Farmacologia. Vias de Administração e Formas Farmacêuticas. Vias de Administração. Enteral (oral) tubo digestivo. Parenteral - Injetaveis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Farmacologia. Vias de Administração e Formas Farmacêuticas. Vias de Administração. Enteral (oral) tubo digestivo. Parenteral - Injetaveis"

Transcrição

1 Farmacologia e Enteral (oral) tubo digestivo Parenteral - Injetaveis Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia Oral V (vantagens) - mais conveniente, econômica e segura D (desvantagens) Cooperação Absorção variável Biodisponibilidade incompleta Sublingual V- Boa vascularização Veia cava superior Não metabolização hepática de 1ª passagem Níveis séricos rápidos D - Substância neutra, não irritante e apropriada 1

2 Retal V - 50% não passam pelo metabolismo de primeira passagem Intravenosa V - Precisão, rapidez Biodisponibilidade completa Grande volume Titulação da dose D- Absorção Irregular e incompleta irritação da mucosa D - Dor, infecção Fármacos que formam precipitados, substâncias oleosas Intramuscular V - Efeito rápido Boa biodisponibilidade D - Dor, infecção Inadequada para grandes volumes Contra indicada durante tratamento com anticoagulante Aumento de CK Subcutânea V - Absorção lenta e constante efeito prolongado Absorção imediata soluções aquosas Lenta preparações de depósito D - irritação, risco de necrose e infecção 2

3 Transdérmica V - Facilidade de administração D - Lipossolubilidade e integridade da pele Via Respiratória Inalação V localizada Redução de Efeitos Adversos Sistêmicos Nebulizador Via Respiratória D Infecções oportunistas Spray Intra-arterial Não usada na rotina Exames 3

4 Anestesia Intratecal (subaracnóide) Intra-articular Tratamento localizado Efeitos locais Oftálmica Efeitos locais Nasal 4

5 Via Vaginal Efeitos locais Não usada com finalidades de absorção sistêmica Via intracardíaca Raramente utilizada Forma de apresentação do medicamento Comprimidos Formas Cilíndricas ou redondas, que resultam da compressão de um pó cristalino ou de um granulado em máquinas apropriadas. 5

6 Drágeas Cápsulas São comprimidos revestidos por uma camada de esmalte resistência a secreção gástrica medicamentos em pó, grânulos ou líquido, envolvido em gelatina solúvel, que deve ser dissolvido no intestino. Liberação prolongada Fármaco é liberado lentamente V- Redução da frequência posológica Efeito terapêutico constante Melhor obediência Xarope medicamento + açúcar + água. (1 parte de água para 2 partes de açúcar). Cuidado em diabéticos 6

7 Suspensão medicamento obtido pela associação de dois componentes que não se misturam. Deve ser agitado antes de usar Supositórios Forma cónica ou ovóide, destinadas a serem introduzidas na ampola retal. Os excipientes usados podem ser Lipossolúveis ou Hidrossolúveis (gelatina glicerinada ou polietilenoglicois de peso molecular elevado). Óvulos São preparações destinadas a serem introduzidas na vagina. Substâncias hidrossolúveis ou lipossolúveis. Clisteres Enemas Destinadas a serem introduzidas na porção terminal do intestino (ampola retal). 7

8 Cremes Consistência mole destinada ao uso tópico e difere das pomadas por possuir grande quantidade de água em sua formulação, e por isso apresenta absorção mais rápida. Ideal para lesões úmidas. Pomadas Consistência mole e oleosa destinada ao uso tópico. Devido a sua oleosidade, a absorção do princípio ativo pode ser mais lenta, porém de efeito local mais prolongado. Possui poder hidratante e é ideal para lesões secas. Gel Possui grande quantidade de água em sua formulação, o que proporciona uma absorção mais rápida se comparado com creme e pomada. 8

atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico

atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico atendente de FARMÁCIA Prof. Dr. Luis Antonio Cezar Junior Farmacêutico Bioquímico atendente de FARMÁCIA VIAS DE ADMINISTRAÇÃO E FORMAS FARMACÊUTICAS VIAS DE ADMINISTRAÇÃO Introdução o que são VIAS DE ADMINISTRAÇÃO?

Leia mais

Farmacologia. Farmacologia. Estuda os aspectos bioquímicos e fisiológicos dos. efeitos dos fármacos. É dividida em duas áreas principais:

Farmacologia. Farmacologia. Estuda os aspectos bioquímicos e fisiológicos dos. efeitos dos fármacos. É dividida em duas áreas principais: Farmacologia Farmacologia Estuda os aspectos bioquímicos e fisiológicos dos efeitos dos fármacos Prof. Carlos Cezar I. S. Ovalle É dividida em duas áreas principais: Farmacocinética Farmacodinâmica 1 Farmacocinética

Leia mais

AULA 2 A FORMAÇÃO FARMACÊUTICA

AULA 2 A FORMAÇÃO FARMACÊUTICA FACULDADE CATÓLICA RAINHA DO SERTÃO CURSO DE FARMÁCIA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PROFESSOR: MÁRCIO BATISTA AULA 2 A FORMAÇÃO FARMACÊUTICA A FORMAÇÃO FARMACÊUTICA A RESOLUÇÃO CNE/CES

Leia mais

Conceitos importantes. Farmacocinética

Conceitos importantes. Farmacocinética Conceitos importantes Farmacocinética Fatores Farmacocinéticos que Afetam o Efeito de Fármacos 1) Absorção 2) Distribuição 3) Eliminação Metabolização e Excreção Etapas entre a administração oral de um

