PAC - Cidades Históricas. Goiânia/GO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PAC - Cidades Históricas. Goiânia/GO"

Transcrição

1 PAC - Cidades Históricas Goiânia/GO NÚCLEO URBANO PIONEIRO DE GOIÂNIA PARTE DO SETOR CAMPINAS E SETOR CENTRAL

2 2009: inserção da cidade de Goiânia no Programa de Aceleração do Crescimento - PAC - Cidades Históricas. Referência: Tombamento Federal do Traçado Viário dos Núcleos Urbanos Pioneiros de Goiânia, representados por parte do Setor Campinas e Setor Central, de acordo com Portaria n. 507, de 18 de novembro de Decreto-Lei n. 25/1937. Processo 1500T/2002. O que é o PAC - Cidades Histórica (IPHAN, 2009) Programa de Aceleração do Crescimento - PAC Cidades Históricas é uma ação intergovernamental articulada com a sociedade para: - preservar o patrimônio brasileiro; - valorizar a cultura; - promover desenvolvimento econômico e social c/ sustentabilidade e qualidade de vida para os cidadãos.

3 Linhas de Atuação: 1º. Produção de Conhecimento e Informação; 2º. Dinamização e Valorização dos Sítios Históricos; 3º. Planejamento e Gestão. Articuladas para seis (06) ações: - infraestrutura urbana e social; - requalificação urbanística; - promoção do patrimônio cultural; - recuperação e uso do patrimônio cultural; - difusão e promoção do patrimônio cultural; - financiamento para recuperação e promoção de usos de imóveis privados.

4 Procedimentos de inserção: 1º. Cadastro dos Bens Culturais Tombados e/ou Protegidos : União, Estado, Município - ver em anexo; 2º. Levantamento de Dados/Relatório/Diagnóstico Preliminar: ANUÁRIO SEPLAM (2011) 3º. Planilhas de definição de Objetivos gerais e específicos: site IPHAN Visão: - Relação do Patrimônio com a cidade; - o que as ações voltadas para o Patrimônio beneficiariam a cidade em termos sociais, culturais, econômicos e de infraestrutura urbana; - definição da linguagem urbana.

5 Procedimentos de inserção: 4º. Planilha das linhas de ações pretendidas - site IPHAN; 5º. Ações paralelas direcionadas para os bens culturais tombados - captações de projetos: - Áreas do Césio/Córrego dos Buritis; - Centro de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa - CMAC, original OSEGO / Vila Cultural; - Eixo Leste-Oeste de Transporte Coletivo - Av. Anhanguera - VLT; - Eixo Norte-Sul de Transporte Coletivo - Av. Goiás - BRT; - Mobiliário Urbano; - Praça Cívica; - Praças do PAC 2; - Projeto Cara Limpa; - Requalificação Urbana e Paisagística - Espaços Viários e Passeios Públicos de Parte do Setor Central de Goiânia - GO - Quadrantes 1, 2, 3 e 4 - AMT; -

6 Procedimentos de inserção: 5º. Ações paralelas direcionadas para os bens culturais tombados (continuação) - projetos com diretrizes do PAC - Cidades Históricas : - Restauração do Museu Pedro Ludovico - obra executada ; - obras sem diretrizes do PAC - Cidades Históricas : - Av. Universitária, antiga Rua 10, Setor Central e Praça Universitária, Setor Leste Universitário - obra em execução - jan/2012; - Parque Mutirama e Parque Botafogo - obra em execução - set/ Largo do Liceu - obra executada /2012; - Restauração do Teatro Goiânia - obra executada / Acréscimo pela Rua 3 iniciada final de 2011; - Reuniões com IPHAN e AGEPEL; Grupo de Acessibilidade - CREA/GO, CELG e Concessionárias de Telefonia; Secretarias e Agências municipais: Drenagem Urbana AMOB, SEINFRA, AMMA, SETURDE, COMURG e AMT;

7 Produtos executados: 1º. Mapa da Área de Tombamento Federal dos Núcleos Urbanos Pioneiros de Goiânia; 2º. Mapa da Sinalização Turística, Urbana, Arquitetônica e Paisagística para os Núcleos Urbanos Pioneiros de Goiânia; 3º. Cadastro, Diagnóstico e Diretrizes para a Área de Intervenção: Ruas 3 e 4, entre Avenidas Tocantins e Araguaia, antigo Setor Central; 4º. Mapa do Levantamento dos Bens Imóveis em Art Decô e Arborização Histórica localizados nas Ruas 3 e 4, trechos entre as Avenidas Tocantins e Araguaia; 5º. Termo de Referência do Projeto Executivo de Embutimento de Fiação - Convencional e lógica de parte das Ruas 3 e 4 e Ruas Transversais entre a Rua 3 e Avenida Anhanguera do Setor Central de Goiânia/GO; 6º. ANÁLISE - DIAGNÓSTICO: PROJETO EXECUTIVO: REFORMULAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOS - SINALIZAÇÃO HISTÓRICA E TURÍSTICA CENTRO DE GOIÂNIA - AMT, º. Repasse de Diretrizes para o Projeto Executivo BRT - documento conjunto: SEPLAM, AMOB, AMT, COMURG, SEINFRA;

8 Produtos em execução: 8º. Termos de Referência para os Projetos Executivos do NÚCLEO URBANO PIONEIRO DE GOIÂNIA - PARTE DO SETOR CAMPINAS E SETOR CENTRAL: - Levantamentos Planialtimétricos Cadastrais; - Projeto Executivo de Requalificação Urbana e Paisagística dos Espaços Viários e Passeios Públicos; Públicos - Projeto Executivo de Requalificação Urbana e Paisagística dos Espaços e àreas verdes; - Projeto Executivo de Embutimento de Fiação - Elétrica, Telefonia, Lógica e Iluminação; - Remoção e Readequação de letreiros e elementos de propaganda e Projeto Executivo de Requalificação de Fachadas; - Projeto Executivo de Mobiliário Urbano - Execução e Implantação; - Projeto Executivo de Comunicação visual: de Placas de Sinalização Viária e Turística em vias e bens culturais - Execução e Implantação; - Projeto Executivo de Drenagem Urbana viabilidade técnica parcial ou total; - Contratação de serviços de mídia de divulgação e sensibilização da agenda das obras do PAC - Cidades Históricas.

