema muito discutido nos cursos de Administração de Empresas, mas pouco lembrado na área de turismo. Assim, o presente trabalho tem como objetivo pensar sobre a recepção hoteleira. Especificamente, busca refletir sobre a atuação do setor de recursos humanos na capacitação de colaboradores, da área de recepção, de hotéis prudentinos. Para isso, foram utilizadas algumas técnicas de pesquisa como leituras em livros, entrevistas e aplicação de questionários com os colaboradores dos hotéis em questão. Espera-se, desse modo, tratar da importância da capacitação do setor de recursos humanos na área hoteleira, refletindo sobre um caso especifico. NICODEMO, Drielli Atanasio. (Discente do Curso de Turismo - FAPEPE/ UNIESP). IDENTIDADE E HOSPITALIDADE. O que seria identidade afinal? Algo baseado em etnia, cultura, pertencimento? A história e memória coletiva a definem? Ela pode se modificar ao longo do tempo? Qual sua relação com a hospitalidade? A identidade é compreendida por um complexo de características, valores e idéias comuns, que formam a personalidade do indivíduo ou de um determinado grupo social. Ela define o que somos, tornando-nos diferentes dos outros. Ser do interior paulista, por exemplo, é fazer parte de um grupo social marcado por costumes, postura, linguajar, sotaque, entre outros. Em relação a outros grupos, esse diferença é positiva, se encararmos a

14 diversidade como algo natural, inevitável e próspero; ou negativa, se significar exclusão social ou preconceito. As bases formadoras da identidade são reflexos da história, do passado. Mas ela não é estável e imutável. Uma das características da identidade é a dificuldade em aceitar hábitos, costumes e outras características culturais diferentes e, por isso, pode se tornar tão difícil exercer a hospitalidade. Esta proporciona um elo de ligação entre diferentes grupos e torna a relação social cortês e possível. Desse modo, o objetivo deste trabalho é entender essa relação entre identidade e hospitalidade, bem como o que uma influencia na outra, focando sua importância para o desenvolvimento do turismo. 13 MENDES, Janayna de Araújo (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP) ESTUDO DO FUNCIONAMENTO DO AEROPORTO DE PRESIDENTE PRUDENTE. O presente estudo tem por finalidade pesquisar a infra-estrutura do aeroporto de Presidente Prudente-SP. Com o entendimento científico da infra-estrutura aeroportuária, visa demonstrar se o Aeroporto Adhemar de Barros esta apto a receber novas companhias aéreas e se o atendimento ao público é satisfatório. Para isso, foram feitas entrevistas com funcionários do aeroporto. Essas entrevistas permitiram levantar informações sobre a história, infra-estrutura e atendimento ao público no aeroporto em questão. Com o resultado, o pesquisador espera colaborar na melhoria da infra-estrutura do aeroporto Adhemar de Barros. Justamente esses aspectos que serão objeto da presente comunicação de pesquisa. MORAIS, Valter Santos de. (Discente do Curso de Turismo da FAPEPE/UNIESP). HOSPITALIDADE E TURISMO: RELAÇÃO DA HOSPITALIDADE COMERCIAL NO RESTAURANTE E CHURRASCARIA GAÚCHA EM TEODORO SAMPAIO SP. Já se sabe que o turismo trata dos movimentos das pessoas fora de seu habitat. Percebendo que este movimento ocorre em nossa região e observando que este fenômeno ocorre também em nossa cidade, surge à necessidade de aprofundar os conhecimentos sobre a hospitalidade, a qual é dividida em quatro eixos sociais: doméstica, pública, comercial e virtual. Este trabalho visa discutir especialmente a hospitalidade comercial, para verificar o grau de satisfação dos clientes que fazem uso dos serviços do local analisado. Assim, o presente estudo tem por finalidade pesquisar a relação do turismo e a hospitalidade comercial no Restaurante e Churrascaria Gaúcha, situado no município de Teodoro Sampaio SP. A hospitalidade, por não ser algo palpável, é percebida na interação humana, onde ocorre a troca de gestos de cordialidade. O Restaurante e Churrascaria Gaúcha foi escolhido para o estudo principalmente por receber turistas e autóctones. Desse modo, o conhecimento do assunto foi aprofundado com a utilização de estudo bibliográfico, pesquisa de campo e questionários, para que haja a percepção na relação do atendimento ao cliente. O pesquisador espera que, com o resultado deste estudo, possa colaborar com a gestão de pessoas que prestam serviço no restaurante enfocado. PINTO, Gabriel Pereira. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). ANALISE DOS FLUXOS DE PASSAGEIROS DA EMPRESA DE TRANSPORTES ANDORINHA S. A. QUE UTILIZAM O TERMINAL RODOVIARIO DE PRESIDENTE PRUDENTE.

15 O trabalho tenta propor uma análise dos fluxos correspondentes aos passageiros que utilizam o transporte rodoviário a partir do terminal rodoviário de Presidente Prudente. A Empresa de Transportes Rodoviários Andorinha S. foi escolhida para analisarmos os fluxos de passageiros da cidade de Presidente Prudente, tanto como emissor quanto como receptor dos fluxos. Tal empresa, com sede em Presidente Prudente, ocupa lugar de destaque e, atualmente, é uma das dez maiores do país. Para analisar os fluxos de passageiros, recorremos à 2ª Pesquisa Com o Usuário, realizada pela empresa com a acessória da Dispert Consultoria que, ao entrevistar os passageiros que viajavam pela empresa, elaborou um perfil dos usuários. Pesquisa bibliográfica e pesquisa documental foram outras técnicas utilizadas na realização deste trabalho. Ao recorrer aos jornais da década de 70, época da fundação do terminal rodoviário de Presidente Prudente, foi possível perceber, por exemplo, que a empresa se desenvolveu de maneira acelerada. Com este trabalho, esperamos contribuir para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao transporte rodoviário de passageiros no município de Presidente Prudente. TAKAHASHI, Paula Rodrigues. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). ANÁLISE DO HOTEL PORTAL D OESTE DE PRESIDENTE PRUDENTE. Essa pesquisa centra-se na hotelaria para analisar a estrutura, funcionamento e prestação de serviços do Hotel Portal D Oeste, da cidade de Presidente Prudente. Considerou-se, para tanto, que o hotel pesquisado possui destaque de marketing no município e na região e, portanto, tomou-se como exemplo essa organização para verificar o atendimento aos princípios estabelecidos pela Matriz de Classificação Oficial dos Meios de Hospedagem, criada pelos órgãos Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) e a Associação Brasileira das Indústrias Hoteleiras (ABIH). A metodologia utilizada situou-se por meio das técnicas bibliográfica, estudo de caso e pesquisa documental, pois tratou de um único e exclusivo objeto e utilizou-se de todo material documental que o mesmo pode oferecer. Além disso, recorreu às técnicas de entrevista e questionários que contribuíram com informações precisas e diretas sobre o objeto da pesquisa. Na análise dos questionários, procurou-se comparar as informações fornecidas sobre o Portal D Oeste com os critérios da Matriz Classificatória da Embratur e a ABIH. As considerações finais apontam o diferencial dos hotéis regularizados dentro dos critérios padrão sobre aqueles que não possuem essa preocupação e a fundamental importância dessa regularização. Em resumo, esses são alguns dos temas enfocados no presente trabalho. TUPONI, Binca. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOIS HOTÉIS FAZENDAS - CAMPO BELO E CLIV SOL A partir do século XX começaram a surgir às classificações dos hotéis, como de luxo, boutique, resorts, histórico, pousada, lazer, fazenda, entre outros. Dessa forma, nossa pesquisa visa refletir sobre as tipologias hoteleiras, destacando sua importância para o desenvolvimento do trade turístico, destacando seus avanços e ampliação dos serviços prestados. O objetivo principal dessa comunicação é refletir sobre dois hotéis fazendas existentes na região de Presidente Prudente, ou seja, o hotel fazenda Campo Belo e o hotel fazenda Cliv Sol. Para tanto, objetivamos analisar a diferença entre as demandas de cada hotel, tentando perceber as diferenças e as proximidades existentes, além de entendermos a origem da atividade dos hotéis fazenda, o público alvo e a infra-estrutura de cada hotel. Para dar maior embasamento ao trabalho foi realizado pesquisa de campo. Para conhecermos a infra-estrutura dos hotéis, foi realizada a aplicação de questionários para os proprietários dos hotéis, colaboradores e hóspedes, além de realizarmos um levantamento bibliográfico sobre o tema. 14

