Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)"

Transcrição

1

2 !"#$%"& '!"(")%*% +,!%&" )"-" %.!'#$% (% / ", (! * 0')" (" %*&,!"#$%1&-% %/ "*"(2 "(,"#$%* 0')" (" %*&,!"#$% (" "),-("( ( '3% *4!)"1%'!35)"'6 ("( "!2-)"(%% "'((%,-7 '!"(% 8779 :

3 Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) E77a Espindola, Rodrigo Santos de Uma arquitetura de informação para gerência de requisitos em desenvolvimento distribuído de software / Rodrigo Santos de Espindola. Porto Alegre, fls. Diss. (Mestrado em Ciência da Computação) Fac. de Informática, PUCRS. Orientação: Prof. Dr. Jorge Luis Nicolas Audy 1. Informática. 2. Engenharia de Software 3. Sistemas Distribuídos. I. Audy, Jorge Luis Nicolas. CDD Ficha Catalográfica elaborada pelo Setor de Processamento Técnico da BC-PUCRS

4

5 ! " #$" %& '& () ) *+$$,-. (("" /,"- 0' )* *2/ " *2/0

6

7 3 *,2%-. 4.*"! 5 6!.!"!0 5 3,)-2 " * 3 * 6 " ) 1 2% 1 3 / / " * 3 / / 7 / 0 3 0&.*8 2* )3 )3 )3 + )3 2* % ' )3

8 #*3,)-** *3 * * *,%2- *** *90 : * 6 * * * 3 *3* 3 * #* 3 * * * )#* * 3 6 * ) *%2 * 3&**33 3 ** * *#* * * 330 &0 ;38)3 2)3 )3 +)3%2)3'

9 <=>% <C>% <D>26 <G>2 <H>'2')<,?':$IFB-CA <=I> <=D>2 <=A>'2% +),?'ICB-HG <CI> JD <C=> 2%JJ <CC>%!A= <CD><!AD <CA>: <D=.*==D

10 #=>7')<*,?':$IFB- CA #C>' )(?(N$I=BFG #D>(!+))O.$''?%:IDBHF #F> JF #G> JH #H>JA #A>)!A= #=I>:!AC #=D>%C=I= #=F>%C=IC

11 "#$ )3 +)3 $%! 2*% 2N/ <$ ) & #' ( #### ()* +*, "!# + &.. '#! '#!( M.+ $$ N$M%+) -. '# +%## + '#/ )+& + '#("% + - +# # + "%! %! 0#, 0, 6

12 = : =D == P=F =C 7=F =D 70 =F C &#M=H C= )3=H C== =H C=C <=J C=D :)7Q:2$=CCIJ=J '# 25 C=F %NC= 1262 '#"#7# # $8# 19 C=G ')<39CH 1292 '#7& 1: 1291 # 1: 1293 $8# 1; CC ' )3DI CC= $DI 1122 " #<= 3> 1121! <='#+ 31 CCC )(DD 1112 $ <= "+, 36 CCD :)7Q:2$=FJHFDG 1132 (<='# 3? 1131 '! #<= 3? 1133 (<=! #<= =#<=! #<= 3; 1139!<= 3; 113? $# 6> CCF )3%N')<FI CCG +' )3F= 1192 &"7#+ #! <= !<=+, 66 CD 2*%FH CD= $60 2*)FH CDC $FJ :

13 ; 1319 $# 6; CDD 2*%GI 1332 #<= 9> 1331 #<= $# <= A<= 91 CDF +GC 1362 ( #<=* < : CF )3GA CF= CFC 2%' )3)HI D 2%HD D= 2992HD DC 2R3*2%)HG DD 02+$*HH F '/HJ F= *HJ FC $! HA G 2$=JI G= JI G== $0 0 J= G=C $0 JC G=D $0 JC GC 2"JD GC= JF GCC 2*%JG GCD JA GCF )!A= GD $!AC H 'AG H=!2%AH HC $ $*+%AH HD :!+$*+%AA HD=.AA HDC HF ' HF= HFC J JC JD (!=IC A $=IG 6

14 A= $!=IH AC (!=IJ AD #*=IJ %2<2%S5$:)=IA S5:$2>===D S5:$2$>=CG 6

15 =D! / 0 E 3."3 0 3,)-) ).08 " 2 "* 35E*3/* * 3 2 " *3*,2%- / 6 2% * ". 0! E,?'ICB?R7OICB?%:IDB?(7IDB?(7IDB?(7IFB?2)IGB?2)IGB?)TIGB- 2%" ) " 6 3 2%. ' 3 E / 0 /2*)( U 0?%2I=B 2 3* 2%2%/ /! U " 1 "

16 =F " 0! 0 / 2?R7OICB?'ICB 2% 6 3 ) 3. 4 $ 60 * / ) " #$%!$$%&'%( 8 <= # * 7 B " )*$'+% $ 60 / ) 8 * 3) MV :2%00 3)6V 2 )V K 0 ", -('.(!+/0$ 2"0 5 C/ M " %) M/

17 =G 06M/ M?T:5I=B 5 D * < " 5 F. / ** 5 G/=2 2%0 3 6M6 ) 2 /"= 5 H/ )2 / " = 6 C 5 J/C2 ) 0 0 )2/* A! )!!*

18 =H (%$$1'2( 7 M?T:5I=B5 " M0 C=M3 ()* +*,:)7-3 30E CC M 3 :)7 3" 3 3 C= 3 CD M 2% CF M) ) 32% " 2$%%$34($ 7 * 3/ * 3 3 " 1 3?<N+IIB*3 3/ %!,$''-+ '# ( "%,):$2- * 3*3?%7$I=B 5 3 $ M 3 " :)7Q:2$=CCIJ-. '#,%N-" 4 * 3 0 "!# + &,')< "" $3''!

19 =J / " 3 N " / * 2?%2I=B3/ " / *3 M" * 36 / /, M " - 0 /! "" (%$% :*" * 6 0 /?%7$I=B8 W X!!*! / " 5 08"" WX / 0 8 3, -! "!, - * 1 ", - "", 0( ?%7$I=B :)7Q:2$=CCIJ.( 0#%C+, "%#'#/

20 =A & 2 6 3/ 1 0! 0 * 6!3 )?%7$I=B / 6 * 3 0", -//*3, / -,"D D A E# - 2 * 6/"?%7$I=B /2 / *. /('($8 6 E / $%9%()'/'($8 / W X0 0 0! WX W0 X Y / * 0 " 53 0 $ / M )?%7$I=B2$%%%(0$('% )8 2$%% $(&'%'!8,0 3-:. 3

21 3 2$%% $ 3$2'0$8, " 6 / 3 2$%% $ $%$+/+'0$8,0 3-: " 3 2$%% $ 9$(!8,0 "- 3" 2$%%$0($!8,0 3 /! / 3/!M 1* 7 / / CCD )?%7$I=B 2$%%% $ 9' 6 3 N / 6 "8 2$%% $ 20$(!8! 3 2 / 0 " *"3 2$%% $-$:2'( $ 23'-(!8 / 3 3

22 CI * ",-V!! V V V 0 3 2$%%$-(('($&(/'($8 3! 2$%% $ +$'3'2(!8 3 Z 3 1! 2$%%$+(/'(!8 0 3 Z,3-2$%% $ $+'%! 2*(8! /6 2$%%$(''(8 2$%%$$%/!$9)/$0(%8, / ""?%7$I=B 2$%%% -('.(2'('% V *0 )8 2$%% $-$:2'(8 /,-,-,-7/ ",-,- ",- 3

23 C= 2$%% $'3($%(8. ". *33/! 3 2$%% $ 0$/;'(8 " 0,/ -6* 3 2$%% $ $'(0$8 3/6/ 3?%7$I=B2$%%$(9(!" / " 0 / ""< ('(/'3'$2$%% )?;%NIIB%N/ * / " #// / 0 / 0 " 0 *?$I=B 5! "

24 CC?$I=B %N 8 7 "4?;%NIIB%N 0 3/0E! 2/ !84 0 V0 V 0 1?;%NIIB%N/ /.* 8 2(% $ %/ U! 6 0 " V(/ /,!-! $%N/ 7 / 0 " " " 5 " " " N $?;%NIIB %N/8 ()(/;(8 *7/6 6 * */ *

25 CD <= Recurso Paul Mary Joe Sylvia Stefan Trabalhador Projetista Autor de caso de uso Projetista de caso de uso Revisor de projeto Arquiteto Atividade Projeto de objetos Desc. Caso de Uso Projetar Casos de Uso Revisar Projeto Analisar arquitetura '+'($%8 * * 6%* /M 00$ "* $3(%8 N / / VV VMV6"70%N 08 8/ U 0 " 2 N'( U * Z U 0 * 7 E* M26 *,M" -, - * U %N

26 CF 0 7 E. N 4! " # $ " % & ' ( & & & ( 7 * < D/ 0 6 #/*6, - Arquiteto Análise da arquitetura Projeto da arquitetura Descrever concorrência Descrever distribuição Projetista de casos de uso Análise de casos de uso Projeto de casos de uso Projetista Análise de objetos Projeto de objetos Revisor Revisar Revisar análise projeto ) * + ( " # $ " 7 4

27 CG 6. "26%N 2 * "%N , -.*. *?;%NIIB! " 4%N / 0?;%NIIB U,-8 V 1 V V V7 //" / * *. 6 $ / * 3%N 792$%%'$('+%N! U. / M/,-,<F- Principais Milestones Concepção Elaboração Construção Transição, - &. /0,< G-822$9!,M - $/()(!, " M

28 CH -2%!, /0 "- (%'!, " - / * 2'2/ $ $%$+/+'0$ 0 *-$(! 3 E"/ U / * $+/! / * 0 & ( 1 /3/! $ / 6" / /0!7 /! ""= '2%3/'%(0$4> ')< :)7Q:2$ =CCIJ 0 %N / 0 0 " : 6 3 " " *?':$IFB')</ 6 " 0 * 6!M7')</!#:"

29 CJ ')</ 6 E 2 * 6 ')< *!" ) ')< 8 3V.V!V P 5! " # $ )?':$IFB! 7')</ 8 $!V #**V 0V 2 * V #*MV )" V :V 6 6')<0 ')< # " ')</?':$IFB/* #:<H0 M 7')</ * *"* / / * "

30 CA **" $/ /'/4! E7#= Gerência de Projetos Gerência de Produto Desenvolvimento Comunicação Experiência do Usuário Teste Gerência de Logística 1. * , #=>7')<*,?':$IFB ( 7 : & 9 ( 7 & $& : ; < & - 7 = ( > ( $ 4( ( & ; < & >? & - $ ( ( * + < & 3 ; < & - Z " K" E / * 7 / ** /" 7 / M6 0