Leia mais

SUPOSITÓRIOS, ÓVULOS E VELAS

SUPOSITÓRIOS, ÓVULOS E VELAS SUPOSITÓRIOS, ÓVULOS E VELAS I) SUPOSITÓRIOS Preparações farmacêuticas de consistência firme, forma cônica ou ogival destinadas à aplicação retal. São inseridos com os dedos. I) SUPOSITÓRIOS Obtenção:

Leia mais

Aula 01. Conceitos Básicos de Farmacologia

Aula 01. Conceitos Básicos de Farmacologia Aula 01 Conceitos Básicos de Farmacologia Vocês sabem definir Farmacologia? Podemos definir a Farmacologia como ciência que estuda a ação das substancias químicas, estruturalmente definidas e denominadas

Leia mais

Farmacologia. FARMACOCINÉTICA Vias de administração Absorção Distribuição

Farmacologia. FARMACOCINÉTICA Vias de administração Absorção Distribuição Farmacologia FARMACOCINÉTICA Vias de administração Absorção Distribuição Dose da droga administrada Formas de veiculação dos fármacos e vias de administração ABSORÇÃO Concentração da droga na circulação

Leia mais

PLANO DE ENSINO semestre DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA SEMESTRE 2011/2 Nome da disciplina ODT 7111 Terapêutica Medicamentosa I

PLANO DE ENSINO semestre DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA SEMESTRE 2011/2 Nome da disciplina ODT 7111 Terapêutica Medicamentosa I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA COORDENADORIA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA Campus Prof. João David Ferreira Lima CEP 88040-900 Trindade

Leia mais

Administração de medicamentos I. Profª Leticia Pedroso

Administração de medicamentos I. Profª Leticia Pedroso Administração de medicamentos I Profª Leticia Pedroso Um dos procedimentos de maior complexidade e que requer maior atenção e responsabilidade da enfermagem. O código de ética do COREN: Cap.II - Responsabilidades

Leia mais

Absorção e distribuição de drogas. Medicamentos. Medicamento é qualquer agente químico que, administrado no organismo vivo, produz efeitos benéficos.

Absorção e distribuição de drogas. Medicamentos. Medicamento é qualquer agente químico que, administrado no organismo vivo, produz efeitos benéficos. Absorção e distribuição de drogas Medicamentos Medicamento é qualquer agente químico que, administrado no organismo vivo, produz efeitos benéficos. Droga é qualquer substância que, administrada no organismo

Leia mais

CÁPSULAS. Profª: Erika Liz

CÁPSULAS. Profª: Erika Liz CÁPSULAS Profª: Erika Liz DEFINIÇÃO As cápsulas são formas farmacêuticas sólidas nas quais uma ou mais substâncias medicinais e/ou inertes são acondicionadas em um pequeno receptáculo, em geral preparado

Leia mais

23/10/2009. Introdução. Soluções Farmacêutica. Xarope. Soluções Orais

23/10/2009. Introdução. Soluções Farmacêutica. Xarope. Soluções Orais Introdução Soluções são classificadas de modo geral como: Soluções Orais; Soluções Tópicas; Soluções Estéreis; As soluções são caracterizadas, basicamente, pela mistura homogênea de um soluto e um solvente;

Leia mais

PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia.

PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia. PROF.: FERNANDA BRITO Disciplina Farmacologia fernandabrito@vm.uff.br Pharmakon FARMACOLOGIA Logos Ciência que estuda a ação dos compostos biologicamente ativos no organismos e areação do organismo a estes

Leia mais

Farmacologia I, Aulas Práticas

Farmacologia I, Aulas Práticas Farmacologia I, Aulas Práticas Aula 3 VIAS DE ADMINISRAÇÃO DE MEDICAMENTOS Conhecimentos a adquirir: Conhecer as vias de administração de medicamentos Dominar a respectiva técnica de administração Vias

Leia mais

domingo, 10 de abril de 2011 FARMACOCINÉTICA

domingo, 10 de abril de 2011 FARMACOCINÉTICA FARMACOCINÉTICA FARMACOCINÉTICA Estuda o caminho percorrido pelo medicamento no organismo, desde a sua administração até a sua eliminação. Pode ser definida como o estudo quantitativo dos processos de

Leia mais

Farmacologia Formas farmacêuticas e administração

Farmacologia Formas farmacêuticas e administração PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Biologia Farmacologia Formas farmacêuticas e administração Prof. Raimundo Jr, M.Sc Desenvolvimentos dos fármacos 1. Síntese

Leia mais

BIODISPONIBILIDADE E BIOEQUIVALÊNCIA DE MEDICAMENTOS Conceitos. Sílvia Storpirtis

BIODISPONIBILIDADE E BIOEQUIVALÊNCIA DE MEDICAMENTOS Conceitos. Sílvia Storpirtis BIODISPONIBILIDADE E BIOEQUIVALÊNCIA DE MEDICAMENTOS Conceitos Sílvia Storpirtis Professora Associada da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FCF-USP) Conteúdo Biodisponibilidade

Leia mais

SUPOSITÓRIOS. 3- CARACTERÍSITCAS supositórios retais - peso: 2g (adulto) e 1g (criança) - forma: cilíndrica alongada com extremidade afiladas

