O Canto na Sequência da Celebração. O Canto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Canto na Sequência da Celebração. O Canto"

Transcrição

1 O Canto na Sequência da Celebração O Canto Revisão O canto e a música são elementos importantes na Celebração do Povo de Deus em festa pela salvação de Cristo. Ele como parte necessária e integrante da liturgia (SC 112), por exigência de autenticidade, deve ser a expressão da fé e da vida cristã de cada assembléia. O canto na Missa está a serviço do Louvor de Deus e da nossa santificação. Não é apenas para embelezar a Missa, mas para nos ajudar a rezar. Por isso é necessário que cada canto, esteja de acordo com o tempo litúrgico que se esta celebrando. O Apóstolo aconselha os fiéis, que se reúnem em assembléia para aguardar a vinda do Senhor, a cantarem juntos salmos, hinos e cânticos espirituais (cf. Cl 3, 16), pois o canto constitui um sinal de alegria do coração (cf. At 2, 46). Por isso, dizia com razão Santo Agostinho: Cantar é próprio de quem ama [1], e há um provérbio antigo que afirma: Quem canta bem, reza duas vezes (IGMR n.39). Portanto, dê-se grande valor ao uso do canto na celebração da Missa, tendo em vista a índole dos povos e as possibilidades de cada assembléia litúrgica. Ainda que não seja necessário cantar sempre todos os textos de per si destinados ao canto, por exemplo nas Missas dos dias de semana, deve-se zelar para que não falte o canto dos ministros e do povo nas celebrações dos domingos e festas de preceito. Na escolha das partes que de fato são cantadas, deve-se dar preferência às mais importantes e sobretudo àquelas que o sacerdote, o diácono, o leitor cantam com respostas do povo; ou então àquelas que o sacerdote e o povo devem proferir simultaneamente[2]. (IGMR n.40) Os Três tipos de Cantos na Missa 1 Nível - O Diálogo do Ordinário, entre o Presidente e a assembléia: Trata-se do canto dos diálogos entre o Pe. e a Assembléia de partes do Ordinário da Missa: São eles: a saudação, o Oremos, o prefácio, a consagração, o Pai-Nosso, a benção e a despedida. 2 Nível - As partes do Comum da Missa: São sempre os mesmos, não mudam a cada Missa, é comum em toda Missa. O sacerdote canta como resposta ou junto com o povo. São eles: o Senhor, o Glória, o Creio, o Santo, o Cordeiro de Deus e a Oração Universal. Importante que esses cantos sejam cantados integralmente (devem ter a mesma letra como se reza). 3 - Nível é o próprio: Mudam conforme o tempo que esta se celebrando (Natal Quaresma...) São eles: Entrada, Salmo responsorial, Aclamação do Evangelho, Canto de oferendas, Canto de Comunhão e Canto de louvor e agradecimento, chamado agora também de canto depois da Comunhão.

2 Cantos na sequência da Celebração Canto de Entrada - (faz parte dos cantos do Próprio): A finalidade desse canto é Abrir a celebração, promover a união da assembléia, introduzir os fieis no Mistério do tempo litúrgico ou da festa e acompanhar a procissão do sacerdote e dos ministros (IGMR 47). O canto é executado alternadamente pelo grupo de cantores e pelo povo, ou pelo cantor e pelo povo, ou só pelo grupo de cantores. Pode-se usar a antífona com seu salmo, do Gradual romano ou do Gradual simples, ou então outro canto condizente com a ação sagrada[3] e com a índole do dia ou do tempo, cujo texto tenha sido aprovado pela Conferência dos Bispos (IGMR 48). Não havendo canto à entrada, a antífona proposta no Missal é recitada pelos fiéis, ou por alguns deles, ou pelo leitor; ou então, pelo próprio sacerdote, que também pode adaptá-la a modo de exortação inicial (cf. n. 31). Deve terminar quando o padre chegar ao altar. Se houver uso de incenso, prossegue até que o altar seja incensado. Obs: Uma sugestão para ser lida após o comentário inicial: fiquemos todos de pé para darmos inicio a celebração, cantando o canto de entrada... Este não é um canto exclusivo para receber o celebrante. É um canto abrangente onde receber o celebrante é uma de suas características. Ato Penitnecial - (faz parte dos cantos do Comum): Trata-se de um canto em que os fieis aclamam o senhor e imploram a sua misericórdia. A Igreja quer colocar a assembléia diante de Deus numa atitude de pobreza / conversão, ajudá-la a tomar consciência de que tudo é graça, tudo é dom de Deus. É normalmente executado por todos. Esse canto é facultativo pode ser substituído por outra ação correspondente, como por exemplo à aspersão com água benta aos domingos. A aclamação Laudatória (Senhor, Cristo e Senhor tende piedade de nós) junto com a oração de pedido de perdão pode ser usada sem a necessidade de reza-la novamente após o Ato Penitencial. Glória - (faz parte dos cantos do Comum): É um rito da Santa Missa. O glória é um hino oficial da Liturgia, de louvor a Santíssima Trindade, com caráter cristológico e pascal. É um hino antiguíssimo (séc. II), os anjos entoaram no nascimento de Jesus; os louvores dos anjos ao poder de Deus no livro do Apocalipse. É cantado ou recitado nas Missas Solenes, seja nos domingos e sábados, ou nas festas dos santos. Não se diz na Quaresma e no Advento certamente pelo fato de um hino festivo não sintonizar com um tempo penitencial. Também não se diz nos dias de semana porque perderia o sentido solene. - Às vezes são cantados uns hinos um pouco diferentes. Há uma proibição explícita de se substituir o texto do hino do Glória por outro texto qualquer (cf. n.53 da IGMR) o mesmo acontece com o Santo e o Cordeiro de Deus (cf. n.366 da IGMR). Salmo - (faz parte dos cantos do Próprio): É uma espécie de eco ou resposta à mensagem proclamada. Alguém chamou esse salmo de Oração da Leitura. Não pode ser um canto qualquer, para se preencher espaço e variar um pouco. Não nos esqueçamos que o Salmo é Palavra de Deus. De preferência, o salmo responsorial será cantado, ao menos no que se refere ao refrão do povo.