9 Produtos em execução: 9º. Mapa de Identificação dos Bens Culturais Tombados e/ou Protegidos e suas áreas envoltórias; 10º. ANÁLISE do Projeto Executivo: REQUALIFICAÇÃO URBANA ARQUITETÔNICA E PAISAGÍSTICA - ESPAÇOS VIÁRIOS E PASSEIOS PÚBLICOS DE PARTE SETOR CENTRAL DE GOIÂNIA - GO - Quadrantes 1, 2, 3 e 4; Documentos legais: 11º. Acordo de Preservação do Patrimônio Cultural entre IPHAN, Estado de Goiás e Município de Goiânia e Anexos (2010); 12º. Decreto n Criação Grupo Especial para articulação e coordenação dos projetos especiais de reabilitação do Município de Goiânia (2011). Custos Estimados: Contrapartida do município - Projetos Executivos/ Fiscalização das Obras: ~ R$ ,00 Repasse pela União - obras : ~ R$ ,00

10 Prefeitura Municipal de Goiânia PAULO DE SIQUEIRA GARCIA Órgão Responsável: SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E URBANISMO - SEPLAM Secretário Municipal de Planejamento LYVIO LUCIANO CARNEIRO DE QUEIROZ Assessoria de Planejamento Qualidade e Controle - SEPLAM MSC. MARCOS BITTAR HADDAD Diretor do Departamento de Ordenação e Ocupação do Solo - DOOS ARQ. URB. ALBERTO AURELIANO BAILONI Diretora de Parcelamento - DPAR ARQ. URB. MSC. MARTA HORTA FIGUEIREDO DE CARVALHO Divisão de Requalificação Urbana e Patrimônio - DVUP ARQ. URB. VILMAR AUGUSTO LOPES DA SILVA - Chefe Coordenação Técnica: ARQ. URB. - KÁTIA DO CARMO DE PAIVA - CREAGO /D ARQ. URB. MSC. MÁRCIA DE ARAÚJO - CREA/GO /D ARQ. URB. MSC. MARIA DAS MERCÊDES BRANDÃO DE OLIVEIRA - CREAGO /D Patrono Incentivador do PAC - Cidades Históricas - Goiânia/GO: Secretário Municipal de Planejamento ( SEPLAM, ) LUÍZ ALBERTO GOMES DE OLIVEIRA

11 Colaboração: SEPLAM Divisão De Modernização e Controle da Qualidade ANTONIO CRUVINEL CAIXETA DESIGNER GRÁFICO DEPARTAMENTO DE PESQUISAS E ESTATÍSTICA E ESTUDO SÓCIOS ECONÔMICOS MARA NATÉRCIA NOGUEIRA Divisão de Pesquisa e Estatística PSICÓLOGA MSC. CARLA CRISTINA DE ARAÚJO DIRETORIA DE INFORMAÇÕES URBANAS E GEO-PROCESSAMENTO PATRICIA ALENCAR MENDONÇA Divisão de Biblioteca e Documentação NEUSA NOGUEIRA MARIA SILVA ZILDETE ABADIA LOPES DA SILVA Divisão de Mapeamento RENATO ALVES LIMA PACHECO GRAD. GEOPROCES. CLÉSIO FERNANDES DE LIMA GRAD. GEOPROCES. BERNARD DA SILVA DE OLIVEIRA Divisão de Cadastro ARQ. URB. SÉRGIO JACARANDÁ DE SOUSA MARIA INÁCIA ANDRADE MARIA DA PAIXÃO RODRIGUES Divisão de Reprografia ALCINEIDE DA SILVA MOURA OLIVEIRA DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO EDA VALÉRIA DIAS CAMPOS Divisão de Arquivo ELZA ALVES DE O. DA SILVA

PAC CIDADES HISTÓRICAS. Natal /RN

PAC CIDADES HISTÓRICAS. Natal /RN PAC CIDADES HISTÓRICAS Natal /RN INTRODUÇÃO O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), iniciado em 2007, é uma inciativa do governo federal coordenada pelo Ministério do Planejamento que promoveu a

Leia mais

Governo do Estado de Goiás Dr. ALCIDES RODRIGUES FILHO Prefeitura Municipal de Goiânia IRIS REZENDE MACHADO

Governo do Estado de Goiás Dr. ALCIDES RODRIGUES FILHO Prefeitura Municipal de Goiânia IRIS REZENDE MACHADO SUPERINTENDÊNCIA DO INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL EM GOIÁS Relatório Diagnóstico Preliminar e Levantamento de Dados do Patrimônio Cultural - Bens Culturais Tombados e/ou Protegidos

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 15 de 27 de abrilde 2006.