SUPOSITÓRIOS. 3- CARACTERÍSITCAS supositórios retais - peso: 2g (adulto) e 1g (criança) - forma: cilíndrica alongada com extremidade afiladas 1 SUPOSITÓRIOS 1- DEFINIÇÃO São preparações farmacêuticas sólidas, de forma e peso adequados que se destinam a serem aplicados nas cavidades inferiores do corpo (reto, vagina, e uretra), onde devem fundir,

Leia mais

ANTIBIÓTICOS ESQUEMAS TERAPÊUTICOS COMUNS E APRESENTAÇÕES COMERCIAIS NO BRASIL

ANTIBIÓTICOS ESQUEMAS TERAPÊUTICOS COMUNS E APRESENTAÇÕES COMERCIAIS NO BRASIL UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO - FACULDADE DE ODONTOLOGIA DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA ANTIBIÓTICOS ESQUEMAS TERAPÊUTICOS COMUNS E APRESENTAÇÕES COMERCIAIS NO BRASIL Revisão em 2010 Prof Solange Maria Dieterich

Leia mais

Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa Nº MEDICAMENTOS SITUAÇÃO CLÍNICA (CID-10)

Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa Nº MEDICAMENTOS SITUAÇÃO CLÍNICA (CID-10) MINISTÉRIO DA SAÚDE Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa Relação de Medicamentos contemplados pelo Componente Especializado da Assistência

Leia mais

Farmacologia I, Aulas Práticas

Farmacologia I, Aulas Práticas Farmacologia I, Aulas Práticas Aula 2 FORMAS FARMACÊUTICAS Conhecimentos a adquirir: classificação das formas farmacêuticas principais características das formas farmacêuticas vantagens e desvantagens

Leia mais

Vibral dropropizina MODELO DE BULA DO PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Vibral dropropizina MODELO DE BULA DO PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MODELO DE BULA DO PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Vibral dropropizina APRESENTAÇÕES VIBRAL (dropropizina) Xarope Adulto (3 mg/ml): frasco de 120 ml. VIBRAL (dropropizina) Xarope Pediátrico (1,5

Leia mais

DISPENSAÇÃO MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS

DISPENSAÇÃO MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS DISPENSAÇÃO MEDICAMENTOS HOMEOPÁTICOS Formas Farmacêuticas: são preparações resultantes da manipulação de insumos ativos e inertes, de acordo com as regras da farmacotécnica homeopática. Profª Ivana Violante

Leia mais

Dropropizina. Prati-Donaduzzi Xarope 1,5 mg/ml e 3 mg/ml. Dropropizina_bula_paciente

Dropropizina. Prati-Donaduzzi Xarope 1,5 mg/ml e 3 mg/ml. Dropropizina_bula_paciente Dropropizina Prati-Donaduzzi 1,5 mg/ml e 3 mg/ml Dropropizina_bula_paciente INFORMAÇÕES AO PACIENTE dropropizina Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES de 1,5 mg/ml ou 3 mg/ml em embalagem

Leia mais

À realizar-se: 16/02/2011. Nº Solicitação: 0686/09. Processo Nº: E-08/7135/2009. Quantidade

À realizar-se: 16/02/2011. Nº Solicitação: 0686/09. Processo Nº: E-08/7135/2009. Quantidade Licitação por: LICITACAO Nº À realizar-se: 16/02/2011 às 10:00 Nº Solicitação: 0686/09 PROPOSTA DETALHE Processo Nº: E-08/7135/2009 A firma ao lado mencionada propõe fornecer ao Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

Farmacologia Aspectos gerais

Farmacologia Aspectos gerais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação Departamento de Biologia Farmacologia Aspectos gerais Prof. Raimundo Jr, M.Sc Bibliografia Básica: SILVA, P. Farmacologia. 6ª ed. Rio

Leia mais

Despacho n.º 18694/2010, 18 de Novembro (DR, 2.ª série, n.º 242, de 16 de Dezembro de 2010)

Despacho n.º 18694/2010, 18 de Novembro (DR, 2.ª série, n.º 242, de 16 de Dezembro de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 242, de 16 de Dezembro de 2010) Estabelece as condições de comparticipação de medicamentos manipulados e aprova a respectiva lista O artigo 23.º do regime geral das comparticipações

Leia mais

FOSFATO DE CLINDAMICINA EMS S/A. Gel 10mg/g

FOSFATO DE CLINDAMICINA EMS S/A. Gel 10mg/g FOSFATO DE CLINDAMICINA EMS S/A Gel 10mg/g fosfato de clindamicina Medicamento genérico Lei n 9.787 de 1999 APRESENTAÇÕES Gel - Caixa contendo 1 bisnaga de 20g, 25g, 30g ou 45 g USO EXTERNO USO TÓPICO

Leia mais

Agrupamento pode ser aplicado para recipientes com diferentes tamanhos ou mesmo recipiente, mas com enchimento diferente.