16 15 GRUPO DE TRABALHO MEIO AMBIENTE, DESENVOLVIMENTO E TURISMO ALMEIDA, Evelin Maciel de. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). PLANEJAMENTO DO ESPAÇO TURISTÍCO NO MUNICÍPIO DE TEODORO SAMPAIO: UMA PROPOSTA PARA O DESENVOLVIMENTO DAS POTENCIALIDADES TURÍSTICAS. O presente trabalho visa apresentar propostas para o desenvolvimento da atividade turística no município de Teodoro Sampaio, através de projetos que possam contribuir para o crescimento do município e para melhoria da qualidade de vida da população, por meio da atividade turística. Através do estudo, busca-se identificar os benefícios que o turismo pode oferecer e procura-se apresentar um planejamento que exija um projeto estabelecido com grande visão e prazos a serem cumpridos. Para tanto, se faz necessário conhecer a história do turismo e o seu desenvolvimento no Brasil. Além disso, deve-se considerar que a atividade turística pressupõe um planejamento. Para seu desenvolvimento, parece essencial buscar motivações para o púbico receptor. Assim sendo, examinar questões fundamentais como sustentabilidade dos meios em que estão inseridos, mobilização social, participação comunitária, empreendedorismo e gestão territorial participativa, bem como apresentar uma retrospectiva das políticas do turismo nas últimas décadas, são passos fundamentais para a realização da presente investigação. Por fim, o trabalho pretende fazer uma análise comparativa dos programas e projetos, assim como indicar soluções a médio e longo prazo para a comunidade de Teodoro Sampaio. CAETANO, Eloisa Rodrigues. (Discente do Curso de Administração FAPEPE/ UNIESP). ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: UM ESTUDO SOBRE A ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR NO MUNICÍPIO DE ÁLVARES MACHADO - SP O Plano Diretor, o planejamento urbano e a administração pública são temas complementares. Na busca por maior conhecimento sobre os temas, surgiu à necessidade de um estudo sobre o plano diretor municipal de Álvares Machado. O interesse pelo desenvolvimento da cidade é importante para qualquer município brasileiro, Desse modo, com uma determinação legal o Brasil conseguiu tornar obrigatória a elaboração do Plano Diretor Municipal. Apesar de o país dar pouca ênfase na questão do planejamento urbano, atualmente esta se transformou numa ferramenta essencial aos gestores públicos municipais. A discussão sobre a elaboração do Plano Diretor de Álvares Machado apresentou diretrizes extremamente importantes para o município, como regularização do solo municipal, saneamento básico, geração de empregos, meio ambiente sustentável e patrimônio histórico cultural. Assim, técnicas como pesquisa de campo, pesquisa bibliográfica à aplicação de questionário, entrevistas, bem como utilização de mapas e tabelas foram fundamentais para um melhor conhecimento do tema. Desse modo, o trabalho teve como objetivo compreender procedimentos legais, buscando abordar o conteúdo do Plano Diretor de Álvares Machado, sobretudo seus principais fundamentos e pressupostos, para produzir conhecimento para outros municípios que pretendam elaborar documentos similares.

17 COELHO, Cristiane da Silva. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO NA NATUREZA; SALA DE AULA PERFEITA PARA A ALFABETIZAÇÃO ECOLOGICA. O turismo na natureza é uma modalidade turística que cresce gradativamente, ano após ano. O super-ativo e estressado trabalhador de hoje percebe o quanto é necessário para si e sua família sair do seu lugar comum e desfrutar de lugares revigorantes, se refazendo, assim, do desgaste emocional causado por sua rotina de trabalho. Assim, o turismo de natureza torna-se um momento valioso e diferenciado que causa uma grande sensibilização em cada pessoa que o desfruta. O objetivo dessa pesquisa é usar este momento de sensibilização dentro do turismo de natureza para se trabalhar a educação ambiental, alfabetizando ecologicamente este turista. A metodologia usada é através de aulas, palestras e dissertações. As atividades serão inseridas dentro do cronograma de passeios, excursões, qualquer que seja a atividade turística dentro do ambiente natural. O resultado esperado é um novo aprendizado por parte do turista, uma conscientização sobre as condições atuais de nosso meio ambiente, denominada alfabetização ecológica no turismo, pois durante muito tempo tivemos uma visão errônea sobre a sustentabilidade da vida no nosso planeta e, agora, percebemos a necessidade de reaprender a consumir seus recursos. É fundamental alfabetizarmos dentro desta realidade, conhecer o pouco que resta de nossa natureza, ainda intocada e preservada. Portanto, tratar da conscientização e também da alfabetização ecológica são objetivos dessa comunicação de pesquisa. CORREA, Odair. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO RURAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL: TEORIA E REALIDADE O trabalho que iremos apresentar contempla uma reflexão sobre um segmento do turismo que surgiu no Brasil em meados da década de 1980, denominado de Turismo Rural. Os resultados obtidos até o momento são parciais e fazem parte do Trabalho de Conclusão do Curso de Turismo da FAPEPE. A problemática que originou este trabalho relaciona-se as diferentes visões entre empreendedor, comunidade e a teoria, observando um possível empreendimento na, do município de Euclides da Cunha Paulista-SP. O embasamento teórico sobre o turismo rural contempla, em sua grande maioria, atividades ou relatos de experiências em propriedades de pequeno porte. Porém, o caso enfocado volta-se para uma propriedade de grande porte. A comunidade conhece a propriedade, mas ainda não se sabe se vê nela um empreendimento turístico local que possa articular a mesma. O poder público local tem diferentes visões sobre o tema. Já o proprietário não vê interesse em ampliar a sua potencialidade. Cabe salientar que esta propriedade é uma fazenda modelo em gestão agropecuária produção de gado de corte e conta com uma reserva florestal de 4000 hectares, lagos e uma área urbanizada. De certa forma, todos estes equipamentos estão abertos para o público, contudo, sem nenhum plano de desenvolvimento específico de potencialidade para o turismo. Portanto, os objetivos deste trabalho são: analisar estas visões do empreendimento e apresentar uma proposta para um possível empreendimento que articule a população local e a fazenda. DUARTE, Priscila (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). ÁREA PILOTO DA BACIA DO RIBEIRÃO DO PALMITAL. O trabalho parte de uma fotointerpretação para delimitar áreas e mapear locais que supostamente poderão ser sítios arqueológicos, diagnosticando material arqueológico e topomorfológico. Foram prospectados 28 sítios, cada um com suas características. São eles: Sitio Foz do Palmital constituído por basalto e arenito silicificado; Sítio Foz do Palmital II encontra-se lítico lascado, 16