31 #! " 4')< /0?':$IFB. / 5')< / ". / 0N ')</<J Implantação concluída Implantação Release aprovado Estabilização MSF Concepção Concepção aprovada Planejamento Escopo concluído Planos aprovados Desenvolvimento B. - & ,?':$IFB')< / 2 M "0 7/ ". 1

32 DI " ($!$34($ 3/ * 3' 0! *"/2 *. * " /, -! * 0 6 *7!?%2I=B < 3. " : M 3 ) 3 (+)F(" 26:?6 C +!# 3 3 "" 2$'% 3, - * 2 / *1?'%ADB 3 * 0 3 M!!*0! 2/ M" / /% %& 7" 38

33 D= $'+(8' 30 3 *?)52IDBV 0$-$2'(/8' " (9('+(8' * U 3 6 *3 3 2?)52IDB "6V $3$2'+( $ 3 *?%2I=B /V $+$'+(8) 3 / * * 3 M 2 ". " / 3M * * *!!<A *?)52IDB** *.! 6 ' * 6 CG[ " )6/6

34 DC " " 2! */ Requisição de Modificação Classificação Correção Melhoria Tipo de Corretiva Preventiva Adaptativa Perfectiva Manutenção 0 $& ( 43 6 Y! *! '/ */ * 3"/?)52IDB '%&( N 1! / M 2 M ' * 0! 6 32!0 8 3V +""V 3,%-/ 3 Z "

35 DD " / / ", 68 - M " " : 60 3 "" '%$0(%$-(% $ 3 " "2/ 2! %& Z 1 \ \ ]?%2I=B \ " / M *?(N$I=B/3 /.! " 0 1!. M 2?%2I=B/ U/M " 8!" Z M 0 7 M/0 :6

36 DF ) ( *) 7 "2 8 9/'2(?$% /(0$$ ) "M 7M 6*" 2!V 9/'2(?$% $ (% 8 M 2!V Interface de Usuário Lógica de Aplicação Acesso a Dados Interface de Usuário + Lógica de Aplicação Acesso a Dados Interface de Usuário Lógica de Aplicação + Acesso a Dados Interface de Usuário + Lógica de Aplicação + Acesso a Dados Dados Dados Dados Dados Aplicações Altamente Decomponíveis Aplicações de Dados Decomponíveis Aplicações de Programas Decomponíveis Aplicações Monolíticas C 2 & & : D 9/'2(?$% $ -(0(% 2 8 M

37 DG 7 )M /6 V "M! \"] *.\*] "", 0(5<7A< 2 (+)F(" 26:?6 C +!# 3 2 / " Implementação do Processo Análise do Problema e da Modificação Revisão e Aceitação da Modificação Implementação da Modificação Descontinuar Migração o software 5 - & ( $" 43 C=D $. 36/.3 M 3 M

38 DH 1! M 2 / M/ 5!! +%& V V N M / " 0 68 ' V 2 %! ' %MV :+$ 7. 0 * M" / 0 /! 0 3 ) 8 ' V V V "V # V +$,' %& % '

39 DJ %M "6 0 5 " /! " * 2"8 '98. / $%298. * " 2''2'($ %!' %MV KV! V " %! ' %M! V 7 )"8 V V N MV 7M3V ) 8 :! V %V %V V ) 8 ":V 7!V '!V 0

40 DA )"!8 V V $ /"V V V 2 " 0 6 " 0 N +%&' %& " )"8 V % ' V 0 8!V 7! V 7MV 7 " 3 :)7Q:2$ =CCIJ C=D 0/*3 3 3) 3" ) 8 0V 0V $M0V %MV

41 '/ ) 08 % 0V %M*"V %0V '0 -. & %&' %& 2!0! ' 0 "8 73V % V ) 8 5!0V '!V %M V %MV %M # ')%& 6!. " 3 0 "!" )"8 7V 7V V V 0 ". *"./ /!

42 FI ) 8 V < V 5!"V 3 /! P3EN" "/ U Y 7 3 3/ ' ".!" )"8 73"V 73V 7 3 ".*".//! ) 8 V 5!"V %V E ""< 0($!$34($$ $ 3/ 3) 6 :)7Q:2$ =CCIJ C=D 2 %N ')< * 3 5%N / * 0 6 M )?$I=B%N/ / 0

43 F= 0 3. " / / 0 0 %N'%N 0 " ')< *" * 32 6 " 0*6*"*?':$IFB')<!*!" / CCD '%N')<6. 5*"*1 1 0 ""= %9$2%$$2'('%(($!$34($ 7 "0!!8 ) V 7""V '"0 " V V 260 " " M 0

44 FC V 2! 0 6 0!V ' /0V ' " * 3 2 # $ ('%&( 3 3 1" ' 2?)52IDB! ?)52IDB < $ ),<$)- 3 "7<$)8 2'(/'($8 * 7 " M *7 " N M 6 4 " N V #(/'($8 * N /*/ * M 2/ ". " /M.

45 FD * 6 0.V 09/$B'($8 6 *) 6 3 N 6 5 N /E 6 0. *V C/('/'($8 / 2 6! * '* 1 $" "1"7 /6V %8 7 7 / 0. * / 7! / * 7 *. 1/*6 / 2/ " * * 62." N " 1 6V

46 FF (.% $ $$-( * "/ /! 5/ "07 0 : V ('%3(!%D'8 " 2 " /2" 6 P / " " / / "/" V 2('+'($8 2 "! 6!*! 7"/! 3 6 / 0 # '. %&( *) 4 6 " 3 " 3?(N$I=B! 2! 7 *"/ M 7 M / 0 0 " " / /6*3.0

47 FG 7 #C *2!*"/ #C>' )(?(N$I=B ') C('D+$/ E'2( K2Y K^#6 K K 5M N #6!MU / 20!0!/ < ' ($,(7$-<,<-5M 666M WX < 'M K#/ E#6* 7 : *3 / $ M " Y 0 7 Y Y 3 * 74 )/M" 730/ M < " M6 $/ /

48 FH /" M CCCC 6*".1 < *! " / 0 U " / " / # C / " / ", 2%/ 7 \*] / " 0 5 2%"60*M 1 2% 2% )!2% "," / 3/3!*3!?&2%IFB M )

49 FJ 5*" 6 7 0!!V ) ) : ) 2 ) $$ /?:5$IFB 2* )/ 0 " 2* ) M / 2% 3." 3 * \] \3] 3 / * " 0 "," 2$'% 2%!0/M2 "! " 1 **! -! 5 * 3 "" 30 0

50 FA 0 23 " 0 5 6/3"0 260 /"! "" 70 8, 3 0-., 3 " 063/! %/ " " " /2%" 2 6 \2* %] CII= 0 \2* %] "?%2I=B7?(2<IDB \] 12 \ ]?(2<IDB 0 0 Y 2% $ " /!3 2 // 1! 5 / 2% 5 * " 0 E

51 (0!. 2?(2<IDB / 32?;%NIIB/ 0 >> )?;%NIIB M/ " 03 6 M / 0!M!! 4 D - E D! * & D) = $ : & F ( : D, $ < &! C!D = &!D! - &!D) :!D, 0 &? :!D1 3 : < & ) 2 &?$&, < & / G & * 4* * 0! 2 N /,2N-( ####,:222-M!!:222)ADI. 2 < ==

52 GI ",", 2$%%$-$;('($$&'%'% N2%/ N 0 0 / " 1 N Elicitação dos requsitos Análise e Negociação dos requisitos Documentação dos requisitos Validação dos requisitos Entradas Documento de requisitos!. & * H 6 Documento de requisitos [ De acordo ] " 6 / 6 0 %& 2 / 1 7** " 6! *3: 1:"0

53 G= 3 2%?5N)IIB \ ] * N / 373 *?5N)IIB /. 3 0.! ) %& 7/ U 0 " )6 *1 Rascunho do documento de requisitos Elicitação de requisitos Análise de requisitos Documento Problemas com de requisitos os requisitos Negociação de requisitos ) * & H 6 " 1 _ "/0*

54 GC. " <=D!%& 7 U * 2 / " * CDCG 3 %& /E2%7/ " 2 6 U! 7 / 0! / *3" 6 3E! Y!?%2I=B 2/0 : " 5 )/?)7'IDB " 4.* ","< $:2'(%$&'%'% 2/

55 GD + "V +V + 0* " : /0/ " 7 / 0 / /!?5N)IIB! 3?%2:IIB 0. / 6 " "! "7/ / + %&4 N /. / E" N"/! 26 8 Z EE/!"P/ 6 E V E : "

56 GF $0$(!(0D'2(8 3 6 " " 0.E_ 030 V $'3'2(! 20)(%$ $0 $-'% $)(2 $ (%8 // / 7 " V $'3'2(!%'0)1/'2(8 M 6 <%= <%C 5<D5<F 7 / 0 YE 0/ E:"!22%6" 8 :!,!- V /" 6 *V 5/"!V P M/ Z!V 5/ 0 7

57 GG,)+&- 0/ 6 7)+&/ / )+&X M * 7 0)+&0 12 %!! " ) / M 0!8 7,"- -! " V 7 ".!V 7! Z! V 7 3 " 7 $<=F D/'%$ 9)/$0( $ $%9$2'3'2(! (% 0'3'2(?$%8 /:" 7.! D/'%$ $ (0$ (% 0'3'2(?$%8 / "

58 GH 09/$0$(! (% 0'3'2(?$%8 / Z 0! / 0 Problema Requisitos ( 4( ( alterados & $& ( $& : ( $& : ( $& :, * < & ( 2 H 6 7"! 0 2 /<=G Requisição rejeitada Requisição de mudança Verificar validade da requisição Requisição valida Procurar requisitos diretamente afetados Lista de requisitos Procurar requisitos dependentes Lista de requisitos Informações sobre o custo Propor alterações de requisitos Verificar o custo das alterações Custo Verificar aceitação do custo Informações dos stakeholders Requisição rejeitada Informações dos stakeholders ( ( $& : H 6 Requisição rejeitada /0! "V 7 V! 0 / V! 7!V 7 V 5! 0 "

59 GJ - N / " ) / / ) /"""" $ " " " " * 8 " " / "! 2!*!,#%-"! (( D% F $ G5 6H8 V (( 3$$ F $ G$ 6H8 V (( D% F 9(( G5 6H8 V (( 3$$ F 9(( G$ 6H8 Para frente - para Plano de negócio Documento de requisitos Para frente - de Especificação de projeto Para trás - de Para trás - para 1 ( H 6 2! 5 M 2! 6!\">]\>] M 7