Agrupamento pode ser aplicado para recipientes com diferentes tamanhos ou mesmo recipiente, mas com enchimento diferente. ANEXO I PLANO DE ESTUDO DE ESTABILIDADE REDUZIDO DE MEDICAMENTOS 1. INTRODUÇÃO Agrupamento e Matrização são modelos reduzidos de plano de estudo de estabilidade baseados em princípios diferentes. Entretanto,

Leia mais

RELAÇÃO DE MEDICAMENTOS PADRONIZADOS PARA DISPENSAÇÃO NAS UNIDADES DE SAÚDE

RELAÇÃO DE MEDICAMENTOS PADRONIZADOS PARA DISPENSAÇÃO NAS UNIDADES DE SAÚDE ACICLOVIR 200 MG COMPRIMIDO ACIDO ACETILSALICILICO 100 MG COMPRIMIDO ACIDO ACETILSALICILICO 500 MG COMPRIMIDO ACIDO FOLICO 5 MG COMPRIMIDO ACIDO VALPROICO 250 MG/5ML - FRASCO 100 ML ACIDO VALPRÓICO 250MG

Leia mais

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM ODONTOPEDIATRIA

TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM ODONTOPEDIATRIA TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA EM ODONTOPEDIATRIA PROCEDIMENTOS OPERATÓRIOS Profa. Dra. Mariana Braga Isabela Floriano CASCATA DA DOR E INFLAMAÇÃO AINES E o ANTIBIÓTICO?? Prostaglandinas Prostaciclinas Tromboxanas

Leia mais

MEDICAMENTOS E O AMBIENTE AEROESPACIAL

MEDICAMENTOS E O AMBIENTE AEROESPACIAL MEDICAMENTOS E O AMBIENTE AEROESPACIAL CONCEITO MEDICAMENTO: é o agente destinado a diagnóstico, tratamento, cura ou prevenção de doenças em seres humanos ou animais. MEDICAMENTO ALOPÁTICO FITOTERÁPICO

Leia mais

Indometacina. Identificação. de pó cristalino branco a amarelo contendo de 98,5 a 100,5 de Indometacina calculado em base anidra.

Indometacina. Identificação. de pó cristalino branco a amarelo contendo de 98,5 a 100,5 de Indometacina calculado em base anidra. Material Técnico Indometacina Identificação Fórmula Molecular: C 19 H 16 ClNO 4 Peso molecular: 357,8 DCB / DCI: 04889-Indometacina CAS: 53-86-1 INCI: Não aplicável Denominação botânica: Não aplicável

Leia mais

Processos de Revisão Excecional de Preço de Medicamentos com decisão do Secretário de Estado da Saúde (SES)

Processos de Revisão Excecional de Preço de Medicamentos com decisão do Secretário de Estado da Saúde (SES) 8024604 Endoxan Ciclofosfamida Comprimidso 50 mg 8969402 Hydrocortone Hidrocortisona Comprimido 10 mg 8969410 Hydrocortone Hidrocortisona Comprimido 20 mg 9257303 Dufine Clomifeno Comprimido 50 mg 8896423

Leia mais

Aula Prática. Enfª Marília M. Varela

Aula Prática. Enfª Marília M. Varela Aula Prática Enfª Marília M. Varela O A administração de medicamentos deve ser feita com eficiência, segurança e responsabilidade, para que sejam alcançados os objetivos terapêuticos implementados, mostrando

Leia mais

BIO E (acetato de racealfatocoferol)

BIO E (acetato de racealfatocoferol) BIO E (acetato de racealfatocoferol) União Química Farmacêutica Nacional S.A. Cápsula gelatinosa mole 400 UI BIO E acetato de racealfatocoferol Cápsula gelatinosa mole IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

Bromocriptina mesilato

Bromocriptina mesilato Material Técnico Identificação Fórmula Molecular: C 32 H 40 BrN 5 O 5.CH 4 O 3 S Peso molecular: 750.72 DCB/ DCI: 01466 - mesilato de bromocriptina / 3365 CAS: 22260-51-1 INCI: não aplicável Sinonímia:

Leia mais

Administração de Medicamentos. Professora Daniele Domingues dani.dominguess@gmail.com

Administração de Medicamentos. Professora Daniele Domingues dani.dominguess@gmail.com Professora Daniele Domingues dani.dominguess@gmail.com FATORES QUE DETERMINAM A ESCOLHA VIA Tipo de ação desejada Rapidez de ação desejada Natureza do medicamento CLASSIFICAÇÃO Enterais Parenterais Tópica

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA: VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIFERENTES VIAS DRUG ADMINISTRATION: ADVANTAGES AND DISADVANTAGES OF DIFFERENT WAYS

ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA: VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIFERENTES VIAS DRUG ADMINISTRATION: ADVANTAGES AND DISADVANTAGES OF DIFFERENT WAYS ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOSA: VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIFERENTES VIAS DRUG ADMINISTRATION: ADVANTAGES AND DISADVANTAGES OF DIFFERENT WAYS MONTANHA, Francisco Pizzolato Docente do curso de Medicina

Leia mais

APROVADO EM INFARMED

APROVADO EM INFARMED RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Fucidine H 20 mg/g + 10 mg/g Creme 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Ácido fusídico 20 mg/g e Acetato de hidrocortisona 10 mg/g.

