Etapa 6 Curso Matutino. Administração. 34 aulas de 45 minutos cada 2 aulas teóricas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Etapa 6 Curso Matutino. Administração. 34 aulas de 45 minutos cada 2 aulas teóricas"

Transcrição

1 Etapa 6 Curso Matutino Componente *: Administração 34 aulas de 45 minutos cada 2 aulas teóricas Transmitir aos alunos informações que complementem sua formação profissional, dando-lhes uma visão mais ampla da organização para a qual ele deve prestar serviços e do ambiente em que esta organização atua, preparando o novo profissional para o ambiente competitivo. Conceitos básicos da Ciência Administrativa. Empresa: como se organiza, funções, papéis. Evolução da Ciência Administrativa. Comportamento do indivíduo nas organizações. Modelos de estrutura administrativa. Processo decisório. Planejamento. Micro-empresas e cooperativas. Conteúdo *: 1. Organizações e Administração 1.1. Organizações e sua classificação 1.2. O enfoque sistêmico em organizações 1.3. Administração nas organizações 1.4. Legislações brasileira e internacional para organizações 2. Teorias da Administração 2.1. Abordagem Científica 2.2. Abordagem Clássica 2.3. Abordagem de Relações Humanas 2.4. O Modelo Japonês da Administração 2.5. O enfoque da qualidade na Administração 3. O Processo Organizacional 3.1. Funções Organizacionais: produção, marketing, pesquisa e desenvolvimento, finanças, recursos humanos, administração 3.2. Estruturas Organizacionais 3.3. Princípios Organizacionais 4. Planejamento 4.1. Processo de planejamento 4.2. Planejamento Estratégico 4.3. Planejamento Operacional 4.4. Empreendendorismo e planejamento 5. Execução e Controle 5.1. Processos de execução dentro de organizações 5.2. Execuções que dependem de negociações 5.3. Processos e tipos de controle: por níveis hierárquicos, estratégico, administrativo e operacional 5.4. Padrões de controle 6. Comportamento Humano nas Organizações 6.1. Formação de equipes 6.2. Motivação e desempenho 6.3. Liderança orientada a tarefas e pessoas 6.4. Detecção e resolução de conflitos 7. Comunicação Gerencial 7.1. Processos de comunicação 7.2. Análise e reestruturação de processos de comunicação 7.3. Desenvolvimento de competências de emissores e receptores 7.4. Comunicação gerencial dentro da comunicação organizacional Critério de Avaliação*: A nota final é baseada em: MAXIMIANO, A.C.A. Introdução à administração. 5. ed.. São Paulo : Atlas, Bibliografia Complementar : CHIAVENATO, I. Introdução à teoria geral da administração. 6.ed. RJ:Campus, ARK, K.H., BONIS, D.F. de, ABUD, M. R.. Introdução ao estudo da administração. São Paulo : Pioneira,

2 Situação *: MOTTA, F. C. P. Teoria geral da administração : uma introdução. 22. Ed. SP : Pioneira, STONER, J.A.F., FREEMAN, R. E. Administração. RJ : Guanabara Koogan,

3 Componente *: Período *: Etapa 6ª Conteúdo *: PROGRAMAÇÃO FUNCIONAL E COMP. SIMBÓLICA 68 aulas de 45 minutos cada 4 aulas teóricas Introduzir os conceitos básicos do do paradigma da Programação Funcional, incluindo tanto aspectos teóricos (λ-cálculo) quanto práticos (programação usando linguagens funcionais). Apresentar aplicações da programação funcional na resolução de problemas práticos. Fundamentos de λ-cálculo. Teoria dos tipos. Linguagens funcionais. Algoritmos baseados em programação funcional. Aplicações em computação algébrica. Fundamentos de Lingüística Computacional. 1. Fundamentos Matemáticos da Programação Funcional 1.1. Cálculo Lambda: definição, notação, expressões, funções, variáveis livres e ligadas, substituição, regras de conversão, igualdade, extensionalidade e estratégias de redução 1.2. Cálculo Lambda como uma linguagem declarativa 1.3. Construções elementares em Cálculo Lambda: valores-verdade, pares, t-uplas e números naturais 1.4. Combinadores 1.5. Mônadas 2. Manipulação de Listas 2.1. Átomos e listas 2.2. Operadores básicos em listas: car e cdr 2.3. Criação, inserção, busca e remoção de elementos e listas 2.4. Concatenação, reversão e ordenação de listas 2.5. Listas de associação 2.6. Listas de diferença 3. Funções 3.1. Abstração, composição e aplicação de funções 3.2. Construções do tipo lambda e let 3.3. Funções recursivas e combinadores de ponto fixo 3.4. Funções recursivas em listas 3.5. Polimorfismo funcional e o problema de binding 4. Tipos 4.1. Tipos em linguagens funcionais 4.2. Noções de cálculo lambda tipado simples 4.3. Tipagem no sentido de Church e Curry 4.4. Tipos recursivos e polimórficos 4.5. Aplicação de funções em tipos 4.6. Construção de mônadas 5. Técnicas de Computação Simbólica 5.1. Definição gramatical de domínio de dados simbólicos 5.2. Abstração de dados baseada em gramáticas para dados simbólicos 5.3. Programação recursiva em domínios de dados simbólicos recursivos 5.4. Símbolos, ambientes e intepretação 5.5. Transformação, tradução e compilação 6. Teoria dos Números Computacional 6.1. Problemas simbólicos em Teoria dos Números Computacional 6.2. Congruências e geração de classes de resíduos 6.3. Testes de primalidade 6.4. Aritmética com grandes inteiros 6.5. Geradores e logaritmos discretos em Zp* 6.6. Aplicações em Criptografia 7. Computação Algébrica 7.1. Aritmética polinomial 7.2. Bases de Gröbner e resolução de equações polinomiais 7.3. Diferenciação e integração polinomiais simbólicas 7.4. Noções de computação algébrica de estruturas em grupos, anéis, módulos e álgebras 7.5. Sistemas de computação algébrica 8. Linguística Computacional 8.1. Problema do processamento de Linguagens Naturais 8.2. Problemas simbólicos em Linguística Computacional 61