LEI COMPLEMENTAR N 15 de 27 de abrilde 2006. -~--' -, Praça Barão do Rio Branco, 12 Fax (31) 3559 3205 LEI COMPLEMENTAR N 15 de 27 de abrilde 2006 Altera a Lei Comp1emelÚtlr n 02/1005, modifica a denonúnaçílo da Secretaria Municipal de Turismo, IndÚstria

Leia mais

IMPORTÂNCIA E IMPACTO DO PROGRAMA PASSEIO LIVRE PARA A CIDADE DE SÃO PAULO. JOSÉ RENATO SOIBELMANN MELHEM Arquiteto e Urbanista

IMPORTÂNCIA E IMPACTO DO PROGRAMA PASSEIO LIVRE PARA A CIDADE DE SÃO PAULO. JOSÉ RENATO SOIBELMANN MELHEM Arquiteto e Urbanista IMPORTÂNCIA E IMPACTO DO PROGRAMA PASSEIO LIVRE PARA A CIDADE DE SÃO PAULO JOSÉ RENATO SOIBELMANN MELHEM Arquiteto e Urbanista Mobilidade social Envolve a integração de todos sistemas de circulação: 1.

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2º semestre 2012

PLANO DE ENSINO 2º semestre 2012 PLANO DE ENSINO 2º semestre 2012 Professoras orientadoras: turma Departamento de Urbanismo Departamento de Projetos A + B Prof a. D ra. Fernanda Borges de Moraes Profª. D ra. Juliana Torres de Miranda

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO SEBASTIÃO DO OESTE ESTADO DE MINAS GERAIS LEI COMPLEMENTAR Nº 38, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2011. Altera dispositivos e Cria Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo na Lei Complementar nº 24, de 23 de abril de 2009, que dispõe sobre a Organização

Leia mais

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana

Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana Investimento do Governo Federal em Mobilidade Urbana PAC 2 SÃO PAULO R$ 241,5 bilhões R$ milhões Eixo 2011-2014 Pós 2014 TOTAL Transportes 55.427 2.169 57.596 Energia 57.578 77.936 135.513 Cidade Melhor

Leia mais

PLANOS DIRETORES REGIONAIS

PLANOS DIRETORES REGIONAIS PLANOS DIRETORES REGIONAIS ORIGEM DOS PLANOS DIRETORES REGIONAIS CONSTITUIÇÃO FEDERAL ESTABELECE O PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO E A GESTÃO DEMOCRÁTICA II CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICA URBANA PLANO DIRETOR

Leia mais

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar Alexandre Brasil André Prado Carlos A. Maciel Danilo Matoso projeto: 2000 concurso 1o lugar O conjunto objeto desta proposta se constitui de três partes de caráter notadamente diferenciadas: a primeira,

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca. Palestrante: Nicola Rossano Costa

Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca. Palestrante: Nicola Rossano Costa Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca Palestrante: Nicola Rossano Costa Leis Municipais Plano diretor Lei Complementar nº 050/2003 e posteriores alterações Plano viário Lei complementar nº

Leia mais

Consulta Pública sobre as Normas de Preservação do Sítio Histórico de Ouro Preto. Memória de Reuniões

Consulta Pública sobre as Normas de Preservação do Sítio Histórico de Ouro Preto. Memória de Reuniões Consulta Pública sobre as Normas de Preservação do Sítio Histórico de Ouro Preto Memória de Reuniões 1.0-Sobre as Normas de Preservação para o Conjunto Tombado de Ouro Preto O Departamento do Patrimônio

Leia mais

TOMBAMENTO. Museu de Arte Sacra da Boa Morte Cidade de Goiás

TOMBAMENTO. Museu de Arte Sacra da Boa Morte Cidade de Goiás TOMBAMENTO Museu de Arte Sacra da Boa Morte Cidade de Goiás LEGISLAÇÃO FEDERAL: Decreto-Lei n 25/37 (procedimentos dos estudos de tombamento e seus efeitos). Decreto-Lei n 3.866/41 (cancelamento de bens

Leia mais

Mapa de Pessoal da Direcção Regional de Cultura do Norte - 2014

Mapa de Pessoal da Direcção Regional de Cultura do Norte - 2014 Chefe de Divisão Técnico superior Coordenador técnico Técnico Direcção Apoio à Direcção 2 Sub-total 1 0 0 0 0 1 0 1 3 Direcção de Serviços dos Bens Culturais Planeamento, gestão, controle e avaliação da

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 Novembro/12 Agosto/2011 Empreendimentos de Mobilidade Urbana BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1: Interseção com Av.

Leia mais

Programa de Regularização Fundiária de Interesse Social

Programa de Regularização Fundiária de Interesse Social Programa de Regularização Fundiária de Interesse Social CASA LEGAL Programa Estadual de Regularização Fundiária Programa Casa Legal Devido a Lei Estadual nº 16.269, de 29 de maio de 2008, dispor em seu

Leia mais

MAPA DE PESSOAL. Gabinete de Apoio ao Presidente. Gabinete de Fiscalização Sanitária

MAPA DE PESSOAL. Gabinete de Apoio ao Presidente. Gabinete de Fiscalização Sanitária Preenchidos A preencher Preenchidos Gabinete de Apoio ao Presidente Coordenar e executar todas as atividades inerentes à assessoria, secretariados, protocolos da Presidência e assegurar a interligação

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público Valores (R$ 1,00) 2006 11.700,000 Manutenção das

Leia mais

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA Secretaria de 1 Produtivo 1. Ampliar a oferta de infraestrutura adequada para promover a segurança no consumo de gêneros alimentícios em mercados municipais 1. Oferecer espaços adequados para comercialização