Leia mais

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução otológica - Frasco com 10 ml, provido de conta-gotas.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução otológica - Frasco com 10 ml, provido de conta-gotas. Lidosporin lidocaína 43,4 mg/ml sulfato de polimixina B 10.000 UI/ml Solução otológica FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução otológica - Frasco com 10 ml, provido de conta-gotas. USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

Alimax. heparina sódica. Solução tópica UI/mL e UI/mL. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Alimax. heparina sódica. Solução tópica UI/mL e UI/mL. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Alimax heparina sódica Solução tópica 5.000 UI/mL e 10.000 UI/mL Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE 1 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ALIMAX heparina sódica APRESENTAÇÕES Solução

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO CEPOREX VET 180 mg/ml suspensão injetável para bovinos, cães e gatos. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Substância ativa:

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Assistência de Enfermagem Título. Preparo e Administração de Medicação por Via Retal

Procedimento Operacional Padrão (POP) Assistência de Enfermagem Título. Preparo e Administração de Medicação por Via Retal Elaborado por: Lícia Mara Brito Shiroma Procedimento Operacional Padrão (POP) Assistência de Enfermagem Título Preparo e Administração de Medicação por Via Retal POP NEPEN/DE/HU Versão: 01 Próxima revisão:

Leia mais

CÂMARA DE REGULAÇÃO DO MERCADO DE MEDICAMENTOS SECRETARIA-EXECUTIVA

CÂMARA DE REGULAÇÃO DO MERCADO DE MEDICAMENTOS SECRETARIA-EXECUTIVA CÂMARA DE REGULAÇÃO DO MERCADO DE MEDICAMENTOS SECRETARIA-EXECUTIVA Comunicado nº 6, de 5 de setembro de 2013 (Publicado no DOU, de 10 de setembro de 2013, Seção 3, pág. 3) A Secretaria-Executiva da Câmara

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 389/2013

RESPOSTA RÁPIDA 389/2013 RESPOSTA RÁPIDA 389/2013 SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO 0335.13.2291.6 DATA 01/12/2013 Dra Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica - MG SOLICITAÇÃO A Senhora Maria do Rosário

Leia mais

Treinamento Online 06/01 às 14:00 h. Arrase na Base

Treinamento Online 06/01 às 14:00 h. Arrase na Base Treinamento Online 06/01 às 14:00 h Arrase na Base Base Líquida TimeWise Acabamento Matte Acabamento Matte, ameniza a aparência de poros, controla o brilho e a oleosidade por horas; Microesferas de Silica

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia (CFF) Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim/CFF)

Conselho Federal de Farmácia (CFF) Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos (Cebrim/CFF) Nota Técnica n.º 01/2014 Data de elaboração: 26 de fevereiro de 2014. Tartarato de metoprolol e succinato de metoprolol apresentam diferenças farmacocinéticas, não sendo possível a intercambialidade entre

Leia mais

BIOQUÍMICA E METABOLISMO DOS MICRONUTRIENTES NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL E PARENTERAL

BIOQUÍMICA E METABOLISMO DOS MICRONUTRIENTES NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL E PARENTERAL BIOQUÍMICA E METABOLISMO DOS MICRONUTRIENTES NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL E PARENTERAL Profa. Dra. Maria Rosimar Teixeira Matos Docente do Curso de Nutrição da UECE TERAPIA NUTRICIONAL Suprir as necessidades

Leia mais

Vecasten. Melilotus officinalis MEDICAMENTO FITOTERÁPICO. Parte da planta utilizada: partes aéreas. APRESENTAÇÃO

Vecasten. Melilotus officinalis MEDICAMENTO FITOTERÁPICO. Parte da planta utilizada: partes aéreas. APRESENTAÇÃO Vecasten Melilotus officinalis MEDICAMENTO FITOTERÁPICO Parte da planta utilizada: partes aéreas. APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos de 26,7mg em embalagens com 20 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO ACIMA

Leia mais

Autor: Nicolau. Riscos Químicos

Autor: Nicolau. Riscos Químicos Autor: Nicolau Riscos Químicos Definição Contaminante químico é toda sustância orgânica e inorgânica, natural ou sintética, que durante sua fabricação, manejo, transporte, armazenamento do seu uso, pode

Leia mais

Cotação :

Cotação : Pará Governo Municipal de Capitão Poço MAPA DE COTAÇÃO DE PREÇOS - preço médio Pag.: 1 Cotação : 20160115001 Código Descrição 025948 ÁCIDO TRANEXAMICO 250MG INJ 025949 ÁCIDO TRANEXAMICO 250MG INJ (ME/EPP)

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Abcd. Cardizem SR cloridrato de diltiazem

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Abcd. Cardizem SR cloridrato de diltiazem IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Abcd Cardizem SR cloridrato de diltiazem FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Cápsula de liberação prolongada de 90 mg: embalagem com 20 cápsulas. Cápsula de liberação prolongada

Leia mais

PROTOCOLOS E NORMAS TÉCNICAS ESTADUAIS Relação de Medicamentos

PROTOCOLOS E NORMAS TÉCNICAS ESTADUAIS Relação de Medicamentos PROTOCOLOS E NORMAS TÉCNICAS ESTADUAIS Relação de Medicamentos (Atualizado em 15/02/2016) Ácido Folínico 15mg - comprimido Situações Clínicas Tratadas: Toxoplasmose em Gestantes (B36) Ácido ursodesoxicólico

Leia mais

Ficha de Dados de Segurança Conforme o Regulamento (CE) Nº 1907/2006 (REACH)

Ficha de Dados de Segurança Conforme o Regulamento (CE) Nº 1907/2006 (REACH) Conforme o Regulamento (CE) Nº 1907/2006 (REACH) ALUMINIO HIDRÓXIDO COLOIDAL.FDS_PT.DOC 1.- Identificação da substância ou do preparado e da sociedade ou empresa Identificação da substância ou do preparado

Leia mais

Higiene: Lavagem das mãos; Desinfecção da bancada, onde os medicamentos serão preparados; Anti-sepsia do local de aplicação do medicamento; Uso de

Higiene: Lavagem das mãos; Desinfecção da bancada, onde os medicamentos serão preparados; Anti-sepsia do local de aplicação do medicamento; Uso de Administração de Medicamentos em Pediatria Josie Motta e Motta Regras gerais A prescrição deve ser escrita e assinada. Somente em caso de emergência, a enfermagem pode atender prescrição verbal, que deverá

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FARMACOLOGIA BÁSICA Código: ENF-109 Pré-requisito: ENF-103 Bioquímica Período

Leia mais

Farmacologia I, Aulas Práticas

Farmacologia I, Aulas Práticas Farmacologia I, Aulas Práticas Aula 4 TÉCNICAS ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIAS DE EXCREÇÃO DE MEDICAMENTOS Conhecimentos a adquirir: Conhecer as vias de eliminação de fármacos, sabendo adaptar a dose.