4 8.3. Lexicons e o processo de etiquetagem de discurso 8.4. Síntese e reconhecimento de discurso Critério de Avaliação*: A nota final é baseada em: Bibliografia Complementar : Situação *: Maclennan, B.J. Functional Programming: Practice and Theory. New York: Addison-Wesley, Cohen, J.S. Computer Algebra and Symbolic Computation: Elementary Algorithms. New York: A.K. Peters, Cohen, J.S. Computer Algebra and Symbolic Computation: Mathematical Methods. New York: A.K. Peters, Queinnec, C. Lisp in Small Pieces. Cambridge: Cambridge University Press, Jurajsky, D., Martin, J.H. Speech and Language Processing. New York: Prentice Hall, Shoup, V. A Computational Introduction to Number Theory and Algebra. Cambridge: Cambridge University Press,

5 Componente *: Metodologia Científica 34 aulas de 45 minutos cada 2 aulas teóricas Oferecer aos alunos os conceitos metodológicos necessários aos processos de pesquisa, tanto sob o ponto de vista da estrutura quanto do conteúdo. Estudo e prática de habilidades necessárias à elaboração de trabalho científico. Orientação teórico-metodológica para a elaboração do anteprojeto do TGI (Trabalho de Graduação Interdisciplinar). Revisão do estilo técnico. Conteúdo *: 1. Fundamentos de Pesquisa Científica 1.1. Conceitos e requisitos de pesquisa 1.2. Tipologia da pesquisa 1.3. Métodos e técnicas de pesquisa 1.4. Pesquisa de campo 1.5. Produtos de pesquisa: projetos, relatórios, papers, monografias, dissertações, teses 2. Técnicas de Pesquisa Bibliográfica 2.1. Fontes bibliográficas 2.2. Identificação e classificação de fontes 2.3. Localização e armazenamento de informações 2.4. Fichamentos e sua organização 3. Projetos de Pesquisa 3.1. Seleção de material da pesquisa bibliográfica 3.2. Levantamento de hipóteses e delimitação da tese de pesquisa 3.3. Boas práticas em redação técnica: objetividade, impessoalidade, estilo, clareza, concisão, normas para citação bibliográfica 3.4. Organização do documento de projeto de pesquisa: introdução, trabalhos prévios, objetivos, metodologia, cronograma e bibliografia 4. Organização de Trabalhos de Graduação 4.1. Elementos pré-textuais 4.2. Introdução 4.3. Desenvolvimento 4.4. Conclusões e trabalhos futuros 4.5. Parte referencial: apêndices, anexos e bibliografia 4.6. Aspectos estéticos de formatação do trabalho 5. Apresentação de Trabalhos Científicos 5.1. Modalidades de apresentação 5.2. Organização do material em função da modalidade 5.3. Recomendações para apresentação oral Critério de Avaliação*: A nota final é baseada em: SEVERINO, A.J. Metodologia do trabalho científico. 21. ed.. São Paulo: Cortez, Bibliografia Complementar : ECO, U. Como se faz uma tese. 15. ed. São Paulo : Perspectiva, BOOTH, W. C.; COLOMB, G. G.; WILLIAMS, J.M. A arte da pesquisa. São Paulo: Martins Fontes, CERVO, A.L.; BERVIAN, P.A.. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Prentice- Hall, MEDEIROS, J.B. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas. 4. ed. São Paulo: Atlas, OLIVEIRA NETTO, A.A. Metodologia da pesquisa científica: guia prático para apresentação de trabalhos acadêmicos. Florianópolis: Visual Books, SALOMON, D.V. Como fazer uma monografia. 10. ed. São Paulo: Martins Fontes, UNIVERSIDADE PREBISTERIANA MACKENZIE. Apresentação de trabalhos acadêmicos: guia para alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzie. 4. ed. São Paulo: Ed. Mackenzie, Situação *: 63

6 Componente *: Conteúdo *: Critério de Avaliação*: Modelagem e Simulação 68 aulas de 45 minutos cada 2 aulas teóricas e 2 aulas práticas Apresentar os conceitos fundamentais de construção de modelos matemáticos para simulação computacional. Apresentar as principais técnicas de simulação (discreta e contínua). Realizar experimentos práticos em ambientes de modelagem e simulação. Modelos de simulação. Aplicações gerais. Geração de números aleatórios. Coleta, geração e análise de dados. Determinação e definição de modelos. Técnicas de construção de modelos. Análise de resultados da simulação. Prática com linguagem de simulação. 1. Conceitos Fundamentais de Modelagem e Simulação 1.1. Sistemas, modelos e simulação 1.2. Processo geral de modelagem e simulação 1.3. Tipos de modelos 1.4. Modelos de simulação 1.5. Exemplos de aplicações 2. Construção de Modelos 2.1. Modelos discretos e dinâmicos 2.2. Modelos determinísticos e probabilísticos 2.3. Composição do modelo: componentes, variáveis descritivas e regras de interação 2.4. Conceito de estado do modelo 2.5. Variáveis descritivas: entrada, estado, saída, parâmetros do modelo, transição de estado e funções de saída 2.6. Quadros experimentais e modelos simplificados 2.7. Validação, verificação e credibilidade do modelo 2.8. Ambientes para construção de modelos 3. Modelos Probabilísticos 3.1. Conceito de Cadeia de Markov 3.2. Propriedades básicas de Cadeias de Markov 3.3. Cadeias regulares e absorventes 3.4. Modelos de filas 4. Simulação Discreta 4.1. Aplicações de simulação discreta 4.2. Probabilidade, distribuições e geração de números aleatórios 4.3. Eventos: conceito, temporização, mensagens e filas de eventos 4.4. Estratégia das três fases em simulação de eventos 4.5. Simulação do tipo Monte-Carlo 4.6. Simulação orientada a objetos e orientada a agentes 4.7. Ambientes de simulação discreta 5. Simulação Contínua 5.1. Aplicações de simulação contínua 5.2. Simulação baseada em equações diferenciais ordinárias (ODE) e Parciais (PDE) 5.3. Simulação baseada em grafos de fluxos sinalizados (SGF) 5.4. Simulação baseada em grafos de ligação (Bond Graphs) 5.5. Ambientes de simulação contínua 6. Estratégias Avançadas de Modelagem e Simulação 6.1. Meta-modelos 6.2. Heurísticas e meta-heurísticas 6.3. Planejamento tático e estratégico de experimentos de simulação 6.4. Inclusões diferenciais em modelagem e simulação 6.5. Simulação distribuída A nota final é baseada em: MAKI, D.P., THOMPSON, M. Mathematical Modeling and Computer Simulation. New York: Brooks Cole,