18 basalto e arenito; Sítio do Baixo Palmital também apresentou lítico lascado com colúvio; Sitio do Baixo Palmital II, Sitio Amorim, Sitio Amorim II, todos esses possuem lítico misturado a basalto e arenito; Sitio Amorim III encontra-se arenito silicificado intrapiano e lítico misturado ao basalto; Sitio Amorim IV possui arenito silicificado; Sitio Morácio também possui arenito silicificado intrapiano; Sitio Rodrigues I, Sitio Rodrigues II, Sitio Rodrigues III, Sitio Rodrigues IV, Sitio Rodrigues V, Sitio Rodrigues VI, Sitio Rodrigues VII, Sitio Rodrigues VIII todos esses sítios apresentaram material lítico com basalto e arenito e lítico lascado "in loco"; Sitio Rodrigues IX, Sitio do Aldeia, Sitio do Aldeia H, Sitio do Baixo Aldeia, Sitio do Baixo Aldeia II entre esses foram encontrados lítico lascado e arenito silicificado; Sitio da Usina II e Sitio Foz da Aldeia possuem material lítico misturado ao basalto e arenito; Sitio Salto do Palmital encontra-se lítico e arenito intertrapiano; Sitio da Sede apresentou material lítico com arenito silicificado e no Sitio da Sede II encontra-se material lítico lascado basalto com arenito silicificado.o conhecimento desses sítios pode gerar subsídios para se pensar em um projeto de indução ao desenvolvimento turístico neste contexto. Essa é a princiapl motivação da presente comunicação de pesquisa. RUAS, Luana Marcela da Silva (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). VIABILIDADE DA IMPLANTAÇÃO DE UM RECEPTIVO TURÍSTICO NO ASSENTAMENTO ÁGUA LIMPA NO MUNICÍPIO LIMÍTROFE DE MIRANTE DO PARANAPANEMA E PRESIDENTE BERNARDES. 17 O objetivo deste trabalho é analisar a viabilidade da implantação de um receptivo turístico no Assentamento Água Limpa. Também intenta avaliar de que forma o Turismo Rural e o Ecoturismo podem contribuir para o desenvolvimento de áreas rurais como neste assentamento. Estudar a possibilidade da cultura e a paisagem como fator tônico da atratividade local, descobrir a motivação dos assentados em relação à implantação de um receptivo e, também, a motivação dos turistas e do setor público frente a uma estrutura de recebimento de turistas permanente no assentamento são outras intenções da pesquisa. Além disso, pretende-se trabalhar a questão da oferta do atrativo potencial, a motivação do deslocamento dos turistas, a aceitação dos moradores em relação à implantação do receptivo, e o gosto dos turistas em conhecê-lo. Para o nosso referencial teórico, coletamos dados sobre os atrativos potenciais do assentamento Água Limpa e fizemos uma pesquisa documental, bibliográfica, bem como aplicamos questionários e entrevistas aos moradores, turistas e aos prefeitos de Mirante do Paranapanema e Presidente Bernardes. Por fim, planejamos uma excursão ao assentamento para observar os desejos e aspirações dos turistas. SANTOS, Luciene Maria dos. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). ECOTURISMO NO MUNCÍPIO DE SANDOVALINA EM UMA ÁREA GEOGRÁFICA DO CAMINHO DO PEABIRU. O turismo é um setor que vem crescendo cada vez mais. Pode-se dizer que representa a maior área de atividade econômica do mundo, sendo importante não só pela quantidade de pessoas que viajam, pela geração de empregos ou renda, mas, também, devido aos impactos que gera sobre as pessoas e os locais em que elas vivem. A pesquisa tem como objetivo apresentar o ecoturismo dentro do município de Sandovalina, aproveitando uma proposta de rota turística denomida Caminho do Peabiru. Esta, por sua vez, é uma rota transcontinental de mais de três mil quilômetros que liga o oceano Atlântico ao Pacifico e integrava Brasil, Paraguai, Bolívia e Peru cortando matas, rios, cataratas e cordilheiras. Constituindo, assim, uma rede de terras e ramais utilizados pelos índios pré - colombianos. O trabalho tem como objetivo