Leia mais

Cápsula gelatinosa dura com 200 mg de extrato seco de Silybum marianum.embalagem contendo 20 cápsulas gelatinosas duras.

Cápsula gelatinosa dura com 200 mg de extrato seco de Silybum marianum.embalagem contendo 20 cápsulas gelatinosas duras. FORFIG CÁPSULA FORFIG CÁPSULA Silybum marianum L. Gaerth Extrato Cápsula gelatinosa dura Forma Farmacêutica e Apresentação de Forfig Cápsula Cápsula gelatinosa dura com 200 mg de extrato seco de Silybum

Leia mais

Unidade 2: Psicofármacos

Unidade 2: Psicofármacos 1 2 Unidade 2: Psicofármacos Formas Farmacêuticas Farmacocinética e Farmacodinâmica 3 Formas Farmacêuticas Maneira como as drogas se apresentam para uso. De acordo com a forma farmacêutica, têm-se a via

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal FARMACOLOGIA. Professor Bruno Aleixo Venturi

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal FARMACOLOGIA. Professor Bruno Aleixo Venturi Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal FARMACOLOGIA Professor Bruno Aleixo Venturi Farmacologia fármacon: drogas lógos: estudo É a ciência que estuda como os medicamentos

Leia mais

Anexo C. (alteração a medicamentos autorizados nacionalmente)

Anexo C. (alteração a medicamentos autorizados nacionalmente) Anexo C (alteração a medicamentos autorizados nacionalmente) ANEXO I CONCLUSÕES CIENTÍFICAS E FUNDAMENTOS RECOMENDANDO A ALTERAÇÃO AOS TERMOS DA(S) AUTORIZAÇÃO(ÇÕES) DE INTRODUÇÃO NO MERCADO Conclusões

Leia mais

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública nº 50, de 28 de maio de 2007. D.O.U de 30/05/2007 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Tipos de filtros. Teoria da Filtração. Tipos de filtros. Tipos de filtros

Tipos de filtros. Teoria da Filtração. Tipos de filtros. Tipos de filtros Filtração é uma operação unitária que tem por objetivo a separação mecânica de um sólido de um fluido, seja este fluido um líquido ou gás. Suspensão Filtração Resíduo, torta ou bolo Meio Filtrante permeável

Leia mais

DICAS FARMACOTÉCNICAS. Anderson de Oliveira Ferreira, MSc.

DICAS FARMACOTÉCNICAS. Anderson de Oliveira Ferreira, MSc. DICAS FARMACOTÉCNICAS Gotas x conta-gotas Anderson de Oliveira Ferreira, MSc. Introdução: A administração de um medicamento líquido por via oral dividido em dose unitária como gota é de longa tradição

Leia mais

FARMACOCINÉTICA CLÍNICA

FARMACOCINÉTICA CLÍNICA FARMACOCINÉTICA CLÍNICA Profa. Dra. Viviani milan vivimilan@uninove.br Farmacocinética Definida como o estudo qualitativo e quantitativo dos processos de: Absorção Distribuição Metabolização Excreção 1

Leia mais

CUIDADOS COM CATETERES E SONDAS

CUIDADOS COM CATETERES E SONDAS FACULDADE UNIGRAN CAPITAL TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA PRINCÍPIOS E TÉCNICAS DA ENFERMAGEM CUIDADOS COM CATETERES E SONDAS ACESSO VENOSO PERIFÉRICO Definido como acesso ao sistema venoso sistêmico por punção

Leia mais

NOME: FERRINI FÓLICO (ferro aminoácido quelato + ácido fólico) FORMA FARMACÊUTICA: COMPRIMIDO REVESTIDO CONCENTRAÇÕES: 150MG + 5MG E 300MG + 5MG

NOME: FERRINI FÓLICO (ferro aminoácido quelato + ácido fólico) FORMA FARMACÊUTICA: COMPRIMIDO REVESTIDO CONCENTRAÇÕES: 150MG + 5MG E 300MG + 5MG NOME: FERRINI FÓLICO (ferro aminoácido quelato + ácido fólico) FORMA FARMACÊUTICA: COMPRIMIDO REVESTIDO CONCENTRAÇÕES: 150MG + 5MG E 300MG + 5MG Bula para o paciente de acordo com a RDC 47/2009 Comprimido

Leia mais

Publicado no DOU de 17/02/2012 Seção III pág 3 CONSELHO DE GOVERNO CÂMARA DE REGULAÇÃO DO MERCADO DE MEDICAMENTOS SECRETARIA EXECUTIVA