7 Bibliografia Complementar : Situação *: ALLEN, A.O. Probability, Statistics and Queuing Theory with Computer Science Applications. Boston: Academic Press, KELTON, W.D. Simulation with Arena. 3.ed. Boston: McGraw-Hill, LAW, A.M. e KELTON, W.D. Simulation, Modeling and Analysis. 3.ed. Boston: McGraw-Hill, LAWRENCE, K.L. Modeling and Simulation of Dynamical Systems. Upper- Saddle River: Prentice-Hall, WINSTON, W.L. Operations Research: Applications and Algorithms. 4.ed. Belmont: Thomson Brooks, ZILL, D.G. Equações Diferenciais com Aplicações em Modelagem. São Paulo: Thomson,

8 Componente *: Conteúdo *: Critério de Avaliação*: Projeto de Linguagens de Programação 95 aulas de 45 minutos cada 3 aulas teóricas e 2 aulas práticas Apresentar os conceitos e algoritmos fundamentais para construção de compiladores de linguagens. Utilizar ferramentas automáticas para geração de analisadores. Construir um compilador completo para uma pequena linguagem livre de contexto. Fases do processo de compilação. Análise léxica. Geradores de analisadores léxicos. Análise sintática. Análise top-down e bottom-up. Analisadores LL, LR e LALR. Geradores de analisadores sintáticos. Tabela de símbolos. Verificação de tipos. Ambientes em tempo de execução. Geração de código intermediário. Geração de código. Otimização de código. 1. Fundamentos do processo de compilação 1.1. Noções elementares de linguagens formais 1.2. Compilação x interpretação 1.3. Módulos e interfaces de um compilador 1.4. Ferramentas de geração automática de analisadores 2. Análise léxica 2.1. Tokens léxicos 2.2. Expressões regulares 2.3. Autômatos finitos 2.4. Geradores de analisadores léxicos 3. Análise sintática 3.1. Gramáticas livres de contexto 3.2. Análise preditiva 3.3. Análises LL e LR 3.4. Geradores de analisadores sintáticos 4. Sintaxe abstrata 4.1. Ações semânticas 4.2. Árvores de sintaxe abstrata (AST) 4.3. Percursos em AST e o padrão Visitor 5. Análise semântica 5.1. Tabelas de símbolos 5.2. Verificação de tipos 6. Registros de Ativação 6.1. Organização de programas em tempo de execução 6.2. Stack frames 7. Geração de código intermediário 7.1. Máquinas virtuais 7.2. Árvores de representação intermediárias 7.3. Geração de árvores de representação intermediárias 7.4. Árvores canônicas 8. Geração de código Assembly 8.1. Seleção de instruções 8.2. Análise de sobrevivência 8.3. Alocação de registradores 8.4. Padrões de geração de código A nota final é baseada em: Bibliografia Complementar : Situação *: APPEL, A.W. Modern Compiler Implementation in Java, 2a. Edição, Cambridge: Cambridge University Press, AHO, A. V., SETHI, R., ULLMAN, J. D. Compilers : principles, techniques, and tools, Reading : Addison-Wesley, FISHER, C. N., LeBLANC, Richard J. Jr. Crafting a compiler. Menlo Park : Benjamin/Cummings, AHO, A. V., ULLMAN, J. D. The theory of parsing, translation and compiling. Englewood Cliffs : Prentice Hall, v. 66

9 Componente *: Conteúdo *: Critério de Avaliação*: Redes de Computadores 68 aulas de 45 minutos cada 4 aulas teóricas A disciplina apresenta os conceitos básicos das redes de computadores, análise de desempenho e de projetos de redes. Ao final o aluno dever ser capaz de especificar uma rede de computadores a partir de uma especificação de serviço. Conceitos básicos. Projetos de redes. Protocolos de redes. Redes locais (LANs). Redes de longas distâncias (WANs). Redes multiprotocolares. Segurança em ambientes de redes. Serviços em ambientes de redes. Gerenciamento de redes. 1. Fundamentos de Redes de Computadores 1.1 Redes de computadores, classificação e topologia 1.2. Protocolos de rede 1.3. Camadas de protocolos e seus modelos de serviços 1.4. Modelos de referência ISO/OSI e TCP/IP 2. Camada de Aplicação 2.1 Princípios e serviços da camada de aplicação 2.2 Protocolos da camada de aplicação 2.3 Serviço DNS 3. Camada de Transporte 3.1 Princípios e serviços da camada de transporte 3.2 Multiplexação e demultiplexação das aplicações 3.3 Transporte sem conexão: UDP 3.4 Princípios da transferência de dados confiável 3.5 Transporte orientado a conexão: TCP 3.6 Princípios de controle de congestionamento 3.7 Controle de congestionamento no TCP 3.8 Programação com sockets TCP/UDP 4. Camada de rede e Roteamento 4.1 Modelos de serviços de rede 4.2 Princípios de roteamento 4.3 Protocolo de internet (IP) 4.4 IPv6 5. Camada de enlace e Redes locais 5.1 Serviços da camada de enlace 5.2 Técnicas de deteção e correção de erros 5.3 Protocolos de acesso múltiplos e redes locais (LANs) 5.4 Endereços de LAN e ARP 5.5 Ethernet 5.6 Hubs, bridges e switches 5.7 Redes locais sem fio (IEEE ) 5.8 PPP 5.9 ATM, X.25 e Frame Relay 6. Redes para multimídia 6.1 Requisitos de redes multimídia 6.2 Pacotes multimídia e a técnica de streaming 6.3 Aplicações em VoIP e IPTV 7. Segurança em redes de computadores 7.1 Processos de autenticação e autorização 7.2 Técnicas de invasão e mecanismos de contra-ataque 7.3 Firewalls e proxies 8. Gerência de redes 8.1 Problema de gerenciamento de redes 8.2 Protocolos e aplicações para gerenciamento 8.3 Gerência remota A nota final é baseada em: Bibliografia Complementar : KUROSE, J..F. e ROSS, K.W., Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet. 4.ed. New York: Addison-Wesley, GALLO, M. A.; HANCOCK, B. Comunicação entre computadores e tecnologias de rede. São Paulo: Thomson Learning,

10 Situação *: STALLINGS, W. Redes e sistemas de comunicação de dados. Rio de Janeiro: Elsevier, COMER, D. E. Internetworking with tcp / ip: principles, protocols, and architectures. 4th ed. Upper sadle river: Prentice-Hall, BENANTAR, M. Introduction to the public key infrastructure for the internet. Upper saddle river: Prentice-Hall, TANENBAUM, A.S. Redes de computadores. 10. reimpr. Rio de Janeiro: Elsevier,

11 Componente *: Conteúdo *: Critério de Avaliação*: Teoria da Computação 51 aulas de 45 minutos cada 4 aulas teóricas Introduzir a formalização de processos computacionais através de Máquinas de Turing, evidenciando aspectos de computabilidade, decidibilidade e complexidade. Apresentar noções de modelos não-convencionais de computação. Formalização do conceito de algoritmo. Modelos de computação. Máquinas de Turing. Problemas de decisão. Indecibilidade e o problema da parada. Classes P e NP. Redução entre problemas. Classes NP-difícil e NP-completo. 1. Máquinas de Turing 1.1. Máquinas de Turing determinísticas 1.2. Diagramas de transição 1.3. Computação com Máquinas de Turing Linguagens recursivas Funções recursivas Linguagens recursivamente enumeráveis 1.4. Extensões da Máquina de Turing Máquinas com múltiplas fitas Máquinas com acesso aleatório Máquinas não-determinísticas 2. Indecidibilidade 2.1. Tese de Church-Turing 2.2. Máquinas de Turing Universais 2.3. Problemas indecidíveis no modelo de Turing 2.4. Provas formais de indecidibilidade 3. Complexidade 3.1. Problemas de decisão e linguagens 3.2. Complexidade de tempo e espaço 3.3. Classes P, NP e a questão P=NP? 3.4. Redução entre problemas 3.5. Classe de problemas NP-completos e NP-difíceis 3.6. Exemplos de prova de NP-completude 4. Modelos não-convencionais de computação 4.1. Autômatos Celulares 4.2. Computação Quântica 4.3. Computação Molecular 4.4. Computação Natural A nota final é baseada em: Bibliografia Complementar : Situação *: LEWIS, H.R., PAPADIMITRIOU, C.P. Elements of the theory of computation. Upper Saddle River : Prentice-Hall, HOPCROFT, J.E., MOTWANI, R.,ULMAN, J.D. Introduction to automata theory, languages and computation. 2nd ed. Reading : Addison Wesley, DIVERIO, T.A., MENEZES, P.B.. Teoria da computação: máquinas universais e computabilidade. Porto alegre: Sagra Luzzatto, GRAMB, T., Bornholdt, S., Grob, M., Mitchell, M., Pellizzari, T. Non-standard computation : molecular computation, cellular automata, evolutionary algorithms, quantum computers. Weinheim: Wiley VCH, GREENLAW, R., HOOVER, H.J. Fundamentals of the theory of computation :principles and practice. San francisco :Morgan Kaufmann,1998. SIPSER, M.. Introduction to the theory of computation. Boston : PWS Pub.,

12 Etapa 6 Curso Matutino Componente *: Processamento de Imagens (Optativa II) 51 aulas de 45 minutos cada 3 aulas teóricas Apresentar as principais técnicas processamento de imagens digitais. Princípios físicos de formação de imagens. Sistema visual Humano. Sensores para a aquisição de imagens. Amostragem e Quantização. Visualizadores de imagens. Transformações aplicadas a imagens. Visualização, codificação, realce, restauração, segmentação e análise. Topologia Digital e medidas. Reconhecimento de Padrões. Teoria de Informação. Transformadas. Filtros Lineares. Morfologia Matemática. Conteúdo *: Critério de Avaliação*: 1 Conceitos Fundamentais de Imagens Digitais 1.1 Elementos de percepção visual 1.2 Luz e o espectro eletromagnético 1.3 Imagens analógicas e digitais 1.4 Aquisição de imagens 1.5 Amostragem e quantização de imagens 1.6 Processamento no domínio espacial, da freqüência e em multiresolução 1.7 Problemas de processamento digital de imagens 1.8 Noções de armazenamento, compressão e transmissão de imagens 2 Processamento de Imagens no Domínio Espacial 2.1 Fundamentos teóricos do domínio espacial 2.2 Transformações elementares em nível de cinza 2.3 Processamento de histograma 2.4 Operadores aritméticos e lógicos 2.5 Filtragem no domínio espacial 2.6 Aplicações em suavização (smoothing), realce (sharpening) e restauração de imagens 3 Processamento de Imagens no Domínio da Freqüência 3.1 Transformada de Fourier e o domínio da freqüência 3.2 Transformada Rápida de Fourier 3.3 Filtragem no domínio da freqüência 3.4 Aplicações em suavização (smoothing), realce (sharpening) e restauração de imagens 4 Processamento de Imagens em Cores 4.1 Modelos e espaços de cores 4.2 Transformações entre espaços de cor 4.3 Suavização e realce de imagens em cores 5 Processamento em Multiresolução 5.1 O problema da resolução e Transformada de Wavelet 5.2 Transformadas de wavelet unidimensionais e bidimensionais 5.3 Transformada Rápida de Wavelet 6 Processamento Baseado em Morfologia Matemática 6.1 Operações lógicas com imagens binárias 6.2 Operadores morfológicos binários elementares: erosão e dilatação 6.3 Operadores morfológicos binários derivados: extração de bordo, preenchimento de regiões, extração de componentes conexas, thinning, thickening, esqueletos 6.4 Morfologia Matemática para imagens em níveis de cinza A nota final é baseada em: Bibliografia Complementar : GONZALEZ, R.C., WOODS, R.E. Digital Image Processing. 2.ed. Upper-Saddle River: Prentice-Hall, JAIN, A.K. Fundamentals of Digital Image Processing. Englewood Cliffs: Prentice Hall, PARKER, J.R. Algorithms for Image Processing and Computer Vision. New York: John Wiley,

13 PETROU, M. Image Processing: The Fundamentals. New York: John Wiley, RUSS, J. The Image Processing Handbook. 4.ed. New York: CRC Press, UMBAUGH, S. Computer Imaging: Digital Image Analysis and Processing. New York: CRC Press, Situação *: 105

14 Componente *: Conteúdo *: Critério de Avaliação*: Programação de Jogos (Optativa II) 51 aulas de 45 minutos cada 3 aulas teóricas Apresentar as principais técnicas projeto e desenvolvimento de jogos digitais. Introdução ao projeto de jogos. Bibliotecas gráficas e hardware para jogos. Roteiro. Storyboarding. Animação. Bibliotecas de movimento capturado. Aplicações de IA a jogos. Jogos distribuídos. 1. Fundamentos de Jogos Digitais 1.1. Breve histórico e aplicações de jogos digitais 1.2. Tipologia de jogos 1.3. Gêneros de jogos 1.4. Processo de desenvolvimento de jogos: projeto do jogo, projeto de níveis, implementação e teste Ambientes de projeto e desenvolvimento de jogos 2. Projeto do Jogo 2.1. Conceito do jogo, gênero e plataforma 2.2. Gameplay 2.3. Elementos do jogo 2.4. História/estória do jogo 2.5. Progressão e storyboard 2.6. Documento de projeto do jogo 3. Projeto de níveis 3.1. Conceito de nível ou fase de um jogo 3.2. Objetivos e níveis de dificuldade de fases 3.3. Técnicas de especificação de níveis 3.4. Documento de projeto de níveis 4. Implementação de Níveis 4.1. Tarefas e equipes de implementação 4.2. Níveis de implementação: game engines, bibliotecas gráficas e programação de GPUs 4.3. Modelagem de cenários e elementos do jogo 4.4. Implementação de comportamentos e eventos 4.5. Implementação de recursos de áudio 4.6. Implementação de recursos de dinâmica 4.7. Implementação de recursos de Inteligência Artificial 4.8. Implementação de recursos multiplayer 4.9. Integração de recursos e controle 5. Testes de Jogos 5.1. Plano de testes 5.2. Testes unitários 5.3. Testes de integração 5.4. Relatório de testes A nota final é baseada em: ROUSE, R. Game Design: Theory and Practice. 2.ed. New York: Wordware Publishing, Inc, FINNEY, K.C. 3D Game Programming All in One. New York: Course Technology Ptr, Bibliografia Complementar : BOURG, D.M. Physics for Game Developers. New York: O Reilly Media, BOURG, D.M. AI for Game Developers. New York: O Reilly Media, BJORK, S. Patterns in Game Design. New York: Charles River Media, BYRNE, E. Game Level Design. New York: Charles River Media, MARKS, A. The Complete Guide to Game Audio: for Composers, Musicians, Sound Designers and Game Developers. New York: CMP Books, THOR, A. Massively Multiplayer Game Development. New York: Charles River Media, Situação *: 106

Universidade do Estado da Bahia UNEB Departamento de Ciências Exatas e da Terra - Campus I

Universidade do Estado da Bahia UNEB Departamento de Ciências Exatas e da Terra - Campus I Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas II/CPD025 Conceitos orientação a objetos. Evolução das técnicas de modelagem orientadas a objetos. Estrutura da linguagem UML. Conceito de processo interativo

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS I

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS I EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1 FACUL DADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMATICA NEGÓGIOS GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ( 68) Teóricas Etapa: 7ª ( ) Práticas Interpretação de Governança e estratégia organizacional:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO: Fundamentos da Computação CURSO: Bacharelado em Sistemas de Informação DISCIPLINA: Fundamentos da Computação CÓDIGO: 4610H CRÉDITOS: 04 CARGA HORÁRIA: 60 horas-aula VALIDADE: a partir de

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação

TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação TABELA DE EQUIVALÊNCIA FECOMP Curso de Engenharia de Computação Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 66303 ESTRUTURA DE DADOS I 68/0 ENG. DE

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

Sistemas de Informação 3º ANO

Sistemas de Informação 3º ANO Sistemas de Informação 3º ANO BANCO DE DADOS Carga horária: 120h Visão geral do gerenciamento de banco de dados. Arquitetura de um Sistema Gerenciador de Banco de Dados. Modelagem e projeto de banco de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 05/03/2014 10:06. Centro de Ciências Exatas e Naturais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 05/03/2014 10:06. Centro de Ciências Exatas e Naturais 5// :6 Centro de Ciências Exatas e Naturais Curso: Ciência da Computação (Noturno) Currículo: 7/ CMP.8.- Introdução à Computação Ementa: O que é Ciência da Computação. História da Computação. Estrutura

Leia mais

P L A N O D E D I S C I P L I N A

P L A N O D E D I S C I P L I N A INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS SÃO JOSÉ SC CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES / REDES DE COMPUTADORES P L A N O D E D I S C I P L I N A DISCIPLINA: Redes de Computadores Carga Horária: 95 HA

Leia mais

Os limites da computação algorítmica

Os limites da computação algorítmica Capítulo 12 Os limites da computação algorítmica 12.1. Problemas que não podem ser resolvidos pelas MT. 12.2. Problemas indecidíveis para LRE 12.3. Problema da correspondência de Post 12.4. Problemas indecidíveis

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO SENAC PLANO DE ENSINO

CENTRO UNIVERSITARIO SENAC PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO Nome do candidato: Aurélio Candido da Silva Junior Unidade: Lapa Tito Curso: Gestão Tecnológica em redes Convergentes Disciplina: Arquitetura e Redes de Computadores

Leia mais

( X ) SEMESTRAL - ( ) ANUAL

( X ) SEMESTRAL - ( ) ANUAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PLANO DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Arquitetura de Redes de Computadores ( X ) SEMESTRAL - ( ) ANUAL CÓDIGO:

Leia mais

Disciplina de Projetos e Análise de Algoritmos. Aula 1 - Apresentação aos Algoritmos Computacionais

Disciplina de Projetos e Análise de Algoritmos. Aula 1 - Apresentação aos Algoritmos Computacionais Aula 1 - Apresentação aos Algoritmos Computacionais O que é a Disciplina? Disciplina de Projeto e Análise de Algoritmos Esta é uma disciplina de Algoritmos em nível de Pós-Graduação! Temas a serem abordados:

Leia mais

Outras Máquinas de Turing

Outras Máquinas de Turing Capítulo 10 Outras Máquinas de Turing 10.1. Pequenas variações da TM padrão 10.2. MT s com dispositivos de armazenamento mais complexos 10.3. MT s não-determinísticas 10.4. A Máquina de Turing Universal

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO

UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO UFV Catálogo de Graduação 2014 109 EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pelo Campus Rio Paranaíba são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, ligadas a cada instituto, seguidas

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Linguagem Formais e Autômatos

Linguagem Formais e Autômatos Linguagem Formais e Autômatos Apresentação da disciplina, metodologia de ensino, conteúdos, avaliações e bibliografia Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CST SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: Algoritmo e Programação I A disciplina aborda o estudo de algoritmos, envolvendo os conceitos fundamentais: variáveis, tipos de dados, constantes,

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

EMENTÁRIO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1/5 ANEXO II RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 31/2005 EMENTÁRIO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO I SEMESTRE Algoritmos e Estruturas de Dados I Fundamentos da Computação Fundamentos Matemáticos para a Computação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Introdução à Computação A disciplina apresenta a área da Computação como um todo, desde a história e a evolução dos computadores

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO (PROENG) ASSESSORIA DE DESENVOLVIMENTO ASSESSORIA JURÍDICA FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS CURSO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MATRIZ(ES) CURRICULAR(ES): 2015 ALTERAÇÕES PASSAM A VIGORAR A PARTIR DO SEMESTRE: 1 Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores

Leia mais

Avaliação de Desempenho em Sistemas de Computação e Comunicação

Avaliação de Desempenho em Sistemas de Computação e Comunicação Avaliação de Desempenho em Sistemas de Computação e Comunicação Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM UFES Objetivos

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

Aplicação Informática para o Ensino de Processamento Digital de Imagem

Aplicação Informática para o Ensino de Processamento Digital de Imagem Aplicação Informática para o Ensino de Processamento Digital de Imagem Sandra Jardim * e Paulo Sequeira Gonçalves ** * Departamento de Engenharia Informática e Tecnologias da Informação ** Departamento

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMPUTAÇÃO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE COMPUTAÇÃO EMENTAS DAS S DO CURSO DE COMPUTAÇÃO INTRODUÇÃO A INFORMÁTICA EMENTA: Conceito de Informática, informação, dados e computadores; evolução histórica dos computadores; anatomia de um computador conceitos

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA No 126, DE 7 DE AGOSTO DE 2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA No 126, DE 7 DE AGOSTO DE 2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA No 126, DE 7 DE AGOSTO DE 2008 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação P L A N O D E E N S I N O

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação P L A N O D E E N S I N O Pró-Reitoria de Ensino de Graduação P L A N O D E E N S I N O Curso: Ciência da Computação Unidade Curricular: Linguagem Formais e Autômatos Modalidade: Presencial (X ) Semipresencial ( ) Período: 4º Ano/

Leia mais

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software Disciplina: Redes de Computadores 2. Arquiteturas de Redes: Modelo em camadas Prof. Ronaldo Introdução n Redes são

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014.

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014. ANEXO À RESOLUÇÃO Nº. 226, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2014. CURSO LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR 1.1 QUADRO GERAL DA ESTRUTURA CURRICULAR Carga Horária LOTAÇÃO Módulo Disciplina Teoria Prática

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO

CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO Area de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas DISCIPLINA: PRÁTICAS INVESTIGATIVAS I H111926 03 60 Introdução e ensaio da prática investigativa. Procedimentos metodológicos

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular REDES DE COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular REDES DE COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular REDES DE COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

Universidade do Estado da Bahia UNEB Departamento de Ciências Exatas e da Terra - Campus I

Universidade do Estado da Bahia UNEB Departamento de Ciências Exatas e da Terra - Campus I Probabilidade e Estatística/MAT066 Fundamentos de análise combinatória. Conceito de probabilidade e seus teoremas fundamentais. Variáveis aleatórias. Distribuições de probabilidade. Conceito e objetivos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 245, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos Arquiteturas de Rede 1 Sumário Introdução; Modelo de Referência OSI; Modelo de Referência TCP/IP; Bibliografia. 2/30 Introdução Já percebemos que as Redes de Computadores são bastante complexas. Elas possuem

Leia mais

Parte II Introdução a Linguagens de Programação

Parte II Introdução a Linguagens de Programação Programação de Computadores III Aula 1 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTÁTISTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO DE DADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTÁTISTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO DE DADOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTÁTISTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: COMUNICAÇÃO DE DADOS PROFESSOR: CARLOS BECKER WESTPHALL Terceiro Trabalho

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS... 4 04 TEORIA

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS Motivado por duas principais aplicações: Melhorar a informação da imagem para interpretação humana Processamento de cenas para percepção de máquinas (Visão Computacional)

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência

Unidade 2.1 Modelos de Referência Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.1 Modelos de Referência 2 Bibliografia da disciplina

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Apresentação Aulas: Segunda-feira, 19h00min ~ 20h40min Carga horária: 2 horas-aula/semana

Leia mais

Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de. Imagens de Teste do Sistema DTCOURO

Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de. Imagens de Teste do Sistema DTCOURO Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração de Imagens de Teste do Sistema DTCOURO Willian Paraguassu Amorim 27 de julho de 2005 1 Título Desenvolvimento do Módulo de Pré-processamento e Geração

Leia mais

Redes de Computadores. Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Redes de Computadores. Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Redes de Computadores Apresentação da disciplina e proposta didática Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Enlace de Dados - Apêndice Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Endereço MAC; ARP Address Resolution Protocol; DHCP Dynamic Host Configuration Protocol; Ethernet Estrutura do quadro Ethernet;

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009 Faculdade INED Unidade 2.1 Modelos de Referência Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 2 Bibliografia da disciplina Bibliografia

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio REDES DE COMPUTADORES Camada de Rede Prof.: Agostinho S. Riofrio Agenda 1. Introdução 2. Funções 3. Serviços oferecidos às Camadas superiores 4. Redes de Datagramas 5. Redes de Circuitos Virtuais 6. Comparação

Leia mais

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior

Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP096 Teoria da Computação Aula 1 Apresentação da Disciplina e Revisão de Conceitos Prof. Dr. Sylvio Barbon Junior 1 Sobre o Professor Dr. Sylvio Barbon Junior 5COP096 Teoria da Computação Formação:

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE 2005 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS CÓDIGO: EXA801 DISCIPLINA: ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO I CARGA HORÁRIA: 60h EMENTA: Classificação

Leia mais

P L A N O D E D I S C I P L I N A C O M P E T Ê N C I A S H A B I L I D A D E S E S P E C Í F I C A S

P L A N O D E D I S C I P L I N A C O M P E T Ê N C I A S H A B I L I D A D E S E S P E C Í F I C A S INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA UNIDADE SÃO JOSÉ CURSO SUPERIOR DE SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES P L A N O D E D I S C I P L I N A DISCIPLINA: REDES DE COMPUTADORES 2 RCO20704

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I Introdução a Redes de Computadores Prof. Esbel Tomás Valero Orellana Usos de Redes de Computadores Uma rede de computadores consiste de 2 ou mais computadores e/ou dispositivos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS MATRIZ CURRICULAR S LIVRE ESCOLHA Núcleo Temático: HUMANAS Disciplina: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 34 h/a (.34 ) Teóricas Etapa: 4ª Compreensão de aspectos composicionais da Língua Brasileira de Sinais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS Fone/Fax: BRUSQUE (47) 3211 7000 www.unifebe.edu.br (SC) 2011 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 FUNDAMENTOS DE PROGRAMAÇÃO... 3

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM ANO: 11º Redes de Comunicação ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/8 Componentes de um sistema de comunicações; Sistemas Simplex, Half-Duplex e Full- Duplex; Transmissão de sinais analógicos e digitais; Técnicas

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento: Fundado em 1965, o Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel - é um centro de excelência em ensino e pesquisa na área de Engenharia, e tem se consolidado cada vez mais, no Brasil e no exterior, como

Leia mais

Apresentação do Programa da Disciplina. Discutir sobre a relevância das redes de computadores para a engenharia.

Apresentação do Programa da Disciplina. Discutir sobre a relevância das redes de computadores para a engenharia. FUNDAÇÃO UNVERSDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCSCO PLANO DE UNDADE DDÁTCA- PUD Professor: Edmar José do Nascimento Disciplina: REDE DE COMPUTADORES Carga Horária: 60 hs Semestre: 2012.1 Pág. 1 de 5 EMENTA:

Leia mais

Ementas das Disciplinas do Bacharelado em Sistemas de Informação da UNIRIO

Ementas das Disciplinas do Bacharelado em Sistemas de Informação da UNIRIO Ementas das Disciplinas do Bacharelado em Sistemas de Informação da UNIRIO 2 de junho de 2010 Sumário Administração de Bancos de Dados.................................. 3 Administração Financeira.......................................

Leia mais

SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS 221 SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Jean-Jacques S. De Groote - Prof. Dr. do Centro Universitário Uniseb de Ribeirão Preto.

Leia mais

Introdução à Criptografia

Introdução à Criptografia PLANO DAS DISCIPLINAS PROPOSTAS PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CRIPTOGRAFIA 2010 Introdução à Criptografia Ementa: Conceitos Básicos de Criptografia e segurança em rede: criptografia e segurança em

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DA 3ª. ETAPA

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DA 3ª. ETAPA EMENTAS DA 3ª. ETAPA Núcleo Temático: PROGRAMAÇÃO Disciplina: ESTRUTURA DE DADOS 108 há ( 72 ) Teóricas ( 36 ) Práticas Tipos abstratos de dados. Estudo das estruturas lineares: pilhas, filas e listas

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso Técnico em Informática, em Nível Médio Subseqüente, será organizado de forma semestral, com aulas presenciais, compostos por disciplinas, com conteúdos estabelecidos, tendo

Leia mais

LISTA DE TEMAS PARA CONCURSO DE PROFESSOR ADJUNTO EDITAL 90/2010 ÁREA DE ANATOMIA VEGETAL GERAL, COM ÊNFASE EM ANATOMIA ECOLÓGICA * * * * * *

LISTA DE TEMAS PARA CONCURSO DE PROFESSOR ADJUNTO EDITAL 90/2010 ÁREA DE ANATOMIA VEGETAL GERAL, COM ÊNFASE EM ANATOMIA ECOLÓGICA * * * * * * ÁREA DE ANATOMIA VEGETAL GERAL, COM ÊNFASE EM ANATOMIA ECOLÓGICA 1. Sistema de formação. 2. Sistema de revestimento (de proteção). 3. Tecidos fundamentais (parênquima, colênquima e esclerênquima). 4. Sistema

Leia mais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 1º SEMESTRE Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 8 Créditos Desenvolver a lógica de programação através da construção de algoritmos utilizando português estruturado Representar a solução de problemas

Leia mais

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose)

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) 1. Quais são os tipos de redes de computadores e qual a motivação para estudá-las separadamente? Lan (Local Area Networks) MANs(Metropolitan Area Networks) WANs(Wide

Leia mais

Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web

Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web PROVA DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE REFERENCIAL DE CONHECIMENTOS E APTIDÕES Áreas relevantes para o curso de acordo com o n.º 4 do art.º 11.º do

Leia mais

Ementário das Disciplinas

Ementário das Disciplinas Ementário das Disciplinas As ementas das disciplinas estão agrupadas em semestres para uma melhor visualização da organização da matriz curricular. As referências bibliográficas serão especificadas no

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

UMA BREVE INTRODUÇÃO AO ESTUDO E IMPLEMENTAÇÃO DE COMPILADORES

UMA BREVE INTRODUÇÃO AO ESTUDO E IMPLEMENTAÇÃO DE COMPILADORES UMA BREVE INTRODUÇÃO AO ESTUDO E IMPLEMENTAÇÃO DE COMPILADORES 1 BRANCO; Guido Aparecido Junior, 2 TAMAE, Rodrigo Yoshio 1-Discente do Curso Sistemas de Informação FAEG/Garça 2-Docente do Curso Sistemas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Arquiteturas de Redes

REDES DE COMPUTADORES. Arquiteturas de Redes REDES DE COMPUTADORES Arquiteturas de Redes Agenda Necessidade de Padronização Protocolos e Padrões Órgãos de Padronização Conceitos de Arquitetura em Camadas Arquitetura de Redes OSI TCP/IP Necessidade

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DAS DISCIPLINAS 5ª. ETAPA

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DAS DISCIPLINAS 5ª. ETAPA EMENTAS DAS DISCIPLINAS 5ª. ETAPA 1 TECNOLÓGICA REDES DE COMPUTADORES ( 68 ) Teóricas Etapa: 05 68 há ( 00 ) Práticas Introdução dos principais conceitos de Redes de Computadores: tipos, tecnologias de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

Construção de Compiladores. Construção de Compiladores. Motivação. Motivação. Contexto Histórico. Classificações: Gerações 09/03/2010

Construção de Compiladores. Construção de Compiladores. Motivação. Motivação. Contexto Histórico. Classificações: Gerações 09/03/2010 Construção de Compiladores Prof. Raimundo Santos Moura (http://www.ufpi.br/rsm) Construção de Compiladores Livro-Texto: AHO, Alfred V.; ULLMAN, Jeffrey D.; SETHI, R. Compiladores: princípios, técnicas

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: DSI Sistemas de Informação DISCIPLINA: Redes I PROFESSOR: Ademar

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Diretoria do Campus Curitiba Gerência de Ensino e Pesquisa Departamento Acadêmico de Eletrônica CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO 2008 ANO DO CURSO: 5 o

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO 2008 ANO DO CURSO: 5 o UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO 2008 ANO DO CURSO: 5 o Curso: Informática Modalidade: Bacharelado Turno: Integral Centro: Centro

Leia mais

Sistemas Multimídia. Ementa do Curso

Sistemas Multimídia. Ementa do Curso Sistemas Multimídia Jauvane C. de Oliveira, Ph.D. http://www.lncc.br/~jauvane Instituto Militar de Engenharia Ementa do Curso Representação de Informação Multimídia Digitalização Mídias Texto, Imagem,

Leia mais

Introdução às Redes e Serviços de Comunicação Redes e Sistemas de Telecomunicações. T TP P Ciclo 1º Ano 3º Semestre 1º Horas/semana 2 2 Créditos

Introdução às Redes e Serviços de Comunicação Redes e Sistemas de Telecomunicações. T TP P Ciclo 1º Ano 3º Semestre 1º Horas/semana 2 2 Créditos Curso: Engenharia Electrónica e Redes de Computadores Licenciatura Bi-etápica Disciplina: Subgrupo: Introdução às Redes e Serviços de Comunicação Redes e Sistemas de Telecomunicações Ano lectivo: 2006

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2008 / 2009

REDES DE COMPUTADORES. Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2008 / 2009 REDES DE COMPUTADORES Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2008 / 2009 Docentes e URLs da disciplina 2 José Legatheaux Martins Sérgio Duarte Vitor Duarte http://asc.di.fct.unl.pt/rc

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2015 02 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Simulações Computacionais no Ensino

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR Bacharelado em Ciência da Computação SOFT DISCIPLINA: Engenharia de software AULA NÚMERO: 08 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir conceitos relacionados a modelos e especificações. Nesta aula

Leia mais

Agenda. Rede de Computadores (Técnico em Informática) Modelo em Camadas. Modelo em Camadas. Modelo em Camadas 11/3/2010

Agenda. Rede de Computadores (Técnico em Informática) Modelo em Camadas. Modelo em Camadas. Modelo em Camadas 11/3/2010 Rafael Reale; Volnys B. Bernal 1 Rafael Reale; Volnys B. Bernal 2 Agenda de Computadores (Técnico em Informática) Modelo em Camadas Modelo em Camadas Modelo de Referênica OSI Rafael Freitas Reale reale@ifba.edu.br

Leia mais

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Lucas Viana Barbosa 1 ; Wanderson Rigo 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Os sistemas de visão artificial vêm auxiliando o ser

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2015.1

PLANO DE ENSINO 2015.1 FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA CENTRO DE CIENCIAS TECNOLOGICAS PLANO DE ENSINO 2015.1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina/Módulo: Redes Comput Sist Distribuídos Código/Turma: T008-84(74)

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores INTRODUÇÃO AOS ALGORITMOS E À PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES PARTE 1 Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Programas e Programação

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CURSOS: Licenciatura em Computação, Licenciatura em Matemática, Licenciatura. MODALIDADE: Presencial

PLANO DE ENSINO. CURSOS: Licenciatura em Computação, Licenciatura em Matemática, Licenciatura. MODALIDADE: Presencial UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n Dois Irmãos. 52171-900. Recife-PE. Fone: 81 3320.6040 proreitor@preg.ufrpe.br PLANO DE ENSINO

Leia mais

Dispositivo que de alguma maneira descreve o comportamento do sistema

Dispositivo que de alguma maneira descreve o comportamento do sistema Sistema: Conceito primitivo (intuitivo) Tentativas de definição: Agregação ou montagem de coisas, combinadas pelo homem ou pela natureza de modo a formar um todo unificado. Grupo de itens interdependente

Leia mais

Redes de Computadores (PPGI/UFRJ)

Redes de Computadores (PPGI/UFRJ) Redes de Computadores (PPGI/UFRJ) Aula 1: Apresentação do curso e revisão de interface de sockets 03 de março de 2010 1 2 O que é a Internet 3 4 Objetivos e página do curso Objetivos Apresentar a motivação,

Leia mais

Centro Universitário de Brusque Unifebe Curso de Sistemas de Informação

Centro Universitário de Brusque Unifebe Curso de Sistemas de Informação Ementário das disciplinas Grade 2009.1 01 ADMINISTRAÇÃO GERAL Fase: I Carga Horária: 60h/a Créditos: 04 Introdução à administração. Antecedentes históricos da administração. Escolas de administração. Administração

Leia mais

P L A N O D E D I S C I P L I N A C O M P E T Ê N C I A S G E R A I S H A B I L I D A D E S E S P E C Í F I C A S

P L A N O D E D I S C I P L I N A C O M P E T Ê N C I A S G E R A I S H A B I L I D A D E S E S P E C Í F I C A S CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA UNIDADE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES ÊNFASE EM REDES DE COMPUTADORES P L A N O D E D I S C I P L I N A DISCIPLINA: INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE REDE

Leia mais