3 Assim, o salmista ou cantor do salmo, do ambão ou outro lugar adequado profere os versículos do salmo, enquanto toda a assembléia escuta sentada, geralmente participando pelo refrão, a não ser que o salmo seja proferido de modo contínuo, isto é, sem refrão (IGMR n.61). O Canto de Acolhida do Livro das Sagradas Escrituras: (faz parte dos cantos do Ordinário) Assembléia de pé. Este canto provoca atitude de alerta e exultação no momento em que o Livro Sagrado é introduzido solenemente na assembléia Aclamação ao Santo Evangelho (faz parte dos cantos do Próprio): Esta aclamação constitui um rito ou ação por si mesma, através da qual a assembléia dos fieis acolhe o Senhor que lhe vai falar no Evangelho, saúda-o e professa sua fé pelo canto. É cantado por todos, de pé, primeiramente pelo grupo de cantores ou cantor, sendo repetido, se for o caso; o versículo, porém, é cantado pelo grupo de cantores ou cantor.o Aleluia, é cantado em todos os tempos, exceto na Quaresma. (IGMR n 62) Um bom costume é, após a leitura do Evangelho, repetir o Aleluia, porém não necessáriamente em toda a celebração. Profissão de fé Creio - (faz parte dos cantos do Comum): O símbolo deve ser cantado ou recitado pelo sacerdote com o povo aos domingos e solenidades; pode-se também dizer em celebrações especiais de caráter mais solene. Quando cantado, é entoado pelo sacerdote ou, se for oportuno, pelo cantor ou pelo grupo de cantores; é cantado por todo o povo junto, ou pelo povo alternando com o grupo de cantores. Se não for cantado, será recitado por todos juntos, ou por dois coros alternando entre si. Apresentação das Oferendas (faz parte dos cantos do Próprio): O canto do ofertório acompanha a procissão das oferendas (cf. IGMR n. 37, b) e se prolonga pelo menos até que os dons tenham sido colocados sobre o altar. As normas relativas ao modo de cantar são as mesmas que para o canto da entrada (cf. IGMR n. 48). O canto pode sempre fazer parte dos ritos das oferendas, mesmo sem a procissão dos dons. (IGMR 74). Tem a finalidade de realçar o seu sentido das oferendas, que querem significar o objeto da ação de graças e a nossa atitude sacrifical. Quer afinal preparar os corações para a ação de graças e para o sacrifício com Cristo. Portanto, quando houver canto de ofertório, é ideal que acompanhe os dois primeiros momentos (Preparação do altar e Procissão das oferendas). Os 3 Momentos: 1º - Preparação do altar (corporal cálice o Missal...) 2º - Procissão das oferendas 3º - Apresentação das Oferendas ao Altar pelo Presidente, com a aclamação da assembléia, Bendito seja Deus... Não é proibido cantar até o final do rito de preparação das oferendas (todos os 3 momentos). Este canto só não deve se prolongar, deixando o padre esperar para o, Orai, irmãos...

4 Santo - (faz parte dos cantos do Comum): É um rito da Santa Missa. Não podemos perder o sentido original da grande aclamação a Deus, dizendo Três vezes Santo. Nós cantamos o cântico que os serafins proclamaram diante do trono celeste (Is 6,3). É o reforço de expressão para significar o máximo da Santidade. Faz parte integrante da Oração Eucarística. Existem ao menos três elementos fundamentais: 1 A santidade de Deus Santo, Santo, Santo, Senhor Deus... 2 A majestade de Deus O céu e a terá proclamam a vossa glória 3 A imanência de Deus Bendito o que vem em nome do Senhor... Não é lícito substituir os cantos colocados no Ordinário da Missa, por exemplo, o Santo, o Cordeiro de Deus, por outros cantos (IGMR 366). Pai Nosso: (faz parte dos cantos do Ordinário): Na Oração do Senhor pede-se o pão de cada dia, que lembra para os cristãos antes de tudo o pão eucarístico, e pede-se a purificação dos pecados, a fim de que as coisas santas sejam verdadeiramente dadas aos santos. Ganhara muito em solenidade e expressão se se revestir do canto. Em termos musícais o mais adequado é o recitativo coletivo ou alguma forma direta. O sacerdote profere o convite, todos os fiéis recitam ou cantam a oração com o sacerdote, e o sacerdote acrescenta sozinho o embolismo, que o povo encerra com a doxologia. Desenvolvendo o último pedido do Pai-nosso, o embolismo suplica que toda a comunidade dos fiéis seja libertada do poder do mal. A oração dp Senhor tem um valor particular como palavra de Jesus, sendo, além disso, um dos sinais ecumênicos mais respeitados. É totalmente inaceitável substituir as palavras do Senhor por textos de criação particular. Canto da Paz : Hoje no Brasil não esta mais previsto a realização deste canto por alguns motivos. O doc. Redemptionis Sacramentum diz: Nem se execute qualquer canto para dar a paz, mas sem demora se recite o Cordeiro de Deus (RS 72) Canto Cordeiro de Deus - (faz parte dos cantos do Comum): A finalidade é acompanhar o partir do pão, antes de se proceder a sua distribuição. Pode ser cantado ou recitado, mas a assembléia deve participar da última petição: dai-nos a paz. Quem inicia esse canto ou a recitação é o cantor ou o animador. A invocação acompanha a fração do pão; por isso, pode-se repetir quantas vezes for necessário até o final do rito. A última vez conclui-se com as palavras dai-nos a paz. (IGMR n. 83) Não é lícito substituir os cantos colocados no Ordinário da Missa, por exemplo, o Santo, o Cordeiro de Deus, por outros cantos (IGMR 366). Canto de Comunhão - (faz parte dos cantos do Próprio): Deve expressar pela união das vozes, a união espiritual dos comungantes, demonstrar a alegria dos corações e e realçar mais a índole comunitária da procissão para receber a Eucaristia (IGMR n.86).o canto começa quando o sacerdote comunga, prolongando-se, oportunamente, enquanto os fieis recebem o Corpo de Cristo. Não pode-se cantar qualquer canto neste momento tão sublime. Deve se respeitar o tempo Litúrgico e levar a interiorização. Haja o cuidado para que também os cantores possam comungar com facilidade. (IGMR 86)

5 Não havendo canto, a antífona proposta no Missal pode ser recitada pelos fiéis, por alguns dentre eles ou pelo leitor, ou então pelo próprio sacerdote, depois de ter comungado, antes de distribuir a Comunhão aos fiéis (IGMR n.87). O Coord. Deverá orientar comunhão, evitando parar o canto. Canto de Louvor e Agradecimento (açao de graças) - (faz parte dos campos do Próprio): Terminada a distribuição da comunhão, se for oportuno, o sacerdote e os fieis, oram por algum tempo em silêncio, podendo a assembléia entoar um salmo ou outro canto de louvor ou hino. (IGMR n.88). Este canto quer ser um prolongamento da comunhão; como que um momento de agradecimento e de louvor pela presença sacramental de Jesus Cristo como pão da vida, que renova a força da assembléia para poder recomeçar a caminhada. Outras partes também poderão ser cantadas, como: Cantar algumas Aclamações: Há uma série que podem ser cantadas. - As respostas das Orações Eucarísticas podem ser cantadas. - O Amem, pode ser cantado muitas vezes, especialmente depois da doxologia final, (Por Cristo, Com Cristo e Em Cristo...) que é o grande momento da Missa. - Durante a consagração é melhor o silêncio, nem mesmo solos (órgão) devem distrair a atenção da assembléia naquele momento. (IGMR n.32). Pode-se cantar sim a aclamação após a consagração (Eis o mistério da Fé). Quem canta essas aclamações: o solista, o coral. Os fieis repetem. Momentos de silêncio na Liturgia, não são espaços vazios de tempo, mas espaços de tempo repletos da Presença. Prof. Cristina Langer Preparado por: Marco Carvalho Fontes: Introdução Geral ao Missal Romano Cantar a Liturgia - Frei Alberto Beckhäuser Manual de Liturgia II - CELAM [1] S. Agostinho de Hipona, Sermo 336, 1: PL 38, [2] Cf. S. Congr. dos Ritos, Instr. Musicam sacram, de 5 de março de 1967, n. 7, 16: A.A.S. 59 (1967) p. 302 e 305. [3] Cf. João Paulo II, Carta apostólica, Dies Domini, de 31 de maio de 1998, n. 50: A.A.S. 90 (1998) p. 745.

PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I.

PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I. ÍNDICE GERAL Uma palavra do autor... p. 3 Lista de abreviatura... p. 7 PARTE I O MISTÉRIO, O ESPAÇO E OS MINISTROS I. Por amor a Liturgia A importância de se amar a Liturgia... n. 1 Necessidade de deixar

Leia mais

SUMÁRIO MISSAS DE NOSSA SENHORA - ANO C

SUMÁRIO MISSAS DE NOSSA SENHORA - ANO C Ano C Livro de Partituras Missas de Nossa Senhora São Sebastião E São josé Diocese de Oliveira SUMÁRIO MISSAS DE NOSSA SENHORA - ANO C IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA PROCISSÃO DE ENTRADA - Imaculada, Maria

Leia mais

Orientações para Leitores. Paróquia Nossa Senhora Rosa Mística - Montes Claros / MG

Orientações para Leitores. Paróquia Nossa Senhora Rosa Mística - Montes Claros / MG Orientações para Leitores Importância da Missa Estrutura, elementos e partes da Missa Documentos Instrução Geral do Missal Romano Documento 43 CNBB - Animação da vida litúrgica no Brasil 388. As adaptações

Leia mais

MISSA - A COMUNIDADE SE REÚNE PARA CELEBRAR A VIDA

MISSA - A COMUNIDADE SE REÚNE PARA CELEBRAR A VIDA MISSA - A COMUNIDADE SE REÚNE PARA CELEBRAR A VIDA A Eucaristia é o sacramento que atualiza e faz a memória do sacrifício de Jesus: em cada Eucaristia temos a presença do Cristo que pela sua morte e ressurreição

Leia mais

Catedral Diocesana de Campina Grande. II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia. ANO DA FÉ Rito Inicial

Catedral Diocesana de Campina Grande. II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia. ANO DA FÉ Rito Inicial Catedral Diocesana de Campina Grande Paróquia nossa Senhora da Conceição II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia Por suas chagas fomos curados, felizes aqueles que crêem sem terem visto.

Leia mais

A estrutura da Santa Missa

A estrutura da Santa Missa A estrutura da Santa Missa A estrutura da Santa Missa é construída sobre dois grandes pilares: a liturgia da palavra, precedida dos ritos inciais, e a liturgia eucarística, seguida dos ritos finais. O

Leia mais

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA 1 2 ORIENTAÇÕES PARA A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS DOCUMENTO DA CNBB - 52 3 SENTIDO LITÚRGICO DA CELEBRAÇÃO

Leia mais

O QUE SE ESPERA DE UM MINISTRO DA MÚSICA: Que ajude a assembleia a entrar no mistério de Deus pela música;

O QUE SE ESPERA DE UM MINISTRO DA MÚSICA: Que ajude a assembleia a entrar no mistério de Deus pela música; O QUE SE ESPERA DE UM MINISTRO DA MÚSICA: Que ajude a assembleia a entrar no mistério de Deus pela música; Que esteja a serviço da igreja e da liturgia e não de si mesmo e de seus gostos pessoais; Que

Leia mais

A Missa parte por parte - Ritos Iniciais

A Missa parte por parte - Ritos Iniciais A Missa parte por parte - Ritos Iniciais RITOS INICIAIS: DEUS NOS REÚNE Canto de Entrada: Intróito. Canta-se algo que diga respeito à Igreja peregrina neste mundo, a caminho da Casa do Senhor, ou algo

Leia mais

A disposição da igreja. 12 de Abril de 2010 Acólitos São João da Madeira 1

A disposição da igreja. 12 de Abril de 2010 Acólitos São João da Madeira 1 A disposição da igreja 12 de Abril de 2010 Acólitos São João da Madeira 1 A disposição da igreja Este documento foi escrito com base na IGMR Introdução Geral ao Missal Romano. O estudo dos temas abordados

Leia mais

Alfaias: São todos os objetos usados nos exercícios da liturgia como, por, exemplo, os vasos litúrgicos e os paramentos dos ministros.

Alfaias: São todos os objetos usados nos exercícios da liturgia como, por, exemplo, os vasos litúrgicos e os paramentos dos ministros. Oração inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Objetivo do Encontro: Explicar a missa parte por parte e levar os catequizandos a amar a eucaristia e a serem fiéis na partição desse sacramento. Texto: Objetos

Leia mais

Pe. Ronaldo Sabino de Pádua, CSsR

Pe. Ronaldo Sabino de Pádua, CSsR 38 9 - OS LECIONÁRIOS, O MISSAL ROMANO E A EUCARISTIA 1 - A AÇÃO DO MESC A PARTIR DE JESUS CRISTO Toda ação litúrgica da Igreja deve ser a expressão do Cristo cabeça da Igreja. Assim, os leigos são admiravelmente

Leia mais

Catequista: Crianças: Festa do Acolhimento

Catequista: Crianças: Festa do Acolhimento Catequista: Crianças: Festa do Acolhimento 14 1 INTRODUÇÃO CÂNTICO DE COMUNHÃO É o Meu Corpo Possivelmente estamos habituados a procurar Deus nas grandes coisas da vida, boas ou menos boas, e esquecemo-nos

Leia mais

CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS!

CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS! 1 CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS! Celebremos o mistério deste dia com lâmpadas flamejantes São Cirilo de Alexandria (+444) Introdução geral Seguindo os preceitos da Lei de

Leia mais

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 23 CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 6 A ESTRUTURA DA MISSA 2: A LITURGIA EUCARÍSTICA E OS RITOS FINAIS Ementa: nesta formação estudaremos a partir da procissão das oferendas

Leia mais

Celebração tirada do livro Eucaristia com Crianças Tempos Fortes Pedrosa Ferreira Edições Salesianas. ocantinhodasao.com.pt/public_html.

Celebração tirada do livro Eucaristia com Crianças Tempos Fortes Pedrosa Ferreira Edições Salesianas. ocantinhodasao.com.pt/public_html. Celebração tirada do livro Eucaristia com Crianças Tempos Fortes Pedrosa Ferreira Edições Salesianas ocantinhodasao.com.pt/public_html 12 Ano B ocantinhodasao.com.pt/public_html 1 RITOS INICIAIS Hoje,

Leia mais

Explicação da Missa MISSA

Explicação da Missa MISSA Explicação da Missa Reunidos todos os catequizandos na Igreja, num primeiro momento mostram-se os objetos da missa, ensinam-se os gestos e explicam-se os ritos. Em seguida celebra-se a missa sem interrupção.

Leia mais

Ano Litúrgico Ano C

Ano Litúrgico Ano C Ano Litúrgico 2009-2010 Ano C TEMPO DO ADVENTO 29/11 1º Domingo do Advento A redenção está próxima. Jeremias 33,14-16; Salmo 25(24); 1 Tessalonicenses 3,12-4,2; Lucas 21,25-28. 34-36 6/12 2º Domingo do

Leia mais

DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A

DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A EUCARISTIA 19H DINAMIZAÇÃO DO 10º ANO DE CATEQUESE IGREJA MATRIZ DE VILA DO CONDE Cântico Inicial: Filho de Deus 1. Somos

Leia mais

São resultado desses encontros as notas que a seguir partilhamos.

São resultado desses encontros as notas que a seguir partilhamos. Nas quintas-feiras do mês de Maio, decorreram na Igreja de Oliveira de Azemeis, encontros de formação litúrgica, organizados pela vigararia sul da Diocese do Porto e orientados pelo P. Frei Bernardino

Leia mais

Gestos e atitudes corporais

Gestos e atitudes corporais Gestos e atitudes corporais A postura de um acólito não deve ser rígida e fria como uma estátua, nem por outro lado deve ser descuidada. A forma de estar deve permitir que o acólito esteja ao mesmo tempo

Leia mais

Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20.

Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Oração Inicial: Leitura: Lucas 22, 7-20. Objetivo do encontro: Despertar amor a Eucaristia e a participação da santa missa, onde o sacramento é oferecido. Texto: Ë o sacramento pelo qual participamos,

Leia mais

Missas do 22º ao 34º. Diocese de Oliveira

Missas do 22º ao 34º. Diocese de Oliveira Ano C Livro de Partituras Missas do 22º ao 34º Domingo do Tempo Comum Diocese de Oliveira SUMÁRIO MISSAS DO 22º AO 34º DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C 22º AO 26º DOMINGO DO TEMPO COMUM PROCISSÃO DE ENTRADA

Leia mais

Fundação Real Colégio de Landim Alameda do Mosteiro nº124, Landim Vila Nova de Famalicão Telf:

Fundação Real Colégio de Landim Alameda do Mosteiro nº124, Landim Vila Nova de Famalicão Telf: Fundação Real Colégio de Landim Alameda do Mosteiro nº124,4770-315 Landim Vila Nova de Famalicão Telf: 252 314 888 E-mail: fundacao.real.colegio.landim@hotmail.com Apresentação A Fundação Real Colégio

Leia mais

SERVIÇO DIOCESANO DE ACÓLITOS. Departamento de Liturgia do Patriarcado de Lisboa. A estrutura da Missa Os seus elementos e suas partes

SERVIÇO DIOCESANO DE ACÓLITOS. Departamento de Liturgia do Patriarcado de Lisboa. A estrutura da Missa Os seus elementos e suas partes SERVIÇO DIOCESANO DE ACÓLITOS Departamento de Liturgia do Patriarcado de Lisboa A estrutura da Missa Os seus elementos e suas partes I A Estrutura da Missa Na Missa ou Ceia do Senhor, o povo de Deus é

Leia mais

Objetos e Paramentos Litúrgicos

Objetos e Paramentos Litúrgicos 1 Objetos e Paramentos Litúrgicos Objetos Litúrgicos: não são apenas coisas concretas, são sinais, por isso transmitem mensagem, não só pela presença deles, mas pelo modo como são utilizados ou conservados.

Leia mais

ADMONIÇÃO INICIAL (ROSA)

ADMONIÇÃO INICIAL (ROSA) ADMONIÇÃO INICIAL (ROSA) Hoje encontramo-nos aqui reunidos para celebrar a Festa das Bem-Aventuranças. Bem Aventurado quer dizer FELIZ e buscar a vontade de Deus é ser Bem-Aventurado. Eis que Jesus, ao

Leia mais

Ano B. Livro de Partituras. Missas da Quaresma Missas de Páscoa Missa de Pentecostes Missa da Santíssima Trindade. Diocese de Oliveira

Ano B. Livro de Partituras. Missas da Quaresma Missas de Páscoa Missa de Pentecostes Missa da Santíssima Trindade. Diocese de Oliveira Ano B Livro de Partituras Missas da Quaresma Missas de Páscoa Missa de Pentecostes Missa da Santíssima Trindade Diocese de Oliveira SUMÁRIO MISSAS DA QUARESMA ENTRADA - Hino Da Campanha Da Fraternidade

Leia mais

Dimensão litúrgica do canto

Dimensão litúrgica do canto Dimensão litúrgica do canto Para ser um ministro de música não basta conhecer a animação litúrgica ou estar inserido em uma comunidade de crescimento. O animador deve estar totalmente inserido na realidade

Leia mais

Capela Nª Sª Das Graças

Capela Nª Sª Das Graças Capela Nª Sª Das Graças Santa Missa Dominical 1-Saudação I PR: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. AS: Amém. PR: A vós, irmãos e irmãs, paz e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

Leia mais

Igreja é lugar de recolhimento, de oração. Jesus ia ao Templo com seus pais e apóstolos.

Igreja é lugar de recolhimento, de oração. Jesus ia ao Templo com seus pais e apóstolos. POR QUE IR À IGREJA? Certo dia, Jesus contou a seguinte parábola a alguns que se consideravam justos e desprezavam os outros."dois homens foram ao Templo para orar. Um era fariseu e o outro, publicano.

Leia mais

Catálogo. de Publicações. Secretariado Nacional de Liturgia

Catálogo. de Publicações. Secretariado Nacional de Liturgia Catálogo de Publicações Secretariado Nacional de Liturgia Todos os preços indicados incluem IVA à taxa legal em vigor. Fátima, Janeiro de 2013 missais missal romano Formato: 175X255 mm 1.408 páginas Dourado

Leia mais

A celebração da Eucaristia (São Justino) Sáb, 23 de Maio de :39 -

A celebração da Eucaristia (São Justino) Sáb, 23 de Maio de :39 - Caro(a) Amigo(a), apresento-lhe um pedacinho da Primeira Apologia em favor dos cristãos, de São Justino, mártir do início do século II Ele foi cristão da geração seguinte à geração apostólica Escreveu

Leia mais

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 2- TEMA: Liturgia 3- OBJETIVO GERAL Assessorar as 12 comunidades pertencentes à Paróquia Santo Antônio, motivando-as a celebrar com fé o Mistério

Leia mais

CÂNTICOS LITÚRGICOS LITURGIA DE ENTRADA Saudação apostólica O Lucernário Brilhe tua luz Luz radiante Perdão, Senhor, perdão Perante ti Kyrie eleison K

CÂNTICOS LITÚRGICOS LITURGIA DE ENTRADA Saudação apostólica O Lucernário Brilhe tua luz Luz radiante Perdão, Senhor, perdão Perante ti Kyrie eleison K CÂNTICOS LITÚRGICOS É difícil imaginar liturgia e culto sem o canto comunitário e, como complemento desejável, a música instrumental. Comunidade reunida em culto canta. E a música está para o canto como

Leia mais

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1 RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO TOCANTINS MINISTÉRIO DE MÚSICA E ARTES INSTRUÇÃO PARA MÚSICA LITÚRGICA NOS EVENTOS DA RCC 1 1) O lugar do Ministério de Música Para começar, vamos falar dos cantores do

Leia mais

Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma 10/02/2011. Crisma 2010/2011. Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma

Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma 10/02/2011. Crisma 2010/2011. Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma O Ano litúrgico é o período de doze meses, divididos em tempos litúrgicos, onde se celebram como memorial, os mistérios de Cristo, assim como a memória

Leia mais

Instrução Geral do Missal Romano

Instrução Geral do Missal Romano Instrução Geral do Missal Romano (excertos) Suplemento para o curso de formação sobre os cantos da missa. A.D. MMXII Índice INTRODUÇÃO... 3 I. NORMAS GERAIS... 5 1. Participação da Assembleia... 5 2. Cantos

Leia mais

Estrutura da Missa e ações dos Ministros Extraordinários de acordo com a Instrução Geral do Missal Romano - IGMR

Estrutura da Missa e ações dos Ministros Extraordinários de acordo com a Instrução Geral do Missal Romano - IGMR Estrutura da Missa e ações dos Ministros Extraordinários de acordo com a Instrução Geral do Missal Romano - IGMR Este material visa apresentar a estrutura da missa, de acordo com a Instrução Geral do Missal

Leia mais

Cânticos para Missa Advento/2016

Cânticos para Missa Advento/2016 Santuário das Almas/Icaraí Cânticos para Missa Advento/2016 Data 17/12 www.oficinademusica.org Procissão de Entrada: Vamos Celebrar Todos reunidos na casa de Deus Com cantos de alegria e grande louvor

Leia mais

XXXIV DOMINGO DO TEMPO COMUM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO

XXXIV DOMINGO DO TEMPO COMUM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO É COMO DIZES: SOU REI XXXIV DOMINGO DO TEMPO COMUM NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO EUCARISTIA 19H DINAMIZAÇÃO DO 9º ANO DE CATEQUESE IGREJA MATRIZ DE VILA DO CONDE Cântico Inicial Vamos caminhando

Leia mais

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação.

Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação. Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós. Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação. 5 Introdução A devoção ao Imaculado Coração de Maria é uma das mais belas manifestações

Leia mais

A preparação da Igreja (verificação de toalhas - altar, ambão, credência e outras necessárias)

A preparação da Igreja (verificação de toalhas - altar, ambão, credência e outras necessárias) CERIMÔNIAS LITÚRGICAS Indicações práticas para preparação VERIFICAR: A preparação da Igreja (verificação de toalhas - altar, ambão, credência e outras necessárias) A preparação do missal (missa/orações,

Leia mais

celebracao eucaristia COMUM Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira

celebracao eucaristia COMUM Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira celebracao da eucaristia COMUM Grupo de Acólitos de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Paróquia de Nossa Senhora do Amparo da Silveira Prepare-se: As vestes sagradas (alva, cingulo, estola, casula); Cálice

Leia mais

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO

CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 17 CURSO PARA FORMAÇÃO DE MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO 5 A HISTÓRIA, A UNIDADE LITURGICA E A ESTRUTURA DA MISSA Ementa: nesta formação estudaremos a história, unidade da eucaristia e a

Leia mais

FESTA DO PAI-NOSSO 2º Ano. 14 de junho de Catequese Paroquial de Santa Maria da Feira Núcleo: Missionários Passionistas

FESTA DO PAI-NOSSO 2º Ano. 14 de junho de Catequese Paroquial de Santa Maria da Feira Núcleo: Missionários Passionistas FESTA DO PAI-NOSSO 2º Ano 14 de junho de 2014 Catequese Paroquial de Santa Maria da Feira Núcleo: Missionários Passionistas MONIÇÃO ANTES DO CÂNTICO DE ENTRADA (Criança) Olá, nós as crianças do 2º ano

Leia mais

Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA:

Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA: Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA: Faz muito tempo, mas parece que foi ontem. Cada criança que nasce é uma mensagem de que Deus acredita nos homens. Deus acreditou em nós e nos deu a alegria e a responsabilidade

Leia mais

CANTO LITÚRGICO. Ghislaine Cantini

CANTO LITÚRGICO. Ghislaine Cantini CANTO LITÚRGICO Ghislaine Cantini O canto está intimamente ligado a liturgia, dela depende e a ela serve. É a expressão mais profunda e autêntica da liturgia, possibilita, ao mesmo tempo, a participação

Leia mais

VI Domingo TC Ano A. Foi dito aos antigos Eu, porém, digo-vos. 12 de Fevereiro de 2017 Eucaristia Dinamizada pelo 6º ano da Catequese

VI Domingo TC Ano A. Foi dito aos antigos Eu, porém, digo-vos. 12 de Fevereiro de 2017 Eucaristia Dinamizada pelo 6º ano da Catequese VI Domingo TC Ano A Foi dito aos antigos Eu, porém, digo-vos 12 de Fevereiro de 2017 Eucaristia Dinamizada pelo 6º ano da Catequese Admonição Inicial - Cântico Inicial - Sou Feliz 1- Sopra o vento de mansinho

Leia mais

ÍNDICE GERAL. Apresentação... 5 Ordem cronológica dos documentos... 7 Siglas Tra le sollecitudini Mo t u Pr o p r i o d o Pa pa Pio X

ÍNDICE GERAL. Apresentação... 5 Ordem cronológica dos documentos... 7 Siglas Tra le sollecitudini Mo t u Pr o p r i o d o Pa pa Pio X Apresentação... 5 Ordem cronológica dos documentos... 7 Siglas... 8 Tra le sollecitudini Mo t u Pr o p r i o d o Pa pa Pio X sobre a restauração da música sacra Introdução... 9 I. Princípios gerais...

Leia mais

CALENDÁRIO /01/15 JAN 15/01/15 29/01/15. Aniversario PE Elisandro

CALENDÁRIO /01/15 JAN 15/01/15 29/01/15. Aniversario PE Elisandro CALENDÁRIO - 2015 Mês JAN Mês Dia 01/01/15 02/01/15 03/01/15 04/01/15 11/01/15 15/01/15 24/01/15 25/01/15 28/01/15 29/01/15 Dia 01/02/15 SEMANA quinta-feira Sexta-feira sábado quinta-feira sábado quarta-feira

Leia mais

6 ENCONTRO DIOCESANO

6 ENCONTRO DIOCESANO DIOCESE DE AMPARO-SP. 6 ENCONTRO DIOCESANO DE CANTO LITÚRGICO - CANTANDO A PARTIR DOS TEMPOS LITÚRGICOS - CANTOS NA CELEBRAÇÃO DA PALAVRA - LIVRO DE CANTOS DA DIOCESE DE AMPARO OUTUBRO 2016 SUMÁRIO 1.

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

Formação de GAPRT. Grupo de Acólitos da Paróquia de Rio Tinto

Formação de GAPRT. Grupo de Acólitos da Paróquia de Rio Tinto Formação de Acólitos GAPRT Grupo de Acólitos CORES LITÚRGICAS BRANCO VERMELHO VERDE ROXO ROSA AZUL BRANCO n n n n Tempo Pascal e Natal. Festas e memórias do Senhor (excepto no Domingo de Ramos e a Exaltação

Leia mais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais Mater Ecclesiae Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais Definição À imitação dos Sacramentos A santa mãe Igreja instituiu os sacramentais, que são sinais sagrados pelos quais, à imitação dos sacramentos, são significados

Leia mais

O CULTO EUCARÍSTICO FORA DA MISSA

O CULTO EUCARÍSTICO FORA DA MISSA O CULTO EUCARÍSTICO FORA DA MISSA Tarde de Formação Tema: Adoração Eucarística Por Pe. Franklin Silveira 02/02/2013 Paróquia Divino Espírito Santo Relação entre o Culto Eucarístico fora da Missa e a Celebração

Leia mais

A Liturgia da Paixão do Senhor não tem a celebração da Eucaristia, mas apenas a distribuição da comunhão. Além de uma introdução e conclusão

A Liturgia da Paixão do Senhor não tem a celebração da Eucaristia, mas apenas a distribuição da comunhão. Além de uma introdução e conclusão A Liturgia da Paixão do Senhor não tem a celebração da Eucaristia, mas apenas a distribuição da comunhão. Além de uma introdução e conclusão silenciosa, a Liturgia tem quatro momentos distintos: 1. A Liturgia

Leia mais

Tudo é possível a quem crê! A história de um adolescente em caminhada

Tudo é possível a quem crê! A história de um adolescente em caminhada Caminhada na Quaresma Páscoa 2010 Tudo é possível a quem crê! A história de um adolescente em caminhada semana I 21.02.2010 a 27.02.2010 desafio: eu confio! proposta: procura na Internet textos sobre a

Leia mais

ÍNDICE ÍNDICE. Apresentação... 3 O USO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS. O que é a liturgia das horas... 6 As edições da liturgia das horas...

ÍNDICE ÍNDICE. Apresentação... 3 O USO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS. O que é a liturgia das horas... 6 As edições da liturgia das horas... ÍNDICE ÍNDICE Apresentação... 3 O USO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS O que é a liturgia das horas... 6 As edições da liturgia das horas... 6 O CONTEÚDO DO LIVRO DA LITURGIA DAS HORAS 1. Os nomes deste

Leia mais

1. A Igreja e os seus ministros

1. A Igreja e os seus ministros 1. A Igreja e os seus ministros A Igreja é um mistério que se constrói com a participação dos vários membros do Povo de Deus, cada qual segundo a sua própria vocação e o lugar que nela ocupa. Os ministros

Leia mais

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DESATADORA DOS NÓS E SÃO JOSÉ DE ANCHIETA. Discípulos missionários a partir do Evangelho de João - Mês da Bíblia 2015

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DESATADORA DOS NÓS E SÃO JOSÉ DE ANCHIETA. Discípulos missionários a partir do Evangelho de João - Mês da Bíblia 2015 1 PARÓQUIA NOSSA SENHORA DESATADORA DOS NÓS E SÃO JOSÉ DE ANCHIETA Discípulos missionários a partir do Evangelho de João - Mês da Bíblia 2015 Permanecei no meu amor, para dar muitos frutos (Jo 15,8-9)

Leia mais

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos B. Scalabrinianas Centro de Estudos Migratórios Cristo Rei-CEMCREI Rua Castro Alves, 344 90430-130 Porto Alegre-RS cemcrei@cpovo.net www.cemcrei.org.br

Leia mais

TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E MORTE, SEPULTURA E RESSURREIÇÃO DE JESUS. Quinta-Feira Santa, 21h30 Missa da Ceia do Senhor, com rito do lava-pés

TRÍDUO PASCAL DA PAIXÃO E MORTE, SEPULTURA E RESSURREIÇÃO DE JESUS. Quinta-Feira Santa, 21h30 Missa da Ceia do Senhor, com rito do lava-pés Como Paulo e com Cristo, subamos a Jerusalém!...Gal.1,18; Mc.10,33 Semana Santa 2009 na Paróquia de Nossa Senhora da Hora DOMINGO DE RAMOS 09h45 (Bênção dos Ramos) e Missa (10h00) na Igreja Paroquial 11h00

Leia mais

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro I Semana de Liturgia 21 a 25 de setembro de 2015. Sacrosanctum Concilium 50 anos depois. Por uma participação ativa, consciente e plena. Abertura Solo: Abrirei

Leia mais

Oficina de Liturgia e. Por. Pe. Cleiton Alencar Salvador 2011

Oficina de Liturgia e. Por. Pe. Cleiton Alencar Salvador 2011 Oficina de Liturgia e Música Por. Pe. Cleiton Alencar Salvador 2011 I parte Ohomem éum ser sacramental, queno planoreligioso expressam suas relações com Deus através de um conjunto de sinais e símbolos.(puebla

Leia mais

Ofício das Celebrações Litúrgicas Paroquiais Paróquia Nossa Senhora da Conceição Diocese de Pesqueira Belo Jardim Pernambuco Brasil

Ofício das Celebrações Litúrgicas Paroquiais Paróquia Nossa Senhora da Conceição Diocese de Pesqueira Belo Jardim Pernambuco Brasil ESQUEMA DOS SERVIÇOS LITÚRGICOS DA SEMANA SANTA 2011 17/04 Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor COMEMORAÇÃO DA ENTRADA DO SENHOR EM JERUSALÉM Na hora conveniente, reúne-se a assembléia numa igreja menor

Leia mais

Referindo-se ao Sacramento da Eucaristia, diz o Catecismo da Igreja Católica :

Referindo-se ao Sacramento da Eucaristia, diz o Catecismo da Igreja Católica : Referindo-se ao Sacramento da Eucaristia, diz o Catecismo da Igreja Católica : 1323. - O nosso Salvador Instituiu na Última Ceia, na noite em que foi entregue, o Sacrifício Eucarístico do seu Corpo e Sangue,

Leia mais

(ANÁMNESIS) ATUALIZAÇÃO DA GRAÇA - SETENÁRIO SACRAMENTAL

(ANÁMNESIS) ATUALIZAÇÃO DA GRAÇA - SETENÁRIO SACRAMENTAL SACRAMENTOS - III (ANÁMNESIS) ATUALIZAÇÃO DA GRAÇA - SETENÁRIO SACRAMENTAL - 1 COMO OS SACRAMENTOS ATUALIZAM A GRAÇA NAS DIVERSAS SITUAÇÕES DA VIDA 2 1. O QUE ACONTECE NO BATISMO? 3 NO BATISMO, A PESSOA

Leia mais

A Liturgia como comunicação do Amor de Deus

A Liturgia como comunicação do Amor de Deus A Liturgia como comunicação do Amor de Deus A Liturgia - O Que é a Liturgia - Quem se comunica pela Liturgia. Como comunicação do amor de Deus - Como se deu essa comunicação de Amor. - Como ela se realiza.

Leia mais

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO CATEDRAL DIOCESANA DE CAMPINA GRANDE PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO SOBRE NÓS FAZEI BRILHAR O ESPLENDOR DE VOSSA FACE! 3 º DOMINGO DA PÁSCOA- ANO B 22 DE ABRIL DE 2012 ANIM: (Saudações espontâneas)

Leia mais

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA COMPÊNDIO Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana «Motu Proprio» Introdução PRIMEIRA PARTE - A PROFISSÃO DA FÉ Primeira Secção: «Eu

Leia mais

de Jesus, nos é dada a oportunidade de iluminar as nossas ações.

de Jesus, nos é dada a oportunidade de iluminar as nossas ações. Novena de Natal O tempo do Advento é constituído das quatro semanas que antecedem o Natal do Senhor. É, portanto, tempo de piedosa espera. Ora, esperar uma pessoa querida requer alegre e cuidadosa preparação.

Leia mais

SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO MISSA DO DIA DE NATAL

SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO MISSA DO DIA DE NATAL O Verbo fez-se carne e habitou entre nós SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO MISSA DO DIA DE NATAL 25 DE DEZEMBRO, 12H IGREJA MATRIZ DE VILA DO CONDE Admonição de entrada (Matilde Carvalho) Cântico

Leia mais

Calendário Janeiro. Fevereiro. São Paulo da Cruz - Calvário 20/02 qui 14h00 Equipe Regional de Comunicação Região Sé

Calendário Janeiro. Fevereiro. São Paulo da Cruz - Calvário 20/02 qui 14h00 Equipe Regional de Comunicação Região Sé Calendário 2014 Janeiro 01/01 qua Confraternização Universal 01/01 qua Solenidade da Santa Mãe de Deus 22 a 24 --- Triduo para a Festa de São Paulo Catedral da Sé 25/01 sáb 09h00 Celebração da Festa de

Leia mais

PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA - REGIÃO DE LEIRIA -

PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA - REGIÃO DE LEIRIA - PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA - REGIÃO DE LEIRIA - PROTOCOLO ESCUTISTA NA EUCARISTIA REGIÃO DE LEIRIA pág. 2 de 12 Introdução Este texto surge da necessidade de esclarecer e uniformizar o protocolo

Leia mais

Paróquia S. Salvador do Burgo - Arouca Advento 2015

Paróquia S. Salvador do Burgo - Arouca Advento 2015 1ª Semana de Advento (29 de Novembro a 5 de Dezembro) Catequista responsável: Ana Maria (2º e 7º ano) Palavra da semana: CARIDADE Estás a preparar-te para um caminho que te leva ao Natal. O Natal é um

Leia mais

1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35

1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35 1. Disse Jesus: Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim jamais terá sede. Jo 6,35 Senhor Jesus, Tu tens palavras de vida eterna e Tu revelas-te a nós como Pão da vida

Leia mais

Algumas Dicas de LITURGIA

Algumas Dicas de LITURGIA derphilosopher 1 Algumas Dicas de LITURGIA Norberto Mazai 2 ALGUMAS DICAS DE LITURGIA Norberto Mazai À luz da Sacrossanctum Concilium que foi um dos primeiros documentos conciliares, publicado no ano de

Leia mais

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Imersão progressiva na onda do Espírito, acompanhada por testemunhas feita de escuta, encontros e experiências no coração do REINO/COMUNIDADE

Leia mais

CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS!

CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS! 1 CERIMONIÁRIO UMA AJUDA EXTRA PARA SUAS CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS! A Missa é o Sol da Igreja São Francisco de Salles Introdução Geral A Igreja sempre se preocupou pela bela e correta celebração da Santa

Leia mais

a) RITOS INICIAIS Amém

a) RITOS INICIAIS Amém 1- LITURGIA: CONHECER PARA AMAR! Diante de realidade missionária, temos como função orientar o povo de Deus a cerca daquilo que se celebra através da liturgia na Igreja. para isso, no que se segue apresentaremos

Leia mais

CELEBRAÇÃO DE NATAL COMUNIDADE EDUCATIVA

CELEBRAÇÃO DE NATAL COMUNIDADE EDUCATIVA CELEBRAÇÃO DE NATAL COMUNIDADE EDUCATIVA 11 de dezembro de 2014 Abertura: Irmã Regina. Animador: Deus se faz presente na vida de todo ser humano e de todas as formas deixa-nos sentir seu amor e desejo

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

Paróquia de Forjães 22 de Maio de Domingo da Santíssima Trindade

Paróquia de Forjães 22 de Maio de Domingo da Santíssima Trindade Paróquia de Forjães 22 de Maio de 2005 Domingo da Santíssima Trindade Este guião pertence a: 1. Ritos iniciais 2 Cortejo de entrada: Criança 1: vela Criança 2: Bíblia Sagrada Criança 3: vela Saudação e

Leia mais

Músicas para missa TSL

Músicas para missa TSL Músicas para missa TSL Músicas antes da entrada Anjos Se acontecer um barulho perto de você é um anjo chegando para receber suas orações e levá-las à Deus. Então abra o coração e comece a louvar, sinta

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

Guião da celebração. Festa do Pai-Nosso. Núcleo seminário passionistas. 2º Ano de catequese. 2 Junho de 2012. Saudação inicial: Catequista:

Guião da celebração. Festa do Pai-Nosso. Núcleo seminário passionistas. 2º Ano de catequese. 2 Junho de 2012. Saudação inicial: Catequista: Guião da celebração Festa do Pai-Nosso Núcleo seminário passionistas 2º Ano de catequese 2 Junho de 2012 Saudação inicial: Catequista: Boa tarde A nossa comunidade está hoje em festa, porque as crianças

Leia mais

MISSAL ROMANO NOVAS MUDANÇAS NA MISSA. Frei Alberto Beckhäuser, OFM. Editora Vozes 2000

MISSAL ROMANO NOVAS MUDANÇAS NA MISSA. Frei Alberto Beckhäuser, OFM. Editora Vozes 2000 MISSAL ROMANO NOVAS MUDANÇAS NA MISSA Frei Alberto Beckhäuser, OFM Editora Vozes 2000 INTRODUÇÃO O Concílio Vaticano II, através da Constituição sobre a Sarada Liturgia Sacrosanctum Concilium consagrou

Leia mais

Festa do Baptismo do Senhor Ano C Missa com a Catequese

Festa do Baptismo do Senhor Ano C Missa com a Catequese Festa do Baptismo do Senhor Ano C 2010 Missa com a Catequese Cântico de Entrada Monição Inicial: Percorremos o nosso caminho, desde o Advento, até chegarmos ao Presépio de Belém, guiados por uma Estrela.

Leia mais

"Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e eles serão uma só carne."

Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e eles serão uma só carne. Marlene e Almir "Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e eles serão uma só carne." Recebo-te por minha esposa e por meu esposo e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te,

Leia mais

FORMAÇÃO PARA MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO

FORMAÇÃO PARA MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO O que é a Eucaristia? Segundo nos indica o Concílio de Trento (Dezinger-Schönmetzer 1740): [Cristo] nosso Deus e Senhor ofereceu-se a si mesmo a Deus Pai uma única vez, morrendo como intercessor sobre

Leia mais

Se andas chutando lata todo dia na rua, com a cabeça vazia o coração na luta

Se andas chutando lata todo dia na rua, com a cabeça vazia o coração na luta 01. PROCISSÃO DE ENTRADA: Senhor e Rei - Vida Reluz TOM: G Am G D C D Senhor e Rei, / em minha alma, estás sempre presente eu sei Am G D Am7 C D/F# Por isso eu louvarei/ levantando minhas mãos para te

Leia mais

Missa: celebração do mistério pascal de Jesus

Missa: celebração do mistério pascal de Jesus Missa: celebração do mistério pascal de Jesus Coleção LITURGIA E TEOLOGIA Como estudar liturgia, Ione Buyst Orientações para ministros extraordinários da comunhão, Valter M. Goedert A celebração litúrgica

Leia mais

ACOLHIMENTO DA PALAVRA

ACOLHIMENTO DA PALAVRA Bicentenário do Nascimento do Venerável Padre Usera CAD_26.01.10 ACOLHIMENTO DA PALAVRA Eucaristia da Catequese Ambientação Junto do altar está um quadro do padre Usera, uma almofada onde vai ser colocada

Leia mais

Folheto da Diocese de Divinópolis-MG HOJE É DOMINGO. Planilha de Músicas MARÇO 2016 ANO C

Folheto da Diocese de Divinópolis-MG HOJE É DOMINGO. Planilha de Músicas MARÇO 2016 ANO C Folheto da Diocese de Divinópolis-MG HOJE É DOMINGO Planilha de Músicas MARÇO 2016 ANO C www.diocesedivinopolis.org.br 26 de Março: VIGÍLIA PASCAL Momento Título CD EXULTE Exulte 1 Tríduo Pascal 2 GLÓRIA

Leia mais

O Ano Santo é um tempo de paz, reconciliação e perdão. Ele começa quando o Papa abre a

O Ano Santo é um tempo de paz, reconciliação e perdão. Ele começa quando o Papa abre a Neste mês ocorrerá a abertura do Ano Santo da Misericórdia: O jubileu dedicado à misericórdia de Deus. O rosto da misericórdia é o título da bula pela qual o Santo Padre convoca toda a Igreja para viver

Leia mais

Linguagem dos sinos São João DelDel-Rei. Este material é parte de um estudo produzido por Aluízio José Viegas, em 1990

Linguagem dos sinos São João DelDel-Rei. Este material é parte de um estudo produzido por Aluízio José Viegas, em 1990 Linguagem dos sinos São João DelDel-Rei Este material é parte de um estudo produzido por Aluízio José Viegas, em 1990 Modalidades de toque Dobre simples O sino gira pelo lado em que está encostado o badalo,

Leia mais

Manual - A Missa e outras obrigações 1. PEQUENO MANUAL DO CATÓLICO A Missa e outras obrigações. O Santo Sacrifício da Missa

Manual - A Missa e outras obrigações 1. PEQUENO MANUAL DO CATÓLICO A Missa e outras obrigações. O Santo Sacrifício da Missa Manual - A Missa e outras obrigações 1 PEQUENO MANUAL DO CATÓLICO A Missa e outras obrigações O Santo Sacrifício da Missa 1) O que é a Missa? A missa é o sacrifício da Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo

Leia mais

Calendário Paroquial de 2015 JANEIRO FEVEREIRO

Calendário Paroquial de 2015 JANEIRO FEVEREIRO Calendário Paroquial de 2015 JANEIRO 1 qui Solenidade de Maria Mãe de Deus - Missas : 9h30 / 18h30 2 sex Apostolado da Oração - Missa - 15h - Catedral 3 sab Setor Família - Missa - 19h30 - Catedral 5 seg

Leia mais