Publicado no DOU de 17/02/2012 Seção III pág 3 CONSELHO DE GOVERNO CÂMARA DE REGULAÇÃO DO MERCADO DE MEDICAMENTOS SECRETARIA EXECUTIVA Publicado no DOU de 17/02/2012 Seção III pág 3 CONSELHO DE GOVERNO CÂMARA DE REGULAÇÃO DO MERCADO DE MEDICAMENTOS SECRETARIA EXECUTIVA COMUNICADO Nº 2, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2012 A Secretaria Executiva

Leia mais

Pfizer Supositório de Glicerina glicerol

Pfizer Supositório de Glicerina glicerol Pfizer Supositório de Glicerina glicerol PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome: Pfizer Supositório de Glicerina Nome genérico: glicerol Formas farmacêuticas e apresentações: Pfizer Supositório de Glicerina

Leia mais

Protocolo para Utilização do Levonorgestrel na Anticoncepção Hormonal de Emergência

Protocolo para Utilização do Levonorgestrel na Anticoncepção Hormonal de Emergência Protocolo para Utilização do Levonorgestrel na Anticoncepção Hormonal de Emergência A anticoncepção hormonal de emergência é um método que utiliza concentração de hormônios para evitar gravidez após a

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FOSFONOX 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FOSFONOX 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FOSFONOX 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA a) Nome do Produto: FOSFONOX. b) Código do Produto: c) Nome da Empresa: ICARAÍ DO BRASIL IND. COM.

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 18 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO INTERGONAN 6000 UI pó e solvente para solução injectável para bovinos, ovinos, coelhos e cães 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA

Leia mais

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin NUTRIÇÃO??? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais do indivíduo,

Leia mais

Peeling Químico - Superficial

Peeling Químico - Superficial Peeling Químico - Superficial Os peelings químicos são um dos procedimentos cosméticos não invasivos mais populares realizados para rejuvenescer a aparência da pele. Com o tempo, fatores como danos causados

Leia mais

1ºSEMESTRE LETIVO 2013

1ºSEMESTRE LETIVO 2013 1ºSEMESTRE LETIVO 2013 DISCIPLINA: Semiotécnica Básica de Enfermagem Docentes : Graziela Ramos Barbosa de Souza Aparecida Santos Noia Luciana Soares Costa Santos Carga horária: Teórica: 60 horas Teórico-Prático:

Leia mais

PROMIM (promestrieno)

PROMIM (promestrieno) PROMIM (promestrieno) Supera Farma Laboratórios S.A Creme Vaginal 10 MG/G Promim promestrieno MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA Uso tópico vaginal Creme Vaginal USO ADULTO FORMA

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 18 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Agalactivax, emulsão injetável para ovinos e caprinos. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada dose de

Leia mais

Excreção. Expulsão de produtos residuais da actividade celular e de outras substâncias presentes em excesso no sangue.

Excreção. Expulsão de produtos residuais da actividade celular e de outras substâncias presentes em excesso no sangue. Sistema Urinário Excreção Expulsão de produtos residuais da actividade celular e de outras substâncias presentes em excesso no sangue. Como eliminar os produtos tóxicos que se formam nas células? Vias

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 14 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Nobilis Ma5 + Clone 30 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Por dose: Substâncias ativas: Vírus vivo da Bronquite

Leia mais

ANEXO I. Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam

ANEXO I. Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam ANEXO I Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam A Agência Europeia de Medicamentos (EMEA) completou recentemente a avaliação da segurança do anti-inflamatório não esteróide (AINE)

Leia mais

Biologia. Alexandre Bandeira (Julio Junior) Membrana e Organelas

Biologia. Alexandre Bandeira (Julio Junior) Membrana e Organelas Membrana e Organelas Membrana e Organelas 1. As funções das células estão relacionadas com sua estrutura e com sua atividade metabólica. Apresenta-se abaixo uma tabela em que estão discriminadas, em porcentagens,

Leia mais

100% óleo mineral. Laxante e terapia em uso tópico para pele ressecada e áspera

100% óleo mineral. Laxante e terapia em uso tópico para pele ressecada e áspera Dizeres de Cartucho (frente e laterais) Logo Mantecorp Conteúdo 120 ml Laxante e terapia em uso tópico para pele ressecada e áspera Sem cheiro/ Sem gosto MEDICAMENTO DE NOTIFICAÇÃO SIMPLIFICADARDC ANVISA

Leia mais

Fosfomicina Generis 2000 mg Granulado para solução oral. Fosfomicina Generis 3000 mg Granulado para solução oral

Fosfomicina Generis 2000 mg Granulado para solução oral. Fosfomicina Generis 3000 mg Granulado para solução oral FOLHETO INFORMATIVO: Informação para o utilizador Fosfomicina Generis 2000 mg Granulado para solução oral. Fosfomicina Generis 3000 mg Granulado para solução oral Leia atentamente este folheto antes de

Leia mais

http://www.fotosdahora.com.br/cli part/cliparts_categorias/escola/in dex.asp?pagina=5, http://www.fontouravip.com. br/quadros/344/

http://www.fotosdahora.com.br/cli part/cliparts_categorias/escola/in dex.asp?pagina=5, http://www.fontouravip.com. br/quadros/344/ http://www.fotos-imagens.net/sala-de-aula.html http://www.jonathanribas.com/blog/12-03-2012-segunda-aula-regras-dasala-de-informatica/ http://galeria.colorir.com/colegio/borracha-deapagar-pintado-por-pedro-883081.html

Leia mais

Após a reconstituição do pó com o diluente forma-se uma solução contendo 1 mg (1 UI) de glucagon por ml.

Após a reconstituição do pó com o diluente forma-se uma solução contendo 1 mg (1 UI) de glucagon por ml. GLUCAGEN HYPOKIT Glucagon (biossintético) Para injeção subcutânea ou intramuscular Forma farmacêutica Pó liofilizado e diluente para solução injetável. Contém cloridrato de glucagon biossintético, equivalente

Leia mais

Módulo:Princípios de Farmacologia

Módulo:Princípios de Farmacologia Módulo:Princípios de Farmacologia Vias de Administração de Fármacos Prof. Dr. Ronaldo A. Ribeiro! "! # ",-( $% & ' ADMINIS TRAÇÃO COM ABSORÇÃO ABSORÇÃO ADMINIS TRAÇÃO SEM ABS ORÇÃO Memb rana Tecidos: gordura,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE ESCOLA DE ENFERMAGEM SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA II. Administração de Medicamentos. Vias Não Parenterais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE ESCOLA DE ENFERMAGEM SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA II. Administração de Medicamentos. Vias Não Parenterais UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE ESCOLA DE ENFERMAGEM SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA II Administração de Medicamentos Vias Não Parenterais Profª Bárbara Tarouco da Silva Rio Grande 2012/1º semestre Via oral

Leia mais

tobramicina Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Solução Gotas 3mg/mL

tobramicina Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Solução Gotas 3mg/mL tobramicina Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Solução Gotas 3mg/mL I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: tobramicina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÃO Solução Gotas Embalagem

Leia mais

Ficha de Dados de Segurança Conforme o Regulamento (CE) Nº 1907/2006 (REACH)

Ficha de Dados de Segurança Conforme o Regulamento (CE) Nº 1907/2006 (REACH) Conforme o Regulamento (CE) Nº 1907/2006 (REACH) CALCIO CLORURO CRISTAL.FDS_PT.DOC 1.- Identificação da substância ou do preparado e da sociedade ou empresa Identificação da substância ou do preparado

Leia mais

Treinamento de Vendas.

Treinamento de Vendas. Treinamento de Vendas www.lavertuan.com.br Linha de Fotoproteção Diária Produto multifuncional desenvolvido para o homem e para a mulher moderna. Linha de Fotoproteção Diária Foi desenvolvida para proteger

Leia mais

TEXTO PARA MEMENTO TERAPÊUTICO FURP. Creme Caixa com 50 bisnagas embalagem com 10 g de creme na concentração de 1 mg/g.

TEXTO PARA MEMENTO TERAPÊUTICO FURP. Creme Caixa com 50 bisnagas embalagem com 10 g de creme na concentração de 1 mg/g. TEXTO PARA MEMENTO TERAPÊUTICO FURP FURP-DEXAMETASONA 1 mg/g Creme acetato de dexametasona FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Creme Caixa com 50 bisnagas embalagem com 10 g de creme na concentração de 1

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 14 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Nobilis TRT 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Por dose: Substância ativa: 2,5 log 10 TCID 50 de vírus

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0003

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0003 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 17:00 horas do dia 08 de agosto de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Tucunduva, designado pela portaria 168/2011 após analise da documentação do Pregão Eletrônico

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO TERAPÊUTICA DE SUBSTÂNCIAS E MÉTODOS PROIBIDOS GUIA INFORMATIVO PARA MÉDICOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO TERAPÊUTICA DE SUBSTÂNCIAS E MÉTODOS PROIBIDOS GUIA INFORMATIVO PARA MÉDICOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO TERAPÊUTICA DE SUBSTÂNCIAS E MÉTODOS PROIBIDOS GUIA INFORMATIVO PARA MÉDICOS Versão 2010 A criação da Agência Mundial Antidopagem

Leia mais

BULA. Terramicina com sulfato de polimixina B. (cloridrato de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B) Pomada Oftálmica

BULA. Terramicina com sulfato de polimixina B. (cloridrato de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B) Pomada Oftálmica BULA Terramicina com sulfato de polimixina B (cloridrato de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B) Pomada Oftálmica PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome: Terramicina com sulfato de polimixina B -

Leia mais

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO

VIAS DE ADMINISTRAÇÃO VIA ENTERAL VIA ORAL: Estômago e Intestino delgado VIA SUBLINGUAL: VIA RETAL: VIA PARENTERAL USO TÓPICO : - Mucosas: vaginal, conjuntival, nasal - Pele: INALAÇÃO: Uso tópico vs uso sistêmico IV, IM, SC:

Leia mais

PROMERGAN (prometazina) BELFAR LTDA. Creme dermatológico 20 mg/g

PROMERGAN (prometazina) BELFAR LTDA. Creme dermatológico 20 mg/g PROMERGAN (prometazina) BELFAR LTDA. Creme dermatológico 20 mg/g PROMERGAN Prometazina APRESENTAÇÃO Creme 20 mg/g, bisnaga de 30 g. USO TÓPICO. USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 2 ANOS. COMPOSIÇÃO Cada

Leia mais

Medicamentos I MEDICAMENTOS I. Pág.:1

Medicamentos I MEDICAMENTOS I. Pág.:1 MEDICAMENTOS I Pág.:1 INTRODUÇÃO A administração de medicamentos é entendida como um cuidado de enfermagem, cabendo aos enfermeiros e técnicos de enfermagem assistirem ao cliente no que diz respeito à

Leia mais