60 GA /,0#%0-2 6 ` T /<=J I I I!! ) ),, J J!! J ) ) J,, J B * + ( ( H * ẀX/ / #// *6` T * 6 ẀX 6 < =J. %= %C %D %D %= %F %= %C%D/" "< 7. E E* ! ) 6 3 E 0! 2 ) 6V V V 0 *V V 6 V GG 0 *" * GG##

61 5) E"2* )3?%:IFB?2KIIB?2KIGB?(7IDB?(7IDB?(7IFB?2)IGB?2)IGB 7 * 3 * *.. 3 )U 0! */ 26/ 3 2 ) "6 0 3,+)- 3 ) " 4 /5 0 Y) "<" -$;('($$&'%'%$0(0)'$$%$ 0 M 3?L2%I=B 2 6 " 0! 3 ^:&2!0 " 2 3 P! *" 56?(7IDB2%// 7.0/ 6?'ICB?R7OICB ) )?(7IDB ) 3 $4 $

62 HI U0 /! 1* ) * 3 " 0! 6 3 / 0?'ICB / $ " 6 E / Y/ 0 2 *"! N Y *"* %! +0 0! 2?(7IDB/ 2% )8 : V U0V $V $ V $ V V &6! V $V "<" $%(3'%9(($0($!$34($$0 7 2% 6! # / / " /! M "!"1! <0*

63 H= 0* * / $"6MV 7V $!"V 7* "1!MV 2 */ E * ". 0 * :0 / /"" ' 0 M. " E * N / 2%/ 3?R5IDB 2 * 6M0!1 3 3 " 2% /3! * /) *?'ICB(?(7IDB * 2% ) 2% ) 6 E $ 0 0* 2%! * $ / 30!" 3'/ 3 N *

64 HC 36/ * * 0 ' * " 3 6

65 HD, %%$/(2'(% M"00E2%) 2 2%)," %$'>/('2>'IJ$+('% 7992?%:IDB 3 $ 0 0 / 3&%E^7 3,+)-6)O.$'',+ "%! %!- 5 * 7 0 & 0 0 3')<)O.$'' 7 * " *0 02 5&0/ 3#" 0/00 2N "*E!,0 - " 2 7 0/ 3 & " &'/6$")". /($" C )O.$'' 1 : 1 6!

66 HF )O.$''0 " /00 **0 C)O.$'' $ +). "3 *"7/ 6 4!# D #D>(!+))O.$''?%:IDB K" '! # = 6/V C 0 */MV 2U D V F N/*V G ) * V *" H V 7Y J /V A N )O.$'' 7)O.$'' C6*V Z*"* =I

67 HG," %%$(0'($L4-;'%)$$0 7R3* ?'ICB/ 4 0 2% +) $ 9*12%<=A "8 * Problemas conhecidos do GSD Diversidade cultural Comunicação inadequada Gerência do conhecimento Diferença do tempo Desafios identificados no estudo de campo Diferenças na cultura e negócios do cliente Participação adequada de usuários do sistema Conseqüência do contexto de trabalho local e comunicação informal Relações de confiança no trabalho Gerenciamento de conflitos e discussões abertas de interesses Entendimento comum dos requisitos Encontros efetivos Demora Atividades da RE afetadas por estes desafios Elicitação Priorização Negociação Validação Elicitação Negociação Priorização Validação Negociação Especificação Exame do sistema atual Gerenciamento de incertezas Priorização Elicitação Negociação Negociação Gerenciamento Gerenciamento de incertezas de incertezas Análise Priorização Negociação Validação Exame do sistema atual Especificação Análise Priorização Negociação Validação Exame do sistema atual Especificação Priorização Negociação Especificação. ( & $ $ * ( & ( = ;3 =. 5! D 52% 7/ Y/ % 0 0)/0 2% 0!! 4

68 HH,", )(-$0$$%.($+('%9(($%!$;$2'0$ 0 2?2)IFB * * / " * * ,C- * / 6002 * 6.. " 0 / 6 * " * */ * 2 " *C!. 0 0 *?''ICB8 $*V $*V $*!*! *8 * * $ " 0 2! * 60.C1* # 0 *.*2 0 ) 6 6 / E 5 * 0 2/ 1)K"2% )/' " */ 3 CFC G

69 HJ < E$$%&'%( MM. 0 6M) T?T:5I=B 6M /1 *M " <U / /. " 6 6M 0. / 5. / <" $%$;$9$%&'%( 7 * < 0 5=06M 2% ) = 7 = 0. 6M 2% 0 3 ) 6 7 G 5CM M = )2/ H 5 D 0 C 0 7

70 HA J$C ) H Estudo da Base Teórica Proposta preliminar do modelo Estudo de caso 2 Proposta final do modelo Estudo de caso 1 Fase 1 Fase 2 = 2 D Fase 3..! E 0 <" %'$(?$%%)$($+/!(9$%&'%( 7 3 ) M "! * 3 +$$!." / 1 3.." % * 35* 1 3. *M

71 3 /. ) $$"

72 JI = %$(% 7 = : 2% $ M 0 3 G= 0 GC " GD! =" $%2'! P0 0 0! 2 0 E $! 0 /. " 0 7 " "$/. 6 E <0 =G. *" #0 0 $ 2 M * " 0!." "E5 M 0!

73 J= "E $!M $ 0" *G "!:! 10 2% 1!0"!CD " E C 3 D 3 *" "2. 0 ="" ((2$'.(!(-('.(! MDF &) M 0 GIIII "0 % + )& 2 FII * "#:) /02N" / 3)O.$'' CIID / ", * / - 2/ " " %L 26 " #,)2+- $ 6 0 " 3,-$" * %,'- " " / 7 'X

74 JC /" / 8 #,'-"V%##,)-"" 2%V#,#(-" V,#)(-" ="" ((2$'.(!%9*$%((/'%(% 5*= C7!0 "0 25= ''#(#)(5*=6 ) *#(2! '= 6 ) " C ' ' ) #)( 5 * 6 #( * ) 'C /6" *!5 6 7= /Y0 0 2C " 0 00 ) 30 5 " 00 "..0 0 ="", ((2$'.(!%$%9$$%!===0 < 0 A =I!+%

75 JD ##0#,67 0 < $%! +% ## '#!0#,0, J 6 " :" / 6 =CH / /DDG CH"6FF JG[ 0 CG /=A / DIC, =G "6F= - <! 0 $ " 0 $ )DJG[$ 1 C " $ $ D " ) C #M /2*'4 <CI Quantidade 1 1 Delivery Manager Project Manager System Architect Tech Lead Test Lead Função!5 = D =" /$0$%$(D/'%$ " " 2% 3)." "E

76 JF ="" 300 =C 6 3* 7#F #F> Existe um processo definido para manutenção de software? Freqüência Sim. Adaptação do processo para manutenção de software. 4 Sim. Mas ainda estão trabalhando para adaptá-lo. 1 Não, é seguido o mesmo processo dos projetos novos. 1,F-/ 0 N " ". \ ] 6 3 $ =D 2 / 3 3!)O.$'', -7 ')< 3 '#! (,':- / / /0 3 " 26 " 0 #! / /"!. 0 ", *\]- *3! $ / M " E 6 " 0 5"6

77 JG /,=F-/+ - +# #,)%)-/! 66!5 6! * 1.#, =G-/ //0 74!.! / * ="" -$;('($$&'%'%!CICA6 2% 3)0 P 6 / 2% 0 4*/ 2%)%"*$N " */0 /2 /00 2N 7 / 4 * 37E 2%/)%) /! /1 *!! 22% / / " 0 "

78 JH / " ) GCD ) ) / #G #G> Definição de requisito Respostas Função do respondente Necessidade ou Característica do produto 5 Test Lead, Tech Lead e DM Tarefa a ser realizada no projeto 3 PM e SA 3 " " / # % ## 0 2 * 6 N*%##"2% 0 0 P /%##8 Requisito é uma solicitação... uma feature... algo que tem que ser feito. #/# /8 Um statement do que tem que ser feito em termos de melhorar ou corrigir algum defeito no software. /\] 2 12% ) % #

79 JJ %##0""02N$ / 6 :0 0 / 6* P 2% " <C= Freqüência Elicitação Análise e Negociação Documentação Validação Atividades do processo de ER! - & & * D Gerência % ## 7 /0 # 7 7 * % ## *8 A gente trabalha aqui já recebendo o SRS (software requiremetns specification). Eu recebo o SRS, que no caso é feito por uma pessoa de IT da matriz (nos EUA) que trabalha com o usuário. Ai eu reviso este SRS e com isto eu vou atrás dos programas, olho os programas, olho o sistema... Ai eu desenvolvo a especificação do software, e existe uma discussão se isto deve ser feito pelo tech lead ou pelo system architect.

80 JA Mas a parte de requisitos de negócio deveria ser feita pelo system architect e a especificação técnica seria o tech lead. Só que nesta plataforma tu recebe os requisitos já bem técnicos. Eu já recebo no SRS: mexer no programa tal. Então eu passo isto para a especificação, mas não tem muito mais para acrescentar. Mas eu faço mais um refinamento para verificar qual a subrotina que eu preciso tratar... este tipo de coisa...2%0 0/ ) " 0 * 60 %##2 2%) 3.0 " 2% 4 2% )?(7IFB 2% ) 0 0" ="", '3'2/($%! DI 6 1 2% 3 )M"!,-,#H-8 #H> Dificuldade Freqüência Ausência de documentação adequada 5 Ausência de conhecimento sobre a aplicação 4 Falta de metodologia ou padrão para escrita de requisitos 4 Falta de planejamento 1 P #J

81 #J> Atividades Freqüência Todas 5 Testes 2 Elicitação de requisitos 1 7 /0/ * 5M. E ) 0 / 1 1 " & " 6/00 * 4 * 2% )?'ICB?(7IDB* 2% ) 7 2% ) 6 E < * / 0 :0/0!6 * 6 0 0* 0 $ 0 0 * 2%! * 6 * 2

82 AI 3"?$5JCB :".. N * 0,8 Nós não recebemos os requisitos anteriores do sistema. Nós temos uma base onde guardamos as informações sobre o programa onde a gente está trabalhando em cima... da manutenção que está sendo feita. Mas eu acho que este aqui é o problema maior que a gente tem: quando esta fazendo a manutenção, a gente acaba conhecendo muito bem aquela partezinha em que tem que fazer a manutenção e acaba pecando por alterar alguma coisa sem fazer idéia de onde mais ela pode afetar. Já aconteceu de o sistema ir para produção e a gente ter que tirar do ar, pois não tinha esta visão de em qual módulo ela (a manutenção) poderia interferir. Eu acho que recebendo os requisitos anteriores a gente ia pelo menos enxergar com o que a manutenção interage. Só a manutenção não basta para ter uma visão do todo. 7 7 * / #/ 6 * 0 M /2 / 0! / 6 / U " * 0 0 )' 3# /0.6 2% 2 0 *!

83 A= =""< /?$%(((%!D=DD6 1! / 0 M "!,-,#A-8 #A>)! Soluções adotadas Freqüência Maior interação com o cliente 2 Alocar profissionais experientes 2 Planejamento 1 Prototipação 1 Controle de qualidade dos requisitos 1 Geração da documentação 1 Geração de base de conhecimento 1 #/0! *2/< CC Soluções adotadas Dificuldades relatadas Maior interação com o cliente Ausência de documentação Alocar profissionais experientes Adequada Planejamento Ausência de conhecimento sobre Prototipação a aplicação Controle de qualidade dos requisitos Falta de metodologia ou padrão Geração da documentação para escrita de requisitos Geração de base de conhecimento Falta de planejamento!! : $& D 2 / "Z /! 6 ) P! 0/! L6N / "*

84 AC Como foram identificadas as soluções Freqüência Ad hoc 6 Inspirados em técnicas de prototipação 1 Usando as ferramentas já existentes 1 P 0 #=I #=I>:! Impacto Freqüência Positivo 4 Negativo 2 Não soube avaliar 2 N 6/ 6!M 7/ M/ M/!<0 * " 7! =", %'$(?$%3'('% /"E0!2% 3)/ " / 7" 70 0,#%

85 AD )1 6 )0 6 6! / ) 0 /" / 0! '. * 0 M 0 *,)%)-* #/ /!!0 Fragmentação da especificação Fragmentação proc. requisitos Documento Documento Documento de requisitos de requisitos de requisitos V 1.0 V 2.0 V 3.0 Cria Cria Cria E.R. Ger. Req. R.E. Ger. Req. R.E. Ger. Req. Projeto X (Desenv.) Projeto Y (Manutenção) Projeto Z (Manutenção) Cria Modifica Melhora Produto: Software Ciclo de vida do software!) ( & $& : 2 D 2!<CD * GCD#/. GCC 6 #

86 AF 2*%## " 2 2% 6 ) ' " 0!!66. 2% ) 3 3

87 AG A $/9% K = "0 )/"" 3 /! 2% 3) *35* 3) 326 3" 3 2%.?R5IDB * 6 M 0!1 3 H=!2%2! " HC *2 /.!/ HD!* ) HF )

88 AH A" '2'9('%'30(?$%$($3(%$+/+'%( 2% 3 * * 0 7 2%/ *)%)!M %8 :!6V V!0V % EV :! V %V 2 V ' " 1!!! 3 0! 7%N?;%NIIB 6 0,A-,."!-,+ %+# #-2 E 3 0)%)/!,"- -/ A" /(%%'3'2(!;$2'0$$0$:2'($$&'%'%?''ICB * 0 8 ;$2'0$ $0 *$%8 $! * 0 7!

89 AJ / ;$2'0$%)$ *$%8 $! 0 0 2! 0 ;$2'0$ +$'$$ $ *$%8 $! 6 2 * / * *1 )0 1!2% /! 6 " "! *!!2;$2'0$$09*$8 5\]\] \]V %! V %M"!V 2! "6V :!0 V $ 3 0 "! 3 2!E* #:/ 0 #:)!2;$2'0$%)$9*$%8 0 V 3V +V (,-V : "V '/

90 AA " 2;$2'0$ 9+$'$$ $ 9*$%! 2%M6 '!6 " / "! " " 58 3V & V KV :! 0 /! * * * A", 09/'2(?$% (% )(-$% $ $%! ;$2'0$ 9(( $:2'($$&'%'% * ,C- * / 6002 * 6.. " 0 / 6 * " * */ * 2 " *C.C * **! *8 * *"/062%) A"," )(-$02/'$$%$+' 5. * /

91 0 * E 7 * 0 *! 0 / "* <CF Time de projeto Time de projeto Repositório centralizado Time de projeto Time de projeto!, ( & K = * 3 5, D 2% ) 0 * " 0 * 2* * N 0 *! / * 0 /! * U0 :!! 6 6.!. * * 000!'/ * *10 6 A"," )(-$0 C*/07 * M 0 *

92 @I **" 5 /" N 0 0 M M! * 0 *0M 0 */C *<CG Repositório distribuído Time de projeto Time de projeto Repositório distribuído Repositório distribuído Time de projeto Time de projeto Repositório distribuído!/ ( -!- = * 3 5, D 2"2%)* * :!! * ' *" * * * $ 0 M / 0 * * ) 0 M / 0!6 ". * 6"0* 40M!'/ *

93 @= A"< $/$(&'$($'30(!9((-$:2'($$&'%'%$0 * 62% )! 7 / M 0 * 2 / / 8 * 0 M <CH Conhecimento em projetos Conhecimento em projetos Time de projeto Time de projeto Conhecimento proveniente de & sobre projetos + Índice para conhecimento em projeto Time de projeto Time de projeto Conhecimento em projetos Conhecimento em projetos!1 ( L? = * 3 5, D 7 M 0 * 0 * 0! 7! M0 * $ 6!. 6 0 / 0,-/0" / M 0 0 3! 6 3 N 0 * 0 0 M 6"6 3 0

94 @C ' / 0 3"! * M * 7 * 0 M * * N 0 / E / 6! *! 0. #//! 00! 0 0 6/ 6 *" M 0!!* A"<" %'$(?$%%)$0$/$%D'2! 0 M " <CJ70 N'( E! M 0 1! M 2 / E M M00 M HH7#II#!! 0 M M#. 6 \Q]\]\]2 0 3/01 3! M! 3 M 0!"/

95 E D 2!% M2/ / 0 ". 0 \%]60 :a /!00 5 / Z/M (.! 0 M 2/ " "! 1 6 " M)+&.0 * $ "M:. 0 A"<" %'$(?$%%)$0$/'M0'2 4

96 @F 6 5 / 6 " 0! 2 " $ HF 7 ) 3 3 <CA" 62% Documento de requisitos V 1.0 Documento de requisitos V 2.0 Documento de requisitos V 3.0 Extração Extração Extração Requisição de alteração Repositório distribuído Repositório central Repositório distribuído Requisição de alteração Cria Altera E.R. Gerência de Recuperação Requisitos Recuperação Projeto X (Desenv.) Projeto Y (Manutenção) Projeto Z (Manutenção) Cria Modifica Melhora Produto: Software Ciclo de vida do software! 4 ( & * D 52%0 " 5" 6)"0" " // M M

97 @G! 0 6 M! M M 6 2 /! 3 / " 63 / 6 / 6 " */""8 $ M V ' M V +1 * 8! " 0 7!0 / M0 V $0 * * * 2 0 / " * * / 0MV M $ / " M V ' M 0 " M!! $. 0! * * =

98 @H 7 %$(% 5 C J= C JC" JD! 7" $%2'! 7 C ) 0 0 ) $ 3 ) 0 0= 0 -- ' 2 * M M 6 7 "! (9 G \ #],=-\$#],G-2!6 G! 7. & "" ) * G 6

99 @J! E & D )5 E? D

100 @A 7" D/'%$$(% "00M '267" </ E 1" "" 1 < * # 1" / CA /=I6!1" " / = " / #== #==>%C #$%! E'( A701 4,50 =I 7 ) 1! 4,25 3 ==7 3 4,25 ) =C7 * 5, A M 2% 3 ) = #/*

101 * =C M 2% 3) / / FG 2 * A /.1 61 % M / 1! =I == 6 1 ) 2! / ) /FCG!/M 1 " 1 /#=C #=C>%C #$%! E'( =D7/" 4,00 =F7/ 3,00 =G7/0 3,75 =H7 2,25 =J 7 0 1,00 =A 7! 4,00 7 2,75 6

102 =II 7 *! =D =J =A / F = F 2 /" 0! 7 =J / =D! =A! 2 *" "" * / " *! * /! / *! 2* 5! =F =G. / /10 / / 1 / 0! E 0 E E / " 0 / 6 *M / 0 #/*"6 0 /. " 2

103 =I= * "=H/CJG 5/!/ 1 * " " 1 * /#=D #=D>%C #$%! E'( CI7* 4,75 C= 7 * * 4,75 CC 7 4,67 * CD 7 0 4,25 3 CF70!3 4,50 CG70 4,50 7*!1 *)!CIC=CC/ * * % M! CD CF CG 1 0! / / M 1 * " 1 / #=F

104 =IC #=F>%C #$%! E'( CH2/ 5,00 CJ2" 4,25 CA 7 4,25 3 CH /2 /!CFCJ " CA 3 2 / 0 J 7", '?$%(9$'(% $! 0! C 2! * ) 5U!8 '! 8 $$2'( % $&'%'% $%34($ 2')' 9(((9$%$+(!2;$2'0$%)$((9/'2(!" "0. 2% 2 3 / *! * 32 / '!8 0( ($9(('-0($2$%%D'( 9(((2($0(()(-$0 $ $-$;('( $ $&'%'% 32( $0 9*$% 9(( 0(()(-$0 32( $0

105 =ID 9!E0(($3('+'(/" " 0 2% / 0". * *#/ *, "-!, - * $'' ': 2 "! 0 / 6 P ' " 0 00 '!,8 $2;$2$(%'-/('($ $ 2(( 9*$ 2')' 9((-$%! 2;$2'0$%)$$&'%'%$0(0)'$$%" 7 * / E / 0 ) 0! *M 2 0 * 6" *7 *! 3 '!<80$/99%$2$%%'($0$/;'(%+'%((0('%2/(% % 9% $ 3/$B')'/'($&$ (0'$9$$$ (% E2'2(% $ $%9$2'3'2(! $$&'%'%'/'.((%" /

106 =IF! */0 6 / '!=8%$&'%'%$2$%%D'%9(($$0'((209(')'/'($$$0( $$0'((3$(0$($0$/99%9$2'%(0%$2/((0$$$3''%". " / 0 ' *" 5 " 1! ' * 0 '!A8$%$2(%(9$%$)%$%/(%&(N(9/'2()'/'($ 0$/99%" $ 2."0 / * 0 M 7 / M 3)$ 7 " 3$*M 3

107 =IG O 2/%! 7: 0! Z". *0 0! M E 3. ". 0 E * ! * 3 2 / 0 & ^ 2 * 7 4 * 3 E 3 * 3! " 2% ) ! 2/1 3$.// 0 3.*M *M ' C $ J < )7 /7

108 =IH M C/ * 3)M7= 2%0 3 )6#/ ) 0 / C 7C2. " 0 / 2 * 0 1 / 7* 6/ 0 * " O" ')'?$% )"*3*6 " ) 1 2% /62 //?'ICB?R7OICB 0. 2%. 0!.! 4 / / " * 3 / /./ 2% 3 ) 6! " 7 0 0

109 =IJ 30 ") < " 0 * 2% 7 " 0 M O" '0'(?$%$% "1/ 00 E 0 2 M / 0 6M! 7 0 3/ 0 ) " 0 ):0 0 1 * O", ()(/;%3% :. 0 * )$.8 %0 0/ 3 0. / 6 * 2 6 %0 0! 6"

110 =IA P?&2%IFB &2%%T 'V N22;V 75+ V <:5$L#2:5:V 52()75' V 52()75#V7N(\NX8] &:5$L: V $:K57 V '%25+7 KV K:)++:7 + \: %()]:222#)32 &%7:2'(V)#752&%;2%'\'()8 +3 : *: *]) <8'; $55:5+%\#*'W:X]20=I=I7 $%'2( 2\+)3# > $ & # R]L ':5VR7O+L:\#*9*X*. 0]:8:222 : $ % 2,%2XIC- CIIC 2 + 2)7NR; $V 2K%:)#7 %\';3 ] '' V)$L:5(2%'\) 93 / 39]:'KCICIICDJ. FF?2&5ICB 2&52%+V;:5(L\# %]:222)3' CIICJI.JH?2)IFB 2):57(%)V'25&N' V NT ( 5\N " $ 2* % ' )3]:8 K: O9*%2CIIF#CIIF?2)IGB 2):57(%)V'25&N'VNT(5\%2 $* )3')3 2]C=:$)3'CIIG?2)IGB 2):57(%)V(72)(#V %:;(5:$;:%V NT ( 5\N &+$*+% )3]:8 K: O9* % 2CIIGCIIG?2KIIB 2K%:)#7%V )$N2%%\+* 8

111 ]:8L:$))CIIIL b2n=.=gciii?2kigb 2K%:)#7%VNT(5V%:;(5:$;:%VK%:#$L:%\O* 73 7 *):#8%*]:8* DA* L3: $ )). L:$)) L3 N) <%5$L `V&7#2(( \ 5.<% )3 : O9* )3 ) :222 <N++2## \)3 8 %] < ) N25\<:%2] L55'\'&&%])3'0 L5)25'#V 57L:% 5V#:2%52T#\O*X L2%&)(2&V'7:#%\+)3]:222)3CII= L725 5\ 8 ]:``:$5%& LN'L%2T OV;:#)75 V;))2#\#*) )3 2 : $ ) 2\O* ) 2d] $ 8 *8 Q333QQ3*6 :)7\:#* > + :)7Q:2$ =CCIJ,)3( $ :)7\:)7Q:2$=FJHF>)3']+8:70 $7&)75:V&77$L+V%N'&N+L\#*N)3 ;%7(; \+)3 >' K#

112 ==I?;:2IDB ;:2((\268$)]:O9* ;7#75T +V )7''2%K:((2:\% 28 ;%N$L#25 \#*% N 8 :] N) %58.OCIII?(2<IDB (2<<:5+O2((VO:%:+\')3%>N$ (:N;V (2%)75 V PN%2)L: R\%% ( ) ' &*] *: D.=C?(7IDB (72)(#V NT ( 5 f2 * 3f H* : O9* % (72)(#V NT ( 5V %:$;(5:$;:%V'25&N' fn 3f H*: O9* % (72)(#V NT ( 5V'25&N' \% )8'0#* 2 7 +* ] :$2:)CIIF?(N$I=B (N$:V<)7(:57%V7'2((2\<39( )']:8:$)3'CII= =I?'%ADB '%#:5%V 7)&7%52 O\+ )3'] N) 5 ' $\') <39 K DI 73] $8*8 Q333QQ'CIIF?5N)IIB 5N)2:&2L&V2)#2%&%77;)\%28%]$'.<)32CIIIDJ.FG?%2I=B %2))'5%)\)3 28 X *] 53 T98 '+3L %2))'5%)\2* )3]) 8'9&9 =IGH?%:IDB %:$;(5:$;:%VNT(5V2K%:)#7%\%' +)3 8 < $) )O. $'' 6]:8: O9* +)3

113 === :$)2CIID7b2N'CIID?%:IFB %:;(5:$;:%V NT ( 5\'5)8 N' % )3] :8 `K: )&2). ):'g):7 &%):(2:% L%:2)7<#O%2& %#:75()3 $\% O* ] $ *8 Q333QQQ3* %#:75()3 $\% N 8& )3 #] O* $ *8 Q333QQQ3*CIIC?%2:IIB %2:<2%\%'8#*)*5]:222)3 CIII?%7$I=B %7$L % $V'(757 $V O2&2%; $\P )38 #"])8L CII=DID?)TIGB )Th7'V( $) \N % ] O2%IG. O9* )::P:V)L2;%5'$\%28*3] )522 L'\$) < )3']:8: )7''2%K:((2:\2*)3]H )7''2%K:((2:V)OT2% \% 2 > )7NR'$\)*)3']:8: )#2K25)V77(2T%\)% ]:8* H* $' ):+)7<# < 3 #LT2%%V 7%<'5'\) )3% 2] N'% \,%-28& O.& 3*(]N)%8L OL:#2)'\$% ()] * :) O9* ) 2 $ T:5%\2 $8 /]) 8&9 CII= CIG

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA M RJETHRTAEMCAA CM LANTAR E CLHER ALIMENT EM CAA 201 A Rzçã Ch Dvv Hb Ub CDHU I GEA é b REFEITUR A DE Ã AUL VERDE E MEI AMBIENTE FhTé Ebçã Tx Agô Jé Lz Ch T Nh Rh Rvã A M Dg Lz Egá j Nh Rh Rq L R Rf Tv

Leia mais

Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF

Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF Henrique Leonardo Medeiros Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional Privado Câmara dos Deputados

Leia mais

! &" #$& "% '()) '()' 4 )* * +, ' -./ )* 0' ( ' 1% +, 2 ' 3 -./ $ * + *,-. / #. 0! " 1 $ 2 3 # $ $ % & ' 4 " *.! " * 5 5+ * 6 7 # - 7 # ( $ % & '

! & #$& % '()) '()' 4 )* * +, ' -./ )* 0' ( ' 1% +, 2 ' 3 -./ $ * + *,-. / #. 0!  1 $ 2 3 # $ $ % & ' 4  *.!  * 5 5+ * 6 7 # - 7 # ( $ % & ' ! " # $ % ! &" #$& "% '()) * + *,-. / #. 0! " 1 $ 2 3 # $ $ % & ' '()' 4 " *.! " * 5 5+ * 6 7 # - 7 # ( $ % & ' 4 )* * +, ' -./ )* 0' ( ' 1% +, 2 ' 3 -./ $ 3 4 SUMÁRIO MATERIAL DE ATUAÇÃO PRÁTICA PARA

Leia mais

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães Diretor de Operações Adriano de Magalhães Manual de Abastecimento de Água pág. 2 !"!#$$ %"&'()*%+,%-%+,%./&01

Leia mais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde UMinho 2012 Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde Universidade

Leia mais

"* + "* + ")"* + ")"* +

* + * + )* + )* + * + * + %& '( %& '( )* + )* + ),-./ 0 ( ( ),1.2./ 0 ( ( 0(0*33** 0(7 4 % & % &' % ( ) * & )+ ', + ---. % / -. + +) /0.- 1 2. 0. 3 + (4 % 7 +4 -' & 1 1' *88** 1&0 % ' % 1 9 1 1 1 % (4 (4 +272 4 1 & 9+

Leia mais

SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350)

SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350) SITUAÇÃO DE REVISÃO DE DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA PARA OS MANUAIS ELABORADOS OU TRADUZIDOS PELA HELIBRAS (SRD 350) NOTAS IMPORTANTES 1. Documento atualizado mensalmente com o objetivo de ser o referencial do

Leia mais

!"#$%&'("')#*&%+,-./' 0#12"%31(/("'4"("%/5'("'6"%#/+78.&' 91#1.183'!/%(&3&':/%.1/' 2.;<.1#=8*>"=7%'?&2"+7%&@'ABCB'

!#$%&'(')#*&%+,-./' 0#12%31(/('4(%/5'('6%#/+78.&' 91#1.183'!/%(&3&':/%.1/' 2.;<.1#=8*>=7%'?&2+7%&@'ABCB' !"#$%&'("')#*&%+,-./' 0#12"%31(/("'4"("%/5'("'6"%#/+78.&' 91#1.183'!/%(&3&':/%.1/' 2.;"=7%'?&2"+7%&@'ABCB'! F7G"-2&':"%/5''!H13.8-%'$I.#1./3'("'>%&;%/+/JK&'"'"3$%8$8%/JK&' ("'(/(&3'>/%/'&'("3"#2&521+"#$&'("'>%&;%/+/3'

Leia mais

ANÁLISE COMBINATÓRIA. Ex: 1) Para a eleição da associação de Pais e Mestres da Escola, há três candidatos a presidente e dois a vice-presidente.

ANÁLISE COMBINATÓRIA. Ex: 1) Para a eleição da associação de Pais e Mestres da Escola, há três candidatos a presidente e dois a vice-presidente. ANÁLISE COMBINATÓRIA A Análise Combinatória é uma parte da Matemática que estuda e desenvolve métodos para a resolução de problemas que envolvem contagem. A origem dos problemas de contagem está ligada

Leia mais

! " # $ % % & ' ( ) ' * * +

!  # $ % % & ' ( ) ' * * + ! " # $ % % & ' ( ) ' * * + , - $ '. ! " $ & & - 0 $ $ 0 $ 3 4 5 4 3 ) 7 8 7 # % ' " ( ) * +,./ " ( $,,, ) 1 2 1 ' % 2 " % % ' %( 6 ' ( ( $ $ " !!. / '! % - :,! 3!3 ; % - ( *# 3)! ) < ; = 9 # 3!!3 33

Leia mais

-!"%!%"/$#/"1%+,# *$#/"1% +,#4"*5+-!"# $*/"1% +,#!+$/$*-3/"!+9+3/!*- : 0%;#$*+ <#"./&8*- =!%0#-*.9#("/ &/4"*5+-!"# $*0#!* *5+-!"#$*!/06**5.*!

-!%!%/$#/1%+,# *$#/1% +,#4*5+-!# $*/1% +,#!+$/$*-3/!+9+3/!*- : 0%;#$*+ <#./&8*- =!%0#-*.9#(/ &/4*5+-!# $*0#!* *5+-!#$*!/06**5.*! 1 "#$%&'# ()*+,#-$#./ %/0 -"%%"/$#/"1%+,# #.3#-+&'#$#/"1% +,# #*$*-*",++"#$%# *5+-"#$*$*/06* (-*",/&8*- *$#/"1% +,#4"*5+-"# $*/"1% +,# *5+-"#$*/"1% +,# *",++"#$%# #("/ &/ *-9"+&'#$#3"#9*--# ()*+,#

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Tipo 3NP 1 3K 3NJ4

Leia mais

(A Themistocles Machado)

(A Themistocles Machado) (A Th Mh) BRAZL á 58 Hh Dg Bh fô gv g Bz v F Hh Pg ê h F f 598 A 585 gv L B A< Pb F Bb v v ãó f z v Phyb vz vzg f fz N v x h P Ch S; Aç h b fv T ffê fz á J? 4 REVSTA bb hb g j çõ fz v h b z ç gv g Dg Bh

Leia mais

ÍNDICE. 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5. 4. Resultados Académicos...

ÍNDICE. 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5. 4. Resultados Académicos... ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5 3.1 CONTEXTO FÍSICO E SOCIAL 3.2 DIMENSÃO E CONDIÇÕES FÍSICAS DO AGRUPAMENTO 3.3 CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos

Entidades autorizadas a exercer a atividade de transporte de doentes e respetivos veículos Tipo de entidade Rótulos de Linha 3101 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Aldreu 96-46-HD 37-36-XP 66-NX-49 75-IS-24 78-32-MM 3102 Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação De Amares 25-98-LI 03-88-QU

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99 1 ! ""#$ %! &! $ '()*+,-./01234435 634432 #78!99 #:;&9 2 !" # " $!" %" # $ &'()*+(,$$#% -.*/0(1)2)3425 3 Marcelo O. Coutinho de Lima 4 )*+, 9 82 "! 9!2 $ $ $?$@; *7 A> =" " ); B$" 9 $

Leia mais

Cláudia Augusta Ferreira Deud e Ednalva Maria G. Farias de David Consultoras Legislativas da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário

Cláudia Augusta Ferreira Deud e Ednalva Maria G. Farias de David Consultoras Legislativas da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário Cláudia Augusta Ferreira Deud e Ednalva Maria G. Farias de David Consultoras Legislativas da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS INSTALADAS NA REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI

GERAÇÃO DE EMPREGO E RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS INSTALADAS NA REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI XVI Semana de Iniciação Científica e II Semana de Extensão De 21 a 26 de outubro de 2013 ISSN: 1983-8174 Universidade Regional do Cariri - URCA - Crato, Ceará GERAÇÃO DE EMPREGO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Leia mais

PINHO NOITES & FILHOS, L.DA Construção de Móveis e Empreitadas de Obras Públicas, L.da

PINHO NOITES & FILHOS, L.DA Construção de Móveis e Empreitadas de Obras Públicas, L.da PINHO NOITES & FILHOS, L.DA Construção de Móveis e Empreitadas de Obras Públicas, L.da Av. Reinaldo Noronha - Telef.: 256 940120 - Fax: 256 940129 - AROUCA MOBILIÁRIO ESCOLAR PARA ENSINO BÁSICO E JARDINS

Leia mais

NCE/10/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/10/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/10/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

MÓDULO 25. Geometria Plana I. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA

MÓDULO 25. Geometria Plana I. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA MÓDULO 5 Geometria Plana I. Mostre que o ângulo inscrito em uma circunferência é a metade do ângulo central correspondente. 1. (MAM-Mathematical

Leia mais

!" # $ % & ' ( ) ) ( *+, # -

! # $ % & ' ( ) ) ( *+, # - !" # $ % & ' ( ) ) ( *+, # - # INTRODUÇÃO ".//".01234"556574"58246".4.0.215"/9/615":58759/6.58/"1/".46515" ;"0:8/""/.2" 1/ 7/4 8/75.432" 5 =8?14.2" 514=42654"@ 54"/9/615"

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DE IMBITUBA Administração do Porto de Imbituba

COMPANHIA DOCAS DE IMBITUBA Administração do Porto de Imbituba COMPAHIA DOCAS DE IMBITUBA Administração do Porto de Imbituba!" #$ %& ' ( ) ESCLARECIMETOS IICIAIS. A Audiência Pública é um instrumento de participação popular, aberta a qualquer interessado, tendo por

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

MARINE COMMANDER 3000

MARINE COMMANDER 3000 Índice Introdução 2 Colocar em funcionamento 2 Como jogar 3 A batalha 5 Variantes de jogo 6 Seleccionar a variante de jogo 8 Cria a tua própria configuração inicial 9 Tecla Near Miss 11 Verificação das

Leia mais

! " #! $! %! " & ' ( )!! " * + " *, %

!  #! $! %!  & ' ( )!!  * +  *, % ! " #! $! % "! &' ( )!! " * + " *, % ! " # $ %!"#$%#&'()%#*&+ *', #%!-").%",')/&%001 #2% '.32"!'.)%#%2'%%4"'&)'#.)* *.'*#' 2)%#&"'&)' *'!&%5'/65*#'& &*#78% 2*5#%#2)'29:* #;!')*

Leia mais

!"# $% & '(!)% $# $*)%+,& #-.%#(# #(# #. %/$#0 *. #"(*$& #12 &-%(3-!& $# 2-&4#(&" %2-&5%$&" 2# &!!"(6-!& $% %/$#!& $# %#!-& #7#.

!# $% & '(!)% $# $*)%+,& #-.%#(# #(# #. %/$#0 *. #(*$& #12 &-%(3-!& $# 2-&4#(& %2-&5%$& 2# &!!(6-!& $% %/$#!& $# %#!-& #7#. RELATÓRIO FINAL !"# $% & '(!)% $# $*)%+,& #-.%#(# #(# #. %/$#0 *. #"(*$& #12 &-%(3-!& $# 2-&4#(&" %2-&5%$&" 2# &!!"(6-!& $% %/$#!& $# %#!-& #7#.8-&9 :;;< 5 -=%!7%+,&0 "(%+,& $# -%8% >& 8"#-5%(3-!& $&"

Leia mais

2 UKWELI % &' (! $ ' ')#&' &'!* 2-../ 1! '2344&567839:;&3...7< 8(==>?3@.A-.:-B.;;9 !7$9.>:B:?>3:3>3 6822 3, F &I &5

2 UKWELI % &' (! $ ' ')#&' &'!* 2-../ 1! '2344&567839:;&3...7< 8(==>?3@.A-.:-B.;;9 !7$9.>:B:?>3:3>3 6822 3, F &I &5 2 UKWELI!" #$ % ' (! $ ' ')#' '!*!"#$ %' (+,-./ 1!)* +,,# $ %-... "/- 2-../ 1! '2344567839:;3...7< 5178 8(==>?3@.A-.:-B.;;9 >(CDC E(FFFC!7$9.>:B:?>3:3>3 G (+CH (IF7!F2 5 (EJ2 6822 3, F I 5 Índice 4 5!"#7

Leia mais

#$ %& $!"#" $ ' " $ ) *+,- #$ %&.

#$ %& $!# $ '  $ ) *+,- #$ %&. !" #$ %& $!"#" $ ' ($ " $ ) *+,- #$ %&. 1 1 1 2 % & '... 3 ( )#* % #... 6 (+'!,!"-#!"."...6 (+'+'!"/0... 6 (+'+(!, "1/2 "34 5... 6 /'/' 0... 6 (+'+(+'+' 102 " 3 5... 7 (+'+(+'+( -, 6",!... 8 (+'+(+'+7

Leia mais

RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores. Manual de Procedimentos

RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores. Manual de Procedimentos RENAVAM Registro Nacional de Veículos Automotores Manual de Procedimentos!" ESTRUTURA DESTE MANUAL &'( ) *+,-./0-1 *+,2 % *+,3-445-"-4 6 *+,"-47.2-4 8 *+,4349!.4 : ; 4';

Leia mais

Fluxo de Aprovação do Processo de Desenvolvimento de Software TRT 11ª Região

Fluxo de Aprovação do Processo de Desenvolvimento de Software TRT 11ª Região Fluxo de Aprovação do Processo de Desenvolvimento de Software TRT 11ª Região s Símbolos Comitê SETI/SDC Demandante DI Analisar solicitação da demanda Comunicar inviabilidade ao demandante Formalizar Demanda

Leia mais

Artigo Inicial: 4 Artigo I ("A Semente é a Palavra de Deus"): 9 Artigo II ("Alvo de Contradição"): 20 Artigo III ("Novo Adão e Nova Eva"): 26 Artigo

Artigo Inicial: 4 Artigo I (A Semente é a Palavra de Deus): 9 Artigo II (Alvo de Contradição): 20 Artigo III (Novo Adão e Nova Eva): 26 Artigo 1 !" #!#!$" %&''() 2 Artigo Inicial: 4 Artigo I ("A Semente é a Palavra de Deus"): 9 Artigo II ("Alvo de Contradição"): 20 Artigo III ("Novo Adão e Nova Eva"): 26 Artigo IV ("São José"): 37 Artigo V ("Corpo

Leia mais

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&'

&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&' ! " #$$# ! " #$$# %! ' () #' (( * + ), (# -. / 0# () -. 1 234 3 5 3 0' (0 -. 1 1 6$ (7-. 1 - - 6,!" # 8( #( - 1 80 ## -!+ 8, #) -. ') #0 -. 1 ', #0( -. '' #0# - ($$ #0) - ($# $!"% ($, )(-! 9 (#$ )#- %

Leia mais

SINAIS DE PERIGO SINAIS DE CEDÊNCIA DE PASSAGEM SINAIS DE OBRIGAÇÃO

SINAIS DE PERIGO SINAIS DE CEDÊNCIA DE PASSAGEM SINAIS DE OBRIGAÇÃO SINAIS DE PERIGO SINAIS DE CEDÊNCIA DE PASSAGEM SINAIS DE OBRIGAÇÃO SINAIS DE PROIBIÇÃO C1 - Sentido proibido C2 - Trânsito proibido C3a - Trânsito proibido a automóveis e motociclos com carro C3b - Trânsito

Leia mais

GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA.

GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA. Insolvência de GONDOLAR SOCIEDADE IMOBILIÁRIA, LDA. Relatório (artigo 155º do C.I.R.E.) I Identificação do Devedor GONDOLAR Sociedade Imobiliária, Lda., com sede na Rua Nossa Senhora dos Remédios, 780,

Leia mais

Luiz Humberto Cavalcante Veiga Consultor Legislativo da Área VII Sistema Financeiro, Direito Comercial, Direito Econômico, Defesa do Consumidor

Luiz Humberto Cavalcante Veiga Consultor Legislativo da Área VII Sistema Financeiro, Direito Comercial, Direito Econômico, Defesa do Consumidor Luiz Humberto Cavalcante Veiga Consultor Legislativo a Área VII Sistema Financeiro, Direito Comercial, Direito Econômico, Defesa o Consumior Câmara os Deputaos Praça Poeres Consultoria Legislativa Anexo

Leia mais

! " ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$

!  ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ xfghdfgh!" # ! " $$! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ &! '! -! 95,()!! +)- *$ - :! ' ')!0 ') );!4 ' -! ',*$!7 < )) 6 +=!>? @ ) *$!)2 3 ) - :! -), "

Leia mais

! "# $%&'( ) *'*&%( +,$ -.

! # $%&'( ) *'*&%( +,$ -. ! "# $%&'( ) *'*&%( +,$ -.!! "#$%/!%% //++/%0&% /0/)%1& %#%% 1($2! %3 4 5*5 &6 %27&89..+:-;>->1?@>

Leia mais

LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS RESUMO

LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS RESUMO LEITURA NA EJA: ENFOQUE NOS GÊNEROS TEXTUAIS T K Dí Mz 1 (UFAL) mz.p@hm.m V C B 2 (UFAL) v2@yh.m.b M Lm Qz F 3 (UFAL) 12@hm.m RESUMO N g pm p á bvçõ z m m m pó-fbzçã jv, m m púb. O f vgçã - fmçã p zçã

Leia mais

Paulo Freire e Sustentabilidade :Educação para a Sociedade Sustentável

Paulo Freire e Sustentabilidade :Educação para a Sociedade Sustentável XVI Semana de Iniciação Científica e II Semana de Extensão de 21 a 26 de outubro de 2013 ISSN: 1983-8174 Universidade Regional do Cariri - URCA - Crato, Ceará Paulo Freire e Sustentabilidade :Educação

Leia mais

Cash Management Folha de Pagamento

Cash Management Folha de Pagamento Cash Management Folha de Pagamento Layout de Arquivo Padrão CNAB 240 Padrão 240 Folha de Pagamento Versão Atualizada Composição do Arquivo Header do arquivo (registro tipo 0) Header do lote (registro tipo

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Development Case. Project: VENSSO. Data 27/05/2005. Vesões do Documento 2.00

Development Case. Project: VENSSO. Data 27/05/2005. <location to access at CVS or URL> Vesões do Documento 2.00 Project: VNSSO Data 27/05/2005 Responsável Documento ID Localização Ana Paula Cavalcanti VNSSO_PRC_20050601 Vesões do Documento 2.00 VNSSO_PRO_20050601 Histórico de Date

Leia mais

01("%&2("&3",1("#$%&'()*"4(*,%)2"5)*6".*",1("7.*)*8.)2"4%)91"" )*:",1("4%.9.9"&3",1("#$%&;<&*("

01(%&2(&3,1(#$%&'()*4(*,%)25)*6.*,1(7.*)*8.)24%)91 )*:,1(4%.9.9&3,1(#$%&;<&*( #$%&'()*#+'(%,-((,.*/ 01(%&2(&3,1(#$%&'()*4(*,%)25)*6.*,1(7.*)*8.)24%)91 )*:,1(4%.9.9&3,1(#$%&;'%.2!?,1?@!!!#$%&'()*+,$-&./0,$-+/&+$)&$*'1$/'$)2($3*0($&3$)2($0+/4/4$ -)%.8)7%)*/)6.9 A.8&9B&$2)*,C)9D*9,.,$,(

Leia mais

Telecomunicações Básico

Telecomunicações Básico Telecomunicações Básico Prof. MSc. Eng. ! "!"!"#$ %!"# #% # $ &# #!% '($ ) ) *+, ) $-!.) / 0 1#() 0!2) $% & '() * %# ') % &# /) *%+,,%-, 334-3564.7 &3897.%& / /% 0 0% 1 0 :'( : : $00'( :'(;< : 4.*6 :4.*6

Leia mais

!" #$ % & % ' ( )**)

! #$ % & % ' ( )**) !" #$ % & % ' ( )**) "$+$,-./0112)).113 2 % 4 4 )56 4.75 5 016 % 6!"#$%!&' 6 ()*) %!"'&! 6 +&!,)&!#&)'-'*! 7 8% 8.'%*)'*%/!)"#!#0&!')- 8.("#%0#0%%"1')"2!-!" 8.+!)3%4"#%0#0%/!)!"#%56'1"70!" 9 81.14,9$,:""$;$":$!"

Leia mais

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora. 3

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora. 3 HIERARQUIA URBANA E DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE INVENÇÕES NO BRASIL 1 Rodrigo Siqueira Rodriguez 2 Eduardo Gonçalves 3 RESUMO: Este artigo tem como objetivo a aplicação de medidas de distribuição regional

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

José Valente de Oliveira e Fernando Lobo. Introdução à. Programação de Computadores em Java

José Valente de Oliveira e Fernando Lobo. Introdução à. Programação de Computadores em Java José Valente de Oliveira e Fernando Lobo Introdução à Programação de Computadores em Java José Valente de Oliveira e Fernando Lobo The Ualg Informatics Lab Universidade do Algarve Índice...4 CONCEITOS

Leia mais

-./ 0123 345./ 0123 36'- *"$** - / <0 #. . / : <0 :( G ::: -

-./ 0123 345./ 0123 36'- *$** - / <0 #. <?9: < : >. / : <0 :( G ::: - !""#$%&'()*+, -./ 0123 345./ 0123 36'- 789 :$/;0+=8 >, *"$** -. '/0 / 0 #.?9: :. +,#78+37;,9@ 7;,9@ : >.?%A:--:+8#+:$ :"". 4."" 48."")/$A0 B" C:5::" :: :.A$)44 8:**-8$5C:: :::-7:AD$ &':3&&&-'-$EF(: :3-9$:(-:7$

Leia mais

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE

Nota10 ESCOLAS DA DIVERSIDADE A fl Clg, Al Glbg: l g q PÁGINA 8 N10 A 13 ú 48 bl//jh 2013 Pblçã l Fçã AlMl Bl ESCOLAS DA DIVERSIDADE Pj Fçã AlMl Bl úbl b blh lã ç fê l l l PÁGINAS 4 E 5 ARUIVO FUNDAÇÃO ARCELORMITTAL BRASIL O l Jé f

Leia mais

ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE MUDANÇA GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO

ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE MUDANÇA GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO ITIL V3 (aula 2) AGENDA: GERENCIAMENTO DE MUDANÇA GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO GERENCIAMENTO DE CONFIGURAÇÃO Gerência de Mudanças as Objetivos Minimizar o impacto de incidentes relacionados a mudanças sobre

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

Contas Contábeis Débito Crédito. Ações em Tesouraria - AC 3 ou PL 5 26.000,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC 1 26.000,00

Contas Contábeis Débito Crédito. Ações em Tesouraria - AC 3 ou PL 5 26.000,00 Caixa ou Banco Cta. Corrente - AC 1 26.000,00 Ações em tesouraria - Reembolso Situação em que a empresa ou a companhia adquire suas próprias ações que estavam em poder de seus acionistas, por dissidência ou outras razões, (Reembolso, art. 30 da Lei

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Amplificadores para sinais de pequena potência em RF

Amplificadores para sinais de pequena potência em RF Amplificadores para sinais de pequena potência em RF Gil Pinheiro UERJFENDETEL Amplificadores para sinais de pequena potência em RF Objetivo: Amplificação seletiva de sinais de RF de baixa potência com

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Gerenciamento de Requisitos

Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Jaelson Castro 2013 1 Gerenciamento de requisitos Relaciona-se ao processo de gerenciar a mudança dos requisitos de um sistema As principais preocupações do gerenciamento de

Leia mais

Formal Sector manufatureiro

Formal Sector manufatureiro PESQUISA SOBRE O CLIMA DE INVESTIMENTOS E DA PRODUTIVIDADE CABO VERDE Formal Sector manufatureiro Número de identificação: Número do questionário: Av. Greene,1303, 2 andar, Montreal (Quebec) Canadá H3Z

Leia mais

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0 Plano de Projeto G Stock Plano de Projeto G Stock Versão 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autores 10/09/2010 1.0 Descrição inicial do plano de projeto Denyson José Ellís Carvalho Isadora

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

!" #$ % % )* ( ) *)+ ", -% "./ - " # / / "0 - / / - - -" ",

! #$ % % )* ( ) *)+ , -% ./ -  # / / 0 - / / - - - , " #$ %&' ( " #$ % % "& '" )* ( ) *) ", -% "./ - " # / / " - / / - - -" ", "# $ %&'(" )$&&* 1 / / "",- * 2 ).) " &,&%$&&*$#&-$&&*.'/ / 1 2 34 5 14 6 23 1 3 5 3 1 6 1' 4 3 3 ) 1 7 1 6 85 3 2 3 9 31. 3 3

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Conceitos e Metodologias para Desenvolvimento de Software Cascata, Prototipação, Espiral e RUP Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br

Leia mais

-.' *(/ " ( / ( 0 1 (/!

-.' *(/  ( / ( 0 1 (/! 1 "#$% "#$% &' (()* + "#$%,$% " #$% &' " #$ %& " ' #$ ( % )% * + * ", " "-% " *. -.' *(/ " ( / ( 0 1 (/ 1 0 1 2 3% 4-..56% 7& % "8$9# $49$6,8% :$$9;0;$%"-..56& "#$%"&'(%&'%&)*+'''%&,&-../ 2,3

Leia mais

SINALVIAS, Lda - www.sinalvias.pt

SINALVIAS, Lda - www.sinalvias.pt SINALVIAS, Lda - Centro de Empresas e Serviços Rua dos Aguadeiros, Lote 6.1 Vilamoura 8125-492 Quarteira Tel/Fax. 289 314 468 E-mail. sinalviaslda@gmail.com NIF. 509 274 714 www.sinalvias.pt SINALVIAS

Leia mais

MARÍTIMA SUPER EMPRESARIAL CONDIÇÕES GERAIS

MARÍTIMA SUPER EMPRESARIAL CONDIÇÕES GERAIS MRÍTIM SPER EMPRESRIL CONDIÇÕES GERIS " $ " % & " ( $,( $ (.,(. " " " " / " % 0,,,, / 0 2 " " % & / & 0 " 5 6 7 5 8 9 2 : ; 2 8 ; % ( % % 2 " 2 2? 5 ".: @ //5 (.,(.

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

! "#$%&,- $. + ' /'/! 0 / / / /& 1 2 3 /4 & ;;< = # >? $. @/ /

! #$%&,- $. + ' /'/! 0 / / / /& 1 2 3 /4 & ;;< = # >? $. @/ / ! "#$% '#()*+,- $. + ' '! 0 1 2 3 4! ' 55 #6 3789: ;;? $. @ http:www.usp.brnceaeducomunicacaosaibamaistextos página 1 de 19 - A=. A = ' B - 2 B - # # 2 ) 8 "# C $% *. D #6 378 9 : E' 8 * # - 7.

Leia mais

Manobra e Proteção de Motores. sirius. Métodos de Partida

Manobra e Proteção de Motores. sirius. Métodos de Partida anobra e Proteção de otores sirius étodos de Partida étodos de partida Índice Páginas Partida direta coordenada com fusível... e Partida direta com reversão coordenada com fúsivel... 5 e 6 Partida estrela-triângulo

Leia mais

RELÉS 24V CA / CC 24 240V CA/CC 3RR21 41-1AA30 3RR21 41-1AW30 3RR21 42-1AA30 3RR21 42-1AW30

RELÉS 24V CA / CC 24 240V CA/CC 3RR21 41-1AA30 3RR21 41-1AW30 3RR21 42-1AA30 3RR21 42-1AW30 Reles de Monitoramento de Corrente SIRIUS Os reles de monitoramento de corrente supervisionam não apenas os motores ou outras cargas, mas adicionam facilidades para o monitoramento da corrente ideal do

Leia mais

TIRA DÚVIDAS NOVO MODELO GFIP/SEFIP

TIRA DÚVIDAS NOVO MODELO GFIP/SEFIP PREVIDÊNCIA SOCIAL!"# #!$#% TIRA DÚVIDAS NOVO MODELO GFIP/SEFIP "! &' "(!"(! #)*+ &',-",##./# 0,1/"./ &* #2'#/"(#(.,##(###3 &4&'.,(#( ##,'##!#((#!$#"(!#! &*!5" # /"$# # # /"' 5 #(#! #,! # #.,#,"#6,! &4&)*+

Leia mais

O EMPREITEIRO. Copatrocínio

O EMPREITEIRO. Copatrocínio KH T M W TÃ G A N F NAL UC Lp D CA -A 1200 ÁT X A JT - / A ã 5 1 0 2 D m 26 A A ç p 27 MW c áb fz h C J F g c h Lb 290/ -116 6 1 0 y 2 w h çã f pc G pc m D x f L ª 4 G c M A Jg q A b é C gh H V V g ã M

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA CIDADE DE CRATO-CE: O USO EM CONTEXTOS RELIGIOSOS

A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA CIDADE DE CRATO-CE: O USO EM CONTEXTOS RELIGIOSOS XVI Semana de Iniciação Científica e II Semana de Extensão de 21 a 26 de outubro de 213 ISSN: 1983-8174 Universidade Regional do Cariri - URCA - Crato, Ceará A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS NA CIDADE DE

Leia mais

! " # $ & & ' ( & & & $!) *+ *,! -../00 1 23 -&!"!!"!#! $%&'&! $ 7 8 " & $ 9 :,! %; $ ( )'!'*+ '*+, < " ==>?! : *,,& " '-

!  # $ & & ' ( & & & $!) *+ *,! -../00 1 23 -&!!!!#! $%&'&! $ 7 8  & $ 9 :,! %; $ ( )'!'*+ '*+, <  ==>?! : *,,&  '- Núcleo de Comunicação e Educação! " # $ %&$' & & ' ( & & & $!) *+ *,! -../00 1 23 -&!"!!"!#! $%&'&! $ *,456 7 8 " & $ 9 :,! %; $ ( )'!'*+ '*+, < " ==>?! : *,,& " '-.'/ http://www.usp.br/nce/aeducomunicacao/saibamais/textos/

Leia mais

B B C F B AC C A C C C F B B B B B B A C B C BF B B A B C B AB C B B AC B CAC C B B B B

B B C F B AC C A C C C F B B B B B B A C B C BF B B A B C B AB C B B AC B CAC C B B B B AB ACDC B CE F B C ACFC ADB C F B AC BA B A CE F C F B AC B BA B B C F B AC C A C C C F B B B B B B A C B C BF B B A B C B AB C B B AC B CAC C B B B B ABC DEF C CE C CE AC C A C C C F B B B B B B A C B

Leia mais

7 * ": ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P " 7 "! M * : : # M

7 * : ) : : I* 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O* P  7 ! M * : : # M 7 ": ) : : I 5 6 7 < : # G I9 9 4 M N O P " 7 "! M : : # M # Q 7 97 8 ! # # I ) H3"K # : R : : 9 M ) # 9# Q ; : 9 : IM Q ; 9M O H8 7B3B K : 9 ) 4 4; 9 < : ) 9 # : M :!# ; : N : " 3 S T! S U # I T S # H3"K

Leia mais

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães Diretor de Operações Adriano de Magalhães Manual de Saneamento pág. 2 !"#"$%% &#'()*+&,-&.&,-&/0'12

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Instrutora: Claudia Hazan claudinhah@yahoo.com. Motivações para Engenharia de Requisitos (ER) Processo de Requisitos

Instrutora: Claudia Hazan claudinhah@yahoo.com. Motivações para Engenharia de Requisitos (ER) Processo de Requisitos ,PSODQWDomRGHXP 3URFHVVR GH *HVWmR GH 5HTXLVLWRV VHJXLQGRR R &00, 0, Instrutora: Claudia Hazan claudinhah@yahoo.com Agenda Motivações para Engenharia de Requisitos (ER) Processo de Requisitos Visão Geral

Leia mais

Engenharia de Sistemas de Computador

Engenharia de Sistemas de Computador Engenharia de Sistemas de Computador Sistema é um conjunto ou disposição de elementos que é organizado para executar certo método, procedimento ou controle ao processar informações. Assim, o que é um Sistema????????

Leia mais

!"#$%& '!!!(!)!"#*+&,$!+!)!!% -"#'.!$ ' &/-+!'!&$!"#

!#$%& '!!!(!)!#*+&,$!+!)!!% -#'.!$ ' &/-+!'!&$!# !"#$%& '!!!(!)!"#*+&,$!+!)!!% -"#'.!$ ' &/-+!'!&$!"# 011+!' $.$ '!$2 -!' ).*'2&%'34431 3 5 6 - +78*-! -!-' ). &!! +-!&- ' 9)$)! & +$ : -! -!-' - +781 5 ).;'!*34431 1;)1!"#?&!'@5-('!''!)'!-' ' $)1.!&!

Leia mais

"# # $ % & ' (' ) * + ', -#(

# # $ % & ' (' ) * + ', -#( WinPto v9.0 ! "# # $ % & ' (' ) * + ', -#( -#". / 0 00 1 02 " '3' 0 ' 0 "# 3 4 ' 2 1 2 & ( 5 64 7 8 95 14 8 4:5 5 '; < 9 50 "#! 5 4 5* $%( 5 & ( (&=9 0 1/ < 9 2 4: > 64 " 4 (" * 9? @ *5 @ ; ) *5 $.% 4

Leia mais

Off. almanaque 21 ANOS. Sina. Off. almanaque. [circo teatro de rua] 21 ANOS. Sina. [circo teatro de rua]

Off. almanaque 21 ANOS. Sina. Off. almanaque. [circo teatro de rua] 21 ANOS. Sina. [circo teatro de rua] q q Off S Off S 21 ANOS 21 ANOS [ ] [ ] ÍNDICE Içã 3 P 4 Ráv Púb 5 Açã 6 1. A A Cçã 9 2. T R E C-T 17 3. Dg Phç 33 4. C-T R 41 Lh T 51 C Az - R B T R 52 Cçã E Ab Lí Tx Ab Lí L M Rh Rg Ch E A Vv C Eí Sv

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

PLANIMETRIA. Laboratório de Topografia e Cartografia - CTUFES

PLANIMETRIA. Laboratório de Topografia e Cartografia - CTUFES PLANIMETRIA Medidas Lineares DV DH Distância Horizontal (DH): é a distância medida entre dois pontos, no plano horizontal. Este plano pode, conforme indicado na figura, passar tanto pelo ponto A, quanto

Leia mais

Marina de Albufeira Algarve

Marina de Albufeira Algarve Fracções de Habitação Para Venda As fracções de habitação em comercialização fazem parte do empreendimento Marina de Albufeira, localizado na zona nascente da Cidade de Albufeira, mais concretamente na

Leia mais

Resumo do BABok 2.0 O Guia de Referência de Análise de Negócio Curso de Analista de Negócio 3.0

Resumo do BABok 2.0 O Guia de Referência de Análise de Negócio Curso de Analista de Negócio 3.0 O que é BABok? O BABok 2.0, Corpo de Conhecimento de Análise de Negócios, é considerado como um Guia Referência de Práticas de Análise de Negócio. Este guia é publicado e mantido pelo IIBA. O guia BABok

Leia mais

!"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!

!#$%& '( &)*$+,-& '( +!,& .!(,()/'& & (.!/0()/& '( (&1!23 '& ()/!& '( 34)*3, +0),( /+!3,' )35(!,3''( ('(!$ '&,.6! !"#"$%& '( &)*$+,-& '( +!,& ".!(,()/"'& "& (."!/"0()/& '( (&1!"23" '& ()/!& '( 34)*3", +0")",( "/+!"3,'" )35(!,3'"'( ('(!"$ '&,.6!3/& ")/& *&0&!(7+3,3/&."!*3"$."!" " &#/()8-& '& 1!"+ '( "*%"!($ (0 (&1!"23"!3()/"'&!!$9+'3&+3:;")&/($$3

Leia mais

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira

ano Literatura, Leitura e Reflexão m e s t re De quem e a vez? José Ricardo Moreira S 1- Litt, Lit Rflxã 3- t D q vz? Jé Rid Mi Cpítl 1 P gt Td é di pfit p l: U liv lgl, d lid. E t d di fz d! P Hê: U di vô lá íti, vid hitói d tp q l id gt. P Hit: Ah, di d ihd, it l, it ág, it hi! P L:

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

*+)&'',-.*..! 1!2' 3 % 3 45, 1 " "2 1 7 899::: 1 % 1% 0 1! 2 3 ;

*+)&'',-.*..! 1!2' 3 % 3 45, 1  2 1 7 899::: 1 % 1% 0 1! 2 3 ; ! "#$%&'() *+)&'',-.*..! /"%! 0 1!2' 3 % 3 45, 1 6"' " "2 1 7 899::: 1 % 1% 0 1! 2 3 ; 31!< =5"30 1>??;2%@ A< C0! B' 5"#$ ! " #! " $%! " $%&'(! " "$%)(! " $% ""*' " # " #+ " "'+ '( " " ) % ",#, ", #+,

Leia mais