Leia mais

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Melhoria da Infraestrutura Viária e Transporte na Capital Abril/2011 Mobilidade Urbana em Belo Horizonte BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1 VIADUTOS DE

Leia mais

SP-URBANISMO. Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado

SP-URBANISMO. Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado SP-URBANISMO Nova Luz Projeto Urbanístico Consolidado Setembro 2011 Perímetro da Nova Luz Sala São Paulo Parque da Luz Praça Princesa Isabel Largo do Arouche Igreja de Santa Ifigênia Praça da República

Leia mais

Bus Rapid Transit. Possui desempenho e conforto semelhante aos sistemas sobre trilhos, mas com custo entre 4 a 20 vezes. menor;

Bus Rapid Transit. Possui desempenho e conforto semelhante aos sistemas sobre trilhos, mas com custo entre 4 a 20 vezes. menor; 1 BRT MANAUS 2 Bus Rapid Transit O BRT é um sistema de transporte com alta capacidade e baixo custo que utiliza parte segregada da infraestrutura viária existente e opera por controle centralizado, permitindo

Leia mais

Diretriz 1. Criar e desenvolver um Censo Geral da Cultura

Diretriz 1. Criar e desenvolver um Censo Geral da Cultura Diretriz 1. Criar e desenvolver um Censo Geral da Cultura Meta 1.1 Levantar e catalogar anualmente, dados e informações acerca da diversidade cultural, do município de Paranaguá; identificar a vocação

Leia mais

PORTO MARAVILHA. Permanências e Mudanças

PORTO MARAVILHA. Permanências e Mudanças PORTO MARAVILHA Permanências e Mudanças MOMENTO ESPECIAL CV Rio + 20 Copa das Confederações 450 Anos da Cidade & Copa América Jogos Olímpicos de 2016 2011 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA

Leia mais

Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS

Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS Prezados Senhores, Itacir e Marlene Feltrin e filhos. Farroupilha - RS Registramos com carinho a aproximação com a família Feltrin, iniciada em 1982. Foram mais de três décadas de respeito recíproco e

Leia mais

PRODETUR NACIONAL COMPONENTE I: PRODUTO TURÍSTICO ANEXO F CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO

PRODETUR NACIONAL COMPONENTE I: PRODUTO TURÍSTICO ANEXO F CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO PRODETUR NACIONAL COMPONENTE I: PRODUTO TURÍSTICO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO 1. INTRODUÇÃO. 2 Este documento tem a finalidade de estabelecer

Leia mais

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DO ANO 2015 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO

E N T I D A D E DOTAÇÕES INICIAIS P L A N O P L U R I A N U A L D E I N V E S T I M E N T O S DO ANO 2015 CÂMARA MUNICIPAL DE MONTIJO PÁGINA : 1 1. FUNÇÕES GERAIS 30.951,63 10.509,00 960.567,00 960.567,00 42.565,00 1.044.592,63 1.1. SERVIÇOS GERAIS DE 30.951,63 10.509,00 960.567,00 960.567,00 42.565,00 1.044.592,63 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUER (nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro)

CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUER (nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro) Mapa Resumo dos postos de por cargo/carreira/categoria CARGO/CATEGORIAS/CARREIRAS A criar TOTAL Obs. Diretor de departamento 2 2 Chefe de divisão 6 6 Direção intermédia 3.º grau 2 2 Comandante Operacional

Leia mais

BANCO DE PROJETOS. A infra-estrutura dos Estados e Municípios necessita ser planejada;

BANCO DE PROJETOS. A infra-estrutura dos Estados e Municípios necessita ser planejada; BANCO DE PROJETOS É O ACERVO DE PROJETOS EXECUTADOS COM ANTERIORIDADE PARA DAR SUPORTE A UM PROGRAMA DE OBRAS, ESPECIALMENTE DE MÉDIO E LONGO PRAZO, COM VISTAS A UM EFICIENTE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE

Leia mais

SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO

SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Lei nº 6468/09 Disciplina a veiculação de anúncios no Município de Piracicaba Decreto nº 13.512/10 Licenciamento de anúncios Decreto nº 13.513/10 Engenhos Publicitários

Leia mais

O TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA

O TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA Intervenção Urbana para melhoria da Qualidade de Vida e Inclusão Social na Região Metropolitana de Goiânia O TRANSPORTE PÚBLICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA A REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA Localização

Leia mais

Custos do Programa. 60% US$ 56,7 milhões. 40% US$ 37,8 milhões

Custos do Programa. 60% US$ 56,7 milhões. 40% US$ 37,8 milhões Custos do Programa Iniciativa da Prefeitura Municipal de Goiânia com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) Valor do empréstimo US$ 94.500.000,00 60% US$ 56,7 milhões 40% US$ 37,8

Leia mais

Praça da Alfândega vai voltar no tempo

Praça da Alfândega vai voltar no tempo Praça da Alfândega vai voltar no tempo Obra, com remoção de palmeiras, devolverá ao local característica de 1924. A partir do final do ano, a Praça da Alfândega, no centro da Capital, será cercada por

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS

ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE URBANIZAÇÃO SUMÁRIO 1.0 - OBJETIVO 2 0 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.0 - ESCOPO 3.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 3.2 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 3.2.1 - Plano de Intervenção

Leia mais

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE

MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE MODELO DE CARTA-CONSULTA PAC 2 MOBILIDADE MÉDIAS CIDADES IDENTIFICAÇÃO DO PROPONENTE Proponente: Município Beneficiado: Estado: Nome Entidade: CNPJ: Endereço da Sede: CEP: Tel/Fax: Representante Legal:

Leia mais

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.

OPÇÕES DO PLANO 2015:2018 datas 2015 2016 2017 2018. conclusão. Respons. início 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196. 1 EDUCAÇÃO 207.000,00 186.840,00 191.282,00 196.916,00 1 ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO 116.500,00 93.625,00 100.574,00 103.487,00 1 Apoios e subsídios CM 13 18 5 05-06-02-03-99 1.000,00 1.030,00 2.122,00

Leia mais

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL

ANEXO IX - DEMONSTRATIVO VII METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZAÇÃO DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL METAS E PRIORIDADES - COMPATIBILIZ DA LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS COM O PLANO PLURIANUAL TÍTULO PRODUTO TIPO DE META 2013 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados ORÇAMENTÁRIA 95% 0001 GESTÃO

Leia mais

SEINFRA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA JUNHO/2015

SEINFRA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA JUNHO/2015 SEINFRA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA JUNHO/2015 Corredores de Ônibus Manaus: Atendem três condicionantes: 1) Plano de Estruturação da Malha Viária do Governo do Estado do Amazonas; 2) Demanda

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM DELIBERAÇÃO NORMATIVA Nº 12 DE 11 DE NOVEMBRO DE 1992

SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM DELIBERAÇÃO NORMATIVA Nº 12 DE 11 DE NOVEMBRO DE 1992 SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM DELIBERAÇÃO NORMATIVA Nº 12 DE 11 DE NOVEMBRO DE 1992 O Conselho Municipal do Meio Ambiente COMAM, no uso das atribuições

Leia mais

As Parcerias Público-Privadas no Município de Fortaleza

As Parcerias Público-Privadas no Município de Fortaleza As Parcerias Público-Privadas no Município de Fortaleza Em 03 de julho de 2013, através da Resolução 1/2013 do Conselho Gestor de Parceria Público-Privada, foram definidos como prioritários, para execução

Leia mais

Preservação e Desenvolvimento Resultados da Oficina de Planejamento Estratégico em Cidades Históricas: Aplicação dos resultados das maquetes

Preservação e Desenvolvimento Resultados da Oficina de Planejamento Estratégico em Cidades Históricas: Aplicação dos resultados das maquetes Preservação e Desenvolvimento Resultados da Oficina de Planejamento Estratégico em Cidades Históricas: Aplicação dos resultados das maquetes eletrônicas e levantamento cadastral- Belém-PA 1. UM TERRITÓRIO

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Rio de Janeiro, outubro, 2012 RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE - Setembro. 2012 -

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE - Setembro. 2012 - PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE - Setembro. 2012 - OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA - LINHA VERDE - Lei de criação : Lei Municipal n.º 13.919 de 19 de dezembro de 2011

Leia mais

13.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

13.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS 13. POLUIÇÃO VISUAL 13.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Este estudo visa avaliar os impactos da Poluição Visual existente na região da Operação Urbana e os impactos positivos ou negativos que serão gerados pelas

Leia mais

Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns Informações Gerais

Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns Informações Gerais Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns Informações Gerais O Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns corresponde a um conjunto de ações a serem desenvolvidas pela Prefeitura Municipal de Goiânia,

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016

Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016 Diretrizes para o Plano de Urbanização da ZEIS 3 C 016 Aprovadas pelo Conselho Gestor em 27 de julho de 2011 LEGENDA: Diretrizes propostas pela PMSP Diretrizes propostas pelos membros da sociedade civil

Leia mais

Programa Porto Alegre Copa 2014 Legados para a Cidade

Programa Porto Alegre Copa 2014 Legados para a Cidade Programa Porto Alegre Copa 2014 Legados para a Cidade Visão: Ser considerada a melhor cidade-sede da Copa 2014 quanto a participação popular e promoção de ações de desenvolvimento econômico, social e ambiental,

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

Prefeito João da Costa Vice-Prefeito Milton Coelho. Secretário de Serviços Públicos José Eduardo Santos Vital

Prefeito João da Costa Vice-Prefeito Milton Coelho. Secretário de Serviços Públicos José Eduardo Santos Vital Prefeito João da Costa Vice-Prefeito Milton Coelho Secretário de Serviços Públicos José Eduardo Santos Vital Assessor Executivo Luis Roberto Wanderley de Siqueira Diretor Presidente da Empresa de Manutenção

Leia mais

Execução Anual das Grandes Opções do Plano

Execução Anual das Grandes Opções do Plano das Grandes Opções do Plano 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E ENSINO BÁSICO 01 01 /1 Infraestruturas de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 01 01 /1 1 Centro Escolar de Caria 0102 07010305 E

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. FICHA DE INSCRIÇÃO PARA QUESTIONAMENTOS (preencha de forma clara, legível e objetiva os campos abaixo)

AUDIÊNCIA PÚBLICA. FICHA DE INSCRIÇÃO PARA QUESTIONAMENTOS (preencha de forma clara, legível e objetiva os campos abaixo) NOME: RENATO SILVA JUNIOR ÓRGÃO/ENTIDADE/EMPRESA: PREFEITURA SANTA LUZIA DO ITANHY Como no trecho do Rio Piaui que liga a zona urbana a zona rural do Município de Estância, logo há um grande fluxo de veiculo

Leia mais

RELATÓRIO MAIO AMARELO CAMPINAS 2015

RELATÓRIO MAIO AMARELO CAMPINAS 2015 RELATÓRIO MAIO AMARELO CAMPINAS 2015 24 e 25 de abril - Expo Dom Pedro (Shopping Dom Pedro) Lançamento oficial do Maio Amarelo Campinas no Evento Programa Interdisciplinar Intergastro e Trauma nos dias

Leia mais

PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE USO E OCUPAÇÃO DO CÂMPUS ITAJAÍ

PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE USO E OCUPAÇÃO DO CÂMPUS ITAJAÍ PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE USO E OCUPAÇÃO DO CÂMPUS ITAJAÍ Agosto/2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010.