19 levantar o conhecimento que a população tem sobre o assunto e avaliar a contribuição que este potencial turístico traz para a cidade. Refletir sobre os incentivos recebidos do poder público e, ainda, levantar um inventário dos bens turísticos oferecidos pelo ecoturismo no município e averiguar o conhecimento da população são intenções do trabalho. Metodologicamente, a pesquisa esta estruturada em um levantamento bibliográfico, documental e entrevistas. Esses são, portanto, temas centrais na presente comunicação de pesquisa. 18 GESTÃO EM HOSPITALIDADE, AGENCIAMENTO E EVENTOS: REFLEXÕES SOBRE O LAZER. CARVALHO, Arthur Dias de. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/ UNIESP). A VIOLÊNCIA DAS TORCIDAS ORGANIZADAS DE FUTEBOL O tema em questão foi escolhido em virtude da escassez bibliográfica. É, assim, uma pesquisa nova, visando contribuir para que mais discentes venha a se interessar por discussões correlatas. O presente trabalho é subsidiado por noções básicas sobre turismo, citando o momento em que o fenômeno começou a ser estudado, bem como o lazer, uma vez que as pessoas começaram a dar mais importância à sua prática como uma forma de manifestação humana. Além do turismo e do lazer, dedica espaço para tratar do futebol, especificamente sobre sua origem, modificações ao longo do tempo, sua chegada no Brasil e a importância desse evento esportivo para o turismo. A pesquisa tem como objetivo principal verificar se o terror causado pelas torcidas organizadas de futebol pode ou não atrapalhar o turismo propriamente dito. Para tanto, será feito um levantamento bibliográfico sobre as torcidas organizadas de futebol, especificamente as paulistas, auxiliado por matérias em periódicos e mídia televisiva. Em seguida, aplicaremos questionários para as pessoas que organizam excursões nas cidades de Presidente Prudente e Regente Feijó com destino a capital do Estado e, também, para aquelas que não procuram excursões e costumam freqüentar os estádios. O objetivo da aplicação de questionários é mostrar se as pessoas realmente deixam de se deslocarem em virtude da violência causada pelos torcedores organizados. É justamente o desenvolvimento do presente trabalho que será alvo dessa comunicação de pesquisa. MALACRIDA, Priscila Lomas. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP) RETROSPECTIVA HISTÓRICA DO LÚDICO: REFLEXÕES SOBRE A TEMÁTICA LAZER E TRABALHO. O presente trabalho propõe uma reflexão sobre a importância que o lazer teve na história da classe trabalhadora. Para isso, através de uma fundamentação histórica e sociológica do lazer, abrangendo extensa leitura de livros, periódicos e artigos científicos de autores de renomada importância na área, busca-se verificar como era tratada a temática lazer/trabalho em alguns períodos da história, tomando por base uma comparação pré e pós Revolução Industrial. Ademais, procura mostrar se suas concepções sofreram alguma alteração com o passar do tempo, quando e como elas ocorreram, além de levantar os fatos que tornam o lazer uma prática cada vez mais valorizada pela sociedade. Por fim, relacionar, de forma clara, os motivos que fazem com que, na atualidade, haja limitações da fruição do lazer no cotidiano da classe trabalhadora e que desperte nos leitores a compreensão do real significado do lazer, paradoxalmente a uma sociedade estruturada em classes sociais, tomada freqüentemente pelo viés mercantil e que proporciona uma descaracterização e banalização do lazer.

20 19 ROCHA, Marcelo Mariano. (Graduado em Turismo FAPEPE/UNIESP) TURISMO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NO BRASAIL: REFLEXÕES HISTÓRICAS A presente comunicação é resultado de reflexões realizadas no Trabalho de Conclusão de Curso intitulado "Turismo e Desenvolvimento Econômico no Brasil: Reflexões Históricas". A pesquisa teve como objetivo refletir sobre o desenvolvimento da atividade turística no Brasil, sobretudo durante as décadas de 1960 e 1970, período em que o país vivenciou um período de instabilidade econômica e política, em detrimento da implantação do regime militar no Brasil. Para a realização da presente pesquisa foi empreendido um debate bibliográfico, ou seja, foi necessário buscar informações através da história para que pudesse viabilizar a realização do trabalho. Portanto, podemos concluir que nas décadas de 1960 e 1970, o turismo no Brasil começou a se estruturar em vários aspectos, fazendo com que a atividade desse um salto de crescimento e apresentasse melhorias na qualidade dos equipamentos e serviços ligados ao trade, independentemente do momento de instabilidade política e econômica vivenciada pelo país nesse período. Dessa forma, podemos concluir que o desenvolvimento estrutural da atividade turística esteve atrelado ao desenvolvimento econômico do país, uma vez que, à medida que o país se desenvolvia economicamente, a atividade turística acompanhava esse crescimento. SARAMELO, Patrícia C. A. (Discente do Curso de Turismo FAPEPE/UNIESP). O TRABALHO NO TURISMO E AS ATIVIDADES ESTRESSANTES: PRIORIDADE NA BUSCA PELA QUALIDADE DE VIDA. Os hábitos sociais no qual nos inserimos vem seguido dos consumismos, afetando diretamente a saúde, através de uma série de enfermidades, tais como a obesidade, as úlceras e o estresse. O estresse encontra-se relacionado com o sentido de mudança e, como o ser humano enfrenta continuamente mudanças, é óbvio que o estresse passa a ser parte integrante da vida social. Num mercado de trabalho altamente competitivo, onde os meios e informações transformamse rapidamente, um dos fatores desencadeantes do estresse é a insegurança profissional. A organização moderna do trabalho e das cidades produz condições estressantes que podem ocasionar a destruição da qualidade de vida e conseqüentes distúrbios ao homem. O turismo pode contribuir para solucionar problemas sociais relacionados com a saúde, segurança, conforto e eficiência, que são alguns dos fatores geradores do estresse. Desde que tenhamos horas a menos de trabalho e direito a férias, ficamos cada vez mais preocupados em ocupar esse tempo. Várias pessoas buscam no turismo um refúgio do estresse causado no seu trabalho, porém, muitas vezes, encontram esses profissionais desgastados pelas horas trabalhadas a mais, pelos inconvenientes encontrados, mostrando uma imagem ruim para o hóspede/turista. Existem muitos casos em que o estresse dos profissionais acaba prejudicando o rendimento da própria empresa (hotel, agência, etc.) e dificultando a entrada de novas pessoas no estabelecimento. É necessário fazermos uma análise do por que muitos desistem da área ou trabalham somente pelo salário e não pelo prazer em desenvolver determinada atividade, desenvolvendo, assim, projetos de incentivo, mostrando que o profissional está altamente qualificado para aquela função. Ademais, devemos deixar claro que a qualidade de vida é necessária para a evolução, tendo um papel muito importante na transformação em que o homem se encontra. OKIMOTO, Evellyn Okimoto. (Discente em Turismo FAPEPE/UNIESP). TURISMO E TERCEIRA IDADE.

TURISMO DE NEGÓCIOS EM VOLTA REDONDA, RJ: ESTUDO COMPARATIVO DE GESTÃO HOTELEIRA

TURISMO DE NEGÓCIOS EM VOLTA REDONDA, RJ: ESTUDO COMPARATIVO DE GESTÃO HOTELEIRA TURISMO DE NEGÓCIOS EM VOLTA REDONDA, RJ: ESTUDO COMPARATIVO DE GESTÃO HOTELEIRA Alexandro Ferreira Reis Carlos Eduardo Brasil Campos Rossana Souza Almeida, Esp. (Orientadora) Este estudo tem como objetivo

Leia mais

6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4

6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4 QUALIDADE E EXCELÊNCIA DISNEY, UM EXEMPLO PARA HOTÉIS DE TODO O MUNDO Fábio Ricardo Barros da Silva Acadêmico do Curso de Turismo e Hotelaria

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável de Pólo Turístico Ribeirão Branco - SP

Desenvolvimento Sustentável de Pólo Turístico Ribeirão Branco - SP Desenvolvimento Sustentável de Pólo Turístico Ribeirão Branco - SP NOVA CAMPINA 1 Objetivo para potencializar o desenvolvimento sustentável de Pólos Turísticos Fortalecimento e integração dos elos da Cadeia

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.983

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.983 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.983 TURISMO E MEIO AMBIENTE: PRINCIPIOS E CONDUTAS NORMATIVAS PARA O USUFRUTO DE RECURSOS/ATRATIVOS

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

Palavras-Chave Educação Patrimonial, Museu/Universidade/Escola, Arqueologia, Índios Guarani, Índios Kaingang

Palavras-Chave Educação Patrimonial, Museu/Universidade/Escola, Arqueologia, Índios Guarani, Índios Kaingang EDUCAÇÃO PATRIMONIAL SE FAZ NO MUSEU, NA ESCOLA E JUNTO Á COMUNIDADE. Faccio, Neide Barrocá; Carrê, Gabriela Machado; Souza, Hellen Cristiane. Faculdade de Ciências e Tecnologia. Departamento de Planejamento,

Leia mais

Descubra as Missões: Um Guia Digital de Incentivo ao Conhecimento e Fomento da Cultura nas Regiões das Missões 1

Descubra as Missões: Um Guia Digital de Incentivo ao Conhecimento e Fomento da Cultura nas Regiões das Missões 1 Descubra as Missões: Um Guia Digital de Incentivo ao Conhecimento e Fomento da Cultura nas Regiões das Missões 1 Damaris I. SILVA 2 Anelice BELMONTE 3 Marcia Gabrielle Guimarães LOPES 4 Marcela Guimarães

Leia mais

CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS)

CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS) CULTURA, GASTRONOMIA E TURISMO: DESENVOLVIMENTO LOCAL ESTUDO DE CASO DA III FESTA DA FARINHA DE ANASTÁCIO (MS) 1 TREVIZAN, Fernanda Kiyome Fatori INTRODUÇÃO A promoção dos recursos humanos e do planejamento

Leia mais

FORMAÇÃO DE JOVENS EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA SEMEARTE: SEMEANDO ARTE E AÇÃO

FORMAÇÃO DE JOVENS EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA SEMEARTE: SEMEANDO ARTE E AÇÃO FORMAÇÃO DE JOVENS EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA SEMEARTE: SEMEANDO ARTE E AÇÃO Jéssika Luane SILVA¹; Danilo I. de URZEDO¹; Lucas B. VIÉGAS¹; Juliana V. FLORENZANO¹; Fátima C. M. PIÑA-RODRIGUES²; Eliana Cardoso

Leia mais

ESTUDO PARA IMPLANTAÇÃO DE ATIVIDADES TURÍSTICAS NO MUNICÍPIO DE ÁLVARES MACHADO SP. Caio Roberto Pretel Ferreira 1, Claudemira Azevedo Ito 2

ESTUDO PARA IMPLANTAÇÃO DE ATIVIDADES TURÍSTICAS NO MUNICÍPIO DE ÁLVARES MACHADO SP. Caio Roberto Pretel Ferreira 1, Claudemira Azevedo Ito 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 486 ESTUDO PARA IMPLANTAÇÃO DE ATIVIDADES TURÍSTICAS NO MUNICÍPIO DE ÁLVARES MACHADO SP Caio Roberto Pretel Ferreira

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ

APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ (A) Teresina; (B) Cajueiro da Praia; (C) Luis Correia; (D) Parnaíba; (E) Ilha Grande Rota das Emoções: Jericoacoara (CE) - Delta (PI) - Lençóis Maranhenses (MA) Figura

Leia mais

Proposta de Curso de Turismo Rural Polo de Ecoturismo de São Paulo Sindicato Rural de SP / SENAR

Proposta de Curso de Turismo Rural Polo de Ecoturismo de São Paulo Sindicato Rural de SP / SENAR Proposta de Curso de Turismo Rural Polo de Ecoturismo de São Paulo Sindicato Rural de SP / SENAR Objetivo Ampliar o olhar sobre a propriedade rural, fornecendo ferramentas para identificar e implantar

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939 TURISMO DE AVENTURA: ANÁLISES E QUESTIONAMENTOS SOBRE O PROCESSO DE CRIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

Administração Pública: Estudo sobre a elaboração do Plano Diretor no. Município de Álvares Machado - SP 1

Administração Pública: Estudo sobre a elaboração do Plano Diretor no. Município de Álvares Machado - SP 1 168 Administração Pública: Estudo sobre a elaboração do Plano Diretor no Município de Álvares Machado - SP 1 CAETANO, Eloisa Rodrigues 2 Introdução Este texto tem como objetivo fundamental registrar informações

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA DE GESTÃO EFICAZ - Projeto Via Turismo 1.1 Histórico da Prática Eficaz Descrever como surgiu o programa/prática e indicar a data de início das ações. O Projeto Via Turismo

Leia mais

PORTARIA FAIBI Nº 016/2008 de 08/10/2008 RESOLVE:

PORTARIA FAIBI Nº 016/2008 de 08/10/2008 RESOLVE: PORTARIA FAIBI Nº 016/2008 de 08/10/2008 O Diretor pro tempore da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga FAIBI, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista a reformulação do Projeto

Leia mais

CEPPG Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós Graduação 1

CEPPG Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós Graduação 1 1 Nome do curso: Área: O Curso: Objetivos: Diferenciais: Público Alvo: Ementa Disciplinas MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS EM TURISMO: EVENTOS, LAZER, VIAGENS E HOTELARIA. Ciências Sociais O curso foi desenvolvido

Leia mais

ANÁLISE DAS ADPTAÇÕES NA ACESSIBILIDADE NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS DE FOZ DO IGUAÇU

ANÁLISE DAS ADPTAÇÕES NA ACESSIBILIDADE NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS DE FOZ DO IGUAÇU ANÁLISE DAS ADPTAÇÕES NA ACESSIBILIDADE NOS MEIOS DE HOSPEDAGENS DE FOZ DO IGUAÇU Andriélle Pereira de Oliveira 1 RESUMO As normas de acessibilidade nos meios de hospedagens de Foz do Iguaçu são constituídas

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 1. OBJETIVO DO CURSO Formar profissionais que consigam compreender o espaço social e as interações do mundo do trabalho na cadeia produtiva do Turismo e Hotelaria

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

FERRAMENTAS UTILIZADAS PELO SEBRAE / MT

FERRAMENTAS UTILIZADAS PELO SEBRAE / MT MISSÃO SEBRAE Missão: Ser uma organização de desenvolvimento, ética e séria, gerando alternativas de soluções para nossos clientes tornarem-se competitivos alinhados à sustentabilidade da vida. ÁREA DE

Leia mais

A cidade mais alema do Brasil

A cidade mais alema do Brasil O Projeto de Iniciação Turística Escolar - Pomerode foi desenvolvido e é executado pela turismóloga Priscila Romig, formada em 2004 pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB). Projeto patrocinado

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur. Prefeitura Municipal de Mairiporã

ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur. Prefeitura Municipal de Mairiporã ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur Prefeitura Municipal de Mairiporã Secretaria de Meio Ambiente e Turismo Departamento de Turismo - DeTur Apresentação Um Plano Diretor de Turismo é uma ferramenta

Leia mais

SIBSA - 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE ABRASCO/GT Saúde&Ambiente, Belo Horizonte, outubro 2014

SIBSA - 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE ABRASCO/GT Saúde&Ambiente, Belo Horizonte, outubro 2014 1 SIBSA - 2º SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SAÚDE E AMBIENTE ABRASCO/GT Saúde&Ambiente, Belo Horizonte, outubro 2014 Estratégias de educação e sensibilização para minimização de danos no pós enchente em áreas

Leia mais

CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL

CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL CENTRAIS DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS PARANAGUÁ / ILHA DO MEL Observatório do Turismo de Paranaguá Destino Indutor do Paraná ATENDIMENTOS POR CENTRAIS DE INFORMAÇÕES JANEIRO A DEZEMBRO 2014 RODOVIÁRIA - PRAÇA

Leia mais

O Direito ao Turismo para a Pessoa Idosa no Brasil. Gloria Maria Widmer e Ana Julia de Souza Melo

O Direito ao Turismo para a Pessoa Idosa no Brasil. Gloria Maria Widmer e Ana Julia de Souza Melo O Direito ao Turismo para a Pessoa Idosa no Brasil Gloria Maria Widmer e Ana Julia de Souza Melo Objetivo: identificar a presença do turismo como atividade integrante de programas de lazer criados pelo

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

PLANEJAMENTO DE PRÁTICAS DE ECOTURISMO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL DA BARRA DO RIO MAMANGUAPE, PARAÍBA

PLANEJAMENTO DE PRÁTICAS DE ECOTURISMO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL DA BARRA DO RIO MAMANGUAPE, PARAÍBA PLANEJAMENTO DE PRÁTICAS DE ECOTURISMO NA ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL DA BARRA DO RIO MAMANGUAPE, PARAÍBA José Rodrigo Lima Torres 1 Ingrid Almeida Da Silva 2 Cibelle Batista Gondim 3 RESUMO As áreas

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 1. OBJETIVO DO CURSO Formar profissionais que consigam compreender o espaço social e as interações do mundo do trabalho na cadeia produtiva do Turismo e Hotelaria

Leia mais

Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo. Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001

Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo. Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001 Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001 A Diretoria da EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo, no uso de suas atribuições

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS PRINCIPIOS GERAIS I. OS FUNDAMENTOS DO ENOTOURISMO 1. Por enotourismo queremos dizer que são todas as actividades e recursos turísticos, de lazer e de tempos livres, relacionados com as culturas, materiais

Leia mais

Ministério do Turismo. Brasil: Destino Turístico Internacional Gestão da Política de Turismo Turismo no Brasil: Uma Viagem para Todos

Ministério do Turismo. Brasil: Destino Turístico Internacional Gestão da Política de Turismo Turismo no Brasil: Uma Viagem para Todos Ministério do Turismo Brasil: Destino Turístico Internacional Gestão da Política de Turismo Turismo no Brasil: Uma Viagem para Todos Sumário Executivo Em 2005, do total previsto para o Ministério do Turismo,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Pesquisa de Demanda, Terminal Rodoviário e Turismo.

PALAVRAS-CHAVE Pesquisa de Demanda, Terminal Rodoviário e Turismo. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( x ) TRABALHO

Leia mais

PACOTES CRUZEIROS. e Turismo www.faypassagens.com.br A SUA VIAGEM COMEÇA AQUI!

PACOTES CRUZEIROS. e Turismo www.faypassagens.com.br A SUA VIAGEM COMEÇA AQUI! CORPORATE FRETAMENTOS CRUZEIROS PACOTES A SUA VIAGEM COMEÇA AQUI! QUEM SOMOS QUEM SOMOS A Fay Passagens é uma agência que atua há mais de 10 anos, o nosso principal objetivo é prestar atendimento personalizado

Leia mais

5.10) Lazer, Turismo e Cultura

5.10) Lazer, Turismo e Cultura 5.10) Lazer, Turismo e Cultura 5.10.1) Metodologia No contexto da AII, com destaque para os Estados de Goiás e Mato Grosso, foram obtidas informações junto à EMBRATUR referentes aos principais pontos turísticos

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores LEVANTAMENTO E ANÁLISE DAS NECESSIDADES DOCENTES DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES

Leia mais

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE

Comissão avalia qualidade de ensino da FABE CPA / PESQUISA Comissão avalia qualidade de ensino da FABE Avaliação positiva: A forma de abordagem dos objetivos gerais dos cursos também foi bem avaliada e a qualidade do corpo docente continua em alta.

Leia mais

Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana

Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana O IDIE - Instituto para o Desenvolvimento e Inovação Educativa, especializado em

Leia mais

PROJETO PARA FORMAÇÃO DE MONITORES AMBIENTAIS NO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO XAVIER - SP. Glauce Yukari Michida, Greice Keli Nunes, Cleide Pivott

PROJETO PARA FORMAÇÃO DE MONITORES AMBIENTAIS NO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO XAVIER - SP. Glauce Yukari Michida, Greice Keli Nunes, Cleide Pivott PROJETO PARA FORMAÇÃO DE MONITORES AMBIENTAIS NO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO XAVIER - SP Glauce Yukari Michida, Greice Keli Nunes, Cleide Pivott UNIVAP Universidade do Vale do Paraíba / Faculdade de Comunicação

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA Margarete Maria da Silva meghamburgo@yahoo.com.br Graduanda em Pedagogia e membro do NEPHEPE Universidade Federal de

Leia mais

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO PLANEJAMENTO TERRITORIAL E TURISMO: UM ESTUDO DAS ESTÂNCIAS TURÍSTICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO RIBEIRO, RENATA MARIA 1 MARGARETE ARAUJO TELES 2 Resumo: Esse estudo defende a pertinência em aliar o planejamento

Leia mais

EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA: MEIO AMBIENTE E LIXO URBANO

EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA: MEIO AMBIENTE E LIXO URBANO EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA: MEIO AMBIENTE E LIXO URBANO Angela Maria de Lima da SILVA 1 Universidade Federal de Campina Grande- Cajazeiras angelacidinha@hotmail.com

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural

Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA / CURSO DE TURISMO Política Metropolitana de Proteção da Paisagem e Promoção da Diversidade Cultural Fabiana Bernardes

Leia mais

Pesquisa do Perfil do Turista Nacional em Porto Alegre. Outono 2010

Pesquisa do Perfil do Turista Nacional em Porto Alegre. Outono 2010 Pesquisa do Perfil do Turista Nacional em Porto Alegre Outono 2010 Pesquisa realizada pela SMTur, em parceria com a FARGS e com apoio da Infraero e da Veppo. 22 a 28 de abril Aeroporto área de embarque

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

Autora: Janaina da Silva Lima. Co-autora: Drª. Ruth Künzli

Autora: Janaina da Silva Lima. Co-autora: Drª. Ruth Künzli Autora: Janaina da Silva Lima Co-autora: Drª. Ruth Künzli E-mail: Janaina_limah@hotmail.com CEMAARQ - Centro de Museologia Antropologia e Arqueologia FCT- UNESP Presidente Prudente MUSEU E EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO TURÍSTICA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO.

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO TURÍSTICA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO TURÍSTICA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. Náthalin

Leia mais

Prezado Sr. Ramon Ramonielli Santos Secretário de Educação de Contagem

Prezado Sr. Ramon Ramonielli Santos Secretário de Educação de Contagem CONSULTORIA INSTITUTO CULTIVA PARA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE CONTAGEM DEMANDA: FORMATAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2015/2016 ASSUNTO: APRESENTAÇÃO DE CARGA HORÁRIA PREVISTA

Leia mais

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA INFORMATIVO DEZEMBRO DE 2013 Acesse também: www.mariana.gov.br MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA Promover a criação de um ambiente favorável para valorizar a micro e pequena empresa,

Leia mais

5 Proposta pedagógica da escola

5 Proposta pedagógica da escola 5 Proposta pedagógica da escola A escola onde este estudo se realizou localiza-se na periferia da cidade do Rio de Janeiro, e passou a integrar a rede FAETEC (Fundação de Apoio à Escola Técnica do Rio

Leia mais

TERRITÓRIO DA CIDADANIA DO PONTAL PARANAPANEMA

TERRITÓRIO DA CIDADANIA DO PONTAL PARANAPANEMA COLEGIADO DE DESENVOLVIMETNO TERRITORIAL (CODETER) TERRITÓRIO DA CIDADANIA DO PONTAL PARANAPANEMA 09 de agosto de 2012 Águas de Lindóia - SP Os Territórios Rurais no Estado de São Paulo. LOCALIZAÇÃO DO

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Plano Preliminar de Marketing Turistíco para o Estado do Paraná 2011

Plano Preliminar de Marketing Turistíco para o Estado do Paraná 2011 Plano Preliminar de Marketing Turistíco para o Estado do Paraná 2011 CONTEÚDO Análise Externa Análise Interna Objetivo Metas Estratégias Público Alvo Mercados e Segmentos Matriz BCG - Falta Posicionamento

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Turismo rural e estratégias de marketing: uma análise de sites de empresas do segmento

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Turismo rural e estratégias de marketing: uma análise de sites de empresas do segmento PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Turismo rural e estratégias de marketing: uma análise de sites de empresas do segmento Felipe Pereira Fontes 1, Max Leandro de Araújo Brito 2, Jeanne

Leia mais

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso?

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? i n o v a ç ã o 8 Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? Carla Conti de Freitas Yara Fonseca de Oliveira e Silva Julia Paranhos Lia Hasenclever Renata

Leia mais

SOCIEDADE INFORMADA APOIO PARA GESTÃO E AÇÕES INDICADORES SOBRE QUALIDADE DE VIDA PESQUISA COM A POPULAÇÃO ACORDO COM A PREFEITURA EDUCAÇÃO CIDADÃ

SOCIEDADE INFORMADA APOIO PARA GESTÃO E AÇÕES INDICADORES SOBRE QUALIDADE DE VIDA PESQUISA COM A POPULAÇÃO ACORDO COM A PREFEITURA EDUCAÇÃO CIDADÃ APOIO PARA GESTÃO E AÇÕES PESQUISA COM A POPULAÇÃO INDICADORES SOBRE QUALIDADE DE VIDA SOCIEDADE INFORMADA EDUCAÇÃO CIDADÃ ACORDO COM A PREFEITURA COMPORTAMENTO CIDADÃO A UNIÃO FZ A FORÇA GOVERNO TRANSPARENTE

Leia mais

A PRÁTICA DA LEITURA, PRODUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO PARA GRADUANDOS DE DIREITO

A PRÁTICA DA LEITURA, PRODUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO PARA GRADUANDOS DE DIREITO 112 A PRÁTICA DA LEITURA, PRODUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO PARA GRADUANDOS DE DIREITO FAILI, Valmir Rogério 1 Aula de Português Carlos Drummond de Andrade A linguagem na ponta da língua, tão fácil de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO N 12.653 Estabelece a forma de organização e regulamenta o funcionamento das unidades administrativas da Secretaria de Trabalho e Geração

Leia mais

Congresso Mundial da Natureza/IUCN Barcelona 2008. Coordenação. Marta de Azevedo Irving. Apoio:

Congresso Mundial da Natureza/IUCN Barcelona 2008. Coordenação. Marta de Azevedo Irving. Apoio: Congresso Mundial da Natureza/IUCN Barcelona 2008 Coordenação Marta de Azevedo Irving Apoio: Objetivo Promover a discussão sobre o turismo em áreas protegidas como alternativa potencial para a conservação

Leia mais

OFICINA DO PARANÁ TURÍSTICO 2026 CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA. CURITIBA / PR, 20/5/2016. Moderador: José Gabriel Pesce Jr.

OFICINA DO PARANÁ TURÍSTICO 2026 CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA. CURITIBA / PR, 20/5/2016. Moderador: José Gabriel Pesce Jr. OFICINA DO PARANÁ TURÍSTICO 2026 CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA CURITIBA / PR, 20/5/2016. Moderador: José Gabriel Pesce Jr. OFICINA DO PARANÁ TURÍSTICO 2026 CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA CURITIBA, 20

Leia mais

Palavras-chave: Turismo Rural; Turismo Alternativo; Atividades Agropecuárias.

Palavras-chave: Turismo Rural; Turismo Alternativo; Atividades Agropecuárias. Turismo Rural: Teoria x Prática 1 Patrícia Fino 2 Faculdade Carlos Drummond de Andrade Resumo A busca do homem contemporâneo por locais naturais e autênticos em seu tempo livre é crescente. O interesse

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 "UMA REFLEXÃO ACERCA DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO BAIRRO DO XARQUINHO, NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR"

Mostra de Projetos 2011 UMA REFLEXÃO ACERCA DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO BAIRRO DO XARQUINHO, NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR Mostra de Projetos 2011 "UMA REFLEXÃO ACERCA DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO BAIRRO DO XARQUINHO, NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR" Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto: Projetos

Leia mais

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil RESENHAS Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil Erika Helena Bautto Completa, abrangente e extremamente didática, Marketing Turístico e de Hospitalidade:

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Setembro, 2014 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS

Leia mais

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014 Copa em Minas já começou Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH 31 de maio de 2011 dois anos de escolha das cidades-sede 2014 BH/MG modelo

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita M. Coutinho 2 RESUMO Este artigo científico tem

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS

PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS 22 de Outubro de 2014 AGENDA Relembrar o conceito de Plano Municipal de Turismo Etapas percorridas no desenvolvimento do PMT de Farroupilha

Leia mais

PROJETO SERRAÇÃO SENSIBILIZAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DA COMUNIDADE DE PIRAQUARA (PR) SOBRE A IMPORTÂNCIA DO TURISMO PARA O MUNICÍPIO

PROJETO SERRAÇÃO SENSIBILIZAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DA COMUNIDADE DE PIRAQUARA (PR) SOBRE A IMPORTÂNCIA DO TURISMO PARA O MUNICÍPIO PROJETO SERRAÇÃO SENSIBILIZAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO DA COMUNIDADE DE PIRAQUARA (PR) SOBRE A IMPORTÂNCIA DO TURISMO PARA O MUNICÍPIO Área Temática: Trabalho Área Temática complementar: Turismo Coordenador:

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13008 10 E Técnico de Instalações Elétricas Carlos Jorge Oliveira Rodrigues Escola Secundária de São Pedro do Sul 13791 10 E Técnico de Instalações Elétricas Daniel dos Santos Rodrigues Escola Secundária

Leia mais

Ementa das Disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo CEFET

Ementa das Disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo CEFET Ementa das Disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo CEFET 1º Período Instituição Carga-horária Introdução a Informática UFF 75 Seminários de Educação à Distancia em Turismo CEFET/RJ

Leia mais

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA Autor - Juliana ALVES - IFTM 1 Coautor - Andriza ASSUNÇÃO IFTM 2 Coautor - Aparecida Maria VALLE IFTM 3 Coautor - Carla Alessandra NASCIMENTO

Leia mais

A Gestão Ambiental como Objeto de Estudos no Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul 1

A Gestão Ambiental como Objeto de Estudos no Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul 1 A Gestão Ambiental como Objeto de Estudos no Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul 1 Gisele Silva Pereira 2 Suzana Maria De Conto 3 Universidade de Caxias do Sul Resumo O presente estudo tem por

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

CARTOGRAFIA DE MEMÓRIAS NA REGIÃO DE SÃO RAIMUNDO NONATOPI

CARTOGRAFIA DE MEMÓRIAS NA REGIÃO DE SÃO RAIMUNDO NONATOPI CARTOGRAFIA DE MEMÓRIAS NA REGIÃO DE SÃO RAIMUNDO NONATOPI Bruno Vitor de Farias Vieira Discente do 4 ano do Ensino Médio Integrado em Hospedagem CEEP Gercílio de Castro Macedo Orientadora: Ana Isabel

Leia mais

25 (BID) / 01 (contrapartida Estadual)

25 (BID) / 01 (contrapartida Estadual) PRODETUR NACIONAL / Bahia Unidade Coordenadora de Projetos UCP/Bahia Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMOS DE REFERÊNCIA Nº 002/2011 SETUR / BAHIA Categoria de Investimento: Consultoria 1. Do

Leia mais

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO Turno: MATUTINO Currículo nº 9 Currículo nº 10 Reconhecido pelo Decreto Estadual n. o 5.497, de 21.03.02, D.O.E. de 22.03.02. Para completar o currículo pleno do curso superior

Leia mais

TURISMO NO SUL DE MINAS: UMA ANÁLISE SOBRE O MUNICÍPIO DE FAMA (MG)

TURISMO NO SUL DE MINAS: UMA ANÁLISE SOBRE O MUNICÍPIO DE FAMA (MG) TURISMO NO SUL DE MINAS: UMA ANÁLISE SOBRE O MUNICÍPIO DE FAMA (MG) SÉRGIO HENRIQUE DE CAMPOS ESPORTE 1 e ANA RUTE DO VALE 2 sergio_h13@hotmail.com, ana.vale@unifal-md.edu.br 1 Bolsista de iniciação científica

Leia mais

REDES SOCIAIS Forte presença, influência e impacto nas redes sociais. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome.

REDES SOCIAIS Forte presença, influência e impacto nas redes sociais. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome. DESTINOS Roteiros completos com guias personalizados para o viajante. ECOTURISMO Não é a toa que Trilhas e Aventuras é o nosso nome. HOTEL & FOOD Mais do que uma visita. Uma avaliação completa! REDES SOCIAIS

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH)

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) 1 REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regimento dispõe sobre

Leia mais

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque Darlyne de Aquino Silva Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia de São Paulo. São Roque, SP 2011

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ Área: TURISMO SOUZA Janaína Terezinha de MASCARENHAS, Rubia Gisele Tramontin Resumo A atividade turística está ligada

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

MARKETING PARA TURISMO RODOVIÁRIO. Rosana Bignami Outubro_2015

MARKETING PARA TURISMO RODOVIÁRIO. Rosana Bignami Outubro_2015 MARKETING PARA TURISMO RODOVIÁRIO Rosana Bignami Outubro_2015 ATRATIVOS CIDADES PESSOAS TRANSPORTES SISTEMA DE TRANSPORTE VEÍCULO ATENDE LOCAIS E ATENDE A MINHA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA O MARKETING? OUÇA

Leia mais

Apresentação de projetos na Bahiatursa

Apresentação de projetos na Bahiatursa Apresentação de projetos na Bahiatursa - Orientações - janeiro/2012 Apresentação A Bahiatursa, empresa oficial de turismo do Estado da Bahia, é vinculada à Secretaria de Turismo do Estado e tem como finalidade

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45%

São Francisco do Sul. Masculino 66% 56% 50% 51% 55% Feminino 34% 44% 50% 49% 45% 1 2 A FECOMÉRCIO SC, com o intuito de mapear o perfil do turista e do empresário do turismo de carnaval em Santa Catarina, realizou uma pesquisa com esses públicos nas quatro cidades de maior movimento

Leia mais

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL Profa. Dra. Ana Barbara A. Pederiva Professora da Universidade Cruzeiro

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais