Comprometida com as pessoas, comprometida com o futuro.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comprometida com as pessoas, comprometida com o futuro."

Transcrição

1 Compromeida com as pessoas, compromeida com o fuuro. R E L A T Ó R I O D E S U S T E N T A B I L I D A D E D A S A M É R I C A S D E 2 1 2

2 1 2 3 Índice 4 1 Sobre ese relaório 2 Visão geral corporaiva 4 Pergunas e resposas: Masaaki Osumi, presidene e CEO 6 Análise anual 5 8 Hisória de sucesso nº 1: Comunidades Ineligenes 9 Hisória de sucesso nº 2: Liderança ambienal 1 Desaques dos negócios 11 Cuidados com nosso ambiene 12 Hisórico dos dados ambienais 13 Plano de ação ambienal: Medição de nosso impaco ambienal 16 Conexão com nossas comunidades 2 Índice GRI 6 7 Crédios: Imagem da capa: isock. Todos os ouros coneúdos, incluindo cópias e foografias, foram fornecidos pela Toshiba Corporaion e/ou equipe ambienal e de RSE da Toshiba Américas. 8

3 Sobre ese relaório Na Toshiba Américas, emos orgulho das muias conquisas de nossas empresas. Produzimos produos de nível inernacional uilizando ecnologias e processos inovadores que economizam energia, reduzem o desperdício e ajudam a preservar nossos recursos naurais para as gerações fuuras. O Relaório de Susenabilidade das Américas de 212 desaca as iniciaivas ambienais/rse da Toshiba America, Inc. (TAI) e suas cinco principais empresas consolidadas e cinco grandes empresas coligadas para o ano fiscal de 211 (de abril de 211 a março de 212). EmprESAS consolidadas da TOSHIBA America, Inc. Toshiba America Elecronic Componens, Inc. (TAEC) Toshiba America Informaion Sysems, Inc.* (TAIS) *Toshiba de México, S. A. de C. V. (Tdm), uma subsidiária da TAIS Toshiba America Medical Sysems, Inc. (TAMS) Toshiba America Nuclear Energy Corp. (TANE) Toshiba Inernaional Corp. (TIC) PrincipAIS empresas coligadas do Grupo TOSHIBA nas AméricAS Toshiba America Business Soluions, Inc. (TABS) Toshiba of Canada, Ld. (Tcl) Wesinghouse Elecric Company, L.L.C. (WEC) Toshiba Infrasrucure Sysems Souh America, Ld. (TIC-SA) Toshiba Medical do Brasil, Ld. (TMB) O Relaório de susenabilidade das Américas de 212 acompanha as Direrizes G3 da Iniciaiva de relaório global (Global Reporing Iniiaive, GRI) e é um relaório auodeclarado como sendo de nível C. Ese conjuno de indicadores inernacionalmene reconhecido esabelece padrões inernacionalmene acordados de como as organizações relaam seus esforços de susenabilidade econômica, ambienal e social e a qualidade dessa informação, com ênfase na ransparência e na presação de conas. Com base nos comenários dos ineressados sobre nosso relaório de 211, o relaório de 212 se concenra em ornar mais claras para o público as realizações e as conribuições da Toshiba, e inclui uma explicação sobre a forma como as direrizes da GRI melhoram a ransparência, garanindo que a informação seja equilibrada, precisa, oporuna e confiável. Em nosso esforço para alcançar mais ineressados, a Toshiba Américas esá publicando ese relaório em poruguês e espanhol. Para ober uma visão geral do desempenho de susenabilidade da Toshiba, consule eses relaórios globais da Toshiba: Relaório RSE [www.oshiba.co.jp/csr/en/engagemen/repor/index.hm] Relaório anual [www.oshiba.co.jp/abou/ir/en/finance/ar/ar.hm] Relaório ambienal [www.oshiba.co.jp/env/en/repor/index.hm] Relaório de aividades de conribuições sociais [www.oshiba.co.jp/social/en/repor/index.hm] Sie corporaivo [www.oshiba.co.jp/index.hm] Noas: Toshiba refere-se às empresas e pessoas no Japão e em odo o mundo que esão além do nome Toshiba. O Grupo Toshiba de empresas compreende as corporações Toshiba do Japão e suas subsidiárias ao redor do mundo. Toshiba Américas refere-se à Toshiba America, Inc. e ouras empresas selecionadas do Grupo Toshiba que êm suas sedes nas Américas. Ese relaório refere-se à Toshiba Américas. Ese relaório não inclui algumas das empresas que se reporam às principais empresas consolidadas lisadas acima e coligadas que se reporam às suas empresas-mãe da Toshiba no Japão. Adverência: ese relaório coném os planos e esraégias para o fuuro da Toshiba, bem como as perspecivas em relação ao nosso desempenho. Essas informações êm como base as informações das quais dispomos aualmene. PÁGINA AO LADO: 1) Volunários da TANE e TAI com os vencedores da ExploraVision. 2) Os funcionários da TIC em um eveno de planio de árvores. 3) Vencedores da ExploraVision. 4) Os execuivos da TAIS doando compuadores poráeis para a biblioeca da Ponderosa Park e Ponderosa School em Anaheim, Califórnia. 5) Volunárias da TAIS e TAMS com os vencedores da ExploraVision. 6) Funcionário da TAEC doando um compuador poráil na Nicarágua. 7) Volunários da TABS na Hope for Lodge em Boson. 8) Funcionários da TAIS fazendo um almoço no cenro de recursos para abrigo de jovens da Orangewood Children s Foundaion. RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 1

4 Visão geral corporaiva Desde a sua fundação em 1875, a Toshiba ornou-se um nome conhecido inernacionalmene, com 554 subsidiárias consolidadas e funcionários em odo o mundo. A Toshiba Américas iniciou suas operações em 1965 e compreende 93 subsidiárias consolidadas (EUA e Canadá: 72/América Cenral e América do Sul: 21), empregando (EUA e Canadá: /América Cenral e América do Sul : 6.33) pessoas. A Toshiba Américas opera em rês áreas principais: sisemas de infraesruura indusrial e social, disposiivos elerônicos e produos digiais. As vendas líquidas consolidadas da Toshiba no ano fiscal de 211 oalizaram bilhões de dólares e as vendas* noreamericanas foram de bilhões de dólares ou 18,4% das vendas líquidas globais da empresa. Uma pare imporane da nossa filosofia corporaiva é o nosso compromisso de ajudar a criar uma melhor qualidade de vida para odas as pessoas. Essa filosofia se reflee em nossas aividades diárias em odo o mundo. Nosso compromisso com as pessoas. Nós nos esforçamos por aender às necessidades de odas as pessoas, especialmene nossos clienes, acionisas e funcionários, empregando esraégias conscienes de oporunidades e consequências fuuras, enquano prosseguimos com nossas aividades de negócios de forma sensível e responsável. Como bons cidadãos corporaivos, conribuímos aivamene para promover os objeivos da sociedade. Nosso compromisso com o fuuro. Nós nos esforçamos por criar produos e serviços que melhorem a vida humana e conduzam a uma sociedade próspera e saudável. Fazemos isso ao desenvolver coninuamene ecnologias inovadoras que se concenram nas áreas de elerônica e energia. E buscamos consanemene novas abordagens para ajudar a comunidade mundial a consruir um fuuro melhor, incluindo maneiras de melhorar o ambiene global. Nas Américas, nós abraçamos nossa filosofia ao raduzir esses princípios em ações significaivas em nossas operações, promovendo a responsabilidade social empresarial (RSE) em odos os níveis, enquano equilibramos nossas obrigações para com odos os ineressados. Dados e axa de câmbio nesa página: US$ 1 = 82 ienes no final de março de 212 (Relaório anual 212 da Toshiba Corporaion). *Exclui o México. ESTA PÁGINA, A PARTIR DA ESQUERDA: Vencedores da ExploraVision. Funcionários da TIC planando árvores. PÁGINA AO LADO, A PARTIR DA PARTE SUPERIOR ESQUERDA: 1) Funcionários da TCL na corrida de bicicleas Hear and Sroke (organização de auxílio a doenças do coração e derrames cerebrais). 2) Vencedor da Youh For Undersanding (Juvenude para a compreensão) da Toshiba. 3) Funcionários da TIC em um eveno de planio de árvores. 4) Grupo de rabalho de esudanes da WSHI. 5) Apresenação de verificação para Red Cross Japanese Earhquake and Tsunami Relief (Socorro para o erremoo e sunami do Japão, da Cruz Vermelha). 6) Leilão de Halloween da TAMS. 7) Paricipanes do Adop-A-Class (Adoe uma classe) da TABS. 8) Volunários da TAIS no Earh Day Week of Caring (Semana do dia de cuidar da Terra). 9) Volunários da TAIS e TABS com os vencedores da ExploraVision. 1 e 11) Volunários da WEC no Day of Caring (Dia de cuidar). 12) Esudanes da WSHI assisindo a uma palesra. 13) Volunários da TIC com os vencedores da ExploraVision. 2 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

5

6 Pergunas e resposas: Masaaki Osumi, presidene e CEO PERguNTA 1: Cone-nos sobre si mesmo e sobre sua visão sobre as operações da Toshiba Américas. Masaaki Osumi: Toshiba América, Inc. (TAI) é uma empresa holding para cinco empresas de operação da Toshiba nos EUA e de propriedade da Toshiba Corporaion do Japão. Como presidene e CEO da TAI e como represenane corporaivo para as Américas, esou enusiasmado com a oporunidade de supervisionar nossas operações nas Américas, onde a Toshiba já possui uma visibilidade significaiva da marca e onde nossos funcionários exraordinários fizeram de nós uma empresa líder em inovação por quase cinquena anos. Meus planos para consruir nosso sucesso nas Américas enfaizam a inovação conínua e incluem rês objeivos principais: 1. Alavancar oalmene o aleno ecnológico da Toshiba, incluindo odos os nossos produos e recursos de pona, para garanir que as Américas possam aproveiar nossos melhores recursos. 2. Oimizar a governança de odas as nossas empresas operacionais nas Américas, ajudando-as a aumenar ainda mais a eficiência, a comunicação e a ransparência. 3. Garanir que os rendimenos da Toshiba Américas aendam às expecaivas dos ineressados e, ao mesmo empo, coninuar a proeger o meio ambiene e beneficiar a sociedade. Acredio que esses objeivos podem ser alcançados aravés de nossa dedicação conínua às ideias, soluções inovadoras e rabalho árduo, elevando nossa repuação corporaiva e reforçando ainda mais a marca de confiança da Toshiba. PERguNTA 2: Quais são os principais evenos que demonsram os melhores rabalhos da Toshiba Américas bem como as oporunidades de aprimorameno? Masaaki Osumi: Nós adicionamos vários negócios significaivos ao nosso porfólio. A aquisição de US$ 2,3 bilhões da Landis+Gyr AG irá aprimorar o escopo de nossos negócios Redes Ineligenes e Comunidades Ineligenes e posicionar a empresa como uma concorrene global com recursos de nível inernacional. É imporane lembrar que quase 7% dos negócios globais da Toshiba são de empresa para empresa. Coninuamos a demonsrar nossa liderança na criação de soluções susenáveis para as empresas e pessoas ao redor do mundo aravés de parcerias esraégicas. Junamene à Adobe, inroduzimos a ecnologia de impressão LeanPrin, proporcionando às empresas a oporunidade de reduzir os cusos de impressão, uilizar menos papel e aumenar a eficiência em aé 4%. A Toshiba Américas expandiu sua fábrica em Houson, Texas, que produz moores de alo desempenho para veículos eléricos híbridos (hybrid elecric vehicles, HEVs), veículos eléricos híbridos com conexão (plug-in hybrid elecric vehicles, PHEVs) e veículos eléricos (elecric vehicles, EVs). Além disso, a baeria de íon de super carga da Toshiba (supercharge ion baery, SCiB ) capaz de 8% de recarga em 15 minuos foi escolhida pela Honda Moor Co., Ld. e pela Misubishi Moors Corp. para uilização em seus veículos eléricos a serem lançados em breve. O Honda Fi EV foi lançado no verão de 212. O i-miev (que será conhecido como o Misubishi i nos EUA) deverá ser lançado no final de 212. O aniversário de vine anos da Toshiba/NSTA ExploraVision desacou nosso compromisso de longa daa com a educação para a ciência, ecnologia, engenharia e maemáica (Science, Technology, Engineering and Mah, STEM). A Toshiba ExploraVision é uma de nossas principais aividades de responsabilidade social empresarial (RSE) como uma empresa líder em ecnologia. A Toshiba ExploraVision é a maior compeição cienífica do mundo. Mais de 3 mil alunos pariciparam desde o início da ExploraVision, demonsrando sua imporane conribuição para a comunidade educaiva e nossa juvenude nos EUA e no Canadá. 4 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

7 PERguNTA 3: Por que susenabilidade é relevane para a Toshiba Américas? Masaaki Osumi: Temos consciência dos muios desafios de susenabilidade que esamos enfrenando, como as alerações climáicas. Como nossa empresa é uma fabricane global diversificada, fornecedora de soluções e comerciane de produos e sisemas elerônicos e eléricos, esamos empenhados em oferecer, como resposas, iniciaivas guiadas por quaro conceios-chave: ecologização de produos, ecologização por meio da ecnologia, ecologização de processos e Gesão verde. Com o Quino plano de ação ambienal do Grupo Toshiba para os anos fiscais , nós renovamos a nossa dedicação à susenabilidade aravés de nosso compromisso em reduzir o impaco ambienal de nossos processos de fabricação, produos e ecnologias. Junos, nossos negócios nas Américas apoiarão nosso objeivo global de redução de gases de efeio esufa em 65% com relação aos níveis de 199, resíduos em 71% com relação aos níveis de 2 e descare de produos químicos em 77%, em comparação aos níveis de 2. Também esamos rabalhando para reduzir nossas emissões globais de CO 2 em 15 milhões de oneladas aravés de nossos produos. Esamos reduzindo o consumo de energia em nossas dependências e colocando uma nova ênfase nas Comunidades Ineligenes como essenciais para a gesão e consumo mais eficienes de energia. Como ese relaório irá demonsrar, emos feio progressos subsanciais em direção a esses objeivos nas Américas, e esamos ansiosos por informar sobre nossos esforços para reduzir nossa pegada ambienal. PERguNTA 4: Que meas foram alcançadas, quais ficaram aquém e quais são os seus objeivos daqui para frene? Masaaki Osumi: O relaório de RSE da Toshiba descreve os indicadores-chave de desempenho (key performance indicaors, KPIs) alcançados e aqueles que coninuamos a buscar. Globalmene, superamos nossa mea para o ano fiscal de 211 de produzir vine produos ambienalmene correos e excelenes (Environmenally Conscious Producs, ECPs)*. Nas Américas, esamos compromeidos com a inrodução conínua de ECPs em nosso mercado. Também cumprimos ou excedemos rês dos nossos quaro KPIs para aprimorar nossos processos de negócios, incluindo as emissões de CO 2 derivadas de energia, aumenando a reciclagem de final de vida dos produos e reduzindo a uilização de água por unidade de produção. Nas Américas, coleamos cinco anos de dados hisóricos para nossas emissões de CO 2 reirada de água, resíduos gerados e resíduos para aerro, e quaro anos de dados sobre reciclagem. Esa é a primeira vez que separamos eses dados do relaório global da Toshiba e os resulados mosram que esamos aingindo as reduções especificadas em nossos compromissos globais. A Toshiba em orgulho de nossos funcionários e apoiamos e aplaudimos seu compromisso com as comunidades em que vivem e rabalham. Tivemos o privilégio de apoiar e conribuir com os esforços de socorro ao desasre para os milhões afeados pelo erremoo de Tohoku. Os funcionários da Toshiba Américas conribuíram com mais de US$ 1 milhão para ajudar as víimas dese desasre. Ver como nossos colaboradores se reuniram para apoiar as pessoas que esão sofrendo demonsrou o carinho e a generosidade da nossa comunidade de funcionários. Eu gosaria de ver um foco conínuo nas iniciaivas enraizadas conduzidas pelos funcionários, que beneficiam as comunidades em nível local. A Toshiba Américas apoiará e esimulará a presença de mais iniciaivas como esas. PERguNTA 5: Que mensagem o senhor deseja que os ineressados exraiam dese relaório? Masaaki Osumi: Desde nosso êxio em ecnologia de baerias de próxima geração aé nosso rabalho na redução das emissões de resíduos, o foco da Toshiba Américas é aprimorar a qualidade de vida de nossos ineressados, enquano proegemos nosso recurso mais imporane: o meio ambiene. Coninuamos a rabalhar para enconrar maneiras de reduzir o consumo de energia e ornar a disribuição da energia mais eficiene aravés de ecnologias e produos mais ineligenes, como os Medidores Ineligenes. Ao mesmo empo, esamos aumenando nossa paricipação em iniciaivas viais de comunidades sociais, como educação STEM e saúde. Enquano nossa pesquisa e desenvolvimeno nas ecnologias mais progressivas é um esforço global, nosso objeivo é ajudar as comunidades individuais a prosperar e ajudar as pessoas a melhorar a qualidade de suas vidas. Nossas equipes de profissionais nas Américas se dedicam a esa causa, ajudando a criar as ecnologias mais limpas e eficienes para o benefício de odos. A Toshiba reconhece o sério problema de direios humanos represenado pelo conflio do comércio de minerais da República Democráica do Congo e países vizinhos. Sendo uma corporação global, esperamos que nossa rede esabelecida de parceiros da cadeia de abasecimeno apoie nossa políica de minerais sem conflios. *Consule a página 14 para ober mais informações. RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 5

8 Análise anual No ano que passou, a Toshiba Américas vivenciou muios êxios e novos e esimulanes desenvolvimenos. Foralecemos nossas capacidades por meio de novas aquisições e relações de negócios e esabelecemos laços mais fores com nossas comunidades vizinhas udo para melhorar a nossa capacidade de aprimorar a vida aqui e no exerior. É com orgulho que anunciamos que, pelo segundo ano, obivemos dados ambienais para a América do Nore que desacam nossos Emissões de CO2 Resíduos gerados progressos enquano fornecem maior ransparência. 25. Ese relaório de 212 inclui dados ambienais de várias das principais 2. empresas no Brasil e expande nosso escopo de informações para incluir os quaro anos aneriores (além dos 15. dados do ano fiscal de 211). Ese enfoque em esaísicas mensuráveis oferece aos ineressados um quadro mais claro de 1. nossa pegada ambienal. 5. Nosso rabalho nas Américas incluiu medidas para conrolar os cusos e oimizar nossas capacidades, enquano coloca uma ênfase especial 27 nas Comunidades Ineligenes 21 e na segurança 211 (valor esimado) energéica para odos. Eses esforços nas Américas Unidade: ambém onelada mérica conribuíram para o êxio da Toshiba no mundo, conforme dealhado no Relaório anual da Toshiba. Resíduos elerônicos reciclados Os recenes invesimenos da Toshiba aumenaram nossa 6. influência nos campos da energia alernaiva A aquisição da 5. Landis+Gyr AG, uma cenral de gerenciameno de energia, aumenará 4. nossa liderança nas ecnologias de Redes Ineligenes e Comunidades Ineligenes. E a aquisição da Vial Images, Inc. 3. proporciona à Toshiba um papel imporane no aendimeno à demanda 2.global 1.69 de visualização médica avançada e informáica aplicada à obenção de imagens. 1. Ao ransferir a propriedade da Toshiba Elecromex, S.A. de C.V. (TMX) para a Compal 28 Elecronics, 29 Inc. 21 da Taiwan 211 (Compal), a Toshiba Américas começou Ano a racionalizar fiscal a sua esruura Unidade: onelada mérica operacional, reforçando a sua compeiividade de cusos. -CO Além disso, uma parceria com a coligada da Toshiba brasileira irá reforçar a cooperação em desenvolvimeno econômico e indusrial com o Brasil e culivar o segmeno brasileiro de 15. semiconduores. 1. A Toshiba Américas em feio grandes progressos ese ano em uma 5. área que é paricularmene imporane para nossos funcionários: a preservação da biodiversidade. Ao proeger a diversidade das nossas planas e animais silvesres, nós oferecemos às 27 fuuras 28 gerações 29 a promessa 21 de novas 211 descoberas médicas, novas possibilidades econômicas Unidade: onelada e mérica as ferramenas necessárias para a adapação a novos problemas, ais Emissões como as de alerações CO2 climáicas. Reciclagem no local Os funcionários 25. da Toshiba Américas vêm avaliando a 12. biodiversidade nas dependências da Toshiba, subsiuindo o paisagismo exisene por variedades naivas e criando novos habias 8.75 de animais silvesres. Eses projeos apoiam a 8. conservação 15. de inseos, aves e ouros represenanes naivos da fauna 6. silvesre local, reduzem o consumo de água e criam 1. ambienes que são visualmene mais harmoniosos com os 4. arredores Esses mesmos funcionários esão levando seu conhecimeno da biodiversidade 27 para a comunidade, enfaizando 21 a imporância (valor esimado) vial de nossa conexão com o Ano mundo fiscal naural. Eles marcaram o Unidade: onelada mérica Dia da Terra com o planio de árvores, consrução de ninhos de -CO2 Unidade: onelada mérica Resí Resíduos para aerro Reirada Resíduos de elerônicos água reciclados Rec Unidade: onelada mérica m Ano fiscal Unidade: meros onelada cúbicos mérica Os gráficos acima mosram mais de 5% de redução de resíduos para o aerro saniário desde 27 e mais de 3% de aumeno de reciclagem do lixo elerônico desde 28 para a Toshiba Américas. Resíduos para aerro Reir 1. 6 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE

9 Tecnologia da Toshiba em exibição no Dia da Terra no erminal Grand Cenral. Apresenação do Painel ecológico do esudane no Dia da Terra no erminal Grand Cenral. A TOSHIBA AméricAS VAloriza a inovação, a TEcnologIA e a educação. ESTAmOS orgulhosos pela ExploraVISIOn da TOSHIBA TEr um papel importante em nossa iniciativa de responsabilidade SOcIAl empresarial na América do norte nos últimos VInTE anos. Ao ESTImular a VAlorização da ciência em SEus anos de formação, ESTAmOS ajudando a motivar OS jovens a SE destacar e a compreender o VAlor da pesquisa cienífica e do pensamento crítico. Masaaki Osumi, presidene e CEO, Toshiba America, Inc. pássaros, aividades de conscienização sobre a fauna silvesre e evenos no mercado local. A Toshiba Américas maneve sua missão de promover a educação dos jovens nas áreas de ciência, ecnologia, engenharia e maemáica (STEM). Ese ano marcou o vigésimo aniversário da ExploraVision da Toshiba. Desde 1992, mais de 3 mil alunos dos EUA e do Canadá pariciparam desa compeição desafiadora, que reconhece e recompensa sua imaginação e pesquisas sobre novas ecnologias, produos e serviços que podem um dia ajudar a sociedade. Além de nossos programas de gesão ambienal em curso e do noável envolvimeno na comunidade demonsrado pelos funcionários da Toshiba Américas, coninuamos compromeidos com os princípios universais esabelecidos pelo Paco Global das Nações Unidas sobre os direios humanos, normas de rabalho, meio ambiene e corrupção. As Normas de condua do Grupo Toshiba * exigem que cada empregado se aenha aos padrões éicos e legais de respeio às leis e regulamenos perinenes e esipulam que nossos fornecedores devem seguir os mesmos padrões. Nossa adesão a esses padrões é exemplificada por nosso rabalho com os fornecedores. Em 21, a Toshiba começou a realizar insruções nas suas divisões de minerais de conflio da República Democráica do Congo e países vizinhos e fazer um levanameno de fornecedores que oferecem meais para uilização em nossos semiconduores, discos rígidos e moniores de crisal líquido. Em novembro de 211, desenvolvemos a Políica de minerais de conflio do Grupo Toshiba, que aborda a uilização de minerais cuja exração ou comércio apoiem conflios e/ou conribuam com raamenos desumanos e crimes de guerra na região. Aualmene, odos os fornecedores da Toshiba devem aderir à políica de compras de fornecedores da Toshiba, com conformidade coninuamene moniorada aravés de audiorias. *Disponível on-line em hp://www.oshiba.co.jp/csr/en/policy/soc.hm RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 7

10 Hisória de sucesso nº 1: Comunidades Ineligenes Como pare de nossos esforços para nos ornarmos uma ecoempresa líder e compromeida com a conservação de energia e uilização de ecnologias de baixo carbono, a Toshiba esá desenvolvendo um sisema de abasecimeno inegrado de energia consane. Ese sisema ligará múliplas fones de energia disribuídas, como as energias solar e eólica, com baerias recarregáveis para armazenar elericidade. Ele ambém moniorará o consumo de energia dos usuários em empo real e o ransmiirá onde e quando for necessário. Ao ransmiir várias fones de alimenação aravés de uma rede segura, confiável e eficiene, as redes ineligenes podem fazer a energia renovável funcionar melhor. Uma rede ineligene permie a uilização de fones de energia naurais de forma eficiene e garane a esabilidade da fone de alimenação. Ela ambém fornece um sisema confiável para o moniorameno do consumo de energia, oimizando nossa uilização e reduzindo as emissões de gases de efeio esufa. A aquisição pela Toshiba em 211 da Landis+Gyr nos posiciona na direção de nos ornarmos um compeidor global na arena da medição ineligene. A Landis+Gyr raz experiência nesas ecnologias e serviços, além de uma exensa base de clienes. Iso complemena a experiência da Toshiba em gerenciameno de energia para serviços públicos, insalações corporaivas e consumidores, além de nossa experiência em aplicaivos e serviços baseados em nuvem. Esas capacidades combinadas nos permiirão fornecer uma solução inegral para moniorar e gerenciar o consumo de energia. Em junho de 211, a Toshiba anunciou sua paricipação na Energy Sysems Nework (ESN), uma organização sem fins lucraivos que lidera o avanço de diversas iniciaivas comuniárias ineligenes nos EUA. A fore ênfase da ESN em ecnologias de pona como energias renováveis, biocombusíveis e baerias recarregáveis irá complemenar a nossa experiência no seor de Comunidades Ineligenes e expandirá nossa presença na América do Nore. Nesa colaboração, as aividades da Toshiba incluirão a melhoria da vida úil de baerias recarregáveis para veículos eléricos, esabelecendo uma inerface padrão do segmeno para baerias recarregáveis para redes ineligenes e explorando opções para ransformar shoppings ceners em cenros comerciais ecológicos. Em maio de 212, a Toshiba paricipou do lançameno de projeos de esudo de demonsração de redes ineligenes em Albuquerque e Los Alamos, no Novo México, com a organização japonesa New Energy and Indusrial Technology Developmen Organisaion (NEDO). A oura demonsração esá programada para seembro. Para o esudo de dois anos em Albuquerque, um edifício comercial de rês andares esá sendo equipado com um sisema foovolaico (phoovolaic, PV) de 5 kw, um gerador de moor a gás de 24 kw, 8 kw de células de combusível e um sisema de baeria de 9 kw como uma microrrede. As equipes irão realizar ajuses de energia, demanda de calor e fluuações de equilíbrio de saída de energia no sisema de geração de energia PV, que ajudarão no desenvolvimeno de infraesruuras fuuras de Comunidades Ineligenes. Presidene e CEO da Toshiba Corp., Norio Sasaki (na frene, à direia) no core de fia em Los Alamos Como líder do Projeo das dependências de Los Alamos, a Toshiba esá demonsrando um conrole de geração avançada (previsão e planejameno de demanda, moniorameno do sisema e conrole de supervisão), uilizando uma baeria de 1,8 MW e módulo de 1 MW PV. No cenro, um micro EMS irá conrolar o equipameno com base nas informações ransmiidas pelo sisema no local uma operação de resposa de demanda que ambém esá sendo uilizada para Smar House, a insalação de demonsração do projeo. 8 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

11 Hisória de sucesso nº 2: Liderança ambienal Os funcionários da Toshiba Américas omaram medidas exras para viver seu compromisso com a responsabilidade ambienal em seus respecivos locais de rabalho. Ese ano, a Juna Comercial de Markham, em Markham, Onário, no Canadá, ofereceu à Toshiba Canadá seu Prêmio Donald Cousens de Liderança Ambienal e de Conservação. Nos edifícios da Toshiba Canadá, incluindo reze cozinhas e o refeiório, um sisema de riagem de resíduos de vasilhames prioriza a reciclagem de maeriais por funcionários. No armazém, maeriais recicláveis, ais como correias, são classificados e enviados para as insalações apropriadas de reciclagem. Caminhões de fixação são uilizados para reduzir cusos e desperdícios associados com os radicionais palees de madeira. O prefeio de Markham, Frank Scarpii; a funcionária da TCL, Chanale Manha; o ex-prefeio de Markham, Donald Cousens. Os funcionários da TOSHIBA canadá SE reuniram como uma comunidade para melhorar a pegada ambiental de nossas instalações. ArAVés de mudanças fáceis de implementar para nossos SISTEmAS de reciclagem em nossas cozinhas e refeitórios, e SEparando OS materiais recicláveis Em nosso armazém, nós reduzimos SIgnificATIVAmenTE a quantidade de resíduos que a nossa empresa produz, BEm como aumentamos nossos materiais recicláveis. TemOS a HOnra de SErmOS reconhecidos pela JunTA comercial de markham ESTA é a prova de que AS pequenas coisas realmente SE SOmam para causar um grande impacto. Ralph Hya, presidene da TCL (Toshiba Canadá) RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 9

12 Desaques dos negócios Desaques de negócios selecionados e anunciados pela Toshiba* no ano fiscal de 211. O compromisso da Toshiba com a susenabilidade e a inovação ecnológica em nossas empresas se reflee nos exemplos abaixo. Informações mais dealhadas esão disponíveis no Relaório Toshiba de susenabilidade das Américas de 212, Relaório anual de 212 e comunicaivos corporaivos da Toshiba à imprensa.** A Toshiba adquire a Landis+Gyr. A aquisição dese líder global em gesão de energia irá aprimorar subsancialmene o escopo dos negócios de Redes Ineligenes e Comunidades Ineligenes da Toshiba e posicionar nossa empresa como um líder global no desenvolvimeno de infraesruuras ecológicas essenciais para uma sociedade de baixo carbono e um crescimeno econômico susenável. A Toshiba aprimora as iniciaivas de Comunidades Ineligenes nos EUA Ao se unir à Energy Sysems Nework, uma organização líder de promoção de Comunidades Ineligenes, a Toshiba esá aperfeiçoando seus conhecimenos de Comunidades Ineligenes, enquano buscamos expandir nossa presença em negócios relacionados na América do Nore. A Toshiba ambém irá promover a colaboração com ouros paricipanes do projeo para criar modelos de negócios inovadores que promovam o desenvolvimeno de Comunidades Ineligenes. A baeria recarregável SCiB da Toshiba para alimenar o novo carro elérico da Honda, Fi EV. O módulo SCiB foi selecionado depois de um programa de avaliação abrangene que esou o desempenho da baeria em condições diversas e exigenes. A Toshiba aproveiará a seleção da Honda para promover a uilização da baeria em ouros veículos eléricos e ouras aplicações, inclusive como um disposiivo de armazenameno de energia esacionária em redes ineligenes. A Toshiba obém conraos para fornecer urbinas/geradores de vapor para grandes projeos nos EUA e no México. A Toshiba obeve grandes conraos para fornecer uma urbina e um gerador de vapor super críico de 971 megawas para a usina ermoelérica Holcomb no Kansas, EUA, uma urbina e um gerador de vapor de 195 megawas para uma insalação de energia de ciclo combinado gerada a gás naural para a Lower Colorado River Auhoriy (LCRA) no Texas, e um equipameno de geração de energia érmica para o 264 CC Cenro, um grande projeo de insalação de energia no México. A Toshiba Medical Sysems Corporaion adquire a Vial Images, Inc. Esa fusão com nosso parceiro de desenvolvimeno esraégico foralecerá os negócios de soluções de obenção de imagens para o raameno de saúde global da TMSC ao inegrar nossas ecnologias para que aendam à demanda global do segmeno de raamenos de saúde por visualizações avançadas e informáica aplicada à obenção de imagens. A Toshiba esabelece um empreendimeno conjuno na insalação de projeos de semiconduores no Brasil, juno à Semp Toshiba. Esa nova empresa culivará o segmeno brasileiro de semiconduores, inicialmene designando disposiivos ICs de rádio frequência amplamene uilizados, cujo crescimeno de demanda é esperado no Brasil. A Toshiba marca o 25º aniversário da invenção da ecnologia flash NAnd. O mercado do flash NAND cresceu rapidamene, com ranspore de memória flash de quase oio vezes mais gigabyes (GB) em 211 do que DRAM. A inovação da Toshiba esculpiu um caminho para uma nova era em que os consumidores podem levar vídeos, música, livros e dados para qualquer lugar. A ecnologia NAND alimenou a inovação no desenvolvimeno de produos para odos, desde os consumidores aé a empresa. A Toshiba apresena o able mais fino do mundo, de 1 polegadas, para o mercado dos EUA. Pesando apenas 535 gramas, o Excie 1 LE apresena uma ela diagonal de 1,1 polegadas, de ala resolução vívida AuoBrie TM, proporcionando uma óima experiência de navegação, leiura e enreenimeno. O Excie 1 LE foi projeado para proporcionar durabilidade e esilo, e possui uma superfície de liga de magnésio de ala qualidade e visor de vidro Corning Gorilla resisene a riscos, com um revesimeno animanchas para uma maior resiliência. A Toshiba deverá reorganizar a esruura de fornecimeno de TVs de lcd para os mercados nore-americano e mexicano. Ao ransferir a propriedade da Toshiba Elecromex, S.A. de C.V. para a Compal Elecronics, Inc., a Toshiba esará racionalizando a esruura operacional e reforçando a sua compeiividade de cusos no mercado de LCD. Ao combinar a experiência de produção compeiiva de cusos da Compal com as capacidades diferenciadas de produos da Toshiba, preendemos aumenar nossa paricipação de mercado na América do Nore e no México. *Nesa página, Toshiba refere-se à Toshiba coleiva e apresena as aividades execuadas pela Toshiba nas Américas. **Para mais informações, consule www. Toshiba.co.jp/abou/press/index.hm 1 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

13 Cuidados com nosso ambiene Há duas décadas, quando 15 nações se enconraram no Rio de Janeiro para definir meas globais para a proeção ambienal, a Toshiba se propôs a aprimorar nosso desempenho ambienal, esabelecendo objeivos e meas específicos. Aualmene, manemos nossa missão de esabelecer a Toshiba como uma das mais imporanes ecoempresas do mundo, com nosso Quino plano de ação ambienal (período fiscal de ). Ese plano de ação raz consigo um compromisso renovado para alcançar meas de desempenho ambienal para processos de fabricação, produos e ecnologias. O plano ambém definiu um novo compromisso para melhorar a biodiversidade nas dependências de nossos negócios por meio de projeos que incenivam o planio de espécies naivas e a criação de habias naurais da fauna silvesre local. O progresso da Toshiba no desempenho ambienal fica evidene nas Américas, onde nossa abordagem para a susenabilidade se reflee em projeos inovadores grandes e pequenos. Por exemplo, em 211: A Toshiba Inernaional Corporaion (TIC) abriu uma fábrica de 4.18 meros quadrados de moores de veículos eléricos híbridos em Houson, Texas. A insalação foi projeada para produzir 125 mil moores eléricos energeicamene eficienes por ano. A insalação da Toshiba em Irvine, Califórnia, esá preses a ligar 15 quilowas de energia solar gerada a parir de um conjuno de painéis solares colocados em uma esruura de dossel no esacionameno. Graças a melhorias ecnológicas na sala de servidores, esa insalação irá fornecer uma quanidade mais que suficiene de energia para aender às necessidades dessa sala de servidores. A mariz solar esá ajudando a reduzir a nossa pegada de carbono. O coração do sisema de energia solar é o inversor foovolaico da Toshiba; a TIC foi a inegradora do sisema sisema uilizado para o projeo. A Toshiba America Informaion Sysems, Inc. (TAIS) e Toshiba Américas Business Soluions, Inc. (TABS) comparilham o campus da Irvine, junamene com vários funcionários das empresas Toshiba Américas Medical Sysems, Inc. (TAMS) e Toshiba Logisics America, Inc. (TLGA), que irão comparilhar os benefícios ambienais da uilização de energia limpa. Não só os grandes projeos como eses ajudam a reduzir a nossa pegada ambienal, mas projeos menores ambém esão produzindo resulados impressionanes. A TIC-SA (Belo Horizone, Brasil) lançou uma iniciaiva de sensibilização de energia para educar seus 1.2 funcionários sobre formas de reduzir o consumo de energia por meio de aividades simples, como apagar as luzes, desligar os compuadores e máquinas durane a hora do almoço e minimizar a uilização de ar condicionado. Como resulado, a empresa reduziu o seu consumo de elericidade em 6.5 kwh e reduziu as suas emissões de CO2 em 37 oneladas em quaro meses o equivalene à compensação de carbono de 16 árvores maduras. Os funcionários da insalação da Wesinghouse Elecric Company, L.L.C. (WEC) em Colúmbia, Carolina do Sul, vêm rabalhando em conjuno para reduzir seus resíduos para aerro em 25%, eliminaram a uilização de amônia anidra e lançaram programas audaciosos de reciclagem de madeira, papelão, plásico e alumínio. Além disso, eles realizaram um mergulho em lixo para avaliar a sua geração de resíduos em aerros. Ao descobrir que as oalhas de papel foram um imporane componene, o pessoal começou a subsiuí-las por secadores de mão a ar. Uma vez que as oalhas de papel não são mais necessárias, espera-se que os gasos com os secadores sejam recuperados denro de dois anos. Os funcionários das TAIS e TABS removem planas invasivas em Irvine Ranch Conservancy. consideramos a proteção do ambiente uma responsabilidade SOcIAl. cada passo que damos para reduzir o desperdício, economizar energia ou criar HABITATS de animais SIlVESTrES em nossas dependências é um motivo de orgulho, SABEndo que ESTAmOS deixando um ambiente melhor para AS gerações fuuras. Craig Hershberg, direor, Assunos ambienais, Toshiba America, Inc. RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 11

14 Hisórico dos dados ambienais Emissões de CO2 Resíduos gerados A Toshiba Emissões 25. de Américas vem aferindo dados ambienais selecionados CO2 Resíduos gerados desde 27 e Esa é a primeira vez que informamos esses indicadores ambienais independenes do relaório global da Toshiba. Coninuaremos a dar foco ao nosso relaório em esaísicas mensuráveis para fornecer aos ineressados um quadro mais claro 15. sobre o nosso desempenho ambienal CO2 -CO (valor esimado) Unidade: onelada mérica (valor esimado) Unidade: onelada mérica Resíduos gerados elerônicos * reciclados Unidade: onelada mérica Unidade: onelada mérica Reciclagem no local simado) e: onelada mérica e: onelada mérica Resíduos elerônicos reciclados Ano fiscal Unidade: Unidade: onelada onelada mérica mérica *Os resíduos gerados incluem lodo, papel e plásico, por exemplo. Unidade: onelada mérica Reciclagem Resíduos para no local aerro 9.87 Resíduos 1. para aerro Unidade: onelada mérica Unidade: onelada mérica (valor esimado) Ano fiscal Unidade: Unidade: onelada onelada mérica mérica Emissões de CO2 -CO2 Os Reirada aumenos de de água emissão de CO 2 são devidos a novas aquisições de negócios e a relaórios adicionais de dados. Observação: Resíduos 1.5. elerônicos eses dados incluem reciclados as empresas lisadas na página TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE Reciclagem 12. no local Unidade: onelada mérica Unidade: onelada mérica Reirada de água Reirada 1.5. de água m3 m3 Resíduos gerados Unidade: meros cúbicos Ano fiscal Unidade: Unidade: onelada meros mérica cúbicos Reciclagem no local ESTAMOS REduzIndO O CONSumO DE ENErgIA EM NOSSAS DEPEndêncIAS E COLOCAndO uma NOVA ênfase NAS COmunIDADES INTELIGENTES COMO ESSEncIAIS PARA uma GESTÃO DE ENErgIA E um CONSumO MAIS EFICIENTE. Masaaki Osumi, presidene e CEO, Toshiba America, Inc. m3

15 Plano de ação ambienal: Insalação solar na TAIS Ecologização DOS processos À medida que o Grupo Toshiba procura aprimorar os processos, esamos compromeidos em aender aos seguines objeivos no ano fiscal de 215: Redução dos gases de efeio esufa em 65% (4,39 milhões de oneladas) dos níveis do ano fiscal de 199. Redução do desperdício de produção em 71% (,117 milhões de oneladas) em comparação com os níveis do ano fiscal de 2. Redução das emissões de produos químicos em 77% (1.967 oneladas) em comparação com os níveis do ano fiscal de 2. Nossas operações nas Américas esão rabalhando para aingir esses objeivos com projeos inovadores que esão produzindo excelenes resulados. O programa de reciclagem de madeira e papelão da WEC/Columbia removeu aproximadamene 249 oneladas de biomassa do sisema de resíduos. A caldeira de eficiência energéica insalada na WEC/Walz Mill reduzirá as emissões de CO 2 em 9%, eliminando 1,5 oneladas de emissões de dióxido de carbono odos os anos e economizando US$ 1.351, em cusos anuais de aquecimeno. Um novo processameno de raios X e um sisema de recuperação de praa na WEC/Newingon agora reorna cerca de US$ 1., em praa por barril, eliminando o cuso do processameno erceirizado. Um projeo de reformulação de ina inroduzido em TIC em Houson reduziu as emissões de xileno em 43%. Além disso, ao reformular o revesimeno de pinura para os moores indusriais que produz, a empresa eliminou a uilização de solvene de ina reduzindo as emissões relacionadas com pinura em aproximadamene 3,5 oneladas por ano e economizando cerca de US$ 75., por ano. Programa de reciclagem de resíduos zero para ATErro da TOSHIBA ArAVés da empresa ClOSE THE loop, a TABS fornece AOS clientes um processo para a devolução de frascos de TOner, caruchos de impressora, caruchos de fax, unidades de TAmBOr e frascos de resíduos/sacos de TOner DA TOSHIBA gratuitamente. Em agosto de 212, mais de 283 mil unidades foram recolhidas e mais de 14 mil quilos de material foram (ou SErão) reciclados em matérias-primas. RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 13

16 Ecologização de produtos O Grupo Toshiba coninua a desenvolver produos que possuam um impaco menor sobre o meio ambiene em comparação com os modelos aneriores. No ano fiscal de 215, planejamos: Reduzir as emissões de CO 2 em 15 milhões de oneladas aravés dos recursos de economias de energia de nossos produos. Remover cloreo de polivinilo e reardadores de chama de bromados de odos os nossos produos. Aumenar o percenual de economia de recursos para produos em 5%, por exemplo, reduzindo o peso e o amanho. Além disso, definimos uma mea de aumenar as vendas de nossos produos mais ambienalmene correos (ECPs excelenes*) de aproximadamene US$ 3,6 bilhões para cerca de US$ 22 bilhões** no ano fiscal de 215. Nas Américas, os produos da Toshiba que exemplificam essa designação incluem os sisemas de ulrassom Aplio TM AS3 e AS5, o compuador poráil Porégé Z83 Ulrabook e a lâmpada LED PAR38. O sisema Aplio TM MX de ala eficiência energéica pode realmene recuperar e armazenar energia não gasa para uilização fuura. O Ulrabook Porégé Z83 é classificado como Ouro pela Ferramena de avaliação ambienal de produos elerônicos (Elecronic Produc Environmenal Assessmen Tool, EPEAT ) e qualificado pela ENERGY STAR, e sua função ecológica Uiliy TM permie que os usuários personalizem a uilização de energia para consumo mais baixo. A lâmpada LED PAR38 qualificada pela ENERGY STAR dura aé quarena vezes mais e uiliza aé 8% menos energia do que as lâmpadas incandescenes padrão. Ecologização pela TEcnologIA As meas globais da Toshiba incluem o desenvolvimeno e a implemenação de ecnologias principais de baixo carbono, incluindo geradores de energia por urbinas e de energia solar alamene eficienes para: reduzir as emissões de CO 2 em 49 milhões de oneladas no ano fiscal de 215; aumenar as vendas de suas ecnologias de baixo carbono em cerca de US$ 23 bilhões** no ano fiscal de 215. Em uma esimulane parceria com a Caribbean Developmen Parners, LLC, nosso Grupo de sisemas foovolaicos com base em Houson esá concluindo um sisema foovolaico de 36 kw para uma loja Home Depo em S. Croix, Ilhas Virgens, que deverá reduzir as emissões de dióxido de carbono em cerca de 412 oneladas anuais, o equivalene às emissões de gases de efeio esufa de oiena veículos de passageiros por ano. Em um ouro projeo, a TIC planeja insalar cinco sisemas foovolaicos em odo o esado de Massachuses, gerando aproximadamene 9,2 MW por ano. gestão VErde A iniciaiva de Gesão verde do Grupo Toshiba engloba biodiversidade, educação ambienal/desenvolvimeno de recursos humanos e comunicação ambienal. A biodiversidade, que se refere à variedade de planas, animais e micro-organismos enconrados em uma deerminada área, é uma das mais imporanes iniciaivas de Gesão verde da Toshiba. Nos EUA, as Soluções de negócios da Toshiba América Divisão de produos de oner (TABS-TPD) (Dakoa do Sul), TAIS (Califórnia) e WEC HQ (Pensilvânia) avaliaram a biodiversidade em suas dependências com a orienação da organização de conservação sem fins lucraivos Wildlife Habia Council. A TIC e TAEC ambém esão envolvidas na avaliação e melhoria da biodiversidade em suas dependências. Ao ransformar lagoas de águas pluviais em habias úmidos, resaurando planas naivas e conrolando espécies invasoras, essas dependências esão aprimorando as condições para a fauna silvesre local, enquano promovem a consciência ambienal enre seus colaboradores. Além disso, para apoiar a Gesão verde globalmene, a Toshiba lançou um novo sie de engajameno ambienal, TOSHIBA BATON. O sie permie que os funcionários da Toshiba comparilhem foos e hisórias sobre as aividades de conservação ambienal, incluindo a biodiversidade, com seus colegas de rabalho em odo o mundo. *ECP excelene é a expressão da Toshiba para os produos qualificados por aenderem ao nível mais alo do segmeno para o desempenho ambienal. **Taxa de câmbio uilizada: 82 ienes/dólar no final de março de 212. Apresenamos abaixo nossas ações nas Américas para aingir esses objeivos. ESTOu muito enusiasmado pelo lançamento da fabricação dos motores de VEículOS eléricos híbridos pela TOSHIBA AQui em HouSTOn. ESTE acréscimo marca a próxima geração de motores para automóveis e TEm como BASE uma TEcnologIA de ponta um passo muito importante que mostra nosso compromisso com o futuro. Tasuo Doko, presidene e CEO, Toshiba Inernaional Corporaion 14 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

17 Medição de nosso impaco ambienal Eses Nós começamos dados ambienais a relaar foram dados capurados ambienais e relaados em 211. pelos Por negócios meio da da uilização Toshiba dos valores Américas de referência para o que ano criamos, fiscal de esamos 211. Coninuaremos enusiasmados a incenivar para informar os nossos que o negócios Grupo oshiba a expandir américa a sua capura e suas empresas de dados para coligadas a uilização coninuam em relaórios a ober fuuros. êxio subsancial em reduzir a nossa pegada ambienal gj Consumo direo e indireo de energia consumo oal indireo de energia: gj consumo oal direo de energia: gj gj l indireo l direo ano fiscal de 211 elericidade ano fiscal de 211 gás da cidade gj ano fiscal de 211 Óleo diesel 3.44 gj ano fiscal de 211 gás liquefeio de peróleo 142 gj 52 gj ano fiscal de 211 silo para carvão ano fiscal de 211 gasolina Unidade: gigajoule Resíduos perigosos e não perigosos por peso e descare l resíduos - ano fiscal de 211: l reciclados - ano fiscal de 211: l aerro saniário - ano fiscal 12. de 211: l Processo de redução de Peso - ano fiscal de 211: *o processo de redução de peso é um raameno para reduzir a quanidade de aerros, por exemplo, por meio da secagem da água de resíduos gerados. Emissões direas e indireas de CO2 por peso Unidade: onelada mérica Água reirada por fone ouras fones m 3 Ano fiscal 211 oal de água reirada: m 3 água municipal m água de PoÇo 89.8 m 3 Unidade: meros cúbicos Começando no ano fiscal de 211, ampliamos o alcance do nosso Relaório de susenabilidade para incluir dados de várias grandes empresas na América do Sul. Uma vez que os dados de base do ano fiscal de 21 não incluem dados da América do Sul, os mesmos não foram incluídos nese relaório. Dados adicionais podem ser enconrados on-line no sie: hp://www.oshiba.co.jp/ env/en/company/region. hm#anchorlink l oal - ano fiscal de 211 l indireo - ano fiscal de 211 l direo - ano fiscal de 211 Unidade: onelada mérica RelaóRio RELATÓRIO de susenabilidade DE SUSTENTABILIDADE das américas DAS AMÉRICAS de 212 DE 212 Toshiba l TOSHIBA

18 Conexão com nossas comunidades Na Toshiba, emos orgulho do papel que desempenhamos na abordagem de desafios sociais e ambienais em odo o mundo. Vemos isso como nossa responsabilidade em reribuir para as comunidades em que auamos. Como fabricane líder mundial de ecnologia diversificada, nos dedicamos a apoiar a proeção ambienal, aprimorar os raamenos de saúde e a educação cienífica e ecnológica. Para reforçar nosso compromisso, mais de 34 coordenadores de conribuição social em odo o mundo e mais de cinquena nas Américas promovem aivamene os nossos programas de envolvimeno da comunidade. No ano fiscal de 211, a Toshiba doou cerca de US$ 37,18 milhões* para ais iniciaivas em odo o mundo, US$ 4,6 milhões* dos quais foram proporcionados pela Toshiba Américas. Proeção ambienal Power TO THE people (força para AS pessoas) Power o he People é uma organização de base que leva energia solar para escolas e insalações médicas em vilarejos remoos em oda a Nicarágua. Em dezembro de 211, dez volunários da TAEC visiaram a cidade isolada de El Caribe. A cidade e as suas aldeias são o lar de mais de cinco mil pessoas que vivem sem elericidade ou acesso a serviços básicos, como: saúde, educação secundária e linhas elefônicas. A escola de apenas duas salas aende crianças de oda a comunidade. Os volunários da Power o he People insalaram um sisema foovolaico de 9 W na escola, fornecendo energia CA confiável e luzes. O sisema inclui uma esação de carregameno da baeria PV que permie que pessoas da cidade carreguem seus carros e uma baeria que alimena uma única lâmpada por cinquena horas. SuporTE de carro de painel SOlar para a uc Berkeley CalSol, a equipe de veículos solares da UC Berkeley, projea, consrói e corre em veículos movidos a energia solar. Composa por mais de cinquena alunos de graduação de uma variedade de disciplinas, CalSol proporciona aos alunos uma experiência práica em engenharia, informáica e gesão de negócios. Ao paricipar de corridas e evenos de energia solar alernaiva, a equipe aumena a consciência sobre energia renovável, enquano enfoca os desafios de engenharia inerenes à ecnologia solar. TAIS apoiou a Corrida solar da Berkeley Universiy, que pode correr em velocidades de esrada, e apresenou um fore final no Desafio solar mundial Veolia de 211, na Ausrália. PlanTIO de árvores Os colaboradores da TIC e seus familiares demonsraram seu compromisso com a susenabilidade ambienal na comunidade quando rabalharam com os moradores e escoeiros locais para reabasecer e embelezar a área pero de nossas insalações da TIC Houson. Junos, eles subsiuíram seena árvores que não conseguiram sobreviver à seca exrema da área. O povo de El caribe, nicarágua, VAI para a cama quando o SOl SE põe porque não há luz para ler, não há maneira de ESTudar, não há enretenimento ou notícias para ASSISTIr ou ouvir. por meio da power TO THE people, montamos um SISTEma de painéis SOlarES e instalamos lâmpadas de LED da TOSHIBA, levando luz para a comunidade... ESSAS são mudanças SIgnificATIVAS para uma comunidade que MERECE. Colleen Smih, recebedora do prêmio de 211 do presidene da Toshiba América e Canadá, Power To The People 16 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

19 É realmente inspirador VEr OS alunos imersos na ciência do mundo real e desenvolvendo TEcnologIAS exclusivas e inovadoras, enquanto aprendem a rabalhar e cooperar em EQuipe. O apoio constante e o inabalável compromisso da TOSHIBA com a educação cienífica nos cursos primários e SEcundárIOS rendeu um programa que capacitou centenas de professores e milhares de ESTudanTES, NOS EUA E NO CANAdá. Presidene da NSTA, Dra. Karen Oslund Eles regaram e adubaram árvores novas e exisenes e limparam a rilha Hike & Bike ao longo do pânano Whie Oak em Houson. Traamenos de saúde Programa AHRA de subsídios para a priorização dos pacientes Aravés do Programa AHRA de subsídios para a priorização dos pacienes, a TAMS consegue realizar seu compromisso com a melhoria da qualidade de vida para odas as pessoas que rabalham com a Associaion for Medical Imaging Managemen (AHRA). O programa visa melhorar o aendimeno aos pacienes e a segurança no diagnósico por imagens para crianças e adulos. Programas de subvenções de fundos, reinameno e seminários em hospiais locais, cenros de obenção de imagens e redes de disribuição inegradas (IDNs). Os programas de subsídios vencedores são selecionados pela AHRA, com base em melhorias no aendimeno aos pacienes e melhores práicas de obenção de imagens nas áreas de TC, RM, ulrassom e raios X. O programa oferece seis bolsas de aé US$ 7.5, cada para os hospiais e cenros de obenção de imagens e uma verba adicional de aé US$ 2., para um IDN. Educação TOSHIBA/NSTA ExploraVISIOn celebra 2 anos A Toshiba considera a educação para a ciência, a ecnologia, a engenharia e a maemáica (STEM) essencial para nossos negócios globais. A promoção de STEM ajuda a desenvolver os inovadores e líderes de negócios do fuuro, e é por isso que a Toshiba parocina o Programa Toshiba/NSTA ExploraVision, a maior compeição de ciência e ecnologia para cursos primários e secundários do mundo. A Toshiba parocina a ExploraVision em parceria com a Naional Science Teachers Associaion (NSTA), desafiando equipes de esudanes a imaginar e projear ecnologias que podem exisir em vine anos. Em 212, o programa esá celebrando seu aniversário de vine anos de esímulo de alunos a paricipar das ciências ao olhar para os problemas de modo críico e imaginando soluções. O programa Toshiba/NSTA ExploraVision já conferiu mais de US$ 4,4 milhões** a mais de rezenos mil paricipanes desde seu início e aé US$ 24.,** anualmene em íulos de poupança, além de produos Toshiba. FundOS ACHE para inovações em liderança de ratamentos de SAúde Disponibilizando maiores oporunidades educacionais para a comunidade de saúde, a TAMS parocina o Fundo para inovação em liderança de saúde do American College of Healhcare Execuives (ACHE). O fundo oferece aos execuivos de nível médio da área de saúde o acesso ao desenvolvimeno de liderança, equipando-os com as ferramenas para superar os desafios financeiros que os hospiais enfrenam hoje. PÁGINA AO LADO, A PARTIR DA PARTE ESQUERDA: Colleen Smih, insalação solar da TAEC Power To The People. Planio de árvores da TCL. TAIS apoiou o Carro de Impulso Solar. ESTA PÁGINA, A PARTIR DA ESQUERDA: Vencedores da bolsa Youh for Undersanding (juvenude para a compreensão). Volunários da TAEC em uma escola na Nicarágua. Aluno e professor da ExploraVison. RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212 l TOSHIBA 17

20 TOSHIBA America foundation A Toshiba America Foundaion (TAF) proporciona fundos para projeos STEM inovadores e práicos projeados por professores para aprimorar a insrução em salas de aula de cursos primários e secundários nos EUA. A fundação esimula foremene os projeos previsos e liderados por professores individuais ou equipes de professores para suas salas de aula. Um dos propósios desas subvenções é incenivar mais esudanes a seguirem carreiras em maemáica e ciências. Desde seu início em 199, a TAF concedeu cerca de US$ 11 milhões para professores merecedores. Recebedor da subvenção TAF: Nepune Middle School, Kissimmee, Flórida O Projeo Algebos ensina conceios absraos de álgebra a alunos de oiava série aravés de descoberas práicas com os kis programáveis de robôs LEGO MINDSTORM. Os esudanes aprendem conceios algébricos, como os modelos de funções e sisemas lineares e quadráicos e os aplicam a problemas do mundo real que os manêm engajados e enusiasmados com a ciência e a ecnologia. O WESTIngHOuSE ScIEnce Honors InSTITuTE O Wesinghouse Science Honors Insiue (WSHI) expõe esudanes alenosos do ensino médio aos úlimos avanços em ciência e ecnologia. De ouubro de 211 aé fevereiro de 212, cerca de quarocenos juniores do ensino médio de odo o oese da Pensilvânia assisiram a palesras aos sábados pela manhã sobre energia, medicina, meio ambiene e ouros campos cieníficos de esudo. Os alunos ambém pariciparam de projeos de equipe e visiaram o reaor de pesquisa nuclear da Pennsylvania Sae Universiy. Mais de quinze mil alunos já frequenaram a WSHI em seus 55 anos de hisória. Responsabilidade social empresarial A Toshiba assume uma posura fore em defesa dos direios humanos, proegendo os direios dos rabalhadores e empregando práicas operacionais jusas. ACIMA, A PARTIR DA ESQUERDA: Vencedores da ExploraVision. Esudanes da Nepune Middle School paricipam do Projeo Algebos. PÁGINA AO LADO, A PARTIR DA PARTE ESQUERDA: Esudanes paricipanes do Dia da Terra no Terminal Grand Cenral. Funcionários da TIC nas insalações da HEV em Houson. direitos humanos e práticas rabalhistas justas Com a adesão ao Paco Global das Nações Unidas, o Grupo Toshiba se compromeeu a aderir aos princípios universais que abrangem os direios humanos, rabalho e meio ambiene. Uma iniciaiva de cidadania corporaiva volunária, o Paco Global inceniva as empresas a cumprirem as suas responsabilidades sociais corporaivas aravés de conformidade com os princípios inernacionalmene reconhecidos em maéria de direios humanos, rabalho e meio ambiene. As Normas de condua do Grupo Toshiba esipulam a adesão a odas as leis e regulamenos, o respeio pelos direios humanos fundamenais e a proibição de raamenos discriminaórios, rabalho infanil e rabalho forçado. Elas exigem que o respeio seja concedido a diversos valores, individualidade e privacidade dos indivíduos. Elas proíbem comporamenos discriminaórios por moivo de raça, religião, sexo, nacionalidade, deficiência física, idade ou orienação sexual. Também proíbem abuso físico, assédio sexual, abuso de poder e ouras ações que desrespeiem a dignidade e a individualidade dos ouros. Esas normas esrias orienam nossas aividades para que possamos operar sob os princípios de inegridade, jusiça e ransparência e conribuir para a formação de uma sociedade susenável. PráTIcAS operacionais justas A adesão a esas políicas de direios humanos é imporane, não apenas denro da Toshiba, mas ambém em oda a nossa cadeia de fornecimeno. Nós esipulamos claramene a nossa políica de direios humanos incluindo os direios de associação e de negociação coleiva em nosso código de condua dos fornecedores, Expecaivas para o fornecedor. Nós verificamos a sua conformidade por meio de pesquisas de RSE. política de minerais de conflito do Grupo TOSHIBA Esamos omando medidas para implemenar uma políica que proíba a uilização de cassieria (minério de esanho), wolframia (minério de ungsênio), colan (minério de ânalo) e ouro ou seus derivados, cuja exração ou comércio apoiem conflios na República Democráica do Congo (RDC) ou países vizinhos e/ou conribuam para o raameno desumano, incluindo ráfico de seres humanos, escravidão, rabalho forçado, rabalho infanil, orura e crimes de guerra na região. 18 TOSHIBA l RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DAS AMÉRICAS DE 212

Guia de Recursos e Atividades

Guia de Recursos e Atividades Guia de Recursos e Aividades girls worldwide say World Associaion of Girl Guides and Girl Scous Associaion mondiale des Guides e des Eclaireuses Asociación Mundial de las Guías Scous Unir as Forças conra

Leia mais

OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE GANHOS

OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE GANHOS STC/ 08 17 à 22 de ouubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (STC) OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE

Leia mais

GUIA DE ADEQUAÇÃO AMBIENTAL PARA DISTRIBUIDORES DE VEÍCULOS. Instruções para a Alta Direção e o Responsável Ambiental (RA)

GUIA DE ADEQUAÇÃO AMBIENTAL PARA DISTRIBUIDORES DE VEÍCULOS. Instruções para a Alta Direção e o Responsável Ambiental (RA) GUIA DE ADEQUAÇÃO AMBIENTAL PARA DISTRIBUIDORES DE VEÍCULOS Insruções para a Ala Direção e o Responsável Ambienal (RA) DIS TR IBU IDO R Adapado de: MANUAL DE ADEQUAÇÃO AMBIENTAL PARA CONCESSIONÁRIAS DE

Leia mais

Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes Os See Hábios das Pessoas Alamene Eficazes Sephen Covey baseou seus fundamenos para o sucesso na Éica do Caráer aribuos como inegridade, humildade, fidelidade, emperança, coragem, jusiça, paciência, diligência,

Leia mais

Estudo comparativo de processo produtivo com esteira alimentadora em uma indústria de embalagens

Estudo comparativo de processo produtivo com esteira alimentadora em uma indústria de embalagens Esudo comparaivo de processo produivo com eseira alimenadora em uma indúsria de embalagens Ana Paula Aparecida Barboza (IMIH) anapbarboza@yahoo.com.br Leicia Neves de Almeida Gomes (IMIH) leyneves@homail.com

Leia mais

METODOLOGIA PROJEÇÃO DE DEMANDA POR TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL

METODOLOGIA PROJEÇÃO DE DEMANDA POR TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL METODOLOGIA PROJEÇÃO DE DEMANDA POR TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL 1. Inrodução O presene documeno visa apresenar dealhes da meodologia uilizada nos desenvolvimenos de previsão de demanda aeroporuária no Brasil

Leia mais

12 Integral Indefinida

12 Integral Indefinida Inegral Indefinida Em muios problemas, a derivada de uma função é conhecida e o objeivo é enconrar a própria função. Por eemplo, se a aa de crescimeno de uma deerminada população é conhecida, pode-se desejar

Leia mais

ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA

ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA TÓPICOS AVANÇADOS MATERIAL DE APOIO ÁLVARO GEHLEN DE LEÃO gehleao@pucrs.br 55 5 Avaliação Econômica de Projeos de Invesimeno Nas próximas seções serão apresenados os principais

Leia mais

MATEMATICA Vestibular UFU 2ª Fase 17 de Janeiro de 2011

MATEMATICA Vestibular UFU 2ª Fase 17 de Janeiro de 2011 Vesibular UFU ª Fase 17 de Janeiro de 011 PRIMEIRA QUESTÃO A realidade mosra que as favelas já fazem pare do cenário urbano de muias cidades brasileiras. Suponha que se deseja realizar uma esimaiva quano

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez Universidade Federal de Peloas UFPEL Deparameno de Economia - DECON Economia Ecológica Professor Rodrigo Nobre Fernandez Capíulo 6 Conabilidade Ambienal Nacional Peloas, 2010 6.1 Inrodução O lado moneário

Leia mais

DEMANDA BRASILEIRA DE CANA DE AÇÚCAR, AÇÚCAR E ETANOL REVISITADA

DEMANDA BRASILEIRA DE CANA DE AÇÚCAR, AÇÚCAR E ETANOL REVISITADA XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Mauridade e desafios da Engenharia de Produção: compeiividade das empresas, condições de rabalho, meio ambiene. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de ouubro

Leia mais

Análise econômica dos benefícios advindos do uso de cartões de crédito e débito. Outubro de 2012

Análise econômica dos benefícios advindos do uso de cartões de crédito e débito. Outubro de 2012 1 Análise econômica dos benefícios advindos do uso de carões de crédio e débio Ouubro de 2012 Inrodução 2 Premissas do Esudo: Maior uso de carões aumena a formalização da economia; e Maior uso de carões

Leia mais

Função definida por várias sentenças

Função definida por várias sentenças Ese caderno didáico em por objeivo o esudo de função definida por várias senenças. Nese maerial você erá disponível: Uma siuação que descreve várias senenças maemáicas que compõem a função. Diversas aividades

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPGA CURSO DE MESTRADO ANDRÉ MAURO SANTOS DE ESPÍNDOLA

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPGA CURSO DE MESTRADO ANDRÉ MAURO SANTOS DE ESPÍNDOLA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPGA CURSO DE MESTRADO ANDRÉ MAURO SANTOS DE ESPÍNDOLA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA E MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS PARA PREVISÃO DE CONSUMO:

Leia mais

Bombas com Variadores de Frequência Inteligentes Integrados

Bombas com Variadores de Frequência Inteligentes Integrados Bombas com Variadores de Frequência Ineligenes Inegrados soluion ouline file no: 100.11p dae: january 2013 supersedes: new dae: new máxima performance durane odo o empo 125 a Armsrong desenvolveu o Design

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL Julho 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Crisóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.p

Leia mais

Valor do Trabalho Realizado 16.

Valor do Trabalho Realizado 16. Anonio Vicorino Avila Anonio Edésio Jungles Planejameno e Conrole de Obras 16.2 Definições. 16.1 Objeivo. Valor do Trabalho Realizado 16. Parindo do conceio de Curva S, foi desenvolvida pelo Deparameno

Leia mais

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI Sumário Inrodução 5 Gerador de funções 6 Caracerísicas de geradores de funções 6 Tipos de sinal fornecidos 6 Faixa de freqüência 7 Tensão máxima de pico a pico na saída 7 Impedância de saída 7 Disposiivos

Leia mais

Equações Simultâneas. Aula 16. Gujarati, 2011 Capítulos 18 a 20 Wooldridge, 2011 Capítulo 16

Equações Simultâneas. Aula 16. Gujarati, 2011 Capítulos 18 a 20 Wooldridge, 2011 Capítulo 16 Equações Simulâneas Aula 16 Gujarai, 011 Capíulos 18 a 0 Wooldridge, 011 Capíulo 16 Inrodução Durane boa pare do desenvolvimeno dos coneúdos desa disciplina, nós nos preocupamos apenas com modelos de regressão

Leia mais

Experimento. Guia do professor. O método de Monte Carlo. Governo Federal. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância

Experimento. Guia do professor. O método de Monte Carlo. Governo Federal. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância Análise de dados e probabilidade Guia do professor Experimeno O méodo de Mone Carlo Objeivos da unidade 1. Apresenar um méodo ineressane e simples que permie esimar a área de uma figura plana qualquer;.

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO DE CACAU E ANÁLISE DOS FATORES RESPONSÁVEIS PELA SUA VARIAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. Antônio Carlos de Araújo

VALOR DA PRODUÇÃO DE CACAU E ANÁLISE DOS FATORES RESPONSÁVEIS PELA SUA VARIAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. Antônio Carlos de Araújo 1 VALOR DA PRODUÇÃO DE CACAU E ANÁLISE DOS FATORES RESPONSÁVEIS PELA SUA VARIAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA Anônio Carlos de Araújo CPF: 003.261.865-49 Cenro de Pesquisas do Cacau CEPLAC/CEPEC Faculdade de Tecnologia

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.640, DE 4 DE MARÇO DE 2013

CIRCULAR Nº 3.640, DE 4 DE MARÇO DE 2013 CIRCULAR Nº.640, DE 4 DE MARÇO DE 20 Esabelece os procedimenos para o cálculo da parcela dos aivos ponderados pelo risco (RWA), relaiva ao cálculo do capial requerido para o risco operacional mediane abordagem

Leia mais

CAPÍTULO 9. y(t). y Medidor. Figura 9.1: Controlador Analógico

CAPÍTULO 9. y(t). y Medidor. Figura 9.1: Controlador Analógico 146 CAPÍULO 9 Inrodução ao Conrole Discreo 9.1 Inrodução Os sisemas de conrole esudados aé ese pono envolvem conroladores analógicos, que produzem sinais de conrole conínuos no empo a parir de sinais da

Leia mais

4 Cenários de estresse

4 Cenários de estresse 4 Cenários de esresse Os cenários de esresse são simulações para avaliar a adequação de capial ao limie de Basiléia numa deerminada daa. Sua finalidade é medir a capacidade de o PR das insiuições bancárias

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA. Amanda Zani Dutra Silva

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA. Amanda Zani Dutra Silva UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Amanda Zani Dura Silva Gerenciameno de Manuenção de Equipamenos de um Hospial São Paulo 006 Amanda Zani Dura Silva Gerenciameno

Leia mais

A Utilização da Inteligência Competitiva Empreendedora nas Micro e Pequenas Empresas

A Utilização da Inteligência Competitiva Empreendedora nas Micro e Pequenas Empresas A Uilização da Ineligência Compeiiva Empreendedora nas Micro e Pequenas Empresas Maria das Graças Vieira Conadora. Mesre em Adminisração Financeira e Douora em Educação UFPB. Professora da Faculdade Maurício

Leia mais

Composição Ótima da Dívida Pública Federal: Definição de uma Referência de Longo Prazo

Composição Ótima da Dívida Pública Federal: Definição de uma Referência de Longo Prazo Composição Óima da Dívida Pública Federal: Definição de uma Referência de Longo Prazo Brasília 2011 MINISTRO DA FAZENDA Guido Manega SECRETÁRIO-EXECUTIVO Nelson Henrique Barbosa Filho SECRETÁRIO DO TESOURO

Leia mais

Boom nas vendas de autoveículos via crédito farto, preços baixos e confiança em alta: o caso de um ciclo?

Boom nas vendas de autoveículos via crédito farto, preços baixos e confiança em alta: o caso de um ciclo? Boom nas vendas de auoveículos via crédio faro, preços baixos e confiança em ala: o caso de um ciclo? Fábio Auguso Reis Gomes * Fabio Maciel Ramos ** RESUMO - A proposa dese rabalho é conribuir para o

Leia mais

TOMADA DE DECISÃO EM FUTUROS AGROPECUÁRIOS COM MODELOS DE PREVISÃO DE SÉRIES TEMPORAIS

TOMADA DE DECISÃO EM FUTUROS AGROPECUÁRIOS COM MODELOS DE PREVISÃO DE SÉRIES TEMPORAIS ARTIGO: TOMADA DE DECISÃO EM FUTUROS AGROPECUÁRIOS COM MODELOS DE PREVISÃO DE SÉRIES TEMPORAIS REVISTA: RAE-elerônica Revisa de Adminisração de Empresas FGV EASP/SP, v. 3, n. 1, Ar. 9, jan./jun. 2004 1

Leia mais

Experiências para o Ensino de Queda Livre

Experiências para o Ensino de Queda Livre Universidade Esadual de Campinas Insiuo de Física Gleb Waagin Relaório Final da disciplina F 69A - Tópicos de Ensino de Física I Campinas, de juno de 7. Experiências para o Ensino de Queda Livre Aluno:

Leia mais

I A missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional

I A missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA AUO-AVALIAÇÃO INSIUCIONAL DO CEFE-BA PERIODO: 2007/2008 Instrumento A1- AVALIAÇÃO GLOBAL (Discentes) RELAÓRIO ANALÍICO I A missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional

Leia mais

Instituto de Tecnologia de Massachusetts Departamento de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação. Tarefa 5 Introdução aos Modelos Ocultos Markov

Instituto de Tecnologia de Massachusetts Departamento de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação. Tarefa 5 Introdução aos Modelos Ocultos Markov Insiuo de Tecnologia de Massachuses Deparameno de Engenharia Elérica e Ciência da Compuação 6.345 Reconhecimeno Auomáico da Voz Primavera, 23 Publicado: 7/3/3 Devolução: 9/3/3 Tarefa 5 Inrodução aos Modelos

Leia mais

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Ciências Físico Químicas 9º ano Movimenos e Forças 1.º Período 1.º Unidade 2010 / 2011 Massa, Força Gravíica e Força de Ario 1 - A bordo de um vaivém espacial, segue um

Leia mais

A) inevitável. B) cérebro. C) comanda. D) socorro. E) cachorro.

A) inevitável. B) cérebro. C) comanda. D) socorro. E) cachorro. CONHECIMENTOS DE LÍNGUA PORTUGUESA TEXTO 1 CÉREBRO ELETRÔNICO O cérebro elerônico faz udo Faz quase udo Faz quase udo Mas ele é mudo. O cérebro elerônico comanda Manda e desmanda Ele é quem manda Mas ele

Leia mais

CENTRUS PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA - PCD. Nota Técnica Atuarial 024/13

CENTRUS PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA - PCD. Nota Técnica Atuarial 024/13 CENTRUS PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA - PCD Noa Técnica Auarial 024/13 Julho/2013 0 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 2 2 MODALIDADE DOS BENEFÍCIOS... 3 2.1 BENEFÍCIOS PREVISTOS PELO PLANO... 3 2.2 INSTITUTOS... 3

Leia mais

Modelo ARX para Previsão do Consumo de Energia Elétrica: Aplicação para o Caso Residencial no Brasil

Modelo ARX para Previsão do Consumo de Energia Elétrica: Aplicação para o Caso Residencial no Brasil Modelo ARX para Previsão do Consumo de Energia Elérica: Aplicação para o Caso Residencial no Brasil Resumo Ese rabalho propõe a aplicação do modelo ARX para projear o consumo residencial de energia elérica

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Inrodução Ins iuo de Info ormáic ca - UF FRGS Redes de Compuadores Conrole de fluxo Revisão 6.03.015 ula 07 Comunicação em um enlace envolve a coordenação enre dois disposiivos: emissor e recepor Conrole

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE LOGARITMO A PARTIR DE UM PROBLEMA GERADOR

A CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE LOGARITMO A PARTIR DE UM PROBLEMA GERADOR A CONSTRUÇÃO DO CONCEITO DE LOGARITMO A PARTIR DE UM PROBLEMA GERADOR Bárbara Lopes Macedo (Faculdades Inegradas FAFIBE) Carina Aleandra Rondini Marreo (Faculdades Inegradas FAFIBE) Jucélia Maria de Almeida

Leia mais

APLICAÇÃO DE SÉRIES TEMPORAIS NA PREVISÃO DA MÉDIA MENSAL DA TAXA DE CÂMBIO DO REAL PARA O DÓLAR COMERCIAL DE COMPRA USANDO O MODELO DE HOLT

APLICAÇÃO DE SÉRIES TEMPORAIS NA PREVISÃO DA MÉDIA MENSAL DA TAXA DE CÂMBIO DO REAL PARA O DÓLAR COMERCIAL DE COMPRA USANDO O MODELO DE HOLT XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Mauridade e desafios da Engenharia de Produção: compeiividade das empresas, condições de rabalho, meio ambiene. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de ouubro

Leia mais

= + 3. h t t. h t t. h t t. h t t MATEMÁTICA

= + 3. h t t. h t t. h t t. h t t MATEMÁTICA MAEMÁICA 01 Um ourives possui uma esfera de ouro maciça que vai ser fundida para ser dividida em 8 (oio) esferas menores e de igual amanho. Seu objeivo é acondicionar cada esfera obida em uma caixa cúbica.

Leia mais

AÇÕES DO MERCADO FINACEIRO: UM ESTUDO VIA MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS

AÇÕES DO MERCADO FINACEIRO: UM ESTUDO VIA MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS AÇÕES DO MERCADO FINACEIRO: UM ESTUDO VIA MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS Caroline Poli Espanhol; Célia Mendes Carvalho Lopes Engenharia de Produção, Escola de Engenharia, Universidade Presbieriana Mackenzie

Leia mais

Com base no enunciado e no gráfico, assinale V (verdadeira) ou F (falsa) nas afirmações a seguir.

Com base no enunciado e no gráfico, assinale V (verdadeira) ou F (falsa) nas afirmações a seguir. PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 1ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A 01) O gráico a seguir represena a curva de aquecimeno de 10 g de uma subsância à pressão de 1 am. Analise as seguines airmações. I. O pono de ebulição

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPGA CURSO DE MESTRADO

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPGA CURSO DE MESTRADO UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PPGA CURSO DE MESTRADO MODELO INTEGRADO PARA PREVISÃO DE VENDAS COMO UMA FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE: UM ESTUDO DE CASO EM UMA

Leia mais

exercício e o preço do ativo são iguais, é dito que a opção está no dinheiro (at-themoney).

exercício e o preço do ativo são iguais, é dito que a opção está no dinheiro (at-themoney). 4. Mercado de Opções O mercado de opções é um mercado no qual o iular (comprador) de uma opção em o direio de exercer a mesma, mas não a obrigação, mediane o pagameno de um prêmio ao lançador da opção

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.383. I - Abordagem do Indicador Básico; II - Abordagem Padronizada Alternativa; III - Abordagem Padronizada Alternativa Simplificada.

CIRCULAR Nº 3.383. I - Abordagem do Indicador Básico; II - Abordagem Padronizada Alternativa; III - Abordagem Padronizada Alternativa Simplificada. TÍTULO : DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS 29 Página 1 de 7 CIRCULAR Nº.8 Esabelece os procedimenos para o cálculo da parcela do Parimônio de Referência Exigido (PRE) referene ao risco operacional (P OPR ), de

Leia mais

Aula 1. Atividades. Para as questões dessa aula, podem ser úteis as seguintes relações:

Aula 1. Atividades. Para as questões dessa aula, podem ser úteis as seguintes relações: Aula 1 Para as quesões dessa aula, podem ser úeis as seguines relações: 1. E c = P = d = m. v E m V E P = m. g. h cos = sen = g = Aividades Z = V caeo adjacene hipoenusa caeo oposo hipoenusa caeo oposo

Leia mais

A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA

A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA Era uma vez uma pequena cidade que não inha água encanada. Mas, um belo dia, o prefeio mandou consruir uma caia d água na serra e ligou-a a uma rede de disribuição.

Leia mais

Pessoal Ocupado, Horas Trabalhadas, Jornada de Trabalho e Produtividade no Brasil

Pessoal Ocupado, Horas Trabalhadas, Jornada de Trabalho e Produtividade no Brasil Pessoal Ocupado, Horas Trabalhadas, Jornada de Trabalho e Produividade no Brasil Fernando de Holanda Barbosa Filho Samuel de Abreu Pessôa Resumo Esse arigo consrói uma série de horas rabalhadas para a

Leia mais

Perspectivas para a inflação

Perspectivas para a inflação Perspecivas para a inflação 6 Ese capíulo do Relaório de Inflação apresena a avaliação feia pelo Copom sobre o comporameno da economia brasileira e do cenário inernacional desde a divulgação do Relaório

Leia mais

CONTRATO N.º 026/2.015

CONTRATO N.º 026/2.015 CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATO N.º 026/2.015 Insrumeno paricular de conrao que enre si fazem: de um lado, como conraane, a PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO QUENTE, e de ouro, como conraado, e a empresa

Leia mais

O Fluxo de Caixa Livre para a Empresa e o Fluxo de Caixa Livre para os Sócios

O Fluxo de Caixa Livre para a Empresa e o Fluxo de Caixa Livre para os Sócios O Fluxo de Caixa Livre para a Empresa e o Fluxo de Caixa Livre para os Sócios! Principais diferenças! Como uilizar! Vanagens e desvanagens Francisco Cavalcane (francisco@fcavalcane.com.br) Sócio-Direor

Leia mais

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS. Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS. Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2 IV SEMEAD METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2 RESUMO Uma das ferramenas de gesão do risco de mercado

Leia mais

SIMULAÇÃO DA OPERAÇÃO HIDRÁULICA DE RESERVATÓRIOS

SIMULAÇÃO DA OPERAÇÃO HIDRÁULICA DE RESERVATÓRIOS SIMULAÇÃO DA OPERAÇÃO HIDRÁULICA DE RESERVATÓRIOS Anasácio Sebasian Arce Encina 1, João Eduardo Gonçalves Lopes 2, Marcelo Auguso Cicogna 2, Secundino Soares Filho 2 e Thyago Carvalho Marques 2 RESUMO

Leia mais

2. Referencial Teórico

2. Referencial Teórico 15 2. Referencial Teórico Se os mercados fossem eficienes e não houvesse imperfeições, iso é, se os mercados fossem eficienes na hora de difundir informações novas e fossem livres de impedimenos, índices

Leia mais

PREÇOS DE PRODUTO E INSUMO NO MERCADO DE LEITE: UM TESTE DE CAUSALIDADE

PREÇOS DE PRODUTO E INSUMO NO MERCADO DE LEITE: UM TESTE DE CAUSALIDADE PREÇOS DE PRODUTO E INSUMO NO MERCADO DE LEITE: UM TESTE DE CAUSALIDADE Luiz Carlos Takao Yamaguchi Pesquisador Embrapa Gado de Leie e Professor Adjuno da Faculdade de Economia do Insiuo Vianna Júnior.

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS BENEFÍCIOS SINÉRGICOS DA COORDENAÇÃO DA OPERAÇÃO DE USINAS HIDRELÉTRICAS EM CASCATA

AVALIAÇÃO DOS BENEFÍCIOS SINÉRGICOS DA COORDENAÇÃO DA OPERAÇÃO DE USINAS HIDRELÉTRICAS EM CASCATA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPL - 06 16 a 21 Ouubro de 2005 Curiiba - Paraná GRUPO VII GRUPO DE ESTUDO DE PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GPL AVALIAÇÃO

Leia mais

Equações Diferenciais Ordinárias Lineares

Equações Diferenciais Ordinárias Lineares Equações Diferenciais Ordinárias Lineares 67 Noções gerais Equações diferenciais são equações que envolvem uma função incógnia e suas derivadas, além de variáveis independenes Aravés de equações diferenciais

Leia mais

Curso de preparação para a prova de matemática do ENEM Professor Renato Tião

Curso de preparação para a prova de matemática do ENEM Professor Renato Tião Porcenagem As quaro primeiras noções que devem ser assimiladas a respeio do assuno são: I. Que porcenagem é fração e fração é a pare sobre o odo. II. Que o símbolo % indica que o denominador desa fração

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE UMA USINA TERMELÉTRICA USANDO MODELAGEM ESTOCÁSTICA E TEORIA DE OPÇÕES REAIS. Livia Galdino Mendes

ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE UMA USINA TERMELÉTRICA USANDO MODELAGEM ESTOCÁSTICA E TEORIA DE OPÇÕES REAIS. Livia Galdino Mendes ANÁLISE DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE UMA USINA TERMELÉTRICA USANDO MODELAGEM ESTOCÁSTICA E TEORIA DE OPÇÕES REAIS Livia Galdino Mendes PROJETO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Leia mais

Prof. Josemar dos Santos

Prof. Josemar dos Santos Engenharia Mecânica - FAENG Sumário SISTEMAS DE CONTROLE Definições Básicas; Exemplos. Definição; ; Exemplo. Prof. Josemar dos Sanos Sisemas de Conrole Sisemas de Conrole Objeivo: Inroduzir ferramenal

Leia mais

Análise da produtividade das distribuidoras de energia elétrica utilizando Índice Malmquist e o método de bootstrap

Análise da produtividade das distribuidoras de energia elétrica utilizando Índice Malmquist e o método de bootstrap UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Análise da produividade das disribuidoras de energia elérica uilizando Índice Malmquis e o méodo de boosrap Fernando Elias

Leia mais

FERRAMENTA PARA MAXIMIZAÇÃO DE CARGA NA FASE FLUENTE DE RECOMPOSIÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS. Eduardo Martins Viana

FERRAMENTA PARA MAXIMIZAÇÃO DE CARGA NA FASE FLUENTE DE RECOMPOSIÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS. Eduardo Martins Viana FERRAMENTA PARA MAXIMIZAÇÃO DE CARGA NA FASE FLUENTE DE RECOMPOSIÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS Eduardo Marins Viana DISSERTAÇÃO SUBMETIDA AO CORPO DOCENTE DA COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA

Leia mais

Em novembro de 1954. Tesouros da Ourivesaria. Portuguesa. Museu do Louvre, 1954. chbes@bes.pt. ARQUIVO Tesouros da Ourivesaria

Em novembro de 1954. Tesouros da Ourivesaria. Portuguesa. Museu do Louvre, 1954. chbes@bes.pt. ARQUIVO Tesouros da Ourivesaria Tesouros da Ourivesaria Poruguesa Museu do Louvre, 1954 Em novembro de 1954 é inaugurada no Museu do Louvre, em Paris, a Exposição de Tesouros da Ourivesaria de Porugal, organizada por Reynaldo dos Sanos,

Leia mais

Competências profissionais relevantes à qualidade no atendimento bancário*

Competências profissionais relevantes à qualidade no atendimento bancário* Compeências profissionais relevanes à qualidade no aendimeno bancário* Hugo Pena Brandão** Tomás de Aquino Guimarães*** Jairo Eduardo Borges-Andrade**** S UMÁRIO: 1. Inrodução; 2. Gesão baseada nas compeências:

Leia mais

O EFEITO DIA DO VENCIMENTO DE OPÇÕES NA BOVESPA 1

O EFEITO DIA DO VENCIMENTO DE OPÇÕES NA BOVESPA 1 O EFEITO DIA DO VENCIMENTO DE OPÇÕES NA BOVESPA 1 Paulo J. Körbes 2 Marcelo Marins Paganoi 3 RESUMO O objeivo dese esudo foi verificar se exise influência de evenos de vencimeno de conraos de opções sobre

Leia mais

Susan Schommer Risco de Crédito 1 RISCO DE CRÉDITO

Susan Schommer Risco de Crédito 1 RISCO DE CRÉDITO Susan Schommer Risco de Crédio 1 RISCO DE CRÉDITO Definição: Risco de crédio é o risco de defaul ou de reduções no valor de mercado causada por rocas na qualidade do crédio do emissor ou conrapare. Modelagem:

Leia mais

EFEITO DA VARIAÇÃO DOS PREÇOS DA MANDIOCA EM ALAGOAS SOBRE O VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO 1

EFEITO DA VARIAÇÃO DOS PREÇOS DA MANDIOCA EM ALAGOAS SOBRE O VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO 1 ISSN 188-981X 18 18 EFEITO DA VARIAÇÃO DOS PREÇOS DA MANDIOCA EM ALAGOAS SOBRE O VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO 1 Effec of cassava price variaion in Alagoas over producion gross value Manuel Albero Guiérrez CUENCA

Leia mais

Metodologia de Cálculo dos Valores Nominais Atualizados. Maio/08

Metodologia de Cálculo dos Valores Nominais Atualizados. Maio/08 eodologia de Cálculo dos Valores Nominais Aualizados aio/8 eodologia de Cálculo dos Valores Nominais Aualizados aio/8 A produção e difusão de informações esaísicas é uma imporane aividade desenvolvida

Leia mais

2 Fluxos de capitais, integração financeira e crescimento econômico.

2 Fluxos de capitais, integração financeira e crescimento econômico. 2 Fluxos de capiais, inegração financeira e crescimeno econômico. O objeivo dese capíulo é apresenar em dealhes as variáveis fundamenais enconradas na lieraura que deerminam o crescimeno de longo prazo

Leia mais

POSSIBILIDADE DE OBTER LUCROS COM ARBITRAGEM NO MERCADO DE CÂMBIO NO BRASIL

POSSIBILIDADE DE OBTER LUCROS COM ARBITRAGEM NO MERCADO DE CÂMBIO NO BRASIL POSSIBILIDADE DE OBTER LUCROS COM ARBITRAGEM NO MERCADO DE CÂMBIO NO BRASIL FRANCISCO CARLOS CUNHA CASSUCE; CARLOS ANDRÉ DA SILVA MÜLLER; ANTÔNIO CARVALHO CAMPOS; UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA VIÇOSA

Leia mais

Palavras-chave: Análise de Séries Temporais; HIV; AIDS; HUJBB.

Palavras-chave: Análise de Séries Temporais; HIV; AIDS; HUJBB. Análise de Séries Temporais de Pacienes com HIV/AIDS Inernados no Hospial Universiário João de Barros Barreo (HUJBB), da Região Meropoliana de Belém, Esado do Pará Gilzibene Marques da Silva ¹ Adrilayne

Leia mais

Dados do Plano. Resultado da Avaliação Atuarial. Data da Avaliação: 31/12/2010

Dados do Plano. Resultado da Avaliação Atuarial. Data da Avaliação: 31/12/2010 AVALIAÇÃO ATUARIAL Daa da Avaliação: 3/2/200 Dados do Plano Nome do Plano: CEEEPREV CNPB: 20.020.04-56 Parocinadoras: Companhia Esadual de Geração e Transmissão de Energia Elérica CEEE-GT Companhia Esadual

Leia mais

ANÁLISE DO ARMAZENAMENTO DE MILHO NO BRASIL COM UM MODELO DINÂMICO DE EXPECTATIVAS RACIONAIS

ANÁLISE DO ARMAZENAMENTO DE MILHO NO BRASIL COM UM MODELO DINÂMICO DE EXPECTATIVAS RACIONAIS ANÁLISE DO ARMAZENAMENTO DE MILHO NO BRASIL COM UM MODELO DINÂMICO DE EXPECTATIVAS RACIONAIS VANIA DI ADDARIO GUIMARÃES Tese apresenada à Escola Superior de Agriculura Luiz de Queiroz, Universidade de

Leia mais

PRECIFICAÇÃO DE CONTRATO DE ENERGIA ELÉTRICA MODELO DE PROGRAMAÇÃO DINÂMICA ESTOCÁSTICA

PRECIFICAÇÃO DE CONTRATO DE ENERGIA ELÉTRICA MODELO DE PROGRAMAÇÃO DINÂMICA ESTOCÁSTICA PRECIFICAÇÃO DE CONTRATO DE ENERGIA ELÉTRICA MODELO DE PROGRAMAÇÃO DINÂMICA ESTOCÁSTICA Leicia Takahashi DE/ FEM/ UNICAMP Caia Posal: 6122 CEP: 13.083-970 Campinas - SP leicia@fem.unicamp.br Paulo B. Correia

Leia mais

Rcupom ) 1. Rcupom = cupomt. cupom ) 11 1 12 t

Rcupom ) 1. Rcupom = cupomt. cupom ) 11 1 12 t Eficiência de Fundos de Previdência: uma Análise das Classes de Fundos Disponíveis no Mercado Luiz Guilherme Eseves Marques Mesre em Adminisração área de concenração Finanças pelas Faculdades Ibmec e Analisa

Leia mais

2 O mercado de opções

2 O mercado de opções 2 O mercado de opções O mercado de opções adquiriu maior popularidade a parir da criação da Chicago Board Opions Exchange, em abril de 1973. A aberura objeivava especificamene a negociação de opções sobre

Leia mais

ANÁLISE DE ESTRUTURAS VIA ANSYS

ANÁLISE DE ESTRUTURAS VIA ANSYS 2 ANÁLISE DE ESTRUTURAS VIA ANSYS A Análise de esruuras provavelmene é a aplicação mais comum do méodo dos elemenos finios. O ermo esruura não só diz respeio as esruuras de engenharia civil como pones

Leia mais

Luciano Jorge de Carvalho Junior. Rosemarie Bröker Bone. Eduardo Pontual Ribeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro

Luciano Jorge de Carvalho Junior. Rosemarie Bröker Bone. Eduardo Pontual Ribeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro Análise do preço e produção de peróleo sobre a lucraividade das empresas perolíferas Luciano Jorge de Carvalho Junior Rosemarie Bröker Bone Eduardo Ponual Ribeiro Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

Dinâmica de interação da praga da cana-de-açúcar com seu parasitóide Trichogramma galloi

Dinâmica de interação da praga da cana-de-açúcar com seu parasitóide Trichogramma galloi Dinâmica de ineração da praga da cana-de-açúcar com seu parasióide Trichogramma galloi Elizabeh de Holanda Limeira 1, Mara Rafikov 2 1 Universidade Federal do ABC - UFABC, Sano André, Brasil, behmacampinas@yahoo.com.br

Leia mais

4. A procura do setor privado. 4. A procura do setor privado 4.1. Consumo 4.2. Investimento. Burda & Wyplosz, 5ª Edição, Capítulo 8

4. A procura do setor privado. 4. A procura do setor privado 4.1. Consumo 4.2. Investimento. Burda & Wyplosz, 5ª Edição, Capítulo 8 4. A procura do seor privado 4. A procura do seor privado 4.. Consumo 4.2. Invesimeno Burda & Wyplosz, 5ª Edição, Capíulo 8 4.2. Invesimeno - sock de capial óimo Conceios Inroduórios Capial - Bens de produção

Leia mais

ESTUDO DE MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS PARA A DEMANDA DE PRODUÇÃO DE CIMENTO

ESTUDO DE MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS PARA A DEMANDA DE PRODUÇÃO DE CIMENTO ESTUDO DE MODELOS DE SÉRIES TEMPORAIS PARA A DEMANDA DE PRODUÇÃO DE CIMENTO Nagila Raquel Marins Gomes; Célia Mendes Carvalho Lopes Engenharia de Produção, Escola de Engenharia, Universidade Presbieriana

Leia mais

Sistemas de Energia Ininterrupta: No-Breaks

Sistemas de Energia Ininterrupta: No-Breaks Sisemas de Energia Ininerrupa: No-Breaks Prof. Dr.. Pedro Francisco Donoso Garcia Prof. Dr. Porfírio Cabaleiro Corizo www.cpdee.ufmg.br/~el GEP-DELT-EEUFMG Porque a necessidade de equipamenos de energia

Leia mais

Universidade Federal de Lavras

Universidade Federal de Lavras Universidade Federal de Lavras Deparameno de Ciências Exaas Prof. Daniel Furado Ferreira 8 a Lisa de Exercícios Disribuição de Amosragem 1) O empo de vida de uma lâmpada possui disribuição normal com média

Leia mais

Relações de troca, sazonalidade e margens de comercialização de carne de frango na Região Metropolitana de Belém no período 1997-2004

Relações de troca, sazonalidade e margens de comercialização de carne de frango na Região Metropolitana de Belém no período 1997-2004 RELAÇÕES DE TROCA, SAZONALIDADE E MARGENS DE COMERCIALIZAÇÃO DE CARNE DE FRANGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM NO PERÍODO 1997-2004 MARCOS ANTÔNIO SOUZA DOS SANTOS; FABRÍCIO KHOURY REBELLO; MARIA LÚCIA

Leia mais

Cx. Postal 50, CEP 37.500-000 Itajubá, MG, Brasil E-mail: pamplona@iem.efei.br.

Cx. Postal 50, CEP 37.500-000 Itajubá, MG, Brasil E-mail: pamplona@iem.efei.br. CONDIÇÕES ECONÔMICAS NO PROCESSO DE USINAGEM: UMA ABORDAGEM PARA CONSIDERAÇÃO DOS CUSTOS Souza, Anônio Carlos de * Novaski, Olívio * Oliveira Pamplona, Edson de ** Baocchio, Anonio * * Faculdade de Engenharia

Leia mais

APLICAÇÃO DE MODELAGEM NO CRESCIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO

APLICAÇÃO DE MODELAGEM NO CRESCIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO ALICAÇÃO DE MODELAGEM NO CRESCIMENTO OULACIONAL BRASILEIRO Adriano Luís Simonao (Faculdades Inegradas FAFIBE) Kenia Crisina Gallo (G- Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigüi/S) Resumo: Ese rabalho

Leia mais

Taxa de Câmbio e Taxa de Juros no Brasil, Chile e México

Taxa de Câmbio e Taxa de Juros no Brasil, Chile e México Taxa de Câmbio e Taxa de Juros no Brasil, Chile e México A axa de câmbio consiui variável fundamenal em economias aberas, pois represena imporane componene do preço relaivo de bens, serviços e aivos, ou

Leia mais

Disciplina Políticas Macroeconômicas A Política Econômica na Prática

Disciplina Políticas Macroeconômicas A Política Econômica na Prática MBA - UFF Disciplina Políicas Macroeconômicas A Políica Econômica na Práica Prof. Anonio Carlos Assumpção Inrodução Professor Anonio Carlos Assumpção Sie acjassumpcao77.webnode.com Bibliografia Bibliografia

Leia mais

Estando o capacitor inicialmente descarregado, o gráfico que representa a corrente i no circuito após o fechamento da chave S é:

Estando o capacitor inicialmente descarregado, o gráfico que representa a corrente i no circuito após o fechamento da chave S é: PROCESSO SELETIVO 27 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45 31. Considere o circuio mosrado na figura abaixo: S V R C Esando o capacior inicialmene descarregado, o gráfico que represena a correne

Leia mais

1 Introdução. Onésio Assis Lobo 1 Waldemiro Alcântara da Silva Neto 2

1 Introdução. Onésio Assis Lobo 1 Waldemiro Alcântara da Silva Neto 2 Transmissão de preços enre o produor e varejo: evidências empíricas para o seor de carne bovina em Goiás Resumo: A economia goiana vem se desacado no conexo nacional. Seu PIB aingiu R$ 75 bilhões no ano

Leia mais

GABARITO DE QUÍMICA INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA

GABARITO DE QUÍMICA INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA GABARITO DE QUÍMICA INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA Realizada em 8 de ouubro de 010 GABARITO DISCURSIVA DADOS: Massas aômicas (u) O C H N Na S Cu Zn 16 1 1 14 3 3 63,5 65,4 Tempo de meia - vida do U 38

Leia mais

3 PROGRAMAÇÃO DOS MICROCONTROLADORES

3 PROGRAMAÇÃO DOS MICROCONTROLADORES 3 PROGRAMAÇÃO DOS MICROCONTROLADORES Os microconroladores selecionados para o presene rabalho foram os PICs 16F628-A da Microchip. Eses microconroladores êm as vanagens de serem facilmene enconrados no

Leia mais

ANAIS UM MODELO DE PLANEJAMENTO AGREGADO DA PRODUÇÃO PARA OTIMIZAR O MIX DE PRODUTOS E CLIENTES EM UMA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA

ANAIS UM MODELO DE PLANEJAMENTO AGREGADO DA PRODUÇÃO PARA OTIMIZAR O MIX DE PRODUTOS E CLIENTES EM UMA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA UM MODELO DE PLANEJAMENTO AGREGADO DA PRODUÇÃO PARA OTIMIZAR O MIX DE PRODUTOS E CLIENTES EM UMA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA FELIPE ALBERTO SIMAS DONATO ( felipe.donao@gmail.com, felipe_donao@embraco.com.br

Leia mais

Relações Comerciais e de Preços no Mercado Nacional de Combustíveis 1

Relações Comerciais e de Preços no Mercado Nacional de Combustíveis 1 1 Relações Comerciais e de Preços no Mercado Nacional de Combusíveis 1 Mara Crisina Marjoa-Maisro 2 Geraldo San Ana de Camargo Barros 3 Arigo elaborado em fevereiro/2002 Aprovado para o XL Congresso Brasileiro

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA EDUARDO DESSUPOIO MOREIRA DIAS

FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA EDUARDO DESSUPOIO MOREIRA DIAS FACULDADE DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE MESTRADO EM ECONOMIA APLICADA EDUARDO DESSUPOIO MOREIRA DIAS PREVISÃO DE MÉDIO PRAZO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL: ESTIMAÇÃO VIA METODOLOGIA BOX

Leia mais

Uma Análise Sobre a Sustentabilidade de Médio-Prazo da Dívida Pública Brasileiro Sob Condições de Risco (2008-2012)

Uma Análise Sobre a Sustentabilidade de Médio-Prazo da Dívida Pública Brasileiro Sob Condições de Risco (2008-2012) Uma Análise Sobre a Susenabilidade de Médio-Prazo da Dívida Pública Brasileiro Sob Condições de Risco (2008-202) Jaime Ferreira Dias * José Luis Oreiro ** Resumo: Ese arigo em por objeivo analisar a dinâmica

Leia mais

Uma avaliação da poupança em conta corrente do governo

Uma avaliação da poupança em conta corrente do governo Uma avaliação da poupança em cona correne do governo Manoel Carlos de Casro Pires * Inrodução O insrumeno de políica fiscal em vários ojeivos e não é surpreendene que, ao se deerminar uma mea de superávi

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MÉTODO DE

DESENVOLVIMENTO DE MÉTODO DE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DESENVOLVIMENTO DE MÉTODO DE PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE OPERAÇÕES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agriculura Luiz de Queiroz Os programas de álcool como combusíveis nos EUA, no Japão e na União Européia e as possibilidades de exporação do Brasil Sérgio Rangel

Leia mais

Resumo. Abstract. Introdução

Resumo. Abstract. Introdução volume 2 número 1 janeiro/ 2011 páginas 1-11 Análise do Algorimo sem Ponderação para Redes de Acesso GPON A. F. Sanos e E. D. S. Souza Depo de Química e Exaas, DQE - UES 45200-000 Jequié, A alexferreira.uesb@gmail.com,

Leia mais