PODER EXECUTIVO - PROGRAMAS ESTRUTURADORES PLANO PLURIANUAL - 2010/2013 - Lei 6.716, de 22 de dezembro de 2010. 2001 Administração Legislativa Serviços Realizados Percentual 95% 0001 GESTÃO LEGISLATIVA E CIDADANIA 2002 Processamento Legislativo Ações Realizadas Percentual 95% 2003 Modernização Administrativa Gestão

Leia mais

INICIATIVAS INSPIRADORAS ESPAÇOS PÚBLICOS REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA SAVASSI BELO HORIZONTE MG

INICIATIVAS INSPIRADORAS ESPAÇOS PÚBLICOS REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA SAVASSI BELO HORIZONTE MG ESPAÇOS PÚBLICOS INICIATIVAS INSPIRADORAS REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA SAVASSI BELO HORIZONTE MG ÍNDICE INTRODUÇÃO PERFIL DA CIDADE OS PASSOS PARA A REQUALIFICAÇÃO DA PRAÇA DA SAVASSI DIRETRIZES DO PROJETO

Leia mais

Título III Do Uso e Ocupação do Solo

Título III Do Uso e Ocupação do Solo Título III Do Uso e Ocupação do Solo RETORNAR Capítulo I Das Macrozonas Seção I Da Macrozona de Estruturação e Qualificação Urbana Art. 26 A Subprefeitura da Mooca encontra-se integralmente contida na

Leia mais

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

MINIFÓRUM CULTURA 10. Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA MINIFÓRUM CULTURA 10 Fórum Permanente para Elaboração do Plano Municipal de Cultura 2012 a 2022 RELATÓRIA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA Orientação aprovada: Que a elaboração do Plano Municipal de Cultura considere

Leia mais

DECRETO Nº 7.643 de 10 de junho de 2005.

DECRETO Nº 7.643 de 10 de junho de 2005. DECRETO Nº 7.643 de 10 de junho de 2005. Dispõe sobre as competências, a estrutura básica e o Quadro de Lotação de Cargos Comissionados da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo - SEMURB, e

Leia mais

INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Premissas para lidar com a iluminação urbana 1. Aspirações da

Leia mais

LEI MUNICIPAL: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI MUNICIPAL: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI MUNICIPAL Nº 1.490/96 DE 05 DE FEVEREIRO DE 1996. DISPÕE SOBRE A REORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE PANAMBI, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Panambi, e eu sanciono e promulgo a seguinte

Leia mais

Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011

Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011 Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011 Território preferencial Obras da Matriz de Responsabilidades Av. Severo Dullius Rua Voluntários da Pátria Av. Assis

Leia mais

Metrô Leve de Goiânia. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre

Metrô Leve de Goiânia. Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Metrô Leve de Goiânia Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Novembro 2011 Agenda Escolha do modal Requisitos para o projeto Referências internacionais Desenvolvimento urbano de Goiânia Estudo

Leia mais

ü Contribuir para equacionar os problemas ambientais, urbanís4cos e sociais ü Devido ao crescimento populacional nas áreas dos fundos de vale, os 83

ü Contribuir para equacionar os problemas ambientais, urbanís4cos e sociais ü Devido ao crescimento populacional nas áreas dos fundos de vale, os 83 CONDEITO E JUSTIFICATIVA DO PUAMA ü Contribuir para equacionar os problemas ambientais, urbanís4cos e sociais que afetam a cidade de Goiânia, resultantes da ocupação desordenada do espaço urbano, em especial

Leia mais

IPHAE. II Caracterização da área de entorno do bem tombado : características urbanas.

IPHAE. II Caracterização da área de entorno do bem tombado : características urbanas. IPHAE SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DO ESTADO Av. Borges de Medeiros, 1501, 21º andar- Porto Alegre-RS - Cep:90110-150 Fone/Fax: (051)3225.3176 e-mail: iphae@via-rs.net

Leia mais

intervenções e empreendimentos na ÁREA CENTRAL

intervenções e empreendimentos na ÁREA CENTRAL intervenções e empreendimentos na ÁREA CENTRAL agosto 2009 SUB-SÉ área: 2.620 ha população: 348.852 SANTA CECÍLIA área: 390ha população: 64.285 BOM RETIRO área: 400 ha população: 28.371 PARI área: 290

Leia mais

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Curitiba Brasília, Abril de 2012

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Curitiba Brasília, Abril de 2012 CodeP0 Balanço 2012 Copa do Mundo Cidadesede Curitiba Brasília, CodeP1 Valores Consolidados R$ mi, abr/12 Total Empreendimentos Investimento Total Financiamento Federal Local Federal Privado Estádio 1

Leia mais

PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas

PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas PUBLICADO DOC 10/01/2012, p. 1 c. todas LEI Nº 15.525, DE 9 DE JANEIRO DE 2012 (Projeto de Lei nº 470/11, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Institui o Projeto Estratégico

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES PORTARIA Nº 109 DE 5 DE MARÇO DE 2013

MINISTÉRIO DAS CIDADES PORTARIA Nº 109 DE 5 DE MARÇO DE 2013 MINISTÉRIO DAS CIDADES PORTARIA Nº 109 DE 5 DE MARÇO DE 2013 Divulga resultado do processo de seleção do PAC 2 Mobilidade Médias Cidades, no âmbito do Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade

Leia mais

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé

Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes à mobilidade a pé Introdução A proposta de Diretrizes para o Plano de Mobilidade Urbana 2015 da Cidade de São Paulo referentes

Leia mais

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados DEAP/SNAPU/MCIDADES Maio/2015 Contexto brasileiro Necessidade de obras públicas para requalificação e reabilitação

Leia mais

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal.

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. Em resumo, o programa fornece, mediante convênio de cooperação

Leia mais

SEMINÁRIO PROJETO BÁSICO E PROJETO EXECUTIVO NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS ASPECTOS TÉCNICOS SIURB

SEMINÁRIO PROJETO BÁSICO E PROJETO EXECUTIVO NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS ASPECTOS TÉCNICOS SIURB SEMINÁRIO PROJETO BÁSICO E PROJETO EXECUTIVO NAS CONTRATAÇÕES PÚBLICAS ASPECTOS TÉCNICOS SIURB PROJETOS DE INFRAESTRUTURA URBANA DRENAGEM CANAIS RESERVATÓRIOS MICRODRENAGEM OU DRENAGEM SUPERFICIAL OBRAS

Leia mais

Tiago Lacerda. Marketing Esportivo

Tiago Lacerda. Marketing Esportivo Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 Belo Horizonte Minas Gerais Comitê Executivo Municipal Tiago Lacerda Gerência Geral Assessoria jurídica Assessoria Imprensa Comunicação e Marketing Eventos e Ações Sociais

Leia mais

RELAÇÃO DOS BENS TOMBADOS PELO ESTADO DE GOIÁS

RELAÇÃO DOS BENS TOMBADOS PELO ESTADO DE GOIÁS RELAÇÃO DOS BENS TOMBADOS PELO ESTADO DE IÁS CIDADE: Catalão - Bens Tombados pelo Estado de Goiás 01 Igreja de Nossa Senhora Igreja de Nossa Senhora do Particular (Diocese) Lei nº 12.926/1996 Rua Procópio

Leia mais

CAIS JOSÉ ESTELITA. Diretrizes urbanísticas espacializadas a serem observadas no redesenho do Projeto Novo Recife e entorno

CAIS JOSÉ ESTELITA. Diretrizes urbanísticas espacializadas a serem observadas no redesenho do Projeto Novo Recife e entorno CAIS JOSÉ ESTELITA Diretrizes urbanísticas espacializadas a serem observadas no redesenho do Projeto Novo Recife e entorno Recife, 10 de setembro de 2014. SUMÁRIO: 1. Percurso metodológico 2. Sistematização

Leia mais

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial

Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial Projecto de Candidatura da Universidade de Coimbra a Património Mundial 1 Coimbra - 1941 Coimbra - 2001 2 Pólo II - Estado actual Pólo III - Estado actual 3 Pólo I - Estado actual 4 Pólo I - Estado actual

Leia mais

GIDES Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada em Desastres Naturais

GIDES Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada em Desastres Naturais SECRETARIA NACIONAL DE ACESSIBILIDADE E PROGRAMAS URBANOS Departamento de Políticas de Acessibilidade e Planejamento Urbano Cooperação Técnica Internacional BRASIL-JAPÃO GIDES Fortalecimento da Estratégia

Leia mais

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal 1. Introdução O patrimônio cultural de cada comunidade pode ser considerado a sua cédula de identidade. Por isso, cada vez mais os municípios necessitam

Leia mais

Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT)

Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT) Superintendência de Planejamento e Gestão Territorial (SGT) SEMINÁRIO CONFEA/CREA-BA: ACOMPANHAMENTO OBRAS DA COPA 12/04/2011 OBRAS A CARGO DA SEDUR Corredor Estruturante Aeroporto-Acesso Norte, do Sistema

Leia mais

MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP

MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP 361 MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP Andressa Mastroldi Ferrarezi, Arlete Maria Francisco Curso de Arquitetura e Urbanismo; Departamento de Planejamento,

Leia mais

AÇÕES MERCADOS CENTRAL & SÃO SEBASTIÃO 2008

AÇÕES MERCADOS CENTRAL & SÃO SEBASTIÃO 2008 AÇÕES MERCADOS CENTRAL & SÃO SEBASTIÃO 2008 CENTRAL & SÃO SEBASTIÃO DADOS GERAIS Pertencentes a Prefeitura Municipal de Fortaleza vinculada a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Controle Urbano SEMAM.

Leia mais

3.4 Patrimônio histórico e cultural O Pólo Costa do Delta conta com 18 bens tombados, sendo 17 em Teresina e 1 em Parnaíba. Destes, a totalidade é

3.4 Patrimônio histórico e cultural O Pólo Costa do Delta conta com 18 bens tombados, sendo 17 em Teresina e 1 em Parnaíba. Destes, a totalidade é 3.4 Patrimônio histórico e cultural O Pólo Costa do Delta conta com 18 bens tombados, sendo 17 em Teresina e 1 em Parnaíba. Destes, a totalidade é tombada em nível estadual, apenas um bem é tombado pela

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADORIA GERAL

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADORIA GERAL PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADORIA GERAL LEI Nº 5.288, DE 04 DE JULHO DE 2003. Cria o Instituto de Pesquisas e Planejamento de Piracicaba IPPLAP e dá outras providências

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO. Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GESPÚBLICA

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO. Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GESPÚBLICA APRESENTAÇÃO A CARTA DE SERVIÇOS atende a uma indicação do Programa Nacional de Gestão Pública, aderido pela Prefeitura do Município de Porto Velho, cujo programa é coordenado pela Secretaria Municipal

Leia mais

Porto Alegre. Host City Fifa World Cup 2014

Porto Alegre. Host City Fifa World Cup 2014 Porto Alegre Host City Fifa World Cup 2014 31/05/2009 A FIFA anuncia as 12 cidades-sede 13/01/2010 Formalização do Grupo Executivo da Copa Gecopa; Anúncio do Programa BNDES Pró-Copa Turismo (recursos para

Leia mais

17/11/2015 Governo lança programa Goiás Mais Competitivo

17/11/2015 Governo lança programa Goiás Mais Competitivo Giro 17/11/2015 06:00 Jarbas Rodrigues Jr. Desafios para Goiás estar entre os cinco Estados mais competitivos O governador Marconi Perillo (PSDB) lançou o programa Goiás Mais Competitivo com a meta de

Leia mais

ARQ URB Plano de trabalho:

ARQ URB Plano de trabalho: ARQ URB Plano de trabalho: Caros colegas, o Plano de Gestão da chapa ARQ URB é o resultado das discussões realizadas pela equipe que pretende compor a gestão de 2015 à 2017 do Conselho de Arquitetura e

Leia mais

VEREADOR MARIO NADAF - PARTIDO VERDE - PV PROJETO DE LEI

VEREADOR MARIO NADAF - PARTIDO VERDE - PV PROJETO DE LEI PROJETO DE LEI "INSTITUI O PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRAÇAS, CANTEIROS, JARDINS, PARQUES, LOGRADOUROS E ÁREAS VERDES PÚBLICOS, ESTABELECENDO SEUS OBJETIVOS, LIMITAÇÕES DAS RESPONSABILIDADES E DOS BENEFÍCIOS

Leia mais

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto

Secretaria Municipal de Obras. secretário Alexandre Pinto Secretaria Municipal de Obras secretário Alexandre Pinto Investimentos recordes e precisos Obras em andamento R$ 5,5 bilhões Obras em licitação R$ 2 bilhões Obras a licitar R$ 190 milhões R$ 8,1 bilhões

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012

Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH. Marcelo Cintra do Amaral. 20 de novembro de 2012 Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte - PlanMob-BH Marcelo Cintra do Amaral 20 de novembro de 2012 Roteiro da apresentação: Contexto do PlanMob-BH: prognóstico, caráter de plano diretor, etapas

Leia mais

Programa Paraisópolis

Programa Paraisópolis Programa Paraisópolis Identificação das Comunidades Cemitério Getsemani Jd. Colombo Paraisópolis Porto Seguro Cemitério do Morumbi Colégio Visconde de Porto Seguro Programa Paraisópolis Caracterização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO PDDU LEI DO SISTEMA VIÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO PDDU LEI DO SISTEMA VIÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ KL Serviços e Engenharia S/C PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO PDDU LEI DO SISTEMA VIÁRIO LEI Nº Dispõe sobre o sistema Viário do Município de Quixadá e dá outras

Leia mais

SEMINÁRIOS TEMÁTICOS. Mesa 1: Produção Habitacional : programas de financiamento da habitação de interesse social

SEMINÁRIOS TEMÁTICOS. Mesa 1: Produção Habitacional : programas de financiamento da habitação de interesse social SEMINÁRIOS TEMÁTICOS Mesa 1: Produção Habitacional : programas de financiamento da habitação de interesse social Maria do Carmo Avesani Diretora do Departamento de Produção Habitacional Secretaria Nacional

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA A REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL

PLANO DE AÇÃO PARA A REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL PLANO DE AÇÃO PARA A REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA CENTRAL Objetivos Criar oportunidades para novos negócios na Área Central e promover a atividade econômica em escala regional; Reverter o processo de despovoamento

Leia mais

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social?

Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Política de mobilidade urbana: integração ou segregação social? Panorama das ações e projetos e hipóteses gerais da pesquisa Juciano Martins Rodrigues Aumento no tempo de deslocamento Crescimento do número

Leia mais

Associação Goiana De Integralização E Reabilitação Centro De Reabilitação E Readaptação Dr. Henrique Santillo

Associação Goiana De Integralização E Reabilitação Centro De Reabilitação E Readaptação Dr. Henrique Santillo Associação Goiana De Integralização E Reabilitação Centro De Reabilitação E Readaptação Dr. Henrique Santillo Centro De Estudos Cene/Crer Comissão De Ensino E Treinamento Cept/Crer SELEÇÃO PARA APERFEIÇOAMENTO

Leia mais

RESULTADO DA REUNIÃO DE PATRIMONIO HISTÓRICO REALIZADA EM SÃO CARLOS, SÃO PAULO EM 28 DE OUTUBRO DE 2010

RESULTADO DA REUNIÃO DE PATRIMONIO HISTÓRICO REALIZADA EM SÃO CARLOS, SÃO PAULO EM 28 DE OUTUBRO DE 2010 RESULTADO DA REUNIÃO DE PATRIMONIO HISTÓRICO REALIZADA EM SÃO CARLOS, SÃO PAULO EM 28 DE OUTUBRO DE 2010 INSTITUTO DE Face às extremas diferenças entre as ações bem sucedidas de poucos Conselhos e o abandono

